Critérios de avaliação da disciplina de Educação Tecnológica 2º Ciclo. Metas/Domínios Ano Parâmetros de Avaliação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Critérios de avaliação da disciplina de Educação Tecnológica 2º Ciclo. Metas/Domínios Ano Parâmetros de Avaliação"

Transcrição

1 Sócio-Afetivo Interesse e empenho Comportamento (respeito e sociabilidade) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS Ano Letivo de 2012/2013 Critérios de avaliação da disciplina de Educação Tecnológica 2º Ciclo Metas/Domínios Ano Parâmetros de Avaliação Assiduidade/ Pontualidade Cooperação Responsabilidade Autonomia Espírito Critico Valor Percentual 30% Técnica Representação Discurso Projeto Reconhece o papel da tecnologia Discrimina a relevância do objeto histórico Domina a aquisição de conhecimento técnico Conhece a origem e propriedades dos materiais Reconhece processos de transformação das principais matérias-primas Distingue alterações no meio ambiente determinadas pela acção humana Domina procedimentos sistemáticos e metodológicos Reconhece tipos de grandeza e respetivos instrumentos de medição Discrimina a conveniência de medições rigorosas na execução dos trabalhos Domina a representação como instrumento de exposição rigorosa Conhece diversos tipos de movimentos Reconhece operadores mecânicos de transmissão e de transformação do movimento Domina a representação esquemática como registo de informação Aplica princípios de comunicação tecnológica Desenvolve princípios de comunicação tecnológica Domina a comunicação como um processo de organização de factos Distingue a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de construção Compreende processos técnicos de fabrico e de construção Domina a comunicação orientada para a demonstração Distingue as principais fontes de energia Compreende processos de produção e de transformação de energia Explora situações energéticas no âmbito dos operadores elétricos Domina procedimentos de análise e de sistematização Conhecer tipos de estrutura Explorar estruturas no âmbito da forma e função Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um objetivo Valor Percentual Instrumentos de Avaliação: Produtos técnicos de expressão bi e tri dimensionais; Observação directa durante as aulas (domínio sócio-afetivo e verificação das actividades técnicas e manuais desenvolvidas); Fichas de diagnóstico; Fichas de auto-avaliação (reflexão sobre o trabalho desenvolvido); Fichas de Avaliação; Caderno Diário (sebenta); Trabalhos de grupo; Trabalhos de pesquisa, recolha e selecção de informação;

2 Critérios de Avaliação Educação Tecnológica 7º e 8º ano % Área Socioafetiva: Interesse e empenho; Comportamento (respeito e sociabilidade); Assiduidade e Pontualidade; Cooperação; Responsabilidade; Autonomia; Espírito Crítico. 30% 30% 10% Conceção/projeto: Relação forma/função; Criatividade; Aplicação dos conceitos. Domínio da técnica Conteúdos teóricos (se as atividades não justificarem este item de avaliação, a respetiva percentagem será equitativamente dividida e adicionada a Conceção/projeto e Domínio da técnica) Possíveis instrumentos de avaliação: Fichas de diagnóstico; Grelhas de observação; Registo fotográfico ou audiovisual; Produtos técnicos de expressão bi ou tridimensional; Fichas de autoavaliação; Caderno diário, Diário gráfico; Relatórios de projeto; Trabalhos de pesquisa; Fichas de trabalho; Exposições de trabalhos.

3 Sócio-Afetivo Interesse e empenho Comportamento (respeito e sociabilidade) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS Ano Letivo de 2012/2013 Critérios de avaliação da disciplina de Educação Visual 2º Ciclo Metas/Domínios Ano Parâmetros de Avaliação Assiduidade/ Pontualidade Cooperação Responsabilidade Autonomia Espírito Critico Técnica Representação Discurso Valor Percentual 30% Projeto Conhece materiais riscadores e respetivos suportes físicos Domina materiais básicos de desenho técnico Domina a aquisição de conhecimento prático Compreende características e qualidade da cor Reconhece a simbologia e o significado da cor Domina procedimentos sistemáticos e metodológicos Compreende a geometria enquanto elemento de organização da forma Reconhece a textura enquanto aspeto visual das superficies Explica a estrutura como suporte da forma Domina a representação como elemento de registo Conhece as interações dos objetos no espaço Representa elementos físicos num espaço Domina a representação bidimensional Conhece diferentes tipologias de comunicação Distingue códigos e suportes utilizados pela comunicação Domina a comunicação como um processo de narrativa visual Compreende o conceito de património Reconhece o papel e influência do património na sociedade Reconhece o papel do discurso no âmbito de trajetórias históricas Reconhece princípios básicos da criação de um discurso Desenvolve a capacidade de avaliação critica na criação de um discurso Domina atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um objetivo Valor Percentual 25% 25% Instrumentos de Avaliação: Produtos técnicos de expressão bi e tri dimensionais; Observação directa durante as aulas (domínio sócio-afetivo e verificação das actividades técnicas e manuais desenvolvidas); Fichas de diagnóstico; Fichas de auto-avaliação (reflexão sobre o trabalho desenvolvido); Fichas de Avaliação; Caderno/ Diário Gráfico; Trabalhos de grupo; Trabalhos de pesquisa, recolha e selecção de informação;

4 Sócio-Afetivo Interesse e empenho Comportamento (respeito e sociabilidade) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS Ano Letivo de 2012/2013 Critérios de avaliação da disciplina de Educação Visual 3º Ciclo Domínios Ano Valor Percentual Domínio das Técnicas /Expressão Plástica 7º 8º 9º Assiduidade/ Pontualidade Cooperação Responsabilidade Autonomia Espírito Critico Domínio e aplicação de conceitos Criatividade 7º 8º 9º 7º 8º 9º Valor Percentual 30% Higiene no Trabalho 7º 10% 8º 9º Instrumentos de Avaliação: Produtos técnicos de expressão bi e tri dimensionais; Observação directa durante as aulas (domínio sócio-afetivo e verificação das actividades técnicas e manuais desenvolvidas); Fichas de diagnóstico; Fichas de auto-avaliação (reflexão sobre o trabalho desenvolvido); Fichas de Avaliação; Caderno Diário/ Diário Gráfico; Trabalhos de grupo; Trabalhos de pesquisa (recolha e selecção de informação)

5 Agrupamento de Escolas de Samora Correia Escola E.B. 2,3 Professor João Fernandes Pratas Critérios de Avaliação de Educação Musical/Música 2012/2013 DOMÍNIOS / COMPETÊNCIAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PONDERAÇÕES Percentagem Total Domínio Cognitivo Saber e saber fazer 1- Testes de avaliação 2- Organização dos materiais % Domínio Sócio-Afectivo 2- Prática Instrumental e Vocal (Flauta/Orff/Canto) Comportamento Iniciativa/Autonomia 5 5- Assiduidade/Pontualidade 10 6-Interesse/Empenho/Responsabilidade 15 50% Os docentes: Eunice Caetano / Filipe Fernandes / Vanda Rodrigues

6 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA Escola Básica 2/3 Professor João Fernandes Pratas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2012/2013 A avaliação é um processo contínuo e sistemático que tem como principal finalidade contribuir para que os alunos atinjam determinados objectivos estabelecidos para a aprendizagem. A Classificação a atribuir em cada período na Área Disciplinar de Educação Física é definida de acordo com as seguintes ponderações: DOMINÍOS CAMPOS DE OBSERVAÇÃO % AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA Escola Básica 2/3 Professor João Fernandes Pratas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2012/2013 A avaliação é um processo contínuo e sistemático que tem como principal finalidade contribuir para que os alunos atinjam determinados objectivos estabelecidos para a aprendizagem. A Classificação a atribuir em cada período na Área Disciplinar de Educação Física é definida de acordo com as seguintes ponderações: DOMINÍOS CAMPOS DE OBSERVAÇÃO % Saber-Ser e Saber- Estar Saber e Saber- Fazer 1. Aplicação de atitudes sócio-desportivas 20 Responsabilidade É Pontual e assíduo. Apresenta o material necessário para aula. Prepara, arruma e preserva o material. Aceita as decisões do grupo, mesmo que sejam diferentes da 5 sua. Realiza as actividades propostas na aula. Cumpre dos prazos definidos. Comportamento Cumpre as regras de funcionamento da escola (dentro e fora da sala de aula). Relaciona-se bem com os outros sem criar conflitos. 10 Respeita e valoriza as diferenças. Sabe ouvir os outros e Intervém de forma organizada. Autonomia Contribui com sugestões para resolver tarefas comuns e apresenta persistência no trabalho. Demonstra atitude crítica e de iniciativa, bem como uma estrutura lógica do discurso Pesquisa, recorrendo a várias fontes de informação. Auto e hetero avaliação objectiva Desempenho nas exigências básicas de carácter técnico táctico Apresentar níveis de Aptidão Física relacionados com a Zona Saudável de Aptidão Física (ZSAF-Fitnessgram) Aplicação de noções fundamentais das actividades físicas desportivas 15 OBS: a completar com a questão dos intervalos Saber-Ser e Saber- Estar OBS: Saber e Saber- Fazer 1. Aplicação de atitudes sócio-desportivas 20 Responsabilidade É Pontual e assíduo. Apresenta o material necessário para aula. Prepara, arruma e preserva o material. Aceita as decisões do grupo, mesmo que sejam diferentes da 5 sua. Realiza as actividades propostas na aula. Cumpre dos prazos definidos. Comportamento Cumpre as regras de funcionamento da escola (dentro e fora da sala de aula). Relaciona-se bem com os outros sem criar conflitos. 10 Respeita e valoriza as diferenças. Sabe ouvir os outros e Intervém de forma organizada. Autonomia Contribui com sugestões para resolver tarefas comuns e apresenta persistência no trabalho. Demonstra atitude crítica e de iniciativa, bem como uma estrutura lógica do discurso Pesquisa, recorrendo a várias fontes de informação. Auto e hetero avaliação objectiva Desempenho nas exigências básicas de carácter técnico táctico Apresentar níveis de Aptidão Física relacionados com a Zona Saudável de Aptidão Física (ZSAF-Fitnessgram) Aplicação de noções fundamentais das actividades físicas desportivas 15

7 REGULAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA REGULAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA EQUIPAMENTO OBRIGATÓRIO Piscina Calção curto e justo de lycra ou tanga, Touca e Chinelos Ginásio Sapatilhas, calções e t-shirt Pavilhão Ténis limpos, para usar no interior, Calções e T-shirt. EQUIPAMENTO OBRIGATÓRIO Piscina Calção curto e justo de lycra ou tanga, Touca e Chinelos Ginásio Sapatilhas, calções e t-shirt Pavilhão Ténis limpos, para usar no interior, Calções e T-shirt. NOTA 1: O equipamento da disciplina deve ser utilizado exclusivamente nas aulas de Educação Física (o calçado de andar na rua não pode ser utilizado dentro das instalações desportivas). É expressamente proibida a entrada no pavilhão ou ginásio sem calçado apropriado. NOTA 2: O aluno que não possa fazer aula na piscina, tem de trazer o equipamento necessário (t-shirt, calções e chinelos) para assistir à mesma lá dentro, caso contrário terá falta de presença. NOTA 3: O aluno deve-se fazer acompanhar em todas as aulas de material de higiene pessoal (toalha, chinelos, shampoo, gel de banho) para tomar banho no final da mesma. Sem o equipamento anteriormente referido, os alunos não estão em condições para a prática de Educação Física, pelo que lhes será marcada uma falta de material. A partir da terceira será sempre marcada uma falta de material no livro de ponto. Os alunos a quem seja marcada falta de material, devem assistir à aula sendo-lhes atribuída, pelo professor, uma tarefa (ex: relatório da aula, ficha ou trabalho, colaboração na montagem e arrumação do material, arbitragens, etc.) ADORNOS PESSOAIS E VALORES Não é permitido o uso de adornos pessoais que possam colocar em perigo a integridade física do aluno ou dos colegas, nomeadamente brincos, pulseiras, relógios, fios, piercings e anéis. Não é também permitido, realizar a aula com os ténis desapertados. Os valores são colocados no saco de valores, que o Delegado e/ou Subdelegado irão buscar no inicio de cada aula. A escola/professor não se responsabiliza pelo desaparecimento de algo que tenha ficado dentro dos balneários. NOTA 1: O equipamento da disciplina deve ser utilizado exclusivamente nas aulas de Educação Física (o calçado de andar na rua não pode ser utilizado dentro das instalações desportivas). É expressamente proibida a entrada no pavilhão ou ginásio sem calçado apropriado. NOTA 2: O aluno que não possa fazer aula na piscina, tem de trazer o equipamento necessário (t-shirt, calções e chinelos) para assistir à mesma lá dentro, caso contrário terá falta de presença. NOTA 3: O aluno deve-se fazer acompanhar em todas as aulas de material de higiene pessoal (toalha, chinelos, shampoo, gel de banho) para tomar banho no final da mesma. Sem o equipamento anteriormente referido, os alunos não estão em condições para a prática de Educação Física, pelo que lhes será marcada uma falta de material. A partir da terceira será sempre marcada uma falta de material no livro de ponto. Os alunos a quem seja marcada falta de material, devem assistir à aula sendo-lhes atribuída, pelo professor, uma tarefa (ex: relatório da aula, ficha ou trabalho, colaboração na montagem e arrumação do material, arbitragens, etc.) ADORNOS PESSOAIS E VALORES Não é permitido o uso de adornos pessoais que possam colocar em perigo a integridade física do aluno ou dos colegas, nomeadamente brincos, pulseiras, relógios, fios, piercings e anéis. Não é também permitido, realizar a aula com os ténis desapertados. Os valores são colocados no saco de valores, que o Delegado e/ou Subdelegado irão buscar no inicio de cada aula. A escola/professor não se responsabiliza pelo desaparecimento de algo que tenha ficado dentro dos balneários. Tomei Conhecimento (Assinatura Encarregado Educação) / / Tomei Conhecimento (Assinatura Encarregado Educação) / /

8 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA Ano letivo 2012/2013 GRUPO 550 INFORMÁTICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICOS Os critérios de avaliação descritos, referem-se ao domínio cognitivo/competências e têm atenção a especificidade das disciplinas de Informática. A avaliação deverá ser fundamentada nos resultados obtidos através da aplicação de várias técnicas de avaliação. Os instrumentos de avaliação de aplicação regular utilizados serão: testes escritos, trabalhos práticos, interpelações orais, projectos/trabalhos de pesquisa. AVALIAÇÃO SUMATIVA Disciplina Nível CEF Atitudes Avaliação Trabalhos Propostos Interpelação Oral 40% 30% 10% CEF 40% 30% 10% CEF 40% 30% 10% CEF 40% 30% 10% TIC CEF 60% TIC 7º Ano 10% 40% 50% 10% ITIC 8º Ano 10% 40% 50% 10% ITIC 9º Ano 10% 50% 30% 10% Página 1

9 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS Ano Letivo: 2012/2013 CEF ELETRICIDADE DE INSTALAÇÕES Despacho-conjunto Nº 453/2004 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO UNIFORMIZAÇÃO (2ºano) Domínios Disciplinas LPO ING MAT F.Q. ED.FIS. CID HST ITED IEFM IEIC TIC Comunicação (Língua Portuguesa) 10%(*) 5% 5% 5% 10% 5% 5% 5% 5% Cognitivo 30% 30% 45% 45% 10% 35% 25% 45% 45% 45% 45% Métodos e Técnicas de Estudo/Trabalho 25% 30% 25% 25% 25% 25% Psicomotor 0% 0% 5% 5% 45% 5% 10% 5% 5% 5% 5% Atitudes e Valores 30% 30% 25% 30% 25% 30% 30% (*) - Comunicação Língua Inglesa

10 DOMINIOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS Comunicação (Língua Portuguesa) Cognitivo Métodos e Técnicas de Estudo/Trabalho Psicomotor Atitudes e Valores LPO ING MAT F-Q- E. F. CID HST ITED IEFM IEIC TIC Leitura X X X X X X X Cap. Compreensão X X X X X X X X X X X Cap. Interpretação X X X X X X X X X X X Fichas de Avaliação X X X X X X X X X X X Participação na Aula X X X X X X X X X X X Aquisição de Competências X X X X X X X X X X X Aplicação de Conhecimentos X X X X X X X X X X X Desenvolvimento de Autonomia X X X X X X X X X X X Criatividade X X X X X X X X X X Trabalho Realizados na Aula X X X X X X X X X X X Organização e Método X X X X X X X X X X X Trabalhos de Casa X X X X X Cooperação em trabalhos de grupo X X X X X X X X X X X Saber distinguir e manipular material X X X X X X Elaboração de relatórios X Capacidade de observação X X X X X X X X X X X Interesse e Empenho X X X X X X X X X X X Comportamento X X X X X X X X X X X Assiduidade X X X X X X X X X X X Pontualidade X X X X X X X X X X X Sociabilização X X X X X X X X X X X Responsabilidade X X X X X X X X X X X

CRITÉRIOS DE AVALIACÃO

CRITÉRIOS DE AVALIACÃO CRITÉRIOS DE AVALIACÃO Educação Visual 5º Ano Educação Visual 6º Ano Educação Tecnológica 5º Ano Educação Tecnológica 6º Ano ANO ESCOLAR 2015 / 2016 Ano letivo de 2015 / 2016 INTRODUÇÃO Sendo a avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Ano Letivo 2014 2015. DISCIPLINA : Educação Visual -2º ciclo

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Ano Letivo 2014 2015. DISCIPLINA : Educação Visual -2º ciclo DISCIPLINA : Educação Visual -2º ciclo INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO % -Produzir trabalhos explorando temas, ideias e situações -Conhecer noções de volume, espaço e estrutura -Conhecer os principais meios

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 2º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 3º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

ESCOLA BÁSICA SANTA CLARA. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Educação Visual (5ºAno) 2015-2016

ESCOLA BÁSICA SANTA CLARA. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Educação Visual (5ºAno) 2015-2016 1 1 Não conhece os materiais riscadores e respetivos suportes físicos. Não domina os materiais básicos de desenho técnico. Não domina a aquisição de conhecimento prático. Não compreende a geometria enquanto

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA ALUNOS COM PRÁTICA REGULAR DOMÍNIO COGNITIVO DOMÍNIO PSICOMOTOR ESCOLA BÁSICA 2 E 3 DE RIO TINTO ANO LETIVO 2015-2016

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA ALUNOS COM PRÁTICA REGULAR DOMÍNIO COGNITIVO DOMÍNIO PSICOMOTOR ESCOLA BÁSICA 2 E 3 DE RIO TINTO ANO LETIVO 2015-2016 Página1 ESCOLA BÁSICA 2 E 3 DE RIO TINTO ANO LETIVO 2015-2016 AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA FINALIDADES DA EDUCAÇÃO FÍSICA Na perspetiva da melhoria da qualidade de vida, da saúde e do bem-estar:

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos Escola Básica dos 2º e s do Estreito de Câmara de Lobos N.º do Código do Estabelecimento de Ensino 3102-202 N.º de Telefone: 291945614/15 Fax: 291947271 Grupos Disciplinares Áreas Curriculares Disciplinares

Leia mais

Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014. Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos

Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014. Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos Domínio das atitudes e valores Domínio Cognitivo Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014 Docente: Graça Silva Turma: 6.º A Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos Domínios de Avaliação Instrumentos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ANEXO III REGULAMENTO DE DISCIPLINA

REGULAMENTO INTERNO ANEXO III REGULAMENTO DE DISCIPLINA REGULAMENTO INTERNO ANEXO III REGULAMENTO DE DISCIPLINA Quinta da Vila Formosa l Aeroporto l 1700-008 l Tel 218 540 190 Fax 218 540 195 www.externatochampagnat.pt ÍNDICE anexo III... 1 regulamento de disciplina...

Leia mais

2014 / 2015. Agrupamento de Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro

2014 / 2015. Agrupamento de Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro 2014 / 2015 O projecto Metas de Aprendizagem insere-se na Estratégia Global de Desenvolvimento do Currículo Nacional que visa assegurar uma educação de qualidade e melhores resultados escolares nos diferentes

Leia mais

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os critérios definidos pelas docentes da disciplina de História

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ANO LETIVO 2014/15 Rua José Régio 4490-648 Póvoa de Varzim CRITÉRIOS

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Casal do Cano 2630 Arruda dos Vinhos Tel. 263977390 Fax: 263977391 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ÁREA A - MOTOR ÁREA B COND. FÍSICA DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA ÁREA C - COGNITIVO

Leia mais

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA)

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO (10º, 11º e 12º anos) ENSINO SECUNDÁRIO ATITUDES E VALORES Assiduidade e Pontualidade 3% Fichas de registo de observação Responsabilidade e

Leia mais

Regimento Interno de Educação Física

Regimento Interno de Educação Física Aspectos Gerais Regimento Interno de Educação Física 2013/14 Ponto 1 - As instalações desportivas destinam-se à realização das aulas de Educação Física e Atividades de Complemento Curricular. Qualquer

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo - 60% Domínio Sócio afectivo- 40% Oralidade (Compreensão do Oral e Expressão Oral) - 5%

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo - 60% Domínio Sócio afectivo- 40% Oralidade (Compreensão do Oral e Expressão Oral) - 5% Domínio Cognitivo - Domínio Sócio afectivo- Componente geral Português Oralidade (Compreensão do Oral e Expressão Oral) - 5% Testes de (30%) Gramática - 5% Leitura e Escrita - 20% Organização do material

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento Curricular de Matemática e Ciências Experimentais Área /Disciplina de Ciências Experimentais 2º e 3º Ciclo Indicadores/Parâmetros

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem

Avaliação da Aprendizagem Avaliação da Aprendizagem A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades desenvolvidas pelo aluno. A avaliação

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 1º Período 26/28 aulas previstas

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação Ano letivo 2013/2014 Critérios de Avaliação 2013/2014 Introdução As principais orientações normativas relativas à avaliação na educação pré-escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação DGEstE Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar Critérios de Avaliação 1º Ciclo Ano Letivo 14/ Terminologia a utilizar na classificação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO (401640) Ano Letivo 2011-2012 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO Índice Introdução... 3 Língua Portuguesa... 3 Inglês I... 3 Francês II... 3 Espanhol... 3 Matemática...

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSO VOCACIONAL 3º CICLO AMGE - Auxiliar de Manutenção e Gestão de Espaços CRITÉRIOS DE Ano Lectivo 2014/15 Coordenador do Curso: José Pedro Moutinho Critérios de Avaliação (14-15) VOCACIONAL C AMGE -

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno è capaz de: Identificar a influência da textura ou da dimensão na perceção da cor. Distinguir diferenças entre cor

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA E. B. 2,3 DE PORTO ALTO 2013-2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA E. B. 2,3 DE PORTO ALTO 2013-2014 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013-2014 D E P A R T A M E N TO DAS L Í N G U A S PORTUGUÊS 2º CICLO Português Saber Fazer 2º Ciclo Testes 50% Leitura 9% Oralidade: Compreensão 12% Expressão Trabalhos escritos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola Secundária de São Pedro do Sul DEPARTAMENTO CURRICULAR DE EXPRESSÕES

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola Secundária de São Pedro do Sul DEPARTAMENTO CURRICULAR DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS DO ENSINO BÁSICO DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 7º e 8º Ano Os alunos serão avaliados, de acordo com três domínios (socioafetivo, cognitivo e motor). Atitudes e comportamentos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul. Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul. Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 1. Enquadramento legal da avaliação - Decreto-Lei 138/2012,

Leia mais

Critérios de Avaliação de Educação Física. Agrupamento de Escola de Caneças

Critérios de Avaliação de Educação Física. Agrupamento de Escola de Caneças Critérios de Avaliação de Educação Física Agrupamento de Escola de Caneças 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO A avaliação dos alunos do 2º ciclo do ensino básico na disciplina de

Leia mais

Escola Evaristo Nogueira

Escola Evaristo Nogueira Escola Evaristo Nogueira Grupo Disciplinar de Educação Física Ano Lectivo 2014 / 2015 Critérios de Avaliação Os critérios de avaliação constituem referenciais dos professores que lecionam as disciplinas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A Ano Letivo: 0/03. Introdução A Educação Física, enquanto área curricular estabelece um quadro de relações com as que com ela partilham

Leia mais

Ano letivo: 2014/2015 CONSELHO DE DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - GRUPO 620 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

Ano letivo: 2014/2015 CONSELHO DE DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - GRUPO 620 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO Curso Profissional de Turismo Curso Profissional de restauração e bar Educação Física Módulo 6 Módulo 11 Módulo 16 Atividade física, contextos e saúde I Atividade física, contextos e saúde II Atividade

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador 1. ENQUADRAMENTO LEGAL Compete ao conselho pedagógico, enquanto órgão de gestão pedagógica da escola, definir, anualmente, os critérios gerais de avaliação e

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS Conhecimentos e Competências Saber, Saber Fazer Atitudes e Comportamentos Saber Estar 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico Ano Letivo 2013/2014 Os professores dos grupos disciplinares de línguas estrangeiras

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras Inglês

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 I INTRODUÇÃO De acordo com a legislação em vigor, a avaliação é um elemento integrante e regulador de todo o processo de ensino aprendizagem. A avaliação visa promover

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO (401640) Ano Letivo 2011-2012 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS E CURSO TECNOLÓGICO Índice Introdução... 3 Português...

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Ensino Secundário 10º ano Cursos Científico Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 Critérios Gerais de Avaliação O presente documento pretende materializar a execução dos princípios orientadores da avaliação

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de escolas de Santa Maria dos Olivais Escola Secundária António Damásio Escola Básica 2-3 dos Olivais GRUPO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 620 EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3.º Ciclo e Ensino

Leia mais

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO MARÇO DE 2014 ÍNDICE ENQUADRAMENTO NORMATIVO... 1 ÂMBITO E DEFINIÇÃO 1 CONDIÇÕES DE ACESSO 1 OBJETIVOS 1 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER 2 ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO DE PS 2 AVALIAÇÃO

Leia mais

Departamento de Educação Física Ano Letivo 2013/14

Departamento de Educação Física Ano Letivo 2013/14 Departamento de Educação Física Ano Letivo 2013/14 AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA No que se refere à componente de formação sócio-cultural, disciplina de Educação Física, a avaliação decorre dos objectivos

Leia mais

Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial

Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial ANO LETIVO 2015 / 2016 Departamento de Educação Especial Proposta para o Ano Letivo 2015 / 2016 Avaliação dos alunos com NEE de carácter

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015 Página 2 1.º Ciclo.. 05 2.º Ciclo. 09 Língua Portuguesa. Língua Inglesa.. História e Geografia de Portugal 23 Matemática... 24 Ciências da Natureza.. 25 Educação Musical...

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de Línguas Grupos: 220; 300; 320; 330; 350 ESCOLA BÁSICA DO 2º CICLO DE PINHEL Critérios de Avaliação de Língua Portuguesa- 2º Ciclo O R A L I D A D E Componente Cognitiva

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico AGRUPAMENTO de ESCOLAS JOSÉ CARDOSO PIRES CÓDIGO 170719 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico PARÂMETROS GERAIS 1. MODALIDADES DA AVALIAÇÃO 1.1 Avaliação diagnóstica 1.2 Avaliação formativa 1.3 Avaliação

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada nível e de cada ciclo de ensino têm como referência os programas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015/16

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015/16 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015/16 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO Quadro de síntese 3º Ciclo Domínios da Avaliação 0 Saber 70% Português 0 Saber Fazer 20% "0 Ser / Saber Ser" " O Saber 75% Inglês

Leia mais

Planificação do trabalho a desenvolver com a turma do Curso Profissional de Gestão Desportiva

Planificação do trabalho a desenvolver com a turma do Curso Profissional de Gestão Desportiva Planificação do trabalho a desenvolver com a turma do Curso Profissional de Gestão Desportiva DISCIPLINA: INGLÊS Módulo 4: Os Media e a Comunicação Global: A evolução dos media; A Internet e a Comunicação

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Escola Secundária de Cantanhede 2013-2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Critérios de Avaliação 1 Critérios de Avaliação ESC 2013-2014 LÍNGUAS 300 CURSO Profissionais DISCIPLINA

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 3º CICLO - 2015/2016 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Inglês

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

Carga Formação Total de. Carga. horária Semanal. Tempos letivos

Carga Formação Total de. Carga. horária Semanal. Tempos letivos GERAL CURSOS VOCACIONAIS DO ENSINO BÁSICO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 1. Matriz Curricular dos Cursos (Educação Física) 1º ano 2º ano Componentes de Carga Carga Formação Total

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 150253 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BRAGA OESTE Sede: 343640 Escola dos 2.º e 3.º Ciclos de Cabreiros DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Ano lectivo 2015-2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO No primeiro

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 1. INTRODUÇÃO: Na lógica do Decreto-Lei 6/2001, de 18 de janeiro, a avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar

Leia mais

DESCRITORES. Executa as ações coletivas do ataque e da defesa. Realiza dentro da zona saudável os testes do fitnessgram

DESCRITORES. Executa as ações coletivas do ataque e da defesa. Realiza dentro da zona saudável os testes do fitnessgram Aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências de nível psicomotor Atividades físicas CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARCELINO MESQUITA DO CARTAXO

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS INGLÊS ESPANHOL FRANCÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO

Leia mais

REGIMENTO II FÉRIAS DESPORTIVAS 2015

REGIMENTO II FÉRIAS DESPORTIVAS 2015 REGIMENTO II FÉRIAS DESPORTIVAS 2015 PROJETO CONTINUAR SEMPRE A MEXER PROJETO NOVOS HORIZONTES 1 Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Âmbito As normas definidas no presente Regimento Interno visam estabelecer

Leia mais

Critérios de Avaliação. 1º Ciclo

Critérios de Avaliação. 1º Ciclo Critérios de Avaliação 1º Ciclo 2015/2016 Critérios de Avaliação do 1º ciclo Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada ciclo de ensino têm como referência os conteúdos

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013 Critérios de avaliação 0 MATRIZ CURRICULAR DO 1º CICLO COMPONENTES DO CURRÍCULO Áreas curriculares disciplinares de frequência obrigatória: Língua Portuguesa;

Leia mais

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS. 1 - Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais de Educação Física

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS. 1 - Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais de Educação Física CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS Os Critérios de Avaliação de Educação Física têm como base de referência os seguintes documentos: 1. Decreto-Lei nº 139 de 5 de julho de 2012 2. Currículo Nacional

Leia mais

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES A EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO: Albino Barroso Manuel Miranda Paula Morais

Leia mais

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS GRUPO DE DOCÊNCIA 330 INGLÊS E ALEMÃO 2008/2009 Na aprendizagem de uma língua é fundamental dar ênfase ao desenvolvimento equilibrado das capacidades Ouvir-Falar-Ler-Escrever e

Leia mais

Regulamento de Educação Física

Regulamento de Educação Física Regulamento de Educação Física 1.Utilização das instalações As instalações desportivas (pavilhão, campo de Voleibol, polivalente exterior) são utilizadas prioritariamente, segundo a seguinte ordem: 1.

Leia mais

Realizam a prova os alunos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º139/2012, de 5 de julho.

Realizam a prova os alunos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º139/2012, de 5 de julho. Prova de equivalência à frequência INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Educação Física maio de 15 PROVA /26 15 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Ano letivo 2012/2013. Critérios de Avaliação do 1º CEB

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Ano letivo 2012/2013. Critérios de Avaliação do 1º CEB Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Ano letivo 2012/2013 Critérios de Avaliação do 1º CEB 1- Introdução Tal como o disposto no nº 1 do art. 23º do Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, a avaliação

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

Grupo de Educação Especial

Grupo de Educação Especial Grupo de Educação Especial Critérios Gerais de Avaliação 2015/2016 De acordo com o Despacho normativo n.º 24-A/2012, artigo 8.º (ponto 10): 10 A informação resultante da avaliação sumativa dos alunos do

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História Critérios específicos de avaliação História Ponto 1 : Informações gerais Os elementos de avaliação serão classificados de forma qualitativa, de acordo com a terminologia que a seguir se indica. A classificação

Leia mais

Planificação TIC - 8.º Ano 2012/2013

Planificação TIC - 8.º Ano 2012/2013 Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho Planificação TIC - 8.º Ano 2012/2013 AULAS PREVISTAS (50 minutos) 1.- Conhecimento e utilização adequada e segura de diferentes tipos de ferramentas de comunicação,

Leia mais

Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico

Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico Português COMPETÊNCIAS NO DOMÍNIO COGNITIVO/MOTOR > 90% INSTRUMENTOS PESO Compreende criticamente discursos orais em diferentes variedades do Compreensão/expressão

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Escola Básica Integrada da Praia da Vitória DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Após a avaliação diagnóstica realizada para cada matéria/turma, e mediante o documento de departamento «Adaptação do Currículo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português Ensino Secundário Cursos Científico-Humanísticos

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português Ensino Secundário Cursos Científico-Humanísticos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Critérios de Avaliação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. DGESTE - Direção de Serviços da Região Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS LEIRIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. DGESTE - Direção de Serviços da Região Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS LEIRIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DGESTE - Direção de Serviços da Região Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS LEIRIA CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 ÍNDICE 1. NOTA

Leia mais

PROJETO CLUBE EUROPEU

PROJETO CLUBE EUROPEU ESCOLAS BÁSICA DE EIXO PROJETO CLUBE EUROPEU Título: CLUBE EUROPEU Responsáveis: Maria de Lurdes Silva Maria Isaura Teixeira Páginas: 5 Ano letivo: 2014-2015 Escola Básica de Eixo Impresso a 12.11.14 Conteúdo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

Planificação TIC - 7.º Ano 2012/2013

Planificação TIC - 7.º Ano 2012/2013 Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho Planificação TIC - 7.º Ano 2012/2013 AULAS PREVISTAS (50 minutos) 7.º A (30 aulas) (34 aulas) 7.º F (34 aulas) 1.- A Informação, o conhecimento e o mundo das

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO PROFISSIONAL DE ANIMADOR SOCIOCULTURAL 2015/2016 Aprovados em Conselho Pedagógico de 14 de outubro de 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO PROFISSIONAL DE ANIMADOR SOCIOCULTURAL

Leia mais

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação PORTUGUÊS Domínios em Domínios/Competências Fatores de ponderação Instrumentos de Domínio Cognitivo Compreensão oral 20% Registos e grelhas de observação

Leia mais

AE Lousada. aelousada.net CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIO GERAIS DE AVALIAÇÃO

AE Lousada. aelousada.net CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIO GERAIS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Escola Básica de Boavista Escola Secundária de Lousada Escola Básica Lousada Centro -Silvares Escola Básica de Boim Escola Básica de Cristelos

Leia mais

Departamento da Educação Pré-Escolar/1.º Ciclo. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Pré-Escolar

Departamento da Educação Pré-Escolar/1.º Ciclo. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Pré-Escolar MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA BÁRBARA Departamento Pré-Escolar/1º Ciclo 151 956 Departamento da Educação Pré-Escolar/1.º Ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Pré-Escolar Área

Leia mais

Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto - Fundão

Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto - Fundão Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto - Fundão Ensino Básico Ano Lectivo 2012/2013 A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação ÉR UCÇÃ ireção de erviços da Região orte GRUP CL BÁRBR FÂZR scola Básica de anta Bárbara Fânzeres Gondomar Critérios de valiação 2015/2016 isciplina História e Geografia de Portugal no: 5º avaliação certifica

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I BEJA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I BEJA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA 7º Ano actividades - mas apenas de algumas modalidades). EDUCAÇÃO FÍSICA 8º Ano actividades - mas apenas de algumas modalidades). EDUCAÇÃO FÍSICA 9º Ano actividades - mas apenas de algumas

Leia mais

Esta agenda é composta por materiais fotocopiáveis e editáveis* que o/a ajudarão na sua organização e informação escolar do dia a dia.

Esta agenda é composta por materiais fotocopiáveis e editáveis* que o/a ajudarão na sua organização e informação escolar do dia a dia. Agenda do Professor Esta agenda é composta por materiais fotocopiáveis e editáveis* que o/a ajudarão na sua organização e informação escolar do dia a dia. *Disponível em formato Word no e-manual Premium.

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA O ANO LETIVO 2014/2015

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA O ANO LETIVO 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA O ANO LETIVO 2014/2015 (ESTE DOCUMENTO É PARTE INTEGRANTE DO PROJETO CURRICULAR DE ESCOLA QUE SE ENCONTRA EM PROCESSO DE ATUALIZAÇÃO) ÍNDICE 2. Avaliação 3 2.1. Princípios orientadores

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 8º Ano. Ano letivo 2014-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 8º Ano. Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO da DISCIPLINA de TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 8º Ano Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES Desenvolvimento

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO FÍSICA AVALIAÇÃO CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (TIPO 2)

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO FÍSICA AVALIAÇÃO CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (TIPO 2) DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (TIPO 2) ENQUADRAMENTO Os programas de Educação Física não se estruturam segundo o fraccionamento de domínios/áreas da personalidade,

Leia mais

CRITÉRIOS e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Departamento das expressões - 3º ciclo - ano lectivo 2015-16. Domínios Parâmetros Instrumentos % Peso

CRITÉRIOS e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Departamento das expressões - 3º ciclo - ano lectivo 2015-16. Domínios Parâmetros Instrumentos % Peso CRITÉRIOS e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Departamento das expressões - 3º ciclo - ano lectivo 2015-16 Domínios Parâmetros Instrumentos % Peso Conhecimentos AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS Percepção e Compreensão

Leia mais

Regulamento da Disciplina e Instalações de Educação Física

Regulamento da Disciplina e Instalações de Educação Física Regulamento da Disciplina e Instalações de Educação Física Dadas as características específicas da disciplina de Educação Física, foi entendimento dos professores da Área Disciplinar, elaborar um Regulamento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português. Ensino Secundário Curso Profissional. Ano letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português. Ensino Secundário Curso Profissional. Ano letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB 2,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Critérios de Avaliação

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é Academia do Vitória Sport Clube. Artigo 2º (Destinatários)

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 -Saber/saber fazer- Ponderação: 85% 5º Ano de escolaridade - Interpretação: Cantar,

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 6.º ANO DE EDUCAÇÃO VISUAL - 6.º ANO Ano Letivo 2014/2015 PERFIL DO ALUNO O aluno deve ser capaz de: -Distinguir entre cor e pigmento (síntese aditiva e subtrativa) -Identificar cores primárias e secundarias,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano. Ano letivo 2014-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano. Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO da DISCIPLINA de TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano Ano letivo 2014-201 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES Desenvolvimento

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO FÍSICA 2º e 3º Ciclos

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO FÍSICA 2º e 3º Ciclos EDUCAÇÃO FÍSICA 2º e 3º Ciclos A avaliação dos alunos nas aulas de Educação Física terá de respeitar os seguintes 1. AQUISIÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO DOMÍNIO PSICO-MOTOR...60% a. Comportamentos motores adquiridos

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS Cód. 161007 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MEALHADA DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano lectivo 2010-2011 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS A avaliação das crianças e dos alunos (de diagnóstico,

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Critérios de Avaliação, 1º Ciclo - Ano Letivo 2014-15 Página 1 de 10 1. Domínios de avaliação: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA ESCOLA EB 2,3/ES S. SEBASTIÃO DE MÉRTOLA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA ESCOLA EB 2,3/ES S. SEBASTIÃO DE MÉRTOLA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA 2º Ciclo do Ensino Básico Exercícios práticos 50% fitnessgram * Sabe aplicar os s às situações práticas ou oralidade actividades (5%) * Interesse, participação e empenho Higiene pessoal (5%) * Higiene

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS.

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. AÇÃO Nº 1 DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. BREVE DESCRIÇÃO DA AÇÃO: conceber, discutir e aplicar planificações, metodologias, práticas

Leia mais

CLUBE DE MÚSICA Agrupamento Vertical de Escolas de Briteiros Ano Letivo 2014/2015

CLUBE DE MÚSICA Agrupamento Vertical de Escolas de Briteiros Ano Letivo 2014/2015 CLUBE DE MÚSICA 1. JUSTIFICAÇÃO DO PROJETO: O Projeto do Clube de Música nasce da necessidade de se desenvolver com os alunos atividades diferenciadas que não podem ser devidamente exploradas e aprofundadas

Leia mais