Relações com Investidores. Apresentação Corporativa Maio 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relações com Investidores. Apresentação Corporativa Maio 2013"

Transcrição

1 Relações com Investidores Apresentação Corporativa Maio 2013

2 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 2

3 VISÃO RESUMIDA DO BRASIL Território Distribuição de Renda 8,5 milhões de Km2 (80% do tamanho do território europeu) Renda* População A/B 15% 22% R$ milhões de habitantes (5ª maior) 57 milhões de domicílios (84% na zona urbana) C 34% 54% R$ ª maior economia do mundo PIB: US$ 2,2 trilhões (2012) Moeda US$ 1,00 = R$ 2,04 (Dec/12) D/E 51% 24% R$ 792 A forte expansão do PIB per capita somada à baixa recorde na taxa de desemprego resultaram em uma mudança significativa na distribuição de renda * Renda média por domicílio Fonte: PNAD, O Observador OPSOS2010 e IBGE 3

4 A IMPORTÂNCIA DO BRASIL NA ECONOMIA MUNDIAL ESTÁ EM EXPANSÃO, E O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES É FUNDAMENTAL PARA O MAIOR DESENVOLVIMENTO DO PAÍS Onde estávamos PIB, preços correntes, trilhões de US$, 2007 Onde estamos PIB, preços correntes, trilhões de US$, 2011 EUA 14 EUA 15,1 Japão 4,4 China 7 China 3,5 Japão 5,9 Alemanha 3,3 Alemanha 3,6 Inglaterra 2,8 França 2,8 França 2,6 Brasil 2,5 Itália 2,1 Inglaterra 2,5 Espanha 1,4 Itália 2,2 Canadá 1,4 Rússia 1,9 Brasil 1,4 Índia 1,8 4

5 HÁ POTENCIAL PARA O AUMENTO DA PENETRAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL Dez/11 Penetração - telefonia fixa Linhas/domicílios Penetração - telefonia móvel Linhas/população 77% 70% 121% 100% 125% 88% 106% 137% Penetração - banda larga Acessos/domicílios Penetração - TV por assinatura Assinantes/domicílios 30% 42% 75% 82% 23% 48% 87% 61% Source: Anatel, Pyramid 5

6 EVOLUÇÃO DO MERCADO BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES PRÉ- PRIVATIZAÇÃO Monopólio estatal Falta de investimentos Serviços de baixa qualidade Enorme demanda reprimida Internet incipiente PÓS- PRIVATIZAÇÃO Diversas operadoras Foco em universalização e qualidade dos serviços Expansão dos serviços de telefonia fixa e móvel Lançamento da tecnologia GSM Início da banda larga FOCO NA COMPETITIVIDADE Consolidação Maturidade dos serviços de telefonia fixa; móvel e banda larga como drivers de crescimento Convergência em estágios iniciais Lançamento da tecnologia 3G (2008) Expansão da TV por assinatura (TV a cabo e DTH) CENÁRIO ATUAL Concorrência acirrada Maturidade dos serviços móveis: o chip múltiplo é tendência de mercado (ligações pela internet) TV por assinatura e banda larga como drivers de crescimento Serviços 3G são realidade Operadoras convergentes Lançamento da tecnologia 4G 6

7 SETOR BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES MATURIDADE DOS SERVIÇOS FIXOS DE VOZ Perdas de acessos (Substituição fixo-móvel em acessos) Baixo tráfego por terminal (Substituição fixo-móvel em tráfego) Mercado mais competitivo no segmento de alto padrão e PME (novos concorrentes) Mercado Brasileiro (Mar/13) Acesso (milhões) Banda larga fixa TV por assinatura EXPANSÕES CONTÍNUAS NO MERCADO DE DADOS MÓVEIS, COM FORTE CONCORRÊNCIA Telefonia fixa Evolução do mercado, principalmente no mercado de pré-pagos (chip avulso) impulsionado pela tendência de mercado do múltiplo chip ARPU do setor em queda Diferentes modelos de negócios 264 FORTE CRESCIMENTO DA BANDA LARGA E DA TV POR ASSINATURA Concorrência acirrada em áreas com concentração de clientes de alto poder aquisitivo Expansão contínua e queda do ARPU Penetração: Banda larga fixa: 35% das residências TV por assinatura: 29% das residências Banda larga: 30% Móvel: 19% Fonte: ANATEL e Teleco. Market Share da Oi: Móvel Fixa: 42% TV por assinatura: 5% 7

8 SETOR BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES: MERCADO MÓVEL 150,6 27,9 122,7 174,0 30,4 143,6 MERCADO MÓVEL* (MILHÕES) 261,8 264,1 242,2 202,9 44,1 51,0 52,7 Chip avulso continua a ser tendência nacional 35,8 Taxa de penetração chegou a 134% em Mar/13 Múltiplo chip é tendência de mercado (ligações pela internet) 198,2 210,8 211,4 Pré-pago: representa 80% dos acessos totais 167, Mar/13 Pré-pago Pós-pago 1,7 4,1 14,6 33,2 52,5 61,3 Acesso 3G pelo aparelho *Inclui 3G (mini-modem e pacote de dados) Fonte: Teleco, ANATEL e análise da equipe 8

9 SETOR BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES: MERCADO DE BANDA LARGA MERCADO DE BANDA LARGA (MILHÕES) 25,7 26,6 Banda Larga Fixa Banda larga: forte crescimento nos acessos Penetração da banda larga fixa: 35% dos domicílios (19,7 milhões de acessos) 13,6 10,8 2,2 0,8 10,0 11,4 16,8 3,0 13,8 20,3 4,0 16,3 6,7 6,9 19,0 19,7 Banda Larga Móvel Banda larga móvel como alternativa para acesso de banda larga 26% do total de acessos à banda larga T13 Banda Larga Fixa Banda Larga Móvel Banda Larga Móvel inclui 3G mini-modem Fonte: Teleco, Anatel e análise da equipe 9

10 MERCADO BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES: TV POR ASSINATURA MERCADO DE TV POR ASSINATURA (MILHÕES) 16,8 16,2 0,1 0,1 12,7 0,2 9,8 9,8 10,4 6,3 7,5 0,3 7,0 0,4 4,5 0,4 2,1 2,8 3,8 4,3 5,0 5,5 6,2 6, Mar/13 Cabo DTH Outros* TV por assinatura TV por assinatura: Forte crescimento no número de acessos Penetração: 29% DTH representa 84% das adições líquidas no 1T13 TV por assinatura: mais oportunidades de crescimento nas classes C e D em função da menor penetração domiciliar *Outros: MMDS e UHF Fonte: Teleco, Anatel e análise da equipe 10

11 CONCORRÊNCIA: PRINCIPAIS GRUPOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL Grupo Econômico Veículo Serviço Market share (clientes) Market share (receita) Fixo 42% Mar/13 Totalmente integrado Móvel 19% Banda larga fixa 30% 21% TV por assinatura 5% Fixo 24% Telefônica Integrado Móvel 29% Banda larga fixa 19% 26% TV por assinatura 3% Telmex / AMX Embratel Fixo 22% Claro Móvel 25% Net/Embratel Banda larga fixa 30% 24% Net/Embratel TV por assinatura 52% Tim Móvel ~puro Móvel 27% 14% Nextel Móvel puro Móvel - 4% Sky TV por assinatura puro TV por assinatura 31% 6% Fixo 8% GVT Fixo ~puro Banda larga fixa 11% 3% TV por assinatura 3% Fixo 3% Outros Móvel 0% Banda larga fixa 10% 2% TV por assinatura 5% 11

12 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 12

13 SIMPLIFICAÇÃO SOCIETÁRIA 3 empresas listadas 7 classes de ações Estrutura de capital complexa 1 empresa listada 2 classes de ações Melhoria da estrutura de capital TNL TNLP3 TNLP4 ORDINÁRIA TmarPart 56,4% PREFERENCIAL TmarPart - TMAR TMAR3 TMAR5 TMAR6 Controladores diretos 12,0% Free-float 31,6% Controladores diretos 38,7% Free-float 61,3% BRT BRTO3 BRTO4 OI S.A. OIBR3 OIBR4 13

14 ESTRUTURA ACIONÁRIA ATUAL PT 12,1% AG Tel 19,3% LF Tel 19,3% FATL 11,5% BNDES 13,1% Previ 9,7% Funcef 7,5% Petros 7,5% 100% Telemar Participações (TmarPart) 17,7% Oi S.A. (OIBR) OI S.A. (Bovespa: OIBR4/OIBR3 & NYSE:OIBR / OIBR.C) Ações** Capital (milhões de ações) TmarPart % Outros controladores* % FreeFloat % ON ,4 12,0 31,6 PN ,0 38,7 61,3 Total ,7 30,3 52,0 100% Telemar Norte Leste Empresa listada * Inclui participações minoritárias da PT, AG, LF, FATL, BNDES e Fundos de Pensão ** ex-tesouraria 14

15 DIFERENCIAIS COMPETITIVOS Ampla infraestrutura Liderança em convergência municípios cobertos pela rede fixa 168 mil km cabeados com fibra óptica A Oi conta com 6 mil torres de celulares conectadas à sua rede de fibra óptica A Oi cobre aproximadamente 80% dos domicílios brasileiros 10 anos de experiência em convergência: no Brasil, a Oi foi pioneira nas ofertas de convergência de telecomunicações que transformaram o mercado Capacidade de Execução Comprovada Antecipação das metas de universalização em 2001 Lançamento da Oi Móvel na região 1, sendo a quarta empresa a entrar nessa área, chegando à liderança na participação de mercado após 3 anos Atinge 20% em participação de mercado na cidade de São Paulo em 2 anos Integração com a BrT feita em cerca de 1 ano, resultando numa economia de mais de R$ 1 bilhão graças às sinergias obtidas Líder na prestação de serviços de telecomunicações e a única empresa totalmente integrada a oferecer os quatro serviços (telefonia fixa, móvel, banda larga fixa e TV por assinatura) no Brasil 15

16 AMPLA INFRAESTRUTURA GLOBAL NACIONAL REGIONAL LOCAL km de cabos submarinos da Globenet interconectando as Américas km de backbone nacional maior área de cobertura no Brasil Presente em todos os estados brasileiros e em + de municípios km de anéis metropolitanos Maior rede pública WiFi do Brasil Mais de localidades cobertas por satélite Uma das maiores e mais diversificadas redes de telecomunicações do mundo Fonte: Oi, Anatel, Atlas Brasileiro de Telecomunicações 2011; empresas do setor; imprensa 16

17 POSIÇÃO ÚNICA, DIFÍCIL DE SER REPLICADA PRESENÇA EM TODO O PAÍS + PACOTE COMPLETO Única empresa capaz de oferecer pacotes em todo o país* Capilaridade excepcional na última milha para atender à demanda crescente da mobilidade social brasileira Empresa mais bem posicionada para se beneficiar dos programas governamentais de inclusão digital As regiões norte e nordeste cresceram 14% e 15% nos últimos 3 anos (o Brasil cresceu 10%): a Oi detém uma posição de liderança nas regiões de maior crescimento * Exceto SP B2C 17

18 MUDANÇA NA ABORDAGEM DO PRODUTO AO SEGMENTO PRODUTO SEGMENTOS Fixo (voz) Móvel RESIDENCIAL MOBILIDADE PESSOAL EMPRESARIAL E CORPORATIVO Banda Larga TV por assinatura Alavancar a maior base de clientes residenciais no Brasil Consolidar a posição de liderança na banda larga fixa Pacote residencial completo com a oferta de TV Aumentar a competitividade Aumentar a presença no segmento pré-pago e alavancar diferenciais Captar parte considerável dos clientes pós-pagos do segmento de alto padrão Manter liderança na R1 e R2 e se tornar um player relevante em SP Posicionar a Oi como uma importante provedora de Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTIC) Aumentar foco nas PMEs 18

19 MUDANÇA NA ABORDAGEM DO PRODUTO AO SEGMENTO SEGMENTOS RESIDENCIAL UGRs - Residencial (milhões) MOBILIDADE PESSOAL UGRs - Mobilidade Pessoal (milhões) EMPRESARIAL E CORPORATIVO UGRs - Empresarial e Corporativo (milhões) 18,4 17,8 18,3 18,5 0,4 0,4 0,8 0,8 3,8 4,4 5,1 5,3 37,5 4,9 43,3 5,3 46,3 46,6 6,5 6,7 7,4 7,8 1,8 2,2 0,5 0,5 9,0 8,9 3,0 2,9 0,6 0,6 14,2 13,0 12,5 12,4 32,6 38,0 39,8 39,9 5,0 5,1 5,4 5, Mar/13 Linha Fixa Banda Larga Fixa TV por assinatura Mar/13 Pré-pago Pós-pago Mar/13 Móvel Banda Larga Fixa Linha Fixa 19

20 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 20

21 UNIDADES GERADORAS DE RECEITA (UGRs) TOTAL DE UNIDADES GERADORAS DE RECEITAS UGRs (MILHARES) Residencial A base de clientes de linha fixa diminuiu em um ritmo mais lento, ao passo que a banda larga e a TV por assinatura aceleraram, resultando em crescimento na comparação anual e na reversão da tendência de queda Mobilidade Pessoal Aceleração do crescimento do segmento póspago e foco na maior rentabilidade da base pré-paga Mar/12 Dez/12 Mar/13 Residencial Mobilidade Pessoal Empresarial/Corporativo Outros Empresarial / Corporativo Manutenção do ritmo de crescimento dentro do segmento 21

22 Residencial: ofertas novas e integradas e posicionamento adequado contribuíram para o crescimento do segmento residencial Linhas fixas Esforços para prevenir desgastes e vendas integradas (venda cruzada) Planos com tarifas fixas UGRs em 1T13: mil -3,6% em 1T12-0,8% em 4T12 UGRs: Residencial - milhares Banda larga +3,5% +0,7% Investimentos em expansão e velocidade de conexão Programas de fidelização / upgrade de velocidade (upselling) UGRs em 1T13: mil +13,8% em 1T12 +2,9% em 4T TV por assinatura Pacote de entrada mais completo do mercado Canais em alta definição (HD) em todos os pacotes UGRs em 1T13: 837 mil +111% em 1T % em 4T12 Mar/12 Dez/12 Mar/13 Upselling 22

23 Estratégia reduz desgaste nas linhas fixas e aumenta o crescimento da banda larga e da TV por assinatura Adições líquidas de UGRs - Residencial (Desconexões) em 12 meses em milhares Mar/12 Jun/12 Set/12 Dez/12 Mar/13 Desconexões líquidas em 12 meses Linhas Fixas em milhares Desconexões líquidas em 12 meses Banda larga em milhares Adições líquidas em 12 meses TV por assinatura em milhares Mar/12 Jun/12 Set/12 Dez/12 Mar/13 Mar/12 Jun/12 Set/12 Dez/12 Mar/13 Mar/12 Jun/12 Set/12 Dez/12 Mar/13 23

24 BASE DE CLIENTES - Residencial RESIDENCIAL - UGRs (MILHARES) Convergência Mar/12 Dez/12 Mar/13 Por meio de soluções de pacotes, a Empresa permanece focada no crescimento da base residencial com mais de um produto. O total de domicílios com mais de um produto/serviço Oi subiu 8 p.p., totalizando mil e representando mais de 55% do total de domicílios. Aumento na rentabilidade e na retenção de clientes Venda de planos de tarifa fixa fornece um pacote de valor por um preço fixo Programas de fidelização Upgrade na velocidade da banda larga Upselling: TV por assinatura e banda larga Linha Fixa Banda Larga Fixa TV por Assinatura 24

25 Mobilidade pessoal: manutenção da estratégia com foco em clientes de alto valor através de ofertas atrativas e programas de fidelização... A Oi manteve seu portfólio de planos pós-pagos: comunicação efetiva com clientes através de canais de venda e transparência para o usuário Voz e dados Voz e dados + Aparelho Voz, dados e serviços adicionais (convergência fixo celular) Chamadas ilimitadas para celulares Oi e números fixos de qualquer operadora Internet no celular SMS Oi WiFi ilimitado 25

26 ...Resultaram na manutenção do crescimento na base de clientes pós-pagos UGRs Pós-pago (em milhares) Mix de Pós-pagos (%) +19,6% +3,0% ,6% 12,8% 13,4% 14,0% 14,3% Mar/12 Jun/12 Set/12 Dez/12 Mar/13 Mar/12 Jun/12 Set/12 Dez/12 Mar/13 Estratégia com foco na expansão da base de pós-pagos Participação de pós-pagos de 44% das adições líquidas da mobilidade pessoal nos últimos doze meses Aumento de quase 2 p.p. na participação de pós-pagos na mobilidade pessoal no comparativo anual Mudança no perfil da receita de mobilidade pessoal 26

27 Mobilidade pessoal: base de clientes de pré-pagos e volume bruto de recarga continuam crescendo Ofertas e promoções para recarga e utilização frequente dos usuários Base ativa que usa voz Recarga bruta x Base de clientes pré-pagos (Base 100) T11 3T11 4T11 1T12 2T12 3T12 4T12 1T13 Recarga Bruta Base Rígida política de desconexão 27

28 BASE DE CLIENTES - Mobilidade Pessoal MOBILIDADE PESSOAL - UGRs (MILHARES) Pós-pago O desempenho dos planos pós-pagos originase da adição de mais benefícios às ofertas, do fortalecimento dos canais de vendas, dos programas de fidelização e do aumento da cobertura 3G Pré-pago Ofertas e promoções para recarga e utilização frequente dos usuários, juntamente com uma rígida política de desconexão, resultaram em uma base ativa que utiliza voz Mar/12 Dez/12 Mar/13 Pré-pago Pós-pago 28

29 BASE DE CLIENTES - Empresarial / Corporativo EMPRESARIAL / CORPORATIVO - UGRs (MILHARES) Empresarial Crescimento contínuo da base fixa (voz e banda larga) Manutenção do crescimento no digitronco Aumento nas velocidades com IP dedicado Corporativo Mar/12 Dez/12 Mar/13 Linha Fixa Banda Larga Móvel Expansão da base de pós-pagos Aumento no digitronco das linhas fixas Avanço na formação de VPN e acesso a IP 29

30 RECEITA LÍQUIDA CONSOLIDADA RECEITA LÍQUIDA CONSOLIDADA* (R$ MILHÕES) Residencial ,5% Ofertas mais completas de TV por assinatura e banda larga ajudam a fidelizar o cliente de telefonia fixa através da convergência de produtos, refletindo diretamente no aumento do ARPU e que, por consequência, resultou na reversão da tendência histórica de queda da receita Residencial. Mobilidade Pessoal O desempenho resultou principalmente da forte atuação de dados e SVA, devido a planos de dados e SMS atrativos e expansão significativa da cobertura 3G Residencial Empresarial/Corporativo 1T12 4T12 1T13 Mobilidade Pessoal Outros Serviços O resultado pro-forma foi adicionado aos antigos dados da TNL como se as incorporações tivessem ocorrido em 1º de janeiro de

31 EBITDA CONSOLIDADO EBITDA CONSOLIDADO* (R$ MILHÕES) ,6% O desempenho resulta basicamente da combinação de três fatores: Aceleração do crescimento das UGRs em todos os segmentos do negócio Crescimento de Receita Líquida, impulsionada pela reversão da tendência histórica de queda do segmento residencial Gestão eficiente dos custos e despesas T12 4T12 1Q13 34,9% 31,4% 31,3% 29,7% 34,0% 30,5% Margem EBITDA * O resultado pro-forma foi adicionado aos antigos dados da TNL como se as incorporações tivessem ocorrido em 1º de janeiro de

32 LUCRO LÍQUIDO LUCRO LÍQUIDO CONSOLIDADO (R$ MILHÕES) T12 4T12 1T * 2012 Lucro Líquido do 1T13 de R$ 262 milhões. O Lucro Líquido do 1T12 e do 1T13 não são comparáveis devido à reorganização societária realizada em fevereiro de * Lucro líquido da Telemar Norte Leste. No final de 2011, a antiga BRT foi incorporada à Telemar, e esta é a melhor base para c omparação com a Oi S.A. 32

33 CAPEX CAPEX (R$ MILHÕES) CAPEX Expansão da rede 2G e 3G Implementação do 4G Melhorias na rede de dados de telefonia fixa Otimização do sistema de TI Aumento do número de lojas próprias da Companhia T12 4T12 1T13 Rede Serviços de TI Outros 33

34 PERFIL DA DÍVIDA Dívida (R$ Milhões) Prazo Médio da Dívida (anos) 25,068 27,495 16,833 Dívida Líquida ,979 2,783 2, mar/13 Cronograma de Amortização da Dívida Bruta (R$ Milhões) 28,866 30,088 30,680 33,553 2,378 3,925 2,535 4,571 20,143 *Números Pro-forma Mar/12* Dez/12 Mar/13 Longo Prazo Curto Prazo TOTAL em diante A Companhia adere a uma estratégia operacional e financeira disciplinada e aproveita as opções de financiamento que aumentam sua flexibilidade financeira. 60% 34

35 Guidance e Política de Dividendos Guidance Política de Dividendos (R$ bilhões) Indicador Guidance Faixa : MONTANTE TOTAL DE R$ 8 BILHÕES R$ 4 bilhões já pagos Unidades Geradoras de Receitas (UGRs) - milhões 75,0 76,5 Receitas Líquidas - R$ bilhões 28,0 29,0 EBITDA R$ bilhões 9,0 9,8 CAPEX R$ bilhões 6,0 Dívida Líquida/EBITDA Menor ou igual a 3x E 2014E 2015E Covenants Dívida Líquida / EBITDA: 3,0x A dívida líquida inclui o pagamento de dividendos do exercício EBITDA lançado no exercício anterior ao do pagamento dos dividendos

36 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 36

37 AMPLA INFRAESTRUTURA SUBSTANCIALMENTE SUPERIOR À DA CONCORRÊNCIA Municípios cobertos por rede fixa por operadora Milhares de km de fibra óptica por operadora 7x A Oi tem 6 mil torres de celulares conectadas à sua rede de fibra óptica x 168 5x 124 A Oi cobre cerca de 80% dos domicílios brasileiros Telefônica América Móvil GVT América Móvil Telefônica GVT 37

38 RENDA FIXA: TÍTULOS DE DÍVIDA E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO TÍTULOS DE DÍVIDA Aproximadamente R$ 9,94 bilhões no mercado de capitais internacional Emissão Fev/12 Set/11 Set/10 Abr/09 Dez/10 Vencimento Fev/22 Set/16 Out/20 Abr/19 Dez/17 Montante (R$ milhões) US$1,500 BRL 1,100 US$ 1,787 US$142 EUR 750 Cupom (% anual) 5,75% 9,75% 5,50% 9,50% 5,12% Rendimento (% anual) - emissão 5,75% 9,875% 5,50% 9,625% 5,33% Rendimento (% anual) - corrente 4,95% 8,22% 4,63% 5,13% 3,34% CLASSIFICAÇÃO DE RISCO A solidez da Oi está refletida na classificação de risco obtida junto às principais agências de avaliação de risco do mundo Agência Escala Global Moeda Moeda Local Estrangeira Escala Nacional Fitch BBB BBB AAA(bra) Moody s Baa3 Baa3 Aa1.br S&P BBB- BBB- braaa 38

39 Financeiro Operacional PRINCIPAIS DESTAQUES Oi S.A. Pro-Forma 1T13 4T12 1T Unidade Geradora de Receitas (milhares) Residencial (milhares) Mobilidade Pessoal (milhares) Empresarial / Corporativo (milhares) Outros (milhares) Receita Líquida (R$ milhões) Residencial Mobilidade Pessoal Empresarial / Corporativo Outros EBITDA (R$ milhões) Margem EBITDA (%) 30,5% 34,0% 29,7% 31,3% 31,4% 34,9% Receita Líquida Dívida Líquida (R$ milhões) Caixa Disponível (R$ milhões) Capex (R$ milhões) Os números de 2010 são da TNLP A Receita Líquida de 2011 é da BRT 39

40 Divulgação do guidance no Investor Day Guidance PARÂMETROS Unidades Geradoras de Receita (UGRs) - milhões 74,9 106,8 Residencial 19,8 25,7 Mobilidade Pessoal 45,8 67,8 Empresarial/Corporativo 9,3 13,3 Receita Líquida - R$ bilhões 28,9 38,6 EBITDA R$ bilhões 8,8 12,8 Capex R$ bilhões 6,0 6,0 Dívida Líquida R$ bilhões 24,9 28,4 Guidance de 2012 vs. Resultados Indicadores Guidance de 2012 Resulta dos de 2012 Variation UGRs - milhões 74,9 74,3-0,8% UGRs Residencial* milhões 19,8 19,1-3,5% UGRs Mobilidade Pessoal milhões 45,8 46,3 +1,1% B2B (comércio entre empresas) milhões 9,3 9,0-3,2% Total Receita Líquida - R$ bilhões 28,9 28,1-2,8% Receita Líquida R$ bilhões 27,4 27,5 +0,4% Receita líquida de serviços R$ bilhões 1,5 0,6-60,0% EBITDA R$ bilhões 8,8 8,8 0,0% CAPEX R$ bilhões 60 6,6 +10,0% Net Debt R$ Billion 24,9 25,1 +0,8% Os indicadores operacionais e financeiros de 2012 estão em linha com o guidance 40

41 Acionistas da Oi Oi S.A. Ações ordinárias % extesouraria Ações preferenciais % extesouraria TOTAL % extesourari a Telemar Participações ,4% ,7% Portugal Telecom ,1% ,4% ,6% Andrade Gutierrez* ,8% ,6% La Fonte** ,8% ,6% Previ ,9% ,4% ,6% Petros Funcef ,1% ,2% ,1% BNDES ,0% ,1% ,8% Outros ,6% ,3% ,0% TOTAL (ex-tesouraria) % % % Tesouraria TOTAL *Includes AG Telecom Participações S.A. and Andrade Gutierrez S.A. ** Includes LF Tel S.A. and Jereissati Telecom S.A. 41

42 Estrutura acionária da Portugal Telecom na Oi 35% 35% Portugal Telecom 12,1% AG 19,3% LF 19,3% Fundação Atlântico 11,5% BNDES / Fundos de Pensão 37,8% 100% 15,6% Telemar Participações Oi S.A. 17,7% Participação econômica da PT no capital da Oi Através da AG 2,8% Através da LF 2,8% Através da TmarPart 2,1% Direta na Oi 15,6% Total 23,3% 42

43 Estrutura acionária da AG na Oi Portugal Telecom 12,1% AG 19,3% LF 19,3% Fundação Atlântico 11,5% BNDES / Fundos de Pensão 37,8% 100% 4,6% Telemar Participações 17,7% Participação econômica da AG no capital da Oi Oi S.A. Através da TmarPart 3,4% Direta na Oi 4,6% Total 8,1% 43

44 Estrutura acionária da LF na Oi Portugal Telecom 12,1% AG 19,3% LF 19,3% Fundação Atlântico 11,5% BNDES / Fundos de Pensão 37,8% 100% Telemar Participações 4,6% Oi S.A. 17,7% Participação econômica da LF no capital da Oi Através da TmarPart 3,4% Direta na Oi 4,6% Total 8,1% 44

45 Estrutura acionária do BNDES na Oi Portugal Telecom 12,1% AG 19,3% LF 19,3% Fundação Atlântico 11,5% BNDES 13,1% Previ 9,7% Petros 7,5% Funcef 7,5% 100% 1,8% Telemar Participações Oi S.A. 17,7% Participação econômica do BNDES no capital da Oi Através da TmarPart 2,3% Direta na Oi 1,8% Total 4,1% 45

46 Estrutura acionária da Previ na Oi Portugal Telecom 12,1% AG 19,3% LF 19,3% Fundação Atlântico 11,5% BNDES 13,1% Previ 9,7% Petros 7,5% Funcef 7,5% 100% 3,6% Telemar Participações Participação econômica da Previ no capital da Oi Através da TmarPart 1,7% Direta na Oi 3,6% Oi S.A. 17,7% Total 5,3% 46

47 Estrutura acionária da Funcef na OI Portugal Telecom 12,1% AG 19,3% LF 19,3% Fundação Atlântico 11,5% BNDES 13,1% Previ 9,7% Petros 7,5% Funcef 7,5% 100% 0,1% Telemar Participações Participação econômica da Funcef no capital da Oi Através da TmarPart 1,3% Direta na Oi 0,1% Oi S.A. 17,7% Total 1,5% 47

48 ESTRUTURA SOCIETÁRIA Direitos dos acionistas DIVIDENDOS Todas as ações e ADRs OIBR.C: direito de receber um mínimo de 25% do lucro líquido anual ajustado Ações preferenciais e ADRs OIBR: mínimo de 6% do capital dividido pelo número total de ações ou 3% do patrimônio líquido dividido pelo número total de ações, o que for maior TAG ALONG As ações ordinárias têm direito a tag along de 80% do valor pago na aquisição do controle, segundo a Lei das S.A. vigente As ações preferenciais não têm direito a tag along DIREITO DE VOTO As ações ordinárias têm total direito de voto nas assembleias As ações preferenciais têm direito de voto apenas em circunstâncias específicas (a) MEMBROS DO CONSELHO Os acionistas minoritários (15% ou mais das ações com direito a voto) têm o direito de indicar um membro do conselho (dos 17) Os acionistas preferenciais (10% ou mais do capital total) têm o direito de indicar um membro do conselho (dos 17) MEMBROS DO COMITÊ FISCAL 3 a 5 membros indicados pelo(s): Acionista controlador (Telemar Participações) 3 membros Acionistas minoritários (10% ou mais das ações com direito a voto) 1 membro Acionistas preferenciais 1 membro DIREITO A RESGATE Os acionistas têm direito a resgate sob certas circunstâncias especiais (b) (a) Aprovação dos acordos de serviço de gestão com entidades estrangeiras relacionadas aos acionistas controladores; emissão de nova classe ou aumento de classe existente de ações preferenciais e/ou alteração nas vantagens e benefícios das ações preferenciais ou condições para seu resgate; direito integral de voto caso a Empresa não pague dividendos durante três anos consecutivos. (b) Emissão pela Empresa de uma nova classe ou aumento da classe existente de ações preferenciais; alteração no direito de preferência de ações ou em condições de seu resgate; redução no dividendo estatutário; incorporação ou cisão da empresa; participação da Empresa em um grupo de empresas; alteração no objeto social. 48

49 RELAÇÕES COM INVESTIDORES Esta apresentação contém considerações futuras. Declarações que não são históricas, inclusive aquelas que emitem as opiniões e expectativas da Empresa, são considerações futuras e envolvem riscos e incertezas. Essas considerações futuras baseiam-se em planos, estimativas e projeções atuais; dessa forma, não devem ser consideradas definitivas. As considerações futuras referem-se somente à data nas quais foram elaboradas, e a Empresa não tem obrigação de atualizar publicamente nenhuma delas em caso de novas informações ou eventos futuros. Bayard Gontijo Marcelo Ferreira Cristiano Grangeiro Patricia Frajhof Leonardo Mantuano Contatos de RI Endereço: R. Humberto de Campos, 425 7º andar Leblon Rio de Janeiro - RJ Visite nosso site: Twitter: 49

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Relações com Investidores Apresentação Corporativa Fevereiro de 2013 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 1 VISÃO RESUMIDA

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Relações com Investidores Apresentação Corporativa Agosto/2012 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 1 VISÃO RESUMIDA DO

Leia mais

Relações com Investidores 4T ÁUDIO CONFERÊNCIA. Fevereiro 2013

Relações com Investidores 4T ÁUDIO CONFERÊNCIA. Fevereiro 2013 Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA Fevereiro 2013 4T12 2012 EstratégiA RESIDENCIAL MOBILIDADE PESSOAL EMPRESARIAL CORPORATIVO Convergência de serviços com crescimento de Banda Larga e TV Paga

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Relações com Investidores Apresentação Corporativa Junho/2012 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Anexos 1 VISÃO RESUMIDA DO

Leia mais

ÁUDIO CONFERÊNCIA 4T11

ÁUDIO CONFERÊNCIA 4T11 ÁUDIO CONFERÊNCIA 4T11 MARÇO 2012 Resultado 2011 da Oi S.A. Com a aprovação da reestruturação societária, em 27/02/2012, tanto TNL, quanto Coari e os acionistas de TMAR foram incorporados pela Oi S.A.,

Leia mais

Relações com Investidores. Áudio Conferência 1T12. Maio 2012

Relações com Investidores. Áudio Conferência 1T12. Maio 2012 Relações com Investidores Áudio Conferência Maio 2012 1T12 Performance EBITDA Pro-forma 1T11 1T12 4T11 1T12 2.012 29,6% 2.012 29,6% 1.985 28,6% 1.838 26,4% EBITDA e Margem EBITDA apresentam crescimento

Leia mais

ÁUDIO CONFERÊNCIA2T11

ÁUDIO CONFERÊNCIA2T11 ÁUDIO CONFERÊNCIA2T11 AGOSTO 2011 Ofertas por segmento Desempenho operacional Desempenho financeiro 2 Ofertas por segmento Desempenho operacional Desempenho financeiro 3 Ofertas por Segmento DESTAQUES

Leia mais

ÁUDIO CONFERÊNCIA3T11

ÁUDIO CONFERÊNCIA3T11 ÁUDIO CONFERÊNCIA3T11 OUTUBRO 2011 Ofertas por segmento Desempenho operacional Desempenho financeiro 2 Ofertas por segmento Desempenho operacional Desempenho financeiro 3 Ofertas por Segmento DESTAQUES

Leia mais

Ali l a i n a ç n a Ind n us u tri r a i l a l com m a a Portugal Telecom 28 de julho de 2010

Ali l a i n a ç n a Ind n us u tri r a i l a l com m a a Portugal Telecom 28 de julho de 2010 Aliança Industrial com a Portugal Telecom 28 de julho de 2010 SEÇÃO 1 Racional da Transação Grupo Oi: Operador de Telecomunicações Líder no Brasil Grupo Oi é o Líder no mercado Brasileiro de Telecomunicações,

Leia mais

WEBSITE APIMEC AGOSTO DE Relações com Investidores

WEBSITE APIMEC AGOSTO DE Relações com Investidores WEBSITE APIMEC AGOSTO DE 2009 Relações com Investidores AGENDA O Mercado de Telecomunicações no Brasil Perfil e Integração com BrT Resultados e Diretrizes Futuras Atuação no Terceiro Setor 3 7 12 21 2

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Belo Horizonte

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Belo Horizonte Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Belo Horizonte Conhecendo a TIM 15 anos de Listagem na Bolsa TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base de Clientes

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Brasília Conhecendo a TIM Aniversário de 15 anos de Listagem TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Orgânico Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base

Leia mais

3 O setor de telecomunicações 3.1. A privatização do setor

3 O setor de telecomunicações 3.1. A privatização do setor 3 O setor de telecomunicações 3.1. A privatização do setor O setor de telecomunicações sofreu profundas transformações, principalmente na última década, considerando que era um monopólio estatal. Até o

Leia mais

Oi: Visão Geral Dezembro 2006

Oi: Visão Geral Dezembro 2006 Março / 2007 1 Oi: Visão Geral Dezembro 2006 Empresa líder na oferta convergente de serviços de telecomunicações no Brasil: telefonia fixa, móvel, banda larga, transmissão de dados, longa distância, internet

Leia mais

Net Serviços de Comunicação S.A Reunião Pública com Investidores Resultados de 2006

Net Serviços de Comunicação S.A Reunião Pública com Investidores Resultados de 2006 Net Serviços de Comunicação S.A Reunião Pública com Investidores Resultados de 2006 A Companhia Destaques do trimestre Início dos investimentos para aumentar a bi-direcionalidade da rede; Expansão da oferta

Leia mais

APRESENTAÇÃO. CORPORATIVA Outubro/2011. Relações com Investidores

APRESENTAÇÃO. CORPORATIVA Outubro/2011. Relações com Investidores APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Outubro/2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Dezembro/2003. Apresentação Corporativa

Dezembro/2003. Apresentação Corporativa Dezembro/2003 Apresentação Corporativa Visão Geral 1 Destaques Operadora integrada 15,1 milhões de linhas fixas em serviço (dez/03) 4,0 milhões de linhas móveis (jan/04) Região I Área de Concessão (Região

Leia mais

Resultados 4T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Fevereiro, 2015.

Resultados 4T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Fevereiro, 2015. Resultados 4T14_ Fevereiro, 2015. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

Apresentação APIMEC. Dezembro 2010. Investor Relations. Investor Relations

Apresentação APIMEC. Dezembro 2010. Investor Relations. Investor Relations Apresentação APIMEC Dezembro 2010 AGENDA 03. Mercado Brasileiro de Telecom 06. Oi: Perfil e Estratégia 13. Resultados Operacionais e Financeiros 19. Aliança com a Portugal Telecom Mercado Brasileiro de

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 3T de Novembro de 2006

TIM Participações S.A. Resultados do 3T de Novembro de 2006 TIM Participações S.A. Resultados do 06 de Novembro de 2006 1 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 2 Destaques Forte crescimento e melhoria da qualidade da base

Leia mais

Resultados 3T11. Telefônica Brasil S.A. São Paulo, 10 de Novembro de Relações com Investidores Telefónica do Brasil

Resultados 3T11. Telefônica Brasil S.A. São Paulo, 10 de Novembro de Relações com Investidores Telefónica do Brasil Resultados 3T11 Telefônica Brasil S.A. São Paulo, 10 de Novembro de 2011. Disclaimer Para fins de comparabilidade, os números do 3T10, acumulado 2011 e 2010 foram elaborados de forma combinada. Desta forma,

Leia mais

Encontro com a TIM APIMEC RJ. Rio de Janeiro. 22 de Setembro de 2016

Encontro com a TIM APIMEC RJ. Rio de Janeiro. 22 de Setembro de 2016 Encontro com a TIM APIMEC RJ Rio de Janeiro 22 de Setembro de 2016 Quem é a TIM? 18 a maior empresa privada do Brasil (Revista Exame - 2015) Em operação desde 1998 R$19 bilhões em valor de mercado 1º lugar

Leia mais

Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA 1T13. Abril 2013

Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA 1T13. Abril 2013 Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA Abril 2013 1T13 Estratégia RESIDENCIAL Convergência de serviços com crescimento de Banda Larga e TV Paga MOBILIDADE PESSOAL Crescimento do pós e rentabilização

Leia mais

Aquisição de Telmex do Brasil e 37,1% da NET. Outubro, 2005

Aquisição de Telmex do Brasil e 37,1% da NET. Outubro, 2005 Aquisição de Telmex do Brasil e 37,1% da NET Outubro, 2005 Exceto pelas informações históricas contidas aqui, esta apresentação pode incluir estimativas de acordo com os meios da Seção 27A da Securities

Leia mais

Rogério Tostes A COMUNICAÇÃO MÓVEL NO BRASIL

Rogério Tostes A COMUNICAÇÃO MÓVEL NO BRASIL Rogério Tostes A COMUNICAÇÃO MÓVEL NO BRASIL 0 Agenda O Mercado Brasileiro A Virada da TIM Perspectivas para o 4T 2010 1 Notes O Brasil está em um momento fantástico PIB Crescimento real do PIB em 2010

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES ROAD SHOW LEILÃO 700MHz INDICADORES DE AMBIENTE 2 POPULAÇÃO BRASILEIRA divisão demográfica Região Norte 16,9 milhões de habitantes Região Nordeste 55,8 milhões de habitantes

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14

Teleconferência de Resultados 1T14 Teleconferência de Resultados 1T14 RESULTADOS - CONSOLIDADO RECEITA LÍQUIDA 267,3 300,1 12,3% EBITDA AJUSTADO¹ 50,0 56,5 13,0% MARGEM EBITDA AJUSTADO ² 17,9% 17,9% 0,0 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO 3 28,7

Leia mais

BRASIL TELECOM. Maio de Relações com Investidores

BRASIL TELECOM. Maio de Relações com Investidores BRASIL TELECOM Maio de 2010 Relações com Investidores A aquisição de Brasil Telecom era estratégica Backbone Nacional e Internacional * O Setor de Telecomunicações é um negócio de escala (rápidas mudanças

Leia mais

Senado Federal Audiência Pública Conjunta CMA; CI; CCT 20/05/2014

Senado Federal Audiência Pública Conjunta CMA; CI; CCT 20/05/2014 Senado Federal Audiência Pública Conjunta CMA; CI; CCT 20/05/2014 Empresa pioneira na prestação de serviços convergentes no país, oferece transmissão de voz local e de longa distância, telefonia móvel,

Leia mais

Plano Estratégico Relações com Investidores

Plano Estratégico Relações com Investidores 1 Limitação de Responsabilidade Esta apresentação contém declarações prospectivas que refletem crenças e expectativas atuais sobre a base de clientes, estimativas em relação aos resultados financeiros

Leia mais

Telefônica Brasil S.A. 10.05.2012. Resultados 1T12

Telefônica Brasil S.A. 10.05.2012. Resultados 1T12 10.05.2012 Resultados 1T12 Disclaimer Para fins de comparabilidade, os números do 1T11 foram elaborados de forma combinada. Desta forma, as variações anuais aqui apresentadas podem diferir i daquelas informadas

Leia mais

Simples Assim. Apresentação APIMEC. Novembro de 2007

Simples Assim. Apresentação APIMEC. Novembro de 2007 Simples Assim Apresentação APIMEC Novembro de 2007 1 Aviso Importante aos Acionistas da TNLP e TMAR Instrução CVM nº358, art. 12: Os acionistas controladores, diretos ou indiretos, e os acionistas que

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultado do 1T08

TIM Participações S.A. Resultado do 1T08 TIM Participações S.A. Resultado do 1T08 6 de Maio de 2008 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 Indicadores Base de Clientes Resultados Principais Destaques do

Leia mais

Slide 1. Resultados 3T04

Slide 1. Resultados 3T04 Slide 1 Resultados 3T04 27 de outubro de 2004 Slide 2 Agenda Conclusão da Reestruturação Posicionamento Competitivo Resultados Financeiros Slide 3 Conclusão da Reestruturação A nova TSU: Com o dobro de

Leia mais

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 27 de outubro de 2009.

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 27 de outubro de 2009. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 27 de outubro de 2009. Embratel Participações S.A. ( Embrapar ) (BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,2 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ), 100,0

Leia mais

Atualização do Plano Estratégico

Atualização do Plano Estratégico Londres, 03 de dezembro de 2008 Atualização do Plano Estratégico 2009-2011 TIM Participações TIM Brasil: Ações de Recuperação 2008 Ações TIM 1. Melhorando o processo de caring para clientes de alto valor

Leia mais

Resultados. Resultados

Resultados. Resultados Apresentação Apresentação de de Resultados Resultados TIM TIM Participações Participações S.A. S.A. 1 Resiliência do Negócio Frente à Tempestade Melhorias Operacionais Usuários, Minutos, Usuários Únicos,

Leia mais

2016: Um ano de recuperação

2016: Um ano de recuperação 2016: Um ano de recuperação Cenário macro ainda difícil, mas com perspectiva de melhora... aliada à uma profunda recuperação operacional... mostrando uma recuperação consistente nos resultados de 2016

Leia mais

UBS CEO CONFERENCE. 21 de março de 2006

UBS CEO CONFERENCE. 21 de março de 2006 UBS CEO CONFERENCE 21 de março de 2006 1 Disclaimer Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

R$ milhões Consolidado Consolidado Combinado 1T12 4T11 % 1T11 % Receita Líquida Móvel 5.105, ,4 (2,9) 4.671,1 9,3

R$ milhões Consolidado Consolidado Combinado 1T12 4T11 % 1T11 % Receita Líquida Móvel 5.105, ,4 (2,9) 4.671,1 9,3 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.105,6 5.260,4 (2,9) 4.671,1 9,3 Receita de serviço móvel 4.924,2 5.097,4 (3,4) 4.367,2 12,8 Franquia e utilização 2.599,8 2.660,5 (2,3) 2.322,6 11,9

Leia mais

Operadora: Indicadores econômico-financeiros

Operadora: Indicadores econômico-financeiros Número 02 São Paulo, 24 de junho de 2013 Operadora: Indicadores econômico-financeiros RESUMO A operadora de telecomunicações Oi tornou-se a terceira maior empresa do setor no Brasil, após reorganização

Leia mais

Receita Líquida Móvel 5.636, ,6 (3,2) 5.105,7 10,4

Receita Líquida Móvel 5.636, ,6 (3,2) 5.105,7 10,4 NEGÓCIO MÓVEL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.636,3 5.822,6 (3,2) 5.105,7 10,4 Receita de serviço móvel 5.270,5 5.474,3 (3,7) 4.924,4 7,0 Franquia e utilização 2.784,4 2.908,1 (4,3)

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

RESULTADOS 1T17. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio de 2017

RESULTADOS 1T17. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio de 2017 RESULTADOS Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio de 2017 DISCLAIMER Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento

Leia mais

Redes e Serviços Convergentes para o Brasil Digital

Redes e Serviços Convergentes para o Brasil Digital Redes e Serviços Convergentes para o Brasil Digital Telebrasil 2007 - Costa do Sauípe - Bahia Antônio Carlos Valente 01 de Junho de 2007 Indicadores das maiores operadoras européias Telefonia Fixa Banda

Leia mais

Transformação da Base de Clientes: Pós-pago

Transformação da Base de Clientes: Pós-pago Transformação em curso: Ciclo Virtuoso em Ascensão Expansão da rede 4G (# sites 4G e-nodeb) Adições Líquidas de Pós-pago humano () (Excluindo M2M e Modems ; em milhares de linhas) 8,0 +55% 12,5 418 327

Leia mais

Receita Líquida Móvel 5.540, ,3 (1,7) 5.128,3 8, , ,0 9,2

Receita Líquida Móvel 5.540, ,3 (1,7) 5.128,3 8, , ,0 9,2 NEGÓCIO MÓVEL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.540,4 5.636,3 (1,7) 5.128,3 8,0 11.176,7 10.234,0 9,2 Receita de serviço móvel 5.219,2 5.270,5 (1,0) 4.959,8 5,2 10.489,7 9.884,2 6,1 Franquia

Leia mais

NET Serviços de Comunicação S.A. Reunião Pública com Investidores Resultados do 1T05

NET Serviços de Comunicação S.A. Reunião Pública com Investidores Resultados do 1T05 NET Serviços de Comunicação S.A. Reunião Pública com Investidores Resultados do 1T05 1 Considerações Futuras Eventuais declarações que possam ser feitas durante essa apresentação, relativas às perspectivas

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006. 06 de Março de 2007

TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006. 06 de Março de 2007 TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006 06 de Março de 2007 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 4T06: Forte crescimento e sólida performance financeira

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05 Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 09 de fevereiro de 2006. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT; BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR ALEXANDER CASTRO BRASÍLIA, 13 DE NOVEMBRO DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado

Leia mais

Banco do Brasil: Destaques

Banco do Brasil: Destaques 4º Trimestre 2014 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras

Leia mais

Paulo Cesar Teixeira. VP Executivo de Operações COO 23/03/2010

Paulo Cesar Teixeira. VP Executivo de Operações COO 23/03/2010 Paulo Cesar Teixeira VP Executivo de Operações COO 23/03/2010 1. O Brasil 2. A Vivo 3. Soluções Móveis 2 4. Programa Soluções de Mobilidade 3 O BRASIL O crescimento do setor de telefonia móvel no Brasil

Leia mais

A receita de uso de rede diminuiu 6,1% em relação ao 3T11 e apenas 0,6% em relação ao 2T12, principalmente em função da redução da VU-M.

A receita de uso de rede diminuiu 6,1% em relação ao 3T11 e apenas 0,6% em relação ao 2T12, principalmente em função da redução da VU-M. RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.340,9 5.128,2 4,1 4.923,2 8,5 15.574,6 14.326,7 8,7 Receita de serviço móvel 5.078,2 4.959,7 2,4 4.697,9 8,1 14.962,1 13.535,4 10,5 Franquia e utilização

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA DO SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY SALVADOR, 29 DE AGOSTO DE 2014 crescimento do setor de telecomunicações

Leia mais

Reunião APIMEC - CE. Rio de Janeiro, 15 de Dezembro de 2004

Reunião APIMEC - CE. Rio de Janeiro, 15 de Dezembro de 2004 Reunião APIMEC - CE Rio de Janeiro, 15 de Dezembro de 2004 Índice Mercado de Telecomunicações Visão Geral 2 Telemar Visão Geral 13 Estratégia de Crescimento 22 Desempenho Financeiro 28 Estimativas 38 www.telemar.com.br/ri

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados 4T12 e 2012 RESSALVA SOBRE DECLARAÇÕES FUTURAS Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais

Leia mais

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 09 DE ABRIL DE 2013

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 09 DE ABRIL DE 2013 SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 09 DE ABRIL DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8% 10% telefonia móvel banda larga

Leia mais

Resultados 3T13. Novembro de 2013.

Resultados 3T13. Novembro de 2013. Resultados 3T13 Novembro de 2013. Destaques do trimestre Fixo Móvel Operacional Melhora contínua em todas as frentes, garantindo forte patamar de adições líquidas pelo segundo trimestre consecutivo, principalmente

Leia mais

Apresentação TELECOM Sauípe 2009

Apresentação TELECOM Sauípe 2009 Apresentação TELECOM Sauípe 2009 AGENDA Evolução Telecom Telecom no Brasil Tendências Operação OI/Brasil Telecom A Indústria de Telecomunicações no mundo e Brasil O PIB Mundial produzido pelo Setor de

Leia mais

NEGÓCIO MÓVEL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

NEGÓCIO MÓVEL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA NEGÓCIO MÓVEL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.758,7 6.086,3 (5,4) 5.636,3 2,2 Receita de serviço móvel 5.446,1 5.762,7 (5,5) 5.270,5 3,3 Franquia e utilização 2.833,7 2.891,4 (2,0)

Leia mais

Grupo Telecom Italia TIM Brasil

Grupo Telecom Italia TIM Brasil GRUPO TELECOM ITALIA Londres, 16 de Fevereiro de 2016 Grupo Telecom Italia TIM Brasil 70 60 50 40 30 20 10 0 Brasil 2016-18: Reconhecendo os Desafios Protegendo resultados em ambiente macroeconômico mais

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 1T07. 4 de Maio de 2007

TIM Participações S.A. Resultados do 1T07. 4 de Maio de 2007 TIM Participações S.A. Resultados do 1T07 4 de Maio de 2007 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 1T07: Crescimento Contínuo em um Mercado cada vez Mais Desafiador

Leia mais

Câmara dos Deputados. Comissão Especial de Telecomunicações PL 6.789/2013 DF, 25/08/2015

Câmara dos Deputados. Comissão Especial de Telecomunicações PL 6.789/2013 DF, 25/08/2015 Câmara dos Deputados Comissão Especial de Telecomunicações PL 6.789/2013 DF, 25/08/2015 UMA GRANDE EMPRESA BRASILEIRA Pioneira na prestação de serviços convergentes no país, oferece transmissão de voz

Leia mais

APRESENTAÇÃO. CORPORATIVA Dezembro/2011. Relações com Investidores

APRESENTAÇÃO. CORPORATIVA Dezembro/2011. Relações com Investidores + APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Dezembro/2011 2 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

RESULTADO 2T13. Rio de Janeiro, Agosto Oi S.A. 0

RESULTADO 2T13. Rio de Janeiro, Agosto Oi S.A. 0 RESULTADO Rio de Janeiro, Agosto 2013 Oi S.A. 0 IMPORTANTE COMUNICADO O presente comunicado contém declarações acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities Litigation Reform Act de

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 4T07 e de 2007

TIM Participações S.A. Resultados do 4T07 e de 2007 TIM Participações S.A. Resultados do 4T07 e de 2007 5 de Março, 2008 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 TIM em 2007 Uma Marca Reconhecida... Top of Mind operadora

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T16

Teleconferência de Resultados 2T16 Teleconferência de Resultados 2T16 Relações com Investidores São Paulo, 5 de Agosto de 2016 RESSALVA SOBRE DECLARAÇÕES FUTURAS Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são

Leia mais

RESULTADOS 3T16. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Outubro, 2016

RESULTADOS 3T16. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Outubro, 2016 RESULTADOS Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Outubro, 2016 DISCLAIMER Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Porto Alegre

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Porto Alegre Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Porto Alegre Conhecendo a TIM 15 anos de Listagem na Bolsa TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base de Clientes

Leia mais

Estratégia de Sucesso Resultados refletem portfólio de negócios equilibrado. Agosto, 2010

Estratégia de Sucesso Resultados refletem portfólio de negócios equilibrado. Agosto, 2010 Estratégia de Sucesso Resultados refletem portfólio de negócios equilibrado Agosto, 2010 Termo de Renúncia Algumas declarações constantes nesta apresentação são projeções contidas no conceito da Lei de

Leia mais

Resultados 08 2T 07 de Agosto de 2008

Resultados 08 2T 07 de Agosto de 2008 Resultados 2T08 07 de Agosto de 2008 Comentários iniciais Marca inovadora e confiável: Viver além da tecnologia Primeiro lugar no Top of mind¹ Primeiro lugar em Awareness¹ da marca Escolhido o melhor website

Leia mais

Divulgação dos Resultados do 1T13

Divulgação dos Resultados do 1T13 Divulgação dos Resultados do 1T13 José Rubens de la Rosa CEO Apresentação: Carlos Zignani Diretor de Relações com Investidores José Antonio Valiati Diretor de Controladoria e Finanças Thiago A. Deiro Gerente

Leia mais

IN 371/2002 Estudo de Viabilidade (Claro Telecom Participações S.A)

IN 371/2002 Estudo de Viabilidade (Claro Telecom Participações S.A) IN 371/2002 Estudo de Viabilidade (Claro Telecom Participações S.A) São Paulo, SP 30 de Setembro de 2014 1 IN CVM 371/2002 CPC 32 Planos de Longo Prazo 2014-2024 Ativos Fiscais Diferidos Realização Ativos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ OI S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2. Balanço Patrimonial Passivo 4

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ OI S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2. Balanço Patrimonial Passivo 4 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 Contatos: Tele Nordeste Celular Participações S.A. Walmir Urbano Kesseli 55.81.3302.2813 Leonardo Wanderley 55.81.3302.2594 leonardo.wanderley@timnordeste.com.br Polyana Maciel 55.81.3302.2593 polyana.maciel@timnordeste.com.br

Leia mais

OS DESAFIOS DO PRESENTE E A CONSTRUÇÃO DO FUTURO DAS TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL

OS DESAFIOS DO PRESENTE E A CONSTRUÇÃO DO FUTURO DAS TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL OS DESAFIOS DO PRESENTE E A CONSTRUÇÃO DO FUTURO DAS TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL WORKSHOP TELECOM FIESP SÃO PAULO 21 DE JULHO DE 2017 0 Nos últimos 16 anos, a Oi entregou um dos maiores e mais agressivos

Leia mais

Resultados 4º Trimestre de de Fevereiro de 2014

Resultados 4º Trimestre de de Fevereiro de 2014 Resultados 4º Trimestre de 2013 13 de Fevereiro de 2014 Principais Destaques do Resultado de 2013 Lucro líquido de R$ 1,175 bilhão, com crescimento de 268% 1 no comparativo com 2012 2 Ganho de market share

Leia mais

PILARES ESTRATÉGICOS DO MAGAZINE LUIZA DESTAQUES DE 2013 PERSPECTIVAS

PILARES ESTRATÉGICOS DO MAGAZINE LUIZA DESTAQUES DE 2013 PERSPECTIVAS BTG Pactual XV Brazil CEO Conference 2014 26 de fevereiro de 2014 PILARES ESTRATÉGICOS DO MAGAZINE LUIZA DESTAQUES DE 2013 PERSPECTIVAS PILARES ESTRATÉGICOS DO MAGAZINE LUIZA 1 Forte cultura corporativa,

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T / Maio /

Divulgação de Resultados 1T / Maio / Divulgação de Resultados 1T 2006 09 / Maio / 2006 www.duratex.com.br 1 Oferta Pública de Ações Ações Ofertadas Oferta secundária de 9,5 milhões de ações PN Oferta primária de 4,5 milhões de ações ON Oferta

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Agosto

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil

Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Dezembro de 2009 Preparado para Meta de Banda Larga em 2010 no Brasil: 15 milhões de conexões Elaborado por IDC Copyright 2010 IDC. Reproduction

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

TELEMAR NORTE LESTE S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Companhia Aberta FATO RELEVANTE

TELEMAR NORTE LESTE S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Companhia Aberta FATO RELEVANTE TELEMAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF Nº 02.107.946/0001-87 NIRE 3330016601-7 Companhia Aberta TELE NORTE LESTE PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF Nº 02.558.134/0001-58 NIRE 3330026253 9 Companhia Aberta TELEMAR

Leia mais

Você espera o melhor. A gente faz. Novembro / 2015

Você espera o melhor. A gente faz. Novembro / 2015 Você espera o melhor. A gente faz. Novembro / 2015 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia Estrutura Societária Controladores Pátria Investimentos DVG1 Banco Votorantim Empreendimentos e Participações Outros*

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14

Teleconferência de Resultados 1T14 Teleconferência de Resultados 1T14 VISÃO GERAL COLÔMBIA # 1 ROL R$ 71 MM FUNCIONÁRIOS¹ 9.034 MKT SHARE ² 13% Líder na América Latina em Serviços de Relacionamento com Consumidores, com forte posicionamento

Leia mais

Brasil Telecom S.A. Ex-Telecomunicações do Paraná S.A. - Telepar

Brasil Telecom S.A. Ex-Telecomunicações do Paraná S.A. - Telepar Brasil Telecom S.A. Ex-Telecomunicações do Paraná S.A. - Telepar Informações Relevantes ao Mercado 2 o Trimestre de 2000 Não Auditadas Brasília, 02 de agosto de 2000 CONTATOS BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Maio de 205 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO T5 2 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO T5

Leia mais

Resultados do 3T de Novembro de 2005

Resultados do 3T de Novembro de 2005 Resultados do 3T05 16 de Novembro de 2005 Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições de nossa Administração

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T07

Teleconferência Resultados 3T07 Teleconferência Resultados 3T07 Destaques no trimestre Crescimento orgânico da receita bruta de 31,4% no 3T07 e 36,6% nos12 mesesatésetembrode 2007 Impulsionado pelo crescimento de vendas no MI de 58,4%

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014 Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014 27 / FEV / 2015 Destaques 4T14 e 2014 Destaques Pg. 04 4T14 e 2014 Crescimento de 2,7% no tráfego pedagiado no trimestre e de 1,3% na comparação anual Crescimento

Leia mais

JP Morgan Brasil TMT Day. 27 de Novembro, 2008

JP Morgan Brasil TMT Day. 27 de Novembro, 2008 JP Morgan Brasil TMT Day 27 de Novembro, 2008 1 Agenda Setor de Telecomunicações no Brasil 2 Histórico da Oi: Um Caso de Transformação 7 Nossa Estratégia e Principais Resultados 10 Destaques Operacionais

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2010 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2010 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2010 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 05 de novembro de 2010 1 Contexto

Leia mais

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes 1 Pilares Estratégicos 1 Forte cultura corporativa, cujo principal foco é a valorização das pessoas 2 Plataforma de vendas integrada, com múltiplos canais de venda 3 Grande base de clientes, com CRM visando

Leia mais

RESULTADOS 1T13. Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 30 de abril de 2013

RESULTADOS 1T13. Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 30 de abril de 2013 RESULTADOS 1T13 Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo 30 de abril de 2013 RESULTADO GPA CONSOLIDADO 1T13 Vendas Brutas R$ milhões, 1T13 x 1T12 Cresc. mesmas lojas vs 1T12 14.984 +9,7% ML +6,6% EBITDA R$ milhões,

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T12

Apresentação de Resultados 3T12 Apresentação de Resultados 3T2 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T de novembro de 2016

Divulgação de Resultados 3T de novembro de 2016 Divulgação de Resultados 04 de novembro de 2016 Aviso Importante Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Novembro de 204 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 3T4 2 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE elaborado pela

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE elaborado pela PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE 2014 elaborado pela Todo ano a UIT divulga relatório com os preços dos serviços de telecomunicações De acordo com o último relatório

Leia mais