O MERCADO DE SOFTWARE CORPORATIVO NO BRASIL EM 2005

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O MERCADO DE SOFTWARE CORPORATIVO NO BRASIL EM 2005"

Transcrição

1 ARTIGOS O MERCADO DE SOFTWARE CORPORATIVO NO BRASIL EM 2005 Silvia T. F. de Frick * 1. Introdução As grandes empresas instaladas no Brasil iniciaram a automatização de seus processos focando as atividades financeiras (contábeis) e de folha de pagamento. A demanda por estes produtos fez surgir uma série de fornecedores locais que, nos anos 80, se debruçaram na tarefa de incorporar a seus sistemas a complexa e dinâmica legislação brasileira (tributária, financeira, contábil e trabalhista). A capacidade dos fornecedores brasileiros de acompanhar as mudanças na legislação abriu espaço dentro das corporações, inclusive das filiais de multinacionais instaladas no Brasil, para o crescimento do software nacional. Nos anos 90, a evolução da automação dos processos e o posicionamento que já haviam conquistado as empresas brasileiras de software no mercado corporativo permitiram que elas disputassem espaço no mercado de sistemas de gestão, dominado, no final daquela década, pelos sistemas de ERP (Enterprise Resource Planning). 1 No início do novo século, a gestão corporativa integrada passou a ser uma necessidade e, à medida que os ERPs passavam a formar parte do dia-a-dia das empresas, novas exigências de automação surgiam em todos seus departamentos, desde a alta gerência até a produção. Nos últimos anos, vêm se expandindo as fronteiras do mercado para sistemas de CRM (Customer Relationship Management), BI (Business Intelligence), Supply Chain (gerenciamento da cadeia logística ou de suprimento), Demand Chain (gerenciamento da cadeia de demanda), RH (recursos humanos), EDI (Electronic Data Interchange), canais de comunicação (call center) e CMMS (Computerized Maintenance Management System) / EAM (Enterprise Asset Management), como um novo ciclo de crescimento dos próprios sistemas de ERP, que se tornaram mais completos para atender não somente a gestão integrada, mas as atividades específicas de cada setor da corporação. Em uma terceira onda de crescimento, os sistemas de ERP estão procurando se posicionar em mercados verticais, modificando o quadro da concorrência no mercado corporativo. Os fornecedores de sistemas de ERP têm-se tornado concorrentes de * Sócia-Diretora da Stratplan Consultoria em Negócios. Doutora em Comunicação pela USP e mestre em Economia pela Unicamp. 1 Estes sistemas tiveram sua origem nos departamentos de compra e de produção, com os MRP (Materials Requirements Planning) e MRP II (Manufacturing Resource Planning), que posteriormente se integraram, numa base de dados única, aos sistemas administrativos. No final da década, o bug do milênio fez surgir a oportunidade de trocar sistemas antigos dando uma nova força ao mercado de ERP.

2 empresas que se especializam em produtos específicos, ganhando destas pela possibilidade de oferecer soluções completas, mas perdendo pelo preço e pela falta de especialização. O crescimento também está ocorrendo devido ao movimento de fusão no mercado corporativo (o que leva à necessidade de padronização entre as diversas unidades ou filiais) e aos planos de governança, que asseguram boas práticas administrativas e transparência. No Quadro 1 estão listadas as principais soluções que atendem o mercado corporativo. 2 QUADRO 1 PRODUTOS DE SOFTWARE PARA O MERCADO CORPORATIVO Produto Descrição Sistema que envolve ferramentas como EIS, 3 DSS, 4 OLAP 5 e data mining 6 que permitem Business Intelligence visualizar de forma simples e analisar informações reunidas em um banco de dados. Canal de contato com o cliente, fundamental para que a estratégia de CRM seja bemsucedida. Call center / help desk Controle patrimonial Sistema para o controle dos bens patrimoniais. Sistemas de gerenciamento das atividades de manutenção de ativos (elétrica, mecânica, hidráulica, etc.), envolvendo atividades de planejamento, programação e controle da CMMS / EAM manutenção (preditiva, corretiva ou preventiva) de equipamentos móveis ou estacionários, de veículos e de instalações prediais. Sistema utilizado para avaliar a eficácia das atividades comerciais e de marketing. A estratégia na que se baseia o sistema comporta os seguintes passos: identificar os clientes, diferenciar os CRM que trazem maior valor para a empresa e definir ações para abordar esses clientes. Cada mercado demandará ações específicas a serem realizadas, havendo necessidade de desenvolver sistemas especializados para cada vertical de mercado. Cadeia formada pelos parceiros de negócio (distribuidores, revendas, etc.), que auxiliam Demand Chain na comercialização de produtos e serviços. A troca eletrônica de documentos, principalmente na Web, permite tornar mais eficientes EDI os processos de compra, venda e pagamentos. Solução global composta por vários módulos integrados que atendem as diversas áreas ERP de uma empresa, desde a administrativa até a de produção. Fiscal / Tributário Sistema para o controle de tributos e contribuições. Gestão de projetos Sistema que permite o acompanhamento e coordenação de projetos. Sistema para agilizar a gestão dos recursos humanos das empresas, atendendo à legislação RH trabalhista e impositiva, segurando talentos e estimulando o aumento da produtividade. Tem como objetivo unir todas as fases da cadeia de suprimento, otimizando os métodos e etapas de produção, compras e suprimentos, inventário, administração, previsões, armazenagem, transporte e entrega de produtos (Conhecimento Empresarial, 2005), com Supply Chain base na relação entre as empresas pertencentes aos diferentes elos da cadeia de produção, como fornecedores, indústria, armazéns, varejistas, distribuidores, empresas de logística, etc. Fonte: Elaboração própria. A competência do software brasileiro para gestão empresarial e inteligência dos negócios é uma característica que faz o Brasil ter um lugar de destaque no mercado mundial. Os fornecedores locais lutam por ampliar seu market share enfrentando as multinacionais 2 Alguns dos conceitos utilizados nas explicações sobre cada uma das soluções foram extraídos do site Conhecimento Empresarial (2005). 3 O EIS (Executive Information System), também denominado Sistema de Informação Gerencial, permite obter informações gerenciais, de forma simples e amigável, a partir de uma base de dados. 4 O DSS (Decision Support System) auxilia no processo de tomada de decisão a partir de modelos para solucionar problemas não estruturados. 5 O OLAP (On Line Analytical Processing) é um conjunto de aplicações utilizadas por gerentes, executivos e analistas para extrair dados para a geração de relatórios gerenciais. 6 Permite a mineração dos dados, ou seja, combiná-los e explorá-los de forma a levar à descoberta de novas oportunidades de negócio.

3 que chegaram ao país na segunda parte da década de 1990 buscando conquistar um mercado de tamanho expressivo e em constante expansão (com crescimento de mais de 20% ao ano). No presente artigo é analisado, primeiro, o comportamento atual da demanda e da oferta de software para o setor corporativo. Em segundo lugar, são discutidas as tendências para o curto e médio prazo. Finalmente, analisa-se o conjunto das empresas brasileiras que desenvolvem produtos de software para o setor corporativo, considerando aspectos como localização e tamanho das empresas e características dos produtos que oferecem (tipo, ano de lançamento, tecnologia e canais de comercialização). 2. O Mercado de Software Corporativo O mercado de software corporativo é formado por sistemas de gestão e de inteligência dos negócios, assim como por outros sistemas específicos, que automatizam cada um dos departamentos da corporação e facilitam ou tornam mais eficiente sua integração em rede. Em 2004, as grandes empresas continuaram a investir em sistemas de gestão, estimuladas pelo atendimento aos planos de governança e pela necessidade de melhorar os resultados financeiros e o relacionamento com seus clientes. 7 O que as empresas procuram agora é otimizar o investimento que fizeram, em alguns casos adquirindo novos módulos, padronizando sistemas ou fazendo atualizações de sistemas já em uso. Rachel Rubin ( Por que ainda ERP?, Informationweek, 26-28/4/2005, acesso em 26/5/2005) apresenta diversos exemplos de aquisições e atualizações.um exemplo é o da Conexel, que possui o software da Datasul desde 1991, e adquiriu diversos módulos e atualizações ao longo dos anos, sendo a última aquisição realizada em A construtora Odebrecht desenvolveu o sistema internamente em 1994, mas vem realizando atualizações, tendo sido pioneira na migração para ambiente Web. As fusões de empresas também têm impulsionado os investimentos em ERP, como no caso do Grupo Vicunha que unificou os sistemas em uso com a Datasul (em parceria com a IDS Scheer). A Rhodia também padronizou os diferentes modelos de SAP que coexistiam nas várias filiais mundiais da empresa. O Grupo Votorantim que iniciou a implementação do SAP em 2004, até 2007 estará incluindo no sistema todas as empresas do grupo, contando com a ajuda da Deloitte para fazer a mudança cultural. Alguns fornecedores, como a Mega Sistemas, procuram aproveitar as novas oportunidades que surgem com a necessidade das empresas de otimizar os investimentos realizados em ERP, oferecendo produtos específicos. A empresa desenvolveu o Mega Manufatura, para atender a segmentos industriais como o metalúrgico, têxtil, de bens de 7 Na definição de Cláudio Terrazan ( As bandeiras da governança, Agência Estado Setorial, Telecom e TI, 16/7/2004, acesso em 27/5/2005), governança é o conjunto de práticas de operação, gestão e relacionamento, cuja finalidade é otimizar o desempenho das empresas protegendo os investidores, acionistas, conselho de administração, diretoria, conselho fiscal, funcionários e credores, facilitando o acesso ao capital.

4 capital e químico. Para Rodolfo Nascimento, da Mega Sistemas ( ERP para indústria garante a gestão de recursos e custos com eficiência, informação fornecida ao Instituto de Estudos Econômicos em Software IEES em 9/5/2005), o item que mais preocupa os empresários da indústria é a otimização do volume de estoque de materiais, o que faz aumentar a demanda por sistemas que possuam essa funcionalidade. A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) adotou o Corpore RM, da empresa mineira RM Sistemas, com o objetivo de integrar informações numa base de dados única. De acordo com Claudia Marques ( FIEMG adota Corpore RM e ganha agilidade, Gazeta Mercantil, 17/8/2004), a instituição investiu cerca de R$ 1 milhão num projeto de gestão empresarial amplo. Os módulos adquiridos, que serão utilizados por 250 usuários são: controladoria, financeiro, suprimentos, patrimônio, fiscal, orçamento e custos. Os sistemas de gestão têm chegado também ao segmento de educação e entretenimento. A TVE Brasil, que desenvolve programas educacionais para rádio e televisão implementou, em 2004, o sistema de gestão da Datasul que integra as diversas unidades da rede (a matriz; uma emissora no Maranhão; um escritório em Brasília; e as rádios MEC AM e FM do Rio de Janeiro). De acordo com a Computerworld ( TVE Brasil adota sistema de gestão da Datasul, 18/8/2004), o objetivo é agilizar processos, obter maior integração entre áreas, alcançar maior eficiência operacional, diminuir o retrabalho e adequar melhor os controles internos do fluxo de informações. Para controlar os processos internos, a empresa adquiriu os módulos: controladoria, compras, financeiro, RH e diretoria. Em serviços públicos, a Companhia de Águas da Paraíba (Cagepa), na busca por agilizar o controle financeiro com o fechamento de balancetes no prazo de dez dias após a virada do mês, adquiriu dois produtos da software house pernambucana Procenge: o Pirâmide e o Sistema Comercial. De acordo com Ângelo Castelo Branco ( Cagepa investe em novo sistema de gestão, Gazeta Mercantil, 22/11/2004), o Sistema Comercial atua no controle do faturamento, arrecadação, atendimento aos clientes, manutenção da rede de água e saneamento, enquanto o Pirâmide focaliza a área administrativa (contabilidade, controladoria, finanças, compras, materiais e controle do patrimônio). Apesar de a maioria das corporações já possuir algum ERP, na opinião de Gutierrez e Alexandre (2005, p. 129) ainda há espaço para a conquista de segmentos, como o bancário, com baixa penetração deste tipo de produto devido à cultura de desenvolvimento interno e à falta de especialização dos produtos atualmente disponíveis. Mas também há mercado para sistemas que agregam valor aos ERPs, como CRM, BI, supply chain, entre outros. No que diz respeito a soluções de CRM, a demanda do mercado corporativo nasceu da necessidade de entender melhor e estreitar o vínculo com o cliente. Atualmente, o mercado está se estendendo para as empresas de tamanho médio que buscam direcionar suas atividades de marketing e vendas. Mas o retorno do investimento em sistemas de CRM é demorado, o que está freando o crescimento do mercado e diminuindo as

5 expectativas de boom geradas no início do ciclo de vendas. 8 A adoção de sistemas de CRM estimula o mercado de produtos para call center, que aumentam a velocidade de atendimento, tornando a atividade menos custosa e mais eficiente. Como resultado, o faturamento das empresas de call center atingiu, em 2004, R$ 3 bilhões, de acordo com números divulgados por Nina Soares ( TMKT cria software para gerenciar operações, Gazeta Mercantil, 28/3/2005). O setor emprega mais de 500 mil pessoas no país e a estimativa é de que, em 2005, sejam criados 60 mil novos postos. Na área de inteligência dos negócios (BI), o instituto de pesquisa IDC prevê que este mercado mantenha o crescimento pelo menos até fins de Em 2004, apenas 45% das 80 maiores empresas brasileiras utilizavam ferramentas independentes de BI. O fato de empresas terem implementado sistemas de gestão levanta a necessidade de usar de forma produtiva o grande volume de dados gerado. Assim, as corporações procuram nos sistemas de BI subsídios para analisar os negócios e tomar decisões. A adoção de sistemas de BI não é uniforme. Alguns segmentos, como bancos e montadoras, foram os primeiros a implementar sistemas deste tipo. Outros, como o de transportes, foram mais conservadores e estão começando agora a engrossar a demanda. Na área financeira, o elevado número de documentos e a criticidade dos dados processados levaram a empresa Proservvi, especializada em outsourcing e produtos para back office a adotar uma ferramenta de BI ( BI: Inteligência caseira, ITWeb, 1/2/2005). Os sistemas da empresa processam todos os pagamentos em cheque e compensação de bancos como o Unibanco, BankBoston, ABN Amro Real e Bradesco, somando um volume total de aproximadamente dois milhões de documentos. O sistema foi desenvolvido com a ajuda da Brasoftware (distribuidora de software), que fez a personalização das ferramentas caseiras utilizadas pela Proservvi (planilhas Excel e base de dados em SQL Server). Na área de transportes de passageiros, o Grupo Áurea encontra-se na segunda fase do projeto de integração das 17 empresas que compõem a holding. Rosana Hessel ( Grupo Áurea investe em BI, Gazeta Mercantil, 26/1/2005) conta que o sistema de vendas de passagens do grupo, que atualmente transporta mais de um milhão de pessoas por dia, foi desenvolvido internamente. Em 2000, a empresa implantou um sistema de ERP, o Globus (da BMG-Rodotec), específico para a área de transportes. Para 2005, a empresa está ampliando o relacionamento com o fornecedor e implementando o sistema de BI da empresa norte-americana ProClarity (distribuído de forma exclusiva pela BMG). Com isso, pretende diminuir o tempo de elaboração de relatórios estratégicos das atuais duas semanas para alguns minutos. Em determinados segmentos, além da demanda por sistemas que atendam a inteligência dos negócios e a integração dos diferentes departamentos internos, a necessidade de 8 Após a compra da ferramenta e a frustração pelos magros resultados, as empresas compreenderam que o CRM não é apenas tecnologia, mas uma solução que envolve tanto a ferramenta quanto os processos e a cultura da empresa. 9 As informações foram extraídas de Eduardo Dutra, TI para conduzir as empresas e Eduardo Dutra, Solução da VerUP Gerencia mundo da moda, ambos artigos publicados na Gazeta Mercantil em 4/10/2004.

6 comunicar a empresa com outros agentes da cadeia produtiva é fundamental, elevando a demanda por sistemas de Supply Chain. Um desses segmentos é o de agronegócio, onde os instrumentos de gestão estão mudando o conceito da logística tradicional para incluir toda a cadeia de suprimento, com o auxílio de uma série de ferramentas, como código de barras, MRP (Material Requerimento Planning) e WMS (Warehouse Management System), além de sistemas de rastreamento de cargas por GPS (IDG Seminários, 30/09/2004). Nas soluções para logística como conceito de toda a cadeia produtiva, há sistemas que atendem às atividades de abastecimento, produção, manutenção e distribuição. Os de manutenção adquirem relevância significativa, não tanto pelo permitir fazer, mas pelo evitar acontecer. Uma falha na manutenção pode levar à paralisação do processo produtivo ou do andamento do negócio. Depois de as empresas aumentarem a produtividade e reduzirem os custos, o foco foi buscar a maior eficiência nos equipamentos disponíveis. Assim, a análise do impacto causado por eventuais paradas na produção, aliada ao planejamento da manutenção tornou-se uma atividade necessária e indispensável. As ações deixaram de ser corretivas para ser preditivas. A manutenção também está adquirindo importância na administração geral e predial. No segmento de entretenimento, a TV Globo Rio Projac utiliza o software SIM Sistema Informatizado de Manutenção, da empresa paulista Astrein Engenharia de Manutenção. O produto permite o controle da infra-estrutura, fazendo manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos e instalações. 10 No segmento hoteleiro, o Sheraton Rio & Towers adquiriu o Maximo Facilities, da MRO Software. 11 Em pesquisa realizada pelo Instituto de Estudos Econômicos em Software (IEES) 12 obteve-se um perfil da demanda por sistemas de facilities (manutenção predial). De acordo com a pesquisa, a quase totalidade das empresas contatadas (97,5%) possui um setor de manutenção informatizado. A grande maioria delas (87,1%) possui planos de manutenção sistemática (limpeza e conservação, inspeção preventiva, preditiva, etc.). Uma porcentagem menor (66,7%) mantém indicadores de desempenho e qualidade. Com respeito ao uso de sistemas especializados para manutenção predial, 74,4% afirmaram que utilizam este tipo de sistema. Delas, 41,0% o adquiriram de fornecedor externo; 30,8% o desenvolveram internamente; e 2,7% utilizam sistemas mistos (em parte adquirido de terceiros, em parte desenvolvido internamente). Para a manutenção ser eficiente é necessário um setor de compras também eficiente. E nada melhor que a Internet para tornar possível esse objetivo. A modalidade de leilão reverso (e-procurement) não pára de crescer desde fins da década passada, quando a empresa Mercado Eletrônico S/A desenvolveu o primeiro marketplace brasileiro e conquistou os primeiros clientes corporativos. Por esta modalidade, ganha o fornecedor que oferece um lote de peças ou de material de escritório pelo menor preço. Um exemplo é o portal de compras Usemol.com, onde está cadastrada grande quantidade de 10 Informações extraídas do site da Astrein (http://www.astrein.com.br, acesso em 25/5/2005). 11 Informações extraídas do site da empresa MRO (http://www.mrosoftware.com.br/mro/news, acesso em 19/5/2005). 12 Pesquisa realizada entre os meses de março e maio de 2005 junto a 39 empresas brasileiras de grande e médio porte que atuam em diferentes segmentos.

7 fornecedores de materiais e serviços para manutenção, reparo e operações, que realiza todo o processo de suprimentos desde a requisição de compras até a recepção dos dados da nota fiscal do fornecedor, integrando-se com os sistemas corporativos. Portais como o Mercado Eletrônico e o Usemol tornam o departamento de compras das corporações muito mais ágil e menos dependente de pessoas. 2.1 Players As software houses brasileiras têm conquistado lugar de destaque no mercado de sistemas de gestão, especialmente junto a empresas de porte médio. As principais vantagens competitivas das firmas brasileiras em relação às estrangeiras, mencionadas por Gutierrez e Alexandre (2005, p. 132), são: oferta de produtos mais aderentes ao negócio do cliente; custos menores; extensa rede de distribuição (sistema de franquias); penetração em mercados verticais. De acordo com Ana Carolina Saito ( Software nacional supera múltis no mercado interno, Gazeta Mercantil, 5/10/2004), em 2003 o mercado brasileiro de software de gestão movimentou US$ 175 milhões. A empresa alemã SAP ficou em primeiro lugar no ranking, com 36,3% do total. A catarinense Datasul ficou em segundo, com 11,1%. 13 Em terceiro lugar ficou a RM Sistemas, com 9,8% do market share. Na luta pelo market share, os fornecedores nacionais buscam fazer inovações nos produtos. A Solver Soluções Empresariais, de Pernambuco, trabalhou durante dois anos (investindo R$ 1,5 milhão) para desenvolver um software capaz de transformar o gabinete de um executivo num autêntico cockpit de comando de avião com indicações precisas em tempo real do desempenho de todas as áreas de uma corporação (Castelo Branco, Ângelo, Gestão empresarial comandada do cockpit, Gazeta Mercantil, 8/10/2004). Considerando resultados de pesquisas que mostram que somente 10% das empresas obtêm os resultados previstos no planejamento, o software pode tornar mais efetiva a ação de conselhos administrativos e de executivos. O objetivo é atender a três necessidades primordiais dos dirigentes: saber onde se quer chegar, saber onde a empresa está e saber que ações devem ser implantadas para cumprir as metas. Os players brasileiros do setor corporativo também inovam nas ações comerciais. Nesse sentido, a Software Design, empresa de Campinas, com o objetivo de ampliar sua atuação nos setores de finanças e varejo, fusionou-se com a Tools Software, que atua no mercado de crédito e financiamento, dando origem à Matera Systems. A Datasul, por sua vez, está fundando uma nova empresa para prestar serviços de ASP (Application Service Provider) como forma de comercialização de seu ERP, estimulada pelo crescimento, em 2004, de 66% dessa modalidade. Assim, os clientes podem acessar remotamente (via Internet) o sistema que fica hospedado na Datasul. Os resultados da 13 É importante destacar que a participação da SAP caiu em relação ao ano anterior enquanto a da Datasul subiu.

8 estratégia comercial da empresa (que também envolve franquias e venda direta) são traduzidos em números por Rosana Hessel ( Datasul cria uma empresa independente para Serviços, Gazeta Mercantil, 16/2/2005): R$ 145 milhões de faturamento em 2004; EBIT (lucro antes dos impostos e juros) de R$ 30 milhões; clientes em todo o país; 27 franqueados no Brasil; R$ 287 milhões de faturamento global (franqueador e franqueados); crescimento das vendas de 20% em 2004; 42 clientes de ASP (500 usuários simultâneos), totalizando receita de R$ 2,5 milhões. Para o bom desempenho da empresa catarinense, além da sua linha principal atuação (ERP), contribuiu também a linha de inteligência dos negócios (BI), tendo dobrado a base de clientes nessa área (hoje são 120 empresas). Outra linha de negócios que influiu positivamente nos resultados da empresa foi a de RH, cujo faturamento aumentou 19% em Do Sul para o Nordeste, a Datasul também investiu na abertura de uma unidade no Ceará, buscando conquistar oportunidades abertas pelo crescimento industrial e agrícola da região, atendendo também aos estados do Maranhão e Piauí ( Datasul no Ceará, Microsiga em Goiás, Computerworld, 26/11/04). Na conquista do Nordeste, a empresa estrangeira de ERP IFS Industrial & Financial Systems fez parceria com a Lebre Informática, integradora nacional localizada em Salvador (BA) que atua em empresas públicas. O foco é oferecer soluções na área de manutenção, conforme informa Álvaro Figueiredo ( IFS reforça atuação no Nordeste em parceria com a baiana Lebre, Gazeta Mercantil, 10/1/2005). As empresas de TI nordestinas estão reagindo, com a realização de parcerias, ao avanço das concorrentes que chegam do sul e do exterior. Como noticiado no site do Grupo Secrel (http://www.gruposecrel.com.br), a pernambucana 100porcento Conult & Audit, empresa de auditoria e consultoria, juntou-se ao grupo cearense Secrel, principal produtor de software de seu estado, com o objetivo de dobrar o número de clientes no Nordeste, e chegar à casa dos R$ 3 milhões de faturamento. Com a parceria, vão se fortalecer as vendas de serviços contábeis e de gestão de suprimentos e recursos humanos. Na conquista de novos mercados, a Microsiga, empresa de ERP paulista, abriu uma nova filial em Goiânia (GO) que será responsável pelo atendimento dos clientes na região Centro-Oeste, além dos estados de Rondônia e Triângulo Mineiro. Com a nova filial, já são quatro os canais de atendimento na região, onde a empresa possui uma carteira de 450 clientes ativos. O investimento para a instalação do novo canal foi da ordem de R$ 14 Com a aquisição do principal concorrente nesse mercado, a Peoplesoft, pela Oracle, a Datasul espera que o caminho fique livre para um crescimento maior nos próximos anos.

9 600 mil. A estratégia da Microsiga para crescer também envolveu a aquisição de outro player nacional do mercado de ERP, a catarinense Logocenter. Em uma controversa operação com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), 15 que financiou a operação, a nova organização passou a contar com funcionários e clientes corporativos no Brasil, além de 300 na América Latina, somando um faturamento de R$ 380 milhões ( Com foco em desenvolvimento, Microsiga e Logocenter anunciam fusão, Folha On-line, 10/2/2005). A fusão das duas empresas é apenas na parte administrativa e societária, sendo que a parte operacional continuará separada. Os produtos de cada empresa permanecerão com novas versões. Como mostra da independência operacional, a Logocenter foi uma das primeiras empresas a conseguir a homologação na linha de financiamento Prosoft Comercialização, do Bndes, que financia a aquisição de sistemas de gestão, facilitando a colocação desses produtos no mercado. Os clientes da empresa estão distribuídos nos segmentos de saúde, varejo, agroindústria e construção. Outra empresa de ERP que atua em mercados verticais é a Mega Sistemas, que além de seu ERP genérico desenvolveu um outro produto, com 12 módulos, específico para a área de construção, o Mega Construção Civil, e já conquistou clientes como a Carvalho Hosken, uma das construtoras mais antigas do Rio de Janeiro. Na linha de mercados verticais, a RM Sistemas especializou-se em sistemas de gestão para as áreas de RH, educação, produção (indústria) e saúde. A RM é uma das empresas fornecedoras de ERP que mais vem crescendo no Brasil. Em 2004 a empresa chegou aos R$ 110 milhões de faturamento e pretende chegar a R$ 137 milhões em Parte deste bom resultado deve-se a sua rede de canais de distribuição que se espalha por todo o Brasil e aos investimentos que a empresa realiza em P&D. Conforme dados apresentados por Guilherme Arruda ( RM Sistemas cresce 18% com soluções de gestão, Gazeta Mercantil, 24/3/2005), a empresa investiu, em 2004, R$ 6 milhões em tecnologia e no desenvolvimento de soluções e pretende investir R$ 9 milhões até o final de A carteira de clientes chegou a 19 mil empresas no final do ano passado, e a empresa já registra liderança em alguns mercados verticais, como educação, e está buscando se fortalecer em outros, como construção, com o desenvolvimento de soluções específicas. A RM também procura expandir seus negócios com a inauguração de filiais. No ano passado abriu três filiais, nas cidades de Curitiba, Porto Alegre e São Paulo. O mercado do Estado de São Paulo representava 40% do faturamento da empresa, de acordo com a ITWeb ( RM Sistemas inaugura filial em São Paulo, 27/9/2004). Outro projeto da RM é a ampliação de suas atividades no mercado externo, especificamente em Portugal, onde já atua desde Segundo publicado pela ITWeb 15 De acordo com a publicação Valor Econômico ( Empréstimo oficial para a Microsiga gera polêmica, 15/3/2005), o empréstimo de R$ 40 milhões que seria destinado a viabilizar o negócio de aquisição da Logocenter foi, na verdade, utilizado quase integralmente para pagar o fundo Advent International, que fazia parte, desde 1999, da composição acionária da empresa. De acordo com a mesma fonte, essa informação foi negada, tanto pelo banco quanto pela Microsiga, mas admitida, em parte, pela Logocenter.

10 ( RM amplia atuação em Portugal e planeja conquistar Espanha, 5/4/2005), até o final de 2004 a empresa tinha conquistado 17 clientes em Portugal, onde o mercado apresenta grande potencial especialmente nos segmentos de recursos humanos e projetos. Nesses dois segmentos, concentram-se 14% do PIB do país. A estratégia da RM é formar parcerias com as grandes consultorias que atuam no local. A próxima investida será na Espanha, e a meta é chegar no ano 2010 com 5% do faturamento total provindo do mercado externo. O mercado espanhol também é estratégico para a integradora brasileira Medidata, que decidiu fazer parte de uma subsidiária do Grupo Amper, a Amper Medidata, com foco nos segmentos de governo e finanças (Tatiana Americano, Medidata passa a operar como integradora na Espanha, ITWeb, 2/12/2004). A empresa vai oferecer, para o mundo corporativo, tecnologia IP, mobilidade, armazenamento de dados e segurança de rede. Na área de redes, a gaúcha Ivirtua também procura crescer no mercado externo. A empresa em apenas três anos partiu para o exterior, chegando ao México, via Grupo Scanda, e a Portugal (Grupo Sonae), conforme conta Marco Ribeiro ( Ivirtua cresce e conquista clientes no México e Portugal, Gazeta Mercantil, 23/9/2004). A pequena empresa é uma das que mais cresce em gerenciamento de redes no Brasil, chegando a disputar o mercado com grandes multinacionais, como a IBM (Tívoli), Computer Associates, Unicenter e Microsoft (SMS). A Datasul também está ampliando sua participação no exterior com a abertura de uma franquia no Chile. As vendas externas alcançavam, em 2003, 2,5% do faturamento, de acordo com estimativas do IEES. Segundo Rosana Hessel ( Datasul dobra suas vendas no exterior e Datasul amplia presença no mercado internacional, notícias publicadas pela Gazeta Mercantil, em 26/1/2005) essa participação teria crescido para 5% em As fornecedoras de ERP também estão realizando inovações financeiras, como forma de obter recursos para a conquista do mercado por meio da aquisição de outras empresas. É o caso da RM Sistemas. De acordo com notícias veiculadas na mídia, 16 a RM pretende recorrer à Bovespa para realizar a operação de abertura de capital IPO (Initial Public Offering) no prazo de três anos. Dessa forma, a empresa quer captar recursos para adquirir outras empresas da mesma área de atuação ou de áreas complementares, como varejo, hotelaria e transportes. Na contramão, a Datasul recomprou a parte acionária que estava em mãos do fundo de capital de risco South América Private Equity, desde 1998 ( Datasul recompra participação de investidores, Computerworld, 9/8/2004). Os recursos aportados pelo fundo foram utilizados para viabilizar o modelo comercial de franquias, o que lhe permitiu mais do que triplicar o faturamento num período de seis anos. 16 Ana Carolina Saito. RM planeja abrir capital para projeto de expansão, Gazeta Mercantil, 16/12/2004; Rosana Hessel. RM Sistemas pretende comprar até 5 empresas, Gazeta Mercantil, 14/2/2005; e RM faz apresentação a investidores, IDG Now!, 23/11/2004.

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP Enterprise Resource Planning Implantação de Sistema ERP Jorge Moreira jmoreirajr@hotmail.com Conceito Os ERP s (Enterprise Resource Planning) são softwares que permitem a existência de um sistema de informação

Leia mais

Aplicações Integradas Empresariais ERP e CRM Simone Senger Souza

Aplicações Integradas Empresariais ERP e CRM Simone Senger Souza Aplicações Integradas Empresariais ERP e CRM Simone Senger Souza ICMC/USP 1 Visão Tradicional de Sistemas Dentro das empresas Há funções, e cada uma tem seus usos para os sistemas de informação. Além das

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Enterprise Resource Planning 1 Agenda Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Com o avanço da TI as empresas passaram a utilizar sistemas computacionais

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

Vantagens competitivas das parcerias estratégicas entre empresas brasileiras e as subsidiárias das empresas globais Eduard de Lange

Vantagens competitivas das parcerias estratégicas entre empresas brasileiras e as subsidiárias das empresas globais Eduard de Lange Vantagens competitivas das parcerias estratégicas entre empresas brasileiras e as subsidiárias das empresas globais Eduard de Lange 15 de Fevereiro 2006 1 A TIVIT nasce da fusão entre a modernidade e o

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP 2 ERP Planejamento dos Recursos da Empresa 3 CONCEITO DE

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL AO SEU ALCANCE

GESTÃO EMPRESARIAL AO SEU ALCANCE GESTÃO EMPRESARIAL AO SEU ALCANCE ERP: prioridade número 1 das empresas brasileiras A demanda é clara: os software de gestão empresarial, os ERPs (Enterprise Resources Planning) se mantêm como prioridade

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS 2009 Introdução Resumo Executivo Apesar das turbulências que marcaram o ano de 2008, com grandes variações nos indicadores econômicos internacionais,

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP José Manuel de Sacadura Rocha jsacadura@ultrarapida.com.br O que é um ERP? Um sistema integrado de gestão Integra vários módulos de SW especialistas É suportado

Leia mais

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível Crise? Como sua empresa lida com os desafios? Essa é a questão que está no ar em função das mudanças no cenário econômico mundial. A resposta a essa pergunta pode determinar quais serão as companhias mais

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Soluções em Tecnologia e Sistemas para Gestão de Negócios

Soluções em Tecnologia e Sistemas para Gestão de Negócios Soluções em Tecnologia e Sistemas para Gestão de Negócios Criamos informação e conhecimento, através de nossa suíte de soluções em Tecnologia e Sistemas para Gestão de Negócios, ajudando as pessoas a tomarem

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS.

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

Capítulo 2 E-Business global e colaboração

Capítulo 2 E-Business global e colaboração Objetivos de estudo Capítulo 2 E-Business global e colaboração Quais as principais características de um negócio que são relevantes para a compreensão do papel dos sistemas de informação? Como os sistemas

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Windows e Web Dynamics Comunicação e Produtividade Servidores Infraestrutura Empresarial Busca e Anúncios Mobilidade Entretenimento e TV Microsoft

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning. (Planejamento de Recursos Empresariais)

ERP Enterprise Resource Planning. (Planejamento de Recursos Empresariais) ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) ERP Os ERPs, em termos gerais, são plataformas de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa;

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes O que é ERP? ERP é a sigla de Enterprise Resourse Planning (Planejamento dos Recursos Empresariais). Trata-se de uma técnica moderna de gestão empresarial pela qual todas as informações de todas as áreas

Leia mais

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas Prof Valderi R. Q. Leithardt Objetivo Esta apresentação tem por objetivo mostrar tanto os benefícios como as dificuldades da implantação

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer n o 06245/2006/RJ COGAM/SEAE/MF Em 26 de junho de 2006. Referência: Ofício n 2128/2006/SDE/GAB de 9 de maio de 2006. Assunto: ATO DE

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Bancos Corretoras Seguradoras

Bancos Corretoras Seguradoras Bancos Corretoras Seguradoras A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Como garantir

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação Gestão da Tecnologia da Informação A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

onda Logistics powered by Quantum

onda Logistics powered by Quantum onda Logistics powered by Quantum Sonda IT Fundada no Chile em 1974, a Sonda é a maior companhia latino-americana de soluções e serviços de TI. Presente em 10 países, tais como Argentina, Brasil, Chile,

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

4. As novas tecnologias

4. As novas tecnologias 4. As novas tecnologias É evidente que estamos em uma nova fase do desenvolvimento humano, que deve ser chamada Era da Informação. Não porque nas eras anteriores a informação deixasse de desempenhar seu

Leia mais

Sul em ações 26 de novembro de 2008

Sul em ações 26 de novembro de 2008 Sul em ações 26 de novembro de 2008 A Bematech é bi-campeã do prêmio do IBGC de melhor governança Corporativa dentre as empresas listadas na Bovespa. Expansão do Varejo e Necessidade de Investimento em

Leia mais

Com a Informatica, a Vale potencializa as relações de parceria

Com a Informatica, a Vale potencializa as relações de parceria Caso de Sucesso Com a Informatica, a Vale potencializa as relações de parceria As inovações na forma como integramos e gerenciamos a relação com parceiros estão ajudando a reduzir o custo dos relacionamentos

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Varejo e-commerce A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Recursos Naturais A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Windows e Web Dynamics Comunicação e Produtividade Servidores Infraestrutura Empresarial Busca e Anúncios Mobilidade Entretenimento e TV PRODUTIVIDADE

Leia mais

Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads)

Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads) Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads) O ISF entrevistou 1.140 empresas entre os meses de dezembro de 2009 e fevereiro de 2010, com o objetivo

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

E R P. Enterprise Resource Planning. Sistema Integrado de Gestão

E R P. Enterprise Resource Planning. Sistema Integrado de Gestão E R P Enterprise Resource Planning Sistema Integrado de Gestão US$ MILHÕES O MERCADO BRASILEIRO 840 670 520 390 290 85 130 200 1995-2002 Fonte: IDC P O R Q U E E R P? Porque a única coisa constante é a

Leia mais

SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM. Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec

SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM. Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec Teoria geral do Sistemas O Sistema é um conjunto de partes interagentes e interdependentes

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN Sistemas ERP Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Definições Sistemas de informações que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema

Leia mais

A TCI BPO. Focada na customização e desenvolvimento de soluções específicas para apoiar e dar suporte à Indústrias, a TCI BPO faz uso do contingente:

A TCI BPO. Focada na customização e desenvolvimento de soluções específicas para apoiar e dar suporte à Indústrias, a TCI BPO faz uso do contingente: Serviços A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e práticas

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP Módulo MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. COMERCIAL ADMINISTRATIVA FINANCEIRA PEDIDOS EXPORTAÇÃO CONTAS A RECEBER TELEMARKETING

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO-SUL FUNDASUL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Contabilidade Gerencial PROFESSOR - PAULO NUNES

FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO-SUL FUNDASUL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Contabilidade Gerencial PROFESSOR - PAULO NUNES FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO-SUL FUNDASUL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Contabilidade Gerencial PROFESSOR - PAULO NUNES 1 1. Conceito e caracterização CONTABILIDADE GERENCIAL A Contabilidade

Leia mais

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement.

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement. Professor:José Alves Disciplina:SIG/ Atividade Nota Nome Aluno(a) Nºs Exercícios SIG 1) Defina, com suas palavras, o que é ERP? 2) Marque V para as afirmações verdadeiras em relação a um ERP e F para as

Leia mais

SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) PARADA OBRIGATÓRIA!!! SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) CONTEÚDO DA AULA

SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) PARADA OBRIGATÓRIA!!! SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) CONTEÚDO DA AULA PROF.ª MARCIA CRISTINA DOS REIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 14/08/2012 Aula 4 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) PARADA OBRIGATÓRIA!!! LEITURA DO LIVRO DO TURBAN, RAINER JR E POTTER Sistemas SPT p. 212

Leia mais

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Alan Fischler Área Industrial Depto das Industrias de TICs 11/04/2012 Brasília

Leia mais

Sistemas de Informação para Operação nas Empresas

Sistemas de Informação para Operação nas Empresas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS CATU Informação para Operação nas Empresas Profª Eneida Rios TIPOS DE

Leia mais

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Relatório de pesquisa Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Via Consulting Maio de 2009 1 Caro leitor, Gostaria de convidá-lo a conhecer o resultado de uma pesquisa patrocinada pela Via Consulting

Leia mais

SETOR: SOFTWARE PROJETO DE INVESTIMENTO PIM Nº 31 Desenvolvimento de software destinado à informatização da gestão pública.

SETOR: SOFTWARE PROJETO DE INVESTIMENTO PIM Nº 31 Desenvolvimento de software destinado à informatização da gestão pública. PROJETO DE INVESTIMENTO PIM Nº 31 Desenvolvimento de software destinado à informatização da gestão pública. Descrição da oportunidade de negócio Existe uma grande demanda de transformação tecnológica por

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício SDE/GAB Nº 6637, de 06 de outubro de 2008.

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício SDE/GAB Nº 6637, de 06 de outubro de 2008. MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer n o 06318/2009/RJ COGCE/SEAE/MF Referência: Ofício SDE/GAB Nº 6637, de 06 de outubro de 2008. Em 04 de junho de 2009. Assunto: ATO DE

Leia mais

SOFTWARE DE GESTÃO PARA BENS DURÁVEIS MANUFATURA LEVE, SUSTENTÁVEL E AUTOMATIZADA

SOFTWARE DE GESTÃO PARA BENS DURÁVEIS MANUFATURA LEVE, SUSTENTÁVEL E AUTOMATIZADA SOFTWARE DE GESTÃO PARA BENS DURÁVEIS MANUFATURA LEVE, SUSTENTÁVEL E AUTOMATIZADA HOJE FALAREMOS SOBRE 1. INTRODUÇÃO 2. COMO FUNCIONA: MACROPROCESSO E DETALHAMENTOS 3. OFERTAS PADRÃO TOTVS 4. FATOS 1.

Leia mais

A Itautec continuará direcionando esforços no lançamento de produtos inovadores, e no crescimento das operações no mercado externo.

A Itautec continuará direcionando esforços no lançamento de produtos inovadores, e no crescimento das operações no mercado externo. NEGÓCIOS : : Operações Internacionais : : Soluções e Automações : : Informática : : Serviços A Itautec continuará direcionando esforços no lançamento de produtos inovadores, e no crescimento das operações

Leia mais

Incorporação de Business Angels e Venture Capital como accionista:

Incorporação de Business Angels e Venture Capital como accionista: Dossier de Imprensa Quem Somos Quem Somos Agile Content é uma empresa de tecnologia com soluções para gerenciamento de vídeo e Big Data Audience Management com modelo de Software (SaaS), nas quais permitem

Leia mais

Transformando seu investimento ERP em resultados para seu negócio

Transformando seu investimento ERP em resultados para seu negócio 1 SUMÁRIO 1 2 3 4 2 Introdução A história do ERP O que um ERP fará pelo seu negócio? 1.1 - Otimização dos processos 1.2 - Gerenciamento completo 1.3 - Informações relevantes 1.4 - Controle Tributário ERP

Leia mais

CRM Customer Relationship Management

CRM Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management C R M : DEFINIÇÃO TEÓRICA NO PASSADO CONHECÍAMOS NOSSOS CLIENTES PELO NOME, ONDE VIVIAM, QUE TIPO DE PRODUTOS NECESSITAVAM, COMO SERIAM ENTREGUES, COMO QUERIAM PAGAR

Leia mais

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA Quem Somos: A GR Soluções Empresarias é uma empresa provedora de soluções corporativas e serviços personalizados em Advocacia, Contabilidade e Tecnologia da Informação, orientada pelos interesses das empresas

Leia mais

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País EMBRATEL CASE Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País O Portfólio de TI da Embratel a Serviço da Agroindústria A convergência de serviços de TI e telecom se consolida como fenômeno

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA Descrição da(s) atividade(s): Indicar qual software integrado de gestão e/ou ferramenta

Leia mais

Reunião Pública. Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas

Reunião Pública. Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas Reunião Pública Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas Receita Bruta (R$ Milhões) e Margem EBITDA (%) ¹ Visão Geral da Companhia - Trajetória História Fundação Fortalecimento DNA Liderança 1.557

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações.

Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações. Supply Chain Finance 2011 Supply Chain Finance 2011 3 Supply Chain Finance 2011 Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações. Autor: Vanessa

Leia mais

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de ERP Enterprise Resource Planning Pacote de ferramentas que integram toda a empresa, a grande vantagem é que os dados

Leia mais

Powering your business. Monica Herrero CEO Stefanini Brasil

Powering your business. Monica Herrero CEO Stefanini Brasil Powering your business Monica Herrero CEO Stefanini Brasil O Grupo Stefanini e Receitas 2010 1987 Fundação 1996 ISO 9001 Expansão Argentina 2004 a 2008 Expansão: Reino Unido, Canadá e Índia Crescimento

Leia mais

vgf Violin Gerenciador de Franquias

vgf Violin Gerenciador de Franquias vgf Violin Gerenciador de Franquias Violin Gerenciador de Franquias vgf Violin Gerenciador de Franquias Visão Geral Bem-vindo ao Violin Gerenciador de Franquias, uma poderosa aplicação vertical que dá

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Evolução da TI nas Organizações Estágios de Evolução da TI nas Organizações

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS ERP (Enterprise Resource Planning) Em sua essência, ERP é um sistema de gestão empresarial. Imagine que você tenha

Leia mais

Benner Jurídico. Soluções inovadoras em Governança Corporativa

Benner Jurídico. Soluções inovadoras em Governança Corporativa Benner Soluções inovadoras em Governança Corporativa Melhor do que prometer tudo para sua empresa é fazer toda a diferença. Nós fazemos! >> A BENNER 16 anos de história Mais de 3.500 sistemas implantados

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades Relatório de Atividades 2011 Nossa Missão A DEAK Sistemas desenvolve software, aplicativos, serviços e consultoria para gestão de empresas, agregando valor real ao negócio do cliente. São ferramentas completas

Leia mais