PROC. 02 CONTROLE DE DOCUMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROC. 02 CONTROLE DE DOCUMENTOS"

Transcrição

1 1 de 15 msgq CONTROLE DE DOCUMENTOS MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO CONTROLE DE DOCUMENTOS CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. OBJETIVO ABRANGÊNCIA DOCUMENTOS RELACIONADOS PROCEDIMENTOS ESTRUTURA GERAL PROCEDIMENTO OPERACIONAL ELABORAÇÃO, ANÁLISE CRÍTICA E APROVAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE DOCUMENTOS CONTROLE DE REVISÃO, OBSOLETOS E DE ACESSO DOCUMENTOS DE ORIGEM EXTERNA CONTROLE DE SOFTWARE TREINAMENTO EM DOCUMENTOS REGISTROS HISTÓRICO DO DOCUMENTO ANEXOS LISTA MESTRA DE DOCUMENTOS EXTERNOS CONTROLE DE SOFTWARE Elaboração Análise Crítica e Aprovação Distribuição CONSUELO LIMA ASSESSORIA DE PROCESSOS ANTONIO CARLOS BORGES DIRETORIA EXECUTIVA BIBLIOTECA LINK E INTRANET 1

2 2 de OBJETIVO Definir a sistemática para codificação, elaboração, análise crítica, aprovação, revisão e distribuição dos documentos do SGQ Sistema de Gestão da Qualidade. 2. ABRANGÊNCIA Toda a estrutura da FecomercioSP 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS PROC. 01 Alteração em Processos PROC. 03 Controle de Registros PES. 01 Treinamento e Integração DOC. 01 Controle de Legislação e outros Requisitos 4. PROCEDIMENTOS 4.1 Estrutura Geral Um documento da qualidade deve ser entendido como um conjunto de orientações necessárias e relevantes para a realização de atividades que integram um ou mais processos do SGQ. Nesse contexto, a necessidade e relevância do documento deve ser avaliado à luz do seu impacto no SGQ, ou seja, caso a sua ausência possa 2

3 3 de 15 prejudicar o desempenho de um ou mais processos, com considerável probabilidade, então este documento é necessário. Outros documentos, entretanto, podem ser necessários ou mesmo obrigatórios face ao modelo normativo adotado para o SGQ (ISO 9001). Os tipos e definições dos documentos que integram o SGQ constam na tabela 1 a seguir. Tipo de Documento Definição Identificação Estrutura Política da Qualidade Declara as intenções e diretrizes da FecomercioSP com relação aos seus clientes, à qualidade de seus produtos e serviços e ao seu Sistema de Gestão da Qualidade. Por meio do nome ou título no documento. Para o texto da Política da Qualidade afixado em locais estratégicos da FecomercioSP, deve-se descrever a data e revisão da mesma no seu rodapé ou outro local apropriado. Outros meios de simples divulgação não exigem este controle. Manual do Sistema de Gestão da Qualidade Descreve de forma geral os elementos do SGQ e referencia os principais documentos relacionados. MSGQ Deve possuir cabeçalho e rodapé idêntico a este procedimento Controle de Documentos. Observar que o cabeçalho deve ser identificado como "Manual do Sistema de Gestão da Qualidade". Procedimento Operacional Descreve os elementos e controles relacionados a um ou mais processos específicos. XXX-YY onde: XXX - YY - representa as letras iniciais da principal área responsável pelo processo (vide MSGQ). representa um número sequencial dentro de uma mesma área, a partir de 01, para o processo em questão. Deve possuir cabeçalho e rodapé idêntico a este procedimento Controle de Documentos e os seguintes itens: 1. Objetivo 2. Abrangência 3. Documentos relacionados 4. Procedimentos 5. Registros 6. Histórico do documento Anexos, se pertinentes, devem ser inseridos ou referenciados no documento. Documentos internos Documentos diversos como listas, tabelas, planilhas e outros que fornecem informações, dados e elementos diversos para que os processos e atividades descritas nos Procedimentos Operacionais possam ser realizados e alcancem os resultados planejados. Por meio do nome ou título no documento. Deve possuir cabeçalho e rodapé idêntico a este procedimento Controle de Documentos. Observar que o cabeçalho deve ser identificado com o nome do documento. Alternativamente, pode-se descrever estas mesmas informações em outros locais do documento. Excetua-se a codificação e paginação, não aplicável neste caso. Estes requisitos valem apenas para documentos e não para formulários que, uma vez 3

4 4 de 15 Alguns documentos internos poderão constar na tabela de registros desde que sejam considerados extremamente importantes para o processo relacionado a ponto de necessitarem de um controle específico, semelhante ao de um registro, que facilite sua localização e acesso rápido. preenchidos, tornam-se registros. Para documentos internos que por ventura necessitarem de divulgação externa para qualquer um dos clientes da FecomercioSP sugere-se manter somente as informações nº versão/data e elaboração. O envio desses documentos deve ser feito pela(s) unidade(s) competente(s) da Administração* Resoluções, Portarias, Estatuto, CCT, Acordos, Dissídios etc Documentos diversos com características legal elaborados internamente e que norteiam ou limitam a condução de ações dos processos e atividades descritas nos procedimentos operacionais, para que os mesmos tenham respaldo técnico e jurídico no alcance dos seus resultados esperados Por meio do nome ou título no documento. Tabela 1 Tipos e definições de documentos Não precisa possuir cabeçalho e rodapé idêntico a este procedimento Controle de Documentos, porém, deve ser, no mínimo, identificado com o nome e data do documento e possuir paginação. * Documentos internos controlados que precisarem de divulgação externa a qualquer um dos clientes da FecomercioSP (Sindicatos, empresas que utilizam o serviço de enquadramento sindical e as empresas que pertencem à base inorganizada, ou seja, que não possuem Sindicato que a represente legalmente) e que influenciam diretamente o SGQ podem ser emitidos por qualquer área, seguindo as orientações apresentadas na tabela 1, porém o seu envio e controle de recebimento deve ser feito somente pela Secretaria Geral através do procedimento operacional SEC.02 Ofícios e Textos Edição e Formatação que assegura a atualização dos documentos enviados. Os processos e procedimentos operacionais estão definidos e codificados no Manual do Sistema de Gestão da Qualidade (MSGQ) Procedimento Operacional Ao elaborar um procedimento operacional, os itens constantes na estrutura deste tipo de documento, devem apresentar as seguintes características: 4

5 5 de 15 Objetivo: definir o objetivo principal do procedimento operacional; Abrangência: estabelecer a área de aplicabilidade do conteúdo do procedimento operacional, ou seja, identificação da(s) área(s) que deve(m) ter conhecimento do procedimento operacional em questão; Documentos relacionados: citar os principais documentos internos e/ou externos que foram utilizados como referência para a elaboração do procedimento operacional em questão ou que o complementam com informações relevantes, mencionando o código e o título do mesmo; Procedimentos: descrever todas as atividades executadas no procedimento operacional, respeitando a ordem cronológica em que acontecem bem como especificando os responsáveis por sua execução. Registros: descrever por meio de uma tabela, que contenha os parâmetros descritos no procedimento PROC Controle de Registros, os cuidados para as tratativas a serem aplicadas nos registros gerados pelo procedimento. Histórico do documento: inserir ao final de cada procedimento operacional informações sobre a natureza de possíveis alterações no documento, conforme modelo apresentado na tabela 2 abaixo. Versão Data Comentários Numeração seqüencial, com início em 1.0 Data da revisão Resumo da alteração feita no procedimento operacional. Tabela 2 Histórico do Documento Como demonstrado no modelo, se faz necessário inserir o resumo de cada revisão feita no procedimento operacional, atribuindo uma nova numeração a partir de 1.0 e devem ser mantidas, no mínimo as três (03) últimas revisões realizadas no procedimento operacional. Anexos (se pertinente): inserir todos os anexos existentes, tais como formulários, fluxogramas, diagramas, termos etc. O cabeçalho e rodapé devem ser idênticos a este procedimento Controle de Documentos. Os fluxogramas considerados como mecanismo de representação gráfica dos procedimentos operacionais devem ser elaborados apenas para os processos direcionadores e os de apoio pertencentes ao macroprocesso administrativo. 5

6 6 de 15 Ao seguir as orientações apresentadas neste procedimento operacional, tem-se a geração de registros ou outras evidências correlatas. Neste caso, formulários preenchidos, atas de reunião, s, relatórios e outros similares podem constituir registros da qualidade e estão submetidos ao procedimento PROC. 03 Controle de Registros Elaboração, análise crítica e aprovação e distribuição de documentos Os responsáveis pela elaboração, análise crítica e aprovação dos documentos descritos na tabela 1 estão descritos na tabela 3 a seguir. Tipo de Documento Elaboração Análise crítica e aprovação Distribuição Comentários Política da Qualidade Alta Direção, com o apoio da Assessoria de Processos Alta Direção Intranet, Biblioteca Link e divulgação em locais estratégicos da estrutura física da FecomercioSP Deve ser disponibilizada em PDF. O rodapé do MSGQ evidencia a respectiva elaboração, análise crítica e aprovação da Política da Qualidade, bem com os responsáveis por estas atividades. Manual do Sistema de Gestão da Qualidade Assessoria de Processos Alta Direção Intranet e Biblioteca Link. Deve ser disponibilizado em arquivo PDF. O rodapé deste documento evidencia a respectiva elaboração, análise crítica e aprovação, bem com os responsáveis por estas atividades. Procedimentos Operacionais Interface ou colaborador da principal área responsável pelo processo ao qual aplica-se o procedimento, ou colaborador da Assessoria de Processos. No segundo caso, a Assessoria de Processos deve contar com o apoio dos responsáveis envolvidos, conforme a Assessoria de Processos ou Diretoria Executiva, conforme análise da Assessoria e evidenciado no rodapé dos documentos. Intranet e Biblioteca Link. Devem ser disponibilizados em arquivo PDF. O rodapé destes documentos evidencia a respectiva elaboração, análise crítica e aprovação, bem com os responsáveis por estas atividades. 6

7 7 de 15 necessidade. Documentos internos Interface da principal área responsável pelo processo ao qual se aplica o documento, ou colaborador designado, conforme evidenciado no rodapé ou legenda equivalente dos documentos. Interface da principal área responsável pelo processo ao qual se aplica o documento, ou colaborador designado, conforme evidenciado no rodapé ou legenda equivalente dos documentos. Intranet, Biblioteca Link, diretório específico da área responsável pela elaboração do documento e/ou impressos, sendo esta última opção a critério da própria interface, somente para os casos de reuniões, apresentações, treinamentos e outras ações pontuais. Devem ser disponibilizados, preferencialmente, em arquivo PDF. Excetua-se da regra os documentos internos caracterizados como confidenciais. Neste caso, os mesmos devem possuir acesso restrito em diretório específico da área responsável por sua elaboração. Outros documentos podem incluir desenhos, listas, tabelas, planilhas e outros. Resoluções, Portarias, Estatuto, CCT, Acordos, Dissídios etc Interface da principal área responsável pelo processo ao qual se aplica o documento ou colaborador designado ou ainda membros que compõem a Diretoria da FecomercioSP. Documento é assinado pela Presidência ou Diretoria Executiva e demais cargos com a devida procuração correspondente. Toda aprovação desse tipo de documento deve constar em ata de reunião relacionada. Biblioteca Link, site Fecomercio, Programa Relaciona, diretório específico da área, arquivo central da Administração e/ou impressos, sendo esta última opção a critério da própria interface de área, somente para os casos de reuniões, apresentações, treinamentos e outras ações pontuais. Esse tipo de documento deve ser distribuído apenas com a devida assinatura do responsável pela aprovação e análise crítica. 7

8 8 de 15 Devem ser disponibilizados, em meio eletrônico, em arquivo PDF. Tabela 3 - Elaboração, análise crítica e aprovação de documentos 4.2 Controle de revisão, obsoletos e de acesso Os documentos elaborados são mantidos em meio eletrônico e protegidos com controle de acesso exclusivo, através de senha ou outro mecanismo que impeça eventuais alterações e até mesmo visualização de informações confidenciais. Este tipo de controle de acesso é definido pelos responsáveis pela sua análise crítica e aprovação que devem organizá-los e disponibilizá-los aos envolvidos em meio eletrônico, via diretório específico, Biblioteca Link (software de gestão de documentos) e/ou Intranet. Aplica-se este mecanismo em meio eletrônico somente para documentos internos, com exceção da atualização na intranet. A disponibilização através de meio físico deve ser analisada também pelos responsáveis, de acordo com a conveniência e necessidade do ato. Neste caso, cópias impressas devem ser providenciadas e distribuídas pelo responsável, colaborador designado ou usuário. Os documentos impressos são apenas para consultas pontuais, treinamentos, reuniões, auditorias etc, e, devem ser descartados ou identificados como cópia não controlada, cópia para consulta ou semelhante, se armazenados. A necessidade de guarda de documentos obsoletos deve ser definida pelos responsáveis envolvidos na análise crítica e aprovações dos mesmos. Caso o documento seja mantido em meio eletrônico deve ser identificado de modo a deixar claro que se trata de um documento obsoleto. Pode-se, por exemplo, criar um diretório de documentos obsoletos, com acesso controlado. Documentos obsoletos mantidos em meio físico devem ser identificados por meio de carimbo ou outra forma similar de identificação. Estes documentos devem ser armazenados em pastas ou arquivos segregados de modo a prevenir sua utilização inadvertida. 8

9 9 de 15 Os responsáveis pela elaboração, análise crítica e aprovação dos documentos descritos na tabela 3 devem realizar a revisão dos documentos sempre que julgar necessário. Os usuários e outros envolvidos devem procurar por esses responsáveis de modo a definir ou mesmo sugerir eventuais alterações em função de mudanças no Sistema de Gestão da Qualidade, oportunidade de melhoria, ações preventivas, ações corretivas ou outros fatores relevantes. A identificação das alterações realizadas em documentos revisados deve ser evidenciada por meio de marcação específica no documento ou manutenção de versão anterior, conforme a tabela 4 a seguir. Esta sistemática deve ser aplicada de modo a identificar as alterações da versão imediatamente anterior para a versão atual. Caso o documento seja novo ou passe por uma revisão completa, esta marcação torna-se ineficaz. Neste caso, texto específico no documento deve identificar esta situação. Tipo de Documento Identificação das alterações em documentos Política da Qualidade Manual do Sistema de Gestão da Qualidade Procedimentos Operacionais Documentos internos Resoluções, Portarias, Estatuto, CCT, Acordos, Dissídios etc Tabela 4 Identificação das alterações em documentos Deve-se manter a revisão obsoleta da Política da Qualidade identificada conforme meios definidos neste item 4.2 Ao longo do texto deve-se destacar as alterações realizadas por meio da aplicação de letras itálicas. Deve-se trabalhar com o tópico Histórico do Documento, conforme tabela 2 apresentada no item Esses documentos devem identificar a alteração recebida pelo meio mais conveniente, a ser definido pelo responsável pela análise crítica e aprovação, quando pertinente, ou pela sua elaboração. Esses documentos devem identificar a alteração recebida pelo meio mais conveniente, a ser definido pelo responsável pela análise crítica e aprovação, ou pela sua elaboração, quando pertinente. Alternativamente pode-se manter a última versão obsoleta do documento. 4.3 Documentos de Origem Externa 9

10 10 de 15 Normas, manuais, legislações e outros documentos de origem externa, cuja utilização seja relevante para o Sistema de Gestão da Qualidade, devem possuir o respectivo controle de modo que sejam sempre disponibilizados na sua versão atualizada para os envolvidos. Esses documentos devem constar na Lista Mestra de Documentos Externos, mantida e atualizada em diretório específico pela área de Documentação Técnica, somente quando se tratar de documentos legais, conforme procedimento operacional DOC. 01 Controle de Legislação e outros Requisitos, e pelas interfaces, ou alguém designado por ela, das principais áreas envolvidas no procedimento operacional, quando se tratar de normas, manuais e outros documentos de conteúdo mais específico da área. Neste caso, cada área pertencente à estrutura da FecomercioSP terá, individualmente, sua lista mestra de documentos de origem externa, de acordo com a planilha descrita no anexo 1. É de responsabilidade da interface verificar periodicamente se há a necessidade de atualiza-la. 4.4 Controle de Software Um software, cujo resultado impacta um ou mais processos do Sistema de Gestão da Qualidade, deve possuir o respectivo controle de modo a assegurar, principalmente, que ele cumpra com suas especificações e que as operações realizadas por ele atendam aos resultados esperados de seus usuários. Todo software deve ter um escopo bem definido e compreendido por todas as partes envolvidas no seu desenvolvimento (usuários e desenvolvedores internos ou externos). A identificação do escopo de um software ocorre através da realização de uma ou mais reuniões com todos os envolvidos, usuários e desenvolvedores (internos ou externos), para o mapeamento das necessidades, gerando-se em cada reunião um documento único, datado e versionado. O referido documento deve ser disponibilizado aos usuários para possíveis solicitações de ajustes/adequações as quais podem ser feitas por à interface da área de Tecnologia da Informação ou diretamente aos desenvolvedores desde que a referida interface tenha ciência das solicitações realizadas. Com base na consolidação de todos os apontamentos, deve-se esclarecer possíveis dúvidas com os usuários. Havendo a necessidade, novas reuniões devem ser agendadas entre usuários e desenvolvedores até que haja 10

11 11 de 15 o completo entendimento do escopo por todas as partes envolvidas. A cada alteração, o documento do escopo deve ser atualizado e disponibilizado a todos os envolvidos. A aprovação final feita pelos usuários deve ser registrada pela interface da área de Tecnologia da Informação em diretório específico e de acesso, apenas para visualização, a todos os envolvidos internos. A etapa de validação do software deve ser realizada através de reunião para apresentação do respectivo protótipo e posterior liberação de acesso aos usuários, os quais terão a responsabilidade de interagir com o mesmo, por prazo previamente definido pelos desenvolvedores, e identificar anomalias e defeitos e, apontar os ajustes e adequações necessárias. Havendo a necessidade de alterações, os usuários devem repassá-las à interface da área de Tecnologia da Informação ou diretamente aos desenvolvedores, com cópia para a interface de TI. Os desenvolvedores atualizarão o documento do escopo, versionando-o e inserindo a data da atualização. Recebido o documento atualizado, o mesmo deve ser arquivado pela interface da área de Tecnologia da Informação em diretório específico para acesso dos envolvidos. Se, por ventura, houver a necessidade de um alinhamento entre as partes (usuários e desenvolvedores) para melhor entendimento das adequações, o mesmo será realizado através de uma ou mais reuniões organizadas pelos próprios desenvolvedores ou pela interface, atualizando-se, ao final de cada uma delas, o documento que contempla todo o escopo do software em questão. Feito os ajustes, a fase de validação se reiniciará até que o software seja definitivamente aprovado pelos usuários, sem necessidade de alteração. A partir do software validado, toda e qualquer mudança será considerada como uma melhoria a ser implementada e deve ter o seu impacto no processo avaliado pela área de Assessoria de Processos considerando-se o procedimento operacional PROC. 01 Alteração em Processos, salvo quando se tratar apenas de simples correções. Feito isso, deve-se seguir os mesmos passos iniciais abordados neste item. Todo software desenvolvido ou adquirido pode ou não possuir o seu respectivo manual de utilização, o que vai depender da necessidade, podendo este ser desenvolvido por colaboradores internos ou por empresa contratada. Somente após a finalização do desenvolvimento e implementação do software é que o responsável pelo desenvolvimento ou mesmo aquisição do software em questão deve providenciar seu controle conforme planilha descrita no anexo 2. 11

12 12 de Treinamento em documentos Todo colaborador da FecomercioSP deve conhecer e praticar aqueles documentos inerentes às suas atribuições. Desta forma, a interface responsável por este colaborador, ou quem aprova o documento, deve disseminá-lo na FecomercioSP. Em função de eventual complexidade do documento, treinamentos presenciais podem ser necessários para a sua disseminação. Neste caso, tal treinamento deve ser conduzido conforme o procedimento operacional PES. 01 Treinamento e Integração. Caso contrário, outros meios de disseminação como simples leitura pelos usuários, reuniões rápidas e semelhantes podem ser utilizados sem, necessariamente, implicar a geração de um registro desta ação. 5. REGISTROS Identificação Armazenamento Proteção Recuperação Tempo de Retenção Cópia de Segurança Descarte Escopo do Sistema (software) Pasta e Diretório Específico da área de TI Acesso restrito por meio de permissão de acesso na rede Nome do Sistema Indeterminado Sim Quando houver substituição de sistemas Proposta(s) de Alteração (software) Pasta e Diretório Específico da área de TI Acesso restrito por meio de permissão de acesso na rede Nome do Sistema Indeterminado Sim Quando houver substituição de sistemas Proposta de Validação (software) Pasta e Diretório Específico da área de TI Acesso restrito por meio de permissão de acesso na rede Nome do Sistema Indeterminado Sim Quando houver substituição de sistemas 12

13 13 de HISTÓRICO DO DOCUMENTO Versão Data Comentários /09/2013 Edição Inicial /11/ /11/ /11/ Tabela 1: Adequação da nomenclatura do item 4, linha Procedimentos Operacionais, coluna Estrutura e melhoria na definição de documento interno; 2. Tabela 3: Acrescentados novos meios de distribuição de documentos internos, inserção das palavras em meio eletrônico na coluna Distribuição e de informações na coluna Comentários da linha sobre as Resoluções, Portarias etc; 3. Tópico 4.2: Inserção da frase ou outra forma similar de identificação e, 4. Alteração da regra para exigência dos fluxogramas, como parte integrante da documentação dos processos. 1. Ajustes na definição da coluna da lista mestra denominada Data da Revisão da Norma/Dispositivo, anexo Sem alterações. Revisão realizada em função da validade do documento. 7. ANEXOS 13

14 14 de Lista Mestra de Documentos Externos Lista Mestra de Documentos Externos Inserir Logo da área Nº Versão/Data: Documento Data da revisão da norma/dispositivo Responsável pela atualização Procedimento Operacional Forma de atualização Distribuição Legenda: Documento: nome, código ou outra identificação do documento em questão. Data da revisão da norma/dispositivo: revisão e/ou data da última atualização do documento na lista mestra. Responsável pela atualização: função responsável por manter o documento atualizado na FecomercioSP. Procedimento Operacional: nome do procedimento operacional a qual o documento influencia e está direta ou indiretamente ligado. Forma de atualização: meio para determinar se a atualização do documento é necessária e forma de atualização. Distribuição: processos/áreas que devem receber cópia do documento ou cujo acesso deva ser disponibilizado. 14

15 15 de Controle de Software Controle de Software Software Procedimento Operacional Versão e/ou data Acesso Proteção Manual (Incluir versão) Comentários Legenda: Software: nome, código ou outra identificação do software em questão. Procedimento Operacional: nome do procedimento operacional a qual o software influencia e está direta ou indiretamente ligado. Versão e/ou data: versão e/ou data do software de modo a caracterizar seu estado revisional. Acesso: funções que possuem acesso ao software na FecomercioSP. Proteção: necessidade ou não de senha de acesso ou outra proteção equivalente ou complementar. Comentários: quaisquer informações complementares necessárias para controle do software. 15

PROC. 07 AUDITORIA INTERNA

PROC. 07 AUDITORIA INTERNA 1 de 12 AUDITORIA INTERNA MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO AUDITORIA INTERNA AUDITORIA INTERNA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 PLANEJAMENTO

Leia mais

PROC. 03 CONTROLE DE REGISTROS

PROC. 03 CONTROLE DE REGISTROS 1 de 6 CONTROLE DE REGISTROS MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO CONTROLE DE REGISTROS CONTROLE DE REGISTROS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

SA. 02 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO

SA. 02 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO 1 de 17 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO GERENCIAMENTO DE CADASTRO 1 OBJETIVO... 2 2 ABRANGÊNCIA... 2 3 DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4 PROCEDIMENTOS...

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS PO. 01 11 1 / 11 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

PES. 01 TREINAMENTO E INTEGRAÇÃO

PES. 01 TREINAMENTO E INTEGRAÇÃO 1 de 21 6 TREINAMENTO E INTEGRAÇÃO MACROPROCESSO GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO TREINAMENTO E INTEGRAÇÃO TREINAMENTO E INTEGRAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

TI. 01 BACK UP MACROPROCESSO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROCESSO BACK UP

TI. 01 BACK UP MACROPROCESSO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROCESSO BACK UP 1 de 7 BACK UP MACROPROCESSO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROCESSO BACK UP BACK UP 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 5. REGISTROS... 6 6. HISTÓRICO

Leia mais

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado CONTROLE DE DOCUMENTOS DO SGQ

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado CONTROLE DE DOCUMENTOS DO SGQ 1 de 6 1 OBJETIVOS Garantir a padronização e definir diretrizes para elaboração, controle e estabelecer regras para formatação, verificação, aprovação, distribuição, revisão, guarda, cancelamento e descarte

Leia mais

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL INPI, no exercício das suas atribuições,

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL INPI, no exercício das suas atribuições, Resolução PR nº 03/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 18/03/2013 R E S O L U Ç Ã O Nº 03/2013

Leia mais

PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008

PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008 1 - OBJETIVO PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008 Este retrata a forma que deve ser conduzida a gestão dos s da entidade desde a sua concepção até o seu acompanhamento e melhoria. 2 - AUTORIDADE

Leia mais

SEC. 02 OFÍCIOS E TEXTOS

SEC. 02 OFÍCIOS E TEXTOS 1 de 23 OFÍCIOS E TEXTOS MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO OFÍCIOS E TEXTOS OFÍCIOS E TEXTOS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO

Leia mais

SGQ Sistema de Gestão da Qualidade TIVOLITUR.

SGQ Sistema de Gestão da Qualidade TIVOLITUR. PÁGINA: 1 de 6 1.0 OBJETIVO: Controlar a documentação aplicável ao SGQ TIVOLITUR, a fim de garantir a padronização dos requisitos internos relacionados aos processos estratégicos, táticos e operacionais

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.010 Denominação: Controle de Documentos do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento define a sistemática e os critérios para a elaboração, revisão, aprovação

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: 1.0 01/10/2014 OUTUBRO/2015 FIN. 07 - BORDERÔS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR

Nº Versão/Data: Validade: 1.0 01/10/2014 OUTUBRO/2015 FIN. 07 - BORDERÔS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR 1 de 7 msgq - BORDERÔS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR BORDERÔS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO DO SERVIÇO E SUA

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: 1.0 01/10/2014 OUTUBRO/2014 SA. 04 - MOTOBOY MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MOTOBOY

Nº Versão/Data: Validade: 1.0 01/10/2014 OUTUBRO/2014 SA. 04 - MOTOBOY MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MOTOBOY 1 de 10 msgq - MOTOBOY MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MOTOBOY - MOTOBOY 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO DO SERVIÇO E SUA

Leia mais

FAC. 01 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA

FAC. 01 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA 1 de 26 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA MACROPROCESSO INFRAESTRUTURA PROCESSO MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4.

Leia mais

ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS

ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS SUMÁRIO 1. Objetivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documentos Complementares... 2 4. Definições/Siglas... 2 5. Descrição dos Procedimentos... 3 5.1 Identificação da Necessidade... 3 5.1.1 Estrutura da Documentação

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: 2.0 22/10/2014 OUTUBRO/2015 SA. 05 EXPEDIÇÃO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO EXPEDIÇÃO

Nº Versão/Data: Validade: 2.0 22/10/2014 OUTUBRO/2015 SA. 05 EXPEDIÇÃO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO EXPEDIÇÃO 1 de 10 EXPEDIÇÃO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO EXPEDIÇÃO EXPEDIÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO DO SERVIÇO E SUA ABRANGÊNCIA...

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: 3.0 01/10/2014 OUTUBRO/2015 JUR. 02 - FILIAÇÃO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO FILIAÇÃO

Nº Versão/Data: Validade: 3.0 01/10/2014 OUTUBRO/2015 JUR. 02 - FILIAÇÃO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO FILIAÇÃO 1 de 16 FILIAÇÃO MACROPROCEO ADMINITRATIVO PROCEO FILIAÇÃO - FILIAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTO RELACIONADO... 2 4. PROCEDIMENTO... 2 4.1. DEFINIÇÃO DO ERVIÇO E UA ABRANGÊNCIA...

Leia mais

Processo Controle de Documentos e Registros

Processo Controle de Documentos e Registros Dono do Processo Marilusa Lara Bernardes Bittencourt Aprovado por Comitê da Qualidade Analisado criticamente por Representante da Direção Substituto: Kelly Vitoriny 1. OBJETIVOS: Descrever a forma como

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

PP001/00 ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS

PP001/00 ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS SUMÁRIO 1. Objetivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documentos Complementares... 2 4. Definições/Siglas... 2 5. Descrição dos Procedimentos... 2 5.1 Identificação da Necessidade... 3 5.1.1 Estrutura da Documentação

Leia mais

msgq FIN. 06 - DISPONIBILIDADE BANCÁRIA

msgq FIN. 06 - DISPONIBILIDADE BANCÁRIA 1 de 5 msgq - DISPONIBILIDADE BANCÁRIA MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR DISPONIBILIDADE BANCÁRIA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

PLANO BÁSICO AMBIENTAL

PLANO BÁSICO AMBIENTAL ESTALEIRO ENSEADA 1/9 PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. Objetivo Este procedimento define o processo de elaboração, revisão, aprovação, divulgação e controle de documentos do Estaleiro Enseada

Leia mais

COM. 02 - PUBLICAÇÕES

COM. 02 - PUBLICAÇÕES 1 de 9 PUBLICAÇÕES MACROPROCESSO MARKETING E PROCESSO PUBLICAÇÕES - PUBLICAÇÕES 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO DO SERVIÇO E SUA

Leia mais

JUR. 01 ENQUADRAMENTO SINDICAL

JUR. 01 ENQUADRAMENTO SINDICAL 1 de 13 ENQUADRAMENTO SINDICAL MACROPROCESSO REPRESENTAÇÃO PROCESSO ENQUADRAMENTO SINDICAL ENQUADRAMENTO SINDICAL 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

1 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Química Laboratório de Eletroquímica de Superfícies e Corrosão

1 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Química Laboratório de Eletroquímica de Superfícies e Corrosão 1 Universidade Federal do Paraná 1. OBJETIVO PQ-001 Pág. 1 de 8 Estabelecer diretrizes para elaboração e controle de documentos e dados do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) do Laboratório de Eletroquímica

Leia mais

DOC. 01 CONTROLE DE LEGISLAÇÃO E OUTROS REQUISITOS

DOC. 01 CONTROLE DE LEGISLAÇÃO E OUTROS REQUISITOS 1 de 17 CONTROLE DE LEGISLAÇÃO E OUTROS REQUISITOS MACROPROCESSO ASSESSORIA TÉCNICA PROCESSO CONTROLE DE LEGISLAÇÃO E OUTROS REQUISITOS CONTROLE DE LEGISLAÇÃO E OUTROS REQUISITOS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 16/04/2007 Emissão inicial

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 16/04/2007 Emissão inicial HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 16/04/2007 Emissão inicial Elaborado: 16/04/2007 Superintendente e ou Gerente da unidade Análise Crítica e aprovação : 16/04/2007 Representante

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Realizar o gerenciamento dos projetos desde o seu planejamento, desenvolvimento, recebimento, análise crítica, controle e distribuição nas obras. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Manual

Leia mais

FIN. 08 - ADIANTAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS

FIN. 08 - ADIANTAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS 1 de 12 msgq - ADIANTAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR - ADIANTAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS...

Leia mais

PSQ 290.0300 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

PSQ 290.0300 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ - (4.2.3 - Controle de Documentos) (820.40 Document Control) APROVAÇÃO MARCOS FERNANDES NUNES Gerente da QA/RA Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO GISELA CRISTINA LUÇOLLI NASS Assistente Administrativo APARECIDA

Leia mais

JUR. 04 GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO

JUR. 04 GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO 1 de 15 GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO MACROPROCESSO ASSESSORIA TÉCNICA PROCESSO GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE CONTROLE DE REGISTROS

OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE CONTROLE DE REGISTROS Aprovado ' Elaborado por Daniel Trindade/BRA/VERITAS em 05/02/2013 Verificado por Cintia Kikuchi em 05/02/2013 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 14/02/2013 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

POP 009: AUDITORIA DE CREDENCIAMENTO E DE EXTENSÃO DE ESCOPO DE LABORATÓRIOS

POP 009: AUDITORIA DE CREDENCIAMENTO E DE EXTENSÃO DE ESCOPO DE LABORATÓRIOS Página 1 de 9 POP 009: AUDITORIA DE CREDENCIAMENTO E DE EXTENSÃO DE ESCOPO DE LABORATÓRIOS ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO Nome Data Assinatura 29/01/2014 Revisado por: Fernanda G. Brandão 26/03/2014 28/03/2014

Leia mais

FIN. 03 - ARRECADAÇÃO MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO ARRECADAÇÃO

FIN. 03 - ARRECADAÇÃO MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO ARRECADAÇÃO 1 de 25 msgq FIN. 03 - ARRECADAÇÃO MACROPROCESSO PROCESSO ARRECADAÇÃO FIN. 03 - ARRECADAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1. DEFINIÇÃO DO

Leia mais

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DE GESTÃO INTEGRADO

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DE GESTÃO INTEGRADO 1. OBJETIVO Estabelecer, documentar, implementar, aprimorar e manter um Sistema de Gestão da Qualidade e de Energia, que assegure a conformidade com os requisitos da norma de referência. Outrossim, a responsabilidade

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

14º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental

14º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS A submissão de trabalhos ao 14º Congresso Brasileiro de Geologia será totalmente online, não mais sendo necessário o envio de cópias impressas. Porém, para

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS À IMPARCIALIDADE E MECANISMO PARA SALVAGUARDAR A IMPARCIALIDADE GLOBAL PROCEDIMENTO OI-L3-703-SAM-(BR)-IND-9264 Revisão: 00 Data de

Leia mais

Manual da Qualidade. Figura 1: Organograma da SInfo e Escopo de Certificação

Manual da Qualidade. Figura 1: Organograma da SInfo e Escopo de Certificação Criado por Aprovado por Analisado criticamente por Wilker Bueno de Freitas Rosa Luiz Mauro de Pádua Silveira Comitê da Qualidade 1 - SGQ- Sinfo A Superintendência de Informática Inserida dentro do quadro

Leia mais

PROCESSO AUDITORIA INTERNA

PROCESSO AUDITORIA INTERNA Dono do Processo Marilusa L B Bittencourt Aprovado por Comitê da Qualidade Analisado criticamente por Representante da Direção Substituto: Lucila Borges de Sant'Anna 1 OBJETIVOS Avaliar periodicamente,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Data Rev: MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Manual da Qualidade do Sistema de Gestão da Qualidade da Construtora Tardock Ltda. Folha: 2 de 19 I - ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO DESTE MANUAL Nome Data Assinatura

Leia mais

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE 1. OBJETIVO Estabelecer, documentar, implementar, aprimorar e manter um, que assegure a conformidade com os requisitos da norma de referência. 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTRO 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS

Leia mais

CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PÁGINA: 1 de 20 CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 91:28 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Requisitos gerais. A TIVOLITUR estabelece, documenta, implementa e mantêm seu sistema de gestão da qualidade, visando

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL POLÍTICA ORGANIZACIONAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE NA DR TECH Data 01/03/2010 Responsável Doc ID Danielle Noronha PoliticaOrg_DR_V003 \\Naja\D\Gerenciamento\Política Localização Organizacional Versão

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

POP 010: MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS DA REDE NACIONAL DE LABORATÓRIOS AGROPECUÁRIOS

POP 010: MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS DA REDE NACIONAL DE LABORATÓRIOS AGROPECUÁRIOS Página 1 de 9 POP 010: MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS DA REDE NACIONAL DE LABORATÓRIOS AGROPECUÁRIOS ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO Nome Data Assinatura 27/01/2014 Revisado por: Rominik M. Fontenele 03/10/2014

Leia mais

Unidade: Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Nº: MANUAL DE PROCEDIMENTOS. TÍTULO: Modelar Processos 1/17

Unidade: Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Nº: MANUAL DE PROCEDIMENTOS. TÍTULO: Modelar Processos 1/17 1/17 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Para obter a acreditação o laboratório deve implementar um sistema de gestão da qualidade com especial atenção para os aspectos da

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade Revisão: 09 Folha: 1 de 20 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 2.1 PLANEJAMENTO E ESCOPO DO SISTEMA... 3 2.2 EXCLUSÕES... 5 2.3 CONSCIENTIZAÇÃO E COMUNICAÇÃO... 5 2.3.1

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

Codificar Sistemas Tecnológicos

Codificar Sistemas Tecnológicos Codificar Sistemas Tecnológicos Especificação dos Requisitos do Software Sistema de gestão para a Empresa Cliente SlimSys Autor: Equipe Codificar Belo Horizonte MG Especificação dos Requisitos do Software

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES NORMAS DE ENVIO DE TRABALHOS AO XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E XVII ENCONTRO NACIONAL DE PERFURADORES DE POÇOS São Luís - MA, 31 de agosto a 03 de setembro de 2010 DATAS E CONSIDERAÇÕES

Leia mais

PROCEDIMENTO ISO PSQ 001

PROCEDIMENTO ISO PSQ 001 Título: Controle de Documentos e Registros Folha: 1 de 7 1. OBJETIVO Garantir a construção documental do sistema de gestão da qualidade, num ambiente controlado e livre de documentos não oficiais. 2. CAMPO

Leia mais

Regulamento SIGA. Versão 1.0. Outubro, 2013. Página 1 de 16

Regulamento SIGA. Versão 1.0. Outubro, 2013. Página 1 de 16 Regulamento SIGA Versão 1.0 Outubro, 2013 Página 1 de 16 Sumário Objetivo deste Regulamento...3 Introdução...4 Definição...4 O que é documento para o SIGA...4 Numeração dos documentos no SIGA...4 Disposição

Leia mais

2 NBR ISO 10005:1997. 1 Objetivo. 3 Definições. 2 Referência normativa

2 NBR ISO 10005:1997. 1 Objetivo. 3 Definições. 2 Referência normativa 2 NBR ISO 10005:1997 1 Objetivo 1.1 Esta Norma fornece diretrizes para auxiliar os fornecedores na preparação, análise crítica, aprovação e revisão de planos da qualidade. Ela pode ser utilizada em duas

Leia mais

Procedimento Operacional

Procedimento Operacional 1/11 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão geral do documento 02 Adequação dos registros e padrões Adequação para o Sistema de Gestão Integrado, alteração do Item

Leia mais

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS NORMAS DE ENVIO DE RESUMOS EXPANDIDOS AO IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE SUBTERRÂNEO São Paulo - SP, 05 e 06 de outubro de 2015 REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS A submissão de resumos expandidos

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

M A N U A L D A Q U A L I D A D E

M A N U A L D A Q U A L I D A D E M A N U A L D A Q U A L I D A D E 14ª Versão Última atualização: MANUAL DA QUALIDADE - Rev. Data Elaborado por Descrição da alteração 01 10/06/2012 Hélio Lipiani Versão Inicial 02 20/07/2010 Hélio Lipiani

Leia mais

Elaborado por: 21/08/2006 Revisado por: 21/08/2006 Aprovado por: 21/08/2006

Elaborado por: 21/08/2006 Revisado por: 21/08/2006 Aprovado por: 21/08/2006 01/07 Elaborado por: 21/08/2006 isado por: 21/08/2006 provado por: 21/08/2006 Silas Sampaio Moraes Junior SQ/MTZ Silas Sampaio Moraes Junior SQ/MTZ Silas Sampaio Moraes Junior SQ/MTZ Objetivos: Determinar,

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 14000 e, com o atual processo de

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5. OG Procedimento de Gestão PG.SMS.014 Denominação: Auditoria Interna do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento estabelece premissas básicas sobre os critérios de planejamento e princípios a

Leia mais

PROCEDIMENTOS DA AUDITORIA INTERNA

PROCEDIMENTOS DA AUDITORIA INTERNA - 1/17 - Identificação Tema 1 Governança Macroprocesso 07 Auditoria Interna Processo 001 Planejamento e execução dos trabalhos de Auditoria Interna Número e Título 0003 Número sequencial atribuído pelo

Leia mais

Processo de Não Conformidade, Produto Não Conforme e Melhorias

Processo de Não Conformidade, Produto Não Conforme e Melhorias Dono do Processo Bruno Silva Mendonça Substituto: Marilusa L B Bittencourt Aprovado por Comitê da Qualidade Analisado criticamente por Representante da Direção 1 OBJETIVOS Estabelecer o mecanismo de identificação

Leia mais

Do SNA-PJPB deve resultar a descrição do funcionamento de cada processo de trabalho habilitando seus executores para o desempenho das suas atividades.

Do SNA-PJPB deve resultar a descrição do funcionamento de cada processo de trabalho habilitando seus executores para o desempenho das suas atividades. Código: DIR-PJPB-001 Versão: 01 Data de Aprovação: 28/03/2010 Elaborado por: Secretaria de Gestão Estratégica Aprovado por: Presidente do TJPB 1 Objetivo Definir a organização, a apresentação e o ciclo

Leia mais

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI Capítulo 6: PSP Capítulo

Leia mais

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade Pág. 1 de 12 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é o de estabelecer os critérios de certificação da ABRACE, para prestação de serviços de avaliação da conformidade e certificação de Sistemas de Gestão.

Leia mais

OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SMI/Nº 1/2015 São Paulo, 8 de janeiro de 2015

OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SMI/Nº 1/2015 São Paulo, 8 de janeiro de 2015 OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SMI/Nº 1/2015 São Paulo, 8 de janeiro de 2015 Aos Custodiantes de Valores Mobiliários ( custodiantes ) Assunto: Adaptação à Instrução CVM Nº 542/2013 Prezados Senhores, 1. Nos termos

Leia mais

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana.

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana. Data Revisão Página Código 11/04/2014 03 1 / 22 MQ-01 Referência MANUAL DA QUALIDADE TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE Escrital Contabilidade Rua Capitão Otávio Machado, 405 São Paulo/SP Tel: (11) 5186-5961 Site:

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Instrução Normativa n.º 001/2008-1/SCI

Instrução Normativa n.º 001/2008-1/SCI [ Página n.º 1 ] DISPÕE SOBRE OS PADRÕES, RESPONSABILIDADES E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO, EMISSÃO, ALTERAÇÃO, ATUALIZAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DE INSTRUÇÕES NORMATIVAS A RESPEITO DAS ROTINAS

Leia mais

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado AUDITORIAS INTERNAS

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado AUDITORIAS INTERNAS 1 de 8 1 OBJETIVOS Definir uma metodologia para planejamento e realização das Auditorias Internas que visam medir grau de implementação e operacionalidade do Sistema de Gestão da Qualidade SGQ, e se o

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO IV REFERENTE AO EDITAL DE PREGÃO Nº 022/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE Nº 001/2013 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a Contratação de empresa

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

INFOGAB 3.0. Sistema de Automação de Gabinetes. Manual do Usuário V 2.1

INFOGAB 3.0. Sistema de Automação de Gabinetes. Manual do Usuário V 2.1 INFOGAB 3.0 Sistema de Automação de Gabinetes Manual do Usuário V 2.1 1. Descrição do Sistema O Sistema de Automação de Gabinetes da Câmara dos Deputados (Infogab) tem por finalidade apoiar as atividades

Leia mais

GoodPriv@cy. Regulamento dos Requisitos do Selo de Proteção de Dados

GoodPriv@cy. Regulamento dos Requisitos do Selo de Proteção de Dados GoodPriv@cy Regulamento dos Requisitos do Selo de Proteção de Dados Publicação: Versão 3.0 Janeiro de 2007 Origem: Este documento é equivalente ao GoodPriv@cy Regulations relating to requirements of the

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

---- --- --- Consultoria e Assessoria

---- --- --- Consultoria e Assessoria 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SGQ. 4.1. Requisitos Gerais. A Protec estabelece, documenta e implementa o SGQ de acordo com os requisitos da NBR ISO 9001:2008. Para implementar o SGQ foi realizado um

Leia mais

www.siteware.com.br Versão 2.6

www.siteware.com.br Versão 2.6 www.siteware.com.br Versão 2.6 Sumário Apresentação... 4 Login no PortalSIM... 4 Manutenção... 5 Unidades... 5 Unidades... 5 Grupos de CCQ... 5 Grupos de unidades... 6 Tipos de unidades... 6 Sistema de

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 CONCEITOS... 3 4 ESTRUTURA NORMATIVA...

Leia mais

Tutorial Plone 4. Manutenção de Sites. Universidade Federal de São Carlos Departamento de Sistemas Web Todos os direitos reservados

Tutorial Plone 4. Manutenção de Sites. Universidade Federal de São Carlos Departamento de Sistemas Web Todos os direitos reservados Tutorial Plone 4 Manutenção de Sites Universidade Federal de São Carlos Departamento de Sistemas Web Todos os direitos reservados Sumário Introdução 1 Como fazer a autenticação do usuário 1.1 Através do

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. ESCOPO... 3 2. REFERÊNCIA NORMATIVA... 4 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE...

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. ESCOPO... 3 2. REFERÊNCIA NORMATIVA... 4 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 1 / 21 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. ESCOPO... 3 2. REFERÊNCIA NORMATIVA... 4 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 4 4.1 REQUISITOS GERAIS... 4 4.2 REQUISITOS DE DOCUMENTAÇÃO...

Leia mais

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Artigo 1 - Objetivo do documento 1.1. Este documento tem como objetivo regulamentar as atividades para credenciamento de uma empresa no Selo Excelência ABCEM.

Leia mais

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 1 REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 2 1. CARACTERIZAÇÃO DO SETOR 1.1. Definição do Gerenciamento A definição do gerenciamento pode ser dada sob diversos enfoques, dentre os quais destacamos o texto escrito por

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3. Procedimento de Gestão OGX Denominação: Tratamento de não conformidades, ações corretivas e preventivas PG.SMS.015 SUMÁRIO Este procedimento define a sistemática utilizada na identificação, registro e

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos Referência AP Data de emissão JANEIRO/2013

Manual de Normas e Procedimentos Referência AP Data de emissão JANEIRO/2013 1 I- : 1. Objetivo: O propósito desse manual é estabelecer princípios básicos que representam a prática da Auditoria Interna da Viva Rio e da Viva Comunidade tanto a de processos quanto a anti-fraudes,

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD) 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE MA-C-GQ-01 MANUAL DA QUALIDADE Cópia controlada Revisão 02 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/09/2009 15/03/2012 23/01/2013

GESTÃO DA QUALIDADE MA-C-GQ-01 MANUAL DA QUALIDADE Cópia controlada Revisão 02 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/09/2009 15/03/2012 23/01/2013 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/09/2009 15/03/2012 23/01/2013 00 01 02 Emissão inicial. Alteração do representante da direção Inclusão de informação no item 4.2.2.3 (passo 8) SMD 147. Elaborado:

Leia mais

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem como objetivo estabelecer diretrizes e orientações para realização

Leia mais

O QUE É DOCUMENTO PARA O SIGA

O QUE É DOCUMENTO PARA O SIGA APRESENTAÇÃO O SIGA - Sistema Integrado de Gestão Administrativa é o sistema oficial de gestão documental do Poder Judiciário baiano que permite a criação, transferência, assinatura e demais atos de tramitação

Leia mais