DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico"

Transcrição

1 DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico

2 Projecto Mobilidade Sustentável Tiago Farias 20 de Junho de 2007 DTEA Transportes, Energia e Ambiente

3 Mobilidade Sustentável

4 Principais desafios na área da Mobilidade Urbana Congestionamento / Ocupação do solo Protocolo de Quioto Dependência do petróleo Qualidade do ar Ruído DTEA Transportes, Energia e Ambiente 4

5 Que Soluções? Congestionamento / Ocupação do solo Protocolo de Quioto Dependência do petróleo Qualidade do ar Ruído 1. Planeamento Urbano 2. Combustíveis Alternativos 3. Tecnologia dos veículos 4. Gestão da mobilidade DTEA Transportes, Energia e Ambiente 5

6 Gestão da Mobilidade Eficiência da Mobilidade (consolidação de cargas, optimização de rotas, gestão da informação, ) Alteração de Comportamento DTEA Transportes, Energia e Ambiente 6

7 Congestionamento e ocupação do solo Energia necessária para transportar um passageiro num quilómetro? Taxa de ocupação (valor típico) Consumo de Energia (Mj passageiro- Km) Relação Consumos (Base Metro = 100%) Carro (gasolina) 25% % Carro (diesel) 25% % Comboio suburbano 50% % Autocarro 50% % Eléctrico 30% % Metro 50% % Bicicleta 100% % A pé 100% % DTEA Transportes, Energia e Ambiente 7

8 Soluções de Mobilidade Sustentável Medidas Positivas Promover transportes públicos Melhorar o serviço dos transportes públicos Incentivar a bicicleta e andar a pé Aumentar zonas pedonais Incentivar os transportes de empresa Car sharing Carpooling,. DTEA Transportes, Energia e Ambiente 8

9 Soluções de Mobilidade Sustentável Medidas repressivas controlo rigoroso Redefinição das políticas de Estacionamento (preço, restrições,...) Combate ao estacionamento ilegal (reboque, bloqueadores, ) Faixas BUS Pistas HOV high occupancy vehicles (2+, 3+ ) DTEA Transportes, Energia e Ambiente 9

10 Vendas Novas

11 Caracterização Geral Distrito de Évora Proximidade aos grandes eixos rodoviários: A2, A6 e IC11 Centro da cidade ao longo da EN4 com densidade habitacional muito elevada Zona habitacional de baixa densidade na periferia Zona industrial concentrada a Este da cidade e potencia cerca de dois terços dos empregos existentes na cidade 4% 60% 36% TC Modos suaves Automóvel Zona Geográfica Área [km 2 ] Pop. Residente [hab.] Densidade Pop. [hab./km 2 ] Cidade 9, Concelho 222, DTEA Transportes, Energia e Ambiente 11

12 Vendas Novas DTEA Transportes, Energia e Ambiente 12

13 Problemas Identificados por Vendas Novas 1. Coordenação entre os vários modos de transporte colectivo e articulação com o transporte individual 2. Articulação entre as decisões urbanísticas e as suas consequências ao nível da acessibilidade 3. Segurança nos transportes ou nos percursos a pé 4. Acessibilidade da população aos locais de trabalho ou de ensino 5. Congestionamentos de tráfego nos acessos ao centro (ou no próprio centro) DTEA Transportes, Energia e Ambiente 13

14 Principais desafios Ponto importante de atravessamento de tráfego (cerca de veic/sentido.dia), utilizando uma estrada nacional Problemas de tráfego Problemas de segurança para os utilizadores dos modos suaves Sem grandes mais valias para a cidade, não sendo ponto de paragem (excepto para almoço) Vendas Novas com tradição cultural de utilização da bicicleta Triângulo mais problemático que cobre os principais pontos de emprego e de serviço Zona de intervenção do projecto de mobilidade sustentável DTEA Transportes, Energia e Ambiente 14

15 Vendas Novas DTEA Transportes, Energia e Ambiente 15

16 Objectivos Após reunião de prospecção em Vendas Novas e algumas visitas foi definido: Área de intervenção prioritária: valorização dos modos suaves no centro da cidade de Vendas Novas (especialmente a bicicleta) Objectivos: incentivar a utilização dos modos suaves como transporte diário, criando condições físicas, seguras e confortáveis, e promovendo através de campanhas e incentivos DTEA Transportes, Energia e Ambiente 16

17 Perímetro de Estudo parque industrial jardim público esp. lazer est. ferroviária est. rodoviária DTEA Transportes, Energia e Ambiente 17

18 Alandroal

19 Caracterização Geral Distrito de Évora Boa acessibilidade a um importante eixo nacional: A6 População muito dispersa no concelho Perímetro urbano principal muito reduzido (Vila do Alandroal) > 70% sectores secundário e terciário Taxa de analfabetismo muito elevada 28% 12% 60% Zona Geográfica Freguesia Nossa Sr.ª da Conceição Área [km 2 ] Pop. Residente [hab.] Densidade Pop. [hab./km 2 ] ,8 Concelho ,1 DTEA Transportes, Energia e Ambiente 19

20 Alandroal Zona Geográfica Área [km 2 ] Pop. Residente [hab.] Densidade Pop. [hab./km 2 ] Freguesia Nossa Sr.ª da Conceição (Alandroal) Freguesia Santiago Maior , ,5 Concelho ,1 DTEA Transportes, Energia e Ambiente 20

21 Problemas Identificados pelo Alandroal 1. Acessibilidade da população aos locais de trabalho ou de ensino 2. Funcionamento global do sistema de transportes colectivos 3. Coordenação entre os vários modos de transporte colectivo e articulação com o transporte individual 4. Articulação entre as decisões urbanísticas e as suas consequências ao nível da acessibilidade 5. Segurança nos transportes ou nos percursos a pé. DTEA Transportes, Energia e Ambiente 21

22 Objectivos Após reunião de prospecção no Alandroal foi definido: Área de intervenção prioritária: suprimir as lacunas no sistemas de transportes e facilitação de acesso aos principais pólos de atracção (escolas, centro de saúde, serviços, ) Objectivos: optimização da rede de transportes públicos de modo a cobrir as zonas isoladas (população idosa e/ou pendulares casa-escola-casa) DTEA Transportes, Energia e Ambiente 22

23 Perímetro de Estudo Solução em análise Transporte de estudantes e funcionários da C. M. Alandroal movimentos pendulares entre os dois pólos do concelho zona industrial ed. municipal esp. lazer est. rodoviária call center com navetes em período fora de horas de ponta para a população isolada DTEA Transportes, Energia e Ambiente 23

24 Grândola

25 Caracterização Geral Distrito de Setúbal Proximidade aos grandes eixos rodoviários: A2 e IC1 Zonas habitacionais na periferia com alguma dimensão Zona Geográfica Freguesia de Grândola Área [km 2 ] Pop. Residente [hab.] Densidade Pop. [hab./km 2 ] 362, Concelho 817, DTEA Transportes, Energia e Ambiente 25

26 Grândola DTEA Transportes, Energia e Ambiente 26

27 Problemas Identificados por Grândola 1. Funcionamento global do sistema de transportes colectivos 2. Coordenação entre os vários modos de transporte colectivo e articulação com o transporte individual 3. Acessibilidade da população aos locais de trabalho ou de ensino 4. Acessibilidade proporcionada à população com mobilidade reduzida 5. Congestionamentos de tráfego nos acessos ao centro (ou no próprio centro) DTEA Transportes, Energia e Ambiente 27

28 Perímetro de Estudo DTEA Transportes, Energia e Ambiente 28

29 Principais desafios Implementação de um sistema de transporte urbano de elevada frequência e um modelo de negócio sustentável Transporte em linha entre os principais pólos periféricos ao longo do L DTEA Transportes, Energia e Ambiente 29

30 Grândola DTEA Transportes, Energia e Ambiente

31 Av. Rovisco Pais, Pavilhão de Mecânica 1-2º Lisboa Tel.: Fax.:

DTEA Transportes, Energia e Ambiente 1

DTEA Transportes, Energia e Ambiente  1 DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico DTEA Transportes, Energia e Ambiente http://dtea.ist.utl.pt 1 Veículos e

Leia mais

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso Política de Cidades Polis XXI Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano QREN/ POVT/ Eixo IX Desenvolvimento do Sistema Urbano Nacional 1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em

Leia mais

MUNICÍPIO DE CASTELO BRANCO ÁREA DE ESTUDO

MUNICÍPIO DE CASTELO BRANCO ÁREA DE ESTUDO MUNICÍPIO DE CASTELO BRANCO ÁREA DE ESTUDO Castelo Branco Em 2001: População concelho: 55 708 População Sede concelho: 30 449 (55%) Área: 1438,2 km2 Freguesias: 25 Cidade de Castelo Branco População actual:

Leia mais

DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico

DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico 1 O que é a Eco-condução: Critérios e Importância Tiago Farias Instituto

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Workshop Regional U.M. BRAGA 10 ABRIL 2012 SUMÁRIO Compromissos Estudos e avaliação Intervenções Financiamento e Cooperação Institucional Desafios para Municípios COMPROMISSOS A

Leia mais

Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais

Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais ANA MORGADO DE BRITO NEVES Orientador: Mestre José Carlos Ribeiro Ferreira

Leia mais

Barlavento Algarvio Fase 1: Caracterização e Diagnóstico

Barlavento Algarvio Fase 1: Caracterização e Diagnóstico Barlavento Algarvio Fase 1: Caracterização e Diagnóstico Enquadramento Territórios distintos em termos de povoamento, demografia, economia e orografia: Municípios de cariz mais rural e com problemas de

Leia mais

mobilidade sustentável

mobilidade sustentável GALARDÃO eco XXI Cantanhede, 19 de Setembro de 2014 mobilidade sustentável requalificação urbana/mobilidade/ambiente/trânsito/sustentabilidade Micael Sousa PRINCÍPIOS E OBJECTIVOS PRINCÍPIOS GERAIS Redução

Leia mais

Projecto Mobilidade Sustentável Município de Santarém Objectivos e Propostas

Projecto Mobilidade Sustentável Município de Santarém Objectivos e Propostas Objectivos e Propostas Objectivos e Propostas Relatório de Diagnóstico Diagnóstico de problemas, intenções e projectos Relatório de Objectivos e Conceito de Intervenção Definição de objectivos e escalas

Leia mais

Plano de Mobilidade de Praia da Vitória Propostas de Intervenção

Plano de Mobilidade de Praia da Vitória Propostas de Intervenção Plano de Mobilidade Plano de Mobilidade de Praia da de Praia da Vitória Vitória Propostas de Intervenção Propostas de Intervenção 16 11-09 Apresentação Resumo Diagnóstico Propostas de Intervenção Solução

Leia mais

ECOXXI 2014 Indicador Mobilidade Sustentável. Catarina Marcelino, GPIA/IMT David Vale, FA-UTL Mário Alves, Transitec

ECOXXI 2014 Indicador Mobilidade Sustentável. Catarina Marcelino, GPIA/IMT David Vale, FA-UTL Mário Alves, Transitec ECOXXI 2014 Indicador Mobilidade Sustentável Catarina Marcelino, GPIA/IMT David Vale, FA-UTL Mário Alves, Transitec O problema: Predominância de soluções de transporte para problemas urbanos Aumento das

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa Objectivos Metodologia Casos de Estudo Proposta de Estratégias Conclusões Desenvolvimentos Futuros Definir estratégias que permitam aumentar

Leia mais

Casos de estudo LNEC-CM CM Silves-CM Lagoa- CM Portimão-CM Vila do Bispo. APA, 17 de Setembro de 2007

Casos de estudo LNEC-CM CM Silves-CM Lagoa- CM Portimão-CM Vila do Bispo. APA, 17 de Setembro de 2007 PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Casos de estudo LNEC-CM CM Silves-CM Lagoa- CM Portimão-CM Vila do Bispo APA, 17 de Setembro de 2007 Enquadramento LNEC/DT/NPTS não contratou bolseiros R.H. existentes carreira

Leia mais

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 DMPATO DPU Divisão de Estudos e Planeamento A ALMADA FICHA TÉCNICA Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 Serviço Divisão de Estudos e Planeamento Departamento de Planeamento

Leia mais

O Hidrogénio e as Pilhas de Combustível: Perspectivas de Aplicação ao Sector dos Transportes

O Hidrogénio e as Pilhas de Combustível: Perspectivas de Aplicação ao Sector dos Transportes O Hidrogénio e as Pilhas de Combustível: Perspectivas de Aplicação ao Sector dos Transportes Tiago Lopes Farias Instituto Superior Técnico PORTUGAL OS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS E O AMBIENTE Emissões de Poluentes

Leia mais

Resumo. respostas. A Caracterização da amostra em estudo. A.4. - Local de residência. 1 de 8

Resumo. respostas. A Caracterização da amostra em estudo. A.4. - Local de residência. 1 de 8 1 de 8 respostas Resumo A Caracterização da amostra em estudo A.1. - Qual é a sua função na escola? Docente 65 20% Não docente 6 2% Aluno 260 79% A.2. - Caso seja aluno, indique o ano de escolaridade ou

Leia mais

Faça uma pergunta em goo.gl/slides/jtrgc2. Ocupação do território, emprego e demografia

Faça uma pergunta em goo.gl/slides/jtrgc2. Ocupação do território, emprego e demografia Centro Algarvio Faça uma pergunta em goo.gl/slides/jtrgc2 Ocupação do território, emprego e demografia Tendências Demográficas População Residente Em 2011 residiam 258.235 hab. (+15% face a 2001). Maiores

Leia mais

Estratégia para a promoção da utilização dos modos suaves

Estratégia para a promoção da utilização dos modos suaves Estratégia para a promoção da utilização dos modos suaves Eng.ª Rita Soares Seminário de divulgação e participação pública, Aveiro 12.06.2013.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 15 Objetivos Estratégicos

Leia mais

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE Land use and densification along mass transit corridors in Belo Horizonte Daniel Freitas Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra WORKSHOP Combustíveis e veículos alternativos Práticas correntes e futuras linhas de orientação política para o transporte de passageiros (Projecto Alter-Motive) Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Leia mais

REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4

REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4 FAMALICÃO CICLÁVEL UMA REDE, UMA COMUNIDADE REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4 Porquê criar corredores dedicados para bicicletas? para INCENTIVAR BICI COMO MEIO DE

Leia mais

O Futuro da Mobilidade. Mobilidade e os ITS: estimular a relação simbiótica

O Futuro da Mobilidade. Mobilidade e os ITS: estimular a relação simbiótica O Futuro da Mobilidade Mobilidade e os ITS: estimular a relação simbiótica 1 Mobilidade Sustentável Enquadramento Transportes Urbanos responsáveis por 40% das emissões de CO2 dos transportes rodoviários

Leia mais

GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES

GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES Medidas Propostas Impacto no Município Plano de mobilidade sustentável para os funcionários da autarquia Formação em eco-condução para os gestores de frotas, motoristas

Leia mais

A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA

A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA Os Projetos de Lisboa para 2020 Teresa Almeida A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA Os Projetos de Lisboa para 2020 1. O Quadro Europeu 2. O Quadro Municipal 3. As

Leia mais

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte I Seminário Nacional de Política Urbana e Ambiental Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Brasília abril 2016 Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte Tiago Esteves Gonçalves da Costa ESTRUTURA

Leia mais

Projecto CiViTAS ELAN - PORTO Vereador do Pelouro de Urbanismo e Mobilidade Dr. Gonçalo Gonçalves

Projecto CiViTAS ELAN - PORTO Vereador do Pelouro de Urbanismo e Mobilidade Dr. Gonçalo Gonçalves Projecto CiViTAS ELAN - PORTO Vereador do Pelouro de Urbanismo e Mobilidade Dr. Gonçalo Gonçalves www.cm-porto.pt 0 O que é o Civitas? CiViTAS: City + ViTA + Sustentability É um programa comunitário no

Leia mais

CANDIDATURA AO PROGRAMA

CANDIDATURA AO PROGRAMA CANDIDATURA AO PROGRAMA CIDADES AMIGAS DAS CRIANÇAS Modelo de Caracterização do Município O documento deve ser preenchido em PDF, utilizando a funcionalidade de preenchimento de campos do presente formulário.

Leia mais

Nuno Soares Ribeiro VTM Consultores

Nuno Soares Ribeiro VTM Consultores Nuno Soares Ribeiro VTM Consultores 25 NOVEMBR0 2008 1 Índice 1. Enquadramento 2. Conceito do Sistema 3. Inserção no Território Demografia Mobilidade Geração e Troca de Viagens 4. Desenvolvimento do Traçado

Leia mais

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade Câmara Municipal: Vila CASCAIS Cascais Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Área da vila 20,12 Km 2 População total 33.255 hab. Dimensão da ZSTA 670 m População

Leia mais

Probabilidade de morte (%) <5% Velocidade do veículo na colisão (km/h)

Probabilidade de morte (%) <5% Velocidade do veículo na colisão (km/h) 30 29 28 27 26 25 24 23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 98 76 54 32 1 30 Probabilidade de morte (%) 1 0.8 0.6 0.4 0.2

Leia mais

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade Workshop Regional de Disseminação do Universidade do Minho - Braga -10 de Abril de 2012 GUIÃO Orientador da Temática dos Transportes nos Planos Municipais de Ordenamento do Território António Pérez Babo

Leia mais

ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO 1

ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO 1 CÂMARA MUNICIPAL DE FORNOS DE ALGODRES ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO RESUMO NÃO TÉCNICO DATA: 2015-05-14 ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO

Leia mais

Abordagens Alternativas para Frotas e Logística Urbana

Abordagens Alternativas para Frotas e Logística Urbana Abordagens Alternativas para Frotas e Logística Urbana O teste de novas soluções de mobilidade sustentável é o caminho para fomentar a utilização e o desenho de novos produtos Estrutura da Comunicação

Leia mais

Guia para Elaboração de Planos de Mobilidade e Transportes (PMT)

Guia para Elaboração de Planos de Mobilidade e Transportes (PMT) Workshop Regional de Disseminação do Universidade do Minho - Braga -10 de Abril de 2012 Guia para Elaboração de Planos de Mobilidade e Transportes (PMT) Faustino Gomes TIS.PT, Transportes, Inovação e Sistemas,

Leia mais

Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Quais as medidas para uma mobilidade sustentável?

Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Quais as medidas para uma mobilidade sustentável? Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Quais as medidas para uma mobilidade sustentável? MIEC Porto Novembro 2013 Grupo: 11MC01_1 Supervisor: Sara Ferreira Monitores: André Lopes Christopher Ribeiro Delcio

Leia mais

Apresentação Transversal - MPT

Apresentação Transversal - MPT Apresentação Transversal - MPT Acessibilidade de peões/ ciclistas e espaço público Predominância do TI; As deslocações pedonais no território algarvio nem sempre têm posição de destaque; Quota modal das

Leia mais

APA (+) Municípios (+) Universidades (+) LNEC... Participação em 4 Planos de Mobilidade:

APA (+) Municípios (+) Universidades (+) LNEC... Participação em 4 Planos de Mobilidade: ã Notas prévias APA (+) Municípios (+) Universidades (+) LNEC... Participação em 4 Planos de Mobilidade: Viana do Castelo Infraestruturação de pontos de interface para modos suaves Sistema de Monitorização

Leia mais

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO NA UE 1. INTRODUÇÃO 2. SITUAÇÃO ACTUAL 3. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 4. TRANSPORTES ENERGIA E AMBIENTE 5. INFRAESTRUTURAS 6. CONCLUSÕES

Leia mais

CARTA DE RUÍDO DO MUNICÍPIO GAIA

CARTA DE RUÍDO DO MUNICÍPIO GAIA Pág. 1 de 17 CARTA DE RUÍDO DO MUNICÍPIO GAIA Pág. 2 de 17 I INTRODUÇÃO O ruído é um dos principais factores que afectam o ambiente urbano, contribuindo de modo significativo para a degradação da qualidade

Leia mais

Alexandra Santos Bruno Esteves Diogo Cardoso João Megre Jorge Ribeiro Sérgio Vinha

Alexandra Santos Bruno Esteves Diogo Cardoso João Megre Jorge Ribeiro Sérgio Vinha Alexandra Santos Bruno Esteves Diogo Cardoso João Megre Jorge Ribeiro Sérgio Vinha 1 No âmbito da UC Projeto FEUP vamos abordar os seguintes tópicos: Custos energéticos na viagem Porto Vila Real; Meios

Leia mais

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade 1 Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade Fernando Soares dos Santos (*) O planejamento das cidades para as próximas décadas passa, necessariamente,

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. GRUPO I pontos pontos pontos pontos 5...

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. GRUPO I pontos pontos pontos pontos 5... EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/24, de 26 de Março Prova Escrita de Geografia A 11.º/ 12.º anos de Escolaridade Prova 719/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 12 minutos. Tolerância:

Leia mais

Painel 2 Planeamento e Criação de Cidades Saudáveis. IV Simpósio de Saúde Ambiental e a Construção de Cidades Saudáveis 19 de Novembro

Painel 2 Planeamento e Criação de Cidades Saudáveis. IV Simpósio de Saúde Ambiental e a Construção de Cidades Saudáveis 19 de Novembro IV Simpósio de Saúde Ambiental e a Construção de Cidades Saudáveis 19 de Novembro Acesso e acessibilidade aos cuidados de saúde secundários no Alto Alentejo Caso de estudo do concelho do Gavião ao hospital

Leia mais

Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A.

Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A. Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A. _Objectivos e Fins Exploração do serviço público aeroportuário de apoio à aviação civil nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro, bem como no terminal civil de Beja,

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável de Vendas Novas. Relatório de Diagnóstico

Plano de Mobilidade Sustentável de Vendas Novas. Relatório de Diagnóstico Plano de Mobilidade Sustentável de Vendas Novas Relatório de Diagnóstico Setembro de 2007 Projecto: Projecto Mobilidade Sustentável Equipa Técnica: Av. Rovisco Pais, 1 Pav. Mecânica I, 2º andar 1049-001

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO-43-2016-01 PRIORIDADES DE INVESTIMENTOS: 4.5 (4e) PROMOÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE BAIXO TEOR DE CARBONO

Leia mais

1- O Estacionamento e a Circulação

1- O Estacionamento e a Circulação 1- O Estacionamento e a Circulação "Quando se estuda um sistema de tráfego urbano as principais funções a analisar são a circulação e o estacionamento, por corresponderem aos aspectos em que se concentram

Leia mais

Seminário da Mobilidade. Murtosa, 23 de Setembro Filipe Carneiro Adjunto da Presidência Câmara Municipal de Paredes

Seminário da Mobilidade. Murtosa, 23 de Setembro Filipe Carneiro Adjunto da Presidência Câmara Municipal de Paredes Seminário da Mobilidade Filipe Carneiro Adjunto da Presidência Câmara Municipal de Paredes Paredes Breve apresentação Paredes Situado no Norte de Portugal, bem no coração do Douro Litoral, o concelho de

Leia mais

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

Manteigas em Números. Designação do indicador Valor Unidade Ano Fonte. Território. População

Manteigas em Números. Designação do indicador Valor Unidade Ano Fonte. Território. População Designação do indicador Valor Unidade Ano Fonte Território Área total 122 km 2 2012 INE Anuário Estatístico da Região Centro - 2012 Perímetro 65 km2 2012 INE Anuário Estatístico da Região Centro - 2012

Leia mais

Mobilidade Sustentável. Mário Alves Bernardo Pereira André Fernandes

Mobilidade Sustentável. Mário Alves Bernardo Pereira André Fernandes Mobilidade Sustentável Mário Alves Bernardo Pereira André Fernandes Estrutura da Apresentação Parte I O Indicador 18 Mobilidade Sustentável Parte II Principais alterações Parte I A B C D E Promoção dos

Leia mais

16 de Setembro Dia Almada a um metro de tudo : Inauguração, no Fórum Romeu Correia, da exposição Transtejo, navegando o Tejo há mais de 30 anos,

16 de Setembro Dia Almada a um metro de tudo : Inauguração, no Fórum Romeu Correia, da exposição Transtejo, navegando o Tejo há mais de 30 anos, FOTOREPORTAGEM 16 de Setembro Dia Almada a um metro de tudo : Inauguração, no Fórum Romeu Correia, da exposição Transtejo, navegando o Tejo há mais de 30 anos, organizada pela Transtejo, CMA e Ageneal.

Leia mais

ATUALIDADE S. Prof. Roberto. Um desafio ATUAL.

ATUALIDADE S. Prof. Roberto. Um desafio ATUAL. ATUALIDADE S Prof. Roberto Um desafio ATUAL. MOBILIDADE URBANA Todas as atividades dependem de um bom deslocamento na cidade! Ir a escola; Ir ao Trabalho; Frequentar uma academia; Usar um posto de saúde;

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 784/X CRIA INCENTIVOS FISCAIS À AQUISIÇÃO DE BICICLETA

PROJECTO DE LEI N.º 784/X CRIA INCENTIVOS FISCAIS À AQUISIÇÃO DE BICICLETA Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 784/X CRIA INCENTIVOS FISCAIS À AQUISIÇÃO DE BICICLETA Exposição de motivos A bicicleta é hoje reconhecida, a nível internacional e europeu, como um meio de transporte

Leia mais

What We re Doing For Cycling no município do Seixal

What We re Doing For Cycling no município do Seixal What We re Doing For Cycling no município do Seixal SEIXAL Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados e estudantes 47 800 ficam no concelho (50%) Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados

Leia mais

Lisboa. uma cidade de bairros

Lisboa. uma cidade de bairros Lisboa uma cidade de bairros Fonte: Relatório do PDM Lisboa, Câmara Municipal de Lisboa, Setembro 2010 No PDM de Lisboa, foram identificadas Zonas de Moderação da circulação automóvel, que podem ser concretizadas

Leia mais

Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente. Financiamento de projetos para Cidades Analíticas

Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente. Financiamento de projetos para Cidades Analíticas Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente Financiamento de projetos para Cidades Analíticas Rio Maior 13 de Março 2015 Estratégia Regional de Especialização

Leia mais

Urbanismo,Transportes Vias de Comunicação Area de Especialização DEC-FCTUC

Urbanismo,Transportes Vias de Comunicação Area de Especialização DEC-FCTUC Urbanismo,s Vias de Comunicação Area de Especialização DEC-FCTUC UTVC Urbanismo,s e Vias de Comunicação ÁREAS TEMÁTICAS Tráfego e s Vias de Comunicação Sistemas de Gestão de Cidades e Infraestruturas Urbanismo

Leia mais

FICHAS DE AÇÃO ÍNDICE

FICHAS DE AÇÃO ÍNDICE FICHAS DE AÇÃO ÍNDICE SÍNTESE DAS FICHAS... 170 Governo dos Açores... 171 Ficha de Ação 1 Governo dos Açores... 171 Ficha de Ação 2 Governo dos Açores... 173 Ficha de Ação 3 Governo dos Açores... 175 Ficha

Leia mais

HPEM Higiene Pública, E.M. Objectivos e vantagens. Descrição do projecto

HPEM Higiene Pública, E.M. Objectivos e vantagens. Descrição do projecto HPEM Higiene Pública, E.M. Porquê? Objectivos e vantagens Descrição do projecto Resultados Metas HPEM Higiene Pública, E.M. Número de funcionários: 276 Frota: 53 viaturas pesadas Actividade: Recolha de

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 188/IX ELEVAÇÃO DE VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ A CIDADE. Exposição de motivos. 1 - Breve caracterização geográfica e demográfica

PROJECTO DE LEI N.º 188/IX ELEVAÇÃO DE VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ A CIDADE. Exposição de motivos. 1 - Breve caracterização geográfica e demográfica PROJECTO DE LEI N.º 188/IX ELEVAÇÃO DE VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ A CIDADE Exposição de motivos 1 - Breve caracterização geográfica e demográfica A vila designada Vila Nova de Santo André, do município de

Leia mais

ÉTICA NA PREVENÇÃO DA CORRUPÇÃO

ÉTICA NA PREVENÇÃO DA CORRUPÇÃO 5 de Maio de 2010 ÉTICA NA PREVENÇÃO DA CORRUPÇÃO O Código de Ética como Instrumento na Prevenção da Corrupção 1 Apresentação da Empresa A Responsabilidade Social na RL Acções O ambiente e qualidade do

Leia mais

Nesta sessão vai sobretudo focar-se em dois domínios:

Nesta sessão vai sobretudo focar-se em dois domínios: 1/13 O ENSINO DOS E VIAS DE COMUNICAÇÃO Três grandes domínios (Grupos de Disciplinas) Planeamento e Políticas de Transportes Infraestruturas de Transportes (Vias de Comunicação) Gestão de Infraestruturas

Leia mais

Transportes Colectivos

Transportes Colectivos Exercício Resolvido 3 Transportes Colectivos A Carris pretende estudar um serviço diário nocturno alternativo à actual carreira de eléctricos 28 entre os términos dos Prazeres e Martim Moniz. O serviço

Leia mais

Teste 1A h00 Parte Prática. Sem consulta e com utilização de calculadora. GRUPO 1 (5,0 val.)

Teste 1A h00 Parte Prática. Sem consulta e com utilização de calculadora. GRUPO 1 (5,0 val.) GRUPO 1 (5,0 val.) Atualmente, uma autoestrada suburbana com 3 vias de circulação (3,50 m de largura), em cada faixa de rodagem, é utilizada por 12000 pessoas que se deslocam em automóvel particular na

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Desportiva

Curso de Especialização em Gestão Desportiva Curso de Especialização em Gestão Desportiva Equipamentos e instalações desportivas Módulo 2 Calendário Dia 29 Mai Dia 4 Jun Dia 5 Jun 14-16h 16-18h 18-20h Normativas referentes às características das

Leia mais

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR MUNICÍPIO DE LONDRINA CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Situado ao norte do estado do Paraná Município foi criado em dezembro de 1934 e acaba de

Leia mais

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO 01 MULTIMODALIDADE 02 HUB DE TRANSPORTES 03 EIXO ANTLÂNTICO - ÍNDICO AFRICA AUSTRAL 04 AEROPORTO CATUMBELA INFRA-ESTRUTURA INTERNACIONAL

Leia mais

4.5 - População e residência 1930 a A consolidação da descentralização

4.5 - População e residência 1930 a A consolidação da descentralização 4.5 - População e residência 1930 a 1960 - A consolidação da descentralização residencial 4.5.1- Características da distribuição da população Analisando os valores do quadro 27, verifica-se que entre 1930

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC ALMADA CENTRO

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC ALMADA CENTRO REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC ALMADA CENTRO Secção I Definições e Conceitos Artigo 1º Âmbito de aplicação No termos do Artigo 11º do Regulamento Geral de e Circulação das

Leia mais

Mobilidade Sustentável. Introdução à temática da Eco-Condução

Mobilidade Sustentável. Introdução à temática da Eco-Condução Mobilidade Sustentável Introdução à temática da Eco-Condução 1 Conceito de Mobilidade Sustentável Definição sumária: é a capacidade de dar resposta às necessidades da sociedade em deslocar-se livremente,

Leia mais

PROGRAMA POLIS OUTUBRO

PROGRAMA POLIS OUTUBRO OUTUBRO 2008 1 PROGRAMA POLIS OUTUBRO 2008 2 O PROGRAMA POLIS Objectivos Desígnios Tipologias PLANO ESTRATÉGICO MODELO ORGANIZACIONAL GESTÃO DE PROJECTO OUTUBRO 2008 3 Objectivos Desenvolver grandes operações

Leia mais

OS TRANSPORTES QUE TEMOS E COMO FUNCIONAM

OS TRANSPORTES QUE TEMOS E COMO FUNCIONAM AUTORIDADE METROPOLITANA DE TRANSPORTES DE LISBOA Os transportes em Lisboa: o que temos e o que queremos OS TRANSPORTES QUE TEMOS E COMO FUNCIONAM ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE LISBOA 20 de maio de 2014 OS TRANSPORTES

Leia mais

MITIGAÇÃO DAS MC EM MOÇAMBIQUE. Telma Manjta MICOA

MITIGAÇÃO DAS MC EM MOÇAMBIQUE. Telma Manjta MICOA MITIGAÇÃO DAS MC EM MOÇAMBIQUE Telma Manjta MICOA Conteúdo da Apresentação Enquadramento da mitigação dos GEE em Moçambique Prioridades de Mitigação identificadas na ENAMMC Emissões GEE em Moçambique Oportunidades

Leia mais

EMTA Barometer Nome da Região e Cidade: Organismos responsáveis pelo preenchimento: Área Metropolitana de Lisboa (Lisboa)

EMTA Barometer Nome da Região e Cidade: Organismos responsáveis pelo preenchimento: Área Metropolitana de Lisboa (Lisboa) Nome da Região e Cidade: Organismos responsáveis pelo preenchimento: AML, GPERI, IMTT* * (IMTT) Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, (GPERI) Gabinete de Planeamento Estratégico e Relações

Leia mais

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Central 2 Classificação e Qualificação do Solo Solo

Leia mais

PROGRAMA REDE SOCIAL PLANO DE ACÇÃO 2006/2007 CONCELHO DE ARRUDA DOS VINHOS

PROGRAMA REDE SOCIAL PLANO DE ACÇÃO 2006/2007 CONCELHO DE ARRUDA DOS VINHOS PLANO DE ACÇÃO 2006/2007 CONCELHO DE ARRUDA DOS VINHOS PROGRAMA REDE SOCIAL PROJECTO FINANCIADO PELO ESTADO PORTUGUÊS MINISTÉRIO DA SEGURANÇA SOCIAL E DO TRABALHO Junho 2006 Conselho Local de Acção Social

Leia mais

BALANÇO E PERSPECTIVAS SOBRE A MOBILIDADE ELÉCTRICA EM PORTUGAL

BALANÇO E PERSPECTIVAS SOBRE A MOBILIDADE ELÉCTRICA EM PORTUGAL BALANÇO E PERSPECTIVAS SOBRE A MOBILIDADE ELÉCTRICA EM PORTUGAL 4. CONFERÊNCIA DA MOBILIDADE URBANA Preparar a Cidade para a Mobilidade do Futuro: Dos Modos Suaves à Mobilidade Eléctrica 17 de Setembro

Leia mais

Medidas de Apoio ao Uso da Bicicleta

Medidas de Apoio ao Uso da Bicicleta Estoril, 5 a 7 de Abril 2006 Medidas de Apoio ao Uso da Bicicleta Ana Bastos Silva, Dep. Engª Civil da FCTUC da Universidade de Coimbra João Pedro Silva, Dep. Engª Civil da ESTG, Instituto Politécnico

Leia mais

IMPACTOS DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

IMPACTOS DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Transportes Laboratório de Tecnologia de Pavimentação IMPACTOS DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Profa. Dra. ROSÂNGELA MOTTA Março,

Leia mais

Governação e Território: Conflitualidades e disfunções vistas através da imaginação do TGV

Governação e Território: Conflitualidades e disfunções vistas através da imaginação do TGV IV JornadaS A coerência entre as várias políticas e instrumentos e o seu contributo para a coesão territorial Governação e Território: Conflitualidades e disfunções vistas através da imaginação do TGV

Leia mais

A ECONOMIA E O TRABALHO EM LISBOA

A ECONOMIA E O TRABALHO EM LISBOA A ECONOMIA E O TRABALHO EM LISBOA Contributos para o debate sobre a economia, o trabalho, a condições e qualidade de vida no Município de Lisboa O PRESENTE E O FUTURO EUGÉNIO ROSA Economista edr2@netcabo.pt

Leia mais

Fonte:

Fonte: Fonte: www.cm-seixal.pt O Parque Industrial do Seixal PIS 1 Freguesia da Zona Aldeia não de habitacional Paio Pires 3 O Parque Industrial do Seixal PIS 1 4 O Parque Industrial do Seixal PIS 1 Construído

Leia mais

O projecto Biorrefina-Ter: território, floresta e desenvolvimento regional sustentável

O projecto Biorrefina-Ter: território, floresta e desenvolvimento regional sustentável O projecto Biorrefina-Ter: território, floresta e desenvolvimento regional sustentável João Nunes1,2; Paulo Serra e Silva2; Helena Freitas1,2 1 2 Universidade de Coimbra Associação Blc.Ceres.2G Plataforma

Leia mais

CONCLUSÕES E CONTRIBUTOS DOS PARTICIPANTES NO WORKSHOP SOBRE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 28-01-2009

CONCLUSÕES E CONTRIBUTOS DOS PARTICIPANTES NO WORKSHOP SOBRE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 28-01-2009 CONCLUSÕES E CONTRIBUTOS DOS PARTICIPANTES NO WORKSHOP SOBRE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 28-01-2009 Aos alunos participantes foram colocadas de forma informal, um conjunto de questões: 1- Qual o meio de transporte

Leia mais

Apresentação da AMES

Apresentação da AMES Apresentação da AMES = Objectivos, Visão e Missão = Seminário Serviços Energéticos e contratos de Performance de Energia Guimarães, 14 de Fevereiro de 2011 AGÊNCIA MUNICIPAL DE ENERGIA DE SINTRA Associação

Leia mais

Oportunidades para o Desenvolvimento Urbano Sustentável

Oportunidades para o Desenvolvimento Urbano Sustentável Oportunidades para o Desenvolvimento Urbano Sustentável Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Organização Agosto / 2009 Desenvolvimento Urbano Sustentável Desafios Oportunidades

Leia mais

UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS

UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS [ESTUDO TERRITORIAL] NOVEMBRO 2016 DGOU- DPUPE SPDM DEPARTAMENTO DE GESTÃO E ORDENAMENTO URBANÍSTICO DIVISÃO DE PLANEAMENTO URBANÍSTICO E PROJETOS ESTRUTURANTES SECTOR DO

Leia mais

Atropelamentos no concelho do Seixal Que factores urbanísticos os influenciam?

Atropelamentos no concelho do Seixal Que factores urbanísticos os influenciam? Atropelamentos no concelho do Seixal Que factores urbanísticos os influenciam? Hugo Leandro Instituto de Geografia e Ordenamento do Território UL CEG-IGOT Plano da apresentação 1. Metodologia 2. Saúde

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 638/X AFIRMA OS DIREITOS DOS CICLISTAS E PEÕES NO CÓDIGO DA ESTRADA

PROJECTO DE LEI N.º 638/X AFIRMA OS DIREITOS DOS CICLISTAS E PEÕES NO CÓDIGO DA ESTRADA Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 638/X AFIRMA OS DIREITOS DOS CICLISTAS E PEÕES NO CÓDIGO DA ESTRADA Exposição de motivos: Portugal assistiu nas últimas décadas a um crescimento significativo das

Leia mais

Mobilidade na cidade de Beja. UMA REALIDADE!

Mobilidade na cidade de Beja. UMA REALIDADE! Mobilidade na cidade de Beja. UMA REALIDADE! Workshop Combustíveis e veículos alternativos Práticas correntes e futuras linhas de orientação política para o transporte de passageiros (projecto Alter-Motive)

Leia mais

para uma cidade melhor

para uma cidade melhor PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO CARLOS A participação da sociedade A participação da sociedade para uma cidade melhor Problemas urbanos Perda de tempo e dinheiro Viagens sem conforto Maior risco de

Leia mais

POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE

POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE Titulo da Comunicação, Título da Comunicação Nome do Orador Empresa/Instituição Rede de Estradas Classificadas (DM. 03/2005)

Leia mais

A política ambiental na fiscalidade dos transportes

A política ambiental na fiscalidade dos transportes A política ambiental na fiscalidade dos transportes O papel da regulação pelo IMTT 18-09-2008 1 Missão O IMTT, I. P., tem por missão regular, fiscalizar e exercer funções de coordenação e planeamento do

Leia mais

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO 19 JANEIRO 2017 ENQUADRAMENTO Reconhecendo a importância social e patrimonial dos bairros residenciais da coroa urbana de Viseu e elegendo como prioridade a qualidade de vida das

Leia mais

Existência de equipas de Sapadores Florestais. Existência de investigação das causas de incêndios.

Existência de equipas de Sapadores Florestais. Existência de investigação das causas de incêndios. CADERNO FICHA 8. PREVENÇÃO 8.4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito mais alargado, não podendo, por isso, ser interpretado

Leia mais

MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE CELORICO DE BASTO RESUMO NÃO TÉCNICO

MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE CELORICO DE BASTO RESUMO NÃO TÉCNICO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE CELORICO DE BASTO RESUMO NÃO TÉCNICO Equipa Técnica do Mapa de Ruído: Miguel Lopes, Director do Laboratório; Fátima Valado, Responsável Técnica da Divisão Mapa de Ruído; Eduardo

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

PROJETO U-BIKE PORTUGAL

PROJETO U-BIKE PORTUGAL PROJETO U-BIKE PORTUGAL Lisboa Auditório do IRHU 28 de janeiro 2016 PROJETO U-BIKE PORTUGAL Auditório do IRHU 28 jan 2016 1. Enquadramento 2. Objetivos 3. Regulamento Geral do Projeto 4. Protocolo IMT

Leia mais

MEIOS DE TRANSPORTE E DURAÇÕES DOS PERCURSOS CASA-TRABALHO

MEIOS DE TRANSPORTE E DURAÇÕES DOS PERCURSOS CASA-TRABALHO Meios de Transporte e Durações dos Percursos Casa - Trabalho MEIOS DE TRANSPORTE E DURAÇÕES DOS PERCURSOS CASA-TRABALHO Deslocações pendulares de activos empregados residentes na Região Norte EDUARDO PEREIRA

Leia mais