MPE Brasil 2010 Prêmio de Competitividade para MPEs

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MPE Brasil 2010 Prêmio de Competitividade para MPEs"

Transcrição

1 MPE Brasil 2010 Prêmio de Competitividade para MPEs

2 Evolução do prêmio: O Prêmio Talentos Empreendedores completou 15 anos em 2008 e desde então com o processo de nacionalização, ele se chama Prêmio MPE Brasil - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas

3 O que é o MPE Brasil 2010? O MPE Brasil - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas se constitui no reconhecimento estadual e nacional às micro e pequenas empresas que promovem o aumento a qualidade, da produtividade e da competitividade, pela disseminação de conceitos e práticas de gestão.

4 Quem pode participar? O Prêmio MPE será dirigido às empresas que se enquadrem nas seguintes características: I ter receita bruta anual de até R$ ,00, incluindo a soma dos orçamentos de filiais e matriz, segundo o Estatuto Nacional das MPEs; II ter completado pelo menos um ano fiscal; III ter domicílio fiscal no estado da respectiva inscrição; IV comprovar regularidade fiscal e estatutária, quando classificadas para a etapa da visita (CNPJ e certidões).

5 Quem não pode participar Não será permitida a participação de empresas e órgãos públicos, subsidiárias de grandes grupos empresariais, fundações, associações de classe, organizações não-governamentais (ONGs), Empresas cujos donos ou sócios sejam empregados ou prestadores de serviços dos promotores do prêmio que tenham acesso a informações privilegiadas envolvidas no processo de avaliação deste prêmio As empresas vencedoras do Prêmio na etapa estadual não poderão concorrer em duas edições posteriores ao ciclo atual.

6 Categorias: As categorias de reconhecimento serão: a) Agronegócio; b) Comércio; c) Indústria; d) Serviços de Educação; e) Serviços de Saúde; f) Serviços de Tecnologia de Informação e Comunicação - desenvolvimento, implantação e gerenciamento de software; g) Serviço de Turismo - bares, restaurantes, hotéis, pousadas, agências de viagens, transportes turísticos; h) Serviços Outros empresas de serviços que não se enquadrem nas categorias de serviços acima; i) Destaque de Responsabilidade Social.

7 Vantagens de participar: Ao participar do MPE Brasil 2010 você só tem a ganhar: Oportunidade de fazer um diagnóstico (avaliação) da gestão da sua empresa (ao responder o questionário de avaliação), Receber um relatório de retorno gratuito com os pontos fortes e oportunidades de melhoria para a gestão do seu negócio, Se classificada para as etapas finais com base na sua pontuação, poderá ser visitada e até reconhecida como finalista e vencedora da sua categoria no Estado Se vencedora em SC, terá a chance de participar da etapa nacional do prêmio em Brasília.

8 Como participar? É muito fácil participar do MPE Brasil Você só precisa fazer a: Inscrição Gratuita: pelo site do prêmio: Basta entrar no portal de SC e clicar na opção Faça sua inscrição e entrar com o seu CNPJ e dados cadastrais. Ou pela ficha de inscrição impressa disponível nas agências do SEBRAE Devolução do questionário de auto-avaliação: preencher as perguntas do questionário de auto-avaliação através do site de forma online (mais fácil e você recebe o relatório do retorno com as oportunidades de melhoria de forma automática pelo cadastrado) ou preenchendo o questionário impresso disponível nas agências do SEBRAE.

9 Processo de Avaliação: ETAPA ESTADUAL Inscrição Visita Auto Avaliação Avaliação pela Banca de Juízes Estadual Classificação para Visita Sim Vencedora Sim Premiação Estadual Não Não Recebimento do Relatório de Autoavaliação ou Avaliação

10 Cronograma do prêmio Inscrições Gratuitas: 23/03/2010 a 02/08/2010 Devolução dos Questionários de Auto-Avaliação: até 16 de agosto de 2010 Seleção das empresas para visita: feita pela comissão técnica do prêmio em Setembro/10 Visita às empresas classificadas: Em outubro/10 Banca de Juízes para definição das empresas Vencedoras: Em novembro/10 Cerimônia de Premiação: Em Dez/10

11 Critérios de Avaliação Avaliação dos aspectos da gestão e dos resultados das empresas, sob a forma de questionário de autoavaliação adequado às características das MPE S; 8 Critérios de Avaliação do Modelo de Excelência em Gestão (MEG) adaptado para as MPEs: 1) Liderança 2) Estratégias e Planos 3) Clientes 4) Sociedade 5) Informações e Conhecimento 6) Pessoas 7) Processos 8) Resultados

12 Questionário de Autoavaliação O questionário de autoavaliação foi simplificado e possui 3 partes a serem preenchidas para efetivar a sua candidatura ao prêmio e receber o relatório de retorno gratuito com oportunidades de melhoria: PARTE I (obrigatória): Gestão da Empresa 30 perguntas objetivas (respostas de a a d ) sobre a gestão da sua empresa + informações adicionais (70% pontuação) 1 pergunta sobre resultados (30% pontuação) PARTE II (opcional): Características do Comportamento Empreendedor 30 perguntas PARTE III (opcional): Práticas de Responsabilidade Social (apenas para quem deseja se candidatar nesta categoria)

13 Evolução resultados MPE - SC Inscrições Candidatas Visitadas Finalistas Vencedoras : aumento de 46% de candidaturas (empresas que entregam o questionário respondido) Meta Inscrições SC 2010: inscrições Meta Candidatas SC 2010: questionários respondidos

14 Preenchimento do Questionário de Autoavaliação - MPE 2010 Critérios MPE Nº Questões Peso Clientes 5 Sociedade 3 Liderança 6 Estratégias e Planos 4 Pessoas 5 70% Processos 4 Informações e Conhecimento 3 Resultados 1 30% Total % -30 Questões de assinalar com resposta de a a d - Destas 30 questões 11 exigem justificativas, com apresentação de informações adicionais para as respostas c ou d. - 1 Questão de Resultado com 8 indicadores a serem apresentados com os resultados dos últimos 3 anos

15 Critério Clientes 1. Como é feito o agrupamento dos clientes e a busca de novos? a. Não é feito nenhum agrupamento de clientes. b. O agrupamento é feito intuitivamente sem definição clara dos tipos de clientes. c. O agrupamento é feito de forma planejada utilizando dados dos clientes. d. O agrupamento é feito de forma planejada e as informações são utilizadas para melhor atender os clientes atuais e captar novos. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar os grupos de clientes e as necessidades de cada grupo de clientes Exemplo: Os clientes podem ser agrupados por questão demográfica (região, bairros, cidades, etc.), demográfica (sexo, idade, renda, ocupação, formação educacional, etc.), psicográfica (estilo de vida e personalidade, como por exemplo, Status, taxa de uso, lealdade e marca, etc)

16 Critério Clientes 2. Como as necessidades e expectativas dos clientes são conhecidas? a. As necessidades e expectativas dos clientes não são conhecidas. b. As necessidades e expectativas dos clientes são conhecidas de forma intuitiva. c. As necessidades e expectativas dos clientes são conhecidas com base em informações dos clientes. d. As necessidades e expectativas dos clientes são conhecidas, com base em informações dos clientes, utilizando métodos formalizados.

17 Critério Clientes 3. Como os serviços e produtos são divulgados aos clientes e ao mercado? a. Os serviços e produtos não são divulgados. b. Os serviços e produtos são divulgados sem considerar os diferentes tipos de clientes. c. Os serviços e produtos são divulgados para alguns tipos de clientes. d. Os serviços e produtos são divulgados considerando os diferentes tipos de clientes e o canal mais adequado para atingi-los.

18 Critério Clientes 4. Como são tratadas as reclamações feitas pelos clientes? a. Não há um canal de recebimento das reclamações dos clientes. b. As reclamações não são registradas, sendo resolvidas, ocasionalmente, conforme a sua gravidade. c. As reclamações são registradas e resolvidas. d. As reclamações são registradas, resolvidas e é dado retorno ao cliente.

19 Critério Clientes 5. Como a satisfação dos clientes é avaliada? a. A satisfação dos clientes não é avaliada. b. A satisfação dos clientes é avaliada eventualmente. c. A satisfação dos clientes é avaliada periodicamente e os resultados obtidos são analisados. d. A satisfação dos clientes é avaliada periodicamente por meio de método formalizado e os resultados obtidos são analisados.

20 Critério Sociedade 6. Como são tratados os impactos negativos que podem causar danos ao meio ambiente? a. Os impactos negativos não são conhecidos. b. Algumas ações são tomadas, mas os impactos negativos não são conhecidos. c. Os impactos negativos são conhecidos e algumas ações são tomadas para tratá-los. d. Os impactos negativos são identificados e tratados de forma planejada. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar os principais impactos negativos causados. Exemplo: Resíduos, lixo, papel, energia, luz, água, emissão veículos da empresa, lâmpadas, baterias, emissão de poluentes no ar, solo, aparas, óleo, produtos químicos, embalagens, etc. Mesmo empresas de serviços ou escritórios possuem impactos e serem apresentados e tratados.

21 Critério Sociedade 7. Como as exigências legais necessárias para o funcionamento do negócio são conhecidas e como se mantém atualizadas em relação a elas? a. As exigências legais necessárias não são conhecidas. b. Algumas exigências legais necessárias são conhecidas, mas não são mantidas atualizadas. c. As exigências legais necessárias são conhecidas, mas não são mantidas atualizadas. d. Todas as exigências legais são conhecidas e mantidas atualizadas.

22 Critério Sociedade 8. Como é demonstrado o comprometimento com a(s) comunidade(s) por meio das ações ou projetos sociais? a. Não são realizadas ações e/ou projetos sociais b. Ações sociais são realizadas, sem o envolvimento dos colaboradores. c. Ações sociais são realizadas, com o envolvimento dos colaboradores. d. Projetos sociais, que promovem o desenvolvimento local e regional, são realizados e têm o envolvimento dos colaboradores. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar as principais ações sociais desenvolvidas Exemplo: citar ações desenvolvidas com o envolvimento dos colaboradores e/ou outros parceiros, como Projeto de inclusão digital de menores carentes do bairro, onde colaboradores ministram cursos gratuitos na associação de moradores, etc.

23 Critério Liderança 9. Como a missão da empresa é disseminada para os colaboradores? a. A missão não está definida. b. A missão está definida informalmente, sendo de conhecimento apenas dos dirigentes. c. A missão está escrita e é do conhecimento de alguns colaboradores. d. A missão está escrita e é do conhecimento de todos os colaboradores. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Descrever a missão da empresa e quais os meios de divulgação aos colaboradores. Exemplo: Apresentar o texto completo da missão da empresa (o que fazemos, qual é o negócio da empresa) e desde quanto foi estabelecida. Citar formas de divulgação como: mural, site, jornal interno e/ou para clientes, cartilha do colaborador, reuniões de integração de novos colaboradores, intranet, etc.

24 Critério Liderança 10. Como o comportamento ético é incentivado pelos dirigentes nas relações internas e externas? a. Não há definição de regras para assegurar o comportamento ético. b. O comportamento ético é promovido por meio de regras informais. c. O comportamento ético está explicitado como um dos valores da empresa. d. O comportamento ético está detalhado em regras escritas que são do conhecimento de todos os colaboradores.

25 Critério Liderança 11. Como a análise do desempenho do negócio é feita pelos dirigentes? a. Não há análise do desempenho do negócio. b. A análise do desempenho do negócio é feita ocasionalmente com foco principalmente financeiro. c. A análise do desempenho do negócio é feita regularmente com uso de indicadores restritos aos aspectos de vendas, financeiro e produção. d. Há reuniões regulares para análise do desempenho com uso de indicadores abrangentes ao negócio (vendas, fornecedores, clientes, colaboradores, financeiro, produção e aspectos ambientais). Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar a freqüência da análise de desempenho, quem participa e exemplos de informações e indicadores utilizados. Exemplo: reunião mensal com diretores, gerentes e representante de cada área, onde são discutidos os resultados de vendas, lucro, volume produzido, defeitos, reclamações de clientes, etc.

26 Critério Liderança 12. Como os dirigentes compartilham informações com os colaboradores? a. Não há compartilhamento de informações com os colaboradores. b. O compartilhamento de informações ocorre esporadicamente. c. O compartilhamento de informações ocorre regularmente e abrange alguns colaboradores. d. O compartilhamento de informações ocorre regularmente e abrange todos os colaboradores.

27 Critério Liderança 13. Como os dirigentes investem em seu desenvolvimento gerencial e aplicam os conhecimentos adquiridos na empresa? a. Não investe em seu desenvolvimento. b. Investe esporadicamente em seu desenvolvimento, mas não aplica os conhecimentos adquiridos na empresa. c. Investe esporadicamente em seu desenvolvimento e aplica os conhecimentos adquiridos na empresa. d. Investe regularmente em seu desenvolvimento e aplica os conhecimentos adquiridos na empresa.

28 Critério Liderança 14. Como é promovida a melhoria dos produtos, serviços, processos e métodos de gestão? a. As melhorias não são promovidas. b. As melhorias são promovidas em conseqüência de problemas. c. As melhorias são promovidas regularmente a partir de contribuições de colaboradores e de informações obtidas externamente. d. As melhorias são promovidas regularmente a partir de contribuições de colaboradores e de informações obtidas externamente, existindo dentre as melhorias pelo menos um exemplo de uma inovação implementada na empresa.

29 Critério Estratégias e Planos 15. Como a visão da empresa é disseminada para os colaboradores? a. A visão não está definida. b. A visão está definida informalmente, sendo de conhecimento apenas dos dirigentes. c. A visão está escrita e é do conhecimento de alguns colaboradores. d. A visão está escrita e é do conhecimento de todos os colaboradores. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Descrever a visão de futuro e quais os meios de divulgação aos colaboradores. Exemplo: Apresentar o texto completo da visão da empresa (onde queremos chegar) e desde quanto foi estabelecida. Citar formas de divulgação como: quadro de avisos, site, boletim interno, reuniões de integração de novos colaboradores, em treinamentos, etc.

30 Critério Estratégias e Planos 16. Como são definidas as estratégias que permitam alcançar a visão estabelecida? a. As estratégias não estão definidas. b. As estratégias estão definidas na forma de intenções e idéias restritas aos dirigentes. c. As estratégias estão definidas informalmente levando em consideração informações internas e externas. d. As estratégias estão definidas formalmente por meio de método que leva em consideração informações internas e externas.

31 Critério Estratégias e Planos 17. Como são estabelecidos os indicadores e metas relacionados às estratégias definidas? a. Os indicadores relacionados às estratégias não são estabelecidos. b. Os indicadores são estabelecidos para algumas estratégias. c. Os indicadores e suas metas são estabelecidos para algumas estratégias. d. Os indicadores e suas metas são estabelecidos para as principais estratégias e são disseminados para os colaboradores.

32 Critério Estratégias e Planos 18. Como são definidos os planos de ação visando alcançar as metas da empresa? a. Os planos de ação não são definidos. b. As ações são definidas informalmente para o alcance de algumas metas. c. Os planos de ação são elaborados para o alcance das principais metas. d. Os planos de ação são elaborados para o alcance das principais metas e são acompanhados por um responsável.

33 Critério Pessoas 19. Como as funções e responsabilidades das pessoas (dirigentes e colaboradores) estão definidas? a. Não estão definidas. b. Estão definidas informalmente. c. Estão documentadas e conhecidas pela maioria dos colaboradores. d. Estão documentadas e conhecidas por todos os colaboradores.

34 Critério Pessoas 20. Como é feita a contratação dos colaboradores? a. Não leva em conta as necessidades da empresa. b. Leva em conta as necessidades mínimas para o cargo, mas para apenas algumas funções. c. Leva em conta as necessidades para o cargo para a maioria das funções, mas é feita informalmente e sem um padrão definido. d. Leva em conta as necessidades para o cargo para a maioria das funções e é feita com um padrão definido.

35 Critério Pessoas 21. Como é tratada a capacitação dos colaboradores? a. Não são oferecidas ações de capacitação. b. São oferecidas ações de capacitação para alguns colaboradores. c. São oferecidas ações de capacitação para a maioria dos colaboradores. d. São disponibilizadas ações de capacitação para a maioria dos colaboradores com base num plano de treinamento.

36 Critério Pessoas 22. Como são identificados os perigos e tratados os riscos de saúde e segurança no trabalho? a. Os perigos e riscos não são conhecidos. b. Alguns riscos são tratados, mas os perigos não estão identificados de forma adequada. c. Os perigos são identificados, por meio de métodos que incluem PPRA e PCMSO, e os riscos tratados apenas com ações corretivas. d. Os perigos são identificados por meio de métodos que incluem PPRA e PCMSO, e os riscos tratados com ações corretivas e preventivas.

37 Critério Pessoas 23. Como são tratados os fatores de bem-estar e a satisfação dos colaboradores? a. Não existem ações para o bem-estar dos colaboradores. b. São adotadas ações apenas quando os problemas são detectados. c. São adotadas ações decorrentes de uma análise informal da satisfação dos colaboradores com o ambiente de trabalho. d. São adotadas ações decorrentes de uma análise formal da satisfação dos colaboradores com o ambiente de trabalho.

38 Critério Processos 24. Como as atividades da empresa são executadas de acordo com os padrões definidos e documentados? a. As atividades não são executadas de acordo com padrões definidos. b. Algumas atividades são executadas de acordo com padrões definidos, mas não documentados. c. As principais atividades são executadas de acordo com padrões documentados definidos a partir dos requisitos. d. As principais atividades são executadas de acordo com padrões documentados definidos a partir dos requisitos e de uma descrição de processo (fluxo,etc.)

39 Critério Processos 25. Como é controlado o desempenho das atividades da empresa? a. As atividades não são controladas. b. As atividades são controladas quando ocorrem problemas. c. Algumas atividades são controladas tomando como base os padrões de execução definidos. d. As principais atividades são controladas tomando como base os padrões de execução definidos, sendo algumas delas controladas por meio de indicadores e metas.

40 Critério Processos 26. Como os fornecedores são selecionados e avaliados quanto ao seu desempenho? a. Não é feita a seleção de fornecedores. b. Os fornecedores são selecionados com critérios definidos, mas o desempenho não é avaliado. c. Os fornecedores são selecionados com critérios definidos e o desempenho é avaliado quando ocorre algum problema. d. Os fornecedores são selecionados com critérios definidos e o desempenho é avaliado periodicamente, gerando ações para sua melhoria sempre que necessário.

41 Critério Processos 27. Como é feito o controle financeiro da empresa, a fim de otimizar a utilização dos recursos? a. Não há controles financeiros. b. Há controles financeiros, mas não é utilizado fluxo de caixa. c. Há controles financeiros com a utilização de fluxo de caixa. d. Há controles financeiros com a utilização de fluxo de caixa e um plano orçamentário com um horizonte de pelo menos um ano.

42 Critério Informações e Conhecimento 28. Como as informações necessárias para a execução das atividades, para análise e para condução do negócio estão definidas? a. As informações não estão definidas. b. Algumas informações para a análise e execução das atividades estão definidas. c. As informações para a execução das atividades e análise e condução do negócio estão definidas. d. As informações para a execução das atividades e análise e condução do negócio estão definidas e organizadas por um sistema de informação. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar as informações usadas para a execução das atividades, análise e tomada de decisões. Exemplo: análise dos principais indicadores de resultado, como reclamações de clientes, devoluções, defeitos, retrabalho, vendas, despesas, faltas, horas treinamento, acidentes, custos, etc.

43 Critério Informações e Conhecimento 29. Como as informações são disponibilizadas para os colaboradores? a. As informações não são disponibilizadas. b. As informações são disponibilizadas para alguns colaboradores. c. As informações são disponibilizadas para a maioria dos colaboradores. d. As informações são disponibilizadas para os colaboradores, sendo documentadas e organizadas para a retenção do conhecimento na empresa. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar a forma de divulgação das informações aos colaboradores e desde quando são utilizados. Exemplo: informações dos resultados publicados no mural desde 2006, jornal interno mensal desde 2008, Café da manhã semestral com o diretor e empregados realizado desde 2009, informações disponíveis na rede interna desde 2005, procedimentos da qualidade implantados desde 2007, etc.

44 Critério Informações e Conhecimento 30. Como as informações comparativas de outras empresas são utilizadas para avaliar o desempenho e melhorar os serviços, produtos e processos? a. As informações de outras empresas não são conhecidas. b. As informações de outras empresas são conhecidas, mas não são utilizadas. c. As informações de outras empresas são conhecidas e utilizadas ocasionalmente. d. As informações de outras empresas são conhecidas e utilizadas regularmente. Se resposta c ou d apresentar justificativa: Informações adicionais solicitadas: Apresentar as informações comparativas utilizadas, o nome dos principais referenciais ou concorrentes e algumas melhorias implantadas a partir das comparações e ano. Exemplo: Informação sobre participação no mercado dos concorrentes X, Y e Z obtidas na associação de classe e revistas especializadas do ramo. Implantada nova estratégia de venda em 2006, com base na pesquisa no concorrente X. Visita feira do ramo no ano 2005 e implantação de melhoria no produto X.

45 Critério Resultados (30% Pontuação) 31. Preencher a tabela com informações quantitativas Controla Dado do Indicador Sim Não Receita Total Despesa Total Índice de Satisfação No. de reclamações No. Colaboradores Rotatividade No. de Acidentes c/ afastamento Produção

46 Questionário de Autoavaliação PARTE I (obrigatória): Gestão da Empresa PARTE II (opcional): Características do Comportamento Empreendedor 30 perguntas PARTE III (opcional): Práticas de Responsabilidade Social (questionário com perguntas extras apenas para quem deseja se candidatar nesta categoria por ter algum projeto de destaque na área social)

47 PARTE II Características do comportamento Empreendedor (opcional) 1 Nunca;2 As vezes; 3 Sempre; 1. Gosto de desafios e novas oportunidades e esforço-me para realizar as coisas 1que 2 3deve 2. Insisto várias vezes para conseguir que as outras pessoas façam o que desejo, 1 e 2quand 3 3. As mudanças me assustam, então prefiro criar uma rotina onde posso controlar 1 2as 3cois 4. Procuro terminar o meu trabalho a tempo e manter-me fiel às promessas que 1faço, 2 3me 5. Meu rendimento no trabalho é melhor do que o das outras pessoas com quem 1 trabalho Se as coisas começam a ficar difíceis, prefiro desistir para não perder tempo Procuro situações em que posso controlar ao máximo os resultados finais, considerand Gosto de pensar sobre o futuro e fazer planos claros para a minha vida, pois 1acredito 2 3 q 9. Faço as coisas no meu ritmo sem me preocupar com as exigências e os prazos Quando inicio algo novo, recolho todas as informações possíveis, inclusive, 1consulto 2 3 p

48 PARTE II Características do comportamento Empreendedor (opcional) 1 Nunca;2 As vezes; 3 Sempre; 11. Procuro dividir um projeto de grande porte em tarefas mais simples, antecipando-me possíveis. 12. As coisas nem sempre saem como se imagina, nestes casos, se der para eu fazer 1 2 bem Consigo que os outros apoiem as minhas recomendações, e conto com pessoas 1 2 influe Tenho confiança de que posso ser bem-sucedido em qualquer atividade que 1me 2 prop Faço as coisas da mesma maneira e assim evito me estressar com coisas que 1 não 2 3esta 16. Procuro me superar em novas oportunidades Encontro vários caminhos para superar as dificuldades, sem perder o foco Procuro viver um dia de cada vez e realizo as coisas que vão aparecendo no 1caminho Abro mão do lazer, sempre que necessário, para atender a um compromisso 1assumid Acredito que tudo que faço, mesmo tendo bons resultados, pode ser melhorado

49 PARTE II Características do comportamento Empreendedor (opcional) 1 Nunca;2 As vezes; 3 Sempre; 21. Aprendo fazendo e não gasto meu tempo querendo saber antes 1como 2 3as 22. Faço coisas que no julgamento dos outros são arriscadas Minhas ações diárias são fortemente influenciadas por meus objetivos 1 2 3de 24. Organização e controle são atividades que dispenso, pois o tempo 1 2é curt Quando desconheço algo, não me importo em buscar informações Conto com um plano claro de vida em longo prazo Dispenso a opinião das pessoas sobre o que faço, pois não preciso 1 2delas Utilizo diferentes estratégias para convencer as pessoas a colaborarem co 29. Mantenho o meu ponto de vista, mesmo diante da discordância de 1 2outras Deixo de fazer o que gosto para agradar aos outros

Questionário de Autoavaliação MPE Brasil Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas. Ciclo 2009

Questionário de Autoavaliação MPE Brasil Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas. Ciclo 2009 Questionário de Autoavaliação MPE Brasil Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas Ciclo 2009 Este material foi desenvolvido pelos parceiros do MPE Brasil Prêmio de Competitividade para

Leia mais

Seja um vencedor. QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2010. Participe do Prêmio MPE Brasil.

Seja um vencedor. QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2010. Participe do Prêmio MPE Brasil. 20 10 ED IÇ ÃO Participe do Prêmio MPE Brasil. Seja um vencedor. O MPE Brasil Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas é um reconhecimento, em nível estadual e nacional, às micro e pequenas

Leia mais

O Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas é dirigido às empresas que se enquadrem nas seguintes características:

O Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas é dirigido às empresas que se enquadrem nas seguintes características: Regulamento MPE Brasil - 2015 Artigo 1º - Objetivo O MPE Brasil - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas se constitui no reconhecimento estadual e nacional às micro e pequenas empresas

Leia mais

Ciclo 2012. Devolução até 30/8/2012. Participação gratuita Informações: 0800 570 0800. www.premiompe.sebrae.com.br

Ciclo 2012. Devolução até 30/8/2012. Participação gratuita Informações: 0800 570 0800. www.premiompe.sebrae.com.br Ciclo 2012 Devolução até 30/8/2012 Participação gratuita Informações: 0800 570 0800 www.premiompe.sebrae.com.br Lembrem-se de preencher. Mais de 380 mil empresas, em todo o Brasil, já participaram. mpe

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2013

QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2013 QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2013 O talento brasileiro com apoio total para se desenvolver. Devolução até 31 de julho de 2013. Participação gratuita Informações: 0800 570 0800 Exercitar a criatividade

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2015

QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2015 QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO CICLO 2015 O talento brasileiro com apoio total para se desenvolver. Devolução até 31 de julho de 2015. Exercitar a criatividade é uma qualidade tipicamente brasileira. Para

Leia mais

MPE BRASIL - PRÊMIO DE COMPETITIVIDADE PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

MPE BRASIL - PRÊMIO DE COMPETITIVIDADE PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS MPE BRASIL - PRÊMIO DE COMPETITIVIDADE PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Questionário de Auto-Avaliação 2008 Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas Instituições Nacionais Parceiras Serviço

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

R E G U L A M E N T O

R E G U L A M E N T O Premiação para associações comunitárias, empreendedores sociais, institutos de pesquisa, micro e pequenas empresas, ONGs e universidades sobre Iniciativas Inovadoras em Sustentabilidade R E G U L A M E

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

REGULAMENTO - 17º PRÊMIO EMPRESA CIDADÃ ADVB/SC 2015 - Categoria Micro e Pequena Empresa

REGULAMENTO - 17º PRÊMIO EMPRESA CIDADÃ ADVB/SC 2015 - Categoria Micro e Pequena Empresa REGULAMENTO - 17º PRÊMIO EMPRESA CIDADÃ ADVB/SC 2015 - Categoria Micro e Pequena Empresa Resumo do Prêmio O Prêmio Empresa Cidadã ADVB/SC 2015 Categoria MPE Homenageia as Micro e Pequenas Empresas catarinenses

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

PRÊMIO SEBRAE MULHER DE NEGÓCIOS

PRÊMIO SEBRAE MULHER DE NEGÓCIOS Reconhecer e premiar empreendedoras cujos relatos de vida são exemplos de empreendedorismo e que possam inspirar outras mulheres a realizar seus sonhos como empreendedoras. Categorias: PRÊMIO SEBRAE MULHER

Leia mais

PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015

PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015 PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015 1. O PRÊMIO O Prêmio Talento em Sustentabilidade foi criado para reconhecer o trabalho de empregados, estagiários e terceiros do Grupo Votorantim que

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

PRÊMIO CARLOS DREHER. Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre. (Henry Ford) REGULAMENTO

PRÊMIO CARLOS DREHER. Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre. (Henry Ford) REGULAMENTO PRÊMIO CARLOS DREHER Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre. (Henry Ford) Carlos Dreher dedicou mais de duas décadas a uma fotografia transformadora, aquela que propicia cidadania

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses.

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses. REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Art. 1º O Prêmio de Nacional de Inovação na Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), com o apoio da Financiadora

Leia mais

"Caso de Sucesso" Palace Hotel Vencedor MPE Brasil Categoria Turismo

Caso de Sucesso Palace Hotel Vencedor MPE Brasil Categoria Turismo "Caso de Sucesso" Palace Hotel Vencedor MPE Brasil Categoria Turismo Nossas Boas Práticas de Gestão Vantagens na Adoção Ganhos Obtidos com o Prêmio Histórico Final do século XIX: Palacete Comendador Cardoso

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência

Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência O que é o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) e quais são seus objetivos? O Modelo de Excelência da Gestão reflete a experiência, o conhecimento

Leia mais

Manual de Candidatura. Prêmio Master Empresarial

Manual de Candidatura. Prêmio Master Empresarial Manual de Candidatura Prêmio Master Empresarial Ciclo 2007 1 SEBRAE Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE é o serviço

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015

Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015 Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015 Seção I - Introdução Art. 1º O Prêmio Telecentros Brasil, criado pela Associação Telecentro de Informação e Negócios (ATN) em parceria com o SEBRAE, TICKET, Ministério

Leia mais

PRÊMIO MELHOR EMPRESA PARA SE TRABALHAR NO ESPÍRITO SANTO. Regulamento

PRÊMIO MELHOR EMPRESA PARA SE TRABALHAR NO ESPÍRITO SANTO. Regulamento Regulamento A ABRH-ES (Associação Brasileira de Recursos Humanos - Seccional Espírito Santo) é integrante do Sistema Nacional ABRH e configura-se como instituição não governamental que dissemina conhecimento

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO MEU SONHO MEU NEGÓCIO 1. APRESENTAÇÃO. alternativa de autoemprego e geração de renda para sobreviver.

REGULAMENTO CONCURSO MEU SONHO MEU NEGÓCIO 1. APRESENTAÇÃO. alternativa de autoemprego e geração de renda para sobreviver. CONCURSO MEU SONHO MEU NEGÓCIO PROJETO DE INCENTIVO AO PEQUENO NEGÓCIO 7ª EDIÇÃO, 2015 Realização: SEBRAE/SC e RICTV Record REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO O concurso MEU SONHO MEU NEGÓCIO é um projeto realizado

Leia mais

Case NTech Lançamento MPE Brasil 2009 Faculdade Maurício de Nassau

Case NTech Lançamento MPE Brasil 2009 Faculdade Maurício de Nassau Case NTech Lançamento MPE Brasil 2009 Faculdade Maurício de Nassau 09 Jul 2009 NTech Tecnologia de Informação Ltda Palestrante Jean Paul Torres Neumann Diretor Executivo NTech Tecnologia de Informação

Leia mais

Escolha os melhores caminhos para sua empresa

Escolha os melhores caminhos para sua empresa Escolha os melhores caminhos para sua empresa O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio

Leia mais

REGULAMENTO SINDUSCON PREMIUM ETAPA LITORAL NORTE 2013. 1ª edição

REGULAMENTO SINDUSCON PREMIUM ETAPA LITORAL NORTE 2013. 1ª edição REGULAMENTO SINDUSCON PREMIUM ETAPA LITORAL NORTE 2013 1ª edição 1 DA INSTITUIÇÃO DA PREMIAÇÃO 1.1 O Sinduscon Premium Etapa Litoral Norte 1ª edição instituído pelo SINDUSCON RS, Sindicato das Indústrias

Leia mais

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ?

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ? PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES AVALIAÇÃO SASSMAQ (P.COM.26.00) O SASSMAQ é um Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade, elaborado pela Comissão de Transportes da ABIQUIM, dirigido

Leia mais

REGULAMENTO. 1) Indústria 2) Comércio 3) Serviços 4) Agronegócio DO OBJETIVO

REGULAMENTO. 1) Indústria 2) Comércio 3) Serviços 4) Agronegócio DO OBJETIVO REGULAMENTO DO OBJETIVO Art. 1º. O PRÊMIO JOVEM TALENTO EMPREENDEDOR é uma iniciativa da Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego,

Leia mais

CONCURSO Nº: 001/2015 PROCESSO Nº: E-11/002/2318/2015 MINUTA DE EDITAL PRÊMIO EMPREENDEDOR 2015

CONCURSO Nº: 001/2015 PROCESSO Nº: E-11/002/2318/2015 MINUTA DE EDITAL PRÊMIO EMPREENDEDOR 2015 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. AGÊNCIA DE FOMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO S.A. CONCURSO Nº: 001/2015 PROCESSO

Leia mais

6 de novembro de 2006 - Blumenau - SC

6 de novembro de 2006 - Blumenau - SC 6 6 de novembro de 2006 - Blumenau - SC Promoção Apoio Apresentação Com a criação do Dia Municipal do Empreendedor, e também encaminhado no âmbito estadual e nacional, a ACIB Jovem consolida um esforço

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO - 1 - PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar o investimento social

Leia mais

REGULAMENTO DO OBJETIVO

REGULAMENTO DO OBJETIVO REGULAMENTO DO OBJETIVO Art. 1º. O Prêmio Jovem Talento Empreendedor edição 2012 é uma iniciativa da Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico, Trabalho

Leia mais

REGULAMENTO DA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARTICIPANTES DO EU EMPRESÁRIO SEBRAE 2013

REGULAMENTO DA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARTICIPANTES DO EU EMPRESÁRIO SEBRAE 2013 REGULAMENTO DA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARTICIPANTES DO EU EMPRESÁRIO SEBRAE 2013 1. Objeto e prazo da seleção de empresas 1.1. O presente Regulamento tem por objeto a seleção de micro, pequenas empresas e

Leia mais

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração.

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração. . Quem somos //Sobre A Oficina1 é uma consultoria direcionada à tecnologia da informação, com foco na implementação dos ERPs Protheus e OpenBravo, além do aplicativo de Service Desk SysAid, abrangendo

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social Florianópolis - SC 27 de outubro de 2014 A INFORMALIDADE NO BRASIL A INFORMALIDADE Pesquisa ECINF IBGE Pertencem ao setor

Leia mais

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015 Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC Processo de Seleção de Empresas EDITAL nº 2/2015 Brasília, 20 de Novembro de 2015 Apresentação É com satisfação que a Projetos Consultoria Integrada,

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL Eng. Dayana B. Costa MSc, Doutoranda e Pesquisadora do NORIE/UFRGS Conteúdo da Manhã Módulo 1 Medição de Desempenho Conceitos Básicos Experiência de Sistemas de

Leia mais

REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO.

REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO. REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO. A Revista Motoboy Magazine tem o prazer de realizar o Prêmio Motoboy Magazine Top Motofrete 2013, a fim de prestigiar o trabalho de empresas em prestação

Leia mais

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos O que você vai mudar em sua forma de atuação a partir do que viu hoje? Como Transformar o Conteúdo Aprendido Neste Seminário em Ação! O que debatemos

Leia mais

REGULAMENTO PRÊMIO ESTADÃO PME

REGULAMENTO PRÊMIO ESTADÃO PME REGULAMENTO PRÊMIO ESTADÃO PME 1. O PRÊMIO O Prêmio ESTADÃO PME é uma iniciativa pioneira e única do Grupo Estado e tem como objetivos valorizar as melhores histórias de pequenas e médias empresas e estimular

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG

Grupo Educacional UNIS - MG 1º CONCURSO NEUNIS DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2014 1 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso NEUNIS de Planos de Negócio para Universitários é uma iniciativa

Leia mais

Indicadores Gestão da Ética

Indicadores Gestão da Ética Indicadores Gestão da Ética Identificação Segmento: Diversos Resultados Sua Pontuação: 0 Sua Avaliação: INICIANTE Descrição: A empresa utiliza muito pouco ou praticamente nenhuma ferramenta de gestão de

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA O Desafio Criativos da Escola é um concurso promovido pelo Instituto Alana com sede na Rua Fradique Coutinho, 50, 11 o. andar, Bairro Pinheiros São Paulo/SP, CEP

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

1º Prêmio de Comunicação - Grupo SMS 2014

1º Prêmio de Comunicação - Grupo SMS 2014 1º Prêmio de Comunicação - Grupo SMS 2014 1 INTRODUÇÃO O 1º Prêmio de Comunicação Grupo SMS 2014, com o tema Mobilidade Urbana é uma iniciativa do Grupo SMS, formado pelas empresas Auto Viação Salineira,

Leia mais

Círculo do Café de Qualidade - CCQ Passo a Passo

Círculo do Café de Qualidade - CCQ Passo a Passo 1. O que é? O Círculo do Café de Qualidade é uma evolução em relação ao PQC ABIC, lançado em 2004, e está inserido dentro das diretrizes da ABIC de aumento do consumo interno de café no Brasil, visando

Leia mais

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes?

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? Apresentação - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? 2 Importância dos Pequenos Negócios 52% dos empregos formais 40% da massa salarial 62%

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Gestão Colaborativa. Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009. Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise INOVAÇÃO

Gestão Colaborativa. Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009. Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise INOVAÇÃO Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise Gestão Colaborativa INOVAÇÃO SUSTENTABILIDADE GESTÃO COLABORATIVA EMPREENDEDORISMO CRIATIVIDADE Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento 1. Do Conceito de Tecnologia Social 1.1 Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / /

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / / FICHA DE CADASTRO EMPRETEC Município Data: / / Caro Empreendedor, Obrigado por seu interesse pelo Empretec, um dos principais programas de desenvolvimento de empreendedores no Brasil e no Mundo! As questões

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

PNQS 2012 Categoria IGS. Inovação da Gestão em Saneamento. RDPG Relatório de Descrição de Prática de Gestão. Conselho de Clientes

PNQS 2012 Categoria IGS. Inovação da Gestão em Saneamento. RDPG Relatório de Descrição de Prática de Gestão. Conselho de Clientes 1 PNQS 2012 Categoria IGS Inovação da Gestão em Saneamento RDPG Relatório de Descrição de Prática de Gestão Conselho de Clientes Setembro 2012 ORGANOGRAMA 2 PRESIDÊNCIA ASSESSORIAS 1 2 3 4 5 ORGANIZAÇAO

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0001/2014 Edital Nº 068/2014

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0001/2014 Edital Nº 068/2014 FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0001/2014 Edital Nº 068/2014 A Fundação Parque Tecnológico Itaipu Brasil (FPTI-BR), por meio do PTI Ciência, Tecnologia e Inovação (PTI

Leia mais

Prêmio Nacional de Inovação 1ª Banca de Juízes PNI. São Paulo, 7 e 8 de julho/2011

Prêmio Nacional de Inovação 1ª Banca de Juízes PNI. São Paulo, 7 e 8 de julho/2011 Prêmio Nacional de Inovação 1ª Banca de Juízes PNI São Paulo, 7 e 8 de julho/2011 AGENDA Boas Vindas Entendendo a inovação Inovar é gerar valor Prêmio Nacional de Inovação OBJETIVO Contribuir para a reflexão

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

PLANO DE AÇÃO. Módulo B Liderança e Gestão de Pessoas

PLANO DE AÇÃO. Módulo B Liderança e Gestão de Pessoas PLANO DE AÇÃO Módulo B Liderança e Gestão de Pessoas PLANO DE AÇÃO LIDERANÇA E GESTÃO DE PESSOAS Banco do Brasil INEPAD Prezados alunos, Nesta etapa, ao receber de volta do Diagnóstico de sua agência você

Leia mais

NOSSA MISSÃO NOSSA ASPIRAÇÃO NOSSOS CLIENTES

NOSSA MISSÃO NOSSA ASPIRAÇÃO NOSSOS CLIENTES NOSSA MISSÃO Estimular e apoiar as organizações para o desenvolvimento e evolução de sua gestão, por meio da disseminação dos Fundamentos e Critérios de Excelência, para que se tornem sustentáveis, cooperativas

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO MULHERES QUE FAZEM A DIFERENÇA

REGULAMENTO DO PRÊMIO MULHERES QUE FAZEM A DIFERENÇA REGULAMENTO DO PRÊMIO MULHERES QUE FAZEM A DIFERENÇA O Prêmio Mulheres que Fazem a Diferença é uma realização do Núcleo Multissetorial da Mulher Empresária da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis

Leia mais

Estratégias de EAD na Vale

Estratégias de EAD na Vale Estratégias de EAD na Vale Mineradora pioneira que trabalha com paixão, transformando recursos minerais em ingredientes essenciais o dia-a-dia das pessoas. É a segunda maior mineradora diversificada do

Leia mais

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 As 15 Melhores Práticas em Gestão de Pessoas no Pará VIII Edição 1 Pesquisa Prazer em Trabalhar Ano VI Parceria Gestor Consultoria e Caderno Negócios Diário do Pará A

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

38 Fórum de QPC. Realizações 2007 Seminário de Benchmarking Prêmio Realce ABGC Acontece

38 Fórum de QPC. Realizações 2007 Seminário de Benchmarking Prêmio Realce ABGC Acontece 38 Fórum de QPC Realizações 2007 Seminário de Benchmarking Prêmio Realce ABGC Acontece Perspectivas 2007 PGQB Programa de Capacitação Prêmio Realce Seminário de Excelência na Saúde Comitês Temáticos Projeto

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização:

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização: AGENDA 5ª Edição D? 06 de Maio de 2015 Hotel Staybridge Realização: w w w.c o r p b us i n e s s.c o m.b r Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO C GESTÃO DE PESSOAS: DESAFIOS

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES

QUESTIONÁRIO DE LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES QUESTIONÁRIO DE LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES CRITÉRIOS PARA INCLUSÃO DE EMPRESAS NOS FUNDOS ETHICAL - 16 - PARTE A DESEMPENHO NA ÁREA AMBIENTAL (GRUPO 1: ESTRUTURA DA ÁREA DE GESTÃO AMBIENTAL) A1. A gestão

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade Bem-Vindos! APRESENTAÇÃO Ana Afonso organizadora profissional em São Paulo atua desde 2006 realizando serviços de organização de espaços, gestão de residências, treinamento de funcionários domésticos,

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) torna pública, através da Diretoria de Inovação e Empreendedorismo (DINE) da Pró-Reitoria para Assuntos de

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG Núcleo de Empreendedorismo do UNIS - NEUNIS

Grupo Educacional UNIS - MG Núcleo de Empreendedorismo do UNIS - NEUNIS 2º CONCURSO UNIVERSITÁRIO DE PLANOS DE NEGÓCIO DO UNIS 2015 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O 2º Concurso Universitário de Planos de Negócio do Unis-MG é uma iniciativa

Leia mais

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS Parceria Instituição Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas IFAM, Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

2. QUEM PODE PARTICIPAR

2. QUEM PODE PARTICIPAR EDITAL 1. Edital Instituto Walmart 1.1. Este edital é uma iniciativa do Instituto Walmart com o objetivo de identificar, reconhecer e estimular o desenvolvimento de projetos por organizações da sociedade

Leia mais

REGULAMENTO. As empresas podem inscrever um ou mais Cases, nas seguintes categorias:

REGULAMENTO. As empresas podem inscrever um ou mais Cases, nas seguintes categorias: REGULAMENTO 1. O PRÊMIO O PRÊMIO SMART, regido por este regulamento, tem como objetivo distinguir e reconhecer as melhores práticas de relacionamento com o cliente em Utilities e Telecom: Energia Elétrica,

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com. PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social Franquipar Franqueadora e Licenciadora de Marcas Ltda. Nome fantasia Parmê

Leia mais

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Filomena Garcia Sócia-Diretora do Grupo Cherto: Comercial, Expansão de Franquias e Rede de Negócios

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES. Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP

E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES. Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP ÍNDICE Introdução Planejamento Financeiro Gestão do Fluxo de Caixa Gestão por Centros de Custo Otimizando o seu

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais