TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Leandro Schunk

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Leandro Schunk"

Transcrição

1 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2 Módulo 2 Alinhamento entre TI e Estratégia de Negócio.

3 Dinâmica 1 Discutir, em grupos, a seguinte questão: Para manter-se competitiva, em termos de inovação tecnológica, qual seria o caminho mais adequado a ser adotado por uma empresa? 1.Sair na frente de seus concorrentes; 2.Acompanhar seus movimentos, segui-los bem de perto, ou; 3.Deixá-los sempre à frente, para aprender com seus erros?

4 Dinâmica 1 Situações: 1.Empresa multinacional líder de mercado no seu segmento com alta capacidade de investimento; 2.Empresa nacional, com alinhamento estratégico de liderança por custo, bem posicionada no mercado e com caixa positivo; 3.Empresa nacional iniciante, com market share de 1% regional, tentando consolidação da marca, com fluxo de caixa apertado;

5 Nenhum destes caminhos é necessariamente bom ou ruim. O que é verdadeiramente ruim é a ausência de caminhos!

6 Dinâmica 2 Citem alguns exemplos de empresas que sejam líderes e seguidores rápidos. Considerando que uma empresa nacional pode até ser considerada líder frente a seus concorrentes, mesmo que seja um seguidor rápido em relação às maiores empresas internacionais.

7 Dinâmica 2 Líderes

8 Dinâmica 2 Seguidores rápidos

9 Dinâmica 3 Considerando as quatro possíveis posturas (líder, seguidor rápido, seguidor lento e não seguidor), qual delas é a melhor em termos de competitividade? LÍDER SEGUIDOR RÁPIDO SEGUIDOR LENTO NÃO SEGUIDOR (MUITO LENTO) Pioneirismo Monitora os principais concorrentes Minimizar riscos e investimentos Última a incorporar tecnologia Alto custo, alto risco e dificuldades técnicas Custo elevado, médio risco maior confiança para investir Baixo custo, baixo risco Baixo custo, baixo risco, baixo ganho Gera posicionamento estratégico Limita o salto em relação a concorrência Sem foco a inovação tecnológica Perdem terreno / risco de estagnar

10 Dinâmica 3 Considerando as quatro possíveis posturas (líder, seguidor rápido, seguidor lento e não seguidor), qual delas é a melhor em termos de competitividade? ESTRATÉGIA HÍBRIDA LÍDER Core Business / Competences SEGUIDOR RÁPIDO Core Secundário Aspectos menos relevantes SEGUIDOR LENTO Áreas não críticas / suporte operacional

11 Dinâmica 4 (Em grupo) Caso Minkel 1.Faça uma análise de contexto, ou seja, pensando inclusive no histórico da empresa, procure identificar todos os elementos internos e externos que possam influenciar as possíveis decisões a serem tomadas neste caso. 2.Procure identificar pontos fortes (quer dizer, coisas em que a Minkel tinha um diferencial em relação a seus concorrentes), pontos fracos (quer dizer, aspectos em que seus concorrentes se saem melhor que ela), oportunidades (ou seja, situações externas favoráveis) e ameaças (situações externas desfavoráveis).

12 1.Faça uma análise de contexto, ou seja, pensando inclusive no histórico da empresa, procure identificar todos os elementos internos e externos que possam influenciar as possíveis decisões a serem tomadas neste caso. Empresa familiar, em processo de sucessão; Situação de caixa confortável; Compete em preço; Atuação em âmbito regional (nem local, nem nacional); Crescimento em ambiente protegido e favorável; Nos anos iniciais, foi uma empresa inovadora (Líder e seguidor rápido); Após crescimento tornou-se, progressivamente, conservadora;

13 1.Faça uma análise de contexto, ou seja, pensando inclusive no histórico da empresa, procure identificar todos os elementos internos e externos que possam influenciar as possíveis decisões a serem tomadas neste caso. Atuava em 3 áreas de negócio, das quais 2 andavam de lado e só uma apresentava algum crescimento consistente, mas ainda muito recente para se ter um parecer conclusivo; Uso relativamente desordenado da TI; Poucos sistemas estruturados (quase todos eles voltados a apoio administrativo); Profusão de planilhas e aplicações Access, inevitavelmente convivendo com redundâncias e inconsistências.

14 2.Procure identificar pontos fortes (quer dizer, coisas em que a Minkel tinha um diferencial em relação a seus concorrentes), pontos fracos (quer dizer, aspectos em que seus concorrentes se saem melhor que ela), oportunidades (ou seja, situações externas favoráveis) e ameaças (situações externas desfavoráveis).

15 2.Procure identificar pontos fortes (quer dizer, coisas em que a Minkel tinha um diferencial em relação a seus concorrentes), pontos fracos (quer dizer, aspectos em que seus concorrentes se saem melhor que ela), oportunidades (ou seja, situações externas favoráveis) e ameaças (situações externas desfavoráveis). Pontos Fortes Qualidade: considerados os produtos e mercados atuais, atendia às expectativas dos clientes; Marca: mesmo competindo em preço, tinha certo reconhecimento no mercado; Rede de distribuição: se um novo concorrente chegasse ao mercado, precisaria de tempo e de não poucos enormes investimentos para consolidar seus canais de venda; Sua atuação em âmbito regional já a qualifica em termos de logística, operações mais complexas de crédito, etc.

16 2.Procure identificar pontos fortes (quer dizer, coisas em que a Minkel tinha um diferencial em relação a seus concorrentes), pontos fracos (quer dizer, aspectos em que seus concorrentes se saem melhor que ela), oportunidades (ou seja, situações externas favoráveis) e ameaças (situações externas desfavoráveis). Pontos Fracos Qualidade: caso pretendesse expandir suas atividades, seria imprescindível atuar neste ponto; Política de pessoal caótica (vide opinião do pai sobre qualificação) e retenção de RH; Absoluta falta de instrumentos para gestão e decisão, inclusive por conta da fragmentação dos sistemas de informação. Ex: era impossível saber, nas 3 linhas de produtos, o que gerava retorno e o que era peso morto; Processo de transição no comando (mesmo que planejado) é um fator de inquietação, que tende a obstruir o processo decisório.

17 2.Procure identificar pontos fortes (quer dizer, coisas em que a Minkel tinha um diferencial em relação a seus concorrentes), pontos fracos (quer dizer, aspectos em que seus concorrentes se saem melhor que ela), oportunidades (ou seja, situações externas favoráveis) e ameaças (situações externas desfavoráveis). Oportunidades Ampliação do âmbito de atuação geográfica, buscando presença nacional; Possibilidade de novas áreas de negócios sinérgicas, inclusive a já vislumbrada (consultoria), mas isso dependia de pesado investimento; Novas linhas de produtos (ex: painéis e controles eletrônicos), desde que se solucione o problema de qualidade: seria impensável, neste novo nicho, manter a situação existente.

18 2.Procure identificar pontos fortes (quer dizer, coisas em que a Minkel tinha um diferencial em relação a seus concorrentes), pontos fracos (quer dizer, aspectos em que seus concorrentes se saem melhor que ela), oportunidades (ou seja, situações externas favoráveis) e ameaças (situações externas desfavoráveis). Ameaças Defasagem tecnológica pode inviabilizar seus produtos no médio-longo prazo; Surgimento de novos concorrentes mais competentes (por exemplo, não se descarta o aparecimento de empresas com capital multinacional e altos investimentos em tecnologia).

19 Dúvidas???

20 OBRIGADO!

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Módulo 1 Alavancando a competitividade através da TI Prof. Prof. Leandro Leandro Schunk Marcilio Schunk Dinâmica 1 O que é competitividade e como ela se materializa, ou seja: para

Leia mais

GUIA SOBRE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA

GUIA SOBRE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA GUIA SOBRE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 3 AFINAL, O QUE É UMA CONTROLADORIA ESTRATÉGICA? 6 COMO ELA FUNCIONA NA PRÁTICA? 10 O QUE FAZ UM CONTROLLER? 14 COMO FAZER UMA CONTROLARIA DA MELHOR

Leia mais

Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho

Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho O QUE É O MODELO O Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho é uma ferramenta de diagnóstico e auto-avaliação que propõe às indústrias brasileiras uma reflexão

Leia mais

AULA 2. Analise do ambiente. Planejamento estratégico

AULA 2. Analise do ambiente. Planejamento estratégico Analise do ambiente AULA 2 ASSUNTO: Análise do ambiente é o processo de monitoramento do ambiente organizacional para identificar as oportunidades e os riscos atuais e futuros que podem vir a influenciar

Leia mais

Prof.º Marcelo Mora

Prof.º Marcelo Mora ANÁLISE DAS 5 FORÇAS COMPETITIVAS NA INDÚSTRIA Análise Estrutural da Indústria ENTRANTES POTENCIAIS Ameaças de novos entrantes Poder de negociação dos fornecedores FORNECEDORES Concorrentes na Indústria

Leia mais

Mobilização Empresarial pela Inovação Internacionalização e Inovação. Frederico Curado / Embraer SP - 17 junho 2011

Mobilização Empresarial pela Inovação Internacionalização e Inovação. Frederico Curado / Embraer SP - 17 junho 2011 Mobilização Empresarial pela Inovação Internacionalização e Inovação Frederico Curado / Embraer SP - 17 junho 2011 OBJETIVOS Consolidar o entendimento de que a internacionalização das empresas brasileiras,

Leia mais

MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS DO CURSO O objetivo geral do Curso de Pós-graduação Lato Sensu MBA Executivo Internacional em Gestão de Negócios é de capacitar os profissionais

Leia mais

Metodologia de análise e planejamento comercial, elaborada pela ROMA CONSULTING, para a definição das prioridades estratégicas comerciais.

Metodologia de análise e planejamento comercial, elaborada pela ROMA CONSULTING, para a definição das prioridades estratégicas comerciais. 1 Metodologia de análise e planejamento comercial, elaborada pela CONSULTING, para a definição das prioridades estratégicas comerciais. 06/2013 BUSINESS PLANNING 2 Ø PLANEJANDO OS NEGÓCIOS sem preparação,

Leia mais

SUMÁRIO: Definição Estrutura Aplicação Pontos positivos Pontos negativos Referências empresariais Conclusão

SUMÁRIO: Definição Estrutura Aplicação Pontos positivos Pontos negativos Referências empresariais Conclusão CARREIRA EM: SUMÁRIO: Definição Estrutura Aplicação Pontos positivos Pontos negativos Referências empresariais Conclusão HÁ DOIS TIPOS DE CARREIRAS: CARREIRA EM Y: CARREIRA EM I: A GERAÇÃO Y É DIFERENTE

Leia mais

LLM Marketing de serviços jurídicos

LLM Marketing de serviços jurídicos LLM Marketing de serviços jurídicos Planejamento estratégico + Posicionamento de Mercado Aula 02 Wolney Pereira Agenda 1) Projeto de marketing 2) Conceituação de estratégia 3) Processo de planejamento

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS 1. Resumo Executivo (Síntese das principais informações que constam em seu PN. É a principal seção do Plano de Negócios, pois através dele é que o leitor decidirá se

Leia mais

Estratégia de Negócios no Mundo Real

Estratégia de Negócios no Mundo Real Estratégia de Negócios no Mundo Real sua estratégia pode estar errada? André T Arrivabene PMP, PgMP, SCPM, MSP VAMOS COMEÇAR COM UM RÁPIDO EXERCÍCIO: Resuma a estratégia de sua empresa em 1 parágrafo foco

Leia mais

SOMOS TOTVS. BRASIL 15 Filiais: 3 (SP), 2 (RJ), 3 (MG), 2 (PR), 1 (CE), 1 (GO), 1 (SC), 1(PE), 1 (DF) 52 Franquias em todo o território nacional

SOMOS TOTVS. BRASIL 15 Filiais: 3 (SP), 2 (RJ), 3 (MG), 2 (PR), 1 (CE), 1 (GO), 1 (SC), 1(PE), 1 (DF) 52 Franquias em todo o território nacional PROFISSIONALIZE-SE SOMOS TOTVS PROXIMIDADE A TOTVS tem presença nos principais centros de negócio do Brasil e da América Latina para estar sempre perto de você e da sua empresa. Tudo isso porque Pensando

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Capítulos 4, 5, 6 e 7 Estratégias de nível empresarial, da unidade de negócio e funcional - Depois que a organização delineou sua missão, objetivos gerais e específicos, a alta administração pode formular

Leia mais

Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear

Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear Missão Atuar nos mercados de energia de forma integrada rentável e sustentável. Visão Em

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SOCIEDADE DIGITAL FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS 01/03/2016

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SOCIEDADE DIGITAL FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS 01/03/2016 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com SOCIEDADE DIGITAL Convergência Microeletrônica Computadores Software Internet Wireless Fibras

Leia mais

Estratégias - Ofensiva e defensiva Marcos Henrique Fortes

Estratégias - Ofensiva e defensiva Marcos Henrique Fortes Estratégias - Ofensiva e defensiva Marcos Henrique Fortes Gatinho Cheshire, Alice perguntou... Por favor, diga-me que caminho devo seguir? Depende de onde você deseja chegar, respondeu o gato. Do Filme

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico SWOT Porter Roberto César 1 17:09 Análise SWOT Esta análise mostra a situação de uma empresa em um determinado momento, ela é feita de forma integrada levando em consideração os

Leia mais

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Gestão Estratégica Aula 6 Estratégia Competitiva Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br A BATALHA DE KURSK 1 Modelo de Porter As 5 forças Competitivas Estratégias Genéricas Propósito da Empresa

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G Área de Insumos Básicos Novembro de 2011 1 1. BNDES e a Indústria de P&G Principais Objetivos A. Contribuir para o desenvolvimento competitivo e sustentável da Indústria

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: CONCEITOS E PRINCÍPIOS. Plano Diretor de Tecnologia da Informação Governança em TI

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: CONCEITOS E PRINCÍPIOS. Plano Diretor de Tecnologia da Informação Governança em TI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: CONCEITOS E PRINCÍPIOS Plano Diretor de Tecnologia da Informação Governança em TI BRASIL MODERNO Plano Diretor é importante porque é o planejamento dos recursos para viabilização

Leia mais

Business Partner em Recursos Humanos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Business Partner em Recursos Humanos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Quem somos e o quê fazemos?

Quem somos e o quê fazemos? Quem somos e o quê fazemos? Uma entidade sem fins lucrativos dedicada a pensar estrategicamente o setor, conduzindo programas direcionados ao desenvolvimento tecnológico das empresas e a sua inserção no

Leia mais

Aula 3- Forças Competitivas

Aula 3- Forças Competitivas Aula 3- Forças Competitivas Professora Bruna Panzarini Michael Porter Autor de teorias e de livros sobre estratégias e competitividade, Michael Eugene Porter nasceu em Michigan em 1947. Professor na Harvard

Leia mais

ESTRATÉGIAS TECNOLÓGICAS NAS EMPRESAS

ESTRATÉGIAS TECNOLÓGICAS NAS EMPRESAS 1 Nosso último assunto foi: Construção de Capacidades Tecnológicas Nesta aula veremos: Estratégias Tecnológicas. 2 Serão comentados os tipos Estratégias Tecnológicas, como: Ofensiva; Defensiva; Imitadora;

Leia mais

Aveiro Território Sustentável e Competitivo

Aveiro Território Sustentável e Competitivo Aveiro Território Sustentável e Competitivo Investir e Gerar Valor na Região 8 de Fevereiro de 2014 Pedro Almeida Ribeiro Administrador Executivo Caixa Económica Montepio Geral e Montepio Investimento

Leia mais

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI)

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) Aula baseada em dois artigos: Comportamento e Estratégias de Organizações em

Leia mais

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 Índice Introdução 15 Parte I CONCEITOS E FUNDAMENTOS Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 1. Introdução 21 2. A estratégia deve assegurar a satisfação equilibrada das diversas legitimidades

Leia mais

Facilitador. Webinar HOPER Inteligência de Mercado

Facilitador. Webinar HOPER Inteligência de Mercado 1 2 Facilitador Atuou: Docente universitário; Coordenador de Comissão Própria de Avaliação de IES (CPA) e Gerente de Projeto do PORTAL IES (Portal de Indicadores Educacionais da Hoper Educação). Formação

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL. Palestrante Márcia Siqueira

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL. Palestrante Márcia Siqueira COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL Palestrante Márcia Siqueira Proposta 1. Refletir sobre as competências profissionais que contribuirão para solidificação da identidade, fortalecimento e continuidade

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso n.º 206 aprovado pela portaria Cetec nº 733 de 10/09/2015 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

profissões tendências em 2017

profissões tendências em 2017 17 profissões tendências em 2017 Analista de compras.1 Especializado em negociações com fornecedores, prospecção de novos profissionais e gestão de insumos diretos ou indiretos. Perfil com forte organização,

Leia mais

IV Workshop PPI -CIESP

IV Workshop PPI -CIESP IV Workshop PPI -CIESP Por dentro da Segurança 25/10/2016 Por dentro da Segurança Inteligência Competitiva com Sistemas de Câmeras Integrados aaffonso@tpsolutions.com.br 2 a2 a3 Evolução Tecnológica A

Leia mais

AgroDistribuidor. O Futuro da Distribuição de Insumos no Brasil: Desafios e Oportunidades. Dr. Matheus Alberto Cônsoli

AgroDistribuidor. O Futuro da Distribuição de Insumos no Brasil: Desafios e Oportunidades. Dr. Matheus Alberto Cônsoli AgroDistribuidor O Futuro da Distribuição de Insumos no Brasil: Desafios e Oportunidades Dr. Matheus Alberto Cônsoli consoli@markestrat.org CEARPA Primavera do Leste MT 17 de Agosto 2011 Agenda A MARKESTRAT

Leia mais

4) ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

4) ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é dotar os participantes de todos os instrumentos necessários para tomar as decisões fundamentais de investimento e inovação e levá-la à prática

Leia mais

Consultoria & Assessoria Empresarial

Consultoria & Assessoria Empresarial Consultoria & Assessoria Empresarial Proposta Comercial PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro de Fundamentos para o Desenvolvimento da SUA Empresa OU Para a Análise de Viabilidade Fazer Seu Projeto. Estrutura Financeira

Leia mais

MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS

MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é dotar os participantes de todos os instrumentos necessários para tomar as decisões fundamentais de investimento e inovação e levá-

Leia mais

Vantagem Competitiva com SI

Vantagem Competitiva com SI Vantagem Competitiva com SI CEA145 Teoria e Fundamentos de Sistemas de Informação Universidade Prof. Federal George de H. G. Ouro Fonseca Preto DECEA / João Monlevade Universidade Federal

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios Ós- radu ção Um Programa para profissionais que querem ampliar sua competência em gestão, seu networking e construir uma trajetória de sucesso. Uma das melhores escolas

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Estágios de Liderança Braskem Competências de Cultura

Estágios de Liderança Braskem Competências de Cultura Estágios de Liderança Braskem ------------------------- Competências de Cultura 01 Clarificando Estágios de Liderança Braskem o PA do Líder 01 Estágios de Liderança Braskem Os Estágios de Liderança Braskem

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE MERCADO. Planejamento e Marketing Estratégico

IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE MERCADO. Planejamento e Marketing Estratégico IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE MERCADO Planejamento e Marketing Estratégico A oportunidade e o PEM A BASE DA CONSTRUÇÃO DE OBJETIVOS ESTÁ NA ANÁLISE DOS ELEMENTOS INTERNOS (forças e fraquezas) EXTERNOS

Leia mais

Você espera o melhor. A gente faz. Locamerica Day

Você espera o melhor. A gente faz. Locamerica Day Você espera o melhor. A gente faz. Locamerica Day SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento 2015/16 1993 Fundação com 16 carros 2008 PRIVATE EQUITY Maior disciplina financeira

Leia mais

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias 1 Quem somos 2 Porque ABCCorp? 3 Referencias Trabalhamos como você! Experiência não somente acadêmica, sobre o teu segmento; Entendemos suas expectativas Valorizamos e garantimos o teu investimento com

Leia mais

CRISE NISSAN Criada em 1933; Realidade em 1999: 141K funcionários Fabricas em : Inglaterra, África do Sul, Sudete Asiático, México, USA.

CRISE NISSAN Criada em 1933; Realidade em 1999: 141K funcionários Fabricas em : Inglaterra, África do Sul, Sudete Asiático, México, USA. CRISE NISSAN 1999 Criada em 1933; Realidade em 1999: 141K funcionários Fabricas em : Inglaterra, África do Sul, Sudete Asiático, México, USA. Visão do Negócio em 1999 Satisfazer o cliente com produtos

Leia mais

Business Partner em RH: Papel, Posicionamento e Postura Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Business Partner em RH: Papel, Posicionamento e Postura Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Inteligência de mercado

Inteligência de mercado Inteligência de mercado práticas e resultados Zilma Santos Gestora de Vendas, Mercado e Produtos 28 de junho de 2013 Unimed-BH em números 1,18 milhão de clientes em carteira, sendo 79% coletivos 5,3 mil

Leia mais

Engajamento & Liderança. Bento Gonçalves, Setembro/2017

Engajamento & Liderança. Bento Gonçalves, Setembro/2017 Engajamento & Liderança Bento Gonçalves, Setembro/2017 Quem Somos A LHH no Brasil e no Mundo LHH no Brasil e no Mundo NO MUNDO NO BRASIL Líder Global em Desenvolvimento de Talentos e Transição de Carreira

Leia mais

O que é segmentação de clientes?

O que é segmentação de clientes? O que é: o segmento do cliente define o perfil do comprador, bem como seus hábitos e motivações na hora da compra. O segmento também define quais são os atributos que tornam um produto mais ou menos valioso.

Leia mais

Ultrapar Participações S.A.

Ultrapar Participações S.A. Ultrapar Participações S.A. Apresentação para investidores Santander 12/04/2013 ULTRAPAR Relações com Investidores 1 > Thilo Mannhardt Trajetória até a presidência da Ultrapar Nascido na Alemanha, parte

Leia mais

SUMÁRIO AULA. Empreendedorismo. Curso de Empreendedorismo USP Escola de Engenharia de Lorena. Aula 04 Planejamento Mercadológico

SUMÁRIO AULA. Empreendedorismo. Curso de Empreendedorismo USP Escola de Engenharia de Lorena. Aula 04 Planejamento Mercadológico Empreendedorismo Aula 04 Planejamento Mercadológico SUMÁRIO AULA Pesquisa e análise de mercado Estratégias e ações para atingir o mercado Análise Concorrência Como criar negócios de alto crescimento Habitats

Leia mais

Aula 07 Juntando a Análise do

Aula 07 Juntando a Análise do Aula 07 Juntando a Análise do Ambiente À Análise da Organização Rosely Gaeta 1 Estudar detalhamento no capítulo 5 Livro Berton Juntando a Análise do Ambiente à Análise da Organização Integração das análises

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PÚBLICO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PÚBLICO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PÚBLICO À CRIAÇÃO DE EMPRESAS CONTEÚDOS: PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO PREPARAR UMA CANDIDATURA EXECUTAR UM PROJETO COMPETE 2020 (CRESC ALGARVE 2020) COMPETE 2020 (CRESC ALGARVE

Leia mais

LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização. Franquias como Opção: Vantagens e Desvantagens Paulo César Mauro

LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização. Franquias como Opção: Vantagens e Desvantagens Paulo César Mauro LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização Franquias como Opção: Vantagens e Desvantagens Paulo César Mauro O QUE É FRANQUIA Franquia é um tipo de canal de distribuição

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE ITIL. Fonte:

IMPLANTAÇÃO DE ITIL. Fonte: IMPLANTAÇÃO DE ITIL A fase mais importante do projeto de implantação é a estratégia. É nesta fase, do clico de vida da ITIL, onde você vai entender o portfólio de serviços do seu time, entender a demanda

Leia mais

GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA

GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA INÍCIO ESCRITÓRIO DEFINIÇÃO DOS SÓCIOS OBJETIVOS DA SOCIEDADE CRESCIMENTO E CONTRATAÇÃO ELABORAÇÃO DAS POLÍTICAS GESTÃO DEFINIÇÃO DE CARGOS E FUNÇÕES DIFERENCIAL

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com INTRODUÇÃO Durante muito tempo a Tecnologia da Informação foi tratada apenas como um pequeno

Leia mais

Aula 06 Análise do Ambiente Interno Competências Essenciais

Aula 06 Análise do Ambiente Interno Competências Essenciais Aula 06 Análise do Ambiente Interno Competências Essenciais Professores: Maurício Corte Rosely Gaeta 1 Estudar detalhamento no capítulo 4 Competências Essenciais Na década de 80 as empresas japonesas foram

Leia mais

BLINDAGEM LEGAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA BANCO DIGITAL

BLINDAGEM LEGAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA BANCO DIGITAL BANCO DIGITAL BLINDAGEM LEGAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA BANCO DIGITAL PASSO 1 Análise de Viabilidade Jurídica de Inovação Tecnológica PASSO 2 Oferta com contratação totalmente digital e/ou biométrica

Leia mais

GESTÃO FLORESTAL E INOVAÇÃO

GESTÃO FLORESTAL E INOVAÇÃO GESTÃO FLORESTAL E INOVAÇÃO COMO ATINGIR RESULTADOS REAIS 28/03/2017 Luiz Fellipe Arcalá Negócios e Inovação larcala@innovatech.com.br AGENDA Innovatech Inovação - Ideia que emite nota fiscal Gestão Florestal

Leia mais

Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza

Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza Data e Local Turma 1: 07 e 08/10/2016 FDC, Campus RJ Turma 2: 2017 FDC, Campus SP Carga horária 16 horas Investimento R$ 3.500,00 Público-alvo Executivos

Leia mais

Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras

Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras Dilemas da era da economia digital Descompasso envolvendo culturas e estruturas na maior parte das empresas Tecnologias do século

Leia mais

Cadeia de valor: agregando valor

Cadeia de valor: agregando valor MSc. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br www.paulorodrigues.pro.br Mestre em Engenharia de Produção A principal preocupação de empresas, tanto de produto como de serviços, tem se voltado para

Leia mais

Educação Continuada Marcos Noll

Educação Continuada Marcos Noll Educação Continuada Marcos Noll Contexto Planejamento Estratégico 2020 Acelerar o crescimento do core business Realizar a transição para Educação para Adultos Aproveitar oportunidades de mercado Diversificar

Leia mais

Workshop / Consultoria para capacitação em planejamento e gestão de processos de internacionalização e globalização

Workshop / Consultoria para capacitação em planejamento e gestão de processos de internacionalização e globalização Workshop / Consultoria para capacitação em planejamento e gestão de processos de internacionalização Eixos Estratégicos de Internacionalização Processos Internos Portfólio/Produtos e Serviços Mercado/

Leia mais

Prêmio Valor Inovação Brasil 2017

Prêmio Valor Inovação Brasil 2017 Prêmio Valor Inovação Brasil 2017 Inovação Inovação é a geração e desenvolvimento estruturado, de maneira recorrente, de novas ideias que geram valor significativo para as empresas Critérios de participação

Leia mais

Ministrante. Trabalhou no Centro de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT) da UFMG ( );

Ministrante. Trabalhou no Centro de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT) da UFMG ( ); Ministrante Engenheiro de Produção (UFMG) MBA em Engenharia e Inovação Mestrando em Inovação Tecnológica e PI (UFMG) Diretor de Presidente da Techmall S.A.; Membro do Comitê de Seleção de Startups; Trabalhou

Leia mais

Prof. Dr. Marco Antonio Pereira

Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Gestão Estratégica Aula 5 Matriz SWOT marcopereira@usp.br ANÁLISE SWOT : PRODUTO FINAL OPORTUNIDADES AMEAÇAS DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO PONTOS FORTES PONTOS FRACOS FUNDAMENTAL OPORTUNIDADES AMEAÇAS ANALISE

Leia mais

PERFIL CORPORATIVO CTIS

PERFIL CORPORATIVO CTIS PERFIL CORPORATIVO CTIS PERFIL CORPORATIVO Sobre a CTIS A CTIS foi fundada em 1983. Ela iniciou sua trajetória com dois sócios, um office- boy e uma secretária, ocupando uma área de apenas 27m². Hoje,

Leia mais

COMPUTADORES NAS EMPRESAS Cloud Computing Prof. Reginaldo Brito

COMPUTADORES NAS EMPRESAS Cloud Computing Prof. Reginaldo Brito COMPUTADORES NAS EMPRESAS Prof. Reginaldo Brito Os computadores são essenciais para enfrentar o desafio da concorrência global, na qual as empresas precisam ser eficientes e ágeis e tem de produzir produtos

Leia mais

AULA 3 ADMINISTRAÇÃO

AULA 3 ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informações AULA 3 ADMINISTRAÇÃO Prof. Walteno Martins Parreira Jr waltenomartins@yahoo.com waltenomartins@hotmail.com www.waltenomartins.com.br Objetivos da unidade Introduzir o conceitos

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico MBA: Gestão Empresarial IESI Planejamento Estratégico Planejamento estratégico: Visão integrada Alcance de objetivos Criar valor, diferencial e identidade Pensamento estratégico Planejamento Estratégico

Leia mais

WEBINAR. MBA Gestão e Tecnologia em Segurança da Informação

WEBINAR. MBA Gestão e Tecnologia em Segurança da Informação Pós-Graduação WEBINAR MBA Gestão e Tecnologia em Segurança da Informação Tema: Não invista mais 1 centavo em Segurança da Informação - a segurança integral e a convergência que ninguém quer falar! Prof.

Leia mais

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09 Noções de Marketing 21/10/09 Atendimento. Marketing em empresas de serviços. Marketing de relacionamento. Segmentação de mercado e segmentação do setor bancário. Propaganda e Promoção. Satisfação, Valor

Leia mais

Av. Princesa Isabel, Fone (51) CEP Porto Alegre - RS - Brasil.

Av. Princesa Isabel, Fone (51) CEP Porto Alegre - RS - Brasil. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO - 2016/2018 Apresentação da Técnica de Planejamento Estratégico Adotada O Cremers estará em 2016 dando segmento na implantação de seu Planejamento Estratégico segundo a filosofia

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional

Pesquisa de Clima Organizacional Pesquisa de Clima Organizacional As pessoas representam alto investimento para as organizações. É evidente que o sucesso de um empreendimento não depende somente da competência dos gestores em reconhecer

Leia mais

Gestão em Saúde LIDERANÇA

Gestão em Saúde LIDERANÇA Gestão em Saúde LIDERANÇA Profa. Ms. Raquel J. Oliveira Lima A administração tinha como objetivos principais: alcançar a eficiência e eficácia, Hoje alcançar a excelência por meio da eficiência e eficácia

Leia mais

Evento Empreendedorismo Inovador. Profa. Dra. Milagros Saucedo Nardo.

Evento Empreendedorismo Inovador. Profa. Dra. Milagros Saucedo Nardo. Evento Empreendedorismo Inovador Profa. Dra. Milagros Saucedo Nardo. 4. Apresentação de casos de sucessos ferramentas facilitadoras para desafios. Eleito o Melhor Vídeo Motivacional 2015.wmv 4.1Videos

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL: UMA ANÁLISE DA PDP INSTITUTO BRASILEIRO DE EXECUTIVOS DE FINANÇAS / IBEF-SP São Paulo, 28

Leia mais

Crescimento consistente e rentável

Crescimento consistente e rentável Internacionalização Crescimento consistente e rentável Estratégias: 1.Agregação de Valor 2.Internacionalização Foco Claro Receita Bruta 4.551 20,3% a.a. 3.527 2.603 1.535 196 223 391 458 632 963 1990 1992

Leia mais

Soluções em Recursos Humanos, Treinamento e Conhecimento

Soluções em Recursos Humanos, Treinamento e Conhecimento Soluções em Recursos Humanos, Treinamento e Conhecimento Habilidade, métodos, políticas, técnicas e práticas QUEM SOMOS Somos uma empresa jovem com a visão de valorização do recurso humano como impulso

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0461 61 IDENTIFICAÇÃO : Título: CAPACITAÇÃO DOS COLABORADORES. Atributo: COMPATIBILIDADE DE PERFIL. Processo: CAPACITAÇÃO DE PESSOAL. O QUE É: Instrumento que se presta a

Leia mais

- DIVERSIDADE - A MUDANÇA EM CURSO NA AGENDA EMPRESARIAL

- DIVERSIDADE - A MUDANÇA EM CURSO NA AGENDA EMPRESARIAL CARTILHA DA DIVERSIDADE AMCHAM http://estatico.amcham.com.br/arquivos/2016 /diversidade-27-abr-2016.pdf - DIVERSIDADE - A MUDANÇA EM CURSO NA AGENDA EMPRESARIAL DEBORAH VIEITAS CEO American Chamber of

Leia mais

Linhas de Financiamentos voltadas à Inovação

Linhas de Financiamentos voltadas à Inovação Linhas de Financiamentos voltadas à Inovação Novo Modelo Operacional Comitê de Enquadramento e Priorização Agosto 2012 Financiamento a empresas SINDIPEÇAS Agosto 2012 Orientação estratégica Público : -

Leia mais

Introdução ao Marketing. Profa. Marta Fleming

Introdução ao Marketing. Profa. Marta Fleming Introdução ao Marketing Profa. Marta Fleming Aula 3 Ambiente de Marketing Análise da Concorrência O Sistema de Marketing MICROAMBIENTE FORNECE- DORES EMPRESA CANAIS CLIENTES Ambiente Social! Características

Leia mais

Como desenvolver competências profissionais para a produtividade na indústria gráfica

Como desenvolver competências profissionais para a produtividade na indústria gráfica Como desenvolver competências profissionais para a produtividade na indústria gráfica Refletir sobre o impacto da capacitação no aumento da produtividade. Identificar e discutir alternativas e soluções

Leia mais

Professor: Sergio Enabe. 2o. Semestre Estratégia

Professor: Sergio Enabe. 2o. Semestre Estratégia INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO: Administração SÉRIE: 6º/5º semestres TURNO: Diurno/ Noturno DISCIPLINA: Planejamento Operacional: RH e Finanças Professor: Sergio Enabe Estratégia 2o.

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 6: Cadeia de Abastecimento Logística Interna na Construção Civil Supply Chain Management Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Cadeia de Abastecimento

Leia mais

O Planejamento Automotivo 2017 Os Pressupostos para o Planejamento de Autopeças e Montadoras. São Paulo, 22 de Agosto de 2016

O Planejamento Automotivo 2017 Os Pressupostos para o Planejamento de Autopeças e Montadoras. São Paulo, 22 de Agosto de 2016 O Planejamento Automotivo 2017 Os Pressupostos para o Planejamento de Autopeças e Montadoras São Paulo, 22 de Agosto de 2016 Crise profunda Crise Econômica Crise de Confiança Crise Moral Crise Política

Leia mais

Gestão de Vendas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Gestão de Vendas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL. Gestão da Qualidade Aula 09 Prof. Ms. Claudemir Claudino Alves

TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL. Gestão da Qualidade Aula 09 Prof. Ms. Claudemir Claudino Alves TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Gestão da Qualidade Aula 09 Prof. Ms. Claudemir Claudino Alves Principios da Qualidade: I. Foco no Cliente; II. Liderança; III. Engajamento das pessoas; IV. Abordagem por

Leia mais

Por que uma franquia?

Por que uma franquia? Por que uma franquia? Todo negocio é difícil, mas a franquia lhe assegura mais de 90% de acertos do que erros. Nela já existe uma estrutura sedimentada, que contribui para o crescimento mais veloz do franqueado

Leia mais

O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro. Squadra Participações

O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro. Squadra Participações O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro Squadra Participações SQUADRA INVESTIMENTOS 2008 Fundação da Squadra Investimentos Gestora independente de recursos com foco em ações de

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

ADM. Professor Douglas Pereira da Silva. DPS Gestão Negócios ADM

ADM. Professor Douglas Pereira da Silva. DPS Gestão Negócios ADM ADM Gestão de Negócios Professor Douglas Pereira da Silva 1 A constituição do talento humano Conhecimento SABER Aprender a aprender Aprender continuadamente Aumentar o conhecimento Habilidade SABER FAZER

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE NORMALIZAÇÃO NA GESTÃO DA P&D&I

EXPERIÊNCIAS DE NORMALIZAÇÃO NA GESTÃO DA P&D&I XIII REPICT EXPERIÊNCIAS DE NORMALIZAÇÃO NA GESTÃO DA P&D&I Júlio C. Felix Gerente INTEC/TECPAR Coordenador ABNT CEE 130 02 de setembro de 2010 REPUTAÇÃO CORPORATIVA Sustentabilidade (Sistemas de Gestão

Leia mais

RB Distribuidora Distribuição Total

RB Distribuidora Distribuição Total RB Distribuidora Distribuição Total Breve Histórico Fundação Teresina-PI Abertura filial em Fortaleza Transferência da sede para Fortaleza Fim da atividade Atacadista e foco na distribuição especializada

Leia mais

PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS

PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS 1 ÁREA DE CREDENCIAMENTO/SUBÁREA Área Planejamento Empresarial; Subáreas Planejamento Estratégico. 2 PROJETO/AÇÃO Linha

Leia mais

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Definição Planejamento Estratégico Podemos definir planejamento estratégico como o método pelo qual

Leia mais