Estado. Gerais. Você receberá. candidato. providências. Informações. deve: Somente após. identidade; objetiva o campo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estado. Gerais. Você receberá. candidato. providências. Informações. deve: Somente após. identidade; objetiva o campo."

Transcrição

1 Govrno do Estado do Amazonas Scrtaria d Estado d Saúd do Amazonas SUSAM Prova Escrita Objtiva Nívl Fundamntal Complto Trabalhadors d Saúd Agnt Administrativo TIPO 3 AMARELA Informaçõs Grais Você rcbrá do fiscal d sala: a) uma folha d rspostas dstinada à marcação das rspostas das qustõs objtivas; b) ss cadrno d prova contndo 40 (quarnta) qustõs objtivas, cada qual com cinco altrnativas d rspostas (A, B, C, D E). Vrifiqu s su cadrno stá complto, sm rptição d qustõs ou falhas. Caso contrário, notifiqu imdiatamnt o fiscal d sala para qu sjam tomadas as dvidas providências. As qustõs objtivas são idntificadas plo númro situado acima do su nunciado. Ao rcbr as folhas d rspostas da prova objtiva você dv: a) confrir sus dados pssoais, m spcial su nom, númro d inscrição o númro do documnto d idntidad; b) lr atntamnt as instruçõs para o prnchimnto da folha d rspostas; c) marcar nas folhas d rspostas da prova objtiva o campo rlativo à confirmação do tipo/cor d prova, conform o cadrno qu você rcbu; d) assinar su nom, apnas nos spaços rsrvados, com canta sfrográfica d tinta azul ou prta. Durant a aplicação da prova não srá prmitido: a) qualqur tipo d comunicação ntr os candidatos; b) lvantar da cadira sm a dvida autorização do fiscal d sala; c) portar aparlhos ltrônicos, tais como bip, tlfon clular, agnda ltrônica, notbook, palmtop, rcptor, gravador, máquina d calcular, máquina fotográfica digital, control d alarm d carro tc., bm como rlógio d qualqur modlo, óculos scuros ou quaisqur acssórioss d chaplaria, tais como chapéu, boné, gorro tc., ainda, lápis, lapisira (grafit), corrtor líquido /ou borracha. Tal infração podrá acarrtar a liminação sumária do candidato O prnchimnto das rspostas da prova objtiva, d intira rsponsabilidad do candidato, dvrá sr fito com canta sfrográfica d tinta indlévl d cor prta ou azul. Não srá prmitida a troca da folha d rspostas por rro do candidato. O tmpo disponívl para a ralização da prova é d 3 (três) horas, já incluído o tmpo para a marcação da folha d rspostas da prova objtiva. Rsrv tmpo suficint para o prnchimnto d suas rspostas. Para fins d avaliação, srão lvadas m considração apnas as marcaçõs ralizadas nas folhas d rspostas da prova objtiva, não sndo prmitido anotar informaçõs rlativas às suas rspostas m qualqur outro mio qu não sja o próprio cadrno d provas. Somnt após dcorrida 1 (uma) hora do início da prova você podrá rtirar s da sala d prova, contudo sm lvar o cadrno d provas. 10. Somnt no dcorrr dos últimos sssnta minutos do príodo da prova, você podrá rtirar s da sala lvando o cadrno d provas. 11. Ao trminar a prova, ntrgu a folha d rspostas ao fiscal da sala dix o local d prova. Caso você s ngu a ntrgar, srá liminado do concurso. 12. A FGV ralizará a colta da imprssão digital dos candidatos na folha d rspostas. 13. Os candidatos podrão sr submtidos a sistma d dtcção d mtais quando do ingrsso da saída d sanitários durant a ralização das provas. Ao sair da sala, ao término da prova, o candidato não podrá usar o sanitário. 14. Os gabaritos prliminars das provas objtivas srão divulgados no dia 20/05/ /2014, no ndrço ltrônico 15. O prazo paraa intrposição d rcursos contra os gabaritos prliminars srá das 0h00min do dia 21/05/2014 até às 23h59min do dia 22/05/2014, obsrvado o o horário oficial d Manaus, no ndrço por mio do Sistma Eltrônico d Intrposição d Rcurso.

2

3 Scrtaria d Estado d Saúd do Amazonas 2014 FGV Projtos Língua Portugusa Cafzinho Lio a rclamação d um rpórtr irritado qu prcisava falar com um dlgado lh dissram qu o homm havia ido tomar um cafzinho. El sprou longamnt, chgou à conclusão d qu o funcionário passou o dia intiro tomando café. Tinha razão o rapaz d ficar zangado. Mas com um pouco d imaginação bom humor podmos pnsar qu uma das dlícias do gênio carioca é xatamnt sta fras: El foi tomar café. A vida é trist complicada. Diariamnt é prciso falar com um númro xcssivo d pssoas. O rmédio é ir tomar um "cafzinho". Para qum spra nrvosamnt, ss "cafzinho" é qualqur coisa infinita torturant. Dpois d sprar duas ou três horas dá vontad d dizr: Bm, cavalhiro, u m rtiro. Naturalmnt o Sr. Bonifácio morru afogado no cafzinho. Ah, sim, mrgulhmos d corpo alma no cafzinho. Sim, dixmos m todos os lugars st rcado simpls vago: El saiu para tomar um café diss qu volta já. Quando a Bm amada vir com sus olhos trists prguntar: El stá? alguém dará o nosso rcado sm ndrço. Quando vir o amigo quando vir o crdor, quando vir o parnt, quando vir a tristza, quando a mort vir, o rcado srá o msmo: El diss qu ia tomar um cafzinho... Podmos, ainda, dixar o chapéu. Dvmos até comprar um chapéu spcialmnt para dixá lo. Assim dirão: El foi tomar um café. Com crtza volta logo. O chapéu dl stá aí... Ah! fujamos assim, sm drama, sm tristza, fujamos assim. A vida é complicada dmais. Gastamos muito pnsamnto, muito sntimnto, muita palavra. O mlhor é não star. Quando vir a grand hora d nosso dstino nós trmos saído há uns cinco minutos para tomar um café. Vamos, vamos tomar um cafzinho. 01 Tinha razão o rapaz d ficar zangado. A fras acima xprssa uma opinião do (A) próprio cronista. (B) litor da crônica. (C) cidadão comum. (D) rpórtr irritado. (E) dlgado ausnt. 02 (Rubm Braga) Assinal a opção qu aprsnta o sgmnto do txto m qu o cronista mprga bom humor. (A) Bm, cavalhiro, u m rtiro. Naturalmnt o Sr. Bonifácio morru afogado no cafzinho. (B) El saiu para tomar um café diss qu volta já. (C) El stá? alguém dará o nosso rcado sm ndrço. (D) El diss qu ia tomar um cafzinho... (E) El foi tomar um café. Com crtza volta logo. O chapéu dl stá aí A vida é trist complicada. Diariamnt é prciso falar com um númro xcssivo d pssoas. Entr sss dois príodos, a conjunção qu não podria sr mprgada por não rspitar o sntido do txto é (A) pois. (B) visto qu. (C) já qu. (D) mas. (E) porqu. 04 O cronista sugr a compra d um chapéu para sr dixado propositadamnt no trabalho, a fim d (A) comprovar a saída do funcionário. (B) atstar o afastamnto rápido. (C) mostrar a ncssidad d tomar café. (D) dmonstrar a lgância a ducação do funcionário. (E) indicar a ausência dmorada do trabalhador. 05 Assinal a opção qu indica a palavra qu aprsnta uma forma plural rrada. (A) Os chapéus. (B) As bm amadas. (C) As conclusõs. (D) As rclamaçõs. (E) Os cafszinhos. 06 Quando a Bm amada vir com sus olhos trists prguntar: El stá? alguém dará o nosso rcado sm ndrço. Quando vir o amigo quando vir o crdor, quando vir o parnt, quando vir a tristza, quando a mort vir, o rcado srá o msmo... Nss sgmnto do txto, os lmntos sublinhados corrspondm a dtrminadas rprsntaçõs. Assinal a opção qu indica a rprsntação incorrta. (A) a Bm amada / o amor (B) o amigo / a amizad (C) o crdor / o dvr (D) o parnt / rlação familiar (E) a tristza / o trabalho 07 Quando vir a grand hora d nosso dstino nós trmos saído há uns cinco minutos para tomar um café. A forma vir prtnc ao futuro do subjuntivo do vrbo vir. Assinal a fras m qu uma forma dss msmo tmpo vrbal stá conjugada incorrtamnt. (A) Quando u quisr... (qurr). (B) Quando u tivr... (tr). (C) Quando u vr... (vr). (D) Quando u for... (ir). (E) Quando u rir... (rir). 08 Ah! fujamos assim, sm drama, sm tristza, fujamos assim. Nssa fras, o ato d fugir dv sr ntndido como (A) uma ordm. (B) uma rprnsão. (C) uma crítica. (D) um conslho. (E) um alrta. Nívl Fundamntal Complto Trabalhadors d Saúd Agnt Administrativo Tipo 3 Cor Amarla Página 3

4 Scrtaria d Estado d Saúd do Amazonas 2014 FGV Projtos 09 Lio a rclamação d um rpórtr irritado.... Tndo m vista o txto da crônica, ntndmos por ssa fras qu o rpórtr (A) ficou irritado. (B) ra irritado. (C) parcia irritado. (D) stava irritado. (E) continuava irritado. 10 Plo primiro parágrafo ficamos sabndo qu ssa crônica originou s d (A) outra crônica antriormnt fita plo msmo autor. (B) uma litura d um txto qualqur. (C) uma informação qu foi passada ao autor. (D) uma notícia diária sobr violência. (E) um studo sobr hábitos urbanos. 11 O aborrcimnto do rpórtr originou s do fato d (A) o dlgado tomar cafzinho no horário d trabalho. (B) prcisar d uma informação não obtê la. (C) o funcionário não voltar para suas funçõs. (D) o dlgado tomar café dmais. (E) os funcionários públicos não trabalharm. 12 A vida é trist complicada ; O chapéu dl stá aí.... Assinal a fras m qu s o vrbo star foi mprgado no lugar do vrbo sr. (A) Já stamos no mês d março. (B) Todos stão d férias. (C) Está vidnt qu a situação firmou s. (D) Hoj stamos d férias. (E) Os convidados stão na sala El diss qu ia tomar um cafzinho.... Essa fras stá m discurso indirto; a forma d discurso dirto qu rproduz a forma corrspondnt dssa msma fras, é (A) Eu ia tomar um cafzinho. (B) Eu tomaria um cafzinho. (C) Eu tomari um cafzinho. (D) Eu vou tomar um cafzinho. (E) Eu tomava um cafzinho. 14 O txto lido é uma crônica; tndo por bas ss txto, podmos afirmar qu a caractrística básica dss tipo d txto é (A) informar. (B) comntar. (C) criticar. (D) prvr. (E) rlatar. O fragmnto a sguir s rfr às qustõs Lio a rclamação d um rpórtr irritado qu prcisava falar com um dlgado lh dissram qu o homm havia ido tomar um cafzinho. El sprou longamnt, chgou à conclusão d qu o funcionário passou o dia intiro tomando café. 15 Nss sgmnto, a forma vrbal qu não tm agnt idntificado é (A) lio. (B) prcisava falar. (C) dissram. (D) havia ido tomar. (E) chgou. 16 A conclusão a qu chgou o rpórtr dv sr considrada (A) vrdadira, pois, d fato, o dlgado não voltou. (B) vrdadira, já qu s trata d um hábito dos funcionários. (C) vrdadira, porqu l não obtv a informação procurada. (D) falsa, visto qu ninguém fica tomando café o dia intiro. (E) falsa, pois a informação qu lh foi dada stava rrada. 17 Longamnt é um advérbio formado pla forma fminina d um adjtivo ( longa ) o sufixo mnt. Assinal a opção qu indica o advérbio qu foi formado rradamnt. (A) Ricamnt. (B) Elgantmnt. (C) Cristãmnt. (D) Burgusamnt. (E) Altamnt. 18 Para o cronista, a fras foi tomar café rprsnta (A) uma dsculpa para não trabalhar. (B) uma manira d ncarar a vida. (C) uma forma d aumntar os aborrcimntos. (D) uma stratégia do funcionário para nganar o chf. (E) um procsso para vitar o xcsso d trabalho trmos saído há uns cinco minutos para tomar um café ; a forma da fras abaixo qu não aprsnta a idia d finalidad é (A) a fim d tomar café. (B) com o objtivo d tomar café. (C) com a intnção d tomar café. (D) conform o horário d tomar café. (E) tndo m vista tomar café. 20 Na fras a sguir há uma rfrência a um tmpo postrior. Dpois d sprar duas ou três horas dá vontad d dizr... Lia as opçõs a sguir assinal aqula m qu o tmpo stá corrtamnt caractrizado. (A) Ants d comr, lavou as mãos / tmpo imdiatamnt postrior. (B) Enquanto comia, pnsava na amada / tmpo antrior. (C) Dsd qu chgou, só pnsa nla / tmpo simultâno. (D) Assim qu chgou, saiu / tmpo imdiatamnt postrior. (E) Até qu chgu, studarmos algo / tmpo futuro. Nívl Fundamntal Complto Trabalhadors d Saúd Agnt Administrativo Tipo 3 Cor Amarla Página 4

5 Scrtaria d Estado d Saúd do Amazonas 2014 FGV Projtos Matmática 21 Ângla Mário trabalham m um posto d colta d sangu. Em um dtrminado dia, Ângla Mário fizram um total d 57 coltas d sangu. Ângla fz três coltas d sangu a mais do qu Mário. O númro d coltas d sangu fitas por Mário é (A) par. (B) múltiplo d 6. (C) divisívl por 5. (D) uma potência d 3. (E) maior do qu A figura a sguir mostra a planta baixa da sala d spra d um consultório médico, na qual m todos os vértics têm s ângulos rtos. A ára, m m 2, dsta sala é (A) 9,0. (B) 10,5. (C) 12,5. (D) 14,0. (E) 15,0. 23 A bula d um mdicamnto líquido informa qu sua concntração é d 50 mg/ml. Sab s qu 1 ml corrspond a 20 gotas. Dsja s ministrar a um pacint a dosagm d 30 mg do rfrido mdicamnto. A quantidad d gotas qu dvm sr ministradas a ss pacint é d (A) 18. (B) 16. (C) 15. (D) 12. (E) No salão d ntrada d um hospital há um mapa na scala d 1:300, qu rprsnta ss hospital. O hospital tm um corrdor qu md 12 m d comprimnto. A mdida do comprimnto dss corrdor no mapa, m milímtros, é (A) 25. (B) 30. (C) 36. (D) 40. (E) Migul tm um salário mnsal d R$ 1.250,00 contribui mnsalmnt para o INSS com 8% dss salário. O valor da contribuição mnsal d Migul ao INSS é (A) R$ 125,00. (B) R$ 120,00. (C) R$ 100,00. (D) R$ 90,00. (E) R$ 85, Nos cinco dias d uma smana, d 2ª a 6ª fira, o posto d saúd ond Mariana trabalha atndu, a cada dia, o dobro d pacints atndidos no dia antrior. Na 6ª fira foram atndidos 96 pacints. O númro d pacints atndidos nss posto d saúd na 2ª fira da citada smana foi (A) 2. (B) 3. (C) 4. (D) 5. (E) Com um sétimo d su salário, Landro podria pagar um quinto d suas dívidas. Entrtanto, Landro rsolvu usar su salário para quitar suas dívidas, isto é, para pagá las intgralmnt. A fração qu sobrou do salário d Landro foi 2 (A). 7 3 (B). 7 5 (C). 7 2 (D). 5 3 (E) Mônica, Vra Jair são pdiatras m um msmo hospital. Em uma dtrminada smana, a razão ntr o númro d pacints atndidos por Mônica por Vra foi d 2:3 a razão ntr a quantidad d pacints atndidos por Vra por Jair foi d 6:5. Na citada smana, Mônica atndu 36 pacints. A quantidad d pacints atndidos por Jair nssa smana foi (A) 40. (B) 45. (C) 50. (D) 55. (E) 60. Nívl Fundamntal Complto Trabalhadors d Saúd Agnt Administrativo Tipo 3 Cor Amarla Página 5

6 Scrtaria d Estado d Saúd do Amazonas A idad d Murilo hoj é d M anos é igual à soma das idads d sus quatro filhos. Há nov anos, a idad d Murilo ra o dobro da soma das idads, naqula época, d sus quatro filhos. O valor d M é (A) 59. (B) 61. (C) 63. (D) 65. (E) 67. Conhcimntos Espcíficos Laura trabalha apnas quatro dias por smana: sgundas, trças, quintas sxtas firas. Em um mês sm friados com 31 dias, o dia 1º caiu numa trça fira. Nss mês, o númro d dias qu Laura trabalhou foi (A) 16. (B) 17. (C) 18. (D) 19. (E) 20. O aviso, o ofícioo o mmorando dvm contr as parts rlacionadas a sguir, à xcção d uma. Assinal a. (A) Tipo númro do xpdint, sguido da sigla do órgão qu o xpd. (B) Local dataa m qu foi assinado, por xtnso, com alinhamnto à dirita. (C) Nota d rodapé para palavras dicionarizadas. (D) Dstinatário: o nom o cargo da pssoa a qum é dirigida a comunicação. No caso do ofício dv sr incluído também o ndrço. (E) Txto. 32 O spaço vrtical d um almoxarifado dv sr utilizado com o uso d pratliras ou por mio do mpilhamnto dos matriais. Quanto ao uso do spaço vrtical, analis os itns a sguir. I. Dv sr vrificada a rsistência dos matriais qu srão mpilhados. II. Dv sr avaliado s há quipamnto disponívl para a xcução d um mpilhamnto sguro. III. Dv sr rspitada a rsistência dos pisos do pavimnto. Assinal: (A) s apnas o itm I stivr corrto. (B) s apnas o itm III stivr corrto. (C) s apnas os itns I III stivrm corrtos. (D) s apnas os itns II III stivrm corrtos. (E) s os itns I, II III stivrm corrtos. FGV Projtos 33 Uma propridad important dos documntos d arquivo é a (A) parcialidad. (B) autnticidad. (C) dificuldad. (D) falsidad. (E) duplicidad. 34 Os conjuntos d documntos produzidos rcbidos, no xrcício d suas atividads, por órgãos públicos d âmbito fdral, stadual, do Distrito Fdral municipal m dcorrência d suas funçõs administrativas, lgislativas judiciárias são chamados d arquivos (A) públicos. (B) privados. (C) sigilosos. (D) intrmdiários. (E) anxados. 35 Os documntos d arquivo podm sr simpls ou compostos. Os xmplos a sguir são d documntos simpls, à xcção d um, qu é composto. Assinal o. (A) Ofício (B) Rlatório (C) Mmorando (D) Ficha d atndimnto (E) Procsso 36 Um agnt administrativo possui um pndriv d 16 GByts, cuja figura é mostradaa abaixo, com ss dispositivo l prtnd fazr o backup dos arquivos manipulados no su microcomputadorr d trabalho, na última smana. Para isso, l dv instalar ss dispositivo no microcomputador, num tipo d conxão conhcido pla sigla (A) HDMI. (B) PCI. (C) USB. (D) AGP. (E) WVGA. 37 A figura a sguir mostra uma barra no Intrnt Explorr 10 BR. Ela possibilita a navgação m páginas da Intrnt, bastando, para isso, digitar a URL do sit/página. Ess rcurso é conhcido como (A) Barra d Mnus. (B) Barra d Comandos. (C) Barra d Favoritos. (D) Barra d Endrços. (E) Barra d Status. Nívl Fundamntal Complto Trabalhadors d Saúd Agnt Administrativo Tipo 3 Cor Amarla Página 6

7 Scrtaria d Estado d Saúd do Amazonas A figura a sguir mostra uma barra, qu é xibida na tla quando s trabalha m um microcomputador com sistma opracional Windows XP, m português. O botão Iniciar é o principal lmnto dssa barra, dá acsso ao mnu Iniciar, d ond s pod acssar outros mnus qu, por sua vz, acionam programas do Windows. O acionamntoo do botão Iniciar é fito ao s prssionar uma tcla. O nom plo qual ssa barra é conhcida a tcla qu aciona o botão Iniciar são, rspctivamnt, FGV Projtos 40 No ditor d txtos MS Word 2010 BR dv s, priodicamnt, salvar o txto qu stá sndo digitado, d modo a não s prdr o trabalho fito, no caso d uma pan por falta d nrgia. O salvamnto d um txto m um arquivo é ralizado por mio do acionamnto d um ícon xistnt nss ditor ou pla xcução d um atalho d tclado. O ícon o atalho d tclado são, rspctivamnt, (A) Ctrl + B. (B) Ctrl + B. (A) Barra d Tarfas (C) Ctrl + D. (B) Barra d Programas (D) Ctrl + S. (C) Barra d Acssórios (E) Ctrl + S. (D) Barra d Programas (E) Barra d Tarfas 39 A planilha abaixo foi criada no MSExcl 2010 BR. Nssa planilha foi insrida m D11 uma xprssão para dtrminar a soma dos valors contidos nas células A9 D9. Em D12, foi insrida outra xprssão para dtrminar o maior valor ntr todos no intrvalo d A9 a D9. Nssas condiçõs, as xprssõss insridas m D11 D12 foram, rspctivamnt, (A) =SOMA(A9;D9) =MAIOR(A9:D9). (B) =SOMA(A9;D9) =MÁXIMO( A9:D9). (C) =SOMA(A9ED9) =MÁXIMO( (A9:D9). (D) =SOMA(A9:D9) =MÁXIMO( A9;D9). (E) =SOMA(A9:D9) =MAIOR(A9;D9). Nívl Fundamntal Complto Trabalhadors d Saúd Agnt Administrativo Tipo 3 Cor Amarla Página 7

8 Ralização

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016

EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016 EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016 O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso d suas atribuiçõs lgais statutárias, torna público st Edital

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG)

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jfrson Tixira (Grad /UEPG) Valska Gracioso Carlos (UEPG) 1. Introdução Graças á rgulamntaçõs impostas por acordos

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS DE CURSOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS ESTRANGEIROS DE ENSINO, PELO INSITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA- IFB. 1. DA ABERTURA 1.1

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO O Município d Duartina, Estado d São Paulo, no uso d suas atribuiçõs lgais, torna público o Edital d Prorrogação das Inscriçõs,

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

Manual do Usuário KP1510

Manual do Usuário KP1510 Manual do Usuário KP1510 Kypass Tcnologia Ltda. www.kypass.com.br 2 ÍNDICE 1. Primiros passos... 4 1.1 Considraçõs iniciais... 4 1.2 Espcificaçõs técnicas... 5 1.3 Utilização do snsor biométrico... 6 1.4

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

Emerson Marcos Furtado

Emerson Marcos Furtado Emrson Marcos Furtado Mstr m Métodos Numéricos pla Univrsidad Fdral do Paraná (UFPR). Graduado m Matmática pla UFPR. Profssor do Ensino Médio nos stados do Paraná Santa Catarina dsd 1992. Profssor do Curso

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG SUMÁRIO PARTE I BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 - NOÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES Rodrigo Sousa Frrira 1, João Paulo Viira Bonifácio 1, Daian Rznd Carrijo 1, Marcos Frnando Mnzs Villa 1, Clarissa Valadars Machado 1, Sbastião Camargo

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

CONTINUIDADE A idéia de uma Função Contínua

CONTINUIDADE A idéia de uma Função Contínua CONTINUIDADE A idéia d uma Função Contínua Grosso modo, uma função contínua é uma função qu não aprsnta intrrupção ou sja, uma função qu tm um gráfico qu pod sr dsnhado sm tirar o lápis do papl. Assim,

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho S is tm a d G s tã o da Qua lida d S gura n ça do T ra ba lho G s tã o da Qua lida d I n t r n a ti o n a l O r g a n i za ti o n fo r S ta n d a r d i za ti o n (I S O ) Organização Normalização. Intrnacional

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%)

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%) Distribuição das 0 Qustõs do I T A 9 (8,6%) 66 (,99%) Equaçõs Irracionais 09 (0,8%) Equaçõs Exponnciais (,09%) Conjuntos 9 (,6%) Binômio d Nwton (,9%) 0 (9,%) Anális Combinatória (,8%) Go. Analítica Funçõs

Leia mais

Caro usuário, Atenciosamente, Equipe de Documentação. Intelbras S/A 03/06

Caro usuário, Atenciosamente, Equipe de Documentação. Intelbras S/A 03/06 Caro usuário, Você acaba d adquirir um produto dsnvolvido pla Intlbras, mprsa lídr na fabricação d trminais cntrais tlfônicas da América Latina. O tlfon sm fio ISF 900 TEL ID possui um dsign qu agrga conforto

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 0 GABARITO 4 PROVA VERDE SETEMBRO/008 TÉCNICO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTROLE OLE JÚNIOR 01 - Você rcbu do fiscal o sguint matrial: LÍNGUA PORTUGUESA I MATEMÁTICA INFORMÁTICA I CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Qustõs

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG.

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG. Atituds Sociolinguísticas m cidads d frontira: o caso d Brnardo d Irigoyn. Célia Niscoriuk Grad/UEPG. Valska Gracioso Carlos UEPG. 1. Introdução: O Brasil Argntina fazm frontira m crca d 1240 km dsd sua

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

Origem dos Jogos Olímpicos

Origem dos Jogos Olímpicos Natal, RN / /04 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: Profssor: TESTE º Trimstr º M INSTRUÇÕES: Vrifiqu s sua avaliação contém 6 qustõs ( objtivas 04 discursivas). Caso haja

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS APÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS As filas m intrsçõs não smaforizadas ocorrm dvido aos movimntos não prioritários. O tmpo ncssário para ralização da manobra dpnd d inúmros fators,

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO CRONOGRAMA ÍNDICE FASES DATAS APURAMENTOS LOCAL 4 alunos por scola 1. Introdução...2 1ª fas Escolas 2ª fas Distrital Até 11 d Janiro 1 ou 2 d Fvriro 2 do sxo fminino

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO CEDRO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 001/2015

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO CEDRO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 001/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 001/2015 ABRE INSCRIÇÕES E BAIXA NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVODE PROFESSORES HABILITADOS, PROFESSORES NÃO HABILITADOS, PROFESSORES COM MAGISTERIO, AUXILIAR DE SERVIÇOS

Leia mais

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha Esta é uma Mdida só para 2012, ou vai continuar? Não stá prvisto na lgislação um príodo d vigência. Uma ntidad mprgadora com mnos d cinco (5) trabalhadors pod candidatar s ao Estímulo 2012? Sim. Nst caso,

Leia mais

Quadro 1 - Das Especificações dos Empregos Públicos, Especialidades e Outros Dados: ESCOLARIDADE/ REQUISITOS. - Ensino Fundamental*

Quadro 1 - Das Especificações dos Empregos Públicos, Especialidades e Outros Dados: ESCOLARIDADE/ REQUISITOS. - Ensino Fundamental* PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SIMPLIFICADO PARA PROVIMENTO DE EMPREGOS PÚBLICOS PARA O SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA SAMU 192 - CISTRI MACRORREGIÃO TRIÂNGULO DO NORTE - EDITAL Nº 001, DE 20/11/2015

Leia mais

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Ants da MP nº 665/14 Art. 2o-B. Em carátr xcpcional plo prazo d sis mss, os trabalhadors qu stjam m situação d dsmprgo involuntário plo príodo comprndido ntr doz dzoito mss, inintrruptos, qu já tnham sido

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL Nº 14/2011 PRAC SELEÇÃO PÚBLICA A Pró-Ritoria Acadêmica da Univrsidad Católica d Plotas torna pública a abrtura d SELEÇÃO DOCENTE, como sgu:

Leia mais

PROF. MATEUS CONRAD BARCELLOS DA COSTA TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO AVANÇADA. [ Serra, ES ] [ 2008 ]

PROF. MATEUS CONRAD BARCELLOS DA COSTA TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO AVANÇADA. [ Serra, ES ] [ 2008 ] PROF. MATEUS CONRAD BARCELLOS DA COSTA TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO AVANÇADA [ Srra, ES ] [ 2008 ] Rfrências utilizadas na laboração dst matrial Olá, Aluno(a)! 1. LISKOV B. Data Abstraction and Hiararchy. In

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Nº 7, sxta-fira, 21 d fvriro d 2014 ISSN 1677-7069 11. Ministério da, Tcno Inovação SECRETARIA EXECUTIVA EXTRATOS DE TERMOS ADITIVOS AO TERMO DE COOPERAÇÃO PROCESSO: 01200.002187/2010-72 ESPÉCIE: Aditivo

Leia mais

Nº 61, segunda-feira, 31 de março de 2014 3 ISSN 1677-7069 COLÉGIO PEDRO II CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

Nº 61, segunda-feira, 31 de março de 2014 3 ISSN 1677-7069 COLÉGIO PEDRO II CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Nº 61, sgunda-fira, 31 d março d 2014 3 ISSN 1677-7069 25 3. A REMUNERAÇÃO REGIME E TRABALHO CLASSE NÍVEL VB RT ESPECIALIZAÇÃO MESTRAO O U TO R A O 20 horas I 1 1.966,67 152,35 428,07 785,93 40 horas I

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba Catálogo M404 PowrTrap Mcânica Séri GP Séri GT Rcupração ficaz do Mlhora a ficiência da planta Aumnto da produtividad qualidad dos produtos são, alguns dos bnfícios da drnagm rcupração do, além d rduzir

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos.

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos. DETERMNAÇÃO DA EQUAÇÃO GERAL DO PERÍODO DO PÊNDULO SMPLES Doutor m Ciências plo FUSP Profssor do CEFET-SP Est trabalho aprsnta uma rvisão do problma do pêndulo simpls com a dmonstração da quação do príodo

Leia mais

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico.

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico. Equilíbrio Térmico 1. (Unsp 2014) Para tstar os conhcimntos d trmofísica d sus alunos, o profssor propõ um xrcício d calorimtria no qual são misturados 100 g d água líquida a 20 C com 200 g d uma liga

Leia mais

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de Dsintgração Radioativa Os núclos, m sua grand maioria, são instávis, ou sja, as rspctivas combinaçõs d prótons nêutrons não originam configuraçõs nuclars stávis. Esss núclos, chamados radioativos, s transformam

Leia mais

Coordenadas polares. a = d2 r dt 2. Em coordenadas cartesianas, o vetor posição é simplesmente escrito como

Coordenadas polares. a = d2 r dt 2. Em coordenadas cartesianas, o vetor posição é simplesmente escrito como Coordnadas polars Sja o vtor posição d uma partícula d massa m rprsntado por r. S a partícula s mov, ntão su vtor posição dpnd do tmpo, isto é, r = r t), ond rprsntamos a coordnada tmporal pla variávl

Leia mais

Tabela de Tarifas. Pessoa Física. Divulgada em 01/08/2013 Vigência a partir de: 01/09/2013. sicoobes.com.br

Tabela de Tarifas. Pessoa Física. Divulgada em 01/08/2013 Vigência a partir de: 01/09/2013. sicoobes.com.br Tabla d Tarifas Pssoa Física Divulgada m 01/08/013 Vigência a partir d: 01/09/013 Rlação dos srviços tarifados rspctivos valors vignts. Os valors máximos foram stablcidos pla Cooprativa, obsrvada a rsolução

Leia mais

Hid TIPO. Gerais. Você receberá. responsabilidade do candidato, de cor preta. ou azul. Não. tinta indeléve. não será permitido: de respostas.

Hid TIPO. Gerais. Você receberá. responsabilidade do candidato, de cor preta. ou azul. Não. tinta indeléve. não será permitido: de respostas. Govrnoo do Estado do Rio d Janir ro Instituto Estadual do Ambint INEA-RJ Concurso Público 2013 Prova Escrita Objtiva Nívl Médio Técnico m Hid rologia TIPO 1 BRANCA Informaçõs Grais 1. 2. 3. 4. 5. Você

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 1º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 1º Ano

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 1º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 1º Ano Govrno dos Açors Escola Básica Scundária d Vlas º Ciclo ENSINO BÁSICO Planificação Anual d EMRC º Ano º Príodo Unidad Ltiva - Tr um coração bom Curriculars F B. Construir uma d litura rligiosa da pssoa,

Leia mais

Resolução. Admitindo x = x. I) Ax = b

Resolução. Admitindo x = x. I) Ax = b Considr uma população d igual númro d homns mulhrs, m qu sjam daltônicos % dos homns 0,% das mulhrs. Indiqu a probabilidad d qu sja mulhr uma pssoa daltônica slcionada ao acaso nssa população. a) b) c)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD A Pró-Ritoria d Graduação Educação Profissional (PROGRAD)

Leia mais

Estado de Santa Catarina Município de NAVEGANTES Edital n.º 001/2015 de CONCURSO PÚBLICO

Estado de Santa Catarina Município de NAVEGANTES Edital n.º 001/2015 de CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2015 DE CONCURSO PÚBLICO Abr inscriçõs dfin normas para o Concurso Público, dstinado a provimnto d vagas tmporárias formação d cadastro d rsrva do Quadro d Pssoal da Administração Dirta do

Leia mais

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações.

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações. ISSN 1809-5860 ESTUDO DE UMA LIGAÇÃO VIGA-PILAR UTILIZADA EM GALPÕES DE CONCRETO PRÉ- MOLDADO Anamaria Malachini Miotto 1 & Mounir Khalil El Dbs 2 Rsumo Em gral, as ligaçõs ntr lmntos pré-moldados d concrto

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação Fundação de Apoio a Escola Técnica

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação Fundação de Apoio a Escola Técnica PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS PARA INGRESSO NO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE ORGANIZAÇÃO: SUBSEQUENTE AO ENSINO MÉDIO NA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE TEATRO MARTINS PENA. EDITAL 2016.1-07 O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO Quadra 109 Nort, AV. NS -15, ALCNO 14 Plano Dirtor Nort 77001-970 Palmas/TO (63) 3232-8545 www.uft.du.br cops@uft.du.br EDITAL N 001/2016

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal Procdimnto m duas tapas para o agrupamnto d dados d xprssão gênica tmporal Moysés Nascimnto Fabyano Fonsca Silva Thlma Sáfadi Ana Carolina Campana Nascimnto Introdução Uma das abordagns mais importants

Leia mais

Confirmação dos dados cadastrais + Alerta de Documentos + Confirmação do telefone

Confirmação dos dados cadastrais + Alerta de Documentos + Confirmação do telefone Tabla d Prços C PRODUTO Dscritivo Insumos Consultas d Balcão Consulta com imprssão d xtrato simplificado d rgistros, com composição idêntica à Dclaração Consumidor SóChqu Confirm PJ Confirmação dos dados

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 793/2012

DELIBERAÇÃO N.º 793/2012 DELIBERAÇÃO N.º 793/2012 Parágrafo único Nos casos m qu o afastamnto s stndr por tmpo suprior ao prvisto, dsd qu autorizada sua prorrogação, fará jus, às diárias corrspondnts ao príodo prorrogado. Art.

Leia mais

Capitulo 4 Resolução de Exercícios

Capitulo 4 Resolução de Exercícios FORMULÁRIO i Taxa Proporcioal ou quivalt (juros simpls) i k Taxas Equivalts (juros compostos) 3 i i i i i i i 4 6 360 a s q t b m d Taxa Eftiva Nomial k i i p ao príodo d capitalização ; i k Taxa Ral Taxa

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas IAS 17 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 17 Locaçõs ÍNDICE Parágrafos Objctivo 1 Âmbito 2-3 Dfiniçõs 4-6 Classificação d locaçõs 7-19 Locaçõs nas dmonstraçõs financiras d locatários 20-35 Locaçõs

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO E AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Ministério da Justiça

Ministério da Justiça Nº 193, quinta-fira, 8 d outubro d 2015 1 ISSN 1677-7042 31 I - fatos rlacionados às atividads das socidads sguradoras d capitalização; ntidads abrtas d prvidência complmntar; socidads cooprativas, nas

Leia mais

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis.

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. 18/05/12 Anvisa - Lgislação - Portarias Lgislação Para vrificar a atualização dsta norma, como rvogaçõs ou altraçõs, acss o Visalgis. Portaria n º 27, d 13 d janiro d 1998 A Scrtária d Vigilância Sanitária,

Leia mais

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43 Atualizado m, 28/02/2012 Páginas:27, 28 41. Página 1 d 43 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS-UFT SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O CARGO DE PROFESSOR TEMPORÁRIO 2012.2 EDITAL Nº 022, DE 27 DE

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia d Configuração do Monitoramnto do srvidor Cisco UCS cisco_ucs séri 2.1 Avisos lgais Copyright 2013, CA. Todos os diritos rsrvados. Garantia O matrial contido nst documnto é

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: EMRC ANO: 5º 1º PERÍODO ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: Vivr juntos AULAS PREVISTAS: 12 COMPETÊNCIAS (O aluno dvrá sr capaz d:) CONTEÚDOS

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE GRAVATAÍ

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE GRAVATAÍ ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE GRAVATAÍ EDITAL Nº 01-B/2008 CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2008 MUNICÍPIO DE GRAVATAÍ O Prfito Municipal d Gravataí, no uso d suas atribuiçõs lgais, faz sabr, por mio

Leia mais