INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA. Estatística II Prof. Salvatore

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA. Estatística II Prof. Salvatore"

Transcrição

1 INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Estatística II Prof. Salvatore

2 O que é Estatística? A estatística pode ser considerada a Ciência que se preocupa com a organização, análise e interpretação de dados experimentais Virgillito, S. B., Estatística Aplicada 2004).

3 Ramos da Estatística Amostragem Colhe os dados das diversas variáveis segundo técnicas apropriadas e cientificamente aceitas. Estatística Descritiva Ordena e descreve o comportamento dos dados e os preparando-os para serem analisados. Probabilidades Calcula a probabiildade de um evento ocorrer ou se repetir Inferência Estudas as estatísticas amostrais e generaliza as conclusões obtidas para as respectivas populações de onde as amostras foram retiradas.

4 Níveis da Estatística Estatística Univariada (medidas de tendência central, variabilidade, assimetria e achatamento, análise da variância unifatorial). Estatística Bivariada (relação entre duas variáveis, correlação e análise de variância dois fatores, regressão linear uni e bi-variada). Estatística Multivariada ( relação entre mais de duas variáveis, regressão múltipla, análise multivariada da variância, Análise fatorial, análise discriminante, correlação canônica, análise multidimentional, etc..

5 A estatística utiliza o método científico 1. Definição do problema. 2. Formulação de hipóteses. 3. Formulação de um plano de coleta de dados. 4. Coleta dos dados. 5. Análise e Interpretação dos dados. 6. Confirmação ou rejeição das hipóteses referentes ao experimento, relatando as conclusões de maneira simples permitindo a tomas decisões.

6 Estatística Inferencial ou Indutiva O que é Inferência Estatística? É o conjunto de técnicas matemáticas que permitem generalizar para uma população os resultados obtidos em amostras retiradas dessa população. Quais estatísticas são obtidas das amostras e que tipo de resultados? Estimação de um parâmetro da população (estatística populacional) com base em estatísticas provenientes de dados amostrais (Problema de Estimação de parâmetros). Compara o valor de um parâmetro na população com base nas medidas calculadas a partir de estatísticas de uma amostra (Testes de Hipóteses e Testes de Significância).

7 O problema da Estimação Através de técnicas adequadas, a Estimação de parâmetros permite avaliar o comportamento populacional através do estudo das estatísticas das amostras. Quando na amostras calculamos a média, o desvio padrão, a variância, a mediana, etc., estes resultados se chamam ESTATÍSTICAS. Quando estimamos os respectivos valores dessas estatísticas na população estas denominam-se PARÂMETROS. Estatísticas das amostras Estatística Média da amostra Estatística desvio padrão Variância na amostra x s s 2 Parâmetros na População Parâmetro média populacional Parâmetro desvio padrão Parâmetro Variância Letras minúsculas do alfabeto LATINO representam estatísticas amostrais, enquanto letras Maiúsculas do alfabeto GREGO representam Parâmetros populacionais. 2

8 O problema da Estimação Assim, as estatísticas calculadas nas amostras levantadas de maneira científica são os resultados que permitirão ESTIMAR os respectivos parâmetros populacionais. Ex: se numa amostra de peças a média do diâmetro delas é 16mm, qual deve ser a média da população de onde a amostra foi retirada? Ex: se numa amostra de eleitores a proporção de votos favoráveis ao candidato é 19% qual a proporção de votos favoráveis na população?

9 O problema dos Testes de Hipóteses Uma afirmação (generalização para a população) pode ser verdadeira ou falsa. Uma amostra carrega consigo as características da população (Teorema do Limite Central) e através dela podemos testar se a afirmação a respeito da população é verdadeira ou falsa. A esta decisão sempre estará associada uma probabilidade de ERRO.

10 Conceitos Básicos População 1. Conjunto de todos os elementos que constituem a abrangência do estudo. 2. Quanto ao número de elementos pode ser classificada como finita ou infinita. 3. Quanto ao número de características a serem investigadas pode ser classificada como simples ou composta. 4. Quanto ao grau de variabilidade das características é classificada como homogênea ou heterogênea. 10

11 Conceitos Básicos População 1. Conjunto de todos os elementos que constituem a abrangência do estudo. Exemplo: Os alunos desta turma podem ser unidades populacionais, caso a investigação seja alusiva à turma, ou unidades amostrais caso a abrangência seja todos os alunos da faculdade. 11

12 Conceitos Básicos População 2. Quanto ao número de elementos pode ser classificada como finita ou infinita. Lógica Não há um número a partir do qual uma população seja caracterizada como finita ou infinita, mas consideramos a população como FINITA caso a razão n/n > 0,05, onde n é o tamanho da amostra e N o da população. 12

13 Conceitos Básicos População 3. Quanto ao número de características a serem investigadas pode ser classificada como simples ou composta. Exemplo Caso a característica a ser investigada seja renda, a população é dita como simples. Caso, além da renda, outra(s) característica(s) entrem no escopo do estudo, a população passa a ser considerada composta. 13

14 Conceitos Básicos População 4. Quanto ao grau de variabilidade das características é classificada como homogênea ou heterogênea. Exemplo A distribuição das idades dos alunos desta turma tem coeficiente de variação de 12% (homogênea), enquanto a do ano passado tinha uma dispersão relativa de 49% (heterogênea). 14

15 Conceitos Básicos População Por que é importante classificar a população? Resposta: Diferentes tipos de população levam a planos de amostragem diferentes. Exemplo Se uma população é homogênea, consideramos um único conjunto de unidades. Se a população é heterogênea, devemos estratificar as unidades em grupos homogêneos. 15

16 Conceitos Básicos Amostra 1. É um subconjunto da população. 2. Conveniente para se fazer inferências sobre populações infinitas. 3. Conveniente, também, em situações de testes destrutivos. 4. A precisão dos resultados depende da combinação entre custo-tempo-precisão. 16

17 Conceitos Básicos Amostra 1. É um subconjunto da população. Exemplos Os alunos desta turma constituem uma amostra de todos os alunos da faculdade. João, Marcela, Ricardo e Sandra são unidades da amostra dos alunos desta turma. 17

18 Conceitos Básicos Amostra 2. Conveniente para se fazer inferências sobre populações infinitas. Exemplo Se uma zona eleitoral tiver o perfil da população de eleitores de um estado, basta pesquisar os resultados daquela zona para se conhecer a distribuição de votos dos candidatos do estado. 18

19 Conceitos Básicos Amostra 3. Conveniente, também, em situações de testes destrutivos. Exemplos Não precisamos retirar todo o nosso sangue para saber a quantidade de glóbulos brancos no corpo. Basta coletarmos uma amostra de sangue. Não precisamos quebrar todos os tijolos produzidos para saber o ponto de esmagamento. Basta obtermos essa informação a partir de uma amostra. 19

20 Conceitos Básicos Amostra 4. A precisão dos resultados depende da combinação entre custo-tempo-precisão. Lógica Há que se hierarquizar as prioridades entre esses elementos. Maior precisão aumenta o custo de coleta e o tempo para a obtenção dos dados. 20

21 Conceitos Básicos Tipos de Amostras As amostras podem ser classificadas como: Aleatórias ou Probabilísticas (Simples, Estratificada, por Conglomerados, etc). Não probabilísticas (Intencional, Conveniência, etc). A escolha do tipo da amostra depende do tipo da população e do objeto de estudo. 21

22 Conceitos Básicos Amostras Aleatórias ou Probabilísticas Uma amostra é dita ser probabilística, ou aleatória, quando cada elemento da população tiver a mesma probabilidade de ser selecionado. Para a seleção das unidades amostrais é utilizado um procedimento que garanta a aleatoriedade da inclusão dessas unidades de modo a evitar algum tipo de viés. Exemplo: sorteio com auxílio de tabelas de números aleatórios. 22

23 Conceitos Básicos Amostras Aleatórias ou Probabilísticas As unidades amostrais podem ser selecionadas SEM ou COM reposição das unidades. No primeiro caso cada unidade só pode entrar na amostra uma única vez, enquanto no segundo pode entrar quantas vezes ela vier a ser selecionada. Quando o processo de seleção é COM reposição a população é considerada infinita. Nesse curso serão consideradas apenas amostras aleatórias simples extraídas de população infinita. 23

24 Conceitos Básicos Amostras Aleatórias ou Probabilísticas De uma população de tamanho N, podemos selecionar: N n N n Amostras sem reposição Amostras com reposição 24

25 Conceitos Básicos Amostras Aleatórias ou Probabilísticas De uma população com 10 unidades, podemos selecionar o seguinte número de amostras diferentes de tamanho 2 (duas unidades): Amostras sem reposição N 10 n 2 Amostras com reposição 10! 2!(10 2)! n 2 N

26 Amostragem Probabilística Aleatória Simples Estratificada Sistemática Por conglomerado Múltiplos Estágios Não-probabilística Por conveniência Intencionais Por quotas Bola de Neve

27 Amostras Com reposição: o elemento selecionado para a amostra é re-inserido na população depois de cada amostragem e assim, poderá ser selecionado novamente. Sem reposição: o elemento selecionado para aquela amostra específica, não é re-inserido na população para novas amostras.

28 Probabilística Amostragem Aleatória Simples Assim chamada quando cada objeto ou pessoa integrante da amostra tem a mesma probabilidade de ser selecionado. Este tipo de amostragem é muito utilizada em pesquisas de exploração, segmentação e participação percentual em mercados.

29 Seleção aleatória simples através do Excel Gera-se uma tabela de números aleatórios entre um mínimo e máximo que possam conter todos os elementos da amostra. Selecionam-se os elementos os dois, três ou quatro primeiros números da tabela gerada automaticamente. A posição ordinal dos números selecionados indicará qual elemento da população integrará a mostra.

30 Probabilística Sistemática É aquela amostra colhida através da imposição de um sistema de escolha. Exemplo: dentro de um hospital e dentro de uma secção destinadas a doentes de certa patologia clínica, escolhem-se os pacientes de cada terceiro quarto, havendo assim chances de termos pacientes de quartos pares ou ímpares.

31 Probabilística Sistemática Extraiu-se uma amostra a cada 6 elementos ordinais.

32 Probabilística Estratificada Uma vez montada a amostra aleatória simples, pode ser conveniente estudar uma característica de segunda ordem mas de interesse. Por exemplo numa amostragem aleatória simples sobre móveis utilizados num escritório, pode ser conveniente ouvir as opiniões das, mulheres, canhotos, pessoas entre certa faixa etária, etc.. Pode então ocorrer uma estratificação simples ou proporcional ao tamanho da amostra principal.

33 Probabilística Estratificada proporcional Neste caso o observador seleciona o percentual que deseja (segundo sua experiência, tipo de estimativa a ser feita e tamanho da amostra exigida para minimizar o erro-padrão de estimativa) em cada estrato da população de forma que a amostra seja representativa para o evento em estudo.

34 Probabilística Estratificada inversamente proporcional Neste caso o número de elementos de cada extrato da população será proporcional ao tamanho total do extrato. Essa proporção é obtida dividindo-se a proporção do tamanho do grupo em relação ao total pelo total das proporções. Então cada extrato terá uma participação percentual sobre o total da amostra que é previamente definida. Notar que os grupos menores têm participação em maior número na amostra.

35 Probabilística Conglomerados Eles são montados a partir da população e as amostras são constituídas de elementos de um certo conglomerado. Não confundir com Estratificada. Por exemplo dentro de um escritório pode-se querer estudar o conglomerado de pessoas que se utilizam de certa impressora, independente se estes são destros ou sinistros, homens ou mulheres ou de certa faixa etária.

36 Probabilística Múltiplos estágios É um tipo de amostragem que se inicia nos conglomerados populacionais e gradativamente vai descendo a outros níveis mantendo o mesmo enfoque. Por exemplo os utilitários de certa empresa de aviação, numa certa rota, num certo horário, numa certa classe, etc..

37 Não-Probabilística Por conveniência São amostras retiradas de grupos definidos, exemplo os freqüentadores da igreja aos sábados a noite, os executivos das empresas têxteis, os militares reformados, etc. Estas amostras contudo, dependendo do que se quer determinar, são bastante imprecisas e não propiciam tomada de decisão gerencial segura. Exemplo se queremos saber a participação de mercado de um tipo de tênis utilizado para a prática de futebol em quadras de gramado sintético e elegermos o grupo dos militares reformados, a pesquisa poderá nào ter o resultado esperado.

38 Não-Probabilística Intencional Assim chamada pois a probabilidade de seleção aleatória é minimizada, e os custos também. Neste tipo de amostragem não se pode facilmente generalizar ou inferir resultados na população pois as amostras são escolhidas ou restringem-se a certas categorias de indivíduos ou objetos. A informação resultante também tem menor precisão.

39 Não-Probabilística Por quotas Neste tipo de amostragem é comum termos restrições ou imposições que a amostra de estudo tenha um número mínimo de cada subgrupo integrante da pesquisa. Estas amostras além de não muito precisas são de custo geralmente mais elevado.

40 Teorema do Limite Central (primeira parte) A média das médias de todas as possíveis amostras retiradas de uma população (média amostral) é igual, ou muito próxima à média populacional.

41 Teorema do Limite Central (primeira parte) Este conceito será amplamente utilizado posteriormente, quando for necessário construir um Intervalo de Confiança em torno da média populacional e, sendo esta desconhecida, poderemos utilizar a média da amostra como um estimador válido.

42 Referências AAKER, David A. Pesquisa de Marketing. Atlas, São Paulo, ANDERSON, Rolph; BLACK, William C.; TATHAM, Ronald; HAIR Jr, Joseph. Multivariate Data Analysis. New Jersey: Prentice Hall, COSTA NETO, Pedro Luiz. Estatística, Correlação e Regressão. São Paulo: Edgard Blücher, Esags Escola Superior de Administração e Gestão - apresentações da disciplina de Estatística II, Prof. Moisés Balassiano FGV RIO. FREUND, John. Estatística Aplicada. Bookmann, Porto Alegre HOFMANN, Rodolfo. Estatística para Economistas. 3.ed. São Paulo: Pioneira, Malhotra, Naresh. Marketing Research. Prentice Hall. New Jersey MARTINS, Gilberto. Estatística Geral e Aplicada. Atlas, São Paulo MORETTIN,Luiz G. Estatística Básica. Mackron Books, São Paulo, SILVA, Ermes MEDEIROS. Estatística. Atlas, São Paulo SILVER, Mick. Estatística para Administração. Atlas, São Paulo STATSOFT.STATISTICA. Manual do Software. Tulsa SWEENEY, Dennis. Estatística Aplicada à Administração e Economia. Pioneira,São Paulo, TORRES, Rosane. Estudo sobre os planos amostrais das dissertações e teses em administração das faculdades de economia,administração e contabilidade da universidade do Rio Grande do Sul:uma contribuição crítica. São Paulo VIRGILLITO, Salvatore Benito. Estatística Aplicada à Administração Financeira. São Paulo: Alfa Omega VIRGILLITO, Salvatore Benito. Estatística Aplicada. São Paulo: Alfa Omega VIRGILLITO Salvatore Benito. Pesquisa de Marketing, Uma abordagem quantitativa e qualitativa.são Paulo: Saraiva 2010.

Métodos Estatísticos. 6 - Amostragem. Referencia: Estatística Aplicada às Ciências Sociais, Cap. 3 Pedro Alberto Barbetta. Ed. UFSC, 5ª Edição, 2002.

Métodos Estatísticos. 6 - Amostragem. Referencia: Estatística Aplicada às Ciências Sociais, Cap. 3 Pedro Alberto Barbetta. Ed. UFSC, 5ª Edição, 2002. Métodos Estatísticos 6 - Amostragem Referencia: Estatística Aplicada às Ciências Sociais, Cap. 3 Pedro Alberto Barbetta. Ed. UFSC, 5ª Edição, 2002. População x Amostra População - conjunto dos elementos

Leia mais

ESTATÍSTICA BÁSICA COM ANÁLISE E TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM SPSS

ESTATÍSTICA BÁSICA COM ANÁLISE E TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM SPSS ESTATÍSTICA BÁSICA COM ANÁLISE E TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM SPSS Escola de Enfermagem UFRGS Julho/2007 Juscelino Zemiacki Estatístico Programa Básico: AULA 1 Noções Básicas de Estatística AULA

Leia mais

MÓDULO 1. I - Estatística Básica

MÓDULO 1. I - Estatística Básica MÓDULO 1 I - 1 - Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos e empíricamente observáveis. Unidade Estatística nome dado a cada observação de um

Leia mais

Estatística Aplicada às Ciências Sociais e Ambientais. Organização da Disciplina. Conteúdo da Aula. Contextualização. Farmácia Industrial UFPR

Estatística Aplicada às Ciências Sociais e Ambientais. Organização da Disciplina. Conteúdo da Aula. Contextualização. Farmácia Industrial UFPR Estatística Aplicada às Ciências Sociais e Ambientais Apresentação Aula 1 Prof. Daniel de Christo Farmácia Industrial UFPR Mestrado em Genética UFPR Lecionando no Ensino Superior desde 2003 Organização

Leia mais

PESQUISA DE MERCADO AMOSTRAGEM

PESQUISA DE MERCADO AMOSTRAGEM PESQUISA DE MERCADO Universo, população e amostra Coleta de dados: é impossível adquirir informações de um todo (universo ou população); Por essa razão escolhe-se uma parte do todo (amostra) representação

Leia mais

Estatística Descritiva I

Estatística Descritiva I Estatística Descritiva I Bacharelado em Economia - FEA - Noturno 1 o Semestre 2016 Profs. Fábio P. Machado e Gilberto A. Paula MAE0219 (Economia-FEA-Noturno) Estatística Descritiva I 1 o Semestre 2016

Leia mais

Noções de Pesquisa e Amostragem. André C. R. Martins

Noções de Pesquisa e Amostragem. André C. R. Martins Noções de Pesquisa e Amostragem André C. R. Martins 1 Bibliografia Silva, N. N., Amostragem probabilística, EDUSP. Freedman, D., Pisani, R. e Purves, R., Statistics, Norton. Tamhane, A. C., Dunlop, D.

Leia mais

A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc.

A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc. ESTATÍSTICA DESCRITIVA MÓDULO 1 - INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA DESCRITIVA A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências

Leia mais

CAP5: Amostragem e Distribuição Amostral

CAP5: Amostragem e Distribuição Amostral CAP5: Amostragem e Distribuição Amostral O que é uma amostra? É um subconjunto de um universo (população). Ex: Amostra de sangue; amostra de pessoas, amostra de objetos, etc O que se espera de uma amostra?

Leia mais

Amostragem. Prof. Joel Oliveira Gomes. Capítulo 9. Desenvolvimento

Amostragem. Prof. Joel Oliveira Gomes. Capítulo 9. Desenvolvimento Capítulo 9 Amostragem Desenvolvimento 9.1 Introdução 9.2 Censo versus Amostra 9.3 Processo de planejamento de uma amostragem 9.4 Técnicas Amostrais 9.5 Amostragem Não-probabilística 9.6 Amostragem Probabilística

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística. Aula 4 Conceitos básicos de estatística

Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística. Aula 4 Conceitos básicos de estatística Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística Aula 4 Conceitos básicos de estatística A Estatística é a ciência de aprendizagem a partir de dados. Trata-se de uma disciplina estratégica, que coleta, analisa

Leia mais

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012 ESTATÍSTICA Prof. Ari Antonio, Me Ciências Econômicas Unemat Sinop 2012 1. Introdução Concepções de Estatística: 1. Estatísticas qualquer coleção consistente de dados numéricos reunidos a fim de fornecer

Leia mais

Introdução à Inferência Estatística

Introdução à Inferência Estatística Introdução à Inferência Estatística 1. População: conjunto de indivíduos, ou itens, com pelo menos uma característica em comum. Também será denotada por população objetivo, que é sobre a qual desejamos

Leia mais

Áurea Sousa /Deptº. Matemática U.A. Áurea Sousa /Deptº. Matemática U.A.

Áurea Sousa /Deptº. Matemática U.A. Áurea Sousa /Deptº. Matemática U.A. Métodos Estatísticos Mestrado em Gestão (MBA) Objectivos O que é a estatística? Como pode a estatística ajudar? Compreender o método de análise estatística; Reconhecer problemas que podem ser resolvidos

Leia mais

Estatística: Conceitos e Organização de Dados. Introdução Conceitos Método Estatístico Dados Estatísticos Tabulação de Dados Gráficos

Estatística: Conceitos e Organização de Dados. Introdução Conceitos Método Estatístico Dados Estatísticos Tabulação de Dados Gráficos Estatística: Conceitos e Organização de Dados Introdução Conceitos Método Estatístico Dados Estatísticos Tabulação de Dados Gráficos Introdução O que é Estatística? É a parte da matemática aplicada que

Leia mais

26/05 - Convergência de Métodos para Avaliação de Dados: Fatorial, Clusters e Testes Bivariados. 11 02/06 - Regressão Linear Simples e Múltipla

26/05 - Convergência de Métodos para Avaliação de Dados: Fatorial, Clusters e Testes Bivariados. 11 02/06 - Regressão Linear Simples e Múltipla PLANO DE ENSINO Universidade Positivo Curso: MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO Área de concentração: Organizações, Gestão e Sociedade Disciplina: Métodos Quantitativos Administração de Pesquisa Carga horária total:

Leia mais

O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão.

O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão. ESTATÍSTICA INDUTIVA 1. CORRELAÇÃO LINEAR 1.1 Diagrama de dispersão O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão.

Leia mais

O que é a estatística?

O que é a estatística? Elementos de Estatística Prof. Dr. Clécio da Silva Ferreira Departamento de Estatística - UFJF O que é a estatística? Para muitos, a estatística não passa de conjuntos de tabelas de dados numéricos. Os

Leia mais

AMOSTRAGEM ESTATÍSTICA EM AUDITORIA PARTE ll

AMOSTRAGEM ESTATÍSTICA EM AUDITORIA PARTE ll AMOSTRAGEM ESTATÍSTICA EM AUDITORIA PARTE ll! Os parâmetros para decisão do auditor.! Tipos de planos de amostragem estatística em auditoria. Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

PLANO PEDAGÓGICO DE ENSINO (PPE)

PLANO PEDAGÓGICO DE ENSINO (PPE) I. IDENTIFICAÇÃO CURSO: CST Análise e Desenvolvimento de Sistemas MODALIDADE/FORMA: Presencial DISCIPLINA: Probabilidade e Estatística CÓDIGO/SIGLA: ADS24 PROFESSOR: Jeovani Schmitt Contato: jeovani.schmitt@blumenau.ifc.edu.br

Leia mais

Estatística Aplicada. Gestão de TI. Evanivaldo Castro Silva Júnior

Estatística Aplicada. Gestão de TI. Evanivaldo Castro Silva Júnior Gestão de TI Evanivaldo Castro Silva Júnior Porque estudar Estatística em um curso de Gestão de TI? TI trabalha com dados Geralmente grandes bases de dados Com grande variabilidade Difícil manipulação,

Leia mais

Revisão: Noções básicas de estatística aplicada a avaliações de imóveis

Revisão: Noções básicas de estatística aplicada a avaliações de imóveis Curso de Avaliações Prof. Carlos Aurélio Nadal cnadal@ufpr.br 1 AULA 03 Revisão: Noções básicas de estatística aplicada a avaliações de imóveis 2 OBSERVAÇÃO: é o valor obtido durante um processo de medição.

Leia mais

Mestrado em Gestão Econômica do Meio Ambiente

Mestrado em Gestão Econômica do Meio Ambiente Mestrado em Gestão Econômica do Meio Ambiente Programa de Pós-graduação em Economia Sub-Programa Mestrado Profissional CEEMA/ECO/UnB Disciplina: ECO 333051 Métodos Estatísticos e Econométricos Instrutores:

Leia mais

Pesquisa em Marketing

Pesquisa em Marketing Pesquisa em Marketing Aula 4 1. Identificar o tamanho da amostral ideal 2. Saber calcular a amostra O Processo de Amostragem TIPOS DE AMOSTRAGEM Amostra não-probabilística Amostra por Conveniência Amostra

Leia mais

Tópico 8. Estatística Inferencial Teste de Hipóteses

Tópico 8. Estatística Inferencial Teste de Hipóteses Tópico 8 Estatística Inferencial Teste de Hipóteses Estatística Inferencial Princípio básico da estatística População (Plano de Amostragem Probabilística) Amostra Generalizar Descrever dados Parâmetro

Leia mais

Técnicas Multivariadas em Saúde. Comparações de Médias Multivariadas. Métodos Multivariados em Saúde - 2015. Roteiro. Testes de Significância

Técnicas Multivariadas em Saúde. Comparações de Médias Multivariadas. Métodos Multivariados em Saúde - 2015. Roteiro. Testes de Significância Roteiro Técnicas Multivariadas em Saúde Lupércio França Bessegato Dep. Estatística/UFJF 1. Introdução 2. Distribuições de Probabilidade Multivariadas 3. Representação de Dados Multivariados 4. Testes de

Leia mais

CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL Disciplina: Aplicações Estatísticas no Processo Gerencial

CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL Disciplina: Aplicações Estatísticas no Processo Gerencial CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL Disciplina: Aplicações Estatísticas no Processo Gerencial Professor Leonardo A. M. Moraes, M.Mat. leonardo.moraes@petrobras.com.br lmoraesrj@gmail.com Conteúdo do Curso Introdução

Leia mais

Prof. MSc. Herivelto Tiago Marcondes dos Santos FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ PROF. JOÃO MOD

Prof. MSc. Herivelto Tiago Marcondes dos Santos FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ PROF. JOÃO MOD Prof. MSc. Herivelto Tiago Marcondes dos Santos FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ PROF. JOÃO MOD OBJETIVO Utilizar os métodos estatísticos para tomadas de decisões. Ementa: Fundamentos da estatística.

Leia mais

Espaços Amostrais e Eventos. Probabilidade 2.1. Capítulo 2. Espaço Amostral. Espaço Amostral 02/04/2012. Ex. Jogue um dado

Espaços Amostrais e Eventos. Probabilidade 2.1. Capítulo 2. Espaço Amostral. Espaço Amostral 02/04/2012. Ex. Jogue um dado Capítulo 2 Probabilidade 2.1 Espaços Amostrais e Eventos Espaço Amostral Espaço Amostral O espaço amostral de um experimento, denotado S, é o conjunto de todos os possíveis resultados de um experimento.

Leia mais

23/03/2014. Tratamento de Incertezas TIC-00.176. Aula 4. Conteúdo Espaços Amostrais e Probabilidade. O princípio da contagem Métodos de contagem

23/03/2014. Tratamento de Incertezas TIC-00.176. Aula 4. Conteúdo Espaços Amostrais e Probabilidade. O princípio da contagem Métodos de contagem Tratamento de Incertezas TIC-00.176 Aula 4 Conteúdo Espaços Amostrais e Probabilidade Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2014.1/tic-00.176

Leia mais

Aula 1: Introdução à Probabilidade

Aula 1: Introdução à Probabilidade Aula 1: Introdução à Probabilidade Prof. Leandro Chaves Rêgo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - UFPE Recife, 07 de Março de 2012 Experimento Aleatório Um experimento é qualquer processo

Leia mais

ESTATÍSTICA. Professor: Ricardo Vojta

ESTATÍSTICA. Professor: Ricardo Vojta ESTATÍSTICA Ciências Contábeis Professor: Ricardo Vojta RAMOS DA ESTATÍSTICA A estatística dedutiva (também conhecida como Estatística Descritiva) se encarrega de descrever o conjunto de dado desde a elaboração

Leia mais

PREFEITURA DO IPOJUCA AUTARQUIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO E TRANSPORTES DO IPOJUCA AMTTRANS ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PREFEITURA DO IPOJUCA AUTARQUIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO E TRANSPORTES DO IPOJUCA AMTTRANS ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONHECIMENTOS DA LÍNGUA PORTUGUESA 1. Leitura e análise de textos, incluindo: 1.1. Significado contextual de palavras e expressões; 1.2. Reconhecimento do tema ou da ideia

Leia mais

3. Como conduzir a atividade

3. Como conduzir a atividade Atividade 3 - Amostras confiáveis 1. Justificativa Quando analisamos propriedades de um grupo de pessoas como, por exemplo, idade, estatura, escolaridade ou religião, podemos associar conceitos ou números

Leia mais

Instruções. N. de Inscrição:

Instruções. N. de Inscrição: Escola de Administração Fazendária Missão: Desenvolver pessoas para o aperfeiçoamento da gestão das fi nanças públicas e a promoção da cidadania. Prova Conhecimentos Específicos Edital ESAF n. 79, de 06/1/013

Leia mais

Estatística Aplicada ao Serviço Social

Estatística Aplicada ao Serviço Social Estatística Aplicada ao Serviço Social Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução O que é Estatística? Coleção de métodos

Leia mais

Aula 5 Distribuição amostral da média

Aula 5 Distribuição amostral da média Aula 5 Distribuição amostral da média Nesta aula você irá aprofundar seus conhecimentos sobre a distribuição amostral da média amostral. Na aula anterior analisamos, por meio de alguns exemplos, o comportamento

Leia mais

AULAS 01 E 02 Introdução

AULAS 01 E 02 Introdução 1 AULAS 01 E 02 Introdução Ernesto F. L. Amaral 10 e 12 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Babbie, Earl. 1999. Métodos de Pesquisas de Survey. Belo Horizonte: Editora UFMG. pp.77-158.

Leia mais

Escola Secundária de Jácome Ratton

Escola Secundária de Jácome Ratton Escola Secundária de Jácome Ratton Ano Lectivo 2010/2011 Matemática Aplicada às Ciências Sociais Amostragem Sondagem Uma sondagem pressupõe a escolha de uma amostra. A selecção da amostra é uma das fases

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova de Exame Nacional de Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova 835 2011 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento

Leia mais

Leia o texto abaixo para resolver as questões sobre população e amostra.

Leia o texto abaixo para resolver as questões sobre população e amostra. Leia o texto abaixo para resolver as questões sobre população e amostra. População e amostra População e amostra referem-se ao conjunto de entes cujas propriedades desejamos averiguar. População estatística

Leia mais

Teoria das Probabilidades

Teoria das Probabilidades Teoria das Probabilidades Qual a probabilidade de eu passar no vestibular? Leandro Augusto Ferreira Centro de Divulgação Científica e Cultural Universidade de São Paulo São Carlos - Abril / 2009 Sumário

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE CORRUPÇÃO PARA A TRANSPARÊNCIA FEVEREIRO DE 2005 OPP008 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA - Levantar junto a população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

Probabilidade - aula I

Probabilidade - aula I e 27 de Fevereiro de 2015 e e Experimentos Aleatórios e Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Entender e descrever espaços amostrais e eventos para experimentos aleatórios. Interpretar

Leia mais

Professor Esp. Geonir Paulo Schnorr Licenciado em Matemática Esp. em Banco de Dados

Professor Esp. Geonir Paulo Schnorr Licenciado em Matemática Esp. em Banco de Dados Professor Esp. Geonir Paulo Schnorr Licenciado em Matemática Esp. em Banco de Dados Dato bruto Análise Informação Se a informação é a base do Marketing, a pesquisa é seu braço direito. O papel da pesquisa

Leia mais

Sumário. Parte l. 1. Introdução à pesquisa qualitativa e quantitativa em marketing 1 1.1 Pesquisa qualitativa 1 1.2 Pesquisa quantitativa 3

Sumário. Parte l. 1. Introdução à pesquisa qualitativa e quantitativa em marketing 1 1.1 Pesquisa qualitativa 1 1.2 Pesquisa quantitativa 3 Sumário Parte l 1. Introdução à pesquisa qualitativa e quantitativa em marketing 1 1.1 Pesquisa qualitativa 1 1.2 Pesquisa quantitativa 3 2. Entrevistas 5 2.1 Tipos de entrevistas 8 2.2 Preparação e condução

Leia mais

Instituto de Pesquisas Científicas de Pernambuco Av. José Magalhães de França, 564 Centro Arcoverde/PE CEP: 56.503-660 Coordenação: Edivaldo

Instituto de Pesquisas Científicas de Pernambuco Av. José Magalhães de França, 564 Centro Arcoverde/PE CEP: 56.503-660 Coordenação: Edivaldo CONFIABILIDADE I EMPRESA LEGALIZADA E REGISTRADA Em se tratando de serviço de pesquisa de opinião pública, para fazer a escolha certa, é importante verificar se a empresa a ser contratada está legalizada

Leia mais

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra Henrique Dantas Neder Intervalo de confiança para a média da população µ X Até o momento discutimos as propriedades da distrbuição normal e vimos

Leia mais

TEORIA DA AMOSTRAGEM APLICADA À AUDITORIA

TEORIA DA AMOSTRAGEM APLICADA À AUDITORIA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (FACE) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ATUARIAIS Prof. Wolney Resende de Oliveira Auditoria 1 Turma B TEORIA DA AMOSTRAGEM APLICADA À AUDITORIA Alunos: Alisson Rodrigues -

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO 42951 CÓD. DISC. 050.3230.1 UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA TEORIA E PESQUISA EM OPINIÃO PÚBLICA ETAPA 2ª CH 02 ANO 2011

Leia mais

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3.

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3. Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3.1) Estatística Séries Estatística Uma série estatística define-se como toda

Leia mais

Capítulo 5 Apresentação Estatística - Gráficos e Tabelas.

Capítulo 5 Apresentação Estatística - Gráficos e Tabelas. Capítulo 5 Apresentação Estatística - Gráficos e Tabelas. 5.1 - OBJETIVO DO CAPÍTULO Um dos objetivos da Estatística é sintetizar os valores que uma ou mais variáveis podem assumir, para que tenhamos uma

Leia mais

Inferência Estatística-Macs11ºano

Inferência Estatística-Macs11ºano INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Inferência Estatística-Macs11ºano Estatística Descritiva: conjunto de métodos para sintetizar e representar de forma compreensível a informação contida num conjunto de dados. Usam-se,

Leia mais

Estatística II Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística II Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística II Aula 1 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Por que estudar estatística? Abordagem crescentemente quantitativa na análise dos problemas; Quantidade crescente de dados Com que qualidade?

Leia mais

Uma introdução às técnicas de simulação de filas de espera para Directores Clínicos. Ismael Bernardo Ricardo Rosa Rui Assis

Uma introdução às técnicas de simulação de filas de espera para Directores Clínicos. Ismael Bernardo Ricardo Rosa Rui Assis Uma introdução às técnicas de simulação de filas de espera para Directores Clínicos Ismael Bernardo Ricardo Rosa Rui Assis 2005 Programa Projecção de dois casos de filas de espera (Bank e Supermarket)

Leia mais

PROPOSTA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO NÍVEL I

PROPOSTA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO NÍVEL I PROPOSTA DE FORMAÇÃO INTRODUÇÃO As probabilidades e estatística funcionam hoje em dia como uma ferramenta não só de apoio, mas sim de iluminação para as diferentes ciências. Qualquer profissional não poderá

Leia mais

Aula 4 Estatística Conceitos básicos

Aula 4 Estatística Conceitos básicos Aula 4 Estatística Conceitos básicos Plano de Aula Amostra e universo Média Variância / desvio-padrão / erro-padrão Intervalo de confiança Teste de hipótese Amostra e Universo A estatística nos ajuda a

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO TAMANHO DE UMA AMOSTRA

DETERMINAÇÃO DO TAMANHO DE UMA AMOSTRA DETERMINAÇÃO DO TAMANHO DE UMA AMOSTRA INTRODUÇÃO O pesquisador social procura tirar conclusões a respeito de um grande número de sujeitos. Por exemplo, ele poderia desejar estudar: os 170.000.000 de cidadãos

Leia mais

Guia do professor. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância.

Guia do professor. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. números e funções Guia do professor Objetivos da unidade 1. Analisar representação gráfica de dados estatísticos; 2. Familiarizar o aluno com gráfico de Box Plot e análise estatística bivariada; 3. Utilizar

Leia mais

PUBLICAÇÃO DE PESQUISAS ELEITORAIS

PUBLICAÇÃO DE PESQUISAS ELEITORAIS PUBLICAÇÃO DE PESQUISAS ELEITORAIS Este documento foi elaborado e desenvolvido com a colaboração e orientação acadêmica do CESOP Centro de Estudos de Opinião Pública da UNICAMP Universidade Estadual de

Leia mais

O que é Estatística?

O que é Estatística? Bioestatística Aula 1 Dados, Populações, Amostras, Tabelas e Gráficos Prof. Tiago A. E. Ferreira O que é Estatística? Segundo a Escola Nacional de Estatística O que modernamente se conhece como Ciências

Leia mais

ESTATÍSTICA. aula 1. Insper Ibmec São Paulo. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

ESTATÍSTICA. aula 1. Insper Ibmec São Paulo. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano ESTATÍSTICA aula 1 Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano Insper Ibmec São Paulo ESTATÍSTICA COISAS DO ESTADO ESTATÍSTICA: - Apresentação e Análise de dados - Tomadas de Decisões baseadas em análises -

Leia mais

Aula 00 Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Professor: Fábio Amorim

Aula 00 Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Professor: Fábio Amorim Aula 00 Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Professor: Fábio Amorim Prof. Fábio Amorim 1 de 38 Olá pessoal! Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Sejam bem vindos ao Exponencial Concursos!

Leia mais

IV Prova de Epidemiologia e Bioestatística. Aluno:

IV Prova de Epidemiologia e Bioestatística. Aluno: IV Prova de Epidemiologia e Bioestatística Aluno: Questão 1. Em Julho de 2014 uma colônia de férias com de crianças de 10 a 13 anos detectou o aparecimento de uma doença viral. No início havia 50 crianças

Leia mais

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências Probabilidade Introdução Tabelas Estatísticas População, Amostra e Variáveis Gráficos e Distribuição de Freqüências Renata Souza Conceitos Antigos de Estatística stica a) Simples contagem aritmética Ex.:

Leia mais

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas 1 AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas Ernesto F. L. Amaral 19 e 28 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Após essa disciplina você vai ficar convencido que a estatística tem enorme aplicação em diversas áreas.

Após essa disciplina você vai ficar convencido que a estatística tem enorme aplicação em diversas áreas. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA INTRODUÇÃO Departamento de Estatística Luiz Medeiros http://www.de.ufpb.br/~luiz/ CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas

Leia mais

Gerenciamento de custos em situações de risco: uma abordagem do custeio variável aplicando o Método de Monte Carlo

Gerenciamento de custos em situações de risco: uma abordagem do custeio variável aplicando o Método de Monte Carlo Gerenciamento de custos em situações de risco: uma abordagem do custeio variável aplicando o Método de Monte Carlo Pablo Rogers (UFU) msc_pablo@yahoo.com.br Eduardo José dos Santos (UFU) eduardo.js@brturbo.com

Leia mais

P R O G R A M A QUARTA FASE. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final do semestre o aluno devera ser capaz de:

P R O G R A M A QUARTA FASE. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final do semestre o aluno devera ser capaz de: UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - DEF CURSO: BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA CURRÍCULO: 2008/2 P R O G R

Leia mais

Elementos de Estatística

Elementos de Estatística Elementos de Estatística Lupércio F. Bessegato & Marcel T. Vieira UFJF Departamento de Estatística 2013 Apresentação Lupércio França Bessegato lupercio.bessegato@ufjf.edu.br Departamento de Estatística

Leia mais

AULAS 22, 23 E 24 A lógica da amostragem do survey

AULAS 22, 23 E 24 A lógica da amostragem do survey 1 AULAS 22, 23 E 24 A lógica da amostragem do survey Ernesto F. L. Amaral 03, 09 e 10 de junho de 2011 Metodologia (DCP 033) Fonte: Babbie, Earl. 1999. Métodos de Pesquisas de Survey. Belo Horizonte: Editora

Leia mais

Estatística. Considerações Gerais

Estatística. Considerações Gerais Estatística Considerações Gerais Considerações Gerais Importância da Estatística Administração Engenharia Medicina Economia Turismo... Definição A Estatística é uma coleção de métodos para planejar experimentos,

Leia mais

O QUE É E COMO FUNCIONA O CREDIT SCORING PARTE I

O QUE É E COMO FUNCIONA O CREDIT SCORING PARTE I O QUE É E COMO FUNCIONA O CREDIT SCORING PARTE I! A utilização de escores na avaliação de crédito! Como montar um plano de amostragem para o credit scoring?! Como escolher as variáveis no modelo de credit

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRO-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA GERAL DE DISCIPLINA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRO-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA GERAL DE DISCIPLINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRO-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA GERAL DE DISCIPLINA IDENTIFICAÇÃO (20140195) CURSOS A QUE ATENDE ADMINISTRACAO,

Leia mais

MÓDULO 2 PLANEJAMENTO LOGÍSTICO ASSOCIADO AO TRANSPORTE

MÓDULO 2 PLANEJAMENTO LOGÍSTICO ASSOCIADO AO TRANSPORTE MÓDULO 2 PLANEJAMENTO LOGÍSTICO ASSOCIADO AO TRANSPORTE 2.1 - Níveis de Planejamento O planejamento logístico tenta responder aos questionamentos de: O QUE? QUANDO? COMO? Nos níveis estratégico, tático

Leia mais

Será uma carta entregue em mãos após uma marcha que terá início em São Paulo logo após a eleição e terminará no Palácio do Planalto em Brasília.

Será uma carta entregue em mãos após uma marcha que terá início em São Paulo logo após a eleição e terminará no Palácio do Planalto em Brasília. Pesquisa de Opinião CONTEXTO Carta de um Brasileiro é um movimento de mobilização social com objetivo de entregar à Presidente da República eleita em outubro de 2010 os principais desejos e necessidades

Leia mais

ANALISE DA FORMA DE ESTRUTURAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS EMPRESAS

ANALISE DA FORMA DE ESTRUTURAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS EMPRESAS ANALISE DA FORMA DE ESTRUTURAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS EMPRESAS Autores: Alexandre Costa Quintana Daniele Pereira Mesquita RESUMO A forma de estruturação das demonstrações contábeis é fundamental

Leia mais

PROBABILIDADE. Aula 5

PROBABILIDADE. Aula 5 Curso: Psicologia Disciplina: Métodos Quantitativos Profa. Valdinéia Data: 28/10/15 PROBABILIDADE Aula 5 Geralmente a cada experimento aparecem vários resultados possíveis. Por exemplo ao jogar uma moeda,

Leia mais

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA O objecto da estatística Ciência que dispõe de processos apropriados para recolher, organizar, classificar, apresentar e interpretar conjunto de dados. 13-03-2002 Margarida Pocinho

Leia mais

Pesquisa Estatística. Estatística Descritiva. Gestão Ambiental Prof. Luiz Rogério Mantelli

Pesquisa Estatística. Estatística Descritiva. Gestão Ambiental Prof. Luiz Rogério Mantelli Gestão Ambiental Prof. Luiz Rogério Mantelli Pesquisa Estatística Estatística Descritiva São técnicas utilizadas para descrever um conjunto de dados ou apresentá-lo de forma resumida. 1.Gráficos descritivos:

Leia mais

Estatística Básica ESTATÍSTICA BÁSICA

Estatística Básica ESTATÍSTICA BÁSICA RESUMO ESTATÍSTICA BÁSICA Conteúdo 1 Introdução pag 02 2 Organização de Dados Estatísticos pag 03 3 Medidas de Posição pag 14 4 Medidas de Dispersão pag 27 5 Medidas de Assimetria e Curtose pag 32 Alexandre

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Curso de Capacitação em Epidemiologia Básica e Análise da Situação de Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Gleice Margarete de Souza Conceição Airlane

Leia mais

Universidade Federal de Alfenas Programa de Pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria Prova de Conhecimentos Específicos

Universidade Federal de Alfenas Programa de Pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria Prova de Conhecimentos Específicos Dados que podem ser necessários a algumas questões de Estatística: P (t > t α ) = α ν 0,05 0,025 15 1,753 2,131 16 1,746 2,120 28 1,791 2,048 30 1,697 2,042 (Valor: 1,4) Questão 1. Considere o seguinte

Leia mais

PLANIFICAÇÃO OPERACIONAL DA PESQUISA

PLANIFICAÇÃO OPERACIONAL DA PESQUISA Laboratório de Psicologia Experimental Departamento de Psicologia UFSJ Disciplina: Método de Pesquisa Quantitativa TEXTO 8: PLANIFICAÇÃO OPERACIONAL DA PESQUISA Autora: Prof. Marina Bandeira,Ph.D. 1. POPULAÇÃO-

Leia mais

Escola Secundária Gabriel Pereira Évora Matemática A 10º ano. Planificação da Unidade Geometria

Escola Secundária Gabriel Pereira Évora Matemática A 10º ano. Planificação da Unidade Geometria Escola Secundária Gabriel Pereira Évora Matemática A 10º ano Planificação da Unidade Geometria 1. Generalidades Objecto da estatística e breve nota histórica sobre a evolução desta ciência; utilidade na

Leia mais

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Sumário Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Capítulo I CIÊNCIA, CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA... 37 1. Conceito de ciência e tipos

Leia mais

Pesquisa Aplicada à Estatística

Pesquisa Aplicada à Estatística Pesquisa Aplicada à Estatística Tatiene Correia de Souza / UFPB tatiene@de.ufpb.br September 14, 2014 Souza () Pesquisa Aplicada à Estatística September 14, 2014 1 / 23 Estatística: ideias gerais O que

Leia mais

BIOESTATÍSTICA: ARMADILHAS E COMO EVITÁ-LAS

BIOESTATÍSTICA: ARMADILHAS E COMO EVITÁ-LAS ESTATÍSTICA BIOESTATÍSTICA: ARMADILHAS E COMO EVITÁ-LAS Carlos Alberto Mourão Júnior * Introdução Neste artigo procuramos enfocar alguns pontos críticos referentes à bioestatística que devem ser levados

Leia mais

ESTATÍSTICA 3 ROTEIRO PARA PESQUISAS DESCRITIVA E EXPERIMENTAL

ESTATÍSTICA 3 ROTEIRO PARA PESQUISAS DESCRITIVA E EXPERIMENTAL ESTATÍSTICA 1 INTRODUÇÃO Desde a antiguidade vários povos já registravam o número de habitantes, de nascimentos, de óbitos, faziam estimativas das riquezas individual e social, distribuíam eqüitativamente

Leia mais

Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 1:

Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 1: Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 1: Introdução à Estatística Importância da Estatística Fases do Método Estatístico Variáveis estatísticas. Formas Iniciais de Tratamento dos Dados Séries Estatísticas.

Leia mais

Valor Prático da Distribuição Amostral de

Valor Prático da Distribuição Amostral de DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL DA MÉDIA DA AMOSTRA OU DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL DE Antes de falarmos como calcular a margem de erro de uma pesquisa, vamos conhecer alguns resultados importantes da inferência estatística.

Leia mais

Capítulo 3 Organização e síntese de dados

Capítulo 3 Organização e síntese de dados Capítulo 3 Organização e síntese de dados L E I T u R A C R í T I C A D E A R T I G O S C I E N T í F I CO S 3 3.. Introdução Neste capítulo, serão abordados alguns aspectos que podem ser utilizados para

Leia mais

Cap. 12 Testes Qui- Quadrados e Testes Não-Paramétricos. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Prentice-Hall, Inc.

Cap. 12 Testes Qui- Quadrados e Testes Não-Paramétricos. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Prentice-Hall, Inc. Cap. 1 Testes Qui- Quadrados e Testes Não-Paramétricos Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 008 Prentice-Hall, Inc. Chap 1-1 Final de curso... tempo de recordar : ) Cap. 9 Fundamentos de testes

Leia mais

AULA 13 Dados verbais

AULA 13 Dados verbais 1 AULA 13 Dados verbais Ernesto F. L. Amaral 05 de maio de 2011 Metodologia (DCP 033) Fonte: Flick, Uwe. 2009. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed. pp.105-118. OBJETIVO DA AULA 2 Apresentar

Leia mais

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3.

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. 1 1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. Modelo de Resultados Potenciais e Aleatorização (Cap. 2 e 3

Leia mais

Pesquisa de Intenção de Voto. Sucessão Municipal. Pelotas. 02 e 03/10/2008-4ª pesquisa. Porto Alegre, 03 de outubro de 2008.

Pesquisa de Intenção de Voto. Sucessão Municipal. Pelotas. 02 e 03/10/2008-4ª pesquisa. Porto Alegre, 03 de outubro de 2008. Pesquisa de Intenção de Voto Sucessão Municipal Pelotas 02 e 03/10/2008-4ª pesquisa Porto Alegre, 03 de outubro de 2008. 1 Sumário Apresentação e Metodologia... 3 Intenção de Voto Espontânea... 5 Intenção

Leia mais

A Pesquisa Survey em Artigos de Marketing nos ENANPADs da Década de 90

A Pesquisa Survey em Artigos de Marketing nos ENANPADs da Década de 90 A Pesquisa Survey em Artigos de Marketing nos ENANPADs da Década de 90 Marcelo Gatterman Perin Mestre em Sistemas de Informações e Doutorando em Administração pela UFRGS, e Professor da UNISINOS E-mail:

Leia mais

elementos. Caso teremos: elementos. Também pode ocorrer o seguinte fato:. Falsa. Justificativa: Caso, elementos.

elementos. Caso teremos: elementos. Também pode ocorrer o seguinte fato:. Falsa. Justificativa: Caso, elementos. Soluções dos Exercícios de Vestibular referentes ao Capítulo 1: 1) (UERJ, 2011) Uma máquina contém pequenas bolas de borracha de 10 cores diferentes, sendo 10 bolas de cada cor. Ao inserir uma moeda na

Leia mais

PROGRAMA DO CURSO DE FORMAÇÃO ANÁLISE ESTATÍSTICA DE DADOS COM SPSS (ISSSP, 2015-16)

PROGRAMA DO CURSO DE FORMAÇÃO ANÁLISE ESTATÍSTICA DE DADOS COM SPSS (ISSSP, 2015-16) PROGRAMA DO CURSO DE FORMAÇÃO ANÁLISE ESTATÍSTICA DE DADOS COM SPSS (ISSSP, 2015-16) Objectivos: Os cursos pretendem desenvolver nos participantes competências na implementação da análise de dados com

Leia mais