Número de Empresas ,7% Número de Call Centers ,7% Número de Lojas ,0%

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Número de Empresas 9 + 1 2 + 1-72,7% Número de Call Centers 30 4-86,7% Número de Lojas 153 0-100,0%"

Transcrição

1 Brasil Telecom Janeiro

2 2 Anos Após a Privatização 2

3 Comparativo 3T00 vs 3T98 (I) 3T98 3T00 1 Variação Organizacional Número de Empresas ,7% Número de Call Centers ,7% Número de Lojas ,0% Operacional Acessos Individuais (mil) Instalados ,6% Em Serviço (LES) ,9% Taxa de Utilização (%) 89,0 90,9 +1,9 p.p Taxa de Digitalização (%) 75,1 93,2 +18,1 p.p Telefone Públicos em Serviço (mil) 93,2 194,6 +108,8% KM Fibra Optica (mil) ,2% Penetração LES/100 Habitantes 12,7 18,3 +44,1% TUPs/1000 Habitantes 3,3 5,0 +52,7% Lista de Espera (mil) ,8% Impostos pagos (R$ milhões) ,7% Financeiro Receita Líquida (R$ Milhões) ,1% Receita Líquida/LES/Mês (R$) 63,3 67,8 +7,1% EBITDA (R$ Milhões) ,2% Margem EBITDA (%) 56,8 47,9-8,9 p.p. 1 O 3T00 inclui a CRT, adquirida em 31/07/

4 Comparativo 3T00 vs 3T98 (II) 3T98 3T00 1 Variação Investimentos (R$ Milhões) Investimentos - Expansão (1998 e 9M00) ,5% Investimentos Sociais ,3% Performance Acionária BTP (Preferencial - TCSP4) - R$/1000 ações 10,02 21,50 114,6% BTP (Ordinária - TCSP3) - R$/1000 ações 6,50 16,06 147,1% BTP (ADR - BRP) - US$/ADR (ADR=5000 PNs) 47,00 58,25 23,9% BT (Preferencial - TEPR4) - R$/1000 ações 4,51 16,00 254,8% BT (Ordinária - TEPR3) - R$/1000 ações 3,08 11,00 257,1% CRT (Preferencial - CRGT5) - R$/1000 ações 249,60 715,00 186,5% CRT (Ordinária - CRTG3) - R$/1000 ações 200,00 700,00 250,0% Dividendos Pagos (R$ Milhões) 2 73,0 156,1 113,9% Empregados Próprios ,1% Terceiros ,0% Produtividade (LES/Empregados Próprios) ,1% Salário Médio/Mês (R$) ,9% 1 O 3T00 inclui a CRT, adquirida em 31/07/ Relativo ao ano fiscal anterior (JSCP+dividendos) 4

5 Plano de Antecipação de Metas 5

6 Metas Universalização Dez 2000 (I) Telefonia Convencional - Quantidade de Acessos Fixos Comutados Instalados Empresa Realizado 31/12/2000 Plano de Negócios 2000 Contrato Concessão Realizado (A) (B) 2001 (C) A/B A/C TELEPAR ,3% 120,7% TELESC ,6% 111,9% CTMR ,6% 109,0% TELEGOIÁS ,6% 114,1% TELEBRASÍLIA ,1% 119,2% TELEMS ,3% 116,4% TELEMAT ,5% 121,4% TELERON ,0% 100,0% TELEACRE ,6% 100,6% CRT ,6% 105,5% Total ,0% 113,5% 6

7 Metas Universalização Dez 2000 (II) Telefonia Pública - Quantidade de Telefones de Uso Público em Serviço Empresa Realizado 31/12/2000 (A) Plano de Negócios 2000 (B) Contrato concessão 2000 (C) Contrato concessão 2001 (D) TELEPAR ,0% 97,8% TELESC ,2% 90,2% CTMR ,9% 97,8% TELEGOIÁS ,0% 102,5% TELEBRASÍLIA ,3% 149,9% TELEMS ,5% 96,5% TELEMAT ,4% 91,1% TELERON ,5% 88,1% TELEACRE ,6% 112,5% CRT ,7% 100,4% Total ,6% 101,5% A/B Realizado A/D 7

8 Indicadores de Universalização - Dez 2000 (I) Metas para 2003 a serem antecipadas para 2001 Indicador Localidades, com mais de 600 hab, não atendidas com acessos individuais Solicitações instalação acessos individuais, atendidas em mais de 2 (duas) semana. Solicitações instalação acessos individuais, atendidas em mais de 1 semana, por deficientes auditivos e da fala. Meta-Ano CRT RS SC PR MS MT RO AC GO DF Total SCD TUPs por 1000 habitantes 7, ,90 6,36 6,76 6,34 6,23 7,27 7,72 8,15 6,38 9,95 6,60 TUPs por 100 acessos fixos instalados 2, ,54 1,67 2,15 2,08 2,07 2,96 2,36 2,84 3,33 2,28 2,45 Localidades, atendidas pelo STFC, com acessos individuais, disponibilidade de TUP, em que a distância ultrapasse 300 metros Solicitações TUP em estabelecimentos de ensino regular e instituições de saúde, atendidas em mais de 1 semana Solicitações TUP por deficientes auditivos, fala e cadeira de rodas, atendidos em mais de 1 semana Localidade hab, sem STFC, sem pelo menos 1 TUP com acesso 24 hs, capacidade de originar e receber chamadas locais, LDN e LDI SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD - Dados disponíveis a partir de fev/2001 8

9 Indicadores de Universalização - Dez 2000 (II) Indicador Meta-Ano SCD - Dados disponíveis a partir de fev/2001 CRT RS Localidades com menos de 50% dos TUPs com capacidade de originar/receber chamadas locais e LDN, instaldos em locais acessíveis dez hs/dia Localidades com menos de 25% dos TUPs com capacidade de originar/receber chamadas locais e LDI, instaldos em locais acessíveis dez hs/dia Localidades atendidas pelo STFC, com acessos individuais, com disponibilidade a TUP, em que 0- dez 99 0 SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD SCD 0 SCD a distância ultrapasse 800 m. Localidades atendidas com acessos individuais, com menos de 3 TUPs por 1000 hab, 0- dez distribuídos uniformemente Localidades com mais de 1000 hab, sem SFTc, sem pelo menos 1 TUP com acesso 24 hs, com capacidade de originar/receber chamadas 0- dez locais, LDN e LDI Solicitações de TUPs em estabelecimentos de ensino regular e de instituições de saúde, 0- dez atendidas em mais de 8 semanas Solicitações de TUPs por deficientes auditivos, da fala e dos que usam cadeira de rodas, 0- dez antendidas em mais de 8 semanas solicitação de instalação de acessos individuais, atendidas em mais de 1 semana por ensino 0- dez regular e de instituições de saúde solicitação de acessos individuais, atendidas em mais de 12 semanas por deficientes auditivos e da fala 0- dez SC PR MS MT RO AC GO DF Total 9

10 Indicadores de Qualidade - Dez 2000 (I) Completamento de Chamadas Completamneto Chamadas (CSP 14/51) Chamadas locais originadas completadas Matutino Chamadas locais originadas completadas Vespertino Chamadas locais originadas completadas - Noturno Chamadas locais originadas não completadas por congestionamento - Matutino Chamadas locais originadas não completadas por congestionamento - Vespertino Chamadas locais originadas não completadas por congestionamento - Noturno Chamadas LDN originadas completadas - Matutino Chamadas LDN originadas completadas - Vespertino Chamadas LDN originadas completadas - Noturno Chamadas LDN originadas não completadas por congestionamento - Matutino Chamadas LDN originadas não completadas por congestionamento - Vespertino Chamadas LDN originadas não completadas por congestionamento - Noturno Meta CRT RS SC PR MS MT RO AC GO DF Consolidado com 21/23 Consolidado sem 21/ ,50 66,29 65,81 69,51 67,15 68,57 66,00 63,28 66,22 62,91 68,68 68, ,40 67,15 66,71 69,85 67,03 69,24 66,36 64,85 67,12 64,05 69,54 69, ,05 67,68 62,07 69,03 65,27 65,19 61,37 60,49 64,77 61,46 63,51 63,51 6 3,12 0,42 0,75 1,93 1,25 1,19 0,63 1,76 1,31 1,31 2,65 2,65 6 3,25 0,52 0,80 1,80 1,52 1,13 0,51 0,69 0,91 1,10 2,69 2, ,04 0,27 0,74 1,88 0,88 1,10 0,87 0,55 0,93 1,18 8,77 8, ,71 61,86 66,37 66,47 63,46 63,37 61,95 63,90 62,73 63,16 63,26 64, ,22 61,40 66,75 66,83 63,48 63,47 63,01 66,50 63,28 64,22 63,42 63, ,01 56,80 60,14 60,37 58,44 59,18 61,84 63,00 60,19 61,80 58,76 60,06 6 1,87 2,18 1,02 2,51 2,79 3,01 3,33 4,63 1,98 1,76 3,58 1,94 6 1,78 1,02 0,96 1,62 4,17 2,12 3,10 2,36 1,60 1,28 3,00 2,75 6 4,81 9,44 1,65 2,54 2,86 2,13 3,10 2,33 2,28 1,09 5,44 4,07 10

11 Indicadores de Qualidade - Dez 2000 (II) Atendimento a Cliente Atendimento por telefone ao usuário em até 10 seg - Matutino Atendimento por telefone ao usuário em até 10 seg - Vespertino Atendimento por telefone ao usuário em até 10 seg - Noturno Informação código de acesso de usuário respondida em até 30 seg Atendimento à correspondências do usuários respondida em até 5 dias úteis Atendimento pessoal ao usuário realizado em até 10 min. Meta CRT RS SC PR MS MT RO AC GO DF Consolidado 92 97,78 100,00 99,98 97,63 98,88 99,69 99,81 93,76 99,11 99,42 98, ,76 99,55 99,99 98,97 98,21 99,24 99,82 96,74 99,03 99,45 98, ,24 100,00 100,00 98,63 98,23 98,37 97,88 97,17 99,15 98,76 98, ,00 85,27 88,84 89,01 90,38 93,17 91,89 92,60 86,40 84,09 93, ,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100, ,70 NA NA NA NA NA NA NA NA NA 95,70 NA - Não aplicável 11

12 Indicadores de Qualidade - Dez 2000 (III) Rede Mudança de endereço Atendimento solicitações mudança de endereço residenciais em até 3 dias úteis Atendimento solicitações mudança de endereço não residenciais em até 24 hs Atendimento solicitações mudança endereço prestadores serviço utilidade pública em até 6 hs Reparo telef. Convencional Solicitações reparo por 100 acessos em serviço Solicitações reparo residenciais em até 24 hs Solicitações reparo não residenciais em até 8 hs Solicitações reparo prestadores serviços utilidade pública em até 2 hs Reparo TUPs Solicitações reparo TUP/100 TUPs em Serviço Meta CRT RS SC PR MS MT RO AC GO DF Consolidado 95 91,61 95,93 96,36 97,62 96,20 98,04 98,72 97,38 98,19 96,60 96, ,01 98,21 95,57 96,79 97,15 98,13 98,90 97,67 97,95 97,32 95, ,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 3 2,65 2,37 2,97 2,87 1,85 2,28 2,78 3,30 2,61 2,39 2, ,07 98,95 97,79 97,92 99,59 98,44 98,14 99,41 99,28 98,95 98, ,80 95,30 95,68 95,64 97,69 98,03 93,58 96,19 97,58 97,12 96, ,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 40,00 100,00 100,00 100,00 91, ,93 16,77 11,51 14,83 11,61 12,91 13,25 11,25 10,94 11,83 12,03 Solicitações reparo TUP em até 8 hs 95 99,00 98,52 97,28 95,59 98,61 98,08 94,39 97,26 96,66 98,06 97,27 12

13 Indicadores de Qualidade - Dez 2000 (IV) Outros Erro em Conta Meta CRT RS SC PR MS MT RO AC GO DF Consolidado Contas erro (local) por 1000 contas emitidas Contas com erro (LDN) por 1000 contas emitidas Contas contestadas com crédito devolvido (local) Contas contestadas com crédito devolvido (LD) 4 3,37 2,88 2,34 2,27 0,81 0,98 1,87 1,09 1,81 1,49 2,36 4 0,82 1,33 0,78 0,49 0,26 0,53 0,44 0,41 1,10 0,55 0, ,29 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 99, ,84 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 99,73 Sinal de Discar Sinal de discar em até 3 seg - Matutino Sinal de discar em até 3 seg - Vespertino Sinal de discar em até 3 seg - Noturno 98 99,90 100,00 100,00 99,94 100,00 100,00 99,99 99,93 100,00 100,00 99, ,93 100,00 100,00 99,96 100,00 100,00 100,00 100,00 99,98 100,00 99, ,84 100,00 100,00 99,94 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 99,95 Digitalização Taxa de digitalização da rede local 75 98,48 100,00 95,63 86,24 97,20 98,47 100,00 100,00 91,49 87,60 93,09 13

14 Cenário Atual 14

15 Cenário Atual - Oportunidades e Ameaças As mudanças no mercado de telecomunicações vêm criando oportunidades e ameaças aos players estabelecidos Oportunidades Ameaças Regulatório Mercado * Desenvolvimento de um portfólio de voz, * Aumento do número de competidores dados, mobilidade e Internet * Aumento da competição em nichos, e.g. * Atender clientes de maior atratividade fora operadoras de TV a cabo, espelhinhos e ISPs da Região II, em geografias selecionadas * Aumento das expectativas dos clientes em relação à amplitude de serviços e qualidade dos SLA s * Migração do tráfego de voz para VoIP e para a telefonia móvel * Possibilidade de competir nas Regiões I e III * Pressão nos preços no mercado de voz, a partir de 2002 particularmente longa distância * Possibilidade de oferecer novos serviços, * Pressão regulatória sobre empresas privatizadas e.g. mobilidade, Internet, etc. * Compartilhamento: ameaça na Região II * Compartilhamento permite acesso competitivo a clientes fora da Região II 15

16 Cenário Atual - Principais Tendências A ação dos competidores deverá, inicialmente, focar-se no mercado corporativo, movendo-se subsequentemente para clientes residenciais de maior poder aquisitivo Mercado Corporativo - Embora já competitivo, particularmente nos serviços de dados e VPN, novos entrantes buscarão estes clientes devido à maior taxa de rentabilidade e ao fator prestígio Médias e Pequenas Empresas - Concentração em poucas empresas neste segmento na Região II poderá atrair competição Clientes Residenciais de Maior Poder Aquisitivo - Potencial competição de operadoras de TV a cabo e empresa-espelho Clientes Residenciais de Menor Poder Aquisitivo Clientes Residenciais de Menor Poder Aquisitivo - Devido ao baixo retorno, a competição deverá ser restrita 16

17 Cenário Atual - Competências Principais Competências da Brasil Telecom Marca forte na Região II Base de clientes substancial Capilaridade da rede Preço competitivo Portfólio completo de serviços Sólido planejamento de rede 17

18 Prioridades Estratégicas 18

19 Brasil Telecom - Prioridades Estratégicas (I) A Brasil Telecom identificou mais de 20 iniciativas externas que entende serem relevantes para a Companhia, priorizando e focando em um número reduzido de iniciativas no curto prazo Para determinar suas prioridades, a Companhia definiu os seguintes critérios: Impacto na rentabilidade Facilidade de implementação Sinergias com outros negócios Iniciativas Internas (core business) Suporte ao core business Acesso a novos negócios Atratividade do negócio em si Iniciativas Externas (fora da Região II) 19

20 Brasil Telecom - Prioridades Estratégicas (II) Priorização de Iniciativas Internas Priorização de Iniciativas Externas Critério Descrição Critério Descrição Impacto na rentabilidade Facilidade de Implementação Sinergias com Outros Negócios * Defende market share * Defende market share Suporte ao Core * Aumenta ARPU * Reforça marca da empresa Business * Aumenta eficiência * Reduz impactos da competição * Risco se não implementado * Rápida/fácil implementação * Menor número de competências * Não drenagem recursos Acesso a Novos novas ou adicionais * Apoio de parceiros em caso de Negócios * Disponibilidade de parceiros dificuldades na implementação * Inexistência de barreiras regulatórias * Sinergias com outras iniciativas internas Atratividade do * Potencial de receita e lucro * Sinergias com novas oportunidades Negócio em Si * Alavancagem da capacidade instalada 20

21 Prioridades Estratégicas Externas (I) Foram identificadas 7 prioridades estratégicas externas: Oportunidade Suporte ao Core Business * Oferecer serviços de voz e * Capacidade de atender em escala comunicação de dados para nacional clientes corporativos em geografias * Ampliar retenção de clientes na selecionadas das Regiões I e III Região II * Oferecer co-location, hosting * Aumentar a lealdade dos clientes e security services para clientes na Região II corporativos em escala nacional * Fortalecimento da marca * Desenvolver backbone em escala nacional interligando cidades-chave no Brasil * Redução dos custos de interconexão * Maior controle da qualidade do serviço * Criação da plataforma para oferecer serviços futuros 21

22 Prioridades Estratégicas Externas (II) Oportunidade Suporte ao Core Business * Tornar-se operadora de * Aumentar a lealdade dos clientes telefonia móvel na Região II * Reduzir risco de substituição fixo-móvel * Oferecer serviços de LD para * Oferecer serviços de redes corporativas clientes selecionados nas fora da Região II Regiões I e III como base para * Fortalecimento da marca fora da Região II serviços de redes corporativas * Oferecer acesso a Internet para empresas fora da Região II * Oferecer acesso à Internet para clientes residenciais na Região II * Aprimorar a percepção da marca * Aumentar a lealdade dos clientes * Incremento de tráfego * Plataforma para a venda de ADSL * Aumentar a lealdade dos clientes * Incremento de tráfego 22

23 Plano de Rede (I) PVO BACKBONE BRASIL TELECOM 2000 PVO BACKBONE BRASIL TELECOM 2001 Jaci-PR JMR Abunã Jaci-PR JMR AQS JAW JIP PYM PBW VHA Rep CMZ NVLA PCK FOPS MIS Reg-4 CCS CBA JCR ETCO 101 ETCE 5 54 VAEX VNCR Peixoto Rio Branco PBW AQS JAW JIP PYM Rep CMZ NVLA PCK VHA FOPS MIS Reg -4 CCS CGI CBA JCR CZV PVT VAPD GEC 110 BAG ETCO ETCE TELEMAR TELEMAR D O S F S U G D S 103 I V H N D I D O S F S U G D S km km Ribas Agua Rio Clara Pardo 103 I V H N D I 130 km 52,7 52,7 DXC ADM-16 ADM-1 ADM-4 ADM-4 ADM-16 REG REG REG + BOOSTER (DXC configuration) Existente Cabo 36 fibras F.O. a instalar MEL 105 SUV VAA CTAM CTAV LPA 80 SBS JGS Mbits I A I Tubarão Criciúma FNS DXC ADM-16 ADM-1 ADM-4 ADM-4 ADM-16 REG REG REG + BOOSTER (DXC configuration) Existente Cabo 36 fibras F.O. a instalar O5 GNU LASE MEL RIAI Zortea Celso Ramos 54 CRN CBK SUV RZL VAA SSL 100 CTAM CTAV LPA JGS SBS UUI AWR I A I RQO Tubarão Criciúma FNS TES TES CSL 110 CSL 110 MTZ 110 POA OSR MTZ ITU BVA ALP 110 OSR POA 23

24 Plano de Rede (II) A evolução da rede considera a introdução de tecnologia de comutação por pacotes e não mais por circuitos CBA 81 CGI JCR BACKBONE BRASIL TELECOM DWDM 2002/3 76 CZV 107 PVT 136 VAPD BAG ANS ANS CTL 140 PIR 156 λ1 VLS BHZ λ0 λ4 ETCE SND Serão privilegiadas as soluções de infra-estrutura de serviços IP e de banda larga com a implantação da tecnologia DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) TERMINAL ILA(ds) REGENERADOR ELÉTRICO (8l) DOS REGENERADOR ELÉTRICO C/ AMP TRANSPONDER Previsão para Outros Mercados ITQ NDI MGA O5 GNU LASE RIAI SPO CTAM λ1 λ0 λ RZL LPA SSL 80 SBS 129 BNU 150 λ λ 1 λ JVE 88 IAI 113 λ1 λ4 FNS RJO λ0 24

25 Plano de Rede (III) A tecnologia WLL será utilizada, inicialmente, como contingência, mas será estrategicamente interessante no segmento de baixa renda, considerando a imprecisão desta demanda e o maior churn por inadimplência A Brasil Telecom iniciará sua atuação fora da Região II instalando POPs em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, os quais são responsáveis pela concentração, provimento e encaminhamento das funcionalidades de: Tráfego de voz interurbano originado na Região II Serviços de voz local e IU para clientes corporativos Frame relay (VPN e voice over frame relay) ATM, IP Dedicado e IP Dial (VPN) Conectividade Internet SLDD e VoIP 25

The Bank of New York 0% 49% 31% BNDESPAR 1% 6% 4% PREVI 5% 4% 4% PETROS 1% 2% 1% Fundação Cesp 1% 1% 9%

The Bank of New York 0% 49% 31% BNDESPAR 1% 6% 4% PREVI 5% 4% 4% PETROS 1% 2% 1% Fundação Cesp 1% 1% 9% Reunião ABAMEC - Sul Dezembro 2000 1 Visão Geral 2 Estrutura Acionária TECHOLD Opportunity, Fundos de Pensão e Investimento ON: 11% PN: 62% TOTAL: 41% ON: 52% PN: 0% TOTAL: 19% STET Telecom Italia ON:

Leia mais

Brasil Telecom. Café da Manhã com Investidores Unibanco. Fevereiro 2003

Brasil Telecom. Café da Manhã com Investidores Unibanco. Fevereiro 2003 Brasil Telecom Café da Manhã com Investidores Unibanco Fevereiro 2003 1 Estratégia 2 Mercado Metas Metas Garantir a liderança na Região II, focando nos clientes de alto valor. Garantir a liderança na Região

Leia mais

BRASIL TELECOM S.A. First Field Trip Posicionamento estratégico para a abertura do mercado

BRASIL TELECOM S.A. First Field Trip Posicionamento estratégico para a abertura do mercado BRASIL TELECOM S.A. First Field Trip Posicionamento estratégico para a abertura do mercado Abril 2002 1 A presente apresentação contém previsões acerca de eventos futuros que não constituem fatos ocorridos

Leia mais

Apresentação institucional CTBC 1T07

Apresentação institucional CTBC 1T07 Apresentação institucional CTBC 1T07 1 Visão geral Empresa integrada de telecomunicações - há mais de 53 anos no mercado de telecom - portfolio completo de serviços - forma de atuação regional (proximidade

Leia mais

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 EBITDA atingiu a soma de R$ 391 milhões no ano passado São Paulo, 24 de março de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações do Grupo Algar,

Leia mais

Qualidade na Telefonia Fixa

Qualidade na Telefonia Fixa Qualidade na Telefonia Fixa Este tutorial apresenta os indicadores básicos utilizados pela Anatel para acompanhar a Qualidade do Serviço prestado pelas operadoras do Serviço Telefônico Fixo Comutado no

Leia mais

Brasil Telecom. Gigantes dos Mercados Emergentes UBS Warburg. Dezembro de 2002

Brasil Telecom. Gigantes dos Mercados Emergentes UBS Warburg. Dezembro de 2002 Brasil Telecom Gigantes dos Mercados Emergentes UBS Warburg Dezembro de 2002 1 OSetor de Telecomunicações no Brasil 2 Empresas de Telefonia Fixa Região IV (Somente Longa Distância) Preço Mínimo: US$1.548

Leia mais

Apresentação de resultados. Algar Telecom 2T10

Apresentação de resultados. Algar Telecom 2T10 Apresentação de resultados Algar Telecom 2T10 Destaques do 2T10 A Algar ficou com a 6 melhor colocação no setor de Telecomunicações e a 1ª no ranking de rentabilidade, conforme publicado pela Revista Exame

Leia mais

Destaques do trimestre

Destaques do trimestre Resultados 3T12 Destaques do trimestre 1 Empresa integrada é líder no índice de satisfação do cliente 2 Líder indiscutível nos segmentos de maior receita com foco na geração de valor 3 Melhora sequencial

Leia mais

Concentração no mercado de telecom Telesíntese 40

Concentração no mercado de telecom Telesíntese 40 Concentração no mercado de telecom Telesíntese 40 Telefonica do Brasil S.A. mar.2015 AGENDA e principais mensagens 1. O negócio de telecomunicações é intensivo em capital e está pressionado pela expansão

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Apresentação de resultados. Algar Telecom 3T10

Apresentação de resultados. Algar Telecom 3T10 Apresentação de resultados Algar Telecom Destaques do Lucro Líquido consolidado de R$ 32,8 milhões, 49,5% maior que o do. Margem de 8,6% no, ante 6,2% no. Algar Telecom inicia oferta de varejo (voz, banda

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Divulgação de Resultado Consolidado

Divulgação de Resultado Consolidado TCSP3: R$19,00/1.000 ações TCSP4: R$18,99/1.000 ações BRP: US$39,58/ADR VALOR DE MERCADO: R$6,616 MILHÕES Preço de fechamento (26 de fevereiro de 2002) Divulgação de Resultado Consolidado 4 o Trimestre

Leia mais

Divulgação de Resultado

Divulgação de Resultado TEPR3: R$10,19/1.000 ações TEPR4: R$13,59/1.000 ações BTM: US$16,90/ADR VALOR DE MERCADO: R$6.433 MILHÕES Preço de fechamento (26 de fevereiro de 2002) Divulgação de Resultado 4 o Trimestre de 2001 Não

Leia mais

Divulgação de Resultado Consolidado

Divulgação de Resultado Consolidado TCSP3: R$18,00/1.000 ações TCSP4: R$19,10/1.000 ações BRP: US$39,45/ADR (1 ADR=5.000 ações) VALOR DE MERCADO: R$6.511 MILHÕES Preço de fechamento (15 de novembro de 2001) Divulgação de Resultado Consolidado

Leia mais

Perspectiva Regulatória. Novembro de 2015

Perspectiva Regulatória. Novembro de 2015 Perspectiva Regulatória Novembro de 2015 acesso móvel TV por assinatura telefone fixo banda larga fixa Panorama Setorial - Tradicional 44,1 milhões de assinantes 25,2 milhões de assinantes R$ 204 bi RECEITA

Leia mais

Resultados 4T13_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Fevereiro, 2014.

Resultados 4T13_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Fevereiro, 2014. Resultados 4T13_ Fevereiro, 2014. Destaques do 4T13 e ano de 2013 DESTAQUES Móvel Fixo Operacional Sustentando o crescimento superior em adições de pós-pago resultando em uma maior adoção de dados e crescimento

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

II Semana de Engenharia de Telecomunicações - SETEL - 2013

II Semana de Engenharia de Telecomunicações - SETEL - 2013 II Semana de Engenharia de Telecomunicações - SETEL - 2013 Lívio Peixoto do Nascimento Gerente Anatel/RN UFRN Natal - RN Outubro/2013 Agenda Convergência Tecnológica Evolução dos Marcos Regulatórios Avaliação

Leia mais

VoIP (Voz sobre IP): Trajetória Tecnológica e Perspectivas para o Brasil no cenário de Convergência Tecnológica

VoIP (Voz sobre IP): Trajetória Tecnológica e Perspectivas para o Brasil no cenário de Convergência Tecnológica IV CONGRESSO ACORN-REDECOM POLÍTICAS PÚBLICAS: IMPACTO SOCIOECONÔMICO DAS TICs NAS AMÉRICAS VoIP (Voz sobre IP): Trajetória e Perspectivas para o Brasil no cenário de Convergência Michele Cristina Silva

Leia mais

BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A.

BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A. BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A. RELATÓRIO DE ADMINISTRAÇÃO 2002 Senhoras e Senhores Acionistas: Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da Brasil Telecom Participações S.A. submete

Leia mais

Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA 1T13. Abril 2013

Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA 1T13. Abril 2013 Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA Abril 2013 1T13 Estratégia RESIDENCIAL Convergência de serviços com crescimento de Banda Larga e TV Paga MOBILIDADE PESSOAL Crescimento do pós e rentabilização

Leia mais

Acre. Planos Antigos:

Acre. Planos Antigos: Acre Planos Antigos: Planos Assinatura mensal Minuto excedente de ligações locais dentro da área de registro Plano 50 minutos R$ 58,74 R$ 0,93 Plano 100 minutos R$ 90,84 R$ 0,74 Plano 150 minutos R$ 104,75

Leia mais

Apresentação APIMEC. Dezembro 2010. Investor Relations. Investor Relations

Apresentação APIMEC. Dezembro 2010. Investor Relations. Investor Relations Apresentação APIMEC Dezembro 2010 AGENDA 03. Mercado Brasileiro de Telecom 06. Oi: Perfil e Estratégia 13. Resultados Operacionais e Financeiros 19. Aliança com a Portugal Telecom Mercado Brasileiro de

Leia mais

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA?

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? Tecnologia 40 Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? DSL Cabo Fibra Móvel Móvel WiFi em movimento Convergência TERMINAL é poder MULTI- se comunicar ÓTIMO MÍDIA independente de local, dispositivo de acesso

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

10ª CONFERÊNCIA WEBSITE ANUAL SANTANDER AGOSTO DE 2009. Relações com Investidores

10ª CONFERÊNCIA WEBSITE ANUAL SANTANDER AGOSTO DE 2009. Relações com Investidores 10ª CONFERÊNCIA WEBSITE ANUAL SANTANDER AGOSTO DE 2009 Relações com Investidores AGENDA O Mercado de Telecomunicações no Brasil Perfil e Estratégia da Oi Resultados Operacionais e Financeiros Atuação no

Leia mais

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010.

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Embratel Participações S.A. ( Embrapar ) (BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,2 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ), 100,0

Leia mais

1T10 RESULTADOS. Fitch ratings eleva de A para A+(bra) o Rating Nacional de Longo Prazo da Algar Telecom

1T10 RESULTADOS. Fitch ratings eleva de A para A+(bra) o Rating Nacional de Longo Prazo da Algar Telecom RESULTADOS 1T10 Uberlândia MG, Maio de 2010 A Algar Telecom, Empresa integrada de telecomunicações com um portfólio completo de serviços, divulga seus resultados do 1º Trimestre de 2010 (1T10). As Informações

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Telefonia Móvel. Audiência Pública da Comissão de Defesa do Consumidor Requerimentos 03/2011 e 05/2011 24 de março de 2011

Telefonia Móvel. Audiência Pública da Comissão de Defesa do Consumidor Requerimentos 03/2011 e 05/2011 24 de março de 2011 Telefonia Móvel Audiência Pública da Comissão de Defesa do Consumidor Requerimentos 03/2011 e 05/2011 24 de março de 2011 Sumário Base de clientes Investimentos Empregos gerados Competição Preço dos serviços

Leia mais

Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC)

Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) Superintendência de Serviços Públicos (SPB) Gerência-Geral de Outorga, Acompanhamento e Controle das Obrigações Contratuais (PBOA) Gerência de Outorga de Serviços

Leia mais

Resultados do 4T05 e do ano de 2005

Resultados do 4T05 e do ano de 2005 Resultados do 4T05 e do ano de 2005 Teleconferência 24/03/2006 1 Considerações Futuras Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais

Leia mais

Resultados 1T15_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio, 2015.

Resultados 1T15_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio, 2015. Resultados _ Relações com Investidores Maio, 2015. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes,

Leia mais

Novembro 2006. www.telemar.com.br/ri

Novembro 2006. www.telemar.com.br/ri Novembro 2006 www.telemar.com.br/ri Índice Visão Geral Telemar Mercado de Telecom no Brasil Telemar: Destaques Operacionais e Financeiros Anexos 2 Telemar: Visão Geral Empresa líder em serviços integrados

Leia mais

Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor. Novembro de 2013.

Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor. Novembro de 2013. Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor Novembro de 2013. Continuamos evoluindo em nosso esforço de integração... Espaço TI Atenção ao Cliente Contratos Unificação e renegociação

Leia mais

Algar Telecom. Abril de 2013

Algar Telecom. Abril de 2013 Algar Telecom Abril de 2013 Algar Telecom Portfólio diversificado e complementar. Soluções em Telecom e Tecnologia de Processos de negócios Foco na qualidade de atendimento e relacionamento com seus clientes.

Leia mais

Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2008

Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2008 GVT (Holding) S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2008 Curitiba, 14 de julho de 2008 Curitiba, 14 de julho de 2008: A GVT (Holding) S.A. (Bovespa: GVTT3, Reuters: GVTT3.SA e Bloomberg GVTT3:BZ),

Leia mais

Telecom Italia TIM Brasil Plano 2012 2014 Plano 2012 14

Telecom Italia TIM Brasil Plano 2012 2014 Plano 2012 14 Telecom Italia TIM Brasil Plano 2012 14 14 LUCA LUCIANI Limitação de Responsabilidade Este documento pode incluir declarações prospectivas. Essas declarações não são declarações de fatos históricos e refletem

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Telefonia Fixa e sua regulamentação no Brasil.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Telefonia Fixa e sua regulamentação no Brasil. Telefonia Fixa no Brasil Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Telefonia Fixa e sua regulamentação no Brasil. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco (INPE 81) tendo

Leia mais

Brasil Telecom Participações S.A. Relatório da Administração

Brasil Telecom Participações S.A. Relatório da Administração Brasil Telecom Participações S.A. Relatório da Administração 2003 RELATÓRIO DE ADMINISTRAÇÃO 2003 Senhoras e Senhores Acionistas: Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da Brasil

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

CONHEÇA O ATENDIMENTO OI EMPRESARIAL. E veja como pode resolver mais rápido a vida da sua empresa.

CONHEÇA O ATENDIMENTO OI EMPRESARIAL. E veja como pode resolver mais rápido a vida da sua empresa. CONHEÇA O ATENDIMENTO OI EMPRESARIAL E veja como pode resolver mais rápido a vida da sua empresa. agosto.2011 ATENDIMENTO OI EMPRESARIAL* Ligue 0800 031 0800. O Atendimento Oi Empresarial funciona 24 horas,

Leia mais

Resultados 3T15_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro, 2015. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A.

Resultados 3T15_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro, 2015. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Resultados _ Novembro, 2015. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

4. Mercado de Telefonia Móvel

4. Mercado de Telefonia Móvel 70 4. Mercado de Telefonia Móvel Tendo em vista que este estudo de caso é de uma empresa de telefonia móvel, torna-se relevante que seja abordada a evolução histórica da telefonia móvel no Brasil, suas

Leia mais

Fatores de Sucesso. Carlos Raimar Schoeninger Diretor de Estratégia e RI. Seminário sobre Telecomunicações APIMEC Rio. Telefônica Vivo 27.09.

Fatores de Sucesso. Carlos Raimar Schoeninger Diretor de Estratégia e RI. Seminário sobre Telecomunicações APIMEC Rio. Telefônica Vivo 27.09. Fatores de Sucesso Carlos Raimar Schoeninger Diretor de Estratégia e RI Seminário sobre Telecomunicações APIMEC Rio Telefônica Vivo 27.09.2012 Conteúdo 01 Vivo: uma história de sucesso 02 Desempenho da

Leia mais

Plano industrial 2014-2016 TIM Participações

Plano industrial 2014-2016 TIM Participações Plano industrial 2014-2016 TIM Participações Limitação de Responsabilidade Este documento pode incluir declarações prospectivas. Essas declarações não são declarações de fatos históricos e refletem crenças

Leia mais

2 nd Investor s Day. São Paulo, 19 de dezembro de 2005-0 -

2 nd Investor s Day. São Paulo, 19 de dezembro de 2005-0 - 2 nd Investor s Day São Paulo, 19 de dezembro de 2005-0 - AGENDA Introdução e estratégia da Brasil Telecom Operações Voz fixa IP (DSL e negócios de Internet) Dados Móvel Desafios regulatórios Tópico Eficiência

Leia mais

CONCLUSÃO das implicações estratégicas das redes e alianças de relacionamento mais significativas da Embratel enquanto empresa do grupo Telmex

CONCLUSÃO das implicações estratégicas das redes e alianças de relacionamento mais significativas da Embratel enquanto empresa do grupo Telmex 177 6 CONCLUSÃO A presente investigação das implicações estratégicas das redes e alianças de relacionamento mais significativas da Embratel enquanto empresa do grupo Telmex, atingiu seu objetivo de evidenciar

Leia mais

Apresentação de resultados. Algar Telecom. Reunião Gerencial, 20/05/2008

Apresentação de resultados. Algar Telecom. Reunião Gerencial, 20/05/2008 Apresentação de resultados Algar Telecom 2008 Agenda Segmentos de negócios Concessão e Expansão Resultados de 2008 Agenda Segmentos de negócios Concessão e Expansão Resultados de 2008 Segmentos de negócios

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012 Apresentação de Resultados 2T12 10 de agosto de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou expectativas

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PLURI NOVOS PACOTES

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PLURI NOVOS PACOTES REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PLURI NOVOS PACOTES 1. Das Partes do Objeto e do Prazo da Promoção: BRASIL TELECOM S.A., prestadora do serviço de telecomunicações denominado STFC - Serviço Telefônico Fixo Comutado

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

Projeto e-caixa NOVA ARQUITETURA DE TELECOMUNICAÇÕES DA CAIXA CENÁRIOS, DESAFIOS, RESULTADOS

Projeto e-caixa NOVA ARQUITETURA DE TELECOMUNICAÇÕES DA CAIXA CENÁRIOS, DESAFIOS, RESULTADOS Projeto e-caixa NOVA ARQUITETURA DE TELECOMUNICAÇÕES DA CAIXA CENÁRIOS, DESAFIOS, RESULTADOS 80,2Milhões de Clientes 154 Anos Mil Empregados 100,0 Tamanho R$ 1,08 trilhão Ativos Administrados R$ 968 bilhões

Leia mais

Capítulo I Das Disposições Gerais

Capítulo I Das Disposições Gerais PLANO GERAL DE METAS DA QUALIDADE PARA O SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º Este Plano estabelece as metas de qualidade a serem cumpridas pelas prestadoras do Serviço

Leia mais

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014.

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014. Mobile Device Management MDM SAP Forum, Fev2014. A EMBRATEL ENTREGA Porque é a mais completa operadora de Telecomunicações e TI Referência e líder na oferta de serviços de telecomunicações em toda a América

Leia mais

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET er@ da informação impacto nos serviços Edmundo Antonio Matarazzo Superintendência de Universalização agosto

Leia mais

Divulgação de Resultados 1º Trimestre de 2009

Divulgação de Resultados 1º Trimestre de 2009 GVT (Holding) S.A. Divulgação de Resultados 1º Trimestre de 2009 Curitiba, 22 de Abril de 2009 Curitiba, 22 de abril de 2009: A GVT (Holding) S.A. (Bovespa: GVTT3, Reuters: GVTT3.SA e Bloomberg GVTT3:BZ),

Leia mais

O Desafio da Banda Larga e a Nova Oi

O Desafio da Banda Larga e a Nova Oi O Futuro das (Tele)Comunicações no Brasil O Desafio da Banda Larga e a Nova Oi Mario Dias Ripper F&R Engenheiros Consultores S/C Ltda. São Paulo, 03 de junho de 2008. PRINCIPAIS MENSAGENS O Brasil e a

Leia mais

ANEXO 85 (Art. 300 do RICMS Anexo ao Convênio ICMS 126/98, atualizado até o Conv. ICMS 67/07)

ANEXO 85 (Art. 300 do RICMS Anexo ao Convênio ICMS 126/98, atualizado até o Conv. ICMS 67/07) Alterado pelo Decreto nº 19.229, de 30/06/06 Alterado pelo Decreto nº 19.285, de 11/08/06 Alterado pelo Decreto nº 19.432, de 25/10/06, com efeitos a partir de 11/10/06. Alterado pelo Decreto nº 19.607,

Leia mais

TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA

TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA CORPORATE TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA De empresa regional para empresa nacional De 24 cidades em 9 estados para 95 cidades em 17 estados De 800 funcionários em 2000 para 8 mil atualmente Oferta completa de

Leia mais

Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007

Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007 Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007 Agenda I. Panorama do Setor II. Convergência e Consolidações 2 O mercado de telecomunicações no mundo alcançou 1,3bi de linhas

Leia mais

Relatório sobre a Revisão Especial de Cumprimento da Antecipação do Plano Geral de Metas para a Universalização Estado do Maranhão

Relatório sobre a Revisão Especial de Cumprimento da Antecipação do Plano Geral de Metas para a Universalização Estado do Maranhão ANEXO 2 DECLARAÇÃO DE AUDITORIA INDEPENDENTE Relatório sobre a Revisão Especial de Cumprimento da Antecipação do Plano Geral de Metas para a Universalização Estado do Maranhão Ilmos. Srs. Acionistas e

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Você conectado ao mundo com liberdade APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL > ÍNDICE Sobre a TESA 3 Telefonia IP com a TESA 5 Portfólio de produtos/serviços 6 Outsourcing 6 Telefonia 7 Web

Leia mais

Resultados do 1 Trimestre de 2007. GVT (Holding) S.A.

Resultados do 1 Trimestre de 2007. GVT (Holding) S.A. Resultados do 1 Trimestre de 2007 GVT (Holding) S.A. RECEITA LÍQUIDA DA GVT CRESCE 25,2% E EBITDA AJUSTADO ATINGE CRESCIMENTO DE 38,6% NO 1T07 Durante o 1T07 a GVT completou seu IPO que atingiu um acréscimo

Leia mais

LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO SEM LIMITES.

LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO SEM LIMITES. v8.art.br LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO SEM LIMITES. www.liguetelecom.com.br 0800 888 6700 VOIP FIXO INTERNET LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO

Leia mais

2002 - Serviços para empresas

2002 - Serviços para empresas 2002 - Serviços para empresas Grupo Telefónica Data. Resultados Consolidados 1 (dados em milhões de euros) Janeiro - Dezembro 2002 2001 % Var. Receita por operações 1.731,4 1.849,7 (6,4) Trabalho para

Leia mais

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 13 de Setembro de 2001 Princípios Contabilísticos Internacionais Síntese do 1º Semestre de 2001 Principais Acontecimentos do 1º Semestre Forte liderança

Leia mais

Essencialmente Vivendi. O melhor para a geração digital

Essencialmente Vivendi. O melhor para a geração digital Essencialmente Vivendi O melhor para a geração digital Visão Geral A Vivendi oferece o que há de melhor para a geração digital. O Grupo atua no centro dos universos do conteúdo, das plataformas e redes

Leia mais

Tabela de Preços MARKETING B2B

Tabela de Preços MARKETING B2B 1. SOLUÇÔES DE DADOS E ACESSO A INTERNET... 2 1.1. TC IP ECONÔMICO SAT... 2 1.2. TC VPN CONNECT... 4 1.3. TC DATA... 4 1.4. TC PAC... 6 1.5. TC PAC DEDICADO... 7 1.6. TC FRAME WAY... 12 1/15 1. SOLUÇÔES

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01768-0 BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A 02.570.688/0001-70 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01768-0 BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES S.A 02.570.688/0001-70 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/22 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

CTBC. Companhia de Telecomunicações do Brasil Central 1 a Emissão de Debêntures Junho de 2007

CTBC. Companhia de Telecomunicações do Brasil Central 1 a Emissão de Debêntures Junho de 2007 CTBC Companhia de Telecomunicações do Brasil Central 1 a Emissão de Debêntures Junho de 2007 Coordenador Líder Coordenador 1 Disclaimer Este material foi preparado exclusivamente como material de suporte

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Rio de Janeiro, 07 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Rio de Janeiro, 07 de maio de 2015 Centro de Gerência de Rede Oi Rio de Janeiro - Brasil RESULTADOS Rio de Janeiro, 07 de maio de 2015 AVISO IMPORTANTE Esta apresentação contém declarações acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S.

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Mario Dias Ripper F&R Consultores Brasília, 02 de setembro de 2014. PGMU III Geografia Características do Brasil

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2010

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2010 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2010 SENHORES ACIONISTAS: A Administração da Algar Telecom ( Companhia, Empresa, ou Algar Telecom ) tem a satisfação de submeter à sua apreciação o Relatório da Administração

Leia mais

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004 Apresentação Corporativa Maio - 2004 Apresentação Telemar - Agenda 1. Destaques 2003/2004 1 2. Estratégia de Crescimento 3 3. Revisão do Resultado Operacional 12 4. Resultados Financeiros 20 1 Destaques

Leia mais

2. VoIP Meeting IP News. 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307. 0307 fds01@terra.com.

2. VoIP Meeting IP News. 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307. 0307 fds01@terra.com. 2. VoIP Meeting IP News 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307 0307 fds01@terra.com.br VOIP Conceito: Voice Over IP (Voz sobre IP) Anatel: Não regulamenta

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 1T06. 5 de Maio de 2006

TIM Participações S.A. Resultados do 1T06. 5 de Maio de 2006 TIM Participações S.A. Resultados do 5 de Maio de 2006 1 Principais realizações Desempenho do Mercado Desempenho Financeiro 2 Status da Reestruturação Corporativa Principais realizações Melhorando a Estrutura

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

Broadband & Internet 1a Apresentação Jun/03 2a Apresentação Dez/03

Broadband & Internet 1a Apresentação Jun/03 2a Apresentação Dez/03 Broadband & Internet 1a Apresentação Jun/03 2a Apresentação Dez/03 Mercado de Internet Nos próximos 5 anos...... o número de contas deverá crescer a uma taxa média anual de 9%... o mercado brasileiro deverá

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Soluções de Voz. Otimize os serviços de comunicações e os custos de telefônia com nossas soluções integradas de voz.

Soluções de Voz. Otimize os serviços de comunicações e os custos de telefônia com nossas soluções integradas de voz. Nossas Soluções Soluções de Voz Otimize os serviços de comunicações e os custos de telefônia com nossas soluções integradas de voz. lâmina_option_voz.indd 1 10/30/13 2:47 PM Soluções de Voz Soluções Integradas

Leia mais

7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa. 21 e 22 de agosto de 2006

7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa. 21 e 22 de agosto de 2006 7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa 21 e 22 de agosto de 2006 1 Considerações Futuras Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados

Leia mais

Brasil Telecom Participações S.A.

Brasil Telecom Participações S.A. BRTP3: R$21,00 / 1.000 ações BRTP4: R$17,80 / 1.000 ações BRP: US$31,35 / ADR Valor de Mercado: R$6.838 milhões Fechamento de 01 de novembro de 2004 Brasil Telecom Participações S.A. Divulgação de Resultado

Leia mais

Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações. Marcelo Couto Diretor de Comunicação e Marketing

Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações. Marcelo Couto Diretor de Comunicação e Marketing Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações Marcelo Couto Diretor de Comunicação e Marketing Quem somos ABRINT - Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações.

Leia mais

Brasil Telecom S.A. Divulgação de Resultado Consolidado. 3 O Trimestre de 2003 Não Auditado. Brasília, 04 de novembro de 2003.

Brasil Telecom S.A. Divulgação de Resultado Consolidado. 3 O Trimestre de 2003 Não Auditado. Brasília, 04 de novembro de 2003. BRTO3: R$13,40 / 1.000 ações BRTO4: R$13,78 / 1.000 ações BTM: US$14,46 / ADR Valor de Mercado: R$7.418 milhões Fechamento de 03 de novembro de 2003 Brasil Telecom S.A. Divulgação de Resultado Consolidado

Leia mais

Este tutorial apresenta conceitos e recomendações para o planejamento de uma rede multi-serviço.

Este tutorial apresenta conceitos e recomendações para o planejamento de uma rede multi-serviço. O que se deve considerar no planejamento de uma rede multi-serviço? Este tutorial apresenta conceitos e recomendações para o planejamento de uma rede multi-serviço. Jorge Moreira de Souza Doutor em Informática

Leia mais

Operadora: Indicadores econômico-financeiros

Operadora: Indicadores econômico-financeiros Número 02 São Paulo, 13 de agosto de 2013 Operadora: Indicadores econômico-financeiros RESUMO A GVT tem apresentado variações positivas significativas na quantidade de acessos nos últimos três anos, e

Leia mais

O valor da performance. Capex investido em qualidade de rede melhora desempenho financeiro das operadoras

O valor da performance. Capex investido em qualidade de rede melhora desempenho financeiro das operadoras O valor da performance Capex investido em qualidade de rede melhora desempenho financeiro das operadoras Abril de 2014 CONTEÚDO RESUMO INTRODUÇÃO 3 MELHOR PERFORMANCE DE REDE 4 IMPLICAÇÕES ESTRATÉGICAS

Leia mais

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 FATO RELEVANTE

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 FATO RELEVANTE TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 FATO RELEVANTE A ("Companhia") vem a público, na forma e para os fins da Instrução CVM nº 358/02, em complemento

Leia mais

UNIVERSALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES

UNIVERSALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES UNIVERSALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES Marcelo Rodrigues Superintendência de Universalização SUN São Paulo, 18 de Julho de 2011 Universalização - LGT é garantir o direito de acesso de toda pessoa ou instituição,

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO BRASIL TELECOM + SKY NOVAS OFERTAS PROMOÇÃO BRASIL TELECOM + SKY NOVOS OFERTAS

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO BRASIL TELECOM + SKY NOVAS OFERTAS PROMOÇÃO BRASIL TELECOM + SKY NOVOS OFERTAS REGULAMENTO DA PROMOÇÃO BRASIL TELECOM SKY NOVAS OFERTAS BRASIL TELECOM S.A., pessoa jurídica de direito privado, sociedade anônima inscrita no CNPJ sob n.º 76.535.764/0001-43, com sede e administração

Leia mais

Aniversário de 15 anos - Rodrigo Abreu. Destaque - Rodrigo Abreu. Operações - Lorenzo Lindner. Marketing - Roger Solé. Live TIM - Rogério Takayanagi

Aniversário de 15 anos - Rodrigo Abreu. Destaque - Rodrigo Abreu. Operações - Lorenzo Lindner. Marketing - Roger Solé. Live TIM - Rogério Takayanagi 1 Agenda Aniversário de 15 anos - Rodrigo Abreu Temas do 2º Trimestre : Destaque - Rodrigo Abreu Operações - Lorenzo Lindner Marketing - Roger Solé Live TIM - Rogério Takayanagi Financeiro - Claudio Zezza

Leia mais

Resultados 2T11. Telecomunicações de São Paulo S.A. Vivo Participações S.A. São Paulo, 27 de Julho de 2011.

Resultados 2T11. Telecomunicações de São Paulo S.A. Vivo Participações S.A. São Paulo, 27 de Julho de 2011. Resultados 2T11 Telecomunicações de São Paulo S.A. Vivo Participações S.A. São Paulo, 27 de Julho de 2011. 0 Telefónica Servicios Audiovisuales S.A. / Telefónica España S.A. Título de la ponencia / Otros

Leia mais

RESULTADOS 2T15 RIO DE JANEIRO, 13 DE AGOSTO DE 2015

RESULTADOS 2T15 RIO DE JANEIRO, 13 DE AGOSTO DE 2015 RESULTADOS RIO DE JANEIRO, 13 DE AGOSTO DE 2015 AVISO IMPORTANTE Esta apresentação contém declarações acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities Litigation Reform Act de 1995. São

Leia mais

Número de operações: 93

Número de operações: 93 APIMEC Maio de 2010 PRESENÇA GEOGRÁFICA 2 Número de operações: 93 Principais cidades São Paulo Rio de Janeiro Belo Horizonte Recife Brasília Manaus Curitiba Florianópolis Porto Alegre Guarulhos Ponta Grossa

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO Artigo Científico Curso de Pós-Graduação em Redes e Segurança de Sistemas Instituto

Leia mais

A ULTRANET TELECOM LTDA prestadora de serviços de Telecomunicações na modalidade

A ULTRANET TELECOM LTDA prestadora de serviços de Telecomunicações na modalidade Fortaleza, 2 do 08 de 2011. Ào Sr. Ref.: Telefonia fixa e Link dedicado Proposta: 0117/11 Prezado Sr. A ULTRANET TELECOM LTDA prestadora de serviços de Telecomunicações na modalidade de Telefonia Fixa

Leia mais

Regulamento OFERTA DO PLANO DE SERVIÇO Oi EMPRESA CONTROLE sem fidelização

Regulamento OFERTA DO PLANO DE SERVIÇO Oi EMPRESA CONTROLE sem fidelização TELEMAR NORTE LESTE S/A, com sede na cidade e estado do Rio de Janeiro, na Rua do Lavradio, n 71 Centro, inscrita no CNPJ sob o n 33.000.118/0001-79, Oi S.A., sociedade anônima, com sede na Cidade do Rio

Leia mais