COACHING COMO ESTRATÉGIA E FERRAMENTA DE INTERVENÇÃO NO SERVIÇO SOCIAL: O EMERGIR DE UMA ABORDAGEM RENOVADA E CONTEXTUALIZADA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COACHING COMO ESTRATÉGIA E FERRAMENTA DE INTERVENÇÃO NO SERVIÇO SOCIAL: O EMERGIR DE UMA ABORDAGEM RENOVADA E CONTEXTUALIZADA."

Transcrição

1 COACHING COMO ESTRATÉGIA E FERRAMENTA DE INTERVENÇÃO NO SERVIÇO SOCIAL: O EMERGIR DE UMA ABORDAGEM RENOVADA E CONTEXTUALIZADA. Modalidade de apresentação: oral Sessão temática: 11- Relações de trabalho e espaços sócio-ocupacionais do assistente social RESUMO Coaching é um processo de apoio para o aprendizado e o desenvolvimento humano-social e organizacional. Ao efetuarmos uma aproximação teórica e metodológica com o Serviço Social identificamos o emergir de uma abordagem renovada e contextualizada, para a intervenção direta no Serviço Social, favorecendo a emancipação e o empoderamento dos sujeitos. Denominas esta abordagem de coaching social. PALAVRAS-CHAVE: Coaching, Serviço Social, Orientação Social. SUMMARY Coaching that's a I sue of support about to the appenticeship and the development human - social & organizational. The effectuate an approximation abstract and procedural with the Social service we identify the emerge from a approach rennovated and contextualized, for intervention direct into the Social Work, favoring the emancipation and the empowerment from the subjects. Denominative this approach of social coaching. KEY WORDS: Coaching, Social Work, Social Orientation. INTRODUÇÃO Segundo Maturana (2001) o explicar científico é realizado pelo ato operativo da observação, é como observamos que fazemos os esquemas de apresentação de nossas explicações. Ressalta que a observação não é neutra, antes é nutrida pela história de vida, do viver e pensar do observador. E uma idéia científica só é aceita se a comunidade científica concorda e aceita esta explicação. E para isso, é preciso ouvir a explicação com consciência, o que significada despir-se de pré-conceitos (idéias antecipadas) e se deixar ouvir a explicação, caso contrario nunca haverá possibilidade de uma idéia nova, ou uma renovação de idéias e ações. É o que proponho, quero apresentar uma proposta que em si não é nova, mas renovadora e contextualizada. Renovadora, pois traz novos aspectos teóricos, metodológicos e principalmente de resultados e impactos. Contextualizada, pois vivemos um mundo paradoxal, onde se requer um olhar mais apropriado para decodificar a complexidade de nosso tempo, principalmente o viver humano-social. Ao fazer uma aproximação do coaching com o Serviço Social, percebi que no Serviço Social, na atualidade, não há nada que sirva de parâmetro quanto ao atendimento direto em geral, e do atendimento individual em específico. Após a mudança da grande curricular, onde o tripé caso-grupo-comunidade foi retirado do ensino e formação profissional, pouco ou nada, se aprofundou sobre estas abordagens de forma mais específica, sendo que, na prática os assistentes sociais estão desenvolvendo ações nestes campos, atendimento individual, grupal e comunitário.

2 Como não encontrei parâmetros atuais, recorri a produção clássica do Serviço Social, em específico do Serviço Social de Caso. E descobri que mesmo sendo uma produção realizada há algumas décadas, a mesma, no tocante a abordagem individual, se mostra atual, e em consonância com muitos pressupostos de abordagens mais contemporâneas como é o caso do coaching. Numa primeira aproximação sistematizada (Cf. OLIVEIRA, 2006) pude perceber o quanto do Serviço Social existe no coaching e vice versa, mas também o quanto em vários aspetos os mesmos se distanciam. E entre as similitudes e ambivalências, sinalizei o emergir de uma abordagem renovada e contextualizada, o coaching social, que integra elementos da perspectiva do Serviço Social de Caso de maneira contextualizada, dando maior ênfase no processo de orientação social, elemento este ressaltando como atribuição especifica contida na lei de regulamentação profissional do assistente social, e do coaching com maior profundidade quanto ao olhar a dimensão social do ser humano, o que no coaching convencional não é tão enfatizado. Para melhor apresentar esta constatação e proposição, estarei apresentando os seguintes tópicos: a) breve apresentação do que é o coaching e sua relação com o empoderamento e a emancipação, b) a confluência do Serviço Social com o coaching e o processo de orientação social; c) as características e processamento do coaching social. DESENVOLVIMENTO COACHING COMO AÇÃO DE EMPODERAMENTO E EMANCIPAÇÃO HUMANO-SOCIAL. A palavra coaching, em Inglês, significa treinamento, no entanto, a partir da década de 1970, o mesmo assumi um novo sentido. Inicialmente sendo um conjunto de princípios e técnicas de apoio e desenvolvimento de atletas, passou a ser adaptado ao campo do desenvolvimento empresarial, pessoal e hoje em várias área, como gestão, liderança, carreira entre outros. Neste sentido, coaching, deixa de ser um processo, e passa a ser uma atividade profissional, que já conta com empresas e organizações de certificação e qualificação, como é o caso da Lambent do Brasil e da Comunidade Internacional de Coaching (Cf. E segundo a Federação Internacional de Coaching (ICF-International Coach Federation), que é referencia mundial no assunto, o O Coaching Profissional é um relacionamento continuado de alto nível que auxilia as pessoas a produzirem resultados extraordinários em suas vidas, carreiras, negócios ou organizações. Através dele os clientes aprofundam seus conhecimentos, aumentam sua performance e aprimoram sua qualidade de vida. A cada reunião o cliente escolhe o foco da conversa, enquanto o coach escuta e contribui com observações e perguntas. (www.coachingfederation.org).

3 Existem várias áreas de aplicação do coaching as mais divulgados na atualidade são: 1) Coaching Executivo que trabalho os aspectos de liderança e motivação de equipes para executivos e chefias intermediarias; 2) Coaching Empresarial, que foca as ações de desenvolvimento de equipes na busca de resultados e metas objetivas de desempenho profissional e produtividade; 3) Coaching Pessoal ou de vida, que procura focar o problema e insatisfação presente, clarear as possíveis alternativas de intervenção e estabelecer metas precisas e os meios para alcançar essas metas e resultados efetivos melhorando a qualidade de vida e satisfação pessoal, 4) Coaching de carreira, que ajuda a planejar a mudança de atividade, novos rumos da carreira ou na escolha de uma nova ou da primeira carreira. O principal papel do coaching é: 1) ajudar a mostrar as condições da atual estrada (vida) que o cliente esta andando; 2) aponta opções e ajuda a tomar uma nova estrada que seja de seu desejo e interesse; 3) auxilia e apóia o cliente a persistir na busca de mudança e alcançar suas metas. O processo de coaching é conduzido por um profissional qualificado, denominado de coach (técnico ou treinador), o seu principal papel é: 1)Descobrir, esclarecer e alinhar-se ao que o cliente deseja atingir; 2) Encorajar o auto-conhecimento e as descobertas do cliente sobre si mesmo e suas capacidades; 2) Extrair as estratégias e soluções desenvolvidas pelo próprio cliente; 3) Manter a responsabilidade do cliente pelo processo e acompanhá-lo com seriedade. Nesta perspectiva, um dos maiores especialista de coaching, WHITMORE (2006) ressalta que a essência do coaching esta pautada em dois pilares, consciência e responsabilidade principalmente através de perguntas que levam as pessoas a refletirem sobre sua vida e seu contexto, ou seja, liberar o potencial de uma pessoa para maximizar sua performance, ajudá-la a aprender em vez de ensiná-la (WHITMORE, 2006, p, 2). É neste ponto que reside ao meu ver, a capacidade de maior importância do coaching para o campo social, o de elevar a autoconsciência dos indivíduos, e com isso, efetuar a ação de empoderamento, fortalecimento dos sujeitos, principalmente quanto a luta por garantia de direitos, além de potencializar e valorizar a capacidade de cada pessoa para ser agente construtor de sua proporia história, onde reside a capacidade de autonomia e portanto de emancipação. Neste sentido, o coaching, não deve ser confundido com outras abordagens, principalmente com terapia. Essa, por sua vez, procura entender o problema do paciente buscando no passado as razões de seus conflitos e dilemas. Já o coaching, foca o presente e estabelece estratégia para o futuro, e dá ênfase em clarear objetivamente às metas e os meios de mudança. O coach (treinador) deve ser um profissional preparado principalmente quanto às habilidades de observar, ouvir e orientar, pois as respostas não são dadas pelo mesmo, mas pelo cliente, o coach é um facilitador somente, e para tanto utiliza várias ferramentas e estratégias para dar feedback s (retorno) significativos e auxilia seu cliente para alcançar seu desejo e realizar seu sonho para ter uma melhor qualidade de vida. O que se pode constatar é que metodologicamente, o coaching apresenta uma estrutura básica, como apresentamos no quadro 01:

4 Quadro- 01: Metodologia básica do coaching ETAPA PROCEDIMENTOS 1 Atender o cliente em suas necessidades e explicar e esclarecer o processo de coaching e estabelecer um vínculo de confiança entre coach e cliente; 2 Administrar as expectativas, ser objetivo quando ao processo 3 Avaliar o cliente, obter informações sobre o mesmo; 4 Descobrir a preocupação imediata do cliente, estado atual; 5 Desenhar a aliança e comprometimento de trabalho entre cliente e coach; 6 Objetivar os aspectos práticos do processo de coaching, modo de trabalho (sessões, honorários, tempo, prazo, honorários, etc.); 7 Estabelecer metas exeqüíveis, estado desejado e sonho a ser realizado; 8 Elaborar um plano de ação a partir das metas e objetivos claros; 9 Elencar as tarefas que deveram ser realizadas durante as sessões até alcançar as metas e objetivos delineados; 10 Monitorar, avaliar, corrigir e realizar a passagem e consolidação entre estado atual, início do coaching, e estado desejado/sonhado/alcançado e com isso realizar o termino do processo. Fonte: Adaptado a partir de OLIVEIRA, 2006 A atividade de coaching esta pautado em alguns pressupostos, destacamos os principais: a) todas as pessoas têm os recursos que precisam ou podem adquiri-los; b) as pessoas optam pela melhor opção possível naquele instante; c) o comportamento humano é premeditado; d) a mudança só ocorre pela ação; e) o coach é um facilitador, quem de fato produz resultado é o cliente; f) a mudança pressupõe trabalhar três grandes áreas: metas objetivas, ou seja, focar o que o cliente quer e como alcançar; valores, saber o que é mais importante e valioso para o cliente; crenças, eliminar opiniões limitantes e fornecer novas crenças de crescimento através de feedback positivo; g) as mudanças e resultados de desenvolvimento ocorrem por processos de aprendizado; h) o processo de coaching é relacionado aos processos de interação, comunicação e relacionamentos humanos; i) o cliente tem um modo de ler a realidade e esse modo é definidor da amplitude ou não das ações de mudança; j) O cliente é um ser complexo que esta inserido num contexto paradoxal, logo a visão do mesmo deve ser abrangente e holística. Esta exigência faz com que a recorrência ao paradigma e pensamento sistêmico, seja uma constante, pois essa perspectiva se apresenta como mais utilizada por ser uma lógica que altera o modo binário de raciocínio linear de causa e efeito, que se caracteriza por uma relação de antagonismos. A perspectiva sistêmica, favorece um novo olhar e abre novas frentes de leitura da realidade. Segundo KOURILSKY-BELLIARD ( 2004, p.76), O modelo sistêmico centra-se nas interações dos elementos de um sistema, ao invés de em seus elementos isolados [...] dedica-se à leitura de suas interações e de suas conexões múltiplas. Trata-se de uma lógica conectiva que privilegia a multiplicação, inclusão e a combinação de variáveis que fazem parte de um mesmo

5 sistema. Neste sentido, essa perspectiva é adequada ao processo de coaching principalmente por sua preocupação não analítica disjuntiva, mas por sua preocupação inclusiva e conectiva o que permite dar maior ênfase no aqui e agora, e não no passado, tem a visão no presente com interesse em mudar o futuro, ou seja,... o futuro também orienta o presente que, por sua vez, prepara o futuro e modifica nossa visão do passado (idem, p. 92). A seguir fazemos um comparativo entre os elementos de maior confluência do coaching e o Serviço Social, que vão dar a base para o emergir do coaching social. CONFLUÊNCIA DO SERVIÇO SOCIAL COM O COACHING E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO SOCIAL No tocante ao Serviço Social, tomamos como referencia o esquema metodológico operativo do método de caso em Serviço Social, apresentado por ANDER-EGG (1994), e que juntamente com o esquema metodológico do coaching, podemos obter um quadro comparativo, como se segue. Quadro 2: Comparação metodologia Coaching e Serviço Social. ETAPA COACHING SERVIÇO SOCIAL DE CASO 1 Atender o cliente em suas necessidades e explicar e esclarecer o processo de coaching e estabelecer um vínculo de confiança entre coach e cliente; Pressuposto de que a pessoa pode ser sujeito e objetivo do desenvolvimento da resolução do problema, o que dependerá da habilidade do assistente social, 2 Administrar as expectativas, ser objetivo quando ao processo O início do processo ocorre quando alguém que solicita ajuda em alguma instituição; 3 Avaliar o cliente, obter informações sobre o mesmo; É realizado uma entrevista de solicitação, onde é analisado a solicitação; 4 Descobrir a preocupação imediata do cliente, estado atual; Se estabelece uma relação/comunicação e laço de confiança entre o assistente social e o cliente; 5 Desenhar a aliança e comprometimento de trabalho entre cliente e coach; Estimula o cliente a refletir sobre sua própria situação e incentivar a tomada de decisão, e resolução do problema 6 Objetivar os aspectos práticos do processo de Após clarear o problema se estabelece uma estratégia de coaching, modo de trabalho (sessões, honorários, atendimento através de sessões programadas; tempo, prazo, honorários, etc.); 7 Estabelecer metas exeqüíveis, estado desejado e sonho a ser realizado; Após estabelecer as ações e metas, se processa o tratamento e acompanhamento do caso e ações na busca de recursos e formas de resolução do problema apresentado; 8 Elaborar um plano de ação a partir das metas e objetivos claros; Após ter avaliado os resultados e alcançados as metas e objetivos de resolução do problema se encerra o processo. 9 Elencar as tarefas que deveram ser realizadas durante as sessões até alcançar as metas e objetivos delineados; 10 Monitorar, avaliar, corrigir e realizar a passagem e consolidação entre estado atual, início do coaching, e estado desejado/sonhado/alcançado e com isso realizar o termino do processo. Fonte: elaborado pelo autor em maio de 2007 a partir de OLIVERIA, 2006

6 Neste processo, ANDER-EGG (1994) reforça o papel do assistente social neste processo, sendo os principais pontos os seguintes: a) importância das relações sociais estabelecidas neste processo; b) criar um clima de liberdade e confiança; c) estar atento às minúcias do falar e agir do cliente; d) saber conduzir o processo de orientação,...trata-se de ajudar no diagnóstico do problema, em colocá-lo nos seus justos termos e colaborar na busca de uma solução, respeitando o direito de autodeterminação do usuário. (Op.cit, ANDER-EGG, 1995, p.94). O autor ainda destaca outros papeis fundamentais do assistente social nesta abordagem, estas últimas características e papel, o que ressaltam ainda mais o comparativo que estamos fazendo com o coaching, são eles:...receptor de problemas [...] orientador para que as pessoas procuram resolver seus próprios problemas; agenciador, como intermediário entre os usuários e a instituição; fornecedor de serviços; conselheiro e, em alguns casos, até mesmo terapeuta. [grifo nosso]. Estes dados, permitiram chegar a uma serie de conclusões, entre elas: a) o coahing surge na atualidade como um espaço, estratégia e um instrumento de intervenção na realidade humana e social e apresenta certa aproximação com o Serviço Social; b) primeiramente por que o Serviço Social tem historicamente uma relação muito próxima com a abordagem individual ou clinica, o que faz ter uma grande afinidade teórica e prática com o coaching; c) mas diferente do coaching que procura se afastar de abordagens psicoterapeuticas, verificamos que ao logo do tempo o Serviço Social se aproxima desta perspectiva o que levou em meados da década de 1908 um abandona em certa medida desta prática, pelo menos no Brasil, devido inclusive pela excessiva abordagem psicológica, o que afeta e esbarra nas relações legais com os psicólogos; d) neste sentido o coaching se apresenta como uma abordagem adequada para o Serviço Social, pois não enfatiza uma abordagem terapêutica psicanalítica, centra esforços no presente e procura clarear os problemas, estabelecer metas e objetivos e estratégias adequadas para resolução das mesmas até alcançá-las. Torna-se um espaço de atuação e um instrumento valioso de intervenção direta além de ser uma alternativa de empregabilidade, já que o assistente social é um profissional de caráter liberal, o que permite atuar no campo da orientação social com o uso do coaching, o que logicamente requer um melhor preparo e domínio teóricometodológico. Mas tais aproximações, fazem vislumbrar o emergir de uma abordagem que fundi o que há de melhor em cada um, Serviço Social e coaching, me refiro ao coaching social, como procuro mostrar as bases preliminares desta renovada e contextualizada ferramenta de intervenção direta do Serviço Social. O EMERGIR DE UMA ABORDAGEM RENOVADA E CONTEXTUALIZADA, COACHING SOCIAL Desde as primeiras aproximações deste tema, e como já reforçado neste texto, na atualidade no Serviço Social não há, de forma mais visível e acessível, estudos sobre a abordagem individual, há toda uma critica quando ao método de estudo de caso, mas nada que o substitua ou que se aplique a esta dimensão, que apesar de um discurso globalizante e politizado, na prática, o que se constata é que a abordagem tanto individual, como grupal e comunitária estão em foco. Mas não há parâmetros

7 e nem propostas efetivas de como melhor contextualizar e renovar estas abordagens. Por isso, digo que o coaching social é uma proposta renovada e contextualizada. Renovada porque não parte do zero, do nada, como se nunca, tivéssemos como profissão, produzido alguma coisa. E contextualizada, por considerar as novas demandas e a complexidade de leitura da realidade e dos sujeitos, bem como, a gestão da própria vida, o que não passa por uma única vertente ou matriz teórica de leitura e intervenção da realidade. E um outro fato que chama a atenção é a inexistência de produção teórica e legal sobre orientação social, pois na Lei 8662 de 7/6/1993, em seu Art 4º, que enfatiza as competências do assistente social, no item V- encontramos a seguinte competência: Orientar indivíduos e grupos de diferentes segmentos sociais no sentido de identificar recursos e de fazer uso dos mesmos no atendimento e na defesa de seus direitos, [grifo nosso]. E surge uma grande questão, o que é orientação social? Qual a fundamentação teórica e o procedimento metodológico para orientar indivíduos e grupos? É nesta lacuna, que a proposta do coaching social surge como uma possível resposta e alternativa. Logo, ouso propor um novo estilo de coaching e uma abordagem renovada e contextualizada de intervenção direta com o objetivo de ser uma estratégia de orientação social para o Serviço Social, a qual eu denomino, coaching social. A seguir apresento as bases teórico-metodologicas da mesma, e deste já, reconhecendo que a esta proposta ainda é inicial, portanto pode apresentar limitações. Cabendo ao tempo, a prática e ao aprofundamento teórico, aperfeiçoar este modelo, que mais se apresenta como uma referencia do que algo absoluto e definitivo. O desenho metodológico esta pautado nos elementos do Serviço Social de Caso e do Coaching. Neste sentido, o coaching social pode ser entendido como um processo de orientação social, sendo que a orientação é segundo a Lei que regulamenta nossa profissão, uma competência especifica do assistente social. A orientação social por sua vez, se caracteriza por um processo que considera o contexto social em suas múltiplas faces, é um momento de estudo/investigação das informações socialmente relevantes, que permitem a tomada de decisão e direção através da elaboração de um plano de ação, tanto para vida pessoal, profissional, organizacional como familiar. Considera o viver social em seu cotidiano e as relações interpessoais e as situações-problemas sociais procurando junto com o cliente as ações interventivas mais adequadas, o que requer um pensar e agir planejado na busca de uma melhor qualidade de vida, exercício de sua cidadania e busca de realização, tanto pessoal, profissional, organizacional, comunitária e familiar; e que se materializa na resolução das situações-problemas apresentadas e devidamente tratadas em conjunto, cliente e assistente social, tendo como pressuposto que o individuo deve ser sujeito deste processo de mudança e que este processo se caracteriza como sendo de aprendizado para ambas as partes. Os pressupostos que norteiam seriam os seguintes: O ser humano é um ser complexo, mas ao mesmo tempo simples. Complexo, pois seu viver e existir têm que ser com sentido e significado, o que abrange uma série de áreas. É simples pois o seu existir se restringe a um ciclo composto de três momentos, ou seja:

8 NASCIMENTO, VIDA e MORTE. Na segunda fase há três dimensões de interação vividas por cada ser humano. Família, vida pessoal e vida profissional. Na primeira é onde ocorre a sua socialização, onde aprende conceitos, valores e molda seu caráter, o que irá influenciar nos demais níveis, pessoal e profissional. Podemos também perceber que existem várias áreas da vida humana que geram impacto no transcorrer deste momento. Basicamente serial elas: 1) espiritual, 2) social, 3) econômico, 4) biológico, 5) emocional, 6) relacional, e 7) organizacional. Como mostra a figura 01. Espiritual Figura 01: O ser humano, vida e cotidiano biológico NASCIMENTO Social VIDA MORTE Família Pessoal Profissional Economico Emocional Relacional Organizacional Numa visão sistêmica, e compreensão holística, este esquema nos mostra que o ser humano, seja, homem, mulher, jovem ou velho, apresenta uma série de problemas, não só com sigo mesmo (internamente), mas deve aprender a viver em sociedade (externamente) e solucionar os conflitos, necessidades que tem origem nas relações sociais e humanas estabelecidas entre outros seres humanos em seu cotidiano vivencial. E isso não tem sido fácil frente aos inúmeros problemas sociais, econômicos, morais, éticos, espirituais, biológicos e ambientais, mas principalmente dos relacionamentos, da individualidade, que se reflete na ganância e materialização da vida, no ritmo frenético e das inúmeras oportunidades e desafios de um contexto paradoxo, onde o existir significa estar inserido num mundo onde a única certeza que podemos ter é a mudança constante. Metodologicamente se pode apresentar seis etapas, que seguiriam uma formatação não linear e, portanto disjuntiva, mas sistêmica e conectiva, pois cada etapa, considera o todo, mesmo que seja um indivíduo, como podemos ver no quadro 03.

9 Quadro 3: Processo metodológico do coaching social e desenvolvimento da orientação social ETAPA ATIVIDADES PROCESSUAIS 1 Pré-avaliação: onde se avalia se a situação apresentada, e se a mesma se configura realmente da necessidade de um trabalho social ou de outros encaminhamentos. 2 Levantamento de necessidades, problematização: em se tratando de caso que necessite de orientação social, levanta-se quais os problemas a serem tratados e estabelece a forma de orientação social (individual, grupal, semanal, mensal, etc.) 3 Alternativas e possibilidades: após trabalho de levantamento de dados e informações sobre a situação-problema apresentada pelo cliente, se estabelece as alternativas e possibilidades de soluções em conjunto. 4 Plano de ação: após tratar as informações e estabelecer o conhecimento, tanto da situaçãoproblema, como das alternativas e possibilidades de solução, estabelece os objetivos, metas, prazos, recursos, posturas e demais ações para se efetivar e intervenção concreta e planejada. 5 Monitoramento: após a implementação do plano de ação, é realizado periodicamente sessões de avaliação do processo, para verificar o andamento do plano de ação e efetuar as correções necessárias. 6 Termino e transição: é o momento onde se avalia as ações tomadas, os resultados obtidos e o encerramento da orientação social, onde o cliente passa pelo processo de transição para continuar sozinho (emancipado) e com autonomia continua a gestão de sua vida. Fonte: Elaborado pelo autor em maio de 2007 Nas sessões serão usadas várias técnicas, como exemplo: entrevista, história de vida, exercícios de reflexão, dinâmicas de grupo, leitura de textos, conscientização, motivação, apoio, ação e organização, gestão de informação, entre outras. CONCLUSÃO. Procurei apresentar uma abordagem renovada e contextualizada de atendimento direto e de orientação social, com base nos elementos que o caoching traz na atualidade como estratégia e ferramenta para o apoio e desenvolvimento humano-social-organizacional. O mesmo denominei de coaching social, onde se caracteriza como um primeiro desenho de uma abordagem e instrumental de intervenção para o Serviço Social, e também como uma alternativa de atuação profissional, aplicável em qualquer área que se tenha que realizar a abordagem tanto individual como grupal. Como toda proposta inicial, sei das limitações que possam apresentar a mesma, mas também tenho convicção de sua praticidade e resultados, pois não apresentei uma proposta só teórica, mas paltada em minha experiência como assistente social e mais recentemente como coach. Pretensiosamente, espero com isso, ter contribuído para uma renovação e contextualização de práticas que a muito se perderam, mas que até os dias atuais se mantêm vivas e dinâmicas, e que fazem do Serviço Social, uma das profissões que mais podem contribuir para a democracia, justiça e qualidade de vida, pois

10 tudo isso só pode ser realizado se o ser humano que trabalhamos cotidianamente se tornar um melhor ser humano a começar por nós mesmos. Creio que isso esta ao nosso alcance, afinal, Não basta explicar nem compreender para mudar. O que é primordial é obter a cooperação de nossos interlocutores para que eles ajam de outro modo [...] Cabe a nós, consultores, terapeutas, assessores, professores, ou chefes [e assistentes sociais], através da comunicação, ensiná-las e evocar nelas o desejo de mudar, para permitir-lhes a projeção de um futuro mais desejável. (KOURILSKY-BELLIARD, 2004, p. 3001). Que aprendamos a ser, assistentes sociais-coach, que pelo exemplo e liderança empreendedora e congruente possamos contribuir para a construção um mundo melhor para todos viverem com justiça, fraternidade, solidariedade e bondade. BIBLIOGRAFIA ANDER-EGG, Ezequiel Introdução ao trabalho social Petrópolis-RJ: Vozes, 1995 KOURILSKY-BELLIARD, Françoise Do desejo ao prazer de mudar: compreender e provoca a mudança São Paulo: Manole, 2004 MATURANA, Humberto Cognição, ciência e vida cotidiana Belo Horizonte: UFMG, 2001 OLIVERIA, Edson Marques Coaching e Serviço Social: um novo espaço e estratégia de intervenção profissional, anais do III Congresso Paranaense de Assistente Sociais. Curitiba: Cress-PR, 2006 Qualitymark, 2005 WHITMORE, John Coaching para performance: aprimorando pessoas, desempenhos e resultados. Rio de Janeiro: Qualityark, 2006

COACHING E SERVIÇO SOCIAL: UM NOVO ESPAÇO E ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO PROFISSIONAL.

COACHING E SERVIÇO SOCIAL: UM NOVO ESPAÇO E ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO PROFISSIONAL. COACHING E SERVIÇO SOCIAL: UM NOVO ESPAÇO E ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO PROFISSIONAL. Edson Marques Oliveira 1 RESUMO O coaching tem surgindo na atualidade como uma atividade profissional em plena expansão,

Leia mais

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância:

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância: LIDERANÇA EMPRESARIAL EVIDÊNCIAS DO COACHING COMO ESTRATÉGIA DE SUCESSO Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel

Leia mais

COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA.

COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA. COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel em Serviço

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

COACHING. Imagem Evolução do Coaching por Coach Douglas Ferreira. Veja um pouco de sua evolução.

COACHING. Imagem Evolução do Coaching por Coach Douglas Ferreira. Veja um pouco de sua evolução. Faculdade Tecnologia Senac. Goiania,29 de maio de 2014. Nome: Thiago Pereira Profº Itair Pereira da Silva GTI 1 - Matutino COACHING O Coaching é um processo, com início, meio e fim, definido em comum acordo

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

Personal and Professional Coaching

Personal and Professional Coaching Personal and Professional Coaching Seu salto para a excelência pessoal e profissional 1 O novo caminho para o sucesso e a realização pessoal! Todos sabem que para ser médico, advogado, dentista ou engenheiro

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o desempenho de um indivíduo, grupo ou empresa, possibilitando o alcance de resultados planejados, através de metodologias, ferramentas e técnicas, conduzidas

Leia mais

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Competências Essenciais de Coaching Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Por que estamos aqui? Estamos aqui para: Conhecer quais são as competências essências do um

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional.

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Belo Horizonte, 28 de março de 2013. Cara Grayce, Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Estamos

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

Um dos melhores Programas de Capacitação de Líderes do Mundo

Um dos melhores Programas de Capacitação de Líderes do Mundo Um dos melhores Programas de Capacitação de Líderes do Mundo O Leader Coaching Traning é um programa de treinamento em Coaching para Líderes, licenciado pela World Federation of Coaching (WFC), entidade

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

09/10/2013. Ser Humano. Transformação Pessoal. Sonhos. A Jornada é mais importante que o Destino. Decisão. Onde Vamos Viver?

09/10/2013. Ser Humano. Transformação Pessoal. Sonhos. A Jornada é mais importante que o Destino. Decisão. Onde Vamos Viver? Ser Humano Transformação Pessoal Sonhos A Jornada é mais importante que o Destino Decisão Onde Vamos Viver? 1 PAPO DE Superação Para escalar rumo a alta performance é necessário rever a bagagem: equipamentos,

Leia mais

Coaching Profissional

Coaching Profissional Coaching Profissional Tradição e Experiência 1 Somos os melhores porque somos CoachReference Preparado para transformar realidades? A confiança em si mesmo, a motivação interna, a capacidade de decidir,

Leia mais

O Coaching pode ajudar uma pessoa a:

O Coaching pode ajudar uma pessoa a: O que é o Coaching O que é o Coaching É um processo compartilhado de desenvolvimento pessoal e profissional focado em ações no presente, para tornar real suas intenções de atingir objetivos e alcançar

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

Como se tornar um líder de Sucesso!

Como se tornar um líder de Sucesso! Como se tornar um líder de Sucesso! Os 10 mandamentos do Como se tornar um líder de Sucesso! O líder é responsável pelo sucesso ou fracasso de uma organização. A liderança exige de qualquer pessoa, paciência,

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Mário Rocha A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Missão Visão Objetivos estratégicos Competências Organizacionais Competências Conhecimento o que saber Habilidades - saber fazer

Leia mais

Somos os melhores porque somos CoachReference

Somos os melhores porque somos CoachReference Coaching Executivo Tradição e Experiência 1 Somos os melhores porque somos CoachReference Preparado para transformar realidades? A confiança em si mesmo, a motivação interna, a capacidade de decidir, a

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

O Coach Formação & Carreira

O Coach Formação & Carreira O Coach Formação & Carreira Eu aprendí que as pessoas poderão esquecer o que você disse mas jamais esquecerão o que você as fez sentir. Voce não pode ensinar nada a uma pessoa; pode apenas ajudá-la a encontrar

Leia mais

P R O P O S TA C O M E R C I A L

P R O P O S TA C O M E R C I A L P R O P O S TA C O M E R C I A L Joinville, 03 de setembro de 2014. Proposta para: treinamento líder coach Prezado, Temos o prazer de enviar a proposta do Treinamento Líder Coach, para sua análise e apreciação.

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder I Simpósio Coaching - Arte e Ciência CRA-SP 28 de maio de 2013 1 COACH Sentido original da palavra: veículo para transporte de pessoas.

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

A Ser Humano Consultoria

A Ser Humano Consultoria A Ser Humano Consultoria é uma empresa especializada na gestão estratégica de pessoas. Utilizando programas de assessoramento individual, baseados na avaliação e desenvolvimento de suas competências, buscamos

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local 1 Por: Evandro Prestes Guerreiro 1 A questão da Responsabilidade Social se tornou o ponto de partida para o estabelecimento

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

Coaching Executivo Especializado em Mulheres Líderes

Coaching Executivo Especializado em Mulheres Líderes Coaching Executivo Especializado em Mulheres Líderes Tradição e Experiência 1 Preparado para transformar realidades? A confiança em si mesmo, a motivação interna, a capacidade de decidir, a clareza, o

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE): Saúde e educação integral das crianças, adolescentes e jovens

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE): Saúde e educação integral das crianças, adolescentes e jovens PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE): Saúde e educação integral das crianças, adolescentes e jovens O que é o PSE? O PSE é uma política intersetorial do Saúde e do, instituído em 2007, por decreto presidencial.

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL MBA EXECUTIVO EM LIDERANÇA E GESTÃO ORGANIZACIONAL ESCOLA SUPERIOR DE PROPAGANDA E MARKETING POS GRADUAÇÃO EM: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS CIÊNCIAS

Leia mais

LIDERANÇA INTEGRAL CONTEÚDO

LIDERANÇA INTEGRAL CONTEÚDO TREINAMENTO Levando em consideração que as empresas e pessoas têm necessidades diferentes, os programas de treinamento são personalizados para atender a demandas específicas. Os treinamentos são focados

Leia mais

FAÇA AGORA SUA FORMAÇÃO EM COACHING COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL A MAIOR ESCOLA DE COACHING DE MINAS.

FAÇA AGORA SUA FORMAÇÃO EM COACHING COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL A MAIOR ESCOLA DE COACHING DE MINAS. FAÇA AGORA SUA FORMAÇÃO EM COACHING COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL A MAIOR ESCOLA DE COACHING DE MINAS. IWRCOACHING É uma empresa jovem e dinâmica que continua crescendo e se expandindo a cada dia, com

Leia mais

Gestor-líder: processo dinâmico de criação, habilidade, competência para perceber das limitações do sistema e propor solução rápida;

Gestor-líder: processo dinâmico de criação, habilidade, competência para perceber das limitações do sistema e propor solução rápida; AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Gestão de Políticas Participativas ALUNO(A):Mª da Conceição V. da MATRÍCULA: Silva NÚCLEO REGIONAL:Recife DATA:17/09/2013 QUESTÃO

Leia mais

Como transformar Grupos em Equipes

Como transformar Grupos em Equipes Como transformar Grupos em Equipes Caminhos para somar esforços e dividir benefícios Introdução Gestores de diversos segmentos, em algum momento de suas carreiras, deparam-se com desafios que, à primeira

Leia mais

COUTO COACHING. Liberando potencial, maximizando resultados.

COUTO COACHING. Liberando potencial, maximizando resultados. COUTO COACHING Liberando potencial, maximizando resultados. O que é Coaching? Coaching é uma poderosa ferramenta de desenvolvimento e gerenciamento do comportamento humano e tem como objetivo levar o indivíduo

Leia mais

Seminários Públicos Hay Group 2010

Seminários Públicos Hay Group 2010 Seminários Públicos Hay Group 2010 São Paulo, outubro de 2009 É com grande satisfação que estamos lhe apresentando nosso portfólio de seminários abertos Hay Group 2010. Esclarecemos que todos os seminários

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás. Projeto Integrador Couching

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás. Projeto Integrador Couching Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Projeto Integrador Couching Goiânia 2015 Couching 1. Conceito. O Coach é o profissional especializado no processo de Coaching. Pode ser considerado um treinador que

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

CLÍNICA DE COACHING EMPRESARIAL. Bomfin & Hastenreiter. David Bomfin

CLÍNICA DE COACHING EMPRESARIAL. Bomfin & Hastenreiter. David Bomfin CLÍNICA DE COACHING EMPRESARIAL Bomfin & Hastenreiter A Clínica de Coaching Empresarial é conduzida por: David Bomfin e Flávio Hastenreiter Rua dos Goitacazes, 375, sala 1004, Belo Horizonte, MG, Centro.

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais

FLÁVIA MOTTA Consultora em Gestão de Pessoas Life & Professional Coach Pedagoga, Pós-graduada em Psicologia Organizacional MBA em Gestão de Pessoas

FLÁVIA MOTTA Consultora em Gestão de Pessoas Life & Professional Coach Pedagoga, Pós-graduada em Psicologia Organizacional MBA em Gestão de Pessoas DUO A DUO nasce com mais de 17 anos de experiência de seus fundadores nos segmentos de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Gerenciamento de Processos, Esportes e Qualidade de Vida. Com um vasto conhecimento

Leia mais

4 pilares da liderança. 4 pilares da liderança. Copyright 2014 Portway Ltda. www.portway.com.br

4 pilares da liderança. 4 pilares da liderança. Copyright 2014 Portway Ltda. www.portway.com.br 4 pilares da liderança E m maio de 2014, um executivo de um Cliente me procurou para conversar sobre seu desenvolvimento pessoal. Ele é responsável direto por 800 pessoas, todas com nível superior e em

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O C L E O W O L F F O que é Action Learning? Um processo que envolve um pequeno grupo/equipe refletindo e trabalhando em problemas reais, agindo e aprendendo enquanto atuam. FUN D A MEN T OS D O ACTION LEARNING

Leia mais

WORKSHOP DE COACHING PARA PSICÓLOGOS E TERAPEUTAS. www.diogohudson.com.br

WORKSHOP DE COACHING PARA PSICÓLOGOS E TERAPEUTAS. www.diogohudson.com.br WORKSHOP DE COACHING PARA PSICÓLOGOS E TERAPEUTAS www.diogohudson.com.br APRESENTAÇÃO & EXPECTATIVAS Por favor, se apresentem e discutam: O que você espera deste workshop? ASSUNTOS O que é coaching Quais

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

O Processo de Coaching*

O Processo de Coaching* O Processo de Coaching* Por Adriana Preto Rutzen** O Coaching surgiu no mundo dos esportes, através do trabalho do técnico de tênis Thimoty Gallwey, que escreveu e publicou, em meados dos anos 70, o livro

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING

PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING 11 PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING W W W. C O M U N I C A C A O E M F O C O. C O M. BR SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS... 3 2. CURSOS IN COMPANY 2.1. ORATÓRIA E TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO...

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Resultados do Projeto de Melhoria Reuniões Comunitárias

Resultados do Projeto de Melhoria Reuniões Comunitárias Resultados do Projeto de Melhoria Reuniões Comunitárias Fevereiro / 2015 ÍNDICE Reuniões Comunitárias Relatório Anual I. Introdução II. III. IV. Metodologia Resultados Ações de Melhoria V. Pontos Fortes

Leia mais

ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY

ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY O COACH NO MUNDO CORPORATIVO GRAVATAÍ 2011 TIANE RIBEIRO BENRY

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL FOCO 1 Formação para a área de RH CONSULTORES INTERNOS ESPECIALIZADOS em COACHING PESSOAL. FOCO 2 Formação DE CONSULTORES PROFISSIONAIS especializados em COACHING

Leia mais

Coaching como metodologia de desenvolvimento de lideranças

Coaching como metodologia de desenvolvimento de lideranças Coaching como metodologia de desenvolvimento de lideranças Lilian Langer Cleiane Weinmann 1 LILIAN LANGER lilian@vielmolanger.com.br Executive Coach e Consultora Organizacional. Especialização em Administração

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

LIDERANÇA EMPREENDEDORA

LIDERANÇA EMPREENDEDORA LIDERANÇA EMPREENDEDORA Este curso está estruturado dentro dos moldes de um Curso de Pós-Graduação e seu desenvolvimento poderá ser feito de forma completa ou parcial, dependendo do interesse da organização.

Leia mais

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR Neiva Maestro 1 A participação, sem dúvida, é o principal meio de se assegurar a gestão da escola que se quer democrática. Deve possibilitar

Leia mais

GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ALFABETIZAÇÃO NO TEMPO CERTO NAs REDES MUNICIPAIS DE ENSINO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS

Leia mais

Equipe de Alta Performance

Equipe de Alta Performance Equipe de Alta Performance Como chegar a ser uma EAP? Intelectual Razão Cognição Meta Estratégia EQUIPE EAP (Time) BANDO GRUPO Emocional Motivação Relação Ajuda O que é uma Equipe? Éumgrupodepessoas: com

Leia mais

A importância da Liderança no sucesso da implementação Lean

A importância da Liderança no sucesso da implementação Lean A importância da Liderança no sucesso da implementação Lean Paulo Cesar Brito Lauria Muitas empresas têm se lançado na jornada de implementar a filosofia lean nas últimas décadas. No entanto, parece que

Leia mais

Coach - Ferramenta para o

Coach - Ferramenta para o Desafios Aprendizagem Reconheci mento Coach - Ferramenta para o Autodesenvolvimento da Carreira Maria do Carmo Colturato e Silva www.alcalaconsult.com.br 11.99 319 2005 Programa Autoconhecimento (Life

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Em março de 1999, passaram a integrar o grupo, representantes da Secretaria do Tesouro Nacional e do Ministério da Educação.

Em março de 1999, passaram a integrar o grupo, representantes da Secretaria do Tesouro Nacional e do Ministério da Educação. PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FISCAL PNEF 1 Antecedentes Historicamente, a relação fisco e sociedade, foram pautadas pelo conflito entre a necessidade de financiamento das atividades estatais e o retorno

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - QDO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 1. FOLHA DE RESULTADOS DO QDO 2. PERFIL E INTERPRETAÇÃO DO D.O. 3. FUNDAMENTAÇÃO 4. INTERPRETAÇÃO DO DIAGNÓSTICO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO 6.

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

Painel Um caminho para o modelo brasileiro realizações desde a fundação do GEC em 2007

Painel Um caminho para o modelo brasileiro realizações desde a fundação do GEC em 2007 Painel Um caminho para o modelo brasileiro realizações desde a fundação do GEC em 2007 Projetos Perfil e Competências do Coach Entidades Formadoras e Certificadoras Perfil e Competências do Coach Adriana

Leia mais

Formação em Coaching Executivo e Empresarial

Formação em Coaching Executivo e Empresarial Formação em Coaching Executivo e Empresarial Áreas de Desenvolvimento Prioritário para os Próximos Doze Meses (2012) segundo o levantamento realizado pela Global Novations em Janeiro de 2012 T 1 Desenvolvimento

Leia mais

3 Aun (2005) adota a definição de contexto como regras de relação que são estabelecidas pelo(s)

3 Aun (2005) adota a definição de contexto como regras de relação que são estabelecidas pelo(s) Resenha AUN, J.G.; ESTEVES DE VASCONCELLOS, M. J.; COELHO, S.V. Atendimento sistêmico de famílias e redes sociais. Volume I - Fundamentos teóricos e epistemológicos (2005); Volume II - O processo de atendimento

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

Pare de apresentar soluções!

Pare de apresentar soluções! Com a Palavra Pare de apresentar soluções! Paulo Gerhardt sempre foi um O gaúcho apaixonado por vendas e por desenvolvimento de pessoas. Apesar disso, quando jovem, escolheu graduar-se em engenharia elétrica.

Leia mais

Coaching de Equipe: Mitos e Realidade - Pré Congresso Rosa Krausz novembro / 2015

Coaching de Equipe: Mitos e Realidade - Pré Congresso Rosa Krausz novembro / 2015 Coaching de Equipe: Mitos e Realidade - Pré Congresso Rosa Krausz novembro / 2015 Rosa Krausz Coaching de Equipe: Mitos e Realidade EQUIPE Uma EQUIPE é um número limitado de pessoas, com habilidades complementares,

Leia mais

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa Educação Corporativa Liderança Estratégia Gestão O que é Educação corporativa? Educação corporativa pode ser definida como uma prática coordenada de gestão de pessoas e de gestão do conhecimento tendo

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2013

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2013 ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2013 Ementa: Realização de estudo socioeconômico para a concessão de benefícios eventuais e outros benefícios sociais. A presente Orientação Técnica tem por objetivo responder

Leia mais

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense Projeto de Extensão Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense 1.0 - JUSTIFICATIVA Considerando que a Extensão Universitária tem entre as suas

Leia mais

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT Myrian Lucia Ruiz Castilho André Luiz Castilho ** A educação é um direito

Leia mais

Síntese do Relatório. Avaliados Gerente Parceiro Colaborador Cliente Você Mesmo Subtotal

Síntese do Relatório. Avaliados Gerente Parceiro Colaborador Cliente Você Mesmo Subtotal Síntese do Relatório Avaliados Parceiro Colaborador Cliente Subtotal Respondido 1 3 2 1 1 8 Convidado 1 4 4 4 1 14 Escala de Classificação Escala Discordo Plenamente 1 Discordo 2 Neutro 3 Concordo 4 Concordo

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D Ariadne Cedraz 1 Léa Monteiro Rocha 2 Luciana Cristina Andrade Costa Franco 3 A quarta e última etapa do processo refere-se à avaliação que tem por objetivo averiguar se os resultados

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais