Habitação no Porto Maravilha. Alberto Silva Presidente da CDURP ADEMII Agosto, 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Habitação no Porto Maravilha. Alberto Silva Presidente da CDURP ADEMII Agosto, 2014"

Transcrição

1 Habitação no Porto Maravilha Alberto Silva Presidente da CDURP ADEMII Agosto, 2014

2

3 Projetos Licenciados na AEIU até jun/2014 (com consumo de CEPAC) Estoque de Potencial Adicional Construtivo (em m²) Estoque original (em m²) ,00% Data: Titular: Uso: Setor / Subsetor: Área Adicional Residencial Área Adicional Não-Residencial Área Adicional Total % 24/10/2012 Arrakis Empreendimentos Imobiliários S/A Comercial e Hotel B / B5 e B , ,46 1,03% 31/01/2013 Porto 2016 Empreendimentos Imobiliários S/A Residencial com lojas D / D , , ,52 1,76% 10/05/2013 TS 19 Participações Ltda Comercial B / B , ,72 2,38% 22/05/2013 Uirapuru Participações Ltda Comercial C / C , ,05 0,58% 29/08/2013 Autonomy GTIS Barão de Tefé Empreend. Ltda Comercial A / A , ,55 0,65% 12/10/2013 Odebrecht Realizações Imobiliárias RJ04 EI Ltda Hotel D / D , ,54 0,24% 11/11/2013 SPE STX Desenvolvimento Imobiliário S/A Hotel C / C , ,40 0,10% 05/06/2014 Askella Empreendimentos Imobiliários S/A Comercial C / C , ,07 0,27% 20/06/2014 Partifib Projetos Imobiliários F55 Ltda Comercial C / C , ,58 0,13% Total de Estoque de Potencial Adicional consumido , , ,14% Estoque de Potencial Adicional Construtivo remanescente ,86%

4 Evolução do Consumo do Estoque de Potencial Adicional residencial comercial hotel 3,64% 1,74% 0,85% 0% 0,18% 0,33% 0% 0,40% 0%

5 Projetos no Porto Maravilha até junho/2014 (m2) Licenciados Em Licenciamento Total Com CEPAC Residencial 70, , Não Residencial 221, , , Total 291, , , Sem CEPAC Resdencial 33, , , Não Residencial 69, , , Total 103, , , Total geral 395, , ,803.99

6 Empreendimentos na Área de Especial Interesse Urbanístico do Porto Maravilha Confira informações sobre cada empreendimento em

7 Leis de Incentivo para Habitação no Porto Maravilha Objetivos Incentivar a permanência dos atuais moradores Incentivar a vinda de novos moradores de diversas camadas sociais

8 Incentivos Fiscais Habitação no Porto Maravilha Para Imóveis Residenciais e Comerciais que sejam convertidos em residenciais na área do SAGAS Remissão de dívidas municipais Isenção de IPTU / TCL Isenção de Outorga Onerosa por acréscimo de área Para Imóveis Residenciais na área com aumento de potencial de construção (Cepacs) incluindo a parte residencial de imóveis de uso misto Isenção de IPTU, TLC e ITBI para os compradores de novos imóveis

9 Habitação no Porto Maravilha Incentivos Urbanísticos Para Imóveis Residenciais e Comerciais que sejam convertidos em Residenciais na área do SAGAS Permissão de remembramento de lotes Para Imóveis Comerciais que sejam convertidos em Residenciais na área do SAGAS Flexibilização de área mínima para unidades convertidas (área social/quarto, cozinha e banheiro)

10 Habitação no Porto Maravilha Incentivos Urbanísticos Para Imóveis Residenciais da área com aumento de potencial de construção (cepacs) incluindo a parte residencial de imóveis de uso misto As áreas comuns, de circulação e varandas não serão computadas no cálculo da área total edificada (ATE), reduzindo o gasto com Cepacs Não obrigatoriedade de estacionamento A área a ser doada para equipamentos públicos poderá ser fora do empreendimento, à critério do Município.

11 Terrenos integralizados na Operação Urbana Porto Maravilha

12 Potencial Econômico-Financeiro dos Terrenos integralizados no FIIPM: (estimado) Até 2,61 milhões de m2 de área privativa AtéR$ 29,8 Bilhões em V.G.V Volume Geral de Vendas. Terreno Área Privativa (m2) (i e iii) V.G.V (R$) (ii) Praia Formosa Usina de Asfalto Pátio da Marítima Gasômetro CEDAE Aplauso Clube PROJETO ECONÔMICO VIRTUAL - Principais Premissas dessa estimativa: i) mix da área: de 60% residencial e 40% comercial (lei 101); ii) Estimado com base no preço de venda da área privativa de R$ ,00 por m2 para o comercial e R$ 9.000,00 por m2 para residencial; iii) Eficiência Construtiva de 85% da Área Total Edificada (ATE); Total

13 Leis de Incentivo para Habitação no Porto Maravilha Diferencial com as novas leis para os empreendimentos residenciais Menores custos com CEPAC Impostos e taxas Construção de Garagens Maior flexibilidade na definição dos produtos imobiliários

14 Leis de Incentivo para Habitação no Porto Maravilha Resultados Esperados Consolidar o uso residencial na área do SAGAS 50% do estoque de potencial adicional de construção (cepacs) para uso residencial Aproximadamente 2 milhões de m2 / 26 mil residências de 75 m2 Estimativa de mais de 70 mil novos moradores Um centro vivo Lugar de morar trabalhar e se divertir

15 Transformar é Preciso! br

Seminário Valor Econômico

Seminário Valor Econômico Seminário Valor Econômico Porto Maravilha: Benefícios e Oportunidades Painel 2: O potencial lucrativo da renovação urbana Porto Maravilha: o Novo Destino do Rio COPACABANA IPANEMA PÃO DE AÇÚCAR BOTAFOGO

Leia mais

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014.

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. DECRETO Nº 39680 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 Disciplina os procedimentos referentes aos benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA,

Leia mais

Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários. Rodrigo Bicalho

Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários. Rodrigo Bicalho Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários Rodrigo Bicalho Objetivos do Plano Aproximar local de residência e trabalho Concentrar o adensamento nos eixos de transporte

Leia mais

AVALIAÇÃO NOVO PDE. Claudio Bernardes

AVALIAÇÃO NOVO PDE. Claudio Bernardes AVALIAÇÃO NOVO PDE Claudio Bernardes ORDENAÇÃO TERRITORIAL MACROÁREAS MACROZONEAMENTO ZONEAMENTO ZONAS ESPECIAIS EIXOS DE ESTRUTURAÇÃO DA TRANSFORMAÇÃO URBANA MACROZONAS I Macrozona de Proteção e Recuperação

Leia mais

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO CDURP

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO CDURP COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO CDURP Relatório Trimestral de Atividades Período Julho - Setembro / 2010 Sumário Executivo Este relatório apresenta um resumo do

Leia mais

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do. Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Julho - Setembro / 2010

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do. Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Julho - Setembro / 2010 Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Período Julho - Setembro / 2010 Sumário Executivo Este relatório apresenta um resumo do trabalho

Leia mais

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Outubro - Dezembro / 2010

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Outubro - Dezembro / 2010 Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Sumário Executivo Período Outubro - Dezembro / 2010 Este relatório apresenta os principais resultados

Leia mais

Projeto Porto Maravilha

Projeto Porto Maravilha Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Características da região: Delimitação: Bairros completos (Santo Cristo, Gamboa e Saúde)

Leia mais

Programa de Qualidade do Ar e Transporte Sustentável

Programa de Qualidade do Ar e Transporte Sustentável Programa de Qualidade do Ar e Transporte Sustentável Terceira Clínica de Integração entre Uso de Solo e Transporte, e sua Conexão com a Qualidade do Ar e a Mudança Climática Questionário preparatório a)

Leia mais

Revisão da Legislação das Áreas Industriais na AP-3 e AP-5

Revisão da Legislação das Áreas Industriais na AP-3 e AP-5 Avenida Brasil HISTÓRICO A partir de 1935 foram definidas zonas de ocupação mais específicas dentre as quais a Zona Industrial. A primeira zona industrial efetivamente delimitada foi a de São Cristóvão.

Leia mais

Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade. Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU

Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade. Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU Dinâmica do Licenciamento Evolução da Área Licenciada 1980-2011 5,3 mil Evolução da Área

Leia mais

PORTO MARAVILHA. Permanências e Mudanças

PORTO MARAVILHA. Permanências e Mudanças PORTO MARAVILHA Permanências e Mudanças MOMENTO ESPECIAL CV Rio + 20 Copa das Confederações 450 Anos da Cidade & Copa América Jogos Olímpicos de 2016 2011 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA

Leia mais

CIDADES VOLTAM-SE PARA SUAS ÁREAS PORTUÁRIAS

CIDADES VOLTAM-SE PARA SUAS ÁREAS PORTUÁRIAS CIDADES VOLTAM-SE PARA SUAS ÁREAS PORTUÁRIAS Nas últimas décadas, metrópoles do mundo inteiro têm despertado para o novo paradigma do desenvolvimento sustentável, no qual a nova fronteira é a ocupação

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha AGENDA 1. VISÃO GERAL DO PROJETO PORTO MARAVILHA 2. MODELAGEM FINANCEIRA 1. ARCABOUÇO JURÍDICO 2. ESTUDOS TÉCNICOS 3. MODELAGEM DA PPP 4. RECEITAS X DESPESAS 5. LEILÃO DOS

Leia mais

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Marcia Heloisa P. S. Buccolo, consultora jurídica de Edgard Leite Advogados

Leia mais

A Função da PPP na Operação Urbana Porto Maravilha Jorge Arraes Presidente da CDURP

A Função da PPP na Operação Urbana Porto Maravilha Jorge Arraes Presidente da CDURP A Função da PPP na Operação Urbana Porto Maravilha Jorge Arraes Presidente da CDURP RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012 2013 2014 2015 2016 Taxa de ocupação de imóveis

Leia mais

CRIATIVIDADE EM PROJETOS IMOBILIÁRIOS CASE BARRA VILLAGE HOUSE LIFE

CRIATIVIDADE EM PROJETOS IMOBILIÁRIOS CASE BARRA VILLAGE HOUSE LIFE CRIATIVIDADE EM PROJETOS IMOBILIÁRIOS CASE BARRA VILLAGE HOUSE LIFE QGDI é uma empresa do Grupo Queiroz Galvão; Atua no segmento Residencial e Comercial de Média-Alta Renda e no segmento Econômico com

Leia mais

OUC Região Porto do Rio de Janeiro

OUC Região Porto do Rio de Janeiro OUC Região Porto do Rio de Janeiro Seminário Construção Sustentável Propostas de Diálogo e de Ação para a Sustentabilicade Salvador - Outubro/2011 Objetivo da Operação Urbana Consorciada O Porto Maravilha

Leia mais

Novo Plano Diretor de SP 2014. Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário

Novo Plano Diretor de SP 2014. Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário Novo Plano Diretor de SP 2014 Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário 1 Eixos de Estruturação de Transformação Urbana (4 x) O que é o Eixo? São áreas próximas à infraestrutura de transporte

Leia mais

FII Caixa Incorporação

FII Caixa Incorporação Apresentação Junho de 205 FII Caixa Incorporação Atualização das atividades do FII Caixa Incorporação Agenda Seção Seção 2 Seção 3 Seção 4 Seção 5 Seção 6 Sumário Executivo Evolução do Fundo Benefícios

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N 25/2009 Modifica o Plano Diretor, autoriza o Poder Executivo a instituir a Operação Urbana Consorciada da Região do Porto do Rio e dá outras providências. Autor : Poder Executivo

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Rio de Janeiro, outubro, 2012 RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Gustavo Guerrante 30 de novembro de 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

A vida que só a Barra tem. O estilo que só o Barra Exclusive pode oferecer.

A vida que só a Barra tem. O estilo que só o Barra Exclusive pode oferecer. A vida que só a Barra tem. O estilo que só o Barra Exclusive pode oferecer. Fachada O Open Space da ARC com conforto e inteligência na divisão dos espaços: feito para você. Projeto de Antônio Caramelo

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha: Transformações Urbanas, Sustentabilidade e Inclusão Socioprodutiva

Operação Urbana Porto Maravilha: Transformações Urbanas, Sustentabilidade e Inclusão Socioprodutiva Operação Urbana Porto Maravilha: Transformações Urbanas, Sustentabilidade e Inclusão Socioprodutiva Rio de Janeiro, Setembro de 2012 RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012

Leia mais

PIB 2014-0,1 2015-3,2 2016-2,0 2017-0,5 Desemprego (Jan/15 a Out/15)

PIB 2014-0,1 2015-3,2 2016-2,0 2017-0,5 Desemprego (Jan/15 a Out/15) Economia Geral PIB 2014-0,1 2015-3,2 2016-2,0 2017-0,5 Desemprego (Jan/15 a Out/15) - Geral = -898 mil - Construção = -256 mil Queda de Renda - 2014 = R$ 2.288-2015 = R$ 2.180 Recessão de 2015 a 2017 será

Leia mais

Intervenções Urbanísticas em Metrópoles Mundiais e as Oportunidades para o Brasil

Intervenções Urbanísticas em Metrópoles Mundiais e as Oportunidades para o Brasil Intervenções Urbanísticas em Metrópoles Mundiais e as Oportunidades para o Brasil Como investir em um mundo em constante mudança? As oportunidades do Brasil acabaram? Como tomar decisões assertivas? 1930:

Leia mais

Medida Provisória nº 691/2015

Medida Provisória nº 691/2015 Medida Provisória nº 691/2015 Brasília, Setembro/2015 AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO GESTÃO DE IMÓVEIS DA UNIÃO APERFEIÇOAMENTO DO MARCO LEGAL- MP 691/2015 Alienação de terrenos em áreas urbanas consolidadas

Leia mais

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Janeiro - Março / 2011

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Janeiro - Março / 2011 Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Sumário Executivo Período Janeiro - Março / 2011 Este relatório apresenta os principais resultados

Leia mais

SINDUSCON PREMIUM 2014 LITORAL NORTE CATEGORIA: EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO DESTAQUE REGIÃO TRAMANDAÍ/IMBÉ

SINDUSCON PREMIUM 2014 LITORAL NORTE CATEGORIA: EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO DESTAQUE REGIÃO TRAMANDAÍ/IMBÉ SINDUSCON PREMIUM 2014 LITORAL NORTE CATEGORIA: EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO DESTAQUE REGIÃO TRAMANDAÍ/IMBÉ APRESENTAÇÃO BÁRIL A Báril começou em Porto Alegre em 1994, construindo edifícios residenciais.

Leia mais

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Abril - Junho / 2011

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Abril - Junho / 2011 CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Sumário Executivo Período Abril - Junho / 2011 O período entre 1 de Abril e 30 de Junho

Leia mais

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO (Art 2º do Decreto 55.815, de 8 / 3 / 65) 1. Localização e Identificação Um terreno situado na Rua Maestro Lisboa s/n, Urucunema - Eusébio, e que é objeto da matrícula nº 623,

Leia mais

MAIS DE 1.500 CLIENTES JÁ ESCOLHERAM A RESERVA DO PAIVA. DESCUBRA VOCÊ TAMBÉM.

MAIS DE 1.500 CLIENTES JÁ ESCOLHERAM A RESERVA DO PAIVA. DESCUBRA VOCÊ TAMBÉM. DESCUBRA. MAIS DE 1.500 CLIENTES JÁ ESCOLHERAM A. DESCUBRA VOCÊ TAMBÉM. A Reserva do Paiva é o primeiro bairro planejado de Pernambuco. Com estrutura completa e moderna, totalmente pensada para oferecer

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A.

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Será que nós podemos viver melhor nas cidades? Com mais tempo para nossas famílias; com menos stress, com menos doenças e mais saúde; com mais produtividade;

Leia mais

Prévia Operacional 1º Trimestre de 2015

Prévia Operacional 1º Trimestre de 2015 PRÉVIA DOS RESULTADOS OPERACIONAIS 1T15 No 1T15, lançamentos consolidados atingem R$313,6 milhões, com vendas brutas de R$604,5 milhões. Encerrando o 1T15 com vendas líquidas de R$423,3 milhões. PARA DIVULGAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO CARTA-CONSULTA ANEXO II AO DECRETO 4744 PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS I A EMPRESA 1.1. Caracterização e Outras Informações Razão social:

Leia mais

Foto de Gabriel Lordêllo, parte da exposição realizada no estande de vendas do Mirador Camburi. Visite e conheça outras imagens encantadoras.

Foto de Gabriel Lordêllo, parte da exposição realizada no estande de vendas do Mirador Camburi. Visite e conheça outras imagens encantadoras. SINGULAR exclusivo supremo único Morar Construtora LANÇA NOVO PROJETO INSPIRADO PELA NATUREZA E ASSINADO POR GRANDES NOMES. Reconhecida pela credibilidade e entrega no prazo, a Morar Construtora tornou-se

Leia mais

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados DEAP/SNAPU/MCIDADES Maio/2015 Contexto brasileiro Necessidade de obras públicas para requalificação e reabilitação

Leia mais

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75%

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% VILA LEOPOLDINA 1 CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% Fonte: DNA Paulistano Datafolha 2009. 2 Características Fonte: GeoSecovi

Leia mais

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Janeiro - Março / 2011

CDURP. Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Janeiro - Março / 2011 Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Sumário Executivo Período Janeiro - Março / 2011 Este relatório apresenta os principais resultados

Leia mais

Isabel Cristina da Costa Cardoso

Isabel Cristina da Costa Cardoso ONDE ESTÃO OS RECURSOS DA VENDA DOS CEPACS PARA O PROGRAMA DE ATENDIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DA POPULAÇÃO DIRETAMENTE AFETADA PELO PROJETO PORTO MARAVILHA? Isabel Cristina da Costa Cardoso Alguém sabe

Leia mais

Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br

Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Características da região: Delimitação: Bairros completos (Santo Cristo, Gamboa e Saúde)

Leia mais

ANEXO 5 - TABELA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS TABELA DE CONTROLE URBANÍSTICO

ANEXO 5 - TABELA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS TABELA DE CONTROLE URBANÍSTICO ANEXO 5.1 - ZONA COMERCIAL 1 ZC1 mínimo básico máximo (1) ocupação permeabilidade frente fundo Residencial Unifamiliar qualquer via, as atividades classificadas em G2 nas vias coletoras e superiores e

Leia mais

RESIDENCIAL CENTRAL PARK RIO VERDE

RESIDENCIAL CENTRAL PARK RIO VERDE MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO 01 - SITUAÇÃO O empreendimento, situar-seá Avenida I (Direita), Quadra 12, Lotes 04, 05 e 06, Parque dos Buritis e Rua Onze, Quadra 01, Lote 14, Parque Solar do Agreste, Gleba

Leia mais

REVISÃO PARTICIPATIVA DO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO PL 688/13. Outubro de 2013

REVISÃO PARTICIPATIVA DO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO PL 688/13. Outubro de 2013 REVISÃO PARTICIPATIVA DO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO PL 688/13 Outubro de 2013 ESTRUTURA DA MINUTA DO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PDE TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS E OBJETIVOS QUE

Leia mais

FLUXO LICENCIAMENTO DE GRANDES EMPREENDIMENTOS À LUZ DAS LEIS 13.885/04 E 16.050/14

FLUXO LICENCIAMENTO DE GRANDES EMPREENDIMENTOS À LUZ DAS LEIS 13.885/04 E 16.050/14 PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO I SEL SECRETARIA EXECUTIVA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS I SEC MANUAL DE EMPREENDIMENTOS DE GRANDE PORTE nr1 nr2 nr3 SÃO PAULO 2014 EMPREENDIMENTOS

Leia mais

CORREDOR TRANSCARIOCA

CORREDOR TRANSCARIOCA P R E F E I T U R A DA C I D A D E DO R IO DE J A N E I R O S E C R E TA R I A M U N I C I PA L DE U R B A N I S M O C O O R D E N A D O R I A G E R A L DE P L A N E J A M E N T O URBANO C O O R D E N

Leia mais

Modelo De Desenvolvimento Policêntrico Orientado Pelo Transporte. Bruno de Lima Borges 1 ; Marcelo Fonseca Ignatios 2

Modelo De Desenvolvimento Policêntrico Orientado Pelo Transporte. Bruno de Lima Borges 1 ; Marcelo Fonseca Ignatios 2 Modelo De Desenvolvimento Policêntrico Orientado Pelo Transporte. Bruno de Lima Borges 1 ; Marcelo Fonseca Ignatios 2 1;2 SPUrbanismo, Diretoria de Desenvolvimento, Superintendência de Estruturação de

Leia mais

Agora você pode morar perto da praia com o conforto e tranquilidade que sempre quis.

Agora você pode morar perto da praia com o conforto e tranquilidade que sempre quis. Agora você pode morar perto da praia com o conforto e tranquilidade que sempre quis. Posto de gasolina Av. Santos Dummont Restaurante Fagulha Hotel Vila Galé Os bons tempos voltaram. Padaria Foto aérea

Leia mais

1.1.01.01 CAIXA 1.000,00D 0,00 1.1.01.01.002 FUNDO FIXO 1.000,00D 0,00 0,00

1.1.01.01 CAIXA 1.000,00D 0,00 1.1.01.01.002 FUNDO FIXO 1.000,00D 0,00 0,00 Folha 1 Impresso em26/12/201214:45 30/11/2012 1 A T I V O 157.985.325,68D 3.111.556,44 2.209.913,01 1.1 CIRCULANTE 82.088.655,97D 3.107.175,44 2.209.092,21 1.1.01 DISPONIBILIDADES 9.151.288,76D 1.959.486,16

Leia mais

PALESTRA - GERENCIANDO O IPTU NAS GRANDES CIDADES: A EXPERIÊNCIA DA CIDADE DE SÃO PAULO

PALESTRA - GERENCIANDO O IPTU NAS GRANDES CIDADES: A EXPERIÊNCIA DA CIDADE DE SÃO PAULO POTENCIAL DO IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA PARA MOBILIZAÇÃO DA RECEITA MUNICIPAL SESSÃO 2 ESTRUTURAÇÃO DE SISTEMAS PROGRESSIVOS DE TRIBUTAÇÃO IMOBILIÁRIA PALESTRA - GERENCIANDO O IPTU NAS GRANDES

Leia mais

HABITAR BELO HORIZONTE - HBH PROJETO HABITAR BELO HORIZONTE - OCUPANDO O CENTRO

HABITAR BELO HORIZONTE - HBH PROJETO HABITAR BELO HORIZONTE - OCUPANDO O CENTRO PROJETO HABITAR BELO HORIZONTE - OCUPANDO O CENTRO Objetivos específicos (1) Desenvolver métodos e técnicas para a recuperação e adaptação (para uso habitacional) de edificações existentes desocupadas.

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012 1 2 Índice Economia Mercado Imobiliário Lançamentos Comercialização RMSP Mercado Nacional Empreendimentos Comerciais Financiamento Imobiliário Previsões para 2013

Leia mais

MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial

MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial Produção social da valorização imobiliária A valorização imobiliária é definida por: Distribuição de investimentos públicos

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Av. Paulista -SP Eco s Natureza Clube- SP UP Residence Macaé (RJ) Porto Pinheiros- SP Terraço Empresarial Jd Sul - SP Set Cabral -Curitiba Connect Campos de Goytacazes(RJ) In

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Porto Maravilha. Out/2013

Porto Maravilha. Out/2013 Porto Maravilha Out/2013 O Projeto Porto Maravilha Operação Urbana Consorciada A Operação Urbana Consorciada do Porto do Rio de Janeiro é o maior projeto de revitalização urbana do mundo na atualidade

Leia mais

Administrar uso do FGTS no consórcio de imóvel

Administrar uso do FGTS no consórcio de imóvel Administrar uso do FGTS no consórcio de imóvel Quais são as possibilidades de uso do FGTS no consórcio? Oferta de lance em consórcio de imóvel residencial O consorciado poderá utilizar até 100% do saldo

Leia mais

DECRETO N 32.666, DE 11 DE AGOSTO DE 2010

DECRETO N 32.666, DE 11 DE AGOSTO DE 2010 DECRETO N 32.666, DE 11 DE AGOSTO DE 2010 Determina a emissão dos Certificados de Potencial Adicional de Construção - CEPAC, previstos no art. 34 da Lei Federal nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e no

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

Instrumentos para oferta de moradias nas áreas centrais e consolidadas FERNANDA FURTADO Universidade Federal Fluminense Novembro de 2011

Instrumentos para oferta de moradias nas áreas centrais e consolidadas FERNANDA FURTADO Universidade Federal Fluminense Novembro de 2011 PMHIS Seminários Temáticos Instrumentos para oferta de moradias nas áreas centrais e consolidadas FERNANDA FURTADO Universidade Federal Fluminense Novembro de 2011 1 Bases e recortes da questão Terra,

Leia mais

PROJETO LEI Nº Autoria do Projeto: Senador José Sarney

PROJETO LEI Nº Autoria do Projeto: Senador José Sarney PROJETO LEI Nº Autoria do Projeto: Senador José Sarney Dispõe sobre loteamento fechado de áreas consolidadas regularizadas ou em fase de regularização, altera em parte as Leis n 6.766/79 e n 6.015/73 e

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ANÁLISE TÉCNICA DE PROJETO CRÉDITO IMOBILIÁRIO BB

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ANÁLISE TÉCNICA DE PROJETO CRÉDITO IMOBILIÁRIO BB INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ANÁLISE TÉCNICA DE PROJETO CRÉDITO IMOBILIÁRIO BB MODELO É obrigatório o uso de modelo apropriado para cada tipo de empreendimento ou serviço contratado. Utilizar os formulários:

Leia mais

design arquitetura tendência

design arquitetura tendência design arquitetura tendência HOME office mall Lindóia Lindóia ( ) A Melnick Even apresenta mais um produto da linha (HOM), baseado em um conceito inovador: o Mixed Use. Considerados uma solução de grande

Leia mais

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico A CRIAÇÃO DE TERRITÓRIOS DE OPORTUNIDADE JUNTO AO SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO: EM PROL DE UMA PARCERIA MAIS EFETIVA NOS PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO URBANA NO ENTORNO DAS ESTAÇÕES. ABSTRACT Ao longo dos trinta

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2011 - DIRECIONAL ENGENHARIA SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2011 - DIRECIONAL ENGENHARIA SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Passo Fundo, 07 de junho de 2013. MENSAGEM Nº 29/2013

Passo Fundo, 07 de junho de 2013. MENSAGEM Nº 29/2013 Senhor Presidente, Passo Fundo, 07 de junho de 2013. MENSAGEM Nº 29/2013 Para os efeitos legais estou submetendo a deliberação dessa Câmara Municipal a seguinte matéria: PROJETO DE LEI EMENTA: AUTORIZA

Leia mais

Uma empresa diferenciada. no mercado imobiliário Nacional e Internacional!

Uma empresa diferenciada. no mercado imobiliário Nacional e Internacional! Uma empresa diferenciada no mercado imobiliário Nacional e Internacional! A Brev Soluções Imobiliárias apresenta um pouco da sua história, experiências e objetivos dentro do mercado imobiliário. A Brev

Leia mais

Alphamondo (LANÇAMENTO 2013) Rio da Ostras VGV: 160 MM PREVISÃO DE LANÇAMENTO JULHO DE 2013

Alphamondo (LANÇAMENTO 2013) Rio da Ostras VGV: 160 MM PREVISÃO DE LANÇAMENTO JULHO DE 2013 Atuando desde 1986 no mercado da construção, a SINCO desenvolve e aplica em seus empreendimentos engenharia de ponta, com qualidade e pontualidade na entrega desuas obras. Ao longo de todos esses anos,

Leia mais

residencial SANGIOVESE no Pantanal administração: Empreendimento à Preço de Custo Grupo Fechado (SPE)

residencial SANGIOVESE no Pantanal administração: Empreendimento à Preço de Custo Grupo Fechado (SPE) residencial SANGIOVESE no Pantanal administração: Empreendimento à Preço de Custo Grupo Fechado (SPE) Administração A NOVA atua em todas as etapas da cadeia de valor do empreendimento: captação do terreno,

Leia mais

CONSULENTE: COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ( CDURP )

CONSULENTE: COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ( CDURP ) CONSULENTE: COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ( CDURP ) OBJETO: Material Prospecto do Estudo de Viabilidade da Operação Urbana Consorciada da Região do Porto do Rio

Leia mais

DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015

DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Regulamenta dispositivos da Lei nº 16.050, de 31 de julho de 2014,

Leia mais

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Sumário Relatório Trimestral de Atividades Período: Julho - Setembro de 2013 julho, a Companhia de Desenvolvimento Urbano

Leia mais

Gestão do Patrimônio Imobiliário Brasília, Setembro/2015

Gestão do Patrimônio Imobiliário Brasília, Setembro/2015 Gestão do Patrimônio Imobiliário Brasília, Setembro/2015 Pontos abordados: 1. CONCEITUAÇÃO E FUNÇÃO DOS TERRENOS DE MARINHA 2. CUMPRIMENTO DA FUNÇÃO SOCIAL 3. APERFEIÇOAMENTO DO MARCO LEGAL LEI 13.139/2015

Leia mais

Incentivar a instalação de usos não residenciais em regiões dormitório com a intenção de diminuir a necessidade de deslocamentos na cidade.

Incentivar a instalação de usos não residenciais em regiões dormitório com a intenção de diminuir a necessidade de deslocamentos na cidade. OUTORGA ONEROSA DO DIREITO DE CONSTRUIR O interessado em construir além da área do seu terreno adquire do Poder Público o direito de construção da área excedente. O preço pago por este direito servirá

Leia mais

Assessoria Empresarial

Assessoria Empresarial DLC Assessoria Empresarial Breve Histórico Há alguns anos era sofrível o processo de regularização de imóveis, prazos fora da realidade, poderiam levar o proprietário a aguardar anos para que seu imóvel

Leia mais

O poder da conquista

O poder da conquista O poder da conquista VOCÊ E SUA FAMÍLIA VIVENDO ESSA VITÓRIA. Imperator era o título das pessoas que atingiam o mais alto nível de poder na época da República Romana. Hoje você pode conquistar esse lugar

Leia mais

BAIRRO PLANEJADO COMPLETO CONDOMÍNIO HORIZONTAL

BAIRRO PLANEJADO COMPLETO CONDOMÍNIO HORIZONTAL BAIRRO PLANEJADO COMPLETO CONDOMÍNIO HORIZONTAL CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS EM UM BAIRRO PLANEJADO COMPLETO. O principal projeto imobiliário em desenvolvimento no stado do Pará; Um bairro planejado com mais

Leia mais

Ministério das Cidades Planejamento Urbano

Ministério das Cidades Planejamento Urbano Ministério das Cidades Planejamento Urbano Workshop Financiamento de Municípios - ABDE Rio de Janeiro 18 de julho de 2013 Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos Departamento de Políticas

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

RB CAPITAL DESENVOLVIMENTO RESIDENCIAL II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

RB CAPITAL DESENVOLVIMENTO RESIDENCIAL II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII RB CAPITAL DESENVOLVIMENTO RESIDENCIAL II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII Agenda Introdução RB Capital RB Capital Desenvolvimento Residencial Resumo das Atividades Carteira de Investimentos Chamadas

Leia mais

O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional

O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional JOÃO PAULO MATOS Presidente Fiabci Rio, 1º Vice-Presidente da ADEMI e Presidente do Grupo de Trabalho Estatutário da ADEMI Segurança

Leia mais

E o símbolo que representa o seu sonho. A flor de lótus. Conheça a Dona Ruth Silveira

E o símbolo que representa o seu sonho. A flor de lótus. Conheça a Dona Ruth Silveira Conheça a Dona Ruth Silveira Casada com o Sr. Rômulo de Barros Haddad, Dona Ruth foi proprietária do terreno por mais de 70 anos e ali residiu por mais de 60 anos. Com tanto tempo, criou fortes laços de

Leia mais

Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005. Praça Capital - Campinas

Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005. Praça Capital - Campinas Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005 Praça Capital - Campinas 1 Setor imobiliário Oportunidade de investimento Fator de Risco Crédito Renda Tendência Crescimento da oferta Crescimento

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

METODOLOGIA DA PESQUISA ADEMI-ES

METODOLOGIA DA PESQUISA ADEMI-ES FUNDAÇÃO INSTITUDO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE FINANÇAS E ECONOMIA FUCAPE BUSINESS SCHOOL METODOLOGIA DA PESQUISA ADEMI-ES Vitória ES 05 SUMÁRIO. INTRODUÇÃO.... OBJETIVO.... METODOLOGIA DE PESQUISA...

Leia mais

OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO Emissor MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO Emissor MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROSPECTO DE REGISTRO ( PROSPECTO ) DA OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO Emissor MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Rua Afonso Cavalcanti nº. 455, Cidade Nova Código ISIN nº. BRMCRJCPA003

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha Reurbanização e Desenvolvimento Socioeconômico

Operação Urbana Porto Maravilha Reurbanização e Desenvolvimento Socioeconômico Operação Urbana Porto Maravilha Reurbanização e Desenvolvimento Socioeconômico São Paulo, Setembro de 2013 Alberto Silva CDURP Quebra de Paradigmas Modelagem financeira inovadora, sem aplicação de recurso

Leia mais

- ÁREAS DE REABILITAÇÃO URBANA -

- ÁREAS DE REABILITAÇÃO URBANA - - ÁREAS DE REABILITAÇÃO URBANA - ARU do Centro Histórico de Beja ARU do Centro Histórico de Beja II ARU do Bairro Social de Beja ARU da Rua da Lavoura - Beja ESCLARECIMENTOS E INSTRUÇÕES PARA OS INTERESSADOS

Leia mais

Formulário de Qualificação da Empresa / Empreendimento

Formulário de Qualificação da Empresa / Empreendimento Formulário de Qualificação da Nome da Empresa/Empreendimento: Formulário de Qualificação da Empresa - V09-1 /15 - Tipo de projeto a ser implantado: ( ) Instalação da matriz no município ( ) Transferência

Leia mais

CONTRATOS SOCIETÁRIOS E TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE LOTEAMENTOS MARCELO GUARITÁ

CONTRATOS SOCIETÁRIOS E TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE LOTEAMENTOS MARCELO GUARITÁ CONTRATOS SOCIETÁRIOS E TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE LOTEAMENTOS MARCELO GUARITÁ 1 Considerações Iniciais. 2 Problemática da Integralização do Terreno e o Ganho de Capital. 3 Tributação da Venda do Imóvel na

Leia mais

Manguinhos. Essa e a VOCÊ SONHA, A GENTE ENTREGA. Desde 1981, a Morar transforma sonhos em realidade sendo reconhecida pelo seu atendimento,

Manguinhos. Essa e a VOCÊ SONHA, A GENTE ENTREGA. Desde 1981, a Morar transforma sonhos em realidade sendo reconhecida pelo seu atendimento, VOCÊ SONHA, A GENTE ENTREGA. Desde 1981, a Morar transforma sonhos em realidade sendo reconhecida pelo seu atendimento, projetos inovadores e entrega no prazo. Por estes e tantos outros motivos, a Morar

Leia mais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais I. A Conjuntura Econômica II. III. Introdução à RB Capital Soluções Imobiliárias Residenciais Conjuntura Econômica Cenários

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Estratégico o que muda na legislação urbanística da cidade de São Paulo PL 688/2013

Revisão do Plano Diretor Estratégico o que muda na legislação urbanística da cidade de São Paulo PL 688/2013 Revisão do Plano Diretor Estratégico o que muda na legislação urbanística da cidade de São Paulo PL 688/2013 EDUARDO DELLA MANNA PPU PLANEJAMENTO E PROJETOS URBANOS LTDA sócio-diretor NIIT NÚCLEO DE INFORMAÇÕES

Leia mais

GERÊNCIA DO SUBTERRÂNEO

GERÊNCIA DO SUBTERRÂNEO GERÊNCIA DO SUBTERRÂNEO 4.578 Câmaras Transformadoras 10.200 Transformadores 2.590 Protetores Network 35 Subestações 27 Sistemas Reticulados 227 Alimentadores do Reticulado 673 Alimentadores 3.200 Km Rede

Leia mais

A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor

A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor DÉCADA DE 90 1990 - Criação do FUMAPIS Fundo Municipal de Apoio a Habitacão de Interesse Social que exerce, na prática, o papel de Conselho Municipal

Leia mais

Resultados do 1T06 Teleconferência

Resultados do 1T06 Teleconferência Resultados do 1T06 Teleconferência 0 Considerações Iniciais AVISO - INFORMAÇÕES E PROJEÇÕES O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Rossi Residencial S.A. na data

Leia mais

Produção Habitacional na Área Central do Rio de Janeiro: Revitalização com Diversidade ou com Exclusão?

Produção Habitacional na Área Central do Rio de Janeiro: Revitalização com Diversidade ou com Exclusão? Mesa 3: Produção Habitacional na Área Central do Rio de Janeiro: Revitalização com Diversidade ou com Exclusão? Programas Públicos de Habitação em São Paulo. Questões para o debate Margareth Matiko Uemura

Leia mais