ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO SICAP SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PUBLICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO SICAP SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PUBLICA"

Transcrição

1 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC PLNO DE CONTS PR O EXERCÍCIO DE 28 ENTIDDES MUNICIPIS DO ESTDO DO TOCNTINS S U M Á R I O _ I - INTRODUÇÃO II - ESTRUTUR III RELÇO E FUNÇÃO DS CONTS 1

2 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC I N T R O D U C O 1.1 ESTE PLNO DE CONTS FOI EFETUDO COM O PROPOSITO DE TENDER, PRTIR DO EXERCÍCIO FINNCEIRO DE 28, DE MNEIR UNIFORME E SISTEMTIZD, O REGISTRO CONTBIL DOS TOS E FTOS RELCIONDOS COM OS RECURSOS DO TESOURO MUNICIPL SOB RESPONSBILIDDE DOS ORGOS D DMINISTRCO DIRET E INDIRET, DE FORM PROPORCIONR MIOR FLEXIBILIDDE NO GERENCIMENTO E CONSOLIDCO DOS DDOS E TENDER S NECESSIDDES DE INFORMCOES EM TODOS OS NIVEIS D DMINISTRCO, DOS ÓRGÃOS DE FISCLIZÇÃO E DE TOD SOCIEDDE. 1.2 ESTE PLNO DE CONTS FOI ELBORDO UTILIZNDO MESM ESTRUTUR DO PLNO DE CONTS D UNIÃO CONTEMPLNDO S CONTS D PORTRI N 916/23 DO MINISTÉRIO D PREVIDÊNCI SOCIL, E LTERÇÕES POSTERIORES, DE UTILIZÇÃO OBRIGTÓRI PELOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCI SOCIL DOS SERVIDORES PÚBLICOS E OBJETIV, PRINCIPLMENTE : EVIDENCIR O PTRIMÔNIO E SUS VRIÇÕES, PROPORCIONNDO O CONHECIMENTO DEQUDO D SITUÇÃO ECONÔMIC, PTRIMONIL, ORÇMENTÁRI E FINNCEIR DE TODS S ENTIDDES; POSSIBILITR EXTRCO DE RELTORIOS NECESSRIOS NLISE GERENCIL, INCLUSIVE BLNCO ORCMENTRIO, FINNCEIRO E PTRIMONIL E DEMONSTRCO DS VRICOES PTRIMONIIS, CONFORME NEXOS 12, 13, 14, 15, EXIGIDOS PEL LEI N DE 17 DE MRCO DE 1964, SSIM COMO TODOS OS RELTÓRIOS NECESSÁRIOS O CUMPRIMENTO DS EXIGÊNCIS CONTIDS N LEI COMPLEMENTR N 101 DE 20, LEI DE RESPONSBILIDDE FISCL; PDRONIZR O NIVEL DE INFORMCOES DOS ORGOS D DMINISTRCO DIRET E INDIRET COM FINLIDDE DE UXILIR O PROCESSO DE TOMD DE DECISO, MPLINDO QUNTIDDE DESSS INFORMCOES E FCILITNDO ELBORCO DO BLNCO GERL DO MUNICÍPIO; PERMITIR, TRVES DO PLNO DE CONTS, IMPLNTCO DE UM SISTEM INTEGRDO DE INFORMCOES ORCMENTRIS, FINNCEIRS E PTRIMONIIS N DMINISTRCO PUBLIC MUNICIPL, CPZ DE TENDER OS SPECTOS LEGIS E GERENCIIS EM TODOS OS NIVEIS D DMINISTRCO, SSIM COMO CLCULR OS CUSTOS PÚBLICOS E MNTER CONTROLE INDIVIDULIZDO DE DIREITOS E OBRIGÇÕES. 2

3 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC E S T R U T U R _ O PLNO DE CONTS COMPREENDE DEZ NIVEIS DE DESDOBRMENTO, CLSSIFICDOS E CODIFICDOS DE CORDO COM SEGUINTE ESTRUTUR: X X X X X XX XX XX XX XX!!!!!!!!!! 1. NIVEL - CLSSE!!!!!!!!!!!!!!!!!! 2. NIVEL - GRUPO!!!!!!!!!!!!!!!! 3. NIVEL - SUBGRUPO!!!!!!!!!!!!!! 4. NIVEL - ELEMENTO!!!!!!!!!!!! 5. NIVEL - SUBELEMENTO!!!!!!!!!! 6. NIVEL - ITEM!!!!!!!! 7. NIVEL - SUBITEM!!!!!! 8. NÍVEL DESDOBRMENTO!!!! 9. NÍVEL DESDOBRMENTO!!! 10. NÍVEL DESDOBRMENTO! O PRIMEIRO NIVEL REPRESENT CLSSIFICCO MXIM N GREGCO DS CONTS NS SEGUINTES CLSSES : 1- TIVO 2- PSSIVO 3- DESPES 4- RECEIT 5- RESULTDO DIMINUTIVO DO EXERCICIO 6- RESULTDO UMENTTIVO DO EXERCICIO OBS: OS NÍVEIS 08, 09 E 10 SERÃO UTILIZDOS PELO TRIBUNL DE CONTS PR COLOCR OS DESDOBRMENTOS NECESSÁRIOS. OS NÍVEIS 09 E 10 PODEM SER GRUPDOS EM UM ÚNICO NÍVEL CSO SEJ NECESSÁRIO O DESDOBRMENTO DE MIS DE 99 CONTS NO NÍVEL 09. 3

4 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC P L N O D E C O N T S _ O TIVO INCLUI S CONTS CORRESPONDENTES OS BENS E DIREITOS, DEMONSTRNDO PLICCO DOS RECURSOS; O PSSIVO COMPREENDE S CONTS RELTIVS S OBRIGCOES, EVIDENCINDO S ORIGENS DOS RECURSOS PLICDOS NO TIVO; DO RESULTDO; RESULTDO; DESPES INCLUI S CONTS REPRESENTTIVS DOS RECURSOS DESPENDIDOS N GESTO, SEREM COMPUTDOS N PURCO RECEIT INCLUI S CONTS REPRESENTTIVS DOS RECURSOS UFERIDOS N GESTO, SEREM COMPUTDOS N PURCO DO O RESULTDO DIMINUTIVO DO EXERCÍCIO INCLUÍ S CONTS REPRESENTTIVS DS VRIÇÕES NEGTIVS D SITUÇÃO LÍQUID DO PTRIMÔNIO E D PURÇÃO DO RESULTDO RESPECTIVO; O RESULTDO UMENTTIVO DO EXERCÍCIO INCLUÍ S CONTS REPRESENTTIVS DS VRIÇÕES POSITIVS D SITUÇÃO LÍQUID DO PTRIMÔNIO E D PURÇÃO DO RESULTDO RESPECTIVO; O TIVO COMPREENDE OS SEGUINTES GRUPOS DE CONTS : 1.1- TIVO CIRCULNTE 1.2- TIVO RELIZVEL LONGO PRZO 1.4- TIVO PERMNENTE 1.9- TIVO COMPENSDO O TIVO CIRCULNTE COMPREENDE S DISPONIBILIDDES DE NUMERRIO, OS RECURSOS RECEBER, S NTECIPCOES DE DESPES, BEM COMO OUTROS BENS E DIREITOS PENDENTES OU EM CIRCULCO, RELIZVEIS TE O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE; SEGUINTE; O TIVO RELIZVEL LONGO PRZO SO OS DIREITOS RELIZVEIS NORMLMENTE POS O TERMINO DO EXERCICIO O TIVO PERMNENTE REPRESENT OS INVESTIMENTOS DE CRTER PERMNENTE, S IMOBILIZCOES, BEM COMO DESPESS DIFERIDS QUE CONTRIBUIRO PR FORMCO DO RESULTDO DE MIS DE UM EXERCICIO; 4

5 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC O TIVO COMPENSDO COMPREENDE CONTS COM FUNCO PRECIPU DE CONTROLE, RELCIONDS OS BENS, DIREITOS, OBRIGCOES E SITUCOES NO COMPREENDIDS NO PTRIMONIO MS QUE, DIRET OU INDIRETMENTE, POSSM VIR FET-LO, INCLUSIVE S RELTIVS TOS E FTOS RELCIONDOS COM EXECUCO ORCMENTRI E FINNCEIR; O PSSIVO E REPRESENTDO PELOS SEGUINTES GRUPOS DE CONTS : 2.1- PSSIVO CIRCULNTE 2.2- PSSIVO EXIGIVEL LONGO PRZO 2.3- RESULTDO DE EXERCICIOS FUTUROS 2.4- PTRIMONIO LIQUIDO 2.9- PSSIVO COMPENSDO O PSSIVO CIRCULNTE COMPREENDE S OBRIGÇÕES PENDENTES OU EM CIRCULÇÃO, EXIGIVEIS TÉ O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE; O PSSIVO EXIGIVEL LONGO PRZO COMPREENDE S OBRIGCOES EXIGIVEIS POS O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE; O RESULTDO DE EXERCICIOS FUTUROS COMPREENDE S CONTS REPRESENTTIVS DE RECEIT DE EXERCICIOS FUTUROS, BEM COMO S DESPESS EL CORRESPONDENTE. O PLNO DE CONTS PDRONIZDO PELO TCE/TO, PR O EXERCÍCIO DE 28, MNTÉM EST CONT PENS PR FINS DE FECHMENTO DE BLNÇO, SENDO CONT SINTÉTIC SEM DESDOBRMENTOS NLÍTICOS, OU SEJ, SEM CONTS PR LNÇMENTO; O PTRIMONIO LIQUIDO REPRESENT O CPITL, S RESERVS E OS RESULTDOS CUMULDOS: O PSSIVO COMPENSDO COMPREENDE S CONTS DE CONTRPRTID DO TIVO COMPENSDO COM FUNCO PRECIPU DE CONTROLE, RELCIONDS OS BENS, DIREITOS,OBRIGCOES E SITUCOES NO COMPREENDIDS NO PTRIMONIO MS QUE, DIRET OU INDIRETMENTE, POSSM VIR FET-LO, INCLUSIVE S RELTIVS TOS E FTOS RELCIONDOS COM EXECUCO ORCMENTRI E FINNCEIR; DESPES COMPREENDE OS RECURSOS DESPENDIDOS N GESTO, SEREM COMPUTDOS N PURCO DO RESULTDO DO EXERCICIO, DESDOBRDS NS SEGUINTES CTEGORIS ECONOMICS : 3.3- DESPESS CORRENTES 3.4- DESPESS DE CPITL 3.9- RESERV DE CONTINGÊNCI 5

6 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC S DESPESS CORRENTES COMPREENDEM S CONTS, DESDOBRDS EM TRNSFERÊNCIS E PLICÇÕES DIRETS, DE DESPESS COM PESSOL E ENCRGOS SOCIIS, JUROS E ENCRGOS DS DIVIDS INTERN E EXTERN E OUTRS DESPESS CORRENTES, OBSERVDS S CONCEITUCOES EXISTENTES NOS DISPOSITIVOS LEGIS E NORMS PERTINENTES EM VIGOR; S DESPESS DE CPITL CORRESPONDEM S CONTS, DESDOBRDS EM TRNSFERÊNCIS E PLICÇÕES DIRETS, DE DESPESS DE INVESTIMENTOS, INVERSOES FINNCEIRS, MORTIZCO DS DIVIDS INTERN E EXTERN E OUTRS DESPESS DE CPITL, OBSERVDS S CONCEITUCOES LEGIS PERTINENTES EM VIGOR; RESERV DE CONTINGÊNCI, CUJ FORM DE UTILIZÇÃO E MONTNTE, DEFINIDO COM BSE N RECEIT CORRENTE LÍQUID, SERÃO ESTBELECIDOS N LEI DE DIRETRIZES ORÇMENTÁRIS, DESTIND O TENDIMENTO DE PSSIVOS CONTINGÊNTES E OUTROS RISCOS E EVENTOS FISCIS IMPREVISTOS; S DESPESS IND MIS DETLHDS OBJETIVM OFERECER INFORMCOES MIS ESPECIFICS SOBRE GSTOS DO SETOR PUBLICO; SEMPRE QUE OCORRER NECESSIDDE DE CRIR UM NOV CONT OU DESDOBRR UM CONT JÁ EXISTENTE PR REGISTRR UM FTO OU TO NOVO, ENTIDDE DEVE SE UTILIZR DOS TRÊS ÚLTIMOS NÍVEIS DO CÓDIGO D CONT NÃO SENDO NECESSÁRIO SOLICITR LTORIZÇÃO PR O TRIBUNL DE CONTS RECEIT COMPREENDE OS RECURSOS UFERIDOS N GESTO, SEREM COMPUTDOS N PURCO DO RESULTDO DO EXERCICIO, DESDOBRDS NS SEGUINTES CTEGORIS ECONOMICS : 4.1- RECEITS CORRENTES 4.2- RECEITS DE CPITL 4.9- (R) DEDUÇÕES D RECEIT CORRENTE S RECEITS CORRENTES COMPREENDEM S TRIBUTRIS, DE CONTRIBUICOES, PTRIMONIIS, GROPECURIS, INDUSTRIIS, DE SERVICOS E OUTRS DE NTUREZ SEMELHNTE, BEM COMO S PROVENIENTES DE TRNSFERENCIS CORRENTES, OBSERVDS S CONCEITUCOES LEGIS PERTINENTES EM VIGOR; S RECEITS DE CPITL CORRESPONDEM S OPERÇÕES DE CRÉDITO, LIENÇÃO DE BENS, MORTIZÇÕES E OUTRS RECEITS DE CPITL, BEM COMO S PROVENIENTES DE TRNSFERENCIS DE CPITL, OBSERVDS S NORMS LEGIS PERTINENTES EM VIGOR; S DEDUÇÕES D RECEIT CORRENTE CORRESPONDEM S CONTS REDUTORS E TERÃO SU ESPECIFICÇÃO SEMPRE PRECEDID DO SÍMBOLO (R) O RESULTDO DIMINUTIVO DO EXERCICIO CONTEM OS SEGUINTES GRUPOS : 5.1- RESULTDO ORCMENTRIO 5.2- RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO 6

7 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC O RESULTDO ORCMENTRIO CORRESPONDE S DESPESS ORÇMENTÁRIS, INTERFERENCIS PSSIVS E S MUTCOES PTRIMONIIS PSSIVS RESULTNTES D EXECUCO ORCMENTRI; O RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO BRNGE S DESPESS EXTR-ORÇMENTÁRIS, S INTERFERENCIS PSSIVS E S MUTCOES PTRIMONIIS PSSIVS INDEPENDENTES D EXECUCO ORCMENTRI O RESULTDO UMENTTIVO DO EXERCICIO COMPREENDE OS SEGUINTES GRUPOS DE CONTS : 6.1- RESULTDO ORCMENTRIO 6.2- RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO 6.3- RESULTDO PURDO O RESULTDO ORCMENTRIO REPRESENT S RECEITS ORÇMENTÁRIS, S INTERFERENCIS TIVS E S MUTCOES PTRIMONIIS TIVS RESULTNTES D EXECUCO ORCMENTRI; O RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO BRNGE S RECEITS EXTR-ORÇMENTÁRIS, S INTERFERENCIS TIVS E S MUTCOES PTRIMONIIS TIVS INDEPENDENTES D EXECUCO ORCMENTRI O RESULTDO PURDO E CONT TRNSITORI UTILIZD NO ENCERRMENTO DO EXERCICIO PR DEMONSTRR PURCO DO RESULTDO DO EXERCICIO ESTRUTUR BSIC DO PLNO DE CONTS NIVEL DE CLSSE/GRUPO CONSISTE N SEGUINTE DISPOSICO : 1 - TIVO 2 - PSSIVO CIRCULNTE CIRCULNTE RELIZVEL LONGO PRZO EXIGIVEL LONGO PRZO 1.4 PERMNENTE RESULTDO DE EXERCICIOS FUTUROS 1.9 COMPENSDO PTRIMONIO LIQUIDO PSSIVO COMPENSDO 3 - DESPES 4 - RECEIT DESPESS CORRENTES RECEITS CORRENTES DESPESS DE CPITL RECEITS DE CPITL RESERV DE CONTINGENCI 4.9 (R)DEDUCOES D RECEIT 7

8 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC 5 - RESULTDO DIMINUTIVO DO EXERCICIO 6 - RESULTDO UMENTTIVO DO EXERCICIO RESULTDO ORCMENTRIO RESULTDO ORCMENTRIO RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO RESULTDO PURDO CONSOLIDCO DE BLNCOS SER EFETUD NO 3. NIVEL(SUBGRUPO) DE CORDO COM ESTRUTUR EM NEXO. 8

9 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC ESTRUTUR DE CONSOLIDCO DE BLNCOS TIVO 2 PSSIVO 1.1 CIRCULNTE 2.1 CIRCULNTE DISPONIVEL DEPOSITOS CREDITOS EM CIRCULCO OBRIGCOES EM CIRCULCO BENS E VLORES EM CIRCULCO EMPRESTIMOS E FINNCIMENTOS EM CIRCULCO VLORES PENDENTES CURTO PRZO VLORES PENDENTES CURTO PRZO INVESTIMENTOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCI 1.2 RELIZVEL LONGO PRZO 2.2 EXIGIVEL LONGO PRZO DEPOSITOS RELIZVEIS LONGO PRZO DEPOSITOS EXIGIVEIS LONGO PRZO CREDITOS RELIZVEIS LONGO PRZO OBRIGCOES EXIGIVEIS LONGO PRZO INVESTIMENTOS CONTRIBUIÇÕES CONTRTDS COM O ENTE PELO RPPS 2.3 RESULTDO DE EXERCICIOS FUTUROS 1.4 PERMNENTE 2.4 PTRIMONIO LIQUIDO INVESTIMENTOS PTRIMONIO IMOBILIZDO RESERVS DIFERIDO DEFICIT OU SUPERVIT CUMULDO 1.9 COMPENSDO 2.9 COMPENSDO EXECUCO ORCMENTRI D RECEIT PREVISÃO ORCMENTRI D RECEIT FIXÇÃO ORCMENTRI D DESPES EXECUCO ORCMENTRI D DESPES EXECUCO D PROGRMCO FINNCEIR EXECUCO D PROGRMCO FINNCEIR DESPESS E DIVIDS DOS ESTDOS E MUNICIPIOS DESPESS E DIVIDS DOS ESTDOS E MUNICIPIOS EXECUCO DE RESTOS PGR EXECUCO DE RESTOS PGR COMPENSCOES TIVS DIVERSS COMPENSCOES PSSIVS DIVERSS 9

10 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC ESTRUTUR DE CONSOLIDCO DE BLNCOS DESPES 4 RECEIT 3.3 DESPESS CORRENTES 4.1 RECEITS CORRENTES 3.4 DESPESS DE CPITL 4.2 RECEITS DE CPITL 3.9 RESERV DE CONTINGENCI 4.9 (R) DEDUCOES D RECEIT 5 RESULTDO DIMINUTIVO DO EXERCICIO 6 RESULTDO UMENTTIVO DO EXERCICIO 5.1 RESULTDO ORCMENTRIO 6.1 RESULTDO ORCMENTRIO DESPES ORCMENTRI RECEIT ORCMENTRI INTERFERENCIS PSSIVS INTERFERENCIS TIVS MUTCOES PSSIVS MUTCOES TIVS 5.2 RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO 6.2 RESULTDO EXTR-ORCMENTRIO DESPESS EXTR-ORÇMENTÁRIS RECEIT EXTR-ORÇMENTÁRI INTERFERENCIS PSSIVS INTERFERENCIS TIVS DECRÉSCIMOS PTRIMONIIS CRÉSCIMOS PTRIMONIIS 6.3 RESULTDO PURDO 10

11 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim 01 S TIVO O TIVO INCLUI S CONTS CORRESPONDENTES DOS BENS E DIREITOS DEMONSTRNDO PLICÇÃO DOS RECURSOS, SUBGRUPDOS EM TIVO CIRCULNTE, RELIZÁVEL LONGO PRZO, TIVO PERMNENTE E TIVO COMPENSDO Sim 02 S TIVO CIRCULNTE REGISTR O SOMTORIO DS CONTS DO DISPONIVEL, DOS CREDITOS EM CIRCULCO, DOS BENS E VLORES EM CIRCULCO, DOS VLORES PENDENTES CURTO PRZO E DOS INVESTIMENTOS DS ENTIDDES RELIZVEIS TE O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE Sim 03 S DISPONIVEL REGISTR O SOMTORIO DOS VLORES EM CIX E EM BNCOS, BEM COMO EQUIVLENTES, QUE REPRESENTM RECURSOS COM LIVRE MOVIMENTCO PR PLICCO NS OPERCOES D UNIDDE E PR OS QUIS NO HJ RESTRICOES PR USO IMEDITO Sim 04 S DISPONIVEL EM MOED NCIONL Sim F 05 CIX Sim 05 S BNCOS CONT MOVIMENTO Sim 06 S CONT UNIC DO RPPS REGISTR O SOMTORIO DOS VLORES DS DISPONIBILIDDES DE CIX, BNCOS CONT MOVIMENTO E S PLICCOES FINNCEIRS. REGISTR MOVIMENTCO FINNCEIR DE NUMERRIO E OUTROS VLORES EM TESOURRIS E PGDORIS. REGISTR O SOMTORIO DS DISPONIBILIDDES BNCRIS GREGDS NOS ITENS CONT UNIC D PREVIDENCI SOCIL E OUTRS CONTS, GREGDS NOS GENTES FINNCEIROS UTORIZDOS. PRESENTR O SOMTÓRIO DOS VLORES DISPONÍVEIS N CONT ÚNIC DO RPPS. ESS CONT DEVERÁ SER DESDOBRD PELO RPPS N QUNTIDDE DE GENTES FINNCEIROS EM QUE MNTENH CONT ÚNIC Sim F 07 BNCO DO BRSIL REGISTRR MOVIMENTÇÃO D CONT ÚNIC DO RPPS TRVÉS DO GENTE FINNCEIRO BNCO DO BRSIL S/ Sim F 07 CIX ECONOMIC FEDERL REGISTRR MOVIMENTÇÃO D CONT ÚNIC DO RPPS TRVÉS DO GENTE FINNCEIRO CIX ECONÔMIC FEDERL Sim F 07 OUTROS BNCOS REGISTRR MOVIMENTÇÃO D CONT ÚNIC DO RPPS TRVÉS DE OUTROS GENTES FINNCEIROS Sim F 06 RECURSOS D TX DMINISTRÇÃO DO RPPS S OUTRS CONTS F 07 BNCO DO BRSIL REGISTRR MOVIMENTÇÃO FINNCEIR D TX DE DMINISTRÇÃ DO RPPS, NO MONTNTE D LÍQUOT FIXD EM LEI. REGISTR O SOMTORIO DS DISPONIBILIDDES EXISTENTES NS CONTS BNCRIS, GREGDS PELOS SUBITENS IDENTIFICTIVOS DOS BNCOS CORRESPONDENTES. REGISTR O SOMTORIO D MOVIMENTÇÃO FINNCEIR DS CONTS EXISTENTES N INSTITUIÇÃO FINNCEIR BNCO DO BRSIL. 11

12 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ F 07 CIX ECONOMIC FEDERL F 07 OUTROS BNCOS S PLICCOES FINNCEIRS REGISTR O SOMTORIO D MOVIMENTÇÃO FINNCEIR DS CONTS EXISTENTES N INSTITUIÇÃO FINNCEIR CIX ECONOMIC FEDERL REGISTR O SOMTORIO D MOVIEMNTÇÃO FINNCEIR DS OUTRS CONTS EXISTENTES EM OUTRS INSTITUIÇOES FINNCEIRS NÃO RELCIONDS CIM REGISTR O SOMTÓRIO DOS VLORES PLICDOS NS CONTS BNCÁRIS DO ENTE, GREGDS NOS GENTES FINNCEIROS UTORIZDOS COM DIREITO RESGTE IMEDITO F 06 POUPNCS REGISTR O SOMTÓRIO DOS VLORES DS PLICCOES FINNCEIRS EM POUPNCS E SEUS RENDIMENTOS (JUROS E TULIZCO MONETRI) F 06 FUNDO DE PLICCO FINNCEIR REGISTR O VLOR DS PLICCOES FINNCEIRS EM FUNDO DE PLICCO E SEUS RENDIMENTOS (JUROS E TULIZCO) POSTERIORES F 06 OUTRS PLICCOES REGISTR S PLICCOES FINNCEIRS, EXCETUNDO LTN, LBC, LFT. OTN EBTN, DS DISPONIBILIDDES FINNCEIRS DS ENTIDDES, INSTITUICOES OU UNIDDES Sim 03 S CREDITOS EM CIRCULCO Sim 04 S CREDITOS RECEBER REGISTR O SOMTÓRIO DOS DIREITOS RELIZVEIS TE O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE, SSIM COMO OS DERIVDOS DE DINTMENTOS, EMPRESTIMOS, VLORES EM TRNSITO E OUTROS. REGISTR VLORES RECEBER POR CREDITOS TRIBUTRIOS LIENCOES, POR FORNECIMENTO DE BENS, SERVICOS E DEMIS ORIUNDOS DE OUTRS TRNSCOES Sim 05 S CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS/CONTRIBUIÇÕES RECEBER PRESENTR O SOMTÓRIO DOS VLORES RECEBER PELO RPPS REFERENTES À RECEIT TRIBUTÁRI E DE CONTRIBUIÇÕES RECONHECIDS PELO REGIME DE COMPETÊNCI Sim P 06 CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS RECEBER REGISTRR OS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS RECEBER VERTIDOS PR O RPPS, RECONHECIDOS PELO REGIME DE COMPETÊNCI Sim P 06 CRÉDITOS DE CONTRIBUIÇÕES RECEBER REGISTRR S CONTRIBUIÇÕES RECEBER RECONHECIDS PELO REGIME DE COMPETÊNCI Sim 05 S RECURSOS ESPECIIS RECEBER REGISTR O SOMTORIO DOS RECURSOS PROVENIENTES DO ORCMENTO DO ENTE NO RECEBIDOS TE O FINL DO EXERCICIO QUE LHES DEU ORIGEM Sim F 06 LIMITE DE SQUE COM VINCULCO DE PGMENTO REGISTR O VLOR DO LIMITE DE SQUE D CONT UNIC D ENTIDDE, PR TENDER DESPESS COM VINCULCO DE PGMENTO Sim F 06 REPSSES RECEBER REGISTR OS RECURSOS RECEBER REFERENTES S PRCELS NÃO RECEBIDS DO ORCMENTO PELS ENTIDDES D DMINISTRCO INDIRET Sim F 06 RECURSOS RECEBER PR PGMENTO DE RESTOS PGR REGISTR O VLOR DOS RECURSOS RECEBER PR PGMENTO DE RESTOS PGR. 12

13 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim F 05 VLORES RECEBER - OPERCOES DE CREDITO REGISTRR PROPRIÇÃO DOS VLORES RECEBER TÍTULO DE REEMBOLSO DE DESPESS RELIZDS COM RECURSOS DE OPERÇÕES DE CRÉDITO Sim 05 S CREDITOS DIVERSOS RECEBER PRESENT O SOMTÓRIO DOS CRÉDITOS RECEBER RELTIVOS SLÁRIO- FMÍLI, UXÍLIO NTLIDDE E OUTROS RELTIVOS PESSOL Sim F 06 SLRIO-FMILI REGISTR OS VLORES RELTIVOS O SLRIO-FMILI, INCLUIDOS EM FOLHS DE PGMENTO, PGOS OS EMPREGDOS (CLT), COM FILHOS MENORES, COMPENSR COM S CONTRIBUICOES DEVIDS PELO EMPREGDOR PREVIDENCI SOCIL Sim F 06 SLRIO-MTERNIDDE REGISTR OS SLRIOS PGOS S SERVIDORS GESTNTES, REGIDS PEL C.L.T NO PERIODO QUE PERDURR LICENC MTERNIDDE, PREVIST EM LEI, DEDUZIR DS OBRIGCOES SOCIIS DEVIDS PELOS ORGOS E ENTIDDES Sim F 06 UXILIO-NTLIDDE REGISTR OS VLORES RELTIVOS UXILIOS-NTLIDDE, PGOS OS EMPREGDOS REGIDOS PEL CLT, QUNDO DO NSCIMENTO DE FILHOS DESTES, RECUPERR, POR SE TRTR DE OBRIGCOES D PREVIDENCI SOCIL Sim F 06 CONTRIBUICO SOCIL REGISTR OS VLORES RELTIVOS CONTRIBUICOES SOCIIS (INSS, PSEP, ETC.) PGS MIOR, RECUPERR Sim F 06 BONO PERMNENCI E POSENTDORIS REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS DINTMENTOS EFETUDOS EMPREGDOS POR CONT DE CREDITOS RECEBER DO INSS, N FORM DE BONO PERMNENCI E POSENTDORIS Sim F 06 UXILIO DOENC/CIDENTES REGISTR OS SLRIOS PGOS OS SERVIDORES, REGIDOS PEL C.L.T, TITULO DE UXILIO DOENC/CIDENTES, PREVISTOS EM LEI, SEREM REEMBOLSDOS PELO INSS Sim F 06 CREDITOS RECEBER -FOLH DE PGMENTO REGISTR OS VLORES RECEBER REFERENTE FOLH DE PGMENTO Sim P 06 CREDITOS POR LIENÇÃO Sim 06 S OUTROS CREDITOS RECEBER REGISTR OS VLORES DOS CREDITOS RECEBER DECORRENTES D LIENCO DE BENS MOVEIS OU IMOVEIS. REGISTR OS VLORES DE OUTROS CREDITOS RECEBER, PR OS QUIS NO TENHM CONTS ESPECIFICS, NESTE SUBGRUPO DE CONTS E QUE OCORRM EVENTULMENTE F 08 ENTIDDES S (PORTRI STN N 447/02) REGISTR OS VLORES DOS CREDITOS RECEBER D UNIÃO E DO ESTDO, LÍQUIDOS E CERTOS, REGISTRDOS N CONTBILIDDE DESTES ENTES, E CUJO RECURSO FINNCEIRO IND NÃO FOI REPSSDO O MUNICÍPIO Sim 04 S ES -ENTIDDES GENTES REGISTR OS VLORES RELIZVEIS EM TE 12 MESES, PROVENIENTES DE DIREITOS OBTIDOS JUNTO DIVERSOS ES, GRUPDOS EM ENTIDDES S, CREDITOS PRCELDOS, RECURSOS D UNIO E DIVERSOS RESPONSVEIS. 13

14 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ S ENTIDDES S REGISTR O VLOR DS OPERCOES ENTRE ENTIDDE MUNICIPL E ENTIDDES FEDERIS, ESTDOS, MUNICIPIOS E OUTRS ENTIDDES, INCLUSIVE OS VLORES D DIVID EXTERN CONTRID E HONRD PELO TESOURO NCIONL P 06 ENTIDDES FEDERIS REGISTR OS VLORES DISPONIVEIS EM TE 12 MESES, DECORRENTES DE DEBITO DE ENTIDDES FEDERIS COM O MUNICIPIO P 06 ENTIDDES ESTDUIS, DISTRITIS E MUNICIPIS REGISTR OS VLORES DISPONIVEIS EM TE 12 MESES, DECORRENTES DE DEBITO DE ENTIDDES ESTDUIS, DISTRITIS E MUNICIPIS COM 0 MUNICIPIO P 06 (R) PROVISO PR ES DUVIDOSOS P 06 OUTRS ENTIDDES REGISTR OS VLORES DS PROVISOES CONSTITUIDS NO FINL DO EXERCICIO,COM BSE EM PERSPECTIVS DE PERDS NS LIQUIDCOES JUNTO ENTIDDES E GENTES ES. REGISTR O VLOR DISPONIVEL EM TE DOZE MESES, DECORRENTES DE OPERCOES ENTRE O MUNICIPIO E OUTRS ENTIDDES NO CONTEMPLDS NTERIORMENTE Sim 05 S DIVERSOS RESPONSVEIS - PURDOS REGISTR RESPONSBILIDDE DOS GENTES PELOS DNOS MTERIIS CUSDOS FZEND PUBLIC, EM DESCUMPRIMENTO DS NORMS VIGENTES. INCLUI-SE D MESM FORM OS CUSDOS POR TERCEIROS Sim P 06 OUTRS RESPONSBILIDDES REGISTR S RESPONSBILIDDES DIVERSS CUJS CLSSIFICCOES NO ESTEJM DEFINIDS EM CONTS PROPRIS OU PR S QUIS NO HJM CONTS ESPECIFICS S EMPRESTIMOS E FINNCIMENTOS REGISTR O SOMTORIO DOS VLOR DE EMPRESTIMOS E FINNCIMENTOS CONCEDIDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES OU INSTITUICOES POR UTORIZCOES LEGIS OU VINCULCOES CONTRTOS E CORDOS P 05 EMPRESTIMOS CONCEDIDOS REGISTR PROPRICO DOS VLORES DOS CREDITOS POR EMPRESTIMOS CONCEDIDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES E INSTITUICOES, POR UTORIZCOES LEGIS OU VINCULCOES CONTRTOS E CORDOS, COM VENCIMENTOS CURTO PRZO P 05 FINNCIMENTOS CONCEDIDOS REGISTR PROPRICO DOS VLORES DOS FINNCIMENTOS, CURTO PRZO, CONCEDIDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES E INSTITUICOES, POR UTORIZCOES LEGIS OU VINCULCOES CONTRTOS E CORDOS P 06 (R) PROVISO PR ES DUVIDOSOS REGISTR OS VLORES DS PROVISOES CONSTITUIDS NO FINL DO EXERCICIO,COM BSE EM PERSPECTIVS DE PERDS NS LIQUIDCOES DOS CREDITOS RECEBER, CURTO PRZO Sim 04 S DINTMENTOS CONCEDIDOS REGISTR ENTREG DE NUMERRIO TERCEIROS, MS SEM VINCULCO ESPECIFIC O FORNECIMENTO DE BENS OU SERVICOS PRE-DETERMINDOS. 14

15 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim 05 S DINTMENTOS PESSOL REGISTR OS VLORES DS NTECIPCOES CONCEDIDS FUNCIONRIOS E DIRIGENTES D UNIDDE, TIS COMO NTECIPCOES DE SLRIOS E ORDENDOS, DINTMENTOS DE 13º SLRIO, DINTMENTOS DE FERIS E DE GRTIFICCOES NTLINS, E OUTRS Sim P 06 OUTROS DINTMENTOS REGISTRR OS VLORES RELTIVOS DINTMENTOS PESSOL P 05 DINTMENTOS DIVERSOS CONCEDIDOS REGISTR OS VLORES ENTREGUES NTECIPDMENTE TERCEIROS SEM VINCULCO ESPECIFIC DO FORNECIMENTO DE BENS E SERVICOS, DINTMENTOS PESSOL E OUTROS CLSSIFICDOS EM CONTS PROPRIS Sim 04 S DEPOSITOS RELIZVEIS CURTO PRZO REGISTR OS VLORES DE DEPOSITOS RELIZVEIS NO CURSO DO EXERCICIO SEGUINTE, REPRESENTDOS POR RECURSOS VINCULDOS Sim 05 S RECURSOS VINCULDOS REGISTR OS VLORES RECEBER DECORRENTES DE DEPOSITOS VINCULDOS, RELIZVEIS NO CURSO DO EXERCICIO, REGISTRDOS EM DEPOSITOS E CUCOES, DEPOSITOS JUDICIIS, PR RECURSOS, ESPECIIS, TRNSFERIDOS E OUTROS P 06 DEPOSITOS E CUCOES REGISTR OS VLORES RELTIVOS DEPOSITOS E/OU CUCOES, PRESTDOS EM VINCULCOES DE CONTRTOS OU CONVENCOES PR GRNTIS DE OPERCOES ESPECIFICS, RELIZVEIS NO CURSO DO EXERCICIO SEGUINTE Sim 06 S DEPOSITOS JUDICIIS REGISTR OS VLORES RECEBER, RELIZVEIS NO CURSO DO EXERCICIO SEGUINTE, DECORRENTES DE DEPOSITOS EFETUDOS POR DETERMINCO D JUSTIC P 08 DEPOSITOS DE SENTENCS JUDICIIS -PODER EXECUTIVO/INDIRETS REGISTR OS SOMTÓRIOS DOS DEPÓSITOS EFETUDOS O PODER JUDICIÁRIO DECORRENTE DE DETERMINÇÃO JUDICIL PR GRNTI DO CUMPRIMENTO DE SENTENÇS JUDICIIS DO PODER EXECUTIVO/INDIRETS P 08 DEPOSITOS DE SENTENCS JUDICIIS -PODER LEGISLTIVO REGISTR O SOMTÓRIOS DOS DEPÓSITOS EFETUDOS O PODER JUDICIÁRIO DECORRENTE DE DETERMINÇÃO JUDICIL PR GRNTI DO CUMPRIMENTO DE SENTENÇS JUDICIIS DO PODER LEGISLTIVO P 08 DEPOSITOS DE SENTENCS JUDICIIS -RPPS REGISTR O SOMTÓRIOS DOS DEPÓSITOS EFETUDOS O PODER JUDICIÁRIO DECORRENTE DE DETERMINÇÃO JUDICIL PR GRNTI DO CUMPRIMENTO DE SENTENÇS JUDICIIS DO RPPS P 08 DEPOSITOS JUDICIIS DE RESTOS PGR -PODER EXECUTIVO/INDIRETS REGISTR O SOMTÓRIOS DOS DEPÓSITOS EFETUDOS O PODER JUDICIÁRIO DECORRENTE DE DETERMINÇÃO JUDICIL PR GRNTI DO CUMPRIMENTO DE DEMNDS JUDICIS, DECORRENTES DE VLORES INSCRITOS EM RESTOS PGR NO PODER EXECUTIVO/INDIRETS P 08 DEPOSITOS JUDICIIS DE RESTOS PGR -PODER LEGISLTIVO REGISTR O SOMTÓRIOS DOS DEPÓSITOS EFETUDOS O PODER JUDICIÁRIO DECORRENTE DE DETERMINÇÃO JUDICIL PR GRNTI DO CUMPRIMENTO DE DEMNDS JUDICIS, DECORRENTES DE VLORES INSCRITOS EM RESTOS PGR NO PODER LEGISLTIVO. 15

16 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ P 08 DEPOSITOS JUDICIIS DE RESTOS PGR -RPPS REGISTR O SOMTÓRIOS DOS DEPÓSITOS EFETUDOS O PODER JUDICIÁRIO DECORRENTE DE DETERMINÇÃO JUDICIL PR GRNTI DO CUMPRIMENTO DE DEMNDS JUDICIS, DECORRENTES DE VLORES INSCRITOS EM RESTOS PGR NO RPPS F 06 DEPOSITOS ESPECIIS REGISTR OS VLORES RELTIVOS OUTROS DEPOSITOS VINCULDOS EM CONTS BNCRIS OBRIGCOES CONTRTUIS, CONVENCOES, CORDOS E JUSTES QUE UNIDIDDE GESTOR E OBRIGD HONRR POR FORC CONTRTUL Sim P 06 OUTROS DEPOSITOS REGISTR OS VLORES RELTIVOS OUTROS DEPOSITOS, PRESTDOS EM VINCULCOES DE CONTRTOS OU CONVENCOES PR GRNTIS DE OPERCOES ESPECIFICS, RELIZVEIS NO CURSO DO EXERCICIO SEGUINTE. PRESENTR O SOMTÓRIO DE VLORES CREDITR E DÉBITOS INDEVIDOS EM Sim 04 S VLORES EM TRÂNSITO RELIZÁVEIS CONT BNCÁRI, GUI DE RECEBIMENTO E ORDENS BNCÁRIS EMITIDS COMPENSR Sim F 05 OUTROS VLORES EM TRÂNSITO REGISTRR TRNSFERÊNCI DE SLDOS BNCÁRIOS E OUTROS VLORES EM TRÂNSITO Sim 03 S BENS E VLORES EM CIRCULCO REGISTR O SOMTORIO DOS VLORES DOS ESTOQUES, TITULOS E VLORES, MTERIIS EM TRNSITO E DEMIS EM CIRCULCO Sim 04 S ESTOQUES REGISTRR O VLOR DOS BENS DQUIRIDOS OU PRODUZIDOS COM O OBJETIVO DE VEND OU UTILIZÇÃO PRÓPRI NO CURSO NORML DS TIVIDDES Sim 05 S ESTOQUES INTERNOS - LMOXRIFDO REGOSTR O SOMTORIO DOS VLORES DE MTERIIS NO LMOXRIFDO DESTINDOS O CONSUMO INTERNO D PROPRI UNIDDE GESTOR E DE OUTRS SOB SU RESPONSBILIDDE Sim P 06 MTERIL DE CONSUMO REGISTRR OS VLORES DOS MTERIIS DE CONSUMO DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS, DESTINDOS TENDER S NECESSIDDES D INSTITUIÇÃO E DE OUTRS UNIDDES P 06 GENEROS LIMENTICIOS REGISTR OS VLORES DOS GENEROS LIMENTICIOS DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS, DESTINDOS TENDER S NECESSIDDES D ENTIDDE E DE OUTRS UNIDDES DESS P 06 MTERIIS DE CONSTRUCO REGISTR OS VLORES DOS MTERIIS DE CONSTRUCO DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS P 06 UTOPECS REGISTR OS VLORES DOS MTERIIS DE UTOPECS DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS. 16

17 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CODIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ P 06 MEDICMENTOS E MTERIIS HOSPITLRES REGISTR OS VLORES DOS MEDICMENTOS E MTERIIS HOSPITLRES DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS Sim P 06 MTERIIS GRFICOS REGISTR OS VLORES DOS MTERIIS GRFICOS DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS Sim P 06 MTERIL DE EXPEDIENTE REGISTR OS VLORES DOS MTERIIS DE EXPEDIENTE DQUIRIDOS E ESTOCDOS EM LMOXRIFDOS S ESTOQUES DIVERSOS REGISTR O VLOR DOS ESTOQUES DIVERSOS NO PREVISTOS NOS ITENS NTERIORES OU REFERENTES DINTMENTOS FORNECEDORES VINCULDOS CONTRTO ESPECIFICO DE FORNECIMENTO DE BENS E/OU SERVICOS P 06 OUTROS ESTOQUES REGISTR O VLOR DOS ESTOQUES NO CONTEMPLDOS NOS ITENS NTERIORES Sim 04 S TITULOS E VLORES REGISTRR O VLOR DOS TÍTULOS E VLORES TÉ DESTINÇÃO FINL Sim 05 S TITULOS REPRESENT OS VLORES RELTIVOS TITULOS TE DESTINCO FINL Sim P 06 TITULOS RECEBER P 05 VLES, TICKETS E BILHETES Sim P 05 OUTROS TITULOS E VLORES DESTIND OS REGISTROS DOS VLORES RECEBER CURTO PRZO REPRESENTDOS POR TITULOS TIS COMO NOTS PROMISSORIS, LETRS DE CMBIO E OUTROS. REGISTR O VLOR DOS VLES E TICKETS DQUIRIDOS PR FUTUR DISTRIBUICO OS SERVIDORES, E IND BILHETES DE TRNSPORTES URBNOS. REGISTR ENTRD DE OUTROS TITULOS E VLORES NÃO CONTEMPLDOS NO PLNO DE CONTS, PROVENIENTES DE QUISIÇÃO, DOÇÃO E DEVOLUÇÃO Sim 03 S VLORES PENDENTES CURTO PRZO REGISTR OS CUSTOS E DESPESS PGOS NTECIPDMENTE E OS VLORES DIFERIDOS Sim 04 S CUSTOS E DESPESS PGOS NTECIPDMENTE REGISTR OS VLORES PLICDOS EM CUSTOS E DESPESS CUJOS BENEFICIOS OU PRESTCO DE SERVICOS ENTIDDE SE FRO DURNTE O EXERCICIO SEGUINTE Sim 05 S DESPESS NTECIPDS REGISTR S DESPESS PGS NTECIPDMENTE E PENDENTES DE PROPRICO DEQUD Sim P 06 PREMIOS DE SEGUROS PROPRIR REGISTR OS VLORES PGOS TITULO DE PREMIOS DE SEGURO E PENDENTES DE PROPRICO DEQUD, POR TEREM SIDO PGS NTECIPDMENTE Sim P 06 SSINTURS E NUIDDES PROPRIR REGISTR OS VLORES PGOS TITULO DE SSINTURS E NUIDDES E PENDENTES DE PROPRIÇÃO DEQUD, POR TEREM SIDO PGOS NTECIPDMENTE. 17

18 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CODIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim P 06 OUTRS DESPESS NTECIPDS REGISTR OUTROS VLROES PGOS E PENDENTES DE PROPRIÇÃO DEQUD, POR TEREM SIDO PGOS NTECIPDMENTE Sim 03 S INVESTIMENTOS DOS REGIMES PROPRIOS DE PREVIDENCI REPRESENT OS VLORES PLICDOS PELO REGIME PROPRIO DESTINDOS COBERTUR DS OBRIGÇÕES PREVIDENCIRIS Sim 04 S INVESTIMENTO EM SEGMENTO DE REND FIX PRESENTR O SOMTORIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM CONFORMIDDE COM O RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN Nº 3.244/04, SUBGRUPDOS EM TITULOS DE RESPONSBILIDDES DO TESOURO, DO BNCO CENTRL DO BRSIL, FUNDOS DE INVESTIMENTOS, POUPNÇ E OUTROS INVESTIMENTOS EM REND FIX Sim 05 S TITULOS DE RESPOSNBILIDDE DO TESOURO PRE-FIXDO. PRESENTR O SOMTORIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO TESOURO PRE-FIXDO EM CONFORMIDDE COM O RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN Nº 3.244/04 SUBGRUPDOS EM BONUS DO TESOURO NCIONL, NOTS DO TESOURO NCIONL, LETRS FINNCEIRS DO TESOURO, LETRS DO TESOURO NCIONL Sim F 06 NOTS DO TESOURO NCIONL REGISTRR OS INVESTIMETOS EFETUDOS PELO RPPS EM NOTS DO TESOURO NCIONL, PRÉ-FIXD, OIBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN Nº CMN Mº 3.244/ Sim F 06 LETRS DO TESOURO NCIONL REGISTRR OS INVESTIMETOS FEITOS PELO RPPS EM LETRS DO TESOURO NCIONL, PRÉ-FIXD, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN Nº CMN Mº 3.244/ Sim F 06 OUTROS TITULOS DO TESOURO NCIONL PRE-FIXDOS REGISTRR OS INVESTIMETOS RELIZDOS PELO RPPS EM OUTROS TITULOS DO TESOURO NCIONL, PRÉ-FIXDOS, OBSERVNDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN Nº CMN Mº 3.244/ Sim 05 S TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO TESOURO PÓS-FIXDO PRESENTR O SOMTORIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO TESOURO, POS-FIXDO EM CONFORMIDDE O RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN 3.244/24, SUBGRUPDOS EM BONUS DO TESOURO NCIONL, NOTS DO TESOURO NCIONL, LETRS FINNCEIRS DO TESOURO, LETRS DO TESOURO NCIONL Sim F 06 BONUS DO TESOURO NCIONL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM BONUS DO TESOURO, POS-FIXD, OBSERVNDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN 3.244/ Sim F 06 NOTS DO TESOURO NCIONL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM NOTS DO TESOURO NCIONL (SOMENTE SERIE F), POS-FIXD, OBSERVNDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN 3.244/24 18

19 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim F 06 LETRS FINNCEIR DO TESOURO REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM LETRS FINNCEIRS DO TESOURO, POS-FIXD, OBSERVNDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN 3.244/ Sim F 06 OUTROS TITULOS DO TESOURO NCIONL - POS FIXDO REGISTRR OS INVESTIMENTOS RELIZDOS PELO RPPS EM OUTROS TITULOS DO TESOURO NCIONL, POS-FIXDOS, OBSERVDOS OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3º D RESOLUÇÃO CMN 3.244/ Sim 05 S TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO BNCO CENTRL -PRE-FIXDO REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM TÍTULOS DE RESPONSBILIDDE DO BNCO CENTRL DO BRSIL PRÉ FIXDO, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3ºD RESOLUÇÃO CMN N.º 3.244/24. SUBGRUPDOS POR BÔNUS E NOTS DO BNCO CENTRL DO BRSIL Sim F 06 BONUS DO BNCO CENTRL DO BRSIL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM BÔNUS DO BNCO CENTRL DO BRSIL, PRÉ FIXDO, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3ºD RESOLUÇÃO CMN N.º3.244/ Sim F 06 NOTS DO BNCO CENTRL DO BRSIL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM NOTS DO BNCO CENTRL DO BRSIL, PRÉ FIXDO, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3ºD RESOLUÇÃO CMN N.º3.244/ Sim 05 S TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO BNCO CENTRL -POS-FIXDO REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM TÍTULOS DE RESPONSBILIDDE DO BNCO CENTRL PÓS FIXDO, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3ºD RESOLUÇÃO CMN N.º 3.244/24, SUBDIVIDINDO-SE EM BÔNUS E NOTS DO BNCO CENTRL DO BRSIL Sim F 06 NOTS DO BNCO CENTRL DO BRSIL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM NOTS DO BNCO CENTRL DO BRSIL, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3 D RESOLUÇÃO CMN N 3.244/ Sim 05 S FUNDOS DE INVESTIMENTOS REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM FUNDOS DE INVESTIMENTOS, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3 D RESOLUÇÃO CMN N 3.244/24, SUBDIVIDINDO-SE EM FUNDOS DE REND FIX E FUNDO DE CURTO PRZO Sim F 06 FUNDOS DE REND FIX REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM FUNDOS DE REND FIX, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3 D RESOLUÇÃO CMN N 3.244/ Sim F 05 POUPNÇ REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM POUPNÇ, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 3 D RESOLUÇÃO CMN N 3.244/ Sim 04 S INVESTIMENTOS EM SEGMENTO DE REND VRIVEL PRESENTR O SOMTÓRIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM CONFORMIDDE COM O RT. 4º D RESOLUÇÃO CMN N.º 3.244/24, SUBGRUPDOS EM ÇÕES, FUNDO DE ÇÕES E OUTROS INVESTIMENTOS EM RENDS VRIÁVEIS. 19

20 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim F 05 FUNDO DE COES REFERENCIDO REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM FUNDO DE ÇÕES REFERENCIDO, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 4ºD RESOLUÇÃO CMN N.º3.244/ Sim 04 S INVESTIMENTOS EM SEGMENTO DE IMOVEIS PRESENTR O SOMTÓRIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM CONFORMIDDE COM O RT. 5º D RESOLUÇÃO CMN N.º 3.244/24, SUBGRUPDOS EM IMÓVEIS E FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS Sim 05 S IMOVEIS Sim P 06 TERRENOS PRESENTR O SOMTÓRIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM CONFORMIDDE COM O RT. 5º D RESOLUÇÃO CMN N.º 3.244/24, SUBGRUPDOS EM TERRENOS, EDIFICÇÕES DE USO RESIDENCIL, EDIFICÇÕES DE USO COMERCIL E EDIFICÇÕES DE USO PÚBLICO. REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM TERRENOS, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 5º, D RESOLUÇÃO CMN N.º3.244/ Sim P 06 EDIFICCO DE USO RESIDENCIL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM EDIFICÇÕES DE USO RESIDENCIL, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 5º, D RESOLUÇÃO CMN N.º3.244/ Sim P 06 EDIFICCO DE USO COMERCIL REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM EDIFICCO DE USO COMERCIL, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 5 D RESOLUÇÃO CMN N 3.244/ Sim P 06 EDIFICCO DE USO PUBLICO REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM EDIFICCO DE USO PUBLICO, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 5 D RESOLUÇÃO CMN N 3.244/ Sim F 05 FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIRIOS REGISTRR OS INVESTIMENTOS EFETUDOS PELO RPPS EM FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS, OBSERVDO OS LIMITES ESTBELECIDOS PELO RT. 5º, D RESOLUÇÃO CMN N.º3.244/ Sim 04 S TITULOS E VLORES MOBILIRIOS PRESENTR O SOMTÓRIO DOS TÍTULOS E VLORES RECEBIDOS PELO RPPS RELTIVOS À LIQUIDÇÃO DO PSSIVO TURIL PELO ENTE, PR POSTERIOR ENQUDRMENTO À RESOLUÇÃO 3.244/ Sim F 05 TITULOS E VLORES REGISTRR OS TÍTULOS E VLORES RECEBIDOS PELO RPPS RELTIVOS À LIQUIDÇÃO DO PSSIVO TURIL PELO ENTE, PR POSTERIOR ENQUDRMENTO À RESOLUÇÃO 3.244/ Sim F 05 (R) PROVISÃO PR PERDS DE TITULOS E VLORES REGISTRR OS VLORES REFERENTES PROVISÕES CONSTITUÍDS PR COBRIR EVENTUIS PERDS DE TÍTULOS E VLORES RECEBIDOS PELO RPPS, RELTIVOS À LIQUIDÇÃO DO PSSIVO TURIL PELO ENTE, PR POSTERIOR ENQUDRMENTO À RESOLUÇÃO 3.244/24. 20

21 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim 04 S INVESTIMENTOS COM TX DE DMINISTRÇÃO DO RPPS PRESENTR O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS PELO RPPS RELTIVOS ÀS SOBRS D TX DE DMINISTRÇÃO, DESDE QUE LÍQUOT TENH SIDO FIXD EM LEI Sim F 05 INVESTIMENTOS COM TX DE DMINISTRÇÃO DO RPPS REGISTRR OS INVESTIMENTOS RELIZDOS PELO RPPS COM RECURSOS PROVENIENTES D TX DE DMINISTRÇÃO, DESDE QUE LÍQUOT TENH SIDO FIXD EM LEI Sim F 05 (R) PROVISÃO PR PERDS DE INVESTIMENTOS COM TX DE DMINISTRÇÃO DO RPPS REGISTRR OS VLORES RELTIVOS PROVISÕES CONSTITUÍDS PR COBRIR EVENTUIS PERDS DE INVESTIMENTOS RELIZDOS PELO RPPS COM RECURSOS D TX DE DMINISTRÇÃO DECORRENTE DE LÍQUOT FIXD EM LEI Sim 04 S EMPRÉSTIMOS COM RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS RECEBER PRESENTR O SOMTORIO DOS DIREITOS REFERENTES À CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS PELO RPPS, QUNDO NÃO HVI IMPEDIMENTO LEGL Sim P 05 EMPRÉSTIMOS RECEBER REGISTRR OS VLORES RECEBER RELTIVOS EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS PELO RPPS COM RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS, QUNDO NÃO HVI IMPEDIMENTO LEGL Sim P 05 (R) PROVISÃO PR PERDS DE EMPRÉSTIMOS RECEBER REGISTRR OS VLORES RELTIVOS À CONSTITUIÇÃO DE PROVISÃO PR PERDS DE EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS PELO RPPS COM RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS, QUNDO NÃO HVI IMPEDIMENTO LEGL Sim F 04 (R) PROVISÃO PR PERDS EM INVESTIMENTOS REGISTRR OS VLORES RELTIVOS PROVISÕES CONSTITUÍDS PR COBRIR EVENTUIS PERDS DOS INVESTIMENTOS RELIZDOS PELOS RPPS EM CONFORMIDDE COM RESOLUÇÃO CMN 3.244/ Sim 03 S DIVID TIV REGISTR OS DIREITOS RELIZVEIS TE O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE, REFERENTE DIVID TIV Sim P 04 CREDITOS INSCRITOS EM DIVID TIV REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS CREDITOS INSCRITOS EM DIVID TIV SEREM RECEBIDOS TE O FINL DO PROXIMO EXERCICIO Sim P 04 ( R ) PROVISO PR PERDS DE DIVID TIV REGISTR OS VLORES REFERENTES CONSTITUICO DE PROVISO PR PERDS, DE CORDO COM OS CRITERIOS DEFINIDOS NO MNUL DE PROCEDIMENTOS D DI-VID TIV, PORTRI N.564/ Sim 02 S TIVO RELIZVEL LONGO PRZO REGISTR O SOMTORIO DOS VLORES RELIZVEIS NORMLMENTE POS O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE, SUBGRUPDOS EM DEPOSITOS RELIZVEIS LONGO PRZO E CREDITOS RELIZVEIS LONGO PRZO Sim 03 S DEPOSITOS RELIZVEIS LONGO PRZO REGISTR O VLOR DE DEPOSITOS RELIZVEIS POS O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE, REPRESENTDOS POR DEPOSITOS COMPULSORIOS E RECURSOS VINCULDOS. 21

22 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CODIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim 04 S RECURSOS VINCULDOS REGISTR OS VLORES RELTIVOS DEPOSITOS E CUCOES, DEPOSITOS JUDICIIS E OUTROS DEPOSITOS PRESTDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES OU INSTITUICOES EXIGIDS EM VINCULCOES, DE CONTRTOS OU CONVENCOES PR GRNTIS DE OPERCOES ESPECIIS Sim P 05 DEPOSITOS E CUCOES REGISTR OS VLORES RELTIVOS DEPOSITOS E/OU CUCOES, PRESTDOS EM VINCULCOES DE CONTRTOS OU CONVENCOES PR GRNTIS DE OPERCOES ESPECIFICS, RELIZVEIS LONGO PRZO Sim P 05 DEPOSITOS JUDICIIS REGISTR OS VLORES RECEBER, RELIZVEIS POS O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE, DECORRENTES DE DEPOSITOS EFETUDOS POR DETERMINCO D JUSTIC Sim P 05 OUTROS DEPOSITOS REGISTR OS VLORES RELTIVOS OUTROS DEPOSITOS VINCULDOS PR OS QUIS NO EXISTM CONTS ESPECIFICS, QUE TENHM RECUPERCOES EM PRZOS SUPERIORES UM NO, DS DTS DOS BLNCOS Sim 03 S CREDITOS RELIZVEIS LONGO PRZO REGISTR OS CREDITOS D UNIO, ESTDOS, DF E MUNICIPIOS EM RELCO SEUS ES, E OS DEMIS DIREITOS RECEBER REFERENTES EMPRESTIMOS, FINNCIMENTOS, TITULOS E VLORES, COM PRZO DE RELIZCO POSTERIOR DT DO BLNCO DO EXERCICIO SEGUINTE Sim 04 S CREDITOS D UNIO, ESTDOS E MUNICIPIOS REGISTR O VLOR DOS CREDITOS D UNIO, ESTDOS E MUNICIPIOS, RELIZVEIS POS O EXERCICIO SEGUINTE, RELTIVOS DIVID TIV, TITULOS D DIVID GRRI, TITULOS PUBLICOS E OUTROS Sim 05 S DIVID TIV REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS CREDITOS DO MUNICIPIO CONTR TERCEIROS PROVENIENTES DE TRIBUTOS, MULTS E OUTROS CREDITOS D FZEND MUNICIPL LNCDOS POREM NÃO RRECDDOS OU NÃO RECOLHIDOS NO EXERCICIO DE ORIGEM QUE CONSTEM D DIVID TIV PRTIR DT SU INSCRICO S CREDITO EM PROCESSO DE INSCRICO EM DIVID TIV REGISTR OS VLORES RELTIVOS CREDITO EM PROCESSO DE INSCRICO EM DIVID TIV P 07 CREDITOS ENCMINHR PR INSCRICO EM DIVID TIV REGISTR OS VLORES RELTIVOS CREDITOS SEREM ENCMINHDOS PELS UG PR INSCRICO EM DIVID TIV P 07 CREDITOS ENCMINHDOS PR INSCRICO EM DIVID TIV REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS CREDITOS ENCMINHDOS PELS UG, PR INSCRICO EM DIVID TIV Sim 06 S CREDITOS INSCRITOS EM DIVID TIV REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS CREDITOS CONTR TERCEIROS PROVENIENTES DE TRIBUTOS, MULTS E OUTROS CREDITOS LNCDOS NO RRECDDOS OU NO RECOLHIDOS NO EXERCICIO DE ORIGEM QUE CONSTITUIREM EM DIVID TIV. 22

23 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CODIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ P 08 DIVID TIV TRIBUTRI S DIVID TIV NO TRIBUTRI REPRESENT CRÉDITOS DE NTUREZ TRIBUTÁRI EXIGÍVEIS PELO TRNSCURSO DO PRZO DE PGMENTO, INSCRITOS, N FORM D LEGISLÇÃO PRÓPRI, PÓS PURD SU LIQUIDEZ E CERTEZ. REPRESENT CRÉDITOS DE NTUREZ NÃO TRIBUTÁRI EXIGÍVEIS PELO TRNSCURSO DO PRZO DE PGMENTO, INSCRITOS, N FORM D LEGISLÇÃO PRÓPRI, PÓS PURD SU LIQUIDEZ E CERTEZ P 09 INSCRICO DE CERTIDO DE DECISO -TITULO EXECUTIVO DO TCE/TO REPRESENT CRÉDITOS DE NTUREZ NÃO-TRIBUTÁRI EXIGÍVEIS PRTIR DO RECEBIMENTO, PEL ENTIDDE, DE CERTIDÃO DE DECISÃO TÍTULO EXECUTIVO, EMITID PELO TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO COM CRCTERÍSTIC DE LIQUIDEZ E CERTEZ, PODENDO SER, FCULTTIVMENTE INSCRITOS COMO DÍVID TIV NÃO-TRIBUTÁRI Sim P 06 ( R ) PROVISO PR PERDS DE DIVID TIV REGISTR OS VLORES REFERENTES CONSTITUICO DE PROVISO PR PERDS, DE CORDO COM OS CRITERIOS DEFINIDOS NO MNUL DE PROCEDIMENTOS D DIVID TIV, PORTRI N.564/ S EMPRESTIMOS E FINNCIMENTOS REGISTR O VLOR DOS DIREITOS REFERENTES CONCESSO DE EMPRESTIMOS E FINNCIMENTOS COM MORTIZCO LONGO PRZO P 05 EMPRESTIMOS CONCEDIDOS REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS EMPRESTIMOS CONCEDIDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES E INSTITUICOES, POR UTORIZCOES LEGIS OU VINCULCOES CONTRTOS E CORDOS, COM VENCIMENTOS LONGO PRZO S FINNCIMENTOS CONCEDIDOS REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS FINNCIMENTOS CONCEDIDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES E INSTITUICOES MUNICIPIS POR UTORIZCOES LEGIS OU VINCULCOES CONTRTOS E CORDOS, COM RETORNO LONGO PRZO P 08 FINNCIMENTOS HBITCIONIS REPRESENT O VLOR DOS CRÉDITOS DEVIDOS ENTIDDES MUNICIPIS DECORRENTES DE FINNCIMENTOS HBITCIONIS P 05 EMPRESTIMOS E FINNCIMENTOS EM COBRNC JUDICIL REGISTR OS VLORES RELTIVOS OS EMPRESTIMOS E INNCIMENTOS CONCEDIDOS PELO MUNICIPIO, ENTIDDES E INSTITUICOES POR UTORIZCOES LEGIS OU VINCULCOES CONTRTOS E CORDOS, COM RETORNO LONGO PRZO E QUE ESTEJM EM PROCESSO DE COBRNC JUDICIL Sim 04 S CREDITOS RECEBER REGISTR O VLOR DOS CREDITOS RECEBER POR FORNECIMENTOS DE BENS, SERVICOS, LIENCOES E OUTROS CREDITOS RECEBER RELIZVEIS POS O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE F 05 DINTMENTOS CONCEDIDOS REGISTR O VLOR DO NUMERRIO COLOCDO DISPOSICO DO BENEFICIRIO FIM DE DR-LHE CONDICOES DE RELIZR DESPESS QUE, POR SU NTUREZ OU URGENCI, NO POSSM GURDR O PROCESSMENTO NORML 23

24 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ Sim 05 S CREDITOS DIVERSOS RECEBER REGISTR OS VLORES RELTIVOS CREDITOS DIVERSOS RECEBER LONGO PRZO, GERLMENTE NO ORIGINRIOS DO OBJETO PRINCIPL DS INSTITUICOES PR OS QUIS NO SE CRIOU CONTS ESPECIFICS NESTE PLNO DE CONTS P 06 CREDITOS FINNCIDOS COM SERVIDOR / EX-SERVIDOR DESTIND OS REGISTROS DOS VLORES ORIUNDOS DE CREDITOS FINNCEIROS RECEBER DOS SERVIDORES E EX-SERVIDORES, POS O TERMINO DO EXERCICIO SEGUINTE Sim P 06 TITULOS RECEBER DESTIND OS REGISTROS DOS VLORES ORIUNDOS DE TITULOS RECEBER Sim P 06 CREDITOS POR LIENCO REGISTR OS VLORES DOS CREDITOS RECEBER DECORRENTES D LIENCO DE BENS MOVEIS OU IMOVEIS, COM PRZO SUPERIOR DOZE MESES Sim 06 S OUTROS CREDITOS RECEBER REGISTR OS VLORES RELTIVOS OUTROS CREDITOS RECEBER LONGO PRZO, GERLMENTE NO ORIGINRIOS DO OBJETO PRINCIPL DS INSTITUICOES PR OS QUIS NO SE CRIOU CONTS ESPECIFICS NESTE PLNO DE CONTS P 08 INSCRICO DE CERTIDO DE DECISO -TITULO EXECUTIVO DO TCE/TO REPRESENT CRÉDITOS DE NTUREZ NÃO-TRIBUTÁRI EXIGÍVEIS PRTIR DO RECEBIMENTO, PEL ENTIDDE, DE CERTIDÃO DE DECISÃO TÍTULO EXECUTIVO, EMITID PELO TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO COM CRCTERÍSTIC DE LIQUIDEZ E CERTEZ, PODENDO SER, FCULTTIVMENTE INSCRITOS COMO DÍVID TIV NÃO-TRIBUTÁRI Sim 04 S TITULOS E VLORES REGISTR O VLOR DS COES REFERENTES INVESTIMENTOS TEMPORRIOS, DOS DIREITOS SOBRE CONCESSOES E DE OUTROS TITULOS E VLORES EVENTUIS RELIZVEIS LONGO PRZO Sim P 05 DIREITOS SOBRE CONCESSOES REGISTR OS VLORES PERTINENTES OS RENDIMENTOS OBTIDOS E TITULRIDDE DS CONCESSOES DE DIREITO DE USO OU DE EXPLORCO DE BENS DO MUNICIPIO E SUS ENTIDDES, POR TERCEIROS OU POR OUTRS INSTITUICOES GOVERNMENTIS, LONGO PRZO Sim P 05 OUTROS TITULOS E VLORES REGISTR OUTROS TITULOS E VLORES, RELIZVEIS LONGO PRZO RELTIVOS S TRNSCOES EVENTUIS, PR S QUIS NO SE CRIRM CONTS ESPECIFICS NESTE PLNO DE CONTS S INVESTIMENTOS REPRESENT OS VLORES PLICDOS PELO MUNICIPIO DESTINDOS COBERTUR DS SUS OBRIGCOES S INVESTIMENTOS COM RECURSOS NO VINCULDOS REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS PELO MUNICIPIO COM RECURSOS NO-VINCULDOS. O RPPS, CONFORME RT. 3 D RESOLUCO CMN N 2652/ S TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO GOVERNO FEDERL REGISTRR OS VLORES PLICDOS EM TÍTULOS E VLORES DE RESPONSBILIDDE DO GOVERNO FEDERL. 24

25 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CÓDIGO D CONT RPPS SIS NIV S NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ P 06 BONUS DO TESOURO NCIONL REGISTRR OS VLORES PLICDOS EM BTN P 06 NOTS DO TESOURO NCIONL REGISTRR OS VLORES PLICDOS EM NTN P 06 LETRS FINNCEIRS DO TESOURO REGISTR OS VLORES PLICDOS EM LETRS FINNCEIRS DO TESOURO P 06 COTS E OFND P 06 TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO BNCO CENTRL REGISTR OS VLORES PLICDOS EM COTS E OBRIGCOES DO FUNDO NCIONL DE DESENVOLVIMENTO. REGISTR OS VLORES PLICDOS EM TITULOS DO BCEN, NO VINCULDOS O REGIME PROPRIO OU ORIUNDOS DO MESMO, SENDO NESTE CSO INLIENVEIS, COM PRZO MINIMO DE 15 NOS, DMITINDO-SE RESGTE RZO DE 1/15 POR NO S FUNDOS DE INVESTIMENTOS DE REND FIX REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS EM FUNDOS DE INVESTIMENTOS CLSSIFICDOS N CTEGORI DE REND FIX P 06 FUNDOS DE INVESTIMENTOS FINNCEIROS REGISTR OS VLORES PLICDOS EM FUNDOS DE INVESTIMENTOS FINNCEIROS DE REND FIX P 06 FUNDOS DE PLICCOES EM COTS DE REND FIX REGISTR OS VLORES PLICDOS EM FUNDOS DE PLICCOES EM COTS -REND FIX S FUNDOS DE INVESTIMENTOS DE REND VRIVEL REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS EM FUNDOS DE INVESTIMENTOS CLSSIFICDOS N CTEGORI DE REND VRIVEL P 06 FUNDOS DE COES REGISTR OS VLORES PLICDOS EM FUNDOS DE COES P 06 FUNDOS DE PLICCOES EM COTS - REND VRIVEL REGISTR OS VLORES PLICDOS EM FUNDOS DE PLICCOES EM COTS -REND VRIVEL S INVESTIMENTOS COM RECURSOS VINCULDOS REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS COM RECURSOS VINCULDOS S TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO GOVERNO FEDERL REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS EM TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO GOVERNO FEDERL P 06 BONUS DO TESOURO NCIONL REGISTR OS VLORES PLICDOS EM BTN P 06 NOTS DO TESOURO NCIONL REGISTR OS VLORES PLICDOS EM NTN P 06 LETRS FINNCEIRS DO TESOURO REGISTR OS VLORES PLICDOS EM LETRS FINNCEIRS DO TESOURO. 25

26 ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC CODIGO D CONT RPPS SIS NIV S/ NOME D CONT FUNÇÃO D CONT NTUREZ P 06 COTS E OFND REGISTR OS VLORES PLICDOS EM COTS E OBRIGCOES DO FUNDO NCIONL DE DESENVOLVIMENTO P 06 TITULOS DE RESPONSBILIDDE DO BNCO CENTRL REGISTR OS VLORES PLICDOS EM TITULOS DO BCEN, NO VINCULDOS O REGIME PROPRIO OU ORIUNDOS DO MESMO, SENDO NESTE CSO INLIENVEIS, COM PRZO MINIMO DE 15 NOS, DMITINDO-SE RESGTE RZO DE 1/15 POR NO S TITULOS DE EMISSO DE INSTITUICOES FINNCEIRS FEDERIS P 06 TITULOS E VLORES REPRESENT OS VLORES PLICDOS EM TITULOS DE EMISSO DE INSTITUICOES FINNCEIRS FEDERIS. REGISTR OS VLORES PLICDOS EM TITULOS DE EMISSO DE INSTITUICOES FINNCEIRS FEDERIS S TITULOS DE EMISSO DE SUBSIDIRIS DE INSTITUICOES FINNCEIRS FEDERIS REPRESENT OS VLORES PLICDOS EM TITULOS DE EMISSO DE SUBSIDIRIS DE INSTITUICOES FINNCEIRS FEDERIS P 06 TITULOS E VLORES S INVESTIMENTOS IMOBILIRIOS REGISTR OS VLORES VINCULDOS O RPPS PLICDOS EM TITULOS DE EMISSO DE SUBSIDIRIS DE INSTITUICOES FINNCEIRS FEDERIS. REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS EM INVESTIMENTOS IMOBILIRIOS S IMOVEIS REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS EM IMOVEIS P P P P 07 EDIFICCOES REGISTR OS INVESTIMENTOS EM EDIFICCOES. TERRENOS REGISTR OS INVESTIMENTOS EM TERRENOS. SLS E ESCRITORIOS REGISTR OS INVESTIMENTOS EM SLS E ESCRITORIOS. OUTROS BENS IMOVEIS REGISTR OS INVESTIMENTOS EM OUTROS BENS IMOVEIS S COES E COTS DE SOCIEDDES REPRESENT O SOMTORIO DOS VLORES PLICDOS EM COES E COTS DE SOCIEDDES P 06 COES REGISTR S PLICCOES EM COES P 06 COTS DE SOCIEDDES REGISTR S PLICCOES EM COTS DE SOCIEDDES S INVESTIMENTOS EM OUTROS TITULOS REPRESENT O SOMTORIO DOS INVESTIMENTOS EFETUDOS EM TIVOS FINNCEIROS E MODLIDDES OPERCIONIS QUE NO OS PREVISTOS NS CONTS CIM. 26

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Hbilitção Profissionl: Técnic de nível médio de Auxilir de Contbilidde

Leia mais

ELENCO DE CONTAS DE DESPESAS 2014

ELENCO DE CONTAS DE DESPESAS 2014 TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO DO PRNÁ nexo IV da Instrução Técnica nº 20/2003 - de Contas da Despesa SIM-M/2014 C Ó D I G O TÍTULO Nível S/ ESPECIFICÇÃO Versão 3 0 00 00 00 00 DESPESS CORRENTES S Classificam-se

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

PLANO DE CONTAS PARA O EXERCÍCIO DE 2007 ENTIDADES MUNICIPAIS DO ESTADO DE RONDÔNIA III RELAÇAO E FUNÇÃO DAS CONTAS

PLANO DE CONTAS PARA O EXERCÍCIO DE 2007 ENTIDADES MUNICIPAIS DO ESTADO DE RONDÔNIA III RELAÇAO E FUNÇÃO DAS CONTAS PLANO DE CONTAS PARA O EXERCÍCIO DE 2007 ENTIDADES MUNICIPAIS DO ESTADO DE RONDÔNIA S U M A R I O _ I - INTRODUÇÃO II - ESTRUTURA III RELAÇAO E FUNÇÃO DAS CONTAS PLANO DE CONTAS PARA O EXERCÍCIO DE 2007

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS 1 SUMÁRIO I. Administrção Públic... II. Atos Administrtivos... III. Poder de Políci... IV. Serviço Público... V. Responsbilidde Civil do Estdo... VI. Controle d Administrção Públic... 02 09 21 23 25 27

Leia mais

Indústrias Romi S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012

Indústrias Romi S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 Reltório dos uditores independentes sobre s demonstrções finnceirs 31 de dezembro de 2012 Reltório dos uditores independentes sobre s demonstrções finnceirs individuis e consolidds Aos Administrdores e

Leia mais

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS:

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: PAINT 24 - I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: 1.1 - Auditoris de Conformidde Uniddes Orig d dnd: Intern com bse nos resultdos d Mtriz de Risco elbord pel Auditori Intern Nº UNIDADE OBJETIVOS ESCOPO

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

PREÇÁRIO Informação de Produtos e Serviços Aviso nº 1/95 do Banco de Portugal

PREÇÁRIO Informação de Produtos e Serviços Aviso nº 1/95 do Banco de Portugal 01-08-09 / Pág. 1/12 CRÉDITO PESSOAL CRÉDITO NO PONTO DE VENDA - PARTICULARES Crédito Lr Txs Representtivs Tx Preferencil Tx Nominl Nominl 7,500% 29,500% 18,3% CRÉDITO NO PONTO DE VENDA - EMPRESAS Crédito

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

CONSULTE A LISTA DE CONVÊNIOS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO

CONSULTE A LISTA DE CONVÊNIOS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO CONSULTE A LISTA DE CONVÊNIOS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO Fundção d UFPR (Desenvolvimento d Ciênci, tecnologi e d cultur) - FUNPAR Fundo Previdenciário do Município de Pulist Governo do Estdo d Príb Governo

Leia mais

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO)

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) GESTÃO DE EMPRESAS CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) Exercícios Amortizção de Empréstimos EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Exercício 1 Um empréstimo vi ser reembolsdo trvés de reembolsos nuis, constntes

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SENAR 2017

CONTRIBUIÇÃO SENAR 2017 CONTRIBUIÇÃO SENAR 2017 26 Com o pgmento d contribuição SENAR 2017, o Serviço de Aprendizgem Rurl (SENAR) obtém recursos pr desenvolver ções de Formção Profissionl Rurl FPR e de Promoção Socil PS, por

Leia mais

Código 1.1.1.1.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores das disponibilidades do RPPS em moeda nacional.

Código 1.1.1.1.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores das disponibilidades do RPPS em moeda nacional. $1(;2,,6(*81'2$370361ž$78$/,=$'$3(/$637036H370361ž )81d 2()81&,21$0(172'$6&217$6 Código 1.0.0.0.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores dos bens e direitos do RPPS, subagrupados

Leia mais

SATAPOCAL - FICHA DE APOIO TÉCNICO Nº 1/2008/RC

SATAPOCAL - FICHA DE APOIO TÉCNICO Nº 1/2008/RC 1. QUESTÃO E SUA RESOLUÇÃO 1.1. QUESTÃO COLOCADA Quis os registos contbilísticos relizr pel Associção de Municípios que resultm d cobrnç d tx de gestão de resíduos e consequente entreg junto d Autoridde

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos http://www.plnlto.gov.br/ccivil_03/eis/cp/cp139.htm Pge 1 sur 22 Presidênci d Repúblic Cs Civil Subchefi pr Assuntos Jurídicos EI COMPEMENTAR Nº139, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011 Mensgem de veto Vigênci Alter

Leia mais

6. TÍTULOS EM ESPÉCIE E CONTRATOS EMPRESARIAIS 6.1 NOTA PROMISSÓRIA DEC. 57.663/66 6.1.1 CARACTERÍSTICAS NOTA PROMISSÓRIA NOTA PROMISSÓRIA CONCEITO

6. TÍTULOS EM ESPÉCIE E CONTRATOS EMPRESARIAIS 6.1 NOTA PROMISSÓRIA DEC. 57.663/66 6.1.1 CARACTERÍSTICAS NOTA PROMISSÓRIA NOTA PROMISSÓRIA CONCEITO 6. TÍTULOS EM ESPÉCIE E CONTRTOS EMPRESRIIS 6.1 NOT PROMISSÓRI DEC. 57.663/66 Profª Msc Margô Trindade Sartori margosartori@gmail.com Profª Msc Margô Trindade Sartori margosartori@gmail.com NOT PROMISSÓRI

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPITULO I VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA FINS INDUSTRIAIS ARTIGO l. A lienção, trvés de vend, reliz-se por negocição direct com os concorrentes sendo o preço d vend fixo, por metro qudrdo, pr um ou mis

Leia mais

Balancete Mensal Data : Dezembro/2013

Balancete Mensal Data : Dezembro/2013 Pagina 1 de 6 VOTORNTIM ET MNGEMENT DTVM LTD. aldo 30/11/2013 I Débito mês Crédito mês aldo 31/12/2013 I 1 1.1 1.1.2 1.1.2.10 1.1.2.10.00 1.1.2.10.00.001 CIRCULNTE E RELIZÁVEL LONGO PRZO DIPONIBILIDDE

Leia mais

Conheça a sua fatura da água!

Conheça a sua fatura da água! Conheç su ftur d águ! Jneiro de 20 FATURA/RECIBO N.º: 27 VALOR 8,7 Euros Município de Reguengos de Monsrz Titulr / Locl Mord ou sítio de leitur/do contdor Loclidde d mord de leitur NIF: Áre NIPC 07 040

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Sntn de Prníb Áre de Conhecimento: : Proteção e Prevenção Componente Curriculr: LNR Legislção e Norms Regulmentodors

Leia mais

7.4 Coluna Categoria... 22. 7.6 Coluna Valor... 22 7.7 Coluna Vinculação ao Objeto/Justificativa. Financeiro

7.4 Coluna Categoria... 22. 7.6 Coluna Valor... 22 7.7 Coluna Vinculação ao Objeto/Justificativa. Financeiro SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO DA ESTRATÉGIA GOVERNAMENTAL NÚCLEO CENTRAL DE PARCERIAS COM ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL Índice DE INTERESSE PÚBLICO Introdução...

Leia mais

4.1. Modalidades de Pagamento 4.2. Pagamento do Incentivo relativo às Operações de Locação Financeira 4.3. Garantias Bancárias

4.1. Modalidades de Pagamento 4.2. Pagamento do Incentivo relativo às Operações de Locação Financeira 4.3. Garantias Bancárias UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturis SIME Gui do Beneficiário (Portri n.º 262/2004, de 11 de Mrço) - Introdução 1. Notificção e Contrtção dos Incentivos. 1.1. Notificção 1.2. Contrtção 1.3. Elementos Adicionis,

Leia mais

ELENCO DE CONTAS DE DESPESAS 2015

ELENCO DE CONTAS DE DESPESAS 2015 TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO DO PRNÁ nexo IV da Instrução Técnica nº 20/2003 - de Contas da Despesa SIM-M/2014 ELENCO DE CONTS DE DESPESS 2015 C Ó D I G O TÍTULO Nível S/ ESPECIFICÇÃO Versão 3 0 00 00 00

Leia mais

USEBENS SEGUROS S.A. CNPJ nº 09.180.505/0001-50

USEBENS SEGUROS S.A. CNPJ nº 09.180.505/0001-50 398 São Pulo, 125 (38) Diário Oficil Empresril sext-feir, 27 de fevereiro de 2015 Submetemos à precição de V. Ss. s Demonstrções Contábeis d, reltivos o exercício findo em 31 de dezembro de, elbords n

Leia mais

DC3 - Tratamento Contabilístico dos Contratos de Construção (1) Directriz Contabilística n.º 3

DC3 - Tratamento Contabilístico dos Contratos de Construção (1) Directriz Contabilística n.º 3 Mnul do Revisor Oficil de Conts DC3 - Trtmento Contbilístico dos Contrtos de Construção (1) Directriz Contbilístic n.º 3 Dezembro de 1991 1. Est directriz plic-se os contrtos de construção que stisfçm

Leia mais

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Pulo/SP PNRS E O WASTE-TO-ENERGY Definições do Artigo 3º - A nov ordenção básic dos processos Ordem de prioriddes do Artigo 9º

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012 P.J.U.- TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO 1 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012 Regido pel Lei nº 10.520/2002, Lei Complementr

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Trimestrais ITR em 30 de junho de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais

Abril Educação S.A. Informações Trimestrais ITR em 30 de junho de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais Abril Educção S.A. Informções Trimestris ITR em 30 de junho de 2013 e reltório sobre revisão de informções trimestris ABRIL EDUCAÇÃO S.A. INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR em 30 de junho de 2013 e Reltório

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de ANEXO II EDITAL Nº 04/2014 2 º PRORROGAÇÃO PARA VAGAS REMANESCENTES QUADRO DE VAGAS REMANESCENTES PARA O PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSORES PESQUISADORES FORMADORES ÁREA DA PESQUISA EMENTA EIXO

Leia mais

I - APRESENTAÇÃO. Prof. Dr. Ricardo Oliveira Lacerda de Melo Presidente do Conselho de Administração

I - APRESENTAÇÃO. Prof. Dr. Ricardo Oliveira Lacerda de Melo Presidente do Conselho de Administração 5 I - APRESENTAÇÃO Com mis um reltório nul, o décimo terceiro desde su crição, FAPESE present de form quntittiv e qulittiv um retrospectiv d su tução no no de 2006, ind n gestão do Prof. Dr. José Roberto

Leia mais

Sindicatos. Indicadores sociais 2001

Sindicatos. Indicadores sociais 2001 Ministério do Plnejmento, Orçmento e Gestão Instituto Brsileiro de Geogrfi e Esttístic - IBGE Diretori de Pesquiss Deprtmento de Populção e Indicdores Sociis Sindictos Indicdores sociis 2001 Rio de Jneiro

Leia mais

Na composiçãodasoperaçõesdecrédito, acarteiracomercialéamaisrepresentativa, detendoumaparticipaçãode79%.

Na composiçãodasoperaçõesdecrédito, acarteiracomercialéamaisrepresentativa, detendoumaparticipaçãode79%. Bnco do Estdo de Sergipe S/A Ru Olímpio de Souz Cmpos Júnior, 31 Birro Inácio Brbos CEP 49040840 Arcju Sergipe Bnese, um ptrimônio de todos os sergipnos Mensgem d President Há mis de meio século, o Bnese

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 018/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

A Participação dos Municípios na Arrecadação do ICMS

A Participação dos Municípios na Arrecadação do ICMS A Prticipção dos Municípios n Arrecdção do ICMS INFORMAÇÕES PARA A CONTABILIDADE FEVEREIRO / 2013 Escol Fzendári do Estdo de São Pulo - Fzesp GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO DISCIPLINA: (12º Ano Turm M) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Teres Sous Docente Teres Bstos Ano Letivo 2015/2016 Competêncis

Leia mais

Autoriza o Poder Executivo Municipal a aderir ao programa BADESC CIDADES II e tomar empréstimo juttto ao BADESC - Agência de Fomento de santa

Autoriza o Poder Executivo Municipal a aderir ao programa BADESC CIDADES II e tomar empréstimo juttto ao BADESC - Agência de Fomento de santa PREFEITURA MUN ICI PAL DE T,IONDAI LEI N".3.512, DE l1 DE JUNHO DE 2013. Autoriz o Poder Executivo Municipl derir o progrm BADESC CIDADES II e tomr empréstimo juttto o BADESC - Agênci de Fomento de snt

Leia mais

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação Mnul de Internção ÍNDICE CARO CREDENCIADO, LEIA COM ATENÇÃO.... 3 FATURAMENTO... 3 PROBLEMAS DE CADASTRO... 3 PENDÊNCIA DO ATENDIMENTO... 3 ACESSANDO O MEDLINK WEB... 4 ADMINISTRAÇÃO DE USUÁRIOS... 5 CRIANDO

Leia mais

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos.

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos. Acoplmento É o gru de dependênci entre dois módulos. Objetivo: minimizr o coplmento grndes sistems devem ser segmentdos em módulos simples A qulidde do projeto será vlid pelo gru de modulrizção do sistem.

Leia mais

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG 1 - DADOS DO PROPONENTE 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F 1.9- Telefone 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P

Leia mais

PAULA et al. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 2. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 3

PAULA et al. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 2. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 3 PAULA et l. 133 ANÁLISE COMPARATIVA DA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DOS SEGMENTOS DE CALÇADOS E ALIMENTOS DIVERSOS Amnd de Pul 1 Myr Nkok 2 Adlberto Rmon Vlderrm Gerbsi 3 Isbel Cristin Gozer 4 PAULA,

Leia mais

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA APRESENTAÇÃO A Diretori Executiv present o Reltório Anul de Informções do Fundo de Pensão Multiptrocindo d OAB-PR e d CAA/PR reltivo o exercício de 2013, consolidndo s principis informções do Plno de Benefícios

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA 1 - Ddos do Proponente 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL 1 N O T A T É C N I C A N º. 0 0 3 / 2 0 0 7 Análise ds demnds identificds ns udiêncis públics do Plnejmento Estrtégico. Construção de plnejmento. 1 JUSTIFICATIVA Após relizção de seis udiêncis públics

Leia mais

5 Análise do Balanço Patrimonial

5 Análise do Balanço Patrimonial 5 Análise do Balanço Patrimonial Essa análise tem por finalidade confrontar os dados e valores que constituem o Balanço Patrimonial correspondente ao exercício de 2002, com os do mesmo período de 2001,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 083/2003, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003.

LEI COMPLEMENTAR Nº 083/2003, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. LEI COMPLEMENTAR Nº 083/2003, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. INSTITUI A TAXA DE SERVIÇO DE LIMPEZA URBANA, COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE TANGARÁ DA SERRA-MT E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

CURSO DE GESTÃO E AMPLIAÇÃO DE RECEITAS

CURSO DE GESTÃO E AMPLIAÇÃO DE RECEITAS F c g s e d d l u Integrd s I p i t Apoio n PROMOÇÃO: 4 (qutro) inscrições pgs drá direito um 5ª (quint) GRÁTIS CURSO DE GESTÃO E AMPLIAÇÃO DE RECEITAS COMO ARRECADAR, CONTABILIZAR E CONTROLAR AS RECEITAS

Leia mais

SCHIMITT AUDITORES S/S. Previdenciárias e Trabalhistas

SCHIMITT AUDITORES S/S. Previdenciárias e Trabalhistas Volume 8, edição 8 Julho 2015 SCHIMITT AUDITORES S/S Boletim Informtivo Interesses especiis: Atulizções Tributáris; Atulizções Contábeis; Atulizções Trblhists. Novs Obrigções Acessóris SPED ECF - Escriturção

Leia mais

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS - (IMT) DECLARAÇÃO PARA LIQUIDAÇÃO OFICIOSA Modelo 1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS - (IMT) DECLARAÇÃO PARA LIQUIDAÇÃO OFICIOSA Modelo 1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS - (IMT) DECLARAÇÃO PARA LIQUIDAÇÃO OFICIOSA Modelo 1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DECLARAÇÃO MODELO 1 Est declrção destin-se solicitr liquidção

Leia mais

COMUNICADO MODIFICAÇÕES NO PLANO DE CONTAS SIGAP

COMUNICADO MODIFICAÇÕES NO PLANO DE CONTAS SIGAP Porto Velho, Março 2007. COMUNICADO MODIFICAÇÕES NO PLANO DE CONTAS SIGAP Com o objetivo de manter a uniformização do Plano de Contas dos órgãos e entidades municipais, o qual é parte integrante do Sistema

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 004/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas publica:

Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas publica: Prefeitura Municipal de 1 Segunda-feira no VI Nº 1388 Prefeitura Municipal de publica: Lei N. º 612, de 27 de dezembro de 2011 - Estima a receita e fixa a despesa do Município de, para o exercício financeiro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

L E I Nº 6.969, DE 9 DE MAIO DE 2007

L E I Nº 6.969, DE 9 DE MAIO DE 2007 L E I Nº 6.969, DE 9 DE MIO DE 2007 Institui o Plno de rreirs, rgos e Remunerção dos Servidores do Poder Judiciário do Estdo do Prá e dá outrs providêncis. seguinte Lei: SSEMLÉI LEGISLTIV DO ESTDO DO PRÁ

Leia mais

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600 1 - INTRODUÇÃO Ests instruções têm por objetivo fornecer s orientções pr utilizção do critério pr cálculo d demnd de edifícios residenciis de uso coletivo O referido critério é plicável os órgãos d COPEL

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CXLV 243 Brsíli - DF, segund-feir, 15 de dezembro de 2008. Sumário PÁGINA Atos do Poder Judiciário... 1 Atos do Poder Executivo... 1 Presidênci d Repúblic... 104 Ministério d Agricultur,

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA: 022 - Progrm Súde d Fmíli 1. Problem: Alto índice de pcientes que visitm unidde Mist de Súde pr trtr de problems que poderim ser resolvidos com visit do médico em su cs.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Pge 1 of 59 Presidênci d Repúblic Cs Civil Subchefi pr Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 (Republicção em tendimento o disposto no rt. 5º d Lei Complementr nº 139, de

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira Coorden http://www.etecermelind.com.br/etec/sis/ptd_tec_6.php 1 de 5 18/09/2015 12:45 Unidde de Ensino Médio e Técnico Cetec Ensino Técnico Integrdo o Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plno de Trblho Docente

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A EMITIR PARECER AO

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A EMITIR PARECER AO COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A EMITIR PARECER AO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N 25, DE 2007 PARECER AO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N 25, DE 2007 (APENSOS OS PROJETOS DE LEI COMPLEMENTAR N 379/08, 415/08,

Leia mais

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período.

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período. VISO PÚBLICO Nº 04/UNOESC-R/2015 O Reitor d Universidde do Oeste de Snt Ctrin Unoesc, Unoesc Virtul, entidde educcionl, crid pel Lei Municipl nº 545/68 e estruturd de direito privdo, sem fins lucrtivos,

Leia mais

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Nossos prceiros Pel trnsprênci e qulidde d plicção dos recursos públicos Ilh Solteir, 17 de jneiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Ao Exmo. Sr. Alberto dos Sntos Júnior Presidente d Câmr Municipl de Ilh

Leia mais

LEI Nº 5.580. Institui o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público Estadual do Espírito Santo O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

LEI Nº 5.580. Institui o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público Estadual do Espírito Santo O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº 5.580 Institui o Plno de Crreir e Vencimentos do Mgistério Público Estdul do Espírito Snto O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Fço sber que Assembléi Legisltiv decretou e eu snciono seguinte

Leia mais

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC.

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC. 1 ANEXO III - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 MODELOS E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SÃO AS EXTRAÍDAS DOS LIVROS, REGISTROS E

Leia mais

DEMONSTRATIVO DAS LICITAÇÕES HOMOLOGADAS NO MÊS DE FEVEREIRO/2014

DEMONSTRATIVO DAS LICITAÇÕES HOMOLOGADAS NO MÊS DE FEVEREIRO/2014 ESTDO D BHI PREFEITUR MUNICIPL DE QUIJINGUE PODER EXECUTIVO MUNICIPL COMISSÃO DE LICITÇÃO DEMONSTRTIVO DS LICITÇÕES HOMOLOGDS NO MÊS DE FEVEREIRO/2014 Órgão/Entidade: PREFEITUR MUNICIPL DE QUIJINGUE Exercício:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plno de Trblho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Hbilitção Profissionl:Técnic de Nível Médio de TÉCNICO EM CONTABILIDADE

Leia mais

Segurança para quem você ama. Cartilha Explicativa

Segurança para quem você ama. Cartilha Explicativa Segurnç pr quem você m. Crtilh Explictiv Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

Cartilha Explicativa

Cartilha Explicativa Crtilh Explictiv Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno e flexível. O Fmíli Previdênci

Leia mais

LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA

LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA RESOLUÇÃO Nº 2/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre

Leia mais

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do Reltório de tividdes Abril / 2011 Jneiro / 2014 A d UFG/CAC está vinculd à direção do Câmpus e, posteriormente, o Setor de Convênios e Contrtos do Gbinete d Reitori. Tem como função intermedir s relções

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CXLVII 6 Brsíli - DF, qurt-feir, 27 de outubro de. Sumário PÁGINA Atos do Poder Legisltivo... 1 Atos do Congresso Ncionl... 2 Atos do Poder Executivo... 2 Presidênci d Repúblic... 3

Leia mais

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ PÁGINA: 1 BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO - 2005 ANEXO 14 ATIVO ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL 450.323.096,72 CAIXA 47.294,31 BANCOS CONTA MOVIMENTO 210.194.091,20

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL 1. DO PROGRAMA 1.1. O PSG destin-se pessos de bix rend cuj rend fmilir mensl per cpit não ultrpsse 2 slários mínimos federis,

Leia mais

DECRETO Nº 27631. de 22 de abril de 2010.

DECRETO Nº 27631. de 22 de abril de 2010. DECRETO Nº 27631 de 22 de bril de 2010. Regulment Períci Médic e Ocupcionl dos servidores municipis d Prefeitur de Gurulhos. SEBASTIÃO DE ALMEIDA, PREFEITO DA CIDADE DE GUARULHOS, no uso de sus tribuições

Leia mais

2.012 MW. 2,934 milhões. 24.923 GWh DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. R$ 342 milhões. R$ 6,3 bilhões. R$ 1,3 bilhão. R$ 370 milhões.

2.012 MW. 2,934 milhões. 24.923 GWh DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. R$ 342 milhões. R$ 6,3 bilhões. R$ 1,3 bilhão. R$ 370 milhões. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2012 2,934 milhões de clientes tendidos 2.012 MW de cpcidde instld de gerção 24.923 GWh de energi distribuíd R$ 6,3 bilhões de receit opercionl líquid* * Não consider Receit de

Leia mais

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80)

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80) MSc. Pulo Cesr C. Rodrigues pulo.rodrigues@usc.br www.pulorodrigues.pro.br Mestre em Engenhri de Produção MRP Mteril Required Plnning (nos 60) Mnufcturing Resource Plnning (nos 80) MRP = Mteril Requirement

Leia mais

Codigo Nivel Contabil TP Descricao UG Fonte Banco Agencia Conta Corrente

Codigo Nivel Contabil TP Descricao UG Fonte Banco Agencia Conta Corrente Estado do Parana Relacao Cadastral do Plano de Contas Folha: 1 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00.00.00 S ATIVO 2 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00.00.00 S ATIVO CIRCULANTE 3 1.1.1.0.0.00.00.00.00.00.00.00 S CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

EDITAL 001/2013 - EADUnC

EDITAL 001/2013 - EADUnC EDITAL 001/2013 - EADUnC O Reitor d Universidde do Contestdo-UnC, de cordo com o disposto no Regimento, fz sber, trvés do presente Editl, que estrão berts inscrições e mtriculs pr ingresso nos Cursos de

Leia mais

GUIA PRÁTICO ABONO DE FAMILIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

GUIA PRÁTICO ABONO DE FAMILIA PARA CRIANÇAS E JOVENS Mnul de GUIA PRÁTICO ABONO DE FAMILIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Deprtmento/Gbinete Pág. 1/26 FICHA TÉCNICA TÍTULO Gui Prático Abono de fmíli pr crinçs e jovens

Leia mais

Factoring uma proposta de tratamento contabilístico na óptica da empresa aderente

Factoring uma proposta de tratamento contabilístico na óptica da empresa aderente Fctoring um propost de trtmento contbilístico n óptic d empres derente MIGUEL GONÇALVES* O fctoring pode interpretr-se como um sistem perfeiçodo de cobrnçs. Vulgr n gestão de tesourri ds empress, present-se

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

O Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Tocantins, no exercício de suas atribuições legais e regimentais;

O Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Tocantins, no exercício de suas atribuições legais e regimentais; PROVIMENTO Nº. 01/2009 - CGJUS-TO Regulment os procedimentos reltivos à quisição, repsse e uso do Selo de Fisclizção dos Serviços Extrjudiciis e disciplin o ressrcimento os registrdores civis ds pessos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ILUMINAÇÃO TÉCNICA FÁBRICAS DE CULTURA

TERMO DE REFERÊNCIA ILUMINAÇÃO TÉCNICA FÁBRICAS DE CULTURA TERMO DE REFERÊNCIA ILUMINAÇÃO TÉCNICA FÁBRICAS DE CULTURA CAPÃO REDONDO Ru Lubvitch, 64 01123010 Bom Retiro São Pulo SP Tel/Fx: 11 3361 4976 www.poiesis.org.br TRIluminção Técnic ArenCPR ÍNDICE DO TERMO

Leia mais

ESTATÍSTICA APLICADA. 1 Introdução à Estatística. 1.1 Definição

ESTATÍSTICA APLICADA. 1 Introdução à Estatística. 1.1 Definição ESTATÍSTICA APLICADA 1 Introdução à Esttístic 1.1 Definição Esttístic é um áre do conhecimento que trduz ftos prtir de nálise de ddos numéricos. Surgiu d necessidde de mnipulr os ddos coletdos, com o objetivo

Leia mais

BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Créditos Orçamentários e Suplementares

<ESFERA DE GOVERNO> BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL <PERÍODO DE REFERÊNCIA> Créditos Orçamentários e Suplementares $1(;2,,,6(*81'2$370361ž$78$/,=$'$3(/$370361žH370361ž 02'(/26(,16758d (6'(35((1&+,0(172'$6'(021675$d (6&217È%(,6 Os Regimes Próprios de Previdência Social deverão elaborar, anualmente, as seguintes Demonstrações

Leia mais

TABELA I DOS PROCESSOS EM GERAL

TABELA I DOS PROCESSOS EM GERAL TABELA I DOS PROCESSOS EM GERAL I Ds Cuss em Gerl, inclusive Execução e Reconvenção; ds A ções Cutelres; Embrgos à Execução; dos Mnddos de Segurnç com Vlor Estimável; d Arremtção, Adjudicção e Remissão;

Leia mais

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015 Editl de Processo Seletivo Nº 21/2015 O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO PIAUÍ, SENAC-PI, no uso de sus tribuições regimentis, torn público que estão berts

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretri de Acompnhmento Econômico Precer n o 06093/2010/RJ COGAP/SEAE/MF Em 10 de fevereiro de 2010. Referênci: Processo n.º 18101.000028/2010-54. Assunto: Distribuição Grtuit de

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA MÓDULO CHÁ. Versão 1.1

CÓDIGO DE CONDUTA MÓDULO CHÁ. Versão 1.1 CÓDIO DE CONDUTA MÓDULO CHÁ Versão 1.1 Cópis e trduções deste documento estão disponíveis em formto eletrônico no site d UTZ Certified: www.utzcertified.org Este documento foi trduzido do Inglês. Se houver

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

CONTABILIDADE ANALÍTICA

CONTABILIDADE ANALÍTICA CONTABILIDADE ANALÍTICA Cpítulo Cpítulo 1. COMPONENTES DO CUSTO DE PRODUÇÃO MATÉRIAS (bens dquiridos pr trnsformção): Prims: quels que são trnsformdos noutros produtos Subsidiáris: quels que poim trnsformção

Leia mais

I - Celebração, Modificação e Cessação do Contrato 1.

I - Celebração, Modificação e Cessação do Contrato 1. 1 6 CARTÃO DE CRÉDITO PARTICULAR SOC. COMERCIAL C. SANTOS Montepio Crédito - Instituição Finnceir de Crédito, S.A. Condições Geris de Utilizção, Direitos e Deveres ds Prtes Elbords de cordo com o Aviso

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SUSANY MENDONÇA DE SOUZA. IMPOSTO DE RENDA DAS PESSOAS FÍSICAS: estudo da alíquota efetiva

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SUSANY MENDONÇA DE SOUZA. IMPOSTO DE RENDA DAS PESSOAS FÍSICAS: estudo da alíquota efetiva UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SUSANY MENDONÇA DE SOUZA IMPOSTO DE RENDA DAS PESSOAS FÍSICAS: estudo d líquot efetiv FLORIANÓPOLIS 2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SUSANY MENDONÇA DE

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO 2015

EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO 2015 EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO 2015 A Diretor do Colégio Noss Senhor do Perpétuo Socorro no exercício ds tribuições que lhe conferem o seu Regimento Escolr, - considerndo o que determin Lei 12.101/2009,

Leia mais

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis Crid pel Lei Estdul nn 2. 766/63 CNPJ.: 21.420.85610001-96 - lrrsc Estdul. ISENTA Entidde M ntenedor do Grupo Educcionl Uni: Centro Universitdrio do Sul d Mins - UNIS Fculdde Bum- FABE Fculdde Três Ponts

Leia mais