Abril Educação S.A. Informações Trimestrais ITR em 30 de junho de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abril Educação S.A. Informações Trimestrais ITR em 30 de junho de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais"

Transcrição

1 Abril Educção S.A. Informções Trimestris ITR em 30 de junho de 2013 e reltório sobre revisão de informções trimestris

2 ABRIL EDUCAÇÃO S.A. INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR em 30 de junho de 2013 e Reltório sobre Revisão de Informções Trimestris ÍNDICE Págin Blnços ptrimoniis 1-2 Demonstrções do resultdo Demonstrções do resultdo brngente 3 4 Demonstrções ds mutções do ptrimônio líquido 5 Demonstrções dos fluxos de cix 6 Demonstrções do vlor diciondo 7 Nots explictivs d Administrção às informções finnceirs 8-53 Conselho de Administrção e Conselho Fiscl 54 Diretori 55 Reltório dos Auditores Independentes 56-57

3 BALANÇOS PATRIMONIAIS (vlores expressos em milhres de reis) ATIVO 30 de junho de 2013 Controldor 31 de dezembro de de junho de 2013 Cons oliddo 31 de dezembro de 2012 CIRCULANTE Cix e equivlentes de cix (not 7) A plicção finnceir (not 8) Conts receber de clientes (not 10) Es toques (not 11) Impos tos recuperr (not 12) Dividendos receber (not 32) A dintmentos e des pes s ntecipds NÃO CIRCULANTE Emprés timos e outros créditos com prtes relcionds (not 32) A tivos finnceiros (not 9) Conts receber de clientes (not 10) Impos tos recuperr (not 12) Impos to de rend e contribuição - s ocil diferidos (not 20) Depós itos judiciis (not 19) A dintmentos e des pes s ntecipds Inves timentos (not 13) Intngível (not 14) Imobilizdo (not 15) Totl do tivo A s nots explictivs d A dminis trção s ão prte integrnte ds informções finnceirs. 1

4 BALANÇOS PATRIMONIAIS (vlores expressos em milhres de reis) PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 30 de junho de 2013 Controldor 31 de dezembro de de junho de 2013 Cons oliddo 31 de dezembro de 2012 CIRCULANTE Fornecedores e demis conts pgr (not 16) Emprés timos e finncimentos (not 17) Impos tos e contribuições pgr (not 18) Impos to de rend e contribuição s ocil pgr Dividendos pgr Conts pgr por quis ição de prticipção s ocietári (not 31) NÃO CIRCULANTE Fornecedores e demis conts pgr (not 16) Emprés timos e outros créditos com prtes relcionds (not 32) Conts pgr por quis ição de prticipção s ocietári (not 31) Emprés timos e finncimentos (not 17) Impos tos e contribuições pgr (not 18) Provis ão pr contingêncis (not 19) Impos to de rend e contribuição s ocil diferidos (not 20) Totl do ps s ivo PATRIMÔNIO LÍQUIDO A tribuido os cionis ts d controldor Cpitl s ocil (not 23) Res ervs de cpitl (not 24) Res ervs de lucros (not 24) A jus te de vlição ptrimonil (13.228) - (13.228) - Lucros cumuldos Prticipção dos não controldores Totl do ptrimônio líquido Totl do ps s ivo e ptrimônio líquido A s nots explictivs d A dminis trção s ão prte integrnte ds informções finnceirs. 2

5 DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO PERÍODOS DE TRÊS E SEIS MESES FINDOS EM 30 DE JUNHO (vlores expressos em milhres de reis, exceto resultdo por ção) C on tr oldor C on s oliddo 0 1 /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / Re c e it líq u id (n o t 26) Cu s to s d o s p ro d u to s e s e rv iç o s (n o t 27) (192) (192) (10) (69) (50.001) ( ) (60.182) ( ) Luc r o br u to (1 0 ) D e s p e s s c o m v e n d s (n o t 27) (1) (1) (11) (43) (55.595) ( ) (38.121) (93.133) D e s p e s s g e r is e d min is tr tiv s (n o t 27) (9.388) (16.074) (7.961) (12.781) (51.243) (95.387) (41.937) (79.835) O u tr s re c e it s (d e s p e s s ), líq u id s Luc r o (pr e ju íz o) ope r c ion l ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Re c e it s fin n c e ir s (n o t 28) D e s p e s s fin n c e ir s (n o t 28) (262) (3.654) (34) (1.912) (22.415) (37.973) (20.167) (39.045) V ri ç ã o c mb i l liq u id (n o t 28) (1) (1) Luc r o (pr e ju íz o) n te s do r e s u ltdo de pr tic ipç ão s oc ie tár i ( ) ( ) ( ) (1 3 2 ) ( ) ( ) Re s u lt d o d e q u iv lê n c i p trimo n i l (n o t 13) (2.235) (18.884) Luc r o n te s do im pos tos de r e n d e d c on tr ibu iç ão s oc il ( ) ( ) ( ) ( ) Imp o s to d e re n d e c o n trib u iç ã o s o c i l (n o t 29) - - (377) (1.192) (5.217) (27.041) (2.795) Luc r o do pe r íodo ( ) ( ) ( ) ( ) A tr ibu ído à A c io n is t s Co n tro l d o re s d Co mp n h i (8.823) (20.525) P rtic ip ç ã o d e n ã o Co n tro l d o re s (862) (1.040) (8.178) (21.387) Lu c ro b á s ic o p o r ç ã o - R$ (n o t 24) 0, , Lu c ro d ilu íd o p o r ç ã o - R$ (n o t 24) 0, , A s n o t s e xp lic tiv s d A d min is tr ç ã o s ã o p rte in te g r n te d s in fo rm ç õ e s fin n c e ir s 3

6 DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO ABRANGENTE PERÍODOS DE TRÊS E SEIS MESES FINDOS EM 30 DE JUNHO (vlores expressos em milhres de reis, exceto resultdo por ção) C on tr oldor C on s oliddo 0 1 /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / /0 4 / /0 6 / /0 1 / /0 6 / Luc r o do pe r íodo ( ) ( ) ( ) ( ) O u tro s re s u lt d o s b r n g e n te s Emis s ã o d e ç õ e s (13.228) (13.228) - - (13.228) (13.228) - - Totl do r e s u ltdo br n g e n te do pe r íodo ( ) ( ) ( ) ( ) A tr ibu ído à A c io n is t s Co n tro l d o re s d Co mp n h i (22.051) (20.525) P rtic ip ç ã o d e n ã o Co n tro l d o re s (862) (1.040) (21.406) (21.387) A s n o t s e xp lic tiv s d A d min is tr ç ã o s ã o p rte in te g r n te d s in fo rm ç õ e s fin n c e ir s 4

7 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (vlores expressos em milhres de reis) Reserv de cpitl Reservs de lucros 0pções Ajuste de Ptrimônio Cpitl Reserv outorgds Reserv Retenção de Avlição Lucros líquido tribuido Prticipção dos socil de cpitl de ções legl lucros Ptrimonil cumuldos os controldores não controldores Totl SALDOS EM 31 DE DEZEM BRO DE Plno de opção de compr de ções Lucro líquido no semestre (1.040) Outrs movimentções com não controldores SALDOS EM 30 DE JUNHO DE SALDOS EM 31 DE DEZEM BRO DE Plno de opção de compr de ções (not 22) Lucro líquido no trimestre findo em 31/03/ Outrs movimentções com não controldores (88) (88) SALDOS EM 31 DE M ARÇO DE Aumento de cpitl conforme ARCA 25/04/ Aumento de cpitl conforme ARCA 30/04/ Aumento de cpitl conforme ARCA 24/05/ Gstos com emissões de çoes (not 23) - (8.402) (8.402) - (8.402) Ajuste vlor justo n emissão de ções (13.228) - (13.228) - (13.228) - - Plno de opção de compr de ções (not 22) Lucro líquido no trimestre findo em 30/06/ (8.823) (8.823) 645 (8.178) Outrs movimentções com não controldores (89) (89) SALDOS EM 30 DE JUNHO DE (13.228)

8 DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PERÍODOS DE SEIS MESES FINDOS EM 30 DE JUNHO (vlores expressos em milhres de reis) Controldor Cons oliddo FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Cix gerdo pels (plicdo ns ) operções (not 30) (7.603) Juros pgos - - (14.726) (22.622) Imposto de rend e contribuição socil ntecipdos - - (6.934) - Imposto de rend e contribuição socil pgos - - (7.918) (11.236) CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS (APLICADO NAS ) ATIVIDADES OPERACIONAIS (7.603) FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVES TIMENTOS A quisições de: Imobilizdo - (466) (4.484) (5.414) Intngível - - (10.239) (1.175) A plicção finnceir A quisição de subsidiári no exercício, líquid do cix dquirido - - ( ) (20.231) A quisição investimento permnente (230) Pgmento de quisição de subsidiári do período nterior - - (23.000) (13.500) Pgmento justes preço de quisição - (1.005) - (1.005) A umento de cpitl em controlds ( ) M útuos concedidos prtes relcionds (50.596) M útuos recebidos de prtes relcionds Juros recebidos CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS (APLICADO NAS ) ATIVIDADES DE INVES TIMENTOS ( ) ( ) (40.761) FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Cptção de empréstimos e finncimentos Pgmentos de empréstimos e finncimentos - - (10.554) ( ) Pgmentos de PA ES e impostos prceldos - - (2.139) (1.830) A umento de cpitl Dividendos pgos (23.783) (11.475) (23.783) (11.475) Dividendos pgos os cionists não controldores - - (360) - CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS (APLICADO NAS ) ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS (11.475) (18.941) AUMENTO (REDUÇÃO) DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA (63.706) (5.191) Cix e equivlentes de cix no início do exercício Cix e equivlentes de cix no finl do exercício MOVIMENTAÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA (63.706) (5.191) A s nots explictivs d A dministrção são prte integrnte ds informções finnceirs. 6

9 DEMONSTRAÇÕES DO VALOR ADICIONADO PERÍODOS DE SEIS MESES FINDOS EM 30 DE JUNHO (vlores expressos em milhres de reis) Controldor Consoliddo RECEITAS Vend de p rodutos e serviços (not 26) Outrs receits Provisão p r créditos de liquidção duvidos - - (2.399) (1.153) INS UMO S ADQ UIRIDO S DE TERCEIRO S M téris p rims consumids Custo dos p rodutos e serviços vendidos M teriis, energi, serviços de terceiros e outros VALO R ADICIO NADO BRUTO (7.641) (3.230) RETENÇÕ ES Dep recições e mortizções (nots 14 e 15) VALO R ADICIO NADO LÍQ UIDO PRO DUZIDO (7.758) (3.323) VALO R ADICIO NADO RECEBIDO EM TRANS FERÊNCIA Resultdo de equivlênci p trimonil (not 13) Receits finnceirs (not 28) Vrição cmbil tiv (not 28) VALO R ADICIO NADO TO TAL A DIS TRIBUIR DIS TRIBUIÇÃO DO VALO R ADICIO NADO Pessol e encrgos Remunerção diret Benefícios FGT S Imp ostos, txs e contribuições Federis Estduis M unicip is Remunerção de cp itl de terceiros Juros (not 28) Vrição cmbil p ssiv (not 28) Aluguéis Direitos utoris Outros Remunerção de cp itl p róp rio Lucros retidos Prticip ção dos não controldores (1.040) VALO R ADICIO NADO TO TAL DIS TRIBUÍDO As nots exp lictivs d Administrção são p rte integrnte ds informções finnceirs. 7

10 NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR REFERENTES AO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2013 (vlores expressos em milhres de reis, exceto qundo indicdo de outr form) 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Abril Educção S.A. ( Compnhi ) é um sociedde nônim de cpitl berto com sede n cidde de São Pulo, que em conjunto com sus controlds (o Grupo ) tu no segmento de educção básic e préuniversitári, por meio de linhs de negócios estruturds d seguinte form: Editors Átic e Scipione - editors de livros didáticos, prdidáticos e sistem de ensino SER; Sistem de Ensino Abril Educção - sistem de ensino Anglo e cursos pré-vestibulres; Grupo PH - escols própris de ensino básico e cursos pré-vestibulres; Grupo ETB - ensino técnico e profissionliznte; Mxiprint Gráfic e Editor - sistem de ensino Mxi; Escol Stélite - cursos telepresenciis; Edumobi - tecnologi digitl de distribuição de conteúdo; SGE sistem de ensino GEO; Jfr cursos preprtórios pr concursos públicos, Red Blloon inglês pr crinçs e dolescentes; EiVocê - E-lerning de treinmento profissionliznte e cursos livres; e Wise Up - inglês pr dolescentes e dultos. Assim, sus tividdes são representds pel edição, impressão, publicção, divulgção e comercilizção, no tcdo ou vrejo, de livros, postils e publicções pr educção básic e de pré-vestibulr, podendo ind relizr treinmento especilizdo pr professores e gestores escolres, reuniões, plestrs e workshops relciondos à educção, lém ds tividdes pedgógics de seus cursos de ensino básico e profissionlizntes trvés de sistem de ensino e escols própris. A emissão desss Informções Trimestris ITR foi provd pelo Conselho de Administrção d Compnhi em 08 de gosto de RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS 2.1 Bse de presentção As Informções Trimestris - ITR form elbords considerndo o custo histórico como bse de vlor e tivos finnceiros mensurdos o vlor justo por meio do resultdo do exercício. As Informções Trimestris - ITR seguirm princípios, métodos e critérios uniformes em relção queles dotdos no encerrmento do último exercício socil findo em 31 de dezembro de 2012 e, consequentemente, devem ser lids em conjunto com esss demonstrções finnceirs nuis publicds. As demonstrções contábeis intermediáris contids ns presentes Informções Trimestris - ITR form preprds de cordo com o pronuncimento técnico CPC 21 (R1) - Demonstrção Intermediári e presentds de form condizente com s norms expedids pel Comissão de Vlores Mobiliários CVM, plicáveis à elborção ds Informções Trimestris - ITR. A preprção de Informções Trimestris - ITR requer o uso de certs estimtivs contábeis crítics e tmbém o período de julgmento por prte d dministrção d Compnhi no processo de plicção ds polítics contábeis do Grupo. Aquels áres que requerem mior nível de julgmento e possuem mior complexidde, bem como s áres ns quis premisss e estimtivs são significtivs pr s 8

11 Informções Trimestris - ITR, estão divulgds n not 3. Os resultdos reis ds operções pr os períodos trimestris não representm, necessrimente, um indicção dos resultdos esperdos pr o exercício socil findr em 31 de dezembro de () Informções Trimestris - ITR consolidds As informções Trimestris ITR consolidds d Compnhi form elbords tomndo como bse os pdrões interncionis de contbilidde emitidos pelo Interntionl Accounting Stndrds Bord - (IASB) e interpretções emitids pelo Interntionl Finncil Reporting Interprettions Committee - (IFRIC), implntdos no Brsil trvés do Comitê de Pronuncimentos Contábeis CPC (especificmente o CPC 21 (R1) - Demonstrção Intermediári equivlente o Interntionl Accounting Stndrd (IAS 34) - Interim Finncil Reporting), e sus interpretções técnics - ICPCs e orientções - OCPCs, provdos pel Comissão de Vlores Mobiliários - CVM. (b) Informções Trimestris - ITR individuis 2.2 Consolidção As Informções Trimestris - ITR intermediáris individuis d controldor form preprds conforme s prátics contábeis dotds no Brsil emitids pelo Comitê de Pronuncimentos Contábeis - CPC 21 (R1) - Demonstrção Intermediári e são presentds em conjunto com s Informções Trimestris - ITR intermediáris consolidds. Ns informções contábeis individuis s controlds são contbilizds pelo método de equivlênci ptrimonil. Os mesmos justes são feitos tnto ns informções contábeis individuis qunto ns informções contábeis consolidds pr chegr o mesmo resultdo e ptrimônio líquido tribuível os cionists d controldor. No cso d Abril Educção S.A., s prátics contábeis dotds no Brsil plicds ns informções contábeis individuis, preprds de cordo com o CPC 21 (R1) Demonstrção Intermediári, diferem do IFRS plicável às informções contábeis seprds pens pel vlição dos investimentos em controlds pelo método de equivlênci ptrimonil, enqunto conforme IAS 34 seri custo ou vlor justo. As Informções Trimestris - ITR consolidds e individuis refletem os sldos de tivos, pssivos e ptrimônio líquido em 30 de junho de 2013 e em 31 de dezembro de 2012 e s operções dos períodos findos em 30 de junho de 2013 e de 2012 d Controldor e sus controlds. Controlds Controlds são tods s entiddes ns quis o Grupo tem o poder de determinr s polítics finnceirs e opercionis, gerlmente compnhd de um prticipção de mis do que metde dos direitos voto (cpitl votnte). A existênci e o efeito de possíveis direitos voto tulmente exercíveis ou conversíveis são considerdos qundo se vli se Compnhi control outr entidde. As controlds são totlmente consolidds prtir d dt em que o controle é trnsferido pr o Grupo. A consolidção é interrompid prtir d dt em que o controle termin. 9

12 A Compnhi us o método de contbilizção d quisição pr contbilizr s combinções de negócios. A contrprestção trnsferid pr quisição de um controld é o vlor justo dos tivos trnsferidos, pssivos incorridos e instrumentos ptrimoniis emitidos pel Compnhi. A contrprestção trnsferid inclui o vlor justo de lgum tivo ou pssivo resultnte de um contrto de contrprestção contingente qundo plicável. Custos relciondos com quisição são contbilizdos no resultdo do exercício conforme incorridos. Os tivos identificáveis dquiridos e os pssivos e pssivos contingentes ssumidos em um combinção de negócios são mensurdos inicilmente pelos vlores justos n dt d quisição. O excesso d contrprestção trnsferid e do vlor justo n dt d quisição de qulquer prticipção ptrimonil nterior n dquirid em relção o vlor justo d prticipção d Compnhi de tivos líquidos identificáveis dquiridos é registrd como ágio (goodwill). Trnsções entre compnhis, sldos e gnhos não relizdos em trnsções entre empress do Grupo são elimindos. As perds não relizds são tmbém eliminds, exceto qundo trnsção evidencie perd do vlor recuperável do tivo trnsferido. As polítics contábeis ds controlds são lterds qundo necessário pr ssegurr consistênci com s polítics dotds pel Compnhi. 2.3 Informções por segmento de negócios As informções por segmentos opercionis são presentds de modo consistente com o reltório interno fornecido pr o principl tomdor de decisões opercionis. O principl tomdor de decisões opercionis, responsável pel locção de recursos e pel vlição de desempenho dos segmentos opercionis, é o Conselho de Administrção, tmbém responsável pel tomd de decisões estrtégics d Compnhi. Adicionlmente, os tomdores de decisões podem efetur, cso necessário, determinds nálises sobre certs informções mis detlhds dos produtos, mrcs e outrs divisões do Grupo, que não se qulificm como segmentos pr divulgção. 2.4 Norms, lterções e interpretções de norms que ind não estão em vigor As seguintes novs norms, lterções e interpretções de norms form emitids pelo IASB ms não estão em vigor pr o exercício de A doção ntecipd desss norms, embor encorjd pelo IASB, não foi permitid, no Brsil, pelo Comitê de Pronuncimento Contábeis (CPC).. IFRS 9 - "Instrumentos Finnceiros", bord clssificção, mensurção e o reconhecimento de tivos e pssivos finnceiros. O IFRS 9 foi emitido em novembro de 2009 e outubro de 2010 e substitui os trechos do IAS 39 relciondos à clssificção e mensurção de instrumentos finnceiros. O IFRS 9 requer clssificção dos tivos finnceiros em dus ctegoris: mensurdos o vlor justo e mensurdos o custo mortizdo. A determinção é feit no reconhecimento inicil. A bse de clssificção depende do modelo de negócios d entidde e ds crcterístics contrtuis do fluxo de cix dos instrumentos finnceiros. Com relção o pssivo finnceiro, norm mntém miori ds exigêncis estbelecids pelo IAS 39. A principl mudnç é de que nos csos em que opção de vlor justo é dotd pr pssivos finnceiros, porção de mudnç no vlor justo devido o risco de crédito d própri entidde é registrd em outros resultdos brngentes e não n 10

13 demonstrção dos resultdos, exceto qundo resultr em descsmento contábil. A Compnhi está vlindo o impcto totl do IFRS 9. A norm é plicável prtir de 1º de jneiro de Não há outrs norms IFRS ou interpretções IFRIC que ind não entrrm em vigor que poderim ter impcto significtivo sobre Compnhi. 3. ESTIMATIVAS E JULGAMENTOS CONTÁBEIS CRÍTICOS As estimtivs e os julgmentos contábeis são continumente vlidos e bseim-se n experiênci históric e em outros ftores, incluindo expecttivs de eventos futuros, considerds rzoáveis pr s circunstâncis. 3.1 Estimtivs e premisss contábeis crítics Com bse em premisss, Compnhi fz estimtivs com relção o futuro. Por definição, s estimtivs contábeis resultntes rrmente serão iguis os respectivos resultdos reis. As estimtivs e premisss que presentm um risco significtivo, com probbiliddes de cusr um juste relevnte nos vlores contábeis de tivos e pssivos pr os próximos períodos, estão contemplds bixo: () Perd (impirment) estimd do ágio e de mrcs Anulmente o finl de cd exercício contábil, Compnhi efetu, de cordo com su polític contábil teste de redução o vlor recuperável (impirment) de seus tivos de vid long indefinid, representdos pelo ágio e mrcs dquirids em combinção de negócios. No trimestre findo em 30 de junho de 2013 não form identificdos indicdores que resultssem n necessidde d ntecipção do teste nul e, consequentemente, nenhum provisão dess nturez foi constituíd. (b) Impostos diferidos A Compnhi reconhece tivos e pssivos diferidos com bse ns diferençs entre o vlor contábil presentdo e bse tributári dos tivos e pssivos, utilizndo s líquots em vigor e considerndo-se o lucro histórico gerdo e o lucro tributável futuro projetdo, com bse em estudos de vibilidde técnic que suportm o registro e mnutenção desses tivos. No trimestre, não form identificds diferençs significtivs em relção o estudo e projeções complets efetuds por ocsião d elborção ds demonstrções finnceirs nuis publicds. (c) Contingêncis A Compnhi é prte pssiv envolvid em diversos processos judiciis e dministrtivos. Provisões são constituíds pr tods s contingêncis referentes processos judiciis que representm perds prováveis. A vlição d probbilidde de perd inclui vlição ds evidêncis disponíveis, entre els opinião dos dvogdos externos. A Administrção entende que esss contingêncis estão dequdmente presentds ns Informções Trimestris ITR. 11

14 4. GESTÃO DE RISCO FINANCEIRO 4.1 Considerções geris e polítics A Compnhi e sus controlds possuem e seguem polític de gerencimento de risco, que orient em relção trnsções e requer diversificção de trnsções e contrprtids. Nos termos dess polític, nturez e posição gerl dos riscos finnceiros é regulrmente monitord e gerencid fim de vlir os resultdos e o impcto finnceiro no fluxo de cix. Tmbém são revistos periodicmente os limites de crédito ds contrprtes. 4.2 Ftores de risco finnceiro As tividdes d Compnhi e de sus controlds s expõem diversos riscos finnceiros: risco de mercdo (incluindo risco de moed e de tx de juros), risco de crédito e risco de liquidez. O progrm de gestão de risco globl d Compnhi concentr-se n imprevisibilidde dos mercdos finnceiros e busc minimizr potenciis efeitos dversos no desempenho finnceiro. N prátic, tesourri corportiv pode vir contrtr instrumentos finnceiros com o intuito de proteger Compnhi de riscos de tx de juros e câmbio. () Risco de mercdo A Compnhi está expost riscos de mercdo decorrentes ds tividdes de seus negócios. Esses riscos de mercdo envolvem principlmente possibilidde de flutuções n tx de câmbio e mudnçs ns txs de juros. i) Riscos de tx de câmbio A Compnhi possui fornecedores de ppel contrtdos em moed estrngeir. O risco vinculdo esse pssivo surge em rzão d possibilidde de existirem flutuções ns txs de câmbio que possm umentr o sldo desse pssivo. Em 30 de junho de 2013, o sldo de fornecedores indexdos o dólr norte - mericno er de R$ 606 (R$ em 31 de dezembro de 2012). Devido o bixo vlor em exposição, Compnhi não possui nenhum operção pr cobertur deste tipo de risco. ii) Risco de tx de juros A Compnhi possui empréstimos e finncimentos contrtdos em moed ncionl e subordindos txs de juros vinculds indexdores (principlmente CDI). O risco relciondo esses pssivos result d possibilidde de existirem flutuções nesss txs. Em 30 de junho de 2013 e em 31 de dezembro de 2012, Compnhi não tem pctudo contrtos de derivtivos pr fzer hedge contr esse tipo de risco. Contudo, há um monitormento contínuo desss txs de mercdo com o propósito de vlir eventul conveniênci d contrtção de instrumentos pr proteger Compnhi contr o risco de voltilidde desss txs. 12

15 Além dos empréstimos e finncimentos, s controlds Sistem de Ensino Abril Educção S.A., nteriormente denomind Gráfic e Editor Anglo S.A. e CAEP Centrl Abril Educção e Prticipções S/A emitirm debêntures não conversíveis ou permutáveis em ções. Tis trnsções form contrtds tx de juros vinculds à vrição do CDI e, consequentemente, o risco vinculdo esss trnsções surge dess vrição. Os vlores de mercdo ds operções cim mencionds não diferem substncilmente dqueles registrdos ns Informções Trimestris - ITR em 30 de junho de 2013 e ns demonstrções finnceirs do exercício findo em 31 de dezembro de 2012, com destque pr debênture d CAEP que foi emitid em 22 de Abril de (b) Risco de crédito O risco de crédito é dministrdo de form centrlizd pel Compnhi. O risco de crédito decorre de cix e equivlentes de cix, incluindo títulos e vlores mobiliários de lt liquidez, e conts receber de clientes. Pr bncos e instituições finnceirs, são ceitos títulos somente de entiddes clssificds com rting mínimo e equivlente braaa ds gêncis Moody s, Fitch Rting e Stndrd & Poor s. As txs pctuds pr s plicções finnceirs refletem s condições usuis de mercdo, com remunerção que vri entre 100,0% 102,5% d vrição do CDI. A polític de vends d Compnhi e sus controlds está diretmente ssocid o nível de risco de crédito que está dispost se sujeitr no curso norml de seus negócios. A diversificção de su crteir de recebíveis, seletividde de seus clientes, ssim como o compnhmento dos przos de finncimentos de vends e limites individuis de posição, são procedimentos dotdos fim de minimizr indimplêncis ou perds n relizção do sldo de conts receber de clientes. (c) Risco de liquidez A gestão prudente do risco de liquidez implic mnter cix e títulos e vlores mobiliários suficientes, disponibiliddes de cptção por meio de linhs de crédito compromissds e cpcidde de liquidr posições de mercdo. A Administrção monitor o nível de liquidez consoliddo d Compnhi, considerndo o fluxo de cix esperdo em contrprtid às linhs de crédito não utilizds e o sldo de cix e equivlentes de cix. A tbel bixo nlis os pssivos finnceiros não derivtivos d Compnhi, que são mensurdos pelo método do custo mortizdo. Os vlores divulgdos n tbel são os fluxos de cix não descontdos contrtdos, crescidos de colun pr reconcilir os vlores àqueles registrdos no blnço ptrimonil d Compnhi. Pr projeção dos fluxos futuros Compnhi se utilizou ds txs tuis do CDI Certificdo de Depósitos Interbncários, ou sej, 7,72%.. 13

16 M e nos de 1 no Entre 1 e 2 nos Entre 2 e 5 nos Totl Efe ito do de sconto Consoliddo Vlor contábil Em 30 junho de 2013 Debêntures (not 17) ( ) Empréstimos e finncimentos (not 17) (14.111) Conts pgr por quisição de prticipção societári (not 31) ( ) Fornecedores e demis conts pgr (not 16) (259) Em 31 de ze mbro de 2012 Debêntures (not 17) (61.922) Empréstimos e finncimentos (not 17) (16.690) Conts pgr por quisição de prticipção societári (not 31) (31.207) Fornecedores e demis conts pgr (not 16) GESTÃO DE CAPITAL Os objetivos d Compnhi o dministrr seu cpitl são os de grntir su continuidde, oferecendo retorno dequdo os cionists e benefícios às outrs prtes interessds. A Compnhi monitor estrutur de cpitl de modo consoliddo por meio d utilizção do índice de lvncgem finnceir. 6. INSTRUMENTOS FINANCEIROS ) Identificção e vlorizção dos instrumentos finnceiros A Compnhi e sus controlds operm com diversos instrumentos finnceiros, com destque pr cix e equivlentes de cix, que incluem títulos e vlores mobiliários, bem como duplicts receber de clientes, conts pgr fornecedores e empréstimos e finncimentos, que são mensurdos pelo custo mortizdo, usndo o método d tx efetiv de juros. Considerndo o przo e s crcterístics desses instrumentos, os vlores contábeis se proximm dos vlores justos. No trimestre findo em 30 de junho de 2013, Compnhi não operou com instrumentos finnceiros derivtivos. Em tendimento Deliberção CVM nº 550/08, Compnhi presentou ns demonstrções finnceirs nuis publicds de 31 de dezembro de 2012 um qudro demonstrtivo de nálise de sensibilidde dos instrumentos finnceiros, que demonstr os riscos que podem gerr impctos no resultdo e ptrimônio líquido d Compnhi, com cenário mis provável segundo vlição efetud pel Administrção em conjunto com consultores externos, considerndo um horizonte de três meses. Adicionlmente, dois outros cenários form demonstrdos, nos termos determindos pel CVM, por meio d Instrução nº 475/08 de 17 de dezembro de 2008, fim de presentr 25% e 50% de deteriorção n vriável de risco considerd, respectivmente (cenários I e II). Em 30 de junho de 2013 e pr o período de seis meses findos ness dt, os cenários projetdos permnecem inlterdos, sendo posição ptrimonil tul e o resultdo purdo dos instrumentos finnceiros presentdos bixo: 14

17 Cons oliddo Em 30 de junho de 2013 Gnho (pe rd) Sldo contábil e m 30 de junho de 2013 Re s ultdo / DRE Pe ríodo de s e is me s e s findos e m 30 de junho de 2013 Ce nário prováve l (ii) Ce nário I (iii) Ce nário II (iv) Aplicções em fundo de investimento - C.P Certificdos de depósitos bncários - CDBs Totl dos tivos em CDI Conts pgr por quisição de prticipção societári ( ) (8.308) (8.308) (10.385) (12.462) Debêntures colocds ( ) (15.677) (15.677) (19.596) (23.515) Empréstimos bncários (i) (27.134) (1.284) (1.284) (1.605) (1.926) Dívid totl em CDI ( ) (25.269) (25.269) (31.586) (37.903) Exposição líquid em CDI ( ) (10.417) (10.417) (13.021) (15.625) Tx CDI - %. 7,72% 7,72% 9,65% 11,58% Vrição d tx em relço à projeção 25% (ii) 50% (iii) (i) Não consider o emprestimo BNDES-FINAME, tulizdo pel TJLP, no montnte de R$ pr qul s projeções indicm mnutenção d tx dos níveis tuis. (ii) Vrição d tx tul o cenário provável estimdo. (iii) Vrição do cenário provvél pr o cenário de deteriorção de 25%. (iv) Vrição do cenário provvél pr o cenário de deteriorção de 50%. 7. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 30 de junho de 2013 Controldor 31 de de ze mbro de de junho de 2013 Cons oliddo 31 de de ze mbro de 2012 Cix Bncos cont movimento, líquido Certificdos de depósitos bncários CDBs (i) Os CDBs são remunerdos às txs que vrim entre 100,0% e 102,5% do Certificdo de Depósito Interbncário - CDI, mensurdos pelo custo mortizdo, com przos de vencimento vriáveis, porém resgtáveis qulquer momento e estão sujeitos risco insignificnte de mudnç de vlor. 15

18 8. APLICAÇÕES FINANCEIRAS Cons oliddo 30 de junho de 2013 Aplicções em fundo de investimento de curto przo As plicções finnceirs em fundos de investimentos são relizds nos bncos: Sntnder, Itú, Cix Econômic CEF e Bnco do Brsil os quis o dministrdor é responsável pel escolh d crteir de plicção do fundo. 9. ATIVOS FINANCEIROS Em 1º de julho de 2011, Compnhi dquiriu 5,9% ds quots representtivs do cpitl socil d empres Livemoch Inc., representd por ções preferenciis clsse C, pelo montnte de US$ 2 milhões. A Livemoch Inc. tem sede nos Estdos Unidos d Améric e tu no mercdo de ensino de idioms distânci em todo o mundo, e seu ptrimônio líquido contábil em 31 de dezembro de 2010 er de US$ 3,5 milhões. Em 1º de bril de 2013, foi relizd lienção d prticipção minoritári d Compnhi, correspondente ções preferenciis clsse C, pr Rosett Stone Inc. Com o fechmento d operção, Compnhi reconheceu ness mesm dt um conts receber, em moed corrente ncionl, o vlor equivlente R$ 325 mil (correspondentes US$ 158,5 mil), permnecendo o vlor de R$ 418 mil (correspondentes US$ 204,1 mil) em cont grnti pelo przo de 18 meses. Dess form, em 31 de mrço de 2013 foi reconhecid um provisão pr perd do vlor recuperável em contrprtid à rubric de despess finnceirs n demonstrção do resultdo do exercício, no montnte de R$ mil. 16

19 10. CONTAS A RECEBER DE CLIENTES ) Composição: Controldor Cons oliddo 30 de junho de de de ze mbro de de junho de de de ze mbro de 2012 Comercilizção de livros didáticos Comercilizção de postils Mensliddes Cursos preprtórios Outrs Totl de clie nte s Provisão pr créditos de liquidção duvidos - - (17.439) (11.241) Totl conts re ce be r (46.402) Circulnte Não Circulnte (i) (i) No não circulnte o vlor de R$ refere-se clintes d Wise Up. O sldo de conts receber está integrlmente composto por recebíveis no mercdo ncionl e o seu vlor de relizção não difere significtivmente do vlor justo desses tivos. Em 31 de dezembro de 2012, do totl do sldo de conts receber (comercilizção de livros didáticos), cerc de R$ referem-se vends o Governo, substncilmente o Fundo Ncionl de Desenvolvimento d Educção - FNDE, utrqui vinculd o Ministério d Educção - MEC. Prte substncil desse montnte foi recebid durnte o primeiro trimestre de 2013, sendo que não há sldos relevntes em berto com o Governo em 30 de junho de b) Conts receber de clientes por idde de vencimento: Compos ição 30 de junho de de dezembro de 2012 Cons oliddo 30 de junho de 2012 A vencer: Vencids: A té 30 dis De dis De dis De dis De dis Há mis de 360 dis

20 A movimentção d provisão pr créditos de liquidção duvidos é como segue: 01/01/ /06/2013 Cons oliddo 01/01/ /06/2012 Sldos e m 1º de jne iro Adições por quisição Adições no período/ Reversões e bixs (3.706) Sldos e m 30 de junho ESTOQUES 30 de junho de 2013 Cons oliddo 31 de de ze mbro de 2012 Mtéris-prims P rodutos em elborção P rodutos cbdos Importções em ndmento Outros P rovisão pr Imp irmen t (24.493) (19.221) Em 30 de junho de 2013 não existem estoques ddos como penhor de grnti pssivos. A movimentção d provisão pr impirment de estoques é como segue: 01/01/ /06/2013 Cons oliddo 01/01/ /06/2012 Sldos e m 1º de jne iro Adições por quisição Adições/(Reversões) no período (i) Utilizção de provisão por: - Destruição (ii) - (34.411) - Ajuste de inventário (iii) - (4.220) Sldos e m 30 de junho

21 (i) (ii) (iii) Durnte o primeiro semestre de 2013, Administrção d Compnhi identificou necessidde de um complemento n provisão pr impirment de estoques referente destruição de mteril reformuldo e juste de inventário. Em junho de 2012, Compnhi finlizou o processo de destruição de livros obsoletos e invendáveis, já provisiondos, no montnte de R$ , sem impcto no resultdo. Em junho de 2012, em conexão com o processo de perfeiçomento dos controles internos foi relizdo um inventário físico de produtos cbdos que purou um juste de R$ nos estoques, dos quis R$ já estvm provisiondos; dest form foi reconhecido no resultdo do exercício o vlor de R$ n cont de custos dos produtos e serviços (vide not 31). A Compnhi já tomou s ções necessáris pr primormento dos controles internos relciondos à slvgurd dos estoques e em relção os controles relciondos os procedimentos de inventário físico, e ssegurr não sej um evento recorrente. 12. IMPOSTOS A RECUPERAR Controldor Consoliddo 30 de junho de de dezembro de de junho de de dezembro de 2012 Imp osto de rend e contribuição socil ntecip dos Imp osto de rend sobre p licção finnceir Contribuição p r Finncimento d Seguridde Socil - COFINS Progrm de Integrção Socil - PIS Imp osto de rend juros sobre o cp itl p róp rio Imp osto de rend e contribuição socil crédito tributário Imp osto sobre serviços - ISS Outros Circulnte Não circulnte

22 13. INVESTIMENTOS Investimentos em controlds Controldor Investimentos: Átic Scipione Sis te m de Ens ino Abril Cep P.H. M xi Totl Educção Em 31 de dezembro de Ajuste preço de quisição Integrlizção de cpitl Integrlizção de cpitl com Afc Integrlizção de cpitl com Ativos Equivlênci ptrimonil: Prticipção nos lucros de subsidiáris (3.331) Amortizção de intngíveis (locção) - - (20.537) - (3.193) (1.871) (25.601) Impostos diferidos sobre mortizção de intngíveis (locção) Dividendos propostos (11.239) (5.903) (17.142) Totl em 31 de dezembro de Equivlênci ptrimonil: Prticipção nos lucros de subsidiáris (649) Amortizção de intngíveis (locção) - - (4.982) (634) (798) (465) (6.879) Impostos diferidos sobre mortizção de intngíveis (locção) Totl em 31 de mrço de Integrlizção de cpitl (i) Ajuste de vlição ptrimonil (13.228) - - (13.228) Equivlênci ptrimonil: Prticipção nos lucros de subsidiáris (11.311) (8.510) (2.081) Amortizção de intngíveis (locção) - - (4.982) (2.435) (798) (465) (8.680) Impostos diferidos sobre mortizção de intngíveis (locção) Totl em 30 de junho de (i) Em 12 e 30 de bril de 2013, Compnhi efetuou o porte de R$ n su controld CAEP, com o propósito de prover recursos finnceiros pr quisição d Wise up (Not 33). O porte de cpitl foi feito em moed corrente, e promoveu à emissão ções do cpitl socil de su controld. No consoliddo, o vlor de R$ 230 refere-se incentivo cultur. 20

23 Em 30 de junho de 2013, Compnhi mntinh s seguintes controlds: Prticipção % 30/6/ /12/2012 Nome Ne gócio Dire t Indire t Dire t Indire t Editor Átic S.A. Editor de Livros Didáticos Editor Scipione S.A. Editor de Livros Didáticos Sistem de Ensino Abril Educção S.A. Sistem de Ensino e Cursos Preprtórios Curso P.H. Ltd. (i) Cursos Preprtórios Sistem P.H. de Ensino Ltd. (i) Colégios de Ensino Fundmentl e Médio Mxiprint Gráfic e Editor Ltd. Sistem de Ensino Centrl Abril Educção e Prticipções Ltd. (CAEP) Colégios, Cursos Preprtórios, Ensino Técnico e Profissionliznte Inve stime ntos CAEP: Nice Prticipções S.A. Assessori Empresril, Plnejmento de Empreendimentos - 64,86-64,86 ETB Editor Técnic do Brsil Ltd. Assessori Empresril, Plnejmento de Empreendimentos - 99,99-99,99 ETB Escols Técnics do Brsil Ltd. Assessori Empresril, Plnejmento de Empreendimentos ETB Instituto Educcionl Alberto Sntos Dumont Ltd. Assessori Empresril, Plnejmento de Empreendimentos Escol Stélite S.A. Cursos Telepresenciis Edumobi Tecnologi de Ensino Móvel Ltd. Rede de Ensino Móvel SGE Comércio de Mteril Didático S.A. Distribuição de Sistem de Ensino Jfr Sistem de Ensino e Cursos Livres S.A. Cursos Preprtórios pr Concurso Público RBBF Prticipções S.A. (ii) Escol de Inglês pr Crinçs e Adolescentes Red Blloon Curso de Inglês Ltd. (ii) Prticipção em outrs socieddes, como quotist ou cionist no pís ou no exterior - 99,99-99,99 Red Blloon Brsil Frnchising Ltd. (ii) Prticipção em outrs socieddes, como quotist ou cionist no pís ou no exterior Ei Você Educção Intertiv Ltd. E-lerning de Treinmento Profissionliznte e Cursos Livres CLASPE Empreendimentos e Prticipções S.A. (iii) Prticipção em outrs socieddes, como quotist ou cionist no pís ou no exterior Centrl de Produções GWUP S.A. (iii) Escol de Inglês pr Adolescentes e Adultos (i) (ii) (iii) Grupo P.H. Grupo Red Blloon Grupo Wise Up (Not 33 Combinção de negócios Wise Up). 21

24 Segue bixo prticipção d Compnhi nos resultdos ds controlds, tods s empress limitds ou compnhis de cpitl fechdo, como tmbém no totl de seus tivos (incluindo ágio) e pssivos: Investimento direto 0 1 /0 4 / de junho de 2013 Ativo Pssivo 30/06/ /0 1 / /06/2013 Editor Átic S.A (11.311) Editor Scipione S.A (8.510) 624 Sistem de Ensino Abril Educção S.A Amortizção d Mis Vli - Sistem de Ensino Abril Educção S.A. - - (3.288) (6.576) Grupo PH Mis Vli - Grupo PH - - (527) (1.054) Mxiprint Gráfic e Editor Ltd Mis Vli - Mxiprint - - (307) (614) Centrl Abril Educção e Prticipções Ltd. (CAEP) (2.081) (2.730) Mis Vli - CAEP - - (1.607) (2.025) Totl (2.235) Investimento indireto (i) 0 1 /0 4 / de junho de 2013 Ativo Pssivo 30/06/ /0 1 / /06/2013 Nice Prticipções S.A. (ETB) (641) (1.134) Escol Stélite S.A (526) (789) Mis Vli - Stélite - - (6) (6) Edumobi Tecnologi de Ensino Móvel Ltd (802) SGE Comércio de Mteril Didático S.A Mis Vli - SGE - - (1.490) (1.798) Jfr Sistem de Ensino e Cursos Livres S.A Mis Vli - Jfr - - (2) (2) Grupo Red Blloon Mis Vli - Grupo Red Blloon - - (110) (220) Ei Você Educção Intertiv Ltd (261) (605) Grupo Wise Up Totl Investimento direto 31 de dezembro de 2012 Ativo Pssivo Resultdo do exercício findo em 31/12/2012 Editor Átic S.A Editor Scipione S.A Sistem de Ensino Abril Educção S.A Amortizção d Mis Vli - Sistem de Ensino Abril Educção S.A. - - (13.639) Grupo PH Amortizção d Mis Vli - Grupo PH - - (2.107) Mxiprint Gráfic e Editor Ltd Amortizção d Mis Vli - Mxiprint - - (1.235) Centrl Abril Educção e Prticipções Ltd. (CAEP) (3.331) Amortizção d Mis Vli - CAEP - Totl Investimento indireto (i) 31 de dezembro de 2012 Ativo Pssivo Resultdo do exercício findo em 31/12/2012 Nice Prticipções S.A. (ETB) (865) Combindo PH Escol Stélite S.A (645) Edumobi Tecnologi de Ensino Móvel Ltd (473) SGE Comércio de Mteril Didático S.A Jfr Sistem de Ensino e Cursos Livres S.A RBBF Prticipções S.A Totl (1.354) (i) Investimentos CAEP Centrl Abril Educção e Prticipções Ltd. 22

25 14. INTANGÍVEL Cons oliddo Ágio M rcs e pte nte s Crte ri de clie nte s Contrto de não compe tição Dire ito re dquirido Portifólio de pos tils Sis te ms de computção Dire ito de us o Cus tos de de s e nvolvime nt o de s oftwre s ge rdos inte rnme nte Outros Totl Em 31 de de ze mbro de 2012 Sldo inicil Adições Adições por quisições de empress Ajuste preço de quisição Trnsferêncis 327 (2.388) (63) (2.820) Amortizções (2.784) (1.687) (1) (6) (4.478) Amortizções mis vli - - (16.659) (1.259) - (5.624) (14) (23.556) Sldo contábil, líquido Em 31 de mrço de 2013 Sldo inicil Adições Trnsferêncis (100) - Trnsferêncis mis vli Amortizções (775) (371) (1) (9) (1.156) Amortizções mis vli - - (4.606) (353) - (1.406) (3) (6.368) Sldo contábil, líquido Em 30 de junho de 2013 Sldo inicil Adições Adições por quisições de empress (i) Bixs - (200) (200) Trnsferêncis Trnsferêncis mis vli (9.367) Amortizções (138) (847) - - (50) (1.035) Amortizções mis vli - - (4.606) (364) (1.790) (1.406) (3) (8.169) Sldo contábil, líquido (i) Conforme menciondo n Not 33, em 30 de bril de 2013 Abril Educção S.A. por meio de su controld Cep efetuou quisição d Wise Up. Os respectivos vlores referentes o preço pgo, de locção do preço de compr, e demis informções referentes ess quisição estão descritos ness Not. 23

26 Crte ri de clie nte s Contrto de não compe tição Dire ito re dquirido Portifólio de pos tils Sis te ms de computção Dire ito de us o Txs de mortizção % 15% 33,33% Txs de mortizção Anglo % 5,33% 50% 18% Txs de mortizção PH % 8,57% 20% Txs de mortizção Mxiprint % 21,43% 20% 20% Txs de mortizção SGE % 31,57% 20% 30,03% Txs de mortizção Red Blloon % 10,00% 33% Txs de mortizção Stélite % 20% Txs de mortizção Jfr % 50% 15. IMOBILIZADO Txs Sldo Sldo Controldor Sldo nuis de líquido em líquido em líquido em deprecição 31/12/12 Deprecições 31/03/13 Bixs Deprecições 30/06/13 Veículos 33,33% 469 (58) 411 (26) (59) (58) 411 (26) (59) 326 Txs nuis de deprecição Sldo líquido em 31/12/12 Adições Bixs Deprecições Consoliddo Sldo D e p r e c i ç õ e s líquido mis vli e m 31/03/13 Terrenos Edifícios 3% (2) (511) Instlções 20% (68) Máquins e equipmentos industriis 27% (257) Móveis e utensílios 10% (7) (93) Veículos 33,33% (14) (865) Equipmentos de computção 40% (31) (394) Outrs imobilizções 20% (1) Benfeitoris em imóveis de terceiros 10% (358) Imobilizções em ndmento (52) (2.038) (511) Txs nuis de deprecição Sldo líquido em 31/03/13 Adições Adições por quisições (i) Bixs D eprecições D e p r e c i ç õ e s mis vli Trnsfer êncis Consoliddo Sldo líquido em 30/06/13 Terrenos Edifícios 3% (2) (511) Instlções 20% (70) - (32) Máquins e equipmentos industriis 27% (268) Móveis e utensílios 10% (123) Veículos 33,33% (105) (874) Equipmentos de computção 40% (463) Outrs imobilizções 20% (17) Benfeitoris em imóveis de terceiros 10% (385) Imobilizções em ndmento (i) Referente quisição Wise Up (Not 33) (105) (2.202) (511)

27 A Administrção não identificou nenhum indictivo de impirment em 30 de junho de Dess form, não houve necessidde de relizr cálculo de impirment pr esses tivos. Em 30 de junho de 2013 e 31 de dezembro de 2012 Compnhi não possui tivos qulificáveis ou operções de créditos elegíveis à cpitlizção de juros no tivo imobilizdo. 16. FORNECEDORES E DEMAIS CONTAS A PAGAR Controldor Cons oliddo 30 de junho de de dezembro de de junho de de dezembro de 2012 Fornecedores ncionis Fornecedores es trngeiros Slários e encrgos s ociis Recebimentos ntecipdos de clientes Direitos utoris pgr Outrs conts pgr Circulnte Não Circulnte EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Cons oliddo Não Não Circulnte Circulnte Circulnte Circulnte Debêntures colocds Emprés timos e finncimentos : Em moed ncionl: 30 de junho de de dezembro de 2012 BNDES - FINA M E Emprés timos bncários Totl dos emprés timos e finncimentos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

Indústrias Romi S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012

Indústrias Romi S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 Reltório dos uditores independentes sobre s demonstrções finnceirs 31 de dezembro de 2012 Reltório dos uditores independentes sobre s demonstrções finnceirs individuis e consolidds Aos Administrdores e

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

USEBENS SEGUROS S.A. CNPJ nº 09.180.505/0001-50

USEBENS SEGUROS S.A. CNPJ nº 09.180.505/0001-50 398 São Pulo, 125 (38) Diário Oficil Empresril sext-feir, 27 de fevereiro de 2015 Submetemos à precição de V. Ss. s Demonstrções Contábeis d, reltivos o exercício findo em 31 de dezembro de, elbords n

Leia mais

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO)

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) GESTÃO DE EMPRESAS CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) Exercícios Amortizção de Empréstimos EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Exercício 1 Um empréstimo vi ser reembolsdo trvés de reembolsos nuis, constntes

Leia mais

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Pulo/SP PNRS E O WASTE-TO-ENERGY Definições do Artigo 3º - A nov ordenção básic dos processos Ordem de prioriddes do Artigo 9º

Leia mais

7. GESTÃO DE PESSOAS 8. RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 10. BALANÇO SOCIAL. Base de cálculo 100% 65,70% 61,00% 100% 99,90% Outros 0,00% TBE

7. GESTÃO DE PESSOAS 8. RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 10. BALANÇO SOCIAL. Base de cálculo 100% 65,70% 61,00% 100% 99,90% Outros 0,00% TBE Reltório d Administrção Compnhi Abert Aos Acionists: A Administrção d Investimento S.A., em tendimento às disposições legis e esttutáris pertinentes, present o reltório d dministrção e s 6. GERAÇÃO monstrções

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO - Em milhares de reais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO - Em milhares de reais Jornl do Commercio Quint-feir, 28 de fevereiro de 2013 A-55 Senhores cionists, Em cumprimento às disposições legis e esttutáris, Administrção d Generli Brsil Seguros submete à precição de V. Ss. s demonstrções

Leia mais

Springs Global Participações S.A.

Springs Global Participações S.A. Springs Globl Prticipções S.A. Demonstrções Contábeis Intermediáris Individuis e Consolidds Referentes o Trimestre Findo em 30 de Setembro de 2016 e Reltório sobre Revisão de Demonstrções Contábeis Intermediáris

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Hbilitção Profissionl: Técnic de nível médio de Auxilir de Contbilidde

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO SICAP SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PUBLICA

ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO SICAP SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PUBLICA ESTDO DO TOCNTINS TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO SICP SISTEM INTEGRDO DE CONTROLE E UDITORI PUBLIC PLNO DE CONTS PR O EXERCÍCIO DE 28 ENTIDDES MUNICIPIS DO ESTDO DO TOCNTINS S U M Á R I O _ I - INTRODUÇÃO II

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA 1 - Ddos do Proponente 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F

Leia mais

Springs Global Participações S.A.

Springs Global Participações S.A. Springs Globl Prticipções S.A. Demonstrções Contábeis Intermediáris Individuis e Consolidds sobre Revisão Especil ds Informções Trimestris - ITR Segundo Trimestre - 2017 Deloitte Touche Tohmtsu Auditores

Leia mais

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG 1 - DADOS DO PROPONENTE 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F 1.9- Telefone 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P

Leia mais

Conheça a sua fatura da água!

Conheça a sua fatura da água! Conheç su ftur d águ! Jneiro de 20 FATURA/RECIBO N.º: 27 VALOR 8,7 Euros Município de Reguengos de Monsrz Titulr / Locl Mord ou sítio de leitur/do contdor Loclidde d mord de leitur NIF: Áre NIPC 07 040

Leia mais

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos.

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos. Acoplmento É o gru de dependênci entre dois módulos. Objetivo: minimizr o coplmento grndes sistems devem ser segmentdos em módulos simples A qulidde do projeto será vlid pelo gru de modulrizção do sistem.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPITULO I VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA FINS INDUSTRIAIS ARTIGO l. A lienção, trvés de vend, reliz-se por negocição direct com os concorrentes sendo o preço d vend fixo, por metro qudrdo, pr um ou mis

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

DC3 - Tratamento Contabilístico dos Contratos de Construção (1) Directriz Contabilística n.º 3

DC3 - Tratamento Contabilístico dos Contratos de Construção (1) Directriz Contabilística n.º 3 Mnul do Revisor Oficil de Conts DC3 - Trtmento Contbilístico dos Contrtos de Construção (1) Directriz Contbilístic n.º 3 Dezembro de 1991 1. Est directriz plic-se os contrtos de construção que stisfçm

Leia mais

Gerenciamento de Aquisições em Projetos de Obras

Gerenciamento de Aquisições em Projetos de Obras Gerencimento de Aquisições em Projetos de Obrs Frhd Abdollhyn, MSc., PMP MSP & PRINCE2 Prctitioner frhd@uol.com.br Ptrocindores: Relizção: Frhd Abdollhyn, PMP PRINCE2 Prctitioner Cyrus Associdos Apoio

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Na composiçãodasoperaçõesdecrédito, acarteiracomercialéamaisrepresentativa, detendoumaparticipaçãode79%.

Na composiçãodasoperaçõesdecrédito, acarteiracomercialéamaisrepresentativa, detendoumaparticipaçãode79%. Bnco do Estdo de Sergipe S/A Ru Olímpio de Souz Cmpos Júnior, 31 Birro Inácio Brbos CEP 49040840 Arcju Sergipe Bnese, um ptrimônio de todos os sergipnos Mensgem d President Há mis de meio século, o Bnese

Leia mais

PAULA et al. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 2. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 3

PAULA et al. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 2. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 3 PAULA et l. 133 ANÁLISE COMPARATIVA DA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DOS SEGMENTOS DE CALÇADOS E ALIMENTOS DIVERSOS Amnd de Pul 1 Myr Nkok 2 Adlberto Rmon Vlderrm Gerbsi 3 Isbel Cristin Gozer 4 PAULA,

Leia mais

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período.

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período. VISO PÚBLICO Nº 04/UNOESC-R/2015 O Reitor d Universidde do Oeste de Snt Ctrin Unoesc, Unoesc Virtul, entidde educcionl, crid pel Lei Municipl nº 545/68 e estruturd de direito privdo, sem fins lucrtivos,

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

Redentor Energia S.A.

Redentor Energia S.A. Informções finnceirs Intermediáris referentes o trimestre e período de seis meses findos em 30 de junho de 2015 e Reltório dos Auditores Independentes sobre s informções finnceirs intermediáris Deloitte

Leia mais

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600 1 - INTRODUÇÃO Ests instruções têm por objetivo fornecer s orientções pr utilizção do critério pr cálculo d demnd de edifícios residenciis de uso coletivo O referido critério é plicável os órgãos d COPEL

Leia mais

Forno de Minas Alimentos S.A.

Forno de Minas Alimentos S.A. Forno de Mins Alimentos S.A. Informções Finnceirs Intermediáris referentes os períodos de três e seis meses findos em 30 de Junho de 2015 e Reltório dos Auditores Independentes Deloitte Touche Tohmtsu

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na GV

CPV O cursinho que mais aprova na GV O cursinho que mis prov n GV FGV Administrção 04/junho/006 MATEMÁTICA 0. Pulo comprou um utomóvel fle que pode ser bstecido com álcool ou com gsolin. O mnul d montdor inform que o consumo médio do veículo

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - INEPAR TELECOMUNICAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - INEPAR TELECOMUNICAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Segurança para quem você ama. Cartilha Explicativa

Segurança para quem você ama. Cartilha Explicativa Segurnç pr quem você m. Crtilh Explictiv Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Trimestrais ITR em 30 de setembro de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais

Abril Educação S.A. Informações Trimestrais ITR em 30 de setembro de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais Abril Educção S.A. Informções Trimestris ITR em 30 de setembro de 2013 e reltório sobre revisão de informções trimestris EBITDA SOBE 20% NO 3T13 vs. 3T12 ATINGINDO R$ 24,9 MILHÕES São Pulo, 13 de novembro

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

CONTABILIDADE ANALÍTICA

CONTABILIDADE ANALÍTICA CONTABILIDADE ANALÍTICA Cpítulo Cpítulo 1. COMPONENTES DO CUSTO DE PRODUÇÃO MATÉRIAS (bens dquiridos pr trnsformção): Prims: quels que são trnsformdos noutros produtos Subsidiáris: quels que poim trnsformção

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

SOMOS EDUCAÇÃO S.A. Demonstrações Financeiras

SOMOS EDUCAÇÃO S.A.  Demonstrações Financeiras z SOMOS EDUCAÇÃO S.A. Demonstrações Financeiras Informações Trimestrais ITR em 31 de março de e Relatório sobre a revisão de Informações Trimestrais SOMOS EDUCAÇÃO S.A. INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR em

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL UFU/PREFE/044/2010 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO(A) A Pró-reitori de Grdução d Universidde Federl de Uberlândi, mprd no rtigo 248 ds Norms de Grdução

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Cartilha Explicativa

Cartilha Explicativa Crtilh Explictiv Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno e flexível. O Fmíli Previdênci

Leia mais

Divulgação nos relatórios dos bancos públicos brasileiros: análise das recomendações do Pilar 3 do Acordo de Basileia 2

Divulgação nos relatórios dos bancos públicos brasileiros: análise das recomendações do Pilar 3 do Acordo de Basileia 2 Divulgção nos reltórios dos bncos públicos brsileiros: nálise ds recomendções do Pilr 3 do Acordo de Bsilei 2 Andrei d Silv Britto Universidde Federl do Rio de Jneiro Adrino Rodrigues Universidde Federl

Leia mais

EDITAL 001/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS

EDITAL 001/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS EDITAL 001/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS O coordendor dos projetos de pesquis e desenvolvimento institucionl nº 034280, 042571, 042576, torn públic bertur de inscrições pr seleção de lunos dos cursos de grdução

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

II NÚMERO DE VAGAS: As vagas serão oferecidas em cada disciplina optativa de acordo com a disponibilidade institucional do Programa.

II NÚMERO DE VAGAS: As vagas serão oferecidas em cada disciplina optativa de acordo com a disponibilidade institucional do Programa. Av. Fernndo Ferrri, 514 Vitóri ES CEP: 29.075-910 Cmpus de Goibeirs Tel/Fx: +55 (27) 4009-7657 E-mil: ppghis.ufes@hotmil.com http://www.histori.ufes.br/ppghis EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS A ALUNO ESPECIAL

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

7.4 Coluna Categoria... 22. 7.6 Coluna Valor... 22 7.7 Coluna Vinculação ao Objeto/Justificativa. Financeiro

7.4 Coluna Categoria... 22. 7.6 Coluna Valor... 22 7.7 Coluna Vinculação ao Objeto/Justificativa. Financeiro SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO DA ESTRATÉGIA GOVERNAMENTAL NÚCLEO CENTRAL DE PARCERIAS COM ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL Índice DE INTERESSE PÚBLICO Introdução...

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1 Exercícios de Fixação (Questões de concurso) 1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1.1.1 Concurso para AFRF 2000 prova de contabilidade avançada - Questão 15 ENUNCIADO 15- Aplicações em Investimentos

Leia mais

Bandeirante Energia S.A. Companhia Aberta - CNPJ/MF nº 02.302.100/0001-06

Bandeirante Energia S.A. Companhia Aberta - CNPJ/MF nº 02.302.100/0001-06 Compnhi Abert - CNPJ/MF nº 02.302.100/0001-06 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2013 MENSAGEM DO DIRETOR PRESIDENTE No no de 2013, EDP Bndeirnte prosseguiu com su tução sustentável junto os cionists, clientes,

Leia mais

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS:

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: PAINT 24 - I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: 1.1 - Auditoris de Conformidde Uniddes Orig d dnd: Intern com bse nos resultdos d Mtriz de Risco elbord pel Auditori Intern Nº UNIDADE OBJETIVOS ESCOPO

Leia mais

Plano de Gestão 2012-2015

Plano de Gestão 2012-2015 Plno de Gestão 202-205 - Cmpus UFV - Florestl - Grdução Missão: Promover polítics de incentivo à pesquis, pós-grdução, inicição científic e cpcitção de recursos humnos, objetivndo excelênci do Cmpus Florestl

Leia mais

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de ANEXO II EDITAL Nº 04/2014 2 º PRORROGAÇÃO PARA VAGAS REMANESCENTES QUADRO DE VAGAS REMANESCENTES PARA O PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSORES PESQUISADORES FORMADORES ÁREA DA PESQUISA EMENTA EIXO

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Regulamento Promoção Promo Dotz

Regulamento Promoção Promo Dotz Regulmento Promoção Promo Dotz 1. Empres Promotor 1.1 Est promoção é relizd pel CBSM - Compnhi Brsileir de Soluções de Mrketing, dministrdor do Progrm Dotz, com endereço n Ru Joquim Florino n. 533 / 15º

Leia mais

UNESP - FEIS - DEFERS

UNESP - FEIS - DEFERS UNESP - FEIS - DEFERS DISCIPLINA: ARMAZENAMENTO E BENEFICIAMENTO DE GRÃOS Exercício Modelo sobre Secgem de Grãos Como técnico contrtdo pr ssessorr u propriedde produtor de milho pr grãos, efetur u nálise

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

PREÇÁRIO Informação de Produtos e Serviços Aviso nº 1/95 do Banco de Portugal

PREÇÁRIO Informação de Produtos e Serviços Aviso nº 1/95 do Banco de Portugal 01-08-09 / Pág. 1/12 CRÉDITO PESSOAL CRÉDITO NO PONTO DE VENDA - PARTICULARES Crédito Lr Txs Representtivs Tx Preferencil Tx Nominl Nominl 7,500% 29,500% 18,3% CRÉDITO NO PONTO DE VENDA - EMPRESAS Crédito

Leia mais

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA APRESENTAÇÃO A Diretori Executiv present o Reltório Anul de Informções do Fundo de Pensão Multiptrocindo d OAB-PR e d CAA/PR reltivo o exercício de 2013, consolidndo s principis informções do Plno de Benefícios

Leia mais

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80)

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80) MSc. Pulo Cesr C. Rodrigues pulo.rodrigues@usc.br www.pulorodrigues.pro.br Mestre em Engenhri de Produção MRP Mteril Required Plnning (nos 60) Mnufcturing Resource Plnning (nos 80) MRP = Mteril Requirement

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 004/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

Nota de Pagamento Realizado

Nota de Pagamento Realizado Unidade 22022 tividade SERVIÇO UTÔNOMO MUNICIPL ÁGU E ESGOTO DMINISTRDO PEL FUNDÇÃO NCIONL SÚ RU SOFI TCHINI, 237 Cep 87230000 CGC 809090960001-44 JUSSR-PR PRNÁ Fones (044) 3628-1401 Fax (044) 3628-1401

Leia mais

Circular 1/2015/DGO. - A previsão é realizada em função das necessidades mensais de tesouraria;

Circular 1/2015/DGO. - A previsão é realizada em função das necessidades mensais de tesouraria; Circulr 1/2015/DGO Assunto: Instruções reltivs às previsões mensis de execução do Orçmento do Estdo de 2015 I Enqudrmento 1. As presentes instruções têm como objetivo trnsmitir os procedimentos seguir

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS 1 SUMÁRIO I. Administrção Públic... II. Atos Administrtivos... III. Poder de Políci... IV. Serviço Público... V. Responsbilidde Civil do Estdo... VI. Controle d Administrção Públic... 02 09 21 23 25 27

Leia mais

ANÁLISE DE RISCO E RETORNO DE BENCHMARKINGS DE TIMENTOS FINANCEIROS NO MERCADO BRASILEIRO NO PERÍODO 1986-2004

ANÁLISE DE RISCO E RETORNO DE BENCHMARKINGS DE TIMENTOS FINANCEIROS NO MERCADO BRASILEIRO NO PERÍODO 1986-2004 recebido em 09/2005 - provdo em 10/2005 ANÁLISE DE RISCO E RETORNO DE BENCHMARKINGS DE INVESTIME TIMENTOS FINANCEIROS NO MERCADO BRASILEIRO NO PERÍODO 1986-2004 Tbjr PIMENTA Júnior Universidde de São Pulo

Leia mais

Relatório da Administração Dommo 2014

Relatório da Administração Dommo 2014 Relatório da Administração Dommo 2014 A Administração da Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. apresenta o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

TÍTULO: MANAGEMENT ACCOUNTING: UMA FERRAMENTA NO DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA ORGANIZAÇÃO

TÍTULO: MANAGEMENT ACCOUNTING: UMA FERRAMENTA NO DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA ORGANIZAÇÃO TÍTULO: MANAGEMENT ACCOUNTING: UMA FERRAMENTA NO DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA ORGANIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI

Leia mais

Copobras da Amazônia Industrial de Embalagens Ltda.

Copobras da Amazônia Industrial de Embalagens Ltda. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 7) 1.440 1.112 Fornecedores(Nota 14) 3.537 4.353 Contas a receber

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente d Repúblic Luiz Inácio Lul d Silv Ministro do Plnejmento, Orçmento e Gestão Pulo Bernrdo Silv INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Edurdo Pereir Nunes Diretor-Executivo

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A.

LOCALIZA RENT A CAR S.A. Informações Trimestrais 30 de setembro de 2013 Localiza LOCALIZA RENT A CAR S.A. CNPJ/MF 16.670.085/0001-55 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço

Leia mais

4.1. Modalidades de Pagamento 4.2. Pagamento do Incentivo relativo às Operações de Locação Financeira 4.3. Garantias Bancárias

4.1. Modalidades de Pagamento 4.2. Pagamento do Incentivo relativo às Operações de Locação Financeira 4.3. Garantias Bancárias UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturis SIME Gui do Beneficiário (Portri n.º 262/2004, de 11 de Mrço) - Introdução 1. Notificção e Contrtção dos Incentivos. 1.1. Notificção 1.2. Contrtção 1.3. Elementos Adicionis,

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA : 15 Mnutenção e Revitlizção do Ensino Infntil FUNDEB 40% 1. Problem: O município possui pens dus escol que oferece ensino infntil e não tende tod demnd.

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

CRUZEIRO DO SUL. Banco Cruzeiro do Sul S.A. RATING

CRUZEIRO DO SUL. Banco Cruzeiro do Sul S.A. RATING RTING Dezembro de 2008 - dados do 1 semestre de 2008 Rua raújo Porto legre, 36/8 parte Tel.: s instituições financeiras superá-las no curto prazo. s de um banco. outra nalistas Joel Sant na Júnior DIVULGÇÃO

Leia mais

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos 3. Cálculo integrl em IR 3.. Integrl Indefinido 3... Definição, Proprieddes e Exemplos A noção de integrl indefinido prece ssocid à de derivd de um função como se pode verificr prtir d su definição: Definição

Leia mais

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 1 Objetivos e considerações gerais sobre as Demonstrações Financeiras Conteúdo

Leia mais

07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE

07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE 07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES NA QUALIDADE FISIOLOGICA DA SEMENTE E A EFICIENCIA NO CONTROLE DE PRAGAS INICIAIS NA CULTURA DA SOJA Objetivo Este trblho tem como objetivo vlir o efeito

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA PROPOSTA DO GOVERNO / Prtidos d Bse PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO do Governo (Mensgem Retifictiv) E / OU ATEMPA / SIMPA Vo t ç ão TEXTO DO CONGRESSO Diverss estrtégis pr tingir s mets Emend 1- exclui

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO DISCIPLINA: (12º Ano Turm M) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Teres Sous Docente Teres Bstos Ano Letivo 2015/2016 Competêncis

Leia mais

Balancete Mensal Data : Dezembro/2013

Balancete Mensal Data : Dezembro/2013 Pagina 1 de 6 VOTORNTIM ET MNGEMENT DTVM LTD. aldo 30/11/2013 I Débito mês Crédito mês aldo 31/12/2013 I 1 1.1 1.1.2 1.1.2.10 1.1.2.10.00 1.1.2.10.00.001 CIRCULNTE E RELIZÁVEL LONGO PRZO DIPONIBILIDDE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plno de Trblho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Hbilitção Profissionl:Técnic de Nível Médio de TÉCNICO EM CONTABILIDADE

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Fevereiro/2011 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL MISSÃO DO CURSO O Curso Superior de Tecnologi em Automção Industril do Centro Universitário Estácio Rdil de São Pulo tem

Leia mais