7.4 Coluna Categoria Coluna Valor Coluna Vinculação ao Objeto/Justificativa. Financeiro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "7.4 Coluna Categoria... 22. 7.6 Coluna Valor... 22 7.7 Coluna Vinculação ao Objeto/Justificativa. Financeiro"

Transcrição

1 SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO DA ESTRATÉGIA GOVERNAMENTAL NÚCLEO CENTRAL DE PARCERIAS COM ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL Índice DE INTERESSE PÚBLICO Introdução... 4 Objetivo do mnul A Plnilh do Reltório Gerencil Finnceiro Ab Cp Ab Resumo Cx Ab Comprtivo Cp Ab Anlítico Cp Ab Comprometidos Ab Prov. Pessol Ab Pessol Ab Bens Ab Diário Tbel 9 Diário de Entrds e Síds Colun Nº Lnçmento Colun Dt Pgto Mês Comp.... Mnul de Elborção de Colun Ctegori Colun Subctegori... Reltório Gerencil Colun Vlor Colun Vinculção o Objeto/Justifictiv Finnceiro Colun Aproprição... Erro! Indicdor não definido. 7.9 Colun Fvorecido Colun CNPJ - CPF (Fvorecido) Colun Form de Pgmento Colun Tipo documento... Versão Julho de Colun Nº documento Colun Dt do documento Coluns Percentul de Aproprição por Atividde e Explicções... Erro! Indicdor não definido. 10 Ab Declrção Ab Bens... Erro! Indicdor não definido. 1

2 FICHA TÉCNICA Antônio Augusto Junho Anstsi Governdor do Estdo de Mins Geris Alberto Pinto Coelho Vice Governdor do Estdo de Mins Geris Rent Mri Pes de Vilhen Secretári de Estdo de Plnejmento e Gestão Adrine Ricieri Brito Subsecretári de Gestão d Estrtégi Governmentl Otávio Mrtins Mi Gestor do Núcleo Centrl de Prceris com OSCIPs Equipe Técnic André Luiz Veloso Ferreir Edurdo Cmpos Prosdocimi Felipe Wng Gerlinne Cristine Diniz Romero Gustvo Henrique Ribeiro Sntos Íri Pereir de Melo Luis De-Lzzri Biclho Peixoto Resende Mrcus Vinícius Teodoro Rphel Srdinh Moreir de Cstro Tigo Cnçdo Diniz 2

3 SUMÁRIO Introdução... 4 Objetivo do mnul A Plnilh do Reltório Gerencil Finnceiro Ab Cp Ab Resumo Cx Ab Comprtivo Cp Ab Anlítico Cx Ab Anlítico Cp Ab Comprometidos Ab Prov. Pessol Ab Pessol Ab Bens Ab Diário Ab Declrção Reltório de Execução Anul

4 Introdução Este mnul tem como principl objetivo orientr s OSCIPs n elborção do Reltório Gerencil Finnceiro - RGF com vists simplificr ess tref e pdronizr s informções prestds. O Reltório Gerencil Finnceiro deverá ser entregue o finl de cd período vlitório conforme determinção do rtigo 34 inciso I do Decreto /12, bixo trnscrit: [...] Art. 34. São obrigções d OSCIP, reltivs o Termo de Prceri, lém ds demis prevists n Lei nº , de 2003, e neste Decreto: I presentr o OEP, o término de cd período vlitório, Reltório Gerencil de Resultdos e Reltório Gerencil Finnceiro, conforme modelos disponibilizdos no sítio eletrônico d SEPLAG; [...] É importnte destcr que o Reltório Gerencil Finnceiro deverá ser elbordo em conformidde com o modelo disponibilizdo no sítio eletrônico d Secretri de Plnejmento e Gestão SEPLAG. Um importnte objetivo indireto, prtindo do princípio que o RGF foi corretmente produzido pel OSCIP, é fcilitr o trblho dos supervisores cerc d verificção e confirmção d vercidde e fidedignidde ds informções prestds pel entidde por meio deste reltório. Tl importnte tribuição do supervisor está rrold no prágrfo terceiro do rtigo 47 in verbis: [...] 3º O Reltório Gerencil de Resultdos e o Reltório Gerencil Finnceiro serão encminhdos pel OSCIP o supervisor do Termo de Prceri que, no przo de té cinco dis úteis, deverá nlisr o seu conteúdo e testr vercidde e fidedignidde ds informções presentds e, qundo for necessário, solicitr à OSCIP relizção de lterções ou dequções. [...] Um segundo objetivo indireto que pode ser tingido é, prtindo do princípio que o RGF foi corretmente produzido pel OSCIP e devidmente verificdo e testdo pelo supervisor, propicir à Comissão de Avlição informções finnceirs sólids que subsidiem nálise dos resultdos lcnçdos pel OSCIP, tendo em vist que o RGF é um dos reltórios que est Comissão tem à su disposição. Vejmos novmente no decreto: [...] Art. 47. A CA é responsável pel nálise dos resultdos lcnçdos pel OSCIP em cd período vlitório estbelecido no Termo de Prceri, com bse nos indicdores de resultdos constntes do progrm de trblho. 1º A nálise d Comissão que se refere o cput será feit com bse nos ddos presentdos pel OSCIP e testdos pelo supervisor do Termo de Prceri, e tem por objetivo vlir o lcnce de resultdos. 2º Pr subsidir vlição relizd pel Comissão, OSCIP deverá presentr, té quinze dis pós o término de cd período vlitório, Reltório Gerencil de Resultdo, e té dez dis pós o término de cd período vlitório, Reltório Gerencil e Finnceiro, elbordo conforme modelo disponibilizdo no sítio eletrônico d SEPLAG, contendo: I comprtivo entre s mets proposts e os resultdos lcnçdos, compnhdo de justifictivs pr todos os resultdos não lcnçdos e proposts de ção pr superção dos problems enfrentdos; II demonstrtivo integrl d receit e despes relizds n execução, em regime de cix e em regime de competênci; e III comprovntes de regulridde fiscl, trblhist e previdenciári. 4

5 3º O Reltório Gerencil de Resultdos e o Reltório Gerencil Finnceiro serão encminhdos pel OSCIP o supervisor do Termo de Prceri que, no przo de té cinco dis úteis, deverá nlisr o seu conteúdo e testr vercidde e fidedignidde ds informções presentds e, qundo for necessário, solicitr à OSCIP relizção de lterções ou dequções. 4º O supervisor deverá vlidr versão finl do Reltório Gerencil Finnceiro e o de Resultdos e encminhr um cópi pr cd membro d CA com, no mínimo, cinco dis úteis de ntecedênci d dt d reunião ser convocd pelo próprio supervisor. [...] Objetivo do mnul O objetivo desse mnul é orientr s Oscips n elborção do reltório gerencil finnceiro - RGF. Objetivo d plnilh O objetivo d plnilh é pdronizr 1 o Reltório Gerencil Finnceiro, de form fcilitr nálise pelo supervisor, pel Comissão de Avlição e pel Controldori Gerl Estdo - CGE. Vis tmbém fcilitr o compnhmento d execução finnceir pelo OEP, bem como elborção ds prestções de conts nul ou finl. É importnte observr que o modelo do Reltório Gerencil Finnceiro foi elbordo de form condizente à memóri de clculo. Sendo ssim, enqunto el é previsão dos gstos, o RGF é demonstrção dos gstos seguindo os mesmos moldes. Resultdos indiretos esperdos Amplição d trnsprênci n utilizção dos recursos públicos repssdos; Entendimento fácil e simplificdo d demonstrção finnceir, principlmente pr sociedde e pr os órgãos de controle. 1 Algums subctegoris do plno de conts poderão ser diferentes em lguns termos de prceri devido peculiridde de cd projeto. Contudo tods s tbels, conceitos, metodologi, formtos e ddos solicitdos serão os mesmos pr tods s prceris. 5

6 1 A Plnilh do Reltório Gerencil Finnceiro A plnilh do Reltório Gerencil Finnceiro - RGF foi construíd utilizndo-se o Microsoft Office Excel Pr utilizá-l não são necessários conhecimentos vnçdos deste softwre. A plnilh do RGF contém 11 bs seguir enumerds: 1. Ab Cp; 2. Ab Resumo Cx.; 3. Ab Comprtivo Cp.; 4. Ab Anlítico Cx.; 5. Ab Anlítico Cp. 6. Ab Comprometidos; 7. Ab Prov. Pessol; 8. Ab Pessol; 9. Ab Bens; 10. Ab Diário; 11. Ab Declrção; ABAS 6

7 Cd um desss bs, excetundo-se Ab Cp e Ab Folh de Assintur, contém um tbel com informções relevntes cerc ds movimentções finnceirs d OSCIP durnte o período. O qudro bixo mostr o conteúdo ds bs: ABA Ab Cp Ab Resumo Cx. Ab Comprtivo Cp. Ab Anlítico Cx. Ab Anlítico Cp. Ab Comprometidos Ab Prov. Pessol Ab Pessol Ab Bens Ab Diário Ab Declrção Cp CONTEÚDO Tbel 1 - Resumo ds Movimentções Finnceirs no Período em Regime de Cix Tbel 2 - Comprtivo entre Receits e Gstos Previstos e Relizdos no Período em Regime de Competênci Tbel 3 - Demonstrtivo Anlítico ds Receits e Gstos Mensis em Regime de Cix Tbel 4 - Demonstrtivo Anlítico ds Receits e Gstos Mensis em Regime de Competênci Tbel 5 - Demonstrtivo dos Recursos Comprometidos o Finl do Período Tbel 6 - Demonstrtivo Mensl dos Recursos Provisiondos com Pessol Tbel 7 - List de Admissões e Demissões de Trblhdores e Estgiários no Período Tbel 8 - List de Bens Permnentes Adquiridos no Período Tbel 9 - Diário de Entrds e Síds Declrção de vercidde ds informções prestds pelo dirigente d OSCIP. Rtificção do supervisor do termo de prceri. A plnilh do Reltório Gerencil Finnceiro RGF foi elbord por meio de um lógic de ctegoris e subctegoris d mesm form que plnilh d Memóri de Cálculo do Termo de Prceri - MCTP. Ests ctegoris e subctegoris form previmente estbelecids no plno de conts d memóri de cálculo e não podem ser lterds, suprimids, tmpouco incluíds novs pós ssintur do Termo de Prceri ou Termo Aditivo, permitindo ssim o comprtivo entre o previsto e o relizdo. Como qulquer mudnç neste plno de conts ensej mudnçs n Memóri de Cálculo, os reltórios gerenciis finnceiros devem seguir s mesms subctegoris. 7

8 2 Ab Cp Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP LOGOMARCA DA OSCIP (SE HOUVER) nº Reltório Gerencil Finnceiro Período Avlitório (di) de (mês) de (no) (di) de (mês) de (no) LOGOMARCA DO PROJETO (SE HOUVER) Dt de entreg o Supervisor(): / / Dt de encminhmento pelo Supervisor() à Comissão de Avlição: / / Reltório Gerencil Finnceiro Belo Horizonte Versão 3.1 Julho Alterr o TÍTULO. Bst substituir n célul d plnilh Órgão Esttl Prceiro OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público Oscip, pelos respectivos nomes e sigls. Cso o instrumento em questão não sej um Termo de Prceri e sim um Termo Aditivo, substituir Termo de Prceri por Termo Aditivo, precedido d numerção do mesmo. Ex: 2º Termo Aditivo celebrdo entre Secretri de Plnejmento e Gestão Seplg e o Centro Mineiro de Alinçs Intersetoriis - Cemis. - Substituir o nº do Reltório Gerencil Finnceiro pelo número do período vlitório e lterr cor d fonte pr pret. - Substituir (di) de (mês) de (no) (di) de (mês) de (no) pelo período vlitório em nálise do Termo de Prceri. Ex: 01 de jneiro de de mrço de Incluir (se houver) s Logomrcs d Oscip e do Projeto em execução, retirndo o texto que indic o locl ds mesms. Cso não exist pens pgue o texto. - As dts de entreg 2 do reltório pel OSCIP o supervisor e, posteriormente, o encminhmento pelo supervisor CA, devem ser preenchidos mnulmente. A últim linh dest b serve pr indicr qul é versão do modelo de Reltório Gerencil Finnceiro. Permite sber se versão que se está utilizndo é mis tul consultndo o sítio eletrônico d SEPLAG. 2 Os przos pr entreg e vlidção do RGF estão expressos nos prágrfos 2ª, 3º e 4º do rtigo 47 do decreto /12. 8

9 Orientções prátics e dics Todos os cmpos que devem ser lterdos estão com o texto em vermelho. Depois de completr não se esquecer de mudr cor do texto pr preto. Todos os demis cmpos ns demis bs d plnilh do Reltório Gerencil Finnceiro que requeirm informções solicitds n cp serão preenchidos utomticmente. 3 Ab Resumo Cx. Tbel 1 - Resumo ds Movimentções Finnceirs no Período em Regime de Cix Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 1 - Resumo ds Movimentções Finnceirs no Período em Regime de Cix Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 (T) Trnsporte de Sldo Acumuldo Anterior (E) Totl de Entrds de Recursos (S) Totl de Síds de Recursos (SA) Sldo Acumuldo (T+E-S) (A) Sldo de Recursos Arrecddos do TP - (PP) Provisonmentos de Pessol - (C) Recursos Comprometidos - (SR) Sldo Remnescente (SA-A-PP-C) - Composição Finnceir do Sldo Acumuldo (SF) Sldo Extrto C/C no período - Sldo Extrto CI no período - Sldo Fundo Fixo no período - (SF) ( = ) Sldo Finnceiro no período - (G) CONFERENCIA (SA) - (SF) = 0,00 - Est tbel vis permitir um visão gerl ds movimentções finnceirs relizds pel Oscip durnte o período vlitório em regime de cix. El demonstr de form resumid s entrds e síds de recursos e os sldos do Termo de Prceri o fim do período. É importnte notr que, pesr de ser um resumo, est tbel possui informções exclusivs (que não são visulizds ns demis tbels) com o intuito de fvorecer visão globl ds 9

10 movimentções. Tis informções são: Sldo Recursos Arrecddos do TP, o Sldo Remnescente e Composição Finnceir do Sldo Acumuldo. Segue um definição de cd cmpo: (T) Represent o Trnsporte do Sldo Acumuldo Anterior. (E) Represent o totl de Entrds de Recursos finnceiros cd mês. (S) Represent o totl de Síds de Recursos finnceiros cd mês. (SA) Sldo Acumuldo: Mtemticmente represent o resultdo de (T + E S), ou sej, o Sldo Anterior (+) s Entrds de Recursos no Período Avlitório (-) s Síds de Recursos no Período Avlitório. Este é o sldo que o finl de cd mês será trnsportdo pr o próximo período, entrndo no (T) Trnsporte de Sldo Anterior. (A) Represent o sldo dos recursos finnceiros rrecddos pel entidde em função d existênci do termo de prceri 3 o finl do período vlitório. (PP) Represent o totl de Provisionmentos de Pessol o finl do período vlitório. (C) Represent o totl de Recursos Comprometidos o finl do período vlitório. (SR) Sldo Remnescente: Mtemticmente represent o resultdo de (SA - A PP - C). É o sldo de recursos finnceiros que não form gstos, nem comprometidos e nem são recursos dvindos d execução do Termo de Prceri. Demonstr quntidde de recursos que form previstos, ms não form gstos nem comprometidos. Este sldo deverá ser descontdo do próximo repsse. A Composição Finnceir do Sldo Acumuldo permite identificr como estvm locdos os recursos finnceiros disponíveis à Oscip o fim do período vlitório. Sldo em Cont Corrente (C/C). Represent o sldo existente no extrto bncário em Cont Corrente o fim do período vlitório. Sldo em Cont Investimento ou Aplicção (CI). Represent o sldo existente no extrto bncário em Cont de Investimento ou Aplicção o fim do período vlitório. Sldo no Fundo Fixo. Represent o montnte em dinheiro existente no cix o fim do período vlitório. (SF) Represent o somtório dos Sldos em Cont Corrente (C/C) (+) os Sldos em Cont Investimento ou Aplicção (CI) (+) os Sldos no Fundo Fixo. É o sldo rel existente no finl, em R$, do Período Avlitório. (G) É conferênci d diferenç entre o Sldo Acumuldo em (SA) e o somtório dos Sldos em Cont Corrente (C/C) (+) os Sldos em Cont Investimento ou Aplicção (CI) (+) os Sldos no Fundo Fixo. O resultdo tem que ser sempre zero (R$ 0,00). 3 Verificr rtigo 55 do decreto /12 10

11 O cmpo (G) deve ser nlisdo pr verificr se tods s Entrds e Síds de Recursos form lnçds corretmente. Cso o resultdo sej diferente de zero (R$ 0,00), provvelmente form feitos lnçmentos incorretos n Ab Diário ou em Cheques Compensr d Ab Comprometidos. Orientções prátics e dics Os cmpos (T) Trnsporte de Sldo Acumuldo Anterior do 1º Período, (A) Sldo de Recursos Arrecddos do TP, Sldo Extrto C/C no período, Sldo Extrto CI no período, Sldo Fundo Fixo no período, devem ser preenchidos mnulmente. Os demis cmpos contem fórmuls e, portnto, não devem ser preenchidos. Eles serão preenchidos utomticmente n medid em que forem feitos lnçmentos ns demis bs. A plnilh do RGF possui coluns pr 06 meses. Deve-se ocultr os meses que ind não form utilizdos pr evitr confusões. Informr dt de início e término de cd período vlitório e o mês de referênci à Memóri de Cálculo. A linh com o Mês 1 e os demis fz referênci os meses de durção d vigênci do termo de prceri e seus ditivos, ou sej, os meses que estão n Memóri de Cálculo, e não os meses do no. Assim jneiro não será necessrimente o Mês 1, e tmpouco dezembro o Mês 12. Ex: Cso tenh sido ssindo um Termo de Prceri, independente do inicio d vigênci, esse será o Mês 1, o seguinte o Mês 2 e ssim por dinte. No período vlitório seguinte ess numerção continu, ou sej, cso o período nterior tenh sido de 3 meses, o primeiro mês deverá ser lterdo pr o Mês 4 e, d mesm form, os demis meses. Deve-se tmbém substituir pels dts de início e término do mês em questão seguindo o exemplo: 01/04/10 30/06/10 Um vez informdo o período vlitório n Tbel 1 não será mis necessário preencher este ddo ns demis tbels. 11

12 4 Ab Comprtivo Cp. Tbel 2 - Comprtivo entre Receits e Gstos Previstos e Relizdos no Período em Regime de Competênci 1 Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP Entrd de Recursos 1.1 Receits Repsses do Termo de Prceri Receit Arrecdd em Função do TP Rendimentos de Aplicções Fin. Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 1 Mês 2 Mês Outrs Receits (E) Totl de Entrds: Tbel 2 - Comprtivo entre Receits e Gstos Previstos e Relizdos no Período em Regime de Competênci Acumuldo Previsto nº Reltório Gerencil Finnceiro TOTAL Acumuldo Relizdo TOTAL Relizdo (/) Previsto Previsto (-) Relizdo Síd de Recursos Despess de Pessol Acumuldo Mês 1 Mês 2 Mês 3 TOTAL Acumuldo Mês 1 Mês 2 Mês 3 TOTAL Relizdo (/) Previsto Previsto (-) Relizdo Slários Estgiários Encrgos Benefícios Subtotl (Pessol): Gstos Geris Aquisição de Bens Permnentes (S) Totl de Síds: O objetivo dest tbel é permitir visulizção, em nível sintético, em regime de competênci, d relção entre s entrds e síds de recursos prevists e s efetivmente relizds. Vis propicir o compnhmento gerl d coerênci entre o plnejmento e o efetivmente relizdo. Est tbel está dividid em dus prtes: vlores previstos e relizdos. Os vlores previstos 4 deverão ser idênticos os presentdos n Memóri de Cálculo do Termo de Prceri. Já os vlores relizdos estão vinculdos os ddos lnçdos ns bs Diário, Comprometidos e Prov. Pessol. Por fim, s últims coluns presentm o resultdo de Previsto (/) Relizdo e Previsto ( ) Relizdo. N primeir desss coluns, demonstr-se em cd ctegori se houve flt ou sobr de recursos. N segund colun, demonstr-se em cd ctegori relção entre previsto e relizdo em termos percentuis, obtendo o resultdo pelo cálculo do Previsto ( ) Relizdo. Orientções prátics e dics Os vlores relizdos estão vinculdos às demis bs, portnto não podem ser lterdos por meio d tbel 2. Os vlores previstos devem ser copidos d Memóri de Cálculo. Deve se ocultr os meses que ind não form utilizdos pr evitr confusões. 4 Os vlores previstos são definidos n Tbel 1 Previsão em nível sintético ds receits e despess mensis d Memóri de Clculo do Termo de Prceri. 12

13 5 Ab Anlítico Cx. Tbel 3 - Demonstrtivo Anlítico ds Receits e Gstos Mensis em Regime de Cix Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 3 - Demonstrtivo Anlítico ds Receits e Gstos Mensis em Regime de Cix TOTAL % do TOTAL T Trnsporte de Sldo Acumuldo (SA) Entrd de Recursos 1.1 Receits Repsses do Termo de Prceri ,00% Receit Arrecdd em Função do TP ,00% Rendimentos de Aplicções Fin ,00% Outrs Receits ,00% (E) Totl de Entrds ,00% 2 Síd de Recursos 2.1 Gstos com Pessol Slários e Remunerções Slários ,00% Est tbel demonstr nliticmente TODOS OS LANÇAMENTOS REALIZADOS NO DIÁRIO, de tods s Entrds e Síds de Recursos em regime de Cix. Está com fórmuls e será utomticmente lterd em todo o momento que houver lnçmentos de Entrds e Síds de Recursos. Pr o seu preenchimento, são levdos em considerções os cmpos Dt Pgto, Subctegori e os vlores inseridos, todos do diário. Além disso, o Trnsporte de Sldo Acumuldo está vinculdo à b Resumo. Deve-se ocultr os meses que ind não form utilizdos. 13

14 6 Ab Anlítico Cp. Tbel 4 - Demonstrtivo Anlítico ds Receits e Gstos Mensis em Regime de Competênci Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 4 - Demonstrtivo Anlítico ds Receits e Gstos Mensis em Regime de Competênci TOTAL % do TOTAL 1 Entrd de Recursos 1.1 Receits Repsses do Termo de Prceri ,00% Receit Arrecdd em Função do TP ,00% Rendimentos de Aplicções Fin ,00% Outrs Receits ,00% (E) Totl de Entrds ,00% 2 Síd de Recursos 2.1 Gstos com Pessol Slários e Remunerções Slários ,00% Est tbel demonstr nliticmente em regime de competênci s receits e gstos do período. O preenchimento dest tbel é utomático, com bse nos ddos de 3 bs e será melhor explicdo bixo. As subctegoris INSS Ptronl, PIS, FGTS, FGTS Mult Rescisóri, 13º Slário, Féris, 1/3 de Féris e Rescisão de Trblho (Sldo Slário, Aviso Prévio, outros) estão vinculds s mesms subctegoris presentes n Entrd de Provisionmentos com Pessol d b Prov. Pessol. Tods s demis subctegoris são vinculds o Diário, com bse nos ddos preenchidos nos cmpos Mês Comp., Subctegori e os vlores inseridos. São somdos esses vlores inseridos no diário, os vlores inseridos em recursos comprometidos, com bse nos cmpos Subctegori e Mês de Comp. Deve-se ocultr os meses que ind não form utilizdos 14

15 7 Ab Comprometidos Tbel 5 - Demonstrtivo dos Recursos Comprometidos o Finl do Período Nº Ctegori Subctegori Fvorecido 10 Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 5 - Demonstrtivo dos Recursos Comprometidos o Finl do Período Mês de Comp. Vlor A tbel 5 represent todos os compromissos com fornecedores já ssumidos pel OSCIP que não serão honrdos no período vlitório em questão. Devem ser inseridos todos os comprometimentos com fornecedores em que o mês de referênci está dentro do período vlitório, ou mesmo um nterior, ms cujo pgmento será relizdo pós o referido período. É o cso de conts de luz, águ, telefone, entre outrs, bem como os demis compromissos ssumidos, independente se há contrto ou não. Devem ser inseridos tmbém os cheques emitidos pel Oscip e que ind não form compensdos. Os compromissos que form quitdos durnte o período não devem estr incluídos ness Tbel. Não cbe inserir em recursos comprometidos vlores presentes n Memóri de Cálculo que estão previstos em períodos vlitórios futuros Com o seu correto preenchimento é possível sber qul será o sldo remnescente pós s movimentções do período e o cumprimento ds obrigções gerds. Segue bixo explicção de cd colun ser preenchid ) Colun Ctegori As ctegoris presentds são s mesms utilizds n Memóri de Cálculo do Termo de Prceri e por isso deverão ser pens selecionds entre s disponibilizds no pinel. Est colun possui um brr de rolgem. Bst clicr e selecionr Ctegori que melhor represent respectiv Entrd ou Síd de Recursos. b) Colun Subctegori As subctegoris presentds são s mesms utilizds n Memóri de Clculo do Termo de Prceri e por isso deverão ser pens selecionds entre s disponibilizds no pinel. Est colun possui um brr de rolgem. Bst clicr e selecionr subctegori que melhor represent respectiv Entrd ou Síd de Recursos. 15

16 c) Colun Fvorecido Nest colun deve-se preencher denominção do receptor do recurso finnceiro. Pode ser um Pesso Jurídic um Pesso Físic, um trblhdor d OSCIP ou té mesmo própri OSCIP (um receit, por exemplo). d) Mês de Comp. Nest colun deve-se preencher o mês de competênci do recurso comprometido. O formto deste cmpo é mmm/. Ex: mr/12 e) Vlor Colocr o vlor do gsto que será relizdo posteriormente. Cso o repsse nterior contemple os gstos de um mês que não está dentro do período vlitório em questão, o vlor dquele mês pode ser inserido de form integrl no cmpo Gstos do Próximo Período Cobertos pelo Repsse Anterior. Orientções prátics e dics Nest tbel form inserids 250 linhs pr utilizção d Oscip. Entretnto, cso sej necessári inclusão de novs linhs, Oscip deverá requisitr à SEPLAG que s insir no reltório. Por outro ldo, cso existm linhs não utilizds, deve-se ocultá-ls. 16

17 8 Ab Prov. Pessol Tbel 6 - Demonstrtivo Mensl dos Recursos Provisiondos com Pessol Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 6 - Demonstrtivo Mensl dos Recursos Provisiondos com Pessol Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 Totl Trnsporte de Provisionmentos Anteriores Entrd de Provisionmentos com Pessol INSS Ptronl PIS FGTS FGTS Mult Rescisóri º Slário Féris /3 de Féris Rescisão de Trblho (Sldo Slário, Aviso Prévio, outros) Totl de Entrds Cncelmento de Provisionmentos com Pessol INSS Ptronl PIS FGTS FGTS Mult Rescisóri º Slário Féris /3 de Féris Rescisão de Trblho (Sldo Slário, Aviso Prévio, outros) Totl de Cncelmentos Gstos do Provisionmentos com Pessol INSS Ptronl PIS FGTS FGTS Mult Rescisóri º Slário Féris /3 de Féris Rescisão de Trblho (Sldo Slário, Aviso Prévio, outros) Totl de Gstos Provisionmento do Período A Ab Prov. Pessol contém Tbel 6 - Demonstrtivo Mensl dos Recursos Provisiondos com Pessol. Nest tbel são demonstrds s movimentções de todos os recursos provisiondos com pessol. A primeir linh contém o Trnsporte de Provisionmentos Anteriores. No cso de um termo de prceri novo o primeiro mês obvimente deve estr zerdo. Nos demis csos, no espço destindo pr o primeiro mês deve ser inserido o sldo de provisionmento com pessol do período nterior. O trnsporte dos demis meses será feito utomticmente por meio de fórmul. Em Entrd de Provisionmentos com Pessol, tods s subctegoris devem ser preenchids em regime de competênci utilizndo o Reltório de Provisões Trblhists ou o Blnço, emitidos pel Contbilidde d OSCIP. Esss informções servirão pr preencher esss mesms subctegoris d b Anlítico Cp.. 17

18 Os cmpos de Cncelmento de Recursos Provisiondos são destindos pr subtrir vlores provisiondos que não mis são necessários. Então, no cso de síd de um trblhdor cumprindo o viso prévio, por exemplo, pode ser cnceldo o provisionmento d indenizção d rescisão de trblho. Pr tnto, o vlor dess rescisão deve ser lnçdo como positivo, n subctegori do espço destindo pr cncelmento, no mês em que ocorreu rescisão. Não é possível e nem necessário relizr o cncelmento mês mês, voltndo té o primeiro provisionmento deste trblhdor. As entrds (positivmente) e os cncelmentos (negtivmente) são os vlores utilizdos pr preencher tbel nlític de competênci. Destc-se que s tbels nlítics de cix e de competênci somente se igulrão o finl do termo de prceri. Os Gstos do Provisionmento com Pessol são preenchidos utomticmente pelos lnçmentos do diário nesss subctegoris em regime de cix. Os demis cmpos são preenchidos de form utomátic. O Provisionmento do Período é clculdo então pelo trnsporte de provisionmentos nteriores, somdo s entrds e subtrído ds síds. O último provisionmento do período irá compor o cmpo Provisonmentos de Pessol d b Resumo. Deve-se ocultr os meses que ind não form utilizdos 9 Ab Pessol Tbel 7 - List de Admissões e Demissões de Trblhdores e Estgiários no Período Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP Crgo nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 7 - List de Admissões e Demissões de Trblhdores e Estgiários no Período Form de Contrtção Crg-Horári (Semnl) Gsto Mensl do Crgo (Rem. Brut + Encrgos + Benefícios) Dt de Demissão Dt de Admissão 18

19 A Ab Pessol contém Tbel 7 - List de Admissões e Demissões de Trblhdores e Estgiários no Período El deverá ser preenchid, durnte o período vlitório, com todos os trblhdores ou estgiários que form contrtdos ou demitidos, demonstrndo como foi movimentção de pessol Segue explicção sobre s 6 coluns em que tbel está dividid. ) Crgo Represent o nome do crgo que o trblhdor ocup. Ex. Diretor de Projetos, Diretor Administrtivo e Finnceiro, Auxilir Administrtivo, Coordendor de RH, Contdor. b) Form de Contrtção Represent Form de contrtção do trblhdor. Deve ser seleciond dentre s opções presentds, clicndo no botão pr brir brr de rolgem. c) Crg Horári (Semnl) Represent quntidde de hors serem trblhds. d) Gsto Mensl do Crgo (Rem. Brut + Encrgos + Benefícios) Vlor totl gsto com o crgo. e) Dt de Demissão A dt em que um trblhdor ou estgiário foi demitido. f) Dt de Admissão A dt em que um trblhdor ou estgiário foi dmitido Não há obrigtoriedde dos cmpos Dt de Demissão e Dt de Admissão serem preenchidos em um mesm linh, o que ocorre, por exemplo, n ssintur de um termo de prceri. Entretnto, cso ocorr os dois ftos referentes um mesmo crgo em um mesmo período vlitório, como no cso d substituição de um trblhdor, deve ser preenchido mbs s dts em um mesm linh, pr fcilitr nálise. Orientções e dics Se necessário, é possível inserir mis linhs. Cso tenh linhs sobrndo deve-se ocultá-ls. 19

20 10 Ab Bens Tbel 8 - List de Bens Permnentes Adquiridos no Período Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 8 - List de Bens Permnentes Adquiridos no Período Número do Ptrimônio Descrição Complet Subctegori Vlor de Aquisição Dt de Aquisição Fornecedor Not Fiscl Loclizção do Bem Justifictiv pr quisição Informr detlhdmente tods s quisições de bens durnte o TP, informndo o número de ptrimônio, descrição complet do bem, subctegori (Equipmentos de Informátic, Mobiliário, Veículos, etc), o vlor de quisição, dt de quisição, o fornecedor, o número d not fiscl, loclizção do bem n OSCIP e justifictiv pr quisição. Cso sej necessário é possível inserir mis linhs. Cso hj linhs que não form utilizds deve-se ocultá-ls. Cuiddo o inserir novs linhs. Cso sej incluíd um nov linh clicndo com o botão direito em cim d linh onde se clcul o totl ou subtotl dquele intervlo, o vlor dess nov linh não frá prte do cálculo. Portnto deve-se inserir linhs clicndo com o botão direito ns linhs já disponibilizds pr inserção de ddos. 20

21 11 Ab Diário Tbel 9 Diário de Entrds e Síds Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP nº Reltório Gerencil Finnceiro Tbel 9 - Diário de Entrds e Síds Nº Lnçt o Dt Ctegori Subctegori Vlor (R$) Vinculção o Objeto / Justifictiv Tbel 9 - Diário de Entrds e Síds Fvorecido CNPJ - CPF (Fvorecido) Form de Pgmento Tipo do Documento Nº do Documento Dt do Documento Est b contém Tbel 5 Diário de Entrds e Síds. É tbel mis importnte do Reltório Gerencil Finnceiro, pois el, diret ou indiretmente, irá limentr outros cmpos ds outrs tbels. N tbel 9 deve ser lnçd movimentção finnceir d OSCIP, ou sej, tods s Entrds e Síds de Recursos Finnceiros d Oscip no determindo período vlitório. As movimentções interns d Oscip, d cont corrente pr o fundo fixo, d cont corrente pr investimento, movimentções ds conts de investimento, não devem ser registrds no diário. Devem ser registrds tods s síds e entrds que efetivmente deixrm ou chegrm à entidde, sejm s reltivs à cont bncári ou o cix. Atenção: Ao finl de cd mês deverá ser lnçdo o rendimento líquido d plicção finnceir como entrd de recurso. Segue explicção de cd cmpo ser preenchido: ) Colun Nº Lnçmento Numerção seqüencil de lnçmentos efetudos. b) Colun Dt Pgto 21

22 Informr dt ext em que o recurso entrou ou siu d cont ou do cix d Oscip, ou sej, o di em que o recurso foi movimentdo. Não confundir com dt do documento, pois est se refere o di em que o documento foi emitido. Preencher com o formto. c) Mês Comp. Nest colun deve-se preencher o mês de competênci do recurso movimentdo. O formto deste cmpo é mmm/. Ex: mr/12 Esse cmpo não deve ser preenchido qundo lnçmentos forem ds subctegoris que compõe tbel de provisionmentos de pessol. De tod form, esses cmpos qundo preenchidos nesss subctegoris não interferem no cálculo ds demis bs. d) Colun Ctegori As ctegoris presentds são s mesms utilizds n Memóri de Cálculo do Termo de Prceri e por isso deverão ser pens selecionds entre s disponibilizds no pinel. Est colun possui um brr de rolgem. Bst clicr e selecionr Ctegori que melhor represent respectiv Entrd ou Síd de Recursos. e) Colun Subctegori As subctegoris presentds são s mesms utilizds n Memóri de Clculo do Termo de Prceri e por isso deverão ser pens selecionds entre s disponibilizds no pinel. Est colun possui um brr de rolgem. Bst clicr e selecionr subctegori que melhor represent respectiv Entrd ou Síd de Recursos. f) Colun Vlor Informr o vlor pgo ou recebido, em reis. g) Colun Vinculção o Objeto/Justifictiv Especil tenção deve ser dd o preenchimento d colun vinculção o objeto/justifictiv. Deverão ser descritos nesse cmpo os motivos do dispêndio finnceiro. O preenchimento correto desse cmpo permite responder s seguintes pergunts entendids como um só e de form exemplifictiv: pr que OSCIP gstou, por que gstou e por qul motivo gstou. Sempre que possível os motivos rroldos devem ser vinculdos à um áre temátic, indicdor ou ção. Por óbvio, muits despess fixs e s receits de repsses estrão destinds o tendimento do objeto como um todo e su vinculção diret um áre temátic, indicdor ou ção será quse impossível. Pede-se, contudo que s despess vriáveis tenhm vinculção clr à áre temátic, indicdor ou ção. Tl procedimento será observdo pelos supervisores e pel Comissão de Avlição. i) Colun Fvorecido 22

23 Nest colun deve-se preencher denominção do receptor do recurso finnceiro. Pode ser um Pesso Jurídic um Pesso Físic, um trblhdor d OSCIP ou té mesmo própri OSCIP (um repsse, por exemplo). Pr os trblhdores d OSCIP não deve ser colocdo o nome. Colocr o crgo seguido do trecho d OSCIP. Exemplo: Coordendor de projetos d OSCIP, técnico mbientl d OSCIP. j) Colun CNPJ - CPF (Fvorecido) CNPJ Cdstro Ncionl de Pessos Jurídics CPF Cdstro de Pessos Físics Preencher o CNPJ em cso de Pesso Jurídic ou CPF em cso de Pesso Físic. k) Colun Form de Pgmento Informr form de pgmento. Dentre outrs forms de pgmento pode-se citr: Dinheiro, Cheque, Trnsferênci Bncári, Documento de ordem de crédito - DOC, Trnsferênci Eletrônic Disponível - TED, Crtão de Crédito, Débito em cont. l) Colun Tipo documento Informr o tipo de documento o qul se refere o lnçmento. Exemplos: Not Fiscl; Cupom Fiscl; Recibo; RPA Recibo de Pgmento à Autônomo; Boleto bncário; GPS Gui d Previdênci Socil, GRF Gui de Recolhimento do FGTS, DARF Documento de Arrecdção d Receit Federl. 23

24 m) Colun Nº documento Informr o número do documento do objeto de lnçmento. n) Colun Dt do documento Informr dt de emissão do documento em questão, mesm que const no documento. Não confundir com Colun Dt, que é dt de movimentção do recurso. 24

25 12 Ab Declrção Substituir Nome do Dirigente d Oscip, Crgo do Dirigente d Oscip e CPF do Dirigente d Oscip pelos ddos do dirigente e lterr fonte pr preto. Substituir Nome do Supervisor do Termo de Prceri, Órgão Esttl Prceiro OEP, e Msp xxxxxx-x pelos ddos do supervisor. Não preencher s dts, pois s mesms devem ser preenchids durnte ssintur. Impressão Antes de envir pr impressão conferir se todos os cmpos form preenchidos e se tods s linhs ou coluns não utilizds form ocultds. Apesr de o modelo ter sido formtdo fcilitndo impressão, é sempre bom conferir se s quebrs de págins estão de cordo. Depois bst selecionr tods s bs, pr tnto bst clicr n primeir, segurr tecl SHIFT, e clicr n últim b, e mndr imprimir. 25

26 13 Reltório de Execução Anul Termo de Prceri celebrdo entre o Órgão Esttl Prceiro - OEP e Orgnizção d Sociedde Civil de Interesse Público - OSCIP LOGOMARCA DA OSCIP (SE HOUVER) Reltório de Execução Anul 201X LOGOMARCA DO PROJETO (SE HOUVER) Dt de encminhmento d Prestção de Conts: / / Reltório de Execução Anul Belo Horizonte Versão 2.1 Dezembro 2011 O Reltório de Execução Anul REA deve ser entregue junto com Prestção de Conts, sej el nul ou de encerrmento, conforme os rtigos 62 e 63 do decreto de 09 de gosto de O Reltório de Execução Anul é elbordo nos mesmos moldes do Reltório Gerencil Finnceiro. Abixo reltmos s pequens diferençs existentes. A primeir diferenç encontrd entre os dois reltórios é existênci d Tbel 1 - Consoliddo de Resultdos. Ess tbel deve ser preenchid com s mesms informções presentes nos Reltórios Gerencis de Resultdos, consolidndo todos os resultdos do período, pr que o Órgão Esttl Prceiro poss ter um visão gerl d prceri e precir os resultdos n prestção de conts. Enqunto o RGF possui espço pr 06 meses, o REA possui espço pr 12 meses. Cso se trte de um prestção de conts nul, os 12 meses deverão ser utilizdos, porém, se for um prestção de conts de encerrmento, os meses em que não forem utilizdos deverão ser ocultdos. O REA não possui s tbels List de Admissões e Demissões de Trblhdores e Estgiários no Período e List de Bens Permnentes Adquiridos no Período. As dus não estão presentes porque n documentção d prestção de conts há documentos mis completos do que esss tbels e que subsidirão melhor nálise d áre meio do OEP. N b Diário deverão ser inserids tods s movimentções ocorrids durnte o período coberto pel prestção de conts. A colun Nº Lnçmento deverá ser seqüencil do inicio o fim do Diário, ou sej, não deverá ser reinicid qundo os lnçmentos forem de outro período vlitório. Os demis itens devem ser preenchidos conforme foi explicdo durnte todo este mnul. 26

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Hbilitção Profissionl: Técnic de nível médio de Auxilir de Contbilidde

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL 1. DO PROGRAMA 1.1. O PSG destin-se pessos de bix rend cuj rend fmilir mensl per cpit não ultrpsse 2 slários mínimos federis,

Leia mais

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação Mnul de Internção ÍNDICE CARO CREDENCIADO, LEIA COM ATENÇÃO.... 3 FATURAMENTO... 3 PROBLEMAS DE CADASTRO... 3 PENDÊNCIA DO ATENDIMENTO... 3 ACESSANDO O MEDLINK WEB... 4 ADMINISTRAÇÃO DE USUÁRIOS... 5 CRIANDO

Leia mais

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS:

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: PAINT 24 - I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: 1.1 - Auditoris de Conformidde Uniddes Orig d dnd: Intern com bse nos resultdos d Mtriz de Risco elbord pel Auditori Intern Nº UNIDADE OBJETIVOS ESCOPO

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Nossos prceiros Pel trnsprênci e qulidde d plicção dos recursos públicos Ilh Solteir, 17 de jneiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Ao Exmo. Sr. Alberto dos Sntos Júnior Presidente d Câmr Municipl de Ilh

Leia mais

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015 Editl de Processo Seletivo Nº 21/2015 O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO PIAUÍ, SENAC-PI, no uso de sus tribuições regimentis, torn público que estão berts

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL UFU/PREFE/044/2010 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO(A) A Pró-reitori de Grdução d Universidde Federl de Uberlândi, mprd no rtigo 248 ds Norms de Grdução

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPITULO I VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA FINS INDUSTRIAIS ARTIGO l. A lienção, trvés de vend, reliz-se por negocição direct com os concorrentes sendo o preço d vend fixo, por metro qudrdo, pr um ou mis

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA 1 - Ddos do Proponente 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F

Leia mais

CONSULTE A LISTA DE CONVÊNIOS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO

CONSULTE A LISTA DE CONVÊNIOS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO CONSULTE A LISTA DE CONVÊNIOS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO Fundção d UFPR (Desenvolvimento d Ciênci, tecnologi e d cultur) - FUNPAR Fundo Previdenciário do Município de Pulist Governo do Estdo d Príb Governo

Leia mais

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600 1 - INTRODUÇÃO Ests instruções têm por objetivo fornecer s orientções pr utilizção do critério pr cálculo d demnd de edifícios residenciis de uso coletivo O referido critério é plicável os órgãos d COPEL

Leia mais

Finalidade Pessoa Física Residencial

Finalidade Pessoa Física Residencial Gui de Contrtção Finlidde Pesso Físic Residencil Setembro/2013 O correto preenchimento e envio de documentos é ponto importnte n contrtção do Seguro Aluguel ou Finç Loctíci. Elbormos este gui pr judá-lo

Leia mais

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG 1 - DADOS DO PROPONENTE 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F 1.9- Telefone 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SENAR 2017

CONTRIBUIÇÃO SENAR 2017 CONTRIBUIÇÃO SENAR 2017 26 Com o pgmento d contribuição SENAR 2017, o Serviço de Aprendizgem Rurl (SENAR) obtém recursos pr desenvolver ções de Formção Profissionl Rurl FPR e de Promoção Socil PS, por

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

Conheça a sua fatura da água!

Conheça a sua fatura da água! Conheç su ftur d águ! Jneiro de 20 FATURA/RECIBO N.º: 27 VALOR 8,7 Euros Município de Reguengos de Monsrz Titulr / Locl Mord ou sítio de leitur/do contdor Loclidde d mord de leitur NIF: Áre NIPC 07 040

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO)

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) GESTÃO DE EMPRESAS CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) Exercícios Amortizção de Empréstimos EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Exercício 1 Um empréstimo vi ser reembolsdo trvés de reembolsos nuis, constntes

Leia mais

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis Crid pel Lei Estdul nn 2. 766/63 CNPJ.: 21.420.85610001-96 - lrrsc Estdul. ISENTA Entidde M ntenedor do Grupo Educcionl Uni: Centro Universitdrio do Sul d Mins - UNIS Fculdde Bum- FABE Fculdde Três Ponts

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA: 022 - Progrm Súde d Fmíli 1. Problem: Alto índice de pcientes que visitm unidde Mist de Súde pr trtr de problems que poderim ser resolvidos com visit do médico em su cs.

Leia mais

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras Universidde Estdul de Cmpins Fernnd Resende Serrdourd RA: 093739 Disciplin: CS101- Métodos e Técnics de Pesquis Professor: Armndo Vlente Propost de Projeto de Pesquis Liberdde de expressão n mídi: seus

Leia mais

4.1. Modalidades de Pagamento 4.2. Pagamento do Incentivo relativo às Operações de Locação Financeira 4.3. Garantias Bancárias

4.1. Modalidades de Pagamento 4.2. Pagamento do Incentivo relativo às Operações de Locação Financeira 4.3. Garantias Bancárias UNIÃO EUROPEIA Fundos Estruturis SIME Gui do Beneficiário (Portri n.º 262/2004, de 11 de Mrço) - Introdução 1. Notificção e Contrtção dos Incentivos. 1.1. Notificção 1.2. Contrtção 1.3. Elementos Adicionis,

Leia mais

A Participação dos Municípios na Arrecadação do ICMS

A Participação dos Municípios na Arrecadação do ICMS A Prticipção dos Municípios n Arrecdção do ICMS INFORMAÇÕES PARA A CONTABILIDADE FEVEREIRO / 2013 Escol Fzendári do Estdo de São Pulo - Fzesp GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Mnul de Operção e Instlção Clh Prshll MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS Cód: 073AA-025-122M Rev. B Novembro / 2008 S/A. Ru João Serrno, 250 Birro do Limão São Pulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos 3. Cálculo integrl em IR 3.. Integrl Indefinido 3... Definição, Proprieddes e Exemplos A noção de integrl indefinido prece ssocid à de derivd de um função como se pode verificr prtir d su definição: Definição

Leia mais

GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA, IP-RAM

GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA, IP-RAM GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA IP-RAM Proc. Nº 201 /FE/ Cndidtur o Progrm Formção Emprego (FE) (Portri 190/2014 de 6 de novembro) (O

Leia mais

07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE

07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE 07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES NA QUALIDADE FISIOLOGICA DA SEMENTE E A EFICIENCIA NO CONTROLE DE PRAGAS INICIAIS NA CULTURA DA SOJA Objetivo Este trblho tem como objetivo vlir o efeito

Leia mais

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos.

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos. Acoplmento É o gru de dependênci entre dois módulos. Objetivo: minimizr o coplmento grndes sistems devem ser segmentdos em módulos simples A qulidde do projeto será vlid pelo gru de modulrizção do sistem.

Leia mais

Gabarito - Matemática Grupo G

Gabarito - Matemática Grupo G 1 QUESTÃO: (1,0 ponto) Avlidor Revisor Um resturnte cobr, no lmoço, té s 16 h, o preço fixo de R$ 1,00 por pesso. Após s 16h, esse vlor ci pr R$ 1,00. Em determindo di, 0 pessos lmoçrm no resturnte, sendo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.768, DE 25 DE OUTUBRO DE 2005

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.768, DE 25 DE OUTUBRO DE 2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº.768, DE 5 DE OUTUBRO DE 005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de sus tribuições legis, e considerndo o disposto n Portri MP no 08, de de julho

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 004/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

U04.6. Câmara Municipal da Amadora. Pág. 1 a. 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009) 01. Documento comprovativo da legitimidade do requerente.

U04.6. Câmara Municipal da Amadora. Pág. 1 a. 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009) 01. Documento comprovativo da legitimidade do requerente. Câmr Municipl d Amdor Deprtmento de Administrção U04.6 Urbnísitic EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL OU COMUNICAÇÃO PRÉVIA PARA OBRAS INACABADAS LISTA DE DOCUMENTOS 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009)

Leia mais

II NÚMERO DE VAGAS: As vagas serão oferecidas em cada disciplina optativa de acordo com a disponibilidade institucional do Programa.

II NÚMERO DE VAGAS: As vagas serão oferecidas em cada disciplina optativa de acordo com a disponibilidade institucional do Programa. Av. Fernndo Ferrri, 514 Vitóri ES CEP: 29.075-910 Cmpus de Goibeirs Tel/Fx: +55 (27) 4009-7657 E-mil: ppghis.ufes@hotmil.com http://www.histori.ufes.br/ppghis EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS A ALUNO ESPECIAL

Leia mais

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período.

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período. VISO PÚBLICO Nº 04/UNOESC-R/2015 O Reitor d Universidde do Oeste de Snt Ctrin Unoesc, Unoesc Virtul, entidde educcionl, crid pel Lei Municipl nº 545/68 e estruturd de direito privdo, sem fins lucrtivos,

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA : 15 Mnutenção e Revitlizção do Ensino Infntil FUNDEB 40% 1. Problem: O município possui pens dus escol que oferece ensino infntil e não tende tod demnd.

Leia mais

DC3 - Tratamento Contabilístico dos Contratos de Construção (1) Directriz Contabilística n.º 3

DC3 - Tratamento Contabilístico dos Contratos de Construção (1) Directriz Contabilística n.º 3 Mnul do Revisor Oficil de Conts DC3 - Trtmento Contbilístico dos Contrtos de Construção (1) Directriz Contbilístic n.º 3 Dezembro de 1991 1. Est directriz plic-se os contrtos de construção que stisfçm

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos http://www.plnlto.gov.br/ccivil_03/eis/cp/cp139.htm Pge 1 sur 22 Presidênci d Repúblic Cs Civil Subchefi pr Assuntos Jurídicos EI COMPEMENTAR Nº139, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011 Mensgem de veto Vigênci Alter

Leia mais

EDITAL/SEE Nº 002/2014

EDITAL/SEE Nº 002/2014 EDITAL/SEE Nº 002/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE MONITOR/A PROFESSOR/A INDÍGENA DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO PARA AS ESCOLAS INDÍGENAS DA REDE ESTADUAL DE

Leia mais

DECRETO Nº 27631. de 22 de abril de 2010.

DECRETO Nº 27631. de 22 de abril de 2010. DECRETO Nº 27631 de 22 de bril de 2010. Regulment Períci Médic e Ocupcionl dos servidores municipis d Prefeitur de Gurulhos. SEBASTIÃO DE ALMEIDA, PREFEITO DA CIDADE DE GUARULHOS, no uso de sus tribuições

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plno de Trblho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Hbilitção Profissionl:Técnic de Nível Médio de TÉCNICO EM CONTABILIDADE

Leia mais

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS 1 SUMÁRIO I. Administrção Públic... II. Atos Administrtivos... III. Poder de Políci... IV. Serviço Público... V. Responsbilidde Civil do Estdo... VI. Controle d Administrção Públic... 02 09 21 23 25 27

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012 P.J.U.- TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO 1 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012 Regido pel Lei nº 10.520/2002, Lei Complementr

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELHADOS COM DIFERENTES TIPOS DE TELHAS

A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELHADOS COM DIFERENTES TIPOS DE TELHAS A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELADOS COM DIFERENTES TIOS DE TELAS Angéli Cervi, Rosne Bins, Til Deckert e edro A.. Borges 4. Resumo A modelgem mtemátic é um método de investigção que utiliz

Leia mais

Material envolvendo estudo de matrizes e determinantes

Material envolvendo estudo de matrizes e determinantes E. E. E. M. ÁREA DE CONHECIMENTO DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS PROFESSORA ALEXANDRA MARIA º TRIMESTRE/ SÉRIE º ANO NOME: Nº TURMA: Mteril envolvendo estudo de mtrizes e determinntes INSTRUÇÕES:. Este

Leia mais

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Pulo/SP PNRS E O WASTE-TO-ENERGY Definições do Artigo 3º - A nov ordenção básic dos processos Ordem de prioriddes do Artigo 9º

Leia mais

EDITAL 001/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS

EDITAL 001/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS EDITAL 001/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS O coordendor dos projetos de pesquis e desenvolvimento institucionl nº 034280, 042571, 042576, torn públic bertur de inscrições pr seleção de lunos dos cursos de grdução

Leia mais

1 Distribuições Contínuas de Probabilidade

1 Distribuições Contínuas de Probabilidade Distribuições Contínus de Probbilidde São distribuições de vriáveis letóris contínus. Um vriável letóri contínu tom um numero infinito não numerável de vlores (intervlos de números reis), os quis podem

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Sntn de Prníb Áre de Conhecimento: : Proteção e Prevenção Componente Curriculr: LNR Legislção e Norms Regulmentodors

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretri de Acompnhmento Econômico Precer n o 06093/2010/RJ COGAP/SEAE/MF Em 10 de fevereiro de 2010. Referênci: Processo n.º 18101.000028/2010-54. Assunto: Distribuição Grtuit de

Leia mais

Gerenciamento de Aquisições em Projetos de Obras

Gerenciamento de Aquisições em Projetos de Obras Gerencimento de Aquisições em Projetos de Obrs Frhd Abdollhyn, MSc., PMP MSP & PRINCE2 Prctitioner frhd@uol.com.br Ptrocindores: Relizção: Frhd Abdollhyn, PMP PRINCE2 Prctitioner Cyrus Associdos Apoio

Leia mais

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS - (IMT) DECLARAÇÃO PARA LIQUIDAÇÃO OFICIOSA Modelo 1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS - (IMT) DECLARAÇÃO PARA LIQUIDAÇÃO OFICIOSA Modelo 1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE AS TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS - (IMT) DECLARAÇÃO PARA LIQUIDAÇÃO OFICIOSA Modelo 1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DECLARAÇÃO MODELO 1 Est declrção destin-se solicitr liquidção

Leia mais

Programação Linear Introdução

Programação Linear Introdução Progrmção Liner Introdução Prof. Msc. Fernndo M. A. Nogueir EPD - Deprtmento de Engenhri de Produção FE - Fculdde de Engenhri UFJF - Universidde Federl de Juiz de For Progrmção Liner - Modelgem Progrmção

Leia mais

Regulamento Promoção Promo Dotz

Regulamento Promoção Promo Dotz Regulmento Promoção Promo Dotz 1. Empres Promotor 1.1 Est promoção é relizd pel CBSM - Compnhi Brsileir de Soluções de Mrketing, dministrdor do Progrm Dotz, com endereço n Ru Joquim Florino n. 533 / 15º

Leia mais

PAULA et al. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 2. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 3

PAULA et al. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 2. Bacharel em Ciências Contábeis, Universidade Paranaense - Unipar 3 PAULA et l. 133 ANÁLISE COMPARATIVA DA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DOS SEGMENTOS DE CALÇADOS E ALIMENTOS DIVERSOS Amnd de Pul 1 Myr Nkok 2 Adlberto Rmon Vlderrm Gerbsi 3 Isbel Cristin Gozer 4 PAULA,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL SECRETARIA ESPECIAL DE GESTÃO DE PESSOAS - SEGEP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL SECRETARIA ESPECIAL DE GESTÃO DE PESSOAS - SEGEP ATENÇÃO: PARA ENVIO À SEGEP, IMPRIMA APENAS O(S) FORMULÁRIO(S) DO FINAL DO ARQUIVO. REDISTRIBUIÇÃO DE SERVIDORES DE OUTRAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO PARA A UFFS 1.O que é? É o deslocmento de crgo de provimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA APRESENTAÇÃO A Diretori Executiv present o Reltório Anul de Informções do Fundo de Pensão Multiptrocindo d OAB-PR e d CAA/PR reltivo o exercício de 2013, consolidndo s principis informções do Plno de Benefícios

Leia mais

PROGRAMA BOLSA DE ESTUDOS 2016

PROGRAMA BOLSA DE ESTUDOS 2016 PROGRAMA BOLSA DE ESTUDOS 2016 DAS INFORMAÇÕES GERAIS O presente editl destin-se regulr renovção de Bolss de Estudos Assistenciis, pelo Liceu Slesino Noss Senhor Auxilidor, pr uso do beneficio no no letivo

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO 2015

EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO 2015 EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO 2015 A Diretor do Colégio Noss Senhor do Perpétuo Socorro no exercício ds tribuições que lhe conferem o seu Regimento Escolr, - considerndo o que determin Lei 12.101/2009,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério d Educção Universidde Federl do Rio Grnde Universidde Abert do Brsil Administrção Bchreldo Mtemátic pr Ciêncis Sociis Aplicds I Rodrigo Brbos Sores . Mtrizes:.. Introdução:

Leia mais

Lista de Exercícios 01 Algoritmos Sequência Simples

Lista de Exercícios 01 Algoritmos Sequência Simples Uiversidde Federl do Prá UFPR Setor de Ciêcis Exts / Deprtmeto de Iformátic DIf Discipli: Algoritmos e Estrutur de Ddos I CI055 Professor: Dvid Meotti (meottid@gmil.com) List de Exercícios 0 Algoritmos

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL 1 N O T A T É C N I C A N º. 0 0 3 / 2 0 0 7 Análise ds demnds identificds ns udiêncis públics do Plnejmento Estrtégico. Construção de plnejmento. 1 JUSTIFICATIVA Após relizção de seis udiêncis públics

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A EMITIR PARECER AO

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A EMITIR PARECER AO COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A EMITIR PARECER AO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N 25, DE 2007 PARECER AO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N 25, DE 2007 (APENSOS OS PROJETOS DE LEI COMPLEMENTAR N 379/08, 415/08,

Leia mais

1 Fórmulas de Newton-Cotes

1 Fórmulas de Newton-Cotes As nots de ul que se seguem são um compilção dos textos relciondos n bibliogrfi e não têm intenção de substitui o livro-texto, nem qulquer outr bibliogrfi. Integrção Numéric Exemplos de problems: ) Como

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA PROPOSTA DO GOVERNO / Prtidos d Bse PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO do Governo (Mensgem Retifictiv) E / OU ATEMPA / SIMPA Vo t ç ão TEXTO DO CONGRESSO Diverss estrtégis pr tingir s mets Emend 1- exclui

Leia mais

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo Resumo do Jogo Resumo do Jogo Regrs -Qundo for seu turno, você deve jogr um de sus crts no «ponto n linh do tempo» que estej correto. -Se você jogr crt corretmente, terá um crt menos à su frente. -Se você

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO DISCIPLINA: (12º Ano Turm M) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Teres Sous Docente Teres Bstos Ano Letivo 2015/2016 Competêncis

Leia mais

LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA

LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA RESOLUÇÃO Nº 2/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 018/2007 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO

REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 018/2007 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 018/2007 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO SETOR PROCESSO TRT Nº 01330.2006.000.14.00-0 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TIPO Menor Preço por lote, objetivndo

Leia mais

PREÇÁRIO Informação de Produtos e Serviços Aviso nº 1/95 do Banco de Portugal

PREÇÁRIO Informação de Produtos e Serviços Aviso nº 1/95 do Banco de Portugal 01-08-09 / Pág. 1/12 CRÉDITO PESSOAL CRÉDITO NO PONTO DE VENDA - PARTICULARES Crédito Lr Txs Representtivs Tx Preferencil Tx Nominl Nominl 7,500% 29,500% 18,3% CRÉDITO NO PONTO DE VENDA - EMPRESAS Crédito

Leia mais

Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa

Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Integrção Numéric Diogo Pinheiro Fernndes Pedros Universidde Federl do Rio Grnde do Norte Centro de Tecnologi Deprtmento de Engenhri de Computção e Automção http://www.dc.ufrn.br/ 1 Introdução O conceito

Leia mais

GUIA PRÁTICO ABONO DE FAMILIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

GUIA PRÁTICO ABONO DE FAMILIA PARA CRIANÇAS E JOVENS Mnul de GUIA PRÁTICO ABONO DE FAMILIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Deprtmento/Gbinete Pág. 1/26 FICHA TÉCNICA TÍTULO Gui Prático Abono de fmíli pr crinçs e jovens

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA Editl PPGEA 04/2016: http://portl.ufgd.edu.br/pos-grduco/mestrdo-engenhrigricol 1.1 Conttos: Horário de tendimento d secretri: d 8 s 11 h e ds 13 s 16 h;

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM CONTROLADORIA INTERNA MUNICIPAL

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM CONTROLADORIA INTERNA MUNICIPAL F u g T s e d d l Integrd s I p i t c n CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM CONTROLADORIA INTERNA MUNICIPAL UM FINAL DE SEMANA POR MÊS Módulo I 25 e 26 de julho de 2015 Módulo II 22 e 23 de gosto de 2015 Módulo

Leia mais

Análise de Variância com Dois Factores

Análise de Variância com Dois Factores Análise de Vriânci com Dois Fctores Modelo sem intercção Eemplo Neste eemplo, o testrmos hipótese de s três lojs terem volumes médios de vends iguis, estmos testr se o fctor Loj tem influênci no volume

Leia mais

CONTABILIDADE ANALÍTICA

CONTABILIDADE ANALÍTICA CONTABILIDADE ANALÍTICA Cpítulo Cpítulo 1. COMPONENTES DO CUSTO DE PRODUÇÃO MATÉRIAS (bens dquiridos pr trnsformção): Prims: quels que são trnsformdos noutros produtos Subsidiáris: quels que poim trnsformção

Leia mais

CPV 82% de aprovação na ESPM em 2011

CPV 82% de aprovação na ESPM em 2011 CPV 8% de provção n ESPM em 0 Prov Resolvid ESPM Prov E 0/julho/0 MATEMÁTICA. Considerndo-se que x = 97, y = 907 e z =. xy, o vlor d expressão x + y z é: ) 679 b) 58 c) 7 d) 98 e) 77. Se três empds mis

Leia mais

Oferta n.º 1260. Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax 229 412 047 educacao@cm-maia.pt www.cm-maia.

Oferta n.º 1260. Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax 229 412 047 educacao@cm-maia.pt www.cm-maia. Procedimento de seleção pr recrutmento de Técnicos no âmbito do Progrm de Atividdes de Enriquecimento Curriculr do 1.º Ciclo de Ensino Básico Inglês Ofert n.º 1260 A Câmr Municipl Mi procede à bertur do

Leia mais

Área de Conhecimento ARTES. Período de Execução. Matrícula. Telefone. (84) 8112-2985 / ramal: 6210

Área de Conhecimento ARTES. Período de Execução. Matrícula. Telefone. (84) 8112-2985 / ramal: 6210 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À EXTENSÃO PROJETOS DE EXTENSÃO EDITAL 01/014-PROEX/IFRN Os cmpos sombredos

Leia mais

ESTATÍSTICA APLICADA. 1 Introdução à Estatística. 1.1 Definição

ESTATÍSTICA APLICADA. 1 Introdução à Estatística. 1.1 Definição ESTATÍSTICA APLICADA 1 Introdução à Esttístic 1.1 Definição Esttístic é um áre do conhecimento que trduz ftos prtir de nálise de ddos numéricos. Surgiu d necessidde de mnipulr os ddos coletdos, com o objetivo

Leia mais

Área entre curvas e a Integral definida

Área entre curvas e a Integral definida Universidde de Brsíli Deprtmento de Mtemátic Cálculo Áre entre curvs e Integrl definid Sej S região do plno delimitd pels curvs y = f(x) e y = g(x) e s rets verticis x = e x = b, onde f e g são funções

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO Curso: Engenhri de Produção Período/Módulo: 6º Período Disciplin/Unidde Curriculr: Simulção de Sistems de Produção

Leia mais

1. VARIÁVEL ALEATÓRIA 2. DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE

1. VARIÁVEL ALEATÓRIA 2. DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE Vriáveis Aletóris 1. VARIÁVEL ALEATÓRIA Suponhmos um espço mostrl S e que cd ponto mostrl sej triuído um número. Fic, então, definid um função chmd vriável letóri 1, com vlores x i2. Assim, se o espço

Leia mais

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia Eleições Está berto o período de inscrição pr s novs chps do Diretório Acdêmico - Gestão 2015 Inscrições: dos dis 17 29 de gosto de 2015 somente pelo e-mil: fisioufu.d.@gmil.com A votção será relizd nos

Leia mais

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do Reltório de tividdes Abril / 2011 Jneiro / 2014 A d UFG/CAC está vinculd à direção do Câmpus e, posteriormente, o Setor de Convênios e Contrtos do Gbinete d Reitori. Tem como função intermedir s relções

Leia mais

O Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Tocantins, no exercício de suas atribuições legais e regimentais;

O Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Tocantins, no exercício de suas atribuições legais e regimentais; PROVIMENTO Nº. 01/2009 - CGJUS-TO Regulment os procedimentos reltivos à quisição, repsse e uso do Selo de Fisclizção dos Serviços Extrjudiciis e disciplin o ressrcimento os registrdores civis ds pessos

Leia mais

Dado Seguro. Gestão Inteligente de Backup. Manual de Criação e configuração. Criação: CS-Consoft - Documentação & CSU

Dado Seguro. Gestão Inteligente de Backup. Manual de Criação e configuração. Criação: CS-Consoft - Documentação & CSU Gestão Inteligente de Bckup Mnul de Crição e configurção Crição: CS-Consoft - Documentção & CSU Indice Introdução... 1 I. Aquisição d solução de Bckup Remoto Ddo Seguro Pro... 1 1. Downlod do plictivo...

Leia mais

Unidimensional pois possui apenas uma única dimensão

Unidimensional pois possui apenas uma única dimensão Vetores e Mtrizes José Augusto Brnusks Deprtmento de Físic e Mtemátic FFCLRP-USP Sl 6 Bloco P Fone (6) 60-6 Nest ul veremos estruturs de ddos homogênes: vetores (ou rrys) e mtrizes Esss estruturs de ddos

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA MANUAL DE USO DA MARCA DA MARÇO/2011 1 Identidde Visul Sobre o Mnul d Mrc Este mnul vis pdronizr e estbelecer regrs de uso pr mrc d Forç Aére Brsileir. Mrc é um símbolo que funcion como elemento identificdor

Leia mais

EDITAL 01/2007 MEC/MAPA/SEBRAE PRÊMIO TÉCNICO EMPREENDEDOR

EDITAL 01/2007 MEC/MAPA/SEBRAE PRÊMIO TÉCNICO EMPREENDEDOR EDITAL 01/2007 MEC/MAPA/SEBRAE PRÊMIO TÉCNICO EMPREENDEDOR CATEGORIAS: Técnico Tem Livre Tecnólogo Tem Livre Técnico Inclusão Socil Tecnólogo Inclusão Socil Técnico Coopertivist Tecnólogo Coopertivist

Leia mais

Manual de Elaboração de Memória de Cálculo para Termos de Parceria

Manual de Elaboração de Memória de Cálculo para Termos de Parceria SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO DA ESTRATÉGIA GOVERNAMENTAL NÚCLEO CENTRAL DE PARCERIAS COM ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO Manual de Elaboração

Leia mais