FINANCEIRA. Reginaldo J. Santos. Universidade Federal de Minas Gerais Agosto de de abril de 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FINANCEIRA. Reginaldo J. Santos. Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi Agosto de 2005. 10 de abril de 2009"

Transcrição

1 INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA Reginaldo J. Santos Deartamento de Matemática-ICEx Universidade Federal de Minas Gerais htt://www.mat.ufmg.br/~regi Agosto de 2005 última atualização em 10 de abril de 2009

2 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de SUMÁRIO Sumário 1 Valor Futuro e Valor Presente de uma Quantia 3 2 Períodos não Inteiros - Taxas Equivalentes 5 3 Valor Futuro e Valor Presente de uma Série de Pagamentos Iguais 7 4 Sistema de Financiamento com Prestações Constantes Sem Entrada Com Entrada Sistema de Financiamento com Amortizações Constantes Tabela de Amortização Páginas Interativas 20 7 Resostas dos Exercícios 21 Referências 22

3 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 3 1 Valor Futuro e Valor Presente de uma Quantia Em um regime com uma taxa de juros j or eríodo (eríodo aqui ode ser um mês, um ano, etc), o valor futuro de uma quantia q 0 deois de um eríodo é igual a q 1 = q 0 + j q 0 = (1 + j)q 0. (1) Alicando-se o raciocínio acima, sucessivas vezes, temos que, se no resente eu tenho uma quantia q 0, então no futuro, deois de n eríodos, a uma taxa de juros j or eríodo, esta quantia vai valer q n = (1 + j) n q 0. (2) Recirocamente, se daqui a um eríodo eu tenho uma quantia q 1, então de (1) segue que ela vale hoje, no resente, q 0 = (1 + j) 1 q 1. Se deois de n eríodos eu tenho uma quantia q n, segue de (2) que esta quantia vale hoje q 0 = (1 + j) n q n. Escrevemos um rograma que roda em uma ágina na web ara fazer a atualização monetária de um valor, ou seja, se você sabe o valor de uma quantia hoje, o rograma diz quanto ela valerá no futuro e recirocamente, se você sabe o valor de uma quantia no futuro, ele diz quanto ela vale hoje. Clique aqui ara exerimentar o rograma. Exercício 1. Uma loja oferece duas oções de agamento: à vista com 2% de desconto ou em duas vezes, sem desconto, a rimeira sendo aga no ato da comra. Qual a taxa de juros mensal que está embutido na venda a razo? Resosta na ágina 21.

4 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de VALOR FUTURO E VALOR PRESENTE DE UMA QUANTIA Exercício 2. Investindo uma quantia q (uma única vez!) a uma taxa de juros mensal de 1%, em quanto temo o seu caital dobrará? Resosta na ágina 21.

5 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 5 2 Períodos não Inteiros - Taxas Equivalentes Se uma taxa de juros relativamente a um determinado eríodo é J, então a taxa corresondente a uma fração 1/n deste eríodo, j, é obtida da forma que descreveremos a seguir. Como já vimos, o valor futuro de uma quantia q aós o eríodo inteiro é (1 + J)q. Por outro lado, o eríodo inteiro é igual a n frações 1/n deste eríodo e se a taxa corresondente a fração 1/n do eríodo é j, então o valor futuro de uma quantia q aós n frações 1/n do eríodo é (1 + j) n q. Portanto, (1 + J)q = (1 + j) n q, ou seja, a taxa corresondente a um eríodo J e a taxa corresondente a uma fração 1/n deste eríodo satisfazem 1 + J = (1 + j) n. Neste caso, as taxas J e j são ditas equivalentes. Portanto, se J é a taxa de juros corresondente a um eríodo inteiro, então a taxa, j, corresondente a uma fração 1/n deste eríodo é dada or j = (1 + J) 1/n 1. Escrevemos um rograma que roda em uma ágina na web ara fazer a atualização monetária de um valor em divisões de um eríodo, ou seja, se você sabe o valor de uma quantia

6 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de PERÍODOS NÃO INTEIROS - TAXAS EQUIVALENTES hoje, o rograma diz quanto ela valerá no futuro em divisões de um eríodo, no qual é conhecida a taxa de juros. Clique aqui ara exerimentar o rograma. Exercício 3. Se a taxa de juros de um cheque esecial é de 10% ao mês, qual é a taxa equivalente a um dia? Se o meu cheque esecial fica negativo no valor de R$ 300,00 or 3 dias quanto devo agar de juro? (chamamos de juro a diferença entre o valor futuro e o valor resente de uma quantia) Exercício 4. Se em um financiamento está escrito que a taxa de juros nominal anual é de 12%, isto significa que a taxa mensal é igual a 1 %. Outra forma, é dizer que a taxa é de 12% ao ano com caitalização mensal. Qual é a taxa de juros real anual neste caso?

7 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 7 3 Valor Futuro e Valor Presente de uma Série de Pagamentos Iguais Suonha que deositamos todo mês uma quantia fixa numa caderneta de ouança que remunera a uma taxa fixa mensal igual j. Qual será o saldo aós n meses? n 1 Aós o rimeiro mês, o saldo é de (1 + j) mais o deósito do segundo mês. Aós o segundo mês, o saldo é de (1 + j) 2 + (1 + j) mais o deósito do segundo mês. E assim or diante, aós n meses o saldo é s n = (1 + j) n + (1 + j) (n 1) + + (1 + j) Assim, o saldo em n meses aós n agamentos iguais a é dado or uma soma de uma rogressão geométrica, que é dada or s n = (1 + j) (1 + j)n 1 j Escrevemos um rograma que roda em uma ágina na web que dá o valor desta soma, ou seja, se você fornece o valor do deósito or eríodo, o rograma diz qual o saldo aós n eríodos e recirocamente, se você fornece o saldo aós n eríodos, ele diz quanto deverá ser

8 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de VALOR FUTURO E VALOR PRESENTE DE UMA SÉRIE DE PAGAMENTOS IGUA o valor do deósito or eríodo ara que em n eríodos se alcance aquele saldo. Clique aqui ara exerimentar o rograma. Exercício 5. Suonha que uma essoa deosite mensalmente 10 % de seu salário numa caderneta de ouança, que rende 1 % ao mês, ensando em se aosentar em 20 anos. Quantos salários ela terá disonível aós este eríodo? Suonha, agora, que eu tenha uma caderneta de ouança, que rende juros mensais j, com um saldo inicial s 0 e que todo mês eu faça um retirada de. Aós a retirada do rimeiro mês, o saldo será s 1 = (1 + j)s 0. Aós a retirada do segundo mês, o saldo será de s 2 = (1 + j)s 1 = (1 + j) 2 s 0 [(1 + j) + ]. Aós a retirada do n-ésimo mês o saldo será ou seja, s n = (1 + j) n s 0 [(1 + j) n (1 + j) + ]. s n = (1 + j) n s 0 (1 + j)n 1. j Se aós n meses o saldo é igual a zero, então o valor da retirada,, deve ser = j 1 (1 + j) n s 0. Escrevemos um rograma que roda em uma ágina na web que dá o saldo aós cada retirada, ou seja, se você fornece o valor do saldo inicial e a taxa de juros, o rograma diz o valor da retirada mensal e o saldo aós cada retirada ara que aós n eríodos o saldo seja igual a zero. Clique aqui ara exerimentar o rograma.

9 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 9 Exercício 6. Se aós anos de deósitos em uma caderneta de ouança, que rende 1% ao mês, uma essoa conseguiu um saldo igual a 100 salários seus. Quanto temo este saldo oderá agar a sua aosentadoria integral? Agora, vamos considerar o roblema de um financiamento de uma quantia q em n arcelas iguais a, a uma taxa de juros or eríodo igual a j n Para determinarmos o valor atual q, corresondente a uma série de agamentos iguais a, vamos considerar todos os agamentos no instante zero. A rimeira arcela vale (1 + j) 1 no instante zero. A segunda arcela vale (1 + j) 2, a terceira, (1 + j) 3 e assim or diante. A n-ésima arcela vale no instante zero (1 + j) n. Assim, q = (1 + j) 1 + (1 + j) (1 + j) n. Assim, uma série de agamentos iguais a, num regime de juros j or eríodo, corresonde a um valor à vista é o resultado de uma soma de uma rogressão geométrica, que é dada or q = 1 (1 + j) n j

10 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de VALOR FUTURO E VALOR PRESENTE DE UMA SÉRIE DE PAGAMENTOS IGUA Exercício 7. Exercício 8. Um telefone sem fio é vendido or uma loja em duas oções: 9 R$ 24,70 (com entrada) ou R$ 168,00 à vista. Se você tem a oção de alicar o seu dinheiro a uma taxa de juros mensal de 1%, qual a forma de agamento mais vantajosa neste caso. Justifique. (Sugestão: calcule o valor atual das nove arcelas (1+8) num regime de taxa de juros de 1% ao mês e comare com o valor à vista.)

11 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 11 4 Sistema de Financiamento com Prestações Constantes Este sistema de financiamento é conhecido como Sistema Francês ou Tabela Price. 4.1 Sem Entrada Como já vimos na seção anterior, se uma quantia q é financiada em n arcelas iguais a, a uma taxa de juros or eríodo igual a j, então q = 1 (1 + j) n (3) j n Exercício 9. Mostre que se uma quantia q é financiada em n arcelas iguais a, a uma taxa de juros or eríodo igual a j, então o valor da restação é dada or = j 1 (1 + j) n q Exercício 10. Uma bicicleta é vendida numa loja com duas oções de agamento: à vista or R$ 129,00 ou em 0+4 agamentos com juros de 4,85 % de juros ao mês. Qual o valor da restação na segunda oção de agamento?

12 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de SISTEMA DE FINANCIAMENTO COM PRESTAÇÕES CONSTANTES Vamos calcular a tabela de amortização de um financiamento com restações constantes, sem entrada. Cada restação é comosta de uma arcela de juro e uma arcela de amortização (diminuição na dívida), ou seja, ara k = 1,..., n, k = j k + a k O juro é calculado sobre o saldo devedor no mês anterior, ou seja, j k = j d k 1, onde j é a taxa de juros e d k 1 é o saldo devedor no mês k 1. E assim, a amortização é igual a a k = k j k. O saldo devedor imediatamente deois de aga a arcela k é igual a d k = d k 1 a k. Exercício 11. Prove a seguinte fórmula ara o saldo devedor d k : Qual o significado desta fórmula? d k = (1 + j)d k 1 k. Escrevemos um rograma que roda em uma ágina na web ara fazer o cálculo das restações e da tabela de amortização ara os dois sistemas de financiamento: tabela rice e sistema SAC (que veremos mais adiante). Clique aqui ara exerimentar o rograma.

13 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 4.1 Sem Entrada 13 Exercício 12. Escreva a tabela de amortização do Exercício 10. Agora, vamos considerar o roblema inverso, suonha que conhecemos o valor do débito inicial d 0 e o valor das restações fixas e queremos determinar a taxa de juros embutida no financiamento. Para isto temos que resolver a equação (3): q = 1 (1 + j) n j ara j. Observe que esta não é uma equação simles de se resolver ara n maior que 2. No caso geral recisamos usar um método ara resolver esta equação de forma aroximada. Vamos usar um método iterativo chamado método de Newton. Um método iterativo começa com uma aroximação inicial da solução, x 0, e gera uma nova aroximação a artir da anterior. Este rocesso é reetido, até que se atinja a recisão desejada ou que um número máximo de iterações seja atingido. No caso do método de Newton, se x k 1 é a aroximação anterior, a nova aroximação da solução de F (x) = 0 é a solução de uma aroximação linear da equação, ou seja, a solução de F (x k 1 )(x x k 1 ) + F (x k 1 ) = 0, onde F é a derivada de F. Assim, a aroximação x k é dada or x k = x k 1 F (x k 1) F (x k 1 ). Neste caso esecífico F (x) = 1 (1 + x) n q. x

14 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de SISTEMA DE FINANCIAMENTO COM PRESTAÇÕES CONSTANTES e a derivada de F (x) ( n(1 + x) F (n+1) (x) = x ) 1 (1 + x) n. x 2 Escrevemos um rograma que roda em uma ágina da web, que usa este método ara determinar a taxa de juros. Clique aqui ara exerimentar o rograma. Exercício 13. Verifique que realmente a taxa de juros do exemlo anterior é 4,85 %. 4.2 Com Entrada n 1 Este caso é semelhante ao anterior, aenas substituindo n or n 1 e q or q na equação (3), ois o número de arcelas do financiamento é realmente n 1 e não n e o valor a ser financiado é realmente q e não q. Assim, ara determinarmos o valor da restação basta resolvermos a equação 1 (1 + j) (n 1) q = j ara.

15 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 4.2 Com Entrada 15 Exercício 14. Mostre que se uma quantia q é financiada em n arcelas iguais a, a uma taxa de juros or eríodo igual a j, sendo a rimeira aga no ato do financiamento, então o valor da restação é dada or j = q (4) 1 + j (1 + j) (n 1) Exercício 15. Uma bicicleta é vendida numa loja com duas oções de agamento: à vista or R$ 129,00 ou em 1+3 agamentos com juros de 4,85 % de juros ao mês. Qual o valor da restação na segunda oção de agamento? Para calcular a tabela de amortização de um financiamento com restações constantes, com entrada, o rocesso é o mesmo que sem entrada. Vamos reetir ara enfatizar o rocesso. Cada restação é comosta de uma arcela de juro e uma arcela de amortização (diminuição na dívida), ou seja, ara k = 1,..., n, k = j k + a k O juro é calculado sobre o saldo devedor no mês anterior, ou seja, j k = j d k 1, onde j é a taxa de juros e d k 1 é o saldo devedor no mês k 1. E assim, a amortização é igual a a k = k j k. O saldo devedor imediatamente deois de aga a arcela k é igual a d k = d k 1 a k.

16 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de SISTEMA DE FINANCIAMENTO COM PRESTAÇÕES CONSTANTES Escrevemos um rograma que roda em uma ágina na web ara fazer o cálculo das restações e da tabela de amortização ara os dois sistemas de financiamento: tabela rice e sistema SAC. Clique aqui ara exerimentar o rograma. Exercício 16. Escreva o exemlo da tabela de amortização do Exercício 15. Agora, vamos considerar o roblema inverso, suonha que conhecemos o valor do débito inicial d 0 e o valor das restações fixas e queremos determinar a taxa de juros embutida no financiamento. Para isto temos que resolver a equação (4): = j 1 + j (1 + j) (n 1) q ara j. Observe que esta não é uma equação simles de se resolver ara n maior que 3. Precisamos usar um método iterativo ara resolver esta equação. Vamos usar novamente o método de Newton. Um método iterativo começa com uma aroximação inicial da solução, x 0, e gera uma nova aroximação a artir da anterior, reetidamente, até que se atinja a recisão desejada. No caso do método de Newton, se x k 1 é a aroximação anterior, a nova aroximação da solução de F (x) = 0 é a solução de uma aroximação linear da equação, nas roximidades da aroximação anterior da solução, ou seja, a solução de F (x k 1 )(x x k 1 ) + F (x k 1 ) = 0, onde F é a derivada de F. Assim, a aroximação x k é dada or x k = x k 1 F (x k 1) F (x k 1 ).

17 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 4.2 Com Entrada 17 Neste caso esecífico e a derivada de F (x) F (x) = 1 (1 + x) (n 1) + q. x ( (n 1)(1 + x) F n (x) = x ) 1 (1 + x) (n 1). x 2 Escrevemos um rograma que roda em ágina da web, que usa este método ara determinar a taxa de juros. Clique aqui ara exerimentar o rograma. Exercício 17. Verifique que realmente a taxa de juros do exemlo anterior é 4,85 %.

18 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de SISTEMA DE FINANCIAMENTO COM AMORTIZAÇÕES CONSTANTES 5 Sistema de Financiamento com Amortizações Constantes Este sistema de financiamento é conhecido como SAC. Neste sistema o débito é dividido em arcelas iguais que serão as amortizações corresondentes a cada arcela. 5.1 Tabela de Amortização Assim como no sistema francês, cada restação é comosta de uma arcela de juro e uma arcela de amortização, ou seja, ara k = 1,..., n, temos k = a k + j k. Agora, neste caso, a amortização em cada eríodo é dada or a k = d 0 n. A arcela de juro é, assim como no sistema francês, calculada sobre o saldo devedor no eríodo anterior, ou seja, j k = j d k 1. O saldo devedor imediatamente aós ter sido aga a arcela k é dado or d k = d k 1 a k. Exercício 18. Prove a seguinte fórmula ara o saldo devedor d k : d k = (1 + j)d k 1 k

19 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 5.1 Tabela de Amortização 19 Exercício 19. Escreva a solução do exemlo do Exercício 10, mas agora no sistema SAC: Uma bicicleta é vendida numa loja com duas oções de agamento: à vista or R$ 129,00 ou em 0+4 agamentos com juros de 4,85 % de juros ao mês, no sistema SAC. Observe que as restações são decrescentes. Clique aqui ara usar o rograma que calcula a tabela de amortização.

20 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de PÁGINAS INTERATIVAS 6 Páginas Interativas Escrevemos alguns rogramas que rodam em áginas da web ara alguns cálculos financeiros: Tabelas de Atualizações Monetárias - ara calcular o valor futuro (ou atual) de uma quantia sujeita a valorização a uma taxa constante. Tabelas de Dereciações Monetárias - ara calcular o valor futuro (ou atual) de uma quantia sujeita a dereciação a uma taxa constante. Tabelas de Atualizações ara Períodos não Inteiros - ara calcular os valores futuros de uma quantia em frações de um eríodo, no qual é conhecida a taxa de juros. Tabela de Série de Pagamentos Iguais - se você fornece o valor do deósito or eríodo, o rograma diz qual o saldo aós n eríodos e recirocamente, se você fornece o saldo aós n eríodos, ele diz quanto deverá ser o valor do deósito or eríodo ara que em n eríodos se alcance aquele saldo. Tabela de Saldos aós Retiradas Iguais - fornece o valor da retirada mensal e o saldo aós cada retirada ara que aós n eríodos o saldo seja igual a zero. Tabelas de Financiamentos - ara calcular as tabelas de financiamento do sistema de amortizações constantes (SAC) e do sistema francês (Tabela Price). Cálculo da Taxa de Juros elo Método de Newton - ara calcular a taxa de juros raticada na tabela Price, sendo conhecidos o valor do débito e das restações (fixas).

21 10 de abril de 2009 Reginaldo J. Santos 21 7 Resostas dos Exercícios 1. 0, 98 q 1 = q (1 + q j) , 98 = (1 + j) 1 2 (1 + j) 1 = 2 0, 98 1 = 0, 96 j = 1 1 0, , q 0 = (1 + j) n q 0 2 = (1 + j) n ln 2 = n ln(1 + j) n = ln 2 ln(1 + j) = ln 2 ln 1, meses

22 Introdução à Matemática Financeira 10 de abril de REFERÊNCIAS Referências [1] Augusto Cesar Morgado, Eduardo Wagner, and Sheila C. Zani. Progressões e Matemática Financeira. SBM, Rio de Janeiro, 4a. edition, 2001.

MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05

MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05 MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05 Uma das importantes aplicações de progressões geométricas é a Matemática Financeira. A operação básica da matemática nanceira é a operação de

Leia mais

Matemática Financeira - Vinícius Werneck, professor do QConcursos.com

Matemática Financeira - Vinícius Werneck, professor do QConcursos.com Matemática Financeira - Vinícius Werneck, professor do QConcursos.com 1- Q236904 - Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Matemática Financeira Assuntos: Amortização; Sistema Francês

Leia mais

EXERCÍCIOS DIVERSOS TRABALHO 1

EXERCÍCIOS DIVERSOS TRABALHO 1 EXERCÍCIOS DIVERSOS TRABALHO 1 01. O gerente de uma loja de presentes está fazendo o fechamento das vendas de brinquedos no período de véspera de natal. No dia 06/11/2006 foram vendidos 14 brinquedos a

Leia mais

Neste pequeno artigo resolveremos o problema 2 da USAMO (USA Mathematical Olympiad) 2005: (x 3 + 1)(x 3 + y) = 147 157 (x 3 + y)(1 + y) = 157 147 z 9

Neste pequeno artigo resolveremos o problema 2 da USAMO (USA Mathematical Olympiad) 2005: (x 3 + 1)(x 3 + y) = 147 157 (x 3 + y)(1 + y) = 157 147 z 9 Ésófatorar... Serámesmo? Neste equeno artigo resolveremos o roblema 2 da USAMO (USA Mathematical Olymiad) 2005: Problema. Prove que o sistema x 6 + x + x y + y = 147 157 x + x y + y 2 + y + z 9 = 157 147

Leia mais

Conceitos Financeiros

Conceitos Financeiros Conceitos Financeiros Capital: qualquer quantidade de dinheiro, que esteja disponível em certa data, para ser aplicado numa operação financeira; Juros: custo do capital durante determinado período de tempo;

Leia mais

SIMULADO COMENTADO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

SIMULADO COMENTADO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA SIMULADO COMENTADO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Prof. Quilelli 1 ) Uma dívida contraída à taxa de juros simples de 10% ao mês, deverá ser paga em duas parcelas, respectivamente iguais a R$ 126,00, daqui a

Leia mais

CAPÍTULO 3 - RETIFICAÇÃO

CAPÍTULO 3 - RETIFICAÇÃO CAPÍTULO 3 - RETFCAÇÃO A maioria dos circuitos eletrônicos recisa de uma tensão cc ara oder trabalhar adequadamente Como a tensão da linha é alternada, a rimeira coisa a ser feita em qualquer equiamento

Leia mais

Análise e Resolução da prova de Auditor Fiscal da Fazenda Estadual do Piauí Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento

Análise e Resolução da prova de Auditor Fiscal da Fazenda Estadual do Piauí Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento Análise e Resolução da prova de Auditor Fiscal da Fazenda Estadual do Piauí Disciplina: Professor: Custódio Nascimento 1- Análise da prova Neste artigo, faremos a análise das questões de cobradas na prova

Leia mais

Gran Cursos. Matemática Financeira Walter Sousa. Rendas Certas financiamentos e capitalizações. 1) Fluxo de Caixa. 1.1) Fluxo de Caixa Padrão

Gran Cursos. Matemática Financeira Walter Sousa. Rendas Certas financiamentos e capitalizações. 1) Fluxo de Caixa. 1.1) Fluxo de Caixa Padrão Matemática Financeira Walter Sousa Gran Cursos Rendas Certas financiamentos e capitalizações 1) Fluxo de Caixa Representa uma série de pagamentos ou recebimentos que ocorrem em determinado período de tempo.

Leia mais

Aproveito o ensejo para divulgar os seguintes cursos que estou ministrando no Ponto.

Aproveito o ensejo para divulgar os seguintes cursos que estou ministrando no Ponto. Olá pessoal! Resolverei neste artigo a prova de Matemática Financeira do concurso da CVM 2010 organizado pela ESAF. Como já comentei em um artigo ontem, há apenas uma questão nesta prova com divergência

Leia mais

Microsoft Excel. Funções Financeiras PARTE 7 SUMÁRIO

Microsoft Excel. Funções Financeiras PARTE 7 SUMÁRIO Microsoft Excel Funções Financeiras PARTE 7 SUMÁRIO 1-) Funções financeiras no Excel... 2 1.1-) Função = VF( )... 2 1.2-) Função =VP( )... 3 1.3-) Função = PGTO ( )... 3 1.4-) Valor Presente Utilizando

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA: ENSINANDO A ENFRENTAR OS DESAFIOS DO COTIDIANO

MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA: ENSINANDO A ENFRENTAR OS DESAFIOS DO COTIDIANO MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA: ENSINANDO A ENFRENTAR OS DESAFIOS DO COTIDIANO Lilian Nasser UFRJ /CETIQT/SENAI Geneci Alves de Sousa SME-RIO/ UNIABEU/ CETIQT/SENAI José Alexandre R. Pereira SME-RIO/

Leia mais

Introdução. Este arquivo compõe a coletânea Mega Cursos - www.megacursos.com.br -

Introdução. Este arquivo compõe a coletânea Mega Cursos - www.megacursos.com.br - Curso de Matemática financeira Introdução Este arquivo compõe a coletânea Mega Cursos - www.megacursos.com.br - AULA 1: Definições O que são juros? Por que variam tanto? Risco. Inflação - ilusão de remuneração.

Leia mais

AMORTIZAÇÃO E EMPRÉSTIMOS

AMORTIZAÇÃO E EMPRÉSTIMOS AMORTIZAÇÃO E EMPRÉSTIMOS Conceitos iniciais Antes de iniciarmos os estudos específicos em relação a cada metodologia de amortização, é necessário conceituar alguns termos utilizados pelo mercado: Amortização:

Leia mais

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados.

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados. Microsoft Excel Aula 4 Objetivos Trabalhar no Excel com cálculos de juros simples e compostos Trabalhar com as funções financeiras VF e PGTO do Excel Trabalhar com a ferramenta Atingir Meta Apresentar

Leia mais

UNIDADE Sistemas de amortização de empréstimo e financiamento

UNIDADE Sistemas de amortização de empréstimo e financiamento UNIDADE 4 Sistemas de amortização de empréstimo e financiamento 109 Curso de Graduação em Administração a Distância Objetivo Nesta Unidade, você será levado a: diferenciar os dois tipos de sistema de amortização;

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES. Resolverei neste ponto a prova de Matemática Financeira da SEFAZ/RJ 2010 FGV.

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES. Resolverei neste ponto a prova de Matemática Financeira da SEFAZ/RJ 2010 FGV. Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova de Matemática Financeira da SEFAZ/RJ 2010 FGV. Sem mais delongas, vamos às questões. 19. (SEFAZ-RJ 2010/FGV) A empresa Bonneli recebeu, pelo valor de R$ 18.000,00,

Leia mais

Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa

Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa 1. Calcule o valor presente do fluxo de caixa indicado a seguir, para uma taxa de desconto de 1 % ao mês, no Resposta: $13.147,13 2.

Leia mais

É a renda uniforme e periódica formada por uma infinidade de prestações.

É a renda uniforme e periódica formada por uma infinidade de prestações. Canal dos Concursos Fiscal Regular Matemática Financeira 7 Prof. Benjamin Cesar Renda Perpétua (Perpetuidade) É a renda uniforme e periódica formada por uma infinidade de prestações. P: prestação da perpetuidade.

Leia mais

REGIME DE CAPTALIZAÇÃO COMPOSTA

REGIME DE CAPTALIZAÇÃO COMPOSTA REGIME DE CAPTALIZAÇÃO COMPOSTA No regime de Capitalização Composta, os juros prodzidos ao final de um dado período n se agregam ao capital, passando ambos a integrar a nova base de cálculo para o período

Leia mais

Matemática Régis Cortes. JURO composto

Matemática Régis Cortes. JURO composto JURO composto 1 O atual sistema financeiro utiliza o regime de juros compostos, pois ele oferece uma maior rentabilidade se comparado ao regime de juros simples, onde o valor dos rendimentos se torna fixo,

Leia mais

prestação. Resp. $93.750,00 e $5.625,00.

prestação. Resp. $93.750,00 e $5.625,00. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DISCIPLINA MAT191 - MATEMÁTICA FINANCEIRA PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO LISTA 3 1) Um bem é vendido a vista por $318.000,00

Leia mais

COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO

COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO! Sistemas de amortização de empréstimos! Sistema Price! SAC! Fórmulas do Excel! Planilha fornecida Autores: Francisco Cavalcante(cavalcante@netpoint.com.br) Administrador

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira 1 Matemática Financeira Evanivaldo Castro Silva Júnior 21/05/2013 2 Matemática Financeira 1. Séries de Pagamento i. Séries Uniformes (Modelo PRICE) ii. Séries Não-Uniformes (Modelo SAC Sistema de Amortizações

Leia mais

Matemática III. IFRS Campus Rio Grande

Matemática III. IFRS Campus Rio Grande 1.31. Introdução à Matemática Financeira Uma das aplicações das sequências é a Matemática Financeira. odemos associar os dois sistemas monetários com nossas As e Gs! O sistema de juros simples é associado

Leia mais

Matemática Financeira Departamento de Matemática - UFJF

Matemática Financeira Departamento de Matemática - UFJF Matemática Financeira Departamento de Matemática - UFJF Notas de aulas Wilhelm Passarella Freire (Colaboração: André Arbex Hallack) Março/2009 Índice 1 Conceitos básicos e simbologia 1 1.1 Introdução......................................

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO BÁSICO

MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO BÁSICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Curso de Especialização em Matemática para Professores do Ensino Básico MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO BÁSICO Gleison Silva Vilefort Costa Belo Horizonte 2015

Leia mais

Análise e Resolução da prova de Analista do Tesouro Estadual SEFAZ/PI Disciplinas: Matemática Financeira e Raciocínio Lógico Professor: Custódio

Análise e Resolução da prova de Analista do Tesouro Estadual SEFAZ/PI Disciplinas: Matemática Financeira e Raciocínio Lógico Professor: Custódio Análise e Resolução da prova de Analista do Tesouro Estadual SEFAZ/PI Disciplinas: Matemática Financeira e Raciocínio Lógico Professor: Custódio Nascimento Análise e Resolução da prova de ATE SEFAZ/PI

Leia mais

Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Séries Uniformes de Pagamento

Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Séries Uniformes de Pagamento Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Disciplina: Matemática Financeira I Prof.: Marcos José Ardenghi Séries Uniformes de Pagamento As séries uniformes de pagamentos, anuidades ou rendas são

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Razão 1. Introdução... 01 2. Conceito... 02 2.1. Razões inversas... 02 3. Exercícios propostos... 07

Sumário. Capítulo 1 Razão 1. Introdução... 01 2. Conceito... 02 2.1. Razões inversas... 02 3. Exercícios propostos... 07 Sumário Capítulo 1 Razão 1. Introdução... 01 2. Conceito... 02 2.1. Razões inversas... 02 3. Exercícios propostos... 07 Capítulo 2 Proporção 1. Introdução... 13 2. Conceito... 14 2.1. Propriedade fundamental

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Matemática Financeira II Para início de conversa... Notícias como essas são encontradas em jornais com bastante frequência atualmente. Essas situações de aumentos e outras como financiamentos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO LISTA 2 1) Um título, com valor de face igual a $1.000,00,

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Roberto César Faria e Silva MATEMÁTICA FINANCEIRA Aluno: SUMÁRIO 1. CONCEITOS 2 2. JUROS SIMPLES 3 Taxa Efetiva e Proporcional 10 Desconto Simples 12 Desconto Comercial, Bancário ou Por Fora 13 Desconto

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A Matemática Financeira como elemento de contextualização crítica no Ensino Fundamental - Prof. Ilydio Sá 1 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 1º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA CURSO: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO PARALELA E DISTRIBUÍDA PROFESSOR: JONES OLIVEIRA ALUNO: JONAS FRANCISCO

Leia mais

Matemática. Aula: 04/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Matemática. Aula: 04/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Matemática Aula: 04/10 Prof. Pedro Souza UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO

MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO DESCONTO 1) Determinar o desconto por fora sofrido por uma letra de R$ 5.000,00 à taxa de 5% aa, descontada 5 anos antes de seu vencimento. Resp: R$ 1.250,00 2) Uma

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Unidade 28 Matemática Financeira II Para início de conversa... Notícias como essas são encontradas em jornais com bastante frequência atualmente. Essas situações de aumentos e outras como financiamentos

Leia mais

Para acharmos as taxas equivalentes utilizamos a fórmula abaixo: Te = ( n Ö 1+i) 1

Para acharmos as taxas equivalentes utilizamos a fórmula abaixo: Te = ( n Ö 1+i) 1 Para acharmos as taxas equivalentes utilizamos a fórmula abaixo: Te = ( n Ö 1+i) 1 Onde: Te = Taxa equivalente de determinado período n = número do período i = percentual de juros do período em que você

Leia mais

Aula 08 Matemática Financeira. Amortização de Empréstimos

Aula 08 Matemática Financeira. Amortização de Empréstimos ula 08 Matemática Financeira mortização de Empréstimos Introdução Freqüentemente, nas operações de médio e longo prazo, as operações de empréstimos são analisadas período por período. Consideremos os instantes

Leia mais

Elementos de Análise Financeira Juros Simples Profa. Patricia Maria Bortolon

Elementos de Análise Financeira Juros Simples Profa. Patricia Maria Bortolon Elementos de Análise Financeira Juros Simples Fórmulas de Juros Simples J C i n Onde: J = valor dos juros expresso em unidades monetárias C = capital. É o valor (em $) em determinado momento i = taxa de

Leia mais

CAIXA ECONOMICA FEDERAL

CAIXA ECONOMICA FEDERAL JUROS SIMPLES Juros Simples comercial é uma modalidade de juro calculado em relação ao capital inicial, neste modelo de capitalização, os juros de todos os períodos serão sempre iguais, pois eles serão

Leia mais

Sérgio Carvalho Matemática Financeira Simulado 02 Questões FGV

Sérgio Carvalho Matemática Financeira Simulado 02 Questões FGV Sérgio Carvalho Matemática Financeira Simulado 02 Questões FGV Simulado 02 de Matemática Financeira Questões FGV 01. Determine o valor atual de um título descontado (desconto simples por fora) dois meses

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO FLUXO DE CAIXA

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO FLUXO DE CAIXA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO FLUXO DE CAIXA O estudo da matemática financeira é desenvolvido, basicamente, através do seguinte raciocínio: ao longo do tempo existem entradas de dinheiro (receitas) e saídas

Leia mais

Matemática Comercial e Financeira

Matemática Comercial e Financeira Matemática Comercial e Financeira Notas de aulas de Matemática para o curso de Administração de Empresas Prof. Ulysses Sodré ulysses@uel.br Departamento de Matemática - UEL Londrina-PR, 4 de Abril de 2008

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES Olá pessoal! Neste ponto resolverei a prova de Matemática Financeira para Auditor Fiscal da Receita Municipal Pref. Municipal de Angra dos Reis, organizada pela FGV. A prova foi realizada no dia 02/05/2010.

Leia mais

Imediatas: parcelas pagas em 30, 60 e 90 dias Antecipadas: sendo a primeira parcela paga no ato

Imediatas: parcelas pagas em 30, 60 e 90 dias Antecipadas: sendo a primeira parcela paga no ato Matemática Financeira Leandra Anversa Fioreze Rendas Imediatas: Primeiro pagamento efetuado no final do primeiro período. Ex: Comprei uma calculadora HP-12c Platinum em três parcelas de R$95,00, sendo

Leia mais

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Curso de Economia 5º Período 8 AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Curso de Economia 5º Período 8 AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS 8 AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS Frequentemente, nas operações de médio e longo prazo, por razões metodológicas ou contábeis, as operações de empréstimos são analisadas período por período, no que diz respeito

Leia mais

SEQÜÊNCIA DE DEPÓSITOS

SEQÜÊNCIA DE DEPÓSITOS TÓPICOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO MÉDIO - PROF. MARCELO CÓSER 1 SEQÜÊNCIA DE DEPÓSITOS Vimos que a variação de um capital ao longo do tempo pode ser ilustrada em uma planilha eletrônica. No

Leia mais

Olá pessoal! Sem mais delongas, vamos às questões.

Olá pessoal! Sem mais delongas, vamos às questões. Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova para AFRE/SC 2010 realizada pela FEPESE no último final de semana. Nosso curso teve um resultado muito positivo visto que das 15 questões, vimos 14 praticamente

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES Olá pessoal! Neste ponto resolverei a prova de Matemática Financeira e Estatística para APOFP/SEFAZ-SP/FCC/2010 realizada no último final de semana. A prova foi enviada por um aluno e o tipo é 005. Os

Leia mais

Prof. Dr. João Muccillo Netto

Prof. Dr. João Muccillo Netto Prof. Dr. João Muccillo Netto INTRODUÇÃO 1. Juros Segundo a Teoria Econômica, o homem combina Terra Trabalho Capital Aluguel Salário Juro para produzir os bens de que necessita. Juro é a remuneração do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Administração Financeira PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 3 26/08/2015 Administração Financeira Prof.

Leia mais

Comentário Geral: Prova dentro dos padrões da banca examinadora. Questões fáceis: 6 Questões medianas: 2 Questões difíceis: 0

Comentário Geral: Prova dentro dos padrões da banca examinadora. Questões fáceis: 6 Questões medianas: 2 Questões difíceis: 0 Comentário Geral: Prova dentro dos padrões da banca examinadora. Questão passível de anulação: 27 Porém, não acredito que a banca anulará, veja o comentário Questões fáceis: 6 Questões medianas: 2 Questões

Leia mais

Introdução à matemática nanceira

Introdução à matemática nanceira Introdução à matemática nanceira Estela Mara de Oliveira 1 e Sônia Regina Leite Garcia (Orientadora) 2 1 Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP), Brazil estelaime@hotmailcom

Leia mais

PLANOS DE FINANCIAMENTO METERIAL COMPLEMENTAR

PLANOS DE FINANCIAMENTO METERIAL COMPLEMENTAR PLANOS DE FINANCIAMENTO METERIAL COMPLEMENTAR José Luiz Miranda PLANOS DE FINANCIAMENTO Imagine uma operação financeira representada por um financiamento de R$ 1.200,00 no prazo de 5 meses à taxa de juros

Leia mais

Podemos representar em fluxo de caixa através do seguinte diagrama: (+) (+) (+) (+) 0 1 2 3 4 5... n tempo

Podemos representar em fluxo de caixa através do seguinte diagrama: (+) (+) (+) (+) 0 1 2 3 4 5... n tempo FLUXO DE CAIXA O estudo da matemática financeira é desenvolvido, basicamente, através do seguinte raciocínio: ao longo do tempo existem entradas de dinheiro (receitas) e saídas de dinheiro (desembolsos)

Leia mais

MENSAGEM DE ABERTURA

MENSAGEM DE ABERTURA MENSAGEM DE ABERTURA Sabedores das necessidades de controle e agilidade no atendimento aos clientes, o departamento do SPC Santa Catarina desenvolveu e coloca à disposição do associado da CDL, uma ferramenta

Leia mais

EMPRÉSTIMOS. Nos financiamentos a longo prazo o devedor ou mutuário tem também três modalidades para resgatar sua dívida:

EMPRÉSTIMOS. Nos financiamentos a longo prazo o devedor ou mutuário tem também três modalidades para resgatar sua dívida: EMPRÉSTIMOS Um empréstimo ou financiamento pode ser feito a curto, médio ou longo prazo. Dizemos que um empréstimo é a curto ou médio prazo quando o prazo total não ultrapassa 1 ano ou 3 anos, respectivamente.

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA CONCURSOS

MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA CONCURSOS MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA CONCURSOS Matemática Financeira para Concursos 1 Conteúdo 1. Noções Básicas -------------------------------- 02 2. Juros Simples, Ordinário e Comercial ------- 04 Taxa Percentual

Leia mais

UNIDADE 1. SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

UNIDADE 1. SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS UNIDADE. SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Empréstimo - Recurso financeiro que não necessita ser justificado quanto a sua finalidade; por exemplo: cheque especial e CDC(Crédito Direto

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira Matemática Financeira Sumário 2 JUROS SIMPLES (Capitalização Simples) 5 JUROS COMPOSTOS (Capitalização Composta) 7 TAXAS SIMPLES 8 TAXAS COMPOSTAS 10 TAXAS SIMPLES EXATO 11 PRAZO, TAXA E CAPITAL MÉDIO

Leia mais

www.concurseiro10.com.br

www.concurseiro10.com.br 1) Um capital de R$ 18.000,00, aplicados a 6% ao ano, durante 8 anos, qual o juros produzido? a) 7.640,00 b) 6.460,00 c) 8.640,00 d) 9.000,00 2) Um investidor aplicou R$10.000,00, à taxa de 13% ao mês

Leia mais

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática 1. Se 35 m de um tecido custam R$ 140, quanto se pagará 12 m? 2. Se 20 tratores levaram 6 dias para realizar um

Leia mais

A Matemática e o dinheiro

A Matemática e o dinheiro A Matemática e o dinheiro A UUL AL A Muita gente pensa que a Matemática, em relação ao dinheiro, só serve para fazer troco e para calcular o total a pagar no caixa. Não é bem assim. Sem a Matemática, não

Leia mais

Curso Básico de Matemática Financeira. Celso H. P. Andrade

Curso Básico de Matemática Financeira. Celso H. P. Andrade Curso Básico de Matemática Financeira Celso H. P. Andrade ÍNDICE JURO... 3 FATOR DE FORMAÇÃO DE JURO... 4 JURO SIMPLES... 6 JURO COMPOSTO... 7 Equivalência de Taxa de Juros... 9 DESCONTO... 10 FLUXO DE

Leia mais

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA Caro aluno, Disponibilizo abaixo a resolução das questões de MATEMÁTICA da prova para o cargo de Técnico Bancário do Banco da Amazônia (BASA) 2015. Caso você entenda

Leia mais

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER 1- Uma dívida no valor de R$ 60.020,54 deve ser paga em sete prestações postecipadas de R$ 10.000,00, a uma determinada taxa de juros. Considerando esta mesma taxa de juros, calcule o saldo devedor imediatamente

Leia mais

O QUE DEVO SABER PARA CONTRATAR O MEU FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO?

O QUE DEVO SABER PARA CONTRATAR O MEU FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO? TERMOS QUE VOCÊ DEVE CONHECER Financiamento é o valor emprestado pelo Banco para ajudá-lo a adquirir o seu imóvel. Juros é o custo do financiamento. Informe-se na sua agência da Caixa ou no correspondente

Leia mais

COMO CALCULAR OS JUROS

COMO CALCULAR OS JUROS COMO CALCULAR OS JUROS Este texto foi redigido para aqueles que se interessam pelo cálculo dos juros. A maioria das pessoas prefere deixá-lo aos especialistas. Entretanto, como estes cálculos representam

Leia mais

Anterior Sumário Próximo MATEMÁTICA COMERCIAL E FINANCEIRA

Anterior Sumário Próximo MATEMÁTICA COMERCIAL E FINANCEIRA Anterior Sumário Próximo MATEMÁTICA COMERCIAL E FINANCEIRA Clicando no link indicado por o usuário é conduzido para a seguinte tela:, Nesta página que se refere ao conteúdo de Matemática Financeira, os

Leia mais

O que devo saber para contratar meu Financiamento Habitacional

O que devo saber para contratar meu Financiamento Habitacional O que devo saber para contratar meu Financiamento Habitacional O que devo saber para contratar o meu financiamento imobiliário? Termos que você deve conhecer Financiamento é o valor emprestado pelo Banco

Leia mais

Para o cálculo dos juros siga corretamente este roteiro:

Para o cálculo dos juros siga corretamente este roteiro: Juro Simples Juro: é a remuneração do capital emprestado, podendo ser entendido, de forma simplificada, como sendo o aluguel pago pelo uso do dinheiro. Capital: qualquer valor expresso em moeda e disponível

Leia mais

RESUMÃO MATEMÁTICA FINANCEIRA

RESUMÃO MATEMÁTICA FINANCEIRA RESUMÃO MATEMÁTICA FINANCEIRA Conteúdo 1. Noções Básicas pág. 02 2. Juros Simples, Ordinário e Comercial pág. 04 Taxa Percentual e Unitária Taxas Equivalentes Capital, Taxas e Prazos Médios Montante Desconto

Leia mais

Matemática Financeira Aplicada. www.adrianoparanaiba.com.br

Matemática Financeira Aplicada. www.adrianoparanaiba.com.br Matemática Financeira Aplicada www.adrianoparanaiba.com.br Conceitos Básicos - Juros Simples - Juros Composto Juros Simples: J = C x i x n M = C + J Juros Compostos M = C x (1 + i) n J = M C Exemplo: Aplicação

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA. Av. Dr. Américo Pereira Lima, S/Nº Jardim Lavínia Mococa/SP CEP 13736-260 (19) 3656-5559

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA. Av. Dr. Américo Pereira Lima, S/Nº Jardim Lavínia Mococa/SP CEP 13736-260 (19) 3656-5559 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA Curso: Informática Informática Gestão de Negócios. Disciplina: Administração Financeira e Orçamentária. Professor(a): Darlan Marcelo Delgado. Lista de Exercícios:. Conteúdo

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira Matemática Financeira Versão 2010 Laércio Luis Vendite 1. INTRODUÇÃO Nos dias atuais, o ensino de Matemática tem seguido, em várias situações, uma linha axiomática que sempre só apresenta aos alunos a

Leia mais

SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO

SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS A amortização é uma operação financeira mediante a qual um empréstimo ou financiamento é pago de maneira progressiva, por meio de prestações, de modo que ao término

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Unidade 8 Matemática Financeira II Para início de conversa... Passagens de ônibus ficam mais caras este mês Vitor Ferri (vferri@redegazeta.com.br)_ Redação Multimídia A Agência Nacional de Saúde

Leia mais

ACADEMIA DO CONCURSO PÚBLICO AULÃO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PROF PIO mjpio12@gmail.com REGIME DE CAPITALIZAÇÃO SIMPLES

ACADEMIA DO CONCURSO PÚBLICO AULÃO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PROF PIO mjpio12@gmail.com REGIME DE CAPITALIZAÇÃO SIMPLES ACADEMIA DO CONCURSO PÚBLICO AULÃO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PROF PIO mjpio12@gmail.com REGIME DE CAPITALIZAÇÃO SIMPLES 01) (TCM/RJ Técnico de Controle Externo FJG 2003) Guilherme utilizou o limite de crédito

Leia mais

CURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA COM AUXÍLIO DA CALCULADORA HP 12-C E DA PLANILHA ELETRÔNICA DO MICROSOF EXCEL

CURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA COM AUXÍLIO DA CALCULADORA HP 12-C E DA PLANILHA ELETRÔNICA DO MICROSOF EXCEL OPINE CONSULTORIA CURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA COM AUXÍLIO DA CALCULADORA HP 12-C E DA PLANILHA ELETRÔNICA DO MICROSOF EXCEL CALCULADORA HP 12C: Operações Financeiras Básicas A calculadora HP 12C é uma

Leia mais

CALCULADORA HP 12C 1. OPERAÇÕES BÁSICAS. 1.1. LIGAR E DESLIGAR Pressione ON

CALCULADORA HP 12C 1. OPERAÇÕES BÁSICAS. 1.1. LIGAR E DESLIGAR Pressione ON CALCULADORA HP 12C 1. OPERAÇÕES BÁSICAS 1.1. LIGAR E DESLIGAR Pressione ON 1.2. NOTAÇÃO DECIMAL A máquina HP 12C possui duas formas de separar a parte fracionária da parte inteira de um número: utilizando

Leia mais

Existe uma diferença entre o montante (S) e a aplicação (P) que é denominada de remuneração, rendimento ou juros ganhos.

Existe uma diferença entre o montante (S) e a aplicação (P) que é denominada de remuneração, rendimento ou juros ganhos. Módulo 3 JUROS SIMPLES 1. Conceitos Iniciais 1.1. Juros Juro é a remuneração ou aluguel por um capital aplicado ou emprestado, o valor é obtido pela diferença entre dois pagamentos, um em cada tempo, de

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira Capítulo 7 Noções de Matemática Financeira 1 O valor do dinheiro no tempo A operação básica da matemática financeira é a operação de empréstimo. Alguém que dispõe de um capital C (chamado de principal),

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS PROFESSOR: GUILHERME NEVES

PONTO DOS CONCURSOS PROFESSOR: GUILHERME NEVES Olá, pessoal! Tudo bem? Resolvi as questões de Raciocínio Lógico Matemático da prova para Escriturário do Banco do Brasil. Todas as questões estão perfeitas e todos os gabaritos fornecidos pela CESGRANRIO

Leia mais

Juros Simples. www.siteadministravel.com.br

Juros Simples. www.siteadministravel.com.br Juros Simples Juros simples é o acréscimo percentual que normalmente é cobrado quando uma dívida não foi pago na data do vencimento. Financiamento de casa própria A casa própria é o sonho de muitas famílias,

Leia mais

EXERCÍCIOS IV SÉRIES DE PAGAMENTOS IGUAIS E CONSECUTIVOS 1. Calcular o montante, no final de 2 anos, correspondente à aplicação de 24 parcelas iguais

EXERCÍCIOS IV SÉRIES DE PAGAMENTOS IGUAIS E CONSECUTIVOS 1. Calcular o montante, no final de 2 anos, correspondente à aplicação de 24 parcelas iguais IGUAIS E CONSECUTIVOS 1. Calcular o montante, no final de 2 anos, correspondente à aplicação de 24 parcelas iguais e mensais de $ 1.000,00 cada uma, dentro do conceito de termos vencidos, sabendo-se que

Leia mais

O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA

O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA Lilian Nasser Projeto Fundão (UFRJ) e CETIQT/SENAI lnasser@im.ufrj.br Resumo: A inclusão da Matemática Financeira na grade do Ensino Médio deve ser um

Leia mais

Curso. Matemática Financeira com HP 12C

Curso. Matemática Financeira com HP 12C Seja Bem Vindo! Curso Matemática Financeira com HP 12C Carga horária: 25hs Dicas importantes Nunca se esqueça de que o objetivo central é aprender o conteúdo, e não apenas terminar o curso. Qualquer um

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária II

Administração Financeira e Orçamentária II Administração Financeira e Orçamentária II Capítulo 6 Matemática Financeira Série Uniforme de Pagamentos e de Desembolsos Sistemas de Amortização Análise de Fluxo de Caixa Séries Uniformes de Pagamentos

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA Conceitos básicos A Matemática Financeira é uma ferramenta útil na análise de algumas alternativas de investimentos ou financiamentos de bens de consumo. Consiste em empregar procedimentos

Leia mais

F NA N N A C N E C IRA

F NA N N A C N E C IRA MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA TRATA DO ESTUDO DO DINHEIRO AO LONGO DO TEMPO. OBJETIVO BÁSICO EFETUAR ANÁLISES E COMPARAÇÕES EFETUAR ANÁLISES E COMPARAÇÕES DOS VÁRIOS

Leia mais

Os juros podem ser capitalizados segundo dois regimes: simples ou compostos.

Os juros podem ser capitalizados segundo dois regimes: simples ou compostos. 1/7 3. Modelos de capitalização simples 4. Modelos de capitalização composta Conceitos básicos A Matemática Financeira é uma ferramenta útil na análise de algumas alternativas de investimentos ou financiamentos

Leia mais

Título : B2 Matemática Financeira. Conteúdo :

Título : B2 Matemática Financeira. Conteúdo : Título : B2 Matemática Financeira Conteúdo : A maioria das questões financeiras é construída por algumas fórmulas padrão e estratégias de negócio. Por exemplo, os investimentos tendem a crescer quando

Leia mais

Análise e Resolução da prova do ISS-Cuiabá Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento

Análise e Resolução da prova do ISS-Cuiabá Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento Disciplina: Professor: Custódio Nascimento 1- Análise da prova Análise e Resolução da prova do ISS-Cuiabá Neste artigo, farei a análise das questões de cobradas na prova do ISS-Cuiabá, pois é uma de minhas

Leia mais

PROFESSOR: SEBASTIÃO GERALDO BARBOSA

PROFESSOR: SEBASTIÃO GERALDO BARBOSA UNESPAR/PARANAVAÍ - Professor Sebastião Geraldo Barbosa - 0 - PROFESSOR: SEBASTIÃO GERALDO BARBOSA Setembro/204 UNESPAR/PARANAVAÍ - Professor Sebastião Geraldo Barbosa - -. RENDAS CERTAS OU ANUIDADES Nas

Leia mais

SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE - SAC SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE - SAC SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO AMERICANO

SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE - SAC SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE - SAC SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO AMERICANO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO Sistemas de amortização são metodologias que operacionaliza uma transação financeira, definindo regras e formas de cálculo da taxa de

Leia mais

F=1.038,50. F = P. (1+i) n F=1.000(1+0,12) 4/12. F = P. (1+i) n J=F-P J=1.000(1+0,02) 12 1.000 = 268,24

F=1.038,50. F = P. (1+i) n F=1.000(1+0,12) 4/12. F = P. (1+i) n J=F-P J=1.000(1+0,02) 12 1.000 = 268,24 1 Quais serão os juros pagos pelo empréstimo de $1. durante um ano a uma taxa de 2% am? P=1. i=2%am n=1 ano(=12meses) F = P. (1+i) n J=F-P J=1.(1+,2) 12 1. = 268,24 3 Qual será o montante pago pelo empréstimo

Leia mais

- RESOLUÇÕES BÁSICAS NA HP 12C

- RESOLUÇÕES BÁSICAS NA HP 12C - RESOLUÇÕES BÁSICAS NA HP 12C 1. Juros compostos, operação única PV 0 n ou 0 n PV 1.1. Quanto devo receber ao aplicar R$ 1.000,00 por 6 meses, à taxa de 5% ao mês? f CLEAR FIN 1.000 CHS PV -1.000,00 6

Leia mais