TECNOLOGIA PARA PLANEJAMENTO E OPERAÇÕES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIA PARA PLANEJAMENTO E OPERAÇÕES"

Transcrição

1 Unidade IV TECNOLOGIA PARA PLANEJAMENTO E OPERAÇÕES LOGÍSTICA Profa. Marinalva Barboza

2 Ferramenta s tecnológicas aplicadas à logística (Parte II) WMS (Warehouse Management System) Sistema de Gerenciamento de Armazém. O WMS é uma ferramenta utilizada para o gerenciamento do armazém com a finalidade de aproveitar melhor o espaço físico. É muito utilizado pelos PSLs, segundo pesquisa de 2009 pela Tecnologística 88% deles utilizam esta ferramenta. Vejamos as principais funções desta ferramenta.

3 WMS (Warehouse Management System) Agendamento de recebimento Os cálculos de recursos e tempo para informar qual o melhor local e horário para que uma operação de recebimento possa ser feita e também na conferência do material recebido, registrando possíveis divergências entre o sistema e o físico recebido, podendo ainda separar uma amostra para qualidade. Endereçamento Após a conferência, o sistema é capaz de calcular qual o melhor espaço físico disponível que estamercadoria recebida pode ocupar no armazém, já emitindo as etiquetas com os devidos códigos de barras.

4 WMS (Warehouse Management System) Armazenagem Auxilia na escolha dos equipamentos para as operações no depósito. Separação No picking, o sistema informa onde encontrar a mercadoria para compor o pedido, bem como equipamentos necessários para resgatá-los. Expedição Auxilia no ger. da entrega, emitindo mensagem informando status do pedido após entrega. Na produção Na programação da produção, calcula a quantidade necessária para a linha de produção, evitando rupturas e prejuízos.

5 RFID (Radio Frequency Identification Data) Surgiu em 1935, a partir de um dispositivo usado na identificação de aviões aliados e inimigos, o RFID teve uma evolução maior na década de Identificação por Radiofrequencia, é a Tecnologia usada para compartilhamento de informações em tempo real na qual há identificação por meio de sinais de rádio, recuperando e armazenando informações de forma remota por meio de um dispositivo (tags: etiqueta) e transmitindo a uma rede acessível, chamada de EPC Electronic Product Code. Vamos conhecer melhor a sua história.

6 RFID (Radio Frequency Identification Data) Em 1990, a IBM requereu a patente t do sistema de RFID - UHF (Ultra High Frequency). Realizou pilotos com Walmart, sem exito, vendeu a patente para empresa Intermec (empresa detentora do código de barras). Em 1999 auto ID Center formado por universidades nos EUA, Austrália e Inglaterra com o objetivo de criar uma arquitetura única em padrões abertos criaram etiquetas de RFID para todos os produtos industriais, a fim de rastreá-los em cadeia logística global. É usado em setores como: pecuária, genética de animais, esporte, pedágios, bibliotecas, hospitais, segurança, comércio, indústria e até humanos.

7 RFID na cadeia de suprimentos Indústria Com os chips nos produtos e usa leitores na produção, nos estoques e nos armazéns. Vantagens Agilidade na identificação dos itens no estoque/armazém. Redução de tarefas, eliminando leitura item a item como o código de barras. Redução de serviços operacionais, a leitura é feita com a mercadoria em movimento. Maior segurança no estoque, já que se pode rastrear o movimento do produto individual. Maior acuracidade dos estoques, com leitura precisa dos itens.

8 RFID (Radio Frequency Identification Data) Varejo Com rastreamento e gerenciando de mercadorias em estoques dos CDs, lojas, gôndolas de supermercados, entre outros. Vantagens Total rastreabilidade d do produto, do PDV ao ponto de origem (fábrica). Gerenciamento da mercadoria em suas características comerciais (validade, origem, segmento, qualidade e até margem de lucro). Atualização da posição do estoque em tempo real. Gerenciamento de perdas, roubos, furtos

9 RFID (Radio Frequency Identification Data) Baixa automática dos itens no estoque, por meio da operação de caixa. Gerenciamento das tendências e hábitos de consumo. Redução de itens faltantes. Agilidade no atendimento ao cliente, isentando-o de fila para realização de pagamento, uma vez que os valores poderão ser debitados automaticamente se o cliente tiver um cartão do estabelecimento. Veja o vídeo do supermercado do futuro indicado no livro texto. Veja também o projeto piloto do Walmart e PG de 2006.

10 RFID (Radio Frequency Identification Data) Desafios Readequação dos processos para adaptar-se a essa tecnologia. Investimento em equipamentos (etiquetas, leitores). Adaptação dos sistemas de gerenciamento. Integração com sistemas de gerenciamento já utilizados na organização. Desempenho da leitura, já que pode haver falhas por distância, posição e até distorção do sinal em alguns tipos de materiais como o metal. Dependência da ferramenta nas operações

11 RFID na cadeia de suprimentos Diferença entre RFID x Código de barras Etiqueta inteligente chip/rfid Alta capacidade de armazenamento de informações, lê e grava Realiza a leitura fora do campo visual do código Código de barras Realiza somente leitura, sem armazenar dados Leitura somente quando o leitor está no campo visual Elimina intervenção humana no processo de recebimento, expedição e armazenagem Preço entre U$ 0,20 e U$ 0,50 (em 2004) Há necessidade de pessoas para realizar todo o processo de leitura dos códigos de barras Impressão do código já saía na embalagem, isentando desse custo

12 Interatividade Dentro do armazém, a empresa precisa fazer a separação de um pedido, saber qual o endereçamento delas e definir quais equipamentos utilizar para resgatá-los. Qual a melhor tecnologia para esta finalidade? a) WMS b) RFID c) Código de barras d) ERP e) Nenhuma das anteriores atenderá a necessidade desta empresa.

13 Tecnologia para distribuição física indicadores Custos logísticos brasileiros representaram 12,63% do PIB brasileiro em 2004, sendo 7,5% com transportes.

14 Tecnologia para distribuição física indicadores Nos EUA, os custos representaram 8,19% do PIB, sendo 5% com transportes. Distribuição de custos no Brasil, veja o quadro. Modal Rodoviário 109,2 Aquaviário (marítimo) 12,6 Ferroviário 7,5 Dutoviário 2,1 Aéreo 2,0 Custos em R$ 133,4/bilhões

15 Tecnologia para distribuição física indicadores Dados mais recentes: Custos logísticos sobre PIB 16%, 3,143 trilhões em Segundo as estatísticas de custos, os custos logísticos seriam de 502,88 bilhões, sendo 235,725 bilhões com transportes. (Fonte: O Estado de SP Março/2010.)

16 Modais de transportes Aquaviário/marítimo Este modal é o mais antigo e também o mais utilizado pelas trocas internacionais pelo número expressivo de divisas transferidas como os pagamentos de fretes. Vantagens Maior capacidade de carga entre os modais. Tarifas de frete mais competitivas. Maior flexibilidade em tipos de cargas. Grande abrangência.

17 Modais de transportes Desvantagens É o meio de transporte mais lento entre os modais. Baixo alcance entre os pontos de origem e destino, gerando transbordos, maior manuseio e maior risco de danos e atrasos. Baixa regularidade, gerando maior custo de armazenagem. Frequentes congestionamentos nos portos, o que gera maiores gastos pela demora nas atracações e desatracações. Necessidade de embalagens especiais devido às operações de manuseio nos portos.

18 Modais de transportes Transporte aéreo É o modal mais desejado pela sua rapidez, bem como o mais alto custo para transportar mercadorias, além das restrições para determinadas cargas. Vantagens Velocidade, eficiência e seguro. Redução de custos com estoque Não exige embalagens reforçadas devido ao manuseio cuidadoso desse modal. Menor custo com seguro por ser um modal de extrema segurança. Maior abrangência e alcance no mercado nacional e internacional.

19 Modais de transportes Desvantagens Baixa capacidade, restrição com peso e volume. Restrição de carga a granel: é impossível o transporte de minérios, petróleo, grãos e químicos. Produtos com baixo custo unitário por não ter condições de absorver o alto valor das tarifas aéreas. Restrição de tipos de cargas, como artigos perigosos.

20 Modais de transportes Transporte rodoviário i Nas operações logísticas nacionais, é o modal mais utilizado e representa a maior fatia nos custos de transportes. Vantagens Modal versátil. Grande acessibilidade: podem ser feitas operações door to door (porta a porta). Podem-se efetuar entregas programadas. Flexibilidade na entrega, podendo entregar em locais específicos determinados pela empresa (galpão, filial, cliente etc.). Flexibilidade de carga

21 Modais de transportes Desvantagens No caso de fretes internacionais, em países com fronteira com o Brasil, este modal tem baixa capacidade de carga e alguns países ainda restringem o limite de tamanho e peso dos caminhões. Nesse caso, os demais modais têm maiores vantagens. Regulamentação rodoviária e trânsito. Rodoviárias brasileiras ainda precárias, sem condições de uso, o que faz com que se elevem os custos deste modal.

22 Modais de transportes Transporte ferroviário Este transporte tem participação relativamente baixa entre os modais de transportes. Vantagens Não há restrições de carga, é ideal para o transporte de sacarias e grãos agrícolas como soja, milho entre outros. Flexibilidade combinada, pois os vagões são transportados em balsas em caso de subsistema agua-ferrovia. Em comparação com o rodoviário, a velocidade deste modal tem vantagens superiores.

23 Modais de transportes Desvantagens Maior necessidade de complemento de serviços de transportes pela localização das estações ferroviárias e os pontos de origem e destino. Riscos de furto e roubo nas operações de transbordo entre os pontos de origem e destino. Vejamos a seguir: Ferramentas para gestão e operação de transportes

24 Interatividade Este modal tem grandes vantagens com redução de custos de armazenagem, atende a necessidade de prazo, mas tem restrição com relação a peso, volume e tipo de carga. Estamos falando de: a) Ferroviário b) Marítimo c) Aéreo d) Dutoviário e) NDA.

25 ITS (Intelligent Transportation Systems) Os sistemas inteligentes de transporte é a expressão utilizada para denominar as soluções de tecnologia da informação aplicadas ao transporte. Gestão da frota Os softwares para gestão da frota são compostos por: uma programação operacional, uma solução de monitoramento de frota em tempo real e por recursos de comunicação central de controle operacional com o motorista. Ferramentas e recursos dentro dos sistemas de gestão da frota oferecem os benefícios de que trataremos a seguir.

26 ITS (Intelligent Transportation Systems) Principais benefícios Maior controle na manutenção preventiva e corretiva. Redução e controle de custos operacionais. Maior segurança das informações. Maior segurança para os motoristas. Redução de riscos. Maior produtividade. Aumento do nível de serviço. Exemplo destas ferramentas é o GPS, vejamos a seguir.

27 GPS (Global Positioning System) Criado na déc. De 70 pelo Departamento de Defesa Americana e chamado de Navstar GPS fornecia informações para a navegação de aeronaves civis sobre o oceano e demais áreas remotas espalhadas pelo globo terrestre. Formado por 3 elementos: Espacial Consiste na constelação de 29 satélites (último lançado em janeiro de 2007) divididos em órbitas em volta da Terra, com altitude de milhas, ou km.

28 GPS (Global Positioning System) Controle São as redes de estação terrestre de controle e monitoramento dos relógios de cada satélite. Há cinco dessas estações espalhadas pelo mundo. Usuário Consiste na antena e no receptor/processador que fica no interior da aeronave e fornece informações para o usuário. O sistema GPS tem uma precisão de 100 metros, com probabilidade de 95%, e de 300 metros, com probabilidade de 99,99%.

29 GPS (Global Positioning System) GPS + Celular A localização é feita através do GPS e o celular embarcado no veículo tem a finalidade de transmitir as informações de coordenadas e receber informações de bloqueio. GPS + Rádio Da mesma forma que a combinação anterior, o GPS realiza a localização e o rádio no interior do veículo transmite as informações, coordenadas e comando de bloqueio. GPS + Satélite O rastreamento é feito pelo GPS e a comunicação via satélite, que tem baixo custo.

30 GPS (Global Positioning System) Principais vantagens Alto poder de precisão Funcionamento em tempo integral (24h). Cobertura em todo o globo terrestre. Cronometra o tempo. Auxilia na condução de trajetos. Armazenam coordenadas de posições, facilitando a reconstituição quando necessário. Indica velocidade. Independe de condições atmosféricas. Baixo investimento.

31 Softwares de roteirização Desvantagem do GPS Esta tecnologia possui como desvantagem o fato de não ser possível rastrear em locais fechados em que o sinal não alcança. Softwares de roteirização Com a velocidade em que cresce a frota de veículos nos estados brasileiros, especialmente nas grandes metrópoles, otimizar a rota de entrega da mercadoria é um diferencial competitivo. Como estes softwares podem ajudar???

32 Softwares de roteirização Como escolher a rota de entrega? Por bairro (CEP)? Por cliente? Por pedidos? Como tomar a melhor decisão? Estes softwares tiveram uma boa evolução na década de 90 através do SIG (sistema de informação geográfica) que além do visual, aumentaram a flexibilidade nas janelas do sistema, as múltiplas rotas, os retornos, os roteiros com pernoite, entre outros recursos.

33 Softwares de roteirização Funcionalidades Calcular rotas de forma estratégica. Rastreamento e monitoramento da entrega. Exclusão da rota de caminhos com trânsito, barreiras, obras e acidentes. Definição de parâmetros para cálculo da rota (vias, caminho curto, rápido etc.). Atribuição de paradas e sequência de paradas, levando em conta tempo, custo e capacidade do veículo.

34 Softwares de roteirização Vantagens: Flexibilidade em mudança de rota. Visualização da rota/mapa durante o trajeto. Rapidez no processo de expedição. Maior produtividade. Redução de custos operacionais. Menor risco nas operações. Aumento do nível de serviço. Maior satisfação do cliente. Rapidez na tomada de decisão. Cálculo da capacidade e produtividade do veículo.

35 Softwares de roteirização Estes softwares levam em conta os seguintes parâmetros para o cálculo da rota: distância média entre os pontos; velocidade média por trecho; taxa de descarga; rotas com pernoite; jornada de trabalho do motorista; custo de hora extra.

36 Tecnologia nos PSLs Tecnologia utilizadas pelos PSLs. Ano Consultas pela Internet Rastreamento Satélite (frota terceiros) Rastreamento Satélite (frota própria) Rastreamento (frota terceiros)* Rastreamento (frota própria)* % 74% 72% 73% 75% % 68% 59% 68% 59% % 93% 71% 61% 69% % 76% 74% 67% 59% % 84% 77% 75% 70% % 71% 65% 57% 52% % 73% 66% 64% 55% % 61% 70% 54% 53%

37 Interatividade Os softwares de roteirização tem entre suas funções as elencadas abaixo, exceto: a) Planejamento de vendas b) Cálculo da capacidade e produtividade do veículo c) Vizualização de rota d) Mapa durante o trajeto e) Aumento do nível do serviço e produtividade

38 Soluções Mobile Soluções Mobile (móveis) Todas as soluções que estudamos nesta disciplina podem e são desenvolvidas com aplicativos para operação e consulta por meio de soluções mobile (soluções móveis) tais como: internet, laptops, rádios, celulares, palms, smartphones, tablets, Iphone entre outros. As tecnologias móveis são utilizadas tanto por executivos em aprovações remotas como para os operadores, na coleta de dados nos pontos de vendas, nas entregas de encomendas, entre outras utilizações. Consulte os tipos de tecnologias no livro texto utilizado para as versões mobiles.

39 Perspectivas para o futuro da tecnologia aplica a logística O que esperar do futuro? Vimos que os últimos anos foram os principais responsáveis pelas principais tecnologias que temos atualmente, especialmente da década de 90 para cá, mas o que podemos considerar para o futuro? aumento do uso de computadores pessoais; maior variedade dos produtos aumento da oferta; maior competitividade; vida curta dos produtos; estoques reduzidos; mão de obra qualificada.

40 Perspectivas para o futuro da tecnologia aplica a logística Tendências: Segundo especialista Reinaldo Moura, o futuro exige: Controlar os custos Estocagem inteligente Redução do tempo e do ciclo Redução do espaço Acompanhar mudança Falar com dados Segurança no trabalho Reciclagem, Reuso e Retorno

41 Tecnologia sustentável É possível a tecnologia andar junto com a sustentabilidade??? O documentário Uma verdade inconveniente diz que 3 motivos levam o planeta ao aquecimento global: Crescimento acelerado da população Surgimento das tecnologias Velhos hábitos

42 Tecnologia sustentável Qual a solução? Acordos mundiais O Protocolo de Kyoto (PK), discutido e negociado em Kyoto (ou Quioto), no Japão, em 1997, foi formado pela Convenção Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança Climática. Constitui-se no protocolo de um tratado internacional cujo compromisso é a redução dos gases de efeito estufa (GEE) que causam o aquecimento global. O protocolo entrou em vigor em 16 de fevereiro de 2005 e possui metas de redução para os 175 países, porém com níveis diferenciados para os 38 países mais poluentes.

43 Tecnologia sustentável Os países signatários devem cooperar uns com os outros por meio de algumas medidas básicas: reformar os setores de energia e transportes; utilização de energia renovável; limitar as emissões do metano no gerenciamento de resíduos e sistemas energéticos; proteção das florestas; a estimativa é reduzir entre 1,4 Cº e 5,8 Cº até 2100

44 Tecnologia sustentável GHG Protocol Foi desenvolvido pelo WRI em parceria com WBSCD e é uma ferramenta utilizada mundialmente para entender, quantificar e gerenciar as emissões de gases de efeito estufa. As empresas participam com a finalidade de: receber treinamentos sobre o tema, aprender a fazer os cálculos, publicar e divulgar; vantagem competitiva como negócio sustentável; participação no mercado de carbono; melhorar relacionamento com o público de interesse; adequação a padrões de relatórios internacionais de sustentabilidade.

45 Tecnologia sustentável GHG Protocol Em maio de 2008 foi lançado oficialmente no Brasil o Programa Brasileiro GHG Protocol. Na ocasião, 27 empresas pioneiras aderiram ao programa, chamadas de membros fundadores. d Elas ajudam a definir o formato dos treinamentos, plano de trabalho e adaptações de ferramentas à realidade brasileira. Em 2010, já eram 35 empresas que passaram a mapear suas fontes e volumes de GEE emitidos direta e indiretamente por suas operações, chamadas de inventários* Consulte as empresas participantes!

46 Tecnologia sustentável GHG Protocol * Inventário: (espécie de raio x da empresa para determinar fontes de gases nas atividades produtivas e quantidade de GEE lançados na atmosfera). Veja mais sobre projeto sócio ambientais, desenvolvimento sustentáveis, reciclagem e outros programas desenvolvidos por algumas empresas no brasil e fique por dentro do movimento verde.

47 Atuação dos profissionais da área Qual a formação dos profissionais de logística? Quais as áreas de maior atuação e melhor remuneração? Qual o perfil de quem atua na área? Recente pesquisa comentada pelo ILOS mostra os padrões da carreira dos profissionais americanos de Logística nas últimas décadas. Confira a seguir:

48 Atuação dos profissionais da área reposição ascendente do principal executivo de logística, com maior número de diretores e vice-presidente; maiores responsabilidades com mais funções; maior interação com outras áreas como marketing, produção, finanças e TI; mudança de ênfase das questões de atividades de tecnologia e economia; crescente reconhecimento científico da logística.

49 Atuação dos profissionais da área Formação dos profissionais de logística 44% 49% Brasil EUA 34% 24% 11% 8% 5% 2% 11% 12%

50 Atuação dos profissionais da área Os profissionais de logística são: Mulheres Homens 77% 89% 23% 11% Brasil EUA

51 Atuação dos profissionais da área Remuneração dos profissionais de logística Até R$ 50 mil; 22% Acima de R$ 300 mil; 3% De R$ 250 a R$ 300 mil; 6% De R$ 200 a R$ 250 mil; 7% De R$ 150 a R$ 200 mil; 14% De R$ 50 a R$ 100 mil; 24% De R$ 100 a R$ 150 mil; 23%

52 Interatividade O GHG Protocol tem como meta principal: a) Incentivar ações e projetos sócios ambientais em todo mundo em prol da redução dos Gases de Efeito Estufa. b) Quantificar e gerenciar as emissões de gases de efeito estufa. c) Ensinar a forma correta de reciclagem, reuso e logística reversa d) Treinar empresas em projetos de desenvolvimento sustentáveis e) NDA.

53 ATÉ A PRÓXIMA!

Unidade IV. 7 Ferramentas tecnológicas aplicadas à logística (Parte II)

Unidade IV. 7 Ferramentas tecnológicas aplicadas à logística (Parte II) Unidade IV Unidade IV 7 Ferramentas tecnológicas aplicadas à logística (Parte II) Nesta unidade, vamos finalizar o assunto sobre as tecnologias existentes que auxiliam o planejamento e as operações logísticas,

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect)

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect) Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Logística empresarial e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Conceitos avançados da Logística com foco na TI Disciplina: Tecnologia da Informação (TI) Aplicada à

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

Introdução à tecnologia RFID

Introdução à tecnologia RFID Sumário Como surgiu a tecnologia RFID... 2 Como funciona?... 2 Quais os benefícios e onde utilizar o sistema de RFID... 4 Utilização proposta... 4 Etapas para leitura de dados via RFID... 5 Diagrama de

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 05 FILIPE S. MARTINS

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 05 FILIPE S. MARTINS AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 05 FILIPE S. MARTINS AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA ROTEIRO TMS GESTÃO DE TRANSPORTES PRA QUE SERVE? NÍVEIS DE DECISÃO QUAL A UTILIDADE? BENEFÍCIOS MODELOS EXERCÍCIO GESTÃO DE TRANSPORTE

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Como garantir

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

Tecnologia Aplicada à Logística

Tecnologia Aplicada à Logística Tecnologia Aplicada à Logística Movimentação e TI Alunos: Keriton Leandro Fernando TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA LOGÍSTICA Definição de Informação na Logística É um elemento de grande importância nas operações

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

Unidade III LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza

Unidade III LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza Unidade III LOGÍSTICA INTEGRADA Profa. Marinalva R. Barboza Distribuição física e armazenagem Objetivo: Atender o cliente, dispondo do produto no lugar certo, no tempo certo e na quantidade desejada. Esta

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato ÍNDICE Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato Apresentação do produto O Mobilize é uma solução mobile modular para

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 3 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Controles de Estoque Principais Atribuições Planejamento Controle Gestão de estoques PDCA Sistema de administração

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações II

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações II Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações II 19º Encontro - 09/10/2011 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO

Leia mais

RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br

RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br Graduado em Sistemas de Informação FASAM Mestrado em andamento em Ciência da Computação INF/UFG PRIMEIROS PASSOS Surgiu na Segunda Guerra

Leia mais

Supply Chain Management. SCM e Ti aplicada à Logística Marco Aurelio Meda

Supply Chain Management. SCM e Ti aplicada à Logística Marco Aurelio Meda Supply Chain Management e TI aplicada à Logística 24 de Junho de 2004 SCM e Ti aplicada à Logística Cenário de Competição... Operações Globalizadas Operações Integradas Introdução LOGÍSTICA Tecnologia

Leia mais

Contribuição do custo logístico na formação de preço de venda dos produtos. Prof. Paulo Medeiros

Contribuição do custo logístico na formação de preço de venda dos produtos. Prof. Paulo Medeiros Contribuição do custo logístico na formação de preço de venda dos produtos Prof. Paulo Medeiros Medindo os custos e desempenho da logística Uma vez que o gerenciamento logístico é um conceito orientado

Leia mais

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS INTRODUÇÃO: Entende-se por Mobilidade a possibilidade de poder se comunicar em qualquer momento e de qualquer lugar. Ela é possível graças às redes wireless, que podem

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza Prova 1 09 de Maio de 2013 Nome: 1ª QUESTÃO (1,0) Segundo os dados divulgados pela ood and Agriculture Organization (AO, 2011) sobre as exportações brasileiras, em

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes ARMAZENAGEM E T.I. Pós-Graduação em Gestão Integrada da Logística Turma: GIL131M - 2013 Universidade São Judas Tadeu Prof.: Ms. Maurício Pimentel Disciplina: Tecnologia da Informação Aplicada a Logística

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTES

SISTEMAS DE TRANSPORTES ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS, PRODUÇÃO E LOGÍSTICA SISTEMAS DE TRANSPORTES TRANSPORTES Transportes, para a maioria das firmas, é a atividade logística mais importante, simplesmente porque ela absorve, em

Leia mais

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo O artigo aborda relações entre logística, formação profissional e infra-estrutura do país. São debatidas questões sobre a evolução da logística no Brasil, a preparação educacional do profissional de logística

Leia mais

Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA. Marinalva R. Barboza

Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA. Marinalva R. Barboza Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA Marinalva R. Barboza Definição do conceito de logística e evolução Logística tem origem no idioma francês Logistique se define de forma militar sendo uma parte estratégica

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência RFID RFID - Identificação por Radiofreqüência Sistema de Identificação por Radio Frequência O que é RFID? Objetivo e utilidade similares ao código de barras; Composto por 3 elementos: Uma antena; Um leitor;

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE. SALVADOR/BA, 04 de Setembro de 2014.

RIO GRANDE DO NORTE. SALVADOR/BA, 04 de Setembro de 2014. RIO GRANDE DO NORTE SALVADOR/BA, 04 de Setembro de 2014. Monitoramento de veículos na Revenda Francisco Correia E-mail: zonanortegas@ig.com.br O Mercado de GLP em Natal/RN O Mercado de GLP em Natal/RN

Leia mais

Considerações do mundo real. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE

Considerações do mundo real. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE Considerações do mundo real Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE 2 Benefícios e oportunidades com RFID 3 Benefícios e oportunidades com RFID São os benefícios

Leia mais

Logistica e Distribuição

Logistica e Distribuição Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Armazenagem e Movimentação Primárias Apoio 1 2 A armazenagem corresponde a atividades de estocagem ordenada e a distribuição

Leia mais

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management Sistemas de Informações SCM Supply Chain Management Fontes Bozarth, C.; Handfield, R.B. Introduction to Operations and Supply Chain Management. Prentice Hall. 2nd. Edition Objetivos Fluxos de Informação

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009 LOGÍSTICA EMPRESARIAL Rodolfo Cola Santolin 2009 Conteúdo Cadeia de suprimentos Custos Logísticos Administração de Compras e Suprimentos Logística Reversa CADEIA DE SUPRIMENTOS Logística Logística Fornecedor

Leia mais

onda Logistics powered by Quantum

onda Logistics powered by Quantum onda Logistics powered by Quantum Sonda IT Fundada no Chile em 1974, a Sonda é a maior companhia latino-americana de soluções e serviços de TI. Presente em 10 países, tais como Argentina, Brasil, Chile,

Leia mais

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios.

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios. Internet of Things 10 formas de utilizá-la em diversos tipos de negócios. INTRODUÇÃO As interfaces Machine to Machine (M2M) estão facilitando cada vez mais a comunicação entre objetos conectados. E essa

Leia mais

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE *Envie o nome de seu grupo, dos integrantes e um telefone de contato junto com as respostas do questionário abaixo para o e-mail COMMUNICATIONS.SLA@SCANIA.COM*

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais

ANÁLISE DOS SISTEMAS LOGÍSTICO E DE TRANSPORTE DO CORREDOR CENTRO-OESTE

ANÁLISE DOS SISTEMAS LOGÍSTICO E DE TRANSPORTE DO CORREDOR CENTRO-OESTE ANÁLISE DOS SISTEMAS LOGÍSTICO E DE TRANSPORTE DO CORREDOR CENTRO-OESTE Aluno: Stephan Beyruth Schwartz Orientador: Nélio Domingues Pizzolato 1. INTRODUÇÃO A estabilização da economia e a eliminação do

Leia mais

Professora Danielle Valente Duarte

Professora Danielle Valente Duarte Professora Danielle Valente Duarte TRANSPORTE significa o movimento do produto de um local a outro, partindo do início da cadeia de suprimentos chegando até o cliente Chopra e Meindl, 2006 O Transporte

Leia mais

Curso de Logísticas Integrada

Curso de Logísticas Integrada 1 Introdução a Logística; Capítulo 1 - Conceitos de logística; Breve Histórico da Logística; Historia da logística; SCM; Logística Onde estávamos para onde vamos? Estratégia para o futuro; 2 Conceitos

Leia mais

estratégias operações

estratégias operações MERCADO FERRAMENTA NECESSIDADE O que é LOGÍSTICA? estratégias Fator de Diferenciação Competitiva Fator de Tomada de Decisão operações Busca pela Excelência na Gestão O que buscamos? EXCELÊNCIA LOGÍSTICA

Leia mais

Usos Práticos da Tecnologia RFID em Aplicações de Produção e Distribuição

Usos Práticos da Tecnologia RFID em Aplicações de Produção e Distribuição Whitepaper Usos Práticos da Tecnologia RFID em Aplicações de Produção e Distribuição ÍNDICE A Tecnologia RFID simplifica os Processos de Negócio 2 O que é RFID? 2 Como funciona a Tecnologia RFID 2 Vantagens

Leia mais

1 Habilitação: Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Administração de Logística

1 Habilitação: Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Administração de Logística Habilitação, qualificações e especializações: 1 Habilitação: Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Administração de Logística Carga-Horária: 960 horas 1.2 Objetivo Geral do Curso O curso de Educação

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu

Universidade São Judas Tadeu Universidade São Judas Tadeu Anna Karoline Diniz Fortaleza Camila Moura Favaro Fernando dos Anjos Reinaldo Francisco Carvalho Tiago Souza Tecnologia da Informação no Transporte São Paulo 2013 1 Tecnologia

Leia mais

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA POR QUE ESCOLHER O DHL OCEAN DIRECT (FCL) EXPERIÊNCIA EM LOGÍSTICA PARA NEGÓCIOS DE TODOS OS TAMANHOS Nossa experiência

Leia mais

Tecnologia aplicada à Logística. Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br

Tecnologia aplicada à Logística. Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br Tecnologia aplicada à Logística Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br Logística Qual a primeira imagem que vem a sua mente quando ouve a palavra LOGÍSTICA? Logística De cada 10 pessoas, pelo menos

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico Avenida Prudente de Morais, 290 4º andar Cidade Jardim (31) 2531 0166 contato@idel.com.br www.idel.com.br 1 Palestrante Mac

Leia mais

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Analista de Logística em Comércio Exterior - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Habilitar o participante para trabalhar com as rotinas da logística

Leia mais

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3 Brasil EPC Código Eletrônico de Produto Volume 3 A implementação do código eletrônico de produto (EPC) e da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), promete importantes benefícios aos consumidores

Leia mais

Sistemas de abastecimento de pedidos

Sistemas de abastecimento de pedidos Sistemas de abastecimento de pedidos Sistemas de abastecimento de pedidos Intelligrated Densidade de separação A Intelligrated usa suas décadas de experiência e centenas de instalações para oferecer as

Leia mais

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS PROF. RODRIGO FREITAS DE SOUZA REVISÃO rfsouza@fatecinternacional.com.br Objetivo da Logística Fazer chegar a quantidade certa das mercadorias certas ao local certo, no

Leia mais

LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II. Prof. Alessandro Camargo

LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II. Prof. Alessandro Camargo LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II Prof. Alessandro Camargo Logística Internacional As principais características das operações logísticas são: - Complexidade: que podem ser desde o produto até a

Leia mais

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO INTEGRADA DA LOGISTICA SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI ANNA KAROLINE DINIZ CAMILA MOURA FAVARO FERNANDO DOS ANJOS REINALDO FRANCISCO TIAGO SOUZA

Leia mais

REDES DE DISTRIBUIÇÃO

REDES DE DISTRIBUIÇÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO De uma maneira geral, as redes de distribuição são constituídas por: 1. Um conjunto de instalações que fazem a recepção, armazenagem e expedição de materiais; 2. Um conjunto de rotas

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR O GT GPRS é um equipamento wireless que executa a função de recepção e transmissão de dados e voz. Está conectado à rede de telefonia celular GSM/GPRS, para bloqueio

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes.

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. EMPRESA CRIADA EM 2007, a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. Além de fazer um diagnóstico e sugerir recomendações, a WZ acredita

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

Leia mais

Ensino Técnico. Plano de Trabalho Docente 2015. ETEC Paulino Botelho ( Extensão Esterina Placco ) Código: 091.01. Município: São Carlos

Ensino Técnico. Plano de Trabalho Docente 2015. ETEC Paulino Botelho ( Extensão Esterina Placco ) Código: 091.01. Município: São Carlos Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC Paulino Botelho ( Extensão Esterina Placco ) Ensino Técnico Código: 09101 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão de

Leia mais

Armazenagem e Movimentação de Materiais II

Armazenagem e Movimentação de Materiais II Tendências da armazenagem de materiais Embalagem: classificação, arranjos de embalagens em paletes, formação de carga paletizada, contêineres Controle e operação do armazém Equipamentos de movimentação

Leia mais

RFID na Logística de Suprimentos. Loja do Futuro. 1. Cartão do Futuro: a. Com o Cartão Pessoal o usuário é reconhecido assim que começar as compras.

RFID na Logística de Suprimentos. Loja do Futuro. 1. Cartão do Futuro: a. Com o Cartão Pessoal o usuário é reconhecido assim que começar as compras. Loja do Futuro Na Loja do Futuro, novas ferramentas permitirão todos os processos se tornarem muito mais simples e eficientes, vamos a elas: 1. Cartão do Futuro: a. Com o Cartão Pessoal o usuário é reconhecido

Leia mais

Unidade II LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza

Unidade II LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza Unidade II LOGÍSTICA INTEGRADA Profa. Marinalva R. Barboza A logística integrada A expressão logística integrada surgiu nos EUA em um trabalho de três autores (Lambert, Stock e Ellram) Se destacou pela

Leia mais

Recebeu vários prêmios com projetos de embalagens e soluções de transporte e armazenagem.

Recebeu vários prêmios com projetos de embalagens e soluções de transporte e armazenagem. Tecnôloga Mecânica em Processos de Produção e Projetos de Máquinas pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo (UNESP). Trabalha na área de logística e desenvolvimento de embalagens há 25 anos. Desenvolveu

Leia mais

Intelligent Transportation Systems

Intelligent Transportation Systems Intelligent Transportation Systems Mauricio Consulo Diretor America Latina Clever Devices - Overview Sede em Nova Iorque, EUA. Provedora de sistemas de informações digitais, Sistemas de Inteligentes de

Leia mais

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 www.brazilpanels.com.br www.abcomm.com.br www.ecommerceschool.com.br Apoio: INTRODUÇÃO A Logística foi escolhida para ser o tema do primeiro estudo

Leia mais

PLATAFORMAS MARÍTIMAS. Aula 13. Logística de transferência de petróleo

PLATAFORMAS MARÍTIMAS. Aula 13. Logística de transferência de petróleo PLATAFORMAS MARÍTIMAS Aula 13 Logística de transferência de petróleo INTRODUÇÃO Logística Colocar-se o produto certo, no local correto, no momento adequado e ao menor preço possível, desde as fontes de

Leia mais

Disciplina: Suprimentos e Logística II 2014-02 Professor: Roberto Cézar Datrino Atividade 3: Transportes e Armazenagem

Disciplina: Suprimentos e Logística II 2014-02 Professor: Roberto Cézar Datrino Atividade 3: Transportes e Armazenagem Disciplina: Suprimentos e Logística II 2014-02 Professor: Roberto Cézar Datrino Atividade 3: Transportes e Armazenagem Caros alunos, Essa terceira atividade da nossa disciplina de Suprimentos e Logística

Leia mais

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS CONTEÚDO CRITÉRIO I - POLÍTICA... 2 INDICADOR 1: COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 2 CRITÉRIO II GESTÃO... 3 INDICADOR 2: RESPONSABILIDADES... 3 INDICADOR 3: PLANEJAMENTO/GESTÃO

Leia mais

WMS Warehouse Management System

WMS Warehouse Management System WMS Warehouse Management System [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais

Leia mais

Distribuição e transporte

Distribuição e transporte Distribuição e transporte Gestão da distribuição Prof. Marco Arbex Introdução Toda produção visa a um ponto final, que é entregar os seus produtos ao consumidor; Se o produto não está disponível na prateleira,

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Manuseio de Materiais / Gestão de Informações Primárias Apoio 1 2 Manuseio de Materiais Refere-se aos deslocamentos de materiais

Leia mais

Fundamentos do Transporte

Fundamentos do Transporte Prof.: Deibson Agnel Livro: Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos/Logística Empresarial Autor: Ronald Ballou Cap. 06 1 A importância de um sistema de transporte eficaz A movimentação de cargas absorve

Leia mais

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL, entendendo a necessidade do mercado em serviços relacionados a segurança e proteção do patrimônio, reúne as melhores tecnologias em soluções de segurança e geolocalização.

Leia mais

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO Medidas estão sendo tomadas... Serão suficientes? Estaremos, nós, seres pensantes, usando nossa casa, com consciência? O Protocolo de Kioto é um acordo internacional, proposto

Leia mais

TENDÊNCIAS TECNOLOGICAS PARA LOGÍSTICA. GILBERTO SOUZA DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS PRIME INTERWAY GILBERTO.SOUZA@PRIMEINTERWAY.COM.

TENDÊNCIAS TECNOLOGICAS PARA LOGÍSTICA. GILBERTO SOUZA DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS PRIME INTERWAY GILBERTO.SOUZA@PRIMEINTERWAY.COM. JUN, 2013 TENDÊNCIAS TECNOLOGICAS PARA LOGÍSTICA. GILBERTO SOUZA DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS PRIME INTERWAY GILBERTO.SOUZA@PRIMEINTERWAY.COM.BR 1 PARA REFLEXÃO: Qual foi a maior potência Industrial

Leia mais

Transporte Rodoviário de Cargas. Panorama do Setor Eficiência Energética e Metodologia de Avaliação de Empresas

Transporte Rodoviário de Cargas. Panorama do Setor Eficiência Energética e Metodologia de Avaliação de Empresas Transporte Rodoviário de Cargas Panorama do Setor Eficiência Energética e Metodologia de Avaliação de Empresas Panorama do Segmento de Transporte Rodoviário de Carga Brasileiro Panorama TRC Infraestrutura

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.9 Especificações do Sistema de Monitoramento da Frota PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 2 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 2 2.1 Aquisição de Dados Monitorados do Veículo...

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes AULA PASSADA: CADASTRAMENTO DE MATERIAIS UMA REVISÃO RÁPIDA CONCEITO DE CADASTRAMENTO DE MATERIAIS E SUAS

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS

COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS 1 ÍNDICE 1. Introdução... 2. Por que preciso investir em tecnologia?... 3. Cinco passos para usar a tecnologia a meu favor... 4.

Leia mais

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega.

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega. A Way Data Solution se especializou em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para criar um sistema inovador de logística e monitoramento de temperatura/ umidade, através do qual empresas poderão

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Gases de Efeito Estufa Inventário de Gases de Efeito Estufa Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Nicole Celupi - Three Phase Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Institucional A Three Phase foi criada em

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Via Láctea Estamos aqui Sistema Solar Terra Estamos aqui Planeta Terra Estamos

Leia mais

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber:

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber: Distribuição Física Objetivo da aula: Apresentar e discutir o conceito e os componentes do sistema de distribuição física, dentro do processo logístico. O objetivo geral da distribuição física, como meta

Leia mais

MBA em Gestão Logística

MBA em Gestão Logística Pág. 1/5 MBA em Gestão Logística Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados das 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas de R$ 380,00* * Valor

Leia mais

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil Competência Sistemas para Transportadoras e Soluções Você e sua Empresa em perfeita sintonia Excelência Recursos Tms EXPERIÊNCIA O sistema é composto por módulos que controlam e integram os processos operacionais

Leia mais

Função: Planejamento e Operação de Transportes

Função: Planejamento e Operação de Transportes MÓDULO III Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM LOGÍSTICA III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES Função: Planejamento e Operação de Transportes 1. Avaliar a infraestrutura dos sistemas de

Leia mais