AMA BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS MISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA - SENADO FEDERAL COMISSÃO DA AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AMA BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS MISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA - SENADO FEDERAL COMISSÃO DA AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA"

Transcrição

1 AA BRASIL AA BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS ISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA - SENADO FEDERAL COISSÃO DA AGRICULTURA E REFORA AGRÁRIA FERTILIZANTES ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DA DEPENDÊNCIA DAS IPORTAÇÕES ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DOS PREÇOS 14 de Abril de 2009 PRESIDENTE GEORGE WAGNER BONIFÁCIO E SOUSA 1

2 AA BRASIL CENÁRIOS DO AGRONEGÓCIO UNDIAL 2

3 CENÁRIOS DO AGRONEGÓCIO UNDIAL AA BRASIL Independente dos pontos relevantes, atuais, frutos da crise internacional, sobre os quais teceremos comentários específicos, os fundamentos básicos da situação do agronegócio mundial, e portanto seus reflexos no Brasil, mantém-se muito próximos dos mesmos que trouxemos a esta casa em 28 de novembro de a saber: Subsídios Agrícolas Na maioria dos países agricultura/alimentos/fibras/biocombustiveis são enfoques tratados como segurança nacional. Subsídios estimulam maior demanda por produtos agrícolas e portanto por fertilizantes. Estimado U$ 360 bilhões/ano de subsídios, no mundo todo. Segundo CNA, VBP.A Valor Bruto da Produção Agrícola Brasil prevista para 2009, será R$ 173,2 bilhões, e em 2008 foi R$ 187,17 bilhões (U$ 83 bilhões). Representam, assim, os subsídios mundiais, 4,5 vezes o V.B.P.A /Brasil. 3

4 CENÁRIOS DO AGRONEGÓCIO UNDIAL AA BRASIL Só China subsidia U$ 50 bilhões, 60% do V.B.P.A./Brasil EUA Farm Bill - continuará o forte subsídio, estimado U$ 360 bilhões em 10 anos. Índia subsidia U$ 5,73 bilhões só para fertilizantes. U$ 23,0 bilhões agricultura. Biocombustível Política de substituição aos combustíveis fosseis com astransferências de áreas e de produções agrícolas: milho, soja, mandioca, palma, cana de açúcar, aumenta a demanda por estas commodities e portanto para fertilizantes.. Renda Per Capita - O aumento da renda trouxe maior demanda por proteína animal, que consome grãos para ser produzida. Calcula-se (média mundial) que para produzir 1 Kg carne suína, 3 Kgs de cereais e 1 Kg carne bovina 8 Kgs (média mundial - não é o caso do Brasil). Apesar da crise não deve haver grande alteração neste quadro de demanda, pois os hábitos alimentares, consumo de produtos mais sofisticados, deverão sofrer menos impacto do que bens duráveis. 4

5 CENÁRIOS DO AGRONEGÓCIO UNDIAL AA BRASIL Política Agrícola - União Européia U.E Suspendeu-se o subsídio ao agricultor para manter inativas parte de suas áreas, 10%, ( Set-Aside = Pousio). Com isto incentiva fortemente a produção/produtividade. Inclusão de países do Leste Europeu no mercado comum usando tecnologia mais sofisticada. As duas variáveis acima pressionam fortemente demanda por fertilizantes. 5

6 AA BRASIL SITUAÇÃO ATUAL DA AGRICULTURA VISÃO IFA 6

7 SITUAÇÃO ATUAL VISÃO UNDIAL IFA AA BRASIL Com a fuga dos fundos de investimentos terminaram as especulações das bolsas de commodities agrícolas e assistimos a uma queda nos seus preços embora ainda se mantenham em patamares acima dos históricos e em níveis interessantes de retorno. A queda dos preços das commodities foram compensadas pela valorização do dólar em relação a quase todas as moedas do mundo. Os preços das commodities, no Brasil, tiveram a mesma compensação. Os preços dos produtos agrícolas, segundo a IFA International Fertilizer Industry Association, utilizando dados da FAO e da USDA, devem se recuperar em Temos acompanhado a manutenção dos preços, como mencionado, apesar da crise. A área prevista, último dado da USDA, a ser plantada, com soja, nos EUA, deverá permanecer igual, - 30,4 milhões de Há, em 2008, 30,7 milhões/ha. em ilho 34,4 milhões/há em 2008 e 34,8 milhões/ha. em

8 SITUAÇÃO ATUAL VISÃO UNDIAL IFA AA BRASIL Deverá haver alguma recuperação na produção mundial de grãos - 4,3%, em relação ao ano anterior, 2008 e variação favorável nos níveis dos estoques finais, 15% maior. A relação, estoque consumo, de grãos, continua, apesar disto, com o nível de 20,0% estando próximo do limite de segurança recomendado pela FAO. Segundo a última estimativa do USDA, (previsões 04/09) as relações dos estoques, em, 2008/2009, são - 24% trigo -19%, arroz - 17% grãos coarse e soja 20,3%. Deve-se, esta melhora, em boa parte, a produção de milho EUA , e a colheita recorde de trigo na Europa na última safra. 8

9 SITUAÇÃO ATUAL VISÃO UNDIAL IFA AA BRASIL Achamos fundamental destacar que o Brasil, com o papel chave que desempenha no agronegócio mundial, tem um longo caminho favorável a sua frente nesta área e para isto é extremamente relevante a preocupação e a colaboração de Vossas Excelências, como das demais autoridades, no tocante ao suprimento de fertilizantes. 9

10 AA BRASIL PRINCIPAIS DADOS DO SETOR BRASIL 10

11 PRINCIPAIS DADOS DO SETOR - BRASIL AA BRASIL O SEGENTO ISTURADOR DE FERTILIZANTES PRINCIPAIS PONTOS A entrega prevista para 2008, de 26,5 milhões toneladas, confirmou-se em 22,4 milhões de toneladas. Esta queda na demanda impactou o aumento no nível de estoque, com reflexos no caixa de todas as empresas misturadoras. Agravou este cenário duas variáveis relevantes: desvalorização do real, aumentando os compromissos dos pagamentos das importações assumidas em dólar; Queda substancial dos preços das matérias primas importadas, não funcionando os estoques como hedge natural, como tradicionalmente deveria ocorrer. 11

12 PRINCIPAIS DADOS DO SETOR - BRASIL AA BRASIL Os desafios do misturador, principalmente médio e pequeno, é encontrar caminhos para atravessar este período de dificuldade gerado por: Estoques altos; Preços na ponta abaixo de seus custos; Total falta de crédito para seu suprimento e para o agricultor. As seguradoras do crédito internacional fecharam suas operações para financiamentos das importações indispensáveis, dos fertilizantes, afetando diretamente o segmento misturador e portanto a agricultura. Este é o problema crucial no momento. Para a agricultura, se ocorrer saída, mesmo que parcial, de misturadores do setor, seja do porte que for, haverá concentração da oferta nas mãos de menor número de players, trazendo- lhe problemas de suprimento pela oferta concentrada. 12

13 AA BRASIL ALGUNS CENÁRIOS INTERNACIONAIS 13

14 PRODUÇÃO E ESTOQUES FINAIS GRÃOS FONTE: USDA PREVISÃO DE ABRIL 2009 AA BRASIL PRODUÇÃO UNDIAL.T. PRODUTO 2007/ / 2009 VAR. % ESTOQUES FINAIS.T. 2007/ / 2009 VAR. % CONSUO 2008/09 EST/CONS TRIGO 609,0 682,0 11,1 122,3 158,1 29,2 646,7 24,4 ARROZ 431,9 441,1 2,1 78,5 86,1 9,6 433,5 19,8 COARSE* 1076,4 1097,5 1,9 159,6 186,1 16,6 1071,0 17,3 SOJA 220,8 218,7 (-1,0) 53,0 45,8-13,0 225,4 20,3 TOTAL 2338,1 2439,3 4,3 413,4 476,1 15,1 2376,6 20,0 % GRÃOS - FAO - CONSIDERA 18% RELAÇÃO ESTOQUE/CONSUO, TECNICAENTE COO O ÍNIO RECOENDÁVEL, PARA SEGURANÇA DO SUPRIENTO. ESTOQUES DE GRÃOS - CHINA ESTIATIVA USDA 146-.T. - EQUIVALENTE A 30% DO ESTOQUE UNDIAL DE GRÃOS. EUA 111-.T. 23% - (JUNTOS 53%) * GRÃOS COARSE ILHO (786,4.T.) - SORGO CENTEIO CEVADA AVEIA ILHETE (PAINÇO) FONTE: USDA IFA 14

15 CONSUO UNDIAL DE FERTILIZANTES POR PAÍS 2008 POR NUTRIENTE IL T. ÉTRICAS FONTE IFA AA BRASIL 2004/2008 = VARIAÇÃO PAÍS 2004 % 2008 % 2008/2004 CHINA ,63% ,81% 16,50% ÍNDIA ,22% ,47% 39,26% S.T. 1+2 AUENTO = ,85% ,28% 23,07% ESTADOS UNIDOS ,41% ,12% (2,00%) BRASIL ,29% ,10% 4,76% PAQUISTÃO ,26% ,30% 1,00% INDONÉSIA ,17% ,39% 18,00% FRANÇA ,57% ,22% (6,0) SUB-TOTAL ,55% ,42% 14,34% OUTROS ,45% ,58% (4,16)% TOTAL UNDO ,00% ,00% 7,97% FONTE: IFA International Fertilizer Industry Association 15

16 RELAÇÃO DEANDA OFERTA FERTILIZANTES FONTE. IFA AA BRASIL ILHÃO 2012 TONELADA NUTRIENTE PRODUTO OFERTA DEANDA URÉIA 1% 4% DAP/AP 3% 3% 16,5 16,0 CLORETO POTÁSSIO 7% 16% 43,8 36,6 FONTE: IFA 16

17 ERCADO INTERNACIONAL DE FERTILIZANTES Evolução dos Preços AA BRASIL URÉIA - US$ / T. CFR AGOSTO/08 US$ 870/ t ,2% % JANEIRO/02 US$ 123/ t ARÇO/09 US$ 320/ t mar/09 jan/02 abr/02 jul/02 out/02 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 FONTE: EPRESAS DO SETOR REVISTAS ESPECIALIZADAS - SECEX

18 SUPER TRIPLO US$ / T. CFR ARÇO/09 US$ 320/ t AA BRASIL mar/09 jan/08 ab r/08 jul/08 out/08 jan/09 ERCADO INTERNACIONAL DE FERTILIZANTES Evolução dos Preços AGOSTO/08 US$ 1200/ t JANEIRO/02 US$ 151/ t -73,3% % jan/02 ab r/02 jul/02 out/02 jan/03 ab r/03 jul/03 out/03 jan/04 ab r/04 jul/04 out/04 jan/05 ab r/05 jul/05 out/05 jan/06 ab r/06 jul/06 out/06 jan/07 ab r/07 jul/07 out/07 FONTE: EPRESAS DO SETOR REVISTAS ESPECIALIZADAS - SECEX

19 AP US$ / T. CFR AA BRASIL ARÇO/09 US$ 420/ t mar/09 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 ERCADO INTERNACIONAL DE FERTILIZANTES Evolução dos Preços AGOSTO/08 US$ 1275 / t -67,0% % JANEIRO/02 US$ 160 / t jan/02 abr/02 jul/02 out/02 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 FONTE: EPRESAS DO SETOR REVISTAS ESPECIALIZADAS - SECEX

20 CLORETO DE POTÁSSIO US$ / T. CFR AA BRASIL ARÇO/09 US$ 750/ t mar/09 ja n/08 ab r/08 jul/08 out/08 ja n/09 ERCADO INTERNACIONAL DE FERTILIZANTES Evolução dos Preços JANEIRO/02 US$ 138/ t AGOSTO/08 US$ 900/ t -16,6% % jan/02 ab r/02 jul/02 out/02 jan/03 ab r/03 jul/03 out/03 ja n/04 ab r/04 jul/04 out/04 ja n/05 ab r/05 jul/05 out/05 jan/06 ab r/06 jul/06 out/06 jan/07 ab r/07 jul/07 out/07 FONTE: EPRESAS DO SETOR REVISTAS ESPECIALIZADAS - SECEX

21 ERCADO INTERNACIONAL ATÉRIA PRIA PARA FERTILIZANTES Evolução dos Preços AA BRASIL AÔNIA ANIDRA GOLFO/TAPA - EUA FOB - U$ / TON JANEIRO/02 US$119 / t OUTUBRO/08 US$ 936/ t -66,0% % ARÇO/09 US$ 318 / t mar/09 ja n/02 ab r/02 jul/02 out/02 ja n/03 ab r/03 jul/03 out/03 ja n/04 ab r/04 jul/04 out/04 ja n/05 ab r/05 jul/05 out/05 ja n/06 ab r/06 jul/06 out/06 ja n/07 ab r/07 jul/07 out/07 ja n/08 ab r/08 jul/08 out/08 ja n/09 FONTE: REVISTA ESPECIALIZADA THE ARKET

22 ERCADO INTERNACIONAL ATÉRIA PRIA PARA FERTILIZANTES Evolução dos Preços AA BRASIL ÀCIDO FOSFÓRICO ORIGE - NORTE DA ÁFRICA US$ / T. FOB 2300 ABRIL/ US$ 2065 / t JANEIRO/02 US$ 300 / t -49,1% % ARÇO/09 US$ 1250/ t mar/09 jan/02 abr/02 jul/02 out/02 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 FONTE: REVISTA ESPECIALIZADA THE ARKET

23 ERCADO INTERNACIONAL ATÉRIA PRIA PARA FERTILIZANTES Evolução dos Preços AA BRASIL ENXOFRE US$ / T. FOB - VANCOUVER/CANADÁ - SPOT JANEIRO/02 US$ 34/ t JULHO/08 US$ 800/ t ARÇO/09 US$ 45/ t -94,4% 23 32% mar/09 jan/02 abr/02 jul/02 out/02 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 FONTE: REVISTA ESPECIALIZADA THE ARKET

24 AA BRASIL ERCADO BRASILEIRO FERTILIZANTES/ATÉRIAS RIAS PRIAS 24

25 CENÁRIO DOS FERTILIZANTES ERCADO INTERNANCIONAL SUPRIENTO PARA O BRASIL AA BRASIL Fosfato - (5 grandes produtores - 4 países exportadores significativos). Alta Concentração. Potássio - (5 produtores 4 países exportadores de peso). Alta Concentração. Nitrogênio - Uréia - Comercialização via traders. ercado um pouco menos concentrado, porém com fontes limitadas, tradicionais/confiáveis, de suprimento para o Brasil. Sulfato amônio, mercado concentrado, similar ao de uréia. Tarifa de Exportação - É relevante destacar que alguns paises estão aplicando impostos nas exportações para reter fertilizantes para consumo próprio, fazer caixa e proteger o seu agricultor doméstico. Reduz a oferta ao mercado internacional e pressiona preço. China Deverá retornar tarifa de exportação de seus produtos chegaram a cobrar 180% sobre nitrogenados e fosfatados. Rússia cobra taxas de exportação 8,5% sobre nitrogenados, fosfatados e NPK - 5% potássio e 6,5% enxofre. 25

26 OFERTA ATÉRIA-PRIA - DOÉSTICA/IPORTADA Nutrientes il Toneladas Janeiro Dezembro 2008 Representa - em Produto NPK il T. AA BRASIL il t de N il t de P 2 O il t de K 2 O il t de NPK Nacional 26% mil tons 54% 8% 351 mi/t 28% mil tons 1,970 mil tons 92% 74% 72% Importado mil tons 46% mil tons mil tons mil tons N P2O5 K2O TOTAL Fonte: ANDA ELABORAÇÃO AA- BRASIL 26

27 URÉIA (45%) - TOTAL 3.025,4.T Comércio Via Traders AA BRASIL IPORTADO 2232,6.T. (73%) NACIONAL 792,8.T. (27%) RÚSSIA 42,3% 945,5/.T. 71,9/.T. 74,8/.T. 162,7.T. 106,3.T. 177,5.T. UCRÂNIA 31,1% 693,9/.T. FOSFERTIL 22,60% 613,7.T 179,1.T CHINA 3,2% VENEZUELA 3,40% ARGENTINA 4,8% OUTROS 7,3% CATAR 8,0% PETROBRAS 77,40% RÚSSIA UCRÂNIA CATAR ARGENTINA OUTROS VENEZUELA CHINA FOSFERTIL PETROBRAS FONTE: EXPORTADORES SIACESP 27

28 AP (11% - 54%) TOTAL T AA BRASIL IPORTADO ,0.T. (50%) NACIONAL 1.130,0.T. (50%) (Phosagro Ameropa) RÚSSIA 35,63% 403,3.T. 274,0.T. ARROCOS 24,2% OUTROS 3,9% 44,1.T. (aroc Phosphore) 142,5.T. CHINA 12,6% 268,1.T. EUA 23,7% (Phoschem/ osaic) COPEBRAS 30% 339.T. 791.T. FOSFERTIL 70,00% OUTROS CHINA EUA ARROCOS RÚSSIA FOSFERTIL COPEBRAS FONTE: EXPORTADORES SIACESP 28

29 TSP TOTAL 1.753,6 -.T AA BRASIL IPORTADO 993,8.T. (56%) NACIONAL 759,8.T. (44%) (Estimado) ARROCOS 21,0% 209,2.T. 58,9.T. BULGARIA 5,90% 71,0.T. 206,5.T. OUTROS 7,10% 170,9.T. CHINA 17,1% 277,3.T. FOSFERTIL 65,90% 500,0.T. OUTROS 11,70% 89,0.T. 170,8.T. TUNISIA 20,0% ISRAEL 27,9% COPEBRAS 22,40% CHINA ISRAEL TUNISIA ARROCOS BULGARIA OUTROS OUTROS COPEBRAS FOSFERTIL FONTE: EXPORTADORES SIACESP 29

30 CLORETO POTÁSSIO (60%) K2O ,7.T AA BRASIL IPORTADO 6.763,0.T. (92%) NACIONAL 606,7.T. (8%) BELLA RÚSSIA 28,92% OUTROS 2,11% 143.T. RÚSSIA 10,96% (Kali) ALEANHA 13,16% VALE 100,00% T. 741.T. 890.T. 798.T T. 606,7.T. ISRAEL 11,80% CANADÁ/EUA 33,05% RÚSSIA ALEANHA CANADÁ/EUA ISRAEL BELLA RÚSSIA OUTROS VALE FONTE: EXPORTADORES SIACESP 30

31 AA BRASIL CUSTO FERTILIZANTES RENDA BRUTA AGRÍCOLA 31

32 EVOLUÇÃO DE PREÇOS FERTILIZANTES PARA O AGRICULTOR E REAIS - E DÓLAR VALOR DÓLAR CESTA 16 PRODUTOS (Fórmula édia) COBERTURA ( ) ( ) ( ) (4-14-8) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) (S.A.) (Uréia) AA BRASIL Fertilizantes em R$ 1297, , ,05 890,94 812,44 768,32 747,53 713,26 701,54 691,63 693,83 645,04 668,39 666,54 765,62 707,17 608,35617,12 568,55 607,35 711,85 665,35 556,6 675,56 601,30 629,82 605,75 574,68 554,37 584, , ,48 980,51 24% nov/03 2,91 2,85 Dólar 2,90 3,10 3,04 226,19 241,45 252,89 241,11 206,36 jan/04 mar/04 mai/04 2,89 2,78 256,02 244,6 jul/04 set/04 nov/04 jan/05 521,75 457,89 432,58 358,81 319,12 374,74 272,5265,36271,21 267,04 253,22 270,67 350,17 265,14 271,39 255,54 284,01 256, ,16 2,69 2,70 2,45 2,37 mar/05 mai/05 jul/05 Fonte: ANDA (Fertilizantes) U$ médio B.C 2,29 2,23 2,27 set/05 nov/05 jan/06 2,15 2,18 mar/06 mai/06 2,19 2,17 2,16 jul/06 set/06 nov/06 2,14 Fertilizantes em US$ 2,09 1,98 jan/07 mar/07 mai/07 1,88 1,89 1,77 1,77 766,54 720,73 642,01 1,70 jul/07 set/07 nov/07 jan/08 mar/08 1,66 1,59 564,99 2,17 439,93 423,97 2,26 mai/08 jul/08 set/08 nov/08 2,31 2,30 jan/09 44% fev/09 32

33 SOJA AA BRASIL PRODUÇÃO ESTIADA 42 SACAS/HA - ADUBO 400 KG/HA SACA 60 PREÇOS E RELAÇÃO DE TROCAS ADUBAÇÃO US$/sc 60kg Adubação (1) US$/ton * Sacas 60 kg x 1 T. Adubo *31,7 - SC *23,8 - SC *18,5 - SC J/05 J S N J/06 J S N J/07 J S N J/08 J S N J/09 0 FONTE:ANDA : ADUBAÇÃO (1) (60%) e (40%) 33

34 PREÇOS E RELAÇÃO DE TROCAS ILHO AA BRASIL PRODUÇÃO ESTIADA 100 SACAS/HA - ADUBO 700 KG/HA SACA 30 ADUBAÇÃO US$/sc 60kg Adubação (1) US$/ton *69,5 - SC * Saca 60 kg x 1 T. Adubo *46,1 - SC *31,7 - SC J/05 J S N J/06 J S N J/07 S N J/08 S N J/09 J J FONTE:ANDA : ADUBAÇÃO (1) (70%) ; (10%) e URÉIA (20%) 34

35 CANA DE AÇÚA ÇÚCAR AA BRASIL PRODUÇÃO ESTIADA 80 T./HA - ADUBO 480 KG/HA 60 PREÇOS E RELAÇÃO DE TROCAS TONELADA ADUBAÇÃO US$/ton Adubação (1) US$/ton * Ton. Cana x 1 T. Adubo *46,1 T *37,5 T *13,7 T J/05 J S N J/06 J S N J/07 J S N J/08 J S N J/09 FONTE:ANDA : ADUBAÇÃO (1) (20%) ; (40%) e (40%) 35

36 CAFÉ AA BRASIL PRODUÇÃO ESTIADA 20 SACAS/HA - ADUBO 800 KG/HA SACA 480 PREÇOS E RELAÇÃO DE TROCAS ADUBAÇÃO US$/sc 60kg Adubação (1) US$/ton * Saca 60 kg x 1 T. Adubo *5,6 - SC *4,2 - SC *2,3 - SC J/05 J S N J/06 J S N J/07 J S N J/08 J S N J/09 FONTE:ANDA : ADUBAÇÃO (1) (50%) e (50%) 36

37 PREÇOS E RELAÇÃO DE TROCAS ALGODÃO CAROÇO AA BRASIL PRODUÇÃO ESTIADA 250/ARROBAS/HA - ADUBO 900 KG/HA ARROBA 30 ADUBAÇÃO US$/arroba * 15 kg x 1 T. Adubo Adubação (1) US$/ton *87, *72, *38, J/05 J S N J/06 J S N J/07 S N J/08 S N J/09 J J FONTE:ANDA :ADUBAÇÃO (1) (60%) e (40%) 37

38 ARROZ E CASCA - AA BRASIL PRODUÇÃO ESTIADA 60 SACAS/HA - ADUBO 400 KG/HA SACA 60 PREÇOS E RELAÇÃO DE TROCAS ADUBAÇÃO US$/sc 60kg Adubação (1) US$/ton *34,7 - SC * Saca 60 kg x 1 T. Adubo *24,3 - SC *20,9 - SC J/05 J S N J/06 J S N J/07 J S N J/08 J S N J/09 FONTE:ANDA : ADUBAÇÃO (1) (80%) e URÉIA (20%) 38

39 AA BRASIL SETOR DE FERTILIZANTES RESULTADOS ENTREGAS ARKET SHARE 39

40 DEONSTRATIVO DE RESULTADOS 2007 E 2008 CONSOLIDADO EPRESAS DE FERTILIZANTES ARKET SHARE - 61% E 52% AA BRASIL DESCRIÇÃO ILHÃO REAIS 2007 ILHÃO REAIS 2008 Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços ,00% ,00% Deduções da Receita Bruta ,10% 599-4,00% Receita Líq. de Vendas e/ou Serviços ,90% ,96% Custo de Bens e/ou Serviços Vendidos ,88% ,33% Resultado Bruto ,02% ,62% Despesas/Receitas Operacionais ,55% ,9% Despesas/Receitas Gerais ,98% ,15% Resultado da Equivalência Patr ,43% 186 1,25% Res. Oper/Não Oper. Antes Trib ,46% ,26% Provisão para IR e Contr. Social ,42% 216-1,45% I.R. Diferido -15-0,12% 146 1,00% Lucro Líquido Exercício 360 2,92% ,8% Lucro/Prejuízo s/ Equivalência 60 0,49% ,8% Participação mercado Estimativa Base - KCL Importado 61,00% 0,00% 52,00% 0,00% FONTE: JORNAIS E CV 40

41 ENTREGAS FERTILIZANTES AO CONSUIDOR FINAL 1000 TON. JANEIRO DEZEBRO AA BRASIL ESTADOS /2007 Partic. JAN/DEZ JAN/DEZ % % RIO GRANDE DO SUL ,66% 11,36% SANTA CATARINA ,21% 2,92% PARANÁ ,92% 14,49% REGIÃO SUL ,85% 28,77% GOIÁS ,87% 9,06% ATO GROSSO ,59% 16,56% ATO GROSSO DO SUL ,06% 4,52% TOCANTINS/DISTRITO FEDERAL ,53% 0,87% R. CENTRO OESTE ,52% 31,02% ESPIRÍTO SANTO/R. JANEIRO ,73% 1,36% INAS GERAIS ,17% 12,38% SÃO PAULO ,30% 14,53% R. SUDESTE ,95% 28,28% NORTE/NORDESTE ,73% 11,94% TOTAL BRASIL ,85% FONTE: Comitê de Estatísticas 41

42 ENTREGA FERTILIZANTES POR CULTURA TOTAL T AA BRASIL ILHO 19,60% SOJA 33,20% T T T T. CANA 13,10% T. OUTRAS 11,60% 752.T. 877.T. ARROZ 3,40% CAFÉ 5,80% ALGODÃO 3,90% SOJA ILHO CANA CAFÉ ALGODÃO ARROZ OUTRAS 42

43 PARTICIPAÇÃO ESTIADA ERCADO FINAL REFERÊNCIA ESTIADO 114 ORGANIZAÇÕES ISTURADORAS OPERANDO EFETIVAENTE NO ERCADO DE NPK AA BRASIL AA 69 EPRESAS 55% OUTRAS ORGANIZAÇÕES 45 EPRESAS 45% ESTIATIVA - BASE IPORTAÇÃO KCL Relações da AA (Anexo 3-A) e ANDA (Anexo 3-B) FONTE: SIACESP AA BRASIL (Outros Produtoras de NPK e de atérias Primas simultaneamente, trocadoras grãos, menores.) 43

44 AA BRASIL CONCLUSÕES E SUGESTÕES AA BRASIL 44

45 CONCLUSÕES PREÇOS E PRODUÇÃO - ALTERNATIVAS AA BRASIL Uma política de incentivo a produção nacional de matérias primas para fertilizantes, elo chave na cadeia do setor do agronegócio, deve ser perseguida com perseverança, por uma questão de segurança nacional. É fundamental lembrar que 33% do Produto Interno Bruto do Brasil advém do agronegócio, 34% do emprego da mão de obra é calcada nesta atividade e o total do saldo do superávit da balança de pagamento é fruto deste segmento. No entanto, tomamos a liberdade de realçar que: No entanto com os dados que trouxemos, até agora, achamos fundamental destacar duas posições. aturação - Qualquer projeto para aumento de produção de fertilizantes, por maior incentivo e apoio que receba, demandará prazos longos para sua maturação. Preços Independente do aumento da capacidade doméstica para a produção de fertilizantes, os preços oferecidos ao consumidor final, o agricultor, serão exatamente iguais aos similares importados, salvo se houver uma política de subsídios definida e clara. O produtor de matéria prima, seja estatal ou privado, se remunerará e calculará o retorno do capital investido, sempre aos níveis dos similares importados. Este alerta, acreditamos fundamental para objetivarmos nossas metas e projetos e não esquecermos as dificuldades de curtíssimo prazo que estamos enfrentando e que é o problema do crédito que desapareceu para todos os segmentos do setor do agronegócio. 45

46 CONCLUSÕES E SUGESTÕES FINAIS DA AA BRASIL AA BRASIL Infra-Estrutura - ultimodal Portos Rodovias (inclusive vicinais) Ferrovias Armazéns. (Além de outros custos conhecidos, só fertilizantes, estima-se ter pago U$ 350 milhões em 2008 de demurrage e o agronegócio mais de 2 U$ bilhões). Seguro Agrícola, amplo, imediato e Seguro Crédito, posteriormente. O seguro é marginal, pouco e pontual e resolveria problemas substanciais, até como maior garantia para trocas e financiamentos. É segurada, no momento, no Brasil, uma área de 4,76 milhões de Ha, sobre a área total colhida de 57,8 milhões de Ha (menos de 10% e assim mesmo culturas muito específicas e de alto risco). A importância segurada foi de R$ 7,2 bilhões de reais, enquanto o valor da produção VBP - atinge R$ 187 bilhões de reais. Prêmio arrecadado de R$ 324,7 milhões e subsídio de R$ 157,5 milhões. (0,09% do VBP). Crédito para agricultura e para toda cadeia do agronegócio. Fertilizante não foge a regra. Crédito está praticamente fechado, no mundo todo, por causa da crise. Este é, no momento, o gargalo mais difícil sobre o qual devemos todos nos debruçar para encontrar uma saída viável. 46

47 SUGESTÕES FINAIS DA AA BRASIL Políticas sobre Impostos e taxas sobre fertilizantes. AA BRASIL Alíquota de Importação Solução definitiva para manter em zero as alíquotas de importação. Em janeiro, 2010, termina o acordo do ercosul que permite importar com 6% de desconto os principais produtos. Não haverá mais esta permissão que se faz pela inclusão, destes insumos, em uma lista de exceção, que se renova semestralmente. Necessita-se medidas imediatas e definitivas sobre este fator relevante de custo. AFR Adicional de Frete para Renovação da marinha ercante - Suporte ao Projeto de Lei da Câmara e ou Emenda em edida Provisória no Senado, para eliminar AFR em fertilizantes e outros insumos agrícolas. Esta proposta tem sido barrada sistematicamente. Este mesmo assunto foi tratado ainda a semana passada, nesta Comissão, segundo informações divulgadas. ICS Tratamento Isonômico, para o produtor doméstico, com o similar importado, desde que não onere o agricultor. Permitir total aproveitamento dos créditos nas operações internas entre os Estados. O ICS tem se tornado um custo para o misturador e portanto para o agricultor. 47

48 AA BRASIL NOSSOS AGRADECIENTOS A COISSÃO DA AGRICULTURA - SENADO FEDERAL AA BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS ISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL Site: Tel George Wagner Bonifácio e Souza - Presidente 48

AMA BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS MISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL

AMA BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS MISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL ASSOCIAÇÃO DOS MISTURADORES DE ADUBOS DO BRASIL PROJETOS DE LEI DO SENADO Nº 237/2008 E 114/2009 SENADO FEDERAL ISENÇÃO DO ADICIONAL DE FRETE PARA RENOVAÇÃO DA MARINHA MERCANTE SOBRE FERTILIZANTES CARLOS

Leia mais

MAIO 2012 VISÃO GERAL DA COMPANHIA

MAIO 2012 VISÃO GERAL DA COMPANHIA MAIO 2012 VISÃO GERAL DA COMPANHIA CONSUMO MUNDIAL DE FERTILIZANTES POR NUTRIENTES 157,0 159,6 170,4 176,8 181,0 2011 TOTAL N P2O5 99 101 103 107 109 60% 29% 24% K2O 34 36 40 41 42 24 23 27 29 30 2008

Leia mais

Mercado Mundial e Brasileiro de Fertilizantes. Março 2012. Visão Geral da Companhia. Resultados do 4T11 e 2011

Mercado Mundial e Brasileiro de Fertilizantes. Março 2012. Visão Geral da Companhia. Resultados do 4T11 e 2011 Março 2012 Mercado Mundial e Brasileiro de Fertilizantes Visão Geral da Companhia Resultados do 4T11 e 2011 CONSUMO MUNDIAL DE FERTILIZANTES POR NUTRIENTES 157,0 159,6 170,4 176,8 181,0 2011 TOTAL N P2O5

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

FERTILIZANTES: PRODUTO E MERCADO. XIII Encontro Nacional de Produção e Abastecimento de Batata ABBA

FERTILIZANTES: PRODUTO E MERCADO. XIII Encontro Nacional de Produção e Abastecimento de Batata ABBA FERTILIZANTES: PRODUTO E MERCADO XIII Encontro Nacional de Produção e Abastecimento de Batata ABBA Holambra, 25 de Outubro de 2007 Fertilizantes: Análise Mercadológica Produto: Insumo Bem homogêneo Bem

Leia mais

CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO

CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO Leonardo Sologuren Céleres Junho de 2008 Cresce o consumo de proteína animal no BRIC BRASIL RÚSSIA 108 4,000 60 3.000 kg/habitante/ano 90 72 54 36 18 3,800

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone)

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) O Mercado Mundial de Commodities Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) Um mercado em desequilíbrio: choque de demanda Relação Estoque/Uso (soja, milho, trigo e arroz)

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11. Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11. Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11 Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO Equipe da Gerência de Mercados - GEMERC: Autor: Marcos

Leia mais

Destaques do Período. Resultados Financeiros

Destaques do Período. Resultados Financeiros Resultados 2T09 14 de Agosto de 2009 1 Agenda Foto: Unidade de Paulínia -SP Destaques do Período 2T09 1S09 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Vendas e Distribuição por Cultura da Heringer LUCRO LÍQUIDO

Leia mais

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA O uso da terra no Brasil Evolução das Áreas de Produção Milhões de hectares 1960 1975 1985 1995 2006 Var.

Leia mais

Investimentos no Brasil

Investimentos no Brasil Investimentos no Brasil Julho 2011 1 Agenda 1. Mercado de Fertilizantes 2. Principais Investimentos no país 3. Desafios do mercado brasileiro 2 Dinâmica do Mercado de Fertilizantes Os mercados de energia,

Leia mais

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Marcelo Alves Pereira, Bunge Fertilizantes Novembro - 2009 Estimativas da ONU indicam que a população mundial em 2050 será de

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

K Fertilizantes Potássios

K Fertilizantes Potássios Fertilizantes - Informações Brasil N Fertilizantes Nitrogenados P Fertilizantes Fosfatados K Fertilizantes Potássios Fertilidade do Solo Brasileiro e a importância dos fertilizantes para a produtividade

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

O Mercado e o Desafio da Industria de Fertilizantes no Brasil

O Mercado e o Desafio da Industria de Fertilizantes no Brasil Vicente Lobo Diretor de Mineração e Projetos Bunge Fertilizantes O Mercado e o Desafio da Industria de Fertilizantes no Brasil Setembro 2008 A Importância dos Principais Nutrientes O Nitrogênio (N) é essencial

Leia mais

Fertilizantes Nitrogenados

Fertilizantes Nitrogenados Fertilizantes Nitrogenados Abril de 2009 Audiência Pública Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Segmento de Atuação da Petrobras - Nitrogenados Petrobras Mercado Brasileiro Agregação

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

Encarte Especial. Curitiba, semana de 4 a 10 de agosto de 2008. Fertilizantes

Encarte Especial. Curitiba, semana de 4 a 10 de agosto de 2008. Fertilizantes 1 A - 07/29/2008 15:56:09-200x280mm FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DO PARANÁ Encarte Especial N o 1016 - ANO XXIII Os ganhos passíveis de serem apropriados pelos produtores rurais brasileiros, neste

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com. Agronegócio Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.br GRÃOS Produção (milhões de T. USDA - Fevereiro de 2014; Projeções

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

FERTILIZANTES. Fertilizantes/Fosfato/Potássio

FERTILIZANTES. Fertilizantes/Fosfato/Potássio Informações e Análises da Economia Mineral Brasileira 7ª Edição FERTILIZANTES Os produtores de Fertilizantes vêm pleiteando há anos uma reforma fiscal que possa trazer a isonomia tributária entre o produto

Leia mais

Motivação Área plantada Produção Produtividade Exportações líquidas Consumo doméstico (total e per capita) Estoques

Motivação Área plantada Produção Produtividade Exportações líquidas Consumo doméstico (total e per capita) Estoques Novembro 2014 Motivação Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas

Leia mais

Oferta e demanda de fertilizantes no Brasil: uma avaliação da dependência externa da agricultura brasileira. Novembro de 2007

Oferta e demanda de fertilizantes no Brasil: uma avaliação da dependência externa da agricultura brasileira. Novembro de 2007 Oferta e demanda de fertilizantes no Brasil: uma avaliação da dependência externa da agricultura brasileira Novembro de 2007 Índice O potencial da agricultura brasileira A dependência externa de fertilizantes

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

Para um Mundo mais bem nutrido. Exposibram 2013 Belo Horizonte, Setembro 23 26

Para um Mundo mais bem nutrido. Exposibram 2013 Belo Horizonte, Setembro 23 26 Fertilizantes no Brasil Para um Mundo mais bem nutrido Exposibram 2013 Belo Horizonte, Setembro 23 26 Alimentando os 10Bi O crescimento da população irá aumentar a demanda mundial por alimentos. Até 2050

Leia mais

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros 21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo Alexandre Mendonça da Barros 20 de Outubro de 2014 Índice As transformações da economia agrícola

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

CONJUNTURA DE SAFRAS, OU MAIS DO MESMO: EXPANSÃO DA FRONTEIRA AGRÍCOLA COM SOJA EM 2015/16

CONJUNTURA DE SAFRAS, OU MAIS DO MESMO: EXPANSÃO DA FRONTEIRA AGRÍCOLA COM SOJA EM 2015/16 CONJUNTURA DE SAFRAS, OU MAIS DO MESMO: EXPANSÃO DA FRONTEIRA AGRÍCOLA COM SOJA EM 2015/16 A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), divulgou recentemente sua primeira estimativa para a safra brasileira

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 Depenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 As exportações em junho apresentaram redução de 8,57% sobre maio após expansão por quatro meses consecutivos. Desta forma, supera a marca de US$ 1 bilhão

Leia mais

Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13. NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br

Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13. NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13 NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br Comercialização Safra-2011/12 60,00 55,00 50,00 45,00 40,00 35,00 30,00 25,00 20,00 S oja Grã o P re ços

Leia mais

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Brasil PARTICIPAÇÃO NO SUPRIMENTO MUNDIAL DE CARNES 2013 Bovino Frango Suíno Produção 2º 3º 4º Consumo 2º 3º 5º Exportação 2º 1º 4º Fonte:

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

Caminhos da Soja Conquistas da Soja no Brasil

Caminhos da Soja Conquistas da Soja no Brasil Caminhos da Soja Conquistas da Soja no Brasil Francisco Sérgio Turra Presidente Executivo Soja no Mundo Mil toneladas Evolução da produção de soja por país (mil toneladas) 100 75 50 Brasil - 84 EUA - 82

Leia mais

Milho Período: 19 a 23/10/2015

Milho Período: 19 a 23/10/2015 Milho Período: 19 a 23/10/2015 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços médios semanais apresentados nas praças de

Leia mais

Milho Período: 16 a 20/03/2015

Milho Período: 16 a 20/03/2015 Milho Período: 16 a 20/03/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,2434 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

chave para a sustentabilidade do escoamento da produção agrícola

chave para a sustentabilidade do escoamento da produção agrícola Infra-estrutura como fator chave para a sustentabilidade do escoamento da produção agrícola Ieda Kanashiro Makiya Rogério Carlos Traballi UNIP BRASIL: 10º PIB mundial (FMI, 2005) x PIB per capita abaixo

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 As exportações em novembro apresentaram diminuição de 27,64% em relação a outubro. Continuam a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela vigésima-segunda

Leia mais

Manejo de Fertilizantes - Panorama da Produção e Consumo de Fertilizantes no Brasil e no Mundo Álvaro V. Resende Embrapa Milho e Sorgo

Manejo de Fertilizantes - Panorama da Produção e Consumo de Fertilizantes no Brasil e no Mundo Álvaro V. Resende Embrapa Milho e Sorgo 20 de maio de 2010 Manejo de Fertilizantes - Panorama da Produção e Consumo de Fertilizantes no Brasil e no Mundo Álvaro V. Resende Embrapa Milho e Sorgo AGRADECIMENTOS Dr. Alfredo Scheid Lopes - UFLA

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Desafios e Oportunidades no Agronegócio

Desafios e Oportunidades no Agronegócio Departamento do Agronegócio Desafios e Oportunidades no Agronegócio Antonio Carlos P. Costa Atualmente reversão de expectativas Apesar da safra recorde em 2014/15: Entre janeiro e maio de 2015: leitura

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

ROCHAGEM: UMA QUESTÃO DE SOBERANIA NACIONAL

ROCHAGEM: UMA QUESTÃO DE SOBERANIA NACIONAL ROCHAGEM: UMA QUESTÃO DE SOBERANIA NACIONAL Suzi Huff Theodoro suzitheodoro@unb.br UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UnB CENTRO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - CDS BRASIL E OS FERTILIZANTES Em 2006 o Brasil

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Agronegócio Sul-mato-grossense

Agronegócio Sul-mato-grossense Agronegócio Sul-mato-grossense (cenário atual, perspectivas e desafios) Eduardo Riedel Presidente do Sistema Famasul Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso do Sul Sistema Sindical

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

Agronegócio Internacional

Agronegócio Internacional Boletim do Agronegócio Internacional Agronegócio Internacional Recordistas de vendas no valor total exportado pelo Brasil jan-jul 2014/2013 Edição 03 - Agosto de 2014 O agronegócio representou 44% das

Leia mais

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Fabio Dutra Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercados 16/06/2015 1 AGENDA DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO MERCADO DE CAPITAIS

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 AGE - ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Chefe da AGE: Derli Dossa. E-mail: derli.dossa@agricultura.gov.br Equipe Técnica: José Garcia Gasques. E-mail: jose.gasques@agricultura.gov.br

Leia mais

Perspectivas para o setor agrícola no Brasil

Perspectivas para o setor agrícola no Brasil Perspectivas para o setor agrícola no Brasil O que a conjuntura macroeconômica nos reserva? Felippe Serigati O queaconteceucom o setoragrícola nas últimas décadas? A importânciado agronegócioparao Brasil

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Conceito de Agronegócio e a atuação do Imea 2 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 2.1 Agronegócio Soja 2.2 Agronegócio Milho 2.3 Agronegócio Algodão

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real Capítulo utilizado: cap. 13 Conceitos abordados Comércio internacional, balanço de pagamentos, taxa de câmbio nominal e real, efeitos

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra Ano 8 Edição 15 - Setembro de 2015 Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra A forte valorização do dólar frente ao Real no decorrer deste ano apenas no período de

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FERTILIZANTES AGOSTO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FERTILIZANTES AGOSTO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FERTILIZANTES AGOSTO DE 2015 PRODUTOS FERTILIZANTES SÃO MISTURAS DE NUTRIENTES CONHECIDAS COMO NPK QUE VISAM SUPRIR DEFICIÊNCIAS DO SOLO. OS MACRONUTRIENTES

Leia mais

Brasil e Estados Unidos avançam na reabertura de mercado para carne bovina in natura

Brasil e Estados Unidos avançam na reabertura de mercado para carne bovina in natura Edição 14 - Julho de 2015 Brasil e Estados Unidos avançam na reabertura de mercado para carne bovina in natura A presidente Dilma Rousseff esteve nos Estados Unidos, de 27 de junho a 1º de julho, onde

Leia mais

Milho Período: 22 a 26/06/2015

Milho Período: 22 a 26/06/2015 Milho Período: 22 a 26/06/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0885 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA.

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS Consultores Legislativos da Área X Agricultura e Política Rural MARÇO/2009

Leia mais

Custo de Produção da Cultura da Soja Safra 2011/2012

Custo de Produção da Cultura da Soja Safra 2011/2012 11 Custo de Produção da Cultura da Soja Safra 2011/2012 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso 1 2 11.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez mais requerem um grau de conhecimento

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

Conjuntura e perspectivas. Panorama do mercado de extração de óleos

Conjuntura e perspectivas. Panorama do mercado de extração de óleos Conjuntura e perspectivas Panorama do mercado de extração de óleos I Simpósio Tecnológico PBIO de Extração de Óleos Vegetais Daniel Furlan Amaral Economista Rio de Janeiro - RJ 03 Dezembro 2009 Roteiro

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

Esse incremento no consumo alimentar se deve principalmente ao processo de urbanização e o aumento da renda per capita

Esse incremento no consumo alimentar se deve principalmente ao processo de urbanização e o aumento da renda per capita Segundo estimativas da ONU, A população mundial atingirá 9,3 bilhões de habitantes em 2050; O maior crescimento populacional ocorrerá nos países em desenvolvimento, onde é esperado incremento do consumo

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO?

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO? AGROVISION Brasília Prof. Clímaco Cezar (climaco23@gmail.com) PROGRAMAS: AGRORENDA E PESAGRO AGRORENDA: O SEGURO DE RENDA MUITO BARATO PARA PROTEGER OS INTERESSES DOS AGRICULTORES E DESENVOLVER O AGRONEGÓCIO

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

O MERCADO DE TRIGO. O balanço mundial de trigo, ao longo das safras analisadas, é visualizado na

O MERCADO DE TRIGO. O balanço mundial de trigo, ao longo das safras analisadas, é visualizado na O MERCADO DE TRIGO 1. INTRODUÇÃO O Brasil é o maior importador mundial de trigo e a sua dependência se torna acentuada à medida que os estoques públicos e privados se reduzem. A safra 2007/08 apresenta-se

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO:

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO: PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO: REFLEXÕES, OPORTUNIDADES E DESAFIOS Marcelo Fernandes Guimarães Coordenador Geral de Estudos e Informações Agropecuárias Secretaria de Política Agrícola Principais Perspectivas

Leia mais

Panorama dos Agrominerais no Brasil: Atualidade e Perspectivas

Panorama dos Agrominerais no Brasil: Atualidade e Perspectivas Panorama dos Agrominerais no Brasil: Atualidade e Perspectivas Yara KULAIF (ykulaif@ige.unicamp.br) Instituto de Geociências - UNICAMP Francisco R. C. FERNANDES (ffernandes@cetem.gov.br) Centro de Tecnologia

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Página Rural. Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens.

Página Rural. Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens. 1 de 5 31/5/2011 15:17 Página Rural Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens Ads by Google Leilão Gado Soja Festa Safra Boa tarde!

Leia mais

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Cenário Macro Econômico Brasileiro 2015 Economia em forte e crescente desequilibrio Deficit Fiscal 2014

Leia mais

25 de abril de 2015/ nº 012

25 de abril de 2015/ nº 012 Participação adm. e dems. total 25 de abril de 2015/ nº 012 Cenário industrial: Em março deste ano, a produção da indústria de transformação em Mato Grosso apresentou crescimento de 6,1% em relação ao

Leia mais

Tendências para o mercado de ovos e outras commodities Lygia Pimentel é médica veterinária e consultora pela Agrifatto

Tendências para o mercado de ovos e outras commodities Lygia Pimentel é médica veterinária e consultora pela Agrifatto Tendências para o mercado de ovos e outras commodities Lygia Pimentel é médica veterinária e consultora pela Agrifatto Para analisar qualquer mercado é importante entender primeiramente o contexto no qual

Leia mais