Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil"

Transcrição

1 Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

2 índice o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário de interesse

3 O MERCADO Números e importância do setor A demanda por fertilizantes no Brasil é crescente. Desde a crise mundial em 2008, as vendas aumentaram a uma taxa média de 8,6% ao ano no país. Em 2013, as entregas de adubos ao consumidor final totalizaram 31,08 milhões de toneladas, segundo a Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA). As vendas foram recordes. O Mato Grosso foi o principal consumidor, absorvendo 5,25 milhões de toneladas, seguido por São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Goiás. As culturas que mais consumiram adubos foram a soja, o milho, a cana-de-açúcar e o café. Juntas responderam por mais de 70,0% do volume comercializado. Em âmbito mundial o Brasil é o quarto consumidor de fertilizantes, absorvendo 5,9% da demanda global. Ficamos atrás dos Estados Unidos, da Índia e da China. 33,00 31,00 29,00 27,00 25,00 23,00 21,00 19,00 Figura 1. Vendas de fertilizantes no Brasil, em milhões de toneladas FONTE: ANDA / Compilado pela Scot Consultoria Apesar da demanda crescente e do potencial agrícola brasileiro, alguns entraves rondam o mercado de fertilizantes. A produção nacional cresceu pouco nos últimos anos, bem abaixo do incremento do consumo. Em 2013 a produção brasileira foi de 9,30 milhões de toneladas (ANDA). O Brasil depende das importações para atender a demanda interna por fertilizantes e de matérias primas relacionadas. O déficit em 2013 foi de 21,77 milhões de toneladas ou 70,0% do consumo total. Na análise por nutriente, o Brasil importa mais de 90,0% do potássio consumido. No caso dos fertilizantes fosfatados, 50,0% do volume é importado e para os adubos nitrogenados, as importações representam perto de 70,0% do consumo. 3

4 PROJEÇÕES DE LONGO PRAZO PARA O MERCADO DE FERTILIZANTES Diante deste cenário e da importância do setor para a economia brasileira, com novas fábricas sendo construídas e projetos em andamento, a Scot Consultoria realizará uma série de estudos referentes ao mercado de fertilizantes no Brasil. Todos estes fatores têm despertado o interesse de empresas nacionais e estrangeiras pelo assunto. Com base em dados históricos, em análises das conjunturas e pesquisas com agentes-chave, serão feitas projeções até

5 planos/produtos PLANO 1 PLANO 2 PLANO 3 Projeções até 2040* Área, produção e produtividade agrícola Estimativa de área plantada com agricultura e pastagem até 2040, em hectares; Estimativa da produção agrícola (principais culturas) até 2040, em toneladas; Estimativa da produtividade agrícola (principais culturas) até 2040, em quilos por hectare. Projeções até 2040* Demanda por fertilizantes e nutrientes Fórmulas médias dos nutrientes (NPK) por cultura e por estado (cenário atual); Principais adubos formulados, por cultura e estado (cenário atual); Estimativa do consumo de fertilizantes por cultura, por produto (adubo) até 2040, em quilograma de adubo por hectare; Estimativa do consumo de nutrientes por cultura, por produto (NPK) até 2040, em quilograma de nutriente por hectare; Estimativa do consumo de demais nutrientes (Boro, Cálcio, Cobalto, Cobre, Enxofre, Ferro, Magnésio, Manganês, Molibdênio, Níquel, Zinco) por cultura, até 2040, em quilograma de nutriente por hectare. Estudo completo plano itens abaixo: Estimativa de doses médias de fertilizantes por cultura, em quilograma por hectare; Doses médias de nutrientes (NPK) por cultura e por estado (cenário atual), em quilograma por hectare; * Projeções anuais, dados por estados e microrregiões. Nas projeções serão consideradas as seguintes culturas: soja, milho, algodão, café, cana-de-açúcar, arroz, fumo, batata, sorgo, trigo, triticale, cevada, amendoim, feijão, girassol, seringueira, banana, citrus e outras frutas1, tomate e hortaliças2, mandioca, cacau, pastagem e reflorestamento (eucalipto e pinus). Os fertilizantes que comporão o estudo são: ureia agrícola, sulfato de amônio e nitrato de amônio; superfosfato simples, superfosfato triplo, MAP, DAP, superfosfato simples amoniado, termofosfatos e fosfato natural reativo; cloreto de potássio e sulfato de potássio, complexos binários ou NPK. 1 Abacate, caqui, coco, figo, goiaba, guaraná, limão, maça, mamão, manga, maracujá, pera, pêssego, tangerina, uva, abacaxi, melancia e melão. 2 Abobrinha, alface, berinjela, brócolis, cebola, cenoura, chicória, couve, ervilha, fava (feijão vagem), jiló, pepino, pimentão, quiabo, rabanete, repolho e alho. 5

6 metodologia O objetivo deste estudo será projetar a demanda anual de fertilizantes no Brasil de 2014 a Serão estimados os consumos por microrregião geográfica, por cultura agrícola, por fertilizante, e o total consumido no Brasil. Serão consideradas as microrregiões geográficas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 6

7 Projeções de áreas e produção Pesquisa com agentes-chave Será feita uma pesquisa com agentes-chave para levantar informações relacionadas às formulações de nutrientes mais utilizadas por cultura e por região. Serão levantadas também as expectativas para o mercado de fertilizantes, no que diz respeito à demanda interna, expectativa de evolução de área e produtividade por cultura e região. Serão consideradas as doses utilizadas no plantio e cobertura das culturas, quando estas ocorriam. As formulações serão abertas em produtos (matéria prima). A partir das referências de adubação média, consumo de nutrientes e dos produtos utilizados com maior frequência, será efetuado o balanceamento do uso das matérias primas para cada cultura e região. No desdobramento das fórmulas em produtos (matérias-primas), o preço mínimo será considerado como um dos parâmetros para a escolha dos ingredientes. Será considerado que algumas regiões ou estados apresentam consumo diferenciado das matérias primas. Nestes casos, o balanceamento dos produtos será simulado com diferentes composições em função da disponibilidade, culturas e importação, dentre outros. Os dados utilizados referentes às áreas semeadas (ou destinadas à colheita, no caso das culturas perenes), as produtividades médias e produções agrícolas serão os da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), do IBGE. Demais nutrientes As recomendações dos demais nutrientes (além de N, P e K), em quilogramas por hectare, por cultura, por região, serão levantadas com agentes-chave. Será considerada, para o cálculo do volume total, uma porcentagem de utilização da dose recomendada, analisando a situação de utilização das quantidades por cultura, por estado. Para complementar, em regiões mais específicas serão consideradas as recomendações de micronutrientes da Embrapa. Ajustes em curto prazo Para o curto prazo serão feitos ajustes nas áreas plantadas e produções agrícolas de maior relevância, considerando os cenários e intenções mais bem definidos. 7

8 condições, prazo e investimento PLANO 1 PLANO 2 PLANO 3 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 O prazo final para o término da identificação dos interessados é dia 10/10. Cronograma do projeto Divulgação/Prospecção Apuração dos interessados no projeto Início do estudo Entrega aos clientes 18/08 10/10 24/10 16/02 O pagamento poderá ser feito em duas vezes, sendo 50% na contratação e 50% na entrega do estudo. O estudo será entregue em planilha Excel, em formato de tabela dinâmica. Ressalva: A Scot Consultoria reserva-se no direito de não realizar o estudo, caso a cota mínima de participação não seja alcançada. Esta condição será informada aos interessados no projeto ao fim do período de prospecção de interesse. 8

9 formulário de interesse Caso tenha interesse em participar do projeto Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil, favor preencher o formulário abaixo. As informações cadastrais podem ser enviadas por: Correios Imprimir e enviar este formulário para Caixa Postal Bebedouro SP Enviar as informações ao lado para Telefone Contato direto com a equipe da Scot Consultoria, através do número Site Acessar Informações Nome: Empresa: Cargo/área: Endereço: cidade/estado: telefone: plano de interesse: cep: Plano 1 Plano 2 Plano 3 9

10

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Histórico do Seguro Agrícola no Brasil 1878 - Congresso Agrícola do Recife; Lei n 2.168, de 11 de janeiro de 1954, estabelece normas para a instituição do seguro agrário

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários VI Congresso Brasileiro de Algodão Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários Segmentação do Mercado Segurador Brasileiro Danos SEGUROS Pessoas PREVI- DÊNCIA CAPITA- LIZAÇÃO

Leia mais

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização Seguro Rural Desafios para a sua Operacionalização GESTÃO DE RISCO RURAL Riscos Rurais: - Climatológicos; Incêndio; Vida animal; Propriedades; Equipamentos; Armazenagem; Transporte; e, Preço. Seguro Rural

Leia mais

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 CAMARA SETORIAL DA BORRACHA A CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 LEGISLAÇÃO Decreto nº 68.678, de 25 de maio de 1971 cria a Comissão Especial de Planejamento, Controle e Avaliação das Estatísticas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos I Proagro Mais II Seguro Privado. Coberturas: - Variações Climáticas - Preços - Índices III Cobertura Complementar

Leia mais

1. Quem Somos 2. Os acionistas 3. Estrutura da empresa 4. Estratégia, Conceito de negócios e serviços 5. Área de atuação: portfólio, regiões e

1. Quem Somos 2. Os acionistas 3. Estrutura da empresa 4. Estratégia, Conceito de negócios e serviços 5. Área de atuação: portfólio, regiões e 1. Quem Somos 2. Os acionistas 3. Estrutura da empresa 4. Estratégia, Conceito de negócios e serviços 5. Área de atuação: portfólio, regiões e culturas agrícolas 6. Diferenciais de valor 7. Nosso presente

Leia mais

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO QUE INFORMAM O CONCEITO DE PRODUTIVIDADE Março 2005 APLICAÇÃO DOS ÍNDICES Função Social da Propriedade exige níveis satisfatórios de produtividade Vistoria do

Leia mais

Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008

Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008 Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008 José Alberto Ângelo Danton Leonel de Camargo Bini Denise Viane Caser Paulo José Coelho Carlos Nabil Ghobril alberto@iea.sp.gov.br

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA Maçăs e Pêras CORES DA TERRA 12 Maçă Mini Pequena Média Grande Super Extra I Super Extra II Escultural Escultural II Branca 5010 5003 5006 5009 6006 6055 31001 31026 Preta Verde 5032 5011 5031 5001 5030

Leia mais

Mercado Mundial e Brasileiro de Fertilizantes. Março 2012. Visão Geral da Companhia. Resultados do 4T11 e 2011

Mercado Mundial e Brasileiro de Fertilizantes. Março 2012. Visão Geral da Companhia. Resultados do 4T11 e 2011 Março 2012 Mercado Mundial e Brasileiro de Fertilizantes Visão Geral da Companhia Resultados do 4T11 e 2011 CONSUMO MUNDIAL DE FERTILIZANTES POR NUTRIENTES 157,0 159,6 170,4 176,8 181,0 2011 TOTAL N P2O5

Leia mais

Apresentação AGRIANUAL 2015

Apresentação AGRIANUAL 2015 Apresentação Em anos de eleições, os empresários costumam ficar apreensivos quanto às posições dos candidatos em relação ao segmento em que operam. Mas quem está no agronegócio não precisa ter grandes

Leia mais

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins)

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) 1.1 Sobre o Projeto Contratante: ABPM- Associação Brasileira de Produtores de Maçãs Objetivo: Desenvolvimento de um projeto de Análise

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento - SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento - SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL - SEAB Apresentação Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Câmara Setorial de Seguros Brasília - DF Junho de 2013 Programa de Subvenção ao Prêmio de Base Legal Lei Estadual 16.166/2009

Leia mais

Esse incremento no consumo alimentar se deve principalmente ao processo de urbanização e o aumento da renda per capita

Esse incremento no consumo alimentar se deve principalmente ao processo de urbanização e o aumento da renda per capita Segundo estimativas da ONU, A população mundial atingirá 9,3 bilhões de habitantes em 2050; O maior crescimento populacional ocorrerá nos países em desenvolvimento, onde é esperado incremento do consumo

Leia mais

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais.

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. PA2 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. Abacaxi 8 7 6 5 4 3 2 1 199 1995 2 25 21 A produção nacional de abacaxi que vinha crescendo até 22 sofreu uma inflexão, voltou a subir

Leia mais

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Organização das Cooperativas Brasileiras OCB Gerência de Apoio ao Desenvolvimento em Mercados GEMERC 1. INTRODUÇÃO O agronegócio brasileiro representa

Leia mais

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal)

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) (kj) (g) (g) (mg) (g) (g) (g) (mg) (mg) &HUHDLVÃHÃGHULYDGRVÃ

Leia mais

Absorção e Adubação foliar

Absorção e Adubação foliar Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola Programa de Pós-Graduação em Ciências do Solo Absorção e Adubação foliar Prof. Volnei Pauletti UFPR ADUBOS FLUÍDOS - Absorção

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11. Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11. Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11 Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO Equipe da Gerência de Mercados - GEMERC: Autor: Marcos

Leia mais

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Desenvolvimento de novas moléculas Registro

Leia mais

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463 MERCADOS INSTITUCIONAIS COMO ALTERNATIVA PARA O FORTALECIMENTO DOS MERCADOS LOCAIS DE ALIMENTOS: O CASO DO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS (PAA) NO MUNICÍPIO DE TUPI PAULISTA/SP Valmir José de Oliveira

Leia mais

MAIO 2012 VISÃO GERAL DA COMPANHIA

MAIO 2012 VISÃO GERAL DA COMPANHIA MAIO 2012 VISÃO GERAL DA COMPANHIA CONSUMO MUNDIAL DE FERTILIZANTES POR NUTRIENTES 157,0 159,6 170,4 176,8 181,0 2011 TOTAL N P2O5 99 101 103 107 109 60% 29% 24% K2O 34 36 40 41 42 24 23 27 29 30 2008

Leia mais

Cardápio Berçário - 2014

Cardápio Berçário - 2014 Data -- -- -- 02/01 03/01 Dia da semana Quinta Sexta Suco de maçã cozida Suco de melão Abóbora japonesa Abacate Banana nanica Data 06/01 07/01 08/01 09/01 10/01 Suco de melancia Suco de pera Suco de manga

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CL N o - 96 Brasília - DF, terça-feira, 21 de maio de 2013. Sumário PÁGINA Atos do Poder Executivo... 1 Presidência da República... 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento...

Leia mais

AMOSTRAGEM DE TECIDO VEGETAL

AMOSTRAGEM DE TECIDO VEGETAL AMOSTRAGEM DE TECIDO VEGETAL Importância A análise química foliar constitui um procedimento auxiliar, na identificação de deficiências nutricionais ou presença de elementos excessivos com a finalidade

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR P N A E 250 mil famílias poderão ser beneficiadas (estimativa) Cerca de R$1 bilhão 47 milhões de alunos da educação básica da rede pública GRANDE DESAFIO: AS

Leia mais

FERTILIZANTES Fertilizante: Classificação Quanto a Natureza do Nutriente Contido Quanto ao Critério Químico Quanto ao Critério Físico

FERTILIZANTES Fertilizante: Classificação Quanto a Natureza do Nutriente Contido Quanto ao Critério Químico Quanto ao Critério Físico FERTILIZANTES Fertilizante: qualquer substância mineral ou orgânica, natural ou sintética, capaz de fornecer um ou mais nutrientes essenciais às plantas Classificação Quanto a Natureza do Nutriente Contido

Leia mais

Cardápio 06.07 até 10.07.2015

Cardápio 06.07 até 10.07.2015 Cardápio 06.07 até 10.07.2015 COLAÇÃO Banana Suco de acerola Melão Suco de goiaba Maçã pepino/carne ao molho/ Abóbora cozida/ /batata e repolho/frango no molho/ cenoura cozida/ farofa de couve e ovos/arroz/feijão

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 Mais crédito, mais segurança e juros menores. Do Plano Safra 2002/2003 ao Plano Safra 2010/2011, o volume de recursos oferecidos por meio do Pronaf para custeio

Leia mais

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026 PRIMEIRO DIA Somente Frutas Suco de frutas + 1 fruta Ex. suco de laranja com morango + 1{ mamão papaia DA MANHÃ 1 copo 250 ml Suco de melão + 1 fruta (ex. 1 ameixa ) Ex. Folhas de rúcula a vontade + 4

Leia mais

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com I. INTRODUÇÃO O estado de Rondônia está localizado na região Norte do Brasil, a região Norte é a maior das cinco regiões do Brasil definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Leia mais

Fernando Penteado Secretário Executivo

Fernando Penteado Secretário Executivo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista O Banco do Agronegócio Familiar FEAP-BANAGRO Fernando Penteado Secretário Executivo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP) O que é o FEAP É um Fundo

Leia mais

II Encontro sobre culturas de suporte fitossanitário insuficiente (CSFI) Brasília, 06 novembro 2012 Aline Popin

II Encontro sobre culturas de suporte fitossanitário insuficiente (CSFI) Brasília, 06 novembro 2012 Aline Popin II Encontro sobre culturas de suporte fitossanitário insuficiente (CSFI) Brasília, 06 novembro 2012 Aline Popin Quem somos e o que fazemos A Syngenta é uma das empresas líderes globais com mais de 25.000

Leia mais

ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA

ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA III Reunião Técnica do CEMADEN Tema: Extremos Climáticos e Colapso de Produção Agrícola Fortaleza/CE 02 e 03 de abril de 2012 Antecedentes Altos índices

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 0 INTRODUÇÃO Para Filgueira, Fernando Reis, Olericultura é um termo técnico-científico, muito preciso, utilizado no meio agronômico. Derivado

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Evolução, Perspectivas e Desafios. J.C. Zukowski

Evolução, Perspectivas e Desafios. J.C. Zukowski SEAF Evolução, Perspectivas e Desafios J.C. Zukowski Coordenador Geral do SEAF SEGUROS AGRÍCOLAS NO BRASIL Emergência ou Básico Agricultura Familiar Agricultura Comercial Garantia-Safra Subsídio ao Prêmio

Leia mais

Título da. Apresentação

Título da. Apresentação SITUAÇÃO ATUAL DO SISTEMA DE PRODUÇÃO INTEGRADA PI-BRASIL Título da Coordenação de Produção Integrada da Cadeia Agrícola Apresentação Luzia Maria Souza Gisele Ventura Garcia Grilli Brasília-DF Setembro-2014

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 Estabelece valores de referência para outorga de uso de recursos hídricos em corpos de água de domínio do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

INVESTIMENTO E RETORNO NA FRUTICULTURA. Prof. Dr. Ricardo Antonio Ayub 1 e Mariane Gioppo 2

INVESTIMENTO E RETORNO NA FRUTICULTURA. Prof. Dr. Ricardo Antonio Ayub 1 e Mariane Gioppo 2 INVESTIMENTO E RETORNO NA FRUTICULTURA Prof. Dr. Ricardo Antonio Ayub 1 e Mariane Gioppo 2 1 Universidade Estadual de Ponta Grossa - Professor Doutor Associado Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade

Leia mais

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL (maiores de 2 anos) JUNHO/2015 Observações: A utilizada será sem lactose. Oferecer água durante todo dia. Não oferecer bebida durante o almoço ou jantar somente depois de no

Leia mais

Cardápio 04.05 até 08.05.2015

Cardápio 04.05 até 08.05.2015 Cardápio 04.05 até 08.05.2015 COLAÇÃO Pera Suco de acerola Goiaba Suco de uva Manga pepino/carne moída com proteína de soja/ Berinjela cozida/ /inhame cozido/arroz/feijão Salada de tomate e repolho/frango

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 1 Objetivo e Metodologia O presente relatório apresenta os resultados da

Leia mais

Plano Abras Maior Apresentação maio/2013

Plano Abras Maior Apresentação maio/2013 Plano Abras Maior Apresentação maio/2013 Gestão Abras PLATAFORMA ABRAS 2013-2014 - 2014 SETOR HOJE PLATAFORMA ABRAS 2013-2014 Setor faturou R$ 242,9 bilhões em 2012 Supermercados respondem por 83,7% do

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2004

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2004 Agrícola - CUSTEIO Lavoura ABACATE 57 1.229.660,94 900,99 ABACAXI 1.652 19.095.855,74 4.171,04 ABACAXI IRRIGADO 286 5.444.100,66 1.301,90 ABOBORA-MORANGA 439 2.221.087,69 1.630,91 ABOBORA-MORANGA IRRIGADA

Leia mais

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura A safra de grãos do país totalizou 133,8 milhões de toneladas em 2009, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro,

Leia mais

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Lei 12.593/12 institui o PPA 2012-2015 Programa 2028 Defesa Agropecuária Objetivo 0570 Assegurar a qualidade dos

Leia mais

Alimentação Saudável. Mais frutas, mais verduras, mais saúde.

Alimentação Saudável. Mais frutas, mais verduras, mais saúde. Alimentação Saudável Mais frutas, mais verduras, mais saúde. Indice 4 6 8 10 10 11 15 19 22 25 30 Alimentação saudável é + saúde Como fazer uma alimentação equilibrada? O que são alimentos energéticos?

Leia mais

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Cláudio Takao Karia Chefe Adjunto de P&D Embrapa Cerrados VI Foro por el desarrollo de

Leia mais

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014 ANEXO V A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Setembro de 2014 Algumas considerações Agricultura e abastecimento O desenvolvimento da agricultura é responsável pela evolução da humanidade.

Leia mais

Absorção e adubação foliar

Absorção e adubação foliar Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola AL320 Absorção e adubação foliar Prof. Volnei Pauletti VIDA VEGETAL - começou no mar, durante o processo evolutivo as folhas não

Leia mais

Cardápio de Novembro 2015

Cardápio de Novembro 2015 03/nov 04/nov 05/nov 06/nov Biscoito passatempo sem recheio Maçã / thompson Suco de caju Biscoito de polvilho Suco de goiaba Biscoito leite e mel Maçã / Suco de tangerina Biscoito mini gergelim Banana

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) Feriado Feriado Barquinha de minipão francês integral com mussarela e orégano Suco de manga Mamão com granola Soft roll

Leia mais

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE 04/05/2015 Segunda- Feira Leite com Enriquecido de Morango / Rosquinha de Chocolate CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Amazonas / Mato Grosso / Maria Carraro - Maio /2015 Suco

Leia mais

Boletim Diário de Preços Completo Data do Boletim: 22/03/2011 Mercado: CEASA MG UNIDADE GRANDE BH

Boletim Diário de Preços Completo Data do Boletim: 22/03/2011 Mercado: CEASA MG UNIDADE GRANDE BH Grupo : HORTALICAS Quantidade de Produto(s) : 96 Subgrupo : FOLHA,FLOR E HASTE Quantidade de Produto(s) : 24 ACELGA MINEIRA DZ 18,00 18,00 20,00MFR AGRIAO PRIMEIRA DZ 4 KG 15,00 17,00 18,00MFR ALFACE CRESPA

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais

MICRONUTRIENTES VITAMINAS E MINERAIS

MICRONUTRIENTES VITAMINAS E MINERAIS CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRUSQUE UNIFEBE MICRONUTRIENTES VITAMINAS E MINERAIS Profª. MSc Luciane Ângela Nottar Nesello E-mail: lucianenesello@unifebe.edu.br Vitaminas e Minerais Amplamente distribuídos

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUALIDADE DE VIDA. Nut. Dra. Adriana Flores CRN-3 6408

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUALIDADE DE VIDA. Nut. Dra. Adriana Flores CRN-3 6408 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUALIDADE DE VIDA Nut. Dra. Adriana Flores CRN-3 6408 Estética Saúde METABOLISMO 20 ANOS 30-35 ANOS 40-45 ANOS CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA ALIMENTOS TERMOGÊNICOS Gengibre Canela Pimenta

Leia mais

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios.

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios. Mais saude com consultoria de Tapioca R$ Queime 5kg em 1 mês incluindo tapioca no cardápio Todas as matérias com especialistas Mais Saúde com Tapioca Ano 1, nº 1-2015 4,99 Receitas nutritivas Sucos, cereais

Leia mais

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SOCORRO PÚBLICO - ASPECTOS NEGATIVOS Elevado custo político Baixa eficiência econômica Elevado

Leia mais

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja 1 09 a 13 03 04 a 08/05 29 06 a 03 07 24/08 a 28/08 19/10 a 23/10 14 12 a 18 12 - Suco de maracujá -Sucodeacerola - Suco de abacaxi - Alface crespa Cenoura - Ovos de codorna -Brócolis -Alfacelisa - Alface

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 30/01/12 31/01/12 01/02/12 02/02/12 03/02/12 MELÃO

CARDÁPIO ESCOLAR 30/01/12 31/01/12 01/02/12 02/02/12 03/02/12 MELÃO 30/01/12 31/01/12 01/02/12 02/02/12 03/02/12 MELÃO PERA ARROZ, ESTROGONOFE, BATATA PALHA E SALADA DE TOMATE E ALFACE BOLO DE CENOURA COM CALDA DE CHOCOLATE FEIJÃO, CARNE ASSADA, FAROFA DE CENOURA E SALADA

Leia mais

Quantidade e Valor por Procedência dos Produtos - Estado/Município

Quantidade e Valor por Procedência dos Produtos - Estado/Município Quantidade e Valor por Procedência dos s - Estado/Município MINAS GERAIS 15.990 55.130,56 ITUETA 15.990 55.130,56 INHAME 15.840 54.986,12 LIMAO TAHITI 150 144,44 ESPÍRITO SANTO 15.893.194 36.463.630,09

Leia mais

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI)

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Agenda Produtos / Culturas / Alvos Projetos Bayer: Investimentos & Prazos Bayer CropScience Visão

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016.

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016. Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS

Leia mais

CARDÁPIO TO BE - JUNHO/2015

CARDÁPIO TO BE - JUNHO/2015 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Manhã - Bebida Suco de laranja Suco de limão Achocolatado Pão de batata com requeijão Biscoito salgado com mel Bisnaguinha com margarina Sobremesa Maçã Banana Uva Prato principal

Leia mais

Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006

Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006 Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006 1 - Introdução e Objetivos O presente estudo foi elaborado pela EPAGRI/CIRAM com base na proposta

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo CARDÁPIO JUNHO/05 Elaborado e aprovado por: Luiza Crozariol Campos Nutricionista CRN3 4488 Semana 0/06 0/06 03/06 04/06 05/06 Pão francês com Biscoito de leite com geleia com bolo de banana Bisnaguinha

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 Camila de O. G. Paiva 02/11/2015 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 06/11/2015 COLAÇÃO - FRUTA Maçã Banana Melancia Melão ARROZ Arroz Integral Arroz Branco Arroz Integral ****** FEIJÃO Grão de Bico Feijão

Leia mais

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015 CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS - 2011/2015 HORT.FOLHAS,FLOR-HASTE ACELGA FO FO FO RE RE FR FR FR FR FR RE RE AGRIÃO FO FO FO

Leia mais

UNIVERSAL KIDS. Quarta 03/06

UNIVERSAL KIDS. Quarta 03/06 Semana 1 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Bolacha de Maisena; Biscoito de água e sal; Banana; Mamão; Manga; Maça; Sopa de Frango com Batata Cenoura (quando Sopa de Mandioquinha com iscas de fígado Sopa de

Leia mais

2 As contribuições recebidas serão públicas e permanecerão à disposição de todos no site da Anvisa.

2 As contribuições recebidas serão públicas e permanecerão à disposição de todos no site da Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 253, de 23 de setembro de 2016 D.O.U de 26/09/2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas Disciplinas Solos nos domínios morfoclimáticos do cerrado Ementa: Solos em ambientes de Cerrado. Sistema Brasileiro de Classificação do Solo. Caracterização morfológica das principais classes de solo inseridas

Leia mais

Interpretação da análise de solo

Interpretação da análise de solo Interpretação da análise de solo Tabela de interpretação A orientação para interpretação da análise de solo são organizadas em manuais estaduais e regionais. Manual Tabelas de interpretação Recomendações

Leia mais

Vendas de fertilizantes batem recorde e devem seguir crescendo em 2013. 4,7% frente ao resultado de 2012, no mesmo período.

Vendas de fertilizantes batem recorde e devem seguir crescendo em 2013. 4,7% frente ao resultado de 2012, no mesmo período. As melhores e mais fiéis informações de mercado Scot Consultoria - www.scotconsultoria.com.br maio de 2013 ano 6 edição 80 Vendas de fertilizantes batem recorde e devem seguir crescendo em 2013 O Brasil

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 2012 PANORAMA MUNDIAL A produção mundial de frutas se caracteriza pela grande diversidade de espécies cultivadas, e constituí-se em grande

Leia mais

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais)

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais) EXTERNATO SANTO ANTÔNIO 1ª SEMANA 01/06 (segunda-feira) 02/06 (terça-feira) 03/06 (quarta-feira) 04/06 (quinta-feira) 05/06 (sexta-feira) Leite com achocolatado Leite fermentado Iogurte CARDÁPIO JUNHO

Leia mais

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes #freshconnections BR 21 de Agosto de 2014 PRODUCE MARKETING ASSOCIATION Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Toxicologia Segurança

Leia mais

Arroz/Feijão Arroz integral Filé de frango ao molho champignon. Bife de Caçarola

Arroz/Feijão Arroz integral Filé de frango ao molho champignon. Bife de Caçarola Prato principal 1 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Filé de coxa assada com batatas Filé de frango ao molho champignon Iscas de frango aceboladas FERIADO AULAS SUSPENSAS Prato principal 2 Strogonoff de carne

Leia mais

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 AGE - ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Chefe da AGE: Derli Dossa. E-mail: derli.dossa@agricultura.gov.br Equipe Técnica: José Garcia Gasques. E-mail: jose.gasques@agricultura.gov.br

Leia mais

CARDÁPIO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO - EDIFÍCIO CENTRAL - SILVA JARDIM Terraço Comercio de Alimentos mar/15

CARDÁPIO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO - EDIFÍCIO CENTRAL - SILVA JARDIM Terraço Comercio de Alimentos mar/15 CARDÁPIO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO - EDIFÍCIO CENTRAL - SILVA JARDIM Terraço Comercio de Alimentos mar/15 DATA 02/03 Bife à Daniel Coxa e Sobrecoxa ao molho de limão Omelete de Berinjela recheada com

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2008

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2008 5.1.1.4 - ATIVIDADE E FINALIDADE - ITEM - UNIDADE DA FEDERAÇÃO PRODUTOS (ITENS S) ACRE CUSTEIO Lavoura AMENDOIM 26 313.447,50 288,00 ARROZ DE SEQUEIRO 90 115.247,33 247,72 CUPUACU 1 180.00 135,00 FEIJAO

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 1º de abril. 2 de abril. 3 de abril. 6 de abril. Comemoração de Pesach. Véspera de Pessach e feriado nacional.

Cardápio. Cardápio. 1º de abril. 2 de abril. 3 de abril. 6 de abril. Comemoração de Pesach. Véspera de Pessach e feriado nacional. agosto Cardápio 2014 abril 2015 1º de abril Pão francês integral. Ricota majericão e tomate cereja. Suco de melancia. Maçã. Espaguete alho e óleo. Bife empanado no forno. Frango de panela. Arroz integral/

Leia mais

RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS

RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS Elaboração: Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos Nutrição UFPR 1 Abacate 1,14 1,34 1,33 1,68 1,46* Abacaxi 1,41 1,50 1,89 1,93*

Leia mais

CÂMARA TEMÁTICA DE SEGUROS DO AGRONEGÓCIO (CTSA) MAPA GT ESTUDO SEGURO RURAL Até onde avançamos PEDRO LOYOLA Economista FAEP Julho - 2012 1 2 3 4 5 6 7 Seguro Agrícola no Brasil Uma visão estratégica de

Leia mais

MUNICIPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DIVISÃO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SEÇÃO DE SUPERVISÃO E ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

MUNICIPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DIVISÃO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SEÇÃO DE SUPERVISÃO E ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 1ª SEMANA - 03/08/2015 À 07/08/2015 2ª 03/ago BISNAGUINHA ARROZ/FEIJÃO SOPA DE LENTILHA, COM REQUEIJÃO KIBE DE PEIXE FRUTA CARNE MOÍDA E LEGUMES BEBIDA LACTEA CENOURA REFOGADA (BATATA/CENOURA/ CHUCHU)

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná

Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná Andreia Cristina de Oliveira Adami Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada e-mail:

Leia mais

USO E CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA

USO E CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA USO E CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA 3 I. INTRODUÇÃO A variação encontrada em uma determinada espécie (variação fenotípica) pode ser de duas origens: variação devido ao ambiente e variação devido a diferenças

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo Nuno

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 agosto Cardápio sujeito a 2015 alterações 3 de agosto Pão sírio com queijo branco e tomate. Creme de abacate. Iscas largas de carne grelhada ao molho roti. Picadinho de frango. Arroz

Leia mais