Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14"

Transcrição

1 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do consumo em países como a China a demanda pela oleaginosa tem sido cada vez maior. Segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos USDA - a produção mundial de soja no ano safra 2013/14 será de 283,54 milhões de toneladas, valor 6% superior ao ciclo 2012/13. Impulsionada pelas altas cotações das últimas safras a área destinada à cultura da soja tem aumentado nos últimos anos. Na safra 2009/10 a área plantada foi de 102,25 milhões de hectares, já na atual safra 2013/14 a estimativa é de que sejam cobertos por soja no mundo cerca de 111,58 milhões de hectares (Tabela 01).

2 Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 SAFRA ÁREA PRODUÇÃO PRODUTIVIDADE (milhões de ha) (milhões de t) (kg/ha) 2009/10 102,25 260, /11 103,18 263, /12 102,93 239, /13 108,69 267, /14 (¹) 111,58 283, Fonte: USDA (novembro/2013) (¹) Estimativa A produtividade estimada para a safra 2013/14 é de quilos por hectare. Esse valor é superior ao da safra 2012/13 que foi de quilos por hectare como também ao da safra 2011/12 que foi de quilos. Se as condições climáticas forem benéficas a safra 2013/14 poderá ser a de melhor produtividade dos últimos anos. Segundo as primeiras estimativas divulgadas pelo USDA, os Estados Unidos serão os maiores produtores mundiais de soja no ciclo 2013/14. Os agricultores americanos serão responsáveis por produzir 88,66 milhões de toneladas. O Brasil deverá produzir 88 milhões de toneladas seguido pela Argentina com 53,5 milhões e da China com aproximadamente 12,2 milhões de toneladas (Tabela 02). Essa tende a ser uma safra de recuperação para a sojicultura americana. No ciclo 2012/13 as lavouras foram severamente castigadas por uma forte seca que causou quebra na produção. As primeiras estimativas daquela safra apontavam para uma produção de mais de 87,23 milhões de toneladas, porém no levantamento final a produção ficou em 82,56 milhões, uma redução de cerca de 5% consolidando a menor safra dos últimos quatro anos. Com relação à produção brasileira o mesmo relatório afirma que o Brasil poderá produzir 88 milhões de toneladas de soja na atual safra, essa quantidade é 7% superior ao que foi produzida no ciclo 2012/13. O aumento na produção brasileira se dá, principalmente pelo aumento na área de cultivada.

3 Tabela 02 Soja Principais países produtores Safra 2009/10 a 2013/14 PAÍSES 2009/ / / /13 EUA 91,42 90,61 84,19 82,56 88,66 BRASIL 69,00 75,30 66,50 82,00 88,00 ARGENTINA 54,50 49,00 40,10 49,30 53,50 CHINA 14,98 15,10 14,48 12,80 12,20 ÍNDIA 9,70 9,80 11,00 11,50 11,80 PARAGUAI 6,46 7,13 4,04 9,37 9,00 CANADÁ 3,58 4,45 4,30 4,93 4,80 OUTROS 10,77 12,54 14,54 15,42 15,58 TOTAL 260,40 263,92 239,15 267,88 283,54 Fonte: USDA (novembro/2013) (em milhões t) 2013/14 (¹) (¹) Estimativa O Brasil se tornou na safra 2012/13 o maior exportador mundial de soja. O país exportou no último ciclo quase 42 milhões de toneladas do grão. Os Estados Unidos exportaram menos de 36 milhões de toneladas, volume abaixo do esperado devido à necessidade de recomposição dos estoques internos que foram afetados pela quebra no ano anterior. Outros países como Argentina, Paraguai e Canadá também estão na lista de maiores exportadores. Para o ciclo 2013/14 a expectativa é que o Brasil se consolide como o maior exportador de soja do planeta. As primeiras estimativas apontam para um volume de 42,50 milhões de toneladas a serem comercializadas. Os Estados Unidos virão logo atrás com 37,29 milhões de toneladas seguido da Argentina com 12,70 milhões, Paraguai com 5,50 milhões e do Canadá com 3,45 milhões de toneladas. Os outros países exportadores somam juntos 5,85 milhões de toneladas. O total a ser exportado na safra 2013/14 será de 107,83 milhões de toneladas.

4 Tabela 03 Soja (Grão) Principais países exportadores safra 2009/10 a 2013/14 (Em milhões t) PAÍSES 2009/ / / /13 BRASIL 28,58 29,95 36,32 41,90 42,50 EUA 40,80 40,96 37,15 35,91 37,29 ARGENTINA 13,09 9,21 7,37 7,85 12,70 PARAGUAI 4,07 5,23 3,57 5,50 5,50 CANADÁ 2,25 2,94 2,93 3,50 3,45 OUTROS 2,50 3,42 4,93 5,28 5,85 TOTAL 91,44 91,70 92,27 99,95 107,83 Fonte: USDA (novembro/2013) 2013/14 (¹) (¹) Estimativa As importações mundiais também vão crescer no ciclo 2013/14. Segundo dados do USDA (tabela 04), o total importado no período deverá chegar a 104,40 milhões de toneladas. Esse valor é cerca de 9% superior ao comercializado na safra 2012/13 quando foram transacionadas 95,47 milhões de toneladas do grão. A China é a nação que participa com a maior fatia desse mercado com 69 milhões de toneladas ou 66% do total mostrando a importância desse mercado não só para o Brasil, mas para todos os países produtores. Do volume total produzido no mundo o país asiático importa cerca de 24% do total. Na sequência aparecem a União Europeia e o México. Tabela 04 Soja (Grão) Principais países importadores Safra 2008/09 a 2012/13 (Em milhões t) PAÍSES 2009/ / / /13 CHINA 50,34 52,34 59,23 59,87 69,00 UNIÃO EUROPEIA 12,68 12,48 12,07 12,45 12,10 MÉXICO 3,52 3,50 3,61 3,35 3,55 JAPÃO 3,40 2,92 2,76 2,87 2,76 TAIWAN 2,47 2,45 2,29 2,40 2,50 INDONÉSIA 1,62 1,90 1,92 1,92 2,10 OUTROS 12,81 13,23 11,55 12,62 12,39 TOTAL 86,84 88,82 93,43 95,47 104,40 Fonte: USDA (novembro/2013) 2013/14 (¹) Estimativa

5 O consumo mundial de soja em grãos teve uma trajetória crescente nos últimos anos. Na safra 2009/10 o total consumido foi de 209,12 milhões de toneladas. Para a safra 2013/14 esse valor saltou para 239,57 milhões, um crescimento de quase 15%. A abertura do mercado chinês assim como a expectativa de que países como a Índia também possam aumentar sua demanda interna tem feito com que as previsões de consumo sejam ainda maiores para as safras futuras, isso tem preocupado especialistas e técnicos da cultura, pois com uma demanda crescente, aumenta e muito a necessidade de que a produção acompanhe esse nível de expansão. Tabela 05 Soja (Grão) Oferta e Demanda Mundial Safra 2009/10 a 2013/14 (em milhões t) DISCRIMINAÇÃO 2009/ / / /13 ESTOQUE INICIAL 43,71 62,20 71,80 55,15 61,55 PRODUÇÃO 260,40 263,92 239,15 267,88 283,54 CONSUMO 209,12 221,26 227,83 229,15 239,57 ESTOQUE FINAL 62,20 71,80 55,15 60,11 70,23 EST./CONS. (%) 29,74 32,45 24,21 26,23 29,32 Fonte: USDA (novembro/2013) 2013/14 (¹) Estimativa

6 BRASIL A cultura da soja novamente terá áreas maiores no Brasil no ciclo 2013/14. Devido aos bons preços praticados principalmente do final de 2012 e durante todo o ano de 2013 os produtores novamente optaram em aumentar a área com a oleaginosa no país em detrimento às outras culturas de verão, principalmente o milho. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB a área de plantio no país deve ser de 29,14 milhões de hectares. Esse valor é 1,40 milhão de hectares superior à área cultivada na safra 2012/13. Em valores percentuais a variação positiva é de 5,1%. As maiores variações percentuais ocorreram em regiões que ainda possuem grandes áreas para expansão do cultivo como Piauí 10,0% de variação, Roraima 9,0%, Tocantins 7,5% e Maranhão 7,5%. Esses estados juntamente com a Bahia formam uma região conhecida por MATOPIBA que vem ganhando destaque justamente por ser considerada a mais nova fronteira agrícola do país. Os estados de Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul, atualmente os maiores produtores do país, aumentaram em média em 4,7% o tamanho de suas áreas. Com relação à produção, o total estimado para a safra 2013/14 para todo o país é de que sejam produzidas 89,04 milhões de toneladas, cerca de 9,9% superior ao ano anterior. Os maiores produtores segundo a CONAB serão o Mato Grosso que responderá por 28,8% da produção total com 25,65 milhões de toneladas, o Paraná que produzirá 18,5% do total com 16,47 milhões de toneladas, o Rio Grande do Sul com 14,8% ou 13,17 milhões de toneladas e Goiás que produzirá 9,46 milhões de toneladas o equivalente a 10,6% da produção brasileira. (Tabela 06) Tabela 06 - Soja - Principais estados produtores - Safra 2009/10 a 2013/14 (Em milhões t)

7 ESTADOS 2009/ / / / /14 (¹) MATO GROSSO 18,77 20,41 21,85 23,53 25,65 PARANÁ 14,08 15,42 10,94 15,91 16,47 RIO GRANDE DO SUL 10,22 11,62 6,53 12,53 13,17 GOIÁS 7,34 8,18 8,25 8,56 9,46 MATO GROSSO DO SUL 5,31 5,17 4,63 5,81 6,29 BAHIA 3,11 3,51 3,18 2,69 3,68 MINAS GERAIS 2,87 2,91 3,06 3,37 3,64 SÃO PAULO 1,59 1,71 1,60 2,05 2,19 MARANHÃO 1,33 1,60 1,65 1,69 1,87 TOCANTINS 1,07 1,23 1,38 1,54 1,80 PIAUÍ 0,87 1,14 1,26 0,92 1,75 SANTA CATARINA 1,35 1,49 1,09 1,58 1,69 OUTROS 0,79 0,92 0,96 1,31 1,36 TOTAL 68,69 75,32 66,38 81,50 89,04 FONTE: CONAB (¹) Estimativa Novembro/13 Em termos de evolução da produção, da safra 2009/10 até a safra 2013/14 o crescimento foi de 20,4 milhões de toneladas, ou 29,6% (Figura 02). No mesmo período a área variou 24,% saindo de 23,5 milhões de hectares para 29,14 milhões. A evolução da produção aconteceu principalmente pelo investimento dos produtores em tecnologia, pois hoje é cada vez maior a necessidade de se produzir mais em um mesmo pedaço de terra. Alguns dos principais estados produtores como o Paraná já não tem a possibilidade de expandir suas áreas agrícolas. São pouquíssimas as áreas novas que possam ser destinadas para a agricultura. Esse é um dos motivos da produção brasileira estar se expandindo em regiões diferentes como a já citada MATOPIBA. Na figura 02 é possível observar a evolução da produção nas últimas safras.

8 Figura 02 - Produção de Soja - Safra 2009/10 a 2013/14* (milhões t) 68,69 75,32 66,38 81,48 89, / / / / /14 (¹) Fonte: CONAB Novembro de 2013 * Estimativa Segundo a estimativa da CONAB o consumo brasileiro de soja em grão será cerca de um milhão de toneladas maior na safra 2013/14. Na safra anterior o país consumiu cerca de 39,52 milhões de toneladas. Para a atual safra o consumo está estimado em 40,50 milhões de toneladas. A CONAB ainda afirma que a relação de estoque e consumo ficará na faixa de 10,3% o maior valor das últimas safras. Se esse valor se confirmar a média das últimas 5 safras ficará em 5,8%. (Tabela 07). 2013/14 Tabela 07 Soja (grão) Oferta e demanda brasileira Safra 2009/10 a DISCRIMINAÇÃO 2009/ / / /13 (Em milhões t) ESTOQUE INICIAL 0,67 2,61 3,02 0,44 1,24 PRODUÇÃO 68,69 75,32 66,38 81,50 89,04 IMPORTAÇÃO 0,12 0,04 0,27 0,32 0,30 CONSUMO 37,80 41,97 36,75 39,52 40,50 EXPORTAÇÃO 29,07 32,99 32,47 42,50 45,90 ESTOQUE FINAL 2,61 3,02 0,44 1,24 4,18 EST./CONS. (%) 6,90 7,19 1,21 3,14 10,32 Fonte: CONAB (novembro/2013) (¹) Estimativa 2013/14 (¹)

9 A expectativa para as exportações brasileiras também é de aumento. Segundo o mesmo relatório o Brasil deve embarcar no próximo ciclo 45,90 milhões de toneladas, quantidade 8% superior ao volume embarcado na safra 2012/13. O aumento do volume das exportações brasileiras de soja em grão nas últimas duas safras se deve basicamente à diminuição da oferta internacional. Problemas climáticos afetaram os principais produtores mundiais nas últimas safras e causaram redução no volume ofertado. Em 2013 até o mês de outubro, o Brasil exportou 42,10 milhões de toneladas de soja em grão, aumento de 29,7% em comparação ao ano de 2012 inteiro (Figura 03). Em comparação com ano de 2009, o aumento é ainda mais significativo 69,0%. O menor volume ofertado nas últimas safras juntamente com o aumento na demanda internacional foram os principais propulsores desse impulso nas exportações. De toda a soja exportada pelo Brasil até outubro de 2013, cerca de 76% teve como destino a China. A abertura da economia do país asiático e o grande desenvolvimento da sua economia nos últimos anos tem garantido a demanda aquecida. Na sequência aparecem a Espanha com 4,3% do total exportado pelo Brasil seguido da Holanda, Taiwan e Tailândia com 3,7%, 2,3% e 2,2% respectivamente (Tabela 08).

10 2013(¹) SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento Tabela 08 Soja (grão) Exportações brasileiras por destino 2012 e Países Quantidade (t) (¹) Partic. (%) China ,0 Espanha ,3 Holanda ,7 Taiwan ,3 Tailândia ,2 Outros ,4 Total ,0 Fonte: MDIC/Sistema Alice Web Nota: (¹) Janeiro a outubro

11 R$/SC 60 Kg SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento PARANÁ A safra 2012/13 foi histórica para a sojicultura do Paraná. Em uma área recorde de 4,68 milhões de hectares os agricultores paranaenses produziram 15,82 milhões de toneladas, a maior da história. Os preços foram os propulsores para o aumento de área de 7% em comparação com a safra 2011/12 (Figura 04). A menor oferta da oleaginosa não só no Brasil, assim como no mercado mundial, sustentou as cotações e animou os produtores a expandirem a área de cultivo. Figura 04 - Paraná Soja - Preços médios nominais mensais recebidos pelos produtores 2011, 2012 e ,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30, ,00 10,00 0,00 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SEAB/DERAL MESES Apesar de condições climáticas adversas no início do plantio como estiagem e na sequência, chuvas esparsas e irregulares, a partir do mês de novembro a quantidade de precipitações aumentou e recuperou as condições de umidade, fazendo com que a produtividade ficasse acima do esperado inicialmente. A safra 2012/13

12 produziu quilos por hectare, cerca de 37% superior ao valor da safra 2011/12 quando as lavouras paranaenses foram severamente castigadas por uma forte estiagem. Para a próxima safra (2013/14) a estimativa é sejam produzidos quilos por hectare, se as condições climáticas continuarem sendo benéficas. Na figura 05 pode-se observar a evolução da produtividade nos últimos 10 anos no Paraná. Nota-se que houve um aumento de 45% quando se compara o ano de 2005 e 2014 (próxima safra). O grande investimento dos produtores em tecnologia devido à necessidade de se produzir cada vez mais em uma área praticamente de mesmo tamanho, tem feito com que a produtividade aumente gradativamente. Figura 05 - Soja - Paraná - Produtividade a (kg/ha) Produtividade Linear (Produtividade) * *Estimativa Fonte: SEAB/DERAL Com relação à área podemos observar na figura 06 que a expansão ocorreu de forma constante na última década, o aumento foi de mais de hectares ou 18% no período. O crescimento da área da cultura da soja na primeira safra paranaense vem ocorrendo em sua maioria em áreas onde antes eram plantadas as lavouras de milho de primeira safra. Nos últimos dez anos a área de milho primeira safra diminui 48%. Saindo de 1,28 milhão de hectares em 2005 para 673 mil hectares em O aumento na oferta na safra paranaense em 2013 aliado à crescente demanda internacional fez com que as exportações paranaenses tivessem um

13 incremento no ano de Até o mês de outubro o Paraná exportou 7,3 milhões de toneladas de grão, valor superior ao ano de 2012 inteiro. (Tabela 09). O maiores compradores da soja paranaense em 2013 foram China que foi responsável por comprar cerca de 84%,Holanda, 3,5%, Taiwan 2,6%, Espanha 2,6% e Portugal 1,2%. Tabela 09 Soja Grão - Paraná Exportações por destino e 2013 Países Quantidade (t) (¹) Partic. (%) China ,0 Holanda ,5 Taiwan ,6 Espanha ,6 Portugal ,2 Outros ,2 Total ,0 Nota: (¹) Janeiro a outubro Na figura 06 podemos observar a evolução das exportações paranaenses de 2009 a Nestes cinco anos a exportação aumentou cerca de 58%, passando de 4,63 milhões de toneladas em 2009, para 7,31 milhões de toneladas em 2013, lembrando que os dados de 2013 são até o mês de outubro. Figura 06 Soja Grão - Paraná Exportações paranaenses a 2013* QUANTIDADE (t) 6,28 6,98 6,28 7,31 4, (*) Fonte: ALICEWEB Novembro de 2013 * Acumulado até Outubro Para a próxima safra (2013/14), a estimativa é que seja semeada uma área recorde no Paraná de 4,89 milhões de hectares, aumento de 4% em relação à safra

14 anterior (Figura 07). Novamente os bons preços foram o principal propulsor para os produtores paranaenses aumentarem a área com a oleaginosa. Figura 07- Soja - Paraná - Área a (milhões de ha) 4,12 3,90 3,93 3,92 4,01 4,37 4,48 4,39 4,68 4,89 Área Linear (Área) * Fonte: SEAB/DERAL A evolução da produção também tem sido constante nas lavouras paranaenses (figura 08). Na safra 2004/05 os produtores paranaenses colheram 9,52 milhões de toneladas. A previsão de colheita para a safra 2013/14 é de 16,38 milhões de toneladas, um crescimento de 72%. Em comparação com a safra 2012/13 a estimativa é de um aumento de 4% na produção ou mais quinhentas e cinquenta e cinco mil toneladas. Figura 08 Soja (normal) Paraná Evolução da produção Safra 2004/05 a 2013/14.

15 As principais regiões produtoras do Paraná são a Norte com 27%, Sul com 25% e Oeste com 21%. O centro-oeste responde por 12% da produção estadual, o Sudoeste por 11% e o Noroeste por 4% (Figura 09). Figura 09 - Paraná - Produção de Soja por Região Safra 2013/14* 25% 11% 27% 4% NORTE NOROESTE OESTE CENTRO-OESTE SUDOESTE SUL 12% 21% Fonte: SEAB/DERAL, Novembro 2013 * Estimativa A expectativa para a safra 2013/14 é das melhores possíveis até o momento. Com preços em torno de R$ 68,00 a saca de 60 quilos, os produtores paranaenses e brasileiros podem ainda aproveitar o momento de baixa oferta mundial e ter resultados recompensadores na safra corrente. Com área e produções recordes novamente, a soja vem se consolidando como a principal cultura no Paraná. Nesta safra a área destinada à oleaginosa corresponderá a mais de 83% da área total cultivada na primeira safra. Com praticamente toda a safra plantada, agora é o clima que vai ditar o resultado da safra paranaense. Se continuar favorável, os produtores irão ter totais condições de aproveitar o bom momento e obter uma ótima rentabilidade com os atuais preços da oleaginosa.

16 Tabela 10 - Soja - Paraná - Comparativo de safras 2012/13 e 2013/14 NÚCLEO Área plantada (em ha) Produção (em t) REGIONAL 2012/ /14 Var. (%) 2012/ /14 Var. (%) Apucarana , ,3 Campo Mourão , ,5 Cascavel , ,5 Cornélio Procópio , ,2 Curitiba , ,3 Francisco Beltrão , ,2 Guarapuava , ,4 Irati , ,3 Ivaiporã , ,7 Jacarezinho , ,2 Laranjeiras do Sul , ,6 Londrina , ,3 Maringá , ,3 Paranavaí , ,2 Pato Branco , ,6 Ponta Grossa , ,7 Toledo , ,4 Umuarama , ,5 União da Vitória , ,4 TOTAL , ,5 Norte , ,2 Noroeste , ,4 Oeste , ,4 Centro-Oeste , ,5 Sudoeste , ,4 Sul , ,0 Fonte: SEAB/DERAL Novembro de 2013

17 Até o final de novembro, os produtores paranaenses tinham comercializado mais de 21% do total a ser produzido neste ciclo. Esse valor esta dentro da média do comercializado para o período. O ano passado o produtor vendeu com mais antecedência o seu produto, pois a quebra da safra americana na safra 2012/13 e também a quebra na safra paranaense na safra 2011/12 tinham causado uma redução na oferta e consequentemente aumento nas cotações. O cenário hoje é bem diferente. As safras paranaense e brasileira foram de volumes grandes no ciclo 2012/13 e a safra americana 2013/14 também foi maior do que a anterior apesar de alguns problemas climáticos. Devido a essas condições, a expectativa é que os preços continuem recompensadores pelo menos no médio prazo, pois apesar dos grandes volumes esperados os estoques mundiais podem levar mais de uma safra para voltarem aos níveis considerados normais, o que dá mais uma oportunidade para os produtores paranaenses comercializarem seus produtos por preços mais recompensadores.

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Agosto/2015 Belo Horizonte - MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

REGIONAL CENTRO-OESTE

REGIONAL CENTRO-OESTE REGIONAL CENTRO-OESTE SOJA DESPONTA NO CENTRO-OESTE, REDUZINDO ÁREAS DE MILHO VERÃO E ALGODÃO A produção de soja despontou no Centro-Oeste brasileiro nesta safra verão 2012/13, ocupando áreas antes destinadas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA Setembro 2014 Belo Horizonte MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção e Produtividade

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL JUNHO

CONJUNTURA MENSAL JUNHO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL JUNHO ANO 1 Nº2 O preço mundial da commodity apresenta movimento de alta em nível mundial, impulsionado principalmente pelas condições climáticas adversas nos Estados

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 COMMODITIES AGRÍCOLAS RESUMO DOS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO DE COMMODITIES AGRÍCOLAS SUMÁRIO OFERTA 4 8 VARIAÇÕES HISTÓRICAS E FORECAST 6 DEMANDA 9 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 4 O 12º Levantamento de Safras da Conab, divulgado em 11 de setembro de 2015, consolidou os dados sobre produção, área e produtividade de algodão

Leia mais

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup Mercado Externo Segundo relatório de abril do U.S Departament of Agriculture USDA, a produção de milho dos EUA será 2,8% maior do que na safra anterior, com uma estimativa de produção total de 361,1 milhões

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 3 O 11º Levantamento de Grãos da Conab, divulgado em 11 de agosto de 2015, manteve suas estimativas para a safra 2014/15, de algodão em pluma

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A soja é a commodity mais importante do Brasil, pelo valor da produção obtida de grão, óleo e farelo, significativa parcela na receita cambial, área plantada, consumo de

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

TRIGO Período de 12 a 16/10/2015

TRIGO Período de 12 a 16/10/2015 TRIGO Período de 2 a 6/0/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,5 34,0 35,42 35,94 Semana Atual

Leia mais

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg SOJA» MERCADO INTERNO Na primeira semana de março houve leve apreciação nos preços da saca de 6 Kg de soja em grãos, estes cresceram em média 1,2% em relação aos preços observados 6/mar. Mas em comparação

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: AGOSTO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

ESCRITÓRIO ROBERT DANIEL

ESCRITÓRIO ROBERT DANIEL Respondendo a consulta feita pelo senhor, segue o que apurei: Área - Produção - Produtividade - Algodão no Brasil Baseado nos relatórios dos principais órgãos responsáveis em apurar os números da safra

Leia mais

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Mercado Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Por: WELLINGTON SILVA TEIXEIRA As mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global suscitam as discussões em torno da necessidade da adoção

Leia mais

Maçã: Balanço mundial (em mil toneladas métricas)

Maçã: Balanço mundial (em mil toneladas métricas) Informativo da Política Agrícola Secretaria de Política Agrícola Secretaria de Política Agrícola Informativo N o 54 Maçã Ano 6 Vol. 54, março de 213 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 0 INTRODUÇÃO Para Filgueira, Fernando Reis, Olericultura é um termo técnico-científico, muito preciso, utilizado no meio agronômico. Derivado

Leia mais

Página Rural. Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens.

Página Rural. Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens. 1 de 5 31/5/2011 15:17 Página Rural Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens Ads by Google Leilão Gado Soja Festa Safra Boa tarde!

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 Milho: Os preços no mercado brasileiro ficaram estáveis e até mesmo um pouco mais baixos em algumas praças. A incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho

Leia mais

ISS 2316-1019 I N F O R M AT I VO Casa Rural. edição outubro 2012. Agricultura. Soja - Milho - Insumos Agrícolas

ISS 2316-1019 I N F O R M AT I VO Casa Rural. edição outubro 2012. Agricultura. Soja - Milho - Insumos Agrícolas ISS 2316-119 I N F O R M AT I VO Casa Rural edição outubro 212 Agricultura Soja - Milho - Insumos Agrícolas SOJA Comportamento dos Preços Internos de Mato Grosso do Sul (R$/SC) 75, 74, 73, 72, 71, 7, 69,

Leia mais

A RECUPERAÇÃO DA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO BRASIL. Joffre Kouri (Embrapa Algodão / joffre@cnpa.embrapa.br), Robério F. dos Santos (Embrapa Algodão)

A RECUPERAÇÃO DA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO BRASIL. Joffre Kouri (Embrapa Algodão / joffre@cnpa.embrapa.br), Robério F. dos Santos (Embrapa Algodão) A RECUPERAÇÃO DA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO BRASIL Joffre Kouri (Embrapa Algodão / joffre@cnpa.embrapa.br), Robério F. dos Santos (Embrapa Algodão) RESUMO - Graças a incentivos fiscais, ao profissionalismo

Leia mais

2.2 - SÃO PAULO, PARANÁ, ESPÍRITO SANTO, BAHIA E RONDÔNIA.

2.2 - SÃO PAULO, PARANÁ, ESPÍRITO SANTO, BAHIA E RONDÔNIA. 1 - INTRODUÇÃO No período de 01 a 14 de abril de 2007, os técnicos da CONAB e das instituições com as quais mantém parceria visitaram municípios produtores de café em Minas Gerais, Espírito Santo, São

Leia mais

INDICAÇÃO N o, DE 2015

INDICAÇÃO N o, DE 2015 55ª Legislatura 1ª Sessão Legislativa Ordinária INDICAÇÃO N o, DE 2015 Sugere a criação de um programa de irrigação nas regiões afetadas por estiagens, em estados brasileiros. Agricultura, Pecuária e Abastecimento:

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA Safra 2013/2014 Segundo Levantamento Agosto/2013 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia SPAE Departamento de CanadeAçúcar e Agroenergia DCAA Companhia

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Edmar W. Gervásio Administrador, especialista em Marketing e Agronegócio UFPR Email: edmar.gervasio@seab.pr.gov.br Fone: (41) 3313-4034

Edmar W. Gervásio Administrador, especialista em Marketing e Agronegócio UFPR Email: edmar.gervasio@seab.pr.gov.br Fone: (41) 3313-4034 Edmar W. Gervásio Administrador, especialista em Marketing e Agronegócio UFPR Email: edmar.gervasio@seab.pr.gov.br Fone: (41) 3313-4034 MILHO (Zea mays) Sustento da Vida Maior cultura agrícola do mundo;

Leia mais

PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE SOJA NO NORDESTE

PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE SOJA NO NORDESTE Ano V Agosto de 2011 Nº 13 INFORME RURAL ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliação - AEPA PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE SOJA NO NORDESTE

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS Por: Maria Silvia C. Digiovani, engenheira agrônoma do DTE/FAEP,Tânia Moreira, economista do DTR/FAEP e Pedro Loyola, economista e Coordenador

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra Ano 8 Edição 15 - Setembro de 2015 Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra A forte valorização do dólar frente ao Real no decorrer deste ano apenas no período de

Leia mais

Tabela 1. Raiz de mandioca Área colhida e quantidade produzida - Brasil e principais estados Safras 2005/06 a 2007/08

Tabela 1. Raiz de mandioca Área colhida e quantidade produzida - Brasil e principais estados Safras 2005/06 a 2007/08 Mandioca outubro de 2008 Safra nacional 2006/07 Na safra brasileira 2006/07 foram plantados 2,425 milhões de hectares e colhidos 26,920 milhões de toneladas - representando um crescimento de 0,87% e de

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR Foi realizado no dia 12 de julho de 2012 em Londrina (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Milho Período: 16 a 20/03/2015

Milho Período: 16 a 20/03/2015 Milho Período: 16 a 20/03/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,2434 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE CANA DE AÇÚCAR NO NORDESTE.

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE CANA DE AÇÚCAR NO NORDESTE. O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE CANA DE AÇÚCAR NO NORDESTE Ano 4 200 Nº 20 O nosso negócio

Leia mais

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária fevereiro de 2013. 1 - Considerações Iniciais A Suinocultura é uma das atividades da agropecuária mais difundida e produzida no mundo. O porco, espécie

Leia mais

Revisão Mensal de Commodities

Revisão Mensal de Commodities Revisão Mensal de Commodities segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 Oferta maior e desempenho misto A estabilização do crescimento na China e riscos geopolíticos também afetaram os preços das commodities.

Leia mais

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024 As projeções de produção de cana, açúcar e etanol para a safra 2023/24 da Fiesp/MB Agro No Brasil, a cana-de-açúcar experimentou um forte ciclo de crescimento da produção na década passada. A aceleração

Leia mais

SINCOR-SP 2016 FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 6 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Feijão - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Feijão - Análise da Conjuntura Agropecuária Feijão - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2013 INTRODUÇÃO A importância mundial do cultivo e consumo do feijão é apresentado no site do Centro Tropical de Agricultura Tropical (CIAT): Um prato

Leia mais

Tabela 1 Evolução da produção mundial de óleos (Mil toneladas)

Tabela 1 Evolução da produção mundial de óleos (Mil toneladas) Preços da mamona se recuperam 1. A produção e o consumo mundial de óleos vegetais se elevam A produção mundial de óleos vegetais aumentou aproximadamente 400 entre 1974/75 e 2006/07, passando de 25,7 hões

Leia mais

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015)

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Gráfico 1 Evolução da produção de grãos (Em milhões de toneladas) A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas cresceu, em

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola Abril de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 A evolução da produção de milho no Mato Grosso: a importância da safrinha Jason de Oliveira Duarte 1 José Carlos Cruz 2 João Carlos Garcia 3 Introdução

Leia mais

ALGODÃO 2ª SAFRA NA SAFRA 14/15 DEZEMBRO - ANO 6 - EDIÇÃO 67

ALGODÃO 2ª SAFRA NA SAFRA 14/15 DEZEMBRO - ANO 6 - EDIÇÃO 67 ALGODÃO 2ª SAFRA NA SAFRA 14/15 DEZEMBRO - ANO 6 - EDIÇÃO 67 A decisão sobre o plantio do algodão segunda safra a esta altura já foi tomada. Seu Custo Operacional (CO) é estimado pelo Cepea em R$ 5.614,63/ha

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

SINCOR-SP 2016 ABRIL 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 ABRIL 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS ABRIL 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: SOJA Safra 2010/11 e Expectativas 2011/12

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: SOJA Safra 2010/11 e Expectativas 2011/12 Safra 2010/11 e Expectativas 2011/12 BOLETIM ANUAL DO Safra 2010/11 e Expectativas 2011/12 1. Mercado Internacional A produção mundial de soja mantém a sua tendência de crescimento, porém, a taxas variáveis.

Leia mais

Edição 38 (Março/2014)

Edição 38 (Março/2014) Edição 38 (Março/2014) Cenário Econômico: A atividade do comércio varejista registrou crescimento de 6,1% em fevereiro ante o mesmo período do ano anterior, na terceira aceleração consecutiva do resultado

Leia mais

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura A safra de grãos do país totalizou 133,8 milhões de toneladas em 2009, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro,

Leia mais

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE A Fundação Pró-Sementes aponta que um dos grandes problemas encontrados nos arrozais é a forte atuação de plantas invasoras, que são de difícil controle, prejudicando

Leia mais

CASTANHA DE CAJU Período: 01 a 30/09/2014

CASTANHA DE CAJU Período: 01 a 30/09/2014 CASTANHA DE CAJU Período: 01 a 30/09/2014 1.MERCADO INTERNO 1.1. Preços Quadro 1 Preços: Recebidos pelos Produtores - FOB e Paridade Estados Unidade 12 (a) meses 1 (b) mês Média de Mercado Preço Atual

Leia mais

MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO

MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO Custos Algodão A produção de algodão no Brasil está crescendo de forma expressiva, devido à boa competitividade dessa cultura frente a outras concorrentes em

Leia mais

Analise o gráfico sobre o número acumulado de inversões térmicas, de 1985 a 2003, e a) defina o fenômeno meteorológico denominado inversão

Analise o gráfico sobre o número acumulado de inversões térmicas, de 1985 a 2003, e a) defina o fenômeno meteorológico denominado inversão 11 GEOGRAFIA Nas épocas de estiagem, a dispersão de poluentes é dificultada e a qualidade do ar piora muito na cidade de São Paulo, afetando, consideravelmente, a saúde das pessoas. NÚMERO DE INVERSÕES

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Edição 39 (Março/2014)

Edição 39 (Março/2014) Edição 39 (Março/2014) Cenário Econômico: Governo atrasa pagamentos para melhorar situação fiscal Para tornar os dados de fevereiro melhores, governo atrasou os pagamentos às construtoras dos imóveis do

Leia mais

Data: ABN. Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados

Data: ABN. Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados Veículo: Assunto: Data: ABN 28/09/2012 Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=71860 Que o Brasil há muitos anos produz cafés de qualidade excepcional

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro Tema: Emprego

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro Tema: Emprego Boletim de Conjuntura Econômica Outubro Tema: Emprego Brasil Atinge mais de 2 milhões de Emprego em 2010 Setor de Serviços lidera com 35% dos empregos Gerados no período Em setembro foram gerados 246.875

Leia mais

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO Paulo Magno Rabelo (1) A análise de desempenho da produção de trigo no mundo desperta apreensões fundamentadas quanto aos indicadores de área

Leia mais

Documento apresentado para discussão. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais

Documento apresentado para discussão. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais Documento apresentado para discussão II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais Rio de Janeiro, 21 a 25 de agosto de 2006 Sistema de Previsão de Safra

Leia mais

CLIPPING 06/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br

CLIPPING 06/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br CLIPPING Acesse: www.cncafe.com.br Após altas, produtor não deve exercer opção de venda de café Valor Econômico Tarso Veloso e Carine Ferreira Após a sequência de altas do café arábica na bolsa de Nova

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Maio de 2015 Benefício do câmbio mais depreciado sobre as exportações de carnes será limitado pela queda da demanda de mercados relevantes Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM MERCADO FUTURO Soja Diego Marafon Edemir Miotto Júnior Felipe Patel Prof. Dr. Miguel Ângelo Perondi INTRODUÇÃO Na atualidade, a soja apresenta-se como um produto em evidência Grão muito proveitoso, devido

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12 ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12 FRUTICULTURA Elaboração: Eng. Agr. Paulo Fernando de Souza

Leia mais

110,0 105,0 100,0 95,0 90,0 85,0 80,0

110,0 105,0 100,0 95,0 90,0 85,0 80,0 BOI GORDO O ano de 2013 registrou preços elevados para a arroba do boi gordo, em todas as praças pecuárias acompanhadas pelo Sistema FAEB/SENAR. No acumulado do ano, foram verificadas as seguintes valorizações:

Leia mais

Janeiro de 2013 Volume 01

Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 2 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento - Conab Dipai - Diretoria de Política Agrícola e Informações

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola Primeiro e Pecuário Relatório de Avaliação Nacional PAP 2013/2014 sobre Mudanças Climáticas ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Nelson

Leia mais

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO PROGNÓSTICO 2014/15 Maio de 2014 A previsão ao setor sucroalcooleiro no Paraná é de um pequeno crescimento ao longo da safra 2014, confirmando a recuperação ocorrida

Leia mais

CONJUNTURA 24.05.2010 FEIJÃO. João Ruas Gerência de Alimentos Básicos Superintendência de Gestão da Oferta

CONJUNTURA 24.05.2010 FEIJÃO. João Ruas Gerência de Alimentos Básicos Superintendência de Gestão da Oferta CONJUNTURA 24.05.2010 FEIJÃO João Ruas Gerência de Alimentos Básicos Superintendência de Gestão da Oferta MERCADO -Comportamento das principais cultivares plantadas no Brasil; -Situação da Safra 2009/2010;

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 A Sondagem industrial, realizada junto a 154 indústrias catarinenses no mês de dezembro, mostrou

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Abril/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Março/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Abril/2015. O mês de março mostrou mais uma queda no faturamento dos

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO CARVÃO VEGETAL PARA A ECONOMIA BRASILEIRA. Alessandro Albino Fontes

IMPORTÂNCIA DO CARVÃO VEGETAL PARA A ECONOMIA BRASILEIRA. Alessandro Albino Fontes Universidade Federal de Viçosa Departamento de Engenharia Florestal IMPORTÂNCIA DO CARVÃO VEGETAL PARA A ECONOMIA BRASILEIRA Alessandro Albino Fontes 1. INTRODUÇÃO Definição O carvão vegetal é um subproduto

Leia mais

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto Produção de Alimentos e Energia e o Exercício Profissional Ribeirão Preto AdilmaScamparini Engenheira de Alimentos Email ascamparini@uol.com.br F 019 81133730 FAX 019 21214527 Produção de Alimentos Alimentos

Leia mais

Questão 25. Questão 27. Questão 26. alternativa B. alternativa C

Questão 25. Questão 27. Questão 26. alternativa B. alternativa C Questão 25 No Brasil, no período 1990-91 a 2003-04, a produção de grãos apresentou crescimento de 125%, enquanto a área plantada aumentou apenas 24%, conforme mostra o gráfico. BRASIL _ ÁREA PLANTADA E

Leia mais

SINCOR-SP 2015 DEZEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 DEZEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS DEZEMBRO 20 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Julho/2015 Belo Horizonte - MG

Julho/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Julho/2015 Belo Horizonte - MG 03. Apresentação ÍNDICE 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

Resumo Quinzenal do Biodiesel

Resumo Quinzenal do Biodiesel Tel: (21) 3547-1539 / (21) 9565-0444 Resumo Quinzenal do Biodiesel 16/06 à 30/06/11 Este relatório é confidencial e de uso exclusivo do destinatário, e não pode ser enviado ou compartilhado com terceiros

Leia mais

VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ INTRODUÇÃO

VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ INTRODUÇÃO Página 1927 VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ Gerson Henrique da Silva 1 ; Maura Seiko Tsutsui Esperancini 2 ; Cármem Ozana de Melo 3 ; Osmar de Carvalho Bueno 4 1Unioeste Francisco Beltrão-PR,

Leia mais

Assessoria Técnica da Liderança da Bancada do PT na Câmara dos Deputados

Assessoria Técnica da Liderança da Bancada do PT na Câmara dos Deputados Assessoria Técnica da Liderança da Bancada do PT na Câmara dos Deputados Transgênicos - Aspectos Econômicos e Comerciais Mitos e Manipulações Gerson Teixeira Brasília, em 06.03.2003 Competição no Mercado

Leia mais

Análise da Época de Semeadura do Algodoeiro em Mato Grosso com Base na Precipitação Provável

Análise da Época de Semeadura do Algodoeiro em Mato Grosso com Base na Precipitação Provável ISSN 1679-0464 Análise da Época de Semeadura do Algodoeiro em Mato Grosso com Base na Precipitação Provável 16 O Algodoeiro em Mato Grosso Mato Grosso é um dos Estados do Brasil que apresentou maior desenvolvimento

Leia mais

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11 Céleres Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 199/97 a 2010/11 O CASO DO ALGODÃO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DO MILHO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DA SOJA TOLERANTE A HERBICIDA

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 I - Resultados do mês Em junho de 2012 as exportações

Leia mais

BOLETIM SEMANAL R$ 68,70 R$ 67,90 R$ 430,00 R$ 400,00

BOLETIM SEMANAL R$ 68,70 R$ 67,90 R$ 430,00 R$ 400,00 13/2 15/2 17/2 19/2 21/2 23/2 25/2 27/2 1/3 3/3 5/3 7/3 9/3 11/3 13/3 15/3 Contratos Negociados (x 1000) Cents de US$/bu Análise Estatística de Algodão Algodão PREÇOS CAEM: Assim como no cenário de âmbito

Leia mais

SINCOR-SP 2015 NOVEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 NOVEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS NOVEMBRO 20 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Custo de Produção e Lucratividade da Cultura de Milho Sequeiro: um estudo de caso no município de Sud Mennucci, SP

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: Agosto de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: Agosto de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. SOJA» MERCADO INTERNO O preço da saca de 60 Kg de soja experimentou forte valorização em todas as praças pesquisadas durante o mês de agosto, 14,86% em média. Os preços dispararam a partir da terceira

Leia mais