GESTÃO DE PESSOAS NA COLHEITA FLORESTAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE PESSOAS NA COLHEITA FLORESTAL"

Transcrição

1 GESTÃO DE PESSOAS NA COLHEITA FLORESTAL Novembro/08 Donizete Galvão Barbosa

2 Abordagem: Gestão de Pessoas; Programa de recrutamento, seleção e capacitação de pessoas no processo de colheita florestal; Gestão de Pessoas e sua relação com melhoria continua; Conclusão.

3 Gestão de Pessoas

4 Gestão de Pessoas Características importantes na gestão de pessoas: liderança firme; estabelecer objetivos precisos; tomar decisões em fatos e dados; manter uma boa comunicação entre os seus membros; dominar as habilidades e técnicas necessárias para executar os projetos pelos quais são responsáveis; para cada processo é necessário definir-se; uma meta; um método; Recursos; treinar e educar as pessoas que vão atuar no processo; Estabelecer mecanismos de controle que permitam a verificação dos resultados gerados pelo processo e que sejam tomadas às medidas necessárias aos eventuais desvios constatados.

5 Gestão de Pessoas Matriz de Trabalho x Orientação dos Esforços Planilha do Microsoft Office Excel

6 Gestão de Pessoas Gestão do conhecimento e do capital intelectual; Principal negócio de uma empresa; Capacitar pessoas é um processo continuo (lembrando que não existe nenhum curso técnico, faculdade ou universidade que deixe um profissional pronto para o mercado); estratégia diferenciada para o negócio: Compra de serviços; Fatores que impulsionam o alcance das metas x motivação; Validação x auto estima; Conceito de colaborador x sócio ou uma pequena empresa dentro do negócio, cada qual com sua respectiva participação; O organograma funcional é o inverso do formal. Neste chamado último nível hierárquico, temos que ter os melhores e este deve ser considerado o segundo nível hierárquico depois dos clientes; Facilitador x Gestor (A estrutura hierárquica só define papeis e não define diferenças de respeito entre as pessoas).

7 Gestão de Pessoas Gestão das informações: Compartilhamento em todos os níveis hierárquicos; Base de dados única com a geração de informações oportunas e personalizadas.

8 Gestão de Pessoas INICIO DO PROCESSO DE GESTÃO: Gestão de pessoas deve ter inicio no modelo de capacitação que será executado para a formação dos colaboradores; o treinamento inicial, além da formação técnica das equipes é baseado: na discussão dos conceitos do processo; Contexto dinâmico e participativo; focar envolvimento; Comprometimento; estímulos dos envolvidos a examinarem e recomendarem mudanças nos processos de trabalho dos quais participam; interface entre o treinamento e a operação (inicio de um processo, implantação e continuidade da operação) A aprendizagem deve ocorrer em todos os níveis; Ambiente favorável ao pleno desenvolvimento de suas potencialidades considerando o ambiente e cultura da organização.

9 Gestão de Pessoas APERFEIÇOAMENTO: Deve ser continuo; Via gestão dos resultados gerados do dia a dia; Via feedback continuado; Reconhecimento do que cada integrante tem de melhor a oferecer ao grupo, cada integrante tem características diferenciadas (diversificador, assimilador, solucionador e adaptador), concepções estas que fazem uma equipe ser diferente e melhor. Equipe totalmente eficaz é utopia, as dificuldades de relacionamento humano sempre existirão.

10 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL

11 MODELO: PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL O programa de recrutamento, seleção e capacitação de operadores pode ser realizado pela própria empresa que estará contratando a mão de obra ou via projeto de parceria com entidades que possuam know-how para a realização deste. Modelo utilizado na Suzano: 2003 Própria empresa; 2007 Via Senai Neste projeto foi elaborado um formato que chamamos de quatro mãos.

12 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL VANTAGENS DO MODELO ADOTADO EM 2007: Interação; troca de informações e experiências entre as equipes gestora e executora; Elevação dos níveis de excelência a qualidade do programa desenvolvido; formação de mão de obra via sistema de bolsa auxílio x não contratação da mão de obra; Neste programa foram considerados alguns requisitos básicos como residência na região de abrangência da empresa, disponibilidade de realização do treinamento em período integral e/ou em escala de revezamento, ausência de vínculo empregatício e sustentabilidade econômica do candidato (somente a bolsa auxilio) durante o período de treinamento, fatores críticos para sustentar o sucesso do projeto.

13

14 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL RECRUTAMENTO Pessoas que atuam nos mais diversos segmentos da economia; Divulgação inscrições de candidatos que atendiam aos requisitos mínimos estabelecidos para validação da inscrição: Ser maior de 18 anos; Possuir 2º Grau completo; Possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categorias C,D,E ou categoria B há pelo menos 01 ano, com compromisso de mudança para categoria superior até a conclusão da formação. Documento de Identidade (Original e Cópia); Documento comprobatório de conclusão do 2º Grau (Original e Cópia);

15 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL AVALIAÇÃO DAS INSCRIÇÕES: seguiram rigorosamente o princípio da imparcialidade; foram considerados como aptos a participar da seleção os candidatos que atenderam os requisitos básicos definidos e divulgados respeitando-se o número de vagas destinadas à formação; Após a filtragem das fichas de inscrição, o processo seguiu as seguintes etapas: Avaliação de Aptidão; Avaliação de Habilidades; Avaliação Psicológica; Avaliação de Saúde Ocupacional. (Estas Etapas foram eliminatórias para o ingresso na próxima etapa, não impedindo o candidato de repetir a avaliação em novo processo)

16 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL AVALIAÇÃO DE APTIDÃO: Avaliação da capacidade motora do candidato, para realização de movimentos sincronizados com uso de joystick em simulador virtual AVALIAÇÃO DE HABILIDADES: Avaliação da capacidade de uma pessoa para desenvolver determinada atividade ou comportamento, adquirida no desenvolvimento de uma aptidão por meio do treino ou da prática que consistiu em: realização de exercícios pré-definidos em sistema de simulador virtual (SIMLOG) para avaliar tempo x precisão x predisposição durante 05h00 para cada participante. Os resultados de cada participante apontados pelo SIMLOG mais avaliação comportamental do candidato durante o período de 05h00 em simulador, perfizeram a nota final para classificação a próxima etapa.

17 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL AVALIAÇÃO PSICOLOGICA: Avaliação de informações sobre os indivíduos, a partir das quais alguém deve tomar decisões que envolvam tais dados com respeito a esses sujeitos. Eles se preocupam em fornecer dados confiáveis para determinada intervenção. foram realizados testes impressionistas (descrição lingüística) embasados nos critérios para contratação descritos pela Suzano Papel e Celulose. Para realização desta etapa foi contratada empresa especializada em elaboração e aplicação de testes psicológicos. AVALIAÇÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL: No caso da avaliação de Saúde Ocupacional foram realizados exames médicos ocupacionais que possibilitaram atestar a aptidão do candidato para realização das atividades de operação de máquinas florestais sem o risco de afetar sua saúde ocupacional. Todos os exames e avaliações realizadas se embasavam em critérios para contratação pela Suzano Papel e Celulose.

18 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO: Definido o cronograma de treinamento, e, após realizadas as etapas de seleção do candidato deu-se início ao processo de treinamento que fora dividido em 2 etapas (Treinamento teórico e prático) seguindo o programa de treinamento abaixo: No caso do treinamento teórico teve a duração de 2 meses; O treinamento prático teve a duração de 3 meses. Nesta etapa de formação foram realizadas capacitação prática de saúde e segurança, procedimentos administrativos e operação nos equipamentos Harvester e Forwarder em situação real da atividade, incluindo a execução em regime de revezamento de turno e todas as aulas teóricas foram aplicadas na prática. Durante o processo de treinamento os alunos passaram por diversas intervenções operacionais e pedagógicas ministradas pelos profissionais do SENAI, geridas pelos colaboradores da Suzano Papel e Celulose.

19 Programa Formação para Operadores de Máquinas Florestais Treinamentos Carga Horária HARVESTER FORWARDER Acolhimento 8 Meio Ambiente e Atividades Florestais 5 Conscientização do Sistema de Gestão da Qualidade, Meio Ambiente e Segurança 5 Combate a Incêndio em Máquinas 4 Uso e Conservação de EPI 4 Formação de Operador de Rádio comunicação 2 Primeiros socorros 2 Trabalho em altura 4 Lavagem de MVE`s no Campo 7 Principio de Tecnologia Florestal 24 Procedimentos Administrativos 40 Mecânica Básica 40 Hidráulica Básica 40 Elétrica Básica 40 Estrutura de Apoio 40 Subtotal 265 Formação de Operador de HV - Manual Máquina 120 Formação de Operador de HV - Manual do Cabeçote 80 Formação de Oper. - Simulador Virtual e simulação - HV 90 Formação de Operador HV - Prática de Campo 135 Uso do Conjunto de Corte 3 Embarque e Desembarque de Máquinas em Prancha 5 Pratica Operacional em Campo ( Estágio ) 182 Subtotal 615 Formação de Operador de FW - Manual Máquina 120 Formação de Oper. - Simulador Virtual e simulação - FW 90 Formação de Operador FW - Prática de Campo 135 Embarque e Desembarque de Máquinas em Prancha 5 Pratica Operacional em Campo ( Estágio ) 174 Subtotal 524 Total Geral 1404

20 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL A METODOLOGIA DE ENSINO: Utilizou-se de manuais de treinamentos (modelos elaborados pela equipe da Suzano Papel e Celulose, estruturados em aulas para cada tema, o qual facilita o aprendizado e a medição deste para posterior reciclagem:

21

22 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL A METODOLOGIA DE ENSINO: Foram utilizadas bancadas para simulação e ensino dos sistemas elétricos, hidráulicos e mecânicos, manuais de fabricantes, simuladores SIMLOG, John Deere e Oryx Komatsu

23 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL Entre outras observações os alunos foram avaliados nos seguintes aspectos:

24 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL AVALIAÇÃO FINAL DO TREINAMENTO: In loco pela equipe de Treinamento Operacional da Suzano; ratificada no relatório final emitido pelo SENAI com os resultados operacionais de cada treinando e validado pela equipe operacional de colheita. AVALIAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO: Avaliação de documentação do candidato (CPF, Justiça Eleitoral, Alistamento Militar); Avaliação Clínica Final; Verificação das experiências profissionais anteriores para avaliar restrição profissional do candidato para contratação. CURVA DE APRENDIZAGEM: 60% de produtividade em relação a um operador Sênior

25 RECICLAGEM: PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL Gradual e continuo e deve acontecer embasado: nos procedimento definidos nos manuais de treinamento; procedimentos operacionais; conclusão da curva de aprendizagem; necessidade de melhoria continua (Pessoa ou processo); Análises do relatórios de produção; Estudo de tempos e métodos; Estudo de tempo cheio; Estudo de Tempo Multi Momento. Elevação da média de produtividade; Definição de operador padrão; Quadro de Gestão à vista.

26 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL

27 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL FERRAMENTAS DE APOIO NA GESTÃO: Sistema de Premiação (Ranking dos operadores que produziram acima da média) Prêmio consumo óleo hidráulico (0,25 l/h) Prêmio consumo sabre (01 pç/mês) e corrente (02 pçs/mês); Prêmio produção operadores (SP e BA) e mecânicos (SP);

28 PROGRAMA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PESSOAS NO PROCESSO DE COLHEITA FLORESTAL

29 A Suzano Papel e Celulose S/A Parabeniza o colaborador: MILTON BOHRZ FILHO, pela conquista do 2º lugar no Ranking de Produção de HV do Módulo IV, no semestre de Janeiro à Junho/2008. Equipe de Gestão Colheita Mecanizada UNF BA Julho/2008 Sempre tenha um sonho e trabalhe para alcançáalcançá-lo, fazendo o quase impossível, com muito planejamento e alegria, com isso alcançará alcançará SUCESSO.

30 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA

31 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA Toda a trajetória para uma análise de Gestão de pessoas deve iniciar primeiramente entendendo seus conceitos e sua ligação com os PROCESSOS. Conceito de Processo: Um conjunto de atividades que transforma entradas conhecidas em saídas desejadas. Isto é, qualquer atividade exercida por uma pessoa ou um grupo de pessoas em uma empresa, onde exista uma entrada (chamada de Insumo), um processamento (transformação) e uma saída (produtos ou serviços), pode ser considerado um processo e sua melhoria. O mesmo vale para qualquer atividade feita por uma pessoa, que receba insumos, transforme-os e gere uma saída para seus clientes. Assim, a tarefa individual é o menor nível de um processo.

32 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA É razoável admitir haver carência nas empresas quanto à coordenação das atividades de melhoria e de gestão de pessoas dentro de uma visão sistêmica dos processos existentes. As atividades focam a solução necessária para se adequar a um ou outro indicador de desempenho, e não estendem a análise para implicações em outros processos. Conforme Zilli (apud CAFFYN; BESSANT, 2003, p. 18), afirma que, [...] internamente as organizações tratam de melhorar seu desempenho operacional atuando nos seus processos, capacitando seus funcionários e eliminando os desperdícios. Esses desperdícios são causados pela ineficiência dos processos que geram atividades que não agregam valor ao cliente.

33 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA Conhecer e melhorar o processo é uma forma de identificar e desenvolver comportamentos para chegar às competências essenciais. Inicio do processo x modelo de capacitação x alterações e falhas no sistema Melhoria de processos realizada em conjunto com a operacional no SP2 em 2006/07, principais resultados obtidos:

34 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA Quando da implantação de um novo processo, todas as atividades ou sub-processos devem ser: seqüenciadas e formalizadas em formas de instrução de trabalho; com seus fatores críticos de sucesso; Indicadores; fornecedores e clientes; porém se não tiver gestão sobre isto, ao decorrer do tempo, por necessidade e por decorrência dos fatos, ocorrerão mudanças que implicaram em problemas operacionais que impactarão em perdas e retrabalhos, conseqüente impacto nos resultados. O mapeamento do processo: é um balizador para analisar e melhorar o processo ao longo do tempo, como se fosse um marco, e partir deste se guiam às mudanças analisando a grau de realização e grau de melhoria.

35

36 Melhoria de Processos UNF - Principais Trabalhos / Resultados Viveiro 2006/07 Otimização da eficiência média da produção de mudas no viveiro de 50% para 65% Principais resultados obtidos em conjunto com as equipes de (Treinamento / P&D e Operação do Viveiro) Economia Prevista ~ R$ : Eficiência de Produção de Clone. Eficiência (%) 75% 70% 65% 60% 55% 50% 45% 40% 49,67% 48,53% 57,84% 69,89% 69,33% 72,56% 65,92% 69,93% 68,45% 67,43% 65,00% MÉDIA / 05 MÉDIA / 06 jan/07 fev/07 mar/07 abr/07 mai/07 jun/07 jul/07 MÉDIA / 07 Eficiência Final Meta Mínima 2006/2007

37 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA Em resumo, o gerenciamento dos processos e gestão de pessoas estão totalmente interligados entre si, e, seguindo esta concepção desenvolvemos um Modus Operandi que mostra de forma sistêmica a necessidade de atuação por projetos, isto pode ser ilustrado na figura do próximo Slide. Obs: Vale lembrar que um problema operacional ou de gestão de pessoas muitas vezes não esta somente atrelado a um item especifico, muitas vezes é reflexo de um outro problema que não está sendo gerenciando.

38 ModusOperandi Clientes Pesquisa Colheita Núcleos Abast. Viveiro Fomento e Outros Definição das Necessidades Entradas (Via Workshop e Reuniões sistemáticas com as equipes) - Análise do Planejamento Estratégico - Captura de necessidades e expectativas latentes - Novos projetos - Novos Métodos e Processos - Reciclagem - Análise do SIG - Atualização Tecnológica - Análise da Matriz de Habilidades - Análise da Avaliação de Reação - Checklist de avaliação - Análise de NR s / Legislação Projetos - Saídas Gestão da Rotina e Melhoria do Processo Desenvolvimento Operacional Novas Tecnologias e Sistemas Treinamento Projetos Específicos Transferência de Tecnologia Exemplos de Indicadores - Redução do custo R$/M³ OU R$/ha - Maior Produtividade -Diferença das Ações Implantadas -Eficiência Operac. -Avaliação Resultado Do treinamento -Nível Freqüência de Acidentes - > Produção - Atingimento da Curva Aprendizagem Ferramentas de Avaliação Boletins Informativos Curva S Monitoramento Processo Custo Contábil Outros (Conforme Necessidade Do Cliente) S A T I S F A Ç Ã O D O C L I E N T E

39 GESTÃO DE PESSOAS E SUA RELAÇÃO COM MELHORIA CONTINUA CONCLUSÃO Gestão de pessoas na integra conceitual x modelo estratégico diferenciado; A gestão de pessoas no mundo moderno deve preocupar-se em formar pessoas para terem: Velocidade; Flexibilidade; mais espírito de análise e síntese; pensarem fora do senso comum; a aprenderem os conceitos; a entenderem o todo e não parte do todo; a receberem informações importantes e transforma-las em ações inteligentes; mostrar que a atitude gera a competência; que a diferença esta na maneira de ver as coisas, que devemos elogiar as pessoas e dar o devido valor a elas; que para mudar um paradigma é necessário mudar a cultura das pessoas e das organizações; Mudar paradimas. Junção das empresas para a formação de pessoas; Dono do processo.

40 Nosso objetivo principal: Transformar profissionais mecanicistas em profissionais do conhecimento com atuação em gestão de processos, focado nos resultados e nas necessidades dos clientes. Galvão (2006) Capital Intelectual de uma empresa consiste na quantidade de conhecimento na posse dos indivíduos e das unidades organizacionais multiplicada pela velocidade a que este conhecimento é partilhado através da organização. (Gopta e Govinda Rajan) OBRIGADO.

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA Edna Ap Esquinelato da Silva 1 Eliete Santana 1 Elton Dias da Paz 1 Priscila Alves da Silva 1 RESUMO Colheita Floresta é o processo

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: CST em Gestão em Recursos Humanos MISSÃO DO CURSO A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da ESTÁCIO EUROPAN consiste em formar

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR CURITIBA Maio 2012 1 PROGRAMA TÍTULO: Formação de Gestores para o Terceiro Setor. JUSTIFICATIVA:

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Experiências educativas no gerenciamento de resíduos gerados no Hospital de Clínicas de Porto Alegre Tainá Flôres da Rosa contato: tfrosa@hcpa.ufrgs.br telefone:(51)81414438

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

O que é? pode ser chamado de Recrutamento e Seleção.

O que é? pode ser chamado de Recrutamento e Seleção. Processo Seletivo O que é? O Processo Seletivo é um conjunto de técnicas e instrumentos, empregados para avaliação de materiais, técnicas ou candidatos visando identificar as habilidades, tendências e

Leia mais

MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO

MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO CARO ALUNO, Seja Bem-Vindo às Escolas e Faculdades QI! Desejamos a você uma excelente jornada de estudos e evolução, tanto no campo profissional, como pessoal. Recomendamos

Leia mais

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE Como estruturar o Escritório da Qualidade Gestão da Qualidade A gestão da qualidade consiste em uma estratégia de administração orientada

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Ser reconhecido como o melhor tribunal para se trabalhar e de melhores resultados. Visão de Futuro do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região que consiste

Leia mais

FÁBRICA DO SABER SEMINÁRIOS TÉCNICOS BOMBAS CENTRÍFUGAS: TRANSFORMAÇÃO PELA EDUCAÇÃO

FÁBRICA DO SABER SEMINÁRIOS TÉCNICOS BOMBAS CENTRÍFUGAS: TRANSFORMAÇÃO PELA EDUCAÇÃO FÁBRICA DO SABER SEMINÁRIOS TÉCNICOS BOMBAS CENTRÍFUGAS: TRANSFORMAÇÃO PELA EDUCAÇÃO Edson França Rodrigues (1) Nadja Maria Rocha N Mello Filha (2) Janine Franco Lima (3) Aline Costa Rauen (4) Flávio Henrique

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS. Termo de Referência RAIS/OPSAN nº 16 /2015, de 11 de maio de 2015.

SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS. Termo de Referência RAIS/OPSAN nº 16 /2015, de 11 de maio de 2015. SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS Termo de Referência RAIS/OPSAN nº 16 /2015, de 11 de maio de 2015. O Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade Elton Ivan Schneider Introdução

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Projeto Academia de Liderança. Edição 2014 Turma 1 Novas Lideranças

Projeto Academia de Liderança. Edição 2014 Turma 1 Novas Lideranças Projeto Academia de Liderança Edição 2014 Turma 1 Novas Lideranças APRESENTAÇÃO A Academia de Liderança é realizada pelo Senar-MT e visa levar conhecimentos e informações para as Lideranças Sindicais,

Leia mais

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br)

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br) COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) DESCRIÇÃO GERAL: O Coordenador Sênior do Uniethos é responsável pelo desenvolvimento de novos projetos, análise de empresas, elaboração, coordenação, gestão e execução

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS www.tecnologiadeprojetos.com.br Diretoria de Acompanhamento e Avaliação de Projetos da Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais DAPE/SEE-MG RELATÓRIO DE PESQUISA 1 : CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA

Leia mais

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo:

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo: Perguntas e respostas sobre gestão por processos 1. Gestão por processos, por que usar? Num mundo globalizado com mercado extremamente competitivo, onde o cliente se encontra cada vez mais exigente e conhecedor

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Manual de ingresso de novos voluntários.

Manual de ingresso de novos voluntários. Manual de ingresso de novos voluntários. Revisão n 01 de 28 de Janeiro de 2016. DESENVOLVIDO POR: Diretoria Operacional CBV Eldorado do Sul - Seção de Instrução e Ensino CBV Eldorado do Sul - Comando Operacional

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Anexo II CARGOS DE DCA

Anexo II CARGOS DE DCA Anexo II CARGOS DE DCA CARGO: COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DE EDUCAÇÃO INFANTIL COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DE ENSINO FUNDAMENTAL Coordenar atividades específicas de área, participando

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS FATEC JUNDIAÍ 2009

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS FATEC JUNDIAÍ 2009 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS FATEC JUNDIAÍ 2009 Apresentação: O curso de Especialização em Gestão Estratégica de Negócios será oferecido em nível de pós-graduação, pela Faculdade

Leia mais

ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE

ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE SÃO PAULO JULHO DE 2015 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos, atividades

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico:

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: O Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial da Faculdade Sul Fluminense FASF, tendo como Entidade Mantenedora o Instituto

Leia mais

4º Passo: Treinamento, integração e desenvolvimento

4º Passo: Treinamento, integração e desenvolvimento 4º Passo: Treinamento, integração e desenvolvimento Assim que você selecionar pessoas competentes, precisará ajudá-las a se adaptar à organização e assegurar que suas habilidades de trabalho e conhecimento

Leia mais

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores Treinamento Presencial: Gestão de Fornecedores Data: 20 de Maio de 2015 Carga horária: 8 horas Local: São Paulo/ SP Procurement Business School Quem somos: Procurement Business School é a mais completa

Leia mais

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI)

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) (The Instructional Design (ID) Domains, Competencies and Performance Statements) International Board of Standards for Training,

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade

Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade Relatório de atividades 2014 Introdução No quadriênio de 2007 a 2010 a implantação de Modelo de Gestão de Pessoas por Competências na Secretaria da

Leia mais

Apresentação. A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo.

Apresentação. A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo. Apresentação A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo. Nossa missão é promover o encontro entre pessoas e

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

Indicadores de Desempenho Conteúdo

Indicadores de Desempenho Conteúdo Indicadores de Desempenho Conteúdo Importância da avaliação para a sobrevivência e sustentabilidade da organização O uso de indicadores como ferramentas básicas para a gestão da organização Indicadores

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA

REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA VALIDAÇÃO DO MODELO CONCEITUAL DE GC DOS CORREIOS POR MEIO DO PROCESSO PILOTO CEP Alceu Roque Rech CORREIOS 17.06.13

Leia mais

Os estágios como ferramenta e exigências da formação do farmacêutico generalista

Os estágios como ferramenta e exigências da formação do farmacêutico generalista Os estágios como ferramenta e exigências da formação do farmacêutico generalista Prof.ª Danyelle Cristine Marini Coordenadora da Comissão Assessora de Educação Farmacêutica do CRF-SP Estágio Supervisionado

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS "Felizaquelequetransfereo quesabee aprendeo queensina." Cora Coralina Se não sabes, aprende; se já sabes, ensina. Confúcio Tipo de Programa Objetivos Programas de Aperfeiçoamento Melhorar o nível de desempenho

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

CÂMPUS CAMPOS BELOS. Divulgação do edital 31 de março de 2015

CÂMPUS CAMPOS BELOS. Divulgação do edital 31 de março de 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO EDITAL N 007, DE 31 DE MARÇO 2015 SELEÇÃO INTERNA

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2015. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Técnico em Logística Integrado ao Ensino Médio. Professor: Isabel Santos

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2015. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Técnico em Logística Integrado ao Ensino Médio. Professor: Isabel Santos PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2015 Código: 0262 Ensino Técnico ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Gestão de Pessoas Eixo Tecnológico: Gestão e negócios Módulo: 1º Série C.

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Capacitação e Desenvolvimento Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Era Industrial Era Conhecimento Competência..., o que é? Qualidade

Leia mais

CAERN. Descrição de Perfis

CAERN. Descrição de Perfis Nível: Superior Reporte: Coordenador Sumário Participar do planejamento e desenvolvimento das políticas e práticas de Recursos Humanos da empresa. Desenvolver atividades técnicas de avaliação comportamental

Leia mais

Sistemas de Informação: tipos e características

Sistemas de Informação: tipos e características Sistemas de Informação: tipos e características Tipos de sistemas de informação. Os quatro tipos principais de sistemas de informação. Sistemas do ponto de vista de pessoal Sistemas de processamento de

Leia mais

HOSPITAL PELÓPIDAS SILVEIRA PROGRAMA DE ESTÁGIOS

HOSPITAL PELÓPIDAS SILVEIRA PROGRAMA DE ESTÁGIOS HOSPITAL PELÓPIDAS SILVEIRA PROGRAMA DE ESTÁGIOS ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PRECEPTOR COORDENADOR Valdenice Rumão de Melo: hps.eleme@hps.imip.org.br PRECEPTORES COLABORADORES Carolina Martins: hps.dep@hps.imip.org.br

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS. Engº. Gilberto Mian

CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS. Engº. Gilberto Mian CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS Engº. Gilberto Mian SOBRE A METAX A Metax é especializada em Engenharia de Acesso, fornecendo soluções para acesso e elevação de carga, atuando

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Prof. Alan Schmitt 1 Estágios de LIMPEZA Limpeza pode ser entendida como inspeção, para encontrar e eliminar problemas que possam se apresentar Limpeza Geral Limpar tudo Varrer

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA fundada em 1986 É precursora na implementação de serviços especializados em mapeamentos de competências humanas. Empresa de pesquisa aplicada especializada

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS Manaus, 04 de Dezembro de 2014. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Centro Vocacional para o Desenvolvimento Sustentável (CVDS), trata-se de um projeto piloto que

Leia mais

Projetos de apoio ao SUS

Projetos de apoio ao SUS Carta Convite: Facilitação dos Cursos de Especialização em Gestão da Vigilância em Saúde, Gestão da Clínica nas Redes de Atenção à Saúde, Regulação em Saúde no SUS e Gestão do Risco e Segurança do Paciente

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE ENSINO DO INTERIOR DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE ITAPETININGA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE ENSINO DO INTERIOR DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE ITAPETININGA EDITAL nº 01 /2015 A Direção da EE Cel. Fernando Prestes, torna pública a abertura de inscrição para professores interessados em exercer a FUNÇÃO DE PROFESSOR COORDENADOR para o segmento do Ensino Médio,

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Reflexões sobre a Política de Capacitação na Administração Pública Federal. Brasília Julho 2009

Reflexões sobre a Política de Capacitação na Administração Pública Federal. Brasília Julho 2009 Reflexões sobre a Política de Capacitação na Administração Pública Federal Brasília Julho 2009 Mudanças que ocorrem no comportamento do indivíduo, não resultantes unicamente da maturação, mas de sua interação

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Indicadores de Desempenho do SGQ

Indicadores de Desempenho do SGQ Módulo 3: Indicadores de Desempenho do SGQ Instrutor: Henrique Pereira Indicadores de Desempenho do SGQ Partes interessadas: Quem são? Quais são suas necessidades? Como monitorar e medir os processos:

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Promover eficiência na gestão de recursos para assegurar a realização da Estratégia, a partir de uma política organizacional de planejamento e execução

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC: DE MAIRIPORÃ Código: 271 Município: MAIRIPORÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM CONTABILIDADE Qualificação:

Leia mais

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Apresentação: Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências de

Leia mais

EMENTA CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

EMENTA CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICO-ALVO: Os Cursos Técnicos são destinados a todos que estão cursando o 2º ano ou já completaram o Ensino Médio e que desejam aprender uma profissão, entrar no mercado de trabalho ou buscar uma melhor

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

Módulo: Gestão de Pessoas

Módulo: Gestão de Pessoas O Sistema FIRJAN, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RJ), apresenta o Programa de Capacitação Empresarial Inovando na Gestão. O objetivo é atualizar e capacitar os empresários e dirigentes empresariais

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Negociação Estratégica e Gestão de Conflitos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Negociação Estratégica e Gestão de Conflitos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais