Mercados e Tendências para Produtos Minimamente Processados

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mercados e Tendências para Produtos Minimamente Processados"

Transcrição

1 Mercados e Tendências para Produtos Minimamente Processados

2 Histórico Nos últimos 4 anos temos observado uma evolução na área de produtos minimamente processados que cresce a cada ano. O crescente interesse se deu através da dona de casa que procura passar menos tempo no preparo de suas refeições e mais tempo com sua família, depois disso as pessoas que residem sozinhas ou em pequenas famílias e por fim as embalagens single que tem por objetivo atender uma única refeição. Um impedimento para que este consumo seja ainda maior é a situação econômica do país, sendo um sonho de consumo em adquirir produtos minimamente processados que ainda não foi atendida. Esta realidade nos leva à crença de que cada vez mais caminhamos para efetivar o crescimento neste segmento.

3 Mercado Atual A realidade para a evolução da presença dos produtos minimamente processados mostra que é uma realidade presente desde a feira livre, passa por pequenos supermercados incluindo os locais periféricos até os mais sofisticados. O consumo dividido por classe social: 70% entre as classes A/B 23% para classe B 7% para classe C/D Mostra que a oportunidade é imensa a ser explorada nos produtos processados para as classes B/C

4 Feira Livre Feira Livre

5 Feira Livre Feira Livre

6 Feira Livre Feira Livre

7 Feira Livre Feira Livre

8 Feira Livre Feira Livre

9 Feira Livre Feira Livre

10 Periferia

11 Periferia

12 Lojas Sofisticadas Lojas Sofisticadas

13 Lojas Sofisticadas Lojas Sofisticadas

14 Lojas Sofisticadas Lojas Sofisticadas

15 Lojas Sofisticadas Lojas Sofisticadas

16 Lojas Sofisticadas Lojas Sofisticadas

17 Lojas Sofisticadas Lojas Sofisticadas

18 Mercado Atual Fatores de Crescimento no Mercado Mais conveniência devido a falta de tempo na vida das pessoas Desenvolvimento da variedade de produtos Disponibilidade e comercialização pelos supermercados Qualidade do produto e minimização de desperdícios Longevidade dos produtos Segurança do alimento Clima e estações

19 Tendências Por que comprar produtos minimamente processados? Conveniência: facilidade na escolha no ponto de venda Variedade: a possibilidade de se compor diferentes refeições Sem disperdício: usa-se 100% do produto que vem dentro da embalagem Sem preparo: basta abrir a embalagem e está pronto para consumo Saudável: os vegetais e frutas fazem parte de uma alimentação equilibrada Versátil: acompanha uma grande variedade de alimentos Frescura: demonstra frescura na refeição e variedade de cores Saborosa: mistura de sabores

20 Tendências Um outro fator de sucesso será a disciplina na cadeia de frio desde o produtor até o ponto de venda, que será um grande desafio e que fará a diferença. Procedimentos adequados nos fornecedores fará com que eles se automatizem com novas técnicas o que levará a produtos com longevidade maximizada. E por último e não menos importante, procedimentos que garantam a segurança dos produtos e que isso se traduza em garantias ao consumidor. Sem dúvida nenhum fará a diferença!

21 Apoio à Indústria Papel do varejo para contribuir aos minimamente processados Transmissão de conhecimento (auditorias técnicas e reciclagem) Exigência do cumprimento de normas sanitárias Organização da cadeia Difusão e consolidação do consumo Ações no ponto de de venda (folhagens, promoções em folhetos, degustações e etc) = CRIAR O HÁBITO.

22 Apoio à Indústria Seleção de fornecedores Escolha do fornecedor utilizando critérios (auditorias, especificações técnicas e sistema de qualificação) Manutenção dos produtos minimamente processados dentro do varejo Recebimento (temperatura, qualidade, rotulagem) Conservação Treinamento de pessoas Criar o hábito

23 Relacionamento Profissionalização Informação Afirmação da marca Varejo Espaço de contato do produto e consumidor Vitrine Produto no espaço adequado de consumo

24 Grupo Pão de AçúA çúcar Sandra Caires Sabóia Gerente de Compras Fone: (11)

Padaria - elaboração de massas de pães salgados e doces, pães congelados atendendo à legislação vigente DANIELE LEAL

Padaria - elaboração de massas de pães salgados e doces, pães congelados atendendo à legislação vigente DANIELE LEAL Padaria - elaboração de massas de pães salgados e doces, pães congelados atendendo à legislação vigente DANIELE LEAL Nutricionista. Mestre em ciência dos alimentos e especialista em qualidade. Consultora

Leia mais

Qualidade do Pescado

Qualidade do Pescado Qualidade do Pescado A importância da qualidade do pescado para comercialização Produção pesqueira atingiu seu limite de captura Incertezas : Processadores Atacadistas Pescado : Quantidade necessária Qualidade

Leia mais

Regionalidade e o seu potencial de posicionamento

Regionalidade e o seu potencial de posicionamento Módulo 1: Posicionamento Regionalidade e o seu potencial de posicionamento Capitulo 8 Dr. Andrea Grimm Dr. Astin Malschinger CONTEUDO MODULO 1 POSICIONAMENTO Capitulo 8: Regionalidade e o seu potencial

Leia mais

DESEMPENHO PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 2013

DESEMPENHO PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 2013 DESEMPENHO PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 2013 Estrutura Empresarial Total: 1.219 empresas atendidas em 2013 426 projetos 24 UF Balanço 2013 - Geral Faturamento 8,7% Tíquete Médio 9,5% Número de Funcionários

Leia mais

Estratégias de coordenação da cadeia produtiva para superar os desafios da ovinocultura e da caprinocultura no Brasil

Estratégias de coordenação da cadeia produtiva para superar os desafios da ovinocultura e da caprinocultura no Brasil Estratégias de coordenação da cadeia produtiva para superar os desafios da ovinocultura e da caprinocultura no Brasil Juan Diego Ferelli de Souza Pesquisador da Embrapa Caprinos e Ovinos Desafios da Ovinocultura

Leia mais

Frutas, legumes e flores sempre frescos

Frutas, legumes e flores sempre frescos OPINIÃO Frutas, legumes e flores sempre frescos 30 set 2015 Paulo Lane* Já imaginou a vida sem a possibilidade de comer frutas e vegetais frescos, apenas porque eles não são da região ou estão fora de

Leia mais

TREZE PREVISÕES QUE VÃO TRANSFORMAR NOSSA VISÃO SOBRE O QUE COMEMOS

TREZE PREVISÕES QUE VÃO TRANSFORMAR NOSSA VISÃO SOBRE O QUE COMEMOS TREZE PREVISÕES QUE VÃO TRANSFORMAR NOSSA VISÃO SOBRE O QUE COMEMOS ESTÍMULOÀ REFLEXÃO Uma mistura perfeita de ingredientes de tecnologia está definindo uma nova receita para cultivo, produção, venda e

Leia mais

Padaria Conceito - Conceituação

Padaria Conceito - Conceituação Padaria Conceito - Conceituação Amplo mix de produtos, alia conveniência e produtos frescos, assados à frente do cliente Buffet de café da manhã Cafeteria Foodservice Chocolataria Legumes Pizzas Happy

Leia mais

PERDAS E QUALIDADE PÓS-COLHEITA

PERDAS E QUALIDADE PÓS-COLHEITA DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL PÓS-COLHEITA DE PRODUTOS HORTÍCOLAS - LPV 660 PERDAS E QUALIDADE PÓS-COLHEITA ENG.ª AGRÔNOMA THAIS PÁDUA PERDAS PÓS-COLHEITA INTRODUÇÃO No Mundo, 1/3 dos alimentos são

Leia mais

01/06/2010. Marketing Ampliado. Administração de Varejo. tipos de varejo. 1) Níveis de serviços que oferece. 2) Variedade de linhas de produtos

01/06/2010. Marketing Ampliado. Administração de Varejo. tipos de varejo. 1) Níveis de serviços que oferece. 2) Variedade de linhas de produtos Marketing Ampliado Profa. Adriana existe um tempo para melhorar, para se preparar e planejar; igualmente existe um tempo para partir para a ação Amyr Klynk Comece a ser agora o que você será daqui em diante.

Leia mais

Fernanda Cardo. Gastronomia Serviços de Alimentação

Fernanda Cardo. Gastronomia Serviços de Alimentação Fernanda Cardo Gastronomia Serviços de Alimentação Março/2010 Principais serviços oferecidos Personal Chef Para Grupos: Em um ambiente leve e informal, ensino pratos práticos e saborosos para pequenos

Leia mais

Painel: Mercados e Tendências para Produtos Minimamente Processados. Palestra: O papel da Indústria no Processamento Mínimo M. de Frutas e Hortaliças.

Painel: Mercados e Tendências para Produtos Minimamente Processados. Palestra: O papel da Indústria no Processamento Mínimo M. de Frutas e Hortaliças. Painel: Mercados e Tendências para Produtos Minimamente Processados. Palestra: O papel da Indústria no Processamento Mínimo M de Frutas e Hortaliças. as. Palestrante: Filipe Feliz Mesquita Engenheiro Agrônomo

Leia mais

A maioria dos respondentes tem acesso a computador em sua casa, em seu local de trabalho ou em outro local.

A maioria dos respondentes tem acesso a computador em sua casa, em seu local de trabalho ou em outro local. 6 Conclusões Neste capítulo são apresentadas as conclusões, fundamentadas nos resultados da pesquisa quantitativa, as implicações acadêmicas e gerenciais do estudo, as limitações do trabalho e as sugestões

Leia mais

Consumo de orgânicos na alimentação escolar no RS Giuliana Cadorin Bacharel em Políticas Públicas

Consumo de orgânicos na alimentação escolar no RS Giuliana Cadorin Bacharel em Políticas Públicas Consumo de orgânicos na alimentação escolar no RS Giuliana Cadorin Bacharel em Políticas Públicas O Estado possui papel preponderante tanto em relação aos mecanismos de aquisições públicas quanto ao incentivo

Leia mais

Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel

Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel Apresentação Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel NOSSA AGENDA Objetivo / Critérios / Metodologia MONITORAMENTO PEQUENO VAREJO Perfil das lojas Características de compras Relacionamento varejo

Leia mais

Programa de Consolidação em Grupo para Produtos Lácteos Americanos

Programa de Consolidação em Grupo para Produtos Lácteos Americanos Programa de Consolidação em Grupo para Produtos Lácteos Americanos Levando produtos lácteos dos Estados Unidos para o mundo Por que um Programa de Consolidação em Grupo? A indústria de queijo americana

Leia mais

IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO NAS FÁBRICAS DE RAÇÕES

IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO NAS FÁBRICAS DE RAÇÕES IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO NAS FÁBRICAS DE RAÇÕES 19.09.16 São procedimentos higiênicos, sanitários e operacionais aplicados em todo o fluxo de produção, desde a obtenção dos

Leia mais

Laboratórios de autocontrole X Redes metrológicas X Serviço de Inspeção Federal. Rui Eduardo Saldanha Vargas Porto Alegre/RS

Laboratórios de autocontrole X Redes metrológicas X Serviço de Inspeção Federal. Rui Eduardo Saldanha Vargas Porto Alegre/RS Laboratórios de autocontrole X Redes metrológicas X Serviço de Inspeção Federal. Rui Eduardo Saldanha Vargas Porto Alegre/RS Criação da OMC em 1995 Redução de barreiras tarifárias Ampliação da importância

Leia mais

CASO DE SUCESSO: Inspeção Municipal de Nossa Senhora do Livramento Gerência de Projetos e Produtos Sebrae/MT Dezembro/2016

CASO DE SUCESSO: Inspeção Municipal de Nossa Senhora do Livramento Gerência de Projetos e Produtos Sebrae/MT Dezembro/2016 CASO DE SUCESSO: Inspeção Municipal de Nossa Senhora do Livramento Gerência de Projetos e Produtos Sebrae/MT Dezembro/2016 O MUNICÍPIO DE NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO Municipio localizado a 49 km de Cuiabá

Leia mais

Brasil São Paulo 04 a 6/08/2015. Carta de Recomendações. Normatização da cadeia produtiva de FLV IV Gama no Brasil

Brasil São Paulo 04 a 6/08/2015. Carta de Recomendações. Normatização da cadeia produtiva de FLV IV Gama no Brasil Brasil São Paulo 04 a 6/08/2015 Carta de Recomendações Normatização da cadeia produtiva de FLV IV Gama no Brasil Carta de Recomendações Cadeia Produtiva FLV IV Gama Introdução: Pelo segundo ano consecutivo

Leia mais

A Melancia FRUTAS. Benefícios

A Melancia FRUTAS. Benefícios A fruta e os hortícolas são ricos em vitaminas e minerais. Como nenhuma fruta tem, sozinha, todos nutrientes de que precisas, deves variar o tipo e cor de frutas que comes. FRUTAS A Melancia Variedades

Leia mais

TENDÊNCIAS DE. MERCADO Encontro ABRACEN Rio Branco 2010 Eng. Agrônomo Msc Gustavo Costa de Almeida Departamento de Operações da CeasaMinas

TENDÊNCIAS DE. MERCADO Encontro ABRACEN Rio Branco 2010 Eng. Agrônomo Msc Gustavo Costa de Almeida Departamento de Operações da CeasaMinas TENDÊNCIAS DE inistério da Agricultura, ecuária e Abastecimento. MERCADO Encontro ABRACEN Rio Branco 2010 Eng. Agrônomo Msc Gustavo Costa de Almeida Departamento de Operações da CeasaMinas Fotos: Thiago

Leia mais

Definição Pequeno Varejo:

Definição Pequeno Varejo: Monitoramento Pequeno Varejo Junho/2009 METODOLOGIA Monitoramento do Pequeno Varejo: Questionários autopreenchíveis Aplicados pelos associados ABAD em clientes varejistas Período de Março Junho 2009 Definição

Leia mais

RÓTULO A IDENTIDADE DO ALIMENTO PROGRAMA DE ROTULAGEM

RÓTULO A IDENTIDADE DO ALIMENTO PROGRAMA DE ROTULAGEM RÓTULO A IDENTIDADE DO ALIMENTO PROGRAMA DE ROTULAGEM O RÓTULO É A IDENTIDADE DO ALIMENTO A rotulagem iden fica o produto, a sua quan dade, a sua origem e o seu responsável. A colocação do rótulo é uma

Leia mais

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade A Elétrica Sena Campos, empresa prestadora de serviços no ramo de manutenção elétrica tem como principal valor preservar a integridade física, mental

Leia mais

Varejo de Material de Construção

Varejo de Material de Construção Seminário GVcev Varejo de Material de Construção Construção de Marca no Varejo de Material de Construção Prof a. D ra. Cristina Proença Objeto de Estudo M A R C A F A B R I C A N T E Fabricante Estratégia

Leia mais

RPINFO.COM.BR. O controle do seu negócio, em suas mãos.

RPINFO.COM.BR. O controle do seu negócio, em suas mãos. RPINFO.COM.BR O controle do seu negócio, em suas mãos. RP INFO: 25 anos fornecendo as melhores ferramentas de Gestão para Supermercados. i Excelência em produtos e grande intimidade com o cliente! CONFIABILIDADE

Leia mais

Desejos do consumidor final. Comercialização e Industrialização do trigo

Desejos do consumidor final. Comercialização e Industrialização do trigo Desejos do consumidor final Comercialização e Industrialização do trigo Disponibilidade de informação em rotulagem e legislação Quais são as atuais preocupações deste consumidor 2º Mercado de cirurgias

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado ODAIR CUNHA PT/MG

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado ODAIR CUNHA PT/MG PROGRAMAS ABERTOS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Código do Programa 2200020130003 Órgão Órgão Executor Tipo de Instrumento Convênio Qualificação da proposta Proposta Voluntária Programa

Leia mais

COMPETINDO NO MERCADO

COMPETINDO NO MERCADO COMPETINDO NO MERCADO DE FLORES Prof. Paulo Hercílio Viegas Rodrigues CARACTERIZAÇÃO DOS PRODUTOS Flores de corte: Clima temperado: rosas, crisântemos, gérberas Clima tropical: Heliconia, bastões, alpinias

Leia mais

Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues Doutorando em Engenharia Mecânica

Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues Doutorando em Engenharia Mecânica Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Doutorando em Engenharia Mecânica A Administração da Produção trata da maneira pela qual as organizações produzem bens e serviços. Verificar as tarefas,

Leia mais

CURSO BASICO DE EXPORTAÇÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDUSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR / SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR

CURSO BASICO DE EXPORTAÇÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDUSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR / SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDUSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR / SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR É a saída de bens, produtos e serviços além das fronteiras do pais de origem. Esta operação pode envolver

Leia mais

Bala de Gelatina Light Com Dekopon Receita

Bala de Gelatina Light Com Dekopon Receita Bala de Gelatina Light Com Dekopon Receita Há poucos dias nós mostramos como é a fruta Dekopon e contamos um pouco de sua história. Na postagem nós comentamos que a fruta é ótima não só para o consumo

Leia mais

CI Orgânicos. Sylvia Wachsner Sociedade Nacional de Agricultura

CI Orgânicos. Sylvia Wachsner Sociedade Nacional de Agricultura CI Orgânicos Sylvia Wachsner Sociedade Nacional de Agricultura O que são produtos orgânicos Os princípios agroecológicos contemplam o uso responsável do solo, da água, do ar e demais recursos naturais.

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Hortaliças

Balanço 2016 Perspectivas Hortaliças Hortaliças 99 100 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DESTAQUE PARA MAIS INVESTIMENTOS EM SISTEMAS DE CULTIVO DAS HORTALIÇAS Com área cultivada de aproximadamente 837 mil hectares e volume

Leia mais

DA MESA A HORTA APRENDO A GOSTAR DE FRUTA E VEGETAIS! Um guia prático para pais e cuidadores de crianças em idade pré-escolar

DA MESA A HORTA APRENDO A GOSTAR DE FRUTA E VEGETAIS! Um guia prático para pais e cuidadores de crianças em idade pré-escolar - DA MESA A HORTA APRENDO A GOSTAR DE FRUTA E VEGETAIS! Um guia prático para pais e cuidadores de crianças em idade pré-escolar Mais do que consumidores, as crianças são influenciadores no processo de

Leia mais

VAGAS DIVULGADAS EM

VAGAS DIVULGADAS EM VAGAS DIVULGADAS EM 02.04.12 1- AUXILIAR ADINISTRATIVO (PCD) Ensino médio completo. Informática avançada e possua laudo médico. Enviar CV com título da vaga para: comercial@talentorham.com.br ou entregar

Leia mais

A Indústria e o Varejo Integrados

A Indústria e o Varejo Integrados Seminário GVcev Visual Merchandising: A Indústria e o Varejo Integrados TENDÊNCIAS E INOVAÇÃO EM MERCHANDISING NO VAREJO ROMANO G. PANSERA O tempo passa cada vez mais rápido O tempo está ficando achatado

Leia mais

FATORES SITUACIONAIS. Comportamento do Consumidor. Profa. Maria Eneida Porto Fernandes

FATORES SITUACIONAIS. Comportamento do Consumidor. Profa. Maria Eneida Porto Fernandes FATORES SITUACIONAIS Comportamento do Consumidor Profa. Maria Eneida Porto Fernandes Quais são? Ambiente Físico Ambiente Social Tempo Propósito da Compra Estado de Espírito e Predisposição Conforme muda

Leia mais

Localização e arranjo físico de unidades da rede de operações

Localização e arranjo físico de unidades da rede de operações Localização e arranjo físico de unidades da rede de operações Profa. Dra. Márcia Mazzeo Grande RAD1512 Administração: gestão e logística Ambiente Estratégia de operações Estratégia Recursos de entradas

Leia mais

Armazenamento. Administração de Logística e da Cadeia de Suprimento. Profa. Márcia Mazzeo Grande

Armazenamento. Administração de Logística e da Cadeia de Suprimento. Profa. Márcia Mazzeo Grande Armazenamento Administração de Logística e da Cadeia de Suprimento Profa. Márcia Mazzeo Grande Importância Fabricantes Estratégia JIT redução dos estoques nas instalações fabris Varejo Criar sortimento

Leia mais

Análise de Mercado. Plano de Negócios

Análise de Mercado. Plano de Negócios Análise de Mercado Plano de Negócios Estudo de Clientes 1 º passo Identificando as características gerais dos clientes Se pessoas físicas Qual a faixa etária? Na maioria são homens o mulheres? Tem família

Leia mais

Sobreviver no comércio não é fácil. Precisamos sempre saber o que faz o concorrente, o que quer o consumidor e a tendência do mercado.

Sobreviver no comércio não é fácil. Precisamos sempre saber o que faz o concorrente, o que quer o consumidor e a tendência do mercado. Sobreviver no comércio não é fácil. Precisamos sempre saber o que faz o concorrente, o que quer o consumidor e a tendência do mercado. Daí a necessidade de conhecer o perfil do nosso cliente em potencial,

Leia mais

Palestrante: Sebastião Barroso Felix. Como aumentar as vendas da loja em 33%

Palestrante: Sebastião Barroso Felix. Como aumentar as vendas da loja em 33% Palestrante: Sebastião Barroso Felix Como aumentar as vendas da loja em 33% 03 Macro Estratégias Fluxo de Clientes em + 10% Aumentar a Conversão de Vendas em + 10% Tíquete Médio de Vendas em + 10% Aumentar

Leia mais

MR1 MERCADO E DIFUSÃO DAS FRUTAS NATIVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS COM A FRUTICULTURA - ABRAFRUTAS

MR1 MERCADO E DIFUSÃO DAS FRUTAS NATIVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS COM A FRUTICULTURA - ABRAFRUTAS MR1 MERCADO E DIFUSÃO DAS FRUTAS NATIVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS COM A FRUTICULTURA Jorge Luís Raymundo de Souza Gerente Técnico e de Projetos - ABRAFRUTAS Analisando a fruticultura brasileira, dentro

Leia mais

Dimensionamento de equipamentos, móveis e utensílios. Disciplina: Planejamento Físico

Dimensionamento de equipamentos, móveis e utensílios. Disciplina: Planejamento Físico Dimensionamento de equipamentos, móveis e utensílios Disciplina: Planejamento Físico Objetivos da Aula: Conhecer a importância do dimensionamento dos equipamentos em uma UPR; Conhecer a classificação de

Leia mais

Consumo de Pescado no Brasil: Ótica do consumidor final

Consumo de Pescado no Brasil: Ótica do consumidor final Mesa Redonda: Mercado estadual e nacional da tilápia e camarão Consumo de Pescado no Brasil: Ótica do consumidor final Características, tendências e soluções Pedro Henrique Diretor Comercial Bacalhau Bom

Leia mais

Estilo de Trabalho. Cada etapa é embasada, assegurando ao cliente maior assertividade e velocidade nos resultados.

Estilo de Trabalho. Cada etapa é embasada, assegurando ao cliente maior assertividade e velocidade nos resultados. Ano/ 2017 Estilo de Trabalho A Libbra Consultoria apoia seus clientes a obterem resultados superiores em seus mercados a partir de uma metodologia exclusiva, baseada em pesquisa, inteligência, gestão e

Leia mais

Estilo de Trabalho. Cada etapa é embasada, assegurando ao cliente maior assertividade e velocidade nos resultados.

Estilo de Trabalho. Cada etapa é embasada, assegurando ao cliente maior assertividade e velocidade nos resultados. 06/03/2017 Estilo de Trabalho A Libbra Consultoria apoia seus clientes a obterem resultados superiores em seus mercados a partir de uma metodologia exclusiva, baseada em pesquisa, inteligência, gestão

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade II DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade II DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade II DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Centro de Distribuição - CD Centro de Distribuição - CD Centro de Distribuição (CD) é um armazém cuja operação é realizar a gestão dos estoques

Leia mais

Rastreabilidade e recall no mundo das frutas e hortaliças frescas

Rastreabilidade e recall no mundo das frutas e hortaliças frescas Rastreabilidade e recall no mundo das frutas e hortaliças frescas Anita de Souza Dias Gutierrez Centro de Qualidade, Pesquisa e Desenvolvimento da CEAGESP 24 de novembro de 2015 Frutas e hortaliças frescas

Leia mais

AGENDA. Objetivos Estratégicos Recursos Humanos Comunicação. Responsabilidade Social Resultados Reconhecimentos

AGENDA. Objetivos Estratégicos Recursos Humanos Comunicação. Responsabilidade Social Resultados Reconhecimentos COMUNICAÇÃO PARA CONQUISTA DE RESULTADOS AGENDA Ouro Fino Agronegócio Primeiros Produtos Unidades de Negócios Objetivos Estratégicos Recursos Humanos Comunicação Corporativa Ouro Fino Responsabilidade

Leia mais

PALESTRA SOBRE CUIDADOS COM A HIGIENE: PALESTRA SOBRE METODO DE TEMPO E TEMPERTAURAS

PALESTRA SOBRE CUIDADOS COM A HIGIENE: PALESTRA SOBRE METODO DE TEMPO E TEMPERTAURAS PALESTRA SOBRE CUIDADOS COM A HIGIENE: Melhorar hábitos de higiene. Diminuir índices de contaminação em alimentos PALESTRA SOBRE METODO DE TEMPO E TEMPERTAURAS Importância do controle de tempos e temperaturas.

Leia mais

Evento: Produção Integrada da Batata. Araxá -MG. Eng. Agrônomo - Gustavo Costa de Almeida

Evento: Produção Integrada da Batata. Araxá -MG. Eng. Agrônomo - Gustavo Costa de Almeida - Detec Comercialização e logística da batata produzida pelo sistema da produção integrada na CeasaMinas Evento: Produção Integrada da Batata Araxá -MG Eng. Agrônomo - Gustavo Costa de Almeida Julho, 2007

Leia mais

Ranking ABAD/Nielsen de Maio 2012

Ranking ABAD/Nielsen de Maio 2012 Ranking ABAD/Nielsen 2012 21 de Maio 2012 Agenda Quais são as forças que estão transformando o consumo? Qual o desempenho do setor Atacadista-Distribuidor? Quais são os desafios e oportunidades? Reflexões

Leia mais

Comitê Comércio Eletrônico. Mitsuru Sakaguchi Pão de Açucar Marcel Konforti P&G

Comitê Comércio Eletrônico. Mitsuru Sakaguchi Pão de Açucar Marcel Konforti P&G Comitê Comércio Eletrônico Mitsuru Sakaguchi Pão de Açucar Marcel Konforti P&G O que foi feito : Evolução do Comitê Desde 1997 (Sub-comitê EDI / ecommerce) 2001-2003 : Comitê de Comércio Eletrônico, focado

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SEMENTES. Eng. Agr. Dr. Jonas Farias Pinto Gerente e RT Fundação Pró-Sementes - Filial PR

CERTIFICAÇÃO DE SEMENTES. Eng. Agr. Dr. Jonas Farias Pinto Gerente e RT Fundação Pró-Sementes - Filial PR CERTIFICAÇÃO DE SEMENTES Eng. Agr. Dr. Jonas Farias Pinto Gerente e RT Fundação Pró-Sementes - Filial PR Fundação Pró-Sementes Quem Somos? Instituída em 1999 por 39 produtores de sementes do RS e Apassul;

Leia mais

Panorama do Mercado Pet. Eduardo Yamashita

Panorama do Mercado Pet. Eduardo Yamashita Panorama do Mercado Pet Eduardo Yamashita A GS&MD Gouvêa de Souza concede ao cliente a utilização de materiais para seu uso interno e individual, não podendo ser modificado, copiado, distribuído e publicado

Leia mais

queremos missao os que nos movem de cuidar o que nos 9 - O cliente é sempre o nosso foco

queremos missao os que nos movem de cuidar o que nos 9 - O cliente é sempre o nosso foco A GENTE SABE: Toda mãe e todo pai querem que seus filhos cresçam fortes e saudáveis. Para tanto, é essencial que uma alimentação saudável seja introduzida já nos primeiros anos de vida. Com os produtos

Leia mais

PLANEJAMENTO E AGREGAÇÃO DE VALOR EM EMPREENDIMENTOS RURAIS

PLANEJAMENTO E AGREGAÇÃO DE VALOR EM EMPREENDIMENTOS RURAIS PLANEJAMENTO E AGREGAÇÃO DE VALOR EM EMPREENDIMENTOS RURAIS Profª Caroline P. Spanhol CONTEXTUALIZAÇÃO Necessidade de eficiência e eficácia; Competitividade A gerência do negócio assume grande importância,

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica Modelo de gestão Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e legais Planejamento estratégico Orçamento empresarial

Leia mais

Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce Prof. Adriano Maranhão

Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce Prof. Adriano Maranhão Apresentação(Professor) Introdução ao Comércio letrônico - -Commerce Prof. Adriano Maranhão Site: resenhadevalor.com.br Graduado em Ciências da Computação - UVA Pós-graduado em ngenharia de Software -

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Homero Pereira) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Homero Pereira) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Homero Pereira) Cria o Programa de Redistribuição de Alimentos Excedentes, e dá outras providências O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica criado o Programa de Redistribuição

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

VAREJO E CONSUMO SUSTENTÁVEL. GVcev Maio/2009

VAREJO E CONSUMO SUSTENTÁVEL. GVcev Maio/2009 VAREJO E CONSUMO SUSTENTÁVEL Roberta Cardoso GVcev Maio/2009 Promove a prática da Responsabilidade Social: Prêmio de Responsabilidade Social no Varejo Cursos de Capacitação em Responsabilidade Social

Leia mais

O Sistema de Franquia

O Sistema de Franquia O Sistema de Franquia simples e inteligente Preste atenção nas informações a seguir e venha fazer parte da nossa história de sucesso A Empresa A MÍDIA PANE é uma empresa do grupo Eco² Mídia, especializada

Leia mais

TENDÊNCIAS NA COMERCIALIZAÇÃO DE PESCADOS NO VAREJO. Jorge Souza

TENDÊNCIAS NA COMERCIALIZAÇÃO DE PESCADOS NO VAREJO. Jorge Souza TENDÊNCIAS NA COMERCIALIZAÇÃO DE PESCADOS NO VAREJO Jorge Souza MERCADO NACIONAL E INTERNACIONAL DE PEIXES NATIVOS CULTIVADOS OPORTUNIDADES E TENDÊNCIAS FENACAM FORTALEZA 21 24 NOV/2016 JORGE SOUZA Alimentos

Leia mais

ESTUDO 12 Fatores-chave de Sucesso em Bares e Restaurantes

ESTUDO 12 Fatores-chave de Sucesso em Bares e Restaurantes ESTUDO 12 Fatores-chave de Sucesso em Bares e Restaurantes O Sebrae desenvolveu uma metodologia de aplicação dos Fatores-chave de Sucesso em segmentos de negócios. Neste estudo foram entrevistadas 553

Leia mais

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PORTAS DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÕES

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PORTAS DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÕES PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PORTAS DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÕES O Programa Setorial da Qualidade de Portas de Madeira para Edificações (PSQ-PME), desenvolvido e coordenado pela Associação Brasileira

Leia mais

Carnes Processadas - Brasil - Março COMPRE ESTE Relatório agora

Carnes Processadas - Brasil - Março COMPRE ESTE Relatório agora "Embora o consumo de carnes processadas esteja aumentando entre os brasileiros, eles ainda preferem comprar carne crua. Além disso, o preço desempenha um papel importante na compra de carnes processadas."

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO MERCADO DE BATATAS EM MINAS GERAIS 1) HISTÓRICO:

SEGMENTAÇÃO DO MERCADO DE BATATAS EM MINAS GERAIS 1) HISTÓRICO: SEGMENTAÇÃO DO MERCADO DE BATATAS EM MINAS GERAIS ¹Joaquim Oscar Alvarenga 1) HISTÓRICO: O Projeto de Segmentação do Mercado de Batatas em Minas Gerais é decorrente de um Programa de Cooperação Técnica

Leia mais

GERENCIAMENTO POR CATEGORIA

GERENCIAMENTO POR CATEGORIA GERENCIAMENTO POR CATEGORIA O QUE É G.C.? Gerenciamento por Categoria (G.C.) é um modelo de gestão que a partir do profundo entendimento do shopper, e através da parceria entre fornecedor e varejo, por

Leia mais

O ECR no Varejo Brasileiro: estrutura e oportunidades. Nelson Barrizzelli Universidade de SãoPaulo

O ECR no Varejo Brasileiro: estrutura e oportunidades. Nelson Barrizzelli Universidade de SãoPaulo O ECR no Varejo Brasileiro: estrutura e oportunidades Nelson Barrizzelli Universidade de SãoPaulo Fatores de Turbulência Custo Custo de Atender Custo da Concentração Anos 80/90 Década Atual Volume Fatores

Leia mais

FICHA DE INOFRMAÇÃO SOBRE SERVIÇOS ALIMENTARES

FICHA DE INOFRMAÇÃO SOBRE SERVIÇOS ALIMENTARES FICHA DE INOFRMAÇÃO SOBRE SERVIÇOS ALIMENTARES O propósito desse documento é destacar o processo que usamos para contratar o novo fornecedor de serviços alimentícios e os detalhes associados. PROCESSO:

Leia mais

Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (1ª PARTE)

Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (1ª PARTE) Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (1ª PARTE) Introdução Deve retratar a política da empresa; produção de alimento seguro; empresas terceirizadas; Deve retratar a política da empresa

Leia mais

O SHOPPER E SUAS Escolhas Inteligentes

O SHOPPER E SUAS Escolhas Inteligentes O SHOPPER E SUAS Escolhas Inteligentes AGENDA Impacto consumo na crise 1 Escolhas inteligentes do shopper 2 O que mudou no comportamento de compra? Qual impacto no sortimento da loja? O que fazer neste

Leia mais

Acelerando os Negócios Digital B2B!

Acelerando os Negócios Digital B2B! Acelerando os Negócios Digital B2B! 1 Proposta de Valor - PedidoDireto O que é a Pedido Direto? PedidoDireto é a plataforma de vendas que reúne um conjunto de soluções integrados para divulgar, promover

Leia mais

Visão Geral. Compras

Visão Geral. Compras Compras Sumário Sumário... 2 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 Objetivos Instrucionais... 3 2 Compras... 3 3 Gerenciamento de Compra... 4 4 Integrações... 4 5 Macrofluxo... 5 6 Conclusão... 5 2 TOTVS - Visão

Leia mais

Dia Mundial da Alimentação. 16 de outubro de 2013

Dia Mundial da Alimentação. 16 de outubro de 2013 Dia Mundial da Alimentação 16 de outubro de 2013 Sistemas Alimentares Saudáveis Modelo de Intervenção da Associação Portuguesa de Dietistas Associação Portuguesa de Dietistas Dia Mundial da Alimentação

Leia mais

GRÃO-DE-BICO: resgatando o sabor do oriente

GRÃO-DE-BICO: resgatando o sabor do oriente GRÃO-DE-BICO: resgatando o sabor do oriente Introdução A necessidade do conhecimento sobre as potencialidades do grão-de-bico é algo que passa despercebida da maioria das pessoas uma vez que o foco da

Leia mais

Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 360h Unidade Curricular C/H Semestral Pré-Requisito Panificação e Confeitaria I. 36h. 36h. 36h.

Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 360h Unidade Curricular C/H Semestral Pré-Requisito Panificação e Confeitaria I. 36h. 36h. 36h. Curso Técnico em Panificação e Confeitaria Nome do Curso CÂMPUS Florianópolis-Continente MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 360h Panificação e Confeitaria I 144h Habilidades Básicas

Leia mais

Teoria da Administração (RAD 0111) Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira

Teoria da Administração (RAD 0111) Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira Teoria da Administração (RAD 0111) Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira Fundamentos da adm. de operações A administração de operações pode ser definida como o campo da administração responsável

Leia mais

PORTIFÓLIO DE SERVIÇOS

PORTIFÓLIO DE SERVIÇOS PORTIFÓLIO DE SERVIÇOS ATENDIMENTO NUTRICIONAL EM CASA Cuide de sua alimentação onde ela acontece. Uma nutricionista em sua casa realizará orientações nutricionais personalizadas, de acordo com suas necessidades,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Lista de exercícios para a prova 2 Grupo teórico: 1) Comente três razões para se gerenciar a demanda 2) Defina tendência

Leia mais

Comércio Eletrônico (E-Commerce)

Comércio Eletrônico (E-Commerce) Comércio Eletrônico (E-) Prof. Adriano Maranhão Apresentação (Professor) Blog: adrianomaranhao.wordpress.com Graduado em Ciências da Computação UVA/2009 Pós-graduado em Engenharia de Software INTA/2010

Leia mais

Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os. pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ABOLIÇÃO

Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os. pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ABOLIÇÃO Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ABOLIÇÃO Mossoró/RN 2014 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho pretende auxiliares os empreendedores

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR : BENEFICIAMENTO E PROCESSAMENTO VEGETAL Curso:AGROECOLOGIA Série/Período: P6 Carga Horária: 60 Horas Teórica:40 Horas Prática:20

Leia mais

Sustentabilidade Walmart Brasil. Felipe Zacari Antunes Gerente de Sustentabilidade

Sustentabilidade Walmart Brasil. Felipe Zacari Antunes Gerente de Sustentabilidade Sustentabilidade Walmart Brasil Felipe Zacari Antunes Gerente de Sustentabilidade Walmart no Mundo Presente em 15 países Mais de 8.700 lojas* Mais de 2 milhões de funcionários Faturamento global em 2009:

Leia mais

CONTROLO E AVALIAÇÃO NA CADEIA DE FORNECIMENTO

CONTROLO E AVALIAÇÃO NA CADEIA DE FORNECIMENTO SEMINÁRIO A CADEIA DE RESPONSABILIDADE NO SECTOR ALIMENTAR CONTROLO E AVALIAÇÃO NA CADEIA DE FORNECIMENTO 8 DE MAIO 200 RENATO RAMOS . OBJECTIVOS Estudo de caso: Controlo e avaliação de fornecedores Relação

Leia mais

Hábitos de Consumo e Meio Ambiente

Hábitos de Consumo e Meio Ambiente Hábitos de Consumo e Meio Ambiente Roberta Atherton Diante da consciência de que os recursos naturais são bens finitos e de valor inestimável, temos o desafio de compatibilizar a promoção do crescimento

Leia mais

MAPEAMENTO DE FORÇAS, FRAGILIDADES, AMEAÇAS E OPORTUNIDADES RELACIONADAS ÀS FEIRAS ORGÂNICAS EM CURITIBA

MAPEAMENTO DE FORÇAS, FRAGILIDADES, AMEAÇAS E OPORTUNIDADES RELACIONADAS ÀS FEIRAS ORGÂNICAS EM CURITIBA Pós graduação em Economia e Meio Ambiente com Ênfase em Negócios Ambientais MAPEAMENTO DE FORÇAS, FRAGILIDADES, AMEAÇAS E OPORTUNIDADES RELACIONADAS ÀS FEIRAS ORGÂNICAS EM CURITIBA - Trabalho de Conclusão

Leia mais

Etapas que antecedem a elaboração de um plano de negócios 1. Avaliação Preliminar

Etapas que antecedem a elaboração de um plano de negócios 1. Avaliação Preliminar Etapas que antecedem a elaboração de um plano de negócios 1. Avaliação Preliminar A - Mercado consumidor Características: É uma nova maneira de satisfazer a uma necessidade É um mercado mal atendido ou

Leia mais

Business Model Canvas. ou Quadro de modelo de negócios

Business Model Canvas. ou Quadro de modelo de negócios Business Model Canvas ou Quadro de modelo de negócios O que é? Por que é importante? É uma ferramenta visual que permite desenvolver e esboçar modelos de negócio. Resultado de estudos e experimentações

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Profª Esp. Mônica Suely Guimarães de Araujo Conceito Logística são os processos da cadeia de suprimentos (supply chain) que planejam, estruturam e controlam, de forma eficiente e

Leia mais

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES 1 PRINCÍPIOS GERAIS DE PLANEJAMENTO DIRETRIZES CENÁRIOS PREMISSAS PRÉ-PLANEJAMENTO MARKETING PSPE INVESTIMENTOS RECURSOS

Leia mais

2,9 MILHÕES LEITORES IMPACTADOS POR EDIÇÃO. Parceiros: ABF.COM.BR PORTALDOFRANCHISING.COM.BR ABFEDUCACAO.COM.BR

2,9 MILHÕES LEITORES IMPACTADOS POR EDIÇÃO. Parceiros: ABF.COM.BR PORTALDOFRANCHISING.COM.BR ABFEDUCACAO.COM.BR 2,9 MILHÕES LEITORES IMPACTADOS POR EDIÇÃO ABF.COM.BR PORTALDOFRANCHISING.COM.BR ABFEDUCACAO.COM.BR Parceiros: Sua marca presente em todos os canais de comunicação ABF.COM.BR PORTALDOFRANCHISING.COM.BR

Leia mais

Logística: gerenciando a cadeia de suprimentos. Prof Annibal Affonso Neto Doutor em Estratégia Competitiva

Logística: gerenciando a cadeia de suprimentos. Prof Annibal Affonso Neto Doutor em Estratégia Competitiva Logística: gerenciando a cadeia de suprimentos Prof Annibal Affonso Neto Doutor em Estratégia Competitiva Objetivo Esta palestra tratou do gerenciamento logístico e da cadeia de suprimentos. Logística:

Leia mais

CAPÍTULO 1 A EMPRESA. 1.4 Termo de Compromisso Manual de Normas e Procedimentos Rosa Chá Studio CAPÍTULO 2 RECURSOS HUMANOS

CAPÍTULO 1 A EMPRESA. 1.4 Termo de Compromisso Manual de Normas e Procedimentos Rosa Chá Studio CAPÍTULO 2 RECURSOS HUMANOS CAPÍTULO 1 A EMPRESA 1.1 Histórico Rosa Chá 1.2 Histórico Marisol 1.3 O Manual de Normas e Procedimentos Rosa Chá Studio 1.4 Termo de Compromisso Manual de Normas e Procedimentos Rosa Chá Studio 1.5 Confidencialidade

Leia mais

MANUAL SETOR DE COMPRAS MANUAL DE RELACIONAMENTO COM FORNECEDORES. hoiol.org.br

MANUAL SETOR DE COMPRAS MANUAL DE RELACIONAMENTO COM FORNECEDORES. hoiol.org.br MANUAL SETOR DE COMPRAS MANUAL DE RELACIONAMENTO COM FORNECEDORES hoiol.org.br Objetivo 2 Cadastro de Fornecedores 2.1 Homologação de Fornecedor I. CNPJ; II. Inscrição Estadual; III. Contrato Social com

Leia mais

Responda às questões abaixo tendo como referência o estudo de Colares & Freitas (2007):

Responda às questões abaixo tendo como referência o estudo de Colares & Freitas (2007): 01 Concurso Os trabalhadores de uma UAN de grande porte apresentam queixas de cansaço, desânimo e descontentamento no trabalho, afetando sua saúde, produtividade e qualidade do produto final. Responda

Leia mais