FACULDADES INTEGRADAS CAMPOS SALLES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADES INTEGRADAS CAMPOS SALLES"

Transcrição

1 FACULDADES INTEGRADAS CAMPOS SALLES CURSO DE GRADUAÇÃO DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE, RESPONSABILIDADE SOCIA E ÉTICA Professor: Paulo S. Ribeiro Aula 02 UNIDADE 1: Formação da moral ocidental. Sofistas relativismo Sócrates Racionalismo Mas antes de iniciarmos uma breve compreensão do legado de Sócrates para a Filosofia Moral, é preciso situálo na história do pensamento grego, pensamento este que se inicia com o pensamento mitológico. Os mitos eram narrativas e histórias que serviam de explicação para a realidade do mundo, das coisas, da vida humana. Contudo, graças ao questionamento das concepções míticas temos a passagem do mito para o logos, ocorrendo um desenvolvimento do pensamento crítico, nascendo a Filosofia. Começa um novo esforço para compreensão do mundo e do homem pela RAZÃO. Surgem os pensadores chamados PRÉ-SOCRÁTICOS (tomando-se Sócrates como um marco da Filosofia). Os pré-socráticos tinham uma preocupação em compreender a essência das coisas, o princípio das coisas. Outro grupo de pensadores é chamado de SOFISTAS: rejeitam a tradição mítica ao admitir que os princípios morais resultam de convenções humanas isto é são RELATIVISTAS. Diziam que os valores morais não eram ditados pelos Deuses (como se dizia nos mitos), mas sim criados pela conveniência humana. SÓCRATES: contrapõe-se aos sofistas ao buscar aqueles princípios na natureza humana, e não nas convenções.

2 Questionava o conjunto de valores morais disponíveis provocando as pessoas à deixarem de lamber suas feridas para jogar sal nelas. questionamento da religião cívica O que há de semelhança na postura entre os Sofistas e Sócrates é a concepção de que a virtude resulta do trabalho reflexivo, da sabedoria, do questionamento dos mitos. COM SÓCRATES COMEÇA UMA VALORIZAÇÃO DA RACIONALIDADE, DA RAZÃO. SOFISTAS: São os primeiros filósofos do período socrático (final do século V e todo o século IV a.c). Começam uma valorização de um enfoque antropológico das preocupações filosóficas que abrange a moral e a política. Podemos citar alguns nomes como Protágoras e Górgias. Eram sábios e professores que vendiam seu conhecimento aos jovens. Suas posições foram criticadas pela tradição filosófica, considerandoos como oportunistas e sem compromisso com a verdade, apenas preocupando em convencer o interlocutor. Os sofistas favoreceram o surgimento de concepções filosóficas relativistas sobre as coisas. Segundo essas concepções, não haveria uma verdade única, absoluta. Tudo seria relativo ao homem, ao momento, a um conjunto de fatores e circunstancias (COTRIM, G. Fundamentos da Filosofia. São Paulo Ed. Saraiva, 1995, p. 101). Assim, os Sofistas podem ser chamados de RELATIVISTAS. Considerando a importância da política neste contexto, os sofistas ensinavam aos jovens como serem bons de retórica e argumentação no debate político, valorizando sobretudo a lógica. Contudo, embora os discursos fossem lógicos, não estavam preocupados com a moral da mesma forma como se veria mais a frente, mas produziam discursos vazios. Seus críticos diziam que os sofistas corrompiam os jovens, pois faziam o ERRO e a MENTIRA valer tanto quanto a verdade. Mesmo assim, é possível fazer algumas observações quantos às contribuições dos sofistas, a exemplo da contribuição à democracia e da valorização da idéia do homem como capaz de produzir um discurso lógico através do exercício da razão. Sócrates: É considerado um marco do pensamento filosófico (469 a 399 a. C). Por isso, os pensadores que o precedem são chamados de pré-socráticos e os que vêm em seguida de pós-socrático. Vai afirmar que cabe ao homem conhecer-se a si mesmo. (CONHECE- TE A TI MESMO).

3 Suas principais idéias foram divulgadas por seu discípulo mais ilustre, Platão (o qual estudaremos na sequência). A partir do pressuposto só sei que nada sei, que consiste justamente na sabedoria de reconhecer a própria ignorância, inicia a busca pelo saber. Pelo método de desenvolver diálogos críticos com seus interlocutores, Sócrates questionava-os quanto às suas verdades, quanto à suas próprias certezas, colocando-as em xeque. Assim, considerava-se um verdadeiro parteiro de almas ao ajudar no nascimento de novas idéias, libertando indivíduos presos à uma visão deturpada da realidade. Podemos dizer que Sócrates era à favor da depuração do pensamento, buscando a definição do conceito. Ele busca algo UNIVERSAL, isto é, que possa valer enquanto verdade para todos. Assim, ele questionava: o que é o bem? O que é o belo? O que é a piedade? Para que a riqueza? Ele provocava o questionamento pela ironia e conduzia os alunos a construírem suas respostas pela maiêutica. Tentou unir o saber ao fazer, a consciência intelectual à consciência prática ou moral. (COTRIM, G. Fundamentos da Filosofia. São Paulo Ed. Saraiva, 1995, p. 103). Nasce o intelectualismo moral, o homem sabendo o que é o bem, ele poderá agir corretamente. Essa postura questionadora de Sócrates com relação às verdades de seu tempo contribui para que se tornasse inimigo de pessoas poderosas, as quais o condenariam à morte por corromper a juventude com suas idéias. Ainda podemos dizer que Sócrates privilegia as questões morais, buscando compreender o que é a coragem, a covardia, a justiça, etc. Sócrates desejava compreender o que é o logos (a razão que se dá algo) das coisas, isto é, o conceito de algo. Ao pedir o logos da justiça, ele quer saber a definição de justiça. Assim, Sócrates pode ser visto como RACIONALISTA.

4 Um pouco sobre o mito da caverna: Platão ( a.c) viveu em Atenas, onde fundou uma escola denominada Academia. Foi Discípulo de Sócrates, sendo responsável pela transcrição e divulgação dos pensamentos socráticos. O mito da caverna (parte da obra de Platão chamada A República) trata-se de uma história contada para exemplificar como se dá a falta de conhecimento do homem sobre a verdadeira realidade. Na caverna o homem estaria sob uma obscuridade, preso por preconceitos e longe da verdade sobre as coisas. O que é a caverna? O mundo das aparências em que vivemos. O que são as sombras projetadas no fundo? As coisas que percebemos. Que são os grilhões e as correntes? Nossos preconceitos e opiniões, nossa

5 crença de que estamos percebendo a realidade. Quem é o prisioneiro que se liberta e sai da caverna? O filósofo. O que é a luz do Sol? A luz da verdade. O que é o mundo iluminado pelo sol da verdade? A realidade. Qual o instrumento que liberta o prisioneiro rebelde e com o qual ele deseja libertar os outros prisioneiros? A filosofia. (CHAUÍ, 2008, pg. 12). Dessa forma, podemos perceber que, em linhas gerais, esta é a mesma crítica ao pensamento vigente que se poderia ver em Sócrates. A análise do mito pode assim ser feita sob dois aspectos: um epistemológico (relativo ao conhecimento) e outro político (relativo ao poder). Platão - o dualismo material x espiritual (racional) Antes de vermos Platão, é preciso retomar a idéia de que para Sócrates, a filosofia esta voltada para a definição das virtudes morais, (do indivíduo) e das virtudes políticas (do cidadão), tendo como objeto central suas investigações a moral e a política, isto é, as idéias e práticas que norteiam os comportamentos dos seres humanos tanto como indivíduos como cidadãos. Caberia assim à filosofia encontrar a essência da virtude para a vida individual e cidadã. Assim, podemos dizer que Sócrates era um moralista, preocupado em encontrar o homem interior, a verdadeira sabedoria e o tema da virtude O que é mais marcante é o discurso moralista que estaria velado na fala de Sócrates, pois não se trata do questionar por questionar, mas sim de puxar a orelha, corrigir. Há autores que dizem que Sócrates penetrou na verdade da moralidade. Pela metodologia dos diálogos críticos, Sócrates desejava alcançar a alma; Pontos importantes de seu pensamento socrático: o o homem interior/a alma este bem interior é alcançado apenas pela incerteza das coisas da vida. Logo, as certezas da cidade grega não traziam a verdadeira felicidade; O homem deve buscar o bem da alma. Contudo, este bem não está na inconstância da fortuna, na incerteza do futuro ou na precariedade do sucesso. o verdadeira sabedoria- tomar conhecimento de sua ignorância. devemos buscar o conhecimento de si mesmo. Assim, a noção de ignorância levaria ao alcance o o tema da virtude. Alcançada pela razão.

6 A doutrina da virtude-ciência trata-se do intelectualismo moral de Sócrates. A questão está em se saber como devemos viver. O homem sábio é necessariamente bom, o homem malvado é necessariamente ignorante, o sábio nunca faz o mal voluntariamente e somente o homem virtuoso é verdadeiramente feliz. Assim, inaugura-se um pensamento ético: o uso da razão para a prática da virtude. Considerando-se que Platão difundiu Sócrates, dá-se início à uma ética SOCRÁTICO PLATÔNICA. A essência deste pensamento é investigar no logos como devemos viver. O pensamento ético de Platão perpassa a idéia de ORDEM. Esta ORDEM permite a unificação da ética, da política e da cosmologia, assegurando a justa medida da ARETE (virtude) ao indivíduo e à cidade, na construção de um todo harmonioso. A idéia da ORDEM significa a existência de uma ligação entre a alma (indivíduo) e a cidade (sociedade). Essa ORDEM rege a sociedade. Há uma solidariedade entre o Bem (mundo das idéias) com o Ser (mundo dos fenômenos). A ética de Platão parte do pressuposto socrático da unidade entre virtude e razão. Porém, isso pressupõe o problema da conciliação entre liberdade e necessidade: a liberdade como essencial à virtude e a necessidade como predicado da razão. A liberdade é uma idéia muito presente na vida do homem grego. Ninguém é virtuoso sem ser livre e ninguém é virtuoso sem ser sábio (ver pág. 99, Lima Vaz) Segue a questão: como o virtuoso, ou homem bom e justo, sendo sábio pode ser livre? A ética de Platão tenta uma primeira resposta, como se afirma no diálogo República. Este livro será um documento fundamental para ética ocidental. A resposta estaria na idéia diretriz da ORDEM que rege a REALIDADE TOTAL o domínio do Ser na qual se insere a PRAXIS humana e seus predicados éticos da liberdade e sabedoria. Segundo Platão deveria haver uma proporção (analogia) entre LIBERDADE E SABEDORIA. Essa idéia de ORDEM e de BEM estão juntas. O conhecimento da Ordem implica o conhecimento do Bem. A Ordem irá assegurar assim a unidade das partes na constituição do todo, onde cada parte deve cumprir sua função. No todo ordenado reflete a presença do Bem, e da própria justiça.

7 Assim, a experiência mostra que a JUSTIÇA está na práxis individual e social. Assim, no todo individual e social devidamente ordenado resplandecerá o bem, obedecendo à regência da justiça, ordenadora por definição. Para tratar disso, Platão tem três tarefas teóricas: a) Definir a filosofia política, descrevendo uma polis perfeita, ideal, na qual a ordem possa reinar e a Arete (virtude) política possa fluir; b) Pensar como se reflete na alma individual a ordem da cidade justa, considerando que este cidadão tenha como norma para sua vida a virtude da justiça; c) A terceira tarefa dividi-se em duas partes: definir qual o fundamento da justiça e como percorrer o caminho que leva à ideal do Bem. Assim, Platão tem como preocupação compreender a práxis política com vistas ao Bem (individual e na sociedade). A práxis virtuosa é uma práxis livre, e dessa forma, a filosofia da práxis do ponto de vista ético é uma filosofia da liberdade. Para tratar de sua idéia acerca da ética (ciência do bem), Platão vai usar duas noções: a) a noção de modelo; b) a noção de ordem lógica do discurso. O modelo aparece como a concretização de determinado momento lógico. Assim, o modelo do Guardião é exigido pela lógica da ordem na cidade; e o modelo do Filósofo, pela necessidade de conhecer o fundamento da ordem e, portanto da justiça (ver pág. 103, Lima Vaz). Essa noção de modelo ético (como o rei filósofo) está em perfeita concordância com a forma de Platão compreender a realidade, isto é, admitindo o mundo dos fenômenos e o mundo das idéias. Para Platão a vida ética não é um dom da natureza, mas fruto de um doloroso processo educativo. Platão tenta demonstrar que somente ao Filósofo cabe governar a cidade ordenada segundo o modelo ideal. Se a cidade justa é uma imitação da cidade ideal (do mundo das idéias) o melhor governante só pode ser aquele que conhece o mundo das idéias: o filósofo. A originalidade de Platão manifesta-se aqui na introdução do conceito de justiça interior (sendo a psyché, depois da polis, o lugar procurado da morada da justiça), que, sob a forma da harmonia, concórdia e paz interiores do homem justo, ficará igualmente integrada na vertente antropológica da ética. Platão terá a preocupação em propor uma metafísica do Bem, isto é, em

8 compreender o absoluto do Bem humano. Por isso o Bem é o objeto mais alto da Filosofia. A idéia do Bem mostra-se como fonte de toda inteligibilidade e bondade e, por conseguinte, razão mesma da liberdade em sua verdade, com atributo intríseco ao ser racional. Logo, Platão em sua obra República esboça as linhas gerais da ética ocidental. Aristóteles - conceito de virtude O que se sugere para estudar a Aristóteles é se debruçar sobre a ÉTICA NICOMAQUÉIA. A diferença primordial da teoria Platônica para a Aristotélica é a questão da definição do objeto e do método. Para Aristóteles, o homem é dotado de logos (razão e linguagem) bem como de inclinações (paixões). Aristóteles especifica as ciências segundo o uso nelas feito das faculdades do logos, de acordo com o objeto que se aplica. Na ciência da práxis ou ciência prática, o fim é a perfeição do agente pelo conhecimento da natureza e das condições que tornam melhor e excelente o seu agir (práxis). O homem deve ser senhor de suas ações e controlar suas paixões. A práxis é objeto de um saber da ética que expõe a natureza e as condições deste operar, segundo o critério do agir bem, agir melhor, isto é, pela RAZÃO. Pela mediação da práxis que se sabe agir, o sujeito pode realizar-se em sua perfeição de ser racional Aristóteles monta uma verdadeira estrutura do saber prático : política, ética. 1. Política (práxis social) 2. Ética (práxis individual) Essa ciência da práxis requer um conhecimento prévio que só vem ao indivíduo o longo de sua vida, que só a idade pode dar experiência de vida. O fim maior desta ciência da práxis é o BEM - o Bem é o fim a que todo ser aspira [deseja alcançar]...pg.128. Para ser dotado de razão o BEM precisa ter os predicados que possam ser justificados pela razão. Sua posse causa no ser racional, pela mediação da Arete ou virtude, o estado de auto-realização ou auto-satisfação que Aristóteles designa com o termo

9 EUDAIMONIA. Esta produção de Aristóteles era a apresentação do método a ser seguido na ciência prática. Investigação sobre o bem supremo, ao qual todos os outros se ordenam A hierarquia dos saberes corresponde a uma hierarquia dos BENS. E sendo a Política e a ética os principais saberes (da Arete), logo são responsáveis pelo principal BEM. Mas tem-se a questão: qual seria o verdadeiro bem? Aristóteles vida de BEM: prazer, vida política e contemplação. Depois que se tenha definido o que seria o verdadeiro bem, é preciso ver em que gênero de vida (dos gregos) e de que modo o bem se realiza plenamente. Tal é o programa do curso de Ética (ou sobre o bem da vida humana) de Aristóteles Aristóteles tem sempre uma preocupação com a FINALIDADE das ações humanas. Assim, sempre existirá um fim ou um propósito para tudo, como por exemplo: o fim da medicina é a saúde; da economia é a riqueza, etc. Mas, afirma Aristóteles, todos concordam que o fim último que desejamos alcançar, por meio desses fins praticados diariamente, é a FELICIDADE. Porém, ela não será encontrada no prazer, que é efêmero, nem nas riquezas, que são meios para fins, mas não são fins, nem na honra (reconhecimento público), pois [a felicidade] é sempre externa a mim e depende mais de quem a concede do que de quem a recebe. A felicidade será encontrada no exercício ativo das virtudes, pois aí terá o homem uma vida reta e comedida. Com efeito, a pragmatéia ética de Aristóteles procede da definição do bem e da determinação do bem próprio do homem à investigação sobre o modo mais excelente de realização [desse] bem que é a VIRTUDE, sobre as condições dessa realização e sobre as formas de eudaimonia (auto-realização do indivíduo) que dela resultam. (VAZ, 2002, p. 120). A ética deverá responder a pergunta: quais os verdadeiros bens da vida humana e como classificá-los hierarquicamente? Para Aristóteles a finalidade maior da ética, sua natureza prática, não é pensar o que é a virtude em si, mas como nos tornamos bons ou eudaimones,praticando-a. A ética tem assim seu roteiro definido: ela será uma investigação sobre a virtude, como atividade fonte da eudaimonia. Na conclusão de Lima Vaz, (2002, p. 126) ele afirma que, para Aristóteles, os problemas que influem imediatamente de nossa natureza como seres racionais e livres são: problemas do agir, do bem, das excelências e dos fins da vida humana, em suma os problemas postos pela simples questão socrática como convém

10 viver? da qual nasceu a Ética. Para Aristóteles há uma parte da alma que não obedece à regra (irracional) e uma parte da alma que sim, que de fato obedece a uma regra (racional); Essa parte racional refere-se a VIRTUDE (o agir correto buscando o bem) Teríamos duas virtudes: 1. dianoéticas (do entendimento, intelectual) essa pelo ensinamento. 2. ética (do caráter) essa pela prática A maior das virtudes seria a justiça. O pensamento de Aristóteles tinha como pano de fundo a perda da independência política da Grécia para a hegemonia macedônica. Leitura: VAZ, H. C. Lima. Escritos de filosofia IV: introdução à ética filosófica. 2.ed. São Paulo: Loyola, p CHAUÍ, M. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, p.11 à 24 (ler ao menos sobre o mito da caverna) leitura complementar.

QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO

QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO ESTUDAR PARA A PROVA TRIMESTRAL DO SEGUNDO TRIMESTRE PROFESSORA: TATIANA SILVEIRA 1 - Seguiu-se ao período pré-socrático

Leia mais

A ORIGEM DA FILOSOFIA

A ORIGEM DA FILOSOFIA A ORIGEM DA FILOSOFIA UMA VIDA SEM BUSCA NÃO É DIGNA DE SER VIVIDA. SÓCRATES. A IMPORTÂNCIA DOS GREGOS Sob o impulso dos gregos, a civilização ocidental tomou uma direção diferente da oriental. A filosofia

Leia mais

CONCEPÇÕES ÉTICAS Mito, Tragédia e Filosofia

CONCEPÇÕES ÉTICAS Mito, Tragédia e Filosofia CONCEPÇÕES ÉTICAS Mito, Tragédia e Filosofia O que caracteriza a consciência mítica é a aceitação do destino: Os costumes dos ancestrais têm raízes no sobrenatural; As ações humanas são determinadas pelos

Leia mais

Sofistas ou Sophistés

Sofistas ou Sophistés - Sofista (sophistés) vem da palavra sophos que significa sábio. Sofistas ou Sophistés Principais sofistas: - Protágoras de Abdera 480-410 a.c. - Gógias de Leontini 487?-380? a.c. - Isócrates de Atenas

Leia mais

Platão, desiludido com a. escola de filosofia a Academia.

Platão, desiludido com a. escola de filosofia a Academia. Platão era filho da aristocracia ateniense. Foi discípulo de Sócrates. Sua obra reflete o momento caótico pelo qual passou Atenas no decorrer de sua vida A crise da sociedade ateniense está ligada à guerra

Leia mais

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES GRÉCIA, SÉC. V a.c. Reflexões éticas, com um viés político (da pólis) _ > como deve agir o cidadão? Nem todas as pessoas eram consideradas como cidadãos Reflexão metafísica: o que é a virtude? O que é

Leia mais

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média:

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: EXERCÍCIOS ON LINE 3º BIMESTRE DISCIPLINA: Filosofia PROFESSOR(A): Julio Guedes Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: NOME: Nº.: Exercício On Line (1) A filosofia atingiu

Leia mais

FILOSOFIA Conceito e delimitação

FILOSOFIA Conceito e delimitação FILOSOFIA Conceito e delimitação Conceito de Filosofia Filosofia significa philo= amigo, amor, Sophia= sabedoria. A filosofia busca dar profundidade e totalidade à aspectos referentes a vida como um todo;

Leia mais

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I 1.1 1.2 1.3 Conhecimento filosófico, religioso, científico e senso comum. Filosofia e lógica. Milagre Grego.

Leia mais

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA SOBRE FILOSOFIA DEFINIÇÃO TRADICIONAL (segundo a perspectiva ocidental) TEOLOGIA CIÊNCIA certezas dúvidas Bertrand Russell (1872-1970) utiliza seus temas

Leia mais

Metafísica & Política

Metafísica & Política Aristóteles (384-322 a.c.) Metafísica & Política "0 homem que é tomado da perplexidade e admiração julga-se ignorante." (Metafisica, 982 b 13-18). Metafísica No conjunto de obras denominado Metafísica,

Leia mais

O conceito ética. O conceito ética. Curso de Filosofia. Prof. Daniel Pansarelli. Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles

O conceito ética. O conceito ética. Curso de Filosofia. Prof. Daniel Pansarelli. Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles Curso de Filosofia Prof. Daniel Pansarelli Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles O conceito ética Originado do termo grego Ethos, em suas duas expressões Êthos (com inicial

Leia mais

UNESP 2013 (Questão 12)

UNESP 2013 (Questão 12) UNESP 2013 (Questão 12) Do lado oposto da caverna, Platão situa uma fogueira fonte da luz de onde se projetam as sombras e alguns homens que carregam objetos por cima de um muro, como num teatro de fantoches,

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica 2 Habilidades: Conhecer os principais pontos das ideias de Platão para interpretar a realidade diária. 3 REVISÃO Sócrates: o homem Grande questão: o que é a essência

Leia mais

NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010

NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010 NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010 12 Daniel José Crocoli * A obra Sobre ética apresenta as diferentes formas de se pensar a dimensão ética, fazendo

Leia mais

Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas. Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão

Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas. Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão ACADEMIA DE PLATÃO. Rafael, 1510 afresco, Vaticano. I-Revisão brevíssima

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

Abril Filosofia 1ª Série SÓCRATES

Abril Filosofia 1ª Série SÓCRATES Abril Filosofia 1ª Série SÓCRATES Sócrates cercado por jovens Sócrates nada escreveu. O conhecimento de suas ideias e condições de vida foi-nos revelado e transmitido pelos seus discípulos ou rivais. No

Leia mais

Afirma que a realidade mais fundamental é composta de ideias ou formas abstratas. Para Platão, estas ideias ou formas são objetos do verdadeiro

Afirma que a realidade mais fundamental é composta de ideias ou formas abstratas. Para Platão, estas ideias ou formas são objetos do verdadeiro Afirma que a realidade mais fundamental é composta de ideias ou formas abstratas. Para Platão, estas ideias ou formas são objetos do verdadeiro conhecimento. Elas residem no mundo inteligível e sua natureza

Leia mais

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE FILOSOFIA

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO Valor: 2,0 pontos Nota: Data: / /2016 Professor: WAGNER GUEDES Disciplina: FILOSOFIA Nome: n o : SÉRIE: 2ª 4º bimestre TRABALHO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE FILOSOFIA 1. O nascimento do conhecimento

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia

UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia FILOSOFIA UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia A curiosidade humana levou o homem a buscar explicações para os fenômenos do cotidiano. Numa época em que não havia nenhuma fundamentação científica capaz de

Leia mais

Unidade 2 Ética Antiga

Unidade 2 Ética Antiga Unidade 2 Ética Antiga 1º Bimestre M2 Filosofia E-mail: eu@profpetterson.com Os Sofistas movimento intelectual na Grécia do séc. V (a.n.e.). "sofista" mestre ou sábio - sofia (sabedoria). saber a respeito

Leia mais

Exercícios de Revisão 1

Exercícios de Revisão 1 Exercícios de Revisão 1 1. Quando começamos a estudar, somos logo levados a buscar o que ela é. Nossa primeira surpresa surge ao descobrirmos que não há apenas uma definição da, mas várias. Uma primeira

Leia mais

OS SOFISTAS E A VIDA EM SOCIEDADE

OS SOFISTAS E A VIDA EM SOCIEDADE O SER HUMANO PARA OS SOFISTAS E SÓCRATES OS SOFISTAS E A VIDA EM SOCIEDADE A ARTE DO CONVENCIMENTO Nenhum escrito completo restou dos autores sofistas, apenas poucos fragmentos A maior parte dos textos

Leia mais

AULA FILOSOFIA. O realismo aristotélico

AULA FILOSOFIA. O realismo aristotélico AULA FILOSOFIA O realismo aristotélico DEFINIÇÃO O realismo aristotélico representa, na Grécia antiga, ao lado das filosofias de Sócrates e Platão, uma reação ao discurso dos sofistas e uma tentativa de

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2 Índice 1. Ética Geral...3 1.1 Conceito de ética... 3 1.2 O conceito de ética e sua relação com a moral... 4 2 1. ÉTICA GERAL 1.1 CONCEITO DE ÉTICA Etimologicamente,

Leia mais

AULA AO VIVO. Professora Laira Pinheiro

AULA AO VIVO. Professora Laira Pinheiro AULA AO VIVO Professora Laira Pinheiro Folha de São Paulo, São Paulo, 28 out., 1993, pg.6, cad.4. Você sabe o que é ética? Será que ela tem preço? Qual é o seu valor? A ética está em crise? Vivemos numa

Leia mais

Aristóteles, Ética a Nicômaco, X 7, 1177 b 33.

Aristóteles, Ética a Nicômaco, X 7, 1177 b 33. 91 tornar-se tanto quanto possível imortal Aristóteles, Ética a Nicômaco, X 7, 1177 b 33. 92 5. Conclusão Qual é o objeto da vida humana? Qual é o seu propósito? Qual é o seu significado? De todas as respostas

Leia mais

RESOLUÇÕES DE QUESTÕES PROFESSOR DANILO BORGES FILOSOFIA 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II

RESOLUÇÕES DE QUESTÕES PROFESSOR DANILO BORGES FILOSOFIA 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II RESOLUÇÕES DE QUESTÕES PROFESSOR DANILO BORGES FILOSOFIA 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II (UEL) Tales foi o iniciador da filosofia da physis, pois foi o primeiro a afirmar a existência de um princípio originário

Leia mais

DO MITO AOS SOFISTAS

DO MITO AOS SOFISTAS DO MITO AOS SOFISTAS Gustavo Bertoche gusbertoche@gmail.com Mito e filosofia Para compreender o processo intelectual que resulta na filosofia contemporânea é necessário conhecer a origem da filosofia.

Leia mais

A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega.

A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega. A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega. Colégio Cenecista Dr. José ferreira Professor Uilson Fernandes Fevereiro de 2016 A forma como os filósofos clássicos definem

Leia mais

Resolução da Questão 1 Texto definitivo

Resolução da Questão 1 Texto definitivo Questão A filosofia não é outra coisa senão o exercício preparatório para a sabedoria. Não se trata de opor nem de separar a filosofia como modo de vida, por um lado, e um discurso filosófico

Leia mais

22/08/2014. Tema 6: Ciência e Filosofia. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes. Ciência e Filosofia

22/08/2014. Tema 6: Ciência e Filosofia. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes. Ciência e Filosofia Tema 6: Ciência e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Ciência e Filosofia Ciência: vem do latim scientia. Significa sabedoria, conhecimento. Objetivos: Conhecimento sistemático. Tornar o mundo compreensível.

Leia mais

Professora: Ana Priscila da Silva Alves Disciplina: Filosofia Série: 1 ª do Ensino Médio Tema: Felicidade

Professora: Ana Priscila da Silva Alves Disciplina: Filosofia Série: 1 ª do Ensino Médio Tema: Felicidade Professora: Ana Priscila da Silva Alves Disciplina: Filosofia Série: 1 ª do Ensino Médio Tema: Felicidade COLÉGIO DIOCESANO SERIDOENSE - CDS 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO - 2016 DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSORA:

Leia mais

Link para animação do mito da caverna. https://www.youtube.com/watch?v=xswmnm _I7bU

Link para animação do mito da caverna. https://www.youtube.com/watch?v=xswmnm _I7bU Link para animação do mito da caverna https://www.youtube.com/watch?v=xswmnm _I7bU A DOUTRINA DAS IDEIAS OU TEORIA DOS DOIS MUNDOS Para Platão existem, literalmente, dois mundos O mundo das ideias O mundo

Leia mais

UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CURSO DE ÉTICA. ÉTICA A NICÔMACO Livro 1

UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CURSO DE ÉTICA. ÉTICA A NICÔMACO Livro 1 1 UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CURSO DE ÉTICA ÉTICA A NICÔMACO Livro 1 Rodolfo Asturiano Vaz PETRÓPOLIS 2010 1 2 UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS ÉTICA A NICÔMACO Livro 1 Trabalho

Leia mais

2. Quais os 4 elementos e as 4 forças da natureza ficaram famosas na filosofia pré-socrática?

2. Quais os 4 elementos e as 4 forças da natureza ficaram famosas na filosofia pré-socrática? Nome: nº: Data: 12/05/2011 Disciplinas: Sociologia/Filosofia Série: 1º A e B - EM FORMATIVE GAME 1º TRISMESTRE Prof. André L. Fávero 1. Como se diz Sociologia e Filosofia em hebraico? 2. Quais os 4 elementos

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TÉCNICO INFORMÁTICA FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA Nome: Nº 9º ANO Data: / 06 / 2016 Professor: Alessandro 2º Bimestre Nota: (Valor 1,0) A - Introdução Neste semestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou

Leia mais

Os Professores Sofistas

Os Professores Sofistas Os Professores Sofistas Objetivos da Palestra Apresentar e contextualizar o aparecimento dos sofistas na Grécia Antiga. Estabelecer cotejos entre a existência dos antigos sofistas e os atuais professores

Leia mais

FILOSOFIA 11º ano. Sofistas e filósofos

FILOSOFIA 11º ano. Sofistas e filósofos FILOSOFIA 11º ano Sofistas e filósofos Governo da República Portuguesa Rua Professor Veiga Simão 3700-355 Fajões Telefone: 256 850 450 Fax: 256 850 452 www.agrupamento-fajoes.pt E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt

Leia mais

Sociedade. O homem é, por natureza, um animal político Aristóteles.

Sociedade. O homem é, por natureza, um animal político Aristóteles. Sociedade O homem é, por natureza, um animal político Aristóteles. É impossível saber, historicamente, qual foi a primeira sociedade. O Homem vive em sociedade desde sua existência. A sociedade é uma necessidade

Leia mais

A teoria do conhecimento

A teoria do conhecimento conhecimento 1 A filosofia se divide em três grandes campos de investigação. A teoria da ciência, a teoria dos valores e a concepção de universo. Esta última é na verdade a metafísica; a teoria dos valores

Leia mais

EDUCAÇÃO FISÍCA PARA O CORPO E FILOSOFIA PARA A ALMA. RESUMO

EDUCAÇÃO FISÍCA PARA O CORPO E FILOSOFIA PARA A ALMA. RESUMO EDUCAÇÃO FISÍCA PARA O CORPO E FILOSOFIA PARA A ALMA. RESUMO Analisarei o ensino relacionado à Educação Física, Filosofia e outras Ciências na história grega no mundo antigo. É sabedor que Platão fundou

Leia mais

Maria Luiza Costa

Maria Luiza Costa 45 ESTÉTICA CLÁSSICA E ESTÉTICA CRÍTICA Maria Luiza Costa m_luiza@pop.com.br Brasília-DF 2008 46 ESTÉTICA CLÁSSICA E ESTÉTICA CRÍTICA Resumo Maria Luiza Costa 1 m_luiza@pop.com.br Este trabalho pretende

Leia mais

O que é Philosophia? Philosophi a (Filosofia) Grego.

O que é Philosophia? Philosophi a (Filosofia) Grego. O que é Philosophia? ϕa palavra Philosophi a (Filosofia) vem do Grego. O que é Philosophia? ϕphilo significa Amizade, Simpatia, Amor. ϕsophia Sabedoria. Amor para os Gregos ϕágape amor da Criatura para

Leia mais

Aula Véspera UFU Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Uilson Fernandes Uberaba 16 Abril de 2015

Aula Véspera UFU Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Uilson Fernandes Uberaba 16 Abril de 2015 Aula Véspera UFU 2015 Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Uilson Fernandes Uberaba 16 Abril de 2015 NORTE DA AVALIAÇÃO O papel da Filosofia é estimular o espírito crítico, portanto, ela não pode

Leia mais

Turma Disciplina Avaliação Data. 181 Filosofia Prova 1 23/10/ Filosofia Prova 1 19/10/2015. Conteúdos. Turma Disciplina Avaliação Data

Turma Disciplina Avaliação Data. 181 Filosofia Prova 1 23/10/ Filosofia Prova 1 19/10/2015. Conteúdos. Turma Disciplina Avaliação Data Caro estudante, Este material contém informações básicas sobre os conteúdos do corrente trimestre. Para maiores informações, procure diretamente o professor de filosofia, Daniel de Oliveira Neto. Bons

Leia mais

A problemática da linguagem em Aristóteles

A problemática da linguagem em Aristóteles A problemática da linguagem em Aristóteles Solange Galeano As palavras são imagens dos pensamentos e as letras imagens das palavras. Aristóteles Introdução A realidade da linguagem não é transparente.

Leia mais

O legado da Filosofia grega para o Ocidente europeu

O legado da Filosofia grega para o Ocidente europeu O legado da Filosofia grega para o Ocidente europeu Marilena Chauí Por causa da colonização europeia das Américas, nós também fazemos parte - ainda que de modo inferiorizado e colonizado - do Ocidente

Leia mais

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA Mais uma vez a UFPR oferece aos alunos uma prova exigente e bem elaborada, com perguntas formuladas com esmero e citações muito pertinentes. A prova de filosofia da UFPR

Leia mais

Nascido em Estagira - Macedônia ( a.c.). Principal representante do período sistemático.

Nascido em Estagira - Macedônia ( a.c.). Principal representante do período sistemático. Aristóteles Nascido em Estagira - Macedônia (384-322 a.c.). Principal representante do período sistemático. Filho de Nicômaco, médico, herdou o interesse pelas ciências naturais Ingressa na Academia de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

O QUE É ÉTICA? Definição clássica

O QUE É ÉTICA? Definição clássica O QUE É ÉTICA? Definição clássica É entendida como um estudo ou uma reflexão, científica ou filosófica, e eventualmente até teológica, sobre os costumes ou sobre as ações humanas; A ética estuda os grandes

Leia mais

OS FILÓFOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

OS FILÓFOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS OS FILÓFOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS São chamados de filósofos da natureza. Buscavam a arché, isto é, o elemento ou substância primordial que originava todas as coisas da natureza. Dirigiram sua atenção e suas

Leia mais

Uma Leitura Sobre as Escolhas dos Conteúdos.

Uma Leitura Sobre as Escolhas dos Conteúdos. Uma Leitura Sobre as Escolhas dos Conteúdos. Os conteúdos disciplinares devem ser tratados, na escola, de modo contextualizado, estabelecendo-se, entre eles, relações interdisciplinares e colocando sob

Leia mais

FILOSOFIA. Comentário Geral:

FILOSOFIA. Comentário Geral: 1 FILOSOFIA Comentário Geral: A prova apresentou algumas mudanças em relação à dos anos anteriores. Isso tanto na utilização de textos que levaram os candidatos a ultrapassar a leitura e interpretação

Leia mais

MATÉRIA DA DISCIPLINA ÉTICA E CIDADANIA APLICADA AO DIREITO I

MATÉRIA DA DISCIPLINA ÉTICA E CIDADANIA APLICADA AO DIREITO I 4 MATÉRIA DA DISCIPLINA ÉTICA E CIDADANIA APLICADA AO DIREITO I MINISTRADA PELO PROFESSOR MARCOS PEIXOTO MELLO GONÇALVES PARA A TURMA 1º T NO II SEMESTRE DE 2003, de 18/08/2003 a 24/11/2003 O Semestre

Leia mais

LISTA RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA. 1º ano ENSINO MEDIO 2º BIMESTRE Nome: nº:

LISTA RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA. 1º ano ENSINO MEDIO 2º BIMESTRE Nome: nº: LISTA RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA 1º ano ENSINO MEDIO Nota: 2º BIMESTRE 2015 Você consegue imaginar a sua vida em meio a uma realidade na qual tudo lhe parecesse novo e desconhecido a cada instante? Em uma

Leia mais

TOMÁS DE AQUINO SÉC. XIII AS PROVAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS

TOMÁS DE AQUINO SÉC. XIII AS PROVAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS TOMÁS DE AQUINO SÉC. XIII AS PROVAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS NA SUA OBRA DENOMINADA SUMA TEOLÓGICA, TOMÁS DE AQUINO CONSIDERA CINCO VIAS QUE, POR MEIO DE ARGUMENTOS, CONDUZEM À DEUS, TODAS COM CARACTERÍSTICAS

Leia mais

O Céu e o Inferno e a Ciência Contemporânea

O Céu e o Inferno e a Ciência Contemporânea V Congresso Espiritismo O Céu e o Inferno de Platão e Dante à Kardec O Céu e o Inferno e a Ciência Contemporânea Agosto de 2015 Claudio C. Conti www.ccconti.com Qual a melhor receita para uma vitamina

Leia mais

CONDIÇÕES HISTÓRICAS QUE CONTRIBUÍRAM PARA O SURGIMENTO DA FILOSOFIA

CONDIÇÕES HISTÓRICAS QUE CONTRIBUÍRAM PARA O SURGIMENTO DA FILOSOFIA CONTEÚDO PARA O SIMULADO E PARA A 1ª PROVA ESPECÍFICA DE FILOSOFIA DO 1º BIMESTRE (3ª SÉRIE, 2016). OBS. O conteúdo de Filosofia para o simulado vai da Origem da Filosofia até a teoria de Parmênides. Dessa

Leia mais

A verdade, em grego, se diz aletheia e significa a manifestação daquilo que é, o não-oculto.

A verdade, em grego, se diz aletheia e significa a manifestação daquilo que é, o não-oculto. Na Grécia Antiga, o período pré-socrático foi dominado, em grande parte, pela investigação da natureza. Essa investigação consistia na busca de explicações racionais (cosmologia) para o universo manifestando-se

Leia mais

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo.

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. FILOSOFIA MODERNA Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. Período histórico: Idade Moderna (século XV a XVIII). Transformações que podemos destacar: A passagem do feudalismo para o capitalismo

Leia mais

( ) Na cidade platônica, é dever do filósofo supri-la materialmente com bens duráveis e alimentos, bem como ser responsável pela sua defesa.

( ) Na cidade platônica, é dever do filósofo supri-la materialmente com bens duráveis e alimentos, bem como ser responsável pela sua defesa. 1) UEL (2011) ( ) As três imagens do Bem na cidade justa de Platão, o Anel de Giges, a Imagem da Linha e a da Caverna, correspondem, respectivamente, à organização das três classes da República. ( ) Na

Leia mais

9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFESSOR DANILO BORGES

9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFESSOR DANILO BORGES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFESSOR DANILO BORGES DAVID HUME - COMPAIXÃO Nascimento: 7 de maio de 1711 Edimburgo, Reino Unido. Morte: 25 de agosto de 1776 (65 anos) Edimburgo, Reino Unido. Hume nega

Leia mais

Como surgiram os MITOS?

Como surgiram os MITOS? PENSAMENTO MÍTICO MITO MITO Nasce do desejo de entender o mundo para afugentar o medo e a insegurança. é um relato de algo fabuloso que se supõe ter acontecido num passado remoto e quase sempre impreciso.

Leia mais

Aula 10 1 Colegial - Filosofia

Aula 10 1 Colegial - Filosofia Aula 10 1 Colegial - Filosofia PLATÃO E O MITO DA CAVERNA LIVRO VII DE A REPÚBLICA Uma caverna, no fundo da qual estão vários prisioneiros, acorrentados, imobilizados, com as cabeças presas na direção

Leia mais

A Filosofia e a Sociologia: contribuições para a Educação

A Filosofia e a Sociologia: contribuições para a Educação A Filosofia e a Sociologia: contribuições para a Educação Fundamentos Filosóficos e Sociológicos da Educação Semana I Prof. Ms. Joel Sossai Coleti O que é? O que é? Filosofia: disciplina que tem como objeto

Leia mais

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA:

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª SÉRIE/EM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

ENTRE DOIS MUNDOS 7º ANO

ENTRE DOIS MUNDOS 7º ANO ENTRE DOIS MUNDOS 7º ANO INTRODUÇÃO Renascimento: Período de transição entre Idade Média e Idade Moderna; Misturam-se o jeito de ser e pensar de dois momentos da sociedade europeia ocidental; Não é possível

Leia mais

Recuperação Final Filosofia 6º ano do EF

Recuperação Final Filosofia 6º ano do EF COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II SEÇÃO TÉCNICA DE ENSINO Recuperação Final Filosofia 6º ano do EF Aluno: Série: 6º ano Turma: Data: 14 de dezembro de 2016 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Esta prova

Leia mais

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes Filosofia da Arte Unidade II O Universo das artes FILOSOFIA DA ARTE Campo da Filosofia que reflete e permite a compreensão do mundo pelo seu aspecto sensível. Possibilita compreender a apreensão da realidade

Leia mais

Fundamentação da ética

Fundamentação da ética Fundamentação da ética Objeto da ética Problemas: O que é a ética? Que tipo de problemas ela tenta resolver? Por que o ser humano deve ser guiado pela ética e não pelos instintos? Que elemento nos distingue

Leia mais

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 ÉTICA E MORAL O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 Ética e Moral são indiferenciáveis No dia-a-dia quando falamos tanto usamos o termo ética ou moral, sem os distinguirmos. Também

Leia mais

O. 8. BITTÇ~R EDU~RDO. Curso de Etica Jurídica. É ti c a geral e profissional. 12ª edição, revista, atualizada e modificada ..

O. 8. BITTÇ~R EDU~RDO. Curso de Etica Jurídica. É ti c a geral e profissional. 12ª edição, revista, atualizada e modificada .. EDU~RDO O. 8. BITTÇ~R "" Curso de Etica Jurídica É ti c a geral e profissional 12ª edição, revista, atualizada e modificada.. ~ o asaraiva SUMÁRIO Prefácio... 15 Apresentação... 19 PARTE I-Ética Geral

Leia mais

LISTA - SÓCRATES. Platão, A Apologia de Sócrates, 29 a-b, In. HADOT, P. O que é a Filosofia Antiga? São Paulo: Ed. Loyola, 1999, p. 61.

LISTA - SÓCRATES. Platão, A Apologia de Sócrates, 29 a-b, In. HADOT, P. O que é a Filosofia Antiga? São Paulo: Ed. Loyola, 1999, p. 61. 1. (Uea 2014) O sofista é um diálogo de Platão do qual participam Sócrates, um estrangeiro e outros personagens. Logo no início do diálogo, Sócrates pergunta ao estrangeiro, a que método ele gostaria de

Leia mais

TEORIA DOS VALORES. Quais são os valores que você mais preza? Introdução

TEORIA DOS VALORES. Quais são os valores que você mais preza? Introdução TEORIA DOS VALORES Quais são os valores que você mais preza? Introdução Os filósofos tentaram determinar a boa conduta segundo dois princípios fundamentais: considerando alguns tipos de conduta bons em

Leia mais

As origens da filosofia. Os filósofos pré-socráticos

As origens da filosofia. Os filósofos pré-socráticos Na aula de hoje vamos estudar. As origens da filosofia. Os filósofos pré-socráticos O que chamamos de filosofia surgiu na Grécia Antiga. Os filósofos pré socráticos. Os jônios ou Escola de Mileto. Escola

Leia mais

FILOSOFIA CRISTÃ. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai.

FILOSOFIA CRISTÃ. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai. FILOSOFIA CRISTÃ Unidade 01. Capítulo 04: pg. 53-54 Convite a Filosofia Unidade 08.

Leia mais

FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL

FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL Santo Agostinho séc. IV São Tomás de Aquino séc. XIII PATRÍSTICA e ESCOLÁSTICA Platão séc. IV a.c. Aristóteles séc. III a.c A RELAÇÃO ENTRE FÉ E RAZÃO Questões fundamentais para

Leia mais

PROJETO JOGO FILOSÓFICO

PROJETO JOGO FILOSÓFICO PROJETO JOGO FILOSÓFICO Coordenação: Fernanda Bulhões Supervisão: Professor Clévio Bolsistas: * Cláudio Loureiro * Leandro Soares * Cloviana Bispo * Bruno Camilo Natal (RN), 09 de junho de 2012 1. Introdução

Leia mais

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor: Airton José Müller Componente Curricular: Filosofia

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor: Airton José Müller Componente Curricular: Filosofia LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL - 2015 Professor: Airton José Müller Componente Curricular: Filosofia 7º Ano Filósofos Clássicos. A filosofia clássica. Sócrates de Atenas: o poder das perguntas

Leia mais

Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética

Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética. Definições e Conceitos O termo ética deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa). Ética

Leia mais

A REVOLUÇÃO CARTESIANA. Apresentação baseada principalmente em Friedrick Copleston: History of Philosophy, vol. IV.

A REVOLUÇÃO CARTESIANA. Apresentação baseada principalmente em Friedrick Copleston: History of Philosophy, vol. IV. A REVOLUÇÃO CARTESIANA Apresentação baseada principalmente em Friedrick Copleston: History of Philosophy, vol. IV. Descartes (1596-1650) foi educado por jesuítas. Ele iniciou a filosofia moderna com um

Leia mais

Assinalar a importancia da proximidade do académico do estudo da filosofía do direito;

Assinalar a importancia da proximidade do académico do estudo da filosofía do direito; 1 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: PERÍODO: II CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: FILOSOFIA JURÍDICA NOME DO CURSO: DIREITO 2 EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Filosofia, Direito

Leia mais

Resolução da Questão 1 Texto Definitivo

Resolução da Questão 1 Texto Definitivo Questão A tendência recente de atribuir matizes diferentes à ética e à moral para designar o estudo do agir humano social e individual decorre provavelmente do crescente teor de complexidade da sociedade

Leia mais

Roteiro de estudos para recuperação trimestral

Roteiro de estudos para recuperação trimestral Roteiro de estudos para recuperação trimestral Disciplina: Professor (a): FILOSOFIA JOSÉ LUCIANO GABEIRL Conteúdo: Referência para estudo: A Filosofia de Aristóteles A Filosofia Helenística Idade Média

Leia mais

IMMANUEL KANT ( ) E O CRITICISMO

IMMANUEL KANT ( ) E O CRITICISMO AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que foram interpretados por estudiosos dos temas RUBENS expostos. RAMIRO Todo JR exemplo (TODOS citado

Leia mais

Porto Alegre-RS 2009

Porto Alegre-RS 2009 54 HERÁCLITO DE ÉFESO: TUDO É UM Ingrid Almeida Veras Porto Alegre-RS 2009 55 HERÁCLITO DE ÉFESO: TUDO É UM Ingrid Almeida Veras 1 RESUMO: Este artigo abordará o pensamento de Heráclito de Éfeso, filósofo

Leia mais

NOTAS INTRODUTÓRIAS AO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES: O regime de inclusão de ricos e pobres.

NOTAS INTRODUTÓRIAS AO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES: O regime de inclusão de ricos e pobres. NOTAS INTRODUTÓRIAS AO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES: O regime de inclusão de ricos e pobres. Rafael Augusto De Conti 1. SUMÁRIO: 1. O ser se diz de vários modos; 2. As causas da comunidade política;

Leia mais

A palavra MITO procede do grego mythos, que é uma palavra ligada ao verbo mythevo, que significa crio uma história imaginária, que se refere a uma

A palavra MITO procede do grego mythos, que é uma palavra ligada ao verbo mythevo, que significa crio uma história imaginária, que se refere a uma Prof. Cícero Robson A palavra MITO procede do grego mythos, que é uma palavra ligada ao verbo mythevo, que significa crio uma história imaginária, que se refere a uma crença, a uma tradição ou a um acontecimento.

Leia mais

Aula 08 Terceiro Colegial.

Aula 08 Terceiro Colegial. Aula 08 Terceiro Colegial Cristianismo: Entre a Fé e a Razão Busca por uma base racional para sustentar a fé Formulações filosóficas se estendendo por mais de mil anos Cristianismo Palavra de Jesus, que

Leia mais

15/03/2016. História da Filosofia Antiga: Aula 2 Prof. Rafael de Lima Oliveira

15/03/2016. História da Filosofia Antiga: Aula 2 Prof. Rafael de Lima Oliveira Pré-socráticos História da Filosofia Antiga: Aula 2 Prof. Rafael de Lima Oliveira 1 Os primeiros filósofos: os pré-socráticos Séculos VII-VI a.c.; Restam apenas fragmentos de suas obras e comentários doxográficos;

Leia mais

FILOSOFIA CLÁSSICA: SÓCRATES E PLATÃO (3ª SÉRIE)

FILOSOFIA CLÁSSICA: SÓCRATES E PLATÃO (3ª SÉRIE) FILOSOFIA CLÁSSICA: SÓCRATES E PLATÃO (3ª SÉRIE) SÓCRATES (469-399 a.c.) CONTRA OS SOFISTAS Sofistas não são filósofos: não têm amor pela sabedoria e nem respeito pela verdade. Ensinavam a defender o que

Leia mais

Volume 2 Fascículo 2 Filosofia Unidade 3

Volume 2 Fascículo 2 Filosofia Unidade 3 Atividade extra Volume 2 Fascículo 2 Filosofia Unidade 3 Questão 1 A ideia de que, pela Ciência e pela técnica, o homem se converterá em senhor e possuidor da natureza está presente no pensamento do filósofo

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO SECUNDÁRIO Planificação Anual 2012-2013 FILOSOFIA

Leia mais

O corpo físico é mau e inferior à alma?

O corpo físico é mau e inferior à alma? O corpo físico é mau e inferior à alma? Compreendendo a natureza humana por Paulo Sérgio de Araújo INTRODUÇÃO Conforme a teoria das idéias (ou teoria das formas ) do filósofo grego Platão (428-347 a.c.),

Leia mais