Cap. 2 - O BEM E A FELICIDADE. Ramiro Marques

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cap. 2 - O BEM E A FELICIDADE. Ramiro Marques"

Transcrição

1 Cap. 2 - O BEM E A FELICIDADE Ramiro Marques A maior parte das pessoas identificam o bem com a felicidade, mas têm opiniões diferentes sobre o que é a felicidade. Será que viver bem e fazer o bem é a mesma coisa que a felicidade? Será a felicidade a mesma coisa que a honra, a riqueza ou o prazer? Ou nenhuma delas, por si só, preenche os requisitos da felicidade? Será que, para além desses bens, há um bem, que é bom por ele próprio, e que faz com que todos aqueles bens sejam, de facto, bens? Há três concepções vulgares acerca da vida boa: a vida dedicada aos prazeres, a vida dedicada à actividade que dá honra e a vida dedicada ao estudo. Qual delas é a melhor? Vamos começar a nossa análise pela vida dedicada aos prazeres. Aqueles que renunciam a tudo aquilo que não lhes proporciona gratificação imediata, tendem a pensar que a felicidade e a vida boa estão relacionadas apenas com o máximo de prazeres possível. A acreditarmos nesta posição, teríamos de concordar que se é tanto mais feliz quanto mais perto se estiver da vida animal. A vida dedicada à actividade que dá honra é típica dos políticos e dos guerreiros. Serão eles mais felizes do que todos os outros? Um exame à vida de importantes personagens que se dedicaram a estas actividades leva-nos a concluir que nem sempre a procura da honra se reveste de virtude e há imensos casos de políticos e guerreiros que foram vítimas da má fortuna e depararam com grandes desgraças e desastres. Resta-nos a vida dedicada ao estudo. Ao contrário da vida dedicada a ganhar dinheiro ou da vida dedicada a acumular honra, a vida dedicada ao estudo é a única que não se subordina a nenhuma outra finalidade. É, portanto, a mais auto-suficiente e completa de todas. Nesse sentido, é a que se aproxima mais da felicidade. No

2 entanto, esse tipo de vida não garante, por si só, a felicidade. Deverá vir acompanhada de alguns bens exteriores e da sorte, pois não se pode ser feliz na miséria ou quando se é vítima de grandes desastres. A visão que Aristóteles tem do bem leva-o a identificar as seguintes características presentes no bem: o bem é completo; o melhor bem é aquele que é valioso em si mesmo; o melhor bem é auto-suficiente. A felicidade possui todas essas características e, por isso, pode ser considerada o maior bem: "a felicidade, mais do que qualquer outra coisa, parece incondicionalmente completa, visto que nós a escolhemos sempre e a escolhemos por ela própria, e nunca por outra coisa qualquer. A honra, o prazer, a compreensão e qualquer outra virtude, também são escolhidas por nós, mesmo que não permitam qualquer outro resultado, mas nós também as escolhemos em benefício da felicidade, supondo que, através delas, seremos felizes. Já a felicidade, ninguém a escolhe em benefício das virtudes ou de qualquer outra coisa" (1). Na Magna Moralia, Aristóteles faz a crítica da tese socrática e platónica do bem como ideia de bem, optando, ao invés, por considerar apenas o bem para nós. A recusa da tese de que basta conhecer o bem para fazer o bem, tão cara a Sócrates, é objecto de crítica do estagirita no primeiro capítulo do livro I da Magna Moralia: "Sócrates cometeu, pois, um erro, quando olhava para as virtudes como saberes...se fossem saberes, teríamos de admitir que, ao mesmo tempo que se conhece o que é o tal saber, também se teria de ser sábio (se, com efeito, uma pessoa sabe medicina, essa pessoa será considerada um médico, e a mesma coisa para os outros saberes). Mas, para as virtudes não se passa isso: não basta saber o que é a justiça para se ser justo, e o mesmo acontece com as outras virtudes" (2). Aristóteles divide os bens em três tipos: bens do corpo, como a força e a beleza, bens externos, como a riqueza e o poder, e bens da alma, como as virtudes. Os últimos são superiores a todos os outros.

3 Na Magna Moralia, o filósofo estabelece a divisão dos bens da alma em três tipos: a prudência, a virtude e o prazer. As características da felicidade diferem de pessoa para pessoa. Para algumas, é a virtude; para outras, a inteligência; para outras, ainda, a sabedoria; e há, por fim, os que consideram os prazeres. Sem dúvida que Aristóteles se identifica com os que consideram a virtude a principal característica da felicidade, chegando ao ponto de afirmar que não se pode ser feliz sem se ser virtuoso. Claro está que o prazer não pode ser desprezado como uma característica da vida feliz, tanto mais que a virtude é, ela própria, prazer e as acções virtuosas são agradáveis, em si mesmas. Os bens exteriores também têm a sua conta na vida feliz, pois não é fácil fazer boas acções se faltarem os recursos mínimos. Por isso, parece adequado definir a pessoa feliz como a que expressa a virtude completa nas suas actividades, com uma adequada oferta de bens exteriores, não só durante um certo tempo, mas durante toda a vida. Na Magna Moralia, o filósofo dedica os capítulos II e III, do Livro I à classificação dos bens, revelando, assim, a importância que os bens possuem na ética aristotélica. Na primeira classificação dos bens, o estagirita considera os bens preciosos, os bens louváveis e os bens que são faculdades. Os bens preciosos são os divinos. As virtudes fazem parte dos bens louváveis e a riqueza, o poder, a força e a beleza são faculdades. O que distingue as faculdades das virtudes é que o homem tanto pode usar as faculdades para o bem como para o mal. O homem vil usa-as, sem dúvida, para o mal. Na segunda classificação de bens, Aristóteles considera os bens que são preferíveis, sempre e de todas as maneiras e os outros. Por exemplo, enquanto a justiça é um bem preferível sempre e de todas as maneiras, a riqueza ou a força não o são. Na terceira classificação de bens, distingue os bens que são fins dos que não são fins. Por exemplo, a saúde é um bem que é um fim.

4 A riqueza é um bem, mas não é um fim. Os bens que são fins são superiores a todos os outros. Mas, mesmo entre os bens que são fins, temos de considerar os que são perfeitos e os que são imperfeitos. Um bem perfeito é o que se basta a si próprio, não nos deixando qualquer outra necessidade. Os bens imperfeitos deixam-nos com necessidade de outros bens. Por exemplo, a justiça é um bem imperfeito, porque não se basta a ela própria. Ninguém é feliz só com a justiça. Mas, a felicidade é um bem perfeito, porque quem é feliz não precisa de mais nada (3). Como é que se adquire a felicidade? É adquirida pela aprendizagem, pelo hábito ou pela sorte? A resposta de Aristóteles é clara: a felicidade adquire-se pela virtude, ou seja, pelas nossas acções, embora a sorte também possa contribuir. Assim sendo, e até certo ponto, depende de nós, sermos felizes. E será a felicidade acessível a todos? Aristóteles responde que a própria natureza da felicidade exige que esta seja um bem acessível a todos, embora alguns, pelo facto de serem incapazes de levar uma vida virtuosa, sejam incapazes de ser felizes. Neste aspecto, Aristóteles afasta-se radicalmente da posição dos sofistas, embora não coincida, na totalidade, com a concepção de Platão. Para os sofistas, a instrução permitia a qualquer um levar uma vida feliz. Para Platão, o conhecimento do bem andava associado à prática do bem e, portanto, aquele que conhece o bem pode ser feliz. Aristóteles, sem negar a importância da educação e do conhecimento, adopta uma posição intermédia e mais realista: o que dá o valor intelectual é a educação e os bons hábitos que ela nos faculta, mas a educação apenas pode aperfeiçoar as nossas boas disposições naturais. Por outro lado, para ser feliz é necessário ter assegurado um nível decente de bens materiais que proporcionem tempo livre para o estudo e para as amizades, pelo que, quer os escravos, quer aqueles que dedicam todo o seu tempo a um trabalho que não dá prazer, são

5 incapazes de ser felizes. Importa, ainda, notar que a sorte ou a má sorte podem, também, influenciar o acesso ou o impedimento à felicidade. É certo que a maior parte dos homens nasce com uma predisposição natural para a virtude, mas essas predisposições só se tornarão verdadeiras e reais quando a educação as penetrar de razão e os hábitos as encarnarem na conduta e nos comportamentos. Mas, sem essas predisposições naturais para a virtude, a educação é impotente. Por outro lado, pode acontecer que as predisposições naturais favoráveis e a educação não sejam suficientes, caso uma sucessão repetida e prolongada de maus hábitos impeça qualquer esforço de correcção. O filósofo católico Jean Guitton dá a seguinte definição de felicidade: "a felicidade é o reflexo imóvel da nossa vida interior, esta corrente que corre sem ruído no fundo do espírito, neste fundo íntimo de nós mesmos onde nós não descemos; onde se forma e amadurece o pensamento que revela em nós os atributos divinos. A felicidade é mais do que o prazer, do que a paz, mais do que a superabundância; um contentamento de ser que se basta a si. Um mundo de silêncio onde cada coisa está no seu lugar e desfruta a vida" (4). Notas!) Aristóteles (1985). Nichomachean Ethics. (Introdução, tradução e notas de Terence Irwin). Indianapolis: Hackett, 1097 b 5, p. 14 1) Aristóteles (1995). Les Grands Livres d`éthique (Magna Moralia). Évreux: Arléa, 1183 b, 10, p. 38 3) Aristóteles, idem, 1183 b e1184 a

6 4) Guitton, J. e Antier, J-J. (1999). O Livro da Sabedoria e das Virtudes Reencontradas. Lisboa: Editorial Notícias, p. 253

A PRUDÊNCIA EM ARISTÓTELES. Ramiro Marques

A PRUDÊNCIA EM ARISTÓTELES. Ramiro Marques A PRUDÊNCIA EM ARISTÓTELES Ramiro Marques A prudência é uma virtude do pensamento que é uma condição da virtude. Na Antiguidade Clássica e na Idade Média, era considerada uma das quatro virtudes cardinais,

Leia mais

Cap. 3 - O PRAZER E A DOR EM ARISTÓTELES Ramiro Marques

Cap. 3 - O PRAZER E A DOR EM ARISTÓTELES Ramiro Marques Cap. 3 - O PRAZER E A DOR EM ARISTÓTELES Ramiro Marques Aristóteles define prazer como "um certo movimento da alma e um regresso total e sensível ao estado natural" (1). A dor é o seu contrário. O que

Leia mais

A GENEROSIDADE: REFLEXÃO EM TORNO DO CONCEITO

A GENEROSIDADE: REFLEXÃO EM TORNO DO CONCEITO A GENEROSIDADE: REFLEXÃO EM TORNO DO CONCEITO Ramiro Marques A generosidade é um vocábulo que vem do latim generositate, que significa bondade da raça, boa qualidade. O adjectivo generoso vem do latim

Leia mais

Sócrates, Sofistas, Platão e Aristóteles (ética) Séc. III e IV a. C

Sócrates, Sofistas, Platão e Aristóteles (ética) Séc. III e IV a. C Sócrates, Sofistas, Platão e Aristóteles (ética) Séc. III e IV a. C Nunca deixou nada escrito Patrono da Filosofia Sh As principais fontes: Platão, Xenofonte e Aristóteles Questões Antropológicas O início

Leia mais

O conceito ética. O conceito ética. Curso de Filosofia. Prof. Daniel Pansarelli. Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles

O conceito ética. O conceito ética. Curso de Filosofia. Prof. Daniel Pansarelli. Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles Curso de Filosofia Prof. Daniel Pansarelli Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles O conceito ética Originado do termo grego Ethos, em suas duas expressões Êthos (com inicial

Leia mais

Clóvis de Barros Filho

Clóvis de Barros Filho Clóvis de Barros Filho Sugestão Formação: Doutor em Ciências da Comunicação pela USP (2002) Site: http://www.espacoetica.com.br/ Vídeos Produção acadêmica ÉTICA - Princípio Conjunto de conhecimentos (filosofia)

Leia mais

Cap 1. AS ÉTICAS DE ARISTÓTELES Ramiro Marques

Cap 1. AS ÉTICAS DE ARISTÓTELES Ramiro Marques Cap 1. AS ÉTICAS DE ARISTÓTELES Ramiro Marques Para Aristóteles, o ensino da coragem, bem como de outras virtudes morais, exige a prática continuada de actos de coragem, de tal forma que essa virtude seja

Leia mais

UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CURSO DE ÉTICA. ÉTICA A NICÔMACO Livro 1

UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CURSO DE ÉTICA. ÉTICA A NICÔMACO Livro 1 1 UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CURSO DE ÉTICA ÉTICA A NICÔMACO Livro 1 Rodolfo Asturiano Vaz PETRÓPOLIS 2010 1 2 UCP - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS ÉTICA A NICÔMACO Livro 1 Trabalho

Leia mais

TEORIA DOS VALORES. Quais são os valores que você mais preza? Introdução

TEORIA DOS VALORES. Quais são os valores que você mais preza? Introdução TEORIA DOS VALORES Quais são os valores que você mais preza? Introdução Os filósofos tentaram determinar a boa conduta segundo dois princípios fundamentais: considerando alguns tipos de conduta bons em

Leia mais

Cap 5 Crítica à propriedade comum dos bens e das mulheres

Cap 5 Crítica à propriedade comum dos bens e das mulheres Cap 5 Crítica à propriedade comum dos bens e das mulheres Ramiro Marques O livro II de A Política é dedicado ao inquérito sobre o governo ideal (1) e as secções que vão de 1261a10 a 1264b26 são inteiramente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARENTIANO. Pós Graduação em Filosofia e Ensino da Filosofia. Sergio Levi Fernandes de Souza RA:

CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARENTIANO. Pós Graduação em Filosofia e Ensino da Filosofia. Sergio Levi Fernandes de Souza RA: CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARENTIANO Pós Graduação em Filosofia e Ensino da Filosofia Sergio Levi Fernandes de Souza RA: 1123930 Filosofia e Educação da Filosofia ESTADO E EDUCAÇÃO EM PLATÃO Santo André 2013

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS- GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA - ICV

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS- GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA - ICV UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS- GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA - ICV RESUMO EXPANDIDO (2009-2010) A ÉTICA NA FORMAÇÃO DOS PEDAGOGOS

Leia mais

ÉTICA ARISTOTÉLICA A ÉTICA EM ARISTÓTELES

ÉTICA ARISTOTÉLICA A ÉTICA EM ARISTÓTELES A ÉTICA EM ARISTÓTELES ÉTICA ARISTOTÉLICA - A Ética aristotélica faz parte do saber prático: distingue-se do saber teórico porque seu objetivo não é o conhecimento de uma realidade determinada, mas do

Leia mais

A ÉTICA NA HISTÓRIA DO PENSAMENTO

A ÉTICA NA HISTÓRIA DO PENSAMENTO SOFISTAS Acreditavam num relativismo moral. O ceticismo dos sofistas os levava a afirmar que, não existindo verdade absoluta, não poderiam existir valores que fossem validos universalmente. A moral variaria

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Clássica. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Clássica. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Clássica Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Conteúdo (a) Nascimento da filosofia (b) Condições históricas para seu nascimento (c) Os principais períodos

Leia mais

AULA AO VIVO. Professora Laira Pinheiro

AULA AO VIVO. Professora Laira Pinheiro AULA AO VIVO Professora Laira Pinheiro Folha de São Paulo, São Paulo, 28 out., 1993, pg.6, cad.4. Você sabe o que é ética? Será que ela tem preço? Qual é o seu valor? A ética está em crise? Vivemos numa

Leia mais

NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010

NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010 NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010 12 Daniel José Crocoli * A obra Sobre ética apresenta as diferentes formas de se pensar a dimensão ética, fazendo

Leia mais

DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS

DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS ERICA.CARVALHO@UCSAL.BR Ética e História Como a Ética estuda a moral, ou seja, o comportamento humano, ela varia de acordo com seu objeto ao longo do

Leia mais

Aristóteles, Ética a Nicômaco, X 7, 1177 b 33.

Aristóteles, Ética a Nicômaco, X 7, 1177 b 33. 91 tornar-se tanto quanto possível imortal Aristóteles, Ética a Nicômaco, X 7, 1177 b 33. 92 5. Conclusão Qual é o objeto da vida humana? Qual é o seu propósito? Qual é o seu significado? De todas as respostas

Leia mais

Aristóteles critica a doutrina das ideias, de Platão. Ele não acreditava num mundo de ideias à parte, nem nas formas ideias das coisas, nem que o

Aristóteles critica a doutrina das ideias, de Platão. Ele não acreditava num mundo de ideias à parte, nem nas formas ideias das coisas, nem que o Aristóteles critica a doutrina das ideias, de Platão. Ele não acreditava num mundo de ideias à parte, nem nas formas ideias das coisas, nem que o nosso mundo fosse uma cópia imperfeita ou um simulacro

Leia mais

Práticas Excelentes e Políticas Educativas Destrutivas - Considerações acerca do momento actual

Práticas Excelentes e Políticas Educativas Destrutivas - Considerações acerca do momento actual Práticas Excelentes e Políticas Educativas Destrutivas - Considerações acerca do momento actual Ramiro Marques Instituto politécnico de Santarém Página pessoal: http://www.eses.pt/usr/ramiro/index.htm

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO

QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO ESTUDAR PARA A PROVA TRIMESTRAL DO SEGUNDO TRIMESTRE PROFESSORA: TATIANA SILVEIRA 1 - Seguiu-se ao período pré-socrático

Leia mais

Auto-Estima. Elaboração:

Auto-Estima. Elaboração: Auto-Estima Elaboração: www.searadomestre.com.br Estima 1. Apreciação favorável de uma pessoa ou coisa; amizade, apreço, afeição. 2. Consideração. 3. Estimativa, avaliação. O que é Qualidade de Vida? Requisitos

Leia mais

A ÉTICA DE ARISTÓTELES. A Vida

A ÉTICA DE ARISTÓTELES. A Vida A ÉTICA DE ARISTÓTELES A Vida Aristóteles nasceu em 384 a.c., em Estagiros, cidade da Calcídia, onde se falava o grego, apesar de se situar a grande distância de Atenas e de estar na dependência do rei

Leia mais

Professora: Ana Priscila da Silva Alves Disciplina: Filosofia Série: 1 ª do Ensino Médio Tema: Felicidade

Professora: Ana Priscila da Silva Alves Disciplina: Filosofia Série: 1 ª do Ensino Médio Tema: Felicidade Professora: Ana Priscila da Silva Alves Disciplina: Filosofia Série: 1 ª do Ensino Médio Tema: Felicidade COLÉGIO DIOCESANO SERIDOENSE - CDS 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO - 2016 DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSORA:

Leia mais

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA:

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª SÉRIE/EM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega.

A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega. A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega. Colégio Cenecista Dr. José ferreira Professor Uilson Fernandes Fevereiro de 2016 A forma como os filósofos clássicos definem

Leia mais

ÉTICA NA PROFISSÃO DOCENTE À LUZ DO ESTATUTO DA CARREIRA DOS EDUCADORES E PROFESSORES A PERSPETIVA DA ÉTICA ARISTOTÉLICA

ÉTICA NA PROFISSÃO DOCENTE À LUZ DO ESTATUTO DA CARREIRA DOS EDUCADORES E PROFESSORES A PERSPETIVA DA ÉTICA ARISTOTÉLICA INTERACÇÕES NO. 42, PP. 58-69 (2016) ÉTICA NA PROFISSÃO DOCENTE À LUZ DO ESTATUTO DA CARREIRA DOS EDUCADORES E PROFESSORES A PERSPETIVA DA ÉTICA ARISTOTÉLICA Ramiro Marques Escola Superior de Educação

Leia mais

Metafísica & Política

Metafísica & Política Aristóteles (384-322 a.c.) Metafísica & Política "0 homem que é tomado da perplexidade e admiração julga-se ignorante." (Metafisica, 982 b 13-18). Metafísica No conjunto de obras denominado Metafísica,

Leia mais

CONCEPÇÕES ÉTICAS Mito, Tragédia e Filosofia

CONCEPÇÕES ÉTICAS Mito, Tragédia e Filosofia CONCEPÇÕES ÉTICAS Mito, Tragédia e Filosofia O que caracteriza a consciência mítica é a aceitação do destino: Os costumes dos ancestrais têm raízes no sobrenatural; As ações humanas são determinadas pelos

Leia mais

O MUNDO VISÕES DO MUNDO ATRAVÉS DA HISTÓRIA

O MUNDO VISÕES DO MUNDO ATRAVÉS DA HISTÓRIA O MUNDO VISÕES DO MUNDO ATRAVÉS DA HISTÓRIA MITO: FORMA DE EXPLICAÇÃO MITO: vem do vocábulo grego mythos, que significa contar ou narrar algo. Mito é uma narrativa que explica através do apelo ao sobrenatural,

Leia mais

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES GRÉCIA, SÉC. V a.c. Reflexões éticas, com um viés político (da pólis) _ > como deve agir o cidadão? Nem todas as pessoas eram consideradas como cidadãos Reflexão metafísica: o que é a virtude? O que é

Leia mais

PLATÃO E O MUNDO IDEAL

PLATÃO E O MUNDO IDEAL Introdução: PLATÃO E O MUNDO IDEAL - A importância do pensamento de Platão se deve justamente por conseguir conciliar os mundos: dos Pré-Socráticos, com suas indagações sobre o surgimento do Cosmo (lê-se:

Leia mais

Filosofia Medievil: TomásadeaAquino

Filosofia Medievil: TomásadeaAquino MPET Modelagem Conceitual do Pensamento Filosófco MATERIAL DE APOIO Organizador dos slides: Prof.aDr.aGliuciusaDécioaDuirte Atualizado em: 19 ago. 2017 Filosofia Medievil: TomásadeaAquino SÍNTESE DO CRISTIANISMO

Leia mais

A ORIGEM DA FILOSOFIA

A ORIGEM DA FILOSOFIA A ORIGEM DA FILOSOFIA UMA VIDA SEM BUSCA NÃO É DIGNA DE SER VIVIDA. SÓCRATES. A IMPORTÂNCIA DOS GREGOS Sob o impulso dos gregos, a civilização ocidental tomou uma direção diferente da oriental. A filosofia

Leia mais

ARISTÓTELES e A Política

ARISTÓTELES e A Política ARISTÓTELES e A Política Aristóteles Política (em grego Πολιτικα, em latim Politica), é um texto do filósofo grego Aristóteles de Estagira. É composto por oito livros. Os livros I, II, e III são introdutórios

Leia mais

AULA FILOSOFIA. O realismo aristotélico

AULA FILOSOFIA. O realismo aristotélico AULA FILOSOFIA O realismo aristotélico DEFINIÇÃO O realismo aristotélico representa, na Grécia antiga, ao lado das filosofias de Sócrates e Platão, uma reação ao discurso dos sofistas e uma tentativa de

Leia mais

As melhores coisas da vida são de graça. Não creiam nisso!

As melhores coisas da vida são de graça. Não creiam nisso! As melhores coisas da vida são de graça. Não creiam nisso! As melhores coisas da vida não são de graça. Sucesso e vitória não vêm sozinhos, requerem preparo e realização. A amizade não é unilateral; para

Leia mais

Webinar SEXTA-FEIRA TODO DIA. Com Vanessa Camarelo OUT 16

Webinar SEXTA-FEIRA TODO DIA. Com Vanessa Camarelo OUT 16 OUT 16 Webinar SEXTA-FEIRA TODO DIA Com Vanessa Camarelo FALAREMOS SOBRE O que é motivação Motivação e Inspiração Heróis Paixões Forças Pessoais Esperança Disciplina O QUE É MOTIVAÇÃO? Impulso que nos

Leia mais

Nuno Manuel Morgadinho dos Santos Coelho DIREITO, FILOSOFIA E A HUMANIDADE COMO TAREFA

Nuno Manuel Morgadinho dos Santos Coelho DIREITO, FILOSOFIA E A HUMANIDADE COMO TAREFA Nuno Manuel Morgadinho dos Santos Coelho DIREITO, FILOSOFIA E A HUMANIDADE COMO TAREFA São Paulo 2009 Nuno Manuel Morgadinho dos Santos Coelho DIREITO, FILOSOFIA E A HUMANIDADE COMO TAREFA Tese de Livre

Leia mais

ÉTICA PROFISSIONAL. Curso de Engenharia UNIP

ÉTICA PROFISSIONAL. Curso de Engenharia UNIP ÉTICA PROFISSIONAL Curso de Engenharia UNIP O QUE É ÉTICA? O QUE É ÉTICA? Tradicionalmente é entendida como um estudo ou uma reflexão sobre os costumes ou sobre as ações humanas. Pode ser entendida também

Leia mais

9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFESSOR DANILO BORGES

9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFESSOR DANILO BORGES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFESSOR DANILO BORGES DAVID HUME - COMPAIXÃO Nascimento: 7 de maio de 1711 Edimburgo, Reino Unido. Morte: 25 de agosto de 1776 (65 anos) Edimburgo, Reino Unido. Hume nega

Leia mais

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA Pode-se afirmar que a prova não apresentou melhorias nem ficou aquém de suas versões anteriores. Os candidatos, sem dúvida, esperavam algo melhor, mais contextualizado,

Leia mais

Resolução da Questão 1 (Texto Definitivo)

Resolução da Questão 1 (Texto Definitivo) Questão Redija em texto dissertativo acerca do seguinte tema. A ALMA E A CIDADE EM PLATÃO Ao elaborar seu texto, aborde, necessariamente, os seguintes aspectos: teoria política de Platão em A República

Leia mais

Cap 1 A teoria e a prática da Educação. Ramiro Marques

Cap 1 A teoria e a prática da Educação. Ramiro Marques Cap 1 A teoria e a prática da Educação Ramiro Marques Aristóteles dedica um espaço importante de A Política ao tema da educação, preocupando-se com a discussão de vários assuntos: fim pacífico da Educação,

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 3 Bimestre disciplina Filosofia 1º Ano EM A B Conteúdo: Introdução à Filosofia de Aristóteles Hilemorfismo Teleológico Matéria e forma Ato e Potência

Leia mais

ÉTICA, JUSTIÇA E A CIDADE IDEAL EM PLATÃO. COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA PROFESSOR UILSON FERNANDES UBERABA FEVEREIRO DE 2014

ÉTICA, JUSTIÇA E A CIDADE IDEAL EM PLATÃO. COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA PROFESSOR UILSON FERNANDES UBERABA FEVEREIRO DE 2014 ÉTICA, JUSTIÇA E A CIDADE IDEAL EM PLATÃO. COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA PROFESSOR UILSON FERNANDES UBERABA FEVEREIRO DE 2014 O MUNDO DAS IDEIAS OU DA CIDADE IDEAL... PLATÃO PARTE DO PRINCÍPIO DE

Leia mais

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA SOBRE FILOSOFIA DEFINIÇÃO TRADICIONAL (segundo a perspectiva ocidental) TEOLOGIA CIÊNCIA certezas dúvidas Bertrand Russell (1872-1970) utiliza seus temas

Leia mais

Cap. 7 Sobre a escravatura em Aristóteles (parte 1) Ramiro Marques

Cap. 7 Sobre a escravatura em Aristóteles (parte 1) Ramiro Marques Cap. 7 Sobre a escravatura em Aristóteles (parte 1) Ramiro Marques Aristóteles foi um dos primeiros filósofos a promover uma discussão aprofundada sobre o conceito de escravatura, tipos de escravaturas

Leia mais

WOLFF, Francis. Aristóteles e a política. Tradução de Thereza Christina Ferreira Stummer e Lygia Araujo Watanabe. São Paulo: Discurso Editorial, 1999.

WOLFF, Francis. Aristóteles e a política. Tradução de Thereza Christina Ferreira Stummer e Lygia Araujo Watanabe. São Paulo: Discurso Editorial, 1999. WOLFF, Francis. Aristóteles e a política. Tradução de Thereza Christina Ferreira Stummer e Lygia Araujo Watanabe. São Paulo: Discurso Editorial, 1999. Cassio Correa Benjamin UFSJ Uma introdução exemplar

Leia mais

ARISTÓTELES I) TEORIA DO CONHECIMENTO DE ARISTÓTELES

ARISTÓTELES I) TEORIA DO CONHECIMENTO DE ARISTÓTELES AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que foram interpretados por estudiosos dos temas expostos. Todo exemplo citado em aula é, meramente,

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA - FILOSOFIA - Grupo L

PADRÃO DE RESPOSTA - FILOSOFIA - Grupo L PADRÃO DE RESPOSTA - FILOSOFIA - Grupo L 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor No diálogo Fédon, escrito por Platão, seu personagem Sócrates afirma que a dedicação à Filosofia implica que a alma

Leia mais

Resolução da Questão 1 Texto definitivo

Resolução da Questão 1 Texto definitivo Questão A filosofia não é outra coisa senão o exercício preparatório para a sabedoria. Não se trata de opor nem de separar a filosofia como modo de vida, por um lado, e um discurso filosófico

Leia mais

Aristóteles e o Espanto

Aristóteles e o Espanto Aristóteles e o Espanto - Para Aristóteles, uma condição básica para o surgimento do conhecimento no homem era o espanto, o qual poderia gerar toda condição para o conhecimento e a elaboração de teorias.

Leia mais

EUDAIMONIA E O PROBLEMA DAS AÇÕES VIRTUOSAS EM ARISTÓTELES

EUDAIMONIA E O PROBLEMA DAS AÇÕES VIRTUOSAS EM ARISTÓTELES EUDAIMONIA E O PROBLEMA DAS AÇÕES VIRTUOSAS EM ARISTÓTELES Thaís Cristina Alves Costa 1 Universidade Federal de Pelotas (UFPel) RESUMO: A partir de uma análise crítica do conceito de eudaimonia aristotélica,

Leia mais

Ética e felicidade. Aluna: Yasmine Victoria B. Hamaoui Orientador: Danilo Marcondes

Ética e felicidade. Aluna: Yasmine Victoria B. Hamaoui Orientador: Danilo Marcondes Ética e felicidade Aluna: Yasmine Victoria B. Hamaoui Orientador: Danilo Marcondes Introdução: Ética e Felicidade são dois temas que possuem grande relação e comparação ao longo da história da filosofia.

Leia mais

OLM MÓD. IV CAP. XXVI

OLM MÓD. IV CAP. XXVI OLM MÓD. IV CAP. XXVI ITENS 286 A 296 QUESTÕES PROPOSTAS POR KARDEC AOS ESPÍRITOS PERGUNTAS FAZER AOS ESPÍRITOS CONSIDERAR: A FORMA CLAREZA; PRECISÃO SEM COMPLEXIDADE COM MÉTODO PRÉ ELABORADAS (ALGUMAS)

Leia mais

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA Mais uma vez a UFPR oferece aos alunos uma prova exigente e bem elaborada, com perguntas formuladas com esmero e citações muito pertinentes. A prova de filosofia da UFPR

Leia mais

A NOÇÃO DE FELICIDADE NA FILOSOFIA ANTIGA

A NOÇÃO DE FELICIDADE NA FILOSOFIA ANTIGA FELICIDADE E INTRODUÇÃO À FILOSOFIA (1ª SÉRIE) FILOSOFIA: ETIMOLOGIA. Philo (philia): amizade, amor fraterno, respeito entre os iguais. Sophia: sabedoria. E dela vem a palavra sóphos, sábio. Filosofia:

Leia mais

Deficiência Mental: Contribuições de uma perspectiva de justiça centrada nos funcionamentos.

Deficiência Mental: Contribuições de uma perspectiva de justiça centrada nos funcionamentos. Deficiência Mental: Contribuições de uma perspectiva de justiça centrada nos funcionamentos. Alexandre da Silva Costa Estudo que faz uma análise acerca das contribuições da perspectiva de justiça baseada

Leia mais

ÉTICA DE VIRTUDE E DESENVOLVIMENTO MORAL DA PESSOA

ÉTICA DE VIRTUDE E DESENVOLVIMENTO MORAL DA PESSOA Simpósio Internacional sobre Activação do Desenvolvimento Psicológico Universidade de Aveiro, 2006 ÉTICA DE VIRTUDE E DESENVOLVIMENTO MORAL DA PESSOA Lawrence M. Hinman, Ph.D. Director, The Values Institute

Leia mais

FORMAÇÃO DA MORAL OCIDENTAL -GRÉCIA ANTIGA -

FORMAÇÃO DA MORAL OCIDENTAL -GRÉCIA ANTIGA - FORMAÇÃO DA MORAL OCIDENTAL -GRÉCIA ANTIGA - Prof. Jailson Costa S O F I S T A S Filosofia, ÉTICA, POLÍTICA ética e E desenvolvimento SOCIEDADE humano Sofistas e o relativismo ético Sofistas e o relativismo

Leia mais

Nascido em Estagira - Macedônia ( a.c.). Principal representante do período sistemático.

Nascido em Estagira - Macedônia ( a.c.). Principal representante do período sistemático. Aristóteles Nascido em Estagira - Macedônia (384-322 a.c.). Principal representante do período sistemático. Filho de Nicômaco, médico, herdou o interesse pelas ciências naturais Ingressa na Academia de

Leia mais

Sócrates: após destruir o saber meramente opinativo, em diálogo com seu interlocutor, dava início ã procura da definição do conceito, de modo que, o

Sócrates: após destruir o saber meramente opinativo, em diálogo com seu interlocutor, dava início ã procura da definição do conceito, de modo que, o A busca da verdade Os filósofos pré-socráticos investigavam a natureza, sua origem de maneira racional. Para eles, o princípio é teórico, fundamento de todas as coisas. Destaca-se Heráclito e Parmênides.

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta disciplina é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Unidade 2 Ética Antiga

Unidade 2 Ética Antiga Unidade 2 Ética Antiga 1º Bimestre M2 Filosofia E-mail: eu@profpetterson.com Os Sofistas movimento intelectual na Grécia do séc. V (a.n.e.). "sofista" mestre ou sábio - sofia (sabedoria). saber a respeito

Leia mais

O CAMINHO QUE NOS LEVA À FELICIDADE É O AMOR!

O CAMINHO QUE NOS LEVA À FELICIDADE É O AMOR! O CAMINHO QUE NOS LEVA À FELICIDADE É O AMOR! O verdadeiro caminho a ser peregrinado por nossas vidas, é sem dúvida o da felicidade, e para se chegar até ele, precisamos de um combustível que só pode ser

Leia mais

Hans Kelsen. Prof. Nogueira. O que é Justiça?

Hans Kelsen. Prof. Nogueira. O que é Justiça? Hans Kelsen Prof. Nogueira O que é Justiça? Biografia Básica 1881 1973 Austríaco Judeu Biografia Básica 1 ed. Teoria Pura do Direito 1934 O que é Justiça? 1957 2 ed. Teoria Pura do Direito 1960 Histórico

Leia mais

Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes PROVA GLOBAL DE INTRODUÇÃO À FILOSOFIA 10º ANO ANO LECTIVO 2001/2002

Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes PROVA GLOBAL DE INTRODUÇÃO À FILOSOFIA 10º ANO ANO LECTIVO 2001/2002 Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes PROVA GLOBAL DE INTRODUÇÃO À FILOSOFIA 10º ANO ANO LECTIVO 2001/2002 Grupo I 1. Afirmar que a autonomia é uma das características da filosofia significa que A. A

Leia mais

Bobagens obrigatórias

Bobagens obrigatórias Bobagens obrigatórias E eu, que tinha a ilusão de que os livros que eu escrevia estavam ajudando professores e alunos a pensar A revista Veja, na edição de 31 de março [2010], publicou um artigo do senhor

Leia mais

Aula 55 Conteúdos: Substantivo simples e composto. Múltiplos de um número natural. Arte e vida. A valorização da vida humana.

Aula 55 Conteúdos: Substantivo simples e composto. Múltiplos de um número natural. Arte e vida. A valorização da vida humana. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 55 Conteúdos: Substantivo simples e composto. Múltiplos de um número natural. Arte e vida. A valorização da vida

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ - ESALQ/USP

ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ - ESALQ/USP ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ - ESALQ/USP CAIO HENRIQUE AMPARO ROSATELI JOÃO PEDRO BACCHIN MILANEZ PEDRO INNOCENTE COLLARES VINÍCIUS HORSTMANN FERNANDES SÃO TOMÁS DE AQUINO Piracicaba

Leia mais

Platão, desiludido com a. escola de filosofia a Academia.

Platão, desiludido com a. escola de filosofia a Academia. Platão era filho da aristocracia ateniense. Foi discípulo de Sócrates. Sua obra reflete o momento caótico pelo qual passou Atenas no decorrer de sua vida A crise da sociedade ateniense está ligada à guerra

Leia mais

Resumo dos 4 primeiros capítulos de Ética para um jovem de SAVATER, Fernando

Resumo dos 4 primeiros capítulos de Ética para um jovem de SAVATER, Fernando Capitulo 1 No capitulo um Fernando Savater faz-nos uma pequena introdução ao que é a Etica, por palavras suas a ética é aquilo que nos convem. Neste capitulo também é-nos contada a historia de Heitor e

Leia mais

REDAÇÃO MÓDULO 1. A Arte de Escrever Parte 2. Professora Rosane Reis

REDAÇÃO MÓDULO 1. A Arte de Escrever Parte 2. Professora Rosane Reis REDAÇÃO Professora Rosane Reis MÓDULO 1 A Arte de Escrever Parte 2 As palavras têm de ser cuidadosamente escolhidas, para deixar clara a sua intenção na comunicação, porque seu interlocutor não pode, no

Leia mais

Fundamentos da Bioética. Carlos A. M. Gottschall

Fundamentos da Bioética. Carlos A. M. Gottschall Fundamentos da Bioética Carlos A. M. Gottschall A ÉTICA COMEÇOU PELA MEDICINA A MEDICINA PRIMITIVA E A MAGIA Medicina teocrática: Santidade Lei Palavra Ervas Faca Conceito de Ética Valor da Vida Abrangência

Leia mais

A PRUDÊNCIA NA ÉTICA A NICÔMACO DE ARISTÓTELES

A PRUDÊNCIA NA ÉTICA A NICÔMACO DE ARISTÓTELES A PRUDÊNCIA NA ÉTICA A NICÔMACO DE ARISTÓTELES Introdução/ Desenvolvimento Dagmar Rodrigues 1 Camila do Espírito santo 2 A pretensão do presente trabalho é analisar o que é a prudência enquanto virtude

Leia mais

UNESP 2013 (Questão 12)

UNESP 2013 (Questão 12) UNESP 2013 (Questão 12) Do lado oposto da caverna, Platão situa uma fogueira fonte da luz de onde se projetam as sombras e alguns homens que carregam objetos por cima de um muro, como num teatro de fantoches,

Leia mais

O problema que com isso coloco não se refere ao que deve substituir a humanidade na sucessão dos seres (o homem é um final), mas ao tipo de homem que

O problema que com isso coloco não se refere ao que deve substituir a humanidade na sucessão dos seres (o homem é um final), mas ao tipo de homem que 1. Olhemo-nos no rosto. Nós somos hiperbóreos sabemos muito bem o quão à parte vivemos. Nem por terra nem por mar encontrarás o caminho que leva aos hiperbóreos : Píndaro já sabia isso a nosso respeito.*

Leia mais

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média:

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: EXERCÍCIOS ON LINE 3º BIMESTRE DISCIPLINA: Filosofia PROFESSOR(A): Julio Guedes Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: NOME: Nº.: Exercício On Line (1) A filosofia atingiu

Leia mais

BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS

BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS Benja Satula BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS Mestrado em Direito Penal sob a orientação do Professor Doutor Germano Marques da Silva UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2010 PREFÁCIO É sempre razão para grande

Leia mais

domingo, 19 de setembro de 2010 A n é s i o R o d r i g u e s

domingo, 19 de setembro de 2010 A n é s i o R o d r i g u e s A n é s i o R o d r i g u e s Salmo 127:2 Anésio Rodrigues A vida: um dom de Deus Comida, Trabalho Família, diversão, igreja Anésio Rodrigues Salmo 127:2 Salmo 127:2 Será inútil levantar cedo e dormir

Leia mais

Área da Mediunidade. Mediunidade Desafios e Possibilidades

Área da Mediunidade. Mediunidade Desafios e Possibilidades Área da Mediunidade ENCONTRO MICRORREGIONAL Fortaleza - CE 02-03/09/2017 Mediunidade Desafios e Possibilidades MEDIUNIDADE COMO FERRAMENTA PARA A BUSCA DE DEUS Mediunidade Qualidade da pessoa que, segundo

Leia mais

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves Descrição: Direitos e deveres adquiridos em cada fase da vida - criança, adulto e na velhice Objectivo: Cidadão/ Estado Critérios de Evidência; Reconhecer as responsabilidades inerentes à liberdade pessoal

Leia mais

Platão a.c. Arístocles Platão (Amplo) Um dos principais discípulos de Sócrates

Platão a.c. Arístocles Platão (Amplo) Um dos principais discípulos de Sócrates PLATÃO Platão 432 347 a.c. Arístocles Platão (Amplo) Origem Aristocrática Um dos principais discípulos de Sócrates Platão foi o fundador da primeira instituição de ensino superior do mundo ocidental, a

Leia mais

AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM?

AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM? AS VIRTUDES: O QUE SÃO E COMO E COMO SE ADQUIREM? À medida que as crianças crescem, precisam de adquirir e desenvolver algumas qualidades de carácter, a que alguns autores chamam disposições e hábitos,

Leia mais

É verso único. Sem segundo. Não tem frente nem verso; nem face nem dorso. Nem manifesta nem imanifesta, está por trás de todo o manifesto.

É verso único. Sem segundo. Não tem frente nem verso; nem face nem dorso. Nem manifesta nem imanifesta, está por trás de todo o manifesto. O universo não tem começo. Nunca terá fim. É verso único. Sem segundo. Não tem frente nem verso; nem face nem dorso. É um sem dois. O universo é a Vida manifesta. A Vida é. Nem manifesta nem imanifesta,

Leia mais

Educação na Grécia. Fundamentos teórico-epistemológicos da educação I. PPGE UEPG Professoras Gisele Masson Patrícia Marcoccia

Educação na Grécia. Fundamentos teórico-epistemológicos da educação I. PPGE UEPG Professoras Gisele Masson Patrícia Marcoccia Educação na Grécia Fundamentos teórico-epistemológicos da educação I PPGE UEPG Professoras Gisele Masson Patrícia Marcoccia A educação na Grécia Fonte: Blog do Maffei, 2017. Traços da cultura grega:educação

Leia mais

FILOSOFIA Conceito e delimitação

FILOSOFIA Conceito e delimitação FILOSOFIA Conceito e delimitação Conceito de Filosofia Filosofia significa philo= amigo, amor, Sophia= sabedoria. A filosofia busca dar profundidade e totalidade à aspectos referentes a vida como um todo;

Leia mais

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!!

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!! À procura do inato Prem Rawat foi convidado a falar no Teatro Verdi de Pádua, em Itália, sob o patrocínio do Presidente da República Italiana, do Ministério da Justiça, da Região de Veneto e da Província

Leia mais

E nós conhecemos, e cremos no amor de Deus que nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16

E nós conhecemos, e cremos no amor de Deus que nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16 E nós conhecemos, e cremos no amor de Deus que nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16 INTRODUÇÃO A pregação do Amor de Deus, por ser a primeira em uma série de

Leia mais

Roteiro 16. Livre-arbítrio. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas

Roteiro 16. Livre-arbítrio. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Roteiro 16 Livre-arbítrio FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Correlacionar o conceito de livre-arbítrio ao de ética, moral, vontade,

Leia mais

VALLS, Álvaro L. M. O que é ética. 9ª ed. São Paulo: Brasiliense, ISBN

VALLS, Álvaro L. M. O que é ética. 9ª ed. São Paulo: Brasiliense, ISBN VALLS, Álvaro L. M. O que é ética. 9ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. ISBN 85-11-01177-3. Edvaldo Rogério Santos Teixeira * Mestre em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo A ética

Leia mais

Não destrua teus valores comparando-os com os dos outros.

Não destrua teus valores comparando-os com os dos outros. Reflexões para 2010 Post (0186) Não destrua teus valores comparando-os com os dos outros. É por sermos diferentes uns dos outros que cada um de nós é especial. Não estabeleça teus objetivos por aquilo

Leia mais

O Céu e o Inferno e a Ciência Contemporânea

O Céu e o Inferno e a Ciência Contemporânea V Congresso Espiritismo O Céu e o Inferno de Platão e Dante à Kardec O Céu e o Inferno e a Ciência Contemporânea Agosto de 2015 Claudio C. Conti www.ccconti.com Qual a melhor receita para uma vitamina

Leia mais

FELICIDADE: O BEM QUE TODOS QUEREM. 7º ano - Capítulo 2

FELICIDADE: O BEM QUE TODOS QUEREM. 7º ano - Capítulo 2 FELICIDADE: O BEM QUE TODOS QUEREM 7º ano - Capítulo 2 1 2 Falar de felicidade significa falar sobre a melhor forma de viver; Não faz sentido pensar em uma vida bem vivida que não seja também feliz. Você

Leia mais

CONHECIMENTO DA LEI NATURAL. Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural

CONHECIMENTO DA LEI NATURAL. Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural CONHECIMENTO DA LEI NATURAL Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural O que é a Lei Natural? Conceito de Lei Natural A Lei Natural informa a doutrina espírita é a

Leia mais

42ª Assembleia. Diocesana de Pastoral

42ª Assembleia. Diocesana de Pastoral A PAZ AMIGO A Paz amigo eu tenho em seu abraço em seu abraço amigo eu tenho a paz A Paz amigo eu tenho em seu abraço em seu abraço amigo eu tenho a paz A paz que acalma, a calma que faz a gente ser mais

Leia mais

A FELICIDADE, A VIDA E A AMIZADE

A FELICIDADE, A VIDA E A AMIZADE Home Índice A FELICIDADE, A VIDA E A AMIZADE A FELICIDADE, A VIDA E A AMIZADE 1 Entrevista a Jorge Luis Gutiérrez, professor do Curso de Filosofia do Mackenzie e editor da Revista Pandora Brasil, por Renata

Leia mais