A CONSTRUÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO DA MATEMÁTICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CONSTRUÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO DA MATEMÁTICA"

Transcrição

1 Título: A CONSTRUÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO DA MATEMÁTICA Área Temática: Educação em Ciências Naturais e Matemática Autores: N. CHIKANTSEVA (1), E. SOVETOVA (2) e M. MIATCHINA (3) Instituição: Universidade Federal de Pelotas RS (Departamento de Ensino) Introdução Desenvolvimento do pensamento lógico-matemático e da intuição são assuntos de grande importância para a educação. PUANCARÉ escreveu: Provam com ajuda da lógica, inventam com ajuda da intuição. O estudo da geometria contribui muito no desenvolvimento dessas qualidades e exerce uma influência no desenvolvimento do pensamento ativo e criativo. Nos últimos anos em vários países foi desenvolvido um método didático de ensino da geometria nas escolas, que utiliza uma interligação das noções geométricas com a construção e analise das figuras concretas do arte japonesa Origami. O curso integrado da geometria baseado neste método recebe o nome origametria e aplica as capacidades criativos dos alunos no processo de ensino. A metodologia dada permite desenvolver o pensamento construtivo, logico-matemático e imaginação espacial dos alunos. Neste trabalho é feito um análise dos fundamentos e as vantagens principais deste método, e apresentada uma programa e planejamento temático do curso de origametria (30h/aulas), acompanhada com os exemplos das aulas concretas. As atividades construtivos no processo de ensino Como foi dito acima, origametria utiliza um método didático baseado na construção e análise das figuras do arte origami no processo de ensino da geometria. Qual as vantagens principais deste método? O termo construtivista é uma palavra latina, que significa estou construindo, estou formando. Na psicologia separa-se os tipos diferentes da

2 construção: criativa e reprodutiva, mental, gráfico etc. Qualquer construção é, em primeiro lugar, um processo mental, onde os desenhos são os recursos auxiliares. As operações mentais tais como análise, comparação, indução e dedução fazem partes da construção. Quando formamos as capacidades e as habilidades construtivas na confecção dos modelos, ou na realização dos desenhos, ou no trabalho com os instrumentos das medidas, estamos formando as qualidades dos alunos tais como: capricho, pontualidade, atenção, persistência, iniciativa própria, imaginação, gosto estético e outros. O curso da geometria contém muitos possibilidades para o desenvolvimento das capacidades e habilidades construtivas dos alunos, por exemplo, as atividades da criação das figuras geométricas com as propriedades definidas, etc. De outro lado, a construção é recurso bem efetivo para estudar a geometria mesma. Por exemplo, a construção gráfica é uma realização dos desenhos, esquemas que permitem definir as formas e medidas dos partes dos objetos. Tem que dizer que as capacidades e habilidades construtivas dos alunos desenvolvem-se não só nas aulas da matemática, mas também nas outras disciplinas. Neste sentido é muito importante fazer uma coordenação das atividades criativas dos alunos nos diferentes cursos. Para utilizar a construção bem importante saber a lógica deste processo, quer dizer conseqüência, interligação dos etapas diferentes. Dentro eles os mais importantes são: colocação de problema e destacamento do problema construtivo básico; resolução teórico do problema e a exploração do projeto; e aprovação do projeto e a utilização dele. Os objetivos básicos e recursos necessários do curso Origametria O curso integrado de geometria com o arte das dobraduras de papel, que chama-se origami é um curso que utiliza as atividade mentais e criativos dos alunos das séries iniciais. Os objetivos básicos deste curso são:

3 estudo das noções geométricas básicas, preparação dos alunos para o estudo do curso sistemático da geometria; desenvolvimento da imaginação espacial com ajuda da leitura do desenho e de dobraduras das figuras; desenvolvimento das habilidades para desenhar; desenvolvimento do pensamento, atenção, capacidades comunicativas; e desenvolvimento das capacidades criativas com ajuda da formulação dos problemas matemáticas com a própria iniciativa dos alunos com a utilização da folha de papel. Os recursos necessários são: os quadrados de papel branco e colorido com os lados de cm; caderno para trabalho; caneta, lápis preto e lápis de cor ou canetinhas; tesoura; pasta, para as papeis e os modelos, construídas nas aulas. O curso de origametria constitui por 30 horas de aulas com o carga horária 1hora por semana. Sumário do curso origametria nas séries iniciais (ou nas 5 séries) Abaixo é apresentada uma programa do curso de origametria que foi aproveitada na escola n.º 549 de Moscou pelo professora de matemática E.V. SOVETOVA. Esta programa pode ser usada com as modificações baseadas na experiência própria do professor e turma concreta dos alunos. Mas existe uma condição única: o origami respeita as todas as regras do arte das dobraduras de papel e muito capricho.

4 Tema 1 As linhas e os pontos Aula 1 Conhecimento com a origametria. As linhas e os pontos. Aula 2 Linha reta. As formas básicas de origami. Forma básica triângulo. Tema 2 Os ângulos Aula 3 A noção do ângulo. As formas básicas de origami. Aula 4 Os tipos dos ângulos. Os ângulos retos, agudos, obtusos e desdobrados. Forma básica de triângulo. Aula 5 As medidas dos ângulos. A bissetriz do ângulo. Aula 6 Os ângulos adjacentes. Aula 7 Aula : Resumo de tema Os ângulos. Aula 8 O trabalho criativo dos alunos. Tema 3 O triângulo Aula 9 A noção do triângulo. Os elementos do triângulo. Aula 10 Os tipos dos triângulos com o respeito de ângulos dele. Aula 11 Os tipos dos triângulos com o respeito de lados dele. Aula 12 A soma dos ângulos de um triângulo. Aula 13 Triângulos isósceles. Propriedade dos ângulos adjacentes a base. Aula 14 Aula - Resumo de tema O triângulo. Aula 15 O trabalho criativo dos alunos. Tema 4 Simetria Aula 16 A noção do eixo de simetria. Simetria das figuras. Aula 17 Simetria e ornamentos. Origami de módulo. Tema 5 Retângulo Aula 18 Retângulo e os elementos dele. Eixos de simetria. Aula 19 A propriedade dos diagonais de um retângulo.

5 Tema 6 Quadrado Aula 20 A noção do quadrado. Confecção de quadrado. Aula 21 Propriedade dos diagonais de um quadrado. Aula 22 Aula - Resumo de temas O retângulo O quadrado. Tema 7 Paralelepípedo retangular Cubo Aula 23 A noção do paralelepípedo retangular e os elementos dele. Aula 24 Área de superfície lateral do paralelepípedo. Aula 25 A noção do cubo e os elementos dele. Aula 26 Superfície lateral do cubo. Aula 27 Volume do paralelepípedo e do cubo. Aula 28 Os poliedros. Aula 29 Os poliedros. Aula 30 O trabalho criativo dos alunos. O curso Origametria (séries iniciais ou 5 séries) Aula 1 Conhecimento com Origami e Origametria Origami é uma palavra japonesa que significa o arte das dobraduras de papel ( ori - dobra, e cami - papel). A origem do origami é tão remota como a história do próprio papel. Sabe-se que o origami já era usado em rituais religiosos na época antes do século VI, mas hoje é conhecida na forma moderna que foi desenvolvida no século XIX. É julgado que o origami surgiu na China, mas desenvolvimento recebeu na Japão. Capacidade de fazer de uma coisa usando somente a folha de papel sem utilização de tesoura e cola, alcançou neste pais o nível de arte (4). Origami é um arte universal e pode ser aprendido por qualquer pessoa que tem paciência, capricho e obstinação (5). Uma parte da matemática é geometria. A palavra geometria é a palavra grega e substituída por duas partes: geo e metria, que significa a medida de terreno. No curso da geometria estudam-se as figuras diferentes, as propriedades deles e os métodos das medidas. A importância da geometria é

6 muito grande na vida do homem. Um construtor, engenheiro ou pesquisador sempre utiliza as fundamentos básicos da geometria no seu trabalho. Neste curso que chama-se origametria nos vamos estudar a geometria junto com a construção das figuras do arte japonesa Origami, nos vamos ver de que maneira podemos construir as dobraduras de papel, e vamos procurar as interligações entre as importantes noções geométricas e diferentes figuras de origami. Nesta aula vamos começar o nosso curso com o estudo das figuras geométricas iniciais tais como: ponto; linha; e ângulo. Linha. Linha é palavra latina, que significa linho, fio de linho, cordão, corda, barbante. O mundo das linhas é muito variado. A matemática estuda diferentes tipos das linhas, em particular a linha reta. Os exemplos da linha reta são: fio; o raio de luz, etc. Podemos fazer a linha reta usando a régua. Habitualmente a linha reta é indicada através da uma letra minúscula, ou através das duas letras maiúsculas. Vamos construir uma linha reta, usando as dobraduras de papel. Pegamos uma folha de papel e dobramos dela. Obtemos a linha reta. No origamia o processo da construção de uma figura realiza-se através das dobraduras das linhas retas. Existem diferentes maneiras de dobrar da papel : dobra vale (na esquema este tipo de dobradura é desenhada como uma linha ponteada : ); dobra montanha (na esquema este tipo de dobradura é desenhado como uma linha ponteada com os dois pontos: ); dobra para dentro (na esquema este tipo de dobradura é desenhada como uma linha reta que não atinge as extremidades da figura: ); dobra para fora (na esquema este tipo de dobradura é desenhada também como uma linha reta que não atinge as extremidades da figura: ).

7 Exercício proposto: Tentamos fazer todas estas dobras. Desenhamos as linhas de dobradura no caderno. Anotamos todas as dobras, utilizando os símbolos que aplica-se no origami. Ponto. O conhecido matemático da Grécia Antiga - Euclid falava que o ponto é isso que não tem partes. Podemos dizer também que o ponto não tem tamanho. Uma estrela no céu é um exemplo do ponto. Quando as duas linhas cruzam-se temos ponto, mas possivelmente não só único. Quando fazemos as dobraduras as linhas também cruzam-se e temos conjunto dos pontos. Os pontos não indicam-se nos desenhos de origami, mas com ajuda deles representa-se a linha invisível. Nas esquemas de desenho o ponto marca-se usando as letras maiúsculas. Agora tentam-se fazer uma figura simples - copinho (desenho 1). Isso é o modelo clássico que surgiu no Japão muitos séculos atras. Tema (para fazer em casa) 1. Fazer um copinho e colar no caderno; 2. Preparar os cinco quadradinhos para a próxima aula; 3. Fazer no caderno os seguintes exercícios: a. colocar no caderno os três pontos A, B, C. Fazer (usando estes três pontos) todas as linhas possíveis. Quantos linhas podemos fazer? b. desenhar as duas linhas retas cruzadas b e c e marcar o ponto do cruzamento.

8 a. Dobra o quadrado em b. Dobra o ângulo agudo c. Marca o ponto diagonal esquerdo ao meio de crusamento d. Dobra o ângulo esquerdo e. Dobra o ângulo agudo direto para o ponto marcado para o ângulo obtuso à esquerda f. Em frente e atrás abaixa g. Abre o copinho os ângulos de cima para baixo Desenho 1 - O copinho. Aula 2 Linha reta : As formas básicas de origami Forma básica triângulo Na aula passada conhecemos a linha reta. Marcamos agora no caderno o ponto A e fazemos uma linha reta através deste ponto. Quantos linhas podemos construir desta maneira? Agora marcamos dois pontos A e B. Fazemos a linha reta que passa através estes pontos. Quantos linhas podemos fazer agora? Lembra o propriedade muito importante: através dois pontos podemos construir só uma linha reta. Este propriedade permita nos indicar uma linha reta através só dois pontos dela. Pegamos uma folha de papel. Para construir uma linha reta, é só dobrar esta folha. O comprimento dela depende só do tamanho de papel. A linha reta

9 pode tem qualquer comprimento. Se ela não tem os pontos limites, então esta linha é infinita. Qualquer ponto que pertence da reta divide dela para as duas semiretas. A cada semi-reta chama-se o raio. O raio tem um ponto inicial, mas não tem o ponto final. Para identificar um raio, na matemática usam-se duas letras maiúsculas, onde a primeira letra indica o ponto inicial de raio. Exercício proposto: Fazemos no caderno duas retas cruzadas a e b. Quantos raios obtemos se o ponto do cruzamento é um ponto inicial do raio? Indica estes raios. As dobraduras no origami começam-se com as formas básicas. A quantidade deles é 11. A cada forma tem sua nome próprio. A primeira e mais simples forma básica chama-se o triângulo (Figura 2). Para fazer um triângulo tem que dobrar um quadrado ao meio. Utilizando esta forma podemos construir vários figuras interessantes: focinhos, as figuras dos animais etc.. Desenho 2 O triângulo. Exercício proposto: Fazer o focinho usando as esquemas do desenho 3. Tema (Para fazer em casa) 1. Fazer (usando as esquemas do desenho 3) o focinho de um bichinho e colar no caderno. 2. Tentar de fazer o focinho de qualquer animal, usando a forma básica triângulo. 3. Fazer no caderno o seguinte exercício: Traçar uma reta. Indicar nesta reta os três pontos K, M, e H. Se achar que os pontos K, M, e H são os pontos inicias dos raios diferentes, então raios obtemos? Anotar deles.

10 a. Colocamos a forma básica do triângulo b. De lados direta e esquerda dobramos com o ângulo reto abaixo e dobramos ele os dois triângulos. ao meio. c. Em cima e em baixo dobrar dois triângulos d. Desenha os olhos, a boca e o nariz. pequenos para tras. Desenho 3 Cachorrinho. Aula 3 A noção do ângulo : As formas básicas de origami. O ângulo é formado pelos dois raios diferentes iniciados em um ponto comum. Este ponto chama-se o vértice do ângulo, e os dois raios chamam-se os lados do ângulo. Para indicar o ângulo usam-se três letras maiúsculas, ou uma letra que indica o vértice do ângulo. Desenhar no caderno o ponto O e fazer duas retas iniciadas neste ponto. Marcar os dois pontos adicionais na cada reta de lados diferentes de ponto O. Quantos ângulos obtemos? Quais? Pegar uma folha de papel quadrado. Dobrar dela ao meio (Figura 1a). Dobrar mais uma vez ao meio. Indicar as linhas de dobra como AD e BC onde o ponto B é o ponto de cruzamento das retas AD e BC (Figura 1b). Dobrar mais uma vez através de ponto B (Figura 1c). Desdobrando o papel obtemos o conjunto dos ângulos (Figura 1d). Quantos ângulos obtemos? Chama todos os ângulos.

11 C E C E C E A D A B D A B A B D a b c d E C E Figura 1 Um exemplo da formação dos ângulos dobrando de um quadrado. Usando a esquema dada acima podemos fazer um cachorrinho (desenho 4). Tentar à responder para os seguintes perguntas: 1. Quais ângulos obtemos quando fazemos a cabeça do cachorrinho? 2. Quais ângulos com o vértice B obtemos quando fazemos tronco? Tema (para fazer em casa). 1. Tentar à fazer um carro de corrida (usando a esquema desta desenho). 2. Fazer no caderno o seguinte exercício: Desenhar o ângulo MKD. Dentro deste ângulo desenhar os dois raios KB e KC. Indicar todos os ângulos obtidos. 3. Preparar cinco quadradinhos para próxima aula.

12 a. Prestam atenção: as linhas de dobra não se colocam no ângulo em cima. b. de dois lados dobrar os triângulos para dentro c. atrás dobrar o rabo d. desenhar o cachorrinho Desenho 4 Um Cachorrinho. Aula 4 Os tipos dos ângulos Os ângulos retos, agudos, obtusos e desdobrados Pegamos uma folha de papel quadrado. Dobramos dela ao meio (Figura 1a). Dobramos mais uma vez ao meio. Indicamos as linhas de dobra como AD e BC onde o ponto B é o ponto de cruzamento das retas AD e BC (Figura 1b). Dobramos mais uma vez através de ponto B (Figura 1c). Desdobrando o papel obtemos o conjunto dos ângulos (Figura 1d). Quantos ângulos obtemos? Chama todos os ângulos. Na matemática diferem-se vários tipos dos ângulos: o ângulo desdobrado - isso é o ângulo formado pelos dois raios iniciados num ponto (vértice) e que fazem uma reta. Nosso caso isso é o ângulo ABD;

13 o ângulo reto - isso é o ângulo que é igual a metade do ângulo desdobrado. Nosso caso isso é o ângulo ABC 1 ; o ângulo agudo - isso é um ângulo menos que o ângulo reto. Nosso caso isso é o ângulo EBA; o ângulo obtuso - isso é um ângulo maior que o ângulo reto. Nosso caso isso é o ângulo EBA. Exercícios propostos: Utilizando os símbolos adicionais (Figura 1d) indica todos os ângulos desdobrados, ângulos retos, ângulos agudos e ângulos obtusos. Desenhar no caderno todos os tipos dos ângulos. Mostrar o vértice para cada ângulo e os lados dele. Atividade: Usando a esquema, fazer o carro de corrida. Responder nas seguintes perguntas em processo do trabalho: 1. Quantos ângulos obtusos têm na esquema? 2. Quantos ângulos retos têm na esquema? Os alunos quem respondem correto para os perguntas participam no jogo corrida alegre. Quem ganha o jogo - ganha também um presente. Tema (para fazer em casa) 1. Fazer no caderno os exercícios seguintes: a. Desenhar no caderno os ângulos agudo, reto, obtuso e desdobrado. Anotar os tipos dos ângulos; b. Desenhar dois ângulos com o mesmo lado, que fazem o ângulo desdobrado. 2. Preparar quatro quadradinhos de papel para próxima aula. 1 No origami utiliza-se um simbolo especial para identificar o ângulo reto. (???)

14 Aula 5 As medidas dos ângulos. A bissetriz do ângulo Os todos sabem muito bem vários instrumentos geométricos tais como: régua, compasso, triângulo. Com ajuda do triângulo pode desenhar o ângulo reto e também verificar (ou definir) os tipos dos ângulos nos desenhos. Exercícios propostos: usando o triângulo definir os tipos dos ângulos que vocês fizeram em casa; usando o triângulo desenhar cinco ângulos retos em diferentes posições; Sabemos que podemos medir os segmentos usando a régua. Quais unidades das medidas das retas vocês sabem? Também podemos medir os ângulos. A unidade das medidas dos ângulos é um grau. Se vamos medir o ângulo desdobrado obtemos o valor 180 graus. Sabemos que o ângulo reto é igual a metade do ângulo desdobrado. Portanto o ângulo reto é igual a 90 graus. Exercício proposto: Sabendo que o ângulo agudo é menos que o ângulo reto, e o ângulo obtuso é maior que o ângulo reto, apresenta os exemplos dos valores dos ângulos agudo e obtuso. Pega uma folha de papel e dobrando dela faz um ângulo. Indica este ângulo com a letra A (Figura 2a). Dobramos o ângulo BAC de modo que a linha de dobra AD passa através do ponto A e a linha AB coincide com a linha AC (tem que fazer a dobra no lado contrario das dobraduras AB e AC). Neste caso o ângulo BAC divide-se ao meio, e o raio AD chama-se bissetriz do ângulo BAC. B B B A A A D B C C C a b c Figura 2 A esquema da formação bissetriz de um ângulo.

15 Dobrando uma folha de papel vamos fazer os ângulos de 90 graus e 45 graus. Usando a esquema fazemos a figura raposa. Esta figura é conhecida como uma figura de origami e foi desenvolvida na Japão. Exercício proposto: Definir todos os ângulos na esquema dado pelo professor. Procure os bissetrizes dos ângulos. Tema (Para fazer em casa) 1. Fazer os seguintes exercícios no caderno: a. desenhar com ajuda do triângulo três ângulos retos nas posições diferentes; b. o ângulo AOB é igual 48 graus. O raio OC - é a bissetriz do ângulo AOB. Calcula o valor do ângulo AOM. 2. Preparar um jornal e os quatro quadradinhos de papel para próxima aula. Aula 6 Os ângulos adjacentes Hoje vamos conhecer um novo tipo dos ângulos - os ângulos adjacentes. Pegamos uma folha de papel e dobramos dela formando as duas linhas cruzadas. Desdobrando a folha podemos ver os quatro ângulos. Numeramos eles no sentido dos ponteiros. Os ângulos 1 e 2 têm o mesmo vértice e o mesmo lado. Os dois outros lados dos ângulos 1 e 2 fazem uma linha reta. Tais ângulos chamam-se os ângulos adjacentes. Exercício proposto: Verifique que na folha desdobrada temos os quatro pares dos ângulos adjacentes. Indica todos os estes ângulos. A soma de dois ângulos é igual ao ângulo desdobrado. Portanto, a soma dos dois ângulos adjacentes é igual a 180 graus. Exercício proposto: Desenhar no caderno os ângulos adjacentes e anotar deles. Usando a esquema do desenho 5, vamos construir um chapéu de Chapeuzinho Vermelho. Este é um modelo clássico de origami. Para fazer este

16 modelo utilizam a forma básica triângulo. No processo do trabalho tem que fazer os seguintes exercícios: 1. Marca todos os pares dos ângulos adjacentes na esquema do modelo (desenho 5); 2. Faz o chapéu usando o papel de jornal para si mesmo. a. Fazer a forma básica triângulo. b. Dobrar para baixo, dividindo Colocar com ângulo reto abaixo. mentalmente o ângulo por três partes iguais. c. Dobrar para cima os dois triângulos d. Dobrar para cima o triângulo de flancos e um triangulo de baixo. de baixo. e. Abre a chapeuzinho. Desenho 5 Chapéu de Chapeuzinho Vermelho. Tema (para fazer em casa) 1. Usando a esquema do desenho 5, fazer um chapéu. No processo do trabalho responder dos seguintes perguntas: a. Quantos pares dos ângulos adjacentes tem na esquema? b. Calcula o valor de todos os ângulos. 2. Fazer no caderno o seguinte exercício: a. desenha os ângulos adjacentes ADC e CDK ; b. calcule o valor do ângulo ADC se este ângulo é em três vezes maior que o ângulo adjacente. 3. Prepare os quatro quadradinhos de papel para próxima aula.

17 Conclusão O método didático do ensino da geometria nas escolas - origametria utiliza uma interligação das noções geométricas com a construção e analise das figuras concretas do arte japonesa Origami permite desenvolver as capacidades criativos dos alunos, o pensamento construtivo, logicomatemático e imaginação espacial dos alunos. A programa deste curso apresentada neste trabalho pode ser usada no processo de ensino da geometria nas serias iniciais (ou nas quintas séries) com as modificações baseadas na experiência própria do professor e turma concreta dos alunos. Notas (1) Universidade da Pedagogia de Moscou. (2) Escola n.º 549 de Moscou. (3) Universidade Federal de Pelotas RS. (4) Alguns autores propõem também a origem da origami na Espanha. (5) Emires Luis M. Geometria das dobraduras., São Paulo., 1988 (6) No origami utiliza-se um símbolo especial para identificar o ângulo reto. Referências bibliográficas CHIKANTSEVA, N. Origami ajuda da geometria. Moscou : MPGU, (Em russo).. Origami em geometria. Moscou, (Em russo). IMENES, Luis M. Geometria das dobraduras. São Paulo : Supione, 1988 KANEGAL, Mari; HAGA Alice. Brincando com papel. São Paulo : Letras e Imagens, 1986 ASCHENBACH, Maria Helena Costa Valente. As dobraduras de papel. São Paulo : Nobel, JACKSON, Paul; AÇOURT, Angela. Origami e artesanato em papel. Erechim : Edelbra, 1996.

ÂNGULOS. Dados dois pontos distintos, a reunião do conjunto desses dois pontos com o conjunto dos pontos que estão entre eles é o segmento de reta.

ÂNGULOS. Dados dois pontos distintos, a reunião do conjunto desses dois pontos com o conjunto dos pontos que estão entre eles é o segmento de reta. ÂNGULOS 1 CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES 1.1 Notação de ponto, reta e plano: a) Letras: Ponto: letras maiúsculas: A, B, C,... Reta: letras minúsculas: a,b,c... Plano: letras gregas minúsculas: α, β, γ,...

Leia mais

Aula 31.1 Conteúdo: Fundamentos da Geometria: Ponto, Reta e Plano. FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA MATEMÁTICA

Aula 31.1 Conteúdo: Fundamentos da Geometria: Ponto, Reta e Plano. FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA MATEMÁTICA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 31.1 Conteúdo: Fundamentos da Geometria: Ponto, Reta e Plano. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Identificar

Leia mais

Sugestão: Use papel transparente para copiar as figuras e comparar os lados e os ângulos.

Sugestão: Use papel transparente para copiar as figuras e comparar os lados e os ângulos. Você se lembra dos triângulos e quadriláteros do final da Aula 28? Eles estão reproduzidos na figura abaixo. Observe que a forma de cada triângulo, por exemplo, varia conforme aumentamos ou diminuímos

Leia mais

Os ângulos estão sempre presentes em nossa vida e quase não nos damos conta disso. Quer ver?

Os ângulos estão sempre presentes em nossa vida e quase não nos damos conta disso. Quer ver? Se você observar um ângulo de 20 (20 graus) por uma lente que aumenta quatro vezes um objeto, qual será a amplitude (ou abertura) do ângulo visto por você através da lente? Um avião parte de uma cidade

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo INTRODUÇÃO Os ângulos são formados por duas semi-retas que têm a mesma origem O. OBS.: o ângulo é denominado

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo DEFINIÇÃO Triângulo ou trilátero é um polígono de três lados. Observações: a) O triângulo não possui diagonais;

Leia mais

DESENHO TÉCNICO ( AULA 02)

DESENHO TÉCNICO ( AULA 02) DESENHO TÉCNICO ( AULA 02) Posições da reta e do plano no espaço A geometria, ramo da Matemática que estuda as figuras geométricas, preocupa-se também com a posição que os objetos ocupam no espaço. A reta

Leia mais

Oficina Geoplano. As atividades apresentadas têm o objetivo de desenvolver as seguintes habilidades:

Oficina Geoplano. As atividades apresentadas têm o objetivo de desenvolver as seguintes habilidades: Oficina Geoplano 1. Introdução O objetivo desta oficina é trabalhar com os alunos alguns conceitos ligados a medidas de comprimento e área de figuras planas, bem como investigar o Teorema de Pitágoras.

Leia mais

GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL

GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL .. PARALELEPÍPEDOS RETÂNGULOS Um paralelepípedo retângulo é um prisma reto cujas bases são retângulos. AB CD A' B' C' D' a BC AD B' C' A' D' b COMPRIMENTO LARGURA AA' BB' CC'

Leia mais

Nome: Nº: Disciplina: Matemática. Professor: Sandro Dias Martins CONTEÚDO DE MATEMÁTICA (ÂNGULOS)

Nome: Nº: Disciplina: Matemática. Professor: Sandro Dias Martins CONTEÚDO DE MATEMÁTICA (ÂNGULOS) Nota: Nome: Nº: Disciplina: Matemática Professor: Sandro Dias Martins Turma: Data: / / 20 CONTEÚDO DE MATEMÁTICA (ÂNGULOS) O ÂNGULO E SEUS ELEMENTOS Duas semi-retas que não estejam contidas na mesma reta,

Leia mais

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de de 4ª Série Fundamental TEMA I ESPAÇO E FORMA A compreensão do espaço com suas dimensões e formas de constituição são elementos necessários

Leia mais

Com base no texto e assuntos ligados a ele, marque a alternativa correta nas questões 02 e 03.

Com base no texto e assuntos ligados a ele, marque a alternativa correta nas questões 02 e 03. 1º BIM P2 HABILIDADES LISTA DE EXERCÍCIOS MATEMÁTICA 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno:... Data: / /2014 Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte

Leia mais

Canguru Matemático sem Fronteiras 2009

Canguru Matemático sem Fronteiras 2009 Destinatários: alunos dos 7 e 8 anos de Escolaridade Nome: Turma: Duração: 1h30min Não podes usar calculadora. Há apenas uma resposta correcta em cada questão. As questões estão agrupadas em três níveis:

Leia mais

Revisional 3 Bim - MARCELO

Revisional 3 Bim - MARCELO 6º Ano Revisional 3 Bim - MARCELO 1) Represente no papel quatro pontos distintos e, por eles, determine dois segmentos de reta distintos. 2) Observe os segmentos de reta na figura. Escreva quantos são

Leia mais

Classificac a o segundo os lados. Geometria plana e analı tica. Congrue ncia de tria ngulos. Tria ngulo reta ngulo. Tria ngulos

Classificac a o segundo os lados. Geometria plana e analı tica. Congrue ncia de tria ngulos. Tria ngulo reta ngulo. Tria ngulos Classificac a o segundo os lados MA092 Francisco A. M. Gomes UNICAMP - IMECC Classificac a o Um tria ngulo e Equila tero, se tem tre s lados congruentes. Iso sceles, se tem dois lados congruentes. Escaleno,

Leia mais

Escola E.B. 2,3 General Serpa Pinto Cinfães Proposta de resolução da ficha formativa nº /2013

Escola E.B. 2,3 General Serpa Pinto Cinfães Proposta de resolução da ficha formativa nº /2013 Escola E.B. 2,3 General Serpa Pinto Cinfães Proposta de resolução da ficha formativa nº 2-2012/2013 1. A figura ao lado representa o polígono da base de uma pirâmide. Indica, justificando: 1.1. o nome

Leia mais

esquerda e repetia esse processo até chegar ao ponto A novamente. a) Faça um esboço dessa figura com os três primeiros segmentos.

esquerda e repetia esse processo até chegar ao ponto A novamente. a) Faça um esboço dessa figura com os três primeiros segmentos. ATIVIDADES PARA RECUPERAÇÃO PARALELA - MATEMÁTICA PROFESSOR: CLAUZIR PAIVA NASCIMENTO TURMA: 8º ANO REVISÃO 1) A medida de um ângulo interno de um polígono é o dobro da medida do seu ângulo externo. Qual

Leia mais

Relembrando: Ângulos, Triângulos e Trigonometria...

Relembrando: Ângulos, Triângulos e Trigonometria... Relembrando: Ângulos, Triângulos e Trigonometria... Este texto é apenas um resumo. Procure estudar esses assuntos em um livro apropriado. Ângulo é a região de um plano delimitada pelo encontro de duas

Leia mais

MAT-230 Diurno 1ª Folha de Exercícios

MAT-230 Diurno 1ª Folha de Exercícios MAT-230 Diurno 1ª Folha de Exercícios Prof. Paulo F. Leite agosto de 2009 1 Problemas de Geometria 1. Num triângulo isósceles a mediana, a bissetriz e a altura relativas à base coincidem. 2. Sejam A e

Leia mais

DESENHO. 1º Bimestre. AULA 1 Instrumentos de Desenho e Conceitos Básicos de Construções Geométricas Professor Luciano Nóbrega

DESENHO. 1º Bimestre. AULA 1 Instrumentos de Desenho e Conceitos Básicos de Construções Geométricas Professor Luciano Nóbrega DESENHO Felizes aqueles que se divertem com problemas Matemáticos que educam a alma e elevam o espírito. (Fraçois Fenelon Educador Francês) AULA 1 Instrumentos de Desenho e Conceitos Básicos de Construções

Leia mais

Figura disponível em: .

Figura disponível em: <http://soumaisenem.com.br/fisica/conhecimentos-basicos-e-fundamentais/grandezas-escalares-egrandezas-vetoriais>. n. 7 VETORES vetor é um segmento orientado; são representações de forças, as quais incluem direção, sentido, intensidade e ponto de aplicação; o módulo, a direção e o sentido caracterizam um vetor: módulo

Leia mais

EMEF PROFESSORA MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID. Plano de aula 4 Abril de Ângulos

EMEF PROFESSORA MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID. Plano de aula 4 Abril de Ângulos EMEF PROFESSORA MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID Plano de aula 4 Abril de 2015 Ângulos Bolsistas: Mévelin Maus, Patrícia Lombelo, Natacha Subtil. Supervisora: Marlete Basso Roman Disciplina: Matemática

Leia mais

POLÍGONOS TRIÂNGULOS E QUADRILÁTEROS

POLÍGONOS TRIÂNGULOS E QUADRILÁTEROS 7º ANO POLÍGONOS TRIÂNGULOS E QUADRILÁTEROS Ângulos e triângulos Nuno Marreiros Antes de começar O Alfabeto Grego O alfabeto utilizado para escrever a Língua grega teve o seu desenvolvimento por volta

Leia mais

Cubo, prismas, cilindro

Cubo, prismas, cilindro A UUL AL A Cubo, prismas, cilindro Qual é a quantidade de espaço que um sólido ocupa? Esta é uma das principais questões quando estudamos as figuras espaciais. Para respondê-la, a geometria compara esse

Leia mais

Geometria Espacial PRISMA RETO DE BASE TRIANGULAR (OU PRISMA TRIANGULAR)

Geometria Espacial PRISMA RETO DE BASE TRIANGULAR (OU PRISMA TRIANGULAR) Espacial 1 PRISMAS Os prismas são sólidos geométricos bastante recorrentes em Espacial. Podemos definir o prisma da seguinte forma: PRISMA RETO DE BASE TRIANGULAR (OU PRISMA TRIANGULAR) Prisma é um sólido

Leia mais

Aula 3: Paradoxos, Topologia, Geometria e Diversão. Atividade 1: Alguns paradoxos matemáticos. O paradoxo da linha que se anula.

Aula 3: Paradoxos, Topologia, Geometria e Diversão. Atividade 1: Alguns paradoxos matemáticos. O paradoxo da linha que se anula. Aula 3: Paradoxos, Topologia, Geometria e Diversão Nesta aula, trabalharemos mais com atividades manuais. Traremos algumas atividades envolvendo paradoxos matemáticos, topologia e atividades de construção

Leia mais

OS PRISMAS. 1) Definição e Elementos :

OS PRISMAS. 1) Definição e Elementos : 1 OS PRISMAS 1) Definição e Elementos : Dados dois planos paralelos α e β, um polígono contido em um desses planos e um reta r, que intercepta esses planos, chamamos de PRISMA o conjunto de todos os segmentos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS ANSELMO DE ANDRADE 9º ANO ANO LECTIVO

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS ANSELMO DE ANDRADE 9º ANO ANO LECTIVO ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS ANSELMO DE ANDRADE 9º ANO ANO LECTIVO 2011-2012 Sólidos Geométricos NOME: Nº TURMA: Polígonos Um polígono é uma figura geométrica plana limitada por uma linha fechada.

Leia mais

PLANO DE AULA Autora: Descritor: Série: Número de aulas previstas: Conteúdos: Objetivos:

PLANO DE AULA Autora: Descritor: Série: Número de aulas previstas: Conteúdos: Objetivos: PLANO DE AULA Autora: Professora Rosa Descritor: Identificar propriedades de triângulos pela comparação de medidas de lados e ângulos Série: 8º ano Número de aulas previstas: 15 aulas Conteúdos: Elementos

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º

Leia mais

Escola Básica de Ribeirão (Sede) ANO LETIVO 2011/2012 Ficha de Trabalho Abril 2012 Nome: N.º: Turma: Compilação de Exercícios de Exames Nacionais (EN) e de Testes Intermédios (TI) Tema: Circunferência

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Novas Tecnologias no Ensino da Matemática 2º semestre 2004/2005 Patrícia Alexandra Simões Lopes n.º 27830 Índice: Introdução - Introdução Histórica; - Introdução ao Trabalho;

Leia mais

Programa de Matemática 1.º ano

Programa de Matemática 1.º ano Programa de Matemática 1.º ano Introdução A Matemática é uma das ciências mais antigas e é igualmente das mais antigas disciplinas escolares, tendo sempre ocupado, ao longo dos tempos, um lugar de relevo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/ º Ano Matemática. METAS Domínios/Conteúdos Objetivos Descritores de Desempenho

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/ º Ano Matemática. METAS Domínios/Conteúdos Objetivos Descritores de Desempenho METAS Domínios/Conteúdos Objetivos Descritores de Desempenho Número e Operações - Números naturais 1. Contar 1.1. Reconhecer que se poderia prosseguir a contagem indefinidamente introduzindo regras de

Leia mais

III CAPÍTULO 21 ÁREAS DE POLÍGONOS

III CAPÍTULO 21 ÁREAS DE POLÍGONOS 1 - RECORDANDO Até agora, nós vimos como calcular pontos, retas, ângulos e distâncias, mas não vimos como calcular a área de nenhuma figura. Na aula de hoje nós vamos estudar a área de polígonos: além

Leia mais

Canguru Matemático sem Fronteiras 2010

Canguru Matemático sem Fronteiras 2010 Canguru Matemático sem Fronteiras 2010 Duração: 1h30min Destinatários: alunos do 12 Ano de Escolaridade Nome: Turma: Não podes usar calculadora. Há apenas uma resposta correcta em cada questão. As questões

Leia mais

Circunferência. MA092 Geometria plana e analítica. Interior e exterior. Circunferência e círculo. Francisco A. M. Gomes

Circunferência. MA092 Geometria plana e analítica. Interior e exterior. Circunferência e círculo. Francisco A. M. Gomes Circunferência MA092 Geometria plana e analítica Francisco A. M. Gomes UNICAMP - IMECC Setembro de 2016 A circunferência é o conjunto dos pontos de um plano que estão a uma mesma distância (denominada

Leia mais

MULTIPLOS; DIVISORES; TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E GEOMETRIA PROFª GERLAINE ALVES

MULTIPLOS; DIVISORES; TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E GEOMETRIA PROFª GERLAINE ALVES MULTIPLOS; DIVISORES; TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E GEOMETRIA PROFª GERLAINE ALVES MULTIPLOS E DIVISORES MULTIPLOS E DIVISORES MULTIPLOS E DIVISORES MULTIPLOS E DIVISORES MULTIPLOS E DIVISORES MULTIPLOS E

Leia mais

Receita para ter sucesso em Matemática

Receita para ter sucesso em Matemática Receita para ter sucesso em Matemática Muita atenção nas aulas + Estudo q. b. + Interesse + Organização + Salpicar com muita brincadeira nos tempos livres + Misturar com a disponibilidade, a exigência

Leia mais

a) Triângulo retângulo: É o triângulo que possui um ângulo reto (90 ).

a) Triângulo retângulo: É o triângulo que possui um ângulo reto (90 ). Geometria Analítica Módulo 1 Revisão de funções trigonométricas, Vetores: Definições e aplicações Módulo, direção e sentido. Igualdades entre vetores 1. Revisão de funções trigonométricas a) Triângulo

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO ENSINO MÉDIO 4º. BIMESTRE

EXERCÍCIOS DE REVISÃO ENSINO MÉDIO 4º. BIMESTRE EXERCÍCIOS DE REVISÃO ENSINO MÉDIO 4º. BIMESTRE 1ª. SÉRIE Exercícios de PA e PG 1. Determinar o 61º termo da PA ( 9,13,17,21,...) Resp. 249 2. Determinar a razão da PA ( a 1,a 2, a 3,...) em que o primeiro

Leia mais

A1R. Matemática - Linhas e ângulos. Matemática - Linhas e ângulos. 1. Define os conceitos de: Reta. Semirreta. Segmento de reta.

A1R. Matemática - Linhas e ângulos. Matemática - Linhas e ângulos. 1. Define os conceitos de: Reta. Semirreta. Segmento de reta. A1 Define os conceitos de: Reta Semirreta Segmento de reta A1R Reta É uma linha que não tem princípio nem fim. Semirreta É uma linha que tem princípio e não tem fim. Segmento de reta É uma linha que tem

Leia mais

Aula 7 Complementos. Exercício 1: Em um plano, por um ponto, existe e é única a reta perpendicular

Aula 7 Complementos. Exercício 1: Em um plano, por um ponto, existe e é única a reta perpendicular MODULO 1 - AULA 7 Aula 7 Complementos Apresentamos esta aula em forma de Exercícios Resolvidos, mas são resultados importantes que foram omitidos na primeira aula que tratou de Conceitos Básicos. Exercício

Leia mais

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012 Prof. Luiz Antonio do Nascimento luiz.anascimento@sp.senac.br www.lnascimento.com.br Conjuntos Propriedades das operações de adição e multiplicação: Propriedade comutativa: Adição a + b = b + a Multiplicação

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico Edital Nº

Leia mais

Canguru Matemático sem Fronteiras 2015

Canguru Matemático sem Fronteiras 2015 http://www.mat.uc.pt/canguru/ Destinatários: alunos dos 10. o e 11. o anos de escolaridade Nome: Turma: Duração: 1h 30min Não podes usar calculadora. Em cada questão deves assinalar a resposta correta.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO. 1- Ângulos Definição: Chama-se ângulo à porção de plano limitada por duas semirretas com a mesma origem.

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO. 1- Ângulos Definição: Chama-se ângulo à porção de plano limitada por duas semirretas com a mesma origem. ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO 1ª Ficha Informativa MATEMÁTICA - A 10º Ano 2012/2013 1- Ângulos Definição: Chama-se ângulo à porção de plano limitada por duas semirretas com a mesma origem. Definição:

Leia mais

Unidade. Educação Artística 161. I- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina.

Unidade. Educação Artística 161. I- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina. Unidade 1 2 Educação Artística 161 Unidade 1 I- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina. II- O lápis é o responsável direto pela boa qualidade do desenho. Classificamos

Leia mais

NOME: ANO: 3º Nº: PROFESSOR(A):

NOME: ANO: 3º Nº: PROFESSOR(A): NOME: ANO: º Nº: PROFESSOR(A): Ana Luiza Ozores DATA: Algumas definições Triângulos: REVISÃO Lista 06 Triângulos e Quadriláteros Classificação quanto aos lados: Escaleno (todos os lados diferentes), Isósceles

Leia mais

Prova Vestibular ITA 2000

Prova Vestibular ITA 2000 Prova Vestibular ITA Versão. ITA - (ITA ) Sejam f, g : R R definidas por f ( ) = e g cos 5 ( ) =. Podemos afirmar que: f é injetora e par e g é ímpar. g é sobrejetora e f é bijetora e g é par e f é ímpar

Leia mais

ESTUDO DE TRIÂNGULOS COM O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA

ESTUDO DE TRIÂNGULOS COM O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA ESTUDO DE TRIÂNGULOS COM O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA Por um ponto situado fora de uma reta se pode traçar uma e somente uma reta paralela a reta dada. Ricardo Augusto de Oliveira. RICARDO AUGUSTO DE OLIVEIRA

Leia mais

Programa da Disciplina

Programa da Disciplina INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E tecnologia PARAÍBA Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - Campus Cajazeiras Diretoria de Ensino / Coord. do Curso

Leia mais

APOSTILA I DAC CRIADO POR DÉBORA M. BUENO FRANCO PROFESSORA DE DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR FACULDADE EDUCACIONAL DE ARAUCÁRIA - FACEAR

APOSTILA I DAC CRIADO POR DÉBORA M. BUENO FRANCO PROFESSORA DE DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR FACULDADE EDUCACIONAL DE ARAUCÁRIA - FACEAR APOSTILA I DAC Alunos O material aqui disponibilizado deve ser entendido como material de apoio às aulas de Desenho Assistido por Computador, não substituindo de qualquer forma o conteúdo da disciplina

Leia mais

4 º Ano Matemática. METAS Domínios/Conteúdos Objetivos Descritores de Desempenho

4 º Ano Matemática. METAS Domínios/Conteúdos Objetivos Descritores de Desempenho METAS Domínios/Conteúdos Objetivos Descritores de Desempenho Ao longo do ano Números e Operações 3. Resolver problemas 3.1. Resolver problemas de vários passos envolvendo as quatro operações. setembro/

Leia mais

Apostila de Matemática II 3º bimestre/2016. Professora : Cristiane Fernandes

Apostila de Matemática II 3º bimestre/2016. Professora : Cristiane Fernandes Apostila de Matemática II 3º bimestre/2016 Professora : Cristiane Fernandes Pirâmide A pirâmide é uma figura geométrica espacial, um poliedro composto por uma base (triangular, pentagonal, quadrada, retangular,

Leia mais

PERSPECTIVA ISOMÉTRICA ELEMENTOS PARALELOS

PERSPECTIVA ISOMÉTRICA ELEMENTOS PARALELOS PERSPECTIVA ISOMÉTRICA ELEMENTOS PARALELOS Como estudado anteriormente, existem diferentes tipos de perspectiva (cônica, cavaleira e isométrica), veja a representação do cubo nas três perspectivas: Cada

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ARCOS ARQUITETÔNICOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ARCOS ARQUITETÔNICOS Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta exercícios e resoluções sobre ARCOS ARQUITETÔNICOS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.8c. 2005. Desenhos construídos por: Enéias de A. Prado e Maria Bernadete

Leia mais

Roteiro de Recuperação 1

Roteiro de Recuperação 1 Roteiro de Recuperação 1 Nome: Nº 8º Ano Data: / /2016 Professores Marcello, Yuri e Décio 1. Apresentação: Prezado aluno, A estrutura da recuperação bimestral paralela do Colégio Pentágono pressupõe uma

Leia mais

Tarefas de exames. Quadriláteros I. Definições e propriedades gerais. Classificações.

Tarefas de exames. Quadriláteros I. Definições e propriedades gerais. Classificações. Tarefas de exames Quadriláteros I Definições e propriedades gerais. Classificações. Neste caderno de apoio, encontras alguns exemplos de tarefas de exames de países como Portugal, Austrália, Espanha, Inglaterra,

Leia mais

SAGRADO REDE DE EDUCAÇÃO PROFESSORA :MÁRCIA CONTE 3º ANO ENSINO MÉDIO 2012

SAGRADO REDE DE EDUCAÇÃO PROFESSORA :MÁRCIA CONTE 3º ANO ENSINO MÉDIO 2012 SAGRADO REDE DE EDUCAÇÃO PROFESSORA :MÁRCIA CONTE 3º ANO ENSINO MÉDIO 2012 -POLÍGONOS REGULARES -APÓTEMAS DE BASES REGULARES -PONTOS NOTÁVEIS NO TRIÂNGULO -COMPRIMENTO DA CIRCUNFERÊNCIA -ÁREA DO CÍRCULO

Leia mais

GEOMETRIA DE POSIÇÃO OU GEOMETRIA EUCLIDIANA

GEOMETRIA DE POSIÇÃO OU GEOMETRIA EUCLIDIANA GEOMETRIA DE POSIÇÃO OU GEOMETRIA EUCLIDIANA PONTO, RETA, PLANO E ESPAÇO; PROPOSIÇÕES GEOMÉTRICAS; POSIÇOES RELATIVAS POSIÇÕES RELATIVAS ENTRE PONTO E RETA POSIÇÕES RELATIVAS DE PONTO E PLANO POSIÇÕES

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade Unidade de Ensino: OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS ABSOLUTOS (adição e subtracção). Tempo Previsto: 3 semanas O reconhecimento do conjunto dos racionais positivos, das diferentes formas de representação

Leia mais

MATEMÁTICA ENSINO FUNDAMENTAL

MATEMÁTICA ENSINO FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP APRESENTAÇÃO Nesta apostila, a intenção é que você adquira a capacidade de visualizar e nomear, pontos, retas, planos, ângulos e reconhecer triângulos. É uma pequena

Leia mais

Áreas parte 1. Rodrigo Lucio Silva Isabelle Araújo

Áreas parte 1. Rodrigo Lucio Silva Isabelle Araújo Áreas parte 1 Rodrigo Lucio Silva Isabelle Araújo Introdução Desde os egípcios, que procuravam medir e demarcar suas terras, até hoje, quando topógrafos, engenheiros e arquitetos fazem seus mapeamentos

Leia mais

O que é ângulo. Ângulo é a figura formada por duas semiretas. origem. Essas semiretas são os lados do ângulo e a origem comum é o vértice de ângulo.

O que é ângulo. Ângulo é a figura formada por duas semiretas. origem. Essas semiretas são os lados do ângulo e a origem comum é o vértice de ângulo. ÂNGULOS O que é ângulo. Ângulo é a figura formada por duas semiretas com a mesma origem. Essas semiretas são os lados do ângulo e a origem comum é o vértice de ângulo. Uma notação bastante usada hoje

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 7º ano Ano Letivo: Professor(s): Eni e Patrícia

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 7º ano Ano Letivo: Professor(s): Eni e Patrícia Planejamento Anual Componente Curricular: Matemática Ano: 7º ano Ano Letivo: 2016 Professor(s): Eni e Patrícia OBJETIVO GERAL Desenvolver e aprimorar estruturas cognitivas de interpretação, análise, síntese,

Leia mais

3.6 TRIÂNGULOS. Definição: Dados três pontos A, B e C, no plano e não-colineares, a figura formada pelos segmentos AB, BC e AC chamamos de triângulo.

3.6 TRIÂNGULOS. Definição: Dados três pontos A, B e C, no plano e não-colineares, a figura formada pelos segmentos AB, BC e AC chamamos de triângulo. 21 3.6 TRIÂNGULOS Definição: Dados três pontos A, B e C, no plano e não-colineares, a figura formada pelos segmentos AB, BC e AC chamamos de triângulo. Propriedades P1. Num triângulo qualquer, a soma das

Leia mais

Ciclo Trigonomé trico

Ciclo Trigonomé trico Ciclo Trigonomé trico Aluno: Professores: Camila Machado, Joelson Rolino, Josiane Paccini, Rafaela Fidelis, Rafaela Nascimento. Aula 1 As origens da trigonometria Não se sabe ao certo da origem da trigonometria,

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS TANGÊNCIA

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS TANGÊNCIA 1 Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta exercícios e resoluções sobre TANGÊNCIA em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.6c. 2005. Desenhos construídos por: Enéias de A. Prado. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017

Plano Curricular de Matemática 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 1.º Período - Números naturais Números e operações Contar Estender as regras de construção dos numerais decimais para classes de grandeza indefinida; Conhecer os diferentes

Leia mais

Geometria Métrica na Babilônia, Egito, Grécia.

Geometria Métrica na Babilônia, Egito, Grécia. Geometria Métrica na Babilônia, Egito, Grécia. Autor: Christian Fernando Cordeiro Pinheiro Disciplina de História da Matemática Universidade Federal de Alfenas Professora: Andréa Cardoso Introdução Geometria

Leia mais

Geometria plana. Índice. Polígonos. Triângulos. Congruência de triângulos. Semelhança de triângulos. Relações métricas no triângulo retângulo

Geometria plana. Índice. Polígonos. Triângulos. Congruência de triângulos. Semelhança de triângulos. Relações métricas no triângulo retângulo Índice Geometria plana Polígonos Triângulos Congruência de triângulos Semelhança de triângulos Relações métricas no triângulo retângulo Quadriláteros Teorema de Tales Esquadros de madeira www.ser.com.br

Leia mais

PRIMEIRA LISTA DE EXERCICIOS DE GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL

PRIMEIRA LISTA DE EXERCICIOS DE GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL PRIMEIRA LISTA DE EXERCICIOS DE GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL I) Completes a lacunas: a) Postulado 1 - Por dois pontos...passa uma e só uma reta b) Postulado 2 Para todo...ab e todo...cd exist um único...e

Leia mais

AVF - MA Gabarito

AVF - MA Gabarito MESTRADO PROFISSIONAL EM MATEMÁTICA EM REDE NACIONAL AVF - MA13-016.1 - Gabarito Questão 01 [,00 pts ] Em um triângulo ABC de perímetro 9, o lado BC mede 3 e a distância entre os pés das bissetrizes interna

Leia mais

P (A) n(a) AB tra. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

P (A) n(a) AB tra. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. NOTAÇÕES N = f; ; 3; : : :g i : unidade imaginária: i = R : conjunto dos números reais jzj : módulo do número z C C : conjunto dos números complexos Re z : parte real do número z C [a; b] = fx R; a x bg

Leia mais

Grupo 1 - N1M2 - PIC OBMEP 2011 Módulo 2 - Geometria. Resumo do Encontro 6, 22 de setembro de Questões de geometria das provas da OBMEP

Grupo 1 - N1M2 - PIC OBMEP 2011 Módulo 2 - Geometria. Resumo do Encontro 6, 22 de setembro de Questões de geometria das provas da OBMEP Grupo 1 - N1M2 - PIC OBMEP 2011 Módulo 2 - Geometria Resumo do Encontro 6, 22 de setembro de 2012 Questões de geometria das provas da OBMEP http://www.obmep.org.br/provas.htm 1. Áreas - capítulo 2 da apostila

Leia mais

Resolução de problemas. Meta Final 1) Compreende o problema. Meta Final 2) Concebe estratégias de resolução de problemas.

Resolução de problemas. Meta Final 1) Compreende o problema. Meta Final 2) Concebe estratégias de resolução de problemas. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA E.B 2,3 LUÍS DE CAMÕES DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PROJECTO CURRICULAR DE MATEMÁTICA - 9.º ANO - 2014/2015 Critérios de Avaliação Capacidades

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA 5º ANO MONIQUE MATEMÁTICA CONTEÚDOS:

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA 5º ANO MONIQUE MATEMÁTICA CONTEÚDOS: A soberba não é grandeza, é inchaço. O que incha parece grande, mas não está são. Santo Agostinho CONTEÚDOS: Livro didático Matemática- Projeto Ápis Luiz Roberto Dante Editora Ática Capítulos: 9,10 e 11

Leia mais

Av. João Pessoa, 100 Magalhães Laguna / Santa Catarina CEP

Av. João Pessoa, 100 Magalhães Laguna / Santa Catarina CEP Disciplina: Matemática Curso: Ensino Médio Professor(a): Flávio Calônico Júnior Turma: 3ª Série E M E N T A II Trimestre 2013 Conteúdos Programáticos Data 21/maio 28/maio Conteúdo FUNÇÃO MODULAR Interpretação

Leia mais

META Introduzir e explorar o conceito de congruência de segmentos e de triângulos.

META Introduzir e explorar o conceito de congruência de segmentos e de triângulos. META Introduzir e explorar o conceito de congruência de segmentos e de triângulos. AULA 3 OBJETIVOS Identificar segmentos e ângulos congruentes. Identificar os casos de congruência de triângulos. Usar

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA INFORMÁTICA DISCIPLINA: Matemática (6º Ano) METAS CURRICULARES/CONTEÚDOS... 1º PERÍODO - (15 de setembro a 16 de dezembro)

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA INFORMÁTICA DISCIPLINA: Matemática (6º Ano) METAS CURRICULARES/CONTEÚDOS... 1º PERÍODO - (15 de setembro a 16 de dezembro) ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA INFORMÁTICA DISCIPLINA: Matemática (6º Ano) METAS CURRICULARES/CONTEÚDOS... 1º PERÍODO - (15 de setembro a 16 de dezembro) Números e operações - Números

Leia mais

UNICAMP Você na elite das universidades! MATEMÁTICA ELITE SEGUNDA FASE

UNICAMP Você na elite das universidades! MATEMÁTICA ELITE SEGUNDA FASE www.elitecampinas.com.br Fone: (19) -71 O ELITE RESOLVE IME 004 PORTUGUÊS/INGLÊS Você na elite das universidades! UNICAMP 004 SEGUNDA FASE MATEMÁTICA www.elitecampinas.com.br Fone: (19) 51-101 O ELITE

Leia mais

1 Geometria Analítica Plana

1 Geometria Analítica Plana UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ CAMPUS DE CAMPO MOURÃO Curso: Matemática, 1º ano Disciplina: Geometria Analítica e Álgebra Linear Professora: Gislaine Aparecida Periçaro 1 Geometria Analítica Plana A Geometria

Leia mais

Geometria. Nome: N.ª: Ano: Turma: POLÍGONOS = POLI (muitos) + GONOS (ângulos)

Geometria. Nome: N.ª: Ano: Turma: POLÍGONOS = POLI (muitos) + GONOS (ângulos) MATEMÁTICA 3º CICLO FICHA 16 Geometria regular inscrito numa circunferência Nome: N.ª: Ano: Turma: Data: / / 20 POLÍGONOS = POLI (muitos) + GONOS (ângulos) é uma figura plana limitada por segmentos de

Leia mais

Unidade. Educação Artística 171. l- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina.

Unidade. Educação Artística 171. l- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina. 2 Educação Artística 171 Unidade 1 l- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina. ll- O lápis é o responsável direto pela boa qualidade do desenho e é classificado,

Leia mais

3ª Eduardo e Ana. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

3ª Eduardo e Ana. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática 3ª Eduardo e Ana 8 Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Competência 3 Foco: Espaço e Forma Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2014

PLANEJAMENTO ANUAL 2014 PLANEJAMENTO ANUAL 2014 Disciplina: GEOMETRIA Período: Anual Professor: JOÃO MARTINS Série e segmento: 7º ANO 1º TRIMESTRE 2º TRIMESTRE 3º TRIMESTRE - Identificar e representar um ângulo e seus elementos.

Leia mais

XXXV Olimpíada Cearense de Matemática Nível 3 - Ensino Médio

XXXV Olimpíada Cearense de Matemática Nível 3 - Ensino Médio XXXV Olimpíada Cearense de Matemática Nível 3 - Ensino Médio Reservado para a correção Prova Probl. 1 Probl. Probl. 3 Probl. 4 Probl. 5 Total # 3000 Nota - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

DESCOBRINDO O TEOREMA DE PITÁGORAS

DESCOBRINDO O TEOREMA DE PITÁGORAS DESCOBRINDO O TEOREMA DE PITÁGORAS Instituição de Ensino Bolsistas ID Supervisor Coordenador Escola Municipal Coronel Durival Britto e Silva Jaqueline Hoschele e Adriano Cesar Bueno. Juliana da Cruz de

Leia mais

FIGURAS PLANAS E O CÁLCULO DE ÁREAS

FIGURAS PLANAS E O CÁLCULO DE ÁREAS unifmu Nome: Professor: Ricardo Luís de Souza Curso de Design Matemática Aplicada Atividade Exploratória III Turma: Data: FIGURAS PLANAS E O CÁLCULO DE ÁREAS Objetivo: Rever o conceito de área de figuras

Leia mais

Matemática - 3ª série Roteiro 04 Caderno do Aluno. Estudo da Reta

Matemática - 3ª série Roteiro 04 Caderno do Aluno. Estudo da Reta Matemática - 3ª série Roteiro 04 Caderno do Aluno Estudo da Reta I - Inclinação de uma reta () direção É a medida do ângulo que a reta forma com o semieixo das abscissas (positivo) no sentido anti-horário.

Leia mais

Exercícios Extras-Relações Métricas no Triângulo Retângulo-Lei dos Cossenos e Senos- 1 s anos-2015

Exercícios Extras-Relações Métricas no Triângulo Retângulo-Lei dos Cossenos e Senos- 1 s anos-2015 Exercícios Extras-Relações Métricas no Triângulo Retângulo-Lei dos Cossenos e Senos- 1 s anos-015 1. (Ufsj 013) Um triângulo isósceles inscrito em um círculo de raio igual a 8 cm possui um lado que mede

Leia mais

Professor Alexandre Assis. Lista de exercícios de Geometria

Professor Alexandre Assis. Lista de exercícios de Geometria 1. A figura representa três círculos idênticos no interior do triângulo retângulo isósceles ABC. 3. Observando a figura a seguir, determine (em cm): a) o valor de x. b) a medida do segmento AN, sabendo

Leia mais

Segue, abaixo, o Roteiro de Estudo para a Verificação Global 2 (VG2), que acontecerá no dia 03 de abril de º Olímpico Matemática I

Segue, abaixo, o Roteiro de Estudo para a Verificação Global 2 (VG2), que acontecerá no dia 03 de abril de º Olímpico Matemática I 6º Olímpico Matemática I Sistema de numeração romano. Situações problema com as seis operações com números naturais (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e radiciação). Expressões numéricas

Leia mais

Orientar os alunos na obtenção do critério ângulo, ângulo (AA) de semelhança de triângulos usando como meio algumas atividades experimentais.

Orientar os alunos na obtenção do critério ângulo, ângulo (AA) de semelhança de triângulos usando como meio algumas atividades experimentais. EIXO TEMÁTICO III: ESPAÇO E FORMA Tema 1: Relações geométricas entre figuras planas Tópico 17: Teorema de tales e semelhança de triângulos Objetivos: Orientar os alunos na obtenção do critério ângulo,

Leia mais

Professor Alexandre Assis. Lista de exercícios de Geometria. 3. O retângulo ABCD está inscrito no retângulo WXYZ, como mostra a figura.

Professor Alexandre Assis. Lista de exercícios de Geometria. 3. O retângulo ABCD está inscrito no retângulo WXYZ, como mostra a figura. 3. O retângulo ABCD está inscrito no retângulo WXYZ, 1. PA é bissetriz do triângulo ABC. Determine x, y, z, t. como mostra a figura. Sabendo que åæ=2 e åî=1, determine o ângulo š para que a área de WXYZ

Leia mais

CÁLCULO DE ÁREA DAS FIGURAS PLANAS. Professor: Marcelo Silva. Natal-RN, agosto de 2013

CÁLCULO DE ÁREA DAS FIGURAS PLANAS. Professor: Marcelo Silva. Natal-RN, agosto de 2013 CÁLCULO DE ÁREA DAS FIGURAS PLANAS Professor: Marcelo Silva Natal-RN, agosto de 013 ÁREA A reunião de um polígono com sua região interior é denominada superfície do polígono. A medida da superfície é expressa

Leia mais

1- Traçar uma perpendicular ao meio de um segmento AB - Método Mediatriz.

1- Traçar uma perpendicular ao meio de um segmento AB - Método Mediatriz. 1- Traçar uma perpendicular ao meio de um segmento AB - Método Mediatriz. 1º - traçar uma reta A-B 2º - ponta seca em A (abertura do compasso um pouco maior que a metade), risca em cima e risca embaixo.

Leia mais

Noções iniciais de Desenho Geométrico

Noções iniciais de Desenho Geométrico INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Noções iniciais de Desenho Geométrico Professor: João Carmo INTRODUÇÃO O desenho é a maneira de expressar graficamente a FORMA

Leia mais

PLANO DE ENSINO Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa

PLANO DE ENSINO Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa PLANO DE ENSINO 2016 Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa Competências e Habilidades Gerais da Disciplina Desenvolver a responsabilidade e o gosto pelo trabalho em equipe; Relacionar

Leia mais