Abril Educação Divulgação do resultado: 23/03/2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abril Educação Divulgação do resultado: 23/03/2015"

Transcrição

1 13 de abril de 2015 Gabriela Cortez, CNPI Analista Mario Bernardes Junior, CNPI Analista Master Resumo das análises de resultados publicadas em inglês, referente ao 4º Trimestre de 2014 das companhias dos setores de Abril Educação Divulgação do resultado: 23/03/2015 A Abril Educação divulgou resultado fraco no 4T14. Em Fevereiro, o controle da empresa foi adquirido pela Thunnus Participações seguido de um registro de Oferta Pública de Compra para os acionistas minoritários pelo mesmo valor pago aos controladores (R$ 12,33). O Sr. Mario Ghio Júnior assumiu como CEO da área de Educação Básica, dando lugar ao Sr. Eduardo Silveira Mufarrej para assumir como CEO da companhia. Marcelo Bruzzi tornou-se o CEO responsável pelo segmento de Idiomas para adultos. Desempenho. O lucro líquido da empresa foi de R$ 58,7 milhões em 2014, uma queda de 25.6% comparada a No 4T14, houve uma redução de 11.3%, totalizando R$ 56.2 milhões. A Receita Líquida da companhia somou R$ 511,3 milhões no 4T14, um acréscimo de 9% A/A. Considerando o ano de 2014, a receita líquida total chegou a R$ 1.265,0 milhões (+22,0% A/A). Desconsiderando os efeitos de aquisições (Grupo Ometz, Sigma e Motivo) a Receita Líquida cresceu 10% A/A. EBITDA Ajustado teve um aumento de 13% no trimestre, chegando a R$ 200,4 milhões, gerando uma margem EBITDA ajustada de 39.2% (+1.0 p.p. A/A). Considerando 2014 como um todo, o EBITDA Ajustado subiu 25% A/A, chegando a R$ 389,1 milhões (margem de 30,8% p.p. A/A). Houve uma geração de caixa operacional de R$ 94 milhões no trimestre, uma alta de 61% comparada ao 4T13 em razão de (a) sazonalidade do PNLD no segmento de editoras, (b) maior volume de recebíveis advindos dos Sistemas de Ensino e da Rede Wise Up. No total anual, houve um acréscimo de 42% A/A, somando R$ milhões. ABRE3 Market Perform Preço-Alvo para 12/2015 (R$) Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 12,33 Upside 0,2% Número de Alunos. O segmento de Sistemas de Ensino (Anglo, ph, SER, GEO, Maxi e Faria Brito) finalizou o ano com 931 mil alunos, um aumento de 54% comparado ao fim de Tal aumento foi fortemente influenciado por (a) crescimento orgânico de 77 mil alunos (+14% A/A), (b) 207 mil alunos do Pronatec, (c) 42 mil alunos da rede O Líder em Mim (OLEM) que passou a operar em escolas públicas. Com relação ao segmento de idiomas, a rede Red Balloon reportou um aumento de 5.3% A/A na base de alunos e um aumento de 45% no número de franquias. No que tange a Wise Up, ressaltamos a estratégia da administração voltada para a conquista da liderança no segmento de idiomas para adultos, resultando em uma reestruturação na área, levando a um aumento de 7% no número de alunos e redução de 8% no número de franquias. Conclusão. O número de alunos da empresa subiu em quase todas as suas linhas de negócio. Além disso, o segmento de Editoras recuperou Market-share no PNLD, chegando a 25% (32 milhões de livros vendidos). Haverá um foco maior no segmento de Idiomas, especialmente na linha Wise Up e Red Balloon. Devido às recentes mudanças na administração e as incertezas sucedidas deste movimento, decidimos manter a recomendação de MarketPerform com preço-alvo para 2015 de R$ no aguardo do resultado da Oferta Pública de Aquisição. Atualmente, a empresa opera com um P/E de 18,3X para Calculamos um ROE 2015 de 7.9% e um crescimento de receita de 2015 a 2018 de 24.1%. Receita Líquida % 9.1% % Lucro Bruto % 1.8% % Margem Bruta (%) 59.3% -8.1 p.p p.p. 67.3% -1.2 p.p. EBITDA Ajustado % 13.2% % Margem EBITDA Aj.(%) 39.2% 27.2 p.p. 1.4 p.p. 30.8% 0.7 p.p. Lucro Líquido 56 n/a -11.3% % Margem Líquida(%) 11.0% 19.1 p.p p.p. 4.6% -3.0 p.p. Fonte: Abril Educação e BB Investimentos 1 / 9

2 Anima Divulgação do resultado: 26/02/2015 ANIM3 Preço-Alvo para 12/2015 (R$) 33,50 Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 17,97 Upside 86,4% O resultado da Anima para o 4T14 apresentou bom desempenho, em linha com as expectativas. A Receita Líquida somou R$ 211,5 milhões, um acréscimo de 62.5%, influenciada por (a) inclusão dos alunos da Universidade São Judas Tadeu (USJT), (b) menores taxas de evasão, (c) ajuste de mensalidades acima da inflação, (d) receita do Pronatec e (e) participação de cursos com melhores margens. A margem bruta chegou a 41,1% no 4T14 (ante 41.8% no 4T13). Em 2014, a receita líquida somou R$ 693,5 milhões com margem bruta de 48,3%, um aumento de 50.3% A/A e 1.5 p.p. A/A, respectivamente. O lucro líquido subiu 15,9% no trimestre (R$ 23,3 milhões). No total de 2014, houve um aumento de 92.3%, chegando a R$ 148,4 milhões. Integração com a USJT. No segmento presencial, a base de alunos chegou a 71 mil (+66,6% A/A). Excluindo este efeito, o aumento foi de 14%. A receita líquida totalizou R$ 186,6 milhões (+78,2% A/A) e sem os números da USJT, o aumento foi de 29.8% em EBITDA Ajustado no trimestre somou R$ 31,2 milhões com uma margem EBITDA ajustada de 14.8% (-2,8 p.p. A/A). Em 2014, o EBITDA Ajustado divulgado foi de R$ 156,0 milhões (+60,5% A/A) com margem de 22,6% (+1,4 p.p. A/A). Lembramos que há oportunidades de ganhos de sinergia e eficiência. Geração de Caixa. A geração de caixa de 2014 foi de R$ R$ 34,4 milhões, representando uma conversão EBITDA de 22% no ano (ante 52.7% em 2013). O efeito negativo foi gerado por (a) pagamento de aquisições da USJT e HSM, (b) maior prazo médio de pagamento (PN23) e (c) maior CAPEX. Qualidade de Ensino. Mais uma vez a empresa teve bom desempenho nas avaliações do MEC. A Anima obteve um score de 2,74 (numa escala de 0-5) no Índice Geral de Cursos (IGC), ao passo que a média do setor ficou entre 2,47 e 2,60. Vemos um maior foco do governo e sociedade no que tange a qualidade do ensino no país, o que, em nossa opinião, poderá influenciar a aprovação de vagas dos programas governamentais pelo MEC no futuro, deixando a Anima em uma posição mais confortável que os demais players. Conclusão. Nossa opinião é que a volatilidade no setor poderá continuar nos próximos períodos, influenciando o preço das ações tanto quanto os fundamentos. A mudança do Ministro da Educação foi vista com bons olhos pelo setor, entretanto ainda há incertezas quanto às regras de programas importantes, como o FIES. Acreditamos que a Anima está bem preparada para enfrentar o cenário desafiador que vemos para 2015, especialmente no que diz respeito às novas regras do FIES (nota mínima e alterações nos prazos de pagamento). Destacamos ainda que as últimas aquisições feitas pela empresa (USJT e Whitney) a posicionam entre as maiores do setor, com forte reconhecimento acadêmico e alta capacidade gerencial. Desta maneira, mantemos nossa recomendação em, com preço-alvo de R$ 33,50. A companhia opera com um P/E 2015 de 7,5x e calculamos que a receita líquida terá um crescimento de 33% entre 2015 e Receita Líquida % 62.5% % Lucro Bruto % 59.6% % Margem Bruta (%) 41.1% -1.8 p.p p.p. 48.3% 1.5 p.p. EBITDA Ajustado % 36.3% % Margem EBITDA Aj.(%) 14.8% 0.8 p.p p.p. 22.6% 1.4 p.p. Lucro Líquido % 15.9% % Margem Líquida(%) 11.0% p.p p.p. 21.4% 4.7 p.p. Fonte: Anima e BB Investimentos 2 / 9

3 Estácio Divulgação do resultado: 19/03/2015 ESTC3 Preço-Alvo para 12/2015 (R$) 26,50 Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 20,31 Upside 30,5% O resultado da Estácio veio acima de nossas expectativas, demonstrando que a estratégia tomada em 2008 finalmente apresentou resultados, levando a empresa para um novo patamar. O lucro líquido da companhia foi de R$ 80,9 milhões no trimestre (+79,4% A/A) e R$ 425,6 milhões em 2014 (+73,9% acima do ano anterior). A empresa fechou o ano com 437,4 mil alunos, um aumento de 38,5% A/A. Destes, 301,7 mil estavam matriculados no segmento presencial (+18,3% A/A), 83,0 mil no segmento EAD (+36,7% A/A) e 52,7 mil vieram das aquisições feitas pela empresa. O crescimento orgânico na base de alunos foi de 21,9% e os alunos Pronatec somaram 19,6 mil. Desempenho. A Estácio divulgou receita líquida de R$ 652,4 milhões no 4T14, um crescimento de 49,6% comparado com o 4T13, influenciada por (a) forte crescimento orgânico, (b) aumento do tíquete-médio presencial (+10,5%) e (c) integração das empresas adquiridas. Excluindo as aquisições, o crescimento foi de 38.3% no período. Com relação ao ano de 2014, a receita líquida totalizou R$ 2.404,5 milhões (+38,9%). A margem bruta foi de 42,5% no 4T14 e 42,8% para o ano todo, um aumento de 5.2 p.p. e 2,7 p.p., respectivamente, resultado de melhor eficiência na conta Pessoal e Aluguéis. O EBITDA da companhia subiu 102,2% no trimestre, chegando a R$ 133,1 milhões, levando a uma margem EBITDA de 20,4% (+5,3 p.p. A/A). Com relação a 2014 como um todo, houve um aumento de 66,3% comparado a 2013, e o EBITDA chegou a R$ 532,6 milhões com uma margem EBITDA de 22,2% (+3,7 p.p. A/A). Desconsiderando as aquisições, o EBITDA teria sido de R$ 495,6 milhões em 2014 (+18,5% A/A) e R$ 111,8 milhões no trimestre (+69,9% A/A). Aquisições recentes e UNISEB. As operações recémadquiridas colaboraram significativamente para o resultado da Estácio. Somadas, foram responsáveis por uma receita líquida de R$ 49,5 milhões no trimestre, com margem bruta de 48,6%. O EBITDA total ficou em R$ 21,3 milhões com margem EBITDA de 43%. A receita líquida adicionou R$ 13,3 milhões ao resultado da Estácio. Com relação à UNISEB, houve uma adição de 39,7 mil alunos (27,3 mil apenas no segmento EAD). É importante ressaltar que a relação alunos por campus da UNISEB está em 300 estudantes, ao passo que a Estácio opera com alunos por campus, gerando oportunidade de ganhos de eficiência. Conclusão. A empresa nos surpreendeu positivamente com o resultado divulgado, levando-nos a crer que a mesma está bem preparada para o ano difícil que se inicia. Lembramos que, historicamente, a Estacio optou por operar com níveis mais baixos de penetração FIES o que a coloca numa posição mais favorável comparada aos demais players, considerando que sua exposição ao FIES é de 42,3% (abaixo da média do setor de 53%). Adicionalmente, acreditamos que a aquisição da UNISEB agregará valor às operações da Estácio, principalmente no segmento EAD, devido à sua importância e representatividade. De qualquer maneira, reforçamos que a instabilidade continuará a afetar o preço das ações tanto quanto os fundamentos nos próximos meses. Com o acima exposto, resolvemos manter nossa recomendação em, com um preço-alvo de R$ 26,50 e um ROE esperado para 2015 de 23.5%. A empresa atualmente opera um P/E de 10,6x e consideramos um crescimento de receita de 28% até Receita Líquida % 49.6% 2, % Lucro Bruto % 70.6% 1, % Margem Bruta (%) 42.5% -2.5 p.p. 5.2 p.p. 42.8% 2.7 p.p. EBITDA % 102.0% % Margem EBITDA(%) 20.4% -5.8 p.p. 5.3 p.p. 22.1% 3.7 p.p. Lucro Líquido % 79.0% % Margem Líquida(%) 12.4% -8.9 p.p. 2.0 p.p. 17.7% 3.6 p.p. Fonte: Estácio e BB Investimentos 3 / 9

4 Kroton Divulgação do resultado: 19/03/2015 KROT3 Preço-Alvo para 12/2015 (R$) 17,70 Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 12,00 Upside 47,5% A Kroton divulgou um resultado positivo no 4T14. Mais uma vez, a empresa confirmou sua capacidade de extrair valor de suas aquisições, auferindo ganhos de eficiência, apesar da redução em sua base de alunos, comparada ao ano anterior. Em resposta aos últimos pronunciamentos do MEC (PN 23), a companhia divulgou uma linha de crédito estudantil própria como alternativa para as limitações do FIES (informações adicionais ainda serão divulgadas). A base total de alunos teve uma queda de 3,1% comparada ao 3T14, chegando a 986,6 mil alunos. No segmento EAD, a taxa de evasão foi de 5% para alunos de graduação e 14,1% para pós-graduação. A administração divulgou as expectativas de matrículas para o 1S15. É esperada uma queda de 5% a zero nas matrículas do segmento presencial e um crescimento de 5%-7% no segmento EAD. No total, a empresa espera um aumento de 3%-5% na sua base total de alunos, comparada à captação de Ganhos de eficiência e custos menores. A companhia divulgou uma receita líquida de R$ milhões no 4T14, um aumento de 137,2% A/A devido a (a) integração da Anhanguera e, (b) maior tíquete médio. Em 2014, como um todo, a receita líquida somou R$ milhões (+87,2% A/A). A Margem Bruta da companhia chegou a 65,7% no trimestre, um acréscimo de 1,7 p.p. comparado ao 4T13. O resultado operacional das aquisições foi positivamente influenciado por um melhor ensalamento e implementação de cursos online na grade de cursos presenciais. O EBITDA Ajustado subiu 100%, chegando a R$ milhões com uma margem EBITDA ajustada de 38,6% (+2,5 p.p. A/A) em No 4T14, o EBITDA ajustado foi de R$ 400 milhões (+131% A/A) levando a uma margem EBITDA de 32,5% (-0,8% A/A). Por fim, o lucro líquido da companhia foi de R$ 335 milhões (+142% A/A) no 4T14 e totalizou R$ milhões em 2014 (+108,8% A/A). Geração de Caixa e Capital de Giro. Houve uma redução de 12 dias (de 45 para 37) no prazo médio de recebimento (PMR) no 4T14 proforma comparado ao mesmo período de 2013, principalmente em razão de (a) recuperação de contratos FIES; (b) uma política mais restritiva de renegociação, e (c) renegociação com fornecedores. Devido às recentes alterações no cronograma de pagamento do FIES, a administração da companhia anunciou um aumento expressivo de 231% em seu PMR (de 58 para 192 dias), o que impactará negativamente sua necessidade de capital de giro, e consequentemente, sua geração de caixa para os próximos anos. Apesar disso, a geração de caixa operacional da empresa somou R$ 978,2 milhões (+72% A/A), um reflexo da consolidação das operações da Anhanguera. A conversão EBITDA ficou em 67%. Em nossa opinião, o caixa da Kroton a deixa em posição confortável para enfrentar o cenário adverso, considerando ainda que a companhia deve vender a UNIASSELVI até o fim deste ano. Conclusão. Foram várias as melhoras apresentadas pela empresa, demonstrando uma alta capacidade de obter ganhos de sinergia das operações da Anhanguera. Sua forte geração de caixa somada a sólidas práticas gerenciais serão essenciais para a boa performance da empresa no futuro. Ainda, com o intuito de mitigar os impactos negativos na captação de alunos devido às limitações no FIES, a Kroton criou seu próprio financiamento estudantil para alunos não elegíveis. Embora este funcione como uma alternativa, não acreditamos que esta medida por si só possa ser suficiente para compensar o menor nível de matrículas. Ressaltamos que as incertezas do setor ainda influenciarão os preços das ações da empresa na mesma medida que os fundamentos. A companhia opera com um P/E 2015 de 13,5x e esperamos um crescimento de receita de 49% até Desta maneira, decidimos manter nosso preço-alvo para 2015 em R$ 17,70 com recomendação. Receita Líquida 1, % 137.2% 3, % Lucro Bruto % 143.6% 2, % Margem Bruta (%) 65.7% 1.8 p.p. 1.7 p.p. 67.4% 1.9 p.p. EBITDA Ajustado % 131.2% 1, % Margem EBITDA Aj (%) 32.5% -2.3 p.p p.p. 38.6% 2.5 p.p. Lucro Líquido % 143.5% 1, % Margem Líquida(%) 27.3% 0.7 p.p. 0.7 p.p. 32.2% 3.3 p.p. Fonte: Kroton e BB Investimentos 4 / 9

5 Ser Educacional Divulgação do resultado: 30/03/2015 O resultado da Ser Educacional para o 4T14 foi positivo, corroborando a estratégia tomada pela administração, liderando a empresa para um caminho de crescimento consistente. A Ser fechou o ano com 128 mil alunos dos quais, 101 mil matriculados no segmento presencial. Adicionando os números da Universidade de Guarulhos (UNG) a base da companhia chegou a 147 mil alunos. A receita líquida somou R$ 203,9 milhões no 4T14, crescendo 63,7% A/A em razão de (a) o já mencionado incremento na base de alunos e, (b) Receita de R$ 20,5 milhões advinda da UNAMA. Em 2014, a receita líquida subiu 54,4%, totalizando R$ 705,1 milhões. Destacamos ainda a captação do 1S15 que já adiciona 45,1 mil alunos, um aumento de 21,5% com relação à captação de UNAMA e FIT tiveram um aumento impressionante de 203,7%, comparado ao 1S14 devido a uma forte estratégia de marketing, mudanças nos currículos de alguns cursos e maior tíquete-médio. Desempenho. A Receita Bruta da companhia foi de R$ 239,9 milhões no 4T14 (+55,2% A/A) altamente influenciada por três fatores: (a) maior base de alunos, (b) maior tíquetemédio e (c) dois meses de receita da UNAMA. Em 2014, a receita bruta teve um acréscimo de 50,7% A/A, totalizando R$ 833,1 milhões. A margem bruta ficou em 56,9% no trimestre (+1,3 p.p. A/A) e 62,1% em 2014 (+1,5 p.p. A/A). A empresa divulgou um EBITDA Ajustado de R$ 54,8 milhões no 4T14 (+74,1% A/A) com uma margem EBITDA Ajustada de 26,9% (+1,6 p.p. A/A). Para o ano, o EBITDA ajustado somou R$ 247,8 milhões, um aumento de 60,4% comparado a 2013, levando a uma margem EBITDA de 35,1% (+1,3 p.p. A/A). Ganhos de eficiência levaram a um lucro líquido recorde de R$ 213,9 milhões em 2014 (+83,9% A/A) e R$ 43,8 milhões no trimestre. A margem líquida teve uma melhora de 4,2 p.p. no 4T14 comparado ao 4T13, chegando a 21,5%. No total anual, a margem líquida teve um ganho de 4,9 p.p. (A/A), ficando em 30,3%. Aquisições. Nos últimos meses, a Ser Educacional divulgou a aquisição de duas importantes instituições, a Universidade de Guarulhos (SP) e o Instituto Metodista Benett (RJ), marcando o início de suas operações no Sudeste do país. O resultado do SEER3 Preço-Alvo para 12/2015 (R$) 24,40 Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 14,05 Upside 73,7% 4T14 foi divulgado em conjunto com os números da UNAMA. Os dados pro-rata não auditados da Ser com UNAMA e UNG mostraram uma Receita Líquida de R$ 934,7 milhões e uma margem bruta de 60,4%. EBITDA Ajustado foi de R$ 295,0 milhões com uma margem EBITDA Ajustada de 31,6% ao passo que o Lucro Líquido chegou a R$ 225,6 milhões com uma margem líquida de 24,1%. A companhia ainda anunciou ganhos de sinergia das operações para os próximos 12 a 18 meses. Alternativa para FIES. As incertezas que rondam o FIES encorajaram a administração da empresa a anunciar uma parceria com o Ideal Invest a fim de prover uma alternativa ao programa através do financiamento Pra Valer. O acordo consiste de uma linha de crédito de até R$ 1 bilhão para financiar alunos não-elegíveis ao financiamento governamental. Adicionalmente, a Ser tem trabalhado para o desenvolvimento de um financiamento próprio (EDUCRED) e para fechar parcerias com mais bancos para empréstimos estudantis. Conclusão. Acreditamos no potencial da Ser para enfrentar as condições adversas que estão previstas para A captação do 1S15 já ultrapassou os números do ano passado. Reforçamos que os fundamentos da empresa ainda se mantem sólidos. As regiões Norte e Nordeste apresentam taxas maiores de matrícula no ensino superior, comparada com demais regiões do país. De acordo com a companhia, o segmento de EAD será totalmente implementado até o fim de 2015, podendo gerar grandes oportunidades de ganhos de margem. Além disso, com a maturação da UNG e da UNAMA, poderá haver bons ganhos de rentabilidade e sinergia para este ano. Apesar disso, é importante lembrar que a volatilidade continuará a afetar as ações do setor tanto quanto os fundamentos devido às recentes mudanças no Ministério da Educação. Por estas razões, decidimos manter nosso preçoalvo para 2015 em R$ 24,40 com recomendação. A Ser está sendo negociada com um P/E de 8,7x e esperamos um crescimento de receita de 2015 a 2018 de 36,3% e um ROE de 32,2% para o fim de Receita Líquida % 63.7% % Lucro Bruto % 67.4% % Margem Bruta (%) 56.9% -6.7 p.p. 1.3 p.p. 62.1% 1.5 p.p. EBITDA Ajustado % 84.7% % Margem EBITDA Aj (%) 28.8% -9.6 p.p. 3.3 p.p. 36.0% 1.6 p.p. Lucro Líquido % 103.3% % Margem Líquida(%) 21.5% p.p. 4.2 p.p. 30.3% 4.9 p.p. Fonte: Ser Educacional e BB Investimentos 5 / 9

6 Grupo Fleury Divulgação do resultado: 26/02/2015 O Grupo Fleury divulgou um resultado positivo para o 4T14, reforçando os esforços do grupo para enfrentar os tempos difíceis e retomar o caminho do crescimento e ganhos de margens. Ressaltamos que a marca Fleury tem um papel importante na trajetória de crescimento do grupo juntamente com as operações em hospitais. Ademais, as operações no Rio de Janeiro mais uma vez impactaram negativamente o resultado da empresa. Os ajustes providenciados em 2013 finalmente trouxeram ganhos e efeitos positivos para o resultado do Grupo. Desempenho. A receita bruta divulgada foi de R$ 470,1 milhões no 4T14 (+6,5% A/A) e a margem bruta ficou em 23,3% (+6,3 p.p. A/A) devido, principalmente a (a) maior receita média por teste (um aumento de 8,5% A/A), (b) crescimento de dois-dígitos nas marcas premium (+11,4% A/A na marca Fleury), e (c) melhor seleção de operadoras de planos de saúde, melhor portfólio e melhor localidade de unidades. Para 2014 como um todo, a receita bruta somou R$ 1,9 bilhão (+1,2% A/A) com uma margem bruta de 23,8% (+1,4 p.p. A/A). Além disso, o lucro líquido teve um aumento de 40,3% comparado com 2013, chegando a R$ 85,8 milhões. As marcas premium influenciaram positivamente o resultado durante o trimestre. A marca Fleury unicamente apresentou um crescimento de 11,4% A/A, resultado de um reposicionamento estratégico da companhia, focando na expansão do segmento premium. A contribuição da marca para a receita consolidada subiu de 45% para 49%. No 4T14, a marca Fleury teve um implemento de 4,7 mil m², expandindo sua capacidade, visando à captação da crescente demanda por serviços de linhas premium, beneficiando os resultados do 4T14 nesta linha de negócios. Por outro lado, a receita advinda das marcas regionais diminuíram 0,7% comparada com o 4T13, impactada principalmente (a) pelas FLRY3 Preço-Alvo para 12/2015 (R$) 24,30 Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 16,60 Upside 46,4% operações no Rio de Janeiro que apresentaram uma queda de 20,6% A/A, (b) reestruturação de portfólio, e (c) reajustes nas operações a+ em São Paulo. Geração de Caixa. O EBITDA subiu 52,7% no 4T14 comparado ao mesmo período do ano passado, chegando a R$ 69,0 milhões. Se considerarmos todo o ano de 2014, o EBITDA totalizou R$ 308,3 milhões, um incremento de 10,9% A/A. Consequentemente, a companhia divulgou uma margem EBITDA de 16,3% no 4T14 e 18,4% em 2014, subindo 4,7 p.p. e 1,6 p.p., respectivamente. O endividamento líquido da companhia ficou em 1,8x EBITDA. Houve melhora de 36,3% no fluxo de caixa operacional, reportando R$ 285,7 milhões em 2014 em razão, principalmente, de (a) menor consumo de capital de giro e, (b) maior lucro antes de impostos (EBT). Como resultado, o nível de conversão do fluxo de caixa operacional/ebitda ficou em 93%. Conclusão. Após um período de grandes desafios, acreditamos que é chegado o momento de turnaround da empresa. Excluindo as operações do Rio de Janeiro, o Grupo Fleury reportou números melhores que 2013, como resultado da estratégia da companhia com foco em (a) crescimento e expansão de marcas premium, (b) reestruturação de marcas regionais visando a redução de custos e readequação de portfólio e, (c) renegociação contratual com clientes importantes. Calculamos que a receita da empresa terá um crescimento de 32% entre 2015 e Adicionalmente, orçamos um ROE para o final de 2015 de 6,1%. A empresa está atualmente sendo negociada a 19,2x seu P/E para Desta maneira, decidimos manter nossa recomendação de outperform com um preço-alvo para 2015 de R$ 24,30. Receita Líquida % 8.4% 1, % Lucro Bruto % 48.0% % Margem Bruta (%) 23.3% -3.8 p.p. 6.3 p.p. 23.8% 1.4 p.p. EBITDA Ajustado % 52.7% % Margem EBITDA Aj (%) 16.3% -5.2 p.p. 4.7 p.p. 18.4% 1.6 p.p. Lucro Líquido % n/a % Margem Líquida(%) 2.9% -3.9 p.p. 3.1 p.p. 5.1% 1.4 p.p. Fonte: Grupo Fleury e BB Investimentos 6 / 9

7 ODPV3 Preço-Alvo para 12/2015 (R$) 12,60 Odontoprev Divulgação do resultado: 26/02/2015 O resultado da Odontoprev veio em linha com nossas expectativas. A empresa reportou uma adição líquida de 61 mil beneficiários no trimestre, chegando a 6,316 mil membros (+2,34% A/A), com uma leve melhora comparada aos últimos períodos, porém abaixo dos níveis históricos. Houve melhora de margens, embora o lucro líquido ainda tenha sido tímido. Desempenho. A receita operacional líquida (ROL) no período foi beneficiada por um tíquete médio maior e por ajustes feitos em alguns contratos corporativos. A receita bruta chegou a R$ 303,0 milhões no 4T14 (+7,4% A/A) e R$ 1.156,0 em 2014 (+8,1% A/A). A administração atribuiu esta melhora ao crescimento de 3,7% no tíquete médio divulgado de R$ 16,69 no 4T14 e R$ 16,07 (+5,5% A/A em 2014), combinado com um maior número de membros nos contratos corporativos já existentes. Os custos chegaram a R$ 533,6 milhões (46,2% da ROL em 2014), representando um aumento de 1,5 p.p. comparado a Com relação ao lucro líquido, a Odontoprev reportou queda de 7,9% A/A no 4T14, com um saldo de R$ 43,4 milhões. Contabilizando o total anual, houve um crescimento de 3,5% A/A, e o lucro líquido chegou a R$ 195 milhões. A margem líquida veio abaixo das expectativas: -0,7 p.p. A/A impactada por maiores despesas de Pessoal e Terceiros. Número total de beneficiários. A estratégia adotada pela administração em aumentar a penetração em contratos corporativos já existentes adicionou 53 mil novos beneficiários ao portfólio. Os planos corporativos responderam por 81% da carteira de clientes, chegando a mil beneficiários. Já a participação dos clientes MPE subiu de 11% para 12%, representando 781 mil membros. Os planos individuais, mais uma vez, foram afetados pelos cancelamentos nas lojas de Preço mercado em 10/04/2015 (R$) 10,70 Upside 17,8% departamentos que ainda representam 80% dos clientes do segmento de varejo. Geração de Caixa. O EBITDA ajustado da companhia subiu 10,1% no 4T14, comparado ao mesmo período de 2013, para R$ 72,8 milhões. Considerando o ano de 2014 como um todo, o EBITDA ajustado chegou a R$ 305,0 milhões, um aumento de 11,8% A/A. A Odontoprev reportou uma margem EBITDA ajustada recorde de 26,4% em 2014 (+0,9 p.p. acima de 2013) e 24,1% no 4T14, 0,6 p.p. acima do 4T13. Revisão de Preço. Recentemente, a empresa divulgou parceria com a BB Seguridade para oferta de seus planos via rede de agências do Banco do Brasil, estratégia já utilizada anteriormente com sucesso em parceria com o Bradesco. Estes canais darão acesso à companhia a segmentos com menor penetração, tais como planos individuais e MPE. Além disso, os planos comercializados contam com maior tíquete médio e menor custo para a companhia, podendo levar a ganhos consideráveis de margens. Destacamos, dentre os riscos enfrentados pela empresa, as incertezas macroeconômicas para 2015 adicionadas à crescente competitividade no setor. Por fim, projetamos a receita baseados na evolução total da população e no crescimento do PIB, ao passo que ajustamos o tíquete médio da companhia pela inflação projetada para o período. Calculamos crescimento de receita de 29,2% entre 2015 e 2018 em razão de melhores políticas de preço e maior participação de planos individuais (que contam com maior tíquete médio). Adicionalmente, calculamos um ROE para 2015 de 35,1%. A companhia atualmente opera com um P/E de 23,7x para Sendo assim, decidimos manter nossa recomendação com um preço-alvo para 2015 de R$ 12,60. 4T14 T/T A/A 2014 A/A Número de Beneficiários 6, % 2.3% 6, % Tíquete Médio % 5.0% % Índice de Sinistralidade(%) 48.2% 0.1 p.p p.p. 46.2% -1.5 p.p. Receita Líquida (R$ milhão) % 7.4% 1, % Lucro Bruto (R$ milhão) % 0.0% % Margem Bruta (%) 48.9% -2.6 p.p p.p. 52.5% -0.6 p.p. EBITDA Ajustado (R$ milhão) % 10.1% % Margem EBITDA Aj. (%) 24.1% -0.8 p.p. 0.6 p.p. 26.4% 0.9 p.p. Lucro Líquido (R$ milhão) % -7.9% % Margem Líquida (%) 14.4% -1.3 p.p p.p. 16.8% -0.7 p.p. Fonte: Odontoprev e BB Investimentos 7 / 9

8 Disclaimer Informações Relevantes Este relatório foi produzido pelo BB-Banco de Investimento S.A. As informações e opiniões aqui contidas foram consolidadas ou elaboradas com base em informações obtidas de fontes, em princípio, fidedignas e de boa-fé. Entretanto, o BB-BI não declara nem garante, expressa ou tacitamente, que essas informações sejam imparciais, precisas, completas ou corretas. Todas as recomendações e estimativas apresentadas derivam do julgamento de nossos analistas e podem ser alternadas a qualquer momento sem aviso prévio, em função de mudanças que possam afetar as projeções da empresa. Este material tem por finalidade apenas informar e servir com instrumento que auxilie a tomada de decisão de investimento. Não é, e não deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de oferta para comprar ou vender quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. É vedada a reprodução, distribuição ou publicação deste material, integral ou parcialmente, para qualquer finalidade. Nos termos do art. 18 da ICVM 483, o BB - Banco de Investimento S.A declara que: 1 - A instituição pode ser remunerada por serviços prestados ou possuir relações comerciais com a(s) empresa(s) analisada(s) neste relatório ou com pessoa natural ou jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse dessa(s) empresa(s); o Conglomerado Banco do Brasil S.A pode ser remunerado por serviços prestados ou possuir relações comerciais com a(s) empresa(s) analisada(s) neste relatório, ou com pessoa natural ou jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse dessa(s) empresa(s). 2 - A instituição pode possuir participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% do capital social da(s) empresa(s) analisada(s), mas poderá adquirir, alienar ou intermediar valores mobiliários da empresa(s) no mercado; o Conglomerado Banco do Brasil S.A pode possuir participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% do capital social da(s) empresa(s) analisada(s), e poderá adquirir, alienar e intermediar valores mobiliários da(s) empresa(s) no mercado. Informações Relevantes Analistas O(s) analista(s) de investimento, ou de valores mobiliários, envolvido(s) na elaboração deste relatório ( Analistas de investimento ), declara(m) que: 1 - As recomendações contidas neste refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação ao BB-Banco de Investimento S.A e demais empresas do Grupo. 2 Sua remuneração é integralmente vinculada às políticas salariais do Banco do Brasil S.A. e não recebem remuneração adicional por serviços prestados para o emissor objeto do relatório de análise ou pessoas a ele ligadas. Analistas Itens Mário Bernardes Junior Gabriela Cortez 3 O(s) analista(s) de investimentos, seus cônjuges ou companheiros, detêm, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, ações e/ou outros valores mobiliários de emissão das companhias objeto de sua análise. 4 Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, possuem, direta ou indiretamente, qualquer interesse financeiro em relação à companhia emissora dos valores mobiliários analisados neste relatório. 5 O(s) analista(s) de investimento tem vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do relatório de análise. RATING RATING é uma opinião sobre os fundamentos econômico-financeiros e diversos riscos a que uma empresa, instituição financeira ou captação de recursos de terceiros, possa estar sujeita dentro de um contexto específico, que pode ser modificada conforme estes riscos se alterem. O investidor não deve considerar em hipótese alguma o RATING como recomendação de Investimento. 8 / 9

9 Disclaimer Administração Diretor Sandro Kohler Marcondes Equipe de Pesquisa Gerente-Executivo Eduardo César do Nascimento BB Securities 4th Floor, Pinners Hall Old Broad St. Gerente - Nataniel Cezimbra London EC2N 1ER - UK (facsimile) Renda Variável Managing Director Vinicius Balbino Bouhid +44 (207) Demanda Oferta Deputy Managing Director Analista-Chefe Mário Bernardes Junior Analista-Chefe Wesley Bernabé Selma da Silva +44 (207) Bancos e Serviços Financeiros Agribusiness Director of Sales Trading Carlos Daltozo Luciana Carvalho Boris Skulczuk +44 (207) Head of Sales Mário Bernardes Junior Márcio de Carvalho Montes Nick Demopoulos +44 (207) Institutional Sales Annabela Garcia +44 (207) Consumo Infraestrutura e Concessões Melton Plumber +44 (207) Maria Paula Cantusio Renato Hallgren Renata Kreuzig +44 (207) Trading Bruno Fantasia +44 (207) Imobiliário Materiais Básicos Gianpaolo Rivas +44 (207) Wesley Bernabé Victor Penna Head of Research Paul Hollingworth +44 (207) Daniel Cobucci Structured Products Petróleo e Gás Hernan Lobert +44 (207) Mariana Peringer Indústrias e Transportes Banco do Brasil Securities LLC Mário Bernardes Junior Wesley Bernabé 535 Madison Avenue 34th Floor New York City, NY USA (Member: FINRA/SIPC/NFA) Small Caps Managing Director Gabriela Cortez Daniel Alves Maria +1 (646) Deputy Managing Director Carla Sarkis Teixeira +1 (646) Institutional Sales - Equity Charles Langalis +1 (646) Renda Fixa e Estratégia de Mercado Institutional Sales - Fixed Income Cassandra Voss +1 (646) Renda Fixa, Moedas e Commodities Estratégia de Mercado DCM Renato Odo Hamilton Moreira Alves Richard Dubbs +1 (646) Syndicate Fabio Cardoso Kristen Tredwell +1 (646) Sales Michelle Malvezzi +1 (646) Equipe de Vendas Myung Jin Baldini +1 (646) Atacado: Varejo: BB Securities Asia Pte Ltd 6 Battery Road #11-02 Gerente - Antonio Emilio Ruiz Gerente - Márcio Carvalho José Singapore, Bruno Finotello Mario D'Amico Managing Director Denise Rédua de Oliveira Rodrigo Ataíde Roxo Rodrigo Afonso Edger Euber Rodrigues Director, Head of Sales Henrique Reis José Carlos Reis João Carlos Floriano Institutional Sales Marcela Andressa Pereira Paco Zayco Thiago Cogo Pires Amelia Khoo Viviane Ferro Candelária BB-Banco de Investimento S.A. BB-BI Rua Senador Dantas, º andar Rio de Janeiro RJ Brasil Tel. (21) Fax (21) / 9

Odontoprev. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Reestruturação interna já apresenta resultados. Small Caps Saúde

Odontoprev. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Reestruturação interna já apresenta resultados. Small Caps Saúde Resultado 3T14 e Revisão de Preço Reestruturação interna já apresenta resultados A Odontoprev apresentou resultado neutro para o 3T14. Houve leve incremento no número total de beneficiários (+2,5% A/A),

Leia mais

Variação (%) Mês 2015 LTM

Variação (%) Mês 2015 LTM Relatório Setorial - Jan 2015 Victor Penna, CNPI victor.penna@bb.com.br Queda nos papéis apesar do cenário equilibrado Nome Ticker Cotação (R$) Jan-15 Variação (%) Mês 2015 LTM Market Cap EV Dívida Líquida

Leia mais

Natura 26 de julho de 2012

Natura 26 de julho de 2012 Priscila Tambelli, CNPI priscilatambelli@bb.com.br thiago.gramari@bb.com.br Resultado 2T12 Natura 26 de julho de 2012 Outperform Ticker NATU3 Preço de mercado em 25/07/12 R$ 49,20 Preço para 31/12/13 R$

Leia mais

A/A A/A 21,1% 8.088, ,8 14,5% 18,1% 2.263, ,0 12,6% -0,7 p.p. 28,0% 28,4% -0,4 p.p. 56,1% 411,6 298,8 37,8%

A/A A/A 21,1% 8.088, ,8 14,5% 18,1% 2.263, ,0 12,6% -0,7 p.p. 28,0% 28,4% -0,4 p.p. 56,1% 411,6 298,8 37,8% Perspectivas positivas para a varejista O ano de 2013 foi bastante desafiador para o Magazine Luiza. Após um primeiro semestre fraco, marcado por um cenário macroeconômico instável e pelo atraso na maturação

Leia mais

Petrobras. Resultado 3T14. Sem ajustes ou baixas, mas com novas metas para Petróleo e Gás

Petrobras. Resultado 3T14. Sem ajustes ou baixas, mas com novas metas para Petróleo e Gás Resultado 3T14 Sem ajustes ou baixas, mas com novas metas para 2015 A divulgação dos números não auditados do 3T14 não trouxe as baixas contábeis que eram esperadas pelo mercado. A administração da Petrobras

Leia mais

Marcopolo 4 de Maio de 2016

Marcopolo 4 de Maio de 2016 Marcopolo 4 de Maio de 2016 Resultado 1T16: Estrada acidentada e pára-brisa embaçado. O ano de 2016 não tem nada agradável a Marcopolo. A empresa registrou um fraco resultado do primeiro trimestre, com

Leia mais

Lojas Americanas e B2W

Lojas Americanas e B2W Lasa: desempenho prejudicado pelo efeito calendário Os resultados do da Lojas Americanas mostraram uma desaceleração nas vendas, fator que já era esperado, considerando que a Páscoa, data de grande apelo

Leia mais

Variação (%) Mês 2014 LTM. Direcional DIRR3 10,88 8,7% -9,3% -30,0%

Variação (%) Mês 2014 LTM. Direcional DIRR3 10,88 8,7% -9,3% -30,0% Relatório Setorial - Abr 214 Wesley Bernabé, CNPI wesley.bernabe@bb.com.br Prévias: ritmo lento de lançamentos no 1T14 Nome Ticker Cotação (R$) Abr-14 Variação (%) Mês 214 LTM Market Cap EV Dívida Líquida

Leia mais

Cielo. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Aumento de custos pressionou as margens, mas sem assustar. Bancos e Serviços Financeiros

Cielo. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Aumento de custos pressionou as margens, mas sem assustar. Bancos e Serviços Financeiros Cielo Resultado 3T14 e Revisão de Preço Aumento de custos pressionou as margens, mas sem assustar A Cielo, mais uma vez, apresentou um bom resultado trimestral, com lucro líquido de R$ 817 milhões, crescimento

Leia mais

Gerdau 16 de março de 2016

Gerdau 16 de março de 2016 16 de março de 2016 Resultado 4T15 e Revisão de Preço: produção menor, margens reduzidas, mas geração de caixa positiva Após adiar os resultados do 4T15 em duas semanas, a Gerdau apresentou números fracos,

Leia mais

Setor de Educação. Revisão de Preço. Revisões no FIES mexem com o setor. Saúde e Educação Educação

Setor de Educação. Revisão de Preço. Revisões no FIES mexem com o setor. Saúde e Educação Educação Setor de Educação Revisão de Preço Revisões no FIES mexem com o setor Após divulgação das portarias 21 (26/12/14) e 23 (29/12/14) sobre alterações no FIES, programa de financiamento estudantil do governo

Leia mais

Variação (%) Mês 2014 LTM

Variação (%) Mês 2014 LTM Relatório Setorial Nov 2014 Entressafra, estoques e expectativas de produção influenciam cotações Márcio Montes, CNPI mcmontes@bb.com.br Luciana Carvalho luciana_cvl@bb.com.br Nome Ticker Cotação (R$)

Leia mais

Raia Drogasil. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Desempenho acima do mercado com ganho de margens. Comércio Drogarias

Raia Drogasil. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Desempenho acima do mercado com ganho de margens. Comércio Drogarias Resultado 3T14 e Revisão de Preço Desempenho acima do mercado com ganho de margens A Raia Drogasil apresentou um forte desempenho no 3T14, com a receita bruta crescendo 18,3% A/A, impulsionada (a) pelo

Leia mais

Pré-Mercado Investimento

Pré-Mercado Investimento Nataniel Cezimbra, CNPI Hamilton Moreira Alves Pré-Mercado Investimento 11 de novembro de 2014 Futuros em Wall Street e bolsas na Europa em alta. Feriado nos EUA fecha mercado de treasuries. O Ibovespa

Leia mais

Klabin 29 de abril de 2016

Klabin 29 de abril de 2016 29 de abril de 2016 Resultado 1T16 e revisão de preço: exportações impulsionam resultados; vendas resilientes no MI. O resultado apresentado pela Klabin no 1T16 trouxe diversos aspectos positivos no que

Leia mais

Pão de Açúcar. Resultado 3T14. Aceleração de vendas versus ganho de rentabilidade. Consumo Varejista

Pão de Açúcar. Resultado 3T14. Aceleração de vendas versus ganho de rentabilidade. Consumo Varejista Aceleração de vendas versus ganho de rentabilidade O GPA apresentou um resultado positivo no 3T14, em função das combinações dos seus diversos negócios. De um lado, a Cnova (segmento de e-commerce) e o

Leia mais

GOL. Resultado 4T13. Voando a toda velocidade e superando expectativas. Transportes Aviação

GOL. Resultado 4T13. Voando a toda velocidade e superando expectativas. Transportes Aviação GOL Resultado 4T13 Voando a toda velocidade e superando expectativas O resultado da GOL no 4T13 foi muito bom, considerando os expressivos números apresentados no período, como: (a) crescimento de 5,1

Leia mais

Direcional 09 de agosto de 2016

Direcional 09 de agosto de 2016 09 de agosto de 2016 Construção Civil Resultado 2T16 e atualização de preços: resultado neutro, destaque para a forte geração de FCF Direcional reportou um resultado neutro no 2T16. Por um lado, as vendas

Leia mais

B2W Digital. Resultado 3T13 e Revisão de Preço. Resultado negativo apresenta melhora no período. Comércio Varejista

B2W Digital. Resultado 3T13 e Revisão de Preço. Resultado negativo apresenta melhora no período. Comércio Varejista Resultado 3T13 e Revisão de Preço Resultado negativo apresenta melhora no período A B2W Digital finalizou o 3T13 apurando uma receita bruta de R$ 1.712,8, cerca de 25,2% superior ao 3T12. No entanto, assim

Leia mais

Ouro Fino 23 de janeiro de 2017

Ouro Fino 23 de janeiro de 2017 23 de janeiro de 2017 Atualização de Preço: Desafios pela frente, juntamente com novas estratégias No início de dezembro, a companhia realizou o Ourofino Day em suas instalações na cidade de Cravinhos,

Leia mais

Renda Fixa. Análise de Mercado. Apreciação do dólar pressiona a paridade das taxas de juros, no curto prazo

Renda Fixa. Análise de Mercado. Apreciação do dólar pressiona a paridade das taxas de juros, no curto prazo 1112111 21 Renda Fixa Apreciação do dólar pressiona a paridade das taxas de juros, no curto prazo A semana foi marcada por uma acentuada recuperação do dólar frente ao real, tanto no mercado à vista quanto

Leia mais

Lojas Renner 10 de fevereiro de 2017

Lojas Renner 10 de fevereiro de 2017 Lojas Renner 10 de fevereiro de 2017 Resultado 4T16: vendas fracas, compensadas pelo forte resultado do segmento financeiro Os resultados do 4T16 da Lojas Renner vieram mistos, na nossa visão, com um suave

Leia mais

Variação (%) Mês 2014 LTM

Variação (%) Mês 2014 LTM Relatório Setorial - Jun 2014 Victor Penna, CNPI victor.penna@bb.com.br Produtoras de celulose próximas ao índice; Klabin recua Nome Ticker Cotação (R$) Jun-14 Variação (%) Mês 2014 LTM Market Cap EV Dívida

Leia mais

M. Dias Branco 08 de Agosto de 2017

M. Dias Branco 08 de Agosto de 2017 08 de Agosto de 2017 Resultado 2T17: não tão bom quanto o esperado, mas ainda positivo M Dias Branco apresentou resultados positivos no 2T17. Como resultado do aumento de volume (+ 2,5% a/a) e reajustes

Leia mais

A/A 9M13 9M12 A/A 12,9% ,5% 10,5% ,4% -1,2 p.p. 56,8% 57,9% -1,1 p.p. 4,3% 446,4 422,2 5,7%

A/A 9M13 9M12 A/A 12,9% ,5% 10,5% ,4% -1,2 p.p. 56,8% 57,9% -1,1 p.p. 4,3% 446,4 422,2 5,7% Resultado 3T13 e Revisão de Preço Vendas surpreendem no períodoo A Renner finalizou o 3T13 com um crescimento de 12,9% em sua receita líquida consolidada. A operação de varejo foi impulsionada pela assertividade

Leia mais

Embraer 31 de outubro de 2016

Embraer 31 de outubro de 2016 Embraer 31 de outubro de 2016 Resultado 3T16: Superados alguns dos mais árduos obstáculos. Recomendação sobe para Outperform O resultado do 3T16 da Embraer foi positivo. Por um lado, o excesso de despesas

Leia mais

Fibria. Resultado 1T16 e Revisão de Preço: preço da celulose comprime resultados. Papel e Celulose

Fibria. Resultado 1T16 e Revisão de Preço: preço da celulose comprime resultados. Papel e Celulose Resultado 1T16 e Revisão de Preço: preço da celulose comprime resultados 27 de abril de 2016 O resultado divulgado pela Fibria no 1T16 trouxe números fracos, advindos de queda acentuada em ambos: preço

Leia mais

Ambev 27 de Julho de 2017

Ambev 27 de Julho de 2017 27 de Julho de 2017 Resultado 2T17: margem ainda pressionada, mas com perspectiva de melhora Ambev reporto resultados mistos no 2T17. Os volumes foram impactados pelo ambiente macroeconômico desfavorável

Leia mais

Fertilizantes Heringer 15 de março de 2017

Fertilizantes Heringer 15 de março de 2017 15 de março de 2017 Resultado 2016 e atualização de preço: Positivo. Melhores margens e variação cambial impulsionam resultado A Heringer registrou lucro líquido de R$ 43,2 milhões em 2016 contra perda

Leia mais

Ambev 26 de Outubro, 2017

Ambev 26 de Outubro, 2017 26 de Outubro, 2017 Resultado 3T17: resultados positivos impulsionados por aumentos de preços Ambev reportou resultado positivo no 3T17. Com exceção do Canadá, todas as outras unidades apresentaram resultados

Leia mais

Suzano 27 de abril de 2016

Suzano 27 de abril de 2016 Suzano 27 de abril de 2016 Resultado 1T16 e revisão de preço: alavancagem menor e EBITDA forte; venda de papéis se recuperando A Suzano apresentou um resultado forte para o 1T16. O segmento de celulose

Leia mais

Multiplan 27 de abril de 2017

Multiplan 27 de abril de 2017 27 de abril de 2017 Resultados 1T17 e atualização de preço: resultados operacionais positivos com recuperação na venda dos lojistas; desempenho econômico-financeiro mais fraco A Multiplan apresentou resultados

Leia mais

Fibria 31 de maio de 2016

Fibria 31 de maio de 2016 31 de maio de 2016 Flash de Mercado: atualização do Projeto Horizonte II e Revisão de Preço Nesta data, a Fibria fez um call com analistas de investimentos com o intuito de atualizar as informações sobre

Leia mais

Variação (%) Mês 2014 LTM

Variação (%) Mês 2014 LTM Relatório Setorial - Mar 2014 Victor Penna, CNPI victor.penna@bb.com.br Produtoras de celulose não se sustentam e recuam no final Nome Ticker Cotação (R$) Mar-14 Variação (%) Mês 2014 LTM Market Cap EV

Leia mais

SLC Agrícola 4 de abril de 2017

SLC Agrícola 4 de abril de 2017 4 de abril de 2017 Resultado 2016 e atualização de preço: Negativo. Problemas climáticos frustram expectativas A SLC encerrou 2016 com lucro líquido de R$ 15 milhões, mostrando recuperação ante aos resultados

Leia mais

Suzano 03 de agosto de 2017

Suzano 03 de agosto de 2017 03 de agosto de 2017 Resultado 2T17 e Revisão de Preço: redução de custos e alta performance Alavancado por preços mais altos da celulose, assim como os demais players do mercado, a Suzano também foi capaz

Leia mais

A/A 9M13 9M12 A/A 16,5% ,1% 18,7% ,9% 0,5 p.p. 27,6% 27,6% 0,0 p.p. -9,0% 226,0 228,0-0,9% -1,2 p.p. 5,0% 5,8% -0,8 p.p.

A/A 9M13 9M12 A/A 16,5% ,1% 18,7% ,9% 0,5 p.p. 27,6% 27,6% 0,0 p.p. -9,0% 226,0 228,0-0,9% -1,2 p.p. 5,0% 5,8% -0,8 p.p. Resultado 3T13 e Revisão de Preço Vendas seguem estáveis e despesas não recorrentes impactam o resultado A Raia Drogasil finalizou o 3T13 com uma receita líquida apurada de R$ 1.625,5 mi, valor 18,4% superior

Leia mais

Magazine Luiza. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Vendas da varejista seguem crescendo acima do mercado. Comércio Varejista

Magazine Luiza. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Vendas da varejista seguem crescendo acima do mercado. Comércio Varejista Resultado 3T14 e Revisão de Preço Vendas da varejista seguem crescendo acima do mercado O Magazine Luiza reportou um resultado forte no 3T14, contrariando as expectativas de desaceleração nas vendas após

Leia mais

GOL 7 de novembro de 2016

GOL 7 de novembro de 2016 GOL 7 de novembro de 2016 Resultado 3T16: Forte resultado operacional, com menores custos; Melhorias no guidance, pós revisão O resultado do 3T16 da GOL foi positivo em nossa avaliação. A empresa registrou

Leia mais

M Dias Branco. Revisão de Preço

M Dias Branco. Revisão de Preço M Dias Branco Revisão de Preço Pronta para aquisições: Forte geração de fluxo de caixa para a empresa, sustentação de margens em níveis atrativos, baixa alavancagem financeira e intenso crescimento do

Leia mais

Usiminas 22 de fevereiro de 2016

Usiminas 22 de fevereiro de 2016 22 de fevereiro de 2016 Resultado 4T15 e Revisão de Preço: menor volume de vendas, alta alavancagem e queima de caixa. A Usiminas finalizou 2015 com um resultado negativo, impactado fortemente pela situação

Leia mais

GOL 16 de agosto de 2016

GOL 16 de agosto de 2016 GOL 16 de agosto de 2016 Resultado 2T16 e Revisão de Preço: Efeito cambial leva a mais um trimestre de lucro líquido. Elevando a recomendação para Outperform A GOL Linhas Aéreas apresentou mais uma vez

Leia mais

Petrobras 22 de março de 2016

Petrobras 22 de março de 2016 22 de março de 2016 Resultado 4T15: impairment relevante em E&P; prêmio doméstico compensa menores volumes O resultado da Petrobras no quarto trimestre foi influenciado principalmente pela contabilização

Leia mais

Cielo. Resultado 4T16 e revisão de preço: resultado trimestral em linha e valuation atraente. Serviços Financeiros

Cielo. Resultado 4T16 e revisão de preço: resultado trimestral em linha e valuation atraente. Serviços Financeiros Resultado 4T16 e revisão de preço: resultado trimestral em linha e valuation atraente 1 de Fevereiro de 2017 A Cielo divulgou um resultado em linha com nossas estimativas e aproveitamos para revisar nossas

Leia mais

Alupar 10 de novembro de 2017

Alupar 10 de novembro de 2017 10 de novembro de 2017 Resultado 3T17: bons resultados na geração e melhor resultado financeiro fazem a diferença; atualização de preço para 2018 Alupar divulgou ontem (09) números positivos para o resultado

Leia mais

Taesa 9 de novembro de 2017

Taesa 9 de novembro de 2017 9 de novembro de 2017 Resultado 3T17 e atualização de preço: queda da RAP de concessões pressiona margem EBITDA regulatória, mas geração de caixa continua forte A Taesa divulgou ontem (08) seu resultado

Leia mais

Usiminas 28 de julho de 2017

Usiminas 28 de julho de 2017 28 de julho de 2017 Resultado 2T17 e Revisão de Preço: resultados favoráveis com forte geração de caixa A Usiminas apresentou resultados positivos para o 2T17 - confirmando nossa visão otimista na tese

Leia mais

Variação (%)* Mês 2014 LTM. Brookfield BISA3 1,59 0,6% 38,3% 42,0%

Variação (%)* Mês 2014 LTM. Brookfield BISA3 1,59 0,6% 38,3% 42,0% Relatório Setorial - Nov 2014 Resultados 3T14: perdendo tração Comentário sobre o desempenho das construtoras listadas Daniel Cobucci cobucci@bb.com.br Wesley Bernabé, CNPI wesley.bernabe@bb.com.br Companhia

Leia mais

Petrobras 11 de agosto de 2017

Petrobras 11 de agosto de 2017 11 de agosto de 2017 Resultado 2T17: eventos não recorrentes, operacional estável e desalavancagem; neutro Os resultados do segundo trimestre da Petrobras foram neutros. O EBITDA veio 9% inferior ao consenso

Leia mais

Resultados do 1T16. Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI

Resultados do 1T16. Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI Resultados do Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI Captação Graduação Crescimento da captação presencial (+1,9%) Penetração FIES apenas 8,4% da captação de graduação presencial,

Leia mais

Petrobras 13 de maio de 2016

Petrobras 13 de maio de 2016 13 de maio de 2016 Resultado 1T16: efeitos negativos de hedge accounting superam números positivos de refino O resultado da Petrobras no 1T16 foi influenciado por um top line relativamente mais fraco do

Leia mais

Renda Fixa. Análise de Mercado. CDS Brasil sobe de patamar e pressiona os juros brasileiros

Renda Fixa. Análise de Mercado. CDS Brasil sobe de patamar e pressiona os juros brasileiros 1112111 21 Renda Fixa CDS Brasil sobe de patamar e pressiona os juros brasileiros Especialmente nas últimas três semanas, o mercado vem observando a retomada do CDS brasileiro de 5 anos, cuja cotação rompeu

Leia mais

M. Dias Branco 31 de outubro de 2017

M. Dias Branco 31 de outubro de 2017 31 de outubro de 2017 Resultado 3T17: volumes e market share em uma tendência positiva M Dias Branco apresentou resultados positivos, registrando bom desempenho operacional em todos os segmentos. Como

Leia mais

Utilities 26 de Abril de 2017

Utilities 26 de Abril de 2017 26 de Abril de 2017 Research note: destaques do leilão de transmissão realizado em 24 de Abril de 2017 O leilão de transmissão #05/2016, realizado no ultimo 24 de abril, apresentou forte concorrência pela

Leia mais

BACEN Dados de crédito

BACEN Dados de crédito BACEN Dados de crédito Março 2017: Primeiros sinais de estabilização 28 de abril de 2017 Nos dados de crédito de março, divulgados pelo Bacen, a carteira total de crédito apresentou um leve crescimento

Leia mais

#Interna Banco do Brasil

#Interna Banco do Brasil #Interna Banco do Brasil Resultado 4T15: Foco total na PCLD 26 de fevereiro de 2016 O Banco do Brasil reportou ontem lucro líquido recorrente de R$ 2,648 bilhões no 4T15 (ROE de 12,8%), um resultado trimestral

Leia mais

Lojas Americanas e B2W 9 de maio de 2016

Lojas Americanas e B2W 9 de maio de 2016 Lojas Americanas e B2W 9 de maio de 2016 Resultado 1T16: decepcionante tanto na LAME quanto na B2W Em nossa opinião, os resultados da B2W foram negativos, com a primeira retração no top line após quinze

Leia mais

São Martinho 08 de Março de 2016

São Martinho 08 de Março de 2016 São Martinho 08 de Março de 2016 Resultado 3T16 e atualização de preço: Maiores volumes e preços, hedge e dinâmica de oferta x demanda reforçam números da companhia A São Martinho reportou EBITDA Ajustado

Leia mais

Renda Fixa. Análise de Mercado

Renda Fixa. Análise de Mercado 1112111 21 Renda Fixa renda-fixa-brasil, risco-brasil, fra-cambial, juros-brasileiros, paridade-descoberta-das-taxas-de-juros, us-treasuries, análise-do-dólar, análise-do-di-futuro, bond-soberano-brasileiro

Leia mais

Lojas Renner 25 de outubro de 2017

Lojas Renner 25 de outubro de 2017 Lojas Renner 25 de outubro de 2017 Resultado 3T17: mais forte que o esperado; aumentando nossas estimativas O resultado do 3T17 da Lojas Renner veio positivo, ultrapassando nossas estimativas do top line

Leia mais

Raia Drogasil 28 de outubro de 2016

Raia Drogasil 28 de outubro de 2016 Raia Drogasil 28 de outubro de 2016 Resultado 3T16 e Revisão de Preço: outro forte resultado; apresentando preço-alvo para 2017 A Raia Drogasil apresentou um notável resultado trimestral mais uma vez,

Leia mais

JBS 11 de Agosto de 2016

JBS 11 de Agosto de 2016 11 de Agosto de 2016 Resultado 2T16: fraco, com sinais de recuperação; estimativas revisadas JBS reportou outro resultado fraco no 2T16. A empresa mostrou um incremento de 12% a/a na receita total, que

Leia mais

Petrobras. Flash de Mercado e Revisão de Preço. Política de preços. Petróleo e Gás

Petrobras. Flash de Mercado e Revisão de Preço. Política de preços. Petróleo e Gás Flash de Mercado e Revisão de Preço Política de preços A nova política de preços de diesel e gasolina da Petrobras, conforme divulgado em fato relevante hoje após o fechamento do mercado, tem como objetivos:

Leia mais

Raia Drogasil 27 de outubro de 2017

Raia Drogasil 27 de outubro de 2017 Raia Drogasil 27 de outubro de 2017 Resultado 3T17: sólido mais uma vez; atualizando nossas estimativas O resultado do 3T17 da Raia Drogasil veio com números sólidos novamente e bem em linha com as nossas

Leia mais

GPA 29 de julho de 2016

GPA 29 de julho de 2016 GPA 29 de julho de 2016 Resultado 2T16: R$ 481 mi em despesas não recorrentes O resultado do 2T16 do GPA veio misto, em nossa visão. As vendas continuaram sólidas no Assaí e nas lojas de proximidades,

Leia mais

JBS. Resultado 3T15: Resultado robusto advindo principalmente de JBS Foods e Mercosul. Food & Beverage

JBS. Resultado 3T15: Resultado robusto advindo principalmente de JBS Foods e Mercosul. Food & Beverage Resultado 3T15: Resultado robusto advindo principalmente de JBS Foods e Mercosul 13 de Novembro de 2015 JBS divulgou resultado robusto no 3Q15. Apesar do desempenho operacional mais fraco da JBS USA, as

Leia mais

Siderurgia e Mineração

Siderurgia e Mineração Relatório Setorial - Jan 2015 Victor Penna, CNPI victor.penna@bb.com.br Começando o ano com o pé esquerdo Nome Ticker Cotação (R$) Jan-15 Variação (%) Mês 2015 LTM Market Cap (R$ mi) EV (R$ mi) Dívida

Leia mais

Renda Fixa. Análise de Mercado

Renda Fixa. Análise de Mercado Renda Fixa renda-fixa-brasil, risco-brasil, fra-cambial, juros-brasileiros, paridade-descoberta-das-taxas-de-juros, us-treasuries, análise-do-dólar, análise-do-di-futuro, bond-soberano-brasileiro, siautukowatari

Leia mais

Ânima Educação. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Integração com USJT impulsiona margens. Small Caps Educação

Ânima Educação. Resultado 3T14 e Revisão de Preço. Integração com USJT impulsiona margens. Small Caps Educação Resultado 3T14 e Revisão de Preço Integração com USJT impulsiona margens O resultado líquido reportado pela Anima veio positivo em R$ 49,9 milhões, um aumento de 67,4% com relação ao mesmo período do ano

Leia mais

Siderurgia e Mineração

Siderurgia e Mineração Relatório Setorial - Dez 2014 Victor Penna, CNPI victor.penna@bb.com.br Mais um mês de queda em um ano ruim para os papéis Nome Ticker Cotação (R$) Dez-14 Variação (%) Mês 2014 LTM Market Cap (R$ mi) EV

Leia mais

Resultados 1T08 (Webcast).

Resultados 1T08 (Webcast). Resultados 1T08 (Webcast). Aviso Importante Este material foi preparado pela Odontoprev S.A. ("Companhia") e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros. Essas

Leia mais

Relatório Focus 26 de dezembro de 2016

Relatório Focus 26 de dezembro de 2016 Relatório Focus 26 de dezembro de 2016 Estratégia Macro Rafael Reis, CNPI-P Inflação e crescimento do PIB seguem tendência de esfriamento. IPCA (%) Expectativa (mediana) No relatório semanal Focus do Banco

Leia mais

Varejo e Consumo. Relatório Setorial - Abr Mês de oscilações mistas nas ações das varejistas

Varejo e Consumo. Relatório Setorial - Abr Mês de oscilações mistas nas ações das varejistas Relatório Setorial - Abr 2014 Mês de oscilações mistas nas ações das varejistas Maria Paula Cantusio, CNPI paulacantusio@bb.com.br Nome Ticker Cotação (R$ $) Abr-14 Magazine Luiza MGLU3 7,50 Hypermarcas

Leia mais

campanhas de marketing focadas na Copa do 1T13 A/A T/T

campanhas de marketing focadas na Copa do 1T13 A/A T/T Magazine Luiza Crescimento surpreendente de vendas O desempenho do primeiro trimestre do ano foi de desempenho surpreendente para o Magazine Luiza, superando não só a média do seu mercado de atuação, como

Leia mais

Varejo e Consumo. Relatório Setorial - Maio Ações das varejistas acompanharam seus resultados

Varejo e Consumo. Relatório Setorial - Maio Ações das varejistas acompanharam seus resultados Relatório Setorial - Maio 2014 Ações das varejistas acompanharam seus resultados Maria Paula Cantusio, CNPI paulacantusio@bb.com.br Nome Ticker Cotação (R$) Mai-14 B2W Digital BTOW3 28,60 16,3% 87,3% 164,8%

Leia mais

Usiminas. Resultado 1T14 e Revisão de Preço. Desempenho sólido e com evolução operacional. Siderurgia e Mineração

Usiminas. Resultado 1T14 e Revisão de Preço. Desempenho sólido e com evolução operacional. Siderurgia e Mineração Resultado 1T14 e Revisão de Preço Desempenho sólido e com evolução operacional Apesar a queda nas vendas, a Usiminas apresentou nova evolução operacional com redução nos custos por tonelada tanto na siderurgia

Leia mais

Relatório Focus 16 de janeiro de 2017

Relatório Focus 16 de janeiro de 2017 Relatório Focus 16 de janeiro de 2017 2017: taxa Selic em 1 dígito; 2018: cenário ainda mais favorável. Estratégia Macro Hamilton Moreira Alves, CNPI-T Rafael Freda Reis, CNPI IPCA (%) Expectativa (mediana)

Leia mais

Talk Show: Novas fontes de recursos e de financiamento da educação superior para superar a crise do FIES Daniel Venturini

Talk Show: Novas fontes de recursos e de financiamento da educação superior para superar a crise do FIES Daniel Venturini Talk Show: Novas fontes de recursos e de financiamento da educação superior para superar a crise do FIES Daniel Venturini Visão Geral da Estácio Participações S.A. Descrição da Companhia (1) Visão Geral

Leia mais

Relatório Setorial. Fevereiro 2016: Temporada de resultados pressiona ações. Monthly Change (%) Indústrias & Transportes

Relatório Setorial. Fevereiro 2016: Temporada de resultados pressiona ações. Monthly Change (%) Indústrias & Transportes Relatório Setorial Fevereiro 2016: Temporada de resultados pressiona ações Companhia Indústrias Ticker Preço (R$) Fev-2016 Market Cap (R$ milhões) Variação (%) Mês 2016 12M Embraer EMBR3 30,20 22.362 5,01%

Leia mais

Relatório Focus 20 de fevereiro de 2017

Relatório Focus 20 de fevereiro de 2017 Relatório Focus 20 de fevereiro de 2017 2017: IPCA segue abaixo do centro da meta. 2018: Câmbio arrefeceu. O relatório semanal Focus do Banco Central, que traz a mediana das projeções de mercado, apontou

Leia mais

Biosev 16 de outubro de 2017 Atualização de preço e comentários ao Resultado do 1T18

Biosev 16 de outubro de 2017 Atualização de preço e comentários ao Resultado do 1T18 16 de outubro de 2017 Atualização de preço e comentários ao Resultado do 1T18 Após a divulgação do resultado do 1T18, revisamos nossas estimativas para a Biosev (BSEV3), mantendo a recomendação Outperform,

Leia mais

GPA 27 de outubro de 2017

GPA 27 de outubro de 2017 GPA 27 de outubro de 2017 Resultado 3T17: vendas sólidas e boa rentabilidade; atualizando nossas estimativas O resultado do GPA veio positivo, na nossa visão, com uma boa performance de vendas e ganhos

Leia mais

Hypermarcas 23 de fevereiro de 2016

Hypermarcas 23 de fevereiro de 2016 Hypermarcas 23 de fevereiro de 2016 Resultado 4T15: atualizando nossas estimativas e preço alvo O resultado do 4T15 da Hypermarcas trouxe todas as recentes alterações advindas da venda dos seus negócios

Leia mais

GOL. Revisão de Preço. Melhora nas perspectivas, com cenário favorável e boa capacidade de management. Quais os riscos? Transportes Aviação

GOL. Revisão de Preço. Melhora nas perspectivas, com cenário favorável e boa capacidade de management. Quais os riscos? Transportes Aviação GOL Revisão de Preço Melhora nas perspectivas, com cenário favorável e boa capacidade de management Revisamos nosso modelo de avaliação e projeções para a companhia aérea GOL. O novo preço-potencial para

Leia mais

Relatório Focus 28 de novembro de 2016

Relatório Focus 28 de novembro de 2016 Relatório Focus 28 de novembro de 2016 Estratégia Macro Hamilton Moreira Alves, CNPI-T Wesley Bernabé, CNPI Cenário consistente, favorecido pela dissipação do Efeito Trump No relatório semanal Focus do

Leia mais

Klabin. Resultado 4T13 e Revisão de Preço. Mais um sólido resultado. Papel e Celulose

Klabin. Resultado 4T13 e Revisão de Preço. Mais um sólido resultado. Papel e Celulose Resultado 4T13 e Revisão de Preço Mais um sólido resultado Bom resultado operacional; foco no mercado externo. No 4T13 o volume de vendas da Klabin atingiu 476 mil toneladas e aumentou 8,9% em relação

Leia mais

Relatório Focus 19 de dezembro de 2016

Relatório Focus 19 de dezembro de 2016 Relatório Focus 19 de dezembro de 2016 2016: Inflação dentro do limite superior. 2017: PIB cedeu novamente. Estratégia Macro Hamilton Moreira Alves, CNPI-T Rafael Reis, CNPI-P IPCA (%) Expectativa (mediana)

Leia mais

Relatório Focus 10 de outubro de 2016

Relatório Focus 10 de outubro de 2016 Relatório Focus 10 de outubro de 2016 2017 e 2016: cenários em compasso de espera. Tão somente, o IPCA para 2016 denotou redução, após dado de setembro. No relatório semanal Focus do Banco Central, que

Leia mais

Petrobras 14 de Novembro de 2016

Petrobras 14 de Novembro de 2016 14 de Novembro de 2016 Resultado do 3T16 e revisão de preço: impairment inesperado sobrepõe números operacionais Os resultados da Petrobras no terceiro trimestre foram neutros, em nossa opinião. Apesar

Leia mais

23 de janeiro de Indicadores - Mediana - Agregado Final Final Final Final Final 6.jan jan jan.17 6.jan jan jan.

23 de janeiro de Indicadores - Mediana - Agregado Final Final Final Final Final 6.jan jan jan.17 6.jan jan jan. Relatório Focus 2017: taxa Selic e inflação cederam novamente 23 de janeiro de 2017 O relatório semanal Focus do Banco Central, que traz a mediana das projeções de mercado, sinalizou um cenário mais próspero

Leia mais

Relatório Focus 30 de janeiro de 2017

Relatório Focus 30 de janeiro de 2017 Relatório Focus 30 de janeiro de 2017 2017: Em compasso de espera; 2018: Nova baixa da taxa Selic. O relatório semanal Focus do Banco Central, que traz a mediana das projeções de mercado, mesmo praticamente

Leia mais

BRF 3 de Novembro de 2015

BRF 3 de Novembro de 2015 3 de Novembro de 2015 Resultado 3T15 e revisão de preço: resultados internacionais compensaram fraco desempenho no mercado doméstico A BRF divulgou resultados mistos no 3T15. O cenário desafiador no Brasil

Leia mais

Magazine Luiza 02 de março de 2016

Magazine Luiza 02 de março de 2016 Magazine Luiza 02 de março de 2016 Resultado 4T15: ganhos adicionais de market share em um mercado adverso Em nossa opinião, os resultados do Magazine Luiza no 4T15 foram positivos, ficando ligeiramente

Leia mais

309,6 92,4 232,2. Anhangüera Kroton SEB Estácio

309,6 92,4 232,2. Anhangüera Kroton SEB Estácio 1. RECEITA BRUTA NO PERÍODO 3T08 (EM R$ MILHÕES) PRINCIPAIS RESULTADOS 3T08/9M08 IES LISTADAS NA BOVESPA 1.500 1.000 848,5 1.066,0 1.421,3 500 0 229,2 636,4 78,6 232,2 309,6 92,4 245,0 326,7 366,7 Anhangüera

Leia mais

Biosev 17 de agosto de 2016

Biosev 17 de agosto de 2016 17 de agosto de 2016 Resultado do 1T17 e atualização de preço: Neutro; resultados financeiros e imposto de renda consomem bottom line; redução de caixa chama atenção Em outubro de 2015, reiniciamos a cobertura

Leia mais

Fleury. Início de Cobertura. Início de Cobertura. Small Caps Saúde

Fleury. Início de Cobertura. Início de Cobertura. Small Caps Saúde Fleury Início de Cobertura Início de Cobertura Iniciamos a cobertura do Grupo Fleury com preço potencial para FLRY3 de R$ 20,58 para dezembro de 2015, representando um upside de 30% em relação à cotação

Leia mais

Lojas Renner. Resultado 1T14 e Revisão de Preço. Trimestre de recuperação de margens. Comércio Varejista

Lojas Renner. Resultado 1T14 e Revisão de Preço. Trimestre de recuperação de margens. Comércio Varejista Resultado 1T14 e Revisão de Preço Trimestre de recuperação de margens O 1T14 foi de performance positiva para a Lojas Renner, tanto na venda de mercadorias, quanto nos serviços financeiros. A receita líquida

Leia mais

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 PRODUTOS, LANÇAMENTOS E PERFORMANCE COMERCIAL: Durante o primeiro trimestre de 2003, a Rossi Residencial

Leia mais

Resultados 4º Trimestre de 2015

Resultados 4º Trimestre de 2015 Resultados 4º Trimestre de 2015 24 de Fevereiro de 2016 Principais Destaques do Resultado do 1 2 Ganho de market share no mercado total no, com Receita Líquida totalizando R$ 5,461 bilhões - regressão

Leia mais

RODRIGO BACELLAR. Diretor-Presidente da Odontoprev

RODRIGO BACELLAR. Diretor-Presidente da Odontoprev RODRIGO BACELLAR Diretor-Presidente da Odontoprev 02 Índice 1 A OdontoPrev 2 Potencial de crescimento pela baixa penetração 3 Vantagens competitivas e estratégicas 4 Desempenho financeiro e operacional

Leia mais