RESUMO. Palavras-chave: Marketing de relacionamento. Resultados. Cliente. ABSTRACT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESUMO. Palavras-chave: Marketing de relacionamento. Resultados. Cliente. ABSTRACT"

Transcrição

1 MARKETING DE RELACIONAMENTO RELATIONSHIP MARKETING Bruno Eiti Kuroishi Diego Vinicius Ferreira Felipe dos Santos Muniz Lucas Dias dos Santos Adas Prof. Paulo Manzoli Godinho Prof.ª Ana Beatriz Lima RESUMO O mercado cada vez mais competitivo exige que as empresas estejam cada vez mais conectadas com o que esta acontecendo no mercado, pois os clientes estão cada vez mais exigentes. O marketing de relacionamento é uma ferramenta que quando bem utilizada traz ótimos resultados para a empresa. Essa ferramenta se tornou indispensável na hora de se relacionar com o cliente, antes, durante e após a venda. O profissional deve sempre ter em mente que o cliente é o fator mais importante da empresa, desta forma deve tratá-lo como tal. Palavras-chave: Marketing de relacionamento. Resultados. Cliente. ABSTRACT The market is even more competitive, demanding that companies be totally aware of what is happening to it, as customers are more and more exigent. Relationship marketing is a tool that if utilized properly brings great results for the company. This tool has become indispensable when it comes to deal with the client before, during and after the time of sale. All personnel should always keep in mind that the customer is the most important factor in business; that said, it should treat it as such. Keywords: Relationship marketing. Results. Customer - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

2 INTRODUÇÃO As empresas trabalham para satisfazer as necessidades dos seus clientes e consequentemente obterem lucro, e uma das formas de atingirem esse objetivo é praticando o marketing de relacionamento de forma efetiva. Para atender bem não basta apenas ser gentil ou oferecer o melhor preço do mercado, é necessário buscar entender profundamente as necessidades particulares de cada cliente, no intuito de estabelecer uma relação de parceria. Tal postura deve estar presente desde a fase de conquista até a de retenção do cliente, identificando suas necessidades e oferecendo soluções que proporcionem maior segurança e comodidade ao mesmo. Após iniciado o relacionamento deve-se buscar não perder o contato com o cliente, mesmo que inicialmente não resulte em venda, mostrando-se sempre presente por meio de telefonemas, s, malas diretas ou qualquer outro canal de comunicação. O importante é buscar ser lembrado, desta forma certamente ocupará um lugar de destaque na lista de contatos do cliente. A organização que pratica o marketing de relacionamento de maneira efetiva posiciona-se à frente de seus concorrentes, multiplicando sua eficiência e lucratividade. Através de pesquisa bibliográfica e estudo de caso, este artigo tem como objetivo: fundamentar as teorias referentes ao marketing de relacionamento; demonstrar a eficiência da ferramenta para a captação e manutenção de clientes; analisar e desenvolver técnicas que poderão ser utilizadas pela empresa para melhorar o relacionamento com seus clientes e agregar mais valor a seus produtos e observar se a ferramenta é aplicada de maneira correta na BSB EPIs. 1 MARKETING DE RELACIONAMENTO O marketing de relacionamento surgiu dentro dos estudos teóricos do marketing e, mais especificamente nas últimas duas décadas, como um novo espaço de atuação do próprio Marketing. Paralelamente firmou-se como alvo de grande interesse gerencial, visto que suas práticas têm por objetivo promover nas empresas melhores desempenhos por meio do uso do desenvolvimento de - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

3 relacionamentos de longo prazo. Assim, a partir do final da década de 1990 e início da década seguinte, o marketing de relacionamento tornou-se um modismo dentre os profissionais da área, necessitando de amplo estudo e capacitação dos mesmos para buscar o melhor meio de gerenciar relacionamentos de maneira satisfatória (STONE, WOODCOCK, MACHTTNGER, 2002). De acordo com D'Angelo, Larán e Schneider (2006) o marketing de relacionamento é uma filosofia empresarial que visa à construção e manutenção de relacionamentos individuais com os clientes, numa concepção de longo prazo. Sua adoção demanda um projeto da organização em uma postura cultural, estratégica e operacional que esteja de acordo com seus princípios. O Marketing de Relacionamento possibilita às empresas alcançarem uma posição de destaque através de vantagens competitivas. Desta forma McKenna (1999) define posicionamento dinâmico como um processo multidimensional formado por três etapas: posicionamento do produto, posicionamento do mercado e posicionamento da empresa. Para Kotler (1998), o marketing de relacionamento é baseado na premissa de que os clientes importantes precisam receber atenção contínua, e, neste caso, não importa se são representados por pessoas físicas ou jurídicas. É a construção de uma relação duradoura entre empresa e consumidor, baseada na confiança e em ganhos mútuos ao longo do tempo. Nesse sentido, não é só o cliente que tem que manter uma fidelidade, mas, suas exigências devem nortear as práticas básicas do negócio, de tal forma que os envolvidos tenham benefícios. Segundo Stone, Woodcock, Machtynger (2002) um programa de marketing de relacionamento deve seguir as seguintes etapas: a) Definir os objetivos: determinar aonde se quer chegar ou o que se pretende alcançar; b) Identificar as necessidades dos clientes: entender claramente o que desejam; c) Desenvolver a abordagem: personalizar uma forma de contato; d) Definir níveis e segmentos de qualidade: estabelecer parâmetros em termos de qualidade; - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

4 e) Implementar: colocar em prática o planejado; f) Controlar o resultado: verificar se tudo está de acordo com o planejado. Já Kotler (1998) defende que essas etapas devem ser as seguintes: a) Identificação dos clientes-chave: os clientes-chave são aqueles que merecem uma atenção especial por algum motivo, quer seja porque proporcionam maior retorno para a empresa, ou pelo potencial que possui, o chamado lifetime value (valor patrimonial de longo prazo); b) Designação de um gerente de relacionamento para cada um dos selecionados: colaborador com treinamento específico para atender exclusivamente um dos clientes-chave; c) Desenvolvimento de um plano de ação para cada cliente-chave: criação de um planejamento por cliente, que contenha objetivos, metas, estratégias, ações e recursos necessários para melhorar o relacionamento com os clientes-chave identificados; d) Estabelecimento de um sistema de controle para avaliar o desempenho dos gerentes de relacionamento em relação a seus clientes. A empresa deve determinar com clareza os critérios através dos quais cada gerente de relacionamento e seu relacionamento com os clientes-chave serão avaliados. Sugere-se a criação de um supervisor de relacionamentos, que acompanhará e aconselhará os gerentes de relacionamento. Em todos os casos apresentados os autores acima citados concordam que uma empresa não deve procurar atender a todos os clientes sob pena de perder o foco, mas deve segmentar o mercado onde atua e buscar atender os clientes que lhe podem reverter uma maior lucratividade. (KOTLER, 1998). 1.1 CRM O Customer Relationship Management (CRM) trata-se de uma nova abordagem que coloca o cliente no centro dos processos do negócio, sendo estratégicamente pensado para perceber e antecipar as necessidades dos clientes atuais e potenciais, de forma a procurar supri-las. Além de permitir que a empresa conheça melhor seus clientes a fim de cativá-los e retê-los, O CRM objetiva o melhoramento das relações com parceiros da rede de suprimentos (atacadistas e varejistas) que distribuem os produtos, de - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

5 forma a obter maior lucratividade e reduzir custos. O desenvolvimento de consumidores mais leais aumenta o faturamento da empresa. Isso, entretanto, tem um custo. A grande questão é decidir quanto uma empresa deve investir no desenvolvimento do relacionamento com seus consumidores de maneira que os custos não excedam os ganhos (STONE, WOODCOCK, MACHTYNGER, 2002, p. 7). Os processos e sistemas de CRM possibilita que se tenha conhecimento das informações e exerça assim o acompanhamento sobre os clientes de maneira integrada, principalmente através de registros de todas as interações com o cliente, que podem ser consultadas e comunicadas pela e para a empresa que necessitem desta informação para se nortear as tomadas de decisões. A utilização do CRM no planejamento estratégico das empresas ainda é recente e passível de estudos e discussões pelos teóricos sobre o tema. Mesmo assim, é de extrema importância o seu conhecimento pelas empresas que desejam ampliar seus negócios. O aspecto mais importante do marketing de relacionamento com o cliente é a capacidade que possui de coletar, analisar e rastrear informações sobre o cliente de uma empresa, reunindo-as em um banco de dados a fim de construir um ativo para o planejamento organizacional. (STONE, WOODCOCK, MACHTYNGER, 2002, p. 131). Ao considerarmos a utilização do CRM é necessário, segundo Stone, Woodcock, Machtynger (2002), a aplicação de alguns princípios-padrão de gerenciamento. Pizzinatto, et. al. (2005) aponta que para obter bons resultados através do gerenciamento do relacionamento com clientes CRM é necessário compreender inicialmente quem são os clientes de uma organização, com qual segmento se está atuando para poder oferecer ao cliente certo a oferta certa, nos canais certos e na hora certa. 1.2 E-Comerce Por comércio eletrônico ou e-commerce, que também pode ser denominado comércio virtual, compreende-se uma transação comercial feita especialmente através de um equipamento eletrônico. A ação de vender ou comprar pela internet caracteriza-se em um exemplo de comércio eletrônico. - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

6 A internet está mudando o projeto e a implementaçao das estratégias de marketing. A tecnologia dinâmica põe à disposiçao dos profissionais de marketing métodos eficientes e poderosos para projetar, promover, e distribuir produtos, realizar pesquisas e coletar informaçoes sobre o mercado. (FERREL, PRIDE, 2000, p. 473). Ainda de acordo com os autores, existem diversos termos para descrever as atividades de marketing e as transações que ocorrem na internet. Entre os teóricos do assunto, o mais popular é o e-commerce, ou comércio eletrônico, assim definido compartilhamento de informações de negócios, a manutenção de relações comerciais e a condução de transações de negócios por meio de redes de telecomunicações. O mercado mundial está cada vez mais se adaptando ao comércio eletrônico em grande escala. Muitos ramos da economia agora estão ligados a essa nova realidade, de tal modo que em alguns segmentos torna-se indispensável o uso dessa ferramenta. A internet mudou o modo como os profissionais de marketing se comunicam e desenvolvem relações, não apenas com seus clientes, mas também com seus empregados e fornecedores [...]. A tecnologia de telecomunicações oferece muitas vantagens potenciais aos profissionais de marketing, entre elas a rápida resposta, a expansão da capacidade de servir o cliente, a redução nos custos de operações e as reduções de barreiras geográficas (FERREL, PRIDE, 2000, p. 453). Neste caso, considera-se que o mercado global para o e-commerce é composto pelos internautas que já realizam compras ou que podem vir a fazê-lo, desde que tenham acesso a rede mundial de computadores. A entrada das empresas na Web generalizou-se a ponto de se estranhar atualmente o fato de que algumas não possuam na rede um espaço próprio para estabelecer contatos quer seja com seus clientes, fornecedores, ou até mesmo seus colaboradores. Para Ferrel, Pride (2000) inicialmente é necessário compreender as caracteristicas básicas do comércio eletrônico, uma vez que essas características se distinguem nesse meio do ambiente tradicional de marketing. Assim, afirmam que estas caracteristcas são: a) Capacidade de endereçamento; b) Interatividade; c) Memória; - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

7 d) Controle; e) Acessibilidade; f) Digitalização. Fazer da internet é uma questão cultural que vem se alterando dia a dia e que tem despertado o interesse não só das empresas, mas também dos clientes. Para uma empresa pensar no foco da solução do e-commerce pode ser considerada a possibilidade de oferecer a colocação de pedidos aos clientes médios e pequenos diretamente ligados aos sistemas de gestão operacional. Nesse caso espera-se um aumento da competitividade entre os fornecedores em decorrência do uso da rede, favorecendo um aprimoramento da qualidade dos produtos, dos serviços e do relacionamento que podem fazer o grande diferencial no mercado atual. Nesse sentido, para Ferrel, Pride (2000), as características do e-marketing afetam diretamente a estratégia de marketing, uma vez que a estratégia envolve identificar, analisar um mercado-alvo e criar um mix de marketing para satisfazer indivíduos desse mercado. O uso da internet dá assim, aos consumidores um maior acesso as informações sobre custo e preço de produtos que seriam antes impossíveis de se ter. Este fator, segundo os autores favorece a concorrência de preços, estimula as organizações a criarem mecanismos ou políticas de preços diferenciados via internet e estabelece uma nova forma de relacionamento entre cliente e empresa. Assim, há que se preocupar com novas questões que surgem com o advento dessa forma de comércio. Questões ligadas à legalidade de ações, a moral e a ética passaram a ser discutidas com maior ênfase desde então. Uma das questões mais controvertidas tem a ver com a privacidade pessoal, principalmente com as informações pessoais que as empresas coletam dos visitantes dos sites frequentemente com o uso de cookies [...]. Questões adicionais se referem ao spam, ou ao comercial não solicitado, e a apropriação indébita de marcas registradas. (FERREL, PRIDE, 2000, p. 468). Numa breve avaliação sobre o uso da internet no comércio mundial é indiscutível a importância que esta tem enquanto instrumento de comunicação. Esse processo facilitou os contatos interpessoais e o trabalho de muitos profissionais. É evidente que o potencial de desenvolvimento ainda esteja longe de se - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

8 esgotar, e com isso as facilidades e os problemas surgirão à proporção que a própria internet e o e-marketing continuem a evoluir. 2 ESTUDO DE CASO O tema escolhido apesar de várias vezes já abordado continua relevante, principalmente quando se busca entender sua aplicação em um caso específico de forma que possa ser utilizado como estratégia da empresa e lhe proporcionar um diferencial competitivo no mercado em que atua. Desta forma, foi realizado Estudo de Caso na BSB EPIs, uma das maiores produtoras de Equipamentos de Proteção Individual, produtos destinados à proteção do trabalhador. Conhecendo a empresa e presenciando um pouco de sua rotina fica evidente sua preocupação com a máxima qualidade em todos os níveis de seus processos, transmitida ao colaborador logo que é contratado. Isso porque a BSB tem consciência de que para se destacar no mercado e conquistar o respeito e preferência do seu público alvo, é necessário alcançar vantagens competitivas, que só são possíveis oferecendo produtos e serviços que atendam ou mesmo superem as expectativas de seus clientes, de forma a construírem um elo de parceria de longo prazo que reverta em ganhos para ambas as partes. Para alcançar seus objetivos de captação e manutenção de clientes, a empresa reconhece os benefícios do Marketing de Relacionamento e sabe que para isto não basta oferecer o menor preço e o melhor produto, ou mesmo realizar pesquisa de pós venda e dispor de um SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), é necessário ampliar e qualificar tais relacionamentos, pois hoje os clientes não buscam somente comprar um determinado produto, buscam nisto a solução para o seu problema, de modo que tenham suas expectativas atendidas ou superadas. Desta forma a BSB tem como diretriz não a venda de Equipamentos de Segurança, mas sim de proteção e conforto ao trabalhador e tranquilidade à empregadora. 2.1 Relacionamento com Clientes Como estratégia para estreitar o relacionamento com seus clientes e públicoalvo e levantar seu nível de satisfação, a BSB possui o setor Relacionamento com - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

9 Clientes, que realiza via telefone Pesquisas de Satisfação e Campanhas para Reativação e Prospecção de clientes, onde são utilizados diferentes roteiros e abordagens conforme a finalidade do contato, buscando sempre não transparecer ao cliente de que se trata de uma pesquisa. As respostas de cada cliente pesquisado são lançadas no sistema, agrupadas e convertidas em percentuais gerais, que ficam registrados e servem de informações para a empresa e para os vendedores. Nas campanhas de Reativação, são selecionados os clientes que deixaram de comprar há determinado tempo e efetuado contato para tentar descobrir o motivo e motivá-los a voltarem a consumir. Os clientes potenciais são levantados através de sites de busca onde conste o telefone de contato das empresas filtradas. Desta forma entra-se em contato, pede-se para falar com o responsável por compras de Equipamentos de Proteção Individual e realiza-se a abordagem a fim de colher os dados de contato do comprador e\ou técnico de segurança e o número do CNPJ da empresa indispensável para realizar o cadastro do cliente no sistema como cliente prospect, ou potencial, facilitando novos contatos. O setor promove também envio de malas-diretas comemorativas aos clientes, em datas de maior destaque, como na Páscoa, dia da Independência, Dias das Mães, Dia dos Pais, Natal e Ano Novo. Estes contatos regulares da empresa, além de uma forma de buscar estreitar seu relacionamento com seus clientes e colher informações que possibilitam traçar planos de ações de melhoria, agem também como um forma de gerar vendas, pois ocorre muitas vezes do cliente contatado estar necessitando do produto na ocasião do contato. Porém, estas intenções de compra são passadas para o Representante responsável entrar em contato com o cliente, pois não é função do setor de Relacionamento com clientes, e nem permitido, realizar negociações de venda. 2.2 CRM Como ferramenta de apoio para sua gestão de relacionamento com clientes, a BSB faz uso do CRM, que lhe possibilita ter acesso a variadas informações sobre cada cliente, como dados de contato, histórico de compras e até mesmo relatos de insatisfação ou satisfação, que são registrados conforme os contatos que são - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

10 realizados sejam através de Pesquisas telefônicas de Satisfação ou mesmo por um contato de iniciativa do próprio cliente. Para suporte aos usuários dispõe de uma célula especialmente voltada para resolver ocorrências relativas à funcionabilidade do sistema e quando necessário instruir sobre as formas de utilização. PESQUISA & DESENVOLVIMENTO (P&D) O departamento de P&D trabalha no desenvolvimento de novos produtos e sempre busca novas opções de matérias-primas, visando aquelas de menor custo e que ofereçam maior facilidade no processo produtivo, mas sem comprometer a qualidade. As pesquisas e desenvolvimentos são realizados conforme as solicitações do departamento comercial, que visam sempre atender às necessidades dos clientes, porém para isso é necessário que a demanda de compras do cliente compense tal investimento da empresa. Para a definição das características do produto que se enquadrem nas necessidades do cliente, há casos em que é necessária a visita do responsável técnico do setor para avaliar as condições do local em que o equipamento será utilizado, possibilitando assim colher informações necessárias para o desenvolvimento do modelo ideal para o cliente. Além dos desenvolvimentos realizados a partir de solicitações da área de vendas, o setor também desenvolve projetos por iniciativa própria, buscando sempre diversificar o portfólio de produtos da empresa, contribuindo com novidades para o mercado e aprimorando a qualidade e o desempenho de seus produtos. CONCLUSÃO Manter-se no mercado está cada vez mais difícil e complicado devido à grande concorrência e as constantes mudanças do cenário em que as empresas atuam. O marketing de relacionamento é uma ferramenta de auxilio para que as empresas possam se destacar em meio aos seus concorrentes. Uma vez conhecendo e aplicando corretamente suas ferramentas, o sucesso da organização é certo. Contudo é necessário investir em treinamentos, de forma que os - Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

11 colaboradores possam entender e atender realmente as necessidades dos clientes. Não se trata apenas de vender produtos ou serviços de qualidade, é necessário que o cliente se sinta realmente atendido em todos os aspectos. Desta forma, é possível afirmar que o bem de maior valor de cada empresa é o cliente, uma vez que no atual mundo globalizado e competitivo é necessário focar esforços na manutenção e no relacionamento, além de não perder de vista a busca de novos consumidores. Para trabalhos futuros, sugere-se a realização de uma pesquisa e estudo de caso sobre as dificuldades da empresa que terceiriza suas vendas em estabelecer um relacionamento eficiente com seus clientes. REFERÊNCIAS D'ANGELO, A. C.; SCHNEIDER, H.; LARÁN, J. A. Marketing de relacionamento junto a consumidores finais: um estudo exploratório com grandes empresas brasileiras. Scielo, São Paulo, Disponível em:< Acesso em: 28 jul STONE, M.; WOODCOCK, N.; MACHTYNGER, L. CRM: marketing de relacionamento com os clientes. 2. ed. São Paulo: Futura, FERREL, O. C; PRIDE, W. M. Marketing: conceitos e estratégias. 11. ed. Rio de Janeiro: LTC, FORSYTH, P. Tudo o que você precisa saber sobre marketing. São Paulo: Nobel, KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de marketing. ed. 7. Rio de Janeiro: PRENTICE HALL DO BRASIL, KOTLER, P. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5. ed. São Paulo: Atlas, LAS CASAS, Alexandre L. Marketing de serviços. São Paulo: Atlas, MCKENNA, R. Marketing de relacionamento. Rio de Janeiro: Campus, PIZZINATTO, N. K. et al. Marketing focado na cadeia de clientes. São Paulo: Atlas, Revista Científica do Unisalesiano Lins SP, ano 1, n.2, jul/dez de

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Parceria de sucesso para sua empresa

Parceria de sucesso para sua empresa Parceria de sucesso para sua empresa A Empresa O Grupo Espaço Solução atua no mercado de assessoria e consultoria empresarial há 14 anos, sempre realizando trabalhos extremamente profissionais, pautados

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES 1 CONQUISTAR E MANTER CLIENTES Historicamente, o marketing se concentrou na atração de novos clientes. O pessoal de vendas era mais recompensado por achar um novo cliente do que por prestar muita atenção

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros

Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros A experiência da Copel na implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros COPEL Projeto

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

Sistemas de Canais Sistemas de Informação

Sistemas de Canais Sistemas de Informação É necessário o entendimento de como os produtos chegam aos clientes, o que ocorre por meio de uma série de entidades de Marketing conhecidas como canais. Os Sistemas de Canais são todos os sistemas envolvidos

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

PROCESSO DE VENDAS. FALCE, Ricardo de Carvalho. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva - FAIT

PROCESSO DE VENDAS. FALCE, Ricardo de Carvalho. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva - FAIT PROCESSO DE VENDAS FALCE, Ricardo de Carvalho. GARCIA, Isabelle Penha. GOMES, Guilherme Martins. MELLO, Karoline de Almeida. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias

Leia mais

CRM COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA CRM AS A STRATEGIC TOOL

CRM COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA CRM AS A STRATEGIC TOOL 1 CRM COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA CRM AS A STRATEGIC TOOL Kellen Stefani Lima Silva (Graduanda do curso de Administração FIP) Prof. Esp. Julio Cesar Gomes (Orientador FIP) RESUMO Este trabalho tem como

Leia mais

Sistema Binário. Aula - 10 CRM (Customer Relationship Management Gerenciamento das relações com os clientes ) Faculdades Integradas Campos Salles

Sistema Binário. Aula - 10 CRM (Customer Relationship Management Gerenciamento das relações com os clientes ) Faculdades Integradas Campos Salles Sistema Binário Faculdades Integradas Campos Salles Aula - 10 CRM (Customer Relationship Management Gerenciamento das relações com os clientes ) Carlos Antonio José Oliviero São Paulo - 2012 Sistema Binário

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

Sociedade e Tecnologia

Sociedade e Tecnologia Unidade de Aprendizagem 15 Empresas em Rede Ao final desta aula você será capaz de inovações influenciam na competitividade das organizações, assim como compreender o papel da Inteligência Competitiva

Leia mais

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno O Guia do Relacionamento para o corretor moderno Introdução 3 O que é marketing de relacionamento 6 Como montar uma estratégia de relacionamento 9 Crie canais de relacionamento com o cliente 16 A importância

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

CRM - Customer Relationship Management

CRM - Customer Relationship Management Profª Carla Mota UCB 2014 Unid 2 aula1 CRM - Customer Relationship Management Estratégia de negócio voltada ao entendimento e a antecipação das necessidades dos clientes atuais e potenciais de uma empresa.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04) 1 CRM Sistema de Relacionamento com clientes, também

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA SILVA, Paulo Henrique Rodrigues da Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias E-mail: ph.rs@hotmail.com SILVA, Thiago Ferreira da Docente da Faculdade

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Aula 6 -Customer Relationship Management (CRM) Gestão do relacionamento com o cliente Prof.: Cleber A. de Oliveira

Aula 6 -Customer Relationship Management (CRM) Gestão do relacionamento com o cliente Prof.: Cleber A. de Oliveira 1. Introdução Aula 6 -Customer Relationship Management (CRM) Gestão do relacionamento com o cliente Prof.: Cleber A. de Oliveira Gestão de Sistemas de Informação Os estudos realizados sobre ERP são primordiais

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

MARKETING: PRINCIPAL FERRAMENTA PARA A EFETIVAÇÃO DAS VENDAS

MARKETING: PRINCIPAL FERRAMENTA PARA A EFETIVAÇÃO DAS VENDAS MARKETING: PRINCIPAL FERRAMENTA PARA A EFETIVAÇÃO DAS VENDAS CAUÊ SAMUEL SCHIMIDT 1 FERNANDO GRANADIER 1 Resumo O mercado atual está cada vez mais competitivo e para sobreviver nesse meio, é necessário

Leia mais

Saber muito sobre um cliente é fácil. O desafio é saber tudo sobre cada um dos seus clientes.

Saber muito sobre um cliente é fácil. O desafio é saber tudo sobre cada um dos seus clientes. Saber muito sobre um cliente é fácil. O desafio é saber tudo sobre cada um dos seus clientes. ara descobrir o comportamento de compra dos consumidores Artex, é fundamental conhecer o máximo de informações.

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Conceitos de Sistemas de Informação

Conceitos de Sistemas de Informação Conceitos de Sistemas de Informação Prof. Miguel Damasco AEDB 1 Objetivos da Unidade 1 Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas 2010 0 Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas É necessário o entendimento de como os produtos chegam

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UMA DISCUSSÃO TEÓRICA. PALAVRAS-CHAVE: Fidelização. Clientes. Atendimento. Relacionamento. Qualidade.

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UMA DISCUSSÃO TEÓRICA. PALAVRAS-CHAVE: Fidelização. Clientes. Atendimento. Relacionamento. Qualidade. FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UMA DISCUSSÃO TEÓRICA Marcus Vinicius Oliveira Canova 1 RESUMO As empresas enfrentam grandes dificuldades quando falamos de fidelização e atendimento aos clientes, a partir disso,

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Comércio eletrônico: os desafios dos sistemas logísticos para gerenciar a relação custo/beneficio

Comércio eletrônico: os desafios dos sistemas logísticos para gerenciar a relação custo/beneficio Comércio eletrônico: os desafios dos sistemas logísticos para gerenciar a relação custo/beneficio RESUMO O presente trabalho é um estudo sobre o comércio eletrônico e suas relações com a moderna utilização

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3.

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1 Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. 1 Pesquisa realizada no curso de Administração da Unijuí 2 Aluna

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Educação Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios Reais, a Partir de Agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS Amanda Cristina Nunes Alves (SSP) amandac.06@hotmail.com Anne Sthefanie Santos Guimaraes (SSP) annesthefanie14@hotmail.com

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO BURGO, Rodrigo Navarro Sanches, RIBEIRO, Talita Cristina dos Santos, RODRIGUES,

Leia mais

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES MARKETING Mercado Atual Competitivo Produtos / Serviços equivalentes Globalizado Conseqüências Infidelidade dos clientes Consumidores mais exigentes Desafio Conquistar clientes fiéis MARKETING TRADICIONAL

Leia mais

Marketing Direto faz bem para a saúde

Marketing Direto faz bem para a saúde capa Marketing Direto faz bem para a saúde Hospitais e laboratórios têm encontrado no Marketing Direto uma forma eficaz de comunicação, sem cair nas restrições da Anvisa. Levando-se em consideração que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Capítulo 1 ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação Gerencial Capítulo 1 Administra,cão da Empresa Digital

Leia mais

Item 2- Marketing. Atendimento

Item 2- Marketing. Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Processo usado para determinar quais produtos ou serviços poderão interessar aos consumidores e qual a melhor estratégia a ser utilizada nas

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

A ti alinhada as estratégias empresariais e como insumo básico.

A ti alinhada as estratégias empresariais e como insumo básico. Resumo A ti alinhada as estratégias empresariais e como insumo básico. Edwin Aldrin Januário da Silva (UFRN) aldrin@sebraern.com.br Neste trabalho, iremos descrever sinteticamente o modelo de Porte sobre

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

O USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA APOIAR A GESTÃO ESTRATÉGICA DE VENDAS USE OF INFORMATION SYSTEMS TO SUPPORT THE STRATEGIC MANAGEMENT OF SALES

O USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA APOIAR A GESTÃO ESTRATÉGICA DE VENDAS USE OF INFORMATION SYSTEMS TO SUPPORT THE STRATEGIC MANAGEMENT OF SALES O USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA APOIAR A GESTÃO ESTRATÉGICA DE VENDAS USE OF INFORMATION SYSTEMS TO SUPPORT THE STRATEGIC MANAGEMENT OF SALES Fabio Weiller Almeida fabioalmeidasp@hotmail.com Ricardo

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Cruzeiro SP 2008 FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Projeto de trabalho de formatura como requisito

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE RESUMO

ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE RESUMO ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE Maira Couto Curtinove 1 João Antonio Jardim Silveira 2 RESUMO O presente trabalho enfoca o conhecimento dos hábitos dos consumidores varejistas, quanto

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS NA CADEIA LOGÍSTICA

GESTÃO DE SERVIÇOS NA CADEIA LOGÍSTICA GESTÃO DE SERVIÇOS NA CADEIA LOGÍSTICA Management services in the supply chain MARION, Arnaldo Faculdade de Jaguariúna Resumo: Este trabalho tem como objetivo central organizar uma discussão sobre como

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES ALUNO RA: ASSINATURA: DATA: / / AS RESPOSTAS DEVERRÃO SER TOTALMENTE MANUSCRITAS Prof. Claudio Benossi Questionário: 1. Defina o que é Marketing? 2. Quais são

Leia mais

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL Administração de marketing Profº Adm.Cláudio Fernandes, Ph.D Ph.D em Business Administration - EUA www.claudiofernandes.com.br 1 Conteúdo Objetivos de aprendizagem Administração

Leia mais

Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005

Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005 REQUEST FOR PROPOSAL Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005 Data Limite para Submissão de Propostas: 26/05/2005 Conteúdo 1. Overview da Empresa 2. Objetivo da RFP 3. Escopo do Projeto 4. Diretrizes para

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

O Processo de Negociação visa superar possíveis conflitos e ao mesmo tempo obter para a empresa o melhor resultado possível da negociação.

O Processo de Negociação visa superar possíveis conflitos e ao mesmo tempo obter para a empresa o melhor resultado possível da negociação. O Processo de Negociação visa superar possíveis conflitos e ao mesmo tempo obter para a empresa o melhor resultado possível da negociação. As Etapas do Processo de Negociação envolvem o planejamento da

Leia mais

CENTRO PAULA SOUZA TÉCNICO EM MARKETING A HISTÓRIA DO MARKETING ALEXANDRE MARTINS Nº03 PIRASSUNUNGA

CENTRO PAULA SOUZA TÉCNICO EM MARKETING A HISTÓRIA DO MARKETING ALEXANDRE MARTINS Nº03 PIRASSUNUNGA CENTRO PAULA SOUZA TÉCNICO EM MARKETING A HISTÓRIA DO MARKETING ALEXANDRE MARTINS Nº03 PIRASSUNUNGA MARÇO DE 2011 ALEXANDRE MARTINS Nº03 A HISTÓRIA DO MARKETING Trabalho desenvolvido em atendimento aos

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM FATOR DETERMINANTE PARA O SUCESSO DE UMA ORGANIZAÇÃO AUTOMOTIVA

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM FATOR DETERMINANTE PARA O SUCESSO DE UMA ORGANIZAÇÃO AUTOMOTIVA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM FATOR DETERMINANTE PARA O SUCESSO DE UMA ORGANIZAÇÃO AUTOMOTIVA Márcia Esperidião 1, Renato Nogueira Perez Avila 2, Patrícia Pâmela Martins 3. RESUMO Este artigo tem como finalidade,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação José Celso Freire Junior Engenheiro Eletricista (UFRJ) Mestre em Sistemas Digitais (USP) Doutor em Engenharia de Software (Universit(

Leia mais

TRANSFORME SEU ATENDIMENTO EM UM FORTE ALIADO PARA FIDELIZAR CLIENTES

TRANSFORME SEU ATENDIMENTO EM UM FORTE ALIADO PARA FIDELIZAR CLIENTES TRANSFORME SEU ATENDIMENTO EM UM FORTE ALIADO PARA FIDELIZAR CLIENTES Os benefícios e as ferramentas para ter ÍNDICE Transforme seu atendimento em um forte aliado para fidelizar clientes clientes fidelizados

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS Andrea Fröhlich MARKETING DE RELACIONAMENTO: AVALIAÇÃO DA FERRAMENTA DE CRM UTILIZADA

Leia mais

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO SAIR DO LUGAR-COMUM PÃO DE AÇÚCAR UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO Só em São Paulo, a associação que reúne os supermercados tem mais de 50 empresas cadastradas. As lojas se espalham com um volume impressionante.

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce;

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce; Objetivos Administração Profª Natacha Pouget Módulo: Gestão de Inovação e Ativos Intangíveis Tema da Aula: E-Business e Tecnologia da Informação I Entender as definições de e-business e e- commerce; Conhecer

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

O MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA A FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM EMPRESAS VAREJISTAS

O MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA A FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM EMPRESAS VAREJISTAS O MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA A FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM EMPRESAS VAREJISTAS Taisa Tavares da Silva; Regiane Aparecida Soares Silveira - alunos de MBA em Gestão Empresarial. Me. Godofredo Lobato

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE CURITIBA ABRIL - 2000 ODILIO SEPULCRI TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico Estratégias de Relacionamento com clientes Marcelo Amorim Panorama Atual Agenda Tendências, Desafios e Globalização Sindrome da caixa de água Relacionamento com Clientes Gerenciamento de Riscos Novas tendências

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 3.1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 3.1 2003 by Prentice Hall 3 ão, Organizações ões, Administração e Estratégia OBJETIVOS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DOS PRODUTOS PARA MANTER A COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DOS PRODUTOS PARA MANTER A COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DOS PRODUTOS PARA MANTER A COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES ROMUALDO DA SILVA, Paulo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça/ACEG E-mail: paulo_romualdo@itelefonica.com.br

Leia mais