Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008"

Transcrição

1

2 Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008 Estudo de Planejamento Estratégico de Integração do Transporte Público Coletivo da RMPA Plano Integrado de Transporte e Mobilidade Urbana (PITMUrb)

3 CONTEÚDO 1 2 INTRODUÇÃO ÁREA DE ESTUDO 3 SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO 4 ETAPAS DO RECENTE PROCESSO DE PLANEJAMENTO 5 MODELO FUNCIONAL (PROGNÓSTICO) 6 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO METRÔ LEVE

4 1 Introdução

5 INÍCIO DO PROCESSO DE INTEGRAÇÃO Análises e avaliações do Projeto da Linha 2 do Metrô pela prefeitura de Porto Alegre realizadas no período de janeiro/2001 a agosto/2002, com Relatórios Técnicos Seminários promovidos pela Câmara de Vereadores de Porto Alegre em dezembro/2001 e setembro/2002, com Relatório da Comissão Dez audiências públicas promovidas pela Assembléia Legislativa do Estado no período de junho/2003 a maio/2004, com Relatório da Comissão de Serviços Público

6 PARCERIA PÚBLICA PARA INTEGRAÇÃO DO PLANEJAMANTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE PÚBLICO DA RMPA Principais ações: Protocolo de Integração Institucional Firmado em 03/11/2003 pela União Federal, o Estado do RS e o Município de Porto Alegre Acordo de Cooperação Técnica e Apoio Recíproco Celebrado em 30/01/2004 pela TRENSURB, METROPLAN e EPTC Criação do Grupo de Coordenação Institucional (GCI) Instituído em 08/03/2004 Criação do Grupo Executivo de Integração (GEI) Instituído em 11/03/2004 Criação do Escritório de Integração Estratégica do Transporte Público na RMPA Instalado em 01/07/2004 Contratação de Serviços de Consultoria Especializada em Transporte Público (EPE e PITMUrb) Assinados em 19/12/2003 e 31/12/2004

7 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DA PARCERIA PÚBLICA Desenvolvimento de alternativas e implantação de soluções: Institucional para Integração do planejamento e gestão do transporte público coletivo de passageiros da RMPA. FuncionaI para racionalizar, integrar e modernizar os sistemas de transporte e mobilidade urbana da RMPA. Financiamento para Implantação compartilhada das soluções institucional e funcional (infra-estrutura).

8 2 Área de Estudo

9

10 3 Síntese do Diagnóstico

11 SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO CONFIGURAÇÃO ATUAL DAS REDES URBANAS E METROPOLITANAS

12 CONFIGURAÇÃO ATUAL DAS REDES URBANAS E METROPOLITANAS Redes Estruturais

13 Redes: o conjunto das redes não foram concebidas nem são exploradas como um sistema integrado. Funcional: ao contemplar separadamente cada subsistema, podem parecer lógico e racional. Entretanto, apresentam grande irracionalidade em seu conjunto, principalmente dentro do município de Porto Alegre. Institucional: SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO existe uma sensível falta de integração e coordenação dos sistemas de transporte público, manifestada em todas as esferas de governo, e que marca a separação entre os sistemas de transportes urbanos e metropolitanos.

14 SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO Conseqüências: superposição de linhas nos mesmos eixos, acarretando excesso de ônibus nos corredores e na área central; aumento de congestionamento, de acidentes de trânsito e de poluição atmosférica e visual; queda de receita e aumento de custo operacional com repercussão tarifária para o usuário; projetos isolados desenvolvidos pelas três esferas de governo; falta de investimento compatível com necessidades de melhoria na infraestrutura de transporte Necessidades: racionalizar e promover integração total das redes e modais, como primeiro passo de qualificação para o futuro do transporte; compatibilizar projetos e planos setoriais de transporte desenvolvidos de forma isoladas, inclusive com os PDDUAs; qualificar o planejamento estratégico da mobilidade, priorizando o transporte público sustentável; modernizar o setor, priorizando investimento em infra-estrutura e tecnologia de transporte público de média e alta capacidade.

15 SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO Movimentos percebidos: segundo a ANFAVEA - Assoc. Nac. dos Fabr. de Veíc. Automotores, a frota nacional está em franca expansão. Nos últimos dez anos, passou de 30 milhões para 50 milhões. Em 2007, foram quase 3 milhões de automóveis produzidos e 2,5 milhões, vendidos. Representado o melhor desempenho da história; de acordo com a NTU - Ass. Nac. das Emp. de Transporte Urbano, está havendo uma substituição do transporte coletivo pelo individual. A frota de ônibus de 9 capitais brasileiras caiu 9% entre 1998 e No mesmo período, o número de passageiros transportados por mês teve queda de 25%. É o resultado das deficiências do transporte de massa e do culto ao automóvel; a frota de Porto Alegre é de aprox. 600 mil de veículos e a população de 1,44 milhões de habitantes. Em 25 anos, mantida a tendência de crescimento, a frota será 1,3 milhões (cresc. de 155%) e a população de 1,6 milhões (cresc. de 18%).

16 3 Etapas do Processo de Planejamento Estratégico Integrado

17 Planejamento Integrado do Transporte Publico da RMPA Estudo de Planejamento Estratégico de Integração do Transporte Publico Coletivo da RMPA ( ). Plano Integrado de Transporte e Mobilidade Urbana (PITMUrb) no âmbito da RMPA ( ). Etapas Projetos básico e executivo de engenharia, urbanização, arquitetura e EIA-Rima para implantação do sistema integrado (próx. passos ). Implantação das soluções e execução de obras (a partir de 2009).

18 Plano Integrado de Transporte e Mobilidade Urbana (PITMUrb) no âmbito da RMPA (Contrato n.º /2004/Trensurb - R$ ,33) Bloco I Sistema Integrado de Transporte - Modelos Físico-Operacional, Tecnológico e Tarifário - Estudo de Viabilidade Técnica e Econômico-Financeira - Avaliação por Multicritério - Montagem do Programa de Investimentos - Projeto de padronização da frota e codificação das linhas do novo sistema integrado Bloco II Sistema Integrado de Planejamento e Gestão - Modelo Institucional, Jurídico e Legal - Modelo de Participação - Modelo de Treinamento e Capacitação Bloco III - Modelo de Financiamento - Modelo de Parcerias Bloco IV Central de Monitoramento, Controle de Desempenho e Informação ao Usuário (imagem única para o sistema integrado) - Sistemas Informatizados - Infra-estrutura de Suporte - Programação e Comunicação Visual

19 Estudos e Projetos do Sistema Integrado de Transporte (SIT) Projeto operacional (microsimulação) para detalhamento das redes (linhas) estruturais e alimentadores, terminais e frota do Sistema Integrado de Transporte (SIT); Projetos executivos de engenharia e arquitetura para a implantação do Metrô de Porto Alegre, com 37,40 km, 23 estações, 8 terminais de integração multimodal e 1 pátio de manutenção; Projetos executivos de engenharia e arquitetura para a implantação de Corredores urbanos e metropolitanos, dotados de faixa exclusiva para ônibus; e outras melhorias viárias, num total de aprox. 82 km, sendo 55 km em Porto Alegre; Estudos e projetos de revitalização e tratamento urbanístico e paisagístico do entorno da Rede Estrutural Multimodal Integrada (linha do metrô, corredores de ônibus, estações, terminais multimodal de integração, pátio de manutenção e área central do município); Estudo e relatório de impacto ambiental (EIA/RIMA) para implantação da Rede Estrutural Multimodal Integrada; Estudos de regularização jurídica e institucional das concessões e da licitação do novo Sistema Integrado de Transporte (SIT); e, Estudos sobre a formatação da regionalização do sistema sobre trilhos na RMPA.

20 5 Eixos de Sustentabilidade do PITMUrb

21 Eixos de sustentabilidade do Plano Integrado de Transporte e Mobilidade Urbana (PITMUrb) no âmbito da RMPA e Escolha de um Novo Modal Integração Institucional Entidade unificada num órgão interfederativo, tipo um Consórcio Metropolitano de Transporte (CMT). Integração de Financiamento Modelo Integrado de financiamento. Plano e programa de investimentos. Eixos de Sustentabilidade do SIT Integração de Transporte e Intervenções Urbanísticas-ambiental Transporte como indutores de regeneração e requalificação urbano-ambiental. Metro leve + ônibus articulado ecológico. Integração de Controle e Informação ao Usuário Centro integrado de controle e informações. Imagem única e global do sistema integrado. Plano de comunicação. Sistema de codificação das linhas e padronização de frota. Integração Funcional do Transporte Sistema Integrado de Transporte (SIT). Rede Estrutural Multimodal Integrada. Integração Tarifaria Sistemas de bilhetagem eletrônica harmonizados (interoperabilidade). Câmara de Compensação Tarifária Metropolitana (CCTM).

22 6 Prognóstico do Sistema Modelo Funcional

23 Sistema Integrado de Transporte (SIT) e o Metrô de Porto Alegre Solução Funcional Rede Estrutural Multimodal Integrada Cenários de curto, médio e longo prazos

24 Estratégia de curto prazo, compatível com médio e longo prazos: Objetivos: Reestruturar as Redes sobre Pneus 1 os passos para implantação da Rede Estrutural Multimodal Integrada (racionalizar, modernizar e promover a integração física, operacional e tarifária dos sistemas de ônibus urbanos e metropolitanos). Tecnologia de Transporte: Ônibus Articulado + Ônibus Convencional. Horizonte Temporal: Ano Estratégia de médio e longo prazos Objetivos: Revitalizar o transporte público e o desenvolvimento urbano-ambiental (Implementar a expansão da Rede sobre Trilhos, de forma gradativa, através da execução da Linha do Metrô de Porto Alegre e da extensão da Linha 1 do Trem Metropolitano, devidamente integradas a rede da modal ônibus proposta para ser implantada no curto prazo). Tecnologia de Transporte: Metrô Leve + Trem Metropolitano + Ônibus Articulado + Ônibus Convencional. Horizontes Temporais: Anos 2013, 2023 e 2033.

25 Considerações para Reestruturação das Redes sobre Pneus: 1º) Infra-estrutura de transporte público coletivo existente em Porto Alegre: - 50 km de faixas exclusiva para ônibus. - 5 Terminais (Triângulo, Cairú, Azenha, Ant. de Carvalho e Restinga) e pontos de conexão. 2º) Implantação de bilhetagem eletrônica nos sistemas de ônibus urbano de Porto Alegre e metropolitano e no sistema Trensurb. 3º) Infra-estrutura prioritária para a rede estrutural sobre pneus do PITMUrb: - 82,5 km de novos corredores e melhorias viárias, sendo 55,5 km no município de Porto Alegre e 27 km nos municípios vizinhos, com projeto final de engenharia concluído (Proj. Linha Rápida). 4º) Infra-estrutura proposta para a rede estrutural sobre trilhos do PITMUrb: - 46,7 km de via: 37,4 para o Metrô de Porto Alegre (subterrâneo e elevado) + 9,3 para Expansão da Linha 1, dentro da Rede Estrutural Multimodal Integrada (tecnologias: Metrô Leve + BST/BRT + Ônibus Convencional). 5º) Projeto Hidroviário (ligação do município de Guaíba com Porto Alegre). - 14,5 km de melhorias na Hidrovia, construção de terminais de conexão e embarcações. 6º) Projeto Portais da Cidade (fundamentos e premissas para área central): - 17 km de modernização de corredores e obras de arte na rodoviária e Borges de Medeiros, para adoção de tecnologia BRT e eliminação de terminais de ônibus na área central.

26 Infra-estrutura existente (Km): Linha 1 (Extensão) Trem Metropolitano 33,8 Década de 80-27,5 Década de 90-9,8 Inaugur ,5 Corredores - 49,8 Terminais REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Resultante das 13 simulações do EPE e das 33 simulações do PITMUrb BR-448 Ext.: 22 km BR-116 RS-010 BR-290 Infra-estrutura proposta (Km): Linha 1 (Extensão) Trem Metropolitano - 9,3 Linha 2 do Metrô Porto Alegre - 37,4 Total s/ trilhos - 46,7 Área de influência direta da linha 1 do trem metropolitano Área de influência direta da linha do metrô de Porto Alegre Corredores de ônibus Porto Alegre - 55,4 Corredores e melhorias viárias nos eixos Urbanos de POA BR-290 Ligação Hidroviária Ext.: 14.5 km Av. Farrapos Term. Azenha Av. Cascatinha Term. Cairú Av. Bento Gonçalves Av. Sertório Av. Assis Brasil Term. A. Carvalho 3ª Perimetral Term. Triângulo Av. Protásio Alves Av. Bento Gonçalves Corredores de ônibus Metropolitanos - 27,0 Total s/pneus - 82,4 Corredores e melhorias viárias nos eixos metropolitanos Term. Restinga Hidrovia - 14,5

27 REDE ESTRUTURAL URBANA DE POA PITMUrb / REDE ESTRUTURAL INTEGRADA Estratégia de curto prazo, compatível com médio e longo prazo TECNOLOGIA ÔNIBUS ARTICULADO - Horizonte 2013 TU 01 TU 02 TU 03 TU 04 TU 05 TU 06 TU 07 TU 08 TU 09 TU 10 TU 11 TU 12 TU 13 TU 14

28 TU 01 - Azenha,Centro, A. Brasil TU 02 - A. Carvalho, Centro, Cairú TU 03 - J. Batista,Wenceslau, P. Cacique, Icaraí, Centro, Cairú TU 04 - Restinga, J. Batista, Teresópolis, Azenha TU 05 - J. Batista,3ª Perimetral, Cairú TU 06 - J. Batista, 3ª Perimetral, B. Gonçalves, A. Carvalho, Triângulo TU 07- Restinga, J. O. Remião, B. Gonçalves, 3ª Perimetral, Cairú TU 08 - J. O. Remião, B. Gonçalves,A. Carvalho,Triângulo, S. Dúllius,,Aeroporto TU 09 - R. Berta 1, M. Elias, P. Alves, J. Pessoa, Azenha, B. Gonçalves, A. Carvalho, M. Elias, R. Berta 1 TU 10 - X R. Berta 1, M. Elias, A. Carvalho, B. Gonçalves, Azenha, J. Pessoa, P. Alves, M. Elias, R. Berta 1 TU 11 - R. Berta 2 (P. Maias), M. Elias, P. Alves, J. Pessoa, Azenha, B. Gonçalves, A. Carvalho, M. Elias, R. Berta 2 TU 12 - R. Berta 2 (P. Maias), M. Elias, A. Carvalho, B. Gonçalves, Azenha, J. Pessoa, P. Alves, M. Elias, R. Berta 2 TU 13 - R. Berta 1, Triângulo, A. Brasil,Cairú TU 14 - R. Berta 2, Triângulo, A. Brasil,Cairú

29 REDE ESTRUTURAL METROPOLITANA DE POA TM 01 TM 02 TM 03 TM 04 TM 05 TM 06 TM 07 TM 08 TM 09 TM 10 TM 11 TM 12 TM 13 TM 14 TM 15 TM 16 TM 17 TM 18 HIDROVIÁRIO

30 TM 01 - Viamão, RS 040, A. Carvalho TM 02 - Viamão, RS 040, A. Carvalho, P. Alves, O. Aranha TM 03 - Viamão, RS 040, A. Carvalho, Sertório,Cairú TM 04 - Viamão, C. do Meio, P. Alves, O. Aranha TM 05 - Alvorada, Aparecida, C. do Meio, P. Alves,O. Aranha TM 06 - Alvorada, Aparecida, C. do Meio, P. Alves,A. Carvalho TM 07 - Alvorada, B. O. Garcia, Manoel Elias, P. Alves, A. Carvalho TM 08 - Alvorada, B. O. Garcia, Manoel Elias, P. Alves, O. Aranha TM 09 - Alvorada, G. Vargas, B. O. Garcia, Triângulo TM 10 - Alvorada, G. Vargas, B. O. Garcia, Triângulo, Sertório, Cairú TM 11 - Gravataí, Cachoeirinha, A. Brasil, Manoel Elias, P. Alves, A. Carvalho TM 12 - Cachoeirinha, A. Brasil, Triângulo TM 13 - Gravataí, Cachoeirinha, A. Brasil, Triângulo TM 14 - Gravatai, Cachoeirinha, BR 290, Av. Estados,Cairú TM 15 - Gravataí, P. Hilário, RS 020, Cachoeirinha, A. Brasil, Triângulo TM 16 - Gravataí, P. Hilário,RS 020, Cachoeirinha, BR 290, Av. Estados, Cairú TM 17 - Guaíba, BR 290, Cairú TM 18 - Guaíba, Est. Conde, Cairú HIDROVIÁRIO - Guaíba, Centro

31 REDE ESTRUTURAL SOBRE PNEUS METROPOLITANA PITMUrb / REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Estratégia de médio e longo prazos, compatível com curto prazo TECNOLOGIA METRÔ LEVE - Horizonte 2013 / 1ª Fase / Ext. 13,2 km REDE ESTRUTURAL SOBRE PNEUS URBANA DE POA 1ª FASE Linha 1 Trem Metropolitano Linha Circular (1ª FASE) Metrô de Porto Alegre Terminais de integração (existentes) Terminais de integração (propostos)

32 REDE ESTRUTURAL SOBRE PNEUS METROPOLITANA PITMUrb / REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Estratégia de médio e longo prazos, compatível com curto prazo TECNOLOGIA METRÔ LEVE - Horizonte 2023 / 2ª Fase / Ext. 10 km REDE ESTRUTURAL SOBRE PNEUS URBANA DE POA 2ª FASE 1ª FASE Linha 1 Trem Metropolitano Linha Circular (2ª FASE) Metrô de Porto Alegre Terminais de integração (existentes) Terminais de integração (propostos)

33 REDE ESTRUTURAL SOBRE PNEUS METROPOLITANA PITMUrb / REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Estratégia de médio e longo prazos, compatível com curto prazo TECNOLOGIA METRÔ LEVE - Horizonte 2033 / 3ª Fase / Ext. 14,2 km REDE ESTRUTURAL SOBRE PNEUS URBANA DE POA 3ª FASE 2ª FASE 1ª FASE Linha 1 Trem Metropolitano Linha Circular (3ª FASE) Metrô de Porto Alegre Terminais de integração (existentes) Terminais de integração (propostos)

34 Resumo da Infra-estrutura proposta

35 PITMUrb / REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Rede 3 Fases de Implantação do MetrôPoa Ext.: km (ano 2013) Custo (U$): 1,52 bilhões Ext.: km (ano: 2023) Custo (U$): 1,17 bilhões Ext.: km (ano: 2023) Custo (U$): 1,68 bilhões REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Resultante das 13 simulações do EPE e das 33 simulações do PITMUrb

36 BR-448 Ext.: 22 km Infra-estrutura para rede sobre trilhos Faseamento/ano Linha SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE (SIT) REDE ESTRUTURAL MULTIMODAL INTEGRADA Total Linha 1 do Trem 9, ,80 MetrôPoa 13,20 10,33 13,87 37,40 Total 23,00 10,33 13,87 47,20 BR-116 RS-010 BR-290 BR-290 Ligação Hidroviária Ext.: 14.5 km Infra-estrutura para rede sobre pneus Prioridade/ano Municípios Total PoA 55,44 33,65 52,26 141,35 VI, AL, CH e GR 27,01 31, ,12 Total 82,45 64,76 52,26 199,47

37 Demanda Diária e Carregamento Hora Pico Manã

38 70% 60% 58,9% Indicador de Produção Passageiros dia útil (Embarques) Tecnologia Metrô Leve - Faseamento B (UFRGS) %Passageiros dia útil (embarques) 50% 40% 30% 20% 10% 32,5% 8,6% 46,4% 39,5% 7,8% 14,1% 42,9% 40,5% 10,3% 16,6% 40,2% 36,8% 16,6% 23% Ônibus Urbano Ônibus Metropolitano Linha 1 TRENSURB Linha Circular Linha 1 + L. Circular 0% 6,3% 6,3% 6,4% Ano 2003 Ano 2013 Ano 2023 Ano ,

39 Fonte: IPPUC/Curitiba - quadro apresentado no Seminário Porto Alegre nos Trilhos, com inclusão de dados do Metrô de Porto Alegre..

40 População, Empregos, Matrículas Escolares e Frota

41 População Residente por ZTs dos Municípios da Área de Estudo, nos Horizontes do PITMUrb

42 População Residente por ZTs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb

43 População Residente por Mzs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb 43% -9% 10% 14%

44 Postos de Trabalhos por ZTs dos Municípios da Área de Estudo, nos Horizontes do PITMUrb

45 Postos de Trabalhos por ZTs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb

46 Postos de Trabalhos por Mzs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb -3% -2% -1% 4,5%

47 Matrículas Escolares por ZTs dos Municípios da Área de Estudo, nos Horizontes do PITMUrb

48 Matrículas Escolares por ZTs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb

49 Matrículas Escolares por MZs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb 47% -14% 19% 21%

50 Frota por ZTs dos Municípios da Área de Estudo, nos Horizontes do PITMUrb

51 Frota por ZTs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb

52 Frota por MZs de Porto Alegre, nos Horizontes do PITMUrb 88% 60% 54% 82%

53 População, Beneficiada

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte

Leia mais

Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA

Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA MOBILIDADE URBANA EM REGIÕES METROPOLITANAS Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA Marco Aurélio Spall Maia Diretor Presidente TRENSURB-Porto Alegre Região Metropolitana

Leia mais

Mobilidade Urbana em Regiões Metropolitanas

Mobilidade Urbana em Regiões Metropolitanas Mobilidade Urbana em Regiões Metropolitanas Ministério das Cidades Apresentação: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA Secretaria Municipal dos Transportes - SMT Empresa Pública de Transporte e Circulação

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO PLANOS DE MOBILIDADE EM PORTO ALEGRE/RS SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE E MOBILIDADE

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO PLANOS DE MOBILIDADE EM PORTO ALEGRE/RS SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE E MOBILIDADE EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO PLANOS DE MOBILIDADE EM PORTO ALEGRE/RS SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE E MOBILIDADE PORTO ALEGRE, NOVEMBRO DE 2012 EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO

Leia mais

BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus

BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus Marcos Bicalho dos Santos Diretor Institucional e Administrativo da NTU Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito

Leia mais

O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável e a implantação do. MOVE, o BRT de Belo Horizonte

O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável e a implantação do. MOVE, o BRT de Belo Horizonte O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável e a implantação do MOVE, o BRT de Belo Horizonte BH, 2001-12 - Dinâmica recente: um colossal crescimento da frota de veículos automotores A frota de veículos mais

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Porto Alegre Dezembro de 2012 CodeP1 CODE1 Porto Alegre: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Julho de 2013 Formas de Atuação Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES EMPRESÁRIO Informação e Relacionamento Instituição

Leia mais

Valor (em R$ milhões)

Valor (em R$ milhões) ANEXO A MOBILIDADE URBANA Corredor Avenida Tronco¹ Total do Projeto: R$ 133,6 milhões PORTO ALEGRE - RIO GRANDE DO SUL RS-A.01 RS-A.01/01 RS-A.01/02 Corredor Avenida Tronco - Projeto Básico Corredor Avenida

Leia mais

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - Objetivo Apresentar a e as principais características do STTP. Conceito de Transporte - Transporte é o movimento de pessoas e cargas de um ponto a outro utilizando

Leia mais

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA DE TRANSPORTE E TRANSITO DE JOÃO PESSOA STTRANS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº 001/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2010/047142 ANEXO IV DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO

Leia mais

QUEM FAZ O QUÊ? DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS

QUEM FAZ O QUÊ? DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS QUEM FAZ O QUÊ? SETTRAN - SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO E TRANSPORTES CTA ESTATÍSTICAS CTA - CONTROLE DE TRÁFEGO EM ÁREA AUTOR: AÍLTON BORGES SETTRAN- - Transporte coletivo na cidade... Quem faz o quê?

Leia mais

Mobilidade Caminhos para o Futuro

Mobilidade Caminhos para o Futuro EVENTO DIÁLOGOS CAPITAIS: METRÓPOLES BRASILEIRAS O FUTURO PLANEJADO Mobilidade Caminhos para o Futuro Ricardo Young PPS Vereador Município de SP ricardoyoungvereador http://www.ricardoyoung.com.br/ 21/JULHO/2014

Leia mais

SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1

SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1 SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1 Contribuições ao debate do Conselho Deliberativo Metropolitano - CDM Por Mauri

Leia mais

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia CRONOLOGIA 1975 Estadualização Criação Transurb 1976 1980 1984 1989 1991 1995 1997 1998 1999 2000 Sistema Tronco-Alimentado Corredor Anhanguera

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA

COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA AUDIÊNCIA PÚBLICA A LEI DE MOBILIDADE URBANA NO BRASIL CONSTATAÇÕES E DESAFIOS AGOSTO 2013 Dr. Emilio Merino INDICE 1. Antecedentes 2. Cenários urbanos 3. A Lei 12.587/2012

Leia mais

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA Secretaria de 1 Produtivo 1. Ampliar a oferta de infraestrutura adequada para promover a segurança no consumo de gêneros alimentícios em mercados municipais 1. Oferecer espaços adequados para comercialização

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO MARIA CRISTINA MOLINA LADEIRA Diretora de Transportes da EPTC CIDADE DE PORTO ALEGRE Informações Básicas População = 1.420.600 Hab. Área = 496,8 Km² Renda Percapita

Leia mais

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Proponente: Município Beneficiado: Estado: Nome Entidade: CNPJ: Endereço da Sede: CEP: Tel/Fax: Representante Legal:

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana e Transporte Público Porto Alegre Copa 2014 AGOSTO - 2012

Obras de Mobilidade Urbana e Transporte Público Porto Alegre Copa 2014 AGOSTO - 2012 AGOSTO - 2012 Matriz de Responsabilidades invest. R$ 866,3 milhões Corredor Avenida Tronco Corredor Terceira Perimetral Corredor Padre Cacique Monitoramento dos Corredores BRT Protásio Alves BRT Assis

Leia mais

4º DISTRITO SECRETARIA DO PLANEJAMENTO MUNICIPAL PROGRAMA PORTO DO FUTURO

4º DISTRITO SECRETARIA DO PLANEJAMENTO MUNICIPAL PROGRAMA PORTO DO FUTURO 4º DISTRITO SECRETARIA DO PLANEJAMENTO MUNICIPAL PROGRAMA PORTO DO FUTURO Grupo de Trabalho / Secretaria do Planejamento Municipal / SPM: Arquitetos: Míriam Maciel Echel Tânia Regina S. C. de Oliveira

Leia mais

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico A CRIAÇÃO DE TERRITÓRIOS DE OPORTUNIDADE JUNTO AO SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO: EM PROL DE UMA PARCERIA MAIS EFETIVA NOS PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO URBANA NO ENTORNO DAS ESTAÇÕES. ABSTRACT Ao longo dos trinta

Leia mais

Grupo de Trabalho Copa do Mundo Brasil 2014. Mobilidade Urbana e a Copa 2014

Grupo de Trabalho Copa do Mundo Brasil 2014. Mobilidade Urbana e a Copa 2014 Grupo de Trabalho Copa do Mundo Brasil 2014 Mobilidade Urbana e a Copa 2014 Novembro de 2009 Participação do Gov. Fed. na Copa de 2014 Setor hoteleiro Estádio Aeroporto Investimentos Federais Porto Mobilidade

Leia mais

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte Mesa 1: Acessibilidade e qualidade do transporte coletivo e das calçadas de Belo Horizonte Em que medida o PlanMob-BH considerou e avançou

Leia mais

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Metrô em elevado com extensão de 9,3 Km com rede elétrica aérea, sinalização, bilhetagem eletrônica, escadas rolantes Quatro Estações de Passageiros

Leia mais

MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS?

MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS? MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS? UM PLANO DE MOBILIDADE URBANA DEVE PARTIR DA FORMULAÇÃO DE UM DESEJO: UM DESEJO DE CIDADE. QUAL A SALVADOR QUE DESEJAMOS UMA METRÓPOLE COMPETITIVA, SAUDÁVEL, EQUILIBRADA,

Leia mais

Evolução do congestionamento

Evolução do congestionamento Evolução do congestionamento Crescimento populacional estável Taxa de motorização crescente 2025 2005 Surgimento de novos pólos de atração de viagens Deslocamentos na cidade Rede de transporte para 2016

Leia mais

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES?

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? BUENO, Maria Helena Berardo Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Goiás - UnUCET ( Unidade

Leia mais

TIPOS DE RELACIONAMENTO COM A INICIATIVA PRIVADA E FORMAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS

TIPOS DE RELACIONAMENTO COM A INICIATIVA PRIVADA E FORMAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS TIPOS DE RELACIONAMENTO COM A INICIATIVA PRIVADA E FORMAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS terça-feira, 10 de novembro de 2015 Objetivo Apresentar os alguns dos tipos de relacionamento estabelecidos entre a

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO SISTEMAS INTEGRADOS DE TRANSPORTE URBANO

TRANSPORTE COLETIVO SISTEMAS INTEGRADOS DE TRANSPORTE URBANO SISTEMAS INTEGRADOS DE TRANSPORTE URBANO TRANSPORTE COLETIVO M. Eng. André Cademartori Jacobsen Especialista em Benchmarking Associação Latino-americana de Sistemas Integrados e BRT (SIBRT) 28/Nov/2012

Leia mais

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ 1 1 Introdução Sustentabilidade Mudança nos atuais modelos de produção e consumo Alternativas

Leia mais

A consolidação da rede de BRS do Rio de Janeiro.

A consolidação da rede de BRS do Rio de Janeiro. A consolidação da rede de BRS do Rio de Janeiro. Aline Leite 1 ; Diego Mateus da Silva 1 ; Eduardo Tavares da Silva 2 ; Luciana Brizon 2 ; Luciana Pires 2 ; Marcelo Mancini 1 ; Miguel Ângelo de Paula 2

Leia mais

DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA

DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano Recife Caso você fosse o gestor, quais seriam suas principais intervenções no trânsito do Recife? SE A SITUAÇÃO

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META S AO PLN 0002 / 2007 - LDO Página: 2133 de 2393 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 34560001 1216 Atenção Especializada em Saúde 8535 Estruturação de Unidades de Atenção Especializada em Saúde Unidade

Leia mais

1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015

1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015 1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015 1. RESULTADOS GERAIS No novo ciclo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), entre 2015 e 2018, serão investidos de R$ 1,05 trilhão. Nesse período,

Leia mais

3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha

3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha 3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha Henrique Futuro Assessor Agência Metropolitana de Transportes Urbanos Rio Setembro de 2011 Panorama Location: southeast of Brazil (57% of the GNP); Area: 43.910

Leia mais

MOBILIDADE URBANA: OS MODAIS DE TRANSPORTE

MOBILIDADE URBANA: OS MODAIS DE TRANSPORTE Engº Emiliano Affonso Neto 20 de Setembro de 2013 Realização: ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Escolha do Modo de Transporte 2. Modos de Transporte 3. Recomendações ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Escolha

Leia mais

Programa de Investimento em Logística

Programa de Investimento em Logística Programa de Investimento em Logística HÉLIO MAURO FRANÇA Empresa de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 8 Mobilidade e Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

A cidadedo futuro. Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br

A cidadedo futuro. Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br A cidadedo futuro Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br O transporte público multimodal é chave para cidades eficientes e sustentáveis Integraçãoé a base da multimodalidade Fonte: Capima (capima.com.br)

Leia mais

FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA

FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA HISTÓRICO O Serviço de bombeiros em Santa Maria, é originário da Estação de Bombeiros de Santa Maria, criada em 16 Mar 1955 e instalada provisoriamente nas dependências

Leia mais

Redução dos tempos de viagens e custos operacionais com a implantação da Linha Direta Ligeirão Boqueirão na cidade de Curitiba.

Redução dos tempos de viagens e custos operacionais com a implantação da Linha Direta Ligeirão Boqueirão na cidade de Curitiba. Redução dos tempos de viagens e custos operacionais com a implantação da Linha Direta Ligeirão Boqueirão na cidade de Curitiba. Astrid Cristianne Dilger Sanches¹; Olga Mara Prestes² 1 Engenheira Civil

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG Luciano Nogueira José Aparecido Sorratini ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

REFERÊNCIA Transporte Rodoviário Agenda Setorial 2012 Acompanhamento/Monitoramento da política pública de transporte rodoviário

REFERÊNCIA Transporte Rodoviário Agenda Setorial 2012 Acompanhamento/Monitoramento da política pública de transporte rodoviário 3ª Câmara de Coordenação e Revisão Consumidor e Ordem Econômica SAF Sul Quadra 4 Conjunto C Bloco B Sala 301; Brasília/DF, CEP 70050-900, (61)3105-6028, http://3ccr.pgr.mpf.gov.br/, 3camara@pgr.mpf.gov.br

Leia mais

DOS RESULTADOS DAS OFICINAS REALIZADAS EM MAIO DE 2014 COM ESTE PÚBLICO-ALVO

DOS RESULTADOS DAS OFICINAS REALIZADAS EM MAIO DE 2014 COM ESTE PÚBLICO-ALVO SEMINÁRIOS: representes sociedade civil de SÃO JOSÉ e corpo técnico municipal EXPOSIÇÃO DOS RESULTADOS DAS OFICINAS REALIZADAS EM MAIO DE 2014 COM ESTE PÚBLICO-ALVO 3de Dezembro de 2014 Outubro 2014 OFICINA

Leia mais

CIRCUITO DO SIT - SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS

CIRCUITO DO SIT - SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS CIRCUITO DO SIT - SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE SETTRAN - secretaria Municipal de Trânsito e Transportes CTA - Controle de tráfego em área Autor: Aílton Borges SETTRAN- - Circuito do SIT - Sistema integrado

Leia mais

Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011

Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011 Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011 Território preferencial Obras da Matriz de Responsabilidades Av. Severo Dullius Rua Voluntários da Pátria Av. Assis

Leia mais

DRAFT. PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009

DRAFT. PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009 PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Solução de mobilidade urbana Resumo do projeto do monotrilho Resumo do projeto do BRT Quadro 2 Agenda Crescimento

Leia mais

EDIFICAÇÕES ELETROMECÂNICA

EDIFICAÇÕES ELETROMECÂNICA É importante que todo aluno tenha acesso às informações sobre os cursos e faça sua escolha para não haver dúvida no ato da inscrição para o concurso de 2012/2013: EDIFICAÇÕES O Técnico em Edificações é

Leia mais

Transporte Hidroviário Urbano

Transporte Hidroviário Urbano PHD 2537 Introdução Contexto atual No Brasil, o transporte rodoviário é responsável por 96,02% da movimentação de passageiros Necessidade de expansão da infra-estrutura devido ao crescimento das cidades

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE SANTA MARIA PLAMSAB

Leia mais

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014 IV Conferência de Política Urbana Eixo de Mobilidade: Redução dos deslocamentos, melhoria da acessibilidade e estímulo ao transporte coletivo e não motorizado. 29 de março de 2014 Roteiro 2 1) Contexto

Leia mais

TransÔnibus realiza 1º Encontro de Secretários de Transportes

TransÔnibus realiza 1º Encontro de Secretários de Transportes RJ 16/10/2014 Nº 1074 TransÔnibus realiza 1º Encontro de Secretários de Transportes No dia 18 de setembro, o TransÔnibus sediou o 1 Encontro de Secretários de Transportes dos municípios de Belford Roxo,

Leia mais

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP São Paulo/SP, 28 de agosto de 2009 MOBILIDADE URBANA: Atributo

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria do Turismo, Esporte e do Lazer Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul - FUNDERGS

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria do Turismo, Esporte e do Lazer Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul - FUNDERGS EDITAL Nº 03/2015 PEQUENAS OBRAS E REFORMAS EM GINÁSIOS ESPORTIVOS, CANCHAS, QUADRAS ESPORTIVAS, ESTÁDIOS, CAMPOS DE FUTEBOL E OUTROS ESPAÇOS DESTINADOS À PRÁTICA DE ESPORTES E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Unidade: Política Habitacional e o Direito à Moradia Digna.

Unidade: Política Habitacional e o Direito à Moradia Digna. OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES, AÇÃO URBANA E FUNDAÇÃO BENTO RUBIÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS E O DIREITO À CIDADE Unidade: Política Habitacional e o Direito à Moradia Digna. Módulo III - A

Leia mais

O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba

O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba Curitiba SÃO PAULO População: 1.828.092 hab. Taxa de crescimento pop. 2000-2009: 1,71% 2008-2009:

Leia mais

O Problema dos Transportes Urbanos de Passageiros no Brasil

O Problema dos Transportes Urbanos de Passageiros no Brasil O Problema dos Transportes Urbanos de Passageiros no Brasil Uma Contribuição para as Discuções sobre o Tema. O crescimento da urbanização da população brasileira, os incentivos generosos do governo federal

Leia mais

ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO

ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO 1. Perspectiva para o Sistema de Transporte Futuro 1.1. Introdução 1.2. Definições 2. Política Tarifária 3. Tecnologias

Leia mais

Manual Prêmio Mobilidade

Manual Prêmio Mobilidade Manual Prêmio Mobilidade 1. Qual o objetivo do Prêmio Mobilidade? O Prêmio Cidades Sustentáveis, categoria "Mobilidade", pretende reconhecer políticas públicas sustentáveis e bem sucedidas de melhoria

Leia mais

Bus Rapid Transit. Possui desempenho e conforto semelhante aos sistemas sobre trilhos, mas com custo entre 4 a 20 vezes. menor;

Bus Rapid Transit. Possui desempenho e conforto semelhante aos sistemas sobre trilhos, mas com custo entre 4 a 20 vezes. menor; 1 BRT MANAUS 2 Bus Rapid Transit O BRT é um sistema de transporte com alta capacidade e baixo custo que utiliza parte segregada da infraestrutura viária existente e opera por controle centralizado, permitindo

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de Pedestres ABRASPE apresenta aqui sua sugestão para revisão do texto original de Política Nacional de Trânsito apresentado pelo Departamento

Leia mais

Órgão/Sigla: SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE COLETIVO - SITC SECRETARIA MUNICIPAL DOS TRANSPORTES E INFRA- ESTRUTURA - SETIN

Órgão/Sigla: SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE COLETIVO - SITC SECRETARIA MUNICIPAL DOS TRANSPORTES E INFRA- ESTRUTURA - SETIN Órgão/Sigla: SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE COLETIVO - SITC Natureza Jurídica: Gestão: Finalidade: SISTEMA SECRETARIA MUNICIPAL DOS TRANSPORTES E INFRA- ESTRUTURA - SETIN Elaborar e implementar o Plano

Leia mais

O b ra s da C o pa 2 0 1 4. P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re

O b ra s da C o pa 2 0 1 4. P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re O b ra s da C o pa 2 0 1 4 P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re RE C URS OS Ma triz de R e s po n s a b ilida de s Ma triz de R e s po n s a b ilida de s Assinada em 13 de janeiro de 2010

Leia mais

OFICINA DE SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTE NTU 2014 Os desafios do ITS no Brasil CT ITS da ANTP TENDÊNCIAS EM CURSO

OFICINA DE SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTE NTU 2014 Os desafios do ITS no Brasil CT ITS da ANTP TENDÊNCIAS EM CURSO TENDÊNCIAS EM CURSO Bilhetagem e Tarifação Eletrônica Planejamento, Gestão e Monitoramento Telemetria, Monitoramento por Imagens e Sensoriamento Informação ao usuário Priorização e Gestão do Tráfego Implantação

Leia mais

Aspectos Relevantes da Assessoria Técnica Prestada ao Projeto do Aeroporto Internacional de Pouso Alegre Francisco Humberto Vignoli

Aspectos Relevantes da Assessoria Técnica Prestada ao Projeto do Aeroporto Internacional de Pouso Alegre Francisco Humberto Vignoli Aspectos Relevantes da Assessoria Técnica Prestada ao Projeto do Aeroporto Internacional de Pouso Alegre Francisco Humberto Vignoli Coordenador de Projetos Data: 21 de outubro de 2015 AGENTES ENVOLVIDOS

Leia mais

Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs)

Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) Organização: Unidade de Parcerias Público-Privadas - Secretaria de Estado de Economia e Planejamento (SEP) Vitória, 26.11.2010 Objetivos do Curso Apresentar

Leia mais

Relatório Parcial Porto Alegre Abril de 2012

Relatório Parcial Porto Alegre Abril de 2012 Departamento de Geografia da UFRGS Projeto Metropolização e Megaeventos: os impactos da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas 2016 Relatório Parcial Porto Alegre Abril de 2012 Coordenador: Paulo Roberto

Leia mais

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Diminuir a necessidade de viagens motorizadas: Posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando

Leia mais

Salvador na Copa das Confederações e Copa do Mundo FIFA 2014

Salvador na Copa das Confederações e Copa do Mundo FIFA 2014 Salvador na Copa das Confederações e Copa do Mundo FIFA 2014 18/05/2012 Ana Cláudia Nascimento e Sousa Diretora de Mobilidade Urbana e Interurbana ACESSIBILIDADE À ARENA FONTE NOVA LEGADO PARA A CIDADE

Leia mais

PROGRAMA DE CORREDORES METROPOLITANOS. Instituto de Engenharia

PROGRAMA DE CORREDORES METROPOLITANOS. Instituto de Engenharia PROGRAMA DE CORREDORES METROPOLITANOS Instituto de Engenharia Introdução quem é a EMTU/SP Estrutura Organizacional EMTU/SP responsabilidades Gerenciamento do sistema de transporte público intermunicipal

Leia mais

Porto Alegre. Host City Fifa World Cup 2014

Porto Alegre. Host City Fifa World Cup 2014 Porto Alegre Host City Fifa World Cup 2014 31/05/2009 A FIFA anuncia as 12 cidades-sede 13/01/2010 Formalização do Grupo Executivo da Copa Gecopa; Anúncio do Programa BNDES Pró-Copa Turismo (recursos para

Leia mais

Estudos para Reorganização do Setor Elétrico

Estudos para Reorganização do Setor Elétrico Programa 0276 Gestão da Política de Energia Objetivo Apoiar o planejamento, avaliação e controle dos programas na área de energia. Público Alvo Governo Ações Orçamentárias Indicador(es) Órgão(s) 32 - Ministério

Leia mais

PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE

PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE Fórum Nacional de Logística Belo Horizonte, 09 de novembro de 2011 PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: DESAFIOS E OPORTUNIDADES Paula de Medeiros Andrade Secretaria

Leia mais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais Criação Instituído através do Decreto Estadual Nº 43.914 e lançado pela Cemig através de Chamada Pública. Objeto da Chamada: Convocação de Empresas

Leia mais

A Curitiba de 2024. Entenda

A Curitiba de 2024. Entenda Emendas ao Plano Direitor propõem a paulistinização do trânsito em Curitiba Gazeta do Povo - Curitiba/PR - HOME - 04/10/2015-21:49:00 Modelo em gestão de mobilidade urbana para o restante do país nas décadas

Leia mais

Curitiba - Linha Verde

Curitiba - Linha Verde Curitiba - Linha Verde Portand y Curitiba Ciudades hacia la sustentabilidad Engº Leila Beatriz Mancia Taouil Assessora especial da presidencia INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA Curitiba

Leia mais

Mobilidade Carioca. BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade

Mobilidade Carioca. BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade Mobilidade Carioca Mobilidade Carioca BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade Rede de Transporte em 2010 trem metrô Rede de Transporte em 2012 trem metrô BRT Rede de Transporte

Leia mais

Natal - RN Os impactos, processos e dinâmicas na Cidade do Natal

Natal - RN Os impactos, processos e dinâmicas na Cidade do Natal Natal - RN Os impactos, processos e dinâmicas na Cidade do Natal Metropolização e Megaeventos Seminário Nacional Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 2013 Equipe do Projeto Núcleo RMNatal Prof. Alexsandro

Leia mais

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR Este projeto visa investir na melhoria da infraestrutura escolar, por meio de construção, ampliação e reforma, bem como dotá-las com equipamentos e mobiliários

Leia mais

Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social

Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social O Rio Capibaribe já foi navegável e suas águas limpas serviam para banhos medicinais. Ele serviu de escoamento para

Leia mais

Consórcio Metropolitano de Gestão do Sistema de Transporte da RMPA PLANO DE IMPLANTAÇÃO 2014/2016

Consórcio Metropolitano de Gestão do Sistema de Transporte da RMPA PLANO DE IMPLANTAÇÃO 2014/2016 Consórcio Metropolitano de Gestão do Sistema de Transporte da RMPA PLANO DE IMPLANTAÇÃO 2014/2016 Objetivo Geral Estabelecer um novo modelo Operacional Econômico Jurídico Institucional De Gestão dos Sistemas

Leia mais

Dados de Porto Alegre. População: 1.409.351 habitantes. Área: 496,682 km2

Dados de Porto Alegre. População: 1.409.351 habitantes. Área: 496,682 km2 AUDIÊNCIA PÚBLICA Dados de Porto Alegre População: 1.409.351 habitantes Área: 496,682 km2 Figura 1. Localização do Município de Porto Alegre e dos demais municípios integrantes da RMPA. Legislação Aplicável:

Leia mais

ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS 1 1. Estrutura Física / Equipamentos de Garagens e Pátios de Estacionamento 1.1. Especificação do Padrão das Garagens e Pátios de Estacionamento

Leia mais

Desafios do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte

Desafios do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte Nº 1 de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte A escolha do Rio de Janeiro para ser a sede dos Jogos Olímpicos coroou o bom momento vivido pela cidade e pelo estado, que irá receber investimentos

Leia mais

INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP

INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP AVISO Com base nos Art. 30 e 31 da Lei Complementar Municipal n 16, de 04 de junho de 1992, o Município do Rio de Janeiro torna público seu interesse

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

ORIGEM: COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO TIPO DE TRABALHO: RELATÓRIO ASSUNTO: Seminário MOBILIDADE URBANA em Joinville, SC

ORIGEM: COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO TIPO DE TRABALHO: RELATÓRIO ASSUNTO: Seminário MOBILIDADE URBANA em Joinville, SC DIRETORIA LEGISLATIVA CONSULTORIA LEGISLATIVA ORIGEM: COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO TIPO DE TRABALHO: RELATÓRIO ASSUNTO: Seminário MOBILIDADE URBANA em Joinville, SC CONSULTOR: João Luiz de Pontes

Leia mais

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS 1 Sumário 1. Equilíbrio econômico-financeiro metropolitano...3 2. Proposta econômico-financeira

Leia mais

Maio - 2011. Minas Solar 2014. Alexandre Heringer Lisboa. Gestor - Cemig Distribuição SA

Maio - 2011. Minas Solar 2014. Alexandre Heringer Lisboa. Gestor - Cemig Distribuição SA Maio - 2011 Minas Solar 2014 Alexandre Heringer Lisboa Gestor - Cemig Distribuição SA Estádios Solares Projeto Minas Solar 2014 Minas Gerais, a Cemig e a Copa do Mundo 2014 Razões para o projeto Minas

Leia mais

7º Encontro de Logística e Transportes

7º Encontro de Logística e Transportes 7º Encontro de Logística e Transportes Transportes Metropolitanos na RMSP Roberto Arantes Filho Coordenador de Relações Institucionais da STM Fiesp-SP,21/05/2012 Módulo 1 Contexto de Atuação Regiões metropolitanas

Leia mais

personal case MERCADOLIVRE Empreendedorismo on-line ITAIPU BINACIONAL Mais peixes em nossas águas

personal case MERCADOLIVRE Empreendedorismo on-line ITAIPU BINACIONAL Mais peixes em nossas águas I N S I G H T Ano XIX. Nº 111. julho/agosto 2015 Ano XIX. Nº 111. julho/agosto 2015 MERCADOLIVRE Empreendedorismo on-line ITAIPU BINACIONAL Mais peixes em nossas águas LIGHT Um projeto de reciclagem inovador

Leia mais

RESPONSÁVEL PELA APRESENTAÇÃO ORAL: Lourival Rodrigues dos Santos

RESPONSÁVEL PELA APRESENTAÇÃO ORAL: Lourival Rodrigues dos Santos TÍTULO DO TRABALHO: Sustentabilidade e Viabilidade do Tratamento de Resíduos de Serviço de Saúde pelo sistema de autoclavagem a experiência do município de Penápolis (SP ) TEMA : III Resíduos Sólidos NOME

Leia mais

1.1 Aumento do número de empresas na cidade (17 sugestões);

1.1 Aumento do número de empresas na cidade (17 sugestões); Caro (a) Colaborador (a) Em primeiro lugar, agradecemos seus comentários apresentados na consulta pública que organizamos, a respeito da próxima licitação de dois lotes de serviços de transportes coletivos

Leia mais

PLANO DE OCUPAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DA AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S/A

PLANO DE OCUPAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DA AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S/A PLANO DE OCUPAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DA AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S/A Diretoria Técnica Engenharia e Obras ÍNDICE 1 Objetivo... 3 2 Premissas de Procedimentos, de condições técnicas e de segurança... 3

Leia mais

ÍNDICE. O Sistema de Transporte Coletivo. A Bilhetagem Eletrônica Instrumento da Política de Mobilidade

ÍNDICE. O Sistema de Transporte Coletivo. A Bilhetagem Eletrônica Instrumento da Política de Mobilidade Abril / 2007 ÍNDICE O Sistema de Transporte Coletivo A Bilhetagem Eletrônica Instrumento da Política de Mobilidade Perspectivas Município de São Paulo Base Legal Lei nº13.241, de 13/12/2001 organiza o

Leia mais

Em R$ milhões. empresas empresas. fiscal. fiscal 5.723 5.440 4.824 3.469 1.398 15.769 16.474 15.797 1.281 1.634 11.535 8.067 6.491 5.266 22.197 21.

Em R$ milhões. empresas empresas. fiscal. fiscal 5.723 5.440 4.824 3.469 1.398 15.769 16.474 15.797 1.281 1.634 11.535 8.067 6.491 5.266 22.197 21. Evolução dos Investimentos Em R$ milhões 20.593 22.197 21.237 15.004 4.824 5.723 5.440 7.772 6.900 1.281 1.634 6.491 5.266 9.465 1.398 8.067 3.469 11.535 15.769 16.474 15.797 empresas empresas fiscal fiscal

Leia mais