Manual Prêmio Mobilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual Prêmio Mobilidade"

Transcrição

1 Manual Prêmio Mobilidade 1. Qual o objetivo do Prêmio Mobilidade? O Prêmio Cidades Sustentáveis, categoria "Mobilidade", pretende reconhecer políticas públicas sustentáveis e bem sucedidas de melhoria do trânsito, da locomoção e de acessibilidade, implantadas pelas prefeituras, com o aprimoramento da mobilidade urbana e consequente valorização da qualidade de vida da população. A questão da mobilidade tem sido tema recorrente em debates no meio urbano. O direito à cidade está diretamente vinculado ao direito individual de ir e vir. Com isso, experiências exitosas que envolvam segurança, conforto, periodicidade, controle de poluentes, ligações intermodais e estímulo a modais ecológicos, nos meios de transporte e vias públicas, serão reconhecidas e poderão ser premiadas. O prêmio conta com a parceira do ITDP - Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento. 2. Qual o público do Prêmio Mobilidade? O Público do Prêmio Mobilidade é restrito às prefeituras signatárias do Programa Cidades Sustentáveis que já assinaram a Carta-Compromisso ou a Carta de Adesão, formalizando a participação no programa. 3. Como se inscrever no Prêmio Mobilidade? Para se inscrever no Prêmio Mobilidade, as Cidades signatárias do Programa Cidades Sustentáveis devem preencher o Formulário de Inscrição acessando 4. Quais as Categorias do Prêmio Mobilidade? O Prêmio Mobilidade será realizado em quatro categorias: Cidades pequenas; Cidades médias; Cidades grandes. Serão premiadas três cidades, uma por categoria, considerando a divisão pelas seguintes faixas: Cidades pequenas: de 500 a 100 mil habitantes Cidades médias: de 101 mil a 500 mil habitantes Cidades grandes: acima de 500 mil habitantes 5. Qual o Cronograma do Prêmio? 3 de agosto de 2015 Divulgação da metodologia e critérios; Dezembro de 2015 Divulgação dos indicadores; Janeiro de 2016 Inscrições; Maio a agosto de 2016 Análise dos resultados; 1

2 Agosto de 2016 Cerimônia de premiação 6. Qual a Metodologia do Prêmio Mobilidade? O Prêmio Mobilidade terá como base os indicadores do Programa Cidades Sustentáveis ligados ao Eixo Melhor Mobilidade, Menos Tráfego, somado a outros indicadores de outros novos indicadores, totalizando 22 indicadores. A apresentação dos indicadores seguem abaixo: Indicador: Acidentes de trânsito Descrição: Número total de acidentes de trânsito por 10 mil habitantes. 1) Número total de acidentes de trânsito no município Fórmula de cálculo: Número total de acidentes de trânsito no município População total ( ) Indicador: Atropelamentos Descrição: Número total de atropelamentos por 10 mil habitantes 1) Número total de atropelamentos Fórmula de cálculo: Número total de atropelamentos População total do município ( ) Indicador: Calçadas consideradas adequadas às exigências legais Descrição: Percentual de quilômetros de calçadas consideradas adequadas às exigências legais sobre extensão total em km de calçadas, por ano, para a cidade. 1) Quantidade de quilômetros de calçadas consideradas adequadas às exigências legais 2) Quantidade total de quilômetros de calçadas Fórmula de cálculo: Quantidade de quilômetros de calçadas consideradas adequadas às exigências legais Quantidade total de quilômetros de calçadas ( 100) Informações adicionais: consultar a legislação do município. 2

3 Indicador: Ciclovias e ciclofaixas exclusivas Descrição: Percentual total da extensão de ciclovias + ciclofaixas permanentes (km) sobre a extensão total de vias do município (km). 1) Extensão total de ciclovias + ciclofaixas permanentes (km) 2) Extensão total de vias do município (km) Fórmula de cálculo: Extensão total de ciclovias + ciclofaixas permanentes (km) Extensão total de vias do município (km) (x100) Observações: Discriminar nas observações as extensão de cada uma e a soma (ciclovias + ciclofaixas permanentes). E informar nas observações o ano de medição da extensão total de vias do município. Indicador: Corredores exclusivos de ônibus Descrição: Percentual de quilômetros (km) da rede de corredores exclusivos de ônibus, em relação à extensão total de vias da cidade. 1) Número de quilômetros de rede de corredores exclusivos de ônibus 2) Extensão total de quilômetros de vias Fórmula de cálculo: Número de quilômetros de rede de corredores exclusivos de ônibus Extensão total de quilômetros de vias ( 100) Observações: Informar nas observações o ano de medição da extensão total de vias do município. Indicador: Divisão modal Descrição: Distribuição percentual da média diária dos deslocamentos: a pé, por transporte coletivo e por transporte individual (carros, taxis, motos e bicicletas). 1) Média diária dos deslocamentos por tipo de transporte (a pé, por transporte coletivo e por transporte individual) 2) Média diária dos deslocamentos total Fórmula de cálculo: Média diária dos deslocamentos por tipo de transporte Média diária dos deslocamentos total ( 100) Indicador: Frota de ônibus com elevador para pessoas com deficiência Descrição: Percentual da frota de ônibus com elevador para pessoas com deficiência. 1) Número de ônibus com elevador para pessoas com deficiência 2) Número total de ônibus coletivos no município Fórmula de cálculo: Número de ônibus com elevador para pessoas com deficiência Número total de ônibus coletivos no município ( 100) 3

4 Indicador: Frota de ônibus com piso rebaixado para pessoas com deficiência Descrição: Percentual da frota de ônibus com piso rebaixado para pessoas com deficiência. 1) Número de ônibus com piso rebaixado para pessoas com deficiência 2) Número total de ônibus coletivos no município Fórmula de cálculo: Número de ônibus com piso rebaixado para pessoas com deficiência Número total de ônibus coletivos no município ( 100) Indicador: Mortes com automóvel Descrição: Número de mortes de ocupantes de automóveis e caminhonetes por 10 mil habitantes. 1)Total de mortes de ocupantes de automóveis e caminhonetes Fórmula de cálculo: Total de mortes de ocupantes de automóveis e caminhonetes População total ( ) Indicador: Mortes com bicicleta Descrição: Número de mortes de ocupantes de bicicleta, por 10 mil habitantes. 1)Total de mortes com bicicleta no município Fórmula de cálculo: Total de mortes com bicicleta no município População total do Indicador: Mortes com motocicleta Descrição: Número de mortes de ocupantes de motocicleta, por 10 mil habitantes 1) Total de mortes de ocupantes de motocicleta Fórmula de cálculo: Total de mortes de ocupantes de motocicleta População total do 4

5 Indicador: Mortes no trânsito Descrição: Número de mortes em acidentes de trânsito, por 10 mil habitantes. 1) Número de mortes em acidentes de trânsito Fórmula de cálculo: Número de mortes em acidentes de trânsito População total do Indicador: Mortes por atropelamento Descrição: Número de mortes por atropelamentos, por 10 mil habitantes 1) Total de mortes por atropelamentos no município Fórmula de cálculo: Total de mortes por atropelamentos no município População total do Indicador: Orçamento do município destinado a transporte público Descrição: Percentual do orçamento do município destinada ao transporte público. 1) Valor total do orçamento, em reais, destinado a transporte público 2) Valor total do orçamento da área de transporte do município Fórmula de cálculo: Valor total do orçamento, em reais, destinado a transporte público Valor total do orçamento da área de transporte do município ( 100) Indicador: Orçamento do município destinado aos transportes ativos Descrição: Percentual do orçamento do município destinada aos transportes ativos. 1) Valor total do orçamento, em reais, destinado aos transportes ativos 2) Valor total do orçamento da área de transporte do município Fórmula de cálculo: Valor total do orçamento, em reais, destinado aos transportes ativos Valor total do orçamento da área de transporte do município ( 100) Informações adicionais: Na categoria transportes ativos são considerados, principalmente, os deslocamentos a pé ou por bicicleta. Entendemos que os investimentos a serem monitorados devem ir além de infraestrutura e incluir campanhas de estímulo ao uso destes modos de transporte, sinalização, programa municípios, recursos humanos dedicados, elaboração de projetos, etc. 5

6 Indicador: Tempo médio de deslocamento casa-trabalho das pessoas na cidade Descrição: Tempo médio de deslocamento casa-trabalho das pessoas na cidade. 1) Tem Tempo médio de deslocamento casa-trabalho das pessoas na cidade Fórmula de cálculo: Tempo médio de deslocamento casa-trabalho das pessoas na cidade Indicador: Bicicletários Descrição: Número total de vagas nos bicicletários públicos por habitantes 1) Número total de vagas nos bicicletários públicos Fórmula de cálculo: Número total de vagas nos bicicletários públicos população total (x10.000) Indicador: Bicicletários em estações de transporte de média e alta capacidade Descrição: Percentual de estações de transporte de média e alta capacidade com bicicletário. 1) Número estações de transporte de média e alta capacidade com bicicletários 2) Número total de estações de transporte de média e alta capacidade Fórmula de cálculo: Número estações de transporte de média e alta capacidade com bicicletários Número total de estações de transporte de média e alta capacidade Indicador: Número de viagens no programa de compartihamento de bicicletas por habitante Descrição: Número de viagens por dia no programa de compartihamento de bicicletas por 1000 moradores. 1) Número de viagens por dia no programa de compartihamento de bicicletas 2) População na área de cobertura do programa de bicicletas compartilhadas Fórmula de cálculo: Número de viagens por dia no programa de compartihamento de bicicletas População na área de cobertura do programa de bicicletas compartilhadas (x1000) 6

7 Indicador: Densidade de estações do programa de compartilhamento de bicicletas Descrição: Densidade de estações do programa de compartilhamento de bicicletas por quilômetro quadrado. 1) Número de estações do programa de compartilhamento de bicicletas 2) Área de cobertura do programa de compartilhamento de bicicletas em km² Fórmula de cálculo: Número de estações do programa de compartilhamento de bicicletas Área de cobertura do programa de compartilhamento de bicicletas em km² Indicador: Peso da tarifa de transporte público no orçamento mensal Descrição: Percentual de gasto da renda média mensal com transporte público. 1) Valor da tarifa preponderante no município multiplicado por 50 viagens 2) Renda média mensal no município Fórmula de cálculo: Valor da tarifa preponderante no município multiplicado por 50 viagens Renda média mensal no município Indicador: Proximidade ao transporte de média e alta de capacidade Descrição: Percentual da população que vive em raio de até 1km de uma estação de transporte de média ou alta capacidade. 1) População total que mora em um raio de até 1km de estações de transporte de média ou alta capacidade (fonte: setor censitário) Fórmula de cálculo: População total que mora em um raio de até 1km de estações de transporte de média ou alta capacidade (fonte: setor censitário) População total 7

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas São Paulo 2022 Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas Cidade Democrática, participativa e descentralizada Transformando São Paulo pela mudança

Leia mais

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte Mesa 1: Acessibilidade e qualidade do transporte coletivo e das calçadas de Belo Horizonte Em que medida o PlanMob-BH considerou e avançou

Leia mais

MOBILIDADE URBANA Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira

MOBILIDADE URBANA Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira Mobilidade Urbana Palestrantes: Marta Cruz Engenheira Civil Universidade Federal do Espírito Santo Gesiane Silveira Engenheira Civil Universidade

Leia mais

CICLOVIAS COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A MOBILIDADE URBANA UM ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BONITO - SP

CICLOVIAS COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A MOBILIDADE URBANA UM ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BONITO - SP Eixo Temático: Tecnologias CICLOVIAS COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A MOBILIDADE URBANA UM ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BONITO - SP Lidia Moura 1 Cynthia Akemi 2 Luiz Eduardo Moschini 3 RESUMO:

Leia mais

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Diminuir a necessidade de viagens motorizadas: Posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando

Leia mais

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - Objetivo Apresentar a e as principais características do STTP. Conceito de Transporte - Transporte é o movimento de pessoas e cargas de um ponto a outro utilizando

Leia mais

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons Programa Cidades Sustentáveis CONTEXTO No Mundo Atualmente: mais da metade da humanidade já vive em cidades 2030: 60% e 2050: 70% (ONU) Emissões de gases de efeito

Leia mais

Anexo II.1 Informações sobre a Cidade e seu Serviço de Transporte Coletivo Atual

Anexo II.1 Informações sobre a Cidade e seu Serviço de Transporte Coletivo Atual Anexo II.1 Informações sobre a Cidade e seu Serviço de Transporte Coletivo Atual PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 2 1.1 A Cidade... 2 1.2 Padrão de mobilidade... 5 1.2.1 Frota

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2012

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2012 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2012 Julho/2014 Relatório Geral 2012 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 25 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

Depto. Engenharia Industrial Estudo sobre a Mobilidade Sustentável Diretrizes para o Município do Dr. Madiagne Diallo, Prof. Coordenador do Laboratório de Apoio à Decisão Coordenador de Assessoria Técnica

Leia mais

Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável.

Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável. Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável. EXPEDIENTE Realização: Prefeitura Municipal de Porto Alegre (PMPA) José Fortunati - Prefeito Secretaria Municipal de Governança Local (SMGL) Cezar

Leia mais

Mobilidade Urbana por Bicicletas

Mobilidade Urbana por Bicicletas Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana por Bicicletas Brasília - DF 19 de Novembro de 2013 Ações em prol da Mobilidade por Bicicletas

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS Tecnologia em Gestão da Produção Industrial PADRÃO DE RESPOSTA O estudante deve redigir um texto dissertativo, em que: a) aborde pelo menos duas das seguintes

Leia mais

2014 Saneamento na Rede

2014 Saneamento na Rede 2014 Saneamento na Rede A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO E DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA João Alberto Viol, presidente nacional do Sinaenco Copa 2014 e Olimpíadas

Leia mais

Mobilidade Caminhos para o Futuro

Mobilidade Caminhos para o Futuro EVENTO DIÁLOGOS CAPITAIS: METRÓPOLES BRASILEIRAS O FUTURO PLANEJADO Mobilidade Caminhos para o Futuro Ricardo Young PPS Vereador Município de SP ricardoyoungvereador http://www.ricardoyoung.com.br/ 21/JULHO/2014

Leia mais

50 Mil Mortos no Trânsito 2014. Uma Guerra Não Declarada no Brasil

50 Mil Mortos no Trânsito 2014. Uma Guerra Não Declarada no Brasil Uma Guerra Não Declarada no Brasil O Que leva as Pessoas morarem nas Cidades? Nasceram lá: Oportunidades de Trabalho: Estudar Saúde: Êxodo Rural e a Urbanização dos Séculos XIX a XXI Seul / Coréia do Sul

Leia mais

PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO

PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO AGENDA DO DEBATE: Pedestres Bicicleta Transporte público: ônibus e trilhos Circulação viária carros, motos e caminhões Acessibilidade Educação e trânsito

Leia mais

METRÔ 2020. Arquiteto e Urbanista Alberto Epifani Gerente de Planejamento e Integração de Transportes Metropolitanos do Metrô de São Paulo

METRÔ 2020. Arquiteto e Urbanista Alberto Epifani Gerente de Planejamento e Integração de Transportes Metropolitanos do Metrô de São Paulo METRÔ 2020 Expansão Metrô 2020, Novas Linhas já programadas, Linhas em estudo, Aspecto multimodal - Integração com outros meios de transporte Arquiteto e Urbanista Alberto Epifani Gerente de Planejamento

Leia mais

A cidadedo futuro. Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br

A cidadedo futuro. Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br A cidadedo futuro Marcus Quintella marcus.quintella@fgv.br O transporte público multimodal é chave para cidades eficientes e sustentáveis Integraçãoé a base da multimodalidade Fonte: Capima (capima.com.br)

Leia mais

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2011/2012

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2011/2012 BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2011/2012 Pela 1ª vez o setor se reúne para divulgar seus números, que refletem a importância dos trilhos para a mobilidade dos brasileiros Aumento de 20% no número de

Leia mais

SUSTENTÁVEL. Unidade Senac: Santa Cecília. Data: 24/08/2015. Daniela Ades, Guilherme Checco e Juliana Cibim

SUSTENTÁVEL. Unidade Senac: Santa Cecília. Data: 24/08/2015. Daniela Ades, Guilherme Checco e Juliana Cibim SUSTENTÁVEL Unidade Senac: Santa Cecília Data: 24/08/2015 Daniela Ades, Guilherme Checco e Juliana Cibim Imagem retirada de Debate de Bolso, em http://debatedebolso.com. Creative Commons BY-NC-ND 3.0 Plataforma

Leia mais

A cada dia, há mais gente nas cidades...

A cada dia, há mais gente nas cidades... 05/12/2012 A cada dia, há mais gente nas cidades... População urbana e rural no mundo: 1950-2050 urbana rural Cidades com mais de 1 milhão de habitantes no mundo: Em 1950: 86 cidades Em 2008: 400 cidades

Leia mais

Mobilidade com produtividade

Mobilidade com produtividade Curitiba Maio, 2015 > > > > > > > > > > > > > > > > > > > > > Mobilidade com produtividade Wagner Colombini Martins Logit Engenharia Documento confidencial para uso e informação do cliente > > > > > >

Leia mais

Apresentação Zonas 30 e Ruas Completas Rede Vida no Trânsito 11 de Março de 2015

Apresentação Zonas 30 e Ruas Completas Rede Vida no Trânsito 11 de Março de 2015 Apresentação Zonas 30 e Ruas Completas Rede Vida no Trânsito 11 de Março de 2015 O PLAMUS foi elaborado por consórcio de três empresas Logit Engenharia, Strategy& e Machado Meyer Advogados, com cinco parceiros

Leia mais

MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS?

MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS? MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS? UM PLANO DE MOBILIDADE URBANA DEVE PARTIR DA FORMULAÇÃO DE UM DESEJO: UM DESEJO DE CIDADE. QUAL A SALVADOR QUE DESEJAMOS UMA METRÓPOLE COMPETITIVA, SAUDÁVEL, EQUILIBRADA,

Leia mais

1.1 Aumento do número de empresas na cidade (17 sugestões);

1.1 Aumento do número de empresas na cidade (17 sugestões); Caro (a) Colaborador (a) Em primeiro lugar, agradecemos seus comentários apresentados na consulta pública que organizamos, a respeito da próxima licitação de dois lotes de serviços de transportes coletivos

Leia mais

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014 IV Conferência de Política Urbana Eixo de Mobilidade: Redução dos deslocamentos, melhoria da acessibilidade e estímulo ao transporte coletivo e não motorizado. 29 de março de 2014 Roteiro 2 1) Contexto

Leia mais

MOBILIDADE URBANA E DIREITOS HUMANOS

MOBILIDADE URBANA E DIREITOS HUMANOS MOBILIDADE URBANA E DIREITOS HUMANOS 40,9% (não motorizado) Divisão Modal 170 milhões viagens / dia 29,4% (coletivo) 26,1% 38,1% 3,3% 29,7% (individual) 2,8% 2,5% 27,2% ônibus metroferroviário automóvel

Leia mais

3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha

3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha 3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha Henrique Futuro Assessor Agência Metropolitana de Transportes Urbanos Rio Setembro de 2011 Panorama Location: southeast of Brazil (57% of the GNP); Area: 43.910

Leia mais

Mobilidade no Campus Faixa Exclusiva de Ônibus e Ciclofaixa na CUASO

Mobilidade no Campus Faixa Exclusiva de Ônibus e Ciclofaixa na CUASO Mobilidade no Campus Faixa Exclusiva de Ônibus e Ciclofaixa na CUASO A Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira (CUASO), no Butantã, tem uma média de circulação de 40 mil veículos por dia. Inserida

Leia mais

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL. sexta-feira, 29 de junho de 12

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL. sexta-feira, 29 de junho de 12 MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O QUE É MOBILIDADE URBANA? É um atributo das cidades e se refere ao deslocamentos de pessoas e bens no espaço urbano. Pensar a mobilidade urbana é pensar sobre como se organizam

Leia mais

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE JUNHO 2014

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE JUNHO 2014 CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE JUNHO 2014 PROGRAMA DE METAS IMPLANTAR UMA REDE DE 400KM DE VIAS CICLÁVEIS. VIAS CICLÁVEIS CICLOVIAS CICLOFAIXAS CICLORROTAS 40KM/H PROPICIA MAIOR

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana e Construção do Plano de Mobilidade

Política Nacional de Mobilidade Urbana e Construção do Plano de Mobilidade Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Política Nacional de Mobilidade Urbana e Construção do Plano de Mobilidade Porto Alegre RS Abril de 2015 Política

Leia mais

DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA

DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano Recife Caso você fosse o gestor, quais seriam suas principais intervenções no trânsito do Recife? SE A SITUAÇÃO

Leia mais

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Julho de 2013 Formas de Atuação Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES EMPRESÁRIO Informação e Relacionamento Instituição

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG Luciano Nogueira José Aparecido Sorratini ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE

Leia mais

SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1

SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1 SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1 Contribuições ao debate do Conselho Deliberativo Metropolitano - CDM Por Mauri

Leia mais

Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas?

Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas? Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas? Uma contribuição - INCT Observatório das Metrópoles - Projeto: Metropolização e Mega-eventos: os impactos da Copa do Mundo/2014

Leia mais

Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte PlanMob-BH. Ações em prol da Mobilidade Sustentável

Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte PlanMob-BH. Ações em prol da Mobilidade Sustentável Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte PlanMob-BH Ações em prol da Mobilidade Sustentável Sumário 1. Contexto 2. Políticas e arranjo institucional 3. Iniciativas estruturantes 4. Case : MOVE,

Leia mais

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO ESTRATÉGICO- SP2040 Tema: Política de Estacionamento dos automóveis 09 DE FEVEREIRO DE 2011- AUDITÓRIO DO SEESP-SP PROGRAMAÇÃO Realização: SEESP-SP Quadro geral da

Leia mais

AVALIAÇÃO NACIONAL DO VALE-TRANSPORTE SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO POR ÔNIBUS

AVALIAÇÃO NACIONAL DO VALE-TRANSPORTE SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO POR ÔNIBUS AVALIAÇÃO NACIONAL DO VALE-TRANSPORTE SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO POR ÔNIBUS 1) Dados do Município/Região Metropolitana Município/RM: DADOS CADASTRAIS UF População Total: habitantes 2) Quem

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana - LEI nº 12.587/2012

Política Nacional de Mobilidade Urbana - LEI nº 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade Urbana - LEI nº 12.587/2012 Natal/RN, 18 de março de 2013 Ministério das Cidades - MCidades Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana SeMob Departamento de Cidadania e Inclusão

Leia mais

Ciclo de Debates sobre Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo

Ciclo de Debates sobre Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo Ciclo de Debates sobre Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo Integração Metropolitana do Transporte Público pelo Bilhete Único e Sistemas Estadual e Metropolitano de Transporte

Leia mais

APRESENTAÇÃO SMT Copa 2014 - São Paulo

APRESENTAÇÃO SMT Copa 2014 - São Paulo APRESENTAÇÃO SMT Copa 2014 - São Paulo A cidade de São Paulo em números 11 milhões de habitantes 6ª maior cidade do mundo 145 milhões de m² de área verde 1 Feira/Exposição a cada 3 dias (US$ 1,2 bilhão

Leia mais

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia CRONOLOGIA 1975 Estadualização Criação Transurb 1976 1980 1984 1989 1991 1995 1997 1998 1999 2000 Sistema Tronco-Alimentado Corredor Anhanguera

Leia mais

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA DE TRANSPORTE E TRANSITO DE JOÃO PESSOA STTRANS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº 001/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2010/047142 ANEXO IV DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO

Leia mais

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL Cursos Especiais MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL COORDENADORA: CLARISSE CUNHA LINKE 28/03/2016» 01/06/2016 60 HORAS IDIOMA: PORTUGUÊS AULAS: SEGUNDAS E QUARTAS DAS 19H30 ÀS

Leia mais

Transporte e Planejamento Urbano

Transporte e Planejamento Urbano Transporte e Planejamento Urbano para o Desenvolvimento da RMRJ Julho/2014 Cidades a maior invenção humana As cidades induzem a produção conjunta de conhecimentos que é a criação mais importante da raça

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB O QUE É O Plano Diretor de Transporte e da Mobilidade é um instrumento da política de desenvolvimento urbano, integrado ao Plano Diretor do município,

Leia mais

Princípios de mobilidade para cidades inclusivas e sustentáveis

Princípios de mobilidade para cidades inclusivas e sustentáveis Princípios de mobilidade para cidades inclusivas e sustentáveis Ana Nassar, ITDP Brasil Seminário Aspectos da Mobilidade Urbana SEMOB - GDF Brasília, 24 de setembro de 2015 Sobre o ITDP Organização social

Leia mais

MOBILIDADE URBANA: OS MODAIS DE TRANSPORTE

MOBILIDADE URBANA: OS MODAIS DE TRANSPORTE Engº Emiliano Affonso Neto 20 de Setembro de 2013 Realização: ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Escolha do Modo de Transporte 2. Modos de Transporte 3. Recomendações ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Escolha

Leia mais

Plano Cicloviário de Piracicaba

Plano Cicloviário de Piracicaba 2º Fórum Aberto de Revisão do Plano Diretor de Mobilidade Plano Cicloviário de Piracicaba 16 de outubro de 2013 Cidade ciclável Mobilidade por bicicleta Proposta Piracicaba Plano Cicloviário Projeções

Leia mais

Luiz Carlos Bueno de Lima

Luiz Carlos Bueno de Lima A política nacional de transporte t e da mobilidade urbana Luiz Carlos Bueno de Lima Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO outubro 2013 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Em atendimento à Lei Federal 12.587 Institui a Política Nacional de Mobilidade Urbana

Leia mais

ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE

ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE Ary Ferreira da Silva Sabrina Câmara de Morais ANÁLISE DO PADRÃO DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. André Abe Patricia Stelzer

MOBILIDADE URBANA. André Abe Patricia Stelzer MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL André Abe Patricia Stelzer Atualmente, a mobilidade urbana é parte da política de desenvolvimento urbano sustentável. Trata do deslocamento de bens e pessoas e do atendimento

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Instrumentos econômicos e financeiros para o GIRH. Introdução ao financiamento de recursos hídricos

Instrumentos econômicos e financeiros para o GIRH. Introdução ao financiamento de recursos hídricos Instrumentos econômicos e financeiros para o GIRH Introdução ao financiamento de recursos hídricos Metas e objetivos da sessão: explicar como as partes que constituem o setor de águas obtêm financiamento.

Leia mais

Aula 24. Polos Geradores de Tráfego: Exercício. Aula produzida pelo Prof. Paulo Bacaltchuck

Aula 24. Polos Geradores de Tráfego: Exercício. Aula produzida pelo Prof. Paulo Bacaltchuck Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 24 Polos Geradores de Tráfego: Exercício Aula produzida pelo Prof. Paulo Bacaltchuck 24.1.

Leia mais

Municípios Sustentáveis: resíduos sólidos, mobilidade e planejamento urbano

Municípios Sustentáveis: resíduos sólidos, mobilidade e planejamento urbano Municípios Sustentáveis: resíduos sólidos, mobilidade e planejamento urbano Desafios da Política Nacional de Resíduos Sólidos Foi instituída pela Lei 12.305/10 e regulamentada pelo Decreto 7.404/10 A PNRS

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE BICICLETAS COM O SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO NO RIO DE JANEIRO

INTEGRAÇÃO DE BICICLETAS COM O SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO NO RIO DE JANEIRO 18ª REUNIÃO DOS COMITÊS TÉCNICOS DA ALAMYS INTEGRAÇÃO DE BICICLETAS COM O SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, 20/05/2013 Mauro Tavares M. Sc. Eng. de Transportes SETRANS Mobilidade

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 70/2011. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova:

PROJETO DE LEI Nº 70/2011. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova: PROJETO DE LEI Nº 70/2011. Institui a Política Municipal de Mobilidade Urbana. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova: Mobilidade Urbana. Art. 1º Fica instituída, no Município de Ipatinga, a Política Municipal

Leia mais

Evolução do congestionamento

Evolução do congestionamento Evolução do congestionamento Crescimento populacional estável Taxa de motorização crescente 2025 2005 Surgimento de novos pólos de atração de viagens Deslocamentos na cidade Rede de transporte para 2016

Leia mais

Como garantir uma cidade mais acessível

Como garantir uma cidade mais acessível Como garantir uma cidade mais acessível Arq. Adriana Romeiro de Almeida Prado mestre em gerontologia e especialista em acessibilidade técnica da Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas Cogepp 25

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA

COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA AUDIÊNCIA PÚBLICA A LEI DE MOBILIDADE URBANA NO BRASIL CONSTATAÇÕES E DESAFIOS AGOSTO 2013 Dr. Emilio Merino INDICE 1. Antecedentes 2. Cenários urbanos 3. A Lei 12.587/2012

Leia mais

Mobilidade Suave Humanização de Cidades. outubro 2013

Mobilidade Suave Humanização de Cidades. outubro 2013 Mobilidade Suave Humanização de Cidades outubro 2013 Estratégias Urbanas Planos de Revitalização Planos de Mobilidade Planos Cicloviários e Pedonais Espaços Públicos Projetos Viários e Cicloviários Parques

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

Experiências em Transportes Cenário Atual. Apresentação Paraisópolis Junho/2014 Bianca Bianchi Alves

Experiências em Transportes Cenário Atual. Apresentação Paraisópolis Junho/2014 Bianca Bianchi Alves + Experiências em Transportes Cenário Atual Apresentação Paraisópolis Junho/2014 Bianca Bianchi Alves + Cidades Realidade 50% população vivendo em cidades atualmente 70% em 2050 (Nações Unidas) Concentração

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS Pablo de Barros Cardoso Professor, Universidade do Grande Rio, Brasil Vânia Barcellos Gouvêa Campos Professora, Instituto Militar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL MATRIZ 19/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 19

Leia mais

Projeto Pensar Araguaína. Faculdade Católica Dom Orione

Projeto Pensar Araguaína. Faculdade Católica Dom Orione EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO Sabemos que uma gestão democrática da educação tem como ponto de partida a escolha do Diretor pela Comunidade. Na sua gestão, como será a escolha dos Diretores das Escolas Municipais?

Leia mais

IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO

IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO Qualidade de vida é ter condições de vida plena, gozar de saúde e respeito,

Leia mais

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Fundação Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Secretaria de Infraestrutura UMA UNIDADE DE MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Leia mais

Engenharia de segurança viária salva vidas! Brenda Medeiros Coordenadora de Projetos de Transporte

Engenharia de segurança viária salva vidas! Brenda Medeiros Coordenadora de Projetos de Transporte Engenharia de segurança viária salva vidas! Brenda Medeiros Coordenadora de Projetos de Transporte IMPORTÂNCIA DA ESCOLHA MODAL PARA A SEGURANÇA VIÁRIA Source: ANTP Tendência no Brasil 65 TI 35 TC Divisão

Leia mais

DRAFT. PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009

DRAFT. PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009 PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Solução de mobilidade urbana Resumo do projeto do monotrilho Resumo do projeto do BRT Quadro 2 Agenda Crescimento

Leia mais

Manual JUIZ DE FORA - 2014

Manual JUIZ DE FORA - 2014 SELO DE RESPONSABILIDADE SOCIOEDUCATIVA PARA O TRÂNSITO 2014 2014 2014 SELO DE RESPONSABILIDADE SOCIOEDUCATIVA PARA O TRÂNSITO BRONZE SELO DE RESPONSABILIDADE SOCIOEDUCATIVA PARA O TRÂNSITO Manual JUIZ

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS DAS QUESTÕES DISCURSIVAS MÚSICA PADRÃO DE RESPOSTA O estudante deve redigir um texto dissertativo, em que: a) aborde pelo menos duas das seguintes consequências: aumento da emissão de poluentes atmosféricos;

Leia mais

BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus

BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus Marcos Bicalho dos Santos Diretor Institucional e Administrativo da NTU Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito

Leia mais

perfis de investimento

perfis de investimento perfis de investimento Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a gestão de investimentos da ELETROS? 5 Quais são os principais riscos associados aos investimentos? 6 Como são os investimentos em renda fixa?

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES

A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES MODOS DE TRANSPORTE A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES Os transportes evoluíram com o processo de desenvolvimento económico. A sua utilização é fundamental para a economia mundial, para o desenvolvimento das

Leia mais

Belo Horizonte, 30 de novembro de 2012

Belo Horizonte, 30 de novembro de 2012 Belo Horizonte, 30 de novembro de 2012 JUSTIFICATIVA AUMENTO DA CIDADE SEM PLANEJAMENTO (ESPALHAMENTO URBANO) USO QUASE EXCLUSIVO DO MODO RODOVIÁRIO PARA O TRANSPORTE PÚBLICO AUMENTO DA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

Disciplina: TRANSPORTES. Sessão 10: A Intermodalidade em Sistemas de. Transportes: potencialidades, dificuldades, soluções

Disciplina: TRANSPORTES. Sessão 10: A Intermodalidade em Sistemas de. Transportes: potencialidades, dificuldades, soluções MESTRADO INTEGRADO DE ENGENHARIA CIVIL Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Transportes: potencialidades, dificuldades, soluções 2010 / 2011 1/16 MÚLTIPLAS SOLUÇÕES MODAIS Devido

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO. Descrição do evento:

REGULAMENTO TÉCNICO. Descrição do evento: Descrição do evento: REGULAMENTO TÉCNICO A Corrida ÁPICE - 2015 acontecerá no dia 07 de novembro de 2015 às 20h00. e tem como finalidade promover a saúde, o esporte a cidadania através da corrida e da

Leia mais

Secretaria Municipal de Meio Ambiente PREFEITO EDUARDO PAES. SECRETÁRIO CARLOS ALBERTO MUNIZ Subsecretário ALTAMIRANDO FERNANDES MORAES

Secretaria Municipal de Meio Ambiente PREFEITO EDUARDO PAES. SECRETÁRIO CARLOS ALBERTO MUNIZ Subsecretário ALTAMIRANDO FERNANDES MORAES Secretaria Municipal de Meio Ambiente PREFEITO EDUARDO PAES SECRETÁRIO CARLOS ALBERTO MUNIZ Subsecretário ALTAMIRANDO FERNANDES MORAES ZONA NORTE ZONA OESTE JACAREPAGUÁ / BARRA DA TIJUCA CENTRO ZONA SUL

Leia mais

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras CP 013/14 Sistemas Subterrâneos Questões para as distribuidoras 1) Observa-se a necessidade de planejamento/operacionalização de atividades entre diversos agentes (distribuidoras, concessionárias de outros

Leia mais

A Dimensão Social e Tecnológica da Mobilidade Urbana - O Sistema de Transporte Urbano, os Modos não Motorizados: o Modo Cicloviário

A Dimensão Social e Tecnológica da Mobilidade Urbana - O Sistema de Transporte Urbano, os Modos não Motorizados: o Modo Cicloviário A Dimensão Social e Tecnológica da Mobilidade Urbana - O Sistema de Transporte Urbano, os Modos não Motorizados: o Modo Cicloviário Por Ana Paula dos Santos Cunha Araújo e Eudes Santana Araújo* *O texto

Leia mais

Visita técnica EMBARQ Brasil 16 de outubro de 2014. Apoio na elaboração do parecer técnico

Visita técnica EMBARQ Brasil 16 de outubro de 2014. Apoio na elaboração do parecer técnico Visita técnica EMBARQ Brasil 16 de outubro de 2014 Rejane Fernandes, Diretora de Relações Estratégicas & Desenvolvimento Diogo Pires Ferreira, Coordenador de Projetos de Transporte Apoio na elaboração

Leia mais

Projeto QUALIDADE DE VIDA APG-IMPA

Projeto QUALIDADE DE VIDA APG-IMPA Projeto QUALIDADE DE VIDA APG-IMPA INTRODUÇÃO Para estudar matemática é necessário dedicação e disciplina. Devido a isto, até o século XVI apenas membros da aristocracia e do clero poderiam despender tempo

Leia mais

Mesa redonda : Responsabilidades e soluções

Mesa redonda : Responsabilidades e soluções Seminário Dia mundial sem carro O impacto da poluição sobre a saúde pública Mesa redonda : Responsabilidades e soluções Helio Mattar Diretor Presidente Instituto Akatu pelo Consumo Consciente Organização

Leia mais

A consolidação da rede de BRS do Rio de Janeiro.

A consolidação da rede de BRS do Rio de Janeiro. A consolidação da rede de BRS do Rio de Janeiro. Aline Leite 1 ; Diego Mateus da Silva 1 ; Eduardo Tavares da Silva 2 ; Luciana Brizon 2 ; Luciana Pires 2 ; Marcelo Mancini 1 ; Miguel Ângelo de Paula 2

Leia mais

1) Você tem conta bancária?

1) Você tem conta bancária? 1) Você tem conta bancária? Sim 33 37 Não 67 63 2) Você sabe quanto paga de tarifas bancárias? Sim 36 33 Não 64 67 3) O custo das tarifas bancárias influi (ou influiria) na sua escolha de qual banco tornar-se

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 262, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 262, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 262, DE 2013 Altera a Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e dá outras providências, para fortalecer

Leia mais

I-162 - SISTEMA DE BONIFICAÇÃO PELO USO DA ÁGUA NO BAIRRO JESUS DE NAZARETH - UMA PROPOSTA PILOTO PARA REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA.

I-162 - SISTEMA DE BONIFICAÇÃO PELO USO DA ÁGUA NO BAIRRO JESUS DE NAZARETH - UMA PROPOSTA PILOTO PARA REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA. I-162 - SISTEMA DE BONIFICAÇÃO PELO USO DA ÁGUA NO BAIRRO JESUS DE NAZARETH - UMA PROPOSTA PILOTO PARA REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA. Eliane Amite Alabrin (1) Janaina Anita Marques Gonçalves Graduanda

Leia mais

Balanço de energia útil no Brasil Eficiência Energética no setor de transportes

Balanço de energia útil no Brasil Eficiência Energética no setor de transportes 13 1. INTRODUÇÃO Em estudo do Banco Mundial elaborado consta que, no Brasil, os custos logísticos representam, em média, 20% do valor do Produto Interno Bruto (PIB). Essa participação é uma das mais elevadas

Leia mais

Responsabilidade Social na Engenharia da Mobilidade: Deficiência Física Qual o papel do Governo?

Responsabilidade Social na Engenharia da Mobilidade: Deficiência Física Qual o papel do Governo? Responsabilidade Social na Engenharia da Mobilidade: A Integração do Portador de Deficiência Física Qual o papel do Governo? Evolução das Terminologias Portador de Deficiência Física??? NÃO... Pessoa com

Leia mais

A Cidade de Lisboa e os Grandes Desafios da Mobilidade Urbana Pedro Machado, CML/DMMT

A Cidade de Lisboa e os Grandes Desafios da Mobilidade Urbana Pedro Machado, CML/DMMT A Cidade de Lisboa e os Grandes Desafios da Mobilidade Urbana Pedro Machado, CML/DMMT Enquadramento Europeu Estratégia Europa 2020 (20x20x20) Livro Branco dos Transportes Livro Verde da Mobilidade Urbana

Leia mais