Transporte Hidroviário Urbano

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transporte Hidroviário Urbano"

Transcrição

1 PHD 2537

2 Introdução Contexto atual No Brasil, o transporte rodoviário é responsável por 96,02% da movimentação de passageiros Necessidade de expansão da infra-estrutura devido ao crescimento das cidades - Saturação da malha viária Transporte urbano é caso particular de cada cidade Transporte hidroviário como alternativa Integração intermodal

3 Transporte hidroviário urbano Conceitos básicos Características do Transporte hidroviário Urbano Vantagens Desvantagens Evolução Situação Atual Planos e perspectivas Conclusão

4 Noções Básicas: Conceitos Básicos Definição: Transporte Hidroviário urbano de passageiros é o ato, efeito ou operação de movimentar pessoas de um lugar para o outro, utilizando meios de transporte hidroviários (meios de transporte: conjunto de recursos empregados para transportar). Tipos: - Rodoviário; - Hidroviário; - Aéreo; - Ferroviário e outros. Cinco elementos básicos: -Veículo - Força motora -Vias -Terminais - Sistemas de Controle

5 Conceitos Básicos Desempenho do sistema de transporte Nível de serviço Grau de conforto: Acessibilidade, capacidade, velocidade, flexibilidade e frequência Qualidade de serviço Satisfação do usuário: Conforto, segurança, tempo de viagem, impactos no meio ambiente e na comunidade

6 Características do transporte hidroviário urbano Vias: o lugar por onde vão ou são levados os passageiros. Os veículos: Nos diversos modais de transporte a escolha do veículo a ser utilizado na prestação de um serviço está amarrada a sua habilidade de atender às exigências determinadas pelos usuários e pelos atributos desejados do sistema (HAY, 1977). Os Terminais: Os terminais normalmente representam os pontos inicial e final das linhas e são configurados fisicamente por todas as estruturas de suporte necessárias para a efetivação de um serviço de transporte (HAY, 1977).

7 Características do transporte Vias: hidroviário urbano Grande parcela do litoral brasileiro é propicia ao desenvolvimento das atividades de Transporte hidroviário. Vasta variedade de condições de navegação. Variações podem determinar a viabilidade da prestação de determinado serviço sem que seja afetado o aspecto como confiabilidade e segurança pretendidos. Variações: Geográficas: simples variação de latitude implica maiores ou menores amplitudes de marés. Hidrográficas: onde podem ser verificadas mudanças nas correntes; Geomorfológicas: implica variações nas características de propagação das ondas de influência das correntes e ventos predominantes.

8 Características do transporte Veículos: hidroviário urbano A diversidade de condições possíveis é um dos fatores que dificulta o processo da escolha do veículo mais adequado. A seleção dos veículos para as hidrovias é realizada de forma que atendam as restrições de: calado, correntes, vento, ondulações, entre outros fatores. Na escolha é realizada a definição das embarcações que também são compatíveis com o nível de serviço e qualidade de serviço desejado. Tipos: Balsas Aerobarcos Hovercrafts Lanchas Catamarãs

9 Características do transporte Terminais: hidroviário urbano No desenvolvimento dos terminais deve ser considerado o aspecto comum a todo projeto de passageiros e aspectos específicos de uma eventual necessidade de terminais de integração intermodal. Uma das grandes vantagens é não competir por espaço com os tradicionais sistemas de transporte, nem com a travessia de pedestre. Alguns aspectos são: Coordenação, capacidade desejada, modal a serem atendidos, comodidades para os passageiros, integração desejada, localização e níveis de serviços.

10 Vantagens Baixo custo de operação por passageiro Alta previsibilidade do tempo de viagem Elevada segurança pessoal e quanto a acidentes Reduzido índice de poluição por passageiro Capacidades de integração e desenvolvimento de regiões litorâneas e ribeirinhas, inclusive o incentivo às atividades turísticas Adequabilidade ao transporte de massa Investimentos em infra-estrutura relativamente baixos

11 Desvantagens Custo de capital alto para embarcações Consumo de combustível por milha elevado Longa duração das viagens devido à baixa velocidade das embarcações e à demora nos embarques e desembarques Integração inexistente ou precária com os modos terrestres Baixo nível de conforto das embarcações e terminais existentes Frota com idade elevada Sistemas de bilhetagem impróprios Pouco aproveitamento das atividades anciliares como comércio e serviços

12 Evolução Brasil - Redução do número de passageiros transportados desde 1987 (sistema convencional de ferries) até meados da década de 90 - Deterioração dos serviços - Concorrência de outros modos na área de influência das hidrovias

13 Rio de Janeiro Evolução - O sistema hidroviário do Rio de Janeiro foi o que mais perdeu em número de passageiros, só superado por vitória em termos relativos - O sistema hidroviário convencional do Rio de Janeiro foi, depois do de Vitória, aquele que mais teve sua eficiência comprometida no período - Grande recuperação deste segmento do transporte hidroviário, a partir de 1993, mas distante do seu melhor ano, 1978, quando foram transportados 66 milhões de passageiros - A eficiência energética diminuiu bastante de 1986 a 1993, revertendo a tendência em 1994

14 Evolução Santos - O fluxo de passageiros do sistema Santos apresentatendência declinante na década de 90, passando da média diária de 30 mil passageiros em 1991 para 18 mil em O sistema de maior eficiência energética, atualmente, fruto de gerenciamento eficaz sobre os componentes do indicador, que em 1992, era muito inferior ao sistema hidroviário do Rio de Janeiro, o mais eficiente da época

15 Situação Atual - Brasil Localização: Aglomerados urbanos localizados na orla marítima do Sudeste, Nordeste e na Bacia Amazônica Principais sistemas: Rio de Janeiro, Santos, Salvador, Aracaju e Vitória Linhas operadas por empresas privadas, sob regime de concessão, permissão ou terceirização Perda acentuada de passageiros devido as condições precárias do sistema hidroviário e à concorrência dos demais sistemas de transporte

16 Situação Atual - Rio de Janeiro O mais importante do país, onde encontra-se a linha com maior número de passageiros, frota e capacidade das embarcações Constituído por 3 linhas Praça XV-Niterói Praça XV-Ilha de Paquetá Praça XV-Ilha do Governador Representa 3,1% do total de passageiros transportados por barcas e ônibus intermunicipais na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (1997) 32% do total de passageiros que fazem a travessia da Baía da Guanabara pelas barcas, aerobarcos e catamarãs e em ônibus intermunicipais, pela Ponte, em dias úteis

17 Situação Atual - Rio de Janeiro Os principais geradores de viagens na rota são Niterói e São Gonçalo Apesar do menor tempo de viagem pelo modo hidroviário convencional entre o Rio e Niterói, vem ocorrendo preferência crescente pelo rodoviário, que pode ser creditada, por um lado, à deterioração do serviço de travessia e por outro, à ausência de integração tarifária O Sistema de ferries convencionais foi recentemente privatizado (1998) e encontra-se, atualmente, em fase de reestruturação gerencial e operacional O sistema de fast ferries também está modernizando embarcações (aerobarcos) e busca uma maior integração com a modalidade rodoviária, através de licença para implantação de linhas de vans próprias, para transporte de seus usuários.

18 Planos e Perspectivas - Rio de Janeiro CONERJ Modernização de linhas existentes Praça XV-Niterói/Ilha do Governador/Paqueta Obrigações Contratuais:» Reformas gerais da sede da empresa, na Praça XV, dos terminais e das embarcações» Instalação de bilhetagem eletrônica e programação visual com informações aos usuários, nos terminais da Praça XV, Niterói, Ilha do Governador e Paquetá Planos da Concessionária:» Estudos com vistas à aquisição de 5 embarcações para a linha Praça XV-Niterói, mais modernas e velozes do que as atuais, dupla proa e, provavelmente, classe social e primeira classe» Construção de novo terminal na Praça Araribóia, centro d eniterói, em substituição ao atual, para atender às demandas de maior conforto e ao aumento esperado do número de passageiros na linha» Implantação e operação de novas linhas

19 Planos e Perspectivas - Rio de Janeiro Praça XV-Charitas(Niterói) Obrigações Contratuais Implantação da linha, configurando um serviço de transporte seletivo de média capacidade, com embarcações dotadas de alto nível de conforto, refrigeração e velocidade mínima de 15 nós. Prevê-se uma demanda inicial na faixa de passageiros/dia Construção e operação do terminal de passageiros no bairro de Charitas Praça XV-São Gonçalo Opção Contratual A concessionária tem 2 anos de prazo para exercer o direito de exploração Praça XV-Guia de Pacobaíba (Magé) Opção Contratual A concessionária tem 2 anos para exercer o direito de exploração Praça XV-Barra Tijuca Opção Contratual A concessionária tem 3 anos de prazo para exercer o direito de exploração

20 Planos e Perspectivas - Rio de Janeiro TRANSTUR Modernização de Frota Reforma e modernização completa, inclusive motorização e equipamentos de navegação novos, refrigeração e sonorização para comunicação com os passageiros e para música ambiente, de 4 aerobarcos(serão arrendados à Conerj para operação na linha Praça XV-Charitas Finalização de Terminais Término das obras dos terminais da Praça XV e da Praça Araribóia; construção de passarela de acesso ao segundo pavimento dos catamarãs; Inovação de Operações Projeto de implantação de linhas circulares de vans, primeiramente em Niterói e, posteriormente, no centro do Rio de Janeiro, para proporcionar aos passageiros dos aerobarcos e catamarãs acesso terrestre aos pontos de transbordo ou ás vizinhanças da origem e destino de suas viagens.

21 Situação Atual - Santos Descrição do sistema O sistema de santos insere-se no sistema de travessias litorâneas do estado de São Paulo, composto por um total de 10 linhas sob a responsabilidade da DERSA desenvolvimento rodoviário S.A; Constituído de duas linhas do sistema da travessia Santos-Guarujá, o sistema de Santos, segundo em importância do país transportou em ,6 milhões de passageiros a bordo de 9 embarcações operadas pela empresa Performance; Representa 9,5% do total de pássageiros transportados pelos ônibus municipais de Santos e pelo sistema ferry; É a alternativa mais rápida de acesso entre Santos/São Vicente e Guarujá, uma vez que a ligação rodoviária é feita em vias de intenso movimento, congestionadas em fins de semana e férias, demorando mais de uma hora;

22 Planos e Perspectivas - Santos Performance/DERSA - Modernização de linhas existentes - Aumento da capacidade de embarcações - Reforma e melhoria dos terminais - Aperfeiçoamento do mecanismo tarifário - Acerto da prática de cobrança da tarifa bidirecional, na linha Santos-Guarujá, com a concorrente Barca Santos-Guarujá ltda., para que os passageiros que vigem em um dos sentidos com uma empresa façam o trajeto de volta com a mesma, e não com uma ou outra, como hoje acontece (a tarifa é cobrada nos terminais do Guarujá atualmente)

23 Conclusão O transporte hidroviário urbano deve ser analisado especificamente em cada caso Adequação à hidrovia local Integração com modais terrestres Tendência de crescimento Maior competitividade Melhores embarcações Maior nível de serviço Menores custos de operação Saturação da malha viária Congestionamentos

MOBILIDADE URBANA. André Abe Patricia Stelzer

MOBILIDADE URBANA. André Abe Patricia Stelzer MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL André Abe Patricia Stelzer Atualmente, a mobilidade urbana é parte da política de desenvolvimento urbano sustentável. Trata do deslocamento de bens e pessoas e do atendimento

Leia mais

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA DE TRANSPORTE E TRANSITO DE JOÃO PESSOA STTRANS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº 001/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2010/047142 ANEXO IV DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES

A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES MODOS DE TRANSPORTE A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES Os transportes evoluíram com o processo de desenvolvimento económico. A sua utilização é fundamental para a economia mundial, para o desenvolvimento das

Leia mais

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para outro. Os transportes podem se distinguir pela possessão:

Leia mais

ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO

ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO 1. Perspectiva para o Sistema de Transporte Futuro 1.1. Introdução 1.2. Definições 2. Política Tarifária 3. Tecnologias

Leia mais

Transporte hidroviário de passageiros na Baixada Santista.

Transporte hidroviário de passageiros na Baixada Santista. Transporte hidroviário de passageiros na Baixada Santista. Aline Reis de Torres 1 ; Patrícia de Castro Chinem 2 ; Adilson Luiz Gonçalves 3. 1 Aline Reis de Torres - Universidade Santa Cecília UNISANTA.

Leia mais

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia CRONOLOGIA 1975 Estadualização Criação Transurb 1976 1980 1984 1989 1991 1995 1997 1998 1999 2000 Sistema Tronco-Alimentado Corredor Anhanguera

Leia mais

SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1

SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1 SUGESTÕES PARA A REFORMULAÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS URBANOS E METROPOLITANO DE PORTO ALEGRE 1 Contribuições ao debate do Conselho Deliberativo Metropolitano - CDM Por Mauri

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG Luciano Nogueira José Aparecido Sorratini ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE

Leia mais

Unidade: Transporte Multimodal. Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota

Unidade: Transporte Multimodal. Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Unidade: Transporte Multimodal Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Transporte Multimodal O transporte multimodal se caracteriza pela utilização de mais de um modal de transporte entre a origem e o

Leia mais

Mapa 11: Itinerários das Linhas Diametrais - por Grupo de Operação. Ribeirão Preto - SP/2010

Mapa 11: Itinerários das Linhas Diametrais - por Grupo de Operação. Ribeirão Preto - SP/2010 200000 205000 210000 215000 220000 Mapa 11: Itinerários das Linhas Diametrais - por Grupo de Operação. Ribeirão Preto - SP/2010 7660000 7665000 195000 Legenda Linhas Diametrais Rápido D Oeste (4) 7655000

Leia mais

A roda: a maior invenção tecnológica

A roda: a maior invenção tecnológica A roda: a maior invenção tecnológica A roda parece ter sido inventada, há cerca de 6000 anos, na Mesopotâmia. Foi uma invenção de importância extraordinária, não só porque promoveu uma revolução no campo

Leia mais

Transporte Público em Belo Horizonte: um estudo comparativo entre Metrô e Monotrilho

Transporte Público em Belo Horizonte: um estudo comparativo entre Metrô e Monotrilho Transporte Público em Belo Horizonte: um estudo comparativo entre Metrô e Monotrilho Public Transport in Belo Horizonte: a comparative study between Metro and Monorail Marianna Gabriella Mansur Garrides;

Leia mais

Apoio à Elaboração de Projetos de Sistemas Integrados de Transporte Coletivo Urbano

Apoio à Elaboração de Projetos de Sistemas Integrados de Transporte Coletivo Urbano Programa 9989 Mobilidade Urbana Ações Orçamentárias Número de Ações 19 10SR0000 Apoio à Elaboração de Projetos de Sistemas Integrados de Transporte Coletivo Urbano Produto: Projeto elaborado Unidade de

Leia mais

Plano Diretor de Trânsito e Transporte

Plano Diretor de Trânsito e Transporte Região Sudeste Rio de Janeiro servicospublicos@niteroi.rj.gov.br Baía de Guanabara Niterói Veículos = maior mobilidade, crescimento das cidades Aumento da frota = congestionamento menor mobilidade. Maiores

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO 1. INTRODUÇÃO Atualmente a tecnologia vem se desenvolvendo cada vez mais rápido para suprir as necessidades da população.

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS Pablo de Barros Cardoso Professor, Universidade do Grande Rio, Brasil Vânia Barcellos Gouvêa Campos Professora, Instituto Militar

Leia mais

Implantação de serviço de ônibus executivo metropolitano pela EMTU/SP na Copa do Mundo FIFA 2014.

Implantação de serviço de ônibus executivo metropolitano pela EMTU/SP na Copa do Mundo FIFA 2014. Implantação de serviço de ônibus executivo metropolitano pela EMTU/SP na Copa do Mundo FIFA 2014. Sérgio Ricardo Fortes EMTU/SP Rua Joaquim Casemiro, 290, Bairro Planalto São Bernardo do Campo - SP Fone:

Leia mais

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF São Paulo, dia 11 de maio de 2010 MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Fórum de Transporte Multimodal de Cargas Os entraves na Multimodalidade e a Competitividade Associação

Leia mais

Síntese das disposições respeitantes aos direitos dos passageiros no transporte marítimo e fluvial 1

Síntese das disposições respeitantes aos direitos dos passageiros no transporte marítimo e fluvial 1 Síntese das disposições respeitantes aos direitos dos passageiros no transporte marítimo e fluvial 1 O Regulamento (UE) n.º 1177/2010, relativo aos direitos dos passageiros do transporte marítimo e por

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL 04/05/2011 Senado Federal - Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo O BRASIL EM NÚMEROS BASE PARA O CRESCIMENTO Os investimentos nas áreas

Leia mais

Bases de Apoio Marítimo e Aéreo Área de Influência Direta (AID)

Bases de Apoio Marítimo e Aéreo Área de Influência Direta (AID) Pág. 672 / 950 Atividade de Produção de Gás e Condensado no Bases de Apoio Marítimo e Aéreo Área de Influência Direta (AID) Além de caracterizar aspectos de sensibilidade ou potencialidades da Área de

Leia mais

Depto. Engenharia Industrial Estudo sobre a Mobilidade Sustentável Diretrizes para o Município do Dr. Madiagne Diallo, Prof. Coordenador do Laboratório de Apoio à Decisão Coordenador de Assessoria Técnica

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM REGIÕES METROPOLITANAS REDE INTEGRADA DE TRANSPORTE - RIT ASPECTOS INSTITUCIONAIS PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA

MOBILIDADE URBANA EM REGIÕES METROPOLITANAS REDE INTEGRADA DE TRANSPORTE - RIT ASPECTOS INSTITUCIONAIS PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA MOBILIDADE URBANA EM REGIÕES METROPOLITANAS REDE INTEGRADA DE TRANSPORTE - RIT ASPECTOS INSTITUCIONAIS PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA ENTIDADES ENVOLVIDAS URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A Av. Presidente Affonso Camargo,

Leia mais

Transporte Fluvial nas Ilhas da Área Metropolitana de Belém LISTA DE FOTOS

Transporte Fluvial nas Ilhas da Área Metropolitana de Belém LISTA DE FOTOS LISTA DE FOTOS Transporte Fluvial nas Ilhas da Área Metropolitana de Belém Foto 1 : Aspecto geral do Porto de Belém...26 Foto 2 : Visão da ponte de acesso para as embarcações do terminal do Arapari em

Leia mais

Companhia de Portos e Hidrovias do Estado do Pará - CPH. AÇÕES 2012 e 2013 COMPANHIA DE PORTOS E HIDROVIAS DO ESTADO DO PARÁ

Companhia de Portos e Hidrovias do Estado do Pará - CPH. AÇÕES 2012 e 2013 COMPANHIA DE PORTOS E HIDROVIAS DO ESTADO DO PARÁ Companhia de Portos e Hidrovias do Estado do Pará - CPH AÇÕES 2012 e 2013 REFORMAS E ADEQUAÇÕES TERMINAIS HIDROVIÁRIOS - 2012 TERMINAL HIDROVIÁRIO DE BARCARENA Localizado na região Tocantina; Área construída

Leia mais

EDITAL 019/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: Transporte Fluvial

EDITAL 019/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: Transporte Fluvial PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 019/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: Transporte Fluvial O Projeto BRA/06/032 comunica

Leia mais

transporte lugar adequado morar, trabalhar e viver dignidade acesso à habitação mobilidade trânsito seguro serviços e equipamentos urbanos

transporte lugar adequado morar, trabalhar e viver dignidade acesso à habitação mobilidade trânsito seguro serviços e equipamentos urbanos INFRAESTRUTURA VIÁRIA, APRESENTANDO O SISTEMA DE TELEFÉRICO NO COMPLEXO DO ALEMÃO COMO ALTERNATIVA, BEM SUCEDIDA PARA TRANSPORTE MASSIVO PARA BAIXA RENDA. O transporte por teleférico para o complexo do

Leia mais

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte Mesa 1: Acessibilidade e qualidade do transporte coletivo e das calçadas de Belo Horizonte Em que medida o PlanMob-BH considerou e avançou

Leia mais

3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha

3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha 3ª Conferência de Logística Brasil - Alemanha Henrique Futuro Assessor Agência Metropolitana de Transportes Urbanos Rio Setembro de 2011 Panorama Location: southeast of Brazil (57% of the GNP); Area: 43.910

Leia mais

PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO

PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO AGENDA DO DEBATE: Pedestres Bicicleta Transporte público: ônibus e trilhos Circulação viária carros, motos e caminhões Acessibilidade Educação e trânsito

Leia mais

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - Objetivo Apresentar a e as principais características do STTP. Conceito de Transporte - Transporte é o movimento de pessoas e cargas de um ponto a outro utilizando

Leia mais

ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário

ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário TÓPICO 1: Contextualizando o encontro Olá! No encontro passado você conheceu as particularidades e características

Leia mais

País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades.

País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades. A Política de Mobilidade Urbana no desenvolvimento das cidades! AS CIDADES País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades. Processo de urbanização caracterizado pelo

Leia mais

Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO

Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO Brasília, 27 de agosto de 2013 O setor de transporte no Brasil Agente indutor de desenvolvimento e integração; Histórico de baixos investimentos em

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

MOBILIDADE URBANA Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira

MOBILIDADE URBANA Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira Mobilidade Urbana Palestrantes: Marta Cruz Engenheira Civil Universidade Federal do Espírito Santo Gesiane Silveira Engenheira Civil Universidade

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 8 Mobilidade e Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

Ipojucatur Transportes e Turismo Ltda. Benefícios do Transporte Fretado na sua empresa.

Ipojucatur Transportes e Turismo Ltda. Benefícios do Transporte Fretado na sua empresa. Ipojucatur Transportes e Turismo Ltda. Benefícios do Transporte Fretado na sua empresa. Metodologia Informações baseadas e retiradas de empresas especializadas e especialistas na área de transporte coletivo.

Leia mais

Roteirização de Veículos. Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT

Roteirização de Veículos. Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Roteirização de Veículos Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT ESCOLHA DO SERVIÇO DE TRANSPORTE Escolha do modal depende da variedade de características de serviços: 1. Tarifas dos fretes, 2. Confiabilidade,

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSPORTE E TRÂNSITO PREMISSAS CONSIDERADAS NO PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE, TRÂNSITO E MOBILIDADE URBANA:

POLÍTICA DE TRANSPORTE E TRÂNSITO PREMISSAS CONSIDERADAS NO PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE, TRÂNSITO E MOBILIDADE URBANA: POLÍTICA DE TRANSPORTE E TRÂNSITO PREMISSAS CONSIDERADAS NO PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE, TRÂNSITO E MOBILIDADE URBANA: O Plano Diretor de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana, tem como premissas básicas

Leia mais

1.1 Aumento do número de empresas na cidade (17 sugestões);

1.1 Aumento do número de empresas na cidade (17 sugestões); Caro (a) Colaborador (a) Em primeiro lugar, agradecemos seus comentários apresentados na consulta pública que organizamos, a respeito da próxima licitação de dois lotes de serviços de transportes coletivos

Leia mais

Transporte Hidroviário Urbano

Transporte Hidroviário Urbano 1 INTRODUÇÃO... 2 2 CONCEITOS BÁSICOS...3 2.1 NOÇÕES BÁSICAS:...3 2.2 NÍVEL DE SERVIÇO:...5 2.3 QUALIDADE DE SERVIÇO:...5 3 CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA DE TRANSPORTE HIDROVIÁRIO URBANO...6 3.1 AS VIAS...6

Leia mais

BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus

BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus BRT, BRS, Corredores e Faixas Exclusivas de Ônibus Marcos Bicalho dos Santos Diretor Institucional e Administrativo da NTU Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito

Leia mais

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP São Paulo/SP, 28 de agosto de 2009 MOBILIDADE URBANA: Atributo

Leia mais

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014 IV Conferência de Política Urbana Eixo de Mobilidade: Redução dos deslocamentos, melhoria da acessibilidade e estímulo ao transporte coletivo e não motorizado. 29 de março de 2014 Roteiro 2 1) Contexto

Leia mais

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL 64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL PALESTRA: DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA AQUAVIÁRIA Painel - Um modelo institucional para a infraestrutura logística dentro

Leia mais

ENGENHARIA DE TRANSPORTES

ENGENHARIA DE TRANSPORTES ENGENHARIA DE TRANSPORTES INTRODUÇÃO Conceito: A engenharia de transportes que se relaciona com o projeto geométrico, planejamento e a operação do tráfego de estradas e vias urbanas, suas redes, os seus

Leia mais

O tráfego na Avenida Caxangá e a problemática do crescimento desordenado da frota automobilística na cidade do Recife - PE

O tráfego na Avenida Caxangá e a problemática do crescimento desordenado da frota automobilística na cidade do Recife - PE O tráfego na Avenida Caxangá e a problemática do crescimento desordenado da frota automobilística na cidade do Recife - PE INTRODUÇÃO Recife-Pernambuco tem uma densidade demográfica bastante alta se comparada

Leia mais

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Conceitos Gerais de Custos de Transporte; 3. Decisões que afetam os custos; 4. Fatores que

Leia mais

Logística. Oliveira, Felipe Flausino de. O48l Logística: modais / Felipe Flausino de Oliveira. Varginha, 2015. 40 slides; il.

Logística. Oliveira, Felipe Flausino de. O48l Logística: modais / Felipe Flausino de Oliveira. Varginha, 2015. 40 slides; il. Logística Oliveira, Felipe Flausino de. O48l Logística: modais / Felipe Flausino de Oliveira. Varginha, 2015. 40 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Logística

Leia mais

PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO

PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO Utilizando um modelo de transporte público existente, denominado Ponte Orca, gerenciado pela EMTU,

Leia mais

Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008

Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008 Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008 Estudo de Planejamento Estratégico de Integração do Transporte Público Coletivo da RMPA Plano Integrado de Transporte e Mobilidade

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE LONDRINA - IPPUL

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE LONDRINA - IPPUL PAC MÉDIAS CIDADES Implantação de Sistema de Transporte Urbano Modalidade: Obras e Equipamentos INFORMAÇÕES DA PROPOSTA Título da proposta: Implantação de Sistema de Transporte Urbano Protocolo: 002176.02.85/2012-35

Leia mais

Plano Diretor DPZ 1997-2020

Plano Diretor DPZ 1997-2020 Plano Diretor DPZ 1997-2020 Plano diretor de desenvolvimento do Porto de Fortaleza A alternativa de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Fortaleza, a seguir apresentada, busca obter o atendimento às

Leia mais

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo:

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo: Oficina em Ilhabela Relatoria da Plenária Final Esta oficina, realizada no dia 28 de março de 2012, no Hotel Ilhabela, na sede do município, faz parte do processo de escuta comunitária no âmbito do projeto

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO MARIA CRISTINA MOLINA LADEIRA Diretora de Transportes da EPTC CIDADE DE PORTO ALEGRE Informações Básicas População = 1.420.600 Hab. Área = 496,8 Km² Renda Percapita

Leia mais

CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MOBILIDADE URBANA. Lúcia Maria Mendonça Santos Ministério das Cidades

CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MOBILIDADE URBANA. Lúcia Maria Mendonça Santos Ministério das Cidades CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MOBILIDADE URBANA Lúcia Maria Mendonça Santos S e m i n á r i o M o b i l i d a d e U r b a n a S u s t e n t á v e l : P r á t i c a s e T e n d ê n c

Leia mais

Unidade: Política Habitacional e o Direito à Moradia Digna.

Unidade: Política Habitacional e o Direito à Moradia Digna. OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES, AÇÃO URBANA E FUNDAÇÃO BENTO RUBIÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS E O DIREITO À CIDADE Unidade: Política Habitacional e o Direito à Moradia Digna. Módulo III - A

Leia mais

ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE

ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE Ary Ferreira da Silva Sabrina Câmara de Morais ANÁLISE DO PADRÃO DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO

Leia mais

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Eng. Carlos Alberto Alvarenga Solenerg Engenharia e Comércio Ltda. Rua dos Inconfidentes, 1075/ 502 Funcionários - CEP: 30.140-120 - Belo Horizonte -

Leia mais

DIRETORIA DE TRANSPORTES

DIRETORIA DE TRANSPORTES O que é concessão? É o instrumento previsto em Lei que possibilita a transferência da execução de determinado serviço público a particulares, através da celebração de um contrato, por prazo certo e determinado,

Leia mais

Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas?

Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas? Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas? Uma contribuição - INCT Observatório das Metrópoles - Projeto: Metropolização e Mega-eventos: os impactos da Copa do Mundo/2014

Leia mais

Negócios nos Trilhos-Encontrem 2006

Negócios nos Trilhos-Encontrem 2006 eixos de atuação Negócios nos Trilhos-Encontrem 2006 São Paulo - novembro de 2006 eixos de atuação SISTEMAS METRO-FERROVIÁRIOS IMPORTÂNCIA DO SETOR METRO-FERROVIÁRIO melhorias urbanas e eficiência como

Leia mais

Plano Cicloviário da Região Metropolitana da Baixada Santista / SP.

Plano Cicloviário da Região Metropolitana da Baixada Santista / SP. Plano Cicloviário da Região Metropolitana da Baixada Santista / SP. Fernanda Faria Meneghello 1 ; Augusto Muniz Campos 2 ; Paulo Carvalho Ferragi 3 1 AGEM Agência Metropolitana da Baixada Santista Diretora

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROGRAMA BOLSISTA VOLUNTÁRIO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2014-2015 RELATÓRIO FINAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROGRAMA BOLSISTA VOLUNTÁRIO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2014-2015 RELATÓRIO FINAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROGRAMA BOLSISTA VOLUNTÁRIO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2014-2015 RELATÓRIO FINAL Bolsista: Marcieli da Silva Ribeiro Orientador: Dr. Eduardo

Leia mais

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Resultados positivos dos quinze anos de concessões ferroviárias comprovam a importância das ferrovias para o desenvolvimento do País Crescimento de

Leia mais

INTEGRAÇÃO NOS TRANSPORTES PÚBLICOS

INTEGRAÇÃO NOS TRANSPORTES PÚBLICOS Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos NTU INTEGRAÇÃO NOS TRANSPORTES PÚBLICOS uma análise dos sistemas implantados nas cidades brasileiras agosto de 1999 ÍNDICE SUMÁRIO... 3 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Diminuir a necessidade de viagens motorizadas: Posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Porto Alegre Anexo V Diretrizes Futuras para o Sistema de Transporte

Leia mais

Panorama do Plamus Julho de 2015

Panorama do Plamus Julho de 2015 Panorama do Plamus Julho de 2015 O PLAMUS foi elaborado por consórcio de três empresas LogitEngenharia, Strategy& e Machado Meyer Advogados, com cinco parceiros Consórcio Empresa brasileira, fundada há

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR SP CEP: 12236-660 www.unianhanguera.edu.br ADMINISTRAÇÃO Colaborativa Disciplina: DPP Prof º. Tutor Presencial Trabalho, emprego e empregabilidade Área de atuação pesquisada 1. Engenheiro Petroquímico

Leia mais

DEDICATED TO MAKING A DIFFERENCE. obilidade. relatorio sintético

DEDICATED TO MAKING A DIFFERENCE. obilidade. relatorio sintético DEDICATED TO MAKING A DIFFERENCE obilidade relatorio sintético relatorio sintético O relatório a seguir representa uma fotografia da mobilidade no mundo no início do século XXI e identifica as ameaças

Leia mais

Mobilidade Caminhos para o Futuro

Mobilidade Caminhos para o Futuro EVENTO DIÁLOGOS CAPITAIS: METRÓPOLES BRASILEIRAS O FUTURO PLANEJADO Mobilidade Caminhos para o Futuro Ricardo Young PPS Vereador Município de SP ricardoyoungvereador http://www.ricardoyoung.com.br/ 21/JULHO/2014

Leia mais

Consulta Pública PROPOSTAS

Consulta Pública PROPOSTAS Consulta Pública POLÍTICA DE LOGÍSTICA URBANA DE BELO HORIZONTE - 2015 PBH BHTRANS / outubro 2015 PROPOSTAS 1. Causas básicas do caos urbano 1. Desequilíbrio entre a oferta e a demanda do uso da estrutura

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A IMPLANTAÇÃO DO TRANSPORTE HIDROVIÁRIO ENTRE O CENTRO E A BARRA DA TIJUCA NO RIO DE JANEIRO. UMA ALTERNATIVA PARA ELEVAR

Leia mais

potencial, competitividade e políticas Nivalde J. de Castro (GESEL/IE/UFRJ) André Luis S. Leite (GESEL/IE/UFRJ) Guilherme A. Dantas (GESEL/IE/UFRJ)

potencial, competitividade e políticas Nivalde J. de Castro (GESEL/IE/UFRJ) André Luis S. Leite (GESEL/IE/UFRJ) Guilherme A. Dantas (GESEL/IE/UFRJ) Energia eólica no Brasil: potencial, competitividade e políticas Nivalde J. de Castro (GESEL/IE/UFRJ) André Luis S. Leite (GESEL/IE/UFRJ) Guilherme A. Dantas (GESEL/IE/UFRJ) Introdução As mudanças climáticas

Leia mais

AS INTERFACES DO PLANEJAMENTO URBANO COM A MOBILIDADE

AS INTERFACES DO PLANEJAMENTO URBANO COM A MOBILIDADE AS INTERFACES DO PLANEJAMENTO URBANO COM A MOBILIDADE Quando focalizamos a condição de sermos moradores de um aglomerado, isso nos remete a uma posição dentro de um espaço físico, um território. Esse fato,

Leia mais

CIRCUITO DO SIT - SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS

CIRCUITO DO SIT - SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS CIRCUITO DO SIT - SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE SETTRAN - secretaria Municipal de Trânsito e Transportes CTA - Controle de tráfego em área Autor: Aílton Borges SETTRAN- - Circuito do SIT - Sistema integrado

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA REGULAMENTO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA ESTE REGULAMENTO DISPÕE SOBRE A IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA NA REDE DE TRANSPORTE COLETIVO NÃO INTEGRADA DA REGIÃO METROPOLITANA

Leia mais

Interseções. Lastran/Ufrgs

Interseções. Lastran/Ufrgs Interseções Lastran/Ufrgs 1 Noções Gerais Interseção é o local onde 2 ou mais vias se interceptam. Local de grande número de acidentes: 53% dos acidentes em vias rurais; 78% dos acidentes em vias urbanas;

Leia mais

PARA MUDAR DE VERDADE

PARA MUDAR DE VERDADE PARA MUDAR DE VERDADE os transportes Nos 20 anos de sucessivos governos, o PSDB foi incapaz de enfrentar o colapso da mobilidade urbana com políticas compatíveis com a gravidade do problema, sobretudo

Leia mais

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Comércio Exterior UNIPAC Logística Internacional: Conceitos Estratégias Modais Transportes Tendências Logística Internacional CONCEITOS

Leia mais

RELATÓRIO SITUAÇÃO DA MT - 100

RELATÓRIO SITUAÇÃO DA MT - 100 RELATÓRIO SITUAÇÃO DA MT - 100 Novembro/2014 1. Introdução O Movimento Pró-Logística, que reúne as entidades Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (APROSOJA-MT), Associação

Leia mais

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E CONTROLE OPERACIONAL

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E CONTROLE OPERACIONAL Anexo VI -fls.1/7 ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E CONTROLE OPERACIONAL Serão apresentados a seguir os conceitos, requisitos e especificações básicas do Sistema de Monitoramento e Controle

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

A logística de transportes e telecomunicações no noroeste do Mato Grosso: entrave ao desenvolvimento ou oportunidade de negócios.

A logística de transportes e telecomunicações no noroeste do Mato Grosso: entrave ao desenvolvimento ou oportunidade de negócios. A logística de transportes e telecomunicações no noroeste do Mato Grosso: entrave ao desenvolvimento ou oportunidade de negócios. III SASEL SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO Professora Ma. Terezinha Márcia de

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de Pedestres ABRASPE apresenta aqui sua sugestão para revisão do texto original de Política Nacional de Trânsito apresentado pelo Departamento

Leia mais

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES A ENTERPRISE SOLAR Somos a empresa mais inovadora em soluções energéticas no Brasil. Temos o propósito de difundir a importância da principal fonte de energia do nosso planeta, que nos fornece, sob as

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. Rubrica: Seven Seas Explorer Viagem Inaugural 20 de julho de 2016

TERMOS E CONDIÇÕES. Rubrica: Seven Seas Explorer Viagem Inaugural 20 de julho de 2016 TERMOS E CONDIÇÕES PEDIMOS QUE LEIA COM ATENÇÃO ESTAS IMPORTANTES INFORMAÇÕES, POIS, ESTES SÃO OS TERMOS E CONDIÇÕES DO CONTRATO LEGAL ENTRE VOCÊ, NA CONDIÇÃO DE NOSSO HÓSPEDE, E A SEVEN SEAS CRUISES S.

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 270/XII/1.ª

Projeto de Resolução n.º 270/XII/1.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Resolução n.º 270/XII/1.ª Pela modernização e reabertura do troço Covilhã-Guarda e prestação de um serviço público de transporte ferroviário de

Leia mais

MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS?

MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS? MOBILIDADE EM SALVADOR: PARA ONDE VAMOS? UM PLANO DE MOBILIDADE URBANA DEVE PARTIR DA FORMULAÇÃO DE UM DESEJO: UM DESEJO DE CIDADE. QUAL A SALVADOR QUE DESEJAMOS UMA METRÓPOLE COMPETITIVA, SAUDÁVEL, EQUILIBRADA,

Leia mais

REDES DE TRANSPORTE E TELECOMUNICAÇÕES. Os diferentes modos de transporte e telecomunicações

REDES DE TRANSPORTE E TELECOMUNICAÇÕES. Os diferentes modos de transporte e telecomunicações REDES DE TRANSPORTE E TELECOMUNICAÇÕES Os diferentes modos de transporte e telecomunicações Redes de transporte e telecomunicações As redes de transporte são o conjunto das vias de comunicação (estradas,

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

Santos 23/09/09. Sistema Integrado Metropolitano SIM. Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve)

Santos 23/09/09. Sistema Integrado Metropolitano SIM. Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) Santos 23/09/09 Sistema Integrado Metropolitano SIM Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 1 1 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos - STM Três regiões metropolitanas do Estado de São Paulo:

Leia mais

PROBLEMATIZAÇÃO DO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO PRETO, SP 198

PROBLEMATIZAÇÃO DO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO PRETO, SP 198 PROBLEMATIZAÇÃO DO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO PRETO, SP 198 capítulo deste trabalho, segundo Vasconcellos (1995, p.09), os principais problemas de transporte e trânsito

Leia mais

A MOBILIDADE ELÉCTRICA

A MOBILIDADE ELÉCTRICA A MOBILIDADE ELÉCTRICA Contextualização As significativas alterações climáticas e o aumento do preço dos combustíveis sustentam um dos maiores desafios do século XXI - fiabilidade, segurança e sustentabilidade

Leia mais

NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO

NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO 1 LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA MUNDIAL Rotterdam (5) (1) (4) Porto do Itaqui (3) (2) Itaqui China (Shangai) (1) Via Canal Panamá ~ 12.000

Leia mais