1 TEMA Convivência com o diferente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 TEMA Convivência com o diferente"

Transcrição

1 1 1 TEMA Convivência com o diferente 2. CICLO OU SÉRIE ESCOLHIDA O projeto foi elaborado com a finalidade de abordar atividades a serem trabalhadas com alunos da 1ª etapa do 1º ciclo (1ª série) do Ensino Fundamental. 3 AUTOR Nome: Ana Kelli Princival E- mail: 4 OBJETIVOS vivenciar a alteridade por meio de valores que promovam o encontro com sigo mesmo e com o outro. Perceber a existência de diferentes símbolos religiosos na vida das pessoas e grupos, identificando e estabelecendo relações de significado, compreendendo e respeitando as idéias de sagrado nelas expressas Identificar no contexto sociocultural a existência de diferentes Tradições Religiosas e reconhecer a sua importância para a expressão da religiosidade do ser humano e a construção de um mundo mais fraterno Desenvolver atitudes que contribuam para a construção da paz e do entendimento mútuo na convivência com as diferenças. aprender a conviver e reconhecer diferentes grupos, respeitando-os Respeitar e valorizar as pessoas nas suas diferenças culturais e religiosas. 5 FUNDAMENTAÇÃO PEDAGÓGICA Estudando a teoria de Jean Piaget, devemos inicialmente refletir sobre o desenvolvimento da criança nessa faixa etária (7 anos) Segundo Piaget ( apud Elkind, 1982), a criança se encontra na etapa operatório- concreta. Por volta dos sete anos de idade, as características da inteligência infantil, a forma como a criança lida com o mundo e o conhece, demonstram que ela se encontra numa nova etapa de desenvolvimento cognitivo, onde se observa grandes modificações. Nesta etapa o pensamento lógico, objetivo, adquire preponderância. O pensamento se torna menos egocêntrico, menos centrado no sujeito. Agora a criança é capaz de construir um conhecimento mais compatível com mundo que a rodeia. O real e o fantástico não mais se misturam em sua percepção, podendo dramatizar a fantasia sem que acredite nela. Piaget ( apud Elkind, 1982) coloca que nesta fase o pensamento baseia-se muito mais no raciocínio do que na percepção. Por exemplo, de alterar a disposição de duas contendo o mesmo número, não fará com que a criança pense que pense que possuam números diferentes. A criança no estágio operacional concreto pode assumir o ponto de vista dos outros e a sua linguagem já é comunicativa e social. O papel da escola no desenvolvimento da criança é instrumentalizar o educando, favorecendo-lhe uma educação integral. Assim a escola deve possibilitar condições para aprendizagens múltiplas. Segundo os PCNs (1997) a escola é um lugar privilegiado de construção de conhecimento as, expansão da criatividade, desenvolvimento da humanização, vivência de valores

2 2 universais, promoção do diálogo inter-religioso, valorização da vida e educando para a paz. O Ensino Religioso tem por objetivo promover relações de respeito ao outro em suas diferenças e a valorização da vida e dignidade humana. Segundo a LDB 9394/96, ARTIGO 32 estabelece que: - O ensino religioso, de matricula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão, constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurando o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo. 1º Os sistemas de ensino regulamentarão os procedimentos para a definição dos conteúdos do ensino religioso e estabelecerão as normas para a habilitação e admissão dos professores. 2º Os sistemas de ensino ouvirão entidade civil, constituída pelas diferentes denominações religiosas, para a definição dos conteúdos do ensino religioso. Assim o Ensino religioso insere-se em um novo paradigma, que destacamos seguintes enfoques: O ensino Religioso é parte integrante da formação básica do cidadão, é assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, são vedadas quaisquer formas de proselitismo, isso é, a escola pública não pode impor aos alunos práticas religiosas de qualquer religião. A educação religiosa nos sistemas de ensino é trabalhada sistematicamente como área do conhecimento, articulado às demais áreas. O ensino Religioso deve ser ministrado por professores habilitados, ou admitidos pelo sistema de ensino, não sendo pro voluntários. A entidade civil tem a incumbência de definir os conteúdos de acordo com a lei em vigência, acompanhar e apoiar o desenvolvimento do Ensino Religioso. A atual concepção de Ensino Religioso é fenomenológica, isto é, tem por objetivo o estudo dos fenômenos religiosos. A prática pedagógica abrange os princípios de informativo, (conhecimento sobre o fenômeno religioso) e formativo (reflexão e vivência de valores humanos, trabalhando na transversalidade). Então o Ensino religioso tem como ponto de partida a realidade sociocultural do aluno, com enfoque centrado no conhecimento religioso, historicamente produzido e acumulado pela humanidade, enfocando também as questões relacionadas à cidadania e à convivência baseada no respeito ao outro. O ensino Religioso pode contribuir para o estabelecimento de novas relações do ser humano a partir do conhecimento das diferentes Tradições Religiosas e da vivência de valores que promovam a cidadania, o diálogo interreligioso que é uma possibilidade no processo de construção e socialização do conhecimento das diferentes manifestações do sagrado, presentes na realidade local e global e o respeito às diferenças, favorecendo assim, a reflexão crítica sobre os questionamentos existentes. Para trabalhar com a convivência como o diferente nas 1ª séries, trabalha-se com alteridade- é uma atitude de reconhecimento do outro, seja ele uma pessoa, um grupo religioso, étnico, cultural, político, ou ainda pertencente a outra espécie. Esse fará com que a criança aprenda a respeitar e conviver com as diferenças pertencentes a outros grupos.

3 3 6 PLANO DE TRABALHO ATIVIDADE 1 Tema - Convivência com as diferenças Objetivo: vivenciar a alteridade por meio de valores que promovam o encontro com sigo mesmo e com o outro. Encaminhamento Metodológico Iniciar a aula com um abraço coletivo, a professora orientará os alunos para que façam um circulo bem justinho, onde eles devem ficar com as mãos nas cinturas ou ombros dos colegas. Esse não pode demorar, pois poderá causar constrangimento entre os alunos, durante o abraço coletivo colocar uma música de sons de florestas, para fazer um reflexão sobre o significado desse gesto, sobre o sentimento de respeito, união, amizade, carinho e aceitação das diferenças que devem cultivar. Em seguida cantar uma música que fala da amizade e da paz: UM ABRAÇO DADO DE BOM CORAÇÃO É COMO UMA BENÇÃO UMA DEVOÇÃO UM ABRAÇO DADO MUITO AMOR NOS TRAZ DESARMA A VIOLÊNCIA E CONSTRÓI A PAZ Em seguida distribuir para os alunos pedaços pequenos de cartolina, canetinhas, lápis e giz de cera. Cada um deverá confeccionar o seu crachá escrevendo o seu nome e com a ajuda da professora escrever um valor do ser humano. Depois poderá fazer desenhos no crachá de sua preferência. Ligar novamente a música tranqüila durante a atividade. Dispor os alunos em círculos sentados, e orienta-los para que cada um apresente seu crachá, dizendo nome, porque do desenho e porque do valor que escreveu, a professora deve ajudar quando necessário, mais deixar que eles se expressem da maneira que melhor escolherem. Depois da apresentação formar novamente o abraço grupal e cantar novamente a música- UM ABRAÇO DADO..Em seguida a professora entregara para os alunos um texto cujo tema é:

4 4 A RIQUEZA DAS DIFERENÇAS CADA PESSOA É ÚNICA NO UNIVERSO. CADA UM TEM UM ROSTO, UM JEITO PRÓRPIO DE SER, DE SE EXPRESSAR, DE FALAR, DE PENSAR, DE SONHAR, DE ACREDITAR E DE VIVER A VIDA. BONITO E INTELIGENTE É SABER RESPEITAR AS DIFERENÇAS NOS OUTROS, PORQUE AS DIFERENÇAS DE CADA PESSOA É O QUE TORNA A VIDA RICA, CRIATIVA E INTERESSANTE. AS NOSSAS DIFERENÇAS PESSOAL, CULTURAIS E RELIGIOSAS SÃO RIQUEZAS E DEVEM SER RESPEITADAS. Em seguida ler com os alunos o texto e refletir sobre o conteúdo do texto, é importante a participação dos alunos nessa reflexão. Após orientá-los para que ilustrem o texto, no quadrado acima do texto, a partir do que compreenderam. ATIVIDADE 2 Tema: Os símbolos religiosos na vida das pessoas Objetivo: Perceber a existência de diferentes símbolos religiosos na vida das pessoas e grupos, identificando e estabelecendo relações de significado, compreendendo e respeitando as idéias de sagrado neles expressas. Encaminhamento metodológico Antecipadamente pedir para os alunos que tragam diversos símbolos (bandeiras, símbolos da paz, símbolos das suas religiões ou igrejas, sinais de trânsito, enfim, símbolos conhecidos e usados pelos alunos) pedir para que façam isso com o auxilio dos pais e a professora estará orientando-os, pois eles são ainda pequenos. Em sala de aula formar uma roda com os alunos e cantar a canção PÕE A MÃO. Para começar a aula. Põe a mão no ombro Na cabeça, no joelho e no dedão do pé. Dá uma voltinha, um pulinho. E um cutucão no seu vizinho Põe a mão no ombro, no pescoço. Na cintura e no dedão do pé Dá uma voltinha, um pulinho. E uma cosquinha no seu vizinho Põe a pra cima, para frente. Pra trás e no dedão do pé Dá uma voltinha, um pulinho. E um abraço no seu vizinho. Em seguida organizar uma exposição dos símbolos que os alunos trouxeram a começar pela professora para motivá-los. Deixar que os alunos

5 5 individualmente comentem sobre os símbolos que trouxeram, se alguém os ajudou, quem? Explicar aos alunos que os símbolos são linguagens que comunicam idéias, eles têm diversos significados. Há símbolos religiosos e não religiosos. Os símbolos religiosos se referem a Deus ou alguma crença religiosa. Os não religiosos que são para representar algo, como uma marca. Escrever no quadro e refletir com os alunos sobre a seguinte frase; Nas devemos respeitar as pessoas das diversas crenças e seu jeito de acreditar no Sagrado. Após organizar os alunos em equipes e disponibilizar materiais para que confeccionem cartazes sobre símbolos religiosos e não religiosos, e expor no mural da escola. ATIVIDADE 3 Tema: Juntos construindo a paz e respeitando as diferenças Objetivos: Desenvolver atitudes que contribuam para a construção da paz e do entendimento mútuo na convivência com as diferenças. aprender a conviver e reconhecer diferentes grupos, respeitando-os Encaminhamento metodológico Iniciar a aula cantando com os alunos a música e fazendo as coreografias. BALANÇANDO A CUCA Todo mundo de pé/ Balançando a cuca Todo mundo pulando/ Chacoalhando tudo Levante os braços! UH!/ Chutando o ar! Hei! Hei! Fique de cócoras, pulando feito um sapo. Assim, assim, assim, assim. Assim, assim, assim, assim. Todo mundo de pé/ Balançando a cuca Todo mundo pulando/ Chacoalhando tudo Vamos sambar/ Ziriguidum/ Hei! Hei! / Pegue seu parceiro e vá dançando por ai E agora, vamos sentar/ e voltar estudar (calmo e batendo palmas) Cd: A escola é um show. Elidilberto p, vasconcelos,comep, Paulinas. Obs.: antes da última parte, pode ser sugerido um abraço grupal. Em seguida formar equipes de quatro aluno, cada equipe deverá copiar em pedaços de papel bobina uma das frases e depois ilustra-la com desenhos criativos: COMUNIDADE DE PEIXES, COMUNIDADE DE MONTANHAS,

6 6 COMUNIDADE DE FLORES, COMUNIDADE DE ÁRVORES, COMUNIDADE DE PÁSSAROS, COMUNIDADE DE PINGUINS, COMUNIDADE DE NUVENS, COMUNIDADE DE ESTRELAS, COMUNIDADE DE PESSOAS. Explicar aos alunos que muitos seres da natureza têm a necessidade de viver em companhia uns dos outros, para se proteger e preservar a espécie. Nós os seres humanos, também precisamos de uns dos outros, para sermos felizes e crescermos como pessoas, por isso, devemos saber conviver bem na comunidade, seja ela familiar, religiosa ou social. Deixar que os alunos comentem, participem durante a reflexão. Em seguida após terem ilustrado a frase que cada grupo escolheu expor no mural da escola, e também propor para que façam os mesmo com a frase convivendo com os outros, em casa, na escola e no grupo religioso. E também expor. ATIVIDADE 4 Tema: Conhecendo as diferentes tradições religiosas de nossa comunidade Objetivo: Identificar no contexto sociocultural a existência de diferentes Tradições Religiosas e reconhecer a sua importância para a expressão da religiosidade do ser humano e a construção de um mundo mais fraterno. Encaminhamento Metodológico Reunir os alunos em circulo para o habitual abraço grupal, em seguida dispor a música para os alunos. AMANHECER Vibra uma canção Surge no horizonte o raiar de um novo dia. Canta, dança, entra na festa. Sente a alegria de viver. Olha o céu sorrindo. Vê a beleza deste renascer. Canta, dança, nesta ciranda. Sonha de novo sem temer Vá à cidade, leva a notícia deste amanhecer. No olhar do povo, brincam, risos de crianças, mãos se entrelaçam recriando a confiança. Livre canta o vento, boa nova de amizade. Brilha a paz na terra Nasce nova humanidade. Em seguida a professora disponibilizará para os alunos um texto já digitado sobre as diferenças. EM NOSSA COMUNIDADE EXISTEM DIFERENTES TRADIÇÕES RELIGIOSAS, MUITAS VEZES, POR FALTA DE CONHECIMENTO, AS PESSOAS SÃO TRATADAS COM PRECONCEITO POR PARTICIPAREM DE DETERMINADOS GRUPOS RELIGIOSOS.

7 7 A professora irá ler com dos alunos e refletir sobre que atitudes devemos ter para superar os preconceitos e aprender a relacionar-se com as outras pessoas respeitando as diferenças? Para melhor compreensão a professora explicará para os alunos o que são tradições religiosas e o que significa preconceito. Explorar a oralidade dos alunos. Em seguida a professora realizará uma pesquisa com os alunos, sobre as diferentes tradições religiosas presentes na sala de aula, e também na comunidade. Então os alunos serão organizados em grupos e após essa listagem de diferentes tradições, cada grupo fará uma pesquisa ( tudo com o auxílio da professora) sobre determinada religião, essa pesquisa será feita em livros, revistas, internet e outros materiais que a professora já pré selecionou anteriormente na preparação dos materiais para a aula. Essa pesquisa irá abordar algumas informações; os símbolos, ritos, celebrações, te3xto sagrado, quem são os lideres, e outras, como alimentos. Após a pesquisa os alunos farão cartazes, ilustrando de suas maneiras, as informações obtidas na pesquisa e a professora socializará as informações para todo o grupo. Os cartazes serão expostos no mural da escola. 7 AVALIAÇÃO A avaliação é parte integrante do processo ensino-apredizagem e tem como função diagnosticar e orientar a intervenção pedagógica A avaliação inicial no Religioso é o conhecimento de grupos culturais/ religiosos diferentes, identificados nas varias crenças dos próprios educandos. A avaliação formativa, deve ser formal e sistemática e ser organizada de acordo com os conteúdos significativos levando ao conhecimento. Essa etapa é caracterizada pelo acompanhamento do processo, que leva em conta o contexto, o desenvolvimento pessoal e a faixa etária do educando. No Ensino Religioso essa etapa tem como referencial a capacidade de perceber as diferenças das tradições religiosas. A avaliação final consiste na observação do resultado de todo o período de aprendizagem de acordo com os objetivos. A avaliação permite que o professor observe o progresso do seu aluno e possa rever e reelaborar sua pratica pedagógica. 8 RECURSOS DIDÁTICOS CDs RÁDIOS textos mimeografados livros revistas computadores (internet) papel bobina e cartolina lápis, cola, tesoura, giz de cera. Quadro de giz

8 8 9 REFÊRENCIAS BIBLIOGRÁFICAS Apostilas de Ensino Religioso- Secretaria Municipal da Educação de São José dos Pinhais - Ensino Religioso-2005 Currículo para as Escolas da Rede Municipal Ensino Fundamental- 1ª a 4ª séries- São José dos Pinhais-2004 ELKIND, David. Crianças e Adolescentes. Rio de Janeiro: Zahar,1982.

Possibilitar o conhecimento dos diferentes grupos religiosos construindo um. referencial de entendimento das diferenças e respeito ao outro.

Possibilitar o conhecimento dos diferentes grupos religiosos construindo um. referencial de entendimento das diferenças e respeito ao outro. TEMA: Preconceito religioso SÉRIE 2ª. Série Andressa Priscila Chiquiti - chiqt@bol.com.br 4. OBJETIVO /s Possibilitar o conhecimento dos diferentes grupos religiosos construindo um referencial de entendimento

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Infantil II Segmento I

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Infantil II Segmento I Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2010 Infantil II Segmento I PLANO DE CURSO 2009 INFANTIL II Disciplina: ARTES Série: INFANTIL II Segmento: I COMPETÊNCIAS HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS -

Leia mais

O CIRCO (RE)CRIADO POR CRIANÇAS DA 2ª SÉRIE

O CIRCO (RE)CRIADO POR CRIANÇAS DA 2ª SÉRIE O CIRCO (RE)CRIADO POR CRIANÇAS DA 2ª SÉRIE VANESSA CRISTINA SCARINGI (UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA ). Resumo O tema central deste projeto diz respeito a inserção e interação de um aluno circense numa

Leia mais

Palavras-chave: escrita musical, histórias infantis, conto sonoro. Seminário do 16 O. COLE vinculado: V Seminário Linguagens em Educação Infantil.

Palavras-chave: escrita musical, histórias infantis, conto sonoro. Seminário do 16 O. COLE vinculado: V Seminário Linguagens em Educação Infantil. O Conto Sonoro, uma forma de explorar a escrita musical. Renata de Oliveira Pavaneli Frederico, Escola de Educação Infantil Casa da Gente Campinas-SP. musicamed@directnet.com.br reoliveirafred@gmail.com

Leia mais

Construindo uma aula significativa passo-a-passo.

Construindo uma aula significativa passo-a-passo. Construindo uma aula significativa passo-a-passo. www.juliofurtado.com.br SINOPSE: O As sete etapas da construção de um conceito. O Os três momentos de uma aula significativa. O A mediação de conflitos

Leia mais

1. TEMA. A Bíblia e o Alcorão falam de Deus. 2. SÉRIE. 1º etapa do 2ºciclo ( 3ª série) 3. ALUNA. Marili Bacci Mendes Marili.mendes@pucpr.

1. TEMA. A Bíblia e o Alcorão falam de Deus. 2. SÉRIE. 1º etapa do 2ºciclo ( 3ª série) 3. ALUNA. Marili Bacci Mendes Marili.mendes@pucpr. 1. TEMA A Bíblia e o Alcorão falam de Deus. 2. SÉRIE 1º etapa do 2ºciclo ( 3ª série) 3. ALUNA Marili Bacci Mendes Marili.mendes@pucpr.br 4. OBJETIVOS Reconhecer a história e sua importância para o ser

Leia mais

JUSTIFICATIVA: OBJETIVOS:

JUSTIFICATIVA: OBJETIVOS: JUSTIFICATIVA: O projeto Páscoa tem a finalidade de apresentar as principais características desta festividade, como manifestação cultural, por meio do trabalho educativo com diferentes linguagens artística,

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO SÉRIE: 9ºs anos PROFESSOR:

Leia mais

Ensino religioso História Geografia

Ensino religioso História Geografia TEMA As diferenças podem incomodar AUTOR Loridane Gondim de Souza e-mail: loridanesouza@zipmail.com.br SÉRIE II etapa do 1º ciclo, 2ª série EIXOS Ensino religioso História Geografia Alteridade História

Leia mais

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Introdução Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) o conteúdo Tratamento da Informação, deve ser trabalhado de modo que estimule os alunos a fazer perguntas,

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. PRÉ I Professoras Caroline e Ana Lucia Habilidades vivenciadas no 2º bimestre 2011

EDUCAÇÃO INFANTIL. PRÉ I Professoras Caroline e Ana Lucia Habilidades vivenciadas no 2º bimestre 2011 EDUCAÇÃO INFANTIL Prezados Pais e/ou Responsáveis, Estamos vivenciando o segundo bimestre letivo e o processo de aprendizagem representa pra nós, motivo de alegria e conquistas diárias. Confiram as habilidades

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

O projeto será aplicado em turmas da 3ª série do ensino fundamental, na faixa etária entre 8 e 9 anos.

O projeto será aplicado em turmas da 3ª série do ensino fundamental, na faixa etária entre 8 e 9 anos. 1 TEMA Símbolos religiosos lembranças de uma história 2 SÉRIE 3ª série ou 1ª etapa do ciclo II 3 ALUNO Simone do Rocio Sueke simonesueke@yahoo.com.br 4 OBJETIVOS Perceber a existência de diferentes símbolos

Leia mais

Aquecimento inespecífico: Os participantes devem andar pela sala não deixando nenhum espaço vazio, andando cada um no seu ritmo.

Aquecimento inespecífico: Os participantes devem andar pela sala não deixando nenhum espaço vazio, andando cada um no seu ritmo. DINÂMICA DO ESPELHO Embrulha o espelho com papel de presente, mas dentro o espelho deve ser embrulhado com outro papel e colado a seguinte frase: Há pessoas que querem ser bonitas pra chamar a atenção,

Leia mais

PARTE DIVERSIFICADA 2º TRIMESTRE TEMA- CUIDAR DA CASA COMUM LEMA: A FESTA JUNINA RESGATANDO A IDENTIDADE COMUM ATRAVÉS DE DANÇAS TÍPICAS

PARTE DIVERSIFICADA 2º TRIMESTRE TEMA- CUIDAR DA CASA COMUM LEMA: A FESTA JUNINA RESGATANDO A IDENTIDADE COMUM ATRAVÉS DE DANÇAS TÍPICAS PARTE DIVERSIFICADA 2º TRIMESTRE TEMA- CUIDAR DA CASA COMUM LEMA: A FESTA JUNINA RESGATANDO A IDENTIDADE COMUM ATRAVÉS DE DANÇAS TÍPICAS Educadores: Ano/turma: 6º ao 9º anos Vespertino / Matutino Disciplina:

Leia mais

CRECHE MUNICIPAL MACÁRIA MILITONA DE SANTANA PROJETO LITERATURA INFANTIL: "MUNDO ENCANTADOR"

CRECHE MUNICIPAL MACÁRIA MILITONA DE SANTANA PROJETO LITERATURA INFANTIL: MUNDO ENCANTADOR CRECHE MUNICIPAL MACÁRIA MILITONA DE SANTANA PROJETO LITERATURA INFANTIL: "MUNDO ENCANTADOR" CUIABÁ-MT 2015 CRECHE MUNICIPAL MÁCARIA MILITONA DE SANTANA 1- Tema: "Mundo Encantador" 1.2- Faixa etária: 2

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

PLANO DE ENSINO (2013-2016)

PLANO DE ENSINO (2013-2016) PLANO DE ENSINO (2013-2016) ENSINO RELIGIOSO Ensino Fundamental Anos (Séries) Finais BLUMENAU 2013 SUMÁRIO: 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS... 6 3.1. OBJETIVO GERAL... 6 3.2. OBJETIVOS

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 5º Ano PROFESSORAS: JESSICA

Leia mais

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Maria dos Prazeres Nunes 1 INTRODUÇÃO No Brasil a expansão da educação ocorre de forma lenta, mas, crescente nas últimas décadas. Com base nas determinações

Leia mais

CONHECIMENTOS E CAPACIDADES ENVOLVIDOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 1

CONHECIMENTOS E CAPACIDADES ENVOLVIDOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 1 . PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR Secretaria Municipal de Educação e Cultura SMEC Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP CONHECIMENTOS E CAPACIDADES ENVOLVIDOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

Coordenador Pedagógico: o mediador da humanização como prática na educação infantil

Coordenador Pedagógico: o mediador da humanização como prática na educação infantil Coordenador Pedagógico: o mediador da humanização como prática na educação infantil RESUMO Fernanda Azevedo Fagundes 1 Júlia Estefani Alves 2 O presente artigo, busca discutir acerca da função do Coordenador

Leia mais

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Henrique Daniel Froelich rikedaniel@yahoo.com.br Resumo: Para se viver

Leia mais

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Resumo Esse vídeo pretende oferecer instrumentos aos professores da educação infantil e do ensino fundamental para as tarefas da educação

Leia mais

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3.

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3. Resumo A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3 O trabalho apresentado é um relato de experiência que foi desenvolvida

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução... 2 Objetivos... 2 Possibilidades de Trabalho... 3

SUMÁRIO. Introdução... 2 Objetivos... 2 Possibilidades de Trabalho... 3 SUMÁRIO Introdução............................................ 2 Objetivos............................................. 2 Possibilidades de Trabalho........................... 3 Introdução A disciplina

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Equipe Anep

APRESENTAÇÃO. Equipe Anep APRESENTAÇÃO A Edição do Currículo de Ensino religioso e Ética para a Educação Básica (Educação infantil, Ensino fundamental e Ensino médio) é o resultado de um laborioso esforço de um grupo de educadores

Leia mais

A Prática Pedagógica no Berçário. Maria Carmen Silveira Barbosa

A Prática Pedagógica no Berçário. Maria Carmen Silveira Barbosa A Prática Pedagógica no Berçário "As pequenas atividades quotidianas tornam-se hábitos sobre os quais a criança fundamenta a sua autonomia" Tonucci Maria Carmen Silveira Barbosa As creches durante muitos

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos

Plano de Trabalho com Projetos PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Plano de Trabalho com Projetos 1. Identificação: Escola Municipal de Ensino Fundamental Renato Pradi Professora:

Leia mais

Jeana Maria de Moura Telles

Jeana Maria de Moura Telles Jeana Maria de Moura Telles Brincar, compartilhar e aprender: A ludicidade como elemento norteador de uma aula mais proveitosa, atrativa e eficaz Araguaína TO 2013 Jeana Maria de Moura Telles Brincar,

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ ENSINO RELIGIOSO

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ ENSINO RELIGIOSO CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ ENSINO RELIGIOSO 1. IDENTIDADE DO COMPONENTE CURRICULAR O Ensino Religioso deve buscar

Leia mais

Projeto Escola e família: construindo novos caminhos

Projeto Escola e família: construindo novos caminhos Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Projeto Escola e família: construindo novos caminhos ELIZÂNGELA. S. VIEIRA COORDENADORA DE PROJETOS EDUCACIONAIS

Leia mais

Escola de Evangelização Maria de Nazaré. SEFUARTE Semeando o Futuro com Arte - 2003. Tema: Nas Pegadas do Mestre

Escola de Evangelização Maria de Nazaré. SEFUARTE Semeando o Futuro com Arte - 2003. Tema: Nas Pegadas do Mestre Escola de Evangelização Maria de Nazaré SEFUARTE Semeando o Futuro com Arte - 2003 Tema: Nas Pegadas do Mestre Oficina de Artes Plásticas 1 Bel e Maria Isabel 2 Ludmila e Cristiane Portella Parábola: Semeador

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As histórias do Senhor Urso. 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): Brincando num dia frio. 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio explora

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

Mão na roda. Projetos temáticos

Mão na roda. Projetos temáticos Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Educação infantil Publicado em 2011 Projetos temáticos Educação Infantil Data: / / Nível: Escola: Nome: Mão na roda Justificativa A origem da invenção da

Leia mais

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé MÚSICAS Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé Hino da Praznik Do Fá Gosto de aqui estar Sol Do E contigo brincar E ao fim vou arranjar

Leia mais

3. Encaminhamento metodológico e sugestões de atividades complementares

3. Encaminhamento metodológico e sugestões de atividades complementares 3. Encaminhamento metodológico e sugestões de atividades complementares UNIDADE 1 BICHO E GENTE, CADA UM TEM UM JEITO DIFERENTE! A proposta deste tema é estimular a criança a perceber as diferenças existentes

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE Vera Lucia Conrado de Oliveira¹; Maria Zildaneide Gonzaga²; Elda Cristiane de Souza Lima³ ESCOLA SENADOR PAULO GUERRA/CABROBÓ-PE lucinhaconrado.77@gmail.com;

Leia mais

Tema 6: Vocação - nova relação Deus nos brindou com um coração marista

Tema 6: Vocação - nova relação Deus nos brindou com um coração marista Tema 6: Vocação - nova relação Deus nos brindou com um coração marista DEUS NOS BRINDOU COM UM CORAÇÃO MARISTA Herdeiros do carisma marista A vocação como memória do carisma. Dom para acolher e fazer crescer.

Leia mais

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Não se aprende por exercícios, mas por práticas significativas. Essa afirmação fica quase óbvia se pensarmos em como uma

Leia mais

Centro Universitário Municipal de São José - USJ. Acadêmica: : Monique Cristina Gelsleuchter

Centro Universitário Municipal de São José - USJ. Acadêmica: : Monique Cristina Gelsleuchter Centro Universitário Municipal de São José - USJ Acadêmica: : Monique Cristina Gelsleuchter Orientadora: Profª. MSc Roberta Schnnor Buehring Objetivo Geral Analisar situações cotidianas da Educação Infantil,

Leia mais

PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013

PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013 PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013 ESCOLA: 1ºANO OBJETIVO GERAL OBJETIVO ESPECIFICOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA Construir com o educando sobre a importância da sua existência e os cuidados

Leia mais

Só viverá o homem novo, não importa quando, um dia, se os que por ele sofremos formos capazes de ser semente e flor desse homem.

Só viverá o homem novo, não importa quando, um dia, se os que por ele sofremos formos capazes de ser semente e flor desse homem. Só viverá o homem novo, não importa quando, um dia, se os que por ele sofremos formos capazes de ser semente e flor desse homem. Thiago de Mello Alimentação saudável na escola: um direito humano IV Encontro

Leia mais

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80.

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80. 1ª Aula a) Cumprimentar cada criança cantando seu nome e dando um beijinho com fantoche. Nas primeiras aulas use sempre um fantoche na hora do cumprimento para ganhar a aproximação do aluno. Depois pode

Leia mais

DE PAIS 1º SEMESTRE DE

DE PAIS 1º SEMESTRE DE NOSSA FAMÍLIA Escola de Educação Infantil Ltda. REUNIÃO DE PAIS 1º SEMESTRE DE 2015 Mirian Claro de Oliveira Especialista em Neuroaprendizagem, Psicomotricidade, Psicopedagogia, Pedagogia A Importância

Leia mais

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro O meu brinquedo é um livro é um projecto de promoção da leitura proposto pela Associação

Leia mais

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação.

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação. Colégio Tutto Amore Colégio Sapience Carinho, Amor e Educação. Trabalhamos com meio-período e integral em todos os níveis de ensino. www.tuttoamore.com.br Nossa História No ano de 1993 deu-se o ponto de

Leia mais

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ ALVES, T. C.²; RENK, E. F.³; LEÃO, T.J.E. 4 ¹ Trabalho desenvolvido na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado II Espaços

Leia mais

Relatório trimestral circunstanciado das atividades desenvolvidas

Relatório trimestral circunstanciado das atividades desenvolvidas Relatório trimestral circunstanciado das atividades desenvolvidas Conveniada: Prefeitura Municipal de Osvaldo Cruz SP Programa de Proteção Social: Básica Meses/ano: Janeiro/ Fevereiro/ Março de 2013 Executor:

Leia mais

PROJETO MÚSICA NA ESCOLA

PROJETO MÚSICA NA ESCOLA Rede Salesiana de Escolas. Entusiasmo diante da vida. PROJETO MÚSICA NA ESCOLA Escola: Nossa Senhora Auxiliadora Níveis de Ensino: Fundamental II Coordenação Pedagógica: Maria das Graças L. N. Ferreira

Leia mais

Projeto de intervenção

Projeto de intervenção Projeto de intervenção Tema: trabalhando com artes na educação infantil. Por: Cristiane Salvador Batista¹ Vivalda de Jesus Souza² INTRODUÇÃO Pretende-se por meio deste projeto Trabalhando Com Artes Na

Leia mais

CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL OU NOS ANOS INICIAIS DO EF / EJA

CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL OU NOS ANOS INICIAIS DO EF / EJA 1 FACULDADE DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E LETRAS CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO ACADÊMICO INTERDISCIPLINAR VII: CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL OU NOS ANOS INICIAIS DO EF / EJA Autor: Rejane Beatriz

Leia mais

Blog Cantinho do Saber

Blog Cantinho do Saber Escola: Professora: Turma: Turno: Data: / / Duração: Ptojeto Para o Natal 1. Público alvo: Crianças da Educação Infantil 2. Duração: Uma Semana 3. Objetivos Desenvolver a linguagem oral; Estimular a criatividade;

Leia mais

Na sala de aula com as crianças

Na sala de aula com as crianças O CD Rubem Alves Novas Estórias, volume 3, abre novas janelas de oportunidade para quem gosta da literatura. Através do audiolivro podemos apreciar encantadoras histórias e deixar fluir a imaginação. Rubem

Leia mais

Planificação Anual da Sala dos 5anos

Planificação Anual da Sala dos 5anos Nome do Aluno: Janine Colaço Reis Planificação Anual da Sala dos 5anos Calendarizaçã o (mês) Áreas de conteúdo/ Conteúdos Curriculares Competências Situações de aprendizagem/ Estratégias Recursos Humanos/

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos.

Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos. Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos. Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Adecir Pozzer UFSC e GPEAD/FURB pozzeradecir@hotmail.com

Adecir Pozzer UFSC e GPEAD/FURB pozzeradecir@hotmail.com Adecir Pozzer UFSC e GPEAD/FURB pozzeradecir@hotmail.com O percurso do ER no Brasil passou por diferentes formas de viabilidade e expressão, correspondentes ao respectivo contexto histórico, político e

Leia mais

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA INICIANDO A CONVERSA APROFUNDANDO O TEMA Por que ensinar gêneros textuais na escola? Registro

Leia mais

PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. UEPB E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br Aldeci Luiz de Oliveira Profa. Dra. PMCG E-mail:

Leia mais

Congada PROJETOS CULTURAIS. e ucáçá~o I fa til. Justificativa

Congada PROJETOS CULTURAIS. e ucáçá~o I fa til. Justificativa Congada e ucáçá~o I fa til Justificativa PROJETOS CULTURAIS O Brasil é um país com grande diversidade étnica e cultural. É preciso dar importância e valorizar a cultura dentro e fora da escola, criando

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM: CANTIGAS INFANTIS E SUA CONTRIBUIÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM: CANTIGAS INFANTIS E SUA CONTRIBUIÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS O LÚDICO NA APRENDIZAGEM: CANTIGAS INFANTIS E SUA CONTRIBUIÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS Elisângela da Silva França -Professora da Rede Estadual/MT COEDUC/UNEMAT Joeli Auxiliadora França Ramos

Leia mais

TÍTULO: COMO INTERLIGAR OS LIVROS DE LITERATURA INFANTIL COM OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS TRABALHADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

TÍTULO: COMO INTERLIGAR OS LIVROS DE LITERATURA INFANTIL COM OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS TRABALHADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL? Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: COMO INTERLIGAR OS LIVROS DE LITERATURA INFANTIL COM OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS TRABALHADOS NA

Leia mais

Recado aos Pais e Professores

Recado aos Pais e Professores Recado aos Pais e Professores A criança aprende fazendo. Um trabalho manual confeccionado logo após a história bíblica fixa os ensinos que a criança acabou de ouvir, e também é um lembrete visual do constante

Leia mais

A LINGUAGEM ESCRITA COMO UMA DAS MÚLTIPLAS

A LINGUAGEM ESCRITA COMO UMA DAS MÚLTIPLAS A LINGUAGEM ESCRITA COMO UMA DAS MÚLTIPLAS LINGUAGENS DA CRIANÇA Professor(a), no tema anterior, A criança de seis anos no ensino fundamental, falamos sobre quem são e como são essas crianças que ingressam

Leia mais

INCLUSÃO: PERSPECTIVAS E APRENDIZAGENS DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA MENTAL

INCLUSÃO: PERSPECTIVAS E APRENDIZAGENS DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA MENTAL 1 INCLUSÃO: PERSPECTIVAS E APRENDIZAGENS DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA MENTAL Siamara Meier 1 Elenice Ana Kirchner 2 Palavras-chave: Deficiência mental; inclusão; aprendizagem; 1 INTRODUÇÃO A Inclusão hoje

Leia mais

Guia do Professor Introdução

Guia do Professor Introdução Guia do Professor Introdução Pesquisas realizadas pelo SAEB (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica) mostram as dificuldades dos estudantes em resolver situações problemas. Essa situação é decorrente

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 6ºs Anos PROFESSOR: André

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade / Tema) Subdomínio / Conteúdos

Leia mais

Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 2. Contextualização. Educar e cuidar na Educação Infantil. Educar e cuidar. A importância do brincar

Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 2. Contextualização. Educar e cuidar na Educação Infantil. Educar e cuidar. A importância do brincar Educação Infantil: Procedimentos Teleaula 2 Prof. Me. Mônica Caetano da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Contextualização Pedagogia Educar e cuidar na Educação Infantil A partir da Constituição

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO Critérios de Avaliação Educação Pré Escolar Departamento Educação Pré Escolar Ano letivo 2013/2014 A avaliação do processo permite reconhecer a pertinência e sentido

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Londrina 2010 1 Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Relatório final

Leia mais

Exposição e relato de experiências de Objetos Educacionais Construção de Instrumentos Musicais Artesanais. Rio Verde GO

Exposição e relato de experiências de Objetos Educacionais Construção de Instrumentos Musicais Artesanais. Rio Verde GO EMEFTI PROFESSOR WALDYR EMRICH PORTILHO GESTORA: GERLIANESANTANA GOUVEIA CABRAL COORD. ÁREA: ARISTÓTELES MESQUITA DE LIMA NETTO PROFESSORA SUPERVISORA: ELIZANGELA F. RODRIGUES Exposição e relato de experiências

Leia mais

AS RELAÇÕES DAS CRIANÇAS PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS EM ATIVIDADES LÚDICAS: ABORDAGEM DA PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL

AS RELAÇÕES DAS CRIANÇAS PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS EM ATIVIDADES LÚDICAS: ABORDAGEM DA PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL AS RELAÇÕES DAS CRIANÇAS PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS EM ATIVIDADES LÚDICAS: ABORDAGEM DA PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL Atos Prinz Falkenbach. UNIVATES-Centro Universitário. Lajeado, Brasil.

Leia mais

PEDAGOGIA ENADE 2005 PADRÃO DE RESPOSTAS - QUESTÕES DISCURSIVAS COMPONENTE ESPECÍFICO

PEDAGOGIA ENADE 2005 PADRÃO DE RESPOSTAS - QUESTÕES DISCURSIVAS COMPONENTE ESPECÍFICO PEDAGOGIA ENADE 2005 PADRÃO DE RESPOSTAS - QUESTÕES DISCURSIVAS COMPONENTE ESPECÍFICO QUESTÃO 4 a) O conteúdo do diálogo a ser completado deve manifestar que as colocações da aluna não constituem aquilo

Leia mais

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL Viviane Cardoso¹ Resumo: O objetivo desse artigo é refletir como os ideais da pedagogia freireana tem contribuído para as práticas

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 1º BIMESTRE 3º ANO

LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 1º BIMESTRE 3º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 1º BIMESTRE 3º ANO 2010 QUESTÃO 1 Esta notícia apareceu

Leia mais

Pão, pão, pão. Estêvão Marques, Marina Pittier e Fê Sztok Ionit Zilberman. escrito por. ilustrado por

Pão, pão, pão. Estêvão Marques, Marina Pittier e Fê Sztok Ionit Zilberman. escrito por. ilustrado por elaboração: Tatiana Pita Mestre em Educação pela PUC (SP) Pão, pão, pão escrito por ilustrado por Estêvão Marques, Marina Pittier e Fê Sztok Ionit Zilberman 2 O encanto e as descobertas que o livro nos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Médio ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS (SP) Área de conhecimento: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: GEOGRAFIA Série

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014/2015

Plano Anual de Atividades 2014/2015 Mãos na Massa Plano Anual de Atividades 2014/2015 Equipa pedagógica do Centro de Educação de Infância Casa da Cruz Introdução O Plano Anual de Atividades é um documento orientador de uma dinâmica comum

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA Encontro Nacional de Educação Matemática A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA Thiarla avier Dal-Cin Zanon Prefeitura Municipal de Castelo/ES Universidade

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL

ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Ione Rossi Ribeiro Professora de Artes da APAE de Tupaciguara, graduada em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Uberlândia e pós-graduada em Educação Especial pelas Faculdades

Leia mais

AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA: LINGUAGEM ESCRITA E ORAL

AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA: LINGUAGEM ESCRITA E ORAL AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA: LINGUAGEM ESCRITA E ORAL Ana Virgínia Carvalho Moreira * Emanuela Maciel Cariri dos Santos * Fabiana Sousa dos Anjos * Geovânio Alves da Silva * Jardel Britto Ferreira *

Leia mais

Alfabetização e letramento. Professora : Jackeline Miranda de Barros

Alfabetização e letramento. Professora : Jackeline Miranda de Barros Alfabetização e letramento Professora : Jackeline Miranda de Barros O que é alfabetização? O que é letramento? Qual o melhor método? Como alfabetizar? Para início de conversa, vamos exercitar nossa memória...

Leia mais

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY.

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. Silvana da Silva Nogueira (FECLESC/UECE) Priscila Cavalcante Silva (FECLESC/UECE) Resumo O processo de aquisição

Leia mais

O dia a dia na Educação Infantil

O dia a dia na Educação Infantil - SEPesq Ninon Rose Medeiros dos Santos Graduanda em Pedagogia UniRitter ninon_medeiros@hotmail.com Vanina Machado Petenuzzo Graduanda em Pedagogia UniRitter vanina_machado@hotmail.com Orientadora Andrea

Leia mais

CONTEÚDO ANUAL 2016 OBJETIVOS GERAIS:

CONTEÚDO ANUAL 2016 OBJETIVOS GERAIS: CONTEÚDO ANUAL 2016 SEGMENTO: Ensino Fundamental I SÉRIE: 1º ano OBJETIVOS GERAIS: Criar condições para o desenvolvimento integral das crianças, considerando as possibilidades de aprendizagem que apresentam,

Leia mais

Nas páginas a seguir, encontram-se as letras de todas as canções do CD Natal Brincante. Cante com o Bando de Brincantes!

Nas páginas a seguir, encontram-se as letras de todas as canções do CD Natal Brincante. Cante com o Bando de Brincantes! Nas páginas a seguir, encontram-se as letras de todas as canções do CD Natal Brincante. Cante com o Bando de Brincantes! Adquira seu CD nas Lojas Multisom ou entre em contato com a gente. Bate o Sino (folclore

Leia mais

Sejam bem vindos ao ano letivo de 2016! EDUCAÇÃO INFANTIL

Sejam bem vindos ao ano letivo de 2016! EDUCAÇÃO INFANTIL Colégio Amorim / Santa Teresa Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Rua Lagoa Panema, 466 Vila Guilherme Fone: 2909-1422 Diretoria de Ensino Região Centro Sejam bem vindos ao ano letivo

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Histórias do Senhor Urso. 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S) O Circo. 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio O circo faz parte da série

Leia mais

Unidade I PRÁTICAS E PROJETOS DO. Profa. Ana Cláudia Barreiro Nagy

Unidade I PRÁTICAS E PROJETOS DO. Profa. Ana Cláudia Barreiro Nagy Unidade I PRÁTICAS E PROJETOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Profa. Ana Cláudia Barreiro Nagy Práticas e Projetos do Ensino Fundamental Contribuindo para o desenvolvimento de cidadãos autônomos, participativos

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral Advento 2014 (Campanha de Preparação para o Natal) A ALEGRIA E A BELEZA DE VIVER EM FAMÍLIA. O tempo do Advento, que devido ao calendário escolar

Leia mais

O g É um Gato Enroscado

O g É um Gato Enroscado O g É um Gato Enroscado Editorial Caminho, 1.ª ed., 2003; 2.ª ed., 2007 Guião de trabalho para professores do Ensino Básico I. Breve introdução à leitura da obra O g É um Gato Enroscado (Caminho, 2003)

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA. Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br

A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA. Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br Resumo: o presente trabalho cujo tema é a Evolução do desenho da criança teve por objetivo identificar o processo

Leia mais

PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO

PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO Apresentação da Disciplina O Ensino Religioso busca a valorização do pluralismo e a diversidade cultural. Sendo assim ele faz parte dos patrimônios

Leia mais