Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro"

Transcrição

1 Unidade I Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

2 Introdução A disciplina Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil tem o objetivo de provocar reflexões sobre: a formação de professores; as relações entre o histórico e as funções da educação infantil; as alternativas para a educação infantil e os diversos contextos socioculturais das crianças;

3 Introdução a importância da intervenção educacional desde os primeiros anos de vida para a formação da cidadania; o reconhecimento de um currículo para a p educação infantil adequado à ampliação da aprendizagem das crianças.

4 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil De acordo com Zilma Ramos de Oliveira, historicamente, a formação dos professores de educação infantil tem sido pobre ou praticamente inexistente, pois acompanha o tipo de atendimento dado nas instituições.

5 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil O modelo escolar atual apresentado em vários tipos de documentos defende a formação de professores polivalentes. Ser polivalente significa que um mesmo p g q professor desenvolva todos os tipos de atividades com as crianças, tanto as rotineiras quanto as educacionais.

6 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil O caráter polivalente do professor envolve um trabalho pedagógico com a criança de maneira integral, percebendo-a como um ser inteiro e não compartimentado por áreas de conhecimento.

7 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil Ser polivalente é saber mediar o conhecimento em todas as situações.

8 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil O professor de educação infantil deve ser preparado, em sua formação, para mediar situações de aprendizagem de maneira sistematizada, procurando objetivos que sejam adequados à idade, ao desenvolvimento das crianças e ao contexto social, cultural, econômico do qual elas façam parte.

9 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil Ser mediador da aprendizagem também é saber problematizar. Problematizar as situações de aprendizagem requer a habilidade de questionar determinados aspectos dentro das perguntas da criança.

10 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil No Brasil, havia uma discussão sobre a formação de professores em nível superior. Questionava-se se a qualidade do trabalho docente melhoraria. Atualmente, está estabelecido por lei que a formação do professor deve se dar em cursos superiores, posteriormente à formação no ensino médio, porém não é o suficiente para garantir qualidade no atendimento às crianças.

11 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil Não basta que os cursos de formação de professores simplesmente passem a ser ministrados no ensino superior, mas devese garantir que o profissional em formação consiga estabelecer relações entreateoria estudada e o cotidiano da sala de aula. Sem reflexão, o professor continuará executando um trabalho automático, repetitivo e, muitas vezes, copiando modelos anteriores.

12 Unidade 1 A Formação de Professores para a Educação Infantil Ao assumir uma postura reflexiva, o professor tem sua atenção focada em sua contínua formação, importando-se, portanto, com a melhora da qualidade do trabalho no ambiente educativo desse nível de ensino. Ao refletir, o professor também imprimirá intencionalidade ao seu trabalho.

13 Interatividade O profissional de educação infantil, como parceiro mais experiente, deve mediar o conhecimento para as crianças. Mediar é: a) Propiciar aprendizagem em ambiente formal e sério para a criança concentrar-se. b) Ajudar a criança a memorizar conceitos importantes para o ensino fundamental. c) Proporcionar situações de aprendizagem nas quais a criança faz suas descobertas. d) Participar das atividades das crianças, dando respostas para todas as suas questões. e) Oferecer ajuda constante, mesmo que a criança não necessite.

14 Unidade I - A Formação de Professores e sua Relação com os Objetivos da Educação Infantil Ainda sobre a formação dos professores, percebe-se grande relação com os objetivos assumidos pela educação infantil, e como houve grande período no qual a função das escolas era assistencialista, a maior parte dos profissionais que atua nesse nível de ensino é de mulheres.

15 Unidade I - A Formação de Professores e sua Relação com os Objetivos da Educação Infantil Com uma maioria feminina, muitas vezes há contradição no viver o papel de professora, que se confunde com o papel de mãe. Essa atuação é polêmica no sentido mais teórico, mas originou o que se chama de formação leiga, ou seja, a formação do profissional na prática.

16 Unidade I - A Formação de Professores e sua Relação com os Objetivos da Educação Infantil Por isso, algumas pesquisas têm se voltado a pontos pertinentes e que oferecem contribuição para que se entenda a formação do profissional de educação infantil: formação inicial; formação continuada; formação leiga (saberes não formação leiga (saberes não formalmente expressos).

17 Unidade I - A Formação de Professores e sua Relação com os Objetivos da Educação Infantil É preciso entender como se deu a formação do profissional de educação infantil para aprimorá-la, de acordo com as leis que regem as instituições desse nível de ensino e seus objetivos.

18 Unidade 1 - Funções e Objetivos da Educação Infantil O professor de educação infantil deve ser formado para atuar em escolas com objetivos específicos para esse nível de ensino.

19 Unidade 1 - Funções e Objetivos da Educação Infantil A Lei nº estabelece como educação infantil o atendimento de crianças em creches (até 3 anos) e préescolas (4 a 6 anos), níveis de ensino integrantes da educação básica. Atualmente, o ensino fundamental é composto por um período de nove anos, e no primeiro atende crianças de seis anos, que anteriormente faziam parte do último ano da educação infantil.

20 Unidade 1 - Funções e Objetivos da Educação Infantil A educação infantil é importante para o desenvolvimento da criança desde os primeiros meses, e embora haja uma discussão sobre o seu objetivo em termos de atendimento, se assistencialista ou pedagógico, é necessário o equilíbrio, pois uma ação não ocorre sem a outra.

21 Unidade 1 - Funções e Objetivos da Educação Infantil São possíveis várias alternativas de programas para a educação infantil, com vários tipos de objetivos, mantendo um mínimo de critério, tornando esse nível de ensino democrático, ou seja, que crianças de qualquer situação socioeconômica encontrem uma escola de qualidade, não excludente, com oportunidades semelhantes a toda a população infantil.

22 Unidade I - A Criação das Instituições de Educação Infantil Há uma série de questionamentos sobre a infância, a função da creche (basicamente assistencialista) e a préescola (preparatória para o ensino fundamental). Essa ideia parece partir do pressuposto de que uma criança de creche ainda não iniciou suas aprendizagens e a criança de quatro a seis anos já não precisa mais que um adulto lhe destine uma série de cuidados.

23 Unidade I - A Criação das Instituições de Educação Infantil Atualmente, sabe-se que para que as instituições de educação infantil atendam às necessidades da criança, dentro das novas concepções de infância, precisam preocupar-se p com a aprendizagem de novos conhecimentos, respeitando aquilo que a criança já conhece, num ambiente de segurança física e emocional, pois cuidado e afeto não podem ser descartados.

24 Unidade I - A Criação das Instituições de Educação Infantil Essa polêmica entre atendimento assistencialista ou pedagógico é fruto da história das instituições de educação Infantil, de acordo com as informações a seguir.

25 Unidade I - A Criação das Instituições de Educação Infantil As primeiras instituições surgiram da necessidade das mães de saírem de seus trabalhos caseiros e artesanais e ingressarem como mão de obra nas fábricas, no período da Revolução Industrial.

26 Unidade I - A Criação das Instituições de Educação Infantil A função e os objetivos da escola de educação infantil sempre estiveram ligados às necessidades sociais e econômicas, bem como a formação de seus professores. Algumas instituições desenvolviam um trabalho de caráter mais educativo, pois acreditavam que as crianças precisavam de ensinamentos morais, religiosos e o desenvolvimento de habilidades manuais.

27 Interatividade Um avanço a ser considerado na LDB em vigor, acerca da educação infantil, consiste: a) Na educação infantil ser considerada a primeira etapa do ensino médio. b) Na escola para a criança de 4 a 6 anos ser denominada pré-escola e ter a função de prepará-la para o ensino fundamental. c) Na prioridade da função assistencialista, abrangendo creches e pré-escolas. d) Em ter como objetivo o desenvolvimento integral da criança. e) Na escola de educação infantil ter função exclusivamente assistencialista.

28 Unidade I - Os Precursores da Educação Infantil Na intenção de um trabalho educativo, vários teóricos deram suas contribuições: Comênio ( ): plano pedagógico para escola maternal (crianças menores de 6 anos) recursos audiovisuais. Rousseau ( ): A criança não é adulto em miniatura. Froebel: foi o criador dos jardins da Froebel: foi o criador dos jardins da infância.

29 Unidade I - Os Precursores da Educação Infantil Decroly ( ): criador dos centros de interesse, que propunha um tema específico em torno do qual se integram todos os conteúdos. Maria Montessori ( ): médica italiana que desenvolveu um método com ênfase no desenvolvimento biológico, a princípio para portadores de síndromes ou dificuldades cognitivas e depois adaptado a todo tipo de criança.

30 Unidade I - Os precursores da educação infantil Vygotsky: a aprendizagem se dá pela interação social. Wallon: a afetividade permeia a construção da autoimagem. Freinet ( ): entre várias técnicas, criou o Método Natural para alfabetização.

31 Unidade I - Os Precursores da Educação Infantil Constance Kamii: precursora do Construtivismo, com estudos na área da matemática. Emília Ferreiro: precursora do p Construtivismo, com pesquisa sobre a leitura e a escrita.

32 Unidade I - Os Precursores da Educação Infantil Além desses grandes nomes, os estudos da área da sociologia (a importância da estrutura social nas oportunidades cotidianas da criança) e da antropologia (as concepções e práticas educativas dependem da cultura) proporcionaram a percepção de criança como sujeito único, integral.

33 Unidade I - Alternativas CurRiculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Os vários estudos sobre a infância, somados à necessidade das famílias de disporem de locais que acolhessem as crianças com qualidade durante a jornada de trabalho dos responsáveis, levaram à preocupação de estabelecer critérios mínimos de qualidade no atendimento às crianças.

34 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças O RCNEI é um documento elaborado por uma comissão do Ministério da Educação e Cultura (MEC) que objetiva principalmente a melhoria da qualidade das escolas, pois leva ao professor elementos básicos que podem adaptar-se a qualquer tipo de realidade, social, cultural, econômica.

35 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Ele está organizado em três volumes, que serão apresentados nesta disciplina, em forma de síntese, uma vez que o material é muito extenso. Apesar disso, é indispensável que o professor, em sua Formação, conheça, leia e utilize-o constantemente em sua totalidade.

36 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Características do RCNEI Conjunto de referências e orientações para a ação pedagógica que possam contribuir para a melhoria da qualidade da educação infantil brasileira.

37 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Todo professor enfrenta um tipo de contexto na sua turma de alunos, inserido em uma escola que carrega uma bagagem social, cultural e econômica muito específica.

38 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Para que o professor desenvolva um trabalho pedagógico g com o mínimo de qualidade, deve partir dessas premissas e refletir sobre as suas concepções de criança e educação.

39 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Algumas considerações sobre creches e pré-escolas A educação infantil apresentou concepções divergentes: compensatória, assistencialista, cuidados físicos, entre outras. Toda proposta educacional veicula concepções sobre criança, educar, cuidar e aprendizagem, cujos fundamentos são considerados explicitamente.

40 Interatividade O RCNEI é um documento do MEC e se apresenta da seguinte forma: a) Um conjunto de referências para a ação pedagógica a fim de contribuir para a melhoria da qualidade da educação infantil brasileira. i b) Documento curricular para utilização obrigatória nas escolas de educação infantil. c) Em cinco volumes distribuídos em Objetivos, Introdução, Conteúdos, Avaliação e Conceitos. d) Em três volumes distribuídos em eixos de conhecimento: matemática, música e arte. e) Um conjunto de documentos teóricos que não ajudam o professor em seu trabalho.

41 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução A criança Sujeito social e histórico, parte de uma família dentro de uma sociedade.

42 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sócio-cultural e às Características das Crianças Possui natureza singular, sente e pensa o mundo de um jeito muito próprio. Constrói o conhecimento a partir das interações com o meio e outras pessoas.

43 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Educar Cuidar

44 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Brincar Aprender em situações orientadas

45 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Organização do RCNEI Organização por idades: de zero a três anos e de quatro a seis.

46 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Organização do RCNEI Organização em âmbitos e eixos: âmbito de formação pessoal e social (identidade e autonomia) Âmbito de conhecimento de mundo (movimento, artes visuais, música, linguagem oral e escrita, natureza e sociedade e matemática).

47 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Componentes curriculares: objetivos: definidos em termos de capacidades, e não de comportamentos; conteúdos: conceituais (dependem das experiências), procedimentais (saber fazer) e atitudinais (valores normas atitudes).

48 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Orientações didáticas: Organização do tempo: atividades permanentes; sequência de atividades; projetos de trabalho. O i ã d l ã d Organização do espaço e seleção dos materiais (necessidade do trabalho).

49 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução Objetivos Gerais da Educação Infantil Autoimagem positiva; potencialidades e limites; estabelecer vínculos afetivos; ampliar relações sociais (respeito à diversidade); transformar o ambiente (conservação); expressar sentimentos e ideias; utilizar diferentes linguagens; conhecer manifestações culturais.

50 Unidade I - Alternativas Curriculares Adequadas à Realidade Sociocultural e às Características das Crianças Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume I Introdução A instituição e o projeto educativo Condições externas: características socioculturais da comunidade. Condições internas: ambiente institucional.

51 Interatividade O RCNEI apresenta as seguintes concepções de criança e educação: a) Os cuidados são de ordem física e não têm relação com a aprendizagem. b) A criança é um sujeito social, histórico, singular e constrói seu conhecimento a partir de interações com o meio e com as pessoas. c) Educar e cuidar são ações muito distintas. d) As situações orientadas são atividades de alfabetização. e) As brincadeiras e as situações orientadas de aprendizagem são momentos bastante diferentes.

52 ATÉ A PRÓXIMA!

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova.

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova. 12. As concepções de educação infantil Conforme OLIVEIRA, a educação infantil no Brasil, historicamente, foi semelhante a outros países. No Séc. XIX tiveram iniciativas isoladas de proteção à infância

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: RCNEI. Políticas. História. Educação. Infância.

PALAVRAS CHAVE: RCNEI. Políticas. História. Educação. Infância. PERSPECTIVAS DA CONCEPÇÃO DE INFÂNCIA NA DÉCADA DE 90 NOS REFERENCIAIS CURRICULARES NACIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Lisboa Andrade 1 Armindo Quillici Neto 2 RESUMO O objetivo desse trabalho é apresentar

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS Thyanna Silva dos Passos (Graduada/UFRB) Resumo Este trabalho tem como objetivo analisar a formação de professores e sua atuação na sala

Leia mais

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual:

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Educação Especial no Espaço da Escola Especial Trabalho, Emprego e Renda Autogestão, Autodefesa e Família APAE : INTEGRALIDADE DAS AÇÕES NO CICLO

Leia mais

Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil

Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Professora conteudista: Ana Lúcia Gasbarro Sumário Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Unidade I 1 EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTEXTO

Leia mais

AFROBRASILIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR PEDAGÓGICO À DIVERSIDADE

AFROBRASILIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR PEDAGÓGICO À DIVERSIDADE AFROBRASILIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR PEDAGÓGICO À DIVERSIDADE Patrícia da Silva Souza Graduanda de Pedagogia pela UEPB pipatricia278@gtmail.com Kátia Anne Bezerra da Silva Graduanda em Pedagogia

Leia mais

REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL

REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL INSTITUIÇÃO SINODAL DE ASSINTÊNCIA, EDUCAÇÃO E CULTURA - ISAEC ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL SINODAL SETE DE SETEMBRO NÃO-ME-TOQUE /RS REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL 1 SUMÁRIO 1- CARACTERIZAÇÃO DA

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A PROPOSTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: OBSERVAÇÃO PARTICIPATIVA NO ESTÁGIO Monica Isabel

Leia mais

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA.

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Autor (1)Suzânia Maria Pereira de Araújo; Autor (2) Eleilde de Sousa Oliveira; Orientador (1)Denise Silva

Leia mais

INTRODUÇÃO. Currículo e Educação Infantil

INTRODUÇÃO. Currículo e Educação Infantil INTRODUÇÃO Currículo e Educação Infantil A Educação Infantil é dever e obrigação do Estado e responsabilidade política e social da sociedade e não apenas daqueles que vivenciam a realidade escolar, utilizando-se

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Maria dos Prazeres Nunes 1 INTRODUÇÃO No Brasil a expansão da educação ocorre de forma lenta, mas, crescente nas últimas décadas. Com base nas determinações

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL E LEGISLAÇÃO: UM CONVITE AO DIÁLOGO

EDUCAÇÃO INFANTIL E LEGISLAÇÃO: UM CONVITE AO DIÁLOGO Secretaria Municipal de Educação maele_cardoso@hotmail.com Introdução A Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, constitui se no atendimento de crianças de 0 a 5 anos de idade, em instituições

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE ALMEIDA, Rozelaine Rubia Bueno D 1 Resumo Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre as mudanças na legislação do Ensino

Leia mais

Carolina Romano de Andrade Mestre em Artes-UNICAMP Faculdade Integradas de Bauru-FIB Coordenadora de Pós Graduação

Carolina Romano de Andrade Mestre em Artes-UNICAMP Faculdade Integradas de Bauru-FIB Coordenadora de Pós Graduação 1 Processo de formação de professores um olhar para a dança. Carolina Romano de Andrade Mestre em Artes-UNICAMP Faculdade Integradas de Bauru-FIB Coordenadora de Pós Graduação A Constituição Federal de

Leia mais

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL 2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL Ao conceber as instituições de Educação Infantil como espaços onde ocorre o processo educativo, processo este pelo qual os homens apropriam-se do desenvolvimento

Leia mais

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓTICA. Profa. Me. Michele Costa

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓTICA. Profa. Me. Michele Costa O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓTICA Profa. Me. Michele Costa CONVERSAREMOS SOBRE: CONCEITOS DE PLANEJAMENTO CURRÍCULO EIXOS DE TRABALHO www.zaroio.com.br As Cem Linguagens da Criança. A criança

Leia mais

CONCEPÇÃO DE CUIDADO E EDUCAÇÃO:

CONCEPÇÃO DE CUIDADO E EDUCAÇÃO: 1 CONCEPÇÃO DE CUIDADO E EDUCAÇÃO: Ao longo dos tempos as mudanças nas evoluções educacionais possibilitaram que o educador construísse a sua identidade profissional, disponibilizando situações de aprendizagens

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS OFERECIDAS NO CURSO DE PEDAGOGIA Catálogo 2012

EMENTAS DAS DISCIPLINAS OFERECIDAS NO CURSO DE PEDAGOGIA Catálogo 2012 EP107 Introdução à Pedagogia Organização do Trabalho Pedagógico Ementa: O objetivo das ciências da educação. O problema da unidade, especificidade e autonomia das ciências da educação. A educação como

Leia mais

3º período -1,5 horas. Ementa

3º período -1,5 horas. Ementa Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil 3º período -1,5 horas Ementa Organização da escola de educação infantil. Planejamento, registro e avaliação da educação infantil. Fundamentos e métodos

Leia mais

Pedagogia Profª Luciana Miyuki Sado Utsumi. Roteiro. Perfil profissional do professor

Pedagogia Profª Luciana Miyuki Sado Utsumi. Roteiro. Perfil profissional do professor Pedagogia Profª Luciana Miyuki Sado Utsumi Abordagens do Processo Educativo, Saberes Docentes e Identidade Profissional Roteiro Reflexões sobre o papel do professor da Educação Infantil Educar, Cuidar

Leia mais

JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007.

JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007. RESENHA REVIEW TEATRO E EDUCAÇÃO TEATHER AND EDUCATION JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007. Danielle Rodrigues de Moraes*

Leia mais

Formação e identidade profissional do/a professor/a da Educação infantil:

Formação e identidade profissional do/a professor/a da Educação infantil: Currículo da Educação Infantil e as atuais Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil 1. Educação Infantil: desafios e dilemas atuais 1 EC n 59/09 (obrigatoriedade do ensino dos 4 aos 17

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012 7 ANO TURMAS A e B Prof. Alexandre Magno Guimarães Ementa:

Leia mais

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE Unidade II ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Profa. Ana Lucia M. Gasbarro A formação pessoal e social da criança, áreas de conhecimento e desenvolvimento da criança Introdução A importância

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil

Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil Zilma de Moraes Ramos de Oliveira zilmaoliveira@uol.com.br Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa OBJETIVOS Discutir as implicações

Leia mais

Pensar a Base Nacional Comum e o currículo da Educação Infantil. Zilma de Moraes Ramos de Oliveira

Pensar a Base Nacional Comum e o currículo da Educação Infantil. Zilma de Moraes Ramos de Oliveira Pensar a Base Nacional Comum e o currículo da Educação Infantil Zilma de Moraes Ramos de Oliveira Os currículos da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio devem ter base nacional comum,

Leia mais

MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E A CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS PELA CRIANÇA DO MATERNAL. Cláudia Silva Rosa¹, Rosemara Perpetua Lopes²

MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E A CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS PELA CRIANÇA DO MATERNAL. Cláudia Silva Rosa¹, Rosemara Perpetua Lopes² A formação docente em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Educação Ambiental MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E A CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS PELA CRIANÇA DO MATERNAL Cláudia Silva Rosa¹, Rosemara Perpetua

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015.

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. DISPÕE SOBRE O FUNCIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DAS UNIDADES DE ENSINO DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE NOVA VENÉCIA-ES

Leia mais

FÓRUM SUL MINEIRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL- 2010

FÓRUM SUL MINEIRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL- 2010 FÓRUM SUL MINEIRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL- 2010 A Secretaria Municipal de Educação juntamente com a Prefeitura Municipal de Elói Mendes, dão as boas-vindas a todos os Profissionais da educação, autoridades

Leia mais

Projeto em Capacitação ao Atendimento de Educação Especial

Projeto em Capacitação ao Atendimento de Educação Especial Projeto em Capacitação ao Atendimento de Educação Especial Prof.: Sírio Chies Aluna: Talita Tichz TEMA: Educação Inclusiva. PROBLEMA: Quais são as situações, dificuldades e limitações enfrentadas pelos

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO RESOLUÇÃO CAS Nº 07 / 2007 De 05 de agosto de 2007 Reformula o Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia, a ser implantado a partir do 2º semestre do ano letivo de 2007. CONSIDERANDO

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE EDUCAÇÃO

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE EDUCAÇÃO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DA DISCIPLINA: EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS: PESQUISA E PRÁTICA CODICRED: 142AU-04 EMENTA: Caracterização, organização e gestão dos espaços não-formais na promoção da aprendizagem

Leia mais

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Turno: MATUTINO/NOTURNO MATUTINO CURRICULO Nº 1 NOTURNO CURRICULO Nº 1 Reconhecido pelo Decreto nº 3.554 de 15.02.01, D.O.E. de 16.02.01. Renovação de Reconhecimento

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) DE PEDAGOGIA (LICENCIATURA) 1. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades de

Leia mais

Objetivos gerais e conteúdos da educação infantil

Objetivos gerais e conteúdos da educação infantil Objetivos gerais e conteúdos da educação infantil Profa. Cláudia Yazlle 29 e 30/março/2011 Objetivos da aula de hoje Refletir sobre a identidade da educação infantil Conhecer os objetivos gerais da educação

Leia mais

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3.

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3. Resumo A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3 O trabalho apresentado é um relato de experiência que foi desenvolvida

Leia mais

O dia a dia na Educação Infantil

O dia a dia na Educação Infantil - SEPesq Ninon Rose Medeiros dos Santos Graduanda em Pedagogia UniRitter ninon_medeiros@hotmail.com Vanina Machado Petenuzzo Graduanda em Pedagogia UniRitter vanina_machado@hotmail.com Orientadora Andrea

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS No que se refere à relação entre educação e sociedade, julgue os Com relação às concepções pedagógicas, julgue os próximos itens. itens a seguir. 60 A vivência grupal na forma

Leia mais

Diário Oficial 31 32 Diário Oficial Resolução SE 52, de 2-10-2014

Diário Oficial 31 32 Diário Oficial Resolução SE 52, de 2-10-2014 sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 124 (187) 31 32 São Paulo, 124 (187) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Resolução

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Luiz Carlos Chiofi Universidade Estadual de Londrina - PDE luizquinzi@seed.pr.gov.br Marta Regina Furlan

Leia mais

MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA

MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA Professora Eliane Maria Freitas Monken (org) Belo Horizonte 2013 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 03 2 OBJETIVOS... 04 2.1 Objetivo

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Professora Maria Renata Alonso Mota Professora Suzane da Rocha Vieira IE/NEPE/FURG

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Professora Maria Renata Alonso Mota Professora Suzane da Rocha Vieira IE/NEPE/FURG CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Professora Maria Renata Alonso Mota Professora Suzane da Rocha Vieira IE/NEPE/FURG Esta apresentação foi organizada com o intuito de oferecer subsídios para a construção

Leia mais

DE PAIS 1º SEMESTRE DE

DE PAIS 1º SEMESTRE DE NOSSA FAMÍLIA Escola de Educação Infantil Ltda. REUNIÃO DE PAIS 1º SEMESTRE DE 2015 Mirian Claro de Oliveira Especialista em Neuroaprendizagem, Psicomotricidade, Psicopedagogia, Pedagogia A Importância

Leia mais

PROVA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AUXILIAR DE EDUCAÇÃO

PROVA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AUXILIAR DE EDUCAÇÃO PROVA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AUXILIAR DE EDUCAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA 1. Assinale a alternativa que contém a frase corretamente escrita com relação à concordância verbal. a) Atualmente somos nós que cuida

Leia mais

O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS NA VISÃO DO PROFESSOR

O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS NA VISÃO DO PROFESSOR O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS NA VISÃO DO PROFESSOR Francisca Helena Carlos- Graduanda do 7º período do Curso de Pedagogia CAP /UERN Maria Solange Batista da Silva Graduanda do

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2 1ª FASE 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL A Biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão neurológica nos processos básicos: os sentidos

Leia mais

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS:

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: Art. 3º - A Escola oferece os seguintes níveis de ensino: I. Educação Infantil: de 0 a 05 anos de idade. Educação Precoce de 0 a 03 anos Educação

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos da Educação Infantil Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 3º 1 - Ementa (sumário, resumo) Contextualização histórica,

Leia mais

Orientações Curriculares Nacionais para a Educação Infantil

Orientações Curriculares Nacionais para a Educação Infantil Orientações Curriculares Nacionais para a Educação Infantil Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Processo de revisão DCNEI Encontros Nacionais Reuniões Seminários Audiências Parcerias Perspectivas

Leia mais

A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL

A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL Resumo OLIVEIRA Luciana de FIGUEIRDEDO Anelice Maria banhara BANHARA Aline fátima BELTRAME Lisaura Maria Eixo Temático: Educação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Emylle Barros de Almeida Fonseca Aluna graduanda do curso de Pedagogia - CAMEAM- UERN Thais Chaves de Oliveira

Leia mais

IMPLANTANDO O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO

IMPLANTANDO O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA A GARANTIA DO PERCURSO ESCOLAR DO ALUNO NA CONVIVÊNCIA DOS DOIS REGIMES DE ENSINO: ENSINO FUNDAMENTAL COM DURAÇÃO DE OITO ANOS E ENSINO FUNDAMENTAL COM DURAÇÃO DE NOVE ANOS. IMPLANTANDO

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A PESQUISA COMO ESTRATÉGIA DIDÁTICA Caroline Vieira De Souza Costa Eixo 2 - Projetos e práticas

Leia mais

Avaliação da Educação Infantil no âmbito das políticas públicas

Avaliação da Educação Infantil no âmbito das políticas públicas Avaliação da Educação Infantil no âmbito das políticas públicas Sandra Zákia Sousa sanzakia@usp.br Rede Nacional Primeira Infância SEMINÁRIO NACIONAL CURRÍCULO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POLÍTICAS

Leia mais

9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA 9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA 9.1 ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO INDÍGENA 9.1.1 Objetivos gerais A Constituição Federal assegura às comunidades indígenas o direito de uma educação escolar diferenciada e a utilização

Leia mais

A ROTINA NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A ROTINA NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA A ROTINA NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Andréia Ap. Domingues Leite RA 20 143

Leia mais

LETRAMENTO, AMBIENTE E ORALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LETRAMENTO, AMBIENTE E ORALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL LETRAMENTO, AMBIENTE E ORALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL 42 Luciene Rodrigues Ximenes lrximenes@hotmail.com Pós-Graduada em Alfabetização, leitura e escrita pela UFRJ. Atualmente é professora e coordenadora

Leia mais

A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES: UM OLHAR CRÍTICO

A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES: UM OLHAR CRÍTICO A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES: UM OLHAR CRÍTICO Ivone Garcia Barbosa 1 Nancy Nonato de Lima Alves 2 Telma Aparecida Teles Martins 3 RESUMO: O presente estudo teórico apresenta reflexões

Leia mais

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Andréa Pereira de Souza Gestora da Formação Permanente na Secretaria Municipal de Educação do município de Mogi das Cruzes. Cintia

Leia mais

O PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: necessário ou desnecessário?

O PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: necessário ou desnecessário? O PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: necessário ou desnecessário? ANDRADE, Vanessa Rodrigues Coelho de. G. (UNIAMÉRICA) va22silva@hotmail.com; 1 OLIVEIRA, Aparecida Andréia de. G. (UNIAMÉRICA) apandreia@hotmail.com

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Edna Aparecida Pereira 1 Vanessa Rodrigues Ferreira 2 RESUMO A música na Educação Infantil vem atendendo a objetivos alheios a questões próprias dessa linguagem

Leia mais

Objetivos gerais e conteúdos da educação infantil

Objetivos gerais e conteúdos da educação infantil Objetivos gerais e conteúdos da educação infantil Profa. Cláudia Yazlle 22 e 23/março/2011 Objetivos da aula de hoje Refletir sobre as mudanças nas concepções e propostas de atendimento ao longo da história

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33 7//1 19:33 Centro de Ciências da Educação Curso: 9 Pedagogia (Noturno) Currículo: 11/ 1 CNA.157.-3 Biologia Humana Ementa: Natureza Biológica e Visão Sistêmica do Ser humano. Sistemas do corpo humano.

Leia mais

O CURRÍCULO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA NECESSÁRIA

O CURRÍCULO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA NECESSÁRIA 1 O CURRÍCULO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA NECESSÁRIA Joelma da Silva Moreira 1 Angela Maria Corso 2 RESUMO: O presente artigo, na condição de trabalho de conclusão de curso, pretende

Leia mais

O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas

O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas Vitória - ES A Carga de Trabalho dos Professores - Pode ser analisada

Leia mais

Unidade I PRÁTICAS E PROJETOS DO. Profa. Ana Cláudia Barreiro Nagy

Unidade I PRÁTICAS E PROJETOS DO. Profa. Ana Cláudia Barreiro Nagy Unidade I PRÁTICAS E PROJETOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Profa. Ana Cláudia Barreiro Nagy Práticas e Projetos do Ensino Fundamental Contribuindo para o desenvolvimento de cidadãos autônomos, participativos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio - ETIM FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2012

Ensino Técnico Integrado ao Médio - ETIM FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico Integrado ao Médio - ETIM FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2012 ETEC Código: Município: Eixo Tecnológico: Habilitação Profissional: Qualificação: C.H. Semanal: Professor:

Leia mais

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3;

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3; COMO ESTUDAR SE NÃO TENHO COM QUEM DEIXAR MEUS FILHOS? UM ESTUDO SOBRE AS SALAS DE ACOLHIMENTO DO PROJOVEM URBANO Rosilaine Gonçalves da Fonseca Ferreira UNIRIO Direcionado ao atendimento de parcela significativa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IGARAPÉ-AÇU ESTADO DO PARÁ EDITAL NORMATIVO DE CONCURSO Nº 001/2016

PREFEITURA MUNICIPAL DE IGARAPÉ-AÇU ESTADO DO PARÁ EDITAL NORMATIVO DE CONCURSO Nº 001/2016 EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2016 ERRATA 003/2016 A PREFEITURA MUNICIPAL DE IGARAPÉ-AÇU, Estado do PARÁ, no uso de suas atribuições, torna público, para conhecimento e esclarecimento dos interessados,

Leia mais

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PRÁTICA EM CONSTRUÇÃO

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PRÁTICA EM CONSTRUÇÃO AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PRÁTICA EM CONSTRUÇÃO Lima, Laís Leni Oliveira Silva, Daniele de Sousa Universidade Federal de Goiás- Campus Jataí laisleni@yahoo.com.br danielemtv@hotmail.com CONSIDERAÇÕES

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALVES, Ana Paula PUCPR SAHEB, Daniele PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo

Leia mais

Lei n.º 1428, de 27 de Dezembro de 1999

Lei n.º 1428, de 27 de Dezembro de 1999 1 Lei n.º 1428, de 27 de Dezembro de 1999 Institui normas para a oferta da educação infantil em Creches ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade de acordo com o art.30 da Lei

Leia mais

Creche Municipal Prof. Rafael Rueda PROJETO 1º BIMESTRE CONSTRUINDO A IDENTIDADE E AUTONOMIA

Creche Municipal Prof. Rafael Rueda PROJETO 1º BIMESTRE CONSTRUINDO A IDENTIDADE E AUTONOMIA Creche Municipal Prof. Rafael Rueda PROJETO 1º BIMESTRE CONSTRUINDO A IDENTIDADE E AUTONOMIA Diretora: Simone de Oliveira Sousa Coordenadora: Zilmari Barbalho Araujo Educadores: Ana Paula Pereira, Demilson

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO INFANTIL NA PERSPECTIVA DA FORMAÇÃO CIDADÃ

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO INFANTIL NA PERSPECTIVA DA FORMAÇÃO CIDADÃ CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO INFANTIL NA PERSPECTIVA DA FORMAÇÃO CIDADÃ Maria Rosângela Dias Pinheiro - URCA Campus Iguatu-CE. Email: rosangelapinheiroigt@hotmail.com Lucas Vieira de Lima

Leia mais

A DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL E A DE EDUCAÇÃO INFANTIL

A DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL E A DE EDUCAÇÃO INFANTIL 1 A DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL E A DE EDUCAÇÃO INFANTIL PACÍFICO, Juracy Machado/UNIR 1 RESUMO: O texto aborda a temática das diferenças étnico-raciais e socioculturais presentes também nas escolas de educação

Leia mais

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização.

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização. Educação Infantil: Procedimentos Teleaula 1 Prof. Me. Mônica Caetano da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Pedagogia Apresentação do Professor Pedagogia (PUCPr) Especialização em Psicopedagogia

Leia mais

Educação Infantil: Fundamentos. Teleaula 2. Contextualização. Educação Básica LDBEN 9394/96. Educação Infantil e Ensino Fundamental

Educação Infantil: Fundamentos. Teleaula 2. Contextualização. Educação Básica LDBEN 9394/96. Educação Infantil e Ensino Fundamental Educação : Fundamentos Teleaula 2 Prof. Me. Mônica Caetano da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Contextualização Pedagogia Educação e Ensino Segundo a LDBEN 9394/96, artigo 21, a educação escolar

Leia mais

Teorias de Currículo. Autora Rosa Fátima de Souza

Teorias de Currículo. Autora Rosa Fátima de Souza Teorias de Currículo Autora Rosa Fátima de Souza 2008 2007 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores e do detentor dos direitos

Leia mais

O ENSINO DA DANÇA E DO RITMO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIENCIA NA REDE ESTADUAL

O ENSINO DA DANÇA E DO RITMO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIENCIA NA REDE ESTADUAL O ENSINO DA DANÇA E DO RITMO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIENCIA NA REDE ESTADUAL Márcio Henrique Laperuta 1 Rodrigo Santos2 Karina Fagundes2 Erika Rengel2 UEL- Gepef-Lapef-PIBID RESUMO

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA 1 RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/015/2011. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA Aprova o Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia/Primeira Licenciatura da Universidade Estadual da Paraíba. O

Leia mais

PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. UEPB E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br Aldeci Luiz de Oliveira Profa. Dra. PMCG E-mail:

Leia mais

A TÉCNICA RODÍZIO DE PAINÉIS

A TÉCNICA RODÍZIO DE PAINÉIS A TÉCNICA RODÍZIO DE PAINÉIS Oscar Medeiros Filho oscarfilho@usp.br AMAN/ AEDB RESUMO O mundo passa por um período de rápidas transformações socioculturais. Impulsionadas pelo crescimento exponencial do

Leia mais

O professor de Arte e a Educação Inclusiva: Cotidianos, vivências.

O professor de Arte e a Educação Inclusiva: Cotidianos, vivências. O professor de Arte e a Educação Inclusiva: Cotidianos, vivências. TAVARES, Tais B. Rutz 1 ; MEIRA, Mirela R. 2 Resumo: Este artigo adota uma perspectiva de que a educação inclusiva é um processo em construção,

Leia mais

Questões matemáticas na Educação Infantil

Questões matemáticas na Educação Infantil Questões matemáticas na Educação Infantil Priscila Meier de Andrade Rita de Cássia da Luz Stadler Guataçara Santos Junior Resumo Este artigo busca apresentar as necessidades da criança de educação infantil

Leia mais

Epistemológica por que tem fontes de conhecimentos científicos que sustentam o jogo como fator de desenvolvimento.

Epistemológica por que tem fontes de conhecimentos científicos que sustentam o jogo como fator de desenvolvimento. INTRODUÇÃO É papel da educação é formar pessoas críticas e criativas, que criem, inventem, descubra, que sejam capazes de construir conhecimento. Não devendo aceitar simplesmente o que os outros já fizeram,

Leia mais

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA...

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... JUSTIFICATIVA Desde o nascimento a criança está imersa em um contexto social, que a identifica enquanto ser

Leia mais

PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2

PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2 PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2 Resumo Este artigo aborda o projeto TV Cedro Rosa, desenvolvido na Escola Municipal de

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

UM OLHAR PARA A INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTRIBUIÇÕES DAS POLÍTICAS INCLUSIVAS NESSA MODALIDADE DE ENSINO

UM OLHAR PARA A INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTRIBUIÇÕES DAS POLÍTICAS INCLUSIVAS NESSA MODALIDADE DE ENSINO UM OLHAR PARA A INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTRIBUIÇÕES DAS POLÍTICAS INCLUSIVAS NESSA MODALIDADE DE ENSINO BONDARENCO, Priscila Freire 1 pri_bondarenco@hotmail.com TOYSHIMA, Ana Maria da

Leia mais