Principais destaques do 1T09 e eventos subsequentes relacionados aos projetos da LLX:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Principais destaques do 1T09 e eventos subsequentes relacionados aos projetos da LLX:"

Transcrição

1 Rio de Janeiro, 15 de maio de 2009 A LLX Logística S.A. ( LLX ou a Companhia na Bovespa: LLXL3), Companhia que está construindo dois projetos de complexos portuários na região Sudeste, sendo um deles um "Super-Porto do Açu", o maior investimento em infra estrutura portuária no Brasil, divulga hoje os resultados do exercício do primeiro trimestre de 2009 e atualiza seus acionistas e o mercado em relação ao andamento dos projetos 1T09 Cotação (30/04/09) LLXL3 R$2,02/ação US$0,93/ação Base Acionária (30/04/09) Total Free Float 39,5% Valor de Mercado R$ 724 milhões US$ 333 milhões Relações com Investidores Antonio Castello Branco Gerente de RI Camila F. Mation Anker Coordenadora de RI Principais destaques do 1T09 e eventos subsequentes relacionados aos projetos da LLX: Super Porto do Açu : Concebido dentro do moderno conceito Porto- Indústria, o Super Porto do Açu está sendo construído em um Distrito Industrial de cerca de 90 Km 2, sendo assim o maior projeto portuário privado do país. Até abril de 2009, a LLX Minas-Rio, terminal portuário dedicado ao minério de ferro, concluiu a dragagem dos berços de atracação e da bacia de evolução e avançou na ponte de acesso, que superou 1.300m dos quais aproximadamente 800m sobre o mar. A LLX Açu, responsável pelas demais cargas como produtos siderúrgicos, carvão, granéis líquidos e sólidos, detalhou os projetos do Pátio Logístico onde serão movimentadas e estocadas as diferentes cargas e do Corredor Logístico, acesso multimodal contemplando via expressa, ramal ferroviário e linhas de transmissão ligando a cidade de Campos ao Super Porto. Durante o 1T09, foram investidos R$ 83,9 milhões no Super Porto do Açu. Porto Sudeste : Projeto de terminal portuário privativo de uso misto no município Itaguaí dedicado à exportação de minério de ferro do Sistema Sudeste da MMX (empresa de mineração do Grupo EBX) e de outros produtores do Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais. A LLX Sudeste obteve em 13 de Abril a licença ambiental para a construção do seu terminal portuário com capacidade para movimentar 50 milhões de toneladas de minério por ano. A obtenção da licença dentro do cronograma previsto viabilizará o início das operações no 2º semestre de Durante o 1T09, foram investidos R$ 8,1 milhões no Porto Sudeste com destaque para despesas na área ambiental. Adicionalmente, no início de Abril, a LLX e a Centennial Asset Participações Sudeste S.A (veículo de investimentos do acionista controlador da LLX) nomearam um assessor financeiro para auxiliar na possível venda estratégica de participação no Porto Sudeste. Aumento de Capital: Em Março de 2009, a BNDESPAR (BNDES Participações S.A.) aprovou a aquisição de ações da Companhia no valor de R$ 150 milhões no contexto de um aumento de capital de R$ 600 milhões, após o qual passará a deter uma participação de 12,05% na LLX. Esta operação com garantia firme do acionista controlador e do Ontário Teachers Pension Plan assegura o capital próprio necessário para viabilizar o financiamento do plano de negócios da LLX. Em 28 de Abril, foi concluída a primeira etapa da operação alcançando 98% do aumento de capital com as sobras devendo ser subscritas até ao final do mês de Maio. "Super-Porto" do Açu Porto Sudeste Localização Área Principais Produtos CAPEX Minério de Ferro, Produtos Siderúrgicos, São João da Barra, ha Carvão, Granéis Líquidos e Sólidos e US$ M RJ Carga Geral. Área Industrial de Itaguaí, RJ 52,1 ha Minério de Ferro (1 Fase e 2 Fase) US$ 740 M

2 Setorial/Regulatório No Brasil, o setor portuário é regulamentado pela lei 8.630/93 (Lei dos Portos) que assegura o direito de exploração de terminais privativos de uso exclusivo ou uso misto (carga própria e carga de terceiros). A lei /01 determina que a ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) é a agência responsável pela autorização da construção e exploração de terminais portuários privativos. Para obter a autorização da ANTAQ para terminal privativo de uso misto é necessário que a carga própria justifique sua implementação. Atualização dos Projetos Porto do Açu Dados Gerais Localizado no município de São João da Barra, norte do estado do Rio de Janeiro, o Super-porto do Açu será um Terminal Portuário Privativo de Uso Misto com profundidade de 18,5 metros. Este terminal portuário, com ha de retro-área, é subdividido em duas entidades: LLX Minas-Rio, dedicada à movimentação de minério de ferro proveniente de minerodutos e ferrovia, e LLX Açu (nãominério), dedicada à movimentação de cargas variadas como produtos siderúrgicos, granito, GNL, carvão e carga geral. A LLX detém 51% da LLX Minas-Rio e 70% da LLX Açu, enquanto os 49% remanescentes da LLX Minas-Rio são detidos pela Anglo e os 30% da LLX Açu são da Centennial, empresa de investimento do acionista controlador da LLX. A LLX Minas-Rio contará com uma estrutura onshore de 300 ha para processar, movimentar, armazenar e pelotizar minério de ferro, além da estrutura offshore formada por ponte de acesso, canal de acesso, quebra mar e até quatro berços para carregamento de minério de ferro. Já a LLX Açu (não-minério), contará com um complexo industrial de ha e 6 berços para carregamento de cargas variadas. Em função da sua localização próxima as bacias de Campos, Santos e Espírito Santo, o Super Porto do Açu está idealmente posicionado para receber um pólo metal mecânico dedicado a indústria de Petróleo e Gás e servir de base de apoio para as operações offshore de E&P. CAPEX O CAPEX estimado para o Super Porto do Açu é de USD 1,6 bilhão, sendo USD 900 milhões na LLX Minas-Rio e USD 700 milhões na LLX Açu, conforme distribuição anual no gráfico abaixo. 2

3 Desde janeiro de 2007 até março de 2009, a LLX Minas-Rio realizou investimentos no montante de R$ 510,3 milhões (USD 263,3 milhões). A LLX Minas-Rio investiu R$ 74,9 milhões (USD 32,4 milhões) no 1T09, com foco na construção da ponte de acesso aos píeres, dos quais R$ 8,5 milhões (USD 3,7 milhões) em despesas gerais e administrativas e R$ 66,5 milhões (USD 28,8 milhões) como imobilizado. Durante o primeiro trimestre de 2009, a LLX Minas-Rio construiu aproximadamente 600 metros de ponte de acesso, cuja extensão total será de m. Em janeiro de 2009, a LLX Minas-Rio assinou contratos definitivos de financiamento para seu projeto com o BNDES e instituições financeiras repassadoras (Unibanco e Itaú), no valor de R$ 1,321 bilhão, com prazo de 12 anos para amortização da dívida e carência de dois anos e meio. O financiamento foi estruturado na modalidade project finance, com uma relação dívida/capital próprio de 73%/27%. Já a LLX Açu, no período de janeiro de 2007 a março de 2009, realizou investimentos de R$ 191,4 milhões (USD 98,7 milhões). No 1T09, a LLX Açu investiu R$ 9,0 milhões (USD 3,9 milhões), sendo os principais itens: estudos para o projeto básico de engenharia e gerenciamento de obras do Pátio Logístico. Este montante de R$ 9,0 milhões é subdividido entre R$ 8,0 milhões (USD 3,5 milhões) de despesas gerais e administrativas e R$ 1,0 milhões (USD 0,4 milhões) de ativo imobilizado. Em novembro de 2008, o BNDES aprovou o enquadramento do projeto LLX Açu na modalidade de financiamento de longo prazo, estruturado sob a forma de project finance direto. Mapa de Eventos O cronograma do Porto do Açu, que iniciará suas operações no primeiro semestre de 2012, está detalhado no mapa de eventos abaixo. 3

4 1S06 2S06 1S07 2S07 1S08 2S08 1S09 2S09 1S10 2S10 1S11 2S11 1S12 LLX Minas-Rio Detalhamento do Projeto Licença Prévia Licença de Implantação Autorização ANTAQ Início da Construção Em Construção Início da Operação LLX Açu Detalhamento do Projeto Licença Prévia Offshore Licença de Implantação Offshore Autorização ANTAQ Licença Prévia Onshore Licença de Implantação Onshore Início da Construção Em Construção Início da Operação Desenvolvimento Construção Operação Porto Sudeste Dados Gerais O Porto Sudeste, dedicado exclusivamente à movimentação de minério de ferro e com profundidade de 21,0 metros, será um Terminal Privativo de Uso Misto localizado no sul do litoral fluminense, na área Industrial de Itaguaí. Com uma área de 52 ha, próxima ao porto de Sepetiba, este terminal portuário será responsável pela movimentação de minério de ferro, originado no Sistema Sudeste da MMX (empresa de mineração do Grupo EBX) e outros clientes. 3 Em novembro de 2007, a LLX adquiriu a Pedreira Sepetiba, uma empresa operacional com autorização para extrair, estocar, movimentar e beneficiar pedras e britas, e a Sepetiba Empreendimentos e Participações Ltda, proprietária dos terrenos da pedreira e do terreno de marinha, viabilizando assim o desenvolvimento de um terminal portuário. No início do ano, a LLX e a MMX empresa de mineração do Grupo EBX assinaram contrato de longo prazo referente à utilização do Porto Sudeste. Em 01 abril de 2009, a LLX informou que nomeou, juntamente com a Centennial Asset Participações Sudeste S.A., assessor financeiro para auxiliar em possível venda estratégica de participação no Porto Sudeste. Em 13 de abril, a LLX informou ao Mercado, através de Fato Relevante, que obteve a licença ambiental para a construção do Porto Sudeste com capacidade para movimentar 50 milhões de toneladas de minério por ano. CAPEX 4

5 O CAPEX estimado para o Terminal Portuário Sudeste é de USD 740 milhões com capacidade para 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, sendo USD 380 milhões em uma primeira fase, com capacidade de 25 Mtpa, e USD 360 milhões na segundo fase, com capacidade adicional de 25 Mtpa. A forte demanda por parte dos mineradores do Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais por uma solução portuária independente, levou a LLX, a avaliar a oportunidade de expansão do Porto Sudeste em uma 2ª fase para 50 Mtpa. Capex (USD M) Entre janeiro de 2007 e março de 2009, foram investidos R$ 133,8 milhões (USD 69,0 milhões) neste terminal portuário, sendo R$ 8,1 milhões (USD 3,5 milhões) durante o 1T09 com destaque para aquisição de terrenos e despesas com o processo de licenciamento ambiental. O montante de R$ 8,1 milhões é dividido entre R$ 3,9 milhões (USD 1,7 milhão) de ativo imobilizado e R$ 4,2 milhões (USD 1,8 milhão) de despesas gerais e administrativas. Mapa de Eventos A construção deste Terminal Portuário deverá ser iniciada no segundo semestre de 2009, após obtenção da licença de implantação, e entrará em operação no 2º semestre de 2011, conforme mapa de eventos abaixo. 5

6 Porto Sudeste 1S06 2S06 1S07 2S07 1S08 2S08 1S09 2S09 1S10 2S10 1S11 2S11 Início do Desenvolvimen to do Projeto Estudos Ambientais Aquisição da Pedreira Sepetiba EIA RIMA Entrega do EIA RIMA Aprovação Marinha Licença Prévia Autorização ANTAQ Licença de Implantação Início da Construção Em Construção Início da Operação Desenvolvimento Construção Operação Análise Simplificada da Demonstração de Resultado DRE (R$ mil) Controladora Consolidado 1T09 1T08 1T09 1T08 Lucro (prejuízo) bruto - - (46) Despesas Administrativas, Gerais e Comerciais (7.089) (5.065) (26.997) (6.318) Resultado Financeiro Resultado de equivalência patrimonial (5.346) (99) - - Prejuízo antes do imposto de renda e da contribuição social (11.286) (3.871) (14.862) (3.805) Lucro (Prejuízo) líquido do exercício (11.286) (3.871) (11.286) (3.871) Os projetos de terminais portuários da LLX encontram-se em fase pré-operacional, com exceção da controlada da LLX Sudeste, Pedreira Sepetiba, que registrou uma receita operacional líquida de R$ 3,9 milhões no 1T09. Neste trimestre, a LLX registrou um prejuízo de R$ 11,3 milhões, impactado principalmente pelas despesas gerais, administrativas e comerciais no valor de R$ 27,0 milhões e o resultado financeiro positivo de R$ 11,2 milhões. As despesas gerais e administrativas representam as despesas da empresa controladora (R$ 7,1 Milhões) e, após modificação da legislação brasileira introduzida pela Lei /07, as despesas nos projetos dos terminais portuários da companhia: Porto do Açu e Porto Sudeste (R$ 16,5 milhões). O Resultado Financeiro Líquido é reflexo de: a) uma receita financeira de R$10,8 milhões, decorrente principalmente da aplicação do caixa, b) de um efeito líquido positivo na conta de despesa financeira no valor de R$ 0,5 milhões em função da reversão parcial na provisão para perda com derivativos no balanço que mais do que compensou a perda registrada no vencimento de operação de hedge da LLX Minas-Rio em fevereiro de 2009 e os juros do empréstimo de R$ 190 milhões tomado pela LLX Açu junto ao Banco Bradesco em setembro de

7 Análise Simplificada do Balanço Patrimonial Controladora Consolidado Balanço (R$ mil) Março-09 Dezembro-08 Março-09 Dezembro-08 Ativo Circulante Realizável a longo prazo Ativo permanente Total do Ativo Passivo Circulante Exigível a longo prazo Participações de minoritários Patrimônio líquido Total Passivo e Patrimônio líquido A LLX encerrou o 1T09, com R$ 113,4 milhões de saldo em caixa e equivalentes de caixa. Durante o trimestre, o caixa foi investido para implantação e desenvolvimento dos projetos dos terminais portuários. As aplicações financeiras, principal componente do caixa e equivalentes de caixa, representam investimentos em fundos exclusivos da LLX. Os fundos mencionados são lastreados em títulos públicos federais e títulos privados de instituições financeiras de primeira linha e títulos privados (Debêntures) emitidos por empresas e instituições financeiras, todos com rentabilidade média pouco superior ao DI CETIP ( CDI ). As debêntures representam operações compromissadas, registradas na CETIP, e têm garantia de recompra das instituições financeiras. Vale destacar que o caixa da Companhia ainda não está incorporando os recursos do aumento de capital de R$ 600,0 milhões cuja liquidação está ocorrendo no 2º trimestre. No 1T09, a Companhia encerrou o trimestre com R$ 705,1 milhões em ativo permanente, em relação a R$ 656,1 milhões ao final do exercício de Esta variação refere-se principalmente ao crescimento do ativo imobilizado em R$ 42,0 milhões, de R$ 300,8 milhões em 4T08 para R$ 342,8 milhões em decorrência de imobilização de ativo fixo dos projetos de terminais portuários da LLX. No passivo, a provisão para perdas com derivativos no circulante foi reduzida de R$ 130,6 milhões no 4T08 para R$ 96,6 milhões no 1T09. No longo prazo, o valor da conta de perdas com derivativos também foi reduzido para R$ 14,3 milhões neste trimestre, contra R$ 34,9 milhões no final do exercício de Cerca de 90% do valor provisionado se refere à LLX Minas-Rio, que contratou 7

8 operação de hedge com vencimentos vinculados a realização do seu orçamento de investimentos ao longo de 2008, 2009 e O objetivo da LLX Minas-Rio foi de reduzir o descasamento cambial entre as suas futuras receitas indexadas ao dólar e os seus investimentos indexados na sua maior parte em reais. Vale destacar que as receitas da LLX Minas-Rio decorrem de contrato de longo prazo de movimentação de minério de ferro firmado com a Anglo Ferrous Brazil (subsidiaria da Anglo American PLC), que determina uma tarifa que garante uma taxa interna de retorno para a empresa de 15% a.a., em dólar. Desta forma, perdas com derivativos serão compensadas pelo aumento da tarifa a ser cobrada de modo a restabelecer a taxa interna de retorno de 15% a.a. em dólar. Os empréstimos e financiamentos no longo prazo registraram valor de R$ 207,0 milhões no final do trimestre referente ao empréstimo no valor de R$ 190 milhões com Banco Bradesco realizado em Setembro de 2008 e os respectivos juros. Mercado de Capitais Desde o início de 2009 até o final abril de 2009, as ações da LLX (LLXL3) registraram valorização de 35%, comparado a 32% de apreciação média das outras quatro empresas do setor portuário (ponderada pelo volume financeiro). Neste mesmo período, o Ibovespa apresentou valorização de 26%. De janeiro a abril de 2009, o volume médio diário negociado de ações da LLX foi de R$ 4,4 milhões, e número de negócios diário médio de 550, registrando um crescimento no volume médio em relação ao ano de 2008 e reforçando a liderança da LLX como a empresa de maior liquidez do setor portuário. O valor de mercado da Companhia (incluindo os recibos de subscrição) atingiu R$ 1,4 bilhão no final de abril de A LLX possui Global Depositary Receipts Nível 1 ( GDRs ). No final de março de 2009, os GDRs representavam ações ou 0,4% do capital social da LLX. Em abril de 2009, o capital social da LLX era formado por ações. Em 16 de março de 2009, o Conselho de Administração da LLX aprovou aumento de capital no montante de R$ 600 milhões, através da subscrição de novas ações ordinárias da LLX Logística S.A., a R$ 1,80/ação. Em 27 de março, a LLX divulgou Aviso aos Acionistas informando que os acionistas detentores de ações da Companhia em 27 de março de 2009 teriam preferência para a subscrição do aumento do capital sobre ações idênticas às que forem detentores na proporção de 0, nova ação ordinária, nominativa, escritural e sem valor nominal para cada 1 (uma) ação ordinária de emissão da Companhia que possuíssem na referida data, perfazendo o percentual de 92, %. O prazo para exercício do direito de preferência na subscrição de ações teve início em 30 de março de 2009 e término em 28 de abril de O BNDES Participações S.A. ( BNDESPAR ), subsidiária do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ( BNDES ), também participou da operação e adquiriu equivalente a 25% do total das ações deste aumento de capital, correspondente a R$ 150 milhões, e, após a conclusão da operação, passará a deter 12,05% do capital da Companhia. A entrada da BNDESPAR no capital da 8

9 LLX foi possível mediante a cessão parcial de direitos de preferência na aquisição de novas ações por parte do acionista controlador, Centennial e OTPP em favor da BNDESPAR. Em 04 de maio, a Companhia divulgou, através de Aviso aos Acionistas, que foram subscritas ações, totalizando o valor de R$ ,80, equivalente à 98% do aumento de capital. Com isso, as ações restantes serão subscritas durante o período de sobras. Com o início de negociação do recibo de subscrição (LLXL9) a partir de 29/04/2009, o volume financeiro diário combinado da LLXL3 e LLXL9 aumentou significativamente, situando-se na média acima de R$ 30 milhões, fazendo da LLX a ação mais negociada do setor portuário brasileiro. Responsabilidade Sócio-Ambiental A LLX conduz seus projetos de forma sustentável e respeitando o meio-ambiente e as leis ambientais. A Companhia age com responsabilidade social e promovendo o desenvolvimento sustentável das comunidades que vivem ao redor de seus empreendimentos, principalmente nas regiões de São João da Barra, onde está localizado o Porto do Açu, e de Itaguaí, local do Porto Sudeste. Em fevereiro de 2009, a LLX e a MPX empresa de energia do Grupo EBX - assinaram convênio com a Prefeitura de São João da Barra para instalação de Entreposto Pesqueiro no município, que terá aproximadamente 2 mil metros quadrados. O objetivo é oferecer infraestrutura e suporte as atividades pesqueiras da região do Porto do Açu. No total serão investidos R$ 2,8 milhões na compra do terreno, construção e equipamentos para o funcionamento da primeira fase do projeto. A previsão é que o entreposto entre em funcionamento no final deste ano. No mesmo mês, a LLX também promoveu, na presença dos colaboradores da Companhia, a soltura de 150 a 200 filhotes de tartarugas marinhas, em parceria com o Projeto Tamar, na praia do Açu, próxima ao Porto do Açu, em São João da Barra. Esta iniciativa é parte do projeto que monitora ocorrências de tartarugas em 62 quilômetros do litoral, de Atafona a Barra do Furado. O objetivo é ampliar o conhecimento sobre a interação destes animais com o meio em que vivem. Em abril, o Grupo EBX iniciou o patrocínio do projeto sociocultural Cine EBX Cinema ao Ar Livre, desenvolvido pela T. Brasil Produções. Com duração de 4 meses, o Cine EBX prevê a exibição de 44 sessões de cinema em seis cidades do estado do Rio de Janeiro, entre elas São João da Barra e Itaguaí. O objetivo principal é facilitar o acesso das comunidades locais à cultura e entretenimento, além de valorizar o cinema nacional, já que todos os filmes exibidos foram produzidos no Brasil ou então os cineastas são brasileiros. A programação do evento pode ser visualizada no site Eventos Subsequentes A Companhia realizará uma teleconferência para investidores no dia 18/05/2009 (segunda-feira) às 14h00 (horário de Brasília) sobre os resultados do 1T09. A teleconferência será conduzida em inglês, com tradução simultânea. Telefones para conexão para teleconferência em inglês: 9

10 - Brasil: US toll free: Other countries: Senha: # Telefones para conexão para teleconferência em português através da tradução simultânea: - Brasil: Senha: # Os participantes devem se conectar 10 minutos antes do início da teleconferência. Característica da Divulgação A LLX adota procedimentos de consolidação: i) proporcional à participação da Companhia no capital da LLX Minas-Rio, por se tratar de companhia cujo controle é compartilhado (conforme Acordo de Acionistas), e ii) de 100% para as demais controladas. Glossário e premissas adotadas no Financial Release: EIA/RIMA: Estudo de Impacto Ambiental / Relatório de Impacto sobre o Meio Ambiente Mtpa: Milhões de toneladas por ano Taxa de cambio média adotada para a conversão de valores em R$ do período de 1/01/2007 a 31/03/2009: R$/USD 1,94 Taxa de cambio média adotada para a conversão de valores em R$ relativos ao 1T09: R$/USD 2,31 10

11 Ativo LLX Logística S.A. Balanço Patrimonial (em milhares de reais) Controladora Consolidado março-09 dezembro-08 março-09 dezembro-08 Circulante Disponibilidades Contas a receber Depósitos Bancários Vinculados Outros créditos Impostos a recuperar Despesas antecipadas Estoque Adiantamentos Outros Não circulante Realizável a longo prazo Depósitos Judiciais Depósitos Bancários Vinculados Empresas controladas e coligadas Imposto de Renda e Contribuição Social a recuperar Outros créditos com terceiros Outros créditos Despesas antecipadas Imóveis destinados à venda Ativo permanente Investimentos (0) - Intangíveis Imobilizado Diferido Total do Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Controladora Consolidado março-09 dezembro-08 março-09 dezembro-08 Circulante Fornecedores Empréstimos e Financiamentos Salários e remunerações Provisão para perda com derivativos Empresas controladas e coligadas Obrigações com aquisições de investimentos Imposto de renda e contribuição social a pagar Outras obrigações Não circulante Exigível a longo prazo Empréstimos e Financiamentos Impostos e Contribuição Social Diferidos Provisão para perda com derivativos Provisão para passivo a descoberto Obrigações com Terceiros Provisões para contingências Obrigações ligadas a retiradas de ativos Outros Participações de minoritários Patrimônio líquido Capital social Reserva de capital Reservas de lucros Prejuízos acumulados (64.258) (52.972) (64.258) (52.972) Passivo e Patrimônio líquido

12 Em milhares de reais 1T09 1T08 Variação Receita operacional bruta Deduções da receita bruta Receita operacional líquida Custos dos produtos vendidos e dos serviços prestados Lucro (prejuízo) bruto Outras receitas (despesas) operacionais Administrativas e gerais (7.089) (5.065) (2.024) Comerciais Receitas financeiras (2.520) Despesas financeiras (127) (3.325) Resultado da equivalência patrimonial (5.346) (99) (5.247) Provisão para passivo a descoberto (836) - (836) Outras (despesas) receitas operacionais Prejuízo operacional (11.286) (3.871) (7.415) Resultado não operacional Prejuízo antes do imposto de renda e da contribuição social (11.286) (3.871) (7.415) Imposto de renda e contribuição social Prejuízo antes das participações minoritárias (11.286) (3.871) (7.415) Participações minoritárias Lucro (Prejuízo) líquido do exercício (11.286) (3.871) (7.415) Em milhares de reais LLX Logística S.A. Demonstração de Resultado Controladora Consolidado 1T09 1T08 Variação Receita operacional bruta Deduções da receita bruta (797) (461) (336) Receita operacional líquida Custos dos produtos vendidos e dos serviços prestados (3.935) (2.240) (1.695) Lucro (prejuízo) bruto (46) (1.065) Outras receitas (despesas) operacionais - Administrativas e gerais (24.892) (6.318) (18.574) Comerciais (2.105) - (2.105) Receitas financeiras Despesas financeiras 477 (3.349) Resultado da equivalência patrimonial Provisão para passivo a descoberto Outras (despesas) receitas operacionais Prejuízo operacional (14.862) (3.805) (11.057) Resultado não operacional Prejuízo antes do imposto de renda e da contribuição social (14.862) (3.805) (11.057) Imposto de renda e contribuição social (138) (109) (29) Prejuízo antes das participações minoritárias (15.000) (3.914) (11.086) Participações minoritárias Lucro (Prejuízo) líquido do exercício (11.286) (3.871) (7.415) 12

13 LLX Logística S.A. Demonstração de Fluxo de Caixa Em milhares de reais Controladora Consolidado 31/3/ /3/ /3/ /3/2008 Fluxos de caixa das atividades operacionais Prejuízo do período (11.286) (3.871) (11.286) (3.871) Itens de resultado que não afetam o caixa: Depreciação e amortização Baixa do imobilizado Resultado de equivalência patrimonial Provisão para passivo a descoberto Variação monetária e juros (1.787) Participação de Acionistas não controladores - - (3.714) (44) Provisão (reversão) para perda com derivativos - - (54.756) - Provisão para contigência Provisão para bônus Provisão por perdas de ativos Variações nos ativos e passivos: Aumento (Redução) em contas a receber - - (1.223) (74) Aumento (Redução) em estoque - - (230) (753) Aumento (Redução) em impostos a recuperar (47) (68) (5.352) (832) Aumento (Redução) em depósitos judiciais (8.365) Aumento (Redução) em despesas antecipadas 53 - (397) 301 Aumento (Redução) em depósitos vinculados Aumento(Redução) em outros créditos (18) (135) 108 (1.383) Aumento (Redução) em fornecedores 25 (491) (16.997) Aumento (Redução) de impostos e contribuições a recolher (3) 264 (335) Aumento de IR e contribuição social a pagar Redução em obrigações com aquisições de investimentos - - (8.350) (4.416) Redução em obrigações com aquisições de imobilizado (13.359) Aumento (Redução) em salários e férias a pagar 212 (720) 437 (836) Aumento (Redução) em receitas antecipadas Aumento em outras obrigações (592) Aumento de obrigações com terceiros - - (42) - Disponibilidades líquidas aplicadas nas atividades operacionais 13 (4.856) (4.693) (89.663) (21.825) Fluxos de caixa das atividades de investimentos Créditos com pessoas ligadas: Empréstimos concedidos - (4.368) - (37.830) Empréstimos liquidados Créditos com terceiros: Empréstimos concedidos - - (24.990) - Aumento de capital em controlada Adiantamento para futuro aumento de capital (1.794) Aquisição de bens do imobilizado Aquisição de direitos de acesso Aquisição de direitos areeiros Adições ao ativo diferido Aquisição em investimentos permanentes em outras sociedades Provisão para perda com derivativos Obrigações ligadas a retirada de ativos Disponibilidades líquidas aplicadas nas atividades de investimentos Fluxos de caixa das atividades de financiamentos Aumento de capital, líquido Aumento em participações minoritários Debito com pessoas ligadas Empréstimos obtidos (29) (410) (41.446) (38.387) - - (7.173) (5.640) (21.787) - (89.410) (1.823) (93.847) (73.609) ( ) (552) Empréstimos liquidados Débido com terceiros: Empréstimos obtidos Empréstimos liquidados - - (37) - Constituição de reserva de capital plano de opção de compras de ações Disponibilidades líquidas geradas pelas atividades de financiamentos Demonstração do aumento nas disponibilidades No início do período No fim do período Aumento nas disponibilidades (5.486) ( )

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

LLX - Resultados referentes ao 2º Trimestre de 2011

LLX - Resultados referentes ao 2º Trimestre de 2011 LLX - Resultados referentes ao 2º Trimestre de 2011 Autorização da ANP para construir Unidade de Tancagem e Tratamento de Petróleo (UTP) no Superporto do Açu - passo importante para se tornar um grande

Leia mais

INFORME AOS INVESTIDORES 2T14

INFORME AOS INVESTIDORES 2T14 INFORME AOS INVESTIDORES 2T14 São Paulo, 14 de agosto de 2014 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)] anuncia os resultados referentes ao 2T14. Estrutura dos

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

Expandindo a Logística Brasileira Maio 2011

Expandindo a Logística Brasileira Maio 2011 Expandindo a Logística Brasileira Maio 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia

Leia mais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais . Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2013 Passivo e patrimônio líquido (passivo a descoberto) 2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 200 Empréstimos e

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

INFORME AOS INVESTIDORES 2T15

INFORME AOS INVESTIDORES 2T15 INFORME AOS INVESTIDORES 2T15 São Paulo, 12 de agosto de 2015 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)] anuncia os resultados referentes ao segundo trimestre de

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. ÍNDICE 1. Relatório dos Auditores Independentes 03

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2008 1 RELATÓRIO ANUAL

Leia mais

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A.

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 (Não auditado) (Não auditado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 415 7 Fornecedores

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 15 Rendimentos a distribuir 412 366 Aplicações financeiras de renda fixa 28 8

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Texto para as questões de 31 a 35 conta saldo despesa de salários 10 COFINS a recolher 20 despesas de manutenção e conservação 20 despesa de depreciação 20 PIS a recolher 30 despesas

Leia mais

COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL

COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL P E N T Á G O N O D E B T R E S E A R C H COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL RELATÓRIO DO AGENTE FIDUCIÁRIO BRASIL SETOR: SIDERÚRGIA CÓDIGO CETIP: CSNA13-23 CÓDIGO CBLC: CSNA-D31-D32 REGISTRO NA CVM Nº: CVM/SRE/DEB-2003/022

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 80 Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Parecer dos Auditores Independentes 81 Aos Acionistas da Inepar Telecomunicações S.A Curitiba - PR 1. Examinamos

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 LUPATECH S.A. CNPJ/MF nº 89.463.822/0001-12 NIRE 43300028534 Companhia Aberta de Capital Autorizado Novo Mercado Relatório da Administração Mensagem da Administração Senhores

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO Explicativas CIRCULANTE 63.224 47.422 Disponibilidades 423 429 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 31.991 23.380 Relações Interdependências

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil) COOPERATIVA CENTRAL DE CRÉDITO URBANO - CECRED CNPJ: 05.463.212/0001-29 Rua Frei Estanislau Schaette, 1201 - B. Água Verde - Blumenau/SC NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 Eusébio CE, 09 de novembro de 2006 A M. Dias Branco S.A. (Bovespa: MDIA3), empresa líder nos mercados de biscoitos e de massas no Brasil, anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

Fundação Amazonas Sustentável Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2008 e parecer dos auditores independentes

Fundação Amazonas Sustentável Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2008 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2008 Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio social Circulante

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

CRUZEIRO DO SUL EDUCACIONAL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

CRUZEIRO DO SUL EDUCACIONAL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures CRUZEIRO DO SUL EDUCACIONAL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Cruzeiro do Sul Educacional S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 19.098 15.444 Disponibilidades 98 90 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 13.053 9.797 Operações de Crédito 6 5.760 5.518 Outros

Leia mais

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%)

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%) o Margem Bruta atinge 42% no 3T07 e distribuição de proventos chega a R$ 40 milhões nos 9M07. 3T07 Cotação (31/10/07) ETER3 R$/ação 8,46 US$/ação 4,83 Base Acionária (31/10/07) Total 72.555.934 Free Float

Leia mais

Um superporto de águas profundas integrado ao maior e mais eficiente complexo industrial da América Latina. Conheça o Superporto do Açu.

Um superporto de águas profundas integrado ao maior e mais eficiente complexo industrial da América Latina. Conheça o Superporto do Açu. Um superporto de águas profundas integrado ao maior e mais eficiente complexo industrial da América Latina. Conheça o Superporto do Açu. A LLX, empresa de logística do Grupo EBX, nasceu para prover o país

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5 Demonstrações Contábeis Consolidadas de acordo com as Normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB 2014 Bradesco 1 Sumário oação de

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010 ABCD Gonçalves & Tortola S.A. Demonstrações financeiras em Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações

Leia mais

Reunião Pública Prumo. 25 de Novembro de 2015

Reunião Pública Prumo. 25 de Novembro de 2015 Reunião Pública Prumo 25 de Novembro de 2015 Estrutura Societária 74,3% 6,7% Outros Minoritários 19% FERROPORT PORTO DO AÇU GNA AÇU PETROLEO BP-PRUMO 100% 100% 50% 20% 50% 2 Porto do Açu Características:

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01907-0 CALAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 04.034.792/0001-76 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01907-0 CALAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 04.034.792/0001-76 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/28 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A.

Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. Relatório de revisão dos auditores independentes sobre as Informações Trimestrais (ITRs) trimestre findo em 30 de junho de 2015 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Dommo Empreendimentos

Leia mais

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures BROFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Brookfield Incorporações S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO ALIANÇA COOPERNITRO C.N.P.J. n.º 52.935.442/0001-23

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO ALIANÇA COOPERNITRO C.N.P.J. n.º 52.935.442/0001-23 COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO ALIANÇA COOPERNITRO C.N.P.J. n.º 52.935.442/0001-23 ATIVO BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Em Milhares de Reais) CIRCULANTE 2.239 2.629 DISPONIBILIDADES

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 39.466 27.437 Disponibilidades 221 196 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 27.920 18.274 Operações de Crédito 6 11.138

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2004 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 03 de fevereiro

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Informações Trimestrais Fertilizantes Heringer S.A.

Informações Trimestrais Fertilizantes Heringer S.A. Informações Trimestrais Fertilizantes Heringer S.A. 30 de junho de 2012 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 30 de junho de 2012 Índice Relatório sobre a revisão de informações trimestrais... 1 Informações contábeis

Leia mais

Resultados do 1T06 Teleconferência

Resultados do 1T06 Teleconferência Resultados do 1T06 Teleconferência 0 Considerações Iniciais AVISO - INFORMAÇÕES E PROJEÇÕES O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Rossi Residencial S.A. na data

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 82.643.537/0001-34 IE n.º 250.043.106 Rua Eng.º Paul Werner, 925 CEP 89030-900 Blumenau SC Data base: 30 de Junho de 2011 1 Destaques

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 Barueri, 29 de Julho de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do segundo trimestre

Leia mais

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Contabilidade Decifrada Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Demonstrações Contábeis - balanço patrimonial; - demonstração do resultado do exercício; e, - demonstração de lucros ou prejuízos acumulados.

Leia mais

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A.

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 e 2013 Conteúdo Relatório dos Auditores

Leia mais

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro Faculdade Atenas Maranhense - FAMA Professor: Esp. CLEIDIANA SACCHETTO Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

Brazilian Securities Companhia de Securitização Informações Trimestrais Setembro de 2015

Brazilian Securities Companhia de Securitização Informações Trimestrais Setembro de 2015 Brazilian Securities Companhia de Securitização Informações Trimestrais Setembro de 2015 03 de novembro de 2015 Brazilian Securities Cia de Securitização Relatório da Administração 3T15 03 de novembro

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 11.363 8.987 Disponibilidades 30 37 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 8.069 6.136 Operações de Crédito

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Fator Veritá Fundo de Investimento Imobiliário (Administrado pelo Banco Fator S.A.)

Fator Veritá Fundo de Investimento Imobiliário (Administrado pelo Banco Fator S.A.) Fator Veritá Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 11.664.201/0001-00 Deloitte

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2001 E DE 2000

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2001 E DE 2000 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2001 E DE 2000 (Em milhares de reais exceto quando indicado) 1 CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA é

Leia mais

ATIVO Notas 2009 2008

ATIVO Notas 2009 2008 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2009 2008 CIRCULANTE Caixa e bancos 20.723 188.196 Contas a receber 4 903.098 806.697 Outras contas a receber 5 121.908 115.578 Estoques 11.805 7.673

Leia mais

Demonstrações Contábeis Intermediárias Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas

Demonstrações Contábeis Intermediárias Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas Demonstrações Contábeis Intermediárias Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas 31 de março de 2011 e 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre Revisão de Demonstrações Contábeis Intermediárias

Leia mais

Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08)

Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08) Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08) Aprova a Orientação OCPC - 01 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata de Entidades de Incorporação Imobiliária. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

SANTANDER BRASIL ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A.

SANTANDER BRASIL ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. SANTANDER BRASIL ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2008 SANTANDER BRASIL ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Companhia de Bebidas das Américas - AMBEV 1ª Emissão de Debêntures Relatório

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Mês/Ano: 31 de março de 2016 Nome do Fundo: Alfa I - Fundo Mútuo de CNPJ: 03.919.892/0001-17 Administrador: Banco Alfa de Investimento S.A. CNPJ:

Leia mais

AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14

AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14 AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14 Barueri, 28 de Outubro de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do terceiro trimestre

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I

GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I BALANÇO PATRIMONIAL 2 CONCEITO É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, o Patrimônio e o Patrimônio Líquido

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2)

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Deliberação CVM nº 640, de 7 de outubro de 2010 (Pág. 57) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02(R2) do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC sobre efeitos das mudanças

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA Setembro de 2012 SUMÁRIO 1 Introdução 03 1.1 O Banco do Nordeste 03 2 Gestão de Risco do BNB 05 2.1 Risco

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 Demonstrações financeiras intermediárias em KPDS 134230 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras intermediárias 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações dos resultados

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO 1 DESTAQUES 2 RECEITAS OPERACIONAIS 4 GASTOS OPERACIONAIS 6 DADOS FINANCEIROS 8 NOTAS ADICIONAIS 11 MERCADO DE CAPITAIS 13

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO 1 DESTAQUES 2 RECEITAS OPERACIONAIS 4 GASTOS OPERACIONAIS 6 DADOS FINANCEIROS 8 NOTAS ADICIONAIS 11 MERCADO DE CAPITAIS 13 Resultados Janeiro Março / 2011 ÍNDICE MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO 1 DESTAQUES 2 RECEITAS OPERACIONAIS 4 GASTOS OPERACIONAIS 6 DADOS FINANCEIROS 8 NOTAS ADICIONAIS 11 MERCADO DE CAPITAIS 13 DIVIDENDOS E

Leia mais

Mensagem da Administradora

Mensagem da Administradora Mensagem da Administradora Prezados Cotistas: Submetemos à apreciação de V.S.as. a demonstração da composição e diversificação das aplicações da CSN Invest Fundo de Investimento em Ações, em 31 de dezembro

Leia mais