INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1 INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em Anexo II - Proposta de Destinação do Lucro Líquido do Exercício de 2012 Anexo III Informações acerca dos Conselheiros Anexo IV - Informações acerca da Remuneração dos Administradores De abril/2013 a Março/2014, inclusive. 1

2 Comentário dos Diretores da Companhia Item 10 Formulário de Referência Instrução CVM 480/2009 ANEXO I 10. COMENTÁRIOS DOS DIRETORES. Em milhares de reais, exceto quando indicado. Os comentários expostos nos itens abaixo refletem a opinião dos diretores da Investco S.A.( Investco ) em relação aos aspectos financeiros e situação patrimonial da Companhia Comentários dos Diretores da Investco sobre: a. condições financeiras e patrimoniais gerais A Investco é titular exclusiva dos ativos que compõe a Usina Hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães ( UHE Lajeado ), localizada no Rio Tocantins, nos municípios de Lajeado e Miracema do Tocantins, Estado do Tocantins. A Usina tem potência instalada de 902,5 MW, distribuída em cinco unidades geradoras com potência de 180,5 MW cada, e uma energia assegurada anual de GWh, porém a Investco não é titular exclusiva do Contrato de Concessão, sendo titular de 1%. Foi celebrado contrato de arrendamento dos ativos da UHE Lajeado com as demais concessionárias, no qual foi estabelecido que o arrendamento é proporcional à participação das concessionárias no referido Contrato de Concessão. Assim, a Investco tem 2 (duas) fontes de receita: o próprio arrendamento dos ativos da UHE Lajeado e a venda de 1% da energia elétrica gerada por esta. A Investco S.A opera e mantém a UHE Lajeado, através de quadro próprio, treinado e qualificado para cumprir essa missão da melhor forma possível. No ano de 2012, foi atingido o recorde de geração com 5.211,4 GWh, aproximadamente 13% superior da energia assegurada anual de GWh. A Usina apresentou índice de disponibilidade médio anual de 93,05%, fechando o mês de Dezembro com disponibilidade média de 92,62% (apurada com base na média dos últimos 60 meses), índice também superior ao exigido no Contrato de Concessão, que é de 89,6%. Nossa receita operacional líquida no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 foi 26,7% superior à nossa receita operacional líquida no exercício de 2011, passando de R$ para R$ No período de 12 (doze) meses, findo em 31 de dezembro de 2011, nossa receita operacional líquida no exercício social encerrado foi 5,2% superior à nossa receita operacional líquida no exercício de 2010, que foi de R$ A receita de arrendamento corresponde a 98% da receita operacional líquida da Investco. Nosso lucro líquido no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, ajustado das participações dos não controladores e das partes beneficiárias, foi de R$ , enquanto que em 2011 foi de R$ , comparado a um lucro líquido, ajustado das participações dos não controladores e das partes beneficiárias de R$ no exercício de Nossos diretores entendem que possuímos liquidez satisfatória, o que se reflete em nosso capital circulante líquido de R$ e em nossa liquidez corrente de 50% em 31 de dezembro de O capital circulante líquido corresponde à diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante e o índice de liquidez corrente ao índice obtido pela divisão do ativo circulante pelo passivo circulante, representando condições adequadas para cumprir as nossas obrigações operacionais de curto prazo. Nossos Diretores acreditam que nossas condições financeiras e patrimoniais são suficientes para mantermos nosso plano de negócios, desenvolvermos nossas atividades e cumprirmos com nossas obrigações de curtos e médios prazos. 2

3 b. estrutura de capital e possibilidade de resgate de ações ou quotas, indicando: (i) hipóteses de resgate; (ii) fórmula de cálculo do valor de resgate Em 31 de dezembro de 2012, a nossa estrutura de capital era composta de 80,6% de capital próprio e 19,4% de capital de terceiros. No mesmo período, possuíamos uma relação dívida líquida sobre capital próprio de 7%. Em 31 de dezembro de 2011, a nossa estrutura de capital era composta de 77,4% de capital próprio e 22,6% de capital de terceiros. No mesmo período, possuíamos uma relação dívida líquida sobre capital próprio de 12%. Em relaçao ao período encerrada em 31 de dezembro de 2010, nossa estrutura era de 72% de capital próprio e 28% de capital de terceiros. Nossos diretores entendem que a atual estrutura de capital apresenta níveis adequados de alavancagem, respeitando os níveis de retorno e risco alinhados ao crescimento sustentável da Investco. Segue abaixo, quadro resumo com os principais indicadores que compõem nossa estrutura de capital e relação dívida líquida sobre o capital próprio: 31/12/ /12/ /12/2010 Dívida Bruta (1) Disponibilidades Dívida Líquida (1) A dívida bruta correspo nde às debêntures, empréstimos, financiamento s e encargo s de dívidas 31/12/2012 % 31/12/2011 % 31/12/2010 % Capital Próprio (2) ,6% ,4% ,0% Capital de Terceiros (3) ,4% ,6% ,0% Total do Passivo sobre Patrimônio Líquido % % % (2) Corresponde ao Patrimônio Líquido não considerando a participação dos não controladores (3) Corresponde agregado de passivo circulante, passivo não circulante e participação de não controladores O capital social da Investco é representado por ações ordinárias e preferenciais todas nominativas e sem valor nominal, totalmente subscrito e integralizado, conforme tabela abaixo. Qtd de ações "PNR" Qtd de ações "PNA" 31/12/2012 Em milhares de ações Qtd de ações "PNB" Qtd de ações "PNC" Acionistas Qtd de ações "ON" % Participação % Participação % Participação % Participação % Participação Total % Participação CEB Lajeado S.A , , , , ,98 Paulista Lajeado Energia S.A , , , , ,94 EDP - Energias do Brasil S.A , ,57 Lajeado Energia S.A , , , , ,39 Companhia Paranaense de Energia - COPEL , ,82 Furnas Centrais Elétricas S.A , ,21 Outros 206 1, , , % % % % % % A Investco não possui capital autorizado, conforme estatuto social. Em atendimento ao parágrafo 19 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis ( CPC ) 39, as ações preferenciais das classes "A", "B" e "C" foram classificadas como instrumento de dívida por satisfazerem a condição de passivo financeiro, sendo reclassificadas para a rubrica de empréstimos, financiamentos e encargos de dívida. c. capacidade de pagamento em relação aos compromissos financeiros assumidos Nossos Diretores acreditam que estamos em nível confortável de alavancagem. Nossa dívida bruta tem reduzido ao longo os últimos exercícios, totalizando R$85.473, R$ e R$ em 31 de dezembro de 2012, 2011 e 2010, respectivamente. 3

4 Nossa dívida líquida considera nossa dívida bruta, conforme definida no item 10.1(b), menos a rubrica de Disponibilidades, composta por Caixa e Equivalentes de Caixa. Em 31 de dezembro de 2012 alcançou R$79.450, 40% menor do que 31 de dezembro de 2011, quando foi de R$ O ano de 2011 foi 40% abaixo de 31 de dezembro de 2010, quando foi de R$ A posição consolidada de caixa/aplicações atingiu R$ em 31 de dezembro de 2012, 82% superior ao saldo de 31 de dezembro de 2011 no valor de R$ O saldo em 31 de dezembro de 2011 foi 15% inferior ao montante alcançado em 31 de dezembro de 2010 que totalizou R$ Assim, a relação dívida líquida/ebitda, considerando EBITDA de R$ , encerrou o ano de 2012 em 0,36 vezes, nos mantendo em nível confortável de alavancagem. Para o período de 2011, quando foi de 0,76 vezes, com base num EBITDA de R$ , e finalmente para o período encerrado em 31 de dezembro de 2010 temos EBITDA de resultando na relação 1,34 vezes. Complementamos que temos para todos os períodos nível confortável de alavancagem considerado pelos nossos diretores. d. fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos nãocirculantes utilizadas Para financiar nosso capital de giro e nossos investimentos em ativos não circulantes ( CAPEX ), a Investco se utiliza do caixa gerado por suas atividades, bem como de empréstimos e financiamentos contraídos junto a instituições financeiras, quando necessário. Nossos Diretores acreditam que estamos em uma situação confortável em relação as nossas fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos não circulantes, tendo em vista principalmente (i) nossa capacidade de geração de caixa e (ii) nosso limite de crédito já contrato e não utilizado. e. fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos nãocirculantes que pretende utilizar para cobertura de deficiências de liquidez Na contratação de novos financiamentos, nossos Diretores buscam analisar as opções disponíveis naquele momento, dependendo das condições de mercado, almejando sempre o prazo médio máximo para taxas de juros correspondentes. f. níveis de endividamento e as características de tais dívidas, descrevendo ainda: (i) contratos de empréstimo e financiamento relevantes; (ii) outras relações de longo prazo com instituições financeiras; (iii) grau de subordinação entre as dívidas; (iv) eventuais restrições impostas à Companhia, em especial, em relação a limites de endividamento e contratação de novas dívidas, à distribuição de dividendos, à alienação de ativos, à emissão de novos valores mobiliários e à alienação de controle societário A tabela a seguir apresenta o endividamento da Companhia para os períodos indicados: 4

5 Encargos 31/12/2012 Principal 31/12/2011 Total Encargos Principal Total Valor contratado Data da contratação Valor liberado Vigência do contrato Utilização Covenants Custo da dívida Forma de pagamento Circulante Não circulante Não circulante Circulante Circulante Não circulante Ações recebíveis cumulativa Banco do Brasil - Cédula de Crédito Bancário /12/ BNDES e outros bancos /09/ /12/2011 a 20/03/ /01/2001 a 15/10/2012 Ajuste a valor presente das ações preferenciais A, B e C conforme item 19 do CPC 39-8,70% a.a. Dividendos anuais Capital de Giro - 107% do CDI Implantação da Usina Hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães - Lajeado i. Indice de Capital Próprio: Patrimônio Líquido sobre Ativo Total igual ou superior a 30%. ii. Manutenção de caixa mínimo de R$ 3 milhões 4,00% a.a. acima da TJLP Principal e juros em parcela única no final Principal e juros mensal Total

6 g. limites de utilização dos financiamentos já contratados Não há. h. alterações significativas em cada item das demonstrações financeiras A discussão a seguir, sobre a situação financeira e o resultado das operações da Investco, reflete o entendimento dos nossos Diretores e deverá ser lida junto com as demonstrações financeiras da Investco relativa aos exercícios sociais findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e respectivas notas explicativas, bem como com as informações constantes dos demais itens desta Proposta de Administração. Resultados operacionais em 2011 e 2012 A tabela abaixo apresenta os valores relativos à demonstração de resultados consolidada e as variações ocorridas nos períodos apresentados. Ressaltamos que os valores relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 refletem os dados reapresentados das demonstrações financeiras para fins de comparação com as demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, respectivamente, decorrente das alterações introduzidas pela Lei n.º e os pronunciamentos técnicos emitidos pelo CPC. Demonstração do Resultado do Exercício 31/12/2011 AV (1) 31/12/2012 AV (1) 12/11-12/12 Variação (%) Receita operacional líquida ,0% ,0% 26,7% Custo do serviço de energia elétrica Custo com energia elétrica (1.426) -0,7% (1.528) -0,6% 7,2% Energia elétrica comprada para revenda (129) -0,1% (142) -0,1% 10,1% Encargos de uso da rede elétrica (1.297) -0,6% (1.386) -0,5% 6,9% Custo de operação (45.917) -22,9% (47.144) -18,6% 2,7% Pessoal (5.423) -2,7% (6.766) -2,7% 24,8% Materiais e serviços de terceiros (5.691) -2,8% (4.863) -1,9% -14,5% Depreciações e amortizações (34.712) -17,3% (35.446) -14,0% 2,1% Outros custos de operação (91) 0,0% (69) 0,0% -24,2% Lucro operacional bruto ,4% ,8% 34,1% Despesas operacionais (13.812) -6,9% (20.081) -7,9% 45,4% Despesas com vendas (84) 0,0% (22) 0,0% -73,8% Despesas gerais e administrativas (11.697) -5,8% (16.862) -6,6% 44,2% Depreciações e amortizações (217) -0,1% (585) -0,2% 169,6% Outras despesas operacionais (1.814) -0,9% (2.612) -1,0% 44,0% Resultado do serviço ,5% ,9% 32,9% Receitas financeiras ,1% ,8% -68,7% Despesas financeiras (30.272) -15,1% (32.257) -12,7% 6,6% Resultado financeiro (24.017) -12,0% (30.302) -11,9% 26,2% Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social ,5% ,0% 34,4% Imposto de renda e contribuição social correntes (33.743) -16,8% (37.695) -14,9% 11,7% Imposto de renda e contribuição social diferidos ,4% (22.938) -9,0% -900,3% Lucro Líquido do exercício/trimetre ,1% ,1% 11,6% Lucro por Ação (em Reais) 0, ,11968 Comparação dos resultados consolidados nos exercícios sociais findos em 31 de dezembro de 2011 e 31 de dezembro de Receita operacional líquida O total da receita operacional líquida verificada no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 atingiu um valor de R$ , que representa um aumento de 26,7% em relação ao mesmo período do exercício social anterior, quando o valor foi de R$ O principal determinante da variação da receita líquida em 2012 foi a aplicação do coeficiente de ajuste do Contrato de Arrendamento. Custo com energia elétrica O custo com energia elétrica no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 foi de R$1.528, o que representou um aumento de 7,2% em relação ao exercício social anterior, 6

7 quando o valor foi de R$ O aumento do custo é devido principalmente pela Energia elétrica comprada para revenda que teve um aumento de 10,1%. Custo de operação Os custos de operação no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 foram de R$ o que representa um aumento de 2,7% em relação ao ano anterior, quando o valor foi de R$ devido aos seguintes fatores: Pessoal: Os custos com pessoal aumentaram 24,8%, atingindo R$6.766 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 contra R$5.423 no exercício social anterior, devido ao reajuste nas rubricas de remuneração, benefícios e assistência médica em virtude índice de acordo coletivo de trabalho e complemento de provisões nas rubricas deste Grupo. Materiais e serviços de terceiros: Os custos com materiais e serviços de terceiros apresentou decréscimo de 14,5%, atingindo R$4.863 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 contra R$5.691 no exercício social anterior. Depreciações e amortizações: As depreciações e amortizações atingiram R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 contra R$ no exercício social anterior, devido à maior nível de imobilização de obras. Outros custos de operação: Os outros custos de operação reduziram 24,2%, atingindo R$69 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 contra R$91 no exercício social anterior, devido essencialmente a inflação no período. Lucro operacional bruto O lucro operacional bruto teve uma variação positiva de 34,1% no período, atingindo R$ em 31 de dezembro de 2012, contra o montante de R$ em 31 de dezembro de 2011, em virtude do acima exposto. Despesas operacionais Nossas despesas operacionais aumentaram em 45,4%, atingindo R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, contra R$ no exercício social anterior, devido aos seguintes fatores: Despesas gerais e administrativas: As despesas gerais e administrativas aumentaram 44,2%, atingindo R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 contra R$ no exercício social anterior, devido principalmente à implantação do sistema de estoque no ano de 2011 que gerou crédito referente ao estorno dos custos do estoque para a conta estoque no ativo circulante no valor de cerca de R$3.600, fato que não ocorreu no ano de Depreciações e amortizações: A variação de 169,6% no período, sendo o saldo de 31 de dezembro de 2012 de R$585 e em 31 de dezembro de 2011 de R$217. Esta variação devese, principalmente, ao menor crédito de PIS/COFINS sobre a depreciação dos bens no ano de 2012 frente a Outras despesas (receitas) operacionais: Os outros custos operacionais aumentaram 44,0%, atingindo R$2.612 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 contra R$1.814 no exercício social anterior, devido basicamente ao acréscimo com provisões para contingências. Resultado do serviço O resultado do serviço aumentou 32,9%, atingindo R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, contra R$ no exercício social anterior, principalmente em virtude do acima exposto nas rubricas de receita operacional, custos com energia elétrica e de operação, além das despesas operacionais. Resultado financeiro líquido O resultado financeiro da Investco no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 aumentou 26,2% e atingiu R$30.302, contra um montante de R$ em 31 de dezembro de Esta variação é composta, principalmente, pela contabilização a título de despesa 7

8 financeira dos dividendos adicionais das ações preferenciais classe A, B e C (CPC 39) compensados por menores encargos das dívidas em função da liquidação das debêntures e financiamentos ao longo dos períodos. Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social O lucro antes do imposto de renda e da contribuição social apresentou variação positiva de 34,4%, atingindo em 2012 o montante de R$ contra um montante de R$ em 2011, em virtude da maior receita operacional líquida compensada, parcialmente, pelo resultado financeiro explicado no item anterior. Imposto de renda e contribuição social As despesas com imposto de renda e contribuição social no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012 foram de R$ acréscimo de 96,4% frente ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2011, quando foram de R$ As principais variações são em decorrência de: Imposto de renda e contribuição social correntes: apresentou variação de 11,7% atingindo um montante de R$ em 2012 contra R$ em 2011, em virtude, principalmente do maior lucro tributável da Investco. Imposto de renda e contribuição social diferidos: apresentou variação negativa de R$ atingindo um montante negativo de R$ em 2012 contra um montante positivo R$2.866 em 2011, devido a contabilização no ano de 2012 referente ao ajuste no imposto de renda diferido das Ações Preferenciais A, B e C no ano de 2010 (CPC 39). Lucro líquido Em função dos efeitos analisados, o lucro líquido consolidado alcançou R$ em 2012, 11,6% superior à FONTES E USOS DE RECURSOS A Investco conta, principalmente, com o fluxo de caixa das suas operações e com recursos captados de terceiros por meio de contratos de financiamento para custear suas atividades operacionais e investimentos. Balanço Patrimonial em 2011 e 2012 As tabelas abaixo apresentam os Balanços Patrimoniais consolidados levantados nos exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2011 e 2012: Balanços Patrimoniais 31/12/2011 AV (1) 31/12/2012 AV (1) 12/11-12/12 Variação (%) Ativo Circulante ,5% ,5% 27,2% Caixa e equivalentes de caixa ,2% ,4% 81,7% Concessionárias 582 0,0% 549 0,0% -5,7% Impostos e contribuições sociais ,6% ,1% 28,4% Estoques ,3% ,3% -20,6% Despesas pagas antecipadamente 664 0,0% 5 0,0% -99,2% Rendas a receber ,2% ,7% 35,0% Outros créditos 172 0,0% 79 0,0% -54,1% Não circulante ,5% ,5% -2,9% Imposto de renda e contribuição social diferidos ,6% - 0,0% -100,0% Cauções e depósitos vinculados ,1% ,1% -6,4% - - Imobilizado ,9% ,5% -2,3% Intangível ,9% ,9% -2,7% Total do Ativo ,0% ,0% -1,8% 8

9 Balanços Patrimoniais 31/12/2011 AV (1) 31/12/2012 AV (1) 12/11-12/12 Variação (%) Passivo Circulante ,4% ,0% -34,1% Fornecedores ,2% ,4% 50,6% Impostos e contribuições sociais ,8% ,6% 25,5% Dividendos ,1% ,1% 170,6% Partes relacionadas ,9% - 0,0% -100,0% Debêntures - 0,0% - 0,0% n.d. Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas ,3% ,9% -80,6% Benefícios pós-emprego 12 0,0% 19 0,0% 58,3% Obrigações estimadas com pessoal ,1% ,2% 67,5% Encargos regulamentares e setoriais 158 0,0% 348 0,0% 120,3% Uso do bem público ,3% ,3% 7,2% Provisões ,6% ,5% -12,0% Outras contas a pagar 268 0,0% 416 0,0% 55,2% Não circulante ,1% ,4% 11,2% Imposto de renda e contribuição social diferidos - 0,0% ,1% n.d. Debêntures - 0,0% - 0,0% n.d. Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas ,4% ,4% -2,0% Benefícios pós-emprego 243 0,0% 551 0,0% 126,7% Partes relacionadas 132 0,0% 487 0,0% 268,9% Encargos regulamentares e setoriais 41 0,0% 334 0,0% 714,6% Uso do bem público ,7% ,9% 4,8% Provisões ,1% ,0% -11,4% Patrimônio líquido ,4% ,6% 2,2% Capital social ,4% ,5% 0,0% Reservas de capital ,0% ,1% 0,0% Reservas de lucros ,0% ,1% 9,0% Outros resultados abrangentes - 0,0% - 0,0% n.d. - - Total do passivo e patrimônio líquido ,0% ,0% -1,8% Comparação das Principais Contas Patrimoniais em 31 de dezembro de 2011 e 31 de dezembro de 2012 Ativo Circulante Caixa e equivalentes de caixa Em 31 de dezembro de 2012, o saldo da conta era de R$6.023, ou 81,7% superior a 31 de dezembro de Esta variação ocorreu devido, principalmente, às atividades operacionais da Investco. A conta representa 0,4% do ativo da Investco em 31 de dezembro de 2012, em comparação com 0,2% em 31 de dezembro de Concessionárias Em 31 de dezembro de 2012, a rubrica era de R$549, 5,7% inferior a 31 de dezembro de 2011, devido principalmente a menor venda de energia. Na composição do ativo total da Investco, esta conta não possui representatividade significante. Impostos e contribuições sociais Em 31 de dezembro de 2012, impostos e contribuições sociais eram de R$28.848, 28,4% superior a 31 de dezembro de 2011, principalmente devido a Crédito de COFINS em 2011, fato que não ocorreu no ano de Na composição do ativo da Investco, a conta representou 2,1% em 31 de dezembro de 2012 e 1,6% em 31 de dezembro de Estoques Em 31 de dezembro de 2012 os estoques da Investco eram de R$3.729, uma redução de 20,6% se comparado com o exercício anterior que foi de R$4.696 com representatividade relevante sobre o ativo em ambos os anos de 0,3%. O saldo do estoque é composto de itens de peças e materiais de manutenção inventariados e valorizados a valor de mercado. Despesas pagas antecipadamente Em 31 de dezembro de 2012 as despesas pagas antecipadamente eram de R$ 5, uma redução de 99,2% se comparado com o exercício anterior que foi de R$664, principalmente quanto à rubrica de Prêmios de Seguros. Esta conta possui baixa representatividade sobre o ativo. 9

10 Rendas a receber Em 31 de dezembro de 2012 esta rubrica era de R$22.779, 35% superior ao período anterior que registrou R$16.870, principalmente referente sua atividade de Arrendamento da Usina. Na composição do ativo da Investco, esta conta representa 1,7% em 31 de dezembro de 2012 e 1,2% em 31 de dezembro de Outros créditos O saldo da conta em 31 de dezembro de 2012 era de R$79, R$93 inferior a 31 de dezembro de Este decréscimo ocorreu principalmente por conta de adiantamento salarial e serviços de pesquisa e desenvolvimento. Na composição do ativo da Investco, esta conta possui baixa representatividade. Não Circulante Imposto de renda e contribuição social diferidos Em 31 de dezembro de 2012 não houve movimentação nesta conta. O saldo em 31 de dezembro de 2011 era de R$8.140, devido crédito fiscal recuperável de IRPJ e CSLL ocorridos e aumento de crédito fiscal a recuperar de IRPJ. Na composição de nosso ativo, a conta não apresentou representatividade em 31 de dezembro de 2012 e 0,6% em 31 de dezembro de Cauções e depósitos vinculados Em 31 de dezembro de 2012, a conta de cauções e depósitos vinculados apresentou saldo de R$1.117 praticamente sem variação entre os anos, já que o ano de 2011 registrou saldo de R$ 1.193, um sendo o saldo composto por processos trabalhistas. Na composição de nosso ativo, a conta representou 0,1% para ambos os anos sob análise. Imobilizado Em 31 de dezembro de 2012, o imobilizado era de R$ , 2,3% menor que em 31 de dezembro de 2011, que era de R$ Essa variação é decorrente das adições ao imobilizado em curso no período, compensadas em parte pela depreciação dos ativos. A conta de imobilizado representou 93,5% do ativo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 93,9% em 31 de dezembro de Intangível Em 31 de dezembro de 2012, o intangível era de R$26.138, 2,7% inferior ao saldo de 31 de dezembro de 2011, decorrente da amortização do Uso do Bem Público (UBP). A conta de intangível representou 1,9% do ativo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e em 31 de dezembro de Passivo Circulante Fornecedores Em 31 de dezembro de 2012, o saldo de fornecedores era de R$4.850, ou 50,6% superior a 31 de dezembro de Essa variação deve-se principalmente pelo aumento na aquisição de materiais e serviços. A conta representa 0,4% do passivo do ativo da Investco em 31 de dezembro de 2012, e 0,2% em 31 de dezembro de Impostos e contribuições sociais O saldo da conta de impostos e contribuições sociais, em 31 de dezembro de 2012, era de R$49.653, apresentando um aumento de 25,5% em comparação com o saldo de 31 de dezembro de 2011, em decorrência, basicamente, de aumento no IRPJ e CSLL a pagar, pelo aumento do lucro tributável do período. Com relação ao total do passivo, impostos e contribuições sociais representam, respectivamente 3,6% e 2,8%, em 31 de dezembro de 2012 e em 31 de dezembro de Dividendos 10

11 Em 31 de dezembro de 2012, o saldo da conta de dividendos era de R$43.330, demonstrando aumento de de 170,6% quando comparado a 31 de dezembro de 2011 que era R$ A conta representa 3,1% do passivo total em 31 de dezembro de 2012 e 1,1% em 31 de dezembro de Partes relacionadas Em 31 de dezembro de 2012 não temos saldo na conta de partes relacionadas, devido a não existência de contratos de mútuos com a Lajeado Energia S.A. ( Lajeado Energia ). Em 31 de dezembro de 2011 o saldo era de R$ Em 31 de dezembro de 2012 não há representatividade desta rubrica sobre o passivo total enquanto que no ano de 2011 representa 3,9%. Debêntures Não tivemos saldo na conta de debêntures para ambos os períodos em análise. Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas O saldo da conta em 31 de dezembro de 2012 era de R$11.849, com redução de 80,6% quando comparado a 31 de dezembro de 2011, principalmente em decorrência das liquidações das dívidas com BNDES e Banco do Brasil. Empréstimos e financiamentos representam 0,9,% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 4,3% em 31 de dezembro de Obrigações estimadas com pessoal Em 31 de dezembro de 2012, esta rubrica era de R$2.286, 67,5% superior ao período anterior. Sua representatividade sobre o passivo total é de 0,2% para 2012 e 0,1% para Esta rubrica contempla folha de pagamento, provisões de férias, 13º salário, INSS, FGTS e provisão para participação nos lucros e resultados do exercício. Encargos regulamentares e setoriais O saldo da conta em 31 de dezembro de 2012 era de R$348, comparado com R$158 em 31 de dezembro de 2011, demonstrando um aumento de 120,3%, principalmente em decorrência da conta de pesquisa e desenvolvimento e compensação financeira pela utilização de recursos hídricos, que varia de acordo com a receita operacional líquida. Encargos regulamentares e setoriais não possuem representatividade significante do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e em 31 de dezembro de Uso do Bem Público Em 31 de dezembro de 2012, o saldo da conta era de R$3.894, 7,2% superior ao saldo de 31 de dezembro de 2011 que era de R$3.634, em virtude da atualização financeira do saldo total e da liquidação das parcelas no período. A conta representa 0,3% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de Provisões A conta de provisões engloba as provisões para contingências cíveis, fiscais, trabalhistas além das provisões para licenças ambientais. Em 31 de dezembro de 2012, possuía um saldo de R$7.496, 12,0% inferior a 31 de dezembro de Esta variação se deu principalmente pela provisão de licenças ambientais. Na composição do passivo total da Investco, a conta representou 0,5% em 31 de dezembro de 2012 e 0,6% em 31 de dezembro de Outras contas a pagar O saldo da conta em 31 de dezembro de 2012 era de R$416, aumento de 55,2% comparada a 31 de dezembro de 2011, principalmente em decorrência da folha de pagamento e seus tributos. As outras contas a pagar não apresentam variação significativa no passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e em 31 de dezembro de Não Circulante Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos Temos somente saldo nesta conta em 31 de dezembro de 2012 no valor de R$ e refere-se ao ajuste no imposto de renda diferido das Ações Preferenciais A, B e C do ano de 2010 (CPC 39). 11

12 Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas O saldo da conta em 31 de dezembro de 2012 era de R$73.624, redução de 2,0% se comparado com 31 de dezembro de 2011, principalmente em decorrência da apropriação de encargos e pelas transferências para o passivo circulante e conseqüente pagamento. Representam 5,4% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de Benefícios pós-emprego O saldo da conta benefícios pós-emprego, em 31 de dezembro de 2012, era de R$551, em decorrência de atualização das premissas constantes do laudo atuarial e transferências para o passivo circulante das parcelas inferiores a um ano. A conta não possui representatividade expressiva no passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de Partes relacionadas O saldo da conta de partes relacionadas não tem representatividade significante sobre o passivo total em 31 de dezembro de 2012 e em 31 de dezembro de 2011, cujos montantes eram respectivamente de R$487 e R$132. A variação da conta se dá basicamente pela transferência para o passivo circulante das parcelas inferiores há 01 (um) ano. Encargos regulamentares e setoriais O saldo da conta de encargos regulamentares e setoriais não tem representatividade significante sobre o passivo total em 31 de dezembro de 2012 e em 31 de dezembro de 2011, cujos montantes eram respectivamente de R$334 e R$41. A variação da conta se dá basicamente pela transferência para o passivo circulante das parcelas inferiores há 01 (um) ano. Uso do Bem Público Em 31 de dezembro de 2012, o saldo da conta era de R$39.612, 4,8% superior ao saldo de 31 de dezembro de 2011, que era de R$37.814, basicamente em virtude da atualização financeira (pelo IGP-M) do saldo total e da transferência para o passivo circulante das parcelas inferiores há um ano. A conta representa 2,9% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 2,7% em 31 de dezembro de Provisões A conta de provisões, em 31 de dezembro de 2012, possuía um saldo no passivo não circulante de R$13.078, 11,4% inferior a 31 de dezembro de Este decréscimo se deu principalmente aos menores custos necessários para atribuição das licenças ambientais (CPC 25). Na composição do passivo total da Investco, a conta representou 1,0% em 31 de dezembro de 2012 e 1,1% em 31 de dezembro de Patrimônio líquido O patrimônio líquido era R$ em 31 de dezembro de 2012, um aumento de 2,2% em relação a 31 de dezembro de 2011, em razão, basicamente do aumento do lucro líquido do período e da destinação de uma parcela do lucro para dividendos a pagar. A conta representa 80,6% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2012 e 77,4% em 31 de dezembro de Capital Social Em 31 de dezembro de 2012 o capital social da Investco era de R$ , sendo o mesmo valor para o período anterior. Sua representatividade no passivo total da Investco é de 58,5%. Reservas de capital As reservas de capital são de R$ em dezembro de 2012, sem variação para o período anterior, e constituem-se no ágio na emissão de ações proveniente da atualização monetária verificada entre a data de subscrição da ação e a data de sua efetiva integralização. Esta conta representa 1,1% do passivo total da Investco. 12

13 Reservas de lucro Em 31 de dezembro de 2012, as reservas de lucro tinham um saldo de R$ , um aumento de 9,0%, se comparado ao período anterior que foi de R$ Este aumento decorre principalmente da constituição de reserva de lucro dividendo adicional proposto de R$41.500, ocorrido em A representatividade em 31 de dezembro de 2012 no passivo total da Investco foi de 21,1% e em 31 de dezembro de 2011 foi de 19,0%. Outros resultados abrangentes O saldo da conta de outros resultados abrangentes não apresentou saldo para os exercícios de 2012 e Fluxo de caixa em 2011 e 2012 A tabela a seguir apresenta o nosso fluxo de caixa das atividades operacionais, de investimento e de financiamento para os períodos indicados: (R$ milhões) 31/12/ /12/2012 Variação 12/12-12/11 (R$) Variação 12/12-12/11 (%) Caixa gerado pelas (aplicado nas) atividades operacionais ,1% Caixa gerado pelas (aplicado nas) atividades de investimentos (19.549) (6.484) ,8% Caixa gerado pelas (aplicado nas) atividades de financiamento ( ) ( ) (39.405) 30,6% Disponibilidades no início do período/exercício (598) -15,3% Disponibilidades no final do período/exercício ,7% Aumento (redução) nas disponibilidades (598) ,0% Aumento (redução) nas disponibilidades (%) -15,3% 81,7% Comparação do Fluxo de Caixa nos exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2011 e 31 de dezembro de 2012 O fluxo de caixa das atividades operacionais apresentou um aumento de R$ ou 20,1%, entre os períodos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de Tal variação é explicada principalmente pelo aumento da Receita Operacional Líquida. O fluxo de caixa das atividades de investimento, por sua vez, apresentou redução de R$13.065, ou 66,8%, entre os períodos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de 2011, explicados pelas menores adições ao imobilizado intangível. Adicionalmente, o fluxo de caixa das atividades de financiamento apresentou aumento de R$39.405, ou 30,6%, entre os períodos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de 2011, devido principalmente a liquidações dos empréstimos e financiamentos. Resultados operacionais em 2010 e 2011 A tabela abaixo apresenta os valores relativos à demonstração de resultados consolidada e as variações ocorridas nos períodos apresentados. Ressaltamos que os valores relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2010 refletem os dados reapresentados das demonstrações financeiras para fins de comparação com as demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, respectivamente, decorrente das alterações introduzidas pela Lei n.º e os pronunciamentos técnicos emitidos pelo CPC. 13

14 Demonstração do Resultado do Exercício 31/12/2010 AV (1) 31/12/2011 AV (1) 12/10-12/11 Variação (%) Receita operacional líquida ,0% ,0% 5,2% Custo do serviço de energia elétrica Custo com energia elétrica (1.312) -0,7% (1.426) -0,7% 8,7% Energia elétrica comprada para revenda (112) -0,1% (129) -0,1% 15,2% Encargos de uso da rede elétrica (1.200) -0,6% (1.297) -0,6% 8,1% Custo de operação (43.669) -22,9% (45.917) -22,9% 5,1% Pessoal (5.015) -2,6% (5.423) -2,7% 8,1% Materiais e serviços de terceiros (2.913) -1,5% (5.691) -2,8% 95,4% Depreciações e amortizações (35.649) -18,7% (34.712) -17,3% -2,6% Outros custos de operação (92) 0,0% (91) 0,0% -1,1% Lucro operacional bruto ,4% ,4% 5,1% Despesas operacionais (16.499) -8,7% (13.812) -6,9% -16,3% Despesas com vendas (304) -0,2% (84) 0,0% -72,4% Despesas gerais e administrativas (14.369) -7,5% (11.697) -5,8% -18,6% Depreciações e amortizações (199) -0,1% (217) -0,1% 9,0% Outras despesas operacionais (1.627) -0,9% (1.814) -0,9% 11,5% Resultado do serviço ,7% ,5% 7,9% Receitas financeiras ,7% ,1% -11,4% Despesas financeiras (38.415) -20,2% (30.272) -15,1% -21,2% Resultado financeiro (31.356) -16,5% (24.017) -12,0% -23,4% Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social ,3% ,5% 17,9% Imposto de renda e contribuição social correntes (30.496) -16,0% (33.743) -16,8% 10,6% Imposto de renda e contribuição social diferidos ,6% ,4% 150,1% Lucro Líquido do exercício/trimetre ,9% ,1% 23,4% Lucro por Ação (em Reais) 0, ,10720 Comparação dos resultados consolidados nos exercícios sociais findos em 31 de dezembro de 2010 e 31 de dezembro de Receita operacional líquida O total da receita operacional líquida verificada no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 atingiu um valor de R$ , o que representa um aumento de 5,2% em relação ao mesmo período do exercício social anterior, quando o valor foi de R$ O principal determinante da variação da receita líquida em 2011 foi a aplicação da fórmula do Arrendamento. Custo com energia elétrica O custo com energia elétrica no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 foi de R$1.426, o que representou um aumento de 8,7% em relação ao exercício social anterior, quando o valor foi de R$ O aumento do custo é devido principalmente pela Energia elétrica comprada para revenda que teve um aumento de 15,2% entre os exercícios. Custo de operação Os custos de operação no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 foram de R$45.917, o que representa um aumento de 5,1% em relação ao ano anterior, quando o valor foi de R$43.669, devido aos seguintes fatores: Pessoal: Os custos com pessoal aumentaram 8,1%, atingindo R$5.423 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 contra R$5.015 no exercício social anterior, devido a apropriação de Time-sheet dos gestores transversais alocados na EDP Energias do Brasil S.A ( EDPBR ), conforme resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica ( ANEEL ), além do reajuste no acordo coletivo. Materiais e serviços de terceiros: Os custos com materiais e serviços de terceiros aumentaram 95,4%, atingindo R$5.691 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 contra R$2.913 no exercício social anterior. Este aumento deve-se a contratações emergenciais realizadas em 2011 visando atendimento a não conformidades detectadas na inspeção realizada pela ANEEL em 04/2011. Depreciações e amortizações: As depreciações e amortizações atingiram R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 contra R$ no exercício social anterior, devido à maior nível de imobilização de obras. 14

15 Outros custos de operação: Os outros custos de operação reduziram 1,1%, atingindo R$91 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 contra R$92 no exercício social anterior, devido essencialmente à inflação no período. Lucro operacional bruto O lucro operacional bruto teve uma variação positiva de 5,1% no período, atingindo R$ em 31 de dezembro de 2011, contra um montante de R$ em 31 de dezembro de 2010, em virtude do acima exposto. Despesas operacionais Nossas despesas operacionais reduziram em 16,3%, atingindo R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, contra R$ no exercício social anterior, devido aos seguintes fatores: Despesas gerais e administrativas: As despesas gerais e administrativas diminuíram 18,6%, atingindo R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 contra R$ no exercício social anterior, devido basicamente à implantação do sistema de estoque que gerou créditos de cerca de R$ Depreciações e amortizações: A variação de 9,0% no período, sendo o saldo de 31 de dezembro de 2011 de R$ e em 31 de dezembro de 2010 de R$199. Esta variação deve-se, principalmente, pelo alinhamento das curvas de amortização. Outras despesas (receitas) operacionais: Os outros custos operacionais aumentaram 11,5%, atingindo R$1.814 no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 contra R$1.627 no exercício social anterior, devido basicamente à provisões para contingências. Resultado do serviço O resultado do serviço aumentou 7,9%, atingindo R$ no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, contra R$ no exercício social anterior, principalmente em virtude do acima exposto nas rubricas de receita operacional, custos com energia elétrica e de operação, além das despesas operacionais. Resultado financeiro líquido O resultado financeiro da Investco no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 diminuiu 23,4% e atingiu R$24.017, contra um montante de R$ em 31 de dezembro de Contribuíram para este resultado as seguintes variações: Receitas financeiras: O montante de receitas financeiras apresentou variação negativa de 11,4%, atingindo R$6.255 em 2011 contra um montante de R$ A variação de R$804 corresponde principalmente à renda de aplicações financeiras. Despesas financeiras: O montante de despesas financeiras apresentou variação negativa de 21,2%, atingindo R$ em 2011 contra um montante de R$ A variação de R$8.143 corresponde principalmente a encargos de dívidas. Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social O lucro antes do imposto de renda e da contribuição social apresentou variação positiva de 17,9%, atingindo em 2011 o montante de R$ contra um montante de R$ em 2010, em virtude, principalmente do resultado financeiro conforme explicado no item anterior. Imposto de renda e contribuição social Imposto de renda e contribuição social correntes: apresentou variação de 10,6% atingindo um montante de R$ em 2011 contra R$ em 2010, em virtude, principalmente do maior lucro tributável da Investco. Imposto de renda e contribuição social diferidos: apresentou variação de R$1.720 atingindo um montante de R$2.866 em 2011 contra R$1.146 em 2010, em virtude, principalmente do aumento das provisões trabalhistas e CPC

16 Lucro líquido Em função dos efeitos analisados, o lucro líquido consolidado alcançou R$ em 2011, 23,4% maior que O aumento se deu, principalmente, pela variação no resultado financeiro líquido explicado acima. FONTES E USOS DE RECURSOS A Investco conta, principalmente, com o fluxo de caixa das suas operações e com recursos captados de terceiros por meio de contratos de financiamento para custear suas atividades operacionais e investimentos. Balanço Patrimonial em 2010 e 2011 As tabelas abaixo apresentam os Balanços Patrimoniais consolidados levantados nos exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2010 e 2011: Balanços Patrimoniais 31/12/2010 AV (1) 31/12/2011 AV (1) 12/10-12/11 Variação (%) Ativo Circulante ,9% ,5% 17,7% Caixa e equivalentes de caixa ,3% ,2% -15,3% Concessionárias 537 0,0% 582 0,0% 8,4% Impostos e contribuições sociais ,7% ,6% -7,2% Estoques - 0,0% ,3% n.d. Despesas pagas antecipadamente 725 0,1% 664 0,0% -8,4% Rendas a receber ,8% ,2% 40,7% Outros créditos 73 0,0% 172 0,0% 135,6% Não circulante ,1% ,5% -1,8% Imposto de renda e contribuição social diferidos ,4% ,6% 57,0% Cauções e depósitos vinculados 620 0,0% ,1% 92,4% - - Imobilizado ,7% ,9% -2,0% Intangível ,9% ,9% -1,7% Total do Ativo ,0% ,0% -1,2% Balanços Patrimoniais 31/12/2010 AV (1) 31/12/2011 AV (1) 12/10-12/11 Variação (%) Passivo Circulante ,5% ,4% 6,0% Fornecedores ,1% ,2% 58,7% Impostos e contribuições sociais ,4% ,8% 14,7% Dividendos ,9% ,1% -39,6% Partes relacionadas - 0,0% ,9% n.d. Debêntures ,4% - 0,0% -100,0% Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas ,7% ,3% -8,3% Benefícios pós-emprego - 0,0% 12 0,0% #DIV/0! Obrigações estimadas com pessoal ,1% ,1% 3,1% Encargos regulamentares e setoriais 144 0,0% 158 0,0% 9,7% Uso do bem público ,2% ,3% 7,8% Provisões ,6% ,6% -7,1% Outras contas a pagar 255 0,0% 268 0,0% 5,1% Não circulante ,5% ,1% -41,7% Imposto de renda e contribuição social diferidos - 0,0% - 0,0% n.d. Debêntures - 0,0% - 0,0% n.d. Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas ,7% ,4% -39,2% Benefícios pós-emprego - 0,0% 243 0,0% n.d. Partes relacionadas ,4% 132 0,0% -99,7% Encargos regulamentares e setoriais 17 0,0% 41 0,0% 141,2% Uso do bem público ,3% ,7% 14,1% Provisões ,0% ,1% 4,2% Patrimônio líquido ,0% ,4% 6,3% Capital social ,7% ,4% 0,0% Reservas de capital ,0% ,0% 0,0% Reservas de lucros ,3% ,0% 31,8% Outros resultados abrangentes - 0,0% - 0,0% n.d. - - Total do passivo e patrimônio líquido ,0% ,0% -1,2% 16

17 Comparação das Principais Contas Patrimoniais em 31 de dezembro de 2010 e 31 de dezembro de 2011 Ativo Circulante Caixa e equivalentes de caixa Em 31 de dezembro de 2011, o saldo da conta era de R$3.314, ou 15,3% inferior a 31 de dezembro de Esta variação ocorreu devido principalmente, às atividades operacionais da Investco. A conta representa 0,2% do ativo da Investco em 31 de dezembro de 2011, em comparação com 0,3% em 31 de dezembro de Consumidores e concessionárias Em 31 de dezembro de 2011, a rubrica era de R$582, 8,4% superior a 31 de dezembro de 2010, devido principalmente a maior venda de energia. Na composição do ativo total da Investco, esta conta não possui representatividade significante. Impostos e contribuições sociais Em 31 de dezembro de 2011, impostos e contribuições sociais eram de R$22.468, 7,2% inferior a 31 de dezembro de 2010, principalmente devido a Crédito de COFINS em 2010 referentes ao período de Jan/08 a Out/10. Na composição do ativo da Investco, a conta representou 1,6% em 31 de dezembro de 2011 e 1,7% em 31 de dezembro de Estoques Os estoques da Investco passaram a ser contabilizados somente em 31 de dezembro de 2011 no valor de R$4.696, com representatividade de 0,3% sobre o ativo total da empresa. Este saldo se refere a itens de peças e materiais de manutenção inventariados e valorizados a valor de mercado no qual a Investco, através de Reunião de Diretoria em 19 de julho de 2011, deliberou a implementação de controle através de estoque, com o objetivo de criar controles analíticos adequados que permitam aperfeiçoar o sistema de controle interno. Despesas pagas antecipadamente Em 31 de dezembro de 2011 as despesas pagas antecipadamente eram de R$664, uma redução de 8,4% se comparado com o exercício anterior que foi de R$725, principalmente quanto à rubrica de Prêmios de Seguros - Incêndio. Esta conta possui representatividade relevante sobre o ativo somente em 2010, de 0,1%. Rendas a receber Em 31 de dezembro de 2011 esta rubrica era de R$16.870, 40,7% superior ao período anterior que registrou R$11.989, principalmente referente sua atividade de Arrendamento da Usina. Na composição do ativo da Investco, esta conta representa 1,2% em 31 de dezembro de 2011 e 0,8% em 31 de dezembro de Outros créditos O saldo da conta em 31 de dezembro de 2011 era de R$172, R$99 superior a 31 de dezembro de Este aumento ocorreu principalmente por conta de adiantamento salarial e serviços de pesquisa e desenvolvimento. Na composição do ativo da Investco, esta conta possui baixa representatividade. Não Circulante Imposto de renda e contribuição social diferidos Em 31 de dezembro de 2011, o saldo da conta era de R$8.140, 57% superior a 31 de dezembro de 2010, devido crédito fiscal recuperável de IRPJ e CSLL ocorridos somente em 2011 e aumento de crédito fiscal a recuperar de IRPJ. Na composição de nosso ativo, a conta representou 0,6% em 31 de dezembro de 2011 e 0,4% em 31 de dezembro de Cauções e depósitos vinculados Em 31 de dezembro de 2011, a conta de cauções e depósitos vinculados possuía um saldo de R$1.193, um aumento de 92,4%, principalmente devido a novos processos trabalhistas. Na composição de nosso ativo, a conta representou 0,1% em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de 2010 não foi significativa. 17

18 Imobilizado Em 31 de dezembro de 2011, o imobilizado era de R$ , 2,0% menor que em 31 de dezembro de 2010, que era de R$ Essa variação é decorrente das adições ao imobilizado em curso no período, compensadas em parte pela depreciação dos ativos. A conta de imobilizado representou 93,9% do ativo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e 94,7% em 31 de dezembro de Intangível Em 31 de dezembro de 2011, o intangível era de R$26.862, 1,7% inferior ao saldo de 31 de dezembro de 2010, decorrente principalmente da redução do Uso do bem público. A conta de intangível representou 1,9% do ativo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de Passivo Passivo circulante Fornecedores Em 31 de dezembro de 2011, o saldo de fornecedores era de R$3.220, ou 58,7% superior a 31 de dezembro de Essa variação deve-se principalmente pelo aumento na aquisição de materiais e serviços. A conta representa 0,2% do passivo do ativo da Investco em 31 de dezembro de 2011, e 0,1% em 31 de dezembro de Impostos e contribuições sociais O saldo da conta de impostos e contribuições sociais, em 31 de dezembro de 2011, era de R$39.561, apresentando um aumento de 14,7% em comparação com o saldo de 31 de dezembro de 2010, em decorrência, basicamente, de aumento no IRPJ e CSLL a pagar, pelo aumento do lucro tributável do período. Com relação ao total do passivo, impostos e contribuições sociais representam, respectivamente 2,8% e 2,4%, em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de Dividendos Em 31 de dezembro de 2011, o saldo da conta de dividendos era de R$16.011, demonstrando uma diminuição de 39,6% quando comparado a 31 de dezembro de 2010 que era R$ A conta representa 1,1% do passivo total em 31 de dezembro de 2011 e 1,9% em 31 de dezembro de Partes relacionadas Em 31 de dezembro de 2011, o saldo na conta de partes relacionadas era de R$54.752, sem contabilização para 31 de dezembro de 2010, devido aos contratos de mútuos com a Lajeado Energia S.A. ( Lajeado Energia ) e a EDPBR que foram reclassificados de Passivo Não Circulante. Em 31 de dezembro de 2010 esta rubrica tem uma representatividade sobre o passivo total de 3,9%. Debêntures Em 31 de dezembro de 2011, não apresentamos saldo na conta de debêntures devido a liquidação total dessa dívida em 31 de outubro de 2011 composta de R$ de principal e R$ de juros alocados em despesa financeira. Em 31 de dezembro de 2010 o saldo da conta era de R$ perfazendo2,4% sobre o passivo total. Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas O saldo da conta em 31 de dezembro de 2011 era de R$60.989, demonstrando uma redução de 8,3% quando comparado a 31 de dezembro de 2010, principalmente em decorrência da liquidação da dívida com BNDES Abertura de crédito de setembro de 2000 com duração de 10 anos. Empréstimos e financiamentos representam 4,3% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e 4,7% em 31 de dezembro de Obrigações estimadas com pessoal Em 31 de dezembro de 2011, esta rubrica era de R$1.365, 3,1% maior que o período anterior. Sua representatividade sobre o passivo total era de 0,1%. Esta rubrica contempla 18

19 folha de pagamento, provisões de férias, 13º salário, INSS, FGTS e provisão para participação nos lucros e resultados do exercício. Encargos regulamentares e setoriais O saldo da conta em 31 de dezembro de 2011 era de R$158, comparado com R$144 em 31 de dezembro de 2010, demonstrando um aumento de 9,7%, principalmente em decorrência da conta de pesquisa e desenvolvimento e compensação financeira pela utilização de recursos hídricos, que varia de acordo com a receita operacional líquida. Encargos regulamentares e setoriais não possuem representatividade significante do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de Uso do Bem Público Em 31 de dezembro de 2011, o saldo da conta era de R$3.634, 7,8% superior ao saldo de 31 de dezembro de 2010 que era de R$3.3370, em virtude da atualização financeira do saldo total e da liquidação das parcelas no período. A conta representa 0,3% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e 0,2% em 31 de dezembro de Provisões A conta de provisões engloba as provisões para contingências cíveis, fiscais, trabalhistas além das provisões para licenças ambientais. Em 31 de dezembro de 2011, possuía um saldo de R$8.519, 7,1% inferior a 31 de dezembro de Esta variação se deu principalmente pela provisão de licenças ambientais. Na composição do passivo total da Investco, a conta representou 0,6% em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de Outras contas a pagar O saldo da conta em 31 de dezembro de 2011 era de R$268, aumento de 5,1% comparada a 31 de dezembro de 2010, principalmente em decorrência da folha de pagamento e seus tributos. Outras contas a pagar não apresentam variação significativa no passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de Não Circulante Empréstimos, financiamentos e encargos de dívidas O saldo da conta em 31 de dezembro de 2011 era de R$75.113, uma diminuição de 39,2% se comparado com 31 de dezembro de 2010, principalmente em decorrência da apropriação de encargos e pelas transferências para o passivo circulante e conseqüente pagamento. Representam 5,4% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e 8,7% em 31 de dezembro de Benefícios pós-emprego O saldo da conta benefícios pós-emprego, em 31 de dezembro de 2011, era de R$243, em decorrência de atualização das premissas constantes do laudo atuarial e transferências para o passivo circulante das parcelas inferiores a um ano. A conta não possui representatividade expressiva no passivo total da Investco em 31 de dezembro de Partes relacionadas O saldo desta conta em 31 de dezembro de 2011 foi de R$132, redução de R$ se comparado ao período anterior que foi de R$48.909, divido a reclassificação dos contratos de mútuo de longo para curto prazo com a Lajeado Energia e EDPBR. Esta conta não é significante no total do passivo em 31 de dezembro de 2011 e representa 3,4% em 31 de dezembro de Encargos regulamentares e setoriais O saldo da conta de encargos regulamentares e setoriais não tem representatividade significante sobre o passivo total em 31 de dezembro de 2011 e em 31 de dezembro de 2010, cujos montantes eram respectivamente de R$41 e R$17. A variação da conta se dá basicamente pela transferência para o passivo circulante das parcelas inferiores há 1 (um) ano. 19

20 Uso do Bem Público Em 31 de dezembro de 2011, o saldo da conta era de R$37.814, 14,1% superior ao saldo de 31 de dezembro de 2010, que era de R$33.155, basicamente em virtude da atualização financeira (pelo IGP-M) do saldo total e da transferência para o passivo circulante das parcelas inferiores há um ano. A conta representa 2,7% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e 2,3% em 31 de dezembro de Provisões A conta de provisões, em 31 de dezembro de 2011, possuía um saldo no passivo não circulante de R$14.758, 4,2% superior a 31 de dezembro de Este aumento se deu em grande parte aos custos necessários para atribuição das licenças ambientais. Na composição do passivo total da Investco, a conta representou 1,1% em 31 de dezembro de 2011 e 1,0% em 31 de dezembro de Patrimônio líquido O patrimônio líquido era R$ em 31 de dezembro de 2011, um aumento de 6,3% em relação a 31 de dezembro de 2010, em razão, basicamente do aumento do lucro líquido do período e da destinação de uma parcela do lucro para dividendos a pagar. A conta representa 77,4% do passivo total da Investco em 31 de dezembro de 2011 e 72% em 31 de dezembro de Capital Social Em 31 de dezembro de 2011 o capital social da Investco era de R$ , sendo o mesmo valor para o período anterior. Sua representatividade no passivo total da Investco é de 57,4%. Reservas de capital As reservas de capital são de R$ em dezembro de 2011, sem variação para o período anterior, e constituem-se no ágio na emissão de ações proveniente da atualização monetária verificada entre a data de subscrição da ação e a data de sua efetiva integralização. Esta conta representa 1,0% do passivo total da Investco. Reservas de lucro Em 31 de dezembro de 2011, as reservas de lucro tinham um saldo de R$ , um aumento de 31,8%, se comparado ao período anterior que foi de R$ Este aumento decorre principalmente da constituição de reserva de lucro dividendo adicional proposto de R$60.067, ocorrido em A representatividade em 31 de dezembro de 2011 no passivo total da Investco foi de 19% e em 31 de dezembro de 2010 foi de 14,3%. Outros resultados abrangentes Somente em 31 de dezembro de 2011 houve saldo em outros resultados abrangentes que foi de R$171, principalmente decorrentes do CPC 33, sem representatividade significante sobre o passivo total da Investco. Fluxo de caixa em 2010 e 2011 A tabela a seguir apresenta o nosso fluxo de caixa das atividades operacionais, de investimento e de financiamento para os períodos indicados: 20

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo

Leia mais

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A.

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 (Não auditado) (Não auditado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 415 7 Fornecedores

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1 Informar o lucro líquido do exercício - O montante do lucro líquido do exercício é de R$ 8.511.185,59 (oito

Leia mais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais . Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2013 Passivo e patrimônio líquido (passivo a descoberto) 2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 200 Empréstimos e

Leia mais

Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A.

Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. Relatório de revisão dos auditores independentes sobre as Informações Trimestrais (ITRs) trimestre findo em 30 de junho de 2015 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Dommo Empreendimentos

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T14

Apresentação de Resultados 3T14 Apresentação de Resultados 3T14 Destaques do Período Início da operação comercial dos parques do LER 2009 Maior complexo de energia eólica da América Latina: 14 parques, 184 aerogeradores, 294,4 MW de

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

CONSTRUTORA ADOLPHO LINDENBERG S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº 61.022.042/0001-18 NIRE nº 35.300.067.827

CONSTRUTORA ADOLPHO LINDENBERG S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº 61.022.042/0001-18 NIRE nº 35.300.067.827 CONSTRUTORA ADOLPHO LINDENBERG S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 61.022.042/0001-18 NIRE nº 35.300.067.827 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA CONSTRUTORA ADOLPHO

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

Bardella S/A Indústrias Mecânicas

Bardella S/A Indústrias Mecânicas Bardella S/A Indústrias Mecânicas Informações requeridas pela Instrução CVM nº 481/09 Proposta da Administração Os valores são expressos em milhares de Reais, exceto se de outra forma indicado. Índice

Leia mais

ATIVO Notas 2009 2008

ATIVO Notas 2009 2008 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2009 2008 CIRCULANTE Caixa e bancos 20.723 188.196 Contas a receber 4 903.098 806.697 Outras contas a receber 5 121.908 115.578 Estoques 11.805 7.673

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 80 Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Parecer dos Auditores Independentes 81 Aos Acionistas da Inepar Telecomunicações S.A Curitiba - PR 1. Examinamos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 82.643.537/0001-34 IE n.º 250.043.106 Rua Eng.º Paul Werner, 925 CEP 89030-900 Blumenau SC Data base: 30 de Junho de 2011 1 Destaques

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Demonstrativo das mutações do ativo imobilizado em 31 de dezembro de 2011

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Demonstrativo das mutações do ativo imobilizado em 31 de dezembro de 2011 Demonstrativo das mutações do ativo imobilizado em 31 de dezembro de 2011 Demonstrativo das mutações do ativo imobilizado Exercício findo em 31 de dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Companhia Brasileira de Alumínio. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e Parecer dos Auditores Independentes

Companhia Brasileira de Alumínio. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e Parecer dos Auditores Independentes 24 de março de 2003 Companhia Brasileira de Alumínio Parecer dos Auditores Independentes 24 de março

Leia mais

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Yuny Incorporadora S.A. Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A.

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 e 2013 Conteúdo Relatório dos Auditores

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010.

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. À Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Membros do Ministério Público de São Paulo PROMOCRED. Diretoria-Executiva São Paulo SP Assunto: Auditoria

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - AUTOPISTA FLUMINENSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - AUTOPISTA FLUMINENSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 2014 (R$) 949.176.907,56

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 2014 (R$) 949.176.907,56 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. 949.176.907,56 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01732-9 TRACTEBEL ENERGIA S.A. 02.474.103/0001-19 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01732-9 TRACTEBEL ENERGIA S.A. 02.474.103/0001-19 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01732-9 TRACTEBEL ENERGIA S.A. 02.474.103/0001-19 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01732-9 TRACTEBEL ENERGIA S.A. 02.474.103/0001-19 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010 ABCD Gonçalves & Tortola S.A. Demonstrações financeiras em Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações

Leia mais

J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014

J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

LINHA AMARELA S.A. LAMSA

LINHA AMARELA S.A. LAMSA LINHA AMARELA S.A. LAMSA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E 2007 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial de empresas

Leia mais

DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CNPJ/MF Nº 04.034.792/0001-76 NIRE 35.300382161 Companhia Aberta Proposta da Administração a ser submetida à aprovação da Assembleia Geral Ordinária a ser realizada

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. - CEASA

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. - CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. - CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 2006 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - NEOENERGIA S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - NEOENERGIA S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 ITR Informações Trimestrais 30/06/2012 NEOENERGIA S.A Versão : 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Adiantamento para futuro Capital Prejuízos aumento Explicativa n o social acumulados Subtotal de capital Total SALDO EM 01 DE DEZEMBRO DE 2010 255.719.100

Leia mais

b) estrutura de capital e possibilidade de resgate de ações ou quotas: c) capacidade de pagamento em relação aos compromissos financeiros assumidos

b) estrutura de capital e possibilidade de resgate de ações ou quotas: c) capacidade de pagamento em relação aos compromissos financeiros assumidos Comentário dos administradores sobre a situação financeira da companhia, nos termos do item 10 do Formulário de Referência ("Comentários dos Diretores") 10. COMENTÁRIOS DOS DIRETORES 10.1. Comentários

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. ÍNDICE 1. Relatório dos Auditores Independentes 03

Leia mais

Armazém Mateus S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Armazém Mateus S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Armazém Mateus S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2013 Índice Página Relatório dos auditores independentes 3 Demonstrações contábeis

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro Faculdade Atenas Maranhense - FAMA Professor: Esp. CLEIDIANA SACCHETTO Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU

Leia mais

Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins

Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras auditadas

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 DUDALINA S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhares de reais) Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Honda 1 Conteúdo Relatório dos auditores independentes

Leia mais

BB Capitalização S.A.

BB Capitalização S.A. BB Capitalização S.A. CNPJ 07.681.872/0001-01 Demonstrações Contábeis Intermediárias Semestre findo em 30.06.2014 Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias Subsi V - Divisão de Subsidiárias V RELATÓRIO

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01976-3 EDP - ENERGIAS DO BRASIL S.A. 03.983.431/0001-03 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01976-3 EDP - ENERGIAS DO BRASIL S.A. 03.983.431/0001-03 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/28 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Lorenge S.A. Participações

Lorenge S.A. Participações Lorenge S.A. Participações Demonstrações Financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Deloitte

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/26 Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A 04.295.166/0001-33. Av. Brigadeiro Faria Lima nº1188 7º And

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A 04.295.166/0001-33. Av. Brigadeiro Faria Lima nº1188 7º And ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - Desenvix Energias Renováveis S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - Desenvix Energias Renováveis S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

PAULISTA FUTEBOL CLUBE LTDA. Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis. Demonstrações Contábeis Em 31 de dezembro de 2011

PAULISTA FUTEBOL CLUBE LTDA. Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis. Demonstrações Contábeis Em 31 de dezembro de 2011 PAULISTA FUTEBOL CLUBE LTDA Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Em 31 de dezembro de 2011 AudiBanco - Auditores independentes SS Rua: Flores da

Leia mais

As Demonstrações Contábeis para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) NBC T 19.41 Resolução 1255/09 do CFC

As Demonstrações Contábeis para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) NBC T 19.41 Resolução 1255/09 do CFC As Demonstrações Contábeis para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) NBC T 19.41 Resolução 1255/09 do CFC Profa Marcia Ferreira Neves Tavares Prof. Severino Ramos da Silva O que vamos conversar... Por quê

Leia mais

Demonstrações Financeiras Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM

Demonstrações Financeiras Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM Demonstrações Financeiras Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras auditadas

Leia mais

Companhia Brasileira de Vidros Planos

Companhia Brasileira de Vidros Planos Balanço patrimonial Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de Caixa (Nota 6) 40.059 2.719 Fornecedores (Nota 13) 115.571 85.787 Títulos e valores

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre a Demonstração do Valor Adicionado DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176

Leia mais

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 Demonstrações financeiras intermediárias em KPDS 134230 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras intermediárias 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações dos resultados

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Companhia de Bebidas das Américas - AMBEV 1ª Emissão de Debêntures Relatório

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cespe Cebraspe FUB2015 Aplicação: 2015 Julgue os itens a seguir, com relação aos fatos descritos e seus efeitos nas demonstrações contábeis, elaboradas conforme a Lei n.º 6.404/1976

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 Eusébio CE, 09 de novembro de 2006 A M. Dias Branco S.A. (Bovespa: MDIA3), empresa líder nos mercados de biscoitos e de massas no Brasil, anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

QUALITY SOFTWARE S/A. Rio de Janeiro. São Paulo

QUALITY SOFTWARE S/A. Rio de Janeiro. São Paulo QUALITY SOFTWARE S/A DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 1/ QUALITY SOFTWARE S/A Demonstrações Contábeis Em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A.

Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Apresentação das Informações Trimestrais em 30 de setembro de 2013 e Relatório sobre a Revisão de Informações Trimestrais dos Auditores Independentes Deloitte

Leia mais

METALÚRGICA DUQUE S/A CNPJ N 84.683.762/0001-20 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE 2011

METALÚRGICA DUQUE S/A CNPJ N 84.683.762/0001-20 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE 2011 METALÚRGICA DUQUE S/A CNPJ N 84.683.762/0001-20 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE 2011 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Metalúrgica Duque S/A, referentes

Leia mais

Cerradinho Holding S.A. e Controladas

Cerradinho Holding S.A. e Controladas Cerradinho Holding S.A. e Controladas Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 30 de Abril de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche Tohmatsu

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - AUTOPISTA FLUMINENSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - AUTOPISTA FLUMINENSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

ISA CAPITAL DO BRASIL S.A.

ISA CAPITAL DO BRASIL S.A. S.A. Demonstrações financeiras 2012 1 Índice Demonstrações financeiras Relatório de Administração 4 Balanços Patrimoniais 9 Demonstrações de resultado 11 Demonstrações resultado abrangente 12 Demonstrações

Leia mais

Empresa de Energia Cachoeira Caldeirão S.A.

Empresa de Energia Cachoeira Caldeirão S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 CNPJ/MF nº 17.200.920/0001-56 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: Em atendimento às obrigações legais estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas as Demonstrações

Leia mais

Axxiom Soluções Tecnológicas S.A.

Axxiom Soluções Tecnológicas S.A. Axxiom Soluções Tecnológicas S.A. Demonstrações Financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Leia mais

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

IBRACON NPC nº 20 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

IBRACON NPC nº 20 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA IBRACON NPC nº 20 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUOS DE CAIA Princípios Contábeis Aplicáveis 1. A 'Demonstração dos Fluxos de Caixa' refletirá as transações de caixa oriundas: a) das atividades operacionais; b)

Leia mais

Agência Estado Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes

Agência Estado Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota

Leia mais

Foz Centro Norte S.A. Demonstração financeira e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011

Foz Centro Norte S.A. Demonstração financeira e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Demonstração financeira e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo Controladora Consolidado Controladora Nota

Leia mais

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 Índice Relatório dos auditores independentes sobre as

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras Brasil Lau-Rent Locação de Máquinas e Equipamentos Ltda.

Demonstrações Financeiras Brasil Lau-Rent Locação de Máquinas e Equipamentos Ltda. Demonstrações Financeiras Brasil Lau-Rent Locação de Máquinas e Equipamentos Ltda. e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013 BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. BV LEASING - ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos as demonstrações

Leia mais