Prof. Dirceu Pereira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Dirceu Pereira"

Transcrição

1 Aula de UNIDADE - MOVIMENTO VERTICAL NO VÁCUO 1) (UFJF-MG) Um astonauta está na supefície da Lua quando solta, simultaneamente, duas bolas maciças, uma de chumbo e outa de madeia, de uma altua de,0 m em elação à supefície. Nesse caso, podemos afima que: a) a bola de chumbo chegaá ao chão um pouco antes da bola de madeia, mas peceptivelmente antes. b) a bola de chumbo chegaá ao chão um pouco depois da bola de madeia, mas peceptivelmente depois. c) a bola de chumbo chegaá ao chão ao mesmo tempo que a bola de madeia. d) a bola de chumbo chegaá ao chão bem antes da bola de madeia. e) a bola de chumbo chegaá ao chão bem depois da bola de madeia. ) (UFSM-RS) Um copo é atiado veticalmente paa cima, a pati do solo, com uma velocidade de 0 m/s. Consideando a aceleação gavitacional g = 10 m/s² e despezando a esistência do a, a altua máxima, em metos, alcançada pelo copo é: a) 1 b) 0 c) 0 d) 60 e) 7 ) (Ceuma-SP) Um objeto foi jogado veticalmente paa cima e atingiu uma altua de 1 m. Adotando-se g = 10 m/s², o tempo de sua pemanência no a foi de: a),0 s b) 7, s c) 8,0 s d) 10,0 s e) 1,s 4) (Unitau-SP) Um modelo de foguete é impulsionado veticalmente paa cima, com aceleação constante de 0 m/s². O moto páa de funciona após 4 s do lançamento. Em que altua está o foguete, quando o moto páa: a) 100 m b) 0 m c) 00 m d) 0 m e) 400 m ) (Unicamp-SP) Uma toneia, situada a uma altua de 1,0 m acima do solo, pinga lentamente à azão de gotas po minuto. a) Com que velocidade uma gota atinge o solo? b) Que intevalo de tempo sepaa as batidas de gotas consecutivas no solo? Considee, paa simplifica, g = 10 m/s². 6) (UFRJ-RJ) Um copo em queda live pecoe uma ceta distância vetical em s; logo, a distância pecoida em 6 s seá: a) dupla d) nove vezes maio b) tipla e) doze vezes maio c) seis vezes maio 7) (Mackenzie) Joãozinho abandona do alto de uma toe um copo a pati do epouso. Duante a queda live, com g constante, ele obseva que nos dois pimeios segundos o copo pecoe a distância D. A distância pecoida pelo copo nos 4 s seguintes seá: a) 4D b) D c) 6D d) 8D e) 9D 8) (PUC-Campinas) Um móvel é abandonado em queda live pecoendo, a pati do epouso, uma distância duante o pimeio segundo de movimento. Duante o teceio segundo de movimento, esse móvel pecoe uma distância: a) d b) d c) d d) 7d e) 9d 9) (Unitau-SP) Na questão 4, despezando a esistência do a e usando g = 10 m/s², podemos dize coetamente que a altua máxima atingida pelo foguete é: a) m b).400 m c).000 m d).00 m e) m 10) (UFPA) Em um local onde a aceleação da gavidade vale 10 m/s², deixa-se cai livemente uma peda de uma altua de 1 m em elação ao solo. Dois segundos depois, uma segunda peda é atiada veticalmente da mesma altua. Sabendo-se que essas duas pedas atingiam o solo ao mesmo tempo, a velocidade com que a segunda peda foi atiada vale: a) 1, m/s b) 6,6 m/s c) m/s d) 41, m/s e) 7, m/s 1) c ) b ) d 4) e ) a) 4, m/s b) 0 s 6) d 7) d 8) c 9) b 10) b UNIDADE - LANÇAMENTO HORIZ. NO VÁCUO 1) (PUC-MG) Uma esfea é lançada com velocidade hoizontal de,0 m/s de uma platafoma de altua 1,8 m. Ela deve cai dento de um pequeno fasco colocado no solo a uma distância x do pé da platafoma. A distância x deve se de, apoximadamente: a) 1,0 m b),0 m c), m d),0 m e), m ) (UFG-GO) Uma esfea ola sobe uma mesa hoizontal, abandona essa mesa com uma velocidade hoizontal v 0 e toca o solo após 1 s. Sabendo que a distância hoizontal pecoida pela bola é igual à altua da mesa, a velocidade v 0 consideando g = 10 m/s², é de: a) 1, m/s b) 10,00 m/s c) 0,00 m/s d),00 m/s e),0 m/s ) (UFMG-MG) Uma pessoa obseva o movimento paabólico de uma peda lançada hoizontalmente com velocidade v 0. A pessoa podeia ve a peda cai veticalmente se se deslocasse: a) com velocidade v= v 0, paalela a v 0 e no mesmo sentido. b) com velocidade v= v 0, paalela a v 0 e no sentido oposto. c) com velocidade v= v 0, paalela a v 0 e no mesmo sentido. d) com velocidade v= v 0, paalela a v 0 e no sentido oposto. Neste cuso os melhoes alunos estão sendo pepaados pelos melhoes Pofessoes 1

2 Aula de e) com velocidade v= v 0, em qualque dieção e em qualque sentido. 4) (PUC-RJ) Na ausência de esistência do a, um objeto lagado sob um avião voando em linha eta hoizontal com velocidade constante: a) subiá acima do avião e depois caiá. b) apidamente ficaá paa tás.. c) apidamente ultapassaá o avião. d) oscilaá paa fente e paa tás do avião. e) pemaneceá sob o avião. ) (PUC-MG) De um luga situado a 1 m acima do solo lança-se um copo, hoizontalmente, com velocidade igual a 10 m/s e g = 10 m/s². Podemos afima que o alcance e o tempo gasto paa o copo atingi o solo valem espectivamente: a) 100 m e s b) 0 m e s c) 100 m e s d) 10 m e 0 s e) 7 m e s 6) Um homem sobe uma platafoma aponta sua ama na dieção de um objeto paado no a e situado na mesma hoizontal a 00 m de distância. No instante em que a ama é dispaada, o objeto, que inicialmente se encontava a 80 m do solo, inicia seu movimento de queda. Despezando a esistência do a e adotando g = 10 m/s², detemine a velocidade mínima que deve te a bala paa atingi o objeto. 7) (Fuvest-SP) Um motociclista de motocoss move-se com velocidade v = 10 m/s, sobe uma supefície plana hoizontal, até atingi uma ampa em declive de 4º com a hoizontal com início em um ponto A (ponto que maca o fim da supefície plana hoizontal e o início da ampa). A tajetóia do motociclista deveá atingi novamente a ampa a uma distância hoizontal D, do ponto A, apoximadamente igual a: a) 0 m b) 1 m c) 10 m d) 7, m e) m 8) (UFPR) Uma bola ola sobe uma mesa hoizontal de 1, m de altua e vai cai num ponto do solo situado à uma distância de, m medida hoizontalmente a pati da beiada da mesa. Qual é a velocidade da bola, em m/s, no instante em que ela abandona a mesa? Adote g = 9,8 m/s². 9) Um avião voa hoizontalmente a.000 m de altua com velocidade de 0 m/s no instante em que abandona uma pacote. Adote g = 10 m/s² e despeze a ação do a. Detemine: a) o tempo de queda do pacote. b) a distância que o pacote pecoe na dieção hoizontal desde o lançamento até o instante em que atinge os solo. c) o módulo da velocidade do pacote ao atingi o solo. 10) (PUC-SP) Uma coeia localizada a m de altua em elação ao solo, tanspota minéio lançando-o em um ecipiente cilíndico abeto, localizado no solo, com aio de m e cento distante m do ponto de lançamento na dieção hoizontal. A velocidade da coeia é constante e a aceleação local da gavidade é 10 m/s². Paa que todo o minéio caia dento do ecipiente, a velocidade v da coeia, dada em m/s, deve satisfaze a desigualdade: a) < v < b) < v < c) 1 < v < d) 1 < v < 4 e) 1 < v < 1) d ) d ) c 4) e ) b 6) 0 m/s 7) a 8),0 m/s 9) a) 0 s b).000 m c) 0 m/s 10) d UNIDADE - LANÇAMENTO OBLÍQUO NO VÁCUO 1) (Mackenzie-SP) Um copo, A, é lançado obliquamente paa cima de um ponto P do solo hoizontal, com velocidade que foma 60º com o solo. No mesmo instante, outo copo, B, apoiado no solo, passa po P com velocidade constante de 10 m/s, descevendo sua tajetóia ao longo do solo. Despeze todas as foças esistivas e adote g = 10 m/s². Paa que o copo A se enconte novamente com B, a sua velocidade inicial deve te módulo igual a: a) 0 m/s b) 1 m/s c) 10 m/s d) 8 m/s e) m/s (Dados: sen 60º = ; cos 60º = 0, 0 ) (UFPA) A figua epesenta um pojétil, que é lançado do ponto A segundo um ângulo de 0º com a hoizontal, com uma velocidade v 0 = 100 m/s, atingindo o ponto D. (Dados: AB = 40 m, BC = m; g = 10 m/s²; sen0º = 0,; cos0º = 0,866.) Com as infomações acima, esponda os testes e seguintes. ) O tempo que o pojétil levou paa atingi o ponto D, em segundos, vale: a), b) 7,8 c) 11 d) 1,6 e) 16, ) A distância CD, em metos, vale: a) 418,98 b) 48,98 c) 69,86 d) 91,60 e) 1.01,16 4) (Unip-SP) Em um local onde o efeito do a é despezível e g = 10 m/s², uma bola de tênis é golpeada po um tamboéu, adquiindo uma velocidade de módulo 10 m/s, quando estava a uma altua de 1,0 m acima do chão. A altua máxima atingida pela bola, medida a pati do chão, foi de 4,7 m. A velocidade da bola, no ponto mais alto de sua tajetóia, tem módulo igual a : a),0 m/s b) 10 m/s c) zeo d), m/s e) 1,0 m/s ) (PUC-SP) Um gaoto paado num plano hoizontal, a m de uma paede, chuta uma bola, comunicando-lhe Neste cuso os melhoes alunos estão sendo pepaados pelos melhoes Pofessoes

3 Aula de velocidade de 10 m/s, de tal modo que sua dieção foma, com a hoizontal, um ângulo de 4º (dados: sen4º = ccos4º = 0,7). A aceleação da gavidade no local é 10 m/s² e a esistência do a pode se despezada. Detemine: a) o instante em que a bola atinge a paede. b) a altua do ponto da paede atingido pela bola. c) a velocidade da bola no instante do impacto. 6) (UEL-PR) Um copo é lançado paa cima, com velocidade inicial de 0 m/s, numa dieção que foma um ângulo de 60º com a hoizontal (dados: sen60º = 0,87; cos60º = 0,0). Despezando a esistência do a, pode-se afima que no ponto mais alto da tajetóia a velocidade do copo, em m/s, seá: a) b) 10 c) d) 40 e) 0 7) (FEI-SP) Uma bola é aemessada paa um gaoto, distante 60 m, a uma velocidade de 0 m/s e fazendo um ângulo de 4º com a hoizontal. Com que velocidade e em qual dieção e sentido o gaoto deve coe paa consegui apanha a bola na mesma altua em que foi lançada? Adote g = 10 m/s² e despeze os efeitos do a. (Dados: sen4º = cos4º = ) 8) (Faap-SP) Um pojétil lançado paa cima, sob um ângulo de 60º com a hoizontal, tem velocidade de 0 m/s no ponto culminante de sua tajetóia. Calcule a velocidade do pojétil ao etona ao solo. (Dados: sen60º = 0,87; cos60º = 0,0) 9) (Unifo-CE) Um dublê de cinema deve coe pelo telhado de um pédio e salta hoizontalmente paa o telhado de outo pédio,,0 m mais abaixo. A distância hoizontal que sepaa os pédios é de, m. Considee g = 10 m/s². O dublê podeá tenta a façanha se consegui coe no telhado com a velocidade ligeiamente supeio, em m/s, a: a), b) 4, c), d) 6, e) 7, 10) (UERJ-RJ) Um pojétil é lançado segundo um ângulo de 0º com a hoizontal e com uma velocidade de 00 m/s. Supondo a aceleação da gavidade igual a 10 m/s² e despezando a esistência do a, concluímos que o meno tempo gasto po ele paa atingi a altua de 480 m acima do ponto lançamento seá de: a) 8 s b) 10 s c) 9 s d) 14 s e) 1 s 1) a ) c ) d 4) a ) a) 0,4 s b),1 m c) 7, m 6) c 7) m/s, apoximando-se do local do aemesso 8) 60 m/s 9) c 10) a UNIDADE LEIS DE NEWTON a) m/s b) 6 m/s c) m/s d) 0 m/s e) 10 m/s ) (UFPE-PE) Um objeto de,0 kg desceve uma tajetóia etilínea, que obedece à equação hoáia s = 7,0 t +,0 t +,0, na qual s é medido em metos e t em segundos. O módulo da foça esultante que está atuando sobe o objeto é, em N: a) 10 b) 17 c) 19 d) 8 e) ) (ENEM-MEC) O peso de um copo é uma gandeza física: a) que não vaia com o local onde o copo se enconta. b) cuja unidade de medida é o quilogama. c) caacteizada pela quantidade de matéia que o copo encea. d) que mede a intensidade da foça de eação de apoio. e) cuja intensidade é o poduto da massa do copo pela aceleação da gavidade local. (FATEC-SP) O enunciado a segui coesponde aos testes 4 e. O bloco A da figua tem massa m A = 80 kg e o bloco B tem massa m B = 0 kg. A foça F tem intensidade de 600 N. Os atitos e as inécias do fio e da polia são despezíveis. (Considee g = 10 m/s².) 4) A aceleação do bloco B é: a) nula b) 4,0 m/s² paa baixo. c) 4,0 m/s² paa cima. d),0 m/s² paa baixo. e) 4,0 m/s² paa cima. ) A intensidade da foça que taciona o fio é: a) nula b) 00 N c) 400 N d) 600 N e) nenhuma das anteioes 6) (Cesganio-RJ) Um copo de peso P enconta-se em equilíbio, devido à ação da foça F, como indica a figua abaixo. Os pontos A, B e C são os pontos de contato ente os fios e a supefície. A foça que a supefície exece sobe os fios nos pontos A, B e C são espectivamente: 1) (UFRGS-RS) Um copo de massa igual a kg, inicialmente em epouso, sofe a ação de uma foça esultante constante de 0 N. Qual é a velocidade do copo depois de s? Neste cuso os melhoes alunos estão sendo pepaados pelos melhoes Pofessoes

4 Aula de a),, 8 4 b),, 8 4 c),, 4 8 P P d) P,, 4 e) iguais a P 7) (UFMG) Uma pessoa está empuando um caixote. A foça que essa pessoa exece sobe o caixote é igual e contáia à foça que o caixote exece sobe ela. Com elação a essa situação, assinale a afimativa coeta: a) a pessoa podeá move o caixote poque aplica a foça sobe o caixote antes de ele pode anula essa foça. b) a pessoa podeá move o caixote poque as foças citadas não atuam no mesmo copo. c) a pessoa podeá move o caixote se tive uma massa maio do que a massa do caixote. d) a pessoa teá gande dificuldade paa move o caixote, pois nunca consegue exece uma foça sobe ele maio do que a foça que esse caixote exece sobe ela. 8) (Escola Naval-RJ) Sejam a 1 e a os módulos das aceleações dos blocos de massa M 1 e M, espectivamente. Enconte a elação ente a 1 e a, sabendo-se que M 1 = M = M /. Despeze todos os atitos e as massas das oldanas. 6 a) a1 = a b) a1 = a 6 c) a1 = a 4 d) a1 = a e) a1 = a 9) (Unifesp-SP) Às vezes, as pessoas que estão num elevado em movimento sentem uma sensação de desconfoto, em geal na egião do estômago. Isso se deve à inécia dos nossos ógãos intenos localizados nessa egião, e pode ocoe: e) apenas quando o elevado sobe em movimento vaiado. 10) (UEL-PR) Numa situação de emegência, um bombeio pecisa etia do alto de um pédio, usando uma coda, um adolescente de 40 kg. A coda supota, no máximo, 00 N. Uma altenativa é faze com que o adolescente desça com uma ceta aceleação, paa que a tensão na coda não supee o seu limite. Sob essas condições e consideando a aceleação da gavidade igual a 10 m/s², qual deve se o módulo dessa aceleação? a) 17, m/s² b) 1, m/s² c) 7, m/s² d), m/s² e) 9, m/s² 1) d ) d ) e 4) c ) e 6) a 7) b 8) a 9) d 10) d UNIDADE FORÇA DE ATRITO 1) (UFPA-PA) Um menino empua um caixote A, de massa igual a 10 kg, sobe um piso plano e hoizontal, aplicando uma foça também hoizontal de intensidade igual a 100 N. A pati de ceto ponto, o caixote A encosta em outo, idêntico, B, e o menino segue empuando os dois com a mesma foça. Consideando o coeficiente de atito dinâmico ente os caixotes e o piso igual a o,, calcule a aceleação do caixote A antes de encosta em B e a aceleação do conjunto AB algum tempo depois de A te encostado em B. ) (Fatec-SP) F1 e F são foças hoizontais de intensidade 0 N e 10 N, espectivamente, confome a figua. Sendo a massa de A igual a kg, a massa de B igual a kg, g = 10 m/s² e 0, o coeficiente de atito dinâmico ente os blocos e a supefície, a foça de contato ente os blocos tem intensidade: a) 4 N b) 0 N c) 40 N d) 10 N e) 18 N ) (Uesb-BA) O bloco A, de massa,0 kg, sobe o plano inclinado epesentado na figua abaixo com velocidade constante de,0 m/s. O coeficiente de atito ente o bloco A e o plano inclinado vale 0,0. a) quando o elevado sobe ou desce em movimento unifome. b) apenas quando o elevado sobe em movimento unifome. c) apenas quando o elevado desce em movimento unifome. d) quando o elevado sobe ou desce em movimento vaiado. Neste cuso os melhoes alunos estão sendo pepaados pelos melhoes Pofessoes 4

5 Aula de São dados: g = 10 m/s², sen7º = 0,60 e cos7º = 0,80. Nessas condições, a massa do bloco B, em kg, vale: a) 10,0 b) 8,0 c) 6,0 d),0 e) 4,0 4) (FEI-SP) Na figua, os fios e as polias são ideais e os copos (1) e () de mesma massa M são abandonados do epouso. Considee g = 10 m/s². A aceleação a 1 do bloco 1 e a do bloco () tem valoes: a) a 1 = 4 m / s paa baixo e a = m / s paa cima; b) a 1 = 4 m / s paa cima e a = m / s paa baixo; c) a 1 = m / s paa baixo e a = 4 m / s paa cima; d) a 1 = m / s paa cima e a = 4 m / s paa baixo; e) os dois têm o mesmo valo de aceleação, mas de sentidos opostos. ) (Olimpíada Basileia de ) Um bloco desliza sobe um plano inclinado com atito (ve figua). No ponto A, a velocidade é V A = m/s, e no ponto B, distando 1 m do ponto A ao longo do plano, V B = m/s. Obtenha o valo do coeficiente de atito cinético ente o bloco e o plano. a) b) e) 1 c) d) + 1) 8,0 m/s² e,0 m/s² ) e ) d 4) d ) e Neste cuso os melhoes alunos estão sendo pepaados pelos melhoes Pofessoes

Engenharia Electrotécnica e de Computadores Exercícios de Electromagnetismo Ficha 1

Engenharia Electrotécnica e de Computadores Exercícios de Electromagnetismo Ficha 1 Instituto Escola Supeio Politécnico de Tecnologia ÁREA INTERDEPARTAMENTAL Ano lectivo 010-011 011 Engenhaia Electotécnica e de Computadoes Eecícios de Electomagnetismo Ficha 1 Conhecimentos e capacidades

Leia mais

PRINCÍPIOS DA DINÂMICA LEIS DE NEWTON

PRINCÍPIOS DA DINÂMICA LEIS DE NEWTON Pofa Stela Maia de Cavalho Fenandes 1 PRINCÍPIOS DA DINÂMICA LEIS DE NEWTON Dinâmica estudo dos movimentos juntamente com as causas que os oiginam. As teoias da dinâmica são desenvolvidas com base no conceito

Leia mais

1ª Aula do Cap. 6 Forças e Movimento II

1ª Aula do Cap. 6 Forças e Movimento II ATRITO 1ª Aula do Cap. 6 Foças e Movimento II Foça de Atito e Foça Nomal. Atito e históia. Coeficientes de atito. Atito Dinâmico e Estático. Exemplos e Execícios. O efeito do atito ente duas supefícies

Leia mais

SEGUNDA LEI DE NEWTON PARA FORÇA GRAVITACIONAL, PESO E NORMAL

SEGUNDA LEI DE NEWTON PARA FORÇA GRAVITACIONAL, PESO E NORMAL SEUNDA LEI DE NEWON PARA FORÇA RAVIACIONAL, PESO E NORMAL Um copo de ssa m em queda live na ea está submetido a u aceleação de módulo g. Se despezamos os efeitos do a, a única foça que age sobe o copo

Leia mais

Dinâmica Trabalho e Energia

Dinâmica Trabalho e Energia CELV Colégio Estadual Luiz Vianna Física 1 diano do Valle Pág. 1 Enegia Enegia está elacionada à capacidade de ealiza movimento. Um dos pincípios básicos da Física diz que a enegia pode se tansfomada ou

Leia mais

RESOLUÇÃO DA AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA 2 o ANO DO ENSINO MÉDIO DATA: 10/08/13 PROFESSOR: MALTEZ

RESOLUÇÃO DA AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA 2 o ANO DO ENSINO MÉDIO DATA: 10/08/13 PROFESSOR: MALTEZ ESOLUÇÃO DA AALIAÇÃO DE MATEMÁTICA o ANO DO ENSINO MÉDIO DATA: 0/08/ POFESSO: MALTEZ QUESTÃO 0 A secção tansvesal de um cilindo cicula eto é um quadado com áea de m. O volume desse cilindo, em m, é: A

Leia mais

- B - - Esse ponto fica à esquerda das cargas nos esquemas a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III e) III e IV. b. F. a. F

- B - - Esse ponto fica à esquerda das cargas nos esquemas a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III e) III e IV. b. F. a. F LIST 03 LTROSTÁTIC PROSSOR MÁRCIO 01 (URJ) Duas patículas eleticamente caegadas estão sepaadas po uma distância. O gáfico que melho expessa a vaiação do módulo da foça eletostática ente elas, em função

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE GRADUAÇÃO FÍSICA

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE GRADUAÇÃO FÍSICA CONCURSO DE DMISSÃO O CURSO DE GRDUÇÃO FÍSIC CDERNO DE QUESTÕES 2008 1 a QUESTÃO Valo: 1,0 Uma bóia náutica é constituída de um copo cilíndico vazado, com seção tansvesal de áea e massa m, e de um tonco

Leia mais

)25d$0$*1e7,&$62%5( &21'8725(6

)25d$0$*1e7,&$62%5( &21'8725(6 73 )5d$0$*1e7,&$6%5( &1'875(6 Ao final deste capítulo você deveá se capaz de: ½ Explica a ação de um campo magnético sobe um conduto conduzindo coente. ½ Calcula foças sobe condutoes pecoidos po coentes,

Leia mais

Física Geral I - F 128 Aula 8: Energia Potencial e Conservação de Energia. 2 o Semestre 2012

Física Geral I - F 128 Aula 8: Energia Potencial e Conservação de Energia. 2 o Semestre 2012 Física Geal I - F 18 Aula 8: Enegia Potencial e Consevação de Enegia o Semeste 1 Q1: Tabalho e foça Analise a seguinte afimação sobe um copo, que patindo do epouso, move-se de acodo com a foça mostada

Leia mais

Os Fundamentos da Física

Os Fundamentos da Física TEMA ESPECAL DNÂMCA DAS TAÇÕES 1 s Fundamentos da Física (8 a edição) AMALH, NCLAU E TLED Tema especial DNÂMCA DAS TAÇÕES 1. Momento angula de um ponto mateial, 1 2. Momento angula de um sistema de pontos

Leia mais

Caro cursista, Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista.

Caro cursista, Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista. Cao cusista, Todas as dúvidas deste cuso podem se esclaecidas atavés do nosso plantão de atendimento ao cusista. Plantão de Atendimento Hoáio: quatas e quintas-feias das 14:00 às 15:30 MSN: lizado@if.uff.b

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Escola de Educação Profissional SENAI Plínio Gilberto Kröeff MECÂNICA TÉCNICA

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Escola de Educação Profissional SENAI Plínio Gilberto Kröeff MECÂNICA TÉCNICA SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Escola de Educação Pofissional SENAI Plínio Gilbeto Köeff MECÂNICA TÉCNICA Pofesso: Dilma Codenonsi Matins Cuso: Mecânica de Pecisão São Leopoldo 2009 1 SUMÁRIO

Leia mais

GEOMETRIA ESPACIAL. a) Encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo.

GEOMETRIA ESPACIAL. a) Encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo. GEOMETRIA ESPACIAL ) Uma metalúgica ecebeu uma encomenda paa fabica, em gande quantidade, uma peça com o fomato de um pisma eto com base tiangula, cujas dimensões da base são 6cm, 8cm e 0cm e cuja altua

Leia mais

/(,'(%,276$9$57()/8;2 0$*1e7,&2

/(,'(%,276$9$57()/8;2 0$*1e7,&2 67 /(,'(%,76$9$57()/8; 0$*1e7,& Ao final deste capítulo você deveá se capaz de: ½ Explica a elação ente coente elética e campo magnético. ½ Equaciona a elação ente coente elética e campo magnético, atavés

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Questão 3. alternativa C. alternativa E

Questão 1. Questão 2. Questão 3. alternativa C. alternativa E Questão 1 Dois pilotos iniciaam simultaneamente a disputa de uma pova de automobilismo numa pista cuja extensão total é de, km. Enquanto Máio leva 1,1 minuto paa da uma volta completa na pista, Júlio demoa

Leia mais

PARTE IV COORDENADAS POLARES

PARTE IV COORDENADAS POLARES PARTE IV CRDENADAS PLARES Existem váios sistemas de coodenadas planas e espaciais que, dependendo da áea de aplicação, podem ajuda a simplifica e esolve impotantes poblemas geométicos ou físicos. Nesta

Leia mais

LISTA COMPLETA PROVA 03

LISTA COMPLETA PROVA 03 LISTA COMPLETA PROVA 3 CAPÍTULO 3 E. Quato patículas seguem as tajetóias mostadas na Fig. 3-8 quando elas passam atavés de um campo magnético. O que se pode conclui sobe a caga de cada patícula? Fig. 3-8

Leia mais

Física CPII. Exercícios p/ prova de Apoio de Física 2 a. Trim. 1 a. série Data / / Coordenador: Prof. Alexandre Ortiz Professor: Sérgio F.

Física CPII. Exercícios p/ prova de Apoio de Física 2 a. Trim. 1 a. série Data / / Coordenador: Prof. Alexandre Ortiz Professor: Sérgio F. COLÉGIO PEDRO II - UNIDADE CENTRO Exercícios p/ prova de Apoio de Física 2 a. Trim. 1 a. série Data / / Coordenador: Prof. Alexandre Ortiz Professor: Sérgio F. Lima Aluno(a): Nº Turma 1) Um bombeiro deseja

Leia mais

ARITMÉTICA DE PONTO FLUTUANTE/ERROS EM OPERAÇÕES NUMÉRICAS

ARITMÉTICA DE PONTO FLUTUANTE/ERROS EM OPERAÇÕES NUMÉRICAS ARITMÉTICA DE PONTO FLUTUANTE/ERROS EM OPERAÇÕES NUMÉRICAS. Intodução O conjunto dos númeos epesentáveis em uma máquina (computadoes, calculadoas,...) é finito, e potanto disceto, ou seja não é possível

Leia mais

Imagine que você esteja sustentando um livro de 4N em repouso sobre a palma de sua mão. Complete as seguintes sentenças:

Imagine que você esteja sustentando um livro de 4N em repouso sobre a palma de sua mão. Complete as seguintes sentenças: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA-CFM DEPARTAMENTO DE FÍSICA FSC 5107 FÍSICA GERAL IA- Semestre 2012.2 LISTA DE EXERCÍCIOS 4 LEIS DE NEWTON (PARTE I) Imagine que você esteja sustentando um livro de

Leia mais

sendo as componentes dadas em unidades arbitrárias. Determine: a) o vetor vetores, b) o produto escalar e c) o produto vetorial.

sendo as componentes dadas em unidades arbitrárias. Determine: a) o vetor vetores, b) o produto escalar e c) o produto vetorial. INSTITUTO DE FÍSICA DA UFRGS 1 a Lista de FIS01038 Prof. Thomas Braun Vetores 1. Três vetores coplanares são expressos, em relação a um sistema de referência ortogonal, como: sendo as componentes dadas

Leia mais

Física 1 ano Prof. Miranda. Lista de Exercícios II Unidade

Física 1 ano Prof. Miranda. Lista de Exercícios II Unidade Física 1 ano Prof. Miranda Lista de Exercícios II Unidade mirandawelber@gmail.com 01. O que é necessário para determinar (caracterizar) uma: a) grandeza escalar? b) grandeza vetorial? 02. Classifique os

Leia mais

EXERCÍCIOS 2ª SÉRIE - LANÇAMENTOS

EXERCÍCIOS 2ª SÉRIE - LANÇAMENTOS EXERCÍCIOS ª SÉRIE - LANÇAMENTOS 1. (Unifesp 01) Em uma manhã de calmaria, um Veículo Lançador de Satélite (VLS) é lançado verticalmente do solo e, após um período de aceleração, ao atingir a altura de

Leia mais

IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO

IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO AULA 10 IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO 1- INTRODUÇÃO Nesta aula estudaemos Impulso de uma foça e a Quantidade de Movimento de uma patícula. Veemos que estas gandezas são vetoiais e que possuem a mesma

Leia mais

Vedação. Fig.1 Estrutura do comando linear modelo ST

Vedação. Fig.1 Estrutura do comando linear modelo ST 58-2BR Comando linea modelos, -B e I Gaiola de esfeas Esfea Eixo Castanha Vedação Fig.1 Estutua do comando linea modelo Estutua e caacteísticas O modelo possui uma gaiola de esfeas e esfeas incopoadas

Leia mais

3) Uma mola de constante elástica k = 400 N/m é comprimida de 5 cm. Determinar a sua energia potencial elástica.

3) Uma mola de constante elástica k = 400 N/m é comprimida de 5 cm. Determinar a sua energia potencial elástica. Lista para a Terceira U.L. Trabalho e Energia 1) Um corpo de massa 4 kg encontra-se a uma altura de 16 m do solo. Admitindo o solo como nível de referência e supondo g = 10 m/s 2, calcular sua energia

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS QUEDA LIVRE E MOV. VERTICAL

LISTA DE EXERCÍCIOS QUEDA LIVRE E MOV. VERTICAL GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO Competência, ética e cidadania SECRETARIA DE EDUCAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS QUEDA LIVRE E MOV. VERTICAL UPE Campus Mata Norte Aluno(a): nº 9º ano 01- (PUC-MG) Dois corpos

Leia mais

Mecânica 2007/2008. 3ª Série

Mecânica 2007/2008. 3ª Série Mecânica 2007/2008 3ª Série Questões: 1. Se o ouro fosse vendido a peso, preferia comprá-lo na serra da Estrela ou em Lisboa? Se fosse vendido pela massa em qual das duas localidades preferia comprá-lo?

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE Faculdade de Engenhaia Tansmissão de calo 3º Ano Aula 4 Aula Pática- Equação Difeencial de Tansmissão de Calo e as Condições de Contono Poblema -4. Calcula a tempeatua no

Leia mais

Sejam todos bem-vindos! Física II. Prof. Dr. Cesar Vanderlei Deimling

Sejam todos bem-vindos! Física II. Prof. Dr. Cesar Vanderlei Deimling Sejam todos bem-vindos! Física II Pof. D. Cesa Vandelei Deimling Bibliogafia: Plano de Ensino Qual a impotância da Física em um cuso de Engenhaia? A engenhaia é a ciência e a pofissão de adquii e de aplica

Leia mais

Bacharelado Engenharia Civil

Bacharelado Engenharia Civil Bacharelado Engenharia Civil Disciplina: Física Geral e Experimental I Força e Movimento- Leis de Newton Prof.a: Msd. Érica Muniz Forças são as causas das modificações no movimento. Seu conhecimento permite

Leia mais

DATA: / / 2014 VALOR: 20,0 pontos NOTA: ASSUNTO: Trabalho de Recuperação Final SÉRIE: 1ª série EM TURMA: NOME COMPLETO:

DATA: / / 2014 VALOR: 20,0 pontos NOTA: ASSUNTO: Trabalho de Recuperação Final SÉRIE: 1ª série EM TURMA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: Física PROFESSORES: Marcus Sant Ana / Fabiano Dias DATA: / / 2014 VALOR: 20,0 pontos NOTA: ASSUNTO: Trabalho de Recuperação Final SÉRIE: 1ª série EM TURMA: NOME COMPLETO: Nº: I N S T R U Ç

Leia mais

Módulo 5: Conteúdo programático Eq da continuidade em Regime Permanente. Escoamento dos Fluidos - Equações Fundamentais

Módulo 5: Conteúdo programático Eq da continuidade em Regime Permanente. Escoamento dos Fluidos - Equações Fundamentais Módulo 5: Conteúdo pogamático Eq da continuidade em egime Pemanente Bibliogafia: Bunetti, F. Mecânica dos Fluidos, São Paulo, Pentice Hall, 7. Eoamento dos Fluidos - Equações Fundamentais Popiedades Intensivas:

Leia mais

Fig. 8-8. Essas linhas partem do pólo norte para o pólo sul na parte externa do material, e do pólo sul para o pólo norte na região do material.

Fig. 8-8. Essas linhas partem do pólo norte para o pólo sul na parte externa do material, e do pólo sul para o pólo norte na região do material. Campo magnético Um ímã, com seus pólos note e sul, também pode poduzi movimentos em patículas, devido ao seu magnetismo. Contudo, essas patículas, paa sofeem esses deslocamentos, têm que te popiedades

Leia mais

Gregos(+2000 anos): Observaram que pedras da região Magnézia (magnetita) atraiam pedaços de ferro;

Gregos(+2000 anos): Observaram que pedras da região Magnézia (magnetita) atraiam pedaços de ferro; O Campo Magnético 1.Intodução: Gegos(+2000 anos): Obsevaam que pedas da egião Magnézia (magnetita) ataiam pedaços de feo; Piee Maicout(1269): Obsevou a agulha sobe imã e macou dieções de sua posição de

Leia mais

Prof. Dirceu Pereira

Prof. Dirceu Pereira Polícia odoviáia edeal Pof. Diceu Peeia ísica 3.4. OÇAS EM TAJETÓIAS CUILÍNEAS Se lançamos um copo hoizontalmente, póximo a supefície da Tea, com uma velocidade inicial de gande intensidade, da odem de

Leia mais

3. Elementos de Sistemas Elétricos de Potência

3. Elementos de Sistemas Elétricos de Potência Sistemas Eléticos de Potência. Elementos de Sistemas Eléticos de Potência..4 apacitância e Susceptância apacitiva de Linhas de Tansmissão Pofesso:. Raphael Augusto de Souza Benedito E-mail:aphaelbenedito@utfp.edu.b

Leia mais

Exercícios sobre Movimentos Verticais

Exercícios sobre Movimentos Verticais Exercícios sobre Movimentos Verticais 1-Uma pedra, deixada cair do alto de um edifício, leva 4,0 s para atingir o solo. Desprezando a resistência do ar e considerando g = 10 m/s 2, escolha a opção que

Leia mais

Universidade de Évora Departamento de Física Ficha de exercícios para Física I (Biologia)

Universidade de Évora Departamento de Física Ficha de exercícios para Física I (Biologia) Univesidade de Évoa Depatamento de Física Ficha de eecícios paa Física I (Biologia) 4- SISTEMA DE PARTÍCULAS E DINÂMICA DE ROTAÇÃO A- Sistema de patículas 1. O objecto epesentado na figua 1 é feito de

Leia mais

TEORIA DA GRAVITAÇÃO UNIVERSAL

TEORIA DA GRAVITAÇÃO UNIVERSAL Aula 0 EORIA DA GRAVIAÇÃO UNIVERSAL MEA Mosta aos alunos a teoia da gavitação de Newton, peda de toque da Mecânica newtoniana, elemento fundamental da pimeia gande síntese da Física. OBJEIVOS Abi a pespectiva,

Leia mais

física eletrodinâmica GERADORES

física eletrodinâmica GERADORES eletodinâmica GDOS 01. (Santa Casa) O gáfico abaixo epesenta um geado. Qual o endimento desse geado quando a intensidade da coente que o pecoe é de 1? 40 U(V) i() 0 4 Do gáfico, temos que = 40V (pois quando

Leia mais

MECÂNICA. Dinâmica Atrito e plano inclinado AULA 6 1- INTRODUÇÃO

MECÂNICA. Dinâmica Atrito e plano inclinado AULA 6 1- INTRODUÇÃO AULA 6 MECÂNICA Dinâmica Atito e plano inclinado 1- INTRODUÇÃO Quando nós temos, po exemplo, duas supefícies em contato em que há a popensão de uma desliza sobe a outa, podemos obseva aí, a apaição de

Leia mais

Prof. Rogério Porto. Assunto: Cinemática em uma Dimensão III

Prof. Rogério Porto. Assunto: Cinemática em uma Dimensão III Questões COVEST Física Mecânica Prof. Rogério Porto Assunto: Cinemática em uma Dimensão III 1. Um atleta salta por cima do obstáculo na figura e seu centro de gravidade atinge a altura de 2,2 m. Atrás

Leia mais

Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.)

Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.) Colégio Santa Catarina Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.) 17 Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.) 3.1- Aceleração Escalar (a): Em movimentos nos quais as velocidades

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Escola de Engenharia. 1 Cinemática 2 Dinâmica 3 Estática

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Escola de Engenharia. 1 Cinemática 2 Dinâmica 3 Estática UNIVERSIDDE PRESITERIN MKENZIE Escola de Engenhaia 1 inemática 2 Dinâmica 3 Estática 1ºs/2006 1) Uma patícula movimenta-se, pecoendo uma tajetóia etilínea, duante 30 min com uma velocidade de 80 km/h.

Leia mais

Série 1º ANO. Colégio da Polícia Militar de Goiás - Hugo. MAT Disciplina: FISICA Professor: JEFFERSON. Aluno (a): Nº

Série 1º ANO. Colégio da Polícia Militar de Goiás - Hugo. MAT Disciplina: FISICA Professor: JEFFERSON. Aluno (a): Nº Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Hugo de Carvalho Ramos Ano Letivo - 2015 Série 1º ANO Lista de Exercícios 4º Bim TURMA (S) ABC Valor da Lista R$ MAT Disciplina: FISICA Professor: JEFFERSON Data:

Leia mais

Teste 2 Colégio Módulo 3 o Ano do Ensino Médio Prof.: Wladimir

Teste 2 Colégio Módulo 3 o Ano do Ensino Médio Prof.: Wladimir Teste 2 Colégio Módulo 3 o Ano do Ensino Médio Prof.: Wladimir Questão 01 Três blocos A, B, e C, de massa,, estão numa superfície lisa e horizontal, desprovida de atritos. Aplica-se no bloco A uma força

Leia mais

Física setor F 01 unidade 01

Física setor F 01 unidade 01 Vale relembrar três casos particulares: ) a r e b r tem mesma direção e mesmo sentido: a b s = a+ b s ) a r e b r têm mesma direção e sentidos opostos: a s = a b s b a r e b r têm direções perpendiculares

Leia mais

Capítulo 3 A Mecânica Clássica

Capítulo 3 A Mecânica Clássica Capítulo 3 A Mecânica Clássica AMecânica Clássica é formalmente descrita pelo físico, matemático e filósofo Isaac Newton no século XVII. Segundo ele, todos os eventos no universo são resultados de forças.

Leia mais

DISCIPLINA ELETRICIDADE E MAGNETISMO LEI DE AMPÈRE

DISCIPLINA ELETRICIDADE E MAGNETISMO LEI DE AMPÈRE DISCIPLINA ELETICIDADE E MAGNETISMO LEI DE AMPÈE A LEI DE AMPÈE Agoa, vamos estuda o campo magnético poduzido po uma coente elética que pecoe um fio. Pimeio vamos utiliza uma técnica, análoga a Lei de

Leia mais

LISTA de GRAVITAÇÃO PROFESSOR ANDRÉ

LISTA de GRAVITAÇÃO PROFESSOR ANDRÉ LISA de GRAVIAÇÃO PROFESSOR ANDRÉ 1. (Ufgs 01) Em 6 de agosto de 01, o jipe Cuiosity" pousou em ate. Em um dos mais espetaculaes empeendimentos da ea espacial, o veículo foi colocado na supefície do planeta

Leia mais

DINÂMICA ATRITO E PLANO INCLINADO

DINÂMICA ATRITO E PLANO INCLINADO AULA 06 DINÂMICA ATRITO E LANO INCLINADO 1- INTRODUÇÃO Quando nós temos, po exemplo, duas supefícies em contato em que há a popensão de uma desliza sobe a outa, podemos obseva aí, a apaição de foças tangentes

Leia mais

LISTA UERJ 1ª FASE LEIS DE NEWTON

LISTA UERJ 1ª FASE LEIS DE NEWTON 1. (Uerj 2013) Um bloco de madeira encontra-se em equilíbrio sobre um plano inclinado de 45º em relação ao solo. A intensidade da força que o bloco exerce perpendicularmente ao plano inclinado é igual

Leia mais

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br 1. (Ufv 2000) Um aluno, sentado na carteira da sala, observa os colegas, também sentados nas respectivas carteiras, bem como um mosquito que voa perseguindo o professor que fiscaliza a prova da turma.

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física LISTA 03. Capítulo 07

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física LISTA 03. Capítulo 07 01 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física Disciplina: Física Geral e Experimental I (MAF 2201) LISTA 03 Capítulo 07 1. (Pergunta 01) Classifique

Leia mais

Faculdade de Engenharia São Paulo FESP Física Básica 1 (BF1) Prof.: João Arruda e Henriette Righi. Atenção: Semana de prova S1 15/06 até 30/06

Faculdade de Engenharia São Paulo FESP Física Básica 1 (BF1) Prof.: João Arruda e Henriette Righi. Atenção: Semana de prova S1 15/06 até 30/06 Faculdade de Engenharia São Paulo FESP Física Básica 1 (BF1) Prof.: João Arruda e Henriette Righi Maio/2015 Atenção: Semana de prova S1 15/06 até 30/06 LISTA DE EXERCÍCIOS # 2 1) Um corpo de 2,5 kg está

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Unesp 2013) No dia 5 de junho de 2012, pôde-se obseva, de deteminadas egiões da Tea, o fenômeno celeste chamado tânsito de Vênus, cuja póxima ocoência se daá em 2117. Tal fenômeno só é possível poque

Leia mais

Lista de Exercícios para Recuperação Final. Nome: Nº 1 º ano / Ensino Médio Turma: A e B Disciplina(s): Física LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO - I

Lista de Exercícios para Recuperação Final. Nome: Nº 1 º ano / Ensino Médio Turma: A e B Disciplina(s): Física LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO - I Lista de Exercícios para Recuperação Final Nome: Nº 1 º ano / Ensino Médio Turma: A e B Disciplina(s): Física Data: 04/12/2014 Professor(a): SANDRA HELENA LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO - I 1. Dois móveis

Leia mais

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 17 LANÇAMENTO VERTICAL E QUEDA LIVRE

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 17 LANÇAMENTO VERTICAL E QUEDA LIVRE FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 17 LANÇAMENTO VERTICAL E QUEDA LIVRE Como pode cair no enem? celeração de 5 g (ou 50 m/s²), ocorrendo o enrijecimento dos músculos devido a força que o sangue exerce na volta

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 8 Eu tenho a força!

Lista de Exercícios - Unidade 8 Eu tenho a força! Lista de Exercícios - Unidade 8 Eu tenho a força! Forças 1. (UFSM 2013) O uso de hélices para propulsão de aviões ainda é muito frequente. Quando em movimento, essas hélices empurram o ar para trás; por

Leia mais

Objetivo Estudo do efeito de sistemas de forças não concorrentes.

Objetivo Estudo do efeito de sistemas de forças não concorrentes. Univesidade edeal de lagoas Cento de Tecnologia Cuso de Engenhaia Civil Disciplina: Mecânica dos Sólidos 1 Código: ECIV018 Pofesso: Eduado Nobe Lages Copos Rígidos: Sistemas Equivalentes de oças Maceió/L

Leia mais

Trabalho Mecânico. A força F 2 varia de acordo com o gráfico a seguir: Dados sem 30º = cos = 60º = 1/2

Trabalho Mecânico. A força F 2 varia de acordo com o gráfico a seguir: Dados sem 30º = cos = 60º = 1/2 Trabalho Mecânico 1. (G1 - ifce 2012) Uma pessoa sobe um lance de escada, com velocidade constante, em 1,0 min. Se a mesma pessoa subisse o mesmo lance, também com velocidade constante em 2,0 min, ela

Leia mais

MATERIAL DE APOIO FÍSICA

MATERIAL DE APOIO FÍSICA COLÉGIO FRANCO-BRASILEIRO NOME: N : TURMA: PROFESSOR(A): SÉRIE: 1º DATA: / / 2014 MATERIAL DE APOIO FÍSICA I. VETORES 1. Dois vetores de módulos iguais possuem direções que fazem entre si um ângulo de

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 COLÉGIO FRANCO-BRASILEIRO NOME: N : TURMA: PROFESSOR(A): SÉRIE: 1º DATA: / / 2014 LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 1. Em um trecho retilíneo e horizontal de uma ferrovia, uma composição

Leia mais

MOVIMENTO DE QUEDA LIVRE

MOVIMENTO DE QUEDA LIVRE I-MOVIMENTO DE QUEDA LIVRE II-MOVIMENTO DE QUEDA COM RESISTÊNCIA DO AR MOVIMENTO DE QUEDA LIVRE 1 1 QUEDA LIVRE A queda live é um movimento de um copo que, patindo do epouso, apenas está sujeito à inteacção

Leia mais

Antenas. Antena = transição entre propagação guiada (circuitos) e propagação não-guiada (espaço). Antena Isotrópica

Antenas. Antena = transição entre propagação guiada (circuitos) e propagação não-guiada (espaço). Antena Isotrópica Antenas Antena tansição ente popagação guiada (cicuitos) e popagação não-guiada (espaço). Antena tansmissoa: Antena eceptoa: tansfoma elétons em fótons; tansfoma fótons em elétons. Antena sotópica Fonte

Leia mais

ESTUDO GRÁFICO DOS MOVIMENTOS. Gráfico posição x tempo (x x t)

ESTUDO GRÁFICO DOS MOVIMENTOS. Gráfico posição x tempo (x x t) ESTUDO GRÁFICO DOS MOVIMENTOS No estudo do movimento é bastante útil o emprego de gráficos. A descrição de um movimento a partir da utilização dos gráficos (posição x tempo; velocidade x tempo e aceleração

Leia mais

EXPERIÊNCIA 5 - RESPOSTA EM FREQUENCIA EM UM CIRCUITO RLC - RESSONÂNCIA

EXPERIÊNCIA 5 - RESPOSTA EM FREQUENCIA EM UM CIRCUITO RLC - RESSONÂNCIA UM/AET Eng. Elética sem 0 - ab. icuitos Eléticos I Pof. Athemio A.P.Feaa/Wilson Yamaguti(edição) EPEIÊNIA 5 - ESPOSTA EM FEQUENIA EM UM IUITO - ESSONÂNIA INTODUÇÃO. icuito séie onsideando o cicuito da

Leia mais

A figura a seguir representa um atleta durante um salto com vara, em três instantes distintos

A figura a seguir representa um atleta durante um salto com vara, em três instantes distintos Energia 1-Uma pequena bola de borracha, de massa 50g, é abandonada de um ponto A situado a uma altura de 5,0m e, depois de chocar-se com o solo, eleva-se verticalmente até um ponto B, situado a 3,6m. Considere

Leia mais

Mecânica Clássica (Licenciaturas em Física Ed., Química Ed.) Folha de problemas 4 Movimentos de corpos sob acção de forças centrais

Mecânica Clássica (Licenciaturas em Física Ed., Química Ed.) Folha de problemas 4 Movimentos de corpos sob acção de forças centrais Mecânica Clássica (icenciatuas em Física Ed., Química Ed.) Folha de oblemas 4 Movimentos de coos sob acção de foças centais 1 - Uma atícula de massa m move-se ao longo do eixo dos xx, sujeita à acção de

Leia mais

Exercícios 6 Aplicações das Leis de Newton

Exercícios 6 Aplicações das Leis de Newton Exercícios 6 plicações das Leis de Newton Primeira Lei de Newton: Partículas em Equilíbrio 1. Determine a intensidade e o sentido de F de modo que o ponto material esteja em equilíbrio. Resp: = 31,8 0,

Leia mais

Física. Pré Vestibular / / Aluno: Nº: Turma: ENSINO MÉDIO

Física. Pré Vestibular / / Aluno: Nº: Turma: ENSINO MÉDIO Pré Vestibular ísica / / luno: Nº: Turma: LEIS DE NEWTON 01. (TEC daptada) Dois blocos e de massas 10 kg e 20 kg, respectivamente, unidos por um fio de massa desprezível, estão em repouso sobre um plano

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 9 A segunda lei de Newton e a eterna queda da Lua

Lista de Exercícios - Unidade 9 A segunda lei de Newton e a eterna queda da Lua Lista de Exercícios - Unidade 9 A segunda lei de Newton e a eterna queda da Lua Segunda Lei de Newton 1. (G1 - UTFPR 01) Associe a Coluna I (Afirmação) com a Coluna II (Lei Física). Coluna I Afirmação

Leia mais

Física 3. Capítulo 1. Energia, Impulso e Hidrostática

Física 3. Capítulo 1. Energia, Impulso e Hidrostática Física 3 Energia, Impulso e Hidrostática Capítulo 1 PV2D-07-FI-34 01. Um bloco desliza sobre um plano horizontal sob a ação das forças constantes especifi cadas na fi gura a seguir. No percurso AB, no

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ º Exame de Qualificação 011 Questão 6 Vestibular 011 No interior de um avião que se desloca horizontalmente em relação ao

Leia mais

UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli

UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli 1. A figura abaixo mostra o mapa de uma cidade em que as ruas retilíneas se cruzam perpendicularmente e cada quarteirão

Leia mais

TC 1 UECE 2012 FASE 2. PROF.: Célio Normando

TC 1 UECE 2012 FASE 2. PROF.: Célio Normando TC 1 UECE 01 FASE PROF.: Célio Normando Conteúdo: Aritmética Ordem de Grandeza 1. Racionalizar o uso da água significa usá-la sem desperdício e considerá-la uma prioridade social e ambiental, para que

Leia mais

CINEMÁTICA SUPER-REVISÃO REVISÃO

CINEMÁTICA SUPER-REVISÃO REVISÃO Física Aula 10/10 Prof. Oromar Baglioli UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA

Leia mais

F-328-2 º Semestre de 2013 Coordenador. José Antonio Roversi IFGW-DEQ-Sala 216 roversi@ifi.unicamp.br

F-328-2 º Semestre de 2013 Coordenador. José Antonio Roversi IFGW-DEQ-Sala 216 roversi@ifi.unicamp.br F-38 - º Semeste de 013 Coodenado. José Antonio Rovesi IFGW-DEQ-Sala 16 ovesi@ifi.unicamp.b 1- Ementa: Caga Elética Lei de Coulomb Campo Elético Lei de Gauss Potencial Elético Capacitoes e Dieléticos Coente

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek. Roteiro e Lista de Recuperação de Física

Centro Educacional Juscelino Kubitschek. Roteiro e Lista de Recuperação de Física Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: ( ) Fundamental (x ) Médio SÉRIE: 1º TURMA: TURNO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSOR: Equipe de Física Roteiro e Lista de Recuperação de

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Gabarito dos Exames para o 1º e 2º Anos 1ª QUESTÃO Movimento Retilíneo Uniforme Em um MRU a posição s(t) do móvel é dada por s(t) = s 0 + vt, onde s 0 é a posição

Leia mais

XForça. Um corpo, sobre o qual não age nenhuma força, tende a manter seu estado de movimento ou de repouso. Leis de Newton. Princípio da Inércia

XForça. Um corpo, sobre o qual não age nenhuma força, tende a manter seu estado de movimento ou de repouso. Leis de Newton. Princípio da Inércia Física Aistotélica of. Roseli Constantino Schwez constantino@utfp.edu.b Aistóteles: Um copo só enta em movimento ou pemanece em movimento se houve alguma foça atuando sobe ele. Aistóteles (384 a.c. - 3

Leia mais

Lançamento Horizontal

Lançamento Horizontal Lançamento Horizontal 1. (Ufsm 2013) Um trem de passageiros passa em frente a uma estação, com velocidade constante em relação a um referencial fixo no solo. Nesse instante, um passageiro deixa cair sua

Leia mais

Fenômenos de Transporte I. Aula 10. Prof. Dr. Gilberto Garcia Cortez

Fenômenos de Transporte I. Aula 10. Prof. Dr. Gilberto Garcia Cortez Fenômenos de Tanspote I Aula Pof. D. Gilbeto Gacia Cotez 8. Escoamento inteno iscoso e incompessíel 8. Intodução Os escoamentos completamente limitados po supefícies sólidas são denominados intenos. Ex:

Leia mais

LANÇAMENTO OBLÍQUO (PROF. VADO)

LANÇAMENTO OBLÍQUO (PROF. VADO) LANÇAMENTO OBLÍQUO (PROF. VADO) 01) PUCSP- Suponha que em uma partida de futebol, o goleiro, ao bater o tiro de meta, chuta a bola, imprimindo-lhe uma velocidade V 0 cujo vetor forma, com a horizontal,

Leia mais

MECÂNICA. F cp. F t. Dinâmica Força resultante e suas componentes AULA 7 1- FORÇA RESULTANTE

MECÂNICA. F cp. F t. Dinâmica Força resultante e suas componentes AULA 7 1- FORÇA RESULTANTE AULA 7 MECÂICA Dinâmica oça esultante e suas componentes 1- ORÇA RESULTATE oça esultante é o somatóio vetoial de todas as foças que atuam em um copo É impotante lemba que a foça esultante não é mais uma

Leia mais

UFMG - 2005 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2005 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2005 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante um voo, um avião lança uma caixa presa a um paraquedas. Após esse lançamento, o paraquedas abre-se e uma força F,

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE FÍSICA 2 a SÉRIE

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE FÍSICA 2 a SÉRIE ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE FÍSICA 2 a SÉRIE Nome: Nº Série: 2º EM Data: / /2015 Professores Gladstone e Gromov Assuntos a serem estudados - Movimento Uniforme. Movimento Uniformemente Variado. Leis

Leia mais

CAMPOS MAGNETOSTÁTICOS PRODUZIDOS POR CORRENTE ELÉTRICA

CAMPOS MAGNETOSTÁTICOS PRODUZIDOS POR CORRENTE ELÉTRICA ELETOMAGNETMO 75 9 CAMPO MAGNETOTÁTCO PODUZDO PO COENTE ELÉTCA Nos capítulos anteioes estudamos divesos fenômenos envolvendo cagas eléticas, (foças de oigem eletostática, campo elético, potencial escala

Leia mais

Resistência dos Materiais IV Lista de Exercícios Capítulo 2 Critérios de Resistência

Resistência dos Materiais IV Lista de Exercícios Capítulo 2 Critérios de Resistência Lista de Execícios Capítulo Citéios de Resistência 0.7 A tensão de escoamento de um mateial plástico é y 0 MPa. Se esse mateial é submetido a um estado plano de tensões ocoe uma falha elástica quando uma

Leia mais

Q = m. I t. I tem mesma direção. DINÂMICA de PARTÍCULAS Impulso, Quantidade de Movimento e Colisões. MOMENTO LINEAR: (de uma partícula)

Q = m. I t. I tem mesma direção. DINÂMICA de PARTÍCULAS Impulso, Quantidade de Movimento e Colisões. MOMENTO LINEAR: (de uma partícula) MOMENTO LINEAR: (de uma partícula) Num parque de diversões um dos brinquedos mais disputados pelos frequentadores é o autopista, também conhecido como carrinhos batebate. Quem já brincou num desses sabe

Leia mais

As leis de Newton e suas aplicações

As leis de Newton e suas aplicações As leis de Newton e suas aplicações Disciplina: Física Geral e Experimental Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: O que significa o conceito de força

Leia mais

Lista de Exercícios de: Trabalho de uma força paralela ao deslocamento

Lista de Exercícios de: Trabalho de uma força paralela ao deslocamento Lista de Exercícios de: Trabalho de uma força paralela ao deslocamento Quando aplicamos uma força sobre um corpo, provocando um deslocamento, estamos gastando energia, estamos realizando um trabalho. Ʈ

Leia mais

Exercícios complementares envolvendo a equação de Torricelli

Exercícios complementares envolvendo a equação de Torricelli 01. (Vunesp-SP) Um veículo está rodando à velocidade de 36 km/h numa estrada reta e horizontal, quando o motorista aciona o freio. Supondo que a velocidade do veículo se reduz uniformemente à razão de

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL YVONE PIMENTEL DISCIPLINA: FÍSICA (Professor Ronald Wykrota) EJA INDIVIDUAL 1ª SÉRIE - AULAS 01 e 02

COLÉGIO ESTADUAL YVONE PIMENTEL DISCIPLINA: FÍSICA (Professor Ronald Wykrota) EJA INDIVIDUAL 1ª SÉRIE - AULAS 01 e 02 EJA INDIVIDUAL 1ª SÉRIE - AULAS 01 e 02 FÍSICA: Física é a ciência exata que tem por objeto de estudo os fenômenos que ocorrem na natureza. Através do entendimento dos fenômenos da natureza, podemos entender

Leia mais

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor Um mol de um gás ideal é levado do estado A para o estado B, de acordo com o processo representado no diagrama pressão versus volume conforme figura abaixo: a)

Leia mais

Plano Inclinado com e sem atrito

Plano Inclinado com e sem atrito Plano Inclinado com e sem atrito 1. (Uerj 2013) Um bloco de madeira encontra-se em equilíbrio sobre um plano inclinado de 45º em relação ao solo. A intensidade da força que o bloco exerce perpendicularmente

Leia mais

9) (UFMG/Adap.) Nesta figura, está representado um bloco de peso 20 N sendo pressionado contra a parede por uma força F.

9) (UFMG/Adap.) Nesta figura, está representado um bloco de peso 20 N sendo pressionado contra a parede por uma força F. Exercícios - Aula 6 8) (UFMG) Considere as seguintes situações: I) Um carro, subindo uma rua de forte declive, em movimento retilíneo uniforme. II) Um carro, percorrendo uma praça circular, com movimento

Leia mais

UNIDADE NO SI: F Newton (N) 1 N = 1 kg. m/s² F R = 6N + 8N = 14 N F R = 7N + 3N = 4 N F 2 = 7N

UNIDADE NO SI: F Newton (N) 1 N = 1 kg. m/s² F R = 6N + 8N = 14 N F R = 7N + 3N = 4 N F 2 = 7N Disciplina de Física Aplicada A 2012/2 Curso de Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora Ms. Valéria Espíndola Lessa DINÂMICA FORÇA: LEIS DE NEWTON A partir de agora passaremos a estudar a Dinâmica, parte

Leia mais