PALESTRA SINDIPOSTO 11/12/13

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PALESTRA SINDIPOSTO 11/12/13"

Transcrição

1 PALESTRA SINDIPOSTO 11/12/13 Empresa criada em maio de 2012 com o objetivo de prestar serviços no segmento Revendedor com foco principal nas relações Revenda x Distribuidoras, Treinamento de Pessoal, qualificando a mão de obra do mercado. Análise do Potencial do Ponto de Vendas, Negociações de Contratos, Assessoria Ambiental, Jurídica, Contábil, outros.

2 OBJETIVO: CONHECER OS CLIENTES E SUAS NECESSIDADES DESENVOLVER FORMAS DE ENCANTÁ-LOS PRODUTOS E SERVIÇOS QUALIFICADOS INCREMENTO DE VENDAS MERCADO FUTURO DA ATIVIDADE DE REVENDA DE COMBUSTÍVEL

3 MÉDIA M3 PR GOIÂNIA / AP.DE GOIÂNIA TOTAL DE POSTOS REVENDEDORES = 299 GASOLINA 130 ETANOL HIDRATADO 80 DIESEL 110 CONSUMO MÉDIO MENSAL 320 * *Postos Rodovia + Cidade 240 Postos em Goiânia + 59 Postos em Aparecida de Goiânia Fonte ANP Comercialização

4 EVOLUÇÃO VENDAS DE GASOLINA ESTADO DE GOIÁS Fonte ANP 2013/2012 CRESCIMENTO ACUMULADO DE 4% (média nacional = crescimento de 4,1%) jan fev mar abr mai jun jul ago set out

5 Série1 Série EVOLUÇÃO VENDAS ÓLEO DIESEL ESTADO DE GOIÁS Fonte ANP CRESCIMENTO ACUMULADO EM 2013 DE 17% (média nacional = crescimento de 5,5%) - jan fev mar abr mai jun jul ago set out

6 EVOLUÇÃO VENDAS ETANOL HIDRATADO ESTADO DE GOIÁS Fonte ANP CRESCIMENTO ACUMULADO EM 2013 DE 21% (média nacional = crescimento de 7,7%) jan fev mar abr mai jun jul ago set out

7 Vendas de Combustíveis 1. GASOLINA Preço de Custo Preço de Vendas Margem Bruta Galonagem (l) Faturamento Total Margem Bruta R$ 1.2. Comum 2,6763 3,0467 0, R$ ,00 R$ ,00 2. ETANOL 2.2. Comum 1,7743 2,1417 0, R$ ,00 R$ ,00 3. DIESEL 3.2. Comum 2,2355 2,4922 0, R$ ,00 R$ ,00 Total em Combustíveis (1+2+3) R$ ,00 R$ ,00 4. Vendas de Produtos e Afins Produto Vendas em R$ Marcação em % Margem 4.1. Lubrificantes R$ 0,00 40% R$ Aditivos R$ 0,00 50% R$ Filtro Óleo R$0,00 50% R$ Filtros ar R$ 0,00 60% R$ 0.00 Total de Vendas de Produtos R$ 0,00 Margem Bruta (5) R$ 0.00 Total da Receita ( ) 12,57% - s/faturamento R$ ,00

8 Sub - Total 12 R$ ,02 1. Com Pessoal Quantidade Salário Periculodade Adicional Noturno TOTAL 1.1. Gerente 0 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 1.2. Encarregado de Pista 1 R$ 933,00 R$ 279,90 R$ 1.212, Frentistas / Lubrificador 9 R$ 777,00 R$ 233,10 R$ 9.090, Frentistas noturno 1 R$ 777,00 R$ 233,10 R$ 202,02 R$ 1.212, Vigia 0 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0, Escritório 1 R$ 777,00 R$ 233,10 R$ 1.010, Lavador 0 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0, Loja 0 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

9 1. Despesas Com Pessoal 1.1. Salários R$ , Encargos Sociais R$ 4.609, Gratificações e Horas Extras R$ 404, Encargos Sociais s/ o ítem 1.3 R$ 148, Treinamento de pessoal + PLR + CESTA DE NATAL R$ 550, Uniformes R$ 272, Vale Transportes e cestas básicas R$ 3.532, Ações trabalhistas R$ 500, Pró-Labore R$ 0, I.R.P.F. (Pró-Labore sócios) R$ 0, Medicina Ocupacional R$ 240, Provisionamento de 13º e férias R$ 3.325,66 Sub Total Com Pessoal R$ ,82 % do Total Despesas: 32,8%

10 2.Despesas Ordinárias 2.1. Aferição bombas (12 bicos) R$ 265, Água R$ 210, I.N.S.S. (Contador+Pró Labore) R$ 0, Contador R$ 1.198, Fretes e Carretos (consideramos preços CIF) R$ 66, Material de escritório+impressos R$ 96, Aluguel (consideramos imóvel próprio) R$ 0, Luz e força R$ 2.091, Manutenção do posto R$ 0, Manutenção de softwear R$ 508, Perdas com evaporação 0.6% (Gas e Etanol ) e 0,3% (Diesel) R$ 367, Shampoo e panos R$ 0, Telefone R$ 257, Segurança R$ 0, Ambientais. R$ 720,00 Sub Total Ordinárias R$ 5.780,39 % do Total Despesas: 7,3%

11 % do Total Despesas: 2,3% 3. Despesas Extraordinárias 3.1. Brindes, promoções e publicidade + Plano de Marketing Distribuidora R$ 1.823, Material de construção e ferramentas R$ 0, Presentes + descontos s/ produtos Sub Total Extraordinárias R$ 1.823,76

12 4. Despesas com Impostos e Taxas 4.1. IPTU R$ 420, ISS R$ 0, ICMS (de outras atividades) R$ 0, PIS/CONFINS (outras atividades) R$ 0, PIS/CONFINS (do GNV) 3,65% R$ 0, Cartórios e alvarás R$ 250, Associação de classe / Sindiposto R$ 450,00 Sub Total Impostos e Taxas R$ 1.120,00 % do Total Despesas: 1,4%

13 5. Despesas Financeiras 5.1. CPMF ( 0,38%) R$ 0, Custos com Cartões de Crédito (40% das vendas) R$ 8.752, Custos com Capital de Giro (Dinheiro circulante +Cheque Pré Datados + Notinhas + Estoque + Prazos Cartão) R$ 3.506, Remuneração do Estoque pela taxa SELIC R$ 392, Custos com Inadimplência R$ 1.500, Taxas bancárias R$ 37, Seguro patrimonial R$ 220,00 Sub Total Financeiros R$ ,63

14 % do Total Despesas: 37,9% 6. Despesas de Investimentos 6.1. Depreciação do imóvel R$0, Depreciação dos equipamentos R$ 4.957, Remuneração do Capital Investido (3.000K *taxa Selic = 10% a.a./12) R$ ,00 Sub Total de Investimentos R$ ,88

15 BALANCETE MENSAL RESUMO 1. LUCRO 1.1. Receitas Combustíveis R$ , Receitas GNV R$ 0, Receitas Produtos Afins R$ 0, Receitas de Serviços R$0, Receitas Outras R$0,00 Sub Total de Receita Bruta R$ , Despesas R$ ,48 TOTAL LÍQUIDO (3,18% S / FAT. BRUTO) (Antes do Imposto de Renda e retirada) R$ ,52

16 DESPESAS - UTILIZADAS COMO RECEITAS ADMINISTRADOR DOS PR's Treinamento de Pessoal + PLR + Cesta de Natal R$ 550, Provisão para Ações Trabalhistas + Medicina do Trabalho R$ 500, Provisionamento de 13o. + Férias + Encargos R$ 3.325, Custo com Capital de Giro R$ 3.506, Remuneração do Estoque + Perdas por Evaporação R$ 760, Remuneração do Capital Investido (3.000k * Selic / 12) R$ ,00 TOTAL R$ , Retirada Pró Labore R$ 0, Diferença - IRRF (Real x Recolhido) R$ 0,00 TOTAL R$ , Lucro antes do Imposto de Renda (3,18% S/ FAT.BRUTO) R$ ,52 TOTAL (7,14% S/ FAT.BRUTO) R$ ,89

17 MERCADO ATUAL / MERCADO FUTURO DESONERAÇÃO PIS / COFINS ETANOL (FIM DA SONEGAÇÃO = PASSIVO FISCAL, PR s CO-RESPONSABILIDADE) ALTERAÇÃO DA REGULAÇÃO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIDORES E REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS PORTARIA ANP 41/2013 REDUÇÃO DE DISTRIBUIDORES REGIONAIS (PERMANENCIA DAS MARGENS PRATICADAS ATUALMENTE) NOVOS PRODUTOS EM 2014 ( GASOLINA - Redução teor enxofre de 800mg/kg para 50mg/kg + DIESEL - fim S-1800 ) MANUTENÇÃO DE ESTOQUE (GASO + DIES DE 03 DIAS) PELAS DISTRIBUIDORAS DO CENTRO OESTE RESOLUÇÃO ANP 45/2013

18 MERCADO FUTURO AUMENTO SUBSTANCIAL DE CUSTOS DAS DISTRIBUIDORAS COM ARMAZENAGEM / MANUTENÇÃO ESTOQUES / ETANOL / TRANSPORTE / OUTROS ADESÃO DA REVENDA A DISTRIBUIDORAS QUE PROPORCIONAM ASSESSORIA / PROPAGANDA / CONTROLE DE QUALIDADE / GARANTIA FORNECIMENTO REDUÇÃO DA RELAÇÃO DE PREÇOS ENTRE DISTRIBUIDORAS REGIONAIS E NACIONAIS ESTRANGULAMENTO DA LOGISTICA DISTRIBUIÇÃO DA TRANSPETRO (REFINARIAS / DISTRIBUIDORAS = FALHAS NO ABASTECIMENTO)

19 ? QUAIS OS ASPECTOS QUE MAIS DIFICULTAM O DESEMPENHO DO MEU POSTO...

20 ? COMO ESTÁ A QUALIDADE PROFISSIONAL DOS NOSSOS EMPREGADOS...

21 ? QUAL É O PERFIL PREDOMINANTE DO MEU CLIENTE...

22 ? QUAIS OS PRODUTOS DE CONVENIÊNCIAS PROCURADOS NO POSTO, OS QUAIS NÃO SÃO COMERCIALIZADOS, E POR QUÊ...

23 ? SERVIÇOS E ATENDIMENTO TABELA DE PREÇOS O QUÊ A CONCORRÊNCIA ESTÁ PRATICANDO / OFERECENDO MELHOR QUE O MEU POSTO...

24 ? COMO É O RELACIONAMENTO PATRÃO x EMPREGADO...

25 ? COMO ESTÁ O GERENCIAMENTO E O DESEMPENHO FINANCEIRO DO MEU NEGÓCIO... RELATÓRIOS GERENCIAIS FISCAL CUSTO COM SPEED FISCAL PAGAMENTOS RECEBIMENTOS CUSTOS MODELO DE GESTÃO EXPLODINDO

26 ? A EQUIPE TRABALHA POR OBJETIVO...

27 A QUEBRA DO PARADIGMA ESTAR CIENTE QUE O MERCADO ESTÁ EM CONSTANTE MUTAÇÃO, COM CONCORRENTES MAIS AGRESSIVOS E EM NÚMERO CRESCENTE (sem possuir conhecimento do mercado)

28 COMO DEVO FAZER? - OBSERVAR E ANALISAR O MERCADO LOCAL E SUAS PREFERÊNCIAS - SEGMENTAR E DEFINIR O CLIENTE FOCO - AGREGAR VALORES A VENDA DE COMBUSTIVEL - REDEFINIR ESTRATÉGIAS DE VENDAS - BUSCAR PARCEIRO COMERCIAL

29 OBSERVANDO SUA ÁREA DE INFLUÊNCIA QUEM SÃO MEUS CONCORRENTES? QUEM SÃO MEUS CLIENTES? COMO ESTÁ MEU NEGÓCIO?

30 SEGMENTANDO E DEFININDO O CLIENTE FOCO DO POSTO: O QUE PROCURA POR PREÇO (descontos por fora /outros) O QUE PROCURA POR PRAZO DE PAGAMENTO (3 a 4 x Cartão) O QUE PROCURA POR QUALIDADE DE PRODUTO CLIENTES EM BUSCA DE PROMOÇÕES (faixas) OUTROS TIPOS DE CLIENTE

31 COMO??? AGREGANDO VALORES: REINVENTANDO O NEGÓCIO SEMPRE COMO??? LOJAS DE CONVENIÊNCIA PROGRAMAS DE QUALIDADE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARCERIAS COMERCIAIS TREINAMENTOS / ATENDIMENTO

32 Loja de Conveniência?

33 PADARIA?

34 BANCO 24 HORAS? ANÁLISE DE RISCOS / BENEFICIOS

35 CONQUISTA DO CONSUMIDOR Estar posicionado na mente do consumidor: O quê fazer? Como fazer? Quem pode fazer? Quando fazer? Onde Fazer?

36 A CONQUISTA DO CONSUMIDOR Atendimento qualificado Oferecer todos os produtos e serviços Tratamento personalizado Manter o posto atrativo (imagem) Atender e superar as expectativas do cliente

37 A CONQUISTA DO CONSUMIDOR LIMPEZA DAS INSTALAÇÕES Acesso à pista limpo e desobstruído Pista limpa Bombas e ilhas limpas e organizadas Displays / expositores organizados e atrativos Latas de lixo sem derrames Banheiros limpos, supridos com sabão, papel e toalha Flanelas limpas, sempre de posse do frentista Faixas e galhardetes em boas condições de comunicação

38 A CONQUISTA DO CONSUMIDOR ATENDIMENTO AO CLIENTE É a principal ferramenta para colocar um posto numa posição de destaque em relação à concorrência. PRODUTOS - SERVIÇOS Cada vez mais semelhantes ATENDIMENTO E QUALIDADE Garantia de Satisfação e Encantamento do cliente * É a única maneira de ser diferente

39 A CONQUISTA DO CONSUMIDOR ATENDIMENTO AO CLIENTE Cliente satisfeito Divulga sua satisfação para 8 pessoas Cliente furioso Repete sua insatisfação para 16 pessoas Encante o cliente desde o primeiro contato!

40 A SOLUÇÃO A CONQUISTA DO CONSUMIDOR O QUÊ FAZER? TREINAMENTO AOS FRENTISTAS PESSOAL QUALIFICADO ENFOQUE NA QUALIDADE OFERTA DE PRODUTOS DE CONVENIÊNCIAS E FACILIDADES

41 CLIENTE: O CLIENTE É A RAZÃO DA EXISTÊNCIA DE QUALQUER ORGANIZAÇÃO. POR ISSO, TRATE-O BEM E FAÇA COM QUE ELE VOLTE SEMPRE. CLIENTE: NOSSO MAIOR PATRIMÔNIO!

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (-) RESULTADO LIQUIDO DO PERIODO R$ (1.530.403,65) (-) RESULTADO OPERACIONAL R$ (2.277.862,58) RECEITA OPERACIONAL R$ 14.478.475,92 RECEITA BRUTA R$ 16.039.707,46 RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO R$ 7.649.244,47

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE PLANO DE CONTAS Associações, Sindicatos e Outras Entidades. 1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. Disponibilidades 1.1.1.1. Caixa 1.1.1.2. Bancos c/ Movimento 1.1.1.3. Aplicações Financeiras 1.1.2. Créditos

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Balancete Analítico de 01/12/2010 até 31/12/2010 Folha :1

Balancete Analítico de 01/12/2010 até 31/12/2010 Folha :1 Balancete Analítico de 01/12/2010 até 31/12/2010 Folha :1 ATIVO - [7] ATIVO CIRCULANTE - [14] DISPONIBILIDADES - [21] CAIXA - [12068] CAIXA - [28] =CAIXA 1.676,96D 1.498,93 1.748,46 1.427,43D 1.676,96D

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

Prof. Carlos Barretto

Prof. Carlos Barretto Unidade IV CONTABILIDADE FINANCEIRA Prof. Carlos Barretto Objetivos gerais Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: consciência ética

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

06/09/2010 17:40:53 1 Filtro: GOIANIA 79 GÁS DE COZINHA 0 0,00 14 PÃES 0 0,00 12 REFEIÇÕES 0 0,00 13 REFRIGERANTE 0 0,00

06/09/2010 17:40:53 1 Filtro: GOIANIA 79 GÁS DE COZINHA 0 0,00 14 PÃES 0 0,00 12 REFEIÇÕES 0 0,00 13 REFRIGERANTE 0 0,00 IANIA 1 Hiper Mega Super 5 ADMINISTRATIVO 5 ADMINISTRATIVO 5 ALIMENTAÇÃO 5 ALIMENTAÇÃO Item: 88 ALIMENTAÇAO 0,00 79 GÁS DE COZINHA 0 0,00 Item: 8 PÃES 0,00 14 PÃES 0 0,00 Item: 9 REFEIÇÕES 0,00 12 REFEIÇÕES

Leia mais

Balancete Analítico (Valores em Reais)

Balancete Analítico (Valores em Reais) 00001 10000 100000000000000 ATIVO 88.042,15 3.922.056,24 3.891.880,30 118.218,09 11000 110000000000000 ATIVO CIRCULANTE 35.964,33 3.917.262,56 3.891.880,30 61.346,59 11100 110100000000000 DISPONIVEL 734,67

Leia mais

05/09/2012 15:30:39 1 Filtro: GOIANIA 79 GÁS DE COZINHA 0 0,00 14 PÃES 0 0,00 12 REFEIÇÕES 0 0,00 13 REFRIGERANTE 0 0,00

05/09/2012 15:30:39 1 Filtro: GOIANIA 79 GÁS DE COZINHA 0 0,00 14 PÃES 0 0,00 12 REFEIÇÕES 0 0,00 13 REFRIGERANTE 0 0,00 1 Hiper Mega Super 5 ADMINISTRATIVO 5 ADMINISTRATIVO 5 ALIMENTAÇÃO 5 ALIMENTAÇÃO Item: 88 ALIMENTAÇAO 0,00 79 GÁS DE COZINHA 0 0,00 Item: 8 PÃES 0,00 14 PÃES 0 0,00 Item: 9 REFEIÇÕES 0,00 12 REFEIÇÕES

Leia mais

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO Nome da Entidade Identificação Razão Social CGC/CNPJ Inscrição Estadual Inscrição Municipal Descreva as Pricipais Atividades Desenvolvidas pela Entidade

Leia mais

Codigo Descricao Valor -------------- ----------------------------------------------- ------------ Empresa: 0001 EMPRESA DEMONSTRACAO

Codigo Descricao Valor -------------- ----------------------------------------------- ------------ Empresa: 0001 EMPRESA DEMONSTRACAO ## EMPRESA DEMOSNTRACAO ## Emissao: 18/08/2008-13:49:17 Pag: 1 422.484,66 AVIAMENTOS 38,90 FACCAO 1.369,20 INSS 887,66 MENSALIDADE DO SINDICATO 66,75 1 ENTRADAS 78.571,94 1.1 OPERACIONAIS 78.571,94 1.1.01

Leia mais

BALANCETE ANALÍTICO - JUNHO/2015

BALANCETE ANALÍTICO - JUNHO/2015 : 1 1 ATIVO 6.696.323,89D 1.488.250,06 1.434.586,10 6.749.987,85D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 4.489.543,31D 1.482.146,36 1.418.329,94 4.553.359,73D 1.1.1 DISPONIBILIDADES 4.192.202,67D 1.192.026,76 1.128.756,69

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: Emissão: Hora: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2011

CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: Emissão: Hora: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2011 Empresa: ASAS DE SOCORRO Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: CONSOLIDADO Emissão: Hora: 0001 0042 01/11/2012 11:36:58 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2011 Descrição Receita Operacional

Leia mais

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras No ano de 2012 o Londrina Country Club atualizou o plano de contas de sua demonstração de resultado. O objetivo é atualizar a nomenclatura das contas permitindo

Leia mais

=CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19 *****26.980,73D

=CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19 *****26.980,73D Diário:6 Folha: 12 [7]ATIVO [14]ATIVO CIRCULANTE [21]CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA [28]CAIXA [35]CAIXA 6.053,07D 200.073,85 179.146,19 26.980,73D =CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19

Leia mais

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO Conta do ATIVO 1 ATIVO 1. Circulante 1.. Disponível 1.. Realizável 1... Créditos 1... Estoques 1... Combustíveis 1... Lubrificantes 1... Peças, Acessórios, Materiais 1...

Leia mais

GESTOR FINANCEIRO DR. MARIDO

GESTOR FINANCEIRO DR. MARIDO GESTOR FINANCEIRO DR. MARIDO Progressão Anual Receitas Receitas Comissão de Serviços Terceirizados (Orçamentos) 6.000,00 8.000,00 12.000,00 8.000,00 12.000,00 15.000,00 15.000,00 R$ 76.000,00 Serviços

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Criamos o que as pessoas amam antes que elas saibam o que querem Hoje nossos franqueados

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO PLANO DE CONTAS O plano de Contas normalmente é composto de cinco grupos. ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE LAVRAS BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 A T I V O

SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE LAVRAS BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 A T I V O SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 ATIVO CIRCULANTE A T I V O DISPONIVEL Banco c/ Movimento 10.043,15 10.043,15 OUTROS CRÉDITOS Adiantamentos

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

Impacto do Custo Brasil na competitividade sistêmica e FEVEREIRO DE 2010

Impacto do Custo Brasil na competitividade sistêmica e FEVEREIRO DE 2010 Grupo II Impacto do Custo Brasil na competitividade sistêmica e setorial da indústria brasileira de bens de capital FEVEREIRO DE 2010 1 Objetivo O presente trabalho se propõe a mensurar o Custo Brasil,

Leia mais

Gestão da Carga Tributária. Clube de Empresários CIESP Leste 14/10/2015

Gestão da Carga Tributária. Clube de Empresários CIESP Leste 14/10/2015 Gestão da Carga Tributária Clube de Empresários CIESP Leste 14/10/2015 Âmbitos: Federal Estadual Municipal Previdenciário e Trabalhista A Carga Tributária Brasileira Produção Normativa Nos últimos 25 anos,

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Balancete de Verificação De 01/12/2014 até 31/12/2014

Balancete de Verificação De 01/12/2014 até 31/12/2014 Folha 1 ATIVO CAIXA 1.1.01.01.001 Caixa Geral 672,00D 754,60 1.053,60 373,00 D 1.1.01.01.002 Caixa Administrativo 25,24D 324,76 18 17 D Total do Grupo 697,24D 1.079,36 1.233,60 543,00 D BANCOS 1.1.01.02.001

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS OFICINA EMPRESARIAL COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS - ATENDIMENTO COLETIVO - 01 Como tudo começou... Manuais da série Como elaborar Atividade 02 Por que as empresas fecham? Causas das dificuldades e

Leia mais

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa):

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Pesquisa Industrial Anual Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Aluguéis e arrendamentos Despesas com

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL Profª. Cristiane Yoshimura 2013 CONTABILIZAÇÃO DAS CONTAS PATRIMONIAIS DÉBITO E CRÉDITO RAZONETE

Leia mais

7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos

7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos Exemplos de Aplicação de Projetos Cálculo do Valor de um Negócio ou Empresa; Avaliar Viabilidade de Projetos; Projetos para solicitação de Financiamentos.

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES No fascículo anterior tratamos da importância de desenvolver e treinar os profissionais que trabalham no consultório médico e o quanto são importantes para que a empresa seja

Leia mais

REALINHAMENTO DE EMPRESAS

REALINHAMENTO DE EMPRESAS REALINHAMENTO DE EMPRESAS REALINHAMENTO DE EMPRESAS FATORES QUE AFETAM SUA PERFORMANCE GERENCIAMENTO MARGEM DE LUCRO CAPITAL DE GIRO ESCALA DO NEGÓCIO FLUXO DE CAIXA GERENCIAMENTO Objetivo e comando do

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO 1 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA 1.1. Razão Social: 1.2. Endereços: Fone: - Escritório - Fábrica 1.3.

Leia mais

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Unidade II Orçamento Empresarial Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Referências Bibliográficas Fundamentos de Orçamento Empresarial Coleção resumos de contabilidade Vol. 24 Ed. 2008 Autores:

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO.

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. Análise Econômico-financeira da Concessão A licitante deverá apresentar uma análise econômico-financeira da concessão,

Leia mais

DVA Demonstração do Valor Adicionado

DVA Demonstração do Valor Adicionado DVA Demonstração do Valor Adicionado A DVA foi inserida pela Lei nº 11.638/2007, (artigo 176, inciso V), no conjunto de demonstrações financeiras que as companhias abertas devem apresentar ao final de

Leia mais

PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA 2014/2015 Mar/14 Abr/14 Mai/14 Jun/14 Jul/14 Ago/14 Set/14 Out/14 Nov/14 Dez/14 Jan/15 Fev/15 Totais %Reajuste

PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA 2014/2015 Mar/14 Abr/14 Mai/14 Jun/14 Jul/14 Ago/14 Set/14 Out/14 Nov/14 Dez/14 Jan/15 Fev/15 Totais %Reajuste 1 Despesas 1.01 - Contratos e Manutenção PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA 2014/2015 R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ % R$ 1.01.01 Elevadores 13.400,00 13.400,00 13.400,00 13.400,00 13.400,00 13.400,00 13.400,00

Leia mais

CIRCULANTE 1.847.737,52. DISPONIBILIDADES 20.710,71 Caixa 4.384,66 Bancos C/Movimento 16.326,05

CIRCULANTE 1.847.737,52. DISPONIBILIDADES 20.710,71 Caixa 4.384,66 Bancos C/Movimento 16.326,05 A T I V O CONTAS PATRIMONIAIS Dez-10 CIRCULANTE 1.847.737,52 DISPONIBILIDADES 20.710,71 Caixa 4.384,66 Bancos C/Movimento 16.326,05 CRÉDITOS 1.827.026,81 Aplicações Fianceiras 224.659,32 Valores a Receber

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

CNPJ : 04446959000106 Balancete Analítico de 01/03/2014 até 31/03/2014. Diário:0 Folha: 15 CASSE - CONTABILIDADE E ASSESSORIA EMPRESARIAL

CNPJ : 04446959000106 Balancete Analítico de 01/03/2014 até 31/03/2014. Diário:0 Folha: 15 CASSE - CONTABILIDADE E ASSESSORIA EMPRESARIAL Diário:0 Folha: 15 ATIVO - [7] CIRCULANTE - [14] Caixa e Equivalente de caixa - [21] Banco conta movimento - [42] CEF ag. 0649 cc 0182-5 - [49] SICOOB ag. 4002-9 cc 47.838-5 - [56] BB ag. 3777 cc 19256

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Balancete. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06. Créditos. Conta. Página:1/24

Balancete. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06. Créditos. Conta. Página:1/24 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06 Balancete Período: 01/05/2015 a 31/05/2015 Conta Anterior Débitos Créditos 1 - ATIVO 660.339,65D 383.449,46 379.045,53 664.743,58D

Leia mais

NEWTON PAIVA O seu Centro Universitário

NEWTON PAIVA O seu Centro Universitário 1 NEWTON PAIVA O seu Centro Universitário Curso: Ciências Contábeis Período: 6º Turno: Noite Sala: 106 Departamento: Ciências Contábeis Faculdade: FACISA Disciplina: Contabilidade Fiscal e Tributária AVALIAÇÃO

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO 04 APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças, marketing,

Leia mais

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL Cod.Normal Cód.Reduz. Grau Tipo Natureza Descrição 1. 1 1 S A ATIVO 1.1. 2 2 S AC ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. 3 3 S AC DISPONÍVEL 1.1.1.01. 4 4 S AC BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.001-5 5 A AC Caixa 1.1.1.01.002-6

Leia mais

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento O Profissional Postos Combustíveis FRENTISTA Requisito de escolaridade para exercício da função: Mínimo: Ensino fundamental completo; Comum: Ensino médio em curso; Desejável: estudantes universitários.

Leia mais

Apresentação ao Shopping

Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua rede de franquias Você Sabia? Há trinta anos os Estados Unidos adotaram um modelo inovador

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS. Desafios de Supply Chain e Logística. Impacto da Logística nos Resultados do Negócio: O caso Visanet

CICLO DE PALESTRAS. Desafios de Supply Chain e Logística. Impacto da Logística nos Resultados do Negócio: O caso Visanet CICLO DE PALESTRAS Desafios de Supply Chain e Logística Impacto da Logística nos Resultados do Negócio: O caso Visanet AGENDA Breve Apresentação Sergio R. Bio Palestra Inicial Marco Aurélio Ferrari Comentários

Leia mais

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Classificação CONTA 1. ATIVO 1. 1. ATIVO CIRCULANTE 1. 1. 1. DISPONIBILIDADES 1. 1. 1. 01. CAIXA GERAL 1. 1. 1. 01. 1001 Caixa 1. 1. 1. 02. BANCOS CONTA

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/05/13 a 31/05/13

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/05/13 a 31/05/13 FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 17 T 1 ATIVO 42.807.744,57D 5.912.830,23 5.858.043,39 42.862.531,41D 23 T 1.1 ATIVO CIRCULANTE 2.202.794,33D 5.390.052,54 5.127.142,48 2.465.704,39D 30 T

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE

CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE Objetivo: Apresentar aos participantes os principais pontos a serem considerados no planejamento

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 1. Introdução Em 31 de dezembro de 2014 a SANEAGO operava os sistemas de abastecimento de água e coleta e/ou tratamento de esgoto de 225 dos 246 municípios do Estado de Goiás,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

Fluxo de Integração do Fortes

Fluxo de Integração do Fortes Frota Cadastro de Veículos / Média de Consumo e Disponibilidade de Veículos. Cadastro de Fornecedores. TRU Quantidade de Passageiros Transportados. Contas a Pagar / Cadastro de Fornecedores e Notas de

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social

IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 43 IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

Prestação de Contas Novembro a Fevereiro 2013-2014

Prestação de Contas Novembro a Fevereiro 2013-2014 Prestação de Contas Novembro a Fevereiro 2013-2014 RECEITAS RECEITAS NOVEMBRO DEZEMBRO JANEIRO FEVEREIRO TRANSF. MUNICIPIOS 192.899,80 437.833,00 912.447,20 1.168.551,70 VENDA EDITAIS - - - 180,00 RENDIMENTOS

Leia mais

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A.

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. São Paulo, 8 de dezembro de 2005 1 Aviso Legal Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Palestra no SINCOPEÇAS-RS 22 de maio de 2014 www.alfredo.com.br PREÇO DE VENDA E MARGEM DE LUCRO 2 GOVERNO CONCORRENTES FORNECEDOR EMPRESA CLIENTES PREÇO DE

Leia mais

Empreendedorismo de Negócios com Informática

Empreendedorismo de Negócios com Informática Empreendedorismo de Negócios com Informática Aula 6 Plano de Negócios Empreendedorismo de Negócios com Informática - Plano de Negócios 1 Conteúdo Sumário Executivo Apresentação da Empresa Plano de Marketing

Leia mais

PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE

PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE Muitas vezes o desconhecimento sobre políticas de estoque, finanças e parcerias comerciais é a principal explicação das dificuldades que muitas empresas têm em progredir ou

Leia mais

ASSUNTOS CONTÁBEIS EXEMPLOS DE APURAÇÃO DO IRPJ - LUCRO REAL. Balancete encerrado em 31.08.2007

ASSUNTOS CONTÁBEIS EXEMPLOS DE APURAÇÃO DO IRPJ - LUCRO REAL. Balancete encerrado em 31.08.2007 SUPERAVIT - Boletim Eletrônico Fiscal Consultoria TRIBUTÁRIA: (84) 3331-1310 E-Mail: jorge@superavitcontabil@com.br MSN: superavit.contabil@hotmail.com SITE: www.superavitcontabil.com.br ASSUNTOS CONTÁBEIS

Leia mais

Relatorio de Despesas e Receitas Periodicidade: Mensal Período inicial: 02/2008 Núm. Períodos: 1 02/2008 Rubrica

Relatorio de Despesas e Receitas Periodicidade: Mensal Período inicial: 02/2008 Núm. Períodos: 1 02/2008 Rubrica Página 1 Periodicidade: Mensal Período inicial: Núm. Períodos: 1 CONTAS DE RESULTADO CREDORAS RECEITAS OPERACIONAIS 174,987.60 RENDAS ADTO A DEPOSITANTES ( PF ) 1,557.55 0.89 RENDAS ADTO A DEPOSITANTES

Leia mais

AlphaVille Fortaleza. Previsão Orçamentária 2015. Reunião do Conselho Diretor Novembro/2014 1

AlphaVille Fortaleza. Previsão Orçamentária 2015. Reunião do Conselho Diretor Novembro/2014 1 AlphaVille Fortaleza Previsão Orçamentária 2015 Reunião do Conselho Diretor Novembro/2014 1 Previsão Balanço Final / 2014 Previsão de Receitas Taxa Manutenção - Nov/14 e Dez/14 R$ 668.10 Resultado (Saldo

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS POUSADA BOUGAINVILLE "EDNA MARIA" Empreendedor(a): EDNA MARIA DE OLIVEIRA

PLANO DE NEGÓCIOS POUSADA BOUGAINVILLE EDNA MARIA Empreendedor(a): EDNA MARIA DE OLIVEIRA PLANO DE NEGÓCIOS POUSADA BOUGAINVILLE "EDNA MARIA" Empreendedor(a): EDNA MARIA DE OLIVEIRA Dezembro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

CLEVERSON FORATO ORÇAMENTO E FINANÇAS 1

CLEVERSON FORATO ORÇAMENTO E FINANÇAS 1 ORÇAMENTO E FINANÇAS 1 ORÇAMENTO E FINANÇAS 2 SUMÁRIO: 1) INTRODUÇÃO A GESTÃO FINANCEIRA a. A IMPORTANCIA DA INFORMAÇÃO NA GESTÃO DAS EMPRESAS b. O CONTEXTO DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA c. A FUNÇÃO DO ADMINISTRADOR

Leia mais

Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: Emissão: Hora: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010

Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: Emissão: Hora: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010 Empresa: ASAS DE SOCORRO Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: CONSOLIDADO Emissão: Hora: 0001 0041 01/11/2012 11:40:01 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010 Descrição Receita Operacional

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução O que são

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO FINANCEIRO

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO FINANCEIRO RECEITA BALANCETE DE VERIFICAÇÃO FINANCEIRO MAIO JUNHO MAIO JUNHO DESPESA DESPESAS OPERACIONAL Contribuição Associados 290,00 5.230,00 DESPESA C/PESSOAL Doações Diversas 5.700,00 0,00 Férias 467,91 350,93

Leia mais

Contabilidade Financeira e Gerencial. Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial

Contabilidade Financeira e Gerencial. Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial Contabilidade Financeira e Gerencial Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial Demonstração de Resultados A DRE é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa,

Leia mais

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE Piano de Contas Anexo 20 -- grandev

Leia mais

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping Retorno do investimento garantido em contrato ou a devolução da verba inicial investida* Cláusula vigésima: do retorno do investimento inicial 20.1 A Franqueadora se compromete

Leia mais