Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade"

Transcrição

1 Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade

2 Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema Processo Produto Reativo Corretivo Preditivo Preventivo Tempo CQ Controle de Qualidade GQ Garantia da qualidade TQM - Total quality management CEQ Controle Esattístico de Qualidade IA Inspeção por amostragem GEQ Gestão estratégica da Qualidade CEP Controle Estatísitco do Processo MSC - Medição da Satisfação do Cliente PNQ Premio Nacional da Qualidade CCQ Círculo de Controle de Qualidade TQC Total quality Control

3 Evolução da Gestão Evolução da visão da qualidade intrínseca dos produtos atingiu uma dimensão mais abrangente que coloca em evidência a própria qualidade da gestão. Novas exigências se impõem provenientes de outras partes interressadas nas organizações além dos clientes, obrigando o repensar de seus modelos de gestão, para incluir outros requisitos essenciais como: meio ambiente, à segurança, à saúde ocupaciona e à responsabilidade social.

4 Evolução da Gestão De acordo com a terminologia adotada pela Norma NBR ISO 9000: 2005 Sistema de Gestão da qualidade Fundamentos e vocabulários: Sistema = conjunto de elementos inter-relacionados ou interativos Sistema de gestão = sistema para estabelecer política e objetivos e para atingir esses objetivos. Gestão = atividades coordenadas organização. para dirigir e controlar uma Elementos = recursos: humanos, materiais, financeiros infraestrutura, informacionais, documentais, ambientais, métodos e procedimentos de trabalho, destinados a permitir o planejamento, o controle e a melhoria daquilo que se pretende desempenhar.

5 Evolução da Gestão Para compreensão dessa evolução, podem ser consideradas as variáveis: Exigências de respostas rápidas e eficazes; Aumento no nível de complexidade que requer novos desafios à compreensão dos processos e à definição de modelos de gestão que assegurem a perpetuação dos negócios. As incertezas que refletem o desconhecimento sobre os aspectos relevantes do processo de negócio num mundo em constante e rápida mutação. O estilo de gestão que consiste na abordagem administrativa ou nos modelos de atuação propostos para lidar com os problemas identificados na organização.

6 Evolução da Gestão Cada uma das etapas de evolução da gestão está marcada por um nível de complexidade específico, definido pela exigências do mercado e pelo foco dos negócios. Identificam-se quatro níveis de complexidade distintos, que se sobrepõem na medida em que os mais recentes incorporam e aprimoram elementos dos níveis anteriores: foco no produto Foco no processo Foco no sistema de gestão foco no negócio

7 Evolução da Gestão Em cada uma das etapas da evolução da gestão das organizações, observa-se a ênfase em uma determinada abordagem ou em determinado estilo de gestão: Reativo Corretivo Preventivo Preditivo

8 Evolução da Gestão A qualidade da gestão nas organizações deve ser desenvolvida de forma a se adequar aos seguintes aspectos: Liderança da alta administração Visão sistêmica Aprimoramento contínuo Abordagem preditiva nas ações administrativas Desenvolvimento das pessoas participantes do processo de produção foco no cliente Conhecimento do processo Sistema de informações confiável.

9 Evolução da Gestão Para buscar a qualidade considerada de classe mundial, algumas mudanças revolucionárias devem ser adotadas na gestão dos Negócios: Devem ser criados os meios para medir os resultados obtidos; Devem ser revistas as metas de qualidade e comparadas às alcançadas pela concorrência ( benchmarking); Devem ser implantados sistemas de reconhecimento e recompensa para motivar e buscar o comprometimento dos profissionais com a conquista do nível de qualidade internacional; Devem ser treinados os gerentes nos princípios da gestão da qualidade; O planejamento empresarial deve englobar os objetivos da qualidade ; Novos indicadores devem permitir que a alta gerência acompanhe o progresso de parâmetros, como satisfação dos consumidores, qualidade competitiva, desempenho dos processos empresariais, custos da nãoqualidade, entre outros.

10 Abordagens da Gestão Abordagem Atuação da Gestão Foco da Gestão Reativa Atua sobre os efeitos indesejáveis eliminando as não-conformidades dos produtos. Também chamada ação de disposição ou correção do produto. No controle do produto, assegurando sua conformidade. Corretiva Preventiva Preditiva Atua nas causas das não-conformidades de forma a evitar sua repetição. Atua nas causas potenciais dos problemas e das não-conformidades de maneira a evitar sua ocorrência, em função dos riscos envolvidos. Atua nas tendências do mercado, incluindo clientes, demandas, tecnologias, inovações, produtos substitutivos, concorrência, legislação e outras mudanças potenciais No controle do processo e no controle do produto. Além das ações corretivas, inclui as ações reativas necessárias No Planejamento, controle e melhoria do sistema que engloba a interdependência entre produtos, processos, padrões e recursos disponíveis. Inclui as ações de controle e de melhoria dos processos e controle e melhoria dos produtos No Planejamento, controle e melhoria do negócio, buscando assegurar sua perpetuação. Necessita de um sistema de gestão que lhe dê suporte nas contingências das mudanças

11 Desenvolvimento Sustentável As relações de Négocio com o mundo requerem das organizações a análise e a avaliação continuadas de seus desempenhos ambiental, tecnológico, econômico, cultural, político e social. As organizações devem produzir impactando e sendo impactadas por diferentes partes interessadas no negócio, mas devem fazê-lo de maneira responsável.

12 O PRINCÍPIO DA ADAPTAÇÃO SUSTENTÁVEL A sustentabilidade de uma organização depende fundamentalmente de sua capacidade de adaptação aos fatores críticos existentes no ambiente e nos cenários no qual cumpre sua missão A meta de toda organização é gerar resultados que justifiquem os recursos investidos e garantam sua continuidade Toda organização impacta e é impactada pelas condições ambientais externas, físicas, reguladoras, regulamentadoras, políticas e sociais. Fator Sociedade Fator Investidor Gestão do Negócio Fator Fornecedor Fator Cliente Fator Trabalho A sustentabilidade do negócio requer foco constante nas necessidades e expectativas dos clientes, visando não só a atender a elas, mas também a superá-las O ambiente interno de uma organização sustentável requer trabalho feito por pessoas capazes e satisfeitas A sustentabilidade do negócio de uma organização depende de uma cadeia de fornecimento que impacte seu ambiente de tarefa interno e externo de forma responsável.

13 A Necessidade de um Sistema de Gestão O desenvolvimento sustentável requer, por conseguinte, que a organização seja capaz de: mapear com clareza seus cenários de atuação, internos e externos, para identificar os requisitos essenciais a serem atendidos; traduzir esses requisitos em informações que possam ser utilizadas para a tomada das ações essenciais visando a impedir a ocorrência dos modos potenciais de falha; estabelecer as estratégias, as políticas de atuação e os objetivos a serem atingidos pelo negócio; planejar de forma preventiva todas as ações rotineiras e não-rotineiras que irão assegurar o sucesso no atendimento daqueles requisitos, por meio de padrões adequados aos modos de falha potenciais identificados;

14 A Necessidade de um Sistema de Gestão O desenvolvimento sustentável requer, por conseguinte, que a organização seja capaz de: implementar esses padrões provendo os recursos necessários: financeiros, materiais, humanos, instalações, equipamentos e infra-estrutura de uma forma geral; medir, monitorar e analisar os resultados atingidos para balizar a necessidade de tomada de ações reativas, corretivas, preventivas e preditivas; e melhorar continuamente sua eficácia em atender a todos os requisitos essenciais.

15 A Necessidade de um Sistema de Gestão Isso impõe a construção de um sistema de gestão organizado e coerente, de forma a assegurar a previsibilidade requerida no atendimento aos requisitos das diferentes partes interessadas. Requisitos Medições Recursos Sistema para a Gestão Sustentável de Negócio Informações Estratégias Padrões

16 A Necessidade de um Sistema de Gestão A Identificação dos Requisitos Todo sistema de gestão de negócio é construido para atender a requisitos provenientes das diversas partes interessadas. São requisitos relacionados aos produtos, aos processos, às necessidades do próprio sistema de gestão e aos imperativos do negócio. São requisitos não declarados (implícitos) ou declarados (explícitos) por meio de intenções, de pedidos de clientes, de normas, de códigos, de regulamentos ou de leis que devem ser atendidas pela organização. Incluem especificações técnicas, características da qualidade dos produtos, parâmetros de processo, requisitos ambientais, requisitos de segurança e saúde no trabalho e requisitos de responsabilidade social.

17 REQUISITOS Políticas e intenções da organização Especificações técnicas do produto DECLARADOS Regulamentares : Leis, Códigos,, Normas Expectativas e necessidades dos Clientes Aspectos ambientais significativos De segurança e saúde ocupacional De responsabilidade social Desejos da sociedade NÃO DECLARADOS Desejos implícitos dos clientes Desejos implícitos dos trabalhadores Desejos implícitos dos acionistas Características intrínsecas dos produtos

18 A Identificação dos Requisitos Não haverá eficácia no sistema de gestão se os requisitos essenciais não forem corretamente identificados, estratificados e analisados para fins de garantia de atendimento. Os requisitos essenciais não devem ser considerados isoladamente. Requerem gestão sistêmica, pois influenciam-se mutuamente, e pressupõe que a modificação em uma das partes pode acarretar necessidades de mudanças nas demais, como mudança nos custos de produção ou alteração da capacidade competitiva. Esses requisitos devem ser identificados considerando os modos potenciais de falha que impactam as partes interessadas do negócio e impõem ações preventivas que garantam a previsibilidade exigida, bem como estratégias (ações preditivas) necessárias à perpetuação do negócio, consideradas a partir da análise das tendências do mercado competitivo em que a organização realiza suas atividades.

19 REQUISITOS ANÁLISE INFORMAÇÕES ANÁLISE ESTRATÉGIAS Informações análise dos requisitos Informações...são respostas que uma base de dados qualquer é capaz de dar a perguntas ou a interesses explicitados.... são o resultado do processamento de dados realizado para atender a determinados critérios, perguntas ou necessidades de análise. O QUÊ? COMO? POR QUÊ? QUEM? QUANDO? ONDE? QUANDO?

20 Estratégias, Objetivos, Metas e Programas A tomada de decisão dentro de um sistema de gestão passa forçosamente pela definição clara - de políticas, objetivos e metas a serem atingidas. Não só dos objetivos próprios do sistema, mas também do relacionamento desses com as diretrizes superiores da organização: seus princípios, suas crenças e valores; sua missão de negócio; sua visão de futuro; suas estratégias de negócio. Só haverá sucesso se este estiver previamente definido, compreendido e aceito por todos. Isto requer paciência e negociação constante. Aonde queremos chegar? Aonde podemos chegar? Aonde devemos chegar?

21 Estratégias, Objetivos, Metas e Programas Os requisitos e as informações decorrentes ajudam a definir os macroprocessos do negócio, sua cadeia de valor e as interfaces com os mercados fornecedores, clientes, concorrentes, regulamentadores e reguladores. Os processos da organização, sejam de entrega ou de apoio, devem ser desdobrados daí, em função de contingências internas peculiares ao próprio negócio.

22 Estratégias, Objetivos, Metas e Programas A implantação, a implementação, a manutenção e a melhoria de um sistema de gestão, como necessidade estratégica, devem seguir um conjunto de diretrizes específicas constituído: pelas políticas de gestão política da qualidade; política ambiental, política de responsabilidade social, política de segurança e saúde ocupacional, e outras julgadas pertinentes; pelos objetivos específicos que derivam dessas políticas, em função dos requisitos ou informações consideradas como relevantes ou significativas; pelas metas relacionadas com esses objetivos; pelos programas ou planos de ação necessários para se atingir os objetivos e metas estabelecidos.

23 O esquema de um negócio típico e as interfaces que devem ser mapeadas para o atendimento aos requisitos essenciais. FORNECEDORES CLIENTES Condições Ambientais: Governo, Sociedade ORGANIZAÇÃO Processos de Apoio Cadeia de valor Processos de Apoio CONCORRENTES Requisitos : Produtos :

24 Estratégias, Objetivos, Metas e Programas As políticas de gestão podem ser estabelecidas separadamente ou de forma integrada, englobando: a gestão da qualidade, a gestão ambiental, a gestão da responsabilidade social e a gestão da segurança e da saúde ocupacional. Elas devem ser implantadas, divulgadas, entendidas e cumpridas por todos os níveis organização, abrangidos pelo sistema de gestão. Seu estabelecimento deve ser um desdobramento natural das Crenças e Valores, da Visão de Futuro e da Missão do negócio, bem como levar em consideração as necessidades de atendimento aos requisitos das diversas partes interessadas.

25 As políticas de gestão tendem a ser mais duradouras, mudando pouco ao longo do tempo. Os objetivos e metas que as desdobram devem ser estabelecidas periodicamente sempre que necessário em função das contingências para a eficácia do sistema POR QUÊ O QUÊ COMO QUEM, QUANDO, OBJETIVO 1 META 1.1 ONDE, QUANDO META 1.2 POLÍTICA DE GESTÃO OBJETIVO 2 OBJETIVO 3 META 2.1 META 2.2 META 3.1 PROGRAMAS OU PLANOS DE AÇÃO META 3.2 OBJETIVO 4 META 4.1 META 4.2

26 OS PADRÕES CONDIÇÕES DE CONTROLE Toda atividade repetitiva presta-se à padronização. Quando se padroniza um produto, uma atividade ou um processo, buscase obter a previsibilidade necessária ao controle requerido. Ao estabelecer padrões assegura-se a condição de controle a partir da eventual comparação daquilo que se faz com o padrão que determina aquilo que deveria ser feito.

27 OS PADRÕES CONDIÇÕES DE CONTROLE O que se ganha com a padronização? Previsibilidade Condições de controle por meio de monitoramento e medição Se padronizamos o erro, teremos previsibilidade na obtenção da coisa errada Necessária se torna, a identificação correta dos requisitos a serem atendidos e a análise de todos os fatores essenciais que impõem condicionantes aos padrões a serem estabelecidos.

28 OS PADRÕES CONDIÇÕES DE CONTROLE A construção de um sistema de gestão requer o estabelecimento, a manutenção e o aprimoramento contínuo de padrões;... sejam padrões de produto, padrões de processo ou mesmo padrões de gestão de aplicação sistêmica.... para a obtenção e a melhoria da eficiência e da eficácia desejadas, os padrões, depois de implementados, devem ser questionados e analisados de forma a assegurar o aumento da capacidade de atendimento aos requisitos estabelecidos.

29 OS PADRÕES CONDIÇÕES DE CONTROLE A padronização nos sistemas de gestão pode ser estabelecida em todos os níveis de decisão de uma organização. A estrutura e a forma de documentar os padrões, o detalhamento da informação a ser neles inserida e o meio no qual eles devem estar disponíveis dependerão da análise de alguns pontos relevantes, tais como: o tamanho da organização e a complexidade das atividades envolvidas no sistema. o nível de conhecimento e de competência estabelecido na organização o grau de controle requerido em função do modo de falha envolvido

30 Ser tanto mais preventivo quanto maior for risco envolvido. Tudo que mais complicado, Ser tanto mais preventivo quanto maior for o risco envolvido. Tudo que é mais complicado, PREVENÇÃO ser convenientemente explicado. CRITÉRIOS PARA PADRONIZAÇÃO REGRA DA PREVENÇÃO Ser tanto mais preventivo quanto maior for o risco envolvido. Tudo que é mais complicado,deve ser convenientemente explicado. REGRA DA AUSÊNCIA A ausência do padrão compromete adversamente o atendimento aos requisitos especificados, isto é, o padrão agrega valor no atendimento aos requisitos especificados? REGRA DA ADEQUAÇÃO A informação disponível no padrão é a necessária e a suficiente para que aqueles que vão realizar as atividades sejam capazes de assegurar o atendimento aos requisitos especificados?

31 HIERARQUIA DE PADRONIZAÇÃO Níveis Padrões Objetivos Estratégico Tático ou Gerencial Manuais de Gestão-um para cada sistema de gestão ou elaborado de maneira integrada. Procedimentos Programas ou Planos de Ação Planos da Qualidade ou Planos de Gestão Definir a estrutura do sistema de gestão e os diferentes níveis de autoridade e responsabilidade envolvidos. Definir o escopo do sistema e a inter-relação entre os processos envolvidos. Identificar os requisitos essenciais a serem atendidos pelo sistema de gestão. Estabelecer procedimentos de aplicação geral (sistémicos) ou específica (restritos a processos específicos) relativos ao atendimento aos requisitos essenciais identificados e sobre os quais o sistema deve manter gestão. Definir ações de planejamento a serem seguidas e destinadas a assegurar o cumprimento de objetivos e metas, sejam de caráter estratégico ou operacional. Estabelecer especificações e/ou procedimentos essenciais para o atendimento a requisitos relativos a um produto específico, a um processo específico, a um contrato específico ou a um projeto específico. Operacional Instruções de Trabalho Detalhar as atividades constantes dos procedimentos de nível tático ou gerencial que requeiram gestão mais específica.

32 PROVISÃO DE RECURSOS O CAMINHO ADEQUADO RECURSOS Competência, Conscientização, Treinamento, Informação, Ferramentas, Equipamentos, Instalações e Ambiente adequados. INSUMOS PRODUTOS PRETENDIDOS PRODUTOS NÃO PRETENDIDOS Desperdícios, aspectos ambientais, perigos e riscos para a segurança e a saúde ocupacional.

33 A MEDIÇÃO AS OPORTUNIDADES DE MELHORIA INÍCIO MEDIR E MONITORAR Desempenho de produto Desempenho de processo Desempenho ambiental Desempenho de segurança Desempenho de saúde ocupacional Desempenho de responsabilidade social Eficácia do sistema de gestão Satisfação das partes interessadas Cumprimento das políticas de gestão Objetivos e metas Conformidade com requisitos legais e regulamentares Atendimento a outros requisitos Desempenho de fornecedores ANALISAR OS DADOS PARA OBTER INFORMAÇÕES QUANTO À... VISANDO A MELHORIA CONTÍNUA POR MEIO DE... Pertinência, Suficiência, Adequação e Conformidade com os requisitos especificados Ações reativas e mitigadoras Ações corretivas (prevenção passiva) Ações preventivas (prevenção ativa) Ações de reparação Provisão de recursos Uso de novas tecnologias Alterações nos processos Alterações nos produtos Alterações nos procedimentos do sistemas

34 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Competência e Conscientização Treinamento, Experiência e Educação Ferramentas e Equipamentos Instalações e Infraestrutura Ambiente de Trabalho Responsabilidade Social Monitoramento e Medição 1. INTERAÇÕES DE ENTRADAS Requisitos Monitoramento e Medição 2. INSUMOS 5. RECURSOS 6. PROCESSO Requisitos, Métodos, Procedimentos, Monitoramento e Medição 7. PRODUTOS NÃO PRETENDIDOS Monitoramento e Medição Requisitos Monitoramento e Medição 3. PRODUTOS PRETENDIDOS 8. SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Políticas 4. INTERAÇÕES DE SAÍDA Objetivos Legislação e requisitos subscritos Aspectos Ambientais, Econômicos e Sociais Perigo e Riscos de S&SO Análise de dados Melhoria da Eficácia

35 ISO 9001 ISO OHSAS SA 8000 NBR Outros Padrões Política de Gestão Manual de Gestão Integrada Objetivos e Metas Plano de Ação Aprendizado Procedimento Gerais Padronização de Documentos Análise Crítica pela Direção Controle de Documentos Controle de Registros Competência, Conscientização e Treinamento Comunicação Interna e Externa Gestão da Melhoria - Ação Corretiva e Ação Preventiva Auditorias Internas Tratamento de Não-Conformidades Monitoramento e Medição Identificação e Acesso à Legislação Conformidade legal Procedimentos Específicos Análise Crítica dos Requisitos do Produto Controle de Processos e Operações Controle de Equipamentos de Medição Medição da Satisfação de Clientes e Outras Partes Interessadas Desenvolvimento de Produto Aquisição e Relação com Fornecedores Identificação de Aspectos e Impactos Ambientais Identificação de Perigos e Riscos de Segurança e Saúde Ocupacional Preparação e Atendimento a Emergências. Responsabilidade Social Outros considerados pertinentes

36

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados APRESENTAÇÃO PROPÓSITO Fazer a DIFERENÇA no DESENVOLVIMENTO saudável e sustentável das PESSOAS e das ORGANIZAÇÕES. VISÃO VISÃO DA EMPRESA TERMOS NOTÓRIO RECONHECIMENTO DA NOSSA COMPETÊNCIA NA GESTÃO DAS

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007)

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007) Gestão e otimização da produção Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional () Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho Introdução Fonte: Ministério da

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade.

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. ISO 9001 2008 Carolina Rothe Luiz Gustavo W. Krumenauer Paulo Emílio Paulo Saldanha Relação das principais normas da Série

Leia mais

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE 1 Agradecimentos e reflexões iniciais 2 Normas e Sistema de Gestão Integrado 3 Modelo de Excelência na Gestão 4 Interfaces

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 2 Prefácio 3 A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normatização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Risk Tecnologia Coleção Risk Tecnologia SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Aplicável às Atuais e Futuras Normas ISO 9001, ISO 14001,

Leia mais

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Módulo 2 Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Norma NBR ISO 9001:2008 - Índice 0 - Introdução 1 - Escopo 2 - Referência Normativa 3 -

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto

Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto GESTÃO AMBIENTAL ISO 14000 Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto 1 A evolução do pensamento ambiental Crescimento é o que importa (que venha a poluição...) Conscientização (década

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha As normas podem ser separadas em dois grandes grupos Normas de produtos ou serviços; Normas de sistemas de gestão. Estas definem os processos administrativos

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S 200 D I F E R E N C I A D O S Sistema de Gestão Unificado - Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Ocupacional.. Baseado no padrão C&Z4003 que reúne os

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

O Atuação Responsável e o Modelo de Excelência do PNQ Eduardo Guaragna Braskem, coordenador da Comissão para a Excelência da Gestão - COPEG

O Atuação Responsável e o Modelo de Excelência do PNQ Eduardo Guaragna Braskem, coordenador da Comissão para a Excelência da Gestão - COPEG O Atuação Responsável e o Modelo de Ecelência do PNQ Eduardo Guaragna Braskem, coordenador da Comissão para a Ecelência da Gestão - COPEG Evolução do Atuação Responsável Visão no Ciclo de Vida Ênfase nas

Leia mais

MBA em Administração e Qualidade

MBA em Administração e Qualidade MBA em Administração e Qualidade Sistemas ISO 9000 e Auditorias da Qualidade Aula 5 Prof. Wanderson Stael Paris Olá! Confira no vídeo a seguir alguns temas que serão abordados nesta aula. Bons estudos!

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

livros indicados e / ou recomendados

livros indicados e / ou recomendados Material complementar. Não substitui os livros indicados e / ou recomendados Prof. Jorge Luiz - 203 Pág. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - SGQ Sistema de Gestão da Qualidade SGQ é a estrutura a ser criada

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 2 Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 Para a gestão da qualidade na realização do produto a ISO 9001: 2000 estabelece requisitos de gestão que dependem da liderança da direção, do envolvimento

Leia mais

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre VI-093 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA NAS ÁREAS DE MEIO AMBIENTE, QUALIDADE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL UMA ABORDAGEM PRÁTICA NA INDÚSTRIA PETROFLEX-CABO/PE Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta

Leia mais

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação QP Informe Reservado Nº 70 Maio/2007 Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação Tradução para o português especialmente preparada para os Associados ao QP. Este guindance paper

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

Gestão da Qualidade. Gestão da. Qualidade

Gestão da Qualidade. Gestão da. Qualidade Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade 1621131 - Produzido em Abril/2011 Gestão da Qualidade A Gestão da Qualidade é um modelo de mudança cultural e comportamental, através de uma liderança persistente

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

Bases para um Sistema Integrado de Gestão voltado para o alto desempenho Irene Szyszka

Bases para um Sistema Integrado de Gestão voltado para o alto desempenho Irene Szyszka Bases para um Sistema Integrado de Gestão voltado para o alto desempenho Irene Szyszka PGQP - Direitos Reservados 1 A Concorrência PGQP - Direitos Reservados 2 O negócio, o mercado e a sociedade Pressão

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1 2 Seminário de Engenharia Química Silvia Binda 1 Inter-relação entre o conceito de qualidade, gestão da qualidade e elementos que a compõem QUALIDADE Gestão da Qualidade Habilidade de um conjunto de características

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 2015 Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 Texto traduzido e adaptado por Fernando Fibe De Cicco, Coordenador de Novos Projetos do QSP. Outubro de 2015. Matrizes de correlação entre a ISO

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança?

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança? INTERPRETAÇÃO NBR ISO 14001 (1996), JULHO 2001 CB-38/SC-01/GRUPO DE INTERPRETAÇÃO INTRODUÇÃO O CB-38, Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental, da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, decidiu criar

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Diretrizes para melhorias de desempenho

Sistemas de gestão da qualidade - Diretrizes para melhorias de desempenho DEZ 2000 NBR ISO 9004 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sistemas de gestão da qualidade - Diretrizes para melhorias de desempenho Sede: RiodeJaneiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios.

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. Módulo 2 Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. História das normas de sistemas de gestão de saúde e segurança

Leia mais

Prefácio. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional.

Prefácio. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional. Esta Norma OHSAS foi elaborada de acordo com as regras estabelecidas nas Diretrizes ISO/IEC,

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING

OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING 1. Estabelecer a constância de propósitos para a melhoria dos bens e serviços A alta administração deve demonstrar constantemente seu comprometimento com os objetivos

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPÍRITO SANTO FACASTELO Faculdade De Castelo Curso de Administração Disciplina: Qualidade e Produtividade PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO 1 Profa.: Sharinna

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

Norma ISO 9001:2008. Gestão da Qualidade

Norma ISO 9001:2008. Gestão da Qualidade Norma ISO 9001:2008 Gestão da Qualidade Sistemas da Qualidade e Qualidade Ambiental ISO 9000 e ISO 14000 Prof. M. Sc. Helcio Suguiyama 1- Foco no cliente 2- Liderança 3- Envolvimento das Pessoas 4- Abordagem

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE I INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Módulo 01: Generalidades (10 horas). o Sistema de Gestão: o que é e quais os benefícios? o Qualidade o Ambiental o Saúde e Segurança no Trabalho o Sistema

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 14000 e, com o atual processo de

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

GESTÃO DE PROCESSOS SM

GESTÃO DE PROCESSOS SM GESTÃO DE PROCESSOS OBJETIVOS OBJETIVOS Promover a percepção de negócio, a partir do Mapeamento e da Gestão de Processos, focalizando principalmente: O desenvolvimento de uma visão sistêmica e estratégica

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE.

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE. GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE. Ivan Santos de Lima Engenheiro Naval pela Universidade Federal do Rio

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

Introdução à ISO 9001 ano 2008

Introdução à ISO 9001 ano 2008 Introdução à ISO 9001 ano 2008 1. A FAMÍLIA DE NORMAS ISO 9000 1.1 Histórico A primeira Norma de Garantia da Qualidade foi publicada em 1979 pela British Standards Institution (BSI) em três partes como

Leia mais

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM Reflexões voltadas para a Gestão MUDANÇAS EDUCAÇÃO NO BRASIL 1996 Lei 9.934 LDB 1772 Reforma Pombalina 1549 Ensino Educação público no dos Brasil Jesuítas Lei

Leia mais

I n tr oduçã o a G es tã o da Qua lida de. E n gen h a r ia

I n tr oduçã o a G es tã o da Qua lida de. E n gen h a r ia I n tr oduçã o a G es tã o da Qua lida de E n gen h a r ia P r ofes s or Bacharel em Administração de Empresas com Ênfase em Gestão da Informação; MBA em Gestão da Qualidade e Produtividade; 20 anos de

Leia mais

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003.

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003. NORMA ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003. http://www.ibamapr.hpg.ig.com.br/14001iso.htm ii Índice INTRODUÇÃO...3

Leia mais

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso Página 1 NORMA ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) INTRODUÇÃO 1 ESCOPO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 4.0. Generalidades

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NOÇÕES DE OHSAS 18001:2007 CONCEITOS ELEMENTARES SISTEMA DE GESTÃO DE SSO OHSAS 18001:2007? FERRAMENTA ELEMENTAR CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE CRÍTICA 4.3 PLANEJAMENTO A P C D 4.5 VERIFICAÇÃO

Leia mais