Apresentação SQL Server 2000/ 2005 Domingos Martins ES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação SQL Server 2000/ 2005 Domingos Martins ES"

Transcrição

1 Apresentação 1 SQL Server 2000/ 2005 Domingos Martins ES v

2 Introdução ão: Com necessidade de prestações de contas cada vez mais eficientes e confiáveis disponibilizamos no software as diversas exigências da Lei nº 4.320/ 64 e Tribunais de Contas Estaduais. Compreendendo os sistemas Orçamentário, Financeiro, Patrimonial e Compensado o proporciona, com maior segurança, todas as informações necessárias a uma administração eficiente e amparada na legislação vigente. O Contabilidade fará dos setores que se relacionam a ele uma única família. Setores como PPA, LDO, Orçamento, Empenho, Liquidação, Tesouraria, Contabilidade, LRF e Prestações de Contas, funcionarão em harmonia, evitando assim, desgastes físicos, econômicos e políticos. 3 A segurança das informações pelo sistema mereceu especial cuidado para que não existam distorções que possam comprometer o órgão em suas prestações de contas, para tanto, o sistema conta com uma atualização do executável automaticamente feita pelo próprio usuário através da função atualização automática confirmando assim, a transparência na realidade das contas do Município. Tela de configuração da atualização automática do sistema. 4 2

3 Principais Vantagens: Atualização automática do aplicativo; PPA; LDO; Orçamento anual e distribuído; Execução da despesa e da receita; Contabilização pelo método de Partidas Dobradas; Conciliação bancária manual e automática; Consolidação automática ou manual; Balanço mensal ou anual; Integrações com os sistemas de Recursos Humanos e Folha de Pagamento, Administração das Receitas Tributárias e demais sistemas; Relatórios listagens. 5 O Contabilidade é formado pelos seguintes menus: Arquivos; PPA; LDO; Orçamento; Contabilidade; Tesouraria; LRF; Relatórios; Utilitário; Sistemas; Sair; Ajuda. Tela do sistema demonstrando os menus. 6 3

4 Submenus do menu Arquivos: Neste menu são feitos os cadastros gerais, comuns a todos os sistemas da E&L, como por exemplo, os cadastros de Empresa, Filial, Banco e Pessoa e os cadastros do sistema que são cadastros pertencentes às tabelas utilizadas unicamente e exclusivamente no sistema. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Cadastro de Pessoa; Cadastro do Plano de Contas; Cadastro de Ocorrências. 7 Nesta tela cadastram-se os fornecedores, responsáveis, contribuintes e todas as pessoas físicas e jurídicas, bem como seus dados pessoais como: CPF (pessoa física) ou CNPJ (pessoa jurídica), telefone, endereço, e outras informações que o sistema necessitará para o trabalho. Este cadastro é utilizado para todos os sistemas, dessa forma, quando um fornecedor, responsável ou contribuinte for cadastrado, todos os sistemas terão acesso àquele registro, evitando assim duplicidade de informações e até mesmo facilitando o trabalho dos usuários nos sistemas. Cadastro de Pessoa: 8 4

5 Cadastro do Plano de Contas: O Plano de Contas é uma ferramenta usada para disciplinar e orientar o registro dos atos e fatos administrativos. É através desta tela que é feito o seu cadastro, classificando a conta por natureza, sistema a que pertence e tipo de conta. 9 O lançamento contábil é o registro do fato contábil. Todo fato que origina um lançamento contábil deve estar suportado em documentação hábil e idônea. Nesta tela de ocorrências serão configurados os eventos referentes a cada lançamento contábil dos cadastros da despesa e receita do sistema, gerando assim a utilização pelo método das Partidas Dobradas. Cadastro de Ocorrências: 10 5

6 Submenus do menu PPA: O Plano Plurianual de um Município é o instrumento de planejamento estratégico de suas ações, contemplando um período de quatro anos. Por ser o documento de planejamento de médio prazo, dele se derivam as Leis de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e as Leis de Orçamentos Anuais (LOA). Assim, o Plano Plurianual define as diretrizes, os objetivos e as metas da administração pública, para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para as despesas relativas aos programas de duração continuada. Essas despesas serão planejadas através das ações que integrarão os programas do PPA, à exceção do serviço da dívida (amortização e encargos) e de outros encargos especiais, bem como da reserva de contingência. Logo em seguida, como exemplo deste menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Configuração do PPA; Programas; Projetos/ Atividades. 11 Configuração do PPA: Na tela de configuração do PPA, será feito o cadastro da descrição do PPA a ser utilizado pelo sistema. É nessa tela que configuramos os níveis da receita e despesa a serem cadastradas para a vigência do mesmo. 12 6

7 Programas: Na tela ao lado cadastram-se os programas, que são instrumentos de organização da ação governamental visando à concretização dos objetivos pretendidos, sendo mensurado por indicadores estabelecidos no Plano Plurianual. Articula um conjunto coerente de ações (orçamentárias e não-orçamentárias), necessárias e suficientes para atender um problema, demanda ou oportunidade, de modo a superar ou evitar as causas identificadas. 13 Na tela ao lado cadastram-se as atividades que são instrumentos de programação para alcançar o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de operações que se realizam de modo contínuo e permanente, do qual resulta um produto necessário à manutenção da ação de governo e os projetos que são instrumentos de programação para alcançar o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de operações, limitadas no tempo, das quais resulta um produto que concorre para a expansão ou o aperfeiçoamento da ação de governo. Projetos/ Atividades: 14 7

8 Submenus do menu LDO: A Lei de Diretrizes Orçamentárias compreenderá as metas e prioridades da administração pública federal, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subseqüente, orientando a elaboração da Lei Orçamentária Anual, dispondo sobre as alterações na legislação tributária e estabelecendo a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento (Art. 165, 2º da CF/ 88). Logo em seguida, como exemplo deste menu, serão demonstradas as tela dos seguintes cadastros a ele pertencente: Parâmetros; Anexos; Plano Conta Evolução. 15 Parâmetros: Na tela ao lado, cadastraremos todos os parâmetros de utilização da LDO no sistema. 16 8

9 Anexos: Nesta tela serão configuradas as informações para montagens dos anexos referentes a LDO. Informaremos nessa configuração os grupos de cada anexo e as respectivas contas pertencentes a cada um deles. 17 Plano Conta Evolução ão: Nesta tela é montado o quadro de metodologia de cálculo da receita e despesa, para utilização da LDO. 18 9

10 Submenus do menu Orçamento amento: O orçamento público é um instrumento de planejamento e execução das finanças públicas. Na atualidade o conceito está intimamente ligado à previsão das receitas e fixação das despesas públicas. Neste menu são feitos os cadastros referentes ao orçamento de uma municipalidade, tais como: Receitas, Despesas, Crédito Especial/ Extraordinário, Receita Não-prevista, Alteração do Orçamento da Receita e Bloqueio/ Desbloqueio de Dotação. Logo em seguida, como exemplo deste menu, serão demonstradas a tela dos seguintes cadastros a ele pertencente: Receita Orçamentária; Despesa Orçamentária; Bloqueio/ Desbloqueio de Dotação. 19 Receita Orçament amentária: Denomina-se Receita Pública todo recolhimento de bens aos cofres públicos. As Receitas Orçamentárias são aquelas provenientes do orçamento, que podem ser classificadas como Receitas Correntes e Receitas de Capital. Na tela ao lado, cadastraremos a previsão orçamentária das receitas municipais

11 Despesa Orçament amentária: Despesa Pública são todos os gastos fixados na LOA ou em Leis especiais e destinados à execução dos serviços públicos e dos aumentos patrimoniais e satisfação dos compromissos da dívida pública. Classificam-se as despesas como orçamentárias todas as despesas que integram o orçamento de um Município. Na tela ao lado, cadastremos o orçamento da despesa. 21 Bloqueio/ Desbloqueio de Dotação ão: Nesta tela, os usuários do sistema terão a vantagem e a facilidade de bloquear dotações orçamentárias, fazendo com que esta dotação não seja utilizada até que a mesma seja desbloqueada

12 Submenus do menu Contabilidade: é a ciência que registra, controla e estuda os atos e fatos administrativos e econômicos operados no patrimônio de uma Entidade. É também um valioso instrumento que possibilita a produção de informações gerenciais fornecendo aos administradores a ferramenta indispensável para a tomada de decisão. Neste menu serão realizados todos os cadastros pertencentes à movimentação contábil dos processos da despesa, tais como: Reserva de Dotação, Empenho, Liquidação, Anulações de Reservas, de Empenhos e Liquidações, Leis e Créditos Adicionais, Convênios, Contratos e seus respectivos Aditivos, Lançamentos Manuais, Licitações, Cancelamento e Reinscrição de Restos à Pagar entre outros. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Empenho; Liquidação; Leis Orçamentárias. 23 O empenho é a primeira etapa do processo da despesa em uma Entidade Pública. Nele informamos a classificação do empenho, credor, informações complementares e demais informações cabíveis ao processo. O empenho é a forma usada de documentar-se o processo. Por meio dele a entidade tem uma garantia de que o credor cumprirá sua obrigação juntamente com a entidade. Na tela ao lado, registram-se todos os empenhos gerados no sistema. Empenho: 24 12

13 Liquidação ão: Liquidação é o procedimento de verificação do cumprimento das obrigações do fornecedor. É a segunda etapa do processo da despesa, o momento de aferição e confirmação da entrega e recebimento do bem ou serviço. Na tela ao lado, registram-se todas as liquidações dos empenhos cadastrados no sistema. 25 Leis Orçament amentárias: Nesta tela cadastram-se tanto a Lei do Orçamento como as Leis que dão embasamento e autorização para suplementações e movimentações de dotações

14 Submenus do menu Tesouraria: Neste menu são realizados todos os cadastros referentes a movimentação financeira da entidade, entradas e saídas de recursos, ou seja, receitas e pagamentos, conciliações bancárias entre outros cadastros. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Arrecadação de Receitas; Pagamentos; Relação Bancária. 27 Arrecadação de Receitas Nesta tela é efetuado o cadastro dos talões da receita as entradas dos recursos diários. O sistema aceita cadastrar um talão por receita ou várias receitas em um mesmo talão. Todas as receitas arrecadadas, orçamentária ou extraorçamentária, serão registradas com o preenchimento de todos os campos da tela ao lado

15 O pagamento é o último estágio da despesa. Ele será efetuado por tesouraria ou pagadoria regularmente instituídas, por estabelecimentos bancários credenciados e, em casos excepcionais, por meio de adiantamento ou suprimento de fundos. A tela ao lado será utilizada para cadastrar tanto as Ordens de Pagamento como as Baixas de Pagamento, informando os campos tipo de ordem, a liquidação, a conta obrigação, o valor e o movimento bancário. Pagamentos: 29 A Ordem Bancária Municipal é uma modalidade de pagamento que elimina a necessidade de emissão de cheques e diversos ofícios por parte da administração municipal, pois funciona via troca de arquivos magnéticos e possibilita a automatização dos pagamentos a fornecedores e prestadores de serviço. Esse sistema permite a geração de ordens bancárias, dispensando procedimentos manuais e o deslocamento de servidor público até a agência bancária para realizar transações bancárias, sendo o banco responsável pela instalação do aplicativo EDI, que permite envio e recebimento de arquivos magnéticos, com dados criptografados, proporcionando total segurança. Na tela ao lado, cadastram-se todas as relações bancárias para posterior geração dos arquivos a serem encaminhados para a instituição bancária. Relação Bancária OBM: 30 15

16 Submenus do menu LRF: Neste menu serão configurados todas as informações para a prestação de contas da LRF. A LRF, estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal, mediante ações em que se previnam riscos e corrijam desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, destacando-se o planejamento, o controle, a transparência e a responsabilização como premissas básicas. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Anexos; Relatórios. 31 Anexos: Nesta tela serão configuradas as informações para montagens dos anexos referentes a LRF. Informaremos nessa configuração os grupos de cada anexo e as respectivas contas pertencentes a cada um deles

17 Relatórios rios: Neste submenu são impressos todos os relatórios referentes à LRF: Relatórios de Execução Orçamentária e Relatórios de Gestão Fiscal. 33 Submenus do menu Relatórios rios: Neste menu são impressos todos os relatórios que o sistema possui: Contábeis, Financeiros, Anexos dos Balanços, Anexos do Orçamento entre outros. Para fazer a impressão basta escolher o relatório, definir o seu parâmetro que poderá ser data, mês ou números dos processos e clicar em visualizar ou imprimir. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Listagens; Nota da Despesa; Balancetes

18 Listagens: Neste submenu, referente aos Relatórios Listagens, os usuários terão a facilidade de montar os relatórios da forma que necessitarem, contendo informações que atendam ao que foi solicitado pelo cliente num determinado momento. Para montar os relatórios com as informações desejadas, basta escolher os campos na opção colunas. Além da facilidade de montar relatórios com informações desejadas, o usuário também tem a facilidade de salvar os relatórios personalizados por eles, para que possam ser utilizados posteriormente. 35 Nota da Despesa: Todas as notas das despesas e etiquetas poderão ser impressas de acordo com as opções da tela ao lado, basta escolher o relatório desejado, preencher os parâmetros e clicar em visualizar ou imprimir

19 O Balancete tem o objetivo de verificar se o total de saldos devedores é igual ao total de saldos credores. Ele apresenta o saldo de todas as fichas razão das contas em determinado momento. É o estágio intermediário entre a escrituração e a preparação das demonstrações contábeis. Na tela ao lado é possível visualizar e imprimir todos os balancetes: Contábil, Financeiro, da Despesa e da Receita. Balancetes: 37 Submenus do menu Utilitário rio: O menu utilitários é mais uma das diversas facilidades dos sistemas desenvolvidos pela E&L Produções de Software Ltda. Nele encontramos a opção de backup e transmissão dos dados, que facilita o trabalho de criar cópias de seguranças dos dados, assim como agiliza o envio dos dados para conferências na E&L. Ainda temos a opção de exportar dados, fechamento, lançamentos da folha, exportação de orçamento, geração dos arquivos a serem encaminhados ao Tribunal de Contas Estadual TCE, dentre outros cadastros que serão de utilidade aos usuários dos sistema no decorrer do exercício. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Fechamento; Backup/ Transmissão do Banco de Dados; Exportar Dados; 38 19

20 Na tela de fechamento o usuário tem a facilidade de deixar o sistema mais robusto, com maior garantia e segurança, pois através dessa opção, o usuário fará bloqueio de determinados cadastros informando a data de fechamento. Isso é muito importante, pois além de dar segurança, proporciona maior performance no sistema, uma vez que será menos informações no sistema para atualizações. É recomendável que se faça o procedimento de fechamento, após o envio da prestação de contas mensal ao Tribunal de Contas Estadual TCE. Fechamento: 39 Backup/ Transmissão do Banco de Dados: Este item proporciona aos clientes a transmissão do backup direto para a empresa E&L Produções de Software Ltda ou somente fazer um backup, para segurança dos seus dados. Para fazer apenas um backup de segurança, é necessário marcar a opção Backup. Caso haja necessidade de encaminhar uma cópia do banco de dados para análise juntamente à equipe da empresa E&L Produções de Software Ltda, marque a opção Backup e Transmitir o backup dos dados

21 Exportação de dados: Nesta tela será possível fazer a exportação dos dados pertencentes ao sistema, para qualquer tipo de arquivo, facilitando conversões de banco, sistemas e demais cadastros. Isso é uma prova da preocupação da empresa, E&L Produções de Software Ltda, para com os seus clientes, pois sabendo que os dados são de propriedade do cliente criouse esta opção para o mesmo fazer uso dela, caso necessário. 41 Submenus do menu Sistemas: O menu Sistemas será utilizado para organizar janelas lado a lado, organizar janelas em cascatas, fazer o total controle de acesso e gerenciar as configurações visuais de todas as telas do sistema, modificando a sua aparência. Logo em seguida, como exemplo desse menu, serão demonstradas as telas dos seguintes cadastros a ele pertencente: Usuários; Grupos e Permissões; Gerenciar o Uso de Temas Visuais

22 Usuários rios: Nesta tela são cadastrados os novos usuários do sistema. Sendo assim, cada qual com sua senha de acesso, isso para que ninguém entre no sistema sem autorização. É necessário selecionar os itens a serem autorizados/ habilitados no sistema. 43 Grupos e Permissões: Nesta tela, cadastramos os grupos de trabalho no sistema. Por meio desses pode-se evitar que pessoas não autorizadas façam qualquer alteração no sistema. Pode-se criar grupos somente de leitura que terão acesso apenas aos relatórios até grupos masters que possuem controle total e assim por diante, designando as permissões que sejam cabíveis a cada caso

23 Gerenciar o Uso de Temas Visuais: Nesta tela, o usuário terá condições de mudar os temas visuais das telas de todos os cadastros do sistema, através da utilização de skins. Para realizar isso, basta escolher uma das opções na lista de temas e então a tela mudará de cor. Lembrando que se a escolha for ''sem tema definido" o sistema aparecerá nas cores padrão do Windows. 45 Menu Sair: Este menu é utilizado para fechar o sistema. Caso seja clicado o botão Sim o sistema será fechado e caso seja clicado o botão Não o sistema permanecerá em aberto

24 Submenus do menu Ajuda: Neste menu o usuário terá a possibilidade de verificar a página do desenvolvedor e utilizar a ferramenta Fale Conosco. 47 Conclusão: Adquirindo os sistemas da E&L Produções de Software Ltda, você terá o que há de melhor em Tecnologia da Informação e Comunicação TIC, sistemas fáceis de trabalhar, auto-explicativos, integrados, além do melhor atendimento on-line, por chats (IRC e Skype), telefone, conexão remota e visitas técnicas. Sem falar da atualização automática do sistema, que facilita muito a padronização e a customização do sistema para o todos os clientes. Além dos sistema da E&L Produções de Software Ltda, você também pode adquirir o contrato do SISAUD e também a Assessoria Contábil, tendo uma preocupação a menos no seu trabalho, pois os sistemas da E&L oferecem agilidade, eficiência e eficácia nas atividades do dia-a-dia de um órgão público possibilitando o cumprimento de todos os prazos determinados por Lei

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O foi desenvolvido com o objetivo de simplificar e agilizar o processo de aquisição de materiais e serviços, atendendo as exigências

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Administração de Receitas Tributárias. rias. PostgreSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Administração de Receitas Tributárias. rias. PostgreSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 E&L ERP Administração de Receitas Tributá PostgreSQL 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Receitas Tributá Introdução: Com a crescente necessidade de gerar sua própria receita, os Municípios

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Arrecadação de Repasses (ICMS) PostgresSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Arrecadação de Repasses (ICMS) PostgresSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 Arrecadação de Repasses (ICMS) PostgresSQL 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O controla a emissão de notas fiscais do produtor rural para futuro recurso junto a SEFA Secretaria

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Recursos Humanos e Folha de Pagamento. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Recursos Humanos e Folha de Pagamento. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 E&L ERP Recursos Humanos PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução ão: O Registro no SEPIN, sob n 32284-9, agiliza os controles necessários ao departamento pessoal, bem

Leia mais

Apresentação PostgresSQL 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgresSQL 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgresSQL 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O E&L ERP Ação é um software desenvolvido para efetuar o controle completo da Secretaria de Ação. Eliminando todo e qualquer controle

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Sistema Gerencial de Informações. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Sistema Gerencial de Informações. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Com a necessidade de agilizar todos os serviços na parte de aquisição de material, tramitação de processo, documentação eletrônica

Leia mais

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução ão: Com a necessidade de manter os bens o maior tempo possível em uso, torna-se importante um acompanhamento eficiente de sua

Leia mais

E&L Contabilidade Pública Eletrônica

E&L Contabilidade Pública Eletrônica E&L Contabilidade Pública Eletrônica Instruções para envio da prestação mensal do CIDADESWEB. Está disponível no menu Utilitários, uma opção de Implantação do CIDADESWEB. Neste utilitário estão os 9 passos

Leia mais

SCPI 8.0. Novas funcionalidades. Conciliação Bancária Automática:

SCPI 8.0. Novas funcionalidades. Conciliação Bancária Automática: SCPI 8.0 Novas funcionalidades A partir de agora o SCPI conta com algumas novas funcionalidades que valem a pena serem comentadas, e dar uma breve introdução de seu funcionamento. Entre elas podemos destacar:

Leia mais

Help Contabilização Rápida E&L Produções de Software

Help Contabilização Rápida E&L Produções de Software Help Contabilização Rápida Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Contents 5 Table of Contents Foreword

Leia mais

RESUMÃO. Administração Direta dos entes públicos;

RESUMÃO. Administração Direta dos entes públicos; RESUMÃO CONTABILIDADE PÚBLICA A Contabilidade Pública é um ramo da ciência contábil e tem o objetivo de captar, registrar e interpretar os fenômenos que afetam as situações orçamentárias, financeiras e

Leia mais

MANUAL FINANCEIRO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS

MANUAL FINANCEIRO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS MANUAL FINANCEIRO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...3 2 REALIZANDO UMA ARRECADAÇÃO...4 2.1 IMPORTAÇÃO TRIBUTOS COM A CONTABILIDADE...4 2.2 BOLETIM DE ARRECADAÇÃO...4 2.1.1

Leia mais

Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho

Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 4.1.1 - FLUXOGRAMA ORÇAMENTO LEGISLAÇÃO. Planejamento e Orçamento PPA Audiência Pública Legislativo Apreciação Executivo - Sanção Audiência Pública LDO Legislativo -

Leia mais

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional;

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional; Código: MAP-DIFIN-001 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX Elaborado por: Gerência de Contabilidade Aprovado por: Diretoria de Finanças e Informações de Custos 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos

Leia mais

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software Help Encerramento do Exercício Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Contents 5 Table of Contents Foreword

Leia mais

Gestão de Finanças Públicas

Gestão de Finanças Públicas APRESENTAÇÃO Desde a primeira edição deste livro mencionamos como os avanços no arcabouço institucional e instrumental de gestão financeira foram relevantes para que o governo brasileiro, efetivamente,

Leia mais

Manual de Navegação. Portal da Transparência da Prefeitura Municipal de Goiânia

Manual de Navegação. Portal da Transparência da Prefeitura Municipal de Goiânia Manual de Navegação Portal da Transparência da Prefeitura Municipal de Goiânia ÍNDICE Sobre Este Manual...3 Como Acessar o Portal da Transparência...3 O Que é o Portal da Transparência...4 Tela Principal...4

Leia mais

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA SISTEMA ORÇAMENTÁRIO 1 - RECEITAS 1.1 - Orçamento da Receita 1.2 - Receita Prevista 1.3 - Execução Orçamentária da Receita ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA I - Verificar se os registros das

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA GLOSSÁRIO A AÇÃO GOVERNAMENTAL: Conjunto de operações, cujos produtos contribuem para os objetivos do programa governamental. A ação pode ser um projeto, atividade ou operação especial. ADMINISTRAÇÃO DIRETA:

Leia mais

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE PESQUISA DE PREÇOS DE MERCADO Nº 007/2015

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE PESQUISA DE PREÇOS DE MERCADO Nº 007/2015 AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE PESQUISA DE PREÇOS DE MERCADO Nº 007/2015 O Presidente do Consórcio de Transparência na Gestão Pública Municipal CTM, fundado em 2 de dezembro de 2014, nos termos da Cláusula

Leia mais

SOLUÇÕES IDEAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA

SOLUÇÕES IDEAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA SOLUÇÕES IDEAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA A EMPRESA A Lexsom é uma empresa especializada em soluções de informática com atuação no mercado nacional desde 1989, tem como principal foco o desenvolvimento integrado

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Protocolo, Documentos Eletrônicos e Processos. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Protocolo, Documentos Eletrônicos e Processos. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 Documentos Eletrônicos e Processos PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução ão: Com a necessidade do controle efetivo da tramitação de documentos, o s veio proporcionar

Leia mais

PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro

PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro SUMÁRIO 1. FINANCEIRO... 5 1.1. ED - SECRETARIA... 5 1.2. ED - ESCOLA... 5 1.3. USUÁRIOS POR ENTIDADE NO ED SECRETARIA E ESCOLA... 6 2. FINANCEIRO - SECRETARIA... 7 2.1.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno INSTRUÇÃO NORMATIVA UCCI 001/2014 Versão 01 ASSUNTO: Instrução Normativa

Leia mais

1 INTRODUÇÃO.4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2012).5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS.6 3.1 TABELAS CONTÁBEIS.6 3.1.6 3.1.6 3.1.2.7 3.

1 INTRODUÇÃO.4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2012).5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS.6 3.1 TABELAS CONTÁBEIS.6 3.1.6 3.1.6 3.1.2.7 3. MANUAL DE ABERTURA DO EXERCÍCIO 2012 E ENCERRAMENTO DE 2011 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2012)...5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS...5 3 TABELAS A SEREM PREENCHIDAS

Leia mais

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00 ANEXO I PREGÃO Nº 2012.12.12.1 TERMO DE REFERÊNCIA Com a especificação dos serviços de assessoria, consultoria, execução contábil, justificativas, defesas e recursos de processos administrativos junto

Leia mais

Alterações Efetuadas no Sistema

Alterações Efetuadas no Sistema Alterações Efetuadas no Sistema 2014 - Alterações efetuadas na versão 10.02 1) Correção CON 250 - Verifica a existência do Arquivo Texto com a natureza Plano de Trabalho para Convênio (Alerta); 2) Correção

Leia mais

Manual de Treinamento

Manual de Treinamento 1 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO PÚBLICA SUBSISTEMA: CONTABILIDADE PÚBLICA Manual de Treinamento MOVIMENTO E FICHAS: Inclusões e Relatórios 2 1 - DESPESA ORÇAMENTÁRIA - movimentos Esta opção permite que o

Leia mais

Apresentação E&L ERP. Agendamento. Interbase. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação E&L ERP. Agendamento. Interbase. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 E&L ERP Gestão da Saúde P Agendamento Interbase Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Com o crescente número de pessoas que utilizam os serviços de saúde, cresceu também a necessidade

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA 1 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA ANO 2012 2 Sumário 1 Nota Fiscal de Serviços eletrônica - NFS-e... 3 1.1 Considerações Iniciais... 3 1.2 Legislação... 3 1.3 Definição...

Leia mais

Portal da Transparência:

Portal da Transparência: : O Portal da Transparência foi desenvolvido pela Fiorilli S/C Ltda Software para atender às disposições da Lei Complementar nº. 131, de 27 de maio de 2009, que alterou a Lei Complementar nº. 101, de 4

Leia mais

1. Controle de exercício

1. Controle de exercício 1 1. Controle de exercício Para realizar lançamentos e emitir relatório o módulo Contabil obriga a criação de exercícios, que na verdade representam os anos de atividade da empresa. Confira algumas dicas

Leia mais

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2015).5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS.6 3.1 TABELAS CONTÁBEIS.6 3.1.6 3.1.6 3.

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2015).5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS.6 3.1 TABELAS CONTÁBEIS.6 3.1.6 3.1.6 3. MANUAL DE ABERTURA DO EXERCÍCIO 2015 E ENCERRAMENTO DE 2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2015)...5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS...5 3 TABELAS A SEREM PREENCHIDAS

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 4. Apresentação. Plano de Contas. Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão. Sistemas Contábeis

Contabilidade Pública. Aula 4. Apresentação. Plano de Contas. Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão. Sistemas Contábeis Contabilidade Pública Aula 4 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Plano de Contas Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão Consiste em um rol ordenado de forma sistematizada de contas

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Frotas. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Frotas. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O permite efetuar o controle sobre o consumo de combustível de cada veículo ou máquina permitindo o seu total monitoramento no

Leia mais

EDDYDATA SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA. EPP MANUAL ABERTURA 2016

EDDYDATA SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA. EPP MANUAL ABERTURA 2016 EDDYDATA SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA. EPP MANUAL ABERTURA 2016 FRANCA 2015 Estamos finalizando o exercício de 2015 junto dos nossos clientes com quem mantivemos um bom relacionamento durante todo o ano

Leia mais

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2014).5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS.6 3.1 TABELAS CONTÁBEIS.6 3.1.6 3.1.6 3.

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2014).5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS.6 3.1 TABELAS CONTÁBEIS.6 3.1.6 3.1.6 3. MANUAL DE ABERTURA DO EXERCÍCIO 2014 E ENCERRAMENTO DE 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...4 2 PROCEDIMENTOS DE ABERTURA DO EXERCÍCIO (2014)...5 2.1 TABELAS AUTOMÁTICAS CONTÁBEIS...5 3 TABELAS A SEREM PREENCHIDAS

Leia mais

MANUAL INTEGRAÇÃO CONTABILIDADE - MATERIAIS E PATRIMÔNIO

MANUAL INTEGRAÇÃO CONTABILIDADE - MATERIAIS E PATRIMÔNIO MANUAL INTEGRAÇÃO CONTABILIDADE - MATERIAIS E PATRIMÔNIO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...3 2 TABELAS A SEREM PREENCHIDAS PARA A INTEGRAÇÃO DO PATRIMÔNIO. 4 2.1 CLASSIFICAÇÃO...4

Leia mais

QUESTÕES DE AFO SIMULADO 1 ANALISTA ADMINISTRATIVO DO TRF

QUESTÕES DE AFO SIMULADO 1 ANALISTA ADMINISTRATIVO DO TRF QUESTÕES DE AFO SIMULADO 1 ANALISTA ADMINISTRATIVO DO TRF 01 No momento da elaboração do projeto de lei orçamentária anual deve se atentar para algumas normas contidas nas legislações pertinentes à matéria.

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMÁTICA, MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMÁTICA, MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMÁTICA, MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA Pelo presente CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, que fazem entre si, de um lado, Câmara Municipal de Victor Graeff, pessoa

Leia mais

Sistema de Informações Gerenciais (Roteiro de Demonstração)

Sistema de Informações Gerenciais (Roteiro de Demonstração) #.1.1 Disponibilizar informações de interesse do administrador, através de integração com diversos sistemas da administração municipal; Arquivos > Customização do Sistema #.1.2 #.1.3 #.1.4 #.1.5 Permitir

Leia mais

MANUAL DE CONVÊNIOS MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS

MANUAL DE CONVÊNIOS MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS MANUAL DE CONVÊNIOS MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...3 2 CADASTRO DE CONVÊNIOS...4 2.1 CONVÊNIOS...4 2.1.1 ADITIVOS DE CONVÊNIOS...5 2.1.2 CONTABILIZAÇÃO CONVÊNIOS...5

Leia mais

SCPI 8.0. Guia Rápido. Parametrizando o Módulo CONTAS. Introdução. Informações da Entidade. Nesta Edição

SCPI 8.0. Guia Rápido. Parametrizando o Módulo CONTAS. Introdução. Informações da Entidade. Nesta Edição SCPI 8.0 Guia Rápido Parametrizando o Módulo CONTAS Introdução Nesta Edição 1 Informações da Entidade 2 Cadastro das Entidades 3 Cargos e Nomes 4 Parâmetros Gerais Antes de iniciar os trabalhos diários

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE PÚBLICA

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE PÚBLICA Resumo de Contabilidade Pública Assunto: INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE PÚBLICA Autor: SÉRGIO LUIZ RAMOS 1 ÍNDICE: 1. NOÇÕES DE CONTABILIDADE PÚBLICA 1.2 SISTEMAS 1.3 RESTOS A PAGAR 1.4 VARIAÇÕES PATRIMONIAIS

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DO PODER EXECUTIVO DE SANTA CATARINA

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DO PODER EXECUTIVO DE SANTA CATARINA MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DO PODER EXECUTIVO DE SANTA CATARINA Versão 1.3 - março de 2013 Permitida a reprodução desde que citada a fonte 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 1. SOBRE O PORTAL...

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO. O Portal de Transparência do Estado do Rio de Janeiro possui:

MANUAL DE NAVEGAÇÃO. O Portal de Transparência do Estado do Rio de Janeiro possui: MANUAL DE NAVEGAÇÃO Este é o Manual de Navegação do Portal de Transparência do Estado do Rio de Janeiro. Foi elaborado para que você, cidadão, encontre as informações desejadas. Seu objetivo é facilitar

Leia mais

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais,

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012 Dispõe sobre procedimentos e prazos relativos ao encerramento do exercício de 2012 e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COMO INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO ORÇAMENTÁRIO COM APARATO LEGAL PARA GESTÃO PÚBLICA

LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COMO INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO ORÇAMENTÁRIO COM APARATO LEGAL PARA GESTÃO PÚBLICA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COMO INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO ORÇAMENTÁRIO COM APARATO LEGAL PARA GESTÃO PÚBLICA Ledionete Barbosa Cavichioli 1 Natália Gervázio Quintanilha 2 Resumo Buscando resultado

Leia mais

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS OBJETIVOS Dotar as Promotorias de Justiça

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA E CAPACITAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA FECHAMENTO DO BALANÇO GERAL

DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA E CAPACITAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA FECHAMENTO DO BALANÇO GERAL DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA E CAPACITAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA FECHAMENTO DO BALANÇO GERAL 012/2011 Elaborada em 28/12/2011 Este documento descreve os procedimentos que devem ser adotados para o fechamento

Leia mais

Aplicação FUNCIONALIDADES

Aplicação FUNCIONALIDADES O sistema Advice é uma solução Corpdigital baseada na web que centraliza, de forma totalmente integrada, as atividades de um conselho de fiscalização profissional. A ferramenta apresenta módulos integrados

Leia mais

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 1 COMO ACESSAR O PATRONAGE... 4 2 INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO... 5 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS... 8 3.1 Execução do projeto... 8 3.2 Autorização de recursos (remanejamento de recurso,

Leia mais

Conselho Federal de Contabilidade

Conselho Federal de Contabilidade Processo CFC n.º 2015/000011 INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 10/2015 Assunto: Orientação para encerramento do Exercício de 2014, elaboração do processo de Prestação de Contas do Sistema CFC/CRCs e alteração

Leia mais

RELATÓRIO E PARECER DA COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO

RELATÓRIO E PARECER DA COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO E PARECER DA COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO Na qualidade de responsáveis pelo órgão de Controle Interno do Município de Ilópolis/RS, apresentamos Relatório e Parecer sobre as contas do Poder Executivo,

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA SICOM - CONTABILIDADE

ORIENTAÇÃO TÉCNICA SICOM - CONTABILIDADE ORIENTAÇÃO TÉCNICA SICOM - CONTABILIDADE O principal objetivo do SICOM é exercer um controle concomitante dos atos e fatos realizados nas administrações públicas, criando condições para identificar de

Leia mais

Fechamento de Balanço Almoxarifado

Fechamento de Balanço Almoxarifado Fechamento de Balanço Almoxarifado 1ª Etapa: Realizar a emissão do relatório de Balancete de Materiais por Dotação através do Menu Relatórios / Prestação de Contas. Será aberta a seguinte tela: Informe

Leia mais

CURSO ON-LINE - PROFESSOR: DEUSVALDO CARVALHO RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE CONTABILIDADE PÚBLICA APO MPOG

CURSO ON-LINE - PROFESSOR: DEUSVALDO CARVALHO RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE CONTABILIDADE PÚBLICA APO MPOG RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE CONTABILIDADE PÚBLICA APO MPOG CONCURSO: APO/MPOG/2010 66. (ESAF APO/MPOG/2010) Assinale a opção verdadeira a respeito do objeto, regime e campo de aplicação da contabilidade

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE CAAPIRANGA Rua Antonio Macena, 88 - Santa Luzia. Fone: (092) 3364-1233 CEP 69.

ESTADO DO AMAZONAS PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE CAAPIRANGA Rua Antonio Macena, 88 - Santa Luzia. Fone: (092) 3364-1233 CEP 69. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº 001/2013 CARTA-CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMÁTICA, CELEBRADO ENTRE A CÂMARA MUNICIPAL DE CAAPÍRANGA/AM E A EMPRESA, VANCE ASSESSORIA & AUDITORIA CONTÁBIL

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Fonte: Apresentação da Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT do Tesouro Nacional Última Atualização: 14/09/2009 1 Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 2013 GVDASA Sistemas Caixa AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Decreto nº 10.606, de 22 de JANEIRO de 2015

Decreto nº 10.606, de 22 de JANEIRO de 2015 Decreto nº 10.606, de 22 de JANEIRO de 2015 Estabelece normas para execução orçamentária, e define a programação financeira para o exercício de 2015 e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND...

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND... Sage CND Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. Primeiro Acesso... 2 1.2. Conhecendo a Plataforma Sage... 4 1.2.1. Seleção de Empresa de Trabalho... 4 1.2.2. Sair do sistema/minhas Configurações... 5 1.2.3.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LRF) Atualizado até 13/10/2015 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) tem como base alguns princípios,

Leia mais

SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA. O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece?

SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA. O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece? SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece? Não? Então conheça o sistema que é a maior inovação tecnológica voltada para o

Leia mais

Regras para Ordenar Despesas

Regras para Ordenar Despesas COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP Regras para Ordenar Despesas Interpretação dos Art. 15 e 16 da LRF

Leia mais

Metas Fiscais e Riscos Fiscais. de Contabilidade

Metas Fiscais e Riscos Fiscais. de Contabilidade Metas Fiscais e Riscos Fiscais Secretaria do Tesouro Nacional Conselho Federal de Contabilidade 2012 Curso Multiplicadores 2012 Programa do Módulo 2 Metas Fiscais e Riscos Fiscais CH: 04 h Conteúdo: 1.

Leia mais

MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO

MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO Versão: 1.0 1.0 - CREDENCIAMENTO 1º Passo Acesse o site: www.almenara.mg.gov.br e clique no menu superior Serviços e em seguida na opção Nota Fiscal Eletrônica,

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

PROCEDIMENTO CONTÁBIL Nº 001/2015 (versão 0.0.1)

PROCEDIMENTO CONTÁBIL Nº 001/2015 (versão 0.0.1) PROCEDIMENTO CONTÁBIL Nº 001/2015 (versão 0.0.1) RESTOS A PAGAR PROCESSADOS E NÃO PROCESSADOS ÍNDICE 1 OBJETIVO... 1 2 CONCEITOS... 1 3 CLASSIFICAÇÃO NO PLANO DE CONTAS... 2 4 PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS...

Leia mais

MANUAL DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS E FISCAIS DO SETOR PÚBLICO (MSICSP)

MANUAL DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS E FISCAIS DO SETOR PÚBLICO (MSICSP) REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 MANUAL DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS E FISCAIS DO SETOR PÚBLICO (MSICSP) Regras Gerais de Estrutura e Formatação do MSICSP O primeiro

Leia mais

ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS

ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS 13/10/2015 Natalina Ribeiro ORÇAMENTO PÚBLICO O Orçamento Público é um dos principais instrumentos de planejamento das políticas de governo. Histórico do

Leia mais

PLANEJAMENTO E GESTÃO PÚBLICA. Auditor Substituto de Conselheiro Omar P. Dias

PLANEJAMENTO E GESTÃO PÚBLICA. Auditor Substituto de Conselheiro Omar P. Dias PLANEJAMENTO E GESTÃO PÚBLICA Auditor Substituto de Conselheiro Omar P. Dias A ARTE DE GOVERNAR (segundo Matus) PROJETO DE GOVERNO SABER ARTICULAR GOVERNABILIDADE GOVERNANÇA Plano de Governo: Base do Planejamento

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Plano de Contas... 5 3.2.1 Parcelado... 6 3.2.2 Parcelamento Notas a Prazo...

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ÓRGÃO: CÂMARA MUNICICIPAL DE INDIAPORÃ/SP PROCESSO: 01/2015 MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL Nº 01/2015 TIPO DE LICITAÇÃO: MENOR PREÇO POR LOTE LOCAL: PLENÁRIO DA CÂMARA MUNICIPAL, NA RUA JOSÉ SCAPIM, QUADRA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI: 01/2014 Versão nº: 01 Data da Aprovação: 31/03/2014 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 074/2014. Unidade Responsável: Departamento Financeiro da Secretaria Municipal de Finanças

Leia mais

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE GERAÇÃO DE BOLETOS BRADESCO NO FINANCE 2 Índice Como gerar Boleto Bancário pelo Bradesco... 3 Como gerar os arquivos de Remessa para o Banco pelo Finance... 14 Como enviar

Leia mais

PROCESSO ORÇAMENTÁRIO CONCEITOS E PROCEDIMENTOS

PROCESSO ORÇAMENTÁRIO CONCEITOS E PROCEDIMENTOS PROCESSO ORÇAMENTÁRIO CONCEITOS E PROCEDIMENTOS Novembro/2009 Secretaria de Orçamento Federal Novembro/2009 Instituição Ministério do Planejamento, Secretaria de Orçamento Federal DEPT. PROGR. INFRAESTRUT.

Leia mais

SEÇÃO TÉCNICA DE FINANÇAS

SEÇÃO TÉCNICA DE FINANÇAS SEÇÃO TÉCNICA DE FINANÇAS Missão A Seção Técnica de Finanças tem a missão de Controlar e Executar os recursos orçamentários e financeiros, fornecendo informações técnicas e legais que fundamentem as decisões

Leia mais

Estabelece normas para alteração do Detalhamento da Despesa, das solicitações de Créditos Adicionais e dá outras providências

Estabelece normas para alteração do Detalhamento da Despesa, das solicitações de Créditos Adicionais e dá outras providências 1 Decreto nº 29.524 de 30/12/2009 Estabelece normas para alteração do Detalhamento da Despesa, das solicitações de Créditos Adicionais e dá outras providências 2 3 4 Decreto nº 30.934 de 20/01/2011 Estabelece

Leia mais

Sistema MSYS - Sistema Financeiro para Produtoras de Cinema e Vídeo

Sistema MSYS - Sistema Financeiro para Produtoras de Cinema e Vídeo Sistema MSYS - Sistema Financeiro para Produtoras de Cinema e Vídeo Resumo O desenvolvimento de um sistema específico para Produtoras de Cinema foi iniciado em 1984, quando fui convidado pela Companhia

Leia mais

Governo do Estado do Piauí Secretaria da Fazenda Unidade de Gestão Financeira e Contábil do Estado Gerência de Controle Contábil

Governo do Estado do Piauí Secretaria da Fazenda Unidade de Gestão Financeira e Contábil do Estado Gerência de Controle Contábil R I S C O S F I S C A I S (Artigo 4º, 3º da Lei Complementar nº 101/2000) A Lei Complementar n.º 101 de 2002 Lei de Responsabilidade Fiscal, estabelece que a Lei de Diretrizes Orçamentárias conterá o Anexo

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Objetivos e principais documentos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI

Objetivos e principais documentos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI Objetivos e principais documentos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI Amigos e amigas visitantes do Ponto dos Concursos! Desejo muita paz e tranqüilidade a todos os

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO CRC-DF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO Domingos Poubel de Castro Brasília/DF, 18 de Maio de 2012 NECESSIDADES PERMANENTES DO GESTOR INFORMAÇÕES CONTROLE Cenário Externo 0800 570 0800

Leia mais

ATUALIZAÇÃO ATÉ 14/02/2007.

ATUALIZAÇÃO ATÉ 14/02/2007. ATUALIZAÇÃO ATÉ 14/02/2007. ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO Passando o mouse sobre a opção (+) Rotina Mensal/Anual, aparecerão três opções: 1 Boletim RP 2 Conciliação Bancária 3 TCE Deliberação 233/2006 1 3

Leia mais

GESTÃO, seus reflexos NA NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA E OS RECENTES CONTROLES DO TCEES

GESTÃO, seus reflexos NA NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA E OS RECENTES CONTROLES DO TCEES GESTÃO, seus reflexos NA NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA E OS RECENTES CONTROLES DO TCEES Projeto do CFC 2013: Ano da Contabilidade no Brasil A importância da Contabilidade para o desenvolvimento socioeconômico

Leia mais

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1 1 DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento de direitos autorais, contanto que as cópias sejam feitas

Leia mais

Sistema de Gestão de Empresas do Terceiro Setor Contabilidade e Finanças em um único software

Sistema de Gestão de Empresas do Terceiro Setor Contabilidade e Finanças em um único software Sistema de Gestão de Empresas do Terceiro Setor Contabilidade e Finanças em um único software APRESENTAÇÃO A FP2 Tecnologia é uma empresa jovem, com apenas cinco anos de fundação, mas que conta com a experiência

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICIPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICIPIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICIPIO Manual Técnico de Normas e Procedimentos da Controladoria-Geral (MTNP-CGM-POA) ANEXO NOR 002 Glossário

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

É uma inovadora empresa catarinense, atuante na área pública municipal, estadual e federal, desenvolvendo e comercializando softwares há 26 anos.

É uma inovadora empresa catarinense, atuante na área pública municipal, estadual e federal, desenvolvendo e comercializando softwares há 26 anos. É uma inovadora empresa catarinense, atuante na área pública municipal, estadual e federal, desenvolvendo e comercializando softwares há 26 anos. Constituído por mais de 37 produtos voltados especificamente

Leia mais

GUIA DE CAPACITAÇÃO REGISTRO DE RECEITA EXTRA ORÇAMENTÁRIA - RDE

GUIA DE CAPACITAÇÃO REGISTRO DE RECEITA EXTRA ORÇAMENTÁRIA - RDE GUIA DE CAPACITAÇÃO REGISTRO DE RECEITA EXTRA ORÇAMENTÁRIA - RDE Registro de Receita Extra Orçamentária (RDE) - SUMÁRIO - 1. CONCEITOS...3 2. Registro de Receita Extra Orçamentária...6 2.1. DESCRIÇÃO...6

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual do Consumidor

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual do Consumidor GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA Nota Fiscal Paulista Manual do Consumidor Versão 1.2 28/12/2007 Índice Analítico 1. Considerações Gerais 2 1.1 Definição 2 1.2

Leia mais

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO CURSO: SICONV TEMAS CENTRAIS 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO 2) PROPOSIÇÃO, AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS - CEDENTE, CELEBRAÇÃO DE UM CONVÊNIO E ALTERAÇÕES 3) EXECUÇÃO,

Leia mais