OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO:"

Transcrição

1

2 ENQUADRAMENTO: O Observatório do Turismo de Lisboa é uma estrutura interna da Associação Turismo de Lisboa, criada em A ATL é uma associação privada de utilidade pública, que conta actualmente com cerca de 580 associados pertencentes aos sectores público e privado. A ATL tem como competências: Promoção Internacional da Região de Lisboa - ARPT Gestão Turística dos concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais, Sintra e Mafra, por delegação de poderes da ERT-LVT

3 OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO: Monitorização da actividade turística: Cidade de Lisboa Região de Lisboa (NUTSII) Área Promocional de Lisboa (incluindo execução dos planos anuais de promoção) Disponibilização de informação estruturada de auxílio à tomada de decisões: Estrutura operacional Turismo de Lisboa Associados do Turismo de Lisboa Outros agentes do turismo Público em geral

4 FONTES DE INFORMAÇÃO: Estatísticas e/ou estudos externos INE, TP, TouRMIS, OMT,ANA, APL, etc: Inquéritos Próprios (realizados internamente) : INFOGEST E INFOGOLFE Inquéritos com recurso a entrevistadores externos: Grau de Satisfação, Actividades e Informação, Motivacional,Passageiros de voos low cost, Passageiros de cruzeiro, Golfistas estrangeiros, Congressistas Cooperação internacional European Cities Marketing Benchmarking Group

5 INFOGEST: Inquérito mensal a amostra fixa anual de unidades hoteleiras Lisboa Cidade (68-76%) Região de Lisboa (110 75%) Área Promocional de Lisboa (138 67%) Recolha directa ( , fax) Obtenção de indicadores: Taxa de Ocupação Quarto Preço Médio por Quarto Vendido (ARR) RevPAR

6 INFOGOLFE: Inquérito mensal a campos de Golfe da Área Promocional de Lisboa (17) Recolha directa ( , fax) Obtenção de indicadores: Voltas por campo/dia Green fee por volta Receita por volta Nacionalidade dos jogadores

7 INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM: Entrevistas de rua a turistas estrangeiros na Área Promocional de Lisboa 4 vagas de 750 entrevistas por ano (Abr, Jun, Ago, Out) Obtenção de indicadores: Perfis de visitante Avaliação e satisfação Imagem do destino Prescrição e intenção de regresso Influência na decisão de visitar Lisboa - Total Região Sempre quis visitar 29,7% 49,0% Preço Conselho familia/ amigos Sites de viagens Guias/ livros Oportunidade surgiu 21,7% 22,7% 20,2% 16,7% 20,7% 49,1% 43,7% 45,4% 48,8% 35,7% Brochuras turísticas Publicidade online visitlisboa.com Imprensa/ TV Visita anterior Opiniões social media 11,8% 10,4% 10,6% 9,3% 12,4% 10,4% 37,2% 28,2% 26,6% 22,1% 18,9% 19,7% Muito importante Importante Conselho AV Publicidade media 11,0% 8,2% 18,8% 19,3% AVALIAÇÃO GLOBAL DA VISITA - VALOR MÉDIO (1 a 10) Brasil 8,67 EUA 8,62 Itália 8,56 Alemanha 8,50 R.Unido/ Irlanda 8,49 França Escandinávia 8,40 8,43 Bélgica/ Holanda 8,33 Espanha 8,28

8 Qual a imagem mais forte Lisboa? Cor, 5,4% Única, 3,5% Cultura, 1,9% Tradição, 1,6% Gastronomia, 0,6% Cosmopolita, 1,1% Acessível, 0,5% Beleza, 22,4% Qualidade urbana, 0,7% Atractividade, 0,7% Capitalidade 1,6% Preços, 0,1% Autenticidade 13,0% Atractividade 23,9 % Diferente, 3,9% Diversidade, 2,2% Eventos, 0,1% Diversidade de Experiências 6,1% IMAGEM Sensações 29,2% Cidade Antiga, 6,3% Património, 0,7% Relevâncias históricas Únicas 7,0% Dimensão Humana 8,0% Hospitalidade, 3,1% Envolvimento população, 2,7% Pitoresca, 1,5% Dimensão, 0,4% Segurança, 0,3% Sofisticação e Modernidade 9,2% Vibrante 2,6% Multiculturalidade, 2,5% Vida Nocturna, 1,4% Dinâmica, 1,3% Moderna 0,7% Trendy, 0,7% Emocional 11,7% Agradável,Tranquila, 7,5% Romantismo, 4,7% Clima, 3,0% Ar livre, 1,0% Relação rio/ mar/ praia, 0,5% Vista, paisagem, 0,5% Atmosfera, 0,2% Espaços verdes, esplanadas, 0,1%

9 Gastronomia, 16,9% Tradição, 8,6% Cultura, 3,0% Cor, 0,7% Única, 0,4% Em que é que Lisboa é diferente? Autenticidade 29,7% Cosmopolita, 0,9% Acessível, 0,5% Capitalidade 1,4% Qualidade urbana, 2,4% Beleza, 1,5% Preços, 1,0% Alojamento, 0,3% Atractividade 5,1 % Relação rio/ mar/ praia, 7,1% Clima, 6,3% Tranquilidade, 3,3% Vista, paisagem, 2,5% Luz, 1,4% Espaços verdes, esplanadas, 1,3% Ar livre, 1,1% Romantismo, 0,4% Diversidade concentrada, 1,6% Eventos, 0,2% Diferente, 0,1% Diversidade de Experiências 1,9% DIFERENCIAÇÃO Sensações 23,5% Património, 10,1% Cidade Antiga, 4,3% Relevâncias históricas 14,4% Dimensão Humana 15,6% Hospitalidade, 7,0% Pitoresca, 6,0% Dimensão, 0,9% Segurança, 0,7% Envolvimento população, 0,6% Conhecer a pé, 0,4% Sofisticação e Modernidade 6,1% Vida Nocturna, 2,1% Modernidade vs Antiguidade, 1,3% Multiculturalidade, 1,6% Trendy, vibrante, contemporânea, 1,1%

10 Percentagem de indivíduos que provaram GASTRONOMIA E VINHOS portugueses INQUÉRITO SOBRE ACTIVIDADES E INFORMAÇÃO : Cidade 51,1% Região 54,8% 33,9% 31,7% 71,3% 60,6% 77,8% 76,5% Entrevistas de rua a turistas estrangeiros na Área Promocional de Lisboa 4 vagas de 750 entrevistas por ano (Mai, Jul, Set, Nov) Obtenção de indicadores: Perfis de visitante Actividades praticadas Locais visitados Fontes de informação Prescrição e intenção de regresso Total Região - Fontes informação antes da viagem Familia, amigos, colegas 22,5% 35,7% 13,9% Guias turísticos 23,9% 33,7% 10,3% Sites viagens 20,6% 26,8% 11,6% Sites c.aéreas 17,9% 25,5% 12,8% Sites hotéis 16,2% 26,5% 13,1% Brochuras turísticas 14,7% 23,4% 14,1% Agente viagens 17,3% 18,0% 13,6% Muito frequente Social media 10,9% 20,1% 16,3% Frequente Outros sites oficiais 9,1% 21,8% 14,9% Pouco visitlisboa 12,0% 22,2% 10,6% Jornais, revistas, etc. 6,2% 11,8% 22,3%

11 Oeste Leiria/Fátima 73,8% 53,7% Mafra? 10,9% 13,4% 16,5% LISBOA CIDADE 4,2%? Vale do Tejo Sintra 41,3% 91,8% 40,5% 9,5% 80,4% Estoril/ Cascais 77,3% Península Setúbal

12 INQUÉRITO MOTIVACIONAL: APL - Total corrigido - Motivo da visita Outro 12,6% Entrevistas mensais a hóspedes na Área Promocional de Lisboa Cerca de entrevistas por ano Obtenção de indicadores: Perfis de visitante Motivo da visita Peso dos segmentos da procura Região de origem Gasto médio Negócios 22,8% Produto Lazer 64,6% Total City Break 38,5% Negócios particulares 16,2% Touring Portugal 14,2% Descanso/Relax 7,2% Visita familiares/ amigos 6,5% MI 6,2% Saúde 2,6%

13 Mercado Gasto médio diário individual global (sem transporte) Brasil 180,12 Polónia/ Hungria/ Rep. Checa 158,29 Outro 152,94 Reino Unido/ Irlanda 136,35 Escandinávia 127,29 Estrangeiros 121,93 EUA 117,98 Total 116,02 Alemanha 116,01 França 109,07 Bélgica/ Holanda 107,55 Nacionais 106,25 Espanha 102,40 Itália 100,78 APL - Espanha Var% Gasto médio individual Transporte 166,50 168,96 1,5% Gasto médio diário individual (sem Global 95,06 102,40 7,7% Alojamento 31,90 47,55 49,1% Alimentação 23,40 29,11 24,4% Atracções 11,42 5,06-5 5, 7 % -

14 INQUÉRITO LOW COST: Parceria com Aeroporto de Lisboa Entrevistas a passageiros low cost no Aeroporto Cerca de entrevistas por ano Obtenção de indicadores: Perfis de utilizador Perfis das rotas Estrangeiro a residir em Portugal 4,4% Residente no estrangeiro a visitar amigos ou familiares em Portugal 4,0% Residente no estrangeiro em Portugal por motivos profissionais 3,9% Residente no estrangeiro de férias em Portugal 51,7% Português a residir no estrangeiro 3,2% Residente em Portugal a visitar familiares ou amigos no estrangeiro 6,2% Residente em Portugal no estrangeiro por motivos profissionais 6,1% Residente em Portugal de férias no estrangeiro 26,3% RAZÃO PARA ESCOLHA DA COMPANHIA Horário/ Frequênci a/ Voo Directo; 18,8% Boas referências/acon selhada/ Pontualidade; RESERVA DA VIAGEM Website de Viagens ; 36,6% Agência de viagens / Operador 1,9% Website turístico; 7,1% Compra da companhia pela Empresa ; agência; aérea; Preço; 3,8% 0,2% 51,3% 77,7% Outro; Empresa; 0,1% Aeroporto ; 0,7% 0,2% NS/NR; 1,2% NS/NR; 0,4% Outro; 0,1%

15 Entretenimento 77,1% INQUÉRITO CRUZEIROS: Aliviar o stress Contacto com o mar Fazer amigos Conviver 19,9% 16,5% 16,0% 36,2% Parceria com a APL Entrevistas passageiros de cruzeiros no Porto de Lisboa entrevistas por ano Obtenção de indicadores: Perfil do passageiro de cruzeiros Satisfação Gasto médio Saúde e Bemestar Visitar vários destinos numa Profissional 5,4% 0,5% 14,7% O QUE COMPROU EM LISBOA Postais Pastelaria Vinho Artesanato Livros Vestuário 4,6% 15,4% 13,3% MOTIVAÇÃO PARA FAZER O CRUZEIRO 46,1% 44,5% 58,3% Arte Material fotográfico CD ROM Azulejos Calçado 4,3% 3,6% 1,7% 1,3% 0,8%

16 Influência de artigos de imprensa 35,4% INQUÉRITO GOLFE: Conselho de família/amigos Clima 28,9% 34,6% Entrevistas a jogadores de golfe estrangeiros Revista de golfe Preço 21,7% 21,7% 900 entrevistas por ano Visita anterior 8,7% Obtenção de indicadores: Perfil do visitante jogador de golfe Conselho de agência de viagens Publicidade 3,5% 2,7% PORQUE ESCOLHEU Satisfação 2ª motivação (vinha por outro motivo) 1,0% A REGIÃO DE LISBOA PARA JOGAR GOLFE? Muito provável 37,3% Provável 42,1% Não muito provável Nada provável 3,5% 0,3% PARA JOGAR Não sabe 16,7% GOLFE

17 Despesa média por participante Pagamento único: INQUÉRITO CONGRESSOS: Transporte 393,48 Inscrição no congresso 251,66 Pagamento por noite: (para uma estadia média de 2,8 noites) Alojamento 115,36 Pagamento por dia: Entrevistas a participantes estrangeiros em congressos 900 entrevistas por ano (em três eventos) Obtenção de indicadores: Perfil do visitante, participante em congressos Satisfação Gasto médio (para uma estadia média de 2,8 noites estima-se um total de 3,8 dias) Alimentação 29,76 Deslocações 20,43 Outros 42,49 TOTAL 1.507,59 Estadia média por participante 3,8 dias ESTADIA PARA ALÉM DO CONGRESSO Mais 1 dia; 6,7% Mais 2 dias; 5,1% Mais 3 dias; 2,2% Não; 85,3% Mais 4 a 7 dias; 0,7% Mais de 1 semana; 0,1%

18 Cooperação internacional European Cities Marketing (ECM) Benchmarking Group (BG) Principais projectos: Benchmarking de cidades (BG) Inquérito de conjuntura (ECM) Estatísticas de reuniões (ECM)

19 OBRIGADO André Barata Moura

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) HOLANDA Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 82.600 78.557 75.546 76.601 75.636 74.305

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 268.153 224.435 153.292 183.962 167.661 90.897 87.686 101.723

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 196.964 189.266 202.743 156.846 190.137 193.585 180.698

Leia mais

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA 2011 1 INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO INTRODUÇÃO Na continuidade do estudo que vem sendo realizado pelo, em conjunto

Leia mais

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA 2011 ÍNDICE: 1. Introdução Pág 3 2. Resumo dos principais resultados Pág 4 3. Características da amostra Pág 6 a. Género Pág 6 b. Idade Pág 6 c. Habilitações

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 429.423 448.359 519.706 487.187 522.695 537.427 483.008

Leia mais

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 1 O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de

Leia mais

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de:

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de: EVENTOS DE SURF 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 7 1. Caracterização da amostra 8 2. Satisfação 15 4. Regressar e recomendar 20 3 Metodologia 23 Contextualização do Projecto

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa DO TURISMO DE LISBOA DADOS Maio RECUPERAÇÃO No mês de Maio, os principais indicadores analisados registam sinais positivos de recuperação em todas as unidades hoteleiras. Destacam-se as unidades de quatro

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 240.491 204.775 204.260 207.295 172.238 179.157 201.202

Leia mais

Estudo de Satisfação de Turistas. Your Business Innovation Partner

Estudo de Satisfação de Turistas. Your Business Innovation Partner Estudo de Satisfação de Turistas Your Business Innovation Partner Índice Enquadramento 3 1.1 Objectivos 4 1.2 Metodologia 6 Síntese 9 Análise 16 3.1 Caracterização da Amostra 18 3.2 Caracterização das

Leia mais

INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA

INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA 2011 ÍNDICE: 1. Introdução Pág 3 2. Resumo dos principais resultados Pág 4 3. Características da amostra Pág 6 a. Género Pág 6 b. Idade

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 2013

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 2013 1 Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 213 Índice 2 11 Metodologia 3 2 Análise Síntese 6 3 Análise Descritiva Global 12 1. Caracterização

Leia mais

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014 1 Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014 Índice 2 11 Metodologia 3 2 Análise Síntese 6 3 Análise Descritiva Global 10 1. Caracterização da

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO DADOS DE AGOSTO 2014 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO DADOS DE AGOSTO 2014 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO DO TURISMO DE LISBOA DADOS DE AGOSTO ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO Os dados contidos nesta

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

Lisboa ExcelênciaTurística PLANO DE COMUNICAÇÃO. 13 de fevereiro2015

Lisboa ExcelênciaTurística PLANO DE COMUNICAÇÃO. 13 de fevereiro2015 Lisboa ExcelênciaTurística PLANO DE COMUNICAÇÃO 13 de fevereiro2015 LISBOA COM EXCELENTE PERFORMANCE EM 2014 Lisboa lidera crescimento europeu > Cidade com maior crescimento na Europa +15,5%dormidastotaisnahotelaria

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

Estágios Desportivos - Participantes

Estágios Desportivos - Participantes Estágios Desportivos - Participantes 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 6 3 Metodologia 19 Contextualização do Projecto 3 O grupo Controlinveste pretendeu realizar um inquérito

Leia mais

Perfil do visitante de Évora

Perfil do visitante de Évora Perfil do visitante de Évora Universidade de Évora Escola de Ciências Sociais Maria do Rosário Borges Maria Noémi Marujo Jaime Serra Évora, Maio de 2012 41-60 anos (45%) Idade 21-40 anos (39%) Habilitações

Leia mais

O sector do turismo. Algarve

O sector do turismo. Algarve O sector do turismo no Algarve Destino turístico Algarve Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) - Linhas orientadoras para o Algarve - Principais recursos: (não exaustivo) Praias e falésias Campos

Leia mais

O sector do turismo no Algarve

O sector do turismo no Algarve O sector do turismo no Algarve Destino turístico Algarve Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) - Linhas orientadoras para o Algarve - Principais recursos: (não exaustivo) Praias e falésias Campos

Leia mais

A Estratégia Nacional para o Turismo em Espaços de Baixa Densidade

A Estratégia Nacional para o Turismo em Espaços de Baixa Densidade A Estratégia Nacional para o Turismo em Espaços de Baixa Densidade Maria José Catarino Vogal do Conselho Directivo Trancoso, 28 de Outubro de 2009 TURISMO - Contributo para o desenvolvimento sustentado

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

INQUÉRITO MOTIVACIONAL CIDADE DE LISBOA

INQUÉRITO MOTIVACIONAL CIDADE DE LISBOA INQUÉRITO MOTIVACIONAL 2014 CIDADE DE LISBOA INTRODUÇÃO Nos últimos anos, o Turismo de Lisboa tem vindo a realizar o Inquérito Motivacional, junto de turistas nacionais e estrangeiros que se tenham hospedado

Leia mais

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens Análise Imagem das Agências de Viagens PREÇO VS. SERVIÇO Os portugueses que já recorreram aos serviços de uma Agência de Viagens fizeram-no por considerar que esta é a forma de reservar viagens mais fácil

Leia mais

OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL

OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA Embora com a existência de diferenças de zona para zona, a hotelaria da amostra fixa da Região de Lisboa apresenta em 2006 uma recuperação na generalidade dos indicadores,

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Inverno 2014-2015 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal,

Leia mais

HOTELARIA E GOLFE EM PORTUGAL. 20 de Janeiro 2006

HOTELARIA E GOLFE EM PORTUGAL. 20 de Janeiro 2006 HOTELARIA E GOLFE EM PORTUGAL 20 de Janeiro 2006 ÍNDICE 1. PONTOS FORTES E FRACOS DO DESTINO 2. OS HOTÉIS TIVOLI E O GOLFE 3. VANTAGENS DO SEGMENTO GOLFE PARA OS HOTÉIS 4. FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

Algarve Uma Região de Excelência em Turismo Sustentável

Algarve Uma Região de Excelência em Turismo Sustentável Algarve Uma Região de Excelência em Turismo Sustentável Eng. Paulo Pedro Faro, 17 de Novembro de 2008 Conteúdo 1 2 3 4 O desempenho turístico do Algarve tenderá a evoluir para uma menor dependência face

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL sa DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, MARKETING E PUBLICIDADE, SA Rua do Capitão Pombeiro, 13-15 4250-373 PORTO Tels. 351 22 509 19 43-351

Leia mais

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009 INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS Praia, 29 de Abril de 2010 Plano de apresentação Introdução. Nota metodológica. Apresentação dos resultados..satisfação..gastos. TURISTAS, 2009 Objectivos do Inquérito

Leia mais

Comissão Vitivinícola Regional Alentejana www.vinhosdoalentejo.pt Copyright fotos e textos: Comissão Vitivinícola Regional Alentejana Reprodução

Comissão Vitivinícola Regional Alentejana www.vinhosdoalentejo.pt Copyright fotos e textos: Comissão Vitivinícola Regional Alentejana Reprodução Comissão Vitivinícola Regional Alentejana www.vinhosdoalentejo.pt Copyright fotos e textos: Comissão Vitivinícola Regional Alentejana Reprodução interdita CVRA COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL ALENTEJANA

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO. Serviços públicos de apoio ao turismo. Alojamento. Restauração. Atividades de animação turística

ÁREAS DE ATUAÇÃO. Serviços públicos de apoio ao turismo. Alojamento. Restauração. Atividades de animação turística BALANÇO DO OBSERVATÓRIO TURÍSTICO DE MELGAÇO APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DE 12 ÁREAS DE ATUAÇÃO Serviços públicos de apoio ao turismo Alojamento Restauração Atividades de animação turística Serviços públicos

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

Inquérito a Turistas Novembro de 2014. Com o apoio de:

Inquérito a Turistas Novembro de 2014. Com o apoio de: Inquérito a Turistas Novembro de 2014 Com o apoio de: 1 Índice 1 Síntese 4 2 Principais resultados 8 3 Ficha técnica 29 2 Contextualização do Projecto O grupo Controlinveste pretendeu realizar um estudo

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo www.pwc.pt Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo 16 Cláudia Coelho Diretora Sustainable Business Solutions da Turismo é um setor estratégico para a economia e sociedade nacional o que se reflete

Leia mais

OBSERVATÓRIO. de LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL

OBSERVATÓRIO. de LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL OBSERVATÓRIO doturismo de LISBOA No mês de Outubro, fruto dos valores obtidos na hotelaria de 3 estrelas de Lisboa e de Leiria Fátima, assistiu-se a um agravamento dos níveis de ocupação na Região, quer

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO. Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo

A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO. Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo O potencial competitivo de Portugal Vinhos únicos no mundo Porto e Madeira Vinhos

Leia mais

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA.

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. - RESULTADOS PRELIMINARES - Alina Esteves Ana Estevens Jornadas de Reflexão 29 de Maio A Realidade da Imigração em Odemira

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

Perfil do Turista Do Território Douro Alliance

Perfil do Turista Do Território Douro Alliance Perfil do Turista Do Território Douro Alliance Vila Real Peso da Régua Lamego 2º Semestre de 2011 O Gabinete de Turismo da Douro Alliance em colaboração com o Observatório Económico e Social desta Associação,

Leia mais

Cristina Siza Vieira AHP Associação da Hotelaria de Portugal. European Cities Hotel Forecast for 2016 and 2017

Cristina Siza Vieira AHP Associação da Hotelaria de Portugal. European Cities Hotel Forecast for 2016 and 2017 Cristina Siza Vieira AHP Associação da Hotelaria de Portugal European Cities Hotel Forecast for 2016 and 2017 Hotel Epic Sana, 12 de abril 2016 Indicadores do Turismo AML & LISBOA Portugal vs. Área Metropolitana

Leia mais

ICEP Turismo. sistema de identidade para o turismo

ICEP Turismo. sistema de identidade para o turismo ICEP Turismo sistema de identidade para o turismo Lisboa, 5 de Dezembro de 2003 introdução Portugal tem a imagem mais fragilizada do sul da Europa Entre os vários países do sul, só a Turquia e apenas em

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

O Enoturismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Apresentação de resultados

O Enoturismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Apresentação de resultados O Enoturismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Apresentação de resultados 26 de novembro 2014 Teresa Ferreira DPE/Departamento de Desenvolvimento e Inovação 1.Enquadramento 2. Caraterização

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

Movimento de Turistas - Ano de 2009. Breve análise

Movimento de Turistas - Ano de 2009. Breve análise Movimento de Turistas - Ano de 2009 Breve análise Base de dados Não nos sendo possível saber a taxa de ocupação das unidades hoteleiras do concelho, foi elaborada esta breve análise, unicamente, com base

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação The importance of Information and Communication Technologies for the development of Portuguese Wine Routes 21st 23rd JUNE OPORTO Estrutura da Apresentação 2. Tecnologias de Informação e Comunicação no

Leia mais

Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis

Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis Já não vêm do Reino Unido, mas de França, Espanha, Alemanha e Itália a maior parte dos turistas estrangeiros que

Leia mais

Actual contexto do mercado turístico e perspectivas futuras. Luis Patrão Porto, 18 de Junho de 2009

Actual contexto do mercado turístico e perspectivas futuras. Luis Patrão Porto, 18 de Junho de 2009 Actual contexto do mercado turístico e perspectivas futuras Luis Patrão Porto, 18 de Junho de 2009 Portugal um dos principais destinos turísticos mundiais Turistas do Estrangeiro 12,3 milhões 12º na Europa

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA LISBOA. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março

ROTAS AÉREAS PARA LISBOA. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março ROTAS AÉREAS PARA LISBOA Verão 2011 Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo Março Sumário Oportunidades Reino Unido Londres Alemanha Centro-Oeste Espanha Madrid e

Leia mais

tal como o número de escalas de navios de cruzeiro, nos primeiros quatro meses do ano. 25 melhores destinos da TripAdvisor e em artigos

tal como o número de escalas de navios de cruzeiro, nos primeiros quatro meses do ano. 25 melhores destinos da TripAdvisor e em artigos DO TURISMO DE LISBOA DADOS abril COMPORTAMENTO POSITIVO Apesar do actual contexto de abrandamento No entanto, destaca-se o facto de o número de económico, visível nos resultados da hotelaria passageiros

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa

3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa 3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa 1. PRESSUPOSTOS O presente documento procura sintetizar várias contribuições para a definição, no horizonte de 2020, de uma estratégia, de um conjunto de medidas

Leia mais

Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação

Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação ANEXOS Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação Anexo 2. Proposta de investigação apresentada à autarquia Anexo 3. Questionário em inglês Anexo 4. Questionário em português Anexo 5.

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA. Verão 2010. Junho

ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA. Verão 2010. Junho ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA Verão 2010 Junho Sumário Oportunidades Reino Unido Londres e Manchester Alemanha Centro-Oeste e Sul Áustria Viena França Paris e Oeste Aspectos Gerais Alguns Indicadores Económicos

Leia mais

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA 4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA A procura turística é tida como uma importante componente do sistema turístico, que pode ser traduzida como o conjunto de bens e serviços

Leia mais

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação Reino Unido BTL 2014 1. O mercado 2. Particularidades e Potencialidades 3. A distribuição 4. Os Players 5. Promoção / Comunicação 6. Comercialização e Venda 7. Sugestões de abordagem 8. Discussão Economia

Leia mais

ECOTURISMO NO ALGARVE

ECOTURISMO NO ALGARVE POTENCIALIDADES DO ALGARVE - TURISMO DE NATUREZA ECOTURISMO NO ALGARVE PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO CONTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS POR REGIÃO PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO PRODUTOS VS SAZONALIDADE

Leia mais

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO Setembro de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. PENT (Plano Estratégico Nacional do Turismo) 3. TURISMO NÁUTICO NA EUROPA E NO MUNDO 4. O SECTOR EM PORTUGAL

Leia mais

Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza

Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza 1 História ATP A Associação de Turismo do Porto e Norte, A.R. Porto Convention & Visitors Bureau (ATP) é uma organização sem fins lucrativos,

Leia mais

DESTINO : PORTO GALINHAS DATAS : 24 SETEMBRO A 02 DE OUTUBRO 2011 NR. PAX : 70 CLIENTE :

DESTINO : PORTO GALINHAS DATAS : 24 SETEMBRO A 02 DE OUTUBRO 2011 NR. PAX : 70 CLIENTE : DESTINO : PORTO GALINHAS DATAS : 24 SETEMBRO A 02 DE OUTUBRO 2011 NR. PAX : 70 CLIENTE : Apresentada por: Departamento: MI Meetings & Incentives Gestor: Lisete Costa Morada: Edifício ES Viagens, Av D.

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Verão 2014 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal, tem

Leia mais

Plano estratégico para o Turismo de Lisboa 2011-2014. síntese. Janeiro 2011

Plano estratégico para o Turismo de Lisboa 2011-2014. síntese. Janeiro 2011 1 Plano estratégico para o Turismo de Lisboa 2011-2014 síntese Janeiro 2011 Nuno coimbra Índice Pensar Lisboa 03 Responsabilidade partilhada 04 Visão Estratégica para o Turismo de Lisboa 05 Ambição 06

Leia mais

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 Introdução 3ª edição do European cities hotel forecast; enquadrada pela 2ª vez; Colaboração da

Leia mais

TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal

TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal O TURISMO CULTURAL HOJE 44 milhões de turistas procuram turismo cultural na Europa O património cultural aproxima civilizações e motiva a viagem A preservação

Leia mais

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR:

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: 1ª AVENIDA DINAMIZAÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL DA BAIXA DO PORTO Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: Unidade de Gestão de Área Urbana Dezembro 2012 Índice

Leia mais

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades www.pwc.pt Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades A dinâmica das cidades europeias César Gonçalves Funchal 4 abril 2014 Quaisquer que tenham sido as razões que nos colocaram neste lugar

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

BRASIL ARRAIAL D AJUDA

BRASIL ARRAIAL D AJUDA BRASIL ARRAIAL D AJUDA LOCALIZAÇÃO BAHIA A atmosfera mágica desta região, que hoje envolve os turistas, é a mesma que encantou os portugueses aquando da descoberta, em 1500. Praias, enseadas, baías, inúmeros

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA DO TURISMO DE LISBOA DADOS DEZEMBRO SINAIS DE ABRANDAMENTO A performance da hotelaria da Cidade, Grande Lisboa e Região mostrou uma tendência do as iniciativas de animação que, por norma, de austeridade

Leia mais

A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE

A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE As pessoas passam mais tempo online do que em todos os outros meios juntos 10,7 horas por dia de consumo total de todos os mídia 5,6 dessas horas

Leia mais

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora ECO XXI Acção de formação 11 de fevereiro de 2014 Amadora Júri Sérgio Guerreiro Director do Departamento de Estudos e Planeamento António Fontes Director, Área Institucional Ana Isabel Fonseca Moiteiro

Leia mais

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Relatório de Estágio Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Rui Neves Lisboa, 21 de Junho de 2011 Índice Introdução... 3 Caracterização da Base de Dados... 4 Recolha e validação

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 O PATRIMÓNIO NATURAL E O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DO ALGARVE Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 1. PENT - estratégia para o desenvolvimento do Turismo em Portugal RCM 53/2007, de 04 de Abril

Leia mais

Data 26 07 2009. Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo

Data 26 07 2009. Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Área sectorial TURISMO E LAZER Designação do documento Diagnóstico Sectorial Contacto da equipa TT-THINKTUR (Luís Correia da Silva) Data 26 07 2009 Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de

Leia mais

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011 Diogo Gaspar Ferreira 1. PONTOS FRACOS E FORTES DO TURISMO RESIDENCIAL PORTUGUÊS 2. PLANO ESTRATÉGICO A

Leia mais

Uma abordagem à visão de Portugal

Uma abordagem à visão de Portugal Uma abordagem à visão de Portugal Como é que os operadores turísticos podem contribuir para um novo posicionamento XXXVIII Congresso da APAVT: Potenciar Recursos, Romper Bloqueios, Ganhar Mercado painel

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

Novas tendências em hotelaria. USUS 2012 Turismo e Inovação Instituto Politécnico de Beja 4 de Maio 2012

Novas tendências em hotelaria. USUS 2012 Turismo e Inovação Instituto Politécnico de Beja 4 de Maio 2012 Novas tendências em hotelaria USUS 2012 Turismo e Inovação Instituto Politécnico de Beja 4 de Maio 2012 Novas tendências em hotelaria Factores: Liberalização das fronteiras Férias repartidas Utilização

Leia mais

DIRECÇÃO GERAL DO TURISMO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS E ESTRATÉGIA TURÍSTICOS DIVISÃO DE RECOLHA E ANÁLISE ESTATÍSTICA

DIRECÇÃO GERAL DO TURISMO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS E ESTRATÉGIA TURÍSTICOS DIVISÃO DE RECOLHA E ANÁLISE ESTATÍSTICA DIRECÇÃO GERAL DO TURISMO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS E ESTRATÉGIA TURÍSTICOS DIVISÃO DE RECOLHA E ANÁLISE ESTATÍSTICA Elaborado por: Cristina Curto Caria Coordenado por: Teresinha Duarte Seetteembrro..2004

Leia mais

SAÚDE E BEM-ESTAR. AEP / Gabinete de Estudos

SAÚDE E BEM-ESTAR. AEP / Gabinete de Estudos SAÚDE E BEM-ESTAR AEP / Gabinete de Estudos Outubro de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM Módulo 1 - As empresas Turísticas Tipologia 1. Tipologia e classificação quanto ao segmento de mercado em que se enquadram 2. Tipologia dos Serviços prestados 2.1.Operadores turísticos 2.2.Transportadoras

Leia mais