OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa"

Transcrição

1 DO TURISMO DE LISBOA DADOS Maio RECUPERAÇÃO No mês de Maio, os principais indicadores analisados registam sinais positivos de recuperação em todas as unidades hoteleiras. Destacam-se as unidades de quatro e de cinco estrelas ao nível da ocupação na Cidade de Lisboa. Na Grande Lisboa e na Região, registaram-se valores positivos de ocupação em todas as tipologias. Em termos de Preço Médio por Quarto Vendido (Average) destacam-se, sobretudo, o aumento nas unidades de três e cinco estrelas. Na Cidade e Região de Lisboa, verifica-se um maior aumento de RevPar (Preço Médio por Quarto Disponível) nos hotéis de cinco estrelas, apesar das outras unidades também registarem valores positivos. O melhor resultado de Maio, ao nível dos cruzeiros, foi nos passageiros em turnaround, valor que atingiu os Com esta subida de 16,3 por cento em Maio, nos cinco primeiros meses de, o Porto de Lisboa registou passageiros de cruzeiro em turnaround, mais 4,9 por cento do que no período homólogo de. Análises desta edição EVOLUçÃO DOS MERCADOS Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa infogolfe e cruzeiros Índice Lisboa (VTQD-96): 1203 ÍNDICES POR REGIÃO Dez 96 Jan 97 Jan 98 Jan 99 Jan 00 Jan 01 Jan 02 Jan 03 Jan 04 Jan 05 Jan 06 Jan 07 Jan 08 Jan 09 jan 10 jan 11 DEZ 11 JAN12 DEZ12 JAN13 Este Índice é baseado no valor médio dos acumulados de Vendas Totais por Quarto Disponível do ano de 1996, ano zero da InfoGest Lisboa Cidade. Os dados contidos nesta edição do Observatório do Turismo de Lisboa podem ser consultados na sua versão integral em: TURISMO DE LISBOA 23

2 FRANCESES, SUÍÇOS E ALEMÃES ELEGEM PORTUGAL No Verão de, Portugal será o destino preferido por turistas franceses, suíços e alemães, segundo a agência de viagens edreams. O estudo adianta ainda que, no top 3 das escolhas dos turistas portugueses estão, respectivamente, Espanha, Portugal e França, o que demonstra claramente que este ano os portugueses optaram por destinos mais próximos do seu local de residência ou simplesmente por fazer férias cá dentro. Madrid, Barcelona, Funchal, Paris e Londres são os destinos que se seguem nas preferências dos turistas nacionais. Já quanto aos hábitos de marcação de férias, a agência de viagens diz que os portugueses costumam fazê-lo com pouco tempo de antecedência, sendo Maio e Junho os meses nos quais é registado um maior fluxo de reservas. Muito devido à actual situação económica, vemos também que os portugueses vão preferir fazer férias dentro das suas fronteiras, ou cidades próximas com um custo de vida que não seja muito superior a Portugal, como é o caso de Madrid e Barcelona que, segundo os nossos dados, irão receber um grande fluxo de portugueses este ano, conclui o director de desenvolvimento de negócio da edreams em Espanha, Pablo de Porcioles. A TAP continua a ser a companhia aérea preferida dos portugueses que marcaram as suas viagens para o Verão, quer em território nacional como para o estrangeiro, apesar da vasta oferta das companhias low-cost. Fonte: edreams Evolução dos Principais Indicadores de Hotelaria Acumulado Janeiro a Abril de Área Metropolitana de Lisboa (NUTS II) Valor Variação % Totais Hóspedes ,1% Dormidas ,4% Proveitos ( ) ,6% Fonte: TP/INE (DADos provisórios) Evolução dos Mercados - Dormidas Outras Cidades Europeias - Valor Variação % Período Barcelona ,9% Jan-Mar Berlim ,5% Jan-Mar Bruxelas ,7% Jan Copenhaga ,8% Jan-Mar Génova ,0% Jan-Mar Gotemburgo ,8% Jan-Abr Hamburgo ,8% Jan-Abr Helsínquia ,5% Jan-Abr Madrid ,6% Jan-Abr Munique ,4% Jan-Abr San Sebastian ,2% Jan-Mai Estocolmo ,2% Jan-Abr Taline 9.8-1,1% Jan-Abr Valência ,0% Jan-Mai Viena (região) ,3% Jan-Mar Zagreb ,3% Jan-Mai Fonte: ECM, TourMIS 24 TURISMO DE LISBOA

3 CIDADE DE LISBOA SINAIS POSITIVOS Durante o mês de Maio, os principais indicadores registaram valores positivos na cidade de Lisboa, na maioria das unidades analisadas, evidenciando sinais de recuperação para a hotelaria da capital. A Ocupação por quarto fixou-se nos,96 por cento nos hotéis de quatro estrelas e de 72,23 por cento nas unidades de cinco estrelas, registando um crescimento de 5 e 5,9 por cento, respectivamente, face ao mês de Maio de. Neste período, as unidades de três estrelas foram as únicas a registar um ligeiro decréscimo na ocupação de -0,5 por cento, chegando aos,92 por cento. A Ocupação média no mês de Maio na cidade de Lisboa teve um aumento de 3,4 por cento, atingindo assim os 82,02 por cento. Ao nível do Preço Médio por Quarto Vendido (Average), em destaque o aumento em todas as unidades, sobretudo nas de três e cinco estrelas com valores de,56 euros (mais 5,2 por cento) e 131,10 euros (mais 0,6 por cento), respectivamente. Os hotéis de cinco estrelas foram os que registaram um maior aumento de RevPar (Preço Médio por Quarto Disponível), que se traduz em 6,5 por cento (94,69 euros). O RevPar médio do mês de Maio foi de 66,41 euros, mais 8,2 por cento que o período homólogo em. Ocupação Quarto em Maio % PP P/N,92% 86,33% -0,5% -0,40,96% 81,88% 5,0% 4,08 72,23% 68,20% 5,9% 4,03 Síntese 82,02% 79,31% 3,4% 2,71 64,14%,84% -2,6% -1,71 64,22% 61,74% 4,0% 2,47 52,11% 51,% 0,7% 0,36 Síntese,74%,02% 1,2% 0,72 Preço médio por Quarto Vendido - (Average) em Maio,56 52,83 5,2% 2,73 67,05 66,53 0,8% 0,52 131,10 130,36 0,6% 0,73 Síntese,97 77,38 4,6% 3,58 48,36 47,59 1,6% 0,77 61,17 62,05-1,4% -0,88 117,88 122,20-3,5% -4,32 Síntese 72,58 71,99 0,8% 0,59 Preço médio por Quarto Disponível - (RevPar) em Maio 47,74 45,61 4,7% 2,13 57,64 54,48 5,8% 3,16 94,69 88,91 6,5% 5,78 Síntese 66,41 61,37 8,2% 5,04 31,02 31,34-1,0% -0,32 39,28 38,31 2,5% 0,97 61,43 63,24-2,9% -1,81 Síntese 44,09 43,21 2,0% 0,88 Ocupação % % % % % % % % % 45% 40% 35% 30% Average 95 RevPar A amostra tem como base a totalidade do universo de hotéis da Cidade de Lisboa, é fixa e composta por unidades Full Service e Residenciais independentemente da sua data de abertura. Os números utilizados neste estudo são os seguintes: - a dimensão das unidades; - a totalidade dos quartos e camas ocupados indicados pelas unidades; - as receitas de quartos, a preços correntes, sem IVA e sem pequeno-almoço; - as receitas totais da operação, a preços correntes, sem IVA, sem receitas extraordinárias ou de operações finaceiras. Maio de Total Hotéis da Amostra Quartos Amostra Representatividade (em quartos) 82,6%,7%,1% 76,2% TURISMO DE LISBOA 25

4 GRANDE LISBOA Amostra composta com base nas unidades dos municípios de Lisboa, Oeiras, Cascais, Sintra e Mafra OCUPAÇÃO E REVPAR POSITIVOS Ao nível da Ocupação, todas as unidades analisadas no mês de Maio, na região da Grande Lisboa, registaram valores positivos, com destaque para os hotéis de quatro estrelas que viram este indicador aumentar em 7,3 por cento relativamente ao ano passado, para 82,18 por cento. As unidades de três estrelas foram as únicas com o Preço Médio por Quarto Ven- dido a aumentar em 1,8 por cento, com as unidades de quatro e de cinco estrelas a registar ligeiras quebras de 0,3 por cento. O RevPar na Grande Lisboa aumentou em todas as unidades analisadas durante o mês de Maio, com um preço médio de 62,51 euros, mais 8,4 por cento do que no período homólogo do ano anterior. Ocupação Quarto em Maio % PP P/N,02% 81,47% 4,4% 3, 82,18% 76,57% 7,3% 5,61 67,% 64,79% 4,6% 3,01 Síntese 78,% 74,49% 5,4% 4,01 62,56% 61,36% 2,0% 1,20 59,74% 57,29% 4,3% 2,45 49,78%,02% -0,5% -0,24 Síntese 57,36% 56,20% 2,1% 1,16 Preço médio por Quarto Vendido - (Average) em Maio,25 54,28 1,8% 0,97 63,45 63,67-0,3% -0,22 134,03 134,49-0,3% -0,45 Síntese 79,64 77,41 2,9% 2,23 48,23 47,94 0,6% 0,30 58, 59,69-1,7% -1,04 121,42 122,41-0,8% -0,99 Síntese 72,42 71,49 1,3% 0,92 Preço médio por Quarto Disponível - (RevPar) em Maio 46,97 44,22 6,2% 2, 52,14 48, 7,0% 3,39,87 87,13 4,3% 3,74 Síntese 62,51 57,66 8,4% 4, 30,17 29,41 2,6% 0,76 35,04 34,19 2,5% 0,84,45 61,23-1,3% -0,78 Síntese 41,54 40,18 3,4% 1,36 Ocupação % % % % % % % % % 45% 40% 35% 30% 95 RevPar Average Esta amostra tem como base a totalidade do universo de hotéis da Grande Lisboa, é fixa e composta por unidades Full Service e Residenciais independentemente da sua data de abertura. Os números utilizados neste estudo são os seguintes: - a dimensão das unidades; - a totalidade dos quartos e camas ocupados indicados pelas unidades; - as receitas de quartos, a preços correntes, sem IVA e sem pequeno-almoço; - as receitas totais da operação, a preços correntes, sem IVA, sem receitas extraordinárias ou de operações financeiras. Maio de Total Hotéis da Amostra Quartos Amostra Representatividade (em quartos),6% 76,1% 67,4%,4% 26 TURISMO DE LISBOA

5 REGIÃO DE LISBOA A amostra é composta com base nas unidades dos territórios da Grande Lisboa e das Entidades Regionais de Lisboa e Vale do Tejo, Oeste e Leiria/Fátima. Anteriormente foi publicada sob o título Área Promocional de Lisboa A AUMENTAR A Ocupação na Região de Lisboa aumentou em todas as unidades analisadas, com a média a registar-se nos 72,40 por cento, mais 5,2 por cento do que em igual período de. As unidades de três estrelas da Região de Lisboa aumentaram o Preço Médio por Quarto Vendido em 1,6 por cento, com os hotéis de quatro e de cinco estrelas a registarem descidas de, respectivamente, 1,2 e 0,9 por cento. Ao nível do RevPar, os valores foram positivos em todas as tipologias analisadas, com o maior aumento a verificar-se nas unidades de três estrelas, 5,7 por cento. Ocupação Quarto em Maio % PP P/N 68,87% 66,19% 4,1% 2,69 76,99% 72,36% 6,4% 4,63 66,30% 63,09% 5,1% 3,21 Síntese 72,40% 68,82% 5,2% 3,58 51,20%,18% 2,0% 1,01 54,69% 53,41% 2,4% 1,28 49,05% 48,95% 0,2% 0,10 Síntese 52,46% 51,64% 1,6% 0,82 Preço médio por Quarto Vendido - (Average) em Maio 51,58, 1,6% 0,82 61,19 61,93-1,2% -0,74 134,72 136,01-0,9% -1,29 Síntese,20 73,63 2,1% 1,57 45,56 45,16 0,9% 0,40 57,05 58,23-2,0% -1,18 121, 123,47-1,3% -1,62 Síntese 68,97 68,21 1,1% 0,76 Preço médio por Quarto Disponível - (RevPar) em Maio 35,52 33,59 5,7% 1,93 47,10 44,81 5,1% 2,29 89,32,82 4,1% 3,51 Síntese 54,44,67 7,4% 3,77 23,33 22,66 2,9% 0,66 31,20 31,10 0,3% 0,10 59,77,44-1,1% -0,66 Síntese 36,19 35,23 2,7% 0,96 Ocupação % % % % % % % % % 45% 40% 35% 30% Average 95 RevPar Esta amostra tem como base a totalidade do universo de hotéis da Região de Lisboa, é fixa e composta por unidades Full Service e Residenciais independentemente da sua data de abertura. Os números utilizados neste estudo são os seguintes: - a dimensão das unidades; - a totalidade dos quartos e camas ocupados indicados pelas unidades; - as receitas de quartos, a preços correntes, sem IVA e sem pequeno-almoço; - as receitas totais da operação, a preços correntes, sem IVA, sem receitas extraordinárias ou de operações financeiras. Maio de Total Hotéis da Amostra Quartos Amostra Representatividade (em quartos) 78,9% 72,7% 52,7% 67,5% TURISMO DE LISBOA 27

6 INFOGOLFE & cruzeiros PORTUGUESES NO TOPO Em Maio, nos campos de golfe analisados realizaram-se voltas de Golfe, numa média de,2 por dia. Neste período, os portugueses lideraram o número de voltas com um total de 5.0, seguidos do mercado da Grã-Bretanha com 4.0. Voltas realizadas por campo/dia Maio Janeiro a Maio Variação (13/12) Variação (13/12) % Abs P/N % Abs P/N Total,2,7 8,9% 4,5 Total 53,4 52,2 2,3% 1,2 Sócio 18,3 19,9-8,1% -1,6 Sócio 16,5 19,5-15,3% -3,0 Não Sócio 36,9 30,8 19,8% 6,1 Não Sócio 36,8 32,7 12,8% 4,2 Resultados em Maio por volta GreenFee Variação (13/12) Receita total Variação (13/12) % Abs P/N % Abs P/N Realizada 21,07 16,49 27,8% 4,6 34,46 25,78 33,7% 8,7 Não Sócio 32,96 27,58 19,5% 5,4,23 44,53 24,0% 10,7 BNL 3,4% Número de Voltas Acumulado em Maio - % por nacionalidade ESC 35,8% OUT 10,1% EUA 0,9% P 21,9% GB 13,2% F 3,2% P-Portugal; GB-Grã-Bretanha; IR-Irlanda; E-Espanha; D-Alemanha; F-França; EUA-Estados Unidos; Esc-Escandinávia; BNL-Bélgica/Holanda; Out-Outras Nações. D 9,4% NÚMERO DE VOLTAS EM Maio POR NACIONALIDADE (não sócio) IR 1,1% E 0,9% Resultados de Janeiro a Maio por volta GreenFee Variação (13/12) Receita total Variação (13/12) % Abs P/N % Abs P/N Realizada 19,07 15,49 23,2% 3,6 35,89 29,29 22,6% 6, Não Sócio 28,26 24,64 14,7% 3,6 54,35 48,19 12,8% 6, Maio de 9 buracos 18 buracos Total Campos Amostra Fixa ,0% 78,9%,8% Campos de Golfe disponíveis na Área Promocional de Lisboa (9 e 18 Buracos) Os números utilizados neste estudo são os seguintes: - capacidade máxima de saídas indicadas pelos campos para o mês; - número de saídas e nacionalidades fornecido pelos campos; - receitas de fee sem IVA; - receitas totais sem IVA P GB IR E D F EUA Esc BNL Out Total 28 TURISMO DE LISBOA

7 Percentagem Sócio/Não Sócio Dez Sócio Não Sócio Dez Receita por volta realizada Nov Nov Out Out Set Set Ago Ago Jul Jul Jun Jun Mai Mai Abr Abr Mar Mar Fev Fev Jan Jan CRUZEIROS TURNAROUND POSITIVO O melhor resultado de Maio, ao nível dos cruzeiros, foi nos passageiros em turnaround, que atingiram os 5.894, o que representa uma subida de 16,3 por cento relativamente ao período homólogo. Nos cinco primeiros meses de, o Porto de Lisboa registou passageiros de cruzeiro em turnaround, mais 4,9 por cento do que no período homólogo do ano passado. O número de navios de cruzeiro que passaram na cidade de Lisboa durante o mês de Maio registou uma quebra de 18,5 por cento, totalizando 44 navios. O total de passageiros neste mês chegou aos 54.2, uma baixa de 14,3 por cento face ao mês de Maio de. Tráfego em Maio Maio Acumulado Anual Var % Var % Nº de navios ,5% ,3% Nº Passageiros Totais ,3% ,6% Em Turnaround ,3% ,9% Em trânsito ,9% ,5% Fonte: Administração Porto de Lisboa TURISMO DE LISBOA 29

8 Índices por região EM CONFORMIDADE O desempenho dos principais índices turísticos - Ocupação, Average e RevPar - estão em conformidade com os valores estabelecidos para a Cidade, Área Metropolitana e Região de Lisboa. Na Cidade, em Maio, foram respectivamente de 1.0, 9 e 1.054, enquanto na Área Metropolitana atingiram 1.073, e e, na Região, 1.0, e 1.0. Cidade de Lisboa Índice Ocupação-CLx Índice Average-CLx Índice RevPar-CLx Dez05 Jun06 Dez06 Jun07 Dez07 Jun08 Dez08 Jun09 Dez09 Jun10 Dez10 Jun11 Dez11 Jun12 Dez12 Jun13 Dez13 Indice Ocupação-CLx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 10 Indice Average-CLx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 9 Indice RevPar-CLx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 1054 Área Metropolitana de Lisboa (NUT II) 1300 Índice Ocupação-NUT II Lx Índice Average-NUT II Lx 12 Índice RevPar-NUT II Lx Dez05 Jun06 Dez06 Jun07 Dez07 Jun08 Dez08 Jun09 Dez09 Jun10 Dez10 Jun11 Dez11 Jun12 Dez12 Jun13 Dez13 Indice Ocupação-NUT II Lx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 1073 Indice Average-NUT II Lx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 1002 Indice RevPar-NUT II Lx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 1074 Região de Lisboa 1300 Índice Ocupação-RegiãoLx Índice Average-RegiãoLx 12 Índice RevPar-RegiãoLx Dez05 Jun06 Dez06 Jun07 Dez07 Jun08 Dez08 Jun09 Dez09 Jun10 Dez10 Jun11 Dez11 Jun12 Dez12 Jun13 Dez13 Indice Ocupação-RegiãoLx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 10 Indice Average-RegiãoLx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 1013 Indice RevPar-RegiãoLx - (1000, Média de 2005) - Valor em Maio de : 10 Uma publicação do Turismo de Lisboa EDIÇÃO E PRODUÇÃO LPM 30 TURISMO DE LISBOA Tel Fax

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO DADOS DE AGOSTO 2014 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO DADOS DE AGOSTO 2014 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO DO TURISMO DE LISBOA DADOS DE AGOSTO ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO Os dados contidos nesta

Leia mais

OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL

OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL OBSERVATÓRIO DOTURISMO DE LISBOA Embora com a existência de diferenças de zona para zona, a hotelaria da amostra fixa da Região de Lisboa apresenta em 2006 uma recuperação na generalidade dos indicadores,

Leia mais

OBSERVATÓRIO. de LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL

OBSERVATÓRIO. de LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO AEROPORTOS E CRUZEIROS REGIÃO DE LISBOA HOTELARIA DA CIDADE DE LISBOA HOTELARIA DO ESTORIL OBSERVATÓRIO doturismo de LISBOA No mês de Outubro, fruto dos valores obtidos na hotelaria de 3 estrelas de Lisboa e de Leiria Fátima, assistiu-se a um agravamento dos níveis de ocupação na Região, quer

Leia mais

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO:

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO: ENQUADRAMENTO: O Observatório do Turismo de Lisboa é uma estrutura interna da Associação Turismo de Lisboa, criada em 1999. A ATL é uma associação privada de utilidade pública, que conta actualmente com

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014

Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014 Lisboa, 3 de junho de 2014 Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014 De acordo com a Associação da Hotelaria de Portugal, houve um crescimento de

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Lisboa ExcelênciaTurística PLANO DE COMUNICAÇÃO. 13 de fevereiro2015

Lisboa ExcelênciaTurística PLANO DE COMUNICAÇÃO. 13 de fevereiro2015 Lisboa ExcelênciaTurística PLANO DE COMUNICAÇÃO 13 de fevereiro2015 LISBOA COM EXCELENTE PERFORMANCE EM 2014 Lisboa lidera crescimento europeu > Cidade com maior crescimento na Europa +15,5%dormidastotaisnahotelaria

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 Lisboa, 4 de fevereiro de 2013 Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 TAXA DE OCUPAÇÃO QUARTO SOBE 10,64%, NO PORTO, e 5,75% EM LISBOA COM BOM DESEMPENHO DE TODAS AS

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Julho de 2014 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS Lisboa, 30 de julho de 2014 ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS Grande Lisboa puxou o mês A AHP Associação da Hotelaria de Portugal

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) HOLANDA Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 82.600 78.557 75.546 76.601 75.636 74.305

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP Venda de voos pelas agências portuguesas acaba 2010 a cair, mas ainda fica acima de 2009 A venda de voos regulares pelas agências de viagens IATA portuguesas, um mercado que em 2008 ultrapassou os 900

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global boletim trimestral - n.º 4 - março 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 429.423 448.359 519.706 487.187 522.695 537.427 483.008

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 268.153 224.435 153.292 183.962 167.661 90.897 87.686 101.723

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2014 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

Hotelaria em lisboa. com cidades europeias. Tourism, Hospitality and Leisure Department REGULATED BY RICS

Hotelaria em lisboa. com cidades europeias. Tourism, Hospitality and Leisure Department REGULATED BY RICS Hotelaria em lisboa análise comparativa com cidades europeias 215 Tourism, Hospitality REGULATED BY RICS hotelaria em lisboa análise comparativa com cidades europeias 215 Análise comparativa O presente

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA 4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA A procura turística é tida como uma importante componente do sistema turístico, que pode ser traduzida como o conjunto de bens e serviços

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Cristina Siza Vieira AHP Associação da Hotelaria de Portugal. European Cities Hotel Forecast for 2016 and 2017

Cristina Siza Vieira AHP Associação da Hotelaria de Portugal. European Cities Hotel Forecast for 2016 and 2017 Cristina Siza Vieira AHP Associação da Hotelaria de Portugal European Cities Hotel Forecast for 2016 and 2017 Hotel Epic Sana, 12 de abril 2016 Indicadores do Turismo AML & LISBOA Portugal vs. Área Metropolitana

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2013 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 1 O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de

Leia mais

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E 20 de Setembro, de 2010 TRANSPORTES EM FOCO Setembro de 2010 Transporte aéreo de passageiros em e na / Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E em No contexto da crise económica

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

TURISMO NA REGIÃO DO NORTE DE PORTUGAL

TURISMO NA REGIÃO DO NORTE DE PORTUGAL TURISMO NA REGIÃO DO NORTE DE PORTUGAL EDIÇÃO 009 Ficha Técnica Título Turismo na Região do Norte de Portugal Edição Observatório das Dinâmicas Regionais do Norte (Centro de Avaliação de Políticas e Estudos

Leia mais

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades www.pwc.pt Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades A dinâmica das cidades europeias César Gonçalves Funchal 4 abril 2014 Quaisquer que tenham sido as razões que nos colocaram neste lugar

Leia mais

Lisboa um destino turístico dinâmico

Lisboa um destino turístico dinâmico ENCONTRO DE QUADROS DA CML Lisboa um destino turístico dinâmico Cristina Siza Vieira Fórum Lisboa, 19 de novembro 2015 Turismo no mundo (2014) Curiosidades: 1,1 mil milhões de chegadas de turistas internacionais

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 240.491 204.775 204.260 207.295 172.238 179.157 201.202

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007 BOLETIM ESTATÍSTICO Nº7 - DEZEMBRO 2007 MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO EDITORIAL Com a publicação do número correspondente ao último quadrimestre do ano iniciamos também a edição, no

Leia mais

O transporte de passageiros aumentou por via ferroviária (+3,7%) e por metropolitano (+6,3%).

O transporte de passageiros aumentou por via ferroviária (+3,7%) e por metropolitano (+6,3%). Atividade dos Transportes 3º Trimestre de 214 14 de janeiro de 215 Transporte de passageiros evidenciou crescimento nos aeroportos e ferrovia, mas movimento de mercadorias reduziu-se nos portos e no transporte

Leia mais

Atividade dos Transportes 4º Trimestre de 2014

Atividade dos Transportes 4º Trimestre de 2014 Atividade dos Transportes 4º Trimestre de 214 14 de abril de 215 Movimento de mercadorias em crescimento nos portos e aeroportos mas com redução por estrada Transporte de passageiros com aumento significativo

Leia mais

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília.

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília. Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres: 16.145 km com a Argentina

Leia mais

Estatísticas Vitais 2014

Estatísticas Vitais 2014 Estatísticas Vitais 214 3 de abril de 215 Manteve-se o saldo natural negativo e a diminuição do número de casamentos Em 214 registaram-se 82 367 nascimentos com vida de crianças cujas mães eram residentes

Leia mais

1 - ambitur.pt, 23-02-2009, Agências registam quebra na procura para Carnaval

1 - ambitur.pt, 23-02-2009, Agências registam quebra na procura para Carnaval Noticias APAVT - Fevereiro 2009 Revista de Imprensa 08-04-2009 1 - ambitur.pt, 23-02-2009, Agências registam quebra na procura para Carnaval 2 - Presstur.com, 22-02-2009, APAVT estima numa centena o número

Leia mais

3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa

3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa 3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa 1. PRESSUPOSTOS O presente documento procura sintetizar várias contribuições para a definição, no horizonte de 2020, de uma estratégia, de um conjunto de medidas

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 196.964 189.266 202.743 156.846 190.137 193.585 180.698

Leia mais

DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013

DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013 Superintendencia de Investimentos em Pólos Turisticos SUINVEST Diretoria de Planejamento e Estudos Econômicos DPEE DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013 Pesquisa SETUR Maio, 2014 1 DESEMPENHO DA HOTELARIA

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE DEZEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE DEZEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento DEZEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 )

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 ) Análise dos dados do questionário aplicado aos alunos, professores e funcionários da escola sobre os hábitos e comportamento de viagem Caracterização sócio-demográfica dos inquiridos Quadro I: Dados pessoais

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

MarketView Mercado Turístico

MarketView Mercado Turístico CB RICHARD ELLIS neoturis MarketView Mercado Turístico www.cbre.eu/research Julho 2011 PANORAMA TURÍSTICO GERAL EM PORTUGAL Indicadores Turísticos 2009 vs. 2010 Passageiros Oferta Camas Dormidas Proveitos

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

www.pwc.pt Room for growth European cities hotel forecast 2015 e 2016 César Gonçalves Susana Benjamim 6 maio 2015

www.pwc.pt Room for growth European cities hotel forecast 2015 e 2016 César Gonçalves Susana Benjamim 6 maio 2015 www.pwc.pt Room for growth European cities hotel forecast 2015 e 2016 César Gonçalves Susana Benjamim 6 maio 2015 Agenda Enquadramento 1. 2. Outlook 2015/2016 3. 4. 5. 6. Slide 2 Enquadramento 1º 2º 3ª

Leia mais

Atividade dos Transportes

Atividade dos Transportes 28 de maio de 213 Atividade dos Transportes I. Transporte marítimo, fluvial, aéreo e ferroviário de passageiros e mercadorias (212 - dados provisórios) II. Transporte rodoviário de mercadorias no Continente

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO DO AEROPORTO DE LISBOA [1990 2009]

A EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO DO AEROPORTO DE LISBOA [1990 2009] A EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO DO AEROPORTO DE LISBOA [1990 2009] FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. A Evolução do Transporte Aéreo do Aeroporto de Lisboa [1990 2009] EDIÇÃO

Leia mais

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação Reino Unido BTL 2014 1. O mercado 2. Particularidades e Potencialidades 3. A distribuição 4. Os Players 5. Promoção / Comunicação 6. Comercialização e Venda 7. Sugestões de abordagem 8. Discussão Economia

Leia mais

http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=133982

http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=133982 http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=133982 SERVIÇOS DE AUDIOTEXTO Informação estatística 3º trimestre de Serviços de Audiotexto 3º trimestre de ÍNDICE 1. Prestadores... pág. 2 2. Tráfego...

Leia mais

O INVESTIMENTO EM HOTELARIA NA CIDADE DE LISBOA

O INVESTIMENTO EM HOTELARIA NA CIDADE DE LISBOA O INVESTIMENTO EM HOTELARIA NA CIDADE DE LISBOA JUNHO 2009 CONTEÚDOS 1 Desempenho histórico da hotelaria na cidade de Lisboa 5 Impacto do desempenho histórico sobre o valor dos hotéis e a rentabilidade

Leia mais

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens Análise Imagem das Agências de Viagens PREÇO VS. SERVIÇO Os portugueses que já recorreram aos serviços de uma Agência de Viagens fizeram-no por considerar que esta é a forma de reservar viagens mais fácil

Leia mais

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Abril 2013 1 MERCADO AUTOMÓVEL EM PORTUGAL EM 2012 De acordo

Leia mais

2013 4º Trimestre. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo

2013 4º Trimestre. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo Sumário Executivo Na presente informação, divulgam-se os preços médios de Aposento (b&b), Meia Pensão (h&b) e Pensão Completa (f&b) praticados ao balcão, no 4.º Trimestre de 2013, pelos hotéis e pousadas,

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA. Verão 2010. Junho

ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA. Verão 2010. Junho ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA Verão 2010 Junho Sumário Oportunidades Reino Unido Londres e Manchester Alemanha Centro-Oeste e Sul Áustria Viena França Paris e Oeste Aspectos Gerais Alguns Indicadores Económicos

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE NOVEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE NOVEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento NOVEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 03 março 2012 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO II TRIMESTRE DE 2015 GABINETE DE ESTUDOS APEMIP

CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO II TRIMESTRE DE 2015 GABINETE DE ESTUDOS APEMIP Nº 30 APEMIP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA DE PORTUGAL PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL II TRIMESTRE DE 2015 PARCEIROS: Nº GABINETE DE ESTUDOS APEMIP CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO

Leia mais

Animação turística/turismo de Natureza no Algarve

Animação turística/turismo de Natureza no Algarve Animação turística/turismo de Natureza no Algarve António Almeida Pires Faro, 20 de Dezembro de 2010 Dormidas no Algarve em 2009 2.500.000 2.307.254 N.º de dormidas 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6%

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% 09 de janeiro de 2012 Estatísticas do Comércio Internacional Novembro de 2011 Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% No período de setembro a novembro de 2011, as saídas

Leia mais

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014 verão 2014 Índice Sumário Executivo Perspetivas de evolução da procura para o verão 2014 NUTS II NUTS II por Mercados Perspetivas de evolução da procura para o inverno 2014/15 NUTS II 2 Sumário Executivo

Leia mais

Belux. Campanha de Promoção Conjunta Turismo de Portugal & Brussels Airlines

Belux. Campanha de Promoção Conjunta Turismo de Portugal & Brussels Airlines Belux Campanha de Promoção Conjunta Turismo de Portugal & Brussels Airlines 1. O Mercado Emissor da Bélgica Em 2008, no quadro global da procura turistica para Portugal, a Bélgica foi o décimo mercado

Leia mais

Sistemas de Incentivos Q R E N

Sistemas de Incentivos Q R E N SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS Sistemas de Incentivos Q R E N TURISMO [Regiões NUT II Continente] Funchal 13 novembro 2012 Miguel Mendes SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS 1 QREN - SISTEMA DE

Leia mais

UNWTO. World Tourism Barometer January August 2015. Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial

UNWTO. World Tourism Barometer January August 2015. Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial UNWTO World Tourism Barometer January August 2015 Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial ÍNDICE Chegada de Turistas Internacionais ao Mundo e às Macro-regiões TOP 50 Chegadas de Turistas por

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento SETEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais

Itália. Mercado em Ficha. Mercado emissor de 30,1 milhões de turistas em 2010, com 3,9% da quota mundial

Itália. Mercado em Ficha. Mercado emissor de 30,1 milhões de turistas em 2010, com 3,9% da quota mundial Lombardia 9,8 M hab (1º) 31.645 PIB per Capita (2º) Trentino Alto Adige 28.811 PIB per Capita (5º) Mercado emissor de 30,1 milhões de turistas em 2010, com 3,9% da quota mundial Valle D Aosta 32.716 PIB

Leia mais

Termas em Portugal. A oferta e a procura 2011

Termas em Portugal. A oferta e a procura 2011 A oferta e a procura 2011 Índice Sumário Executivo Oferta nos estabelecimentos termais Motivação da procura Inscrições e sazonalidade da procura Inscrições e proveitos - termalismo clássico Proveitos médios

Leia mais

Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima

Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima Atividade dos Transportes 3º Trimestre de 215 14 de janeiro de 216 Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima Movimento de passageiros nos aeroportos continua a crescer mas com ligeira

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 Introdução 3ª edição do European cities hotel forecast; enquadrada pela 2ª vez; Colaboração da

Leia mais