Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 2013"

Transcrição

1 1 Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Setembro de 213

2 Índice 2 11 Metodologia 3 2 Análise Síntese 6 3 Análise Descritiva Global Caracterização da amostra Caracterização das férias A escolha de Portugal como destino de férias Satisfação com as férias em Portugal Balanço final das férias 46

3 3 1 Metodologia

4 Metodologia 4 Universo: Constituído pelos turistas residentes nos mercados de Espanha, Reino Unido, Alemanha, França, Holanda, Países Escandinavos e Brasil, com saída de Portugal pelos aeroportos do Porto, Lisboa, Faro e Funchal. Amostra: Constituída por 834 entrevistas, com a seguinte distribuição semi-proporcional por País de origem, Aeroporto e Tipo de voo: PAÍS ENTREVISTAS AEROPORTO ENTREVISTAS TIPO DE VOO ENTREVISTAS ALEMANHA 122 ESPANHA E ILHAS CANÁRIAS 13 FRANÇA 119 HOLANDA 18 REINO UNIDO 21 PAÍSES ESCANDINAVOS (*) 84 BRASIL 7 TOTAL 834 LISBOA 284 PORTO 15 FARO 32 FUNCHAL 8 TOTAL 834 TRADICIONAL 77 CHARTER 45 LOW COST 352 TOTAL 834 (*): Na presente vaga, foi incluído na amostra o mercado Países Escandinavos e foi retirado o da Irlanda, mercado que fazia parte da amostra desde 21.

5 Metodologia 5 A utilização de uma amostra semi-proporcional, assegurou a existência de bases suficientes de análise para as variáveis consideradas, mantendo alguma proporcionalidade em relação ao Universo em estudo. No final, procedeu-se a uma ponderação dos resultados finais de forma a repor o verdadeiro peso de cada variável no universo. A amostra foi distribuída com base em informação da ANA - Aeroportos de Portugal sobre o número de passageiros desembarcados nestes aeroportos em 212, provenientes dos mercados em estudo. Recolha da Informação: Através de entrevista direta e pessoal na zona de Check-In dos aeroportos em estudo, no máximo de privacidade, com base em questionário realizado pela Intercampus, a partir das indicações do Cliente, tendo este aprovado a sua versão final. O questionário foi traduzido para inglês, espanhol, francês e alemão. Os trabalhos de campo decorreram entre os dias 23 e 25 de agosto e 6 e 8 de setembro de 213, tendo contado com a participação de 27 entrevistadores recrutados e treinados pela Intercampus, que receberam uma formação adequada às especificidades deste estudo.

6 6 2 Análise Síntese

7 Análise Síntese O nível de satisfação global dos turistas com as suas férias em Portugal é muito elevado. 7 92% Estão satisfeitos de uma forma global com as suas férias em Portugal. 42% Refere que as férias ficaram acima das expectativas. 91% Revela que de certeza voltará/ provavelmente voltará a Portugal nos próximos 3 anos.

8 Análise Síntese Os turistas provenientes do Brasil são os que registam níveis de satisfação mais elevados. São, no entanto, os turistas do Reino Unido a revelar uma maior probabilidade de regressar a Portugal. Face ao período homólogo, verificou-se um ligeiro acréscimo no nível de satisfação (+3 p.p.), sobretudo junto dos turistas provenientes da França (+8 p.p.) e Reino Unido (+6 p.p.). 3 Registou-se uma subida significativa na avaliação da visita face às expectativas (+9 p.p.), destacando-se esta subida junto dos turistas provenientes do Reino Unido (+2 p.p.) e na probabilidade de voltar a Portugal nos próximos 3 anos (+6 p.p.), sobretudo junto dos turistas provenientes da Holanda (+19 p.p.), Alemanha (+17 p.p.) e França (+13 p.p.).

9 Análise Síntese 9 4 Globalmente, os turistas ficaram muito satisfeitos com a experiência que tiveram com os vários pontos de contacto com o país durante as férias (% de muito satisfeitos sempre acima de 5%), sendo que, na sua maioria, a experiência com estes contactos correspondeu ou superou as suas expectativas. 5 6 A Oferta Natural e Cultural volta a destacar-se como ponto forte de Portugal. De facto, as paisagens, as praias, e a gastronomia e vinhos são os pontos de contacto que registam os níveis de satisfação mais elevados. A Qualidade dos serviços é outra área a destacar. Face ao período homólogo, todas as grandes dimensões registam um acréscimo no grau de satisfação. Os locais e oferta comercial, o entretenimento e os restaurantes são os aspectos com uma evolução mais positiva. 7 A Hospitalidade, é a dimensão com uma evolução mais positiva face às expectativas. Por outro lado, as Actividades Turísticas é a única a registar uma quebra face ao período homólogo.

10 Análise Síntese 1 8 Na fase inicial de planeamento das férias, a recomendação de conhecidos/amigos/familiares e a Internet são os maiores impulsionadores da escolha de Portugal como destino de lazer. No que diz respeito à Internet, assinala-se uma descida significativa (-17 p.p.) face ao ano anterior. 9 À semelhança de 212, a escolha final por Portugal foi condicionada na maioria dos casos pelo clima e paisagem (42%) e pela sugestão de familiares ou amigos (33%).

11 Análise Síntese 11 Portugal é descrito pelos turistas antes e após a sua viagem, como um país com bom clima, acolhedor/hospitaleiro, boa comida e boas praias.

12 12 3 Análise Descritiva Global

13 Nota metodológica explicativa à leitura dos dados 13 Sinalética de apoio à leitura dos destaques: País de residência: Alemanha Espanha França Holanda Reino Unido Brasil Países Escandinavos: Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia Número de noites passadas em Portugal: «menor nº de noites» / «maior nº de noites» Tipo de voo: $$$ «tradicional» / $$ «charter» / $ «low cost» Com quem se deslocou: «sozinho» / «acompanhado com adultos/cônjuge» / «acompanhado com crianças» BASE (P/NP): P - indica a Base da pergunta após ponderação NP - indica a Base original da pergunta sem efeito de ponderação

14 Nota metodológica explicativa à leitura dos dados 14 Diferenças estatisticamente significativas: Todos os valores assinalados a verde ou vermelho referem-se a diferenças com significado estatístico. Para tal apenas foram consideradas bases iguais ou superiores a 3 indivíduos. Estes destaques estão assinalados do seguinte modo: A verde: valores que são significativamente superiores ao total, para um nível de confiança de 95%; A vermelho: valores que são significativamente inferiores ao total, para um nível de confiança de 95%. Bases reduzidas: Sempre que as bases das variáveis em análise sejam reduzidas (ou seja, inferiores a 3) estão assinaladas com um asterisco (*). Assim, nestes casos a leitura deve ser feita com precaução e a título meramente indicativo. Percentagens T2B, T3B e B3B: Corresponde à soma dos inquiridos que atribuíram a determinado atributo/ indicador: T2B (Top 2 Box) = os dois valores mais elevados da escala (1+9) T3B (Top 3 Box) = os três valores mais elevados da escala (1+9+8) B3B (Bottom 3 Box) = os três valores mais baixos da escala (2+1+)

15 Caracterização da amostra

16 Caracterização da amostra 16 GÉNERO IDADE INSTRUÇÃO 46% 54% 56% 15% 23% 19% 17% 25% 26% 18% Masculino Feminino Até Até 12º ano Completo Curso médio/ Comercial Curso Universitário TIPO DE VOO AEROPORTO 46% 46% 44% 32% 7% 19% 5% Charter Tradicional Low Cost Lisboa Porto Faro Funchal BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834)

17 Caracterização da amostra 17 PAÍS DE RESIDÊNCIA EM QUE PROVÍNCIA DE ESPANHA RESIDE? Reino Unido 32% [34] França 18% [17] Espanha e Ilhas Canárias 16% [17] Alemanha 15% [14] Holanda 8% [7] Brasil 8% [8] Escandinávia 3% [--] Comunidade de Madrid 42% [54] Catalunha Canárias Galiza Comunidade Valenciana Andaluzia Navarra Castela La mancha Astúrias Melilla 17% 12% 8% 8% 5% 4% 1% 1% 1% [11] [3] [8] [6] [2] [] [2] [4] [] BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) BASE P/NP: TURISTAS COM RESIDÊNCIA EM ESPANHA (128/13) [VALORES VERÃO DE 212]

18 Caracterização das férias

19 Frequência de visita a Portugal 19 NÚMERO DE VEZES QUE SE DESLOCOU A PORTUGAL NOS ÚLTIMOS 3 ANOS (%) MÉDIA É A PRIMEIRA VEZ QUE VEM A PORTUGAL? ,63 vezes ,51 vezes 57% 52% 43% 48% 1 x 2 x 3 x 4 x 5 x 6 a 9 x 1 ou + MOTIVO DA DESLOCAÇÃO A PORTUGAL NOS ÚLTIMOS 3 ANOS É a 1ª vez que vem a Portugal Não é a 1ª vez que vem a Portugal 94% 94% 66% 65% 55% 79% Vaga 212 Vaga 213 Férias 6% Outros 6% Vaga 212 Vaga 213 BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) BASE P/NP: VISITARAM PORTUGAL MAIS DO QUE UMA VEZ (38/387) P2. É a primeira vez que vem a Portugal?; P3. Contando com esta, quantas vezes veio a Portugal nos últimos 3 anos? P4. Do número de vezes que veio a Portugal, quantas foram para passar férias e quantas foram por outras razões?

20 Frequência de visita a Portugal Por País de Origem 2 É A PRIMEIRA VEZ QUE VEM A PORTUGAL? 57% 52% 43% 48% É a 1ª vez que vem a Portugal Não é a 1ª vez que vem a Portugal Vaga 212 Vaga É a 1ª vez que vem a Portugal Não é a 1ª vez que vem a Portugal BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P2. É a primeira vez que vem a Portugal?

21 Com quem se deslocou a Portugal 21 Vaga 212 Vaga 213 7% 75% 7% 16% 24% 9% Sozinho Só adultos Familias com crianças POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA TOTAL 213 1ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS Sozinho 16% Só adultos 75% Famílias com crianças 9% BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P5. Nestas férias em Portugal veio sozinho ou acompanhado?

22 Locais/ Regiões visitadas Por País de Origem 22 TOTAL 213 TOTAL 212 Lisboa 48% [46] 72 [63] 5 [43] 35 [53] 4 [2] 33 [--] 71 [83] Algarve 42% [5] 1 [19] 44 [32] 68 [5] 54 [66] 71 [--] 8 [15] Porto 2% Sintra 15% Centro de Portugal 14% Estoril/ Cascais 14% Norte de Portugal 1% Madeira 5% Coimbra 5% Fátima 4% Alentejo 3% Braga 1% Guimarães 1% Açores 1% BASE P/NP (8/834) (8/816) (122/122) (128/13) (147/119) (63/18) (255/21) (25*/84) (6/7) Cerca de 7% dos turistas provenientes de Espanha e Brasil visita Lisboa, enquanto que o Algarve tende a ser mais visitado por holandeses, ingleses e escandinavos. [VALORES VERÃO DE 212] P6. Quais as localidades/ regiões que visitou?

23 Locais/ Regiões visitadas Por Aeroporto 23 TOTAL 213 TOTAL 212 LISBOA PORTO FARO FUNCHAL Lisboa 48% [89] 27 [21] 8 [3] 12 [] Algarve 42% [24] 5 [8] 98 [1] 12 [] Porto 2% Sintra 15% % Centro de Portugal Estoril/ Cascais 14% Norte de Portugal 1% Madeira 5% Coimbra 5% Fátima 4% Alentejo 3% Braga 1% 5 7 Guimarães 1% 6 5 Açores 1% 1 1 BASE P/NP (8/834) (8/816) (352/284) (153/15) (256/32) (39/8) Nos turistas dos aeroportos de Lisboa e Porto verifica-se uma maior mobilidade, enquanto que aqueles que partem dos aeroportos de Faro e Funchal tendem a ser mais estacionários (mesma localidade). [VALORES VERÃO DE 212] P6. Quais as localidades/ regiões que visitou?

24 Locais/ Regiões visitadas Por País de Origem vs. Aeroporto: Lisboa 24 TOTAL 213 TOTAL 212 Lisboa 91% 89 1 [81] 95 [97] 88 [92] 1 [9] 9 [76] 86 [--] 82 [96] Sintra 31% Estoril/ Cascais 3% Algarve 21% Centro de Portugal 16% Porto 15% Coimbra 6% Fátima 5% Norte de Portugal 4% Alentejo 4% Madeira 1% Açores 1% 4 2 Braga % 5 2 Guimarães % 4 2 BASE P/NP (352/284) (328/3) (35/19*) (85/71) (69/44) (17/23)* (93/58) (9/25)* (44/44) A totalidade dos turistas provenientes da Alemanha e Holanda que partem do aeroporto de Lisboa visitaram a região. Em contrapartida, observa-se que uma percentagem de turistas provenientes dos restantes mercados parte de Lisboa sem ter visitado a região. [VALORES VERÃO DE 212] P6. Quais as localidades/ regiões que visitou?

25 Locais/ Regiões visitadas Por País de Origem vs. Aeroporto: Porto 25 TOTAL 213 TOTAL 212 Porto 64% [75] 76 [8] 5 [65] 48 [84] 73 [72] -- [--] 52 [63] Norte de Portugal 41% Centro de Portugal 36% Lisboa 27% Coimbra 1% Fátima 9% Braga 7% Sintra 6% Guimarães 5% Algarve 5% % Estoril/ Cascais Açores 1% 4 -- Alentejo % 1 -- Madeira % -- BASE P/NP (153/15) (157/154) (33/31) (39/44) (3/22*) (6/1)* (3/2*) -- (16/23)* Na totalidade dos mercados, observa-se uma percentagem de turistas que parte do aeroporto do Porto sem ter visitado a localidade, sobretudo no que diz respeito a franceses, holandeses e brasileiros. [VALORES VERÃO DE 212] P6. Quais as localidades/ regiões que visitou?

26 Locais/ Regiões visitadas Por País de Origem vs. Aeroporto: Faro 26 TOTAL 213 Algarve 98% 1 1 [1] -- [1] 1 [1] 1 [1] 96 [1] 97 [--] -- [--] Lisboa 8% Alentejo 5% Porto 3% Norte de Portugal 1% Madeira 1% % Sintra % % TOTAL 212 Centro de Portugal Estoril/ Cascais Açores Fátima Coimbra Braga Guimarães % % % % % BASE P/NP (256/32) (275/281) (48/56) -- (37/36) (37/66) (119/15) (16*/57) -- Todos os turistas provenientes da Alemanha, França e Holanda visitaram o Algarve. Por outro lado, observa-se uma pequena percentagem de turistas do Reino Unido e Países Escandinavos que partem sem ter visitado a região. [VALORES VERÃO DE 212] P6. Quais as localidades/ regiões que visitou?

27 Locais/ Regiões visitadas Por País de Origem vs. Aeroporto: Funchal 27 TOTAL 213 TOTAL 212 Madeira 91% 1 1 [1] 1 [1] 71 [1] 1 [1] 1 [1] 1 [--] 1 [--] Algarve 12% Lisboa 12% Porto 8% Estoril/ Cascais 4% 13 7 Coimbra 3% 6 6 Centro de Portugal 2% 7 Fátima 2% 7 Alentejo 2% 6 Sintra 2% 13 Açores % Norte de Portugal % Braga % Guimarães % BASE P/NP (39/8) (4/81) (6/16)* (4/15)* (12/17)* (3/9)* (13/18)* (/2)* (1/3)* [VALORES VERÃO DE 212] P6. Quais as localidades/ regiões que visitou?

28 Estacionário vs. Circuito E ONDE FICOU HOSPEDADO? 28 ESTACIONÁRIO CIRCUITO ESTEVE HOSPEDADO SEMPRE NA MESMA LOCALIDADE OU FOI VIAJANDO E FICANDO EM LOCALIDADES DIFERENTES? 75% 74% Estacionário (sempre na mesma localidade) 25% Vaga 212 Vaga % Circuito (localidades diferentes) 85% 87% 37% 39% 39% Algarve 38% [46] 16% [19] Lisboa 31% [21] 48% [42] Centro de Portugal 7% [6] 7% [1] Porto 7% [1] 14% [15] Norte de Portugal 5% [4] 5% [3] Madeira 5% [6] 4% [3] Estoril/ Cascais 4% [2] % [1] Alentejo 1% [] 1% [2] Sintra 1% [] 2% [1] Coimbra 1% [] % [2] Guimarães % [2] % [1] Braga % [1] 2% [] Açores % [] 1% [1] BASE P/NP (588/621) (212/213) A grande maioria dos turistas são estacionários, ou seja ficam alojados sempre na mesma localidade (+ Algarve e Lisboa). Lisboa é o destino preferencial para quem fica hospedado em várias localidades (circuito). [VALORES VERÃO DE 212] BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P7. Nesta visita esteve sempre hospedado na mesma localidade ou foi viajando e ficando hospedado em localidades diferentes?

29 Estacionário vs. Circuito Por país de origem 29 (%) Estacionário Circuito BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) ESTACIONÁRIO CIRCUITO (%) Algarve Lisboa Centro Portugal Porto Norte de Portugal Madeira Estoril/ Cascais Alentejo Sintra Coimbra Guimarães 1 1 Braga 1 Açores BASE P/NP: TURISTAS ESTACIONÁRIOS (588/621) (%) Algarve Lisboa Centro Portugal Porto Norte de Portugal Madeira Estoril/ Cascais Alentejo 4 4 Sintra 6 2 Coimbra 5 Guimarães 5 Braga 8 4 Açores 3 4 BASE P/NP: TURISTAS EM CIRCUITO (212/213) [VALORES VERÃO DE 212] P7. Nesta visita esteve sempre hospedado na mesma localidade ou foi viajando e ficando hospedado em localidades diferentes?

30 Tipo de alojamento 3 53% 52% Vaga 212 Vaga 213 1% 19% 27% 12% 1% 6% 2% 2% 2% 2% 4% 8% Hotel ApartHotel Pousada Casa de Familiares Amigos Apartamentos Moradias alugadas Casa Própria Turismo Habitação Turismo Rural Campismo Caravanismo Outro 7% $$$ 61% 81% 39% 29% 4% 22% $ 16% POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA (%) 1ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS SOZINHO FAMÍLIAS C/ CRIANÇAS SÓ ADULTOS Hotel/ Aparthotel/ Pousada Casa de familiares/ amigos Apartamentos/ Moradias alugadas Casa Própria Turismo Habitação/ Turismo Rural Campismo/ Caravanismo Outro BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P8. Em que tipo de alojamento ficou alojado durante esta visita a Portugal?

31 Número de noites passadas em Portugal 31 QUANTAS NOITES PASSOU EM PORTUGAL DURANTE A VISITA? MÉDIA 213 5% 24% 21% 23% 5% 2% 11,6 noites 212 8% 2% 22% 26% 12% 12% 9,5 noites Menos de 4 noites 4 a 6 noites 7 noites 8 a 13 noites 14 noites Mais de 14 noites BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P9. Quantas noites passou em Portugal durante a visita?

32 A escolha de Portugal como destino de férias

33 Impulsionadores das férias em Portugal COMO SURGIU A IDEIA DE CONSIDERAR PORTUGAL COMO DESTINO DE FÉRIAS NA FASE INICIAL DE PLANEAMENTO DAS MESMAS? 33 31% 36% 4% 22% 9% 14% 11% Vaga 212 Vaga 213 6% 3% 3% 2% 2% 3% 1% 1% 15% 1% 2% Familiares, colegas ou amigos recomendaram Viu informação na Internet Já tinha estado em Portugal de férias e gostou Viu informação na agência de viagens $$$ Visitou Portugal em trabalho e quis voltar para férias Viu publicidade Leu um artigo na imprensa (revistas, jornais, etc.) Viu na televisão (notícias, filmes, documentários, etc.) Outros motivos (não especificados) 34% 36% 41% 1% POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA (%) Familiares, amigos recomendaram Viu informação na Internet Já tinha estado em Portugal e gostou Viu informação na agência de viagens Visitou Portugal em trabalho e quis voltar Viu publicidade Leu um artigo na imprensa Viu na televisão ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS SOZINHO FAMÍLIAS C/ CRIANÇAS SÓ ADULTOS BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P11. Na fase inicial de planeamento das suas férias, como é que lhe surgiu a ideia de considerar Portugal como destino de férias?

34 Critérios de decisão da escolha de Portugal como destino de férias TOTAL 213 TOTAL 212 O clima e/ou a paisagem 42% [67] 26 [32] 45 [5] 51 [59] 45 [67] 47 [--] 23 [25] 34 A sugestão de familiares ou amigos 33% [34] 43 [37] 25 [4] 26 [37] 3 [43] 28 [--] 47 [66] $$$ A forma hospitaleira de acolhimento 25% de Portugal 21% Preço da viagem/e/ou estadia / Uma promoção especial 18% Porque costuma fazer férias em Portugal 38% 16% As atrações / O entretenimento / Ocorrência de um evento 12% A proximidade de Portugal 12% A segurança de Portugal 8% As infraestruturas (de alojamento e restauração) A informação nas redes sociais / na Internet 6% A recomendação de um operador, agente de viagens ou companhia aérea 6% 4% Um artigo de imprensa, rádio ou televisão 2% [VALORES VERÃO DE 212] Outros motivos 2% BASE P/NP (8/834) (8/816) (122/122) (128/13) (147/119) (63/18) (255/21) (25*/84) (6/7) O clima/ paisagem teve um maior peso na decisão de escolha dos turistas provenientes da Alemanha. Por outro lado, a sugestão de familiares/ amigos foi o critério que mais influenciou os espanhóis e os brasileiros. P1. O que o fez decidir por Portugal como destino de férias? Por favor indique os seus 3 motivos mais importantes a partir da seguinte lista.

35 Ponderou outro país como destino de férias 35 26% PONDEROU OUTRO PAÍS COMO DESTINO DE FÉRIAS QUAIS? BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) PORQUE MOTIVOS NÃO OPTOU POR ESSE PAÍS? Espanha/ Ilhas Espanholas/ Menorca 38% Bons preços/ Mais vantajoso 34% Itália/ Sicília 24% Conhecer/ Curiosidade/ Já conhecia outros países 26% Grécia 15% Família/ Tem família em Portugal 13% França Outros países da Europa Turquia/ Istambul América do Norte Norte de África Alemanha Inglaterra/ Reino Unido América Central e do Sul Outros países da África Ásia 13% 13% 1% 7% 5% 5% 4% 4% 4% 4% Europa: 89% América: 11% África: 1% Ásia: 4% Proximidade Clima Recomendação Beleza do país/ Natureza Boas praias Hospitalidade/ Gosta das pessoas Disponibilidade de voos Actividades desportivas/ Golf/ Surf Preferência de amigos/ familiares Bom alojamento Gastronomia/ Vinhos 7% 6% 3% 3% 3% 2% 2% 2% 1% 1% 1% Países nórdicos 3% Outras respostas 5% BASE P/NP: TURISTAS QUE PONDERARAM OUTRO PAÍS COMO DESTINO DE FÉRIAS (21/25) P11A. Antes de considerar Portugal como destino de férias, ponderou fazer férias num outro país ou países? P11B. Porque motivos não optou por esse ou esses países?

36 Ponderou outro país como destino de férias Por País de Origem TOTAL 213 Espanha/ Ilhas Espanholas/ Menorca 38% Itália/ Sicília 24% Grécia 15% França 13% Outros países da Europa 13% Turquia/ Istambul 1% América do Norte 7% Norte de Africa 5% Alemanha 5% Inglaterra/ Reino Unido 4% América Central e do Sul 4% Outros países da África 4% Ásia 4% Países nórdicos 3% BASE P/NP (21/25) (38/33) (32/32) (36/27*) (18/29*) (68/52) (6/17) (12/15)* Espanha foi o país mais referido pelos turistas que ponderam outros países antes de decidirem passar férias em Portugal, sobretudo pelos turistas do Reino Unido. Os espanhóis são os que menos referem o próprio país, em detrimento de Itália. Os brasileiros ponderaram sobretudo a França como destino de férias. P11A. Antes de considerar Portugal como destino de férias, ponderou fazer férias num outro país ou países?

37 Satisfação com as férias em Portugal

38 Utilização de pontos de contacto durante as férias 38 HOSPITALIDADE INFRAESTRUTURAS E INFORMAÇÃO TURÍSTICA OFERTA NATURAL E CULTURAL ATIVIDADES TURÍSTICAS OUTROS SERVIÇOS QUALIDADE SERVIÇOS Simpatia da população local 99% [1] Preservação ambiental 85% [95] [VALORES VERÃO DE 212] Relação qualidade-preço 98% [99] Praias 85% [88] BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) Aeroporto 98% [1] Serviços de transporte 7% [73] Paisagens 97% [99] Monumentos/Museus 67% [73] Gastronomia e Vinhos 97% [97] Informação turística 63% [71] Restaurantes 96% [98] Entretenimento 6% [64] Simpatia dos profissionais 95% [--] Atividades na natureza 58% [54] Custo de vida 95% [98] Atividades culturais 47% [49] Profissionalismo dos profissionais 94% [--] Rent-a-Car 42% [53] Fluência em idiomas estrangeiros 91% [97] Atividades desportivas 24% [24] Segurança 91% [99] Atividades náuticas 24% [27] Alojamento 91% [99] Atividades de bem-estar 18% [11] Locais e oferta comercial 88% [89] Serviços de saúde 16% [8] P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas?

39 Grau de satisfação e Correspondência com as expectativas Pontos de contacto (1/2) 39 HOSPITALIDADE INFRAESTRUTURAS E INFORMAÇÃO TURÍSTICA OFERTA NATURAL E CULTURAL ATIVIDADES TURÍSTICAS OUTROS SERVIÇOS QUALIDADE SERVIÇOS GRAU DE SATISFAÇÃO CORRESPONDEU ÀS EXPECTATIVAS T3B (% 8+9+1) ABAIXO CORRESPONDEU ACIMA DIF Paisagens Praias Gastronomia e Vinhos Simpatia da população local Simpatia dos profissionais Profissionalismo dos profissionais Alojamento Monumentos/Museus Restaurantes Segurança Atividades náuticas Entretenimento Atividades na natureza 9% 88% 88% 87% 86% 85% 85% 82% 81% 79% 78% 77% 77% [9] [86] [81] [83] [--] [--] [84] [79] [72] [79] [71] [68] [79] 2% 3% 2% 4% 4% 3% 2% 4% 6% 4% 6% 3% 2% 5% 52% 52% 54% 56% 58% 59% 59% 57% 58% 62% 63% 7% 48% 45% 46% 42% 41% 39% 39% 38% 37% 38% 32% 34% 27% [43] [39] [39] [33] [--] [--] [32] [37] [32] [25] [33] [31] [38] BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas. [VALORES VERÃO DE 212]

40 Grau de satisfação e Correspondência com as expectativas Pontos de contacto (2/2) 4 HOSPITALIDADE INFRAESTRUTURAS E INFORMAÇÃO TURÍSTICA OFERTA NATURAL E CULTURAL ATIVIDADES TURÍSTICAS OUTROS SERVIÇOS QUALIDADE SERVIÇOS GRAU DE SATISFAÇÃO CORRESPONDEU ÀS EXPECTATIVAS T3B (% 8+9+1) ABAIXO CORRESPONDEU ACIMA DIF Atividades culturais Atividades de bem-estar Locais e oferta comercial Atividades desportivas Informação turística Fluência em idiomas estrangeiros Relação qualidade-preço Aeroporto Serviços de transporte Rent-a-Car Preservação ambiental Custo de vida Serviços de saúde 76% 73% 72% 7% 68% 68% 68% 67% 67% 65% 62% 6% 51% [7] [71] [57] [72] [62] [64] [65] [59] [64] [6] [59] [56] [62] 4% 5% 6% 6% 8% 8% 8% 6% 9% 19% 14% 13% 19% 67% 7% 7% 7% 63% 59% 68% 7% 61% 58% 61% 63% 66% 29% 25% 24% 25% 29% 33% 24% 24% 3% 23% 25% 24% 15% [26] [29] [17] [32] [23] [24] [2] [18] [2] [19] [18] [18] [24] BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas. [VALORES VERÃO DE 212]

41 Grau de satisfação e Correspondência com as expectativas Indicadores macro 41 GRAU DE SATISFAÇÃO CORRESPONDEU ÀS EXPECTATIVAS T3B (% 8+9+1) ABAIXO CORRESPONDEU ACIMA DIF Oferta Natural e Cultural 87% [84] 3% 53% 44% [39] 42 Qualidade dos serviços 86% [--] 3% 57% 4% [--] 36 Hospitalidade 77% [74] 6% 57% 38% [29] 32 Atividades Turísticas 75% [72] 4% 67% 29% [31] 24 Infraestruturas e Informação Turística 73% [67] 8% 62% 3% [25] 22 Outros Serviços 66% [63] 1% 64% 26% [2] 15 [VALORES VERÃO DE 212] BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas.

42 Correspondência com as Expectativas (Diferença entre os que consideram que superou e os que ficou aquém) Satisfação vs. Expectativas vs. Utilização dos pontos de contacto Grau de satisfação T3B (Total) 42 5 Gastronomia e Vinhos Paisagens Preservação ambiental 62 Serviços de transporte Aeroporto Fluência em idiomas estrangeiros Atividades culturais Informação turística Atividades de bem-estar Atividades desportivas Relação Qualidade-preço Entretenimento Locais e oferta comercial Segurança Atividades náuticas Atividades na natureza Alojamento Monumentos e Museus Simpatia dos profissionais Restaurantes Praias Simpatia da população local Profissionalismo dos profissionais Custo de vida 65 Rent-a-car 51 Serviços de saúde BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO Satisfação com os pontos de contacto (T3B) P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas. A dimensão da bola representa a percentagem de utilização do respectivo ponto de contacto

43 Correspondência com as Expectativas (Diferença entre os que consideram que superou e os que ficou aquém) INTERCAMPUS Relatório de Estudo Satisfação de Turistas Setembro de 213 Satisfação vs. Expectativas vs. Utilização dos pontos de contacto Grau de satisfação T3B (entre 1% e 8%) 5 Paisagens 43 Gastronomia e Vinhos Simpatia dos profissionais Praias Monumentos e Museus Alojamento Simpatia da população local Profissionalismo dos profissionais 3 81 Restaurantes BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO Satisfação com os pontos de contacto (T3B) P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas. A dimensão da bola representa a percentagem de utilização do respectivo ponto de contacto

44 Correspondência com as Expectativas (Diferença entre os que consideram que superou e os que ficou aquém) INTERCAMPUS Relatório de Estudo Satisfação de Turistas Setembro de 213 Satisfação vs. Expectativas vs. Utilização dos pontos de contacto Grau de satisfação T3B (entre 79% e 7%) 44 4 Segurança 35 Entretenimento Atividades culturais Atividades náuticas Atividades desportivas 7 Locais e oferta comercial Atividades de bem-estar Atividades na natureza BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO Satisfação com os pontos de contacto (T3B) P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas. A dimensão da bola representa a percentagem de utilização do respectivo ponto de contacto

45 Correspondência com as Expectativas (Diferença entre os que consideram que superou e os que ficou aquém) INTERCAMPUS Relatório de Estudo Satisfação de Turistas Setembro de 213 Satisfação vs. Expectativas vs. Utilização dos pontos de contacto Grau de satisfação T3B (menos de 7%) 3 Fluência em idiomas estrangeiros Serviços de transporte Informação turística Aeroporto Preservação ambiental Relação Qualidade-preço 5 Custo de vida 65 Rent-a-car Serviços de saúde BASE VARIÁVEL: TURISTAS QUE UTILIZARAM CADA UM DOS PONTOS DE CONTACTO Satisfação com os pontos de contacto (T3B) P12. Vou ler-lhe um conjunto de aspetos e gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito(a) com cada um deles nestas suas férias em Portugal. Utilize, por favor, uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. P13. E depois destas férias em Portugal, diga-me para cada um destes mesmos aspetos, se ficou acima das suas expectativas, se correspondeu às suas expectativas ou se ficou abaixo das suas expectativas. A dimensão da bola representa a percentagem de utilização do respectivo ponto de contacto

46 Balanço final das férias

47 Satisfação global com as férias em Portugal 47 89% 92% MÉDIA 49% 6% 8,82 8,51 T2B (1+9) T3B (1+9+8) B3B (2+1+) Acima das expectativas: 79% % % ESCALA: 1 = MUITO SATISFEITO = NADA SATISFEITO POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA (%) TOTAL 213 T2B (1+9) T3B (1+9+8) B3B (2+1+) 2 Média 8,82 8,67 8,68 8,72 8,66 8,98 8,84 9,16 1ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS SOZINHO FAMÍLIAS C/ CRIANÇAS SÓ ADULTOS ,71 8,95 8,67 9,9 8,82 BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P14. Gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito de uma forma GLOBAL com estas suas férias em Portugal. Utilize de novo uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. Pode utilizar valores intermédios para melhor quantificar a sua opinião.

48 Satisfação global com as férias em Portugal Por aeroporto: Lisboa 48 14% 12% 1% 8,63 8,73 8,54 8,56 8,75 8, % 9% 92% 91% 88% 93% 89% 6 5 6% 4% 56% 6% 47% 48% 62% 59% 4 3 2% 2 1 % Inverno 211 Inverno 212 Verão 21 Verão 211 Verão 212 Verão 213 T2B (% 1+9) T3B (% 1+9+8) Média ESCALA: 1 = MUITO SATISFEITO = NADA SATISFEITO BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS CUJO AEROPORTO FOI LISBOA: Inverno 211 (279/247); Inverno 212 (331/242); Verão 21 (525/411); Verão 211 (32/281); Verão 212 (328/3); Verão 213 (352/284) P14. Gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito de uma forma GLOBAL com estas suas férias em Portugal. Utilize de novo uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. Pode utilizar valores intermédios para melhor quantificar a sua opinião.

49 Satisfação global com as férias em Portugal Por aeroporto: Porto 49 14% 12% 7,85 8,19 8,33 8,11 8,3 9, % 7 8% 6% 72% 89% 91% 79% 82% 67% 95% % 2% % 4% 29% 32% 26% 15% Inverno 211 Inverno 212 Verão 21 Verão 211 Verão 212 Verão T2B (% 1+9) T3B (% 1+9+8) Média ESCALA: 1 = MUITO SATISFEITO = NADA SATISFEITO BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS CUJO AEROPORTO FOI PORTO: Inverno 211 (91/126); Inverno 212 (137/126); Verão 21 (175/27); Verão 211 (111/149); Verão 212 (157/154); Verão 213 (153/15) P14. Gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito de uma forma GLOBAL com estas suas férias em Portugal. Utilize de novo uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. Pode utilizar valores intermédios para melhor quantificar a sua opinião.

50 Satisfação global com as férias em Portugal Por aeroporto: Faro 5 14% 12% 8,78 7,94 8,69 8,51 8,34 8, % 7 8% 96% 91% 87% 86% 94% 6 5 6% 4% 2% 62% 38% 67% 59% 49% 4% 57% % Inverno 211 Inverno 212 Verão 21 Verão 211 Verão 212 Verão 213 T2B (% 1+9) T3B (% 1+9+8) Média ESCALA: 1 = MUITO SATISFEITO = NADA SATISFEITO BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS CUJO AEROPORTO FOI FARO: Inverno 211 (196/185); Inverno 212 (94/8); Verão 21 (32/352); Verão 211 (329/3); Verão 212 (275/281); Verão 213 (256/32) P14. Gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito de uma forma GLOBAL com estas suas férias em Portugal. Utilize de novo uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. Pode utilizar valores intermédios para melhor quantificar a sua opinião.

51 Satisfação global com as férias em Portugal Por aeroporto: Funchal 51 14% 12% 8,32 8,64 8,54 8,8 8,56 8, % 8% 95% 91% 94% 97% 89% 7 6 6% 4% 2% 77% 45% 46% 54% 58% 43% 61% % Inverno 211 Inverno 212 Verão 21 Verão 211 Verão 212 Verão 213 T2B (% 1+9) T3B (% 1+9+8) Média ESCALA: 1 = MUITO SATISFEITO = NADA SATISFEITO BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS CUJO AEROPORTO FOI FUNCHAL: Inverno 211 (34/61); Inverno 212 (38/63); Verão (48/12); Verão 211 (4/81); Verão 212 (4/81); Verão 213 (39/8) P14. Gostaria que me dissesse até que ponto ficou satisfeito de uma forma GLOBAL com estas suas férias em Portugal. Utilize de novo uma escala de a 1, em que significa que não ficou Nada Satisfeito e 1 significa Muito Satisfeito. Pode utilizar valores intermédios para melhor quantificar a sua opinião.

52 Correspondência com as expectativas 52 Vaga 212 Vaga % 42% 65% 55% 2% 3% Acima Correspondeu Abaixo POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA (%) TOTAL 213 1ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS SOZINHO FAMÍLIAS C/ CRIANÇAS SÓ ADULTOS Acima Correspondeu Abaixo BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P15. E, agora que as suas férias em Portugal acabaram, diria que estas férias em Portugal, de uma forma GLOBAL ficaram acima das suas expectativas, corresponderam às suas expectativas ou ficaram abaixo das suas expectativas?

53 Probabilidade de regressar a Portugal Nos próximos 3 anos 53 MÉDIA Vaga % 27% 9% 3,54 Acima das Expectativas: 71% 77% 79% 7% Vaga % 43% 15% 3,27 (4) De certeza voltarei (3) Provavelmente voltarei (2+1) Provavelmente + De certeza não voltarei POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA (%) TOTAL 213 1ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS SOZINHO FAMÍLIAS C/ CRIANÇAS SÓ ADULTOS De certeza voltarei Provavelmente voltarei Provavelmente/ De certeza não voltarei Média 3,54 3,48 3,42 3,59 3,52 3,6 3,52 3, ,38 3,72 3,71 3,62 3,49 BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P16. Qual é a probabilidade de voltar a Portugal de férias nos próximos três anos?

54 Palavras que descrevem Portugal 54 ANTES DESTA SUA VIAGEM Clima / Bom tempo com calor e muito sol 4% [45] Boas praias 22% [25] Hospitalidade / Acolhedor 21% [21] Boa comida / Gastronomia 2% [12] Cultura / Museus / Monumentos / História 13% [15] Beleza do país 13% [14] Bons locais de diversão 9% [5] Paisagem 8% [4] Calmo e tranquilo 8% [9] Boas férias / Férias com família 6% [8] Família 5% [1] Bons preços 5% [4] Conhecer /Curiosidade 4% [6] Natureza 4% [5] Crise económica 4% [1] Bons vinhos 4% [4] ( ) APÓS ESTA SUA VIAGEM Clima / Bom tempo com calor e muito sol Hospitalidade / Acolhedor Boa comida / Gastronomia Boas praias Beleza do país País simpático / Maravilhoso Cultura / Museus / Monumentos / História Paisagem Bons locais de diversão Quero voltar Calmo e tranquilo Bons vinhos Satisfação Boas férias Natureza Crise económica Bons preços 32% 28% 23% 18% 14% 11% 1% 9% 9% 7% 7% 6% 5% 5% 4% 3% 3% [36] [32] [12] [21] [2] [13] [13] [6] [4] [3] [9] [4] [3] [7] [4] [1] [3] ( ) [VALORES VERÃO DE 212] BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P15A. Gostava que me dissesse quais as palavras que melhor descreveriam Portugal antes desta sua viagem? P15B. Gostava que me dissesse quais as palavras que melhor descreveriam Portugal após esta sua viagem?

55 O que gostaria de ver melhorado quando voltar a Portugal? 55 91% PROVAVELMENTE/ DE CERTEZA VAI VOLTAR A PORTUGAL NOS PRÓXIMOS 3 ANOS Crise económica 8% [3] Baixar os preços 7% [8] Menos poluído, mais limpo 7% [5] Melhores transportes públicos 6% [5] Mais preservação da natureza 5% [2] Melhorar os passeios / via pública 4% [1] Melhores estradas e sinalização 3% [6] Mais informações e em inglês / francês 3% [6] Mais infraestruturas em locais turísticos 3% [4] Melhorar o atendimento em restaurantes / lojas 2% [6] Maior conservação dos edifícios 2% [2] Ver pessoas mais simpáticas, mais alegres 2% [2] Maior dinamização cultural e social 2% [5] Mais qualidade / Variedade comida 2% [1] Mais preservação dos monumentos / museus 2% [2] Melhorar o serviço rent-a-car 2% [--] Mais segurança 2% [3] Melhorar condições no aeroporto 1% [4] Menos trânsito nas estradas 1% [1] Serviço dos táxis 1% [1] Maior preservação das praias 1% [1] Nada, está tudo bem 3% [35] Outras respostas 5% [4] Ns/Nr 12% [8] BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) [VALORES VERÃO DE 212] BASE P/NP: PROVAVELMENTE/ DE CERTEZA VAI VOLTAR A PORTUGAL NOS PRÓXIMOS 3 ANOS (73/77) P16A. O que gostaria de ver melhorado quando voltar a Portugal?

56 Oferta mais alargada de estadia all-inclusive 56 GOSTARIA QUE PORTUGAL TIVESSE UMA OFERTA MAIS ALARGADA DE ESTADIA TIPO ALL-INCLUSIVE? 38% 45% 17% Gostaria Não gostaria Ns/Nr POR PAÍS DE ORIGEM POR PERFIL DE TURISTA (%) TOTAL 1ª VEZ NO PAÍS REPEATERS NO PAÍS SOZINHO FAMÍLIAS C/ CRIANÇAS SÓ ADULTOS Gostaria Não gostaria Ns/Nr BASE P/NP: TOTAL DE TURISTAS (8/834) P17. Pensando em Portugal com destino turístico de férias, gostaria que Portugal tivesse uma oferta mais alargada de estadia tipo all-inclusive (alojamento, refeições e outros serviços incluídos no preço)?

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014

Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014 1 Estudo Satisfação de Turistas Análise de Resultados Preparada para: Turismo de Portugal Março de 2014 Índice 2 11 Metodologia 3 2 Análise Síntese 6 3 Análise Descritiva Global 10 1. Caracterização da

Leia mais

Estudo de Satisfação de Turistas. Your Business Innovation Partner

Estudo de Satisfação de Turistas. Your Business Innovation Partner Estudo de Satisfação de Turistas Your Business Innovation Partner Índice Enquadramento 3 1.1 Objectivos 4 1.2 Metodologia 6 Síntese 9 Análise 16 3.1 Caracterização da Amostra 18 3.2 Caracterização das

Leia mais

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de:

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de: EVENTOS DE SURF 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 7 1. Caracterização da amostra 8 2. Satisfação 15 4. Regressar e recomendar 20 3 Metodologia 23 Contextualização do Projecto

Leia mais

Inquérito a Turistas Novembro de 2014. Com o apoio de:

Inquérito a Turistas Novembro de 2014. Com o apoio de: Inquérito a Turistas Novembro de 2014 Com o apoio de: 1 Índice 1 Síntese 4 2 Principais resultados 8 3 Ficha técnica 29 2 Contextualização do Projecto O grupo Controlinveste pretendeu realizar um estudo

Leia mais

Estágios Desportivos - Participantes

Estágios Desportivos - Participantes Estágios Desportivos - Participantes 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 6 3 Metodologia 19 Contextualização do Projecto 3 O grupo Controlinveste pretendeu realizar um inquérito

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012

PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 PERFIL DOS TURISTAS DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL 1º TRIMESTRE DE 2012 1 O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de

Leia mais

INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA

INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA INQUÉRITO ÀS ACTIVIDADES DOS TURISTAS E INFORMAÇÃO REGIÃO DE LISBOA 2011 ÍNDICE: 1. Introdução Pág 3 2. Resumo dos principais resultados Pág 4 3. Características da amostra Pág 6 a. Género Pág 6 b. Idade

Leia mais

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO:

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO: ENQUADRAMENTO: O Observatório do Turismo de Lisboa é uma estrutura interna da Associação Turismo de Lisboa, criada em 1999. A ATL é uma associação privada de utilidade pública, que conta actualmente com

Leia mais

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA 2011 1 INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO INTRODUÇÃO Na continuidade do estudo que vem sendo realizado pelo, em conjunto

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) HOLANDA Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 82.600 78.557 75.546 76.601 75.636 74.305

Leia mais

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL sa DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, MARKETING E PUBLICIDADE, SA Rua do Capitão Pombeiro, 13-15 4250-373 PORTO Tels. 351 22 509 19 43-351

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL

DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL DADOS DE MERCADO 2010/2011 BRASIL HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 268.153 224.435 153.292 183.962 167.661 90.897 87.686 101.723

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO E IMAGEM REGIÃO DE LISBOA 2011 ÍNDICE: 1. Introdução Pág 3 2. Resumo dos principais resultados Pág 4 3. Características da amostra Pág 6 a. Género Pág 6 b. Idade Pág 6 c. Habilitações

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ESPANHA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 429.423 448.359 519.706 487.187 522.695 537.427 483.008

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA DADOS DE MERCADO 2010/2011 ITÁLIA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 196.964 189.266 202.743 156.846 190.137 193.585 180.698

Leia mais

Perfil do Turista Do Território Douro Alliance

Perfil do Turista Do Território Douro Alliance Perfil do Turista Do Território Douro Alliance Vila Real Peso da Régua Lamego 2º Semestre de 2011 O Gabinete de Turismo da Douro Alliance em colaboração com o Observatório Económico e Social desta Associação,

Leia mais

O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22

O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22 31 de julho de 2014 Gastos Turísticos Internacionais 2013 O gasto médio diário dos não residentes entrevistados que visitaram Portugal foi 100,22 O gasto médio diário per capita (GMD pc ) dos visitantes

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens Análise Imagem das Agências de Viagens PREÇO VS. SERVIÇO Os portugueses que já recorreram aos serviços de uma Agência de Viagens fizeram-no por considerar que esta é a forma de reservar viagens mais fácil

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

Perfil do visitante de Évora

Perfil do visitante de Évora Perfil do visitante de Évora Universidade de Évora Escola de Ciências Sociais Maria do Rosário Borges Maria Noémi Marujo Jaime Serra Évora, Maio de 2012 41-60 anos (45%) Idade 21-40 anos (39%) Habilitações

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas Metodologia Técnicaeformadecoleta: Quantitativa: survey telefônico, com amostra 2.322 entrevistas, realizadas entre os dias 17 de junho e 07 de julho de 2009, pelo Instituto Vox

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 29 de dezembro de 2014 GASTOS TURÍSTICOS INTERNACIONAIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ANO DE 2013 Nota introdutória O Inquérito aos Gastos Turísticos Internacionais (IGTI) foi uma operação estatística

Leia mais

Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis

Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis Segurança, património e gastronomia do Porto e norte cativam mais franceses e espanhóis Já não vêm do Reino Unido, mas de França, Espanha, Alemanha e Itália a maior parte dos turistas estrangeiros que

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010 WORLD CUP Turistas do Sul, Junho/20 Total: 4.835 entrevistas : 46% (n=2.204) : 4% (n=202) : 41% (n=2.000) : 6% (n=307) : 3% (n=122) Perfil dos entrevistados PRINCIPAL FINANCIADOR DA VIAGEM Está pagando

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 )

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 ) Análise dos dados do questionário aplicado aos alunos, professores e funcionários da escola sobre os hábitos e comportamento de viagem Caracterização sócio-demográfica dos inquiridos Quadro I: Dados pessoais

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas Avaliação da Satisfação dos Turistas 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação da Satisfação dos Turistas 2011 Índice SÍNTESE... 03 1. INTRODUÇÃO... 05 2.

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global boletim trimestral - n.º 4 - março 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO. Serviços públicos de apoio ao turismo. Alojamento. Restauração. Atividades de animação turística

ÁREAS DE ATUAÇÃO. Serviços públicos de apoio ao turismo. Alojamento. Restauração. Atividades de animação turística BALANÇO DO OBSERVATÓRIO TURÍSTICO DE MELGAÇO APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DE 12 ÁREAS DE ATUAÇÃO Serviços públicos de apoio ao turismo Alojamento Restauração Atividades de animação turística Serviços públicos

Leia mais

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014 verão 2014 Índice Sumário Executivo Perspetivas de evolução da procura para o verão 2014 NUTS II NUTS II por Mercados Perspetivas de evolução da procura para o inverno 2014/15 NUTS II 2 Sumário Executivo

Leia mais

O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres.

O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres. Assunto Turismo SOPHIA MIND A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem por cento

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Inverno 2014-2015 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal,

Leia mais

INQUÉRITO MOTIVACIONAL CIDADE DE LISBOA

INQUÉRITO MOTIVACIONAL CIDADE DE LISBOA INQUÉRITO MOTIVACIONAL 2014 CIDADE DE LISBOA INTRODUÇÃO Nos últimos anos, o Turismo de Lisboa tem vindo a realizar o Inquérito Motivacional, junto de turistas nacionais e estrangeiros que se tenham hospedado

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Verão 2014 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal, tem

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR:

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: 1ª AVENIDA DINAMIZAÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL DA BAIXA DO PORTO Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: Unidade de Gestão de Área Urbana Dezembro 2012 Índice

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA

barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA Índice 2 11 Enquadramento 3 2 Amostra 7 3 Resultados 9 3 1 Enquadramento Objetivos 4 No âmbito da parceria entre a APAV e a INTERCAMPUS,

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Segmentação do mercado Caracterização dos entrevistados Percepções sobre o turismo no Brasil V. Hábitos e comportamentos sobre turismo VI. VII. VIII. Prioridade de investimento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE. Minho. Resultados Globais 2010/2011. Co-financiamento

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE. Minho. Resultados Globais 2010/2011. Co-financiamento AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE Minho Resultados Globais 2010/2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Co-financiamento Parceria Avaliação do Nível de Satisfação dos

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade e Inovação

Barómetro Regional da Qualidade e Inovação Avaliação da Satisfação dos Turistas 2014 Direção Regional do Comércio, Indústria e Energia Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses, n.º 23, 1º 9000-054 Funchal Região Autónoma da Madeira Portugal

Leia mais

2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL

2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL 2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL A análise realizada tem como base principal as estatísticas oficiais e alguns dados quantitativos de elaboração própria. Focamos a atenção nas mudanças

Leia mais

Perfil do Turista Internacional do Porto e Norte de Portugal no Aeroporto Francisco Sá Carneiro no 1º Trimestre de 2013 FICHA TÉCNICA

Perfil do Turista Internacional do Porto e Norte de Portugal no Aeroporto Francisco Sá Carneiro no 1º Trimestre de 2013 FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o

Leia mais

O sector do turismo. Algarve

O sector do turismo. Algarve O sector do turismo no Algarve Destino turístico Algarve Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) - Linhas orientadoras para o Algarve - Principais recursos: (não exaustivo) Praias e falésias Campos

Leia mais

O sector do turismo no Algarve

O sector do turismo no Algarve O sector do turismo no Algarve Destino turístico Algarve Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) - Linhas orientadoras para o Algarve - Principais recursos: (não exaustivo) Praias e falésias Campos

Leia mais

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR:

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: 1ª AVENIDA DINAMIZAÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL DA BAIXA DO PORTO Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: Unidade de Gestão de Área Urbana Setembro 2013 Agradecimentos

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

Estudo Europeu sobre a Satisfação com os serviços de Telecomunicações 2008

Estudo Europeu sobre a Satisfação com os serviços de Telecomunicações 2008 Estudo Europeu sobre a Satisfação com os serviços de Telecomunicações 8 Data: Julho 8 Preparado para: Apritel Equipa Client Service: Paulo Paula / João Marques PORQUÊ A MILLWARD BROWN? CONSISTÊNCIA Rede

Leia mais

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009 INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS Praia, 29 de Abril de 2010 Plano de apresentação Introdução. Nota metodológica. Apresentação dos resultados..satisfação..gastos. TURISTAS, 2009 Objectivos do Inquérito

Leia mais

O Novo Perfil do Turista Português: Perspetivas empíricas. Irina Saur-Amaral irina.amaral@ipam.pt

O Novo Perfil do Turista Português: Perspetivas empíricas. Irina Saur-Amaral irina.amaral@ipam.pt O Novo Perfil do Turista Português: Perspetivas empíricas Irina Saur-Amaral irina.amaral@ipam.pt Desafio lançado ao IPAM Lab: Inovar de forma orientada para o público-alvo mercado interno (alargado) 2011-13:

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA LISBOA. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março

ROTAS AÉREAS PARA LISBOA. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março ROTAS AÉREAS PARA LISBOA Verão 2011 Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo Março Sumário Oportunidades Reino Unido Londres Alemanha Centro-Oeste Espanha Madrid e

Leia mais

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA 4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA A procura turística é tida como uma importante componente do sistema turístico, que pode ser traduzida como o conjunto de bens e serviços

Leia mais

2010 Edelman Trust Barometer Março 2010. Resultados para Portugal

2010 Edelman Trust Barometer Março 2010. Resultados para Portugal 2010 Edelman Trust Barometer Março 2010 Resultados para Portugal Edelmen Trust Barometer em Portugal A Ficha Técnica O Universo Indivíduos com telefone fixo e/ou telemóvel, residentes em Portugal, com

Leia mais

Movimento de Turistas - Ano de 2009. Breve análise

Movimento de Turistas - Ano de 2009. Breve análise Movimento de Turistas - Ano de 2009 Breve análise Base de dados Não nos sendo possível saber a taxa de ocupação das unidades hoteleiras do concelho, foi elaborada esta breve análise, unicamente, com base

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA DADOS DE MERCADO 2010/2011 FRANÇA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 240.491 204.775 204.260 207.295 172.238 179.157 201.202

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas Avaliação da Satisfação dos Turistas Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Avaliação da Satisfação dos Turistas Índice RESUMO EXECUTIVO... 03 1. INTRODUÇÃO... 06 2. METODOLOGIA... 07

Leia mais

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO Setembro de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. PENT (Plano Estratégico Nacional do Turismo) 3. TURISMO NÁUTICO NA EUROPA E NO MUNDO 4. O SECTOR EM PORTUGAL

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

Estudo da demanda turística internacional 2005-2011

Estudo da demanda turística internacional 2005-2011 Departamento de Estudos e Pesquisas Secretária Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Estudo da demanda turística internacional 2005-2011 Brasília, outubro de 2012 Sumário 1 Perfil da demanda

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE

A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE As pessoas passam mais tempo online do que em todos os outros meios juntos 10,7 horas por dia de consumo total de todos os mídia 5,6 dessas horas

Leia mais

Vila Baleira Ilha de Porto Santo

Vila Baleira Ilha de Porto Santo Vila Baleira Ilha de Porto Santo Dia 0 Lisboa Porto Santo (25 12 2009) A viagem a Porto Santo começou a ser preparada com alguma antecedência, de forma a ser adequada a uma família de 4 pessoas. Para isso,

Leia mais

Estudo da demanda turística internacional 2006-2012

Estudo da demanda turística internacional 2006-2012 Departamento de Estudos e Pesquisas Secretária Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Estudo da demanda turística internacional 2006-2012 Brasília, agosto de 2013 Sumário 1 Perfil da demanda

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos

Leia mais

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 O PATRIMÓNIO NATURAL E O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DO ALGARVE Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 1. PENT - estratégia para o desenvolvimento do Turismo em Portugal RCM 53/2007, de 04 de Abril

Leia mais

Portugués PROBA DE CERTIFICACIÓN DE NIVEL INTERMEDIO. Expresión oral ... / 25. Tarefa 1 Interacción / 12,5. Tarefa 2 Monólogo / 12,5 PUNTUACIÓN

Portugués PROBA DE CERTIFICACIÓN DE NIVEL INTERMEDIO. Expresión oral ... / 25. Tarefa 1 Interacción / 12,5. Tarefa 2 Monólogo / 12,5 PUNTUACIÓN Apelidos e nome da persoa candidata:... PROBA DE CERTIFICACIÓN DE NIVEL INTERMEDIO Portugués PUNTUACIÓN Tarefa 1 Interacción / 12,5 Tarefa 2 Monólogo / 12,5... / 25 TAREFA 1 (INTERAÇÃO) - FICHA 1A Tempo

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

POSTO DE TURISMO DA PRAIA DA BARRA

POSTO DE TURISMO DA PRAIA DA BARRA JUNTA DE FREGUESIA DA GAFANHA DA NAZARÉ POSTO DE TURISMO DA PRAIA DA BARRA RELATÓRIO DE BALANÇO DO VERÃO 2011 Gafanha da Nazaré, Novembro de 2011 1. INTRODUÇÃO O Posto da Barra, é uma infra-estrutura situada

Leia mais

Município de Guimarães

Município de Guimarães AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS NA REGIÃO NORTE Município de Guimarães Resultados Globais 2010/2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Co-financiamento Parceria Avaliação do Nível

Leia mais

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP Venda de voos pelas agências portuguesas acaba 2010 a cair, mas ainda fica acima de 2009 A venda de voos regulares pelas agências de viagens IATA portuguesas, um mercado que em 2008 ultrapassou os 900

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente

Leia mais

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO Vila Real, Março de 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 CAPITULO I Distribuição do alojamento no Território Douro Alliance... 5 CAPITULO II Estrutura

Leia mais