LA TECNOLOGIA APLICADA A LA IDENTIFICACION DE PRODUCTOS Y PACIENTES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LA TECNOLOGIA APLICADA A LA IDENTIFICACION DE PRODUCTOS Y PACIENTES"

Transcrição

1 Princípios de Farmacologia Neonatal LA TECNOLOGIA APLICADA A LA IDENTIFICACION DE PRODUCTOS Y PACIENTES Farm. Daniel Panizzi Farm. Suhélen Caon Farmacêutica Shirley Frosi Keller (Brasil) Porto Alegre/RS

2 Hospital Alemão Inaugurado em 02 de outubro de 1927

3 Hospital Moinhos de Vento

4 Histórico 85 anos de existência Hospital Privado Acreditado pela Joint Commission International em 2002, 2005, 2008 e 2011 Próxima Re-certificação JCI em Alguns dos nossos números 2011: média paciente dia/mês procedimentos cirúrgicos partos/ano exames diagnósticos 80,56% de taxa de ocupação 96,24% de índice de satisfação

5 Perfil do Hospital Hospital Geral com 374 leitos 72 Leitos de Tratamento Intensivo adulto, pediátrico e neonatal 12 Salas no centro cirúrgico 4 Salas no centro obstétrico Alta complexidade Tecnologia de ponta colaboradores próprios médicos corpo clínico aberto

6 Missão Cuidar de Vidas. Moinhos de Vento será um hospital integrado por uma equipe que trabalha com entusiasmo, cordialidade e atitude pró-ativa, gerando, com isso, cada vez o melhor cuidado ao paciente e o desejado sucesso da organização.

7 Hospital Excelência MS Re- Acreditação Internacional O caminho construído Adesão PGQP Troféu Bronze Troféu Prata Troféu Prata PAMQ Acreditação Internacional Re- Acreditação Internacional Troféu Ouro Re- Acreditação Internacional

8 História da Farmácia no HMV A evolução histórica da Farmácia Hospitalar no HMV está diretamente relacionada a busca permanente pela qualidade assistencial desta instituição, não sendo possível dissociá-la.

9 História da Farmácia no HMV Botica HMV - década de 40

10 História da Farmácia no HMV Farmácia 2000 a 2010

11 História da Farmácia no HMV Farmácia 2011

12 Estrutura do Serviço de Farmácia Profissionais Farmacêuticos Auxiliares de Farmácia Contínuos Programa PCD Estagiários de Farmácia Total Assistência Farmacêutica: 24h desde 2009 Gestão Compartilhada: + 16 Auxiliares de Farmácia

13 Histórico de mais de uma década 2001 Preparativos para a Certificação da Acreditação Internacional - JCI 2002 Primeira Certificação pela JCI: 5 Farmacêuticos; Mudanças de impacto: Monitorização de Interações Medicamentosas, Validação dos Serviços de Terceiros, Validação de medicamentos de uso próprio; 2005 Segunda Certificação pela JCI: 7 Farmacêuticos; Mudanças de impacto: Identificação e controle de uso do Cloreto de Potássio injetável, Monitorização de RAM, Orientações de Alta, Educação de Pacientes e Familiares, Controle de Amostras Grátis.

14 Histórico de mais de uma década 2008 Terceira Certificação pela JCI: Farmacêuticos: 10 em 2008, 13 em 2009, 18 em 2010; Mudanças de impacto: Capítulo Exclusivo Ger. e Uso de Medicamentos, fortalecimento da Farmácia Clínica validação das prescrições antes da dispensação, avaliação da pertinência, indicação clínica do tratamento, monitorização de medicamentos de alta vigilância, orientação de uso de medicamentos para a alta hospitalar, Assistência Farmacêutica nos estoques satélites, rastreabilidade 100% dos medicamentos.

15 Histórico de mais de uma década ª Certificação pela JCI 21Farmacêuticos; Mudanças de impacto: ampliação do nº de medicamentos de alta vigilância na Instituição, Reconciliação Medicamentosa e Reforço das 6 metas internacionais de segurança (capitulo exclusivo).

16 Histórico de mais de uma década Farmacêuticos; Mudanças de impacto: ampliação do nº de dispensários eletrônicos Pyxis nas unidades assistenciais aquisição de mais 7 equipamentos; Contratação de um farmacêutico exclusivo para a CAPM (Central de Automação do Processo Medicação); Consolidação do Piloto de Checagem na Beira do Leito através do uso de palm s em Unidade de Internação aberta de neurologia.

17 Projetos Implantados 2010: Implantação Dose Unitária de Líquidos Orais

18 Projetos Implantados 2010: Ampliação 3 vagas Farmacêuticos Clínicos de Jul a Out/10; Validação 100% das prescrições antes da Dispensação Nov/10.

19 Projetos Implantados 2010: Automação estoque Centro Obstétrico (Pyxis) - Abril/10;

20 Planta Nova Farmácia 2011 reforma duplicação da área

21 Projetos Implantados 2011: Automação de estoque (Pyxis) no UTI Ped Janeiro/11. Automação de estoque (Pyxis) em Unidade de Internação Aberta da Neurologia Janeiro/11. Automação de estoque (Pyxis) em Unidade de Internação Aberta da Maternidade 10º andar - março/11. Automação de estoque (Pyxis) na Emergência Obstétrica março/11. Automação de estoque (Pyxis) na UTI Neo Dezembro/11.

22 Projetos Implantados 2011/2012: Automação estoque da Farmácia Central (Carrossel / Kardex) Fev/11; Implantação do setor da Garantia da Qualidade na Farmácia: aperfeiçoamento da logística do medicamento Set/11; Checagem na beira do leito com Palms 1º plano piloto Nov/10 e 2º plano piloto jun/11; Criação de Farmácias satélites na Maternidade e na Emergência - Jul/11; 2012 Previsão de Automação de estoque em mais 4 Unidades de Internação abertas, Centro de Recuperação paciente internado, Centro de Recuperação Paciente ambulatorial e Centro de Diálise - dez/12

23 O serviço de farmácia Farmácia Central: Colocar foto panoramica da farmácia Dispensação; Dose Unitária; Garantia da Qualidade; Farmácia Clínica; Estoque/Quarentena/Etiquetagem; Gerenciamento de Risco; Assistência Farmacêutica aos estoques satélites.

24 Farmácia Atividades: Assistência farmacêutica nas 24 horas Sistema Individualizado de dispensação de materiais e medicamentos Atendimento das prescrições: * 24h (unidades de internação abertas e fechadas) * Turnos 2h (unidades com Pyxis) 100% de rastreabilidade de medicamentos desde 2007 Média de prescrições atendidas pela farmácia: 1000/dia Devolução: 20% Dispensação diferenciada para medicamentos de alta vigilância

25 Farmácias Satélites Farmácia CTIA; Farmácia Centro Cirúrgico; Farmácia Emergência; Farmácia Maternidade ; Farmácia Oncologia; Farmácia Iguatemi; Farmácia PA Restinga. Estoques automatizados: Centro Obstétrico e Emergência Obstétrica; Maternidade internação; CTI Pediátrica; CTI Neonatal; Unidade de Internação Aberta (Neurologia).

26 Farmácia Satélite da Maternidade

27 Evolução da Informatização do Processo Medicação Dispensação via código de barras Dispensação eletrônica com kit s padrões de medicamentos Prescrição eletrônica (80%) Informatização processo da entrega com coletores de dados - Rastreabilidade 100% medicamentos; - Prescrição eletrônica 100%; - Eliminação processos dispensação por kit s e da entrega com coletores. Sistema MV2000i

28 Evolução da Informatização do Processo Medicação Unitarizadora de comprimidos; - Dispensação por turnos; - Uso de palm s em UI s abertas º Dispensário eletrônico Pyxis MedStation; - Bombas dosadoras para Dose Unitária de líquidos orais. - 5 Pyxis MedStation - 2 armários rotativos Carrosséis; - Unitarizadora de ampolas e comprimidos; - Entrega com palm s on line. - 7 novos Pyxis para UI s abertas e centros de recuperação. - Ampliação produção de injetáveis DOU; - Projeto com correio pneumático.

29 FARMÁCIA CENTRAL

30 Dispensação Automatizada na Farmácia Carrossel Vertical Kardex Sistema integrado à prescrição eletrônica Otimização e organização dopicking Otimização do espaço físico Transição

31 Dispensação Automatizada na Farmácia Implantação: Abril/2011 Dois armários rotativos verticais com a mesma configuração: localização dos itens e estoques máximos e mínimos (espelhos); Adequação importante do processo da farmácia; Atendimento somente da dispensação para pacientes; Necessidade de integrações no sistema MV para atender a tecnologia;

32 Dispensação Automatizada na Farmácia

33 Resultados da Automação - Kardex Comparação entre o tempo médio gasto para a separação da prescrição através do Kardex X Manual: Prescrição: 12 itens em média Kardex: 1 minuto e 28 segundos Manual: 3 minutos e 15 segundos Redução de 55% no tempo gasto para a separação dos itens. Benefícios: Maior segurança na separação dos medicamentos; Maior disponibilidade de tempo para a realização de outras atividades: controle de estoque, etiquetagem, reposição Pyxis; Menor sobrecarga do Auxiliar de Farmácia devido a redução de deslocamentos; Otimização do espaço físico.

34 Unitarização Automatizada Auto Print II Unitarização de comprimidos e cápsulas fora do blister; Redução do prazo de validade de acordo com RDC 67. Sharp SX Unitarização de ampolas e de comprimidos e cápsulas com blister.

35 Indicador Etiquetagem Automatizada

36 ESTOQUES AUTOMATIZADOS

37 Sistema Pyxis MedStation SMART Remote Manager Identificação por impressão digital Gavetas PBDS Coluna auxiliar Leitor de código de barras

38 Integração com o Sistema de Gestão da Instituição

39 Planejamento para Integração 1º PYXIS Necessidade de desenvolvimento de interfaces dispensadores x Sistema MV2000i. Maio/2009 Chegada do dispensário: Nov/09; Integração MV x Grifols: PPO início dez/09; Montagem e Configurações: 14 a 18/12/09; Endereçamento : 21 a 24/12/09 Testes de integração: janeiro a março de 2010; Go Live para implantação: 16/04/2010

40 Processos tratados para Integração Admissão e Alta de Pacientes Prescrição Dispensação de Mat/Med Devolução de Mat/Med Processos que não estão integrados com MV: Abastecimento e Reposição de Estoque Cadastro de produtos Inventário Balanço do estoque

41 Fluxo de Pacientes

42 Fluxo de Prescrições Registro de erro: Todas as transações são monitoradas através do Business Inteligence (BI)

43 Pyxis MedStation Centro Obstétrico Implantação: Abril de 2010

44 Pyxis MedStation Unidade de Internação de Neurologia, CTI Pediátrica e CTI Neonatal Implantação: Janeiro a Novembro de 2011

45 Resultados da Automação - Pyxis Redução dos custos com consumo de materiais e medicamentos: 12% nos procedimentos obstétricos. 9% nos procedimentos da unidade de internação. Redução de 60% das devoluções nas áreas com estoque automatizado. Pay Back estimado do investimento: 1 a 2 anos, dependente dos custos com consumo de mat/med s de cada estoque. Em um ano de implantação da automação de estoques tivemos uma variação de erros de integração dos sistemas de 1,6% a 8% de erros.

46 Resultados Acuracidade Pyxis C

47 Assistência ao Paciente: Vantagens Maior disponibilidade da enfermagem para o cuidado do paciente; Melhor produtividade da equipe assistencial - otimização do tempo; Redução da disponibilidade de medicamentos não utilizados na unidade de internação; Garantir a rastreabilidade dos medicamentos estocados no dispensário; Disponibilizar os medicamentos Se Necessário, psicotrópicos e alta vigilância de forma segura e controlada, evitando idas da enfermagem à farmácia; Melhor conservação dos produtos.

48 A EVOLUÇÃO DOS PROCESSOS DE FARMÁCIA Etiquetagem Manual Individualização Automatizada Dispensários Eletrônicos Dispensação Coletiva

49 A EVOLUÇÃO DOS PROCESSOS DE FARMÁCIA Utilização de Palm s Estoques Rotativos Picking Manual

50 Projeto checagem a beira do Leito

51 CHECAGEM À BEIRA DO LEITO

52 Checagem à Beira do Leito (BCMA) Criação de uma nova cultura focada na segurança do paciente; Redução de 54% nos erros de administração de medicamentos; Permite que a enfermagem rapidamente identifique as 6 certezas; Em 2008, de acordo com ASHP, somente 25% dos hospitais utilizavambcma; ISMP: Nove elementos relacionados ao sucesso da implementação da BCMA: - Treinamentos e competência da equipe; - Etiquetagem e identificação dos medicamentos/ materiais.

53 Checagem à Beira do Leito Projeto Piloto em UI com Pyxis; Profissional realiza prescrição via Sistema MV; Técnico de enfermagem realiza o aprazamento; Farmacêutico Clínico valida a prescrição; Medicamentos e materiais são retirados do dispensário para o horário de administração; Utilização do Palm para checagem: - Leitura do identificador do profissional; - Leitura da pulseira do paciente; - Leitura do código de barras do medicamento/material.

54 Projeto Checagem a Beira do Leito Objetivo Principal: Ampliar o processo de segurança do paciente na administração da medicação prescrita. Objetivo Secundário: Conta hospitalar atualizada on-line.

55 Fechar aplicação (logoff do sistemas) Selecionar Item De checagem Voltar para identificação Do paciente Confirmar checagem.. Selecionar turno

56 Processo SEM Checagem a Beira do Leito Prescrição médica no sistema MV

57 Aprazamento pelo técnico de enfermagem

58 Validação da prescrição pela Farmácia Clínica na farmácia central

59 Dispensação pela Farmácia para 24hs

60 Preparo e administração da medicação na beira do leito

61 Checagem nas duas vias impressas e no sistema MV no posto assistencial

62 Devolução dos itens suspensos para farmácia

63 PROCESSO MEDICAÇÃO IDEAL Piloto

64 MACROFLUXO DO PROCESSO MEDICAÇÃO IDEAL

65 Necessidade de ajustes: Necessidades de correções no sistema do PALM: criação de código exclusivo para leitura da pulseira do paciente; forma de aparecer o SN (Se Necessário) na tela possibilitando a geração da solicitação automática na farmácia/pyxis; liga/desliga da gasoterapia; alerta para itens urgentes; auditoria de checagem.

66 Necessidades de mudanças no processo da farmácia e nutricão: implementação da leitura dos medicamentos da dose unitária por códigos de barras; implementação da leitura das dietas enterais produzidas no CPAE (Central de Preparo de Alimentos Enterais) por códigos de barras;

67 PROCESSO MEDICAÇÃO IDEAL Prescrição médica no sistema MV

68 Aprazamento pelo técnico de enfermagem

69 Validação da prescrição pelo Farmacêutico Clínico na Unidade Assistencial

70 Dispensação via dispensário eletrônico

71 Dispensação Dose Unitária 100% injetáveis com código de barras/ Datamatrix

72 Administração e checagem via Palm na beira do leito e checagem em uma via impressa da prescrição Selecionar Item de checagem Fechar aplicação (log off do sistemas) Voltar para identificação do paciente Confirmar checagem. Selecionar turno

73 Dificuldades Resistência de alguns colaboradores, frente a novas tecnologias; Instabilidade da rede Wi-fi do hospital; Falta da disponibilidade de Dose Unitária de 100% dos injetáveis.

74 Fatores Críticos de Sucesso

75 Automatização do Processo Medicação Comprometimento e ação direta das lideranças Comprometimento da equipe assistencial Integração entre as áreas: Assistêncial, Farmácia, Almoxarifado, Compras e Informática Sensibilização prévia com equipes assistenciais antes da implantação; Treinamento e certificação de todos usuários; Presença de facilitadores desde a etapa de treinamentos Alinhamento com todas as partes interessadas comunicação prévia sobre alterações de processo.

76 Seja uma referência em qualidade. Algumas pessoas não estão habituadas a um ambiente onde a excelência é o esperado. Steve Jobs Obrigada!!!

UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS: Atendimento das Prescrições por Lote e com Uso de Palmtop

UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS: Atendimento das Prescrições por Lote e com Uso de Palmtop UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS: Atendimento das Prescrições por Lote e com Uso de Palmtop Hospital Nossa Senhora da Conceição SERVIÇO DE FARMÁCIA STELLA GOULART LAMEIRA Farmacêutica-Bioquímica Especialista

Leia mais

Processos de Auditorias Internas para a Garantia da Qualidade e Segurança

Processos de Auditorias Internas para a Garantia da Qualidade e Segurança Processos de Auditorias Internas para a Garantia da Qualidade e Segurança Gestão Operacional Sistemas de Garantia da Qualidade Gestão da Estratégia Planejamento Estratégico Projetos Estratégicos Desdobramento

Leia mais

Sistema de Registro Eletrônico de Saúde : a Experiência do Hospital Moinhos de Vento. Hospital Moinhos de Vento

Sistema de Registro Eletrônico de Saúde : a Experiência do Hospital Moinhos de Vento. Hospital Moinhos de Vento Sistema de Registro Eletrônico de Saúde : a Experiência do Hospital Moinhos de Vento Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra Coordenadora da Comissão de Prontuários Hospital Moinhos de Vento Porto Alegre RS Setembro

Leia mais

Sistema Informatizado com Foco na Segurança do Paciente. Simone Mahmud

Sistema Informatizado com Foco na Segurança do Paciente. Simone Mahmud Sistema Informatizado com Foco na Segurança do Paciente Simone Mahmud 28 a 56% dos Eventos Adversos são preveníveis Erros devido a prescrição ilegível Interações negligenciadas, erro de dose Intervenções

Leia mais

Objetivo Principal. Objetivos Secundários

Objetivo Principal. Objetivos Secundários Objetivo Principal O Personal Med Hospitalar foi resultado de um longo esforço de O&M em hospitais de vários portes e regiões do Brasil. O sistema foi concebido a partir do detalhamento de 176 processos

Leia mais

O PEP como Instrumento de Otimização Clinica Marcos Sobral

O PEP como Instrumento de Otimização Clinica Marcos Sobral O PEP como Instrumento de Otimização Clinica Marcos Sobral São Paulo, 19 de setembro de 2005 Agenda Introdução Desafios MVPEP Formas de acessos Funcionalidades Formulários eletrônicos Índices clínicos

Leia mais

HEALTHCARE SOLUTIONS GESTÃO INTEGRADA DE MEDICAMENTOS PARA HOSPITAIS INOVADORES

HEALTHCARE SOLUTIONS GESTÃO INTEGRADA DE MEDICAMENTOS PARA HOSPITAIS INOVADORES HEALTHCARE SOLUTIONS GESTÃO INTEGRADA DE MEDICAMENTOS PARA HOSPITAIS INOVADORES UMA LONGA HISTÓRIA DE INOVAÇÃO EM SISTEMAS AUTOMATIZADOS SEGUROS E EFICIÊNTES PARA GESTÃO DE MEDICAMENTOS SOB MEDIDA «SWISSLOG,

Leia mais

08/11/2012. Comissão de Farmácia Hospitalar 2012

08/11/2012. Comissão de Farmácia Hospitalar 2012 Curso de Atualização em Boas Práticas de Farmácia Hospitalar Comissão de Farmácia Hospitalar 2012 Módulo 3 Sistemas de Distribuição Comissão de Farmácia Hospitalar 2012 1 Erros de medicação ERRAR É HUMANO!!

Leia mais

Programa de Estágios Curriculares na Farmácia do Hospital Moinhos de Vento

Programa de Estágios Curriculares na Farmácia do Hospital Moinhos de Vento Programa de Estágios Curriculares na Farmácia do Hospital Moinhos de Vento 1 GARANTIA DA QUALIDADE Número de estagiários por semestre: 2 (1) e Tarde (1) Conhecimento do processo da Garantia da Qualidade

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

Nutrição e dietética:

Nutrição e dietética: O sistema permite o cadastro de vários almoxarifados, e controla os estoques separadamente de cada um, bem como o cadastro de grupos de estocagem, visando o agrupamento dos insumos estocáveis, classificados

Leia mais

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU AMBULATÓRIO Cadastro de paciente ( caso o paciente já tenha consultado no hospital

Leia mais

OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS

OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS PROCESSOS OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS PROCESSOS CONSULTORIA EM GESTÃO E CONTROLES PROJETOS PARA USO DE TECNOLOGIAS CONTROLE DE ENXOVAIS NAS ROUPARIAS E LAVANDERIAS MACRO FLUXO PROCESSO Fixação TAG ARMÁRIO

Leia mais

6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da. Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares

6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da. Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares 6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da Informação em Saúde Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares Pauta Apresentação da Associação Projeto de Automação na Farmácia

Leia mais

12-Nov-12. Comissão de Farmácia Hospitalar 2012. Curitiba, 13 de novembro 2012 Kelly Cristiane Gusso Braga Comissão de Farmácia Hospitalar CRF PR

12-Nov-12. Comissão de Farmácia Hospitalar 2012. Curitiba, 13 de novembro 2012 Kelly Cristiane Gusso Braga Comissão de Farmácia Hospitalar CRF PR Comissão de Farmácia Hospitalar 2012 Curitiba, 13 de novembro 2012 Kelly Cristiane Gusso Braga Comissão de Farmácia Hospitalar CRF PR 1 Garantir a guarda e o controle de medicamentos pertencentes às listas

Leia mais

www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Conheça o software de gestão ideal para a sua instituição

www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Conheça o software de gestão ideal para a sua instituição www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Conheça o software de gestão ideal para a sua instituição Transforme sua instituição em uma empresa altamente eficaz. Só mesmo quem administra uma instituição sabe como

Leia mais

"Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade?" Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES

Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade? Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES "Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade?" Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES AGENDA Programação do Evento - Histórico do Centro Integrado de Atenção a

Leia mais

Ferramentas de Gestão para uma prática segura e sustentável

Ferramentas de Gestão para uma prática segura e sustentável Ferramentas de Gestão para uma prática segura e sustentável Fluxo de pacientes: melhoria de processos Coordenadora de Enfermagem Hospital Israelita Albert Einstein Unidade Morumbi Durante nossa vida...

Leia mais

Rastreabilidade de medicamentos - dentro e fora do hospital - Nilson Gonçalves Malta

Rastreabilidade de medicamentos - dentro e fora do hospital - Nilson Gonçalves Malta Rastreabilidade de medicamentos - dentro e fora do hospital - Nilson Gonçalves Malta Hospital Israelita Albert Einstein Abril 2015 Requisitos para rastreabilidade Códigos de barras em todos os produtos

Leia mais

Prevenção do Erro e o Medicamento

Prevenção do Erro e o Medicamento Prevenção do Erro e o Medicamento Daniela Garcia 26 de março de 2015 Diretora dos Serviços Farmacêuticos Erro de medicação Qualquer evento evitável que pode causar dano ao doente ou dar lugar à utilização

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS

RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS Não reproduza sem os devidos créditos! PLÁGIO É CRIME! RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS Farmacêutica Daiane Lima de Oliveira Serviço de Farmácia SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS DOSE UNITÁRIA Cinco

Leia mais

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Belo Horizonte Pop. estimada: 2.375.151 hab. (estimativas IBGE 2010) Informatização da Rede

Leia mais

Gerenciamento de Riscos a Saúde

Gerenciamento de Riscos a Saúde Gerenciamento de Riscos a Saúde O papel da Prescrição Eletrônica e Rastreabilidade na administração segura de medicamentos Serviço de Informática /CAISM Profa Dra Roseli Calil Hospital da Mulher Prof.

Leia mais

Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP

Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP Diretora da Divisão de Farmácia ICHC Agenda Perfil Farmácia

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE

INFORMATIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE INFORMATIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE Autor(a): Maria de Lourdes Baêta Zille Gontijo Co-autores(as): Maria Lúcia Silva Faleiro, Margarita

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato ÍNDICE Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato Apresentação do produto O Mobilize é uma solução mobile modular para

Leia mais

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Prescrição Médica. 12.1.x. julho de 2015. Versão: 4.0

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Prescrição Médica. 12.1.x. julho de 2015. Versão: 4.0 TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Prescrição Médica 12.1.x julho de 2015 Versão: 4.0 1 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Prontuário Eletrônico do Paciente... 3 3 Prescrição Médica... 4 3.1 Nova Prescrição

Leia mais

Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0

Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0 Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0 Índice Título do documento 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Movimentações de Estoque... 3 4. Parâmetros...

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

Instituto Sócrates Guanaes

Instituto Sócrates Guanaes Instituto Sócrates Guanaes Instituição de direito privado sem fins lucrativos; Fundado em 13 de julho de 2000; Qualificado como Organização Social; Reconhecido como instituição de utilidade pública municipal

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU Pré- requisitos: - Perfil de acesso do funcionário - Cadastro do funcionário na farmácia que poderá ocorrer a dispensação. - Cadastro das unidades de internação.

Leia mais

SETORES DA FARMÁCIA HOSPITALAR EUGENIE DESIRÈE RABELO NÉRI FARMACÊUTICA HOSPITALAR

SETORES DA FARMÁCIA HOSPITALAR EUGENIE DESIRÈE RABELO NÉRI FARMACÊUTICA HOSPITALAR SETORES DA FARMÁCIA HOSPITALAR EUGENIE DESIRÈE RABELO NÉRI FARMACÊUTICA HOSPITALAR CENTRAL DE ABASTECIMENTO FARMACÊUTICO Unidade que tem por finalidade manter e abastecer de modo dinâmico os estoques de

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Padrão Nível 1 Uso seguro e racional de medicamentos Dimensões da qualidade Aceitabilidade, adequação e integralidade Assistência Farmacêutica

Leia mais

Implementação das metas internacionais de segurança do paciente da Joint Commission

Implementação das metas internacionais de segurança do paciente da Joint Commission Mesa redonda: O Papel do enfermeiro na segurança do paciente e nos resultados do atendimento Implementação das metas internacionais de segurança do paciente da Joint Commission Cristiana Martins Prandini

Leia mais

MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS

MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS Bem-vindo(a) ao primeiro módulo do curso! A partir de agora você conhecerá as principais características do sistema HÓRUS. Para iniciar, você saberia dizer por que este sistema

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Peculiaridades da Logística. Em Saúde. Paulo Gadas JUNHO-14 1

Peculiaridades da Logística. Em Saúde. Paulo Gadas JUNHO-14 1 Peculiaridades da Logística Em Saúde Paulo Gadas JUNHO-14 1 Farmácias Satélites Vantagens e Desvantagens Paulo Gadas JUNHO-14 2 Paulo Gadas JUNHO-14 3 SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO UNITÁRIO MEDICAMENTOS SÃO

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

14º Fórum de Gestão de Pessoas-ABRH Liderança: diferencial para gerar resultados. Como preparar líderes para superar adversidades

14º Fórum de Gestão de Pessoas-ABRH Liderança: diferencial para gerar resultados. Como preparar líderes para superar adversidades 14º Fórum de Gestão de Pessoas-ABRH Liderança: diferencial para gerar resultados Como preparar líderes para superar adversidades Hospital Geral com 380 leitos (308 Leitos de Internação e 72 Leitos em CTIs)

Leia mais

Enquadramento. Eficiência Logística, chave para a Rentabilidade CISS 2015, São Paulo, 21-Maio-2015. Movimentações no setor

Enquadramento. Eficiência Logística, chave para a Rentabilidade CISS 2015, São Paulo, 21-Maio-2015. Movimentações no setor Eficiência Logística, chave para a Rentabilidade CISS 2015 São Paulo, 21-Maio Maio-2015 1. Enquadramento Movimentações no setor Setor muito pulverizado Abertura ao capital estrangeiro > novos players >

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Segurança na prescrição de medicamentos.

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Segurança na prescrição de medicamentos. Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Segurança na prescrição de medicamentos. POP nº 05 - NUVISAH/HU Versão: 01 Próxima revisão: 11/12/2015 Elaborado

Leia mais

PHARMACEUTICAL BENEFIT MANAGEMENT PBM

PHARMACEUTICAL BENEFIT MANAGEMENT PBM PHARMACEUTICAL BENEFIT MANAGEMENT PBM CONCEITO, DESCRIÇÃO E ASPECTOS CONTRATUAIS CASTRO PEIXOTO ADVOCACIA PBM - Pharmaceutical Benefit Management Conceito, descrição e aspectos contratuais 1. PBM Conceito

Leia mais

Classificação de risco de pacientes para acompanhamento farmacoterapêutico. Jacqueline Kohut Martinbiancho

Classificação de risco de pacientes para acompanhamento farmacoterapêutico. Jacqueline Kohut Martinbiancho Classificação de risco de pacientes para acompanhamento farmacoterapêutico Jacqueline Kohut Martinbiancho HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE O Hospital de Clínicas de Porto Alegre é uma empresa pública

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

MATERNIDADE UNIMED UNIDADE GRAJAÚ

MATERNIDADE UNIMED UNIDADE GRAJAÚ MATERNIDADE UNIMED UNIDADE GRAJAÚ Larissa Fernanda Silva Borges de Carvalho Enfermeira, Especialista em Gestão de Serviços de Saúde Gerente Assistencial da Maternidade Unimed BH Unidade Grajaú Governança

Leia mais

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X T E C N O L O G I A D A I N F O R M A Ç Ã O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X PROCESSOS E

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Práticas seguras de distribuição de medicamentos.

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Práticas seguras de distribuição de medicamentos. Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Práticas seguras de distribuição de medicamentos. POP nº 06 - NUVISAH/HU Versão: 01 Próxima revisão: 30/07/2016

Leia mais

Impacto Financeiro do Desperdício de Materiais em Hemodinâmica. Cátia Simoni Teixeira Porto Alegre RS

Impacto Financeiro do Desperdício de Materiais em Hemodinâmica. Cátia Simoni Teixeira Porto Alegre RS Impacto Financeiro do Desperdício de Materiais em Hemodinâmica Cátia Simoni Teixeira Porto Alegre RS Serviço de Hemodinâmica Serviço de Hemodinâmica Apresenta alta rotatividade de pacientes Conjuga procedimentos

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

Resolução nº 492 de 26 de novembro de 2008

Resolução nº 492 de 26 de novembro de 2008 Resolução nº 492 de 26 de novembro de 2008 Ementa: Regulamenta o exercício profissional nos serviços de atendimento pré-hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde, de natureza pública

Leia mais

HCAA-ONTEM HCAA - HOJE HCAA-AMANHÃ

HCAA-ONTEM HCAA - HOJE HCAA-AMANHÃ HOSPITAL HOSPITAL DE DE CARIDADE CARIDADE DR DR ASTROGILDO ASTROGILDO DE DE AZEVEDO AZEVEDO HCAA-ONTEM HCAA - HOJE HCAA-AMANHÃ MISSÃO Promover a saúde com excelência e eficácia cia organizacional através

Leia mais

Metas Internacionais de Segurança do paciente

Metas Internacionais de Segurança do paciente Metas Internacionais de Segurança do paciente 2011 Missão Defender a saúde da comunidade e contribuir para o aprimoramento do Sistema Único de Saúde Visão Ser reconhecido nacionalmente pela excelência

Leia mais

FARMACÊUTICA. Sammara Tavares Nunes Coord. Central de Abastecimento Farmacêutico CAF/HUWC

FARMACÊUTICA. Sammara Tavares Nunes Coord. Central de Abastecimento Farmacêutico CAF/HUWC LOGÍSTICA FARMACÊUTICA Sammara Tavares Nunes Coord. Central de Abastecimento Farmacêutico CAF/HUWC Central de Abastecimento Farmacêutico Unidade que tem por finalidade manter e abastecer de modo dinâmico

Leia mais

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA DAL BEN: SUA PARCEIRA EM CUIDADOS ASSISTENCIAIS A saúde no Brasil continua em constante transformação. As altas taxas de ocupação dos hospitais brasileiros demandam dos profissionais

Leia mais

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS O sistema GSUS é uma aplicação WEB para gestão operacional da assistência de saúde executada a nível hospitalar ou ambulatorial, tendo como foco

Leia mais

ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS

ANEXO II AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS EQUIPE DE DESINSTITCUIONALIZAÇÃO - MODALIDADE: VALOR DO PROJETO: 1. DADOS

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS RESULTADOS 2009. Brasília, 30 de março de 2010

SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS RESULTADOS 2009. Brasília, 30 de março de 2010 SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados RESULTADOS 2009 Brasília, 30 de março de 2010 SNGPC Ferramenta informatizada para captura

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

Tecnologia e-sus Sistema de Gestão e-sus Hospitalar

Tecnologia e-sus Sistema de Gestão e-sus Hospitalar e-sus Hospitalar Tecnologia e-sus Sistema de Gestão e-sus Hospitalar Tecnologia web desenvolvido em linguagem.net Banco de dados Oracle / SQL Server Workflow designer Gerador de relatórios Reporting Services

Leia mais

QualiHosp Curso Pré-Congresso

QualiHosp Curso Pré-Congresso QualiHosp Curso Pré-Congresso Desempenho Organizacional Foco: Gestão do Desempenho da Gestão de Pessoas Reflexões teóricas e o nosso caminho no HSL... Questão-chave: Como avaliar o desempenho da gestão

Leia mais

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico Fundação São Francisco Xavier Instituída em 1969 pela Usiminas Fundação de Direito Privado, sem fins lucrativos

Leia mais

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES. Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES. Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC DEFINIÇÕES GERENCIAR Ato ou efeito de manter a integridade física e funcional para algo proposta

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NORMA Nº 648

PLANO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NORMA Nº 648 Página: 1/4 1- OBJETIVO Definir estratégias para garantir a segurança do paciente, visando minimizar os riscos durante os processos associados aos cuidados de saúde através da implementação de boas práticas

Leia mais

MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO GUT ERRO DE MEDICAÇÃO. Rosangela Jeronimo

MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO GUT ERRO DE MEDICAÇÃO. Rosangela Jeronimo MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO GUT ERRO DE MEDICAÇÃO Rosangela Jeronimo 2011 HOSPITAL SANTA CRUZ Filantrópico Foco na comunidade japonesa Localizado no bairro da Vila Mariana São Paulo 166 leitos destinados a internação

Leia mais

A Experiência do HESAP na Implementação do Protocolo TEV: Desafios e Estratégias

A Experiência do HESAP na Implementação do Protocolo TEV: Desafios e Estratégias CULTURA A Experiência do HESAP na Implementação do Protocolo TEV: Desafios e Estratégias 01/10/2014 Drª Monica Pinheiro Enfª Karina Tomassini HOSPITAL ESTADUAL DE SAPOPEMBA Liderança Superintendente Maria

Leia mais

Antonio Luiz Pinho Ribeiro

Antonio Luiz Pinho Ribeiro Antonio Luiz Pinho Ribeiro Março de 2013 586.528 km² (> Espanha) 19.597.330 habitantes 853 cidades 93% cidades < 50 mil hab, Minas Gerais PNUD, 2004 IDH em Minas Gerais Doenças cardiovasculares: principal

Leia mais

Gestão da Qualidade. Gestão da. Qualidade

Gestão da Qualidade. Gestão da. Qualidade Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade 1621131 - Produzido em Abril/2011 Gestão da Qualidade A Gestão da Qualidade é um modelo de mudança cultural e comportamental, através de uma liderança persistente

Leia mais

O desafio é A Segurança do Paciente

O desafio é A Segurança do Paciente O desafio é A Segurança do Paciente CAISM - Fevereiro de 2011: Implantação do Segundo Desafio Global Cirurgias Seguras Salvam Vidas Profª Drª Roseli Calil Enfº Adilton Dorival Leite Conhecendo um pouco

Leia mais

O Papel dos Protocolos Clínicos e das Recomendações Terapêuticas na Gestão Hospitalar

O Papel dos Protocolos Clínicos e das Recomendações Terapêuticas na Gestão Hospitalar O Papel dos Protocolos Clínicos e das Recomendações Terapêuticas na Gestão Hospitalar Piedade Ferreira/Rute Reis Infarmed 26 Outubro 2006 Objectivos 2006 Controlo do consumo de medicamentos Milhares Euros

Leia mais

HEALTHCARE SOLUTIONS. BoxPicker

HEALTHCARE SOLUTIONS. BoxPicker HEALTHCARE SOLUTIONS BoxPicker Automated Sistema de Gestão Pharmacy de Estoque Storage System de Farmácia Automatizado BoxPicker Sistema de Gestão de Estoque de Farmácia Automatizado O BoxPicker é parte

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

Proposição de Indicadores do QUALISS Monitoramento e a Classificação dos Indicadores em Domínios Especificados

Proposição de Indicadores do QUALISS Monitoramento e a Classificação dos Indicadores em Domínios Especificados Proposição de Indicadores do QUALISS Monitoramento e a Classificação dos Indicadores em Domínios Especificados Coordenação: Aluísio Gomes da Silva Júnior, MD. PhD Professor do ISC-UFF Produto 2 BR/CNT/1500509.002

Leia mais

SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Da Prescrição à Administração do Medicamento Sofia Valongo Serviços Farmacêuticos 26-09-2015 OBJETIVO 2 Descrever o papel do Farmacêutico na implementação

Leia mais

Pompeia Santana Ipiranga

Pompeia Santana Ipiranga Pompeia Santana Ipiranga Apresentação dos Resultados Gerenciamento de Leitos Gerenciamento de leitos Significa buscar a utilização dos leitos disponíveis em sua capacidade máxima dentro dos critérios

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº- 125 GESTÃO PELA QUALIDADE - I Código Descrição SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVOS: Implantar um novo modelo de gestão pela qualidade que dinamiza a capacidade de gestão, agilize

Leia mais

Experiências dos Hospitais da Rede Sentinela: Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

Experiências dos Hospitais da Rede Sentinela: Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein 1 Experiências dos Hospitais da Rede Sentinela: Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein Fernanda P. Fernandes dos Anjos Consultora de Gerenciamento e Vigilância do Risco Diretoria de

Leia mais

Tenha total controle da sua instituição com o Software de Gestão do SisHOSP. www.sishosp.com.br (19) 3241.3535

Tenha total controle da sua instituição com o Software de Gestão do SisHOSP. www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Tenha total controle da sua instituição com o Software de Gestão do SisHOSP www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Fazer a Gestão de sua Casa de Repouso ficou ainda mais fácil com o SisHOSP Saber gerir uma

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Ementa: Regulamenta o registro, a guarda e o manuseio de informações resultantes da prática da assistência farmacêutica nos serviços de saúde. O Conselho Federal

Leia mais

Dr. Cid Buarque de Gusmão Diretor Presidente Centro de Combate ao Câncer

Dr. Cid Buarque de Gusmão Diretor Presidente Centro de Combate ao Câncer Dr. Cid Buarque de Gusmão Diretor Presidente Centro de Combate ao Câncer 31 de Agosto de 2010 Centro de Combate ao Câncer QUEM SOMOS Centro de Combate ao Câncer NOSSAS DIRETRIZES Nossa Visão - O que buscamos

Leia mais

Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS

Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS São Paulo - 18 de junho de 2013 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Cenário Atual da Qualidade no Setor. Programas de Qualificação dos Prestadores de

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas.

A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas. A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas. BENATO, L. Informática dos Municípios Associados (IMA) Resumo Campinas-SP conta com mais de 1 milhão de usuários do SUS, incluindo os munícipes de Campinas

Leia mais

SERVIÇO FARMACÊUTICO EM UMA UNIDADE DE EMERGÊNCIA

SERVIÇO FARMACÊUTICO EM UMA UNIDADE DE EMERGÊNCIA SERVIÇO FARMACÊUTICO UMA UNIDADE DE ERGÊNCIA Junior André da Rosa Blumenau, 23 de maio de 2014 DECLARAÇÃO DE CONFLITO DE INTERESSES Declaro não haver nenhum conflito de interesse nesta apresentação. Parte

Leia mais

UNIDADE DE EMERGÊNCIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIDADE DE EMERGÊNCIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO UNIDADE DE EMERGÊNCIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO OTIMIZAÇÃO DA PRESCRIÇÃO ELETRÔNICA, BASEADA NO ESTUDO AVALIATIVO, DESENVOLVIDO PELA

Leia mais

CLOUD HEALTHCARE Vida Única. Como a Tecnologia da Informação vai revolucionar o cuidado com o PACIENTE

CLOUD HEALTHCARE Vida Única. Como a Tecnologia da Informação vai revolucionar o cuidado com o PACIENTE Vida Única Como a Tecnologia da Informação vai revolucionar o cuidado com o PACIENTE SOMOS... 2 Problemas com a Gestão da Saúde no Brasil Atualmente são 2 médicos por cada mil brasileiros. 55% estão vinculados

Leia mais

A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO

A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO Projeto Hospital UNIMED - RIO Construído em uma área de 30 mil m² o Hospital UNIMED RIO foi inaugurado em Dez / 2012 O Hospital tem como seus principais

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar

Agência Nacional de Saúde Suplementar Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora de planos de saúde do Brasil Audiência Pública, 10 de abril de 2013 1 Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora do Governo

Leia mais

Juliana S. Amaral Rocha Enfermeira de Práticas Assistenciais Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Junho/ 2015

Juliana S. Amaral Rocha Enfermeira de Práticas Assistenciais Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Junho/ 2015 Juliana S. Amaral Rocha Enfermeira de Práticas Assistenciais Hospital Alemão Oswaldo Cruz Junho/ 2015 MODELO ASSISTENCIAL - DEFINIÇÃO Forma como atribuições de tarefas, responsabilidade e autoridade são

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

O Prontuário rio Eletrônico do Paciente no Cunha 7 anos de sucesso

O Prontuário rio Eletrônico do Paciente no Cunha 7 anos de sucesso O Prontuário rio Eletrônico do Paciente no Hospital Márcio M Cunha 7 anos de sucesso INFORMAÇÕES GERAIS Hospital Geral com 480 leitos 02 unidades de internação 38 especialidades médicas 70% do atendimento

Leia mais

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP Complexo Hospitalar - Hospital Filantrópico - Área 69.000 m² - 10 prédios - 1.143 leitos - 101 leitos de UTI NHE (VEH / GRSH / CCIH) COMISSÕES

Leia mais

Modelo de Gestão Metas Internacionais: Times Internacionais Setoriais CAROCCINI TP, RIBEIRO JC

Modelo de Gestão Metas Internacionais: Times Internacionais Setoriais CAROCCINI TP, RIBEIRO JC Modelo de Gestão Metas Internacionais: Times Internacionais Setoriais CAROCCINI TP, RIBEIRO JC 1- Introdução O propósito das Metas Internacionais de Segurança do Paciente é promover melhorias específicas

Leia mais

Aplicação da Metodologia BPM Case SOCOR Jacqueline Furtado Portella

Aplicação da Metodologia BPM Case SOCOR Jacqueline Furtado Portella Aplicação da Metodologia BPM Case SOCOR Jacqueline Furtado Portella Gestora Hospitalar Especialista em Gestão em Saúde Gestora de Processos de Negócio Junho/2013 Agenda I) O contexto do Hospital Socor

Leia mais

11 Sep 12. Comissão de Farmácia Hospitalar 2012

11 Sep 12. Comissão de Farmácia Hospitalar 2012 Curso de Atualização em Boas Práticas de Farmácia Hospitalar Heloisa Barreto Comissão de Farmácia Hospitalar 2012 Gestão da Farmácia Hospitalar Heloisa Arruda Gomm Barreto Comissão de Farmácia Hospitalar

Leia mais

Prescrição Médica Versão de Sistema: 11.8.0.0. Novembro 2014 Versão do documento: 3.0

Prescrição Médica Versão de Sistema: 11.8.0.0. Novembro 2014 Versão do documento: 3.0 Prescrição Médica Versão de Sistema: 11.8.0.0 Novembro 2014 Versão do documento: 3.0 Índice Título do documento 1. Objetivo... 3 2. Prontuário Eletrônico do Paciente... 3 3. Prescrição Médica... 4 3.1.

Leia mais

Comunicação Eficaz na Assistência ao Paciente. A experiência do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. 16 de dezembro 2014

Comunicação Eficaz na Assistência ao Paciente. A experiência do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. 16 de dezembro 2014 Comunicação Eficaz na Assistência ao Paciente A experiência do Hospital Alemão Oswaldo Cruz 16 de dezembro 2014 MISSÃO Instituição comprometida com as necessidades de saúde da população, voltada para um

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais