Lidando com a adversidade Empresas se adaptam para sobreviver e vencer

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lidando com a adversidade Empresas se adaptam para sobreviver e vencer"

Transcrição

1 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros A década da turbulência p5 / O que mais preocupa os CEOs? p7 / Três abordagens para tempos incertos p12 / Uma questão de confiança p24 Lidando com a adversidade Empresas se adaptam para sobreviver e vencer Relatório final Março 2013

2

3 Sumário Apresentação 2 A década da turbulência 5 O que mais preocupa os CEOs? 7 Três abordagens para tempos incertos 12 Uma questão de confiança 24 Entrevista: José Galló, presidente das Lojas Renner 30 Metodologia 36 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 1

4 Apresentação Após uma década marcada por fortes perturbações econômicas e catástrofes naturais, as corporações de todo o mundo estão cada vez mais atentas à necessidade de saber lidar com a adversidade. Num mundo globalizado, em que países e economias estão interligados, a necessidade de antecipação e cautela passam a ser cada vez mais relevantes. Neste cenário, o Brasil ocupa um lugar promissor, de acordo com a 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros, que integra a 16ª Pesquisa de Líderes Empresariais Globais (16ª Pesquisa Anual Global com CEOs). Como na edição anterior, o nosso país é considerado um dos três mercados mais importantes para as perspectivas de crescimento das empresas, somente atrás de China e Estados Unidos. O estudo também coloca o país entre aqueles cujo crescimento deve se acelerar, e faz uma projeção de expansão média do PIB de 4% ao ano entre 2013 e Piti Reali As expectativas em relação ao Brasil são otimistas, mas não se pode deixar de observar que outras economias começam a ter um papel relevante no cenário mundial, como a Indonésia, que desponta como o mercado que vem crescendo mais rapidamente. 2 Principais conclusões no Brasil - PwC

5 Internamente, apesar de o percentual de entrevistados que se mostram muito confiantes no aumento das receitas de suas empresas ser superior ao de 2012, problemas recorrentes são apontados como ainda carecendo de solução. Também como em edições anteriores, a infraestrutura aparece como motivo de preocupação, e as empresas estão céticas quanto à atuação do governo nessa área. A alta e complexa carga tributária, outro problema antigo, a falta de qualificações-chave, a corrupção, também ocupam lugar de destaque na lista de ameaças às perspectivas de expansão. Para crescerem e se tornarem mais fortes, as empresas brasileiras estão se voltando para seu próprio país. A curto prazo, apostam no mercado interno como a principal oportunidade para incrementar seus negócios e ampliar o foco no cliente. Para realizar seus projetos, planejam investir na capacidade de produção. A longo prazo, qualificar a força de trabalho se torna crucial. As empresas brasileiras sabem disso e cobram a parceria do governo. Mas não basta ser eficiente e contar com as condições estruturais adequadas. É preciso demonstrar comprometimento social e transparência nas ações. Não por acaso, a preocupação em promover uma cultura ética dentro das organizações é apontada como prioridade. O estudo revela ainda que os líderes empresariais no Brasil estão mais atentos aos usuários de mídias sociais do que seus colegas em todo o mundo, o que não é de se admirar quando se sabe que os brasileiros estão entre aqueles que mais acessam essas plataformas. A 16ª Pesquisa Anual Global com CEOs da PwC ouviu líderes empresariais em 68 países, incluindo o Brasil. A 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros (que integra a pesquisa global) traz informações específicas sobre o Brasil comparativamente a informações globais equivalentes. Esperamos que as informações levantadas e as análises expostas nas páginas a seguir possam auxiliar as empresas brasileiras a cumprir seus planos estratégicos, superar seus desafios empresariais e, sobretudo, lidar, de forma cada vez mais madura, com eventos inesperados que irrompem em momentos de turbulência. Fernando Alves Sócio-presidente PwC Brasil 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 3

6 Os problemas fundamentais do Brasil começam a aparecer: uma carga tributária, desproporcional aos benefícios recebidos tanto é que toda essa arrecadação de impostos vai para despesas, para o custeio e não para infraestrutura, não vai para o necessário. (...) Com isso, chegamos à hora da verdade. Temos que parar de achar desculpas e enfrentar a realidade. Já começamos a ver movimentos, como o governo reconhecendo que tem uma máquina emperrada e chamando a iniciativa privada para atuar, principalmente na infraestrutura. Só que a forma como isso foi feito gerou dúvidas. José Galló, presidente das Lojas Renner, Brasil 4 Principais conclusões no Brasil - PwC

7 A década da turbulência A perspectiva econômica global desafia até mesmo as empresas mais fortes. A zona do euro ainda está em recessão e, nos Estados Unidos, a previsão é de que a economia cresça apenas 2,2% este ano 1. A situação em alguns mercados emergentes também está mais difícil, como demonstra a desaceleração das economias dos BRICs. Mas embora as condições de mercado em vários países ainda sejam muito difíceis, os CEOs de todo o mundo estão mais otimistas do que no ano passado: 52% acham que a economia global vai permanecer estável nos próximos 12 meses no Brasil, esse índice chega a 56%. Em 2012, a perspectiva era mais sombria: 48% estavam convencidos de que a situação da economia mundial se agravaria no Brasil, eram 40%. Entre os entrevistados brasileiros, 44% estão muito confiantes no crescimento das receitas de suas empresas nos próximos 12 meses, 2 pontos percentuais a mais do que na pesquisa anterior. No plano global, porém, a tendência é oposta: a confiança em relação às perspectivas de crescimento da receita segue em queda desde 2011, e só é compartilhada por 36% dos entrevistados (ver Figura 1). Os CEOs na Europa Ocidental estão particularmente apreensivos. Apenas 22% se sentem muito confiantes na capacidade de aumentar suas receitas nos próximos 12 meses. Figura 1: A confiança dos CEOs sofreu grandes oscilações na última década P: Qual é o seu grau de confiança em relação à perspectiva de crescimento das receitas de sua empresa nos próximos 12 meses? 80 75% 70 66% 60 60% 58% % 31% 41% 52% 50% 38% 21% 47% 31% 48% 42% 40% 44% 36 % Base: Todos os respondentes Muito confiantes nas perspectivas de crescimento da receita da empresa nos próximos 12 meses Brasil Global 1 PwC, Global Economy Watch (dezembro/2012) 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 5

8 Já na perspectiva de longo prazo, a percepção dos líderes brasileiros é menos otimista se comparada ao sentimento global. Enquanto no Brasil 40% dos CEOs estão muito confiantes em que suas empresas irão se expandir ao longo dos próximos três anos, no mundo esse percentual é de 46% 1 ponto percentual mais baixo que o registrado no ano passado. Essa diferença entre as expectativas dos executivos brasileiros e dos líderes mundiais se deve também ao fato de que o Brasil não sofreu impactos significativos da crise econômica de O que se nota é uma certa cautela nos processos decisórios. E isso deve-se ao fato de que eventos inesperados e de graves consequências vêm ocorrendo com mais frequência. Entre 1970 e 2011, o número de desastres provocados pelo homem quase triplicou, enquanto o número de catástrofes naturais aumentou sete vezes 2. A última década foi marcada por uma série de fortes turbulências (ver Figura 2). Em resumo, os riscos improváveis já não são tão improváveis assim, eles estão se tornando a norma num mundo cada vez mais cheio de incertezas. E os CEOs estão sentindo essa pressão. Quando as pessoas me perguntam O que acontecerá nos próximos cinco anos?, eu lanço minhas mãos para o alto e digo: Eu não tenho ideia, nem você. Como lidar com esse grau de incerteza? Bem, acho que, antes de mais nada, tendo a atitude certa em relação ao processo de mudança e reinvenção. Peter Tortorici, CEO da GroupM Entertainment Global, Estados Unidos Figura 2: Principais turbulências na última década Terremoto na Indonésia Lançamento do iphone Crise financeira global Quebra do banco Northern Rock (Reino Unido) Invasão do Iraque pelos Estados Unidos Epidemia de gripe asiática Colapso do Lehman Brothers Socorro aos bancos dos Estados Unidos, do Reino Unido e da União Europeia Terremoto em Wenchuan (China) Tsunâmi no Sudeste Asiático Furacão Katrina (Estados Unidos) Pandemia de gripe suína declarada pela OMS Crise da dívida soberana da zona do euro e primeiro socorro financeiro à Grécia Tsunâmi e terremoto no Japão e na Nova Zelândia Furacão Sandy (Estados Unidos) Fonte: PwC 2 Swiss Re, sigma Nº 2/ Principais conclusões no Brasil - PwC

9 O que mais preocupa os CEOs? Atualmente, uma ampla gama de ameaças às perspectivas de crescimento das empresas, sejam elas ameaças potenciais ou já em curso, vem preocupando e demandando reflexões e ações dos CEOs. Isso inclui eventos catastróficos, questões econômicas, políticas ou comerciais. Grandes turbulências Pedimos aos CEOs que avaliassem a capacidade de suas organizações de lidar com possíveis impactos decorrentes de alguns cenários de turbulência. No Brasil, a maior preocupação é com um ataque cibernético ou um colapso na internet (71%), item que ficou em terceiro lugar na lista global. No nível mundial, o que mais preocupa os CEOs são distúrbios sociais nos países onde estão sediados (ver Figura 3). Figura 3: Ataque cibernético ou falha na internet encabeça a lista de cenários que podem ter o pior impacto nas organizações brasileiras P: Até que ponto a sua organização está bem-preparada para lidar com os seguintes cenários, se eles ocorrerem nos próximos 12 meses? (Entrevistados que responderam Teria impacto negativo.) Ataque cibernético ou outra interrupção importante da internet Recessão dos Estados Unidos Agitação social importante no país em que você está sediado Uma ruptura na zona do euro Tensões militares ou comerciais afetarem o acesso a recusos naturais O crescimento do PIB da China ficar abaixo de 7,5% por ano Um desastre natural desativar um centro comercial/de produção importante Crise de saúde (ex.: pandemia viral, crise de segurança alimentar/hídrica) % Brasil Global Base: Todos os respondentes 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 7

10 Números no vermelho e burocracia Claro que as grandes turbulências não são o único motivo de apreensão. Os CEOs também temem ameaças fiscais e políticas. A incerteza ou volatilidade econômica está no topo da lista de preocupações dos CEOs em todo o mundo pelo terceiro ano consecutivo. Esse aspecto foi apontado por 81% dos líderes globais e também é o maior temor entre líderes dos BRICs (76%). No Brasil, esta foi considerada a segunda maior ameaça (67%), superada pela prática de corrupção e suborno: 69% (ver Figura 4a). No mundo, a forma como os governos endividados vão tentar resolver o déficit crescente ficou em segundo lugar na lista de ameaças econômicas e políticas ao crescimento dos negócios: 71%. No Brasil, esse item ficou em sétimo lugar (40%); nos BRICs, em oitavo (51%). O excesso de regulação aparece em terceiro lugar tanto na pesquisa global como no Brasil e entre os BRICs. Os índices ficaram próximos: 69% no mundo, 62% no Brasil e 63% nos BRICs, onde a inflação e as tendências protecionistas também obtiveram o mesmo resultado. Em nível global, desde 2006 o temor da regulação excessiva não ganhava tanto destaque. Figura 4a: Suborno e corrupção estão no topo das ameaças econômicas e políticas no Brasil, mas no mundo há outras preocupações maiores P: Até que ponto você está preocupado com as seguintes ameaças econômicas e políticas a suas perspectivas de crescimento? (quatro principais ameaças mencionadas pelos CEOs brasileiros) 69% 81% 69% 63% Brasil Global Global BRIC 68% 76% 63% 58% BRIC BRIC BRIC Brasil 41% 67% 62% 51% Global Brasil Brasil Global Suborno e corrupção Incerteza ou volatilidade econômica Regulação excessiva Tendências protecionistas de governos nacionais Base: Todos os respondentes 8 Principais conclusões no Brasil - PwC

11 Excesso de imposto e escassez de talentos No plano comercial, os CEOs estão particularmente apreensivos com o aumento de impostos e a falta de profissionais com qualificações-chave para manter suas operações. São temores recorrentes que, no cenário atual, ficaram ainda mais evidentes. No Brasil, essas mesmas questões são as maiores preocupações entre 11 potenciais ameaças ao crescimento dos negócios: ambas obtiveram 71% das indicações (ver Figura 4b). No mundo, o aumento da carga tributária é a principal ameaça, com 62% de citações, seguido da disponibilidade de profissionais com qualificações-chave (58%). Nos BRICs, os índices foram 70% e 69%, respectivamente. Como no ano passado, a falta de infraestrutura básica aparece em terceiro lugar na pesquisa brasileira, com um índice de 62%. Em seguida, empatados na quarta posição, aparecem o custo de energia e matérias-primas e os novos concorrentes no mercado, ambos com 38%. Figura 4b: O aumento da carga tributária é a principal ameaça comercial no Brasil e no mundo P: Até que ponto você está preocupado com as seguintes ameaças comerciais a suas perspectivas de crescimento? (quatro principais ameaças mencionadas pelos CEOs brasileiros) 71% 71% 62% 55% Brasil Brasil Brasil BRIC 70% 69% 54% 52% BRIC BRIC BRIC Global 62% 58% 35% 38% Global Global Global Brasil Aumento da carga tributária Disponibilidade de profissionais com qualificações-chave Falta de infraestrutura básica Custo de energia e de matérias-primas Base: Todos os respondentes 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 9

12 Uma luz na escuridão Mas nem todas as perspectivas são sombrias. Por exemplo, 47% dos entrevistados brasileiros afirmam que um crescimento abaixo de 7,5% ao ano na China não teria impacto sobre seus negócios ou até poderia proporcionar novas oportunidades. No mundo, o percentual foi de 45%; nos BRICs, 40%. A mesma opinião é compartilhada por 44% dos CEOs brasileiros diante de um cenário de desastres naturais que afetem os principais polos comerciais e industriais. O percentual também é de 44% para uma situação de crise na área da saúde (como pandemias, escassez de água ou de comida). Quando o panorama apresentado foi o de tensões militares ou naturais afetando os recursos naturais ou um colapso na zona do euro, 42% dos entrevistados brasileiros indicaram que essas situações não teriam impacto nos seus negócios ou poderiam proporcionar novas oportunidades. A persistente incerteza na zona do euro, aliás, já vem beneficiando os CEOs chineses. Nossa pesquisa de fusões e aquisições na China mostra que, em 2011, houve 61 transações envolvendo empresas chinesas que adquiriram companhias europeias muito mais que as 11 registradas em E nos três primeiros meses de 2012, o número de empresas chinesas que compraram organizações europeias ultrapassou o de europeias que adquiriram companhias chinesas pela primeira vez na história 3. Da gestão de riscos à resiliência Uma coisa é certa: as ameaças enfrentadas pelos CEOs estão vindo de todas as direções. Elas se apresentam de forma cada vez mais complexa, sutil, variada e rápida. Diante desse cenário, os líderes globais reconhecem que as práticas de gestão de riscos tradicionais não são suficientes. E eles sabem que, numa economia global estagnada, não se pode contar com uma maré favorável que chegue para socorrê-los. O único caminho é a construção de organizações que podem sobreviver e prosperar em meio à desordem: organizações ágeis e flexíveis, capazes de lidar com turbulências e emergir mais fortes do que antes. Se você não evoluir e mudar, você irá para trás. É física pura, diz Larry Fink, presidente e CEO da empresa global de gestão de ativos BlackRock Inc. Assim, nossa adaptação foi muito grande. Este ano, mudamos inteiramente a arquitetura de nossa empresa para nos adaptar melhor às demandas dos nossos clientes, ao atual contexto e, sobretudo, concluir a transição de uma empresa calcada na cultura de seus fundadores para uma cultura global, uma empresa empreendedora. E isso foi uma grande evolução. Alguns países europeus têm um nível elevado de produtividade, enquanto outros apresentam um nível mais baixo, mas todos estão submetidos a um espartilho monetário, sujeitos a diversas regulações fiscais. Se a zona do euro falhar, várias oportunidades podem surgir, porque a atual rigidez desaparecerá. Julio Patricio Supervielle, CEO do Grupo Supervielle e presidente do Banco Supervielle, Argentina 3 PwC, China deals: A fresh perspective (outubro/2012) 10 Principais conclusões no Brasil - PwC

13 Para ser honesto, nós não ousaríamos prever o futuro. O fato é que o mundo está mudando muito mais rápido nos últimos anos. E, olhando para trás, vemos que muitas previsões sobre a economia global acabaram se revelando incorretas. Na nossa empresa, apenas tentamos fazer bem o que precisamos fazer hoje. Há tantos aspectos fora do nosso controle, que parece ser desnecessário e pouco prático fazer previsões demais sobre a economia. Em vez disso, vamos nos concentrar na construção de sistemas avançados que possam operar sob diversas condições. Alex C. Lo, presidente da Uni-President Enterprises Corporation, Taiwan 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 11

14 Três abordagens para tempos incertos Uma análise de empresas que resistiram a três crises mostra que a melhor performance não foi das que tomaram as atitudes mais óbvias. Não foi das que fizeram cortes radicais e imediatos ou se lançaram em ambiciosos programas de reestruturação, aquisições e afins. Na verdade, as primeiras viram a satisfação de seus clientes cair à medida que a qualidade de seus produtos se deteriorava, enquanto as últimas foram além de suas capacidades 4. Crescimento não é necessariamente aumento da receita. Neste ambiente de incerteza, há uma ênfase crescente na ampliação dos lucros. Peter Terium, CEO, RWE AG, Alemanha O que os CEOs estão fazendo para tornar suas organizações mais resistentes nesta época de instabilidade estável? Nosso estudo mostra que eles estão optando por três tipos de abordagem: Mirar oportunidades inexploradas Os CEOs estão se concentrando em poucas iniciativas selecionadas com muito cuidado, principalmente nos mercados em que já atuam, buscando o crescimento orgânico. Eles estão mais cautelosos quanto à possibilidade de entrar em novos mercados, fazer fusões e aquisições e pulverizar demais os seus recursos. Ampliar o foco no cliente Os CEOs estão buscando novas maneiras de estimular a demanda e fidelizar clientes, como usar plataformas de marketing digital e incentivar a participação dos consumidores no desenvolvimento de produtos/serviço. Mas também visam tornar o processo de inovação mais eficiente sem aumentar os investimentos em P&D. Melhorar a eficiência operacional Os CEOs estão buscando o equilíbrio entre eficiência e agilidade. Para isso, empenham-se em cortar custos sem perder valor ou deixar a empresa vulnerável a crises externas. Eles estão mais dispostos a delegar mais poder e a estabelecer parcerias com outras organizações para compartilhar recursos e desenvolver novas ofertas. Mirar oportunidades inexploradas Dois terços de todos os CEOs estão se concentrando em poucas iniciativas selecionadas a dedo em vez de investir em várias ideias para depois descartar as mais fracas. Mas é mais fácil falar do que fazer, porque cada unidade de negócio naturalmente acredita que seu projeto deve ter prioridade. Há significativas evidências, porém, de que concentrar o poder de fogo num alvo determinado funciona muito melhor do que sair atirando para todos os lados. As empresas que se saíram melhor e emergiram mais fortes do que nunca tanto em crescimento de vendas como de lucros, foram aquelas que souberam encontrar o delicado equilíbrio entre cortar custos para sobreviver no curto prazo e investir para se expandir no longo prazo. Elas aproveitaram os preços baixos para comprar propriedades, fábricas e equipamentos que iriam ajudá-las a competir de forma mais eficaz no futuro. E investiram criteriosamente em P&D e marketing para impulsionar as vendas e os lucros quando a demanda voltou a aumentar 5. Os CEOs entrevistados estão agindo da mesma forma. Eles estão avaliando todas as opções, fazendo poucos e criteriosos investimentos e consolidando seus recursos para maximizar as chances de sucesso. Fazem isso não porque acham que é a melhor maneira de sobreviver a uma crise, mas porque acreditam que esse movimento tornará suas organizações mais robustas. Steve Holliday, CEO da distribuidora internacional de energia National Grid Group, resume a estratégia: É muito fácil simplesmente sair pelo mundo achando que você pode fazer aquilo que faz bem em muitos países, que, sem dúvida, precisam de algumas de suas competências, alerta. Mas se uma empresa não tiver a clara noção de onde ela pode gerar valor e não tiver disciplina para manter o seu foco, ela correrá o risco de ir longe demais. Nós estamos muito, muito conscientes de que não podemos ultrapassar nossos limites, conclui Holliday. 4 Ranjay Gulati, Nitin Nohria e Franz Wohlgezogen, Roaring Out of Recession, Harvard Business Review nº 88, nº 3 (March 2010): Ranjay Gulati, Nitin Nohria e Franz Wohlgezogen, Roaring Out of Recession, Harvard Business Review nº 88, nº 3 (March 2010): Principais conclusões no Brasil - PwC

15 Lucrando com o crescimento orgânico Quais são exatamente as oportunidades inexploradas que os CEOs querem aproveitar? Quase metade deles está depositando esperanças no crescimento orgânico nos mercados em que atua. No Brasil, 44% dos CEOs apostam no mercado interno como a principal oportunidade para incrementar seus negócios nos próximos 12 meses na pesquisa global, foram 32%; nos BRICs, 37%. A segunda opção apontada pelos CEOs é desenvolver novos produtos ou serviços: 29%, no Brasil; 25%, no mundo; 30%, nos BRICs (ver Figura 5). À primeira vista, então, pode parecer que os líderes estão se entrincheirando à espera de tempos melhores. Mas eles sabem que, para expandir seus negócios, precisam ir aonde o crescimento está. Segundo essa perspectiva, podemos dizer que quatro grupos distintos estão se formando (ver Figura 6). Figura 5: No Brasil, CEOs estão buscando oportunidades de crescimento orgânico no mercado interno P: Entre as seguintes possíveis oportunidades para expansão dos negócios, qual delas você considera a principal para expansão de sua empresa nos próximos 12 meses? 44% Crescimento orgânico no mercado interno em que atua Base: Todos os respondentes 4% Crescimento orgânico no mercado externo em que atua 29% Desenvolvimento de novos produtos ou serviços 9% Nova(s) operação(ões) em mercados externos 13% Fusões e aquisições/ joint-ventures/ alianças estratégicas Figura 6: Estão surgindo dois grupos de crescimento rápido e de crescimento lento O ranking de crescimento global está mudando Crescendo mas suscetível a turbulências Polônia Austrália Canadá Estados Unidos Alemanha 3,4% 3,1% 2,3% 2,4% 1,3% França Japão Reino Unido Países Baixos Irlanda 1,2% 0,9% 2,1% 1,1% 2,2% Crescendo e acelerando Indonésia 6,2% Brasil 4,0% África do Sul 3,6% Lutando para crescer Itália 0,003% Espanha 0,009% Portugal 0,005% Grécia 0,006% Crescendo mas desacelerando China Índia Arábia Saudita 7,3% 6,6% 4,2% Coreia do Sul México Rússia Turquia 5,1% 3,6% 3,7% 3,8% Percentuais agregados Zona do euro 1,0% Global (taxas de mercado) 3,0% Todas as porcentagens são taxas de crescimento médio projetadas para Fonte e metodologia: Análise da PwC, institutos de estatísticas nacionais, Thomson Datastream e FMI. A tabela acima mostra nossa principal projeção de cenário e, portanto, está sujeita a significativas variações 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 13

16 Os países do Sul da Europa que vêm enfrentando problemas financeiros apresentam um quadro de contração. Já Austrália, Japão, Estados Unidos e membros economicamente mais fortes da União Europeia mostram sinais de recuperação, ainda que bastante instáveis. Os países em crescimento se dividem em dois grupos: China e Índia ainda estão se expandindo rapidamente, mas em ritmo menor. Por outro lado, algumas economias do Sudeste da Ásia e da América Latina vêm ganhando velocidade, ainda que o Brasil, incluído neste último grupo, tenha obtido um fraco desempenho em De maneira geral, esse padrão deve continuar pelo resto da década. Com taxas de crescimento divergentes tanto nas economias maduras como naquelas em crescimento e com oportunidades e ameaças próprias de cada mercado, os CEOs estão à procura de oportunidades específicas em todos os grupos. Não é surpreendente que cinco dos dez principais mercados para expansão das empresas apontados pelos CEOs sejam países em crescimento, nem que quatro deles façam parte dos BRICs (ver Figura 7). Os dez eleitos, pela ordem, são: China, Estados Unidos, Brasil, Alemanha, Índia, Rússia, Indonésia Reino Unido, Canadá e Japão. O fato de a Indonésia estar entre os top ten pela primeira vez mostra que os CEOs foram rápidos em detectar mudanças sutis na distribuição do poder econômico. A Indonésia é o mercado que vem se expandindo mais rapidamente, com previsão anual de crescimento real do PIB de 6,2% nos próximos três anos 6. Em 2050, a economia da Indonésia em termos de paridade do poder de compra (PPC) pode ser maior do que a da Alemanha, da França ou do Reino Unido 7. Seu mercado de ações aumentou 12,6% nos últimos 12 meses 8, e o governo lançou um importante programa para melhorar a sobrecarregada infraestrutura do país 9. Figura 7: Metade dos dez principais mercados para expansão estão em crescimento P: Quais são os três países, excluindo aquele em que você está sediado, mais importantes para a sua perspectiva de crescimento geral nos próximos 12 meses? 5% Canadá 23% Estados Unidos 15% Brasil Reino Unido 6% 12% Alemanha 8% 10% Rússia 31% China Índia 7% 5% Japão Indonésia Base: Todos os respondentes (1.330) 6 Projeções da PwC 7 PwC, World in 2050 (janeiro/2013) 8 Daniel Inman, Southeast Asia s Growing Appeal, The Wall Street Journal (3 de dezembro de 2012), 9 Eric Bellman, Indonesia Boosts Infrastructure Investment, The Wall Street Journal (7 de dezembro de 2012), 14 Principais conclusões no Brasil - PwC

17 Outros mercados emergentes também estão sendo priorizados, como México e Tailândia, que seguem as pegadas dos mercados top ten. Particularmente notável é o desempenho do México, que pode se tornar a sétima maior economia do mundo em 2050 em termos de PPC 10. E um número crescente de CEOs está olhando para a África. A Nestlé, por exemplo, vê aquele continente como uma das maiores oportunidades para a indústria de alimentos nos próximos 10 a 20 anos 11. Os Estados Unidos permanecem no segundo lugar da lista global. Todas as cinco economias maduras mencionadas entre as dez primeiras estão crescendo, embora sujeitas a abalos. Esses mercados, que compreendem cinco dos países do G7, são simplesmente grandes demais para serem ignorados: Estados Unidos, Japão e Alemanha deverão manter-se entre as dez maiores economias do mundo, em PPC, pelo menos até 2050, enquanto o Canadá e o Reino Unido devem ficar entre as 20 maiores 12. Além disso, embora os países do E7 (China, Índia, Brasil, México, Rússia, Indonésia e Turquia) devam ultrapassar os países do G7 em tamanho e crescimento do PIB em 2050, a expectativa é de que eles ainda fiquem muito atrás em termos de PIB per capita 13. Os mercados maduros permanecerão atraentes para produtos e serviços de maior valor, dada a riqueza de seus consumidores. Na Europa, a opinião dos CEOs está dividida. As pessoas lá (na Europa Ocidental) decidiram que devem trabalhar menos e se aposentar mais cedo. E isso não é razoável. Para mim, a Europa Ocidental tem um problema estrutural grave, diz Seymour Tari, CEO da Turkven, fundo de private equity turco. Yves Serra, presidente e CEO da Georg Fischer Ltd., fabricante suíça de componentes industriais, é mais otimista: Concentramos nossos esforços onde vislumbramos crescimento. Isso inclui a Ásia e a América, pelo menos para os nossos produtos, e também alguns setores na Europa. Com certeza também há oportunidades de crescimento na Europa. O movimento, entretanto, não está ocorrendo em uma única direção. CEOs nos mercados maduros podem estar olhando para vários países em crescimento, mas os líderes em mercados em crescimento estão igualmente preparados para ganhar o mundo: 33% dos CEOs na região Ásia-Pacífico e 19% no Oriente Médio, por exemplo, direcionam suas atenções para os Estados Unidos, enquanto 27% dos CEOs da América Latina e 18% dos que estão na África miram a China. Entre os CEOs brasileiros, a ordem dos mercados considerados mais importantes para suas perspectivas de crescimento nos próximos 12 meses, excluindo seu próprio país, é um pouco diferente do resultado global: China (31%), Alemanha e Reino Unido (9%, cada um), Rússia (7%), Índia e Canadá (4%), Estados Unidos (4%) e Japão (2%). A Indonésia não aparece na lista....acho que o que devemos fazer (...) é olhar para as oportunidades de crescimento com muito cuidado. O caminho mais fácil é dizer: bem é um mercado emergente, então deve ser bom, é um mercado maduro, então deve ser mais difícil, mas (...) é preciso pesquisar a fundo para ver onde o crescimento realmente está (...) e há crescimento em todos os mercados, mas você tem de se preocupar com os detalhes. Alison Cooper, diretora executiva do Imperial Tobacco Group, Reino Unido 10 PwC, World in 2050 (janeiro/2013) 11 Caroline Scott-Thomas, Nestlé Eyes Big Food Industry Opportunities in Africa, Food Navigator (26 de novembro de 2012), 12 PwC, World in 2050 (janeiro/2013) 13 PwC, World in 2050 (janeiro/2013) 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 15

18 Foco no cliente Independentemente dos mercados em que estão, os CEOs têm um objetivo premente: ampliar sua base de clientes. No resultado da pesquisa global, 51% dizem que esta é uma das três principais prioridades de investimento nos próximos 12 meses. As outras duas são: melhorar a eficiência operacional (49%) e aprimorar o atendimento ao cliente (38%). No Brasil, investir na capacidade de produção surge como a maior prioridade (42%), seguida da ampliação da base de clientes e da melhora no atendimento (ambas com 40%). A busca por novos clientes, na verdade, não surpreende. O que mudou é o fato de os CEOs agora tentarem fazê-lo enquanto se concentram em uma gama menor e mais selecionada de estratégias de crescimento tarefa nada fácil no clima econômico atual. A recessão atingiu em cheio empresas e consumidores, especialmente os dos países mais ricos. Entre 2000 e 2011, os gastos dos consumidores nos mercados maduros aumentou apenas 2,1% ao ano. Nos mercados em crescimento, por outro lado, a alta foi de 5,7% 14. Volumes e padrões de consumo muito diferentes em mercados diversos tornam o desafio mais complexo. Embora as economias em crescimento tenham algumas características em comum, elas diferem em aspectos importantes e é provável que as diferenças se intensifiquem com o desenvolvimento desses mercados. Alguns países em crescimento são principalmente produtores em vez de consumidores, por exemplo (ver Figura 8). Figura 8: Nem todos os mercados em crescimento são economias impulsionadas pelo consumo Potencial de produção projetado para o período (de acordo com o crescimento do número de pessoas em idade de trabalhar) Produtores Nigéria Arábia Saudita México Coreia do Sul Malásia Brasil África do Sul Rússia Consumidores e produtores Índia Indonésia Vietnã China Consumidores % Potencial de consumo projetado para o período (de acordo com o crescimento do PIB per capita) Nota: As linhas pontilhadas representam valores médios Fonte: Análise da PwC, dados de população da ONU O poder de compra e as preferências dos consumidores podem variar muito também, tanto dentro dos países como entre eles. Adaptar-se a tão diferentes gostos exige profundo conhecimento do ambiente local. Tudo começa com o consumidor um conhecimento rico e sólido do que eles querem, da direção em que estão indo e, sobretudo, do que querem no futuro, observa Douglas D. Though, presidente e CEO da International Flavors & Fragrances, Inc. Entrevistamos consumidores em todo o mundo para assegurar a montagem de um banco de dados robusto; não tomamos um país como referência para, a partir dele, obter uma visão global. Mas há riscos óbvios para as multinacionais: Elas têm de se adaptar adequadamente às necessidades locais, acrescenta. A concorrência entre rivais locais e regionais também aumenta o tempo todo. Na verdade, quase metade dos CEOs entrevistados vê mudanças em padrões de compra dos consumidores como uma ameaça séria. Para eles, é crucial ser capaz de responder de forma rápida e eficaz a essas mudanças. Dr. Weihua Ma, presidente e CEO da China Merchants Bank Co. Ltd., explica bem essa questão: Nós, bancos comerciais, somos instituições de serviço, por isso as mudanças nas demandas dos clientes são de extrema importância. Assim como um chef em um restaurante perde o emprego se sua comida não deixa os clientes satisfeitos, uma instituição de serviço não existe sem clientes. 14 PwC, Introducing the PwC Global Consumer Index (outubro/2012), gci/s/bc11166a-cd72-4ea7-93fa-c167d10a5cb5 16 Principais conclusões no Brasil - PwC

19 Como manter a fidelidade do consumidor Não é de admirar que novas estratégias para estimular a demanda e fomentar a fidelidade do cliente tenham um papel importante nos planos de CEOs para os próximos 12 meses. Um total de 82% prevê fazer mudanças a esse respeito, sendo que 31% dos líderes em todo o mundo têm grandes transformações em mente (ver Figura 9). Nos BRICs, o percentual dos que planejam fazer mudanças é de 79%, enquanto no Brasil chega a 91%. No topo das preocupações dos líderes executivos brasileiros, no entanto, estão as estratégias para a gestão de talentos, com 93%. Uma medida óbvia para atrair e reter clientes é aproveitar as novas plataformas de marketing que estão surgindo. A maioria das organizações têm tradicionalmente usado a pesquisa de mercado, o benchmarking da concorrência e ferramentas similares. Mas essas fontes de informação só conseguem mostrar como os clientes se comportam em massa. Não é o caso no ambiente digital. Análises em mídias sociais, blogs, comentários de consumidores e em outras fontes de informação ajudam as empresas a descobrir o que os clientes pensam e querem individualmente. Munidas desses conhecimentos, elas podem desenvolver produtos e serviços para segmentos específicos e enviar mensagens de marketing mais personalizadas, além de poderem usar esses canais para promover sua marca. Isso talvez explique por que três quartos dos CEOs dizem que estão aumentando seus investimentos em tecnologia em 12 meses. No Brasil, o percentual é ainda maior: 84% dos CEOs responderam que têm essa intenção (nos BRICs, foram 75%). Mas o envolvimento com os clientes não é apenas uma questão de comunicação. É também trabalhar em conjunto com eles para criar novas ofertas e ajudá-los a usar os produtos e serviços de forma mais efetiva e agradável. A Boeing utiliza a primeira dessas duas abordagens: ela consulta companhias aéreas e passageiros frequentes quando planeja novos projetos 15. O serviço de música digital Spotify adotou a segunda estratégia ao convidar os assinantes a personalizar suas listas de reprodução, o que melhora a oferta do produto para eles e para os outros usuários. Os clientes são, sem dúvida, nossos mais importantes stakeholders. Se não dermos a eles um bom serviço tarifas acessíveis, alta confiabilidade, bom atendimento estaremos em apuros. Andrew Bradler, CEO da CLP Holdings Ltd., Hong Kong, China Figura 9: Gerenciar talentos e atrair clientes é uma prioridade P: Até que ponto você prevê mudanças na estratégia de sua empresa nos próximos 12 meses? Estratégias para a gestão de talentos Estratégias para crescimento/retenção/fidelidade de clientes Aumento de investimentos em tecnologia Aumento em pesquisa e desenvolvimento e na capacidade de inovação Estrutura organizacional Aumento nos investimentos de capital Abordagem de gestão de riscos Investimento na gestão da reputação corporativa Fusões e aquisições, joint-venture, aliança estratégica Planos de desinvestimento % Brasil Global Mudança ou mudança significativa Nenhuma mudança Base: Todos os respondentes 15 Bryan Urbick, Innovation Through Co-creation: Consumers Can Be Creative, Innovation Management (26 de março de 2012), through-co-creation-consumers-can-be-creative/ 9ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros 17

20 Como tirar o máximo proveito da ruptura A inovação, geralmente um dos fatores mais importantes na atração e na retenção de clientes, está em baixa entre os CEOs, para nossa surpresa. No Brasil, na lista de prioridades de investimento nos próximos 12 meses, o item pesquisa e desenvolvimento e inovação obteve apenas 29% das preferências, atrás de investir na capacidade de produção (42%), ampliar a base de clientes (40%), aprimorar o atendimento ao cliente (40%) e melhorar a eficiência operacional (36%). No nível global, o quesito ficou na quinta posição (32%); entre os BRICs, na terceira (39%). E embora 67% dos CEOs em todo o mundo planejem aumentar a capacidade de P&D de suas empresas, apenas 17% pretendem fazer grandes alterações. O foco na eficiência explica por que alguns CEOs estão relutantes em investir mais em P&D, mas um olhar mais atento sobre os dados mostra variações regionais marcantes. Os líderes de África, Ásia-Pacífico e América Latina estão mais propensos a investir nessa área do que os CEOs do resto do mundo possivelmente porque ainda não chegaram ao patamar dos países mais desenvolvidos. No entanto, os CEOs sabem que a inovação não é possível sem investimento. É por isso que um bom número de empresas líderes está adotando uma abordagem mais imaginativa para o processo de inovação em si, seja por meio de alterações incrementais ou de mudanças mais radicais em seus modelos de negócios. O objetivo é conseguir responder de forma mais ágil às ameaças da concorrência e às transformações na demanda dos clientes. A Nokia, empresa baseada na Finlândia, é um exemplo desse movimento:...nosso foco está muito centrado na ruptura criar rupturas em nós mesmos, parar de seguir as tendências que foram estabelecidas na indústria e avançar com novas estratégias, novos produtos e novas formas de gestão da nossa organização, a fim de manter o ritmo e acelerar mais que os outros, diz Stephen A. Elop, presidente e CEO da empresa. Uma das maneiras mais importantes que vemos de lidar com a ruptura é nos concentrarmos em experiências de consumo únicas e diferenciadas. Essa é uma maneira elegante de dizer como podemos ajudá-lo a fazer algo que não podia fazer antes? (...) Quando você olha para os padrões de ruptura, particularmente na área de tecnologia, percebe que a inovação costuma ser relativamente focada e fácil. Ela permite fazer algo que você não conseguia antes ou passar a fazê-lo de forma mais rápida ou eficiente. É esse tipo de inovação que estamos buscando hoje, explica Elop....a gente não quer apenas satisfazer o consumidor; quer encantá-lo, superando as suas expectativas. Somos considerados uma empresa que tem excelência na prestação de serviço no atendimento nas nossas lojas, mas a nossa principal inovação é a construção das nossas coleções e a rapidez com que conseguimos colocá-las no mercado. José Galló, CEO e diretor das Lojas Renner, Brasil 18 Principais conclusões no Brasil - PwC

Os países do BRIC: dando suporte à economia global

Os países do BRIC: dando suporte à economia global Os países do BRIC: dando suporte à economia global International Business Report 212 Este relatório analisa a ascensão das economias do BRIC, a sua importância crescente para a economia global e as tendências

Leia mais

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica 27 de Janeiro, 2010 13ª edição Anual do CEO Survey da PricewaterhouseCoopers em Davos Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica Cerca de 40% dos CEOs prevê aumentar o número de colaboradores

Leia mais

sobre as transações no setor de saúde

sobre as transações no setor de saúde 10 Minutos sobre as transações no setor de saúde Valor global de fusões e aquisições cresce e reverte tendência Destaques O valor total das transações no setor de saúde aumentou 4% em relação à segunda

Leia mais

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Janeiro 2011 Exclusivamente para empresas de médio porte Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Relatório para o Brasil Panorama global: Pesquisa com 2.112 líderes do mercado de

Leia mais

CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em. liderar o setor de big data e da nuvem

CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em. liderar o setor de big data e da nuvem 8 A pesquisa indica ênfase na criação de valor, mais do que na economia de custos; o investimento em big data, na nuvem e na segurança é predominante CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em liderar

Leia mais

Empresa familiar: Um negócio que se adapta ao século 21

Empresa familiar: Um negócio que se adapta ao século 21 10Minutos Private Company Services Pesquisa sobre empresas familiares 2012 Empresa familiar: Um negócio que se adapta ao século 21 Março 2013 Destaques Empresas familiares acreditam ser mais ágeis e fl

Leia mais

Pesquisa Virtualização e Evolução para a Nuvem RESULTADOS BRASIL

Pesquisa Virtualização e Evolução para a Nuvem RESULTADOS BRASIL 2011 Pesquisa Virtualização e Evolução para a Nuvem RESULTADOS BRASIL ÍNDICE Evolução de TI... 4 Metodologia... 6 Foco... 8 Conclusão 1: As diferenças entre expectativas e realidade revelam a evolução

Leia mais

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil EMBARGOED UNTIL TUESDAY JUNE 09, 2015 AT 00.01 EST Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil A expectativa de contratação no Brasil chega a -3% para o próximo

Leia mais

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM?

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM? Entrevista com Klaus Regling, Diretor Executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM) Valor Econômico, 16 de julho de 2013 Valor: Por que buscar investidores no Brasil agora? Klaus Regling: Visitamos

Leia mais

www.pwc.com Os Avanços da Gestão Pública no Brasil Os Desafios para a Gestão de Pessoas Novembro de 2011

www.pwc.com Os Avanços da Gestão Pública no Brasil Os Desafios para a Gestão de Pessoas Novembro de 2011 www.pwc.com Os Avanços da Gestão Pública no Brasil Os Desafios para a Gestão de Pessoas Novembro de 2011 Agenda 1. Demanda por profissionais e a estratégia de gestão de pessoas 2. Gestão de pessoas tendências

Leia mais

Barômetro da Inovação Global da GE

Barômetro da Inovação Global da GE Barômetro da Inovação Global da GE Capítulo Brasil Edição 2014 Inovação está na razão de ser da GE. Para nós, é uma enorme satisfação colocar nossos mais de 300 mil colaboradores ao redor do mundo para

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

Desafios e oportunidades para os serviços financeiros

Desafios e oportunidades para os serviços financeiros Força de trabalho em 2020 Patrocinado e traduzido pela Desafios e oportunidades para os serviços financeiros O setor de serviços financeiros está enfrentando um déficit de capital humano. Em um mercado

Leia mais

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Nota à imprensa ab Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Contatos: Daniel Staib, Zurique Telefone +41 43 285 8136 Thomas Holzheu,

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

da redução dos custos para a criação de valor

da redução dos custos para a criação de valor 8 Pesquisa indica que o big data e a nuvem incentivam a competitividade e os ganhos de produtividade; a segurança é vista como uma questão fundamental CIOs americanos mudam o foco: da redução dos custos

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil Análise Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 30 de outubro de 2003 A Redução do Fluxo de Investimento

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS por David Miller The European Business Review, março/abril 2012 As mudanças estão se tornando mais frequentes, radicais e complexas. Os índices de falha em projetos

Leia mais

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15%

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15% Através da CARTA TRIMESTRAL ATMOS esperamos ter uma comunicação simples e transparente com o objetivo de explicar, ao longo do tempo, como tomamos decisões de investimento. Nesta primeira carta vamos abordar

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

36% INTRODUÇÃO. a maior porcentagem em 7 anos. A 9ª edição da Pesquisa sobre a Escassez de Talentos revelou que, em todo o mundo,

36% INTRODUÇÃO. a maior porcentagem em 7 anos. A 9ª edição da Pesquisa sobre a Escassez de Talentos revelou que, em todo o mundo, A Escassez de Talentos Continua Como o do RH, em Constante EVOLUÇÃO poderá SUPRIR ESTA NECESSIDADE INTRODUÇÃO A 9ª edição da Pesquisa sobre a Escassez de Talentos revelou que, em todo o mundo, 36% dos

Leia mais

* (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em

* (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em * (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em desenvolvimento) A atual crise financeira é constantemente descrita

Leia mais

Kevin Anselmo (Duke) +1-919-660-7722 kevin.anselmo@duke.edu. CFOs: Queda no Otimismo Preocupação com Câmbio e Política Econômica

Kevin Anselmo (Duke) +1-919-660-7722 kevin.anselmo@duke.edu. CFOs: Queda no Otimismo Preocupação com Câmbio e Política Econômica CFO Panorama Global dos Negócios Queda acentuada do otimismo no Brasil, preocupação com câmbio e alta da taxa de juros estão entre os principais resultados da pesquisa. -------------------------------------------

Leia mais

Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007

Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007 Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007 Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Com um processo funcional de planejamento

Leia mais

Tendências de Recrutamento no Brasil. As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual

Tendências de Recrutamento no Brasil. As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual Tendências de Recrutamento no Brasil As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual Introdução Para vencer em 2015, os líderes de negócios e atração de talentos precisam

Leia mais

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? EM ASSOCIAÇÃO COM Empresas com funcionários envolvidos superam

Leia mais

Tabela 1 Evolução da taxa real de crescimento anual do PIB em países selecionados: 1991-2014

Tabela 1 Evolução da taxa real de crescimento anual do PIB em países selecionados: 1991-2014 Ano III /2015 Uma das grandes questões no debate econômico atual está relacionada ao fraco desempenho da economia brasileira desde 2012. De fato, ocorreu uma desaceleração econômica em vários países a

Leia mais

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 1. Considerações Gerais Os Estados Unidos, maior potência mundial e tecnológica, apresenta projeções cada vez mais otimistas. Desde 2008, no estouro da crise

Leia mais

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento Sobeet São Paulo, 26 de junho de 2013 EMBARGO 26 Junho 2013 12:00 horas Horário de Brasília 1 Recuperação

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012 +Gás Brasil A energia que pode revolucionar a economia brasileira São Paulo, 17 de Outubro de 2012 A hora do gás na agenda nacional Mudanças tecnológicas, econômicas e políticas globais e locais impõem

Leia mais

A visão e estratégia certas

A visão e estratégia certas "Não há dúvidas de que nosso setor está se transformando rapidamente e que a Cisco e a rede estão no centro das principais transições de mercado que estão a caminho. Acreditamos que nossa estratégia de

Leia mais

Custos Ocultos Da Nuvem. Resultados Da América Latina

Custos Ocultos Da Nuvem. Resultados Da América Latina Custos Ocultos Da Nuvem Resultados Da América Latina 2013 SUMÁRIO 4 5 6 7 8 9 10 INTRODUÇÃO IMPLEMENTAÇÕES DE NUVENS NÃO AUTORIZADAS BACKUP E RECUPERAÇÃO NA NUVEM ARMAZENAMENTO INEFICIENTE NA NUVEM CONFORMIDADE

Leia mais

O outro lado da dívida

O outro lado da dívida O outro lado da dívida 18 KPMG Business Magazine A crise de endividamento na Europa abalou a economia global como a segunda grande onda de choque após a ruptura da bolha imobiliária nos Estados Unidos,

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho Press release Data Contato EMBARGO 00h01min (horário Brasília) Terça-feira, 7 de outubro de 2014 Márcia Avruch Tel: +55 11 3674 3760 Email: marcia.avruch@br.pwc.com Pages 4 Receita do Network PwC cresce

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

10 Minutos sobre a segurança da informação

10 Minutos sobre a segurança da informação 10Minutos Segurança da Informação 10 Minutos sobre a segurança da informação Dezembro 2012 Ameaças emergentes exigem estratégias sofisticadas e novas competências técnicas Destaques Os orçamentos têm crescido

Leia mais

A gestão de risco, no topo da agenda

A gestão de risco, no topo da agenda A gestão de risco, no topo da agenda 4 KPMG Business Magazine Ambiente de incertezas e estagnação econômica traz novos desafios em GRC O gerenciamento de riscos permanece no topo da agenda corporativa

Leia mais

Menores, mas com potencial de gigantes

Menores, mas com potencial de gigantes Menores, mas com potencial de gigantes 12 KPMG Business Magazine Empresas do mercado empreendedor ganham força com a expansão do consumo nos países emergentes O ano de 2008 foi um marco na história econômica

Leia mais

Inovação revolucionária

Inovação revolucionária 10Minutos Pesquisa Estratégia de crescimento Inovação revolucionária Destaques Quase metade dos entrevistados (43%) vê a inovação como uma necessidade competitiva para a sua organização. Em um horizonte

Leia mais

Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009

Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009 Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009 Observações metodológicas Página 2 Enfoque da pesquisa Mensurar o sentimento e a confiança do consumidor no futuro da economia Padrões

Leia mais

Pesquisa de Q1 2014. Expectativa de Emprego Manpower Brasil

Pesquisa de Q1 2014. Expectativa de Emprego Manpower Brasil Pesquisa de Q1 214 Expectativa de Emprego Manpower Brasil Pesquisa de Expectativa de Emprego Manpower Brasil Sumário Q1/14 Expectativa de Emprego no Brasil 1 Comparativo por Região Comparativo por Setor

Leia mais

O valor da certificação acreditada

O valor da certificação acreditada Certificado uma vez, aceito em toda parte O valor da certificação acreditada Relatório de Pesquisa Publicado em maio de 212 Em 21/11, o IAF realizou uma pesquisa mundial para capturar o feedback de mercado

Leia mais

1 SITUAÇÃO DA ECONOMIA GLOBAL

1 SITUAÇÃO DA ECONOMIA GLOBAL ENTENDENDO A REVISÃO DA NORMA ABNT NBR ISO 9001:2015 Carlos Henrique Pereira 1 Cristian Ericsson Nascimento 2 Yeves Betiol 3 Keli de Araujo Rocha 4 Akira Yoshinaga 5 RESUMO O artigo buscou esclarecer as

Leia mais

Comitê de Investimentos 07/12/2010. Robério Costa Roberta Costa Ana Luiza Furtado

Comitê de Investimentos 07/12/2010. Robério Costa Roberta Costa Ana Luiza Furtado Comitê de Investimentos 07/12/2010 Robério Costa Roberta Costa Ana Luiza Furtado Experiências Internacionais de Quantitative Easing Dados do Estudo: Doubling Your Monetary Base and Surviving: Some International

Leia mais

Expectativas para 2015

Expectativas para 2015 Crise Economia Pessimismo Política Otimismo Segurança Saúde Prosperidade Expectativas para 2015 OBJETIVO Medir a expectativa da população mundial para o ano seguinte, por meio de índices de esperança e

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Institucional Tokio Marine Seguradora Tokio Marine no Mundo Grupo Tokio Marine é o um dos líderes entre os grupos seguradores globais. Fundada em1879 Ativos:US$98bilhões

Leia mais

Economia mundial. Perspectivas e incertezas críticas. Reinaldo Gonçalves

Economia mundial. Perspectivas e incertezas críticas. Reinaldo Gonçalves Economia mundial Perspectivas e incertezas críticas Reinaldo Gonçalves Professor titular UFRJ 19 novembro 2013 Sumário 1. Economia mundial: recuperação 2. Macro-saídas: eficácia 3. Incertezas críticas

Leia mais

"Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade." (Adaptado livremente de A. Einstein)

Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade. (Adaptado livremente de A. Einstein) Fácil assim. 12345 "Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade." (Adaptado livremente de A. Einstein) 12345 Tudo é mais fácil com Lenze. O forte dinamismo dos tempos atuais o coloca em confronto

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor do trabalho: 2.0 Nota: Data: /dezembro/2014 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 8º Trabalho de Recuperação Final de Geografia ORIENTAÇÕES: Leia atentamente

Leia mais

Pesquisa de Q2 2012. Expectativa de Emprego Manpower Brasil

Pesquisa de Q2 2012. Expectativa de Emprego Manpower Brasil Pesquisa de Q2 212 Expectativa de Emprego Manpower Brasil Pesquisa de Expectativa de Emprego Manpower Brasil Sumário Q2/12 Expectativa de Emprego no Brasil 1 Comparativo por Região Comparativo por Setor

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

2013 pesquisa Sobre Escassez de RESULTADOS

2013 pesquisa Sobre Escassez de RESULTADOS 2013 pesquisa Sobre Escassez de TALENTOs RESULTADOS Introdução Para a Pesquisa Anual de Talentos 2013, o ManpowerGroup entrevistou recentemente cerca de 40.000 empregadores em 42 países e territórios.

Leia mais

Sucesso em meio a incertezas

Sucesso em meio a incertezas Sucesso em meio a incertezas Práticas e tendências em redução estratégica de custos na América Latina Pesquisa 06 Sumário executivo Os fatores macroeconômicos têm exercido forte impacto sobre as prioridades

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

EM PAUTA PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL OPORTUNIDADES EM MEIO À CRISE NO BRASIL

EM PAUTA PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL OPORTUNIDADES EM MEIO À CRISE NO BRASIL EM PAUTA PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL OPORTUNIDADES EM MEIO À CRISE NO BRASIL 14 REVISTA RI Abril 2015 É sabido que 2015 vai ser um ano difícil diante de uma economia com perspectiva de recessão. No

Leia mais

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM Perspectivas para o setor de TI BM&F Bovespa 26 de junho de 2013 BRASSCOM Associados BRASSCOM 1 Mercado Mundial de TI Crescimento Mercado TI BRASIL (2012/2011) 10,8% Crescimento Mercado TI Mundo (2012/2011)

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático. ~ Japão, China e ASEAN ~

Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático. ~ Japão, China e ASEAN ~ Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático ~ Japão, China e ASEAN ~ Palavras-chaves Leste Asiático o Centro de Crescimento do Mundo Integraçã ção o Progressiva das

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

A locomotiva de concreto

A locomotiva de concreto A locomotiva de concreto 16 KPMG Business Magazine Construção civil supera período de estagnação, mas ainda há gargalos que podem comprometer o ritmo de investimentos A construção civil no Brasil não para

Leia mais

Pesquisa de Q2 2013. Expectativa de Emprego Manpower Brasil

Pesquisa de Q2 2013. Expectativa de Emprego Manpower Brasil Pesquisa de Q2 213 Expectativa de Emprego Manpower Brasil Pesquisa de Expectativa de Emprego Manpower Brasil Sumário Q2/13 Expectativa de Emprego no Brasil 1 Comparativo por Região Comparativo por Setor

Leia mais

Desafios no. Desenvolvimento da Liderança reinventando o processo de formação

Desafios no. Desenvolvimento da Liderança reinventando o processo de formação Desafios no Desenvolvimento da Liderança reinventando o processo de formação Julho 2015 Apoio: O termo crise de liderança é cada vez mais usado em diversos setores sociais: políticos, executivos e até

Leia mais

Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global

Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global Conclusão é do novo relatório do Earth Security Group, lançado hoje em São Paulo na sede da Cargill São Paulo, 23 de

Leia mais

Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005

Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005 Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005 O que é um produto inovador? Dois caminhos para oferecer melhores medicamentos aos

Leia mais

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Comunicado de Imprensa Abril 2012 Empresa cresce e continua a investir C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Investimentos em atuais e novas lojas Aposta nas lojas on-line Aumento nas vendas de

Leia mais

Cada empresa é uma empresa de informação. Não

Cada empresa é uma empresa de informação. Não Gestão da Informação Corporativa OpenText Desligue o seu celular e o seu computador. Desligue os seus servidores. E agora você consegue fazer negócios? Cada empresa é uma empresa de informação. Não importa

Leia mais

Resultados da Pesquisa global de opinião dos investidores 2012

Resultados da Pesquisa global de opinião dos investidores 2012 Resultados da Pesquisa global de opinião dos investidores 2012 A economia global é complexa e dinâmica, e isso pode gerar otimismo e ansiedade nos investidores. A pesquisa global de opinião dos investidores

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

ED 2059/09. 9 fevereiro 2009 Original: inglês. A crise econômica mundial e o setor cafeeiro

ED 2059/09. 9 fevereiro 2009 Original: inglês. A crise econômica mundial e o setor cafeeiro ED 2059/09 9 fevereiro 2009 Original: inglês P A crise econômica mundial e o setor cafeeiro Com seus cumprimentos, o Diretor-Executivo apresenta uma avaliação preliminar dos efeitos da crise econômica

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

O papel do CFO na estratégia corporativa

O papel do CFO na estratégia corporativa O papel do CFO na estratégia corporativa Paola Sardi Madueño, Diretora de Estratégia da Monitor Deloitte Dezembro 2014 Tendências globais (1/2) Embora com pesos diferentes, existem algumas tendências globais

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Globally Integrated Capabilities

Globally Integrated Capabilities IBM Global Business Services Globally Integrated Capabilities Globally Integrated Capabilities Capabilities without borders Destaques Entre em novos mercados e capture oportunidades onde quer que apareçam

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você.

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. A HR Academy e a NextView realizaram uma pesquisa focada em geração y, com executivos de RH das principais

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013. Por Roberto Vertamatti*

Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013. Por Roberto Vertamatti* Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013 Por Roberto Vertamatti* Brasil recua novamente para a 15ª posição por não melhorar índices de saúde, educação e renda e piorar em relação a pobreza e desigualdade

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

O Líder do. Futuro. Belén Gutierrez Fernanda Imperatrice Junho 2014 Rio de Janeiro

O Líder do. Futuro. Belén Gutierrez Fernanda Imperatrice Junho 2014 Rio de Janeiro O Líder do Futuro Belén Gutierrez Fernanda Imperatrice Junho 2014 Rio de Janeiro Agenda Liderança para o Hay Group Gestão Ambidestra características e práticas usadas pelas empresas no contexto atual (Best

Leia mais

Brasil Reputation Pulse As empresas de melhor reputação no país

Brasil Reputation Pulse As empresas de melhor reputação no país Brasil Reputation Pulse As empresas de melhor reputação no país AGOSTO DE 2014 O ESTUDO Desde 2006, o Reputation Institute pesquisa e publica indicadores de reputação corporativa de centenas de organizações

Leia mais

CFO Panorama Global dos Negócios Cenário Favorável no Brasil em 2013.

CFO Panorama Global dos Negócios Cenário Favorável no Brasil em 2013. CFO Panorama Global dos Negócios Cenário Favorável no Brasil em 2013. ------------------------------------------- DUKE UNIVERSITY NEWS e FGV Notícias Duke University Office of News & Communications http://www.dukenews.duke.edu

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Destaques do Education at a Glance 2014 Diretor de Estatísticas Educacionais Carlos Eduardo Moreno Sampaio

Leia mais