Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Francisco Beltrão Coordenação de Tecnologia de Alimentos PLANO DE ENSINO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Francisco Beltrão Coordenação de Tecnologia de Alimentos PLANO DE ENSINO"

Transcrição

1 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Francisco Beltrão Coordenação de Tecnologia de Alimentos PLANO DE ENSINO CURSO Curso Superior em Tecnologia em Alimentos MATRIZ 01 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução 68/07 COEPP DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO CARGA HORÁRIA (horas) Tecnologia de Carnes de Bovinos e Suínos II BS6A 6 PER Total 80 PRÉ-REQUISITO EQUIVALÊNCIA Não há Não há OBJETIVOS Geral: Proporcionar aos acadêmicos conhecimentos sobre tecnologia de transformação da carne suína e bovina, bem como técnicas de elaboração de produtos. Específicos: Utilizar as técnicas de conservação para alimentos cárneos; Repassar conceitos dos produtos e suas transformações tecnológicas; Reconhecer os métodos e técnicas de processamento da carne; Identificar as etapas e fluxo de processamento dos produtos cárneos; Elaborar produtos a base de carne suína e bovina. EMENTA Ingredientes não cárneos. Industrialização de embutidos crus fermentados, defumados, cozidos e emulsionados. Produtos curados em pedaços. Produtos curados de massa grossa. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ITEM 1 EMENTA Ingredientes não cárneos CONTEÚDO - Produtos cárneos transformados da carne bobina e suína - Classificação e definição de produtos transformados da carne suína e bovina. - Legislação pertinente à industrialização de produtos cárneos e ingredientes - Definição e categorias de ingredientes; - Importância da aplicação, origem e qualidade dos ingredientes; - Aplicação, adequação e função dos ingredientes

2 4 Industrialização de embutidos crus fermentados, defumados, cozidos e emulsionados Produtos curados em pedaços Produtos curados de massa grossa - Padrão de Identidade e qualidade dos produtos - Fatores que influencias as características da matéria-prima e implicações tecnológicas - Requisitos de qualidade para transformação; - Definição de cortes utilizados na transformação. - Importância da qualidade nas diferentes linhas ou classes de produtos - Instalações e dependências para industria carnea - Equipamentos para processamento de carnes - Normas sanitárias e requisitos legais - Tecnologia de fabricação de fermentados, defumados, cozidos e emulsionados - Defeitos em produtos embutidos crus fermentados, defumados, cozidos e emulsionados - Tecnologia de fabricação - presunto e apresuntado - Conservação do produto - Tecnologia de fabricação - presunto e apresuntado - Teoria da conservação pela salga - Defumação uso defumação. - Tecnologia de fabricação de bacon, costela, carne de sol e charque - Tecnologia de fabricação de produtos de massa grossa não fermentado lingüiças - Elaboração /fabricação de lingüiças frescas: toscana e calabresa - Defeitos em produtos frescais embutidos PROFESSOR João Francisco Marchi TURMA 6 AN ANO/SEMESTRE 01/ CARGA HORÁRIA (aulas) AT AP APS AD Total AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas, APS: Atividades Práticas Supervisionadas, AD: Atividades a Distância. DIAS DAS AULAS PRESENCIAIS Dia da semana Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 6 48 PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) 16/5/01 Apresentação plano de ensino Classificação e definição de produtos transformados da carne suína e bovina. /5 Legislação pertinente a industrialização de produtos cárneos. - Normas sanitárias e requisitos legais /5 Instalações e equipamentos para processamento de carnes - Instalações e dependências para indústria cárnea - Equipamentos para processamento de carnes 9/5 - Definição de cortes utilizados na transformação. - Importância da qualidade MP nas diferentes linhas ou classes de produtos; 5 /6 Matéria-prima MP - Fatores que influencias as características da matéria-prima e implicações tecnológicas - Requisitos de qualidade para transformação;

3 PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) 6/6 Ingredientes não cárneos: - Definição e categorias de ingredientes; - Importância da aplicação, origem e qualidade dos ingredientes - Uso de ingredientes e sua tecnologia - Aplicação, adequação e função dos ingredientes 1/6 Aditivos em carnes - Definição e categorias de aditivos - Qualidade e origem dos ingredientes; - Aplicação, adequação e função dos aditivos - Aditivos alternativos 1/6 - Formulação de produtos carneos - composição de formulas e uso de ingredientes 19/6 Avaliação parcial 1 0/6 Industrialização de produtos curados não fermentados 6/6 Industrialização de produtos curados não fermentados - Tecnologia de fabricação de lingüiças 7/6 - Produção de lingüiças - Tipos e classificação de linguiças /7 Elaboração /fabricação de lingüiças frescas: toscana 4/7 - Defeitos em produtos frescais embutidos - Avaliação dos produtos Industrialização de embutidos crus fermentados 10/7 - Tecnologia de fabricação de salame 11/7 - Etapas de fabricação: fermentação e secagem de fermentados - Climatização e maturação do produto 1/7 - Embalagem e rotulagem - Defeitos em produtos fermentados 01/8 Elaboração / fabricação de salame 7/8 Defeitos de produtos fermentados 8/8 Avaliação parcial 14/8 Produtos curados de massa grossa em pedaços. - Tecnologia de fabricação - apresuntado - Tecnologia de fabricação - presunto 1/8 - Elaboração /fabricação de presunto e apresuntado /8 - Analise e identificação de defeitos dos produtos 8/8 Produtos curados cozidos e emulsionados. Defeitos nos produtos e soluções. Teoria da emulsão Tecnologia de fabricação de Salsicha e Mortadela 9/8 Elaboração /fabricação de Salsicha e mortadela. Fatores que afetam a estabilidade de emulsões carneas Tipos de produtos - Conservação do produto 4/9 Semana Academica 5/9 Tecnologia de fabricação de carne de sol e charque Produtos curados salgados e defumados - Teoria da conservação pela salga 11/9 Elaboração /fabricação de bacon, costela e charque - Processo de Defumação 1/9 Elaboração /fabricação de bacon, costela e charque - Processo de Defumação 18/9 Apresentação de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC 19/9 - Defeitos nos produtos e soluções de produtos salgados 5/9 Visita técnica á indústria de transformação de carnes 6/9 Revisão de conteúdo /10 - Avaliação final

4 PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) * APS - Atividade Pratica Supervisionada - redação de trabalho (revisão de literatura) e condução de aula prática referente a elaboração de produtos. 11 aulas 11 PROCEDIMENTOS DE ENSINO AULAS TEÓRICAS Aulas expositivas explorando a discussão e pesquisas de temas relacionados Leitura e discussão de temas AULAS PRÁTICAS Aulas demonstrativas de técnicas e processos com elaboração de produtos cárneos, onde os alunos poderão praticar e desenvolver formulações referente á categorias de produtos abordados. Elaboração de relatórios técnicos sobre o conhecimento adquirido. ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Redação de trabalho (revisão de literatura) e auxílio na condução de aula prática referente a elaboração de produtos. O Trabalho deverá buscar conceitos, legislação, processos inovadores de elaboração do produto. Deverá ser realizado em grupo, por categoria de produto a ser elaborado. O trabalho de revisão deverá ser entregue no inicio de cada aula prática correspondente (carga horária de 11 aulas). ATIVIDADES A DISTÂNCIA PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO O desempenho de cada aluno será medido através da realização das seguintes avaliações: - (três) avaliações escritas (A1, A, A) cada uma com peso,0, totalizando peso 6,0. - Média de 5 (cinco) relatórios de aulas práticas (R1), totalizando peso 1,0; - 1 (um) trabalho de revisão bibliográfica (APS) de assuntos relacionados a fabricação de produtos, em conjunto com a organização de aula pratica com peso,0. Cálculo Média Final = (A1 + A + A) x 6,0 + (R1 x 1,0) + (T1 x,0) O aluno terá possibilidade de recuperar o aproveitamento dos conteúdos avaliados por meio de avaliação de recuperação (Pr). (Regulamento da Organização Didático-Pedagógica dos Cursos de Graduação da UTFPR - Resolução nº. 11/10 - COEPP). Essa avaliação de recuperação terá 0% do peso (,0) e será adicionada à nota de cada avaliação realizada. Será considerado aprovado o aluno que obtiver média final igual ou superior a seis (6,0), e que tenha freqüentado, no mínimo, 75% das atividades da disciplina. Os alunos que faltarem à(s) prova(s) deverão proceder de acordo com a legislação vigente na UTFPR/ Campus Francisco Beltrão. REFERÊNCIAS Referencias Básicas: PRÄNDL, Oskar et al. Tecnología e higiene de la carne. Zaragoza: Acribia, PARDI, Miguel Cione; SANTOS, Iacir Francisco dos; SOUZA, Elmo Rampini de PARDI, Henrique Silva. ência, higiene e tecnologia da carne..ed. rev. e amp. Goiânia: UFG, 007. v.. SHIMOKOMAKI, Massami et al. Atualidades em ciência e tecnologia de carnes. São Paulo, SP: Varela, 006. TERRA, N. N. Apontamentos de Tecnologia de Carnes. São Leopoldo. Unisinos, Referências Complementares: TERRA, Nelcindo Nascimento. Defeitos nos produtos cárneos: origens e soluções. São Paulo: Varela, 004.

5 RAMOS, Eduardo Mendes. Avaliação da qualidade de carnes: fundamentos e metodologias. Viçosa, MG: UFV, 007. BROMBERG, Renata; CIPOLLI, Kátia Maria V. A. B.; MIYAGUSKU, Luciana; CONTRERAS CASTILLO, rmen J. et al. Higiene e sanitização na indústria de carnes e derivados. São Paulo, SP: Varela, 00. SCHIFFNER, Eberhard; OPPEL, Klaus; LÖRTZING, Dietrich. Elaboración casera de carne y embutidos. Zaragoza: Acribia, GOMIDE, Lúcio Alberto de Miranda. *Tecnologia de abate e tipificação de carcaças. Viçosa, MG: UFV, 006. ORIENTAÇÕES GERAIS Francisco Beltrão, 8 de MAIO de 01. Assinatura do Professor Assinatura do Coordenador do Curso

Programa Analítico de Disciplina EAF487 Processamento de Carnes e Derivados II

Programa Analítico de Disciplina EAF487 Processamento de Carnes e Derivados II 0 Programa Analítico de Disciplina EAF87 Processamento de Carnes e Derivados II Campus de Florestal - Campus de Florestal Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº 79/06 aprovada pelo COEPP

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Wats: (53)

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Wats: (53) Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Wats: (53) 999913331 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Luciane Segabinazzi Prof. Paulo Lopes Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos:

Leia mais

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Higiene e Legislação de FASE: 6ª (6HGLA) Alimentos CARGA HORÁRIA 36 h/a TURNO: Vespertino PROFESSOR(A): Marlene Gomes Pereira CRÉDITOS: 02

Leia mais

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Higiene, Legislação e FASE: 7ª (HLSA) Segurança Alimentar CARGA HORÁRIA 60 h/a TURNO: Vespertino PROFESSOR(A): Marlene Gomes Pereira CRÉDITOS:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO CURSO LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MATRIZ 1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº 077/1 COGEP, de

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Gladis Ferreira Corrêa Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos: conceitos fundamentais, definições

Leia mais

Instrução Normativa 08/10 PROGRAD

Instrução Normativa 08/10 PROGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Instrução Normativa 08/10 PROGRAD

Leia mais

Entender os instrumentos e técnicas de inibição e combate à fraude.

Entender os instrumentos e técnicas de inibição e combate à fraude. Curso de Atualização/Treinamento/Aperfeiçoamento PROJETO 01/2016 DEPEC 1. TÍTULO Curso de aperfeiçoamento em inspeção sanitária e industrial em estabelecimentos de produtos de origem animal 2. OBJETIVOS

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Tecnologia de Produtos de Origem Animal Código: VET226 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 8 Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência

Leia mais

Ministério da Educação. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 202

Ministério da Educação. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 202 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 2 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL -Abertura e Aprovação do Projeto do curso:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. Resolução CEPEM 125/05 de 01/12/05

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. Resolução CEPEM 125/05 de 01/12/05 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO CURSO Técnico em Mecanica MATRIZ 20 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução CEPEM 125/05 de 01/12/05 DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelados e licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR. MATRIZ (SA) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelados e licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR. MATRIZ (SA) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelados e licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR. MATRIZ (SA) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 763 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução 037/11-COGEP

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Alimentos FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

curados e introdução à formulações

curados e introdução à formulações TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS 1-Classificação de produtos cárneos curados e introdução à formulações Prof. Dr. Estevãn Martins de Oliveira 1 Classificação de embutidos Crus Frescais

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSOS Bacharelados e Licenciaturas MATRIZ SA (Informação do Sistema Acadêmico) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução

Leia mais

Descrição do produto. Mortadela com toucinho. Mortadela com toucinho. Mortadela com toucinho bl. Mortadela com toucinho fatiada 180g

Descrição do produto. Mortadela com toucinho. Mortadela com toucinho. Mortadela com toucinho bl. Mortadela com toucinho fatiada 180g Mortadelas Condimentos na medida certa e aroma inconfundível acrescentam o que há de melhor à refeição. Descrição do produto Código Mortadela com toucinho 1427 4 pç - 8,4 kg Mortadela com toucinho 4035756

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 763

PLANO DE ENSINO. CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 763 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 76 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução 07/11-COGEP

Leia mais

06/05/2011. Inspeção de Conservas. Conceito CARNE MECANICAMENTE SEPARADA (CMS) Tipos de Conservas CARNE MECANICAMENTE SEPARADA (CMS)

06/05/2011. Inspeção de Conservas. Conceito CARNE MECANICAMENTE SEPARADA (CMS) Tipos de Conservas CARNE MECANICAMENTE SEPARADA (CMS) Conceito Inspeção de Conservas Subprodutos cárneos preparados adicionadas de sais, conservantes, corantes e/ou temperos preparados através de processo de cura e destinados à alimentação humana. 1 2 CARNE

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA

ANEXO III REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA ANEXO III REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA 1. Alcance 1.1. Objetivo: Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá apresentar o produto cárneo denominado

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina TAL440 Processamento de Produtos de Origem Animal

Programa Analítico de Disciplina TAL440 Processamento de Produtos de Origem Animal 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Tecnologia de Alimentos - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 5 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária

Leia mais

Inspeção de Conservas

Inspeção de Conservas Conceito Inspeção de Conservas Subprodutos cárneos preparados adicionadas de sais, conservantes, corantes e/ou temperos preparados através de processo de cura e destinados à alimentação humana. 1 2 CARNE

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Londrina PLANO DE ENSINO DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Londrina PLANO DE ENSINO DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Londrina PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura em Química MATRIZ 1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n. 180/10-COEPP de 09 de dezembro

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS UM INVESTIMENTO DAS COOPERATIVAS

CATÁLOGO DE PRODUTOS UM INVESTIMENTO DAS COOPERATIVAS CATÁLOGO DE PRODUTOS UM INVESTIMENTO DAS COOPERATIVAS CATALOGO ALEGRA FOODS2016 v002.indd 1 19/02/16 10:02 e famíli D a pr A nossa a maior alegria é levar produtos de qualidade a mesa das famílias CATALOGO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS ITAJAÍ PLANO DE ENSINO Unidade Curricular:

Leia mais

TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS Tecnologia de Produção da Linguiça I PROF. DR. ESTEVÃN MARTINS DE OLIVEIRA

TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS Tecnologia de Produção da Linguiça I PROF. DR. ESTEVÃN MARTINS DE OLIVEIRA TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS Tecnologia de Produção da Linguiça I PROF. DR. ESTEVÃN MARTINS DE OLIVEIRA DESCRIÇÃO: REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA Entende-se

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL -- Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

05/11/2014 CONSIDERAÇÕES INICIAIS EMBUTIDOS

05/11/2014 CONSIDERAÇÕES INICIAIS EMBUTIDOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ CONSIDERAÇÕES INICIAIS A produção de defumados surgiu da necessidade de os homens conservarem alimentos por maior tempo. Nas civilizações gregas e romanas, existem diversas

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIA DE CARNES & LEITE CTC/TECNOLAT/ITAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIA DE CARNES & LEITE CTC/TECNOLAT/ITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIA DE CARNES & LEITE CTC/TECNOLAT/ITAL - 2016 APRESENTAÇÃO Durante os últimos 15 anos, o corpo docente do Centro de Tecnologia de Carnes do ITAL Instituto de Tecnologia

Leia mais

CARNES E PRODUTOS CÁRNEOS. Laboratório de Qualidade e Processamento de Carnes

CARNES E PRODUTOS CÁRNEOS. Laboratório de Qualidade e Processamento de Carnes CARNES E PRODUTOS CÁRNEOS Laboratório de Qualidade e Processamento de Carnes MANEJO PRÉ-ABATE DE BOVINOS, SUÍNOS E AVES Bem-estar dos animais desde o jejum Bem-estar alimentar dos até animais a operação

Leia mais

MATRIZ 2012 MATRIZ 2016

MATRIZ 2012 MATRIZ 2016 Quadro 0. Matrizes de equivalência 2012 e 2016 do Curso Superior de Tecnologia em Agroindústria do IF Baiano Campus Guanambi, organizado por semestre, evidenciando a supressão de componente curricular,

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO CURSO LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MATRIZ 1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº 077/1 COGEP, de

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: Bacharelado em Nutrição DEPARTAMENTO: Tecnologia dos Alimentos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINAS

PROGRAMA DE DISCIPLINAS U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA SECRETARIA GERAL DOS CURSOS PROGRAMA DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS CÓDIGO Nut 132 NOME Técnicas Especiais de Conservação dos

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LOMBO

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LOMBO REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LOMBO 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá apresentar o produto cárneo denominado Lombo. 1.2.

Leia mais

Centro de Treinamento de Nova Petrópolis Aprender Fazendo - Compromisso com a Qualificação Profissional da Família Rural.

Centro de Treinamento de Nova Petrópolis Aprender Fazendo - Compromisso com a Qualificação Profissional da Família Rural. Centro de Treinamento de Nova Petrópolis Aprender Fazendo - Compromisso com a Qualificação Profissional da Família Rural. O CETANP Centro de Treinamento de Nova Petrópolis fica localizado na RS 235 no

Leia mais

Disciplina de Inspeção de Carnes e Derivados. Inspeção de produtos industrializados Prof. Dr. Éverton Fagonde da Silva

Disciplina de Inspeção de Carnes e Derivados. Inspeção de produtos industrializados Prof. Dr. Éverton Fagonde da Silva Disciplina de Inspeção de Carnes e Derivados Inspeção de produtos industrializados Prof. Dr. Éverton Fagonde da Silva fagondee@gmail.com 29.11.16 PLANO DE AULA PROFESSOR: Dr. Éverton Fagonde da Silva ASSUNTO:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO PLANO DE ENSINO 2012 CURSO ENGENHARIA DE ALIMENTOS COMPONENTE

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

b) Como o Fiscal agropecuário, ao nível de DIF, faz o diagnóstico macroscópico diferencial entre Adipoxantose e Icterícia?

b) Como o Fiscal agropecuário, ao nível de DIF, faz o diagnóstico macroscópico diferencial entre Adipoxantose e Icterícia? 1 INSPEÇÃO DE CARNES E DERIVADOS 1. a) Na inspeção final de um bovino diagnosticou-se Leucose. Qual ou quais os destinos abaixo relacionados que se apresentam corretos? ( ) Remoção da parte atingida e

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO SALAME TIPO MILANO

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO SALAME TIPO MILANO REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO SALAME TIPO MILANO 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá obedecer o produto cárneo denominado

Leia mais

JULIATTO

JULIATTO JULIATTO Carne suína selecionada pra você. Quando a gente reúne a família e os amigos, quer dividir algo de bom com eles, certo? A Juliatto também pensa assim. Por isso, coloca à mesa do brasileiro produtos

Leia mais

Informações Nutricionais

Informações Nutricionais industrializados presuntaria Cod Prod: 75.052 PRODUTO: PRESUNTO COZIDO Ean 13: 07898423424830 Ean 14: 97898423424833 Peso caixa: 6,4 KG Cod Prod: 75.010 PRODUTO: APRESUNTADO Ean 13: 07898423422867 Ean

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSOS Bacharelados e Licenciaturas MATRIZ SA (Informação do Sistema Acadêmico) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina VET351 Inspeção de Produtos de Origem Animal II

Programa Analítico de Disciplina VET351 Inspeção de Produtos de Origem Animal II 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Veterinária - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 5 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 3 5

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE BACON E BARRIGA DEFUMADA

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE BACON E BARRIGA DEFUMADA REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE BACON E BARRIGA DEFUMADA 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverão apresentar os produtos cárneos

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Melissa Walter / Adriana Michelotti EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Melissa Walter / Adriana Michelotti EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Apucarana PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Civil MATRIZ 18

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Apucarana PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Civil MATRIZ 18 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Apucarana PLANO DE ENSINO CURSO Engenharia Civil MATRIZ 18 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n. 09/1 - COGEP DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR

Leia mais

PROF MARIA ISABEL DANTAS D E SIQUEIRA UCG

PROF MARIA ISABEL DANTAS D E SIQUEIRA UCG PROF MARIA ISABEL DANTAS D E SIQUEIRA UCG Entende-se por Presunto, o produto cárneo industrializado obtido dos cortes do membro posterior do suíno, desossado ou não, adicionados de ingredientes, e submetido

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Componente Curricular: Processamento de alimentos de origem animal

Plano de Trabalho Docente Componente Curricular: Processamento de alimentos de origem animal Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Dr Francisco Nogueira de Lima Código: 059 Município: Casa Branca Eixo Tecnológico: Produção Alimentícia Habilitação Profissional: Técnico em Alimentos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio - SP Eixo Tecnológico: Produção Alimentícia Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

CARNE BOVINA SALGADA CURADA DESSECADA OU JERKED BEEF

CARNE BOVINA SALGADA CURADA DESSECADA OU JERKED BEEF ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DO PRODUTO CARNE BOVINA SALGADA CURADA DESSECADA OU JERKED BEEF 1. DESCRIÇÃO DO OBJETO Entende-se por Jerked Beef ou Carne Bovina Salgada Curada Dessecada, o produto cárneo industrializado,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Paula Michele Abentroth Klaic EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Paula Michele Abentroth Klaic EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE MORTADELA 1. Alcance

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE MORTADELA 1. Alcance REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE MORTADELA 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá obedecer o produto cárneo industrializado denominado

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE PRESUNTO

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE PRESUNTO REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE PRESUNTO 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá apresentar o produto cárneo denominado Presunto.

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba PLANO DE ENSINO. CURSO Licenciatura em Matemática MATRIZ 845

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba PLANO DE ENSINO. CURSO Licenciatura em Matemática MATRIZ 845 !! Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura em Matemática MATRIZ 845 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº. 117/10-COEPP Reconhecimento:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL MESTRADO

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina TAL448 Tecnologia de Pescado

Programa Analítico de Disciplina TAL448 Tecnologia de Pescado Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Tecnologia de Alimentos - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE COPA.

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE COPA. REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE COPA. 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá obedecer o produto cárneo denominado Copa. 1.2. Âmbito

Leia mais

Florianópolis/SC DEZEMBRO DE 2012.

Florianópolis/SC DEZEMBRO DE 2012. 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS EQA 5611: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS PROFESSOR ORIENTADOR:

Leia mais

PARECER Nº 007/2012. Este é o parecer. Pró-Reitor de Ensino

PARECER Nº 007/2012. Este é o parecer. Pró-Reitor de Ensino MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE ENSINO - PROEN PARECER Nº 007/2012 INTERESSADO:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Graduação e Educação Profissional

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Graduação e Educação Profissional 1 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Graduação e Educação Profissional PROGRAMA DE MONITORIA E MONITORIA VOLUNTÁRIA DA UTFPR EDITAL 05/2016-

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Inspeção Sanitária de Alimentos de Origem Animal Código da Disciplina:VET227 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta da disciplina: 9 p Faculdade responsável:medicina

Leia mais

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições,

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições, INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS RIO DO SUL Nº 01/2012 Dispõe sobre as normas para elaboração, trâmite, análise e aprovação dos Planos de Ensino dos Cursos de Educação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Tecnologia de Alimentos - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária semanal

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE APRESUNTADO

REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE APRESUNTADO REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE APRESUNTADO 1. Alcance 1.1. Objetivo Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá apresentar o produto cárneo denominado Apresuntado.

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO PÓS-COLHEITA DE GRÃOS FORMA/GRAU: ( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Engenharia de Alimentos. Grupo PET. ETL Queijos.

PALAVRAS-CHAVE Engenharia de Alimentos. Grupo PET. ETL Queijos. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Docente: Andréia Polizeli Sambatti

PLANO DE ENSINO. Docente: Andréia Polizeli Sambatti PLANO DE ENSINO PERÍODO LETIVO/ANO: 2008 ANO DO CURSO: 2º Curso: Ciências Econômicas Modalidade: Bacharelado Turno: Noturno Centro: Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) Campus: Cascavel Disciplina

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) Produtor de Embutidos e Defumados Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor

Leia mais

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE PATÊ.

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE PATÊ. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 31 DE JULHO DE 2000 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

Leia mais

Universidade Regional de Blumenau, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química. para contato: daniane

Universidade Regional de Blumenau, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química.  para contato: daniane ESTUDO DO COMPORTAMENTO MICROBIOLÓGICO E FÍSICO- QUÍMICO DA LINGUIÇA BLUMENAU ENQRIQUECIDA COM FARINHA DE PUPUNHA ARMAZENADA EM DIFERENTES TEMPERATUTAS D. A. LEMOS 1, I. A. PAULO 2, L. F. CARVALHO 1, S.

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE ARAXÁ COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINA REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI E D I T A L DE ABERTURA CPD Nº 001 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR SUBSTITUTO, DE 07

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ENGENHARIA DE ALIMENTOS

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ENGENHARIA DE ALIMENTOS i. e x e Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão Coordenação de Engenharia de Alimentos REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Leia mais

CONTROLE FISICO-QUÍMICO DE CARNES E DERIVADOS. Bromatologia Doutoranda: Mônica C. P. dos Santos (PPGAN)

CONTROLE FISICO-QUÍMICO DE CARNES E DERIVADOS. Bromatologia Doutoranda: Mônica C. P. dos Santos (PPGAN) CONTROLE FISICO-QUÍMICO DE CARNES E DERIVADOS Bromatologia 2017.1 Doutoranda: Mônica C. P. dos Santos (PPGAN) INTRODUÇÃO São as partes musculares comestíveis das diferentes espécies de animais de açougue,

Leia mais

FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA EM AÇOUGUES E FIAMBRERIAS

FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA EM AÇOUGUES E FIAMBRERIAS Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria Estadual da Saúde Centro Estadual de Vigilância em Saúde Divisão de Vigilância Sanitária FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA EM AÇOUGUES E FIAMBRERIAS Méd. Vet. Ayres

Leia mais

PROGRAD. ANO: 2017 ( ) 1º SEMESTRE ( x ) 2º SEMESTRE ( ) 1º e 2º SEMESTRES PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA BLOCO I IDENTIFICAÇÃO.

PROGRAD. ANO: 2017 ( ) 1º SEMESTRE ( x ) 2º SEMESTRE ( ) 1º e 2º SEMESTRES PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA BLOCO I IDENTIFICAÇÃO. CURSO DE GRADUAÇÃO: Tecnologia em Gastronomia, Nutrição, Gestão em Saúde, Farmácia, Biomedicina (diurno e noturno) e Toxicologia Analítica SÉRIE: SEMESTRE LETIVO DO ANO: ANO: 2017 ( ) 1º SEMESTRE ( x )

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Graduação e Educação Profissional

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Graduação e Educação Profissional Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Graduação e Educação Profissional PROGRAMA DE MONITORIA E MONITORIA VOLUNTÁRIA DA UTFPR EDITAL 018/2014

Leia mais

Regulamento N. 3, de 13 de março de

Regulamento N. 3, de 13 de março de UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CAMPUS DE RIO PARANAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Regulamento N. 3, de 13 de março de 2013 1. Este documento regulamenta as normas para a elaboração do trabalho

Leia mais

PLANO DE ENSINO / PLANO DE TRABALHO

PLANO DE ENSINO / PLANO DE TRABALHO PLANO DE ENSINO / PLANO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Licenciatura em Matemática CURSO: Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (X) licenciatura

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PRODUTOS DERIVADOS

ELABORAÇÃO DE PRODUTOS DERIVADOS ELABORAÇÃO DE PRODUTOS DERIVADOS Prof. Roberto de Oliveira Roça Departamento de Gestão e Tecnologia Agro-industrial Fazenda Experimental Lageado, Caixa Postal, 237. F.C.A. - UNESP - Campus de Botucatu

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agroindústria Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agroindústria Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agroindústria Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Espumante de Caju Fernando Antônio Pinto de Abreu Embrapa Informação Tecnológica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Economia Doméstica - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

3. Equipe de gerenciamento dos riscos

3. Equipe de gerenciamento dos riscos CAPÍTULO 14 salame santa catarina 1. Justificativa Salame O Estado de Santa Catarina possui o maior parque industrial de embutidos carneos do Brasil, tanto o salame industrializado como o colonial, que

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 14/0035-PG REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS

PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 14/0035-PG REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 14/0035-PG REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS ITE M USO INTERNO (RCMS) DESCRIÇÃO QUANTIDADE ESTIMADA Sesc Deodoro Sesc Turismo Total Estimado Unidad e de Medida

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

EDITAL SENAI DE MATRÍCULA PARA ACESSO A VAGAS EM CURSOS TÉCNICOS

EDITAL SENAI DE MATRÍCULA PARA ACESSO A VAGAS EM CURSOS TÉCNICOS EDITAL SENAI DE MATRÍCULA PARA ACESSO A VAGAS EM CURSOS TÉCNICOS 2017.1 O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Departamento Regional de Roraima SENAI-RR, torna público o encerramento do Edital

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS ITAJAÍ PLANO DE ENSINO Unidade Curricular:

Leia mais

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Guarapuava Diretoria de Graduação e Educação Profissional VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais