Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4"

Transcrição

1 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO CARGA HORÁRIA (horas) Química Analítica QA31B 1 Teórica Prática Total PRÉ-REQUISITO EQUIVALÊNCIA OBJETIVOS Fornecer aos alunos os necessários conceitos envolvidos na química analítica e capacitá-los a aplicar os conhecimentos e métodos da química analítica na prática profissional de zootecnia. A capacitação dos alunos envolve: a) dominar os fundamentos dos principais métodos de análise química; b) realizar determinações experimentais empregando métodos analíticos; c) elaborar relatórios científicos. EMENTA Volumetria de neutralização, de precipitação, de oxi-redução, de complexação. Análise instrumental: Colorimetria, Fotometria, Absorção Atômica e Potenciometria. Classificação, separação e reconhecimento de cátions e ânions. Introdução à análise quantitativa. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ITEM EMENTA CONTEÚDO Conceitos químicos fundamentais: A classificação da matéria: misturas e substâncias. Elementos e compostos. Compostos moleculares e iônicos. O conceito da 1 Tipos de matéria. Quantidade de substância e grandeza quantidade de matéria e de sua unidade de medição, o medição química. O mol. mol. Massa molar e volume molar. Número de mols e sua relação com massa e volume. Conceitos químicos fundamentais: Princípios envolvidos na descrição de equações químicas. Cálculos Estequiometria e cálculos estequiométricos. estequiométricos. 3 Definição de solução. Soluto e solvente. Os distintos tipos de Soluções. Conceitos, unidades de concentração e solução. Solubilidade. Unidades de concentração. Preparo de sua preparação. soluções. 4 Equilíbrio químico e força dos ácidos e bases. Conceito da situação de equilíbrio químico. Força de ácidos e bases em soluções aquosas. Definição de ph. 5 Volumetria de neutralização. Análise quantitativa. Reações de neutralização ácido-base. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais. Neutralização de ácido forte com base forte. Neutralização de ácido fraco com base forte. Determinações das concentrações desconhecidas de ácido ou base com a volumetria de neutralização. 7 Volumetria de precipitação. Análise quantitativa. Reações de precipitação. Equilíbrio de solubilidade e produto de solubilidade. Fatores que influenciam a solubilidade. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. Identificação e quantificação de cátions e ânions por reações de precipitação. 8 Volumetria de complexação. Análise quantitativa. Definição de complexos e sua formação. Constantes de estabilidade. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de complexação. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. Reações de óxido-redução. Equação de Nernst. Detecção do ponto 9 Volumetria de óxido-redução. Análise quantitativa. final de reações de óxido-redução. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de óxido-redução. 10 Análise instrumental: Potenciometria. Equação de Nernst. Relação entre medidas de potencial elétrico e concentração de espécies químicas. Medida de ph com eletrodos de vidro combinados. Curvas potenciométricas de reações de neutralização ácido-base e avaliação do ponto final da reação. 11 Análise instrumental: Colorimetria e fotometria. Interação da radiação eletromagnética com a matéria. Lei de

2 1 Análise instrumental: Absorção atômica. Lambert-Beer. O fenômeno da cor e o espectro no visível. Colorimetria e fotometria. Instrumentação para colorimetria e fotometria. Aplicações em análise química. Instrumentação para análise por absorção atômica. Atomização por chama. Processos de nebulização, dessolvatação e atomização. Absorção da radiação eletromagnética. Lâmpadas de cátodo oco como fontes de radiação. Análise de resultados. PROFESSOR Paulo Cezar Tulio TURMA 1ZT1 ANO/SEMESTRE CARGA HORÁRIA (aulas) 010/0 AT AP APS AD Total AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas, APS: Atividades Práticas Supervisionadas, AD: Atividades a Distância. DIAS DAS AULAS PRESENCIAIS Dia da semana Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Número de aulas no semestre PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) Dia/Mês ou Número de Conteúdo das Aulas Semana Aulas 1/08 Laboratório. 1 13/08 Apresentação da disciplina. Avaliação diagnóstica. Revisão de tópicos. 19/08 Laboratório. 1 0/08 A classificação da matéria: misturas e substâncias. Elementos e compostos. Compostos moleculares e iônicos. Medição química. Quantidade de substância. O mol. Massa molar, volume molar e número de mols. 6/08 Laboratório. 1 7/08 Equação química. Princípios envolvidos na descrição de equações químicas. Cálculos estequiométricos. 0/09 Laboratório. 1 03/09 Soluções. Definição de soluções. Soluto e solvente. Tipos de solução. Unidades de concentração. 09/09 Laboratório. 1 10/09 Soluções. Preparo de soluções a partir de materiais sólidos. Preparo de soluções a partir de materiais líquidos. 16/09 Laboratório. 1 17/09 Conceito da situação de equilíbrio químico. Força de ácidos e bases em soluções aquosas. Definição de ph. 3/09 Laboratório. 1 4/09 Introdução aos métodos titrimétricos de análise. Volumetria de neutralização. Reações de neutralização ácido-base. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais. Neutralização de ácido forte com base forte. 30/09 Laboratório. 1 01/10 Reações de neutralização ácido-base. Neutralização de ácido fraco com base forte e de base fraca com ácido forte. 07/10 Laboratório. 1 08/10 Ajuste de conteúdo. Simulação de prova número 1. 14/10 Laboratório. 1 15/10 Prova número 1. 1/10 Laboratório. 1 /10 Volumetria de precipitação. Equilíbrio de solubilidade e produto de solubilidade. Fatores que influenciam a solubilidade. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. 8/10 Laboratório. 1 9/10 Identificação e quantificação de cátions e ânions por reações de precipitação. 04/11 Laboratório. 1 05/11 Volumetria de complexação. Definição de complexos e sua formação. Constantes de estabilidade e estabilidade dos complexos. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de complexação. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. 11/11 Laboratório. 1 1/11 Reações de óxido-redução. Equação de Nernst. Detecção do ponto final de reações de óxido-redução. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de óxidoredução.. 18/11 Laboratório. 1

3 PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) Dia/Mês ou Número de Conteúdo das Aulas Semana Aulas 19/11 Potenciometria. Equação de Nernst. Relação entre medidas de potencial elétrico e concentração de espécies químicas. Medida de ph com eletrodos de vidro combinados. Curvas potenciométricas de reações de neutralização ácido-base e avaliação do ponto final da reação. 5/11 Laboratório. 1 6/11 Métodos espectrométricos. Transmitância e Absorbância. Lei de Beer. Colorimetria, fotometria e espectrometria de absorção atômica. Aplicações em análises químicas. 0/1 Laboratório. 1 03/1 Ajuste de conteúdo. Simulação de prova número. 09/1 Laboratório. 1 10/1 Prova número. 17/1 Exame final - PROCEDIMENTOS DE ENSINO AULAS TEÓRICAS Aulas expositivas Aulas expositivas dialógicas com a exposição do conteúdo. Apresentação de exemplos e resolução de exercícios propostos aos alunos. Exposição do conteúdo será realizada utilizando-se o quadro e eventualmente projetor multimídia. AULAS PRÁTICAS Realização de práticas laboratoriais. Em laboratório, realização de práticas laboratoriais envolvendo conceitos e situações apresentados em sala de aula. Experiências serão realizadas por grupos de no máximo 5 alunos, de acordo com objetivos propostos em roteiro definido e apresentado aos alunos. ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Elaboração de relatório após as aulas práticas. Redação e apresentação de trabalhos acadêmicos envolvendo conceitos apresentados em sala de aula e aplicações destes na prática profissional do zootecnista. ATIVIDADES A DISTÂNCIA Não há PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO Avaliações por meio de provas, relatórios e trabalhos. Haverá duas provas teóricas escritas (P 1 e P ), com máximo de 10 pontos cada. Uma prova no primeiro bimestre e outra no segundo bimestre. Cada prova terá peso 0,8 nas respectivas médias parciais. Os relatórios das aulas práticas e os trabalhos não relacionados com relatórios terão nota individual máxima de 10. A média das notas de relatórios e trabalhos (MRT) terá peso 0, nas respectivas médias parciais. A média parcial (MP i) será então dada por: MP i = [(P i x 0,8) + (MRT i x 0,)]/ A média final semestral (MF s) será a soma das duas médias parciais: MF s = MP 1 + MP O aluno que conseguir média final semestral 7,0 e freqüência 75% será considerado aprovado. O aluno que obtiver média final semestral < 4,0 estará automaticamente reprovado. O aluno que não atingir a média final semestral para aprovação deverá realizar exame final. O exame final (EF) consistirá de prova escrita valendo 10 pontos e abrangerá todo o conteúdo da disciplina. Para conseguir aprovação o aluno deverá obter pontuação mínima para que a sua média final (MF) seja 5,0 de acordo com: MF = (MF s + EF)/ 5,0 REFERÊNCIAS Referencias Básicas: RUSSELL, J. B. Química Geral.. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1994 v.1. RUSSELL, J. B. Química Geral.. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1994 v.. MAHAN, B. M.; MYERS, R. J. Química: um curso universitário. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, MENDHAM, J.; DENNEY, R. C.; BARNES, J. D.; THOMAS, M. Vogel: Análise Química Quantitativa. 6..ed. Rio de Janeiro: LTC, 000. HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 003. VOGEL, A. I. Química Analítica Qualitativa. 5. ed. São Paulo: Mestre Jou, Referências Complementares: ATKINS, P W.; JONES, L. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 006. BACCAN, N.; ANDRADE, J. C.; GODINHO, O. E. S.; BARONE, J. S. Química Analítica Quantitativa Elementar. 3. ed. São Paulo: Edgard Blücher Ltda., 001. CIENFUEGOS, F. Segurança no laboratório. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 001.

4 ORIENTAÇÕES GERAIS A frequência mínima para não reprovação por falta é de 75%. Serão realizadas chamadas em todas as aulas, sejam teóricas ou práticas. O aluno que perder uma das provas escritas tem o direito de ter uma única segunda chamada dentro da disciplina. Esta não necessita de justificativas e será aplicada ao final do semestre e abrangerá todo o conteúdo da disciplina. Relatórios: Serão avisados com antecedência os dias de aulas práticas laboratoriais que impliquem na elaboração de relatório. Ao membro faltante da prática laboratorial será atribuída falta e sua nota será 30% da nota que o seu grupo obtiver no respectivo relatório. Assume-se que o membro faltante contribuirá na elaboração posterior do relatório. Se o membro faltante tiver ausência justificada dentro dos termos regimentais da UTFPR, sua nota será a integral obtida pelo grupo no dado relatório. Observar que isto corresponde a uma situação análoga a uma segunda chamada e o aluno somente tem direito a uma segunda chamada por disciplina e por semestre. Para realização das práticas laboratoriais é exigido o uso de guarda-pó (jaleco, avental). Será atribuída presença ao aluno que não estiver de posse de guarda-pó, mas este não poderá participar da prática e sua nota será de 30% da nota obtida por seu grupo no dado relatório. Será atribuída nota zero para grupos em que nenhum membro esteve presente na prática. Os prazos máximos para entrega dos relatórios com notas integrais, parciais ou zero, serão estabelecidos pelo professor. O mesmo se aplica às datas de apresentação dos trabalhos que não consistem de relatórios. Assinatura do Professor Assinatura do Coordenador do Curso

5 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO CARGA HORÁRIA (horas) Química Analítica QA31B 1 Teórica Prática Total PRÉ-REQUISITO EQUIVALÊNCIA OBJETIVOS Fornecer aos alunos os necessários conceitos envolvidos na química analítica e capacitá-los a aplicar os conhecimentos e métodos da química analítica na prática profissional de zootecnia. A capacitação dos alunos envolve: a) dominar os fundamentos dos principais métodos de análise química; b) realizar determinações experimentais empregando métodos analíticos; c) elaborar relatórios científicos. EMENTA Volumetria de neutralização, de precipitação, de oxi-redução, de complexação. Análise instrumental: Colorimetria, Fotometria, Absorção Atômica e Potenciometria. Classificação, separação e reconhecimento de cátions e ânions. Introdução à análise quantitativa. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ITEM EMENTA CONTEÚDO Conceitos químicos fundamentais: A classificação da matéria: misturas e substâncias. Elementos e compostos. Compostos moleculares e iônicos. O conceito da 1 Tipos de matéria. Quantidade de substância e grandeza quantidade de matéria e de sua unidade de medição, o medição química. O mol. mol. Massa molar e volume molar. Número de mols e sua relação com massa e volume. Conceitos químicos fundamentais: Princípios envolvidos na descrição de equações químicas. Cálculos Estequiometria e cálculos estequiométricos. estequiométricos. 3 Definição de solução. Soluto e solvente. Os distintos tipos de Soluções. Conceitos, unidades de concentração e solução. Solubilidade. Unidades de concentração. Preparo de sua preparação. soluções. 4 Equilíbrio químico e força dos ácidos e bases. Conceito da situação de equilíbrio químico. Força de ácidos e bases em soluções aquosas. Definição de ph. 5 Volumetria de neutralização. Análise quantitativa. Reações de neutralização ácido-base. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais. Neutralização de ácido forte com base forte. Neutralização de ácido fraco com base forte. Determinações das concentrações desconhecidas de ácido ou base com a volumetria de neutralização. 7 Volumetria de precipitação. Análise quantitativa. Reações de precipitação. Equilíbrio de solubilidade e produto de solubilidade. Fatores que influenciam a solubilidade. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. Identificação e quantificação de cátions e ânions por reações de precipitação. 8 Volumetria de complexação. Análise quantitativa. Definição de complexos e sua formação. Constantes de estabilidade. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de complexação. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. Reações de óxido-redução. Equação de Nernst. Detecção do ponto 9 Volumetria de óxido-redução. Análise quantitativa. final de reações de óxido-redução. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de óxido-redução. 10 Análise instrumental: Potenciometria. Equação de Nernst. Relação entre medidas de potencial elétrico e concentração de espécies químicas. Medida de ph com eletrodos de vidro combinados. Curvas potenciométricas de reações de neutralização ácido-base e avaliação do ponto final da reação.

6 11 Análise instrumental: Colorimetria e fotometria. 1 Análise instrumental: Absorção atômica. Interação da radiação eletromagnética com a matéria. Lei de Lambert-Beer. O fenômeno da cor e o espectro no visível. Colorimetria e fotometria. Instrumentação para colorimetria e fotometria. Aplicações em análise química. Instrumentação para análise por absorção atômica. Atomização por chama. Processos de nebulização, dessolvatação e atomização. Absorção da radiação eletromagnética. Lâmpadas de cátodo oco como fontes de radiação. Análise de resultados. PROFESSOR Paulo Cezar Tulio TURMA 1ZT ANO/SEMESTRE CARGA HORÁRIA (aulas) 010/0 AT AP APS AD Total AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas, APS: Atividades Práticas Supervisionadas, AD: Atividades a Distância. DIAS DAS AULAS PRESENCIAIS Dia da semana Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Número de aulas no semestre PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) Dia/Mês ou Número de Conteúdo das Aulas Semana Aulas 1/08 Laboratório. 1 13/08 Apresentação da disciplina. Avaliação diagnóstica. Revisão de tópicos. 19/08 Laboratório. 1 0/08 A classificação da matéria: misturas e substâncias. Elementos e compostos. Compostos moleculares e iônicos. Medição química. Quantidade de substância. O mol. Massa molar, volume molar e número de mols. 6/08 Laboratório. 1 7/08 Equação química. Princípios envolvidos na descrição de equações químicas. Cálculos estequiométricos. 0/09 Laboratório. 1 03/09 Soluções. Definição de soluções. Soluto e solvente. Tipos de solução. Unidades de concentração. 09/09 Laboratório. 1 10/09 Soluções. Preparo de soluções a partir de materiais sólidos. Preparo de soluções a partir de materiais líquidos. 16/09 Laboratório. 1 17/09 Conceito da situação de equilíbrio químico. Força de ácidos e bases em soluções aquosas. Definição de ph. 3/09 Laboratório. 1 4/09 Introdução aos métodos titrimétricos de análise. Volumetria de neutralização. Reações de neutralização ácido-base. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais. Neutralização de ácido forte com base forte. 30/09 Laboratório. 1 01/10 Reações de neutralização ácido-base. Neutralização de ácido fraco com base forte e de base fraca com ácido forte. 07/10 Laboratório. 1 08/10 Ajuste de conteúdo. Simulação de prova número 1. 14/10 Laboratório. 1 15/10 Prova número 1. 1/10 Laboratório. 1 /10 Volumetria de precipitação. Equilíbrio de solubilidade e produto de solubilidade. Fatores que influenciam a solubilidade. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. 8/10 Laboratório. 1 9/10 Identificação e quantificação de cátions e ânions por reações de precipitação. 04/11 Laboratório. 1 05/11 Volumetria de complexação. Definição de complexos e sua formação. Constantes de estabilidade e estabilidade dos complexos. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de complexação. Ponto de equivalência e ponto final da reação. Indicadores visuais empregados. 11/11 Laboratório. 1 1/11 Reações de óxido-redução. Equação de Nernst. Detecção do ponto final de reações de óxido-redução. Análise quantitativa de espécies químicas com a volumetria de óxidoredução.. 18/11 Laboratório. 1

7 PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO) Dia/Mês ou Número de Conteúdo das Aulas Semana Aulas 19/11 Potenciometria. Equação de Nernst. Relação entre medidas de potencial elétrico e concentração de espécies químicas. Medida de ph com eletrodos de vidro combinados. Curvas potenciométricas de reações de neutralização ácido-base e avaliação do ponto final da reação. 5/11 Laboratório. 1 6/11 Métodos espectrométricos. Transmitância e Absorbância. Lei de Beer. Colorimetria, fotometria e espectrometria de absorção atômica. Aplicações em análises químicas. 0/1 Laboratório. 1 03/1 Ajuste de conteúdo. Simulação de prova número. 09/1 Laboratório. 1 10/1 Prova número. 17/1 Exame final - PROCEDIMENTOS DE ENSINO AULAS TEÓRICAS Aulas expositivas Aulas expositivas dialógicas com a exposição do conteúdo. Apresentação de exemplos e resolução de exercícios propostos aos alunos. Exposição do conteúdo será realizada utilizando-se o quadro e eventualmente projetor multimídia. AULAS PRÁTICAS Realização de práticas laboratoriais. Em laboratório, realização de práticas laboratoriais envolvendo conceitos e situações apresentados em sala de aula. Experiências serão realizadas por grupos de no máximo 5 alunos, de acordo com objetivos propostos em roteiro definido e apresentado aos alunos. ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Elaboração de relatório após as aulas práticas. Redação e apresentação de trabalhos acadêmicos envolvendo conceitos apresentados em sala de aula e aplicações destes na prática profissional do zootecnista. ATIVIDADES A DISTÂNCIA PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO Avaliações por meio de provas, relatórios e trabalhos. Haverá duas provas teóricas escritas (P 1 e P ), com máximo de 10 pontos cada. Uma prova no primeiro bimestre e outra no segundo bimestre. Cada prova terá peso 0,8 nas respectivas médias parciais. Os relatórios das aulas práticas e os trabalhos não relacionados com relatórios terão nota individual máxima de 10. A média das notas de relatórios e trabalhos (MRT) terá peso 0, nas respectivas médias parciais. A média parcial (MP i) será então dada por: MP i = [(P i x 0,8) + (MRT i x 0,)]/ A média final semestral (MF s) será a soma das duas médias parciais: MF s = MP 1 + MP O aluno que conseguir média final semestral 7,0 e freqüência 75% será considerado aprovado. O aluno que obtiver média final semestral < 4,0 estará automaticamente reprovado. O aluno que não atingir a média final semestral para aprovação deverá realizar exame final. O exame final (EF) consistirá de prova escrita valendo 10 pontos e abrangerá todo o conteúdo da disciplina. Para conseguir aprovação o aluno deverá obter pontuação mínima para que a sua média final (MF) seja 5,0 de acordo com: MF = (MF s + EF)/ 5,0 REFERÊNCIAS Referencias Básicas: RUSSELL, J. B. Química Geral.. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1994 v.1. RUSSELL, J. B. Química Geral.. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1994 v.. MAHAN, B. M.; MYERS, R. J. Química: um curso universitário. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, MENDHAM, J.; DENNEY, R. C.; BARNES, J. D.; THOMAS, M. Vogel: Análise Química Quantitativa. 6..ed. Rio de Janeiro: LTC, 000. HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 003. VOGEL, A. I. Química Analítica Qualitativa. 5. ed. São Paulo: Mestre Jou, Referências Complementares: ATKINS, P W.; JONES, L. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 006. BACCAN, N.; ANDRADE, J. C.; GODINHO, O. E. S.; BARONE, J. S. Química Analítica Quantitativa Elementar. 3. ed. São Paulo: Edgard Blücher Ltda., 001. CIENFUEGOS, F. Segurança no laboratório. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 001. ORIENTAÇÕES GERAIS

8 A frequência mínima para não reprovação por falta é de 75%. Serão realizadas chamadas em todas as aulas, sejam teóricas ou práticas. O aluno que perder uma das provas escritas tem o direito de ter uma única segunda chamada dentro da disciplina. Esta não necessita de justificativas e será aplicada ao final do semestre e abrangerá todo o conteúdo da disciplina. Relatórios: Serão avisados com antecedência os dias de aulas práticas laboratoriais que impliquem na elaboração de relatório. Ao membro faltante da prática laboratorial será atribuída falta e sua nota será 30% da nota que o seu grupo obtiver no respectivo relatório. Assume-se que o membro faltante contribuirá na elaboração posterior do relatório. Se o membro faltante tiver ausência justificada dentro dos termos regimentais da UTFPR, sua nota será a integral obtida pelo grupo no dado relatório. Observar que isto corresponde a uma situação análoga a uma segunda chamada e o aluno somente tem direito a uma segunda chamada por disciplina e por semestre. Para realização das práticas laboratoriais é exigido o uso de guarda-pó (jaleco, avental). Será atribuída presença ao aluno que não estiver de posse de guarda-pó, mas este não poderá participar da prática e sua nota será de 30% da nota obtida por seu grupo no dado relatório. Será atribuída nota zero para grupos em que nenhum membro esteve presente na prática. Os prazos máximos para entrega dos relatórios com notas integrais, parciais ou zero, serão estabelecidos pelo professor. O mesmo se aplica às datas de apresentação dos trabalhos que não consistem de relatórios. Assinatura do Professor Assinatura do Coordenador do Curso

ANÁLISE QUÍMICA INSTRUMENTAL

ANÁLISE QUÍMICA INSTRUMENTAL Engenharia Processos Processos Químicos Química Químicos 3 5 Semestre 2015 Análise 2011 2014 Análise Química Química Instrumental Instrumental CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIETA ANÁLISE QUÍMICA INSTRUMENTAL

Leia mais

Ministério da Educação. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 202

Ministério da Educação. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 202 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 2 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL -Abertura e Aprovação do Projeto do curso:

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Analítica Qualitativa Farmacêutica Código: FAR - 206 Pré-requisito: Química Geral II Período

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina QUI102 Química Fundamental

Programa Analítico de Disciplina QUI102 Química Fundamental Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina QUI10 Química Fundamental Departamento de Química - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 7 Teóricas Práticas

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Analítica Quantitativa Farmacêutica Código: FAR - 207 Pré-requisito: Química Geral II

Leia mais

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás.

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Plano de Ensino 2017/1 Atenção! Este Plano de Ensino é um Rascunho. Sua impressão não está liberada por se tratar de um documento

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº 79/06 aprovada pelo COEPP

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Geral II Código: FAR-203 Pré-requisito: Química geral e Inorgânica Período Letivo: 2016.1

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º ano EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º ano EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Biomedicina Disciplina: Química Geral e Orgânica Professor: Ricardo Marques Nogueira Filho e-mail: ricardo.filho@fasete.edu.br Código: Carga

Leia mais

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO ( X ) OBRIGATÓRIA DO NÚCLEO COMUM. DOCENTE RESPONSÁVEL : Profa. Dra. Sônia Maria Alves Jorge

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO ( X ) OBRIGATÓRIA DO NÚCLEO COMUM. DOCENTE RESPONSÁVEL : Profa. Dra. Sônia Maria Alves Jorge PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MODALIDADE: (X) Bacharelado/Licenciatura (X) Licenciatura DISCIPLINA: QUÍMICA II ( X ) OBRIGATÓRIA DO NÚCLEO COMUM ÁREA COMPLEMENTAR: ( ) OPTATIVA

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina QMF210 Química Analítica III

Programa Analítico de Disciplina QMF210 Química Analítica III Catálogo de Graduação 06 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina QMF0 Química Analítica III Campus de Florestal - Campus de Florestal Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Química Geral e Experimental

CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Química Geral e Experimental CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Química Geral e Experimental Código: ENGP -170 Pré-requisito: --------------- Período

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Autorizado pela Portaria MEC nº 276, de 30 de março de 2015

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Autorizado pela Portaria MEC nº 276, de 30 de março de 2015 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Autorizado pela Portaria MEC nº 276, de 30 de março de 2015 Componente Curricular: QUÍMICA GERAL E EXPERIMENTAL Código: Pré-requisito: ------ Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3 Ano. CARGA HORÀRIA:120h Referente à ementa: 100h PPI: 20h. TURNO: Diurno Integral

SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3 Ano. CARGA HORÀRIA:120h Referente à ementa: 100h PPI: 20h. TURNO: Diurno Integral IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO/FORMA ou GRAU /MODALIDADE: CURSO: Curso Técnico em Química Integrado ao Ensino Médio FORMA/GRAU: (X)integrado, ( )subsequente ( )

Leia mais

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO. CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica Qualitativa

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO. CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica Qualitativa CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica Qualitativa FASE: 3 a CARGA HORÁRIA: 72 TURNO: Vespertino PROFESSOR (A): Alexandre T. Paulino CRÉDITOS: 4 PLANO DE ENSINO

Leia mais

CURSO: FARMÁCIA INFORMAÇÕES BÁSICAS

CURSO: FARMÁCIA INFORMAÇÕES BÁSICAS Turno: Integral Currículo 2014 Período 1º Período Tipo Obrigatória Teórica 72 horas CURSO: FARMÁCIA INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade curricular Química Fundamental Carga Horária Prática ----- Habilitação /

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL -- Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO. CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO. CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica FASE: 4 a CARGA HORÁRIA: 90 TURNO: Noturno PROFESSOR (A): Alexandre T. Paulino CRÉDITOS: 6 PLANO DE ENSINO 1 HORÁRIO DAS

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Alimentos FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Química Inorgânica I Código da Disciplina: NDC 132 Curso: Engenharia Civil Semestre de oferta da disciplina: 2 Faculdade responsável: Núcleo de Disciplinas Comuns (NDC)

Leia mais

PLANO DE ENSINO ENGENHARIA DE BIOPROCESSOS INFORMAÇÕES BÁSICAS. Unidade curricular. Carga Horária Prática - Grau acadêmico / Habilitação

PLANO DE ENSINO ENGENHARIA DE BIOPROCESSOS INFORMAÇÕES BÁSICAS. Unidade curricular. Carga Horária Prática - Grau acadêmico / Habilitação PLANO DE ENSINO ENGENHARIA DE BIOPROCESSOS Turno: Integral Currículo: 2010 INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade curricular Departamento Química Geral DQBIO Período 2017/2 Teórica 54h Carga Horária Prática Total

Leia mais

PROGRAMA DE ENSINO. DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Física e Química

PROGRAMA DE ENSINO. DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Física e Química PROGRAMA DE ENSINO UNIDADE UNIVERSITÁRIA: UNESP CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA CURSO: Zootecnia Resolução nº 39/2010 Currículo: 02 HABILITAÇÃO: OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Física e Química

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD Reitoria Arapiraca PLANO DE MONITORIA

ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD Reitoria Arapiraca PLANO DE MONITORIA PLANO DE MONITORIA CAMPUS: III - PALMEIRA DOS ÍNDIOS - AL CURSO: LICENCIATURA EM QUÍMICA ANO LETIVO: 2017.1 E 2017.2 PROFESSOR ORIENTADOR: ISABELA NUNES LEMOS DISCIPLINA: QUÍMICA ANALÍTICA II EXISTE DISCIPLINA

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina QMF111 Química Analítica II

Programa Analítico de Disciplina QMF111 Química Analítica II 0 Programa Analítico de Disciplina Campus de Florestal - Campus de Florestal Número de créditos: 6 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 6 Períodos - oferecimento: II Carga

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Química Geral e Inorgânica Código: FAR 201 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSOS Bacharelados e Licenciaturas MATRIZ SA (Informação do Sistema Acadêmico) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução

Leia mais

Titulação: Mestre em Química com área de concentração em Química Analítica UESB PLANO DE CURSO

Titulação: Mestre em Química com área de concentração em Química Analítica UESB PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Geral e Inorgânica Código: FAR 201 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo: 2014.1 Professor:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO PLANO DE ENSINO SEMESTRE LETIVO 2013/1 CURSO CURSO SUPERIOR DE

Leia mais

PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelados e licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR. MATRIZ (SA) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelados e licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR. MATRIZ (SA) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelados e licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR. MATRIZ (SA) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Química Integrado ao Ensino Médio FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. Resolução CEPEM 125/05 de 01/12/05

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. Resolução CEPEM 125/05 de 01/12/05 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO CURSO Técnico em Mecanica MATRIZ 20 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução CEPEM 125/05 de 01/12/05 DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Londrina PLANO DE ENSINO DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Londrina PLANO DE ENSINO DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Londrina PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura em Química MATRIZ 1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n. 180/10-COEPP de 09 de dezembro

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina QMF110 Química Analítica I

Programa Analítico de Disciplina QMF110 Química Analítica I 0 Programa Analítico de Disciplina Campus de Florestal - Campus de Florestal Número de créditos: 6 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 6 Períodos - oferecimento: I Carga

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professor: Michiko Okuyama miokuyama@brturbo.com.br Semestre: 1º Ano: 2014 Disciplina: Química

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO PLANO DE ENSINO SEMESTRE LETIVO 2013/2 CURSO PERÍODO BACHARELADO

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Apucarana PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Civil MATRIZ 18

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Apucarana PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Civil MATRIZ 18 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Apucarana PLANO DE ENSINO CURSO Engenharia Civil MATRIZ 18 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n. 09/1 - COGEP DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO CAMPUS CUIABÁ-BELA VISTA DEPARTAMENTO DE ENSINO PLANO DE ENSINO SEMESTRE LETIVO 2014/1 CURSO PERÍODO BACHARELADO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Agronomia MATRIZ 11 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 003/21 - COGEP DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR

Leia mais

Engenharia de Computação MATRIZ 535

Engenharia de Computação MATRIZ 535 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Pato Branco PLANO DE ENSINO CURS O Engenharia de Computação MATRIZ 535 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resoluções: N o 89/08-COEPP - N o 153/09-COEPP

Leia mais

LICENCIATURA EM QUÍMICA QUÍMICA

LICENCIATURA EM QUÍMICA QUÍMICA Programa de Disciplina Nome: Química Geral II IQ Código: IQG 120 Categoria: Carga Horária Semanal: CARACTERÍSTICAS Número de Semanas Previstas para a Disciplina: 15 Número de Créditos da Disciplina: 4

Leia mais

Instrução Normativa 08/10 PROGRAD

Instrução Normativa 08/10 PROGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Instrução Normativa 08/10 PROGRAD

Leia mais

LCE0182 Química Analítica Quantitativa. Informações Gerais. Wanessa Melchert Mattos.

LCE0182 Química Analítica Quantitativa. Informações Gerais. Wanessa Melchert Mattos. LCE0182 Química Analítica Quantitativa Informações Gerais Wanessa Melchert Mattos wanemelc@usp.br Aprovação Para que o aluno possa ser aprovado exige-se média mínima de 5,0 em notas e 70% de frequência

Leia mais

Carga horária: 51 h (2 Aulas Teóricas e 2 Aulas Práticas)

Carga horária: 51 h (2 Aulas Teóricas e 2 Aulas Práticas) Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Química Disciplina: Química Analítica Qualitativa I Professor(es): Márcia Guekezian Carga horária: 51 h (2 Aulas Teóricas e 2 Aulas Práticas) DRT: 1084846

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Curitiba PLANO DE ENSINO CURSOS Bacharelados e Licenciaturas MATRIZ SA (Informação do Sistema Acadêmico) FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução

Leia mais

PROGRAMA DE ENSINO. DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Física e Química

PROGRAMA DE ENSINO. DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Física e Química PROGRAMA DE ENSINO UNIDADE UNIVERSITÁRIA: UNESP CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA CURSO: Agronomia Resolução UNESP nº 51/2009 Curso: 1 Currículo: 3 HABILITAÇÃO: OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Física

Leia mais

MÉTODOS CLÁSSICOS DE ANÁLISE QUÍMICA QUANTITATIVA A análise química pode ser definida como o uso de um ou mais processos que fornecem informações

MÉTODOS CLÁSSICOS DE ANÁLISE QUÍMICA QUANTITATIVA A análise química pode ser definida como o uso de um ou mais processos que fornecem informações MÉTODOS CLÁSSICOS DE ANÁLISE QUÍMICA QUANTITATIVA A análise química pode ser definida como o uso de um ou mais processos que fornecem informações sobre a composição de uma amostra. Método: é a aplicação

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Santa Helena PLANO DE ENSINO CURSO LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MATRIZ 1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº 077/1 COGEP, de

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA 1 Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Química FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente (

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso Aprovado pela portaria Cetec - 127, de 3-10-2012 Etec Tiquatira Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Controle de Processos Industriais

Leia mais

Sumário PREFÁCIO...13

Sumário PREFÁCIO...13 Sumário PREFÁCIO...13 CAPÍTULO 1 Operações com Grandezas e Unidades de Medida...17 Objetivos...17 1.1 Notação científica...18 1.2 Exponenciais e logaritmos...19 1.3 Grandezas físicas e unidades de medida:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 5 semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 5 semestre EMENTA 1 EIXO TECNOLÓGICO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Química FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Turma(s): 3 Ano/Semestre: 2012/1

PLANO DE ENSINO. Turma(s): 3 Ano/Semestre: 2012/1 UNIVERSIDADE DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA Setor Sul do Campus Universitário - Bloco H, Av. Gal. Rodrigo Octávio Jordão Ramos, 3000 Coroado 69077-000 Manaus, AM. Fone/Fax:

Leia mais

TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA

TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA Titulação Procedimento analítico, no qual a quantidade desconhecida de um composto é determinada através da reação deste com um reagente padrão ou padronizado. Titulante

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Francisco Beltrão Coordenação de Tecnologia de Alimentos PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Francisco Beltrão Coordenação de Tecnologia de Alimentos PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Francisco Beltrão Coordenação de Tecnologia de Alimentos PLANO DE ENSINO CURSO Curso Superior em Tecnologia em Alimentos MATRIZ

Leia mais

Introdução aos métodos titulométricos volumétricos. Prof a Alessandra Smaniotto QMC Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B

Introdução aos métodos titulométricos volumétricos. Prof a Alessandra Smaniotto QMC Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B Introdução aos métodos titulométricos volumétricos Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B Definições ² Métodos titulométricos: procedimentos quantitativos

Leia mais

Calcule o ph de uma solução de HCl 1x10-7 mol L-1

Calcule o ph de uma solução de HCl 1x10-7 mol L-1 Calcule o ph de uma solução de HCl 1x10-7 mol L-1 TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA Titulação Procedimento analítico, no qual a quantidade desconhecida de um composto é determinada através da reação deste

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA ATIVIDADE EXTERNA DA DISCIPLINA (AED)

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA ATIVIDADE EXTERNA DA DISCIPLINA (AED) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA ATIVIDADE EXTERNA DA DISCIPLINA (AED) DISCIPLINA: PROFESSOR (A): MAF 1293 QUÍMICA GERAL Danns Pereira Barbosa Ementa Estrutura eletrônica dos átomos, propriedades periódicas,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA ATIVIDADE EXTERNA DA DISCIPLINA (AED)

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA ATIVIDADE EXTERNA DA DISCIPLINA (AED) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA ATIVIDADE EXTERNA DA DISCIPLINA (AED) DISCIPLINA: PROFESSOR (A): MAF 1293 QUÍMICA GERAL Danns Pereira Barbosa Ementa Estrutura eletrônica dos átomos, propriedades periódicas,

Leia mais

OBJETIVOS GERAL. Específicos

OBJETIVOS GERAL. Específicos PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR NOME DO COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA Curso:Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio Série: 1º Ano Carga Horária: 120h/a (100h/r) Docente Responsável:

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL Planificação anual de Análises Químicas 11º ano

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL Planificação anual de Análises Químicas 11º ano Planificação anual de Análises Químicas 11º ano Turma: H Professora: Carina Alexandra Penelas Duarte 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina Análises Químicas é uma disciplina integrante

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Engenharia Elétrica Núcleo Temático: Matemática Disciplinas específicas Código da Disciplina: Disciplina: Química Tecnológica 060.1300.7 Professor(es):

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO Código Unidade 040 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso Etapa Sem. / Ano 4045-1 Farmácia 2ª 2º /

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Química. CQ122 Química Analítica Instrumental II Prof. Claudio Antonio Tonegutti Aula 01 09/11/2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Química. CQ122 Química Analítica Instrumental II Prof. Claudio Antonio Tonegutti Aula 01 09/11/2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Química CQ122 Química Analítica Instrumental II Prof. Claudio Antonio Tonegutti Aula 01 09/11/2012 A Química Analítica A divisão tradicional em química analítica

Leia mais

Química. Aula 01 Profº Ricardo Dalla Zanna

Química. Aula 01 Profº Ricardo Dalla Zanna Química Aula 01 Profº Ricardo Dalla Zanna Terças (1º semestre) Quartas (2º semestre) Disciplina 1ª aula Química 2ª aula Química Intervalo \0/ 3ª aula Microbiologia Básica 4ª aula Microbiologia Básica Programa

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Manutenção e Suporte em informática FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Alimentos FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

QUI 072/150 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 Introdução A Disciplina

QUI 072/150 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 Introdução A Disciplina Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química QUI 072/150 Química Analítica V Análise Instrumental Aula 1 Introdução A Disciplina Prof. Julio C. J. Silva Juiz

Leia mais

TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA

TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA TITULAÇÃO EM QUÍMICA ANALÍTICA Titulação Procedimento analítico, no qual a quantidade desconhecida de um composto é determinada através da reação deste com um reagente padrão ou padronizado. Titulante

Leia mais

Introdução aos métodos instrumentais

Introdução aos métodos instrumentais Introdução aos métodos instrumentais Métodos instrumentais Métodos que dependem da medição de propriedades elétricas, e os que estão baseados na: determinação da absorção da radiação, na medida da intensidade

Leia mais

Análise Instrumental. Prof. Elias da Costa

Análise Instrumental. Prof. Elias da Costa Análise Instrumental Prof. Elias da Costa 1-Introdução a Análise Instrumental CLASSIFICAÇÃO DOS MÉTODOS ANALÍTICOS CLASSIFICAÇÃO DOS MÉTODOS INSTRUMENTAIS INSTRUMENTOS PARA ANÁLISE SELEÇÃO DE UM MÉTODO

Leia mais

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás.

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Plano de Ensino 2017/1 Atenção! Este Plano de Ensino é um Rascunho. Sua impressão não está liberada por se tratar de um documento

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Físico-Química Código: FAR 205 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo: 2015.1

Leia mais

EDITAL Nº 001/2015-PS-LD Abertura

EDITAL Nº 001/2015-PS-LD Abertura Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público Estrada dos Pioneiros, 3131 Londrina PR www.utfpr.edu.br/londrina EDITAL Nº 001/2015-PS-LD Abertura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOAS PRÓ-REIORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre Letivo 2015 2 1. Identificação Código 1.1. Disciplina: Química Geral 0150100 1.2. Unidade: CCQFA

Leia mais

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR QUÍMICA

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR QUÍMICA 124 PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR NOME DO COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA Curso:Técnico em Agroindústria Integrado ao Ensino Médio Série: 1 º Ano Carga Horária: 120h/a (100/hr) Docente

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE QUÍMICA-LICENCIATURA (Currículo de início em 2016)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE QUÍMICA-LICENCIATURA (Currículo de início em 2016) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE QUÍMICA-LICENCIATURA (Currículo de início em 2016) A PESQUISA NO ENSINO DE QUÍMICA 34 h/a 2552 A pesquisa como princípio científico e educativo; A pesquisa na formação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS DA ETAPA 2012/1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS DA ETAPA 2012/1 A DISTÂNCIA Cidade de Funcionamento Altamira Ano/Período de Ingresso 2011/1 Ano/Período cursado 2011/1 1 Química B Cultura: seu conceito antropológico. Antecedentes sócio-culturais de uma comunidade científica.

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 763 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução 037/11-COGEP

Leia mais

Volumetria de Neutralização

Volumetria de Neutralização Volumetria de Neutralização Titulação Ácido-base Determinação da concentração de uma solução a partir da quantidade e concentração de uma solução conhecida Alíquota de volume conhecido (20 ml) e concentração

Leia mais

PRÁTICA 01 - INTRODUÇÃO AO TRABALHO NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA ANALÍTICA E PREPARO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES

PRÁTICA 01 - INTRODUÇÃO AO TRABALHO NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA ANALÍTICA E PREPARO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES PRÁTICA 01 - INTRODUÇÃO AO TRABALHO NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA ANALÍTICA E PREPARO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES METAS Apresentar o objetivo da parte prática da disciplina; apresentar as instruções de trabalho

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Curso Técnico em Química Integrado ao Ensino Médio FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( )

Leia mais

Aula 4 PREPARO DE SOLUÇÕES. META Introduzir técnicas básicas de preparo de soluções.

Aula 4 PREPARO DE SOLUÇÕES. META Introduzir técnicas básicas de preparo de soluções. PREPARO DE SOLUÇÕES META Introduzir técnicas básicas de preparo de soluções. OBJETIVOS Ao final desta aula o aluno deverá: Fornecer conhecimento necessário para o preparo de soluções. Calcular a concentração

Leia mais

INSTITUTO DE QUÍMICA - USP QFL QUÍMICA GERAL FARMÁCIA & BIOQUÍMICA

INSTITUTO DE QUÍMICA - USP QFL QUÍMICA GERAL FARMÁCIA & BIOQUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA - USP QFL-0137 - QUÍMICA GERAL - 2017 FARMÁCIA & BIOQUÍMICA OBJETIVOS: Introduzir conceitos fundamentais de Química, com ênfase na correlação entre a estrutura da matéria e suas propriedades

Leia mais

Reações em Soluções Aquosas

Reações em Soluções Aquosas Reações em Soluções Aquosas Classificação Reações sem transferência de elétrons: Reações de precipitação; Reações de neutralização. Reações com transferência de elétrons: Reações de oxirredução. Reações

Leia mais

ANEXO 1 PROVA DE SELEÇÃO PARA O PPGQ-DOUTORADO UFPel 2011

ANEXO 1 PROVA DE SELEÇÃO PARA O PPGQ-DOUTORADO UFPel 2011 ANEXO 1 PROVA DE SELEÇÃO PARA O PPGQ-DOUTORADO UFPel 2011 A prova escrita consistirá de 6 (seis) questões, sendo 1 (uma) de QUÍMICA ANALÍTICA, 1 (uma) de FÍSICO-QUÍMICA, 1 (uma) de QUÍMICA ORGÂNICA, 1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS FÍSICAS E MATEMÁTICAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS FÍSICAS E MATEMÁTICAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS FÍSICAS E MATEMÁTICAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA Campus Universitário -Trindade - 88040-900 - Florianópolis - SC - Brasil Fone: (048) 3721-6852 Disciplina:

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 763

PLANO DE ENSINO. CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 763 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa PLANO DE ENSINO CURSO Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais MATRIZ 76 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução 07/11-COGEP

Leia mais

Aula 12 PRÁTICA 02 ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO MOLECULAR NO UV VIS: OPERAÇÃO E RESPOSTA DO ESPECTROFOTÔMETRO. Elisangela de Andrade Passos

Aula 12 PRÁTICA 02 ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO MOLECULAR NO UV VIS: OPERAÇÃO E RESPOSTA DO ESPECTROFOTÔMETRO. Elisangela de Andrade Passos Aula 12 PRÁTICA 02 ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO MOLECULAR NO UV VIS: OPERAÇÃO E RESPOSTA DO ESPECTROFOTÔMETRO META Proporcionar o contato do aluno com a instrumentação analítica empregada em análises

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

QUI 072 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 9 Introdução Métodos de Separação

QUI 072 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 9 Introdução Métodos de Separação Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química QUI 072 Química Analítica V Análise Instrumental Aula 9 Introdução Métodos de Separação Julio C. J. Silva Juiz

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. 1º Fase

CURRÍCULO DO CURSO. 1º Fase Documentação: Resolução Nº 14/2013/CGRAD, de 21/08/2013, publicado boletim oficial da UFSC 23/08/2013. Objetivo: Titulação: Diplomado em: Licencido em Química Química Período de Conclusão do Curso: Carga

Leia mais

Química Analítica IV INTRODUÇÃO A VOLUMETRIA

Química Analítica IV INTRODUÇÃO A VOLUMETRIA Química Análítica IV - II sem/2012 Profa Ma Auxiliadora - 1 Química Analítica IV 1 semestre 2012 Profa. Maria Auxiliadora Costa Matos INTRODUÇÃO A VOLUMETRIA VOLUMETRIA Química Análítica IV - II sem/2012

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES TURMA: G ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Diagnose da turma. -Trabalho individual

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES TURMA: G ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Diagnose da turma. -Trabalho individual ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES CURSO PROFISSIONAL Técnico de Instalações Elétricas DISCIPLINA: FÌSICA e QUÌMICA TURMA: G ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

Leia mais

BC 0307 Transformações Químicas Prof. Dr. André Sarto Polo Bloco B Sala 1014 andre.polo@ufabc.edu.br http://transquim.ufabc.edu.br 1 Descrição da Disciplina Fornecer os fundamentos básicos de química para

Leia mais

Descrição da Disciplina

Descrição da Disciplina BC0307 Transformações Químicas Descrição da Disciplina Fornecer os fundamentos básicos de química para a compreensão de fenômenos envolvendo a relação entre as várias áreas da ciência, no que tange as

Leia mais