Tratamento do Diabético com Doença Renal Crônica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tratamento do Diabético com Doença Renal Crônica"

Transcrição

1 Tratamento do Diabético com Doença Renal Crônica IV ENCONTRO NACIONAL DE PREVENÇÃO DA DOENÇA RENAL CRÔNICA Fortaleza - Ceará João Roberto de Sá Coordenador do Amb. Diabetes e Transplante - Centro de Diabetes Supervisor do Programa de Residência em Endocrinologia UNIFESP/EPM

2 Controle Intensivo e Microalbuminúria em DM1

3 Controle Glicêmico Intensivo e Doença Renal Diabética em DM2

4

5 Controle Glicêmico e Sobrevida de Pacientes diabéticos em HD

6 Baseado no guideline da ADA que reconhece necessidade de objetivos menos rígidos em populações com risco aumentado de hipoglicemia grave. AJKD,2007;49,Suppl 2

7 Monnier L and Collete C. Diabetes Care 31 (S2):S150 S154, 2008

8 CONTINUOUS GLUCOSE MONITORING (CGM) IN TYPE 1 DIABETICS (DM1) AT HEMODIALYSIS 350 Durante Diálise + 4 h + 8 h + 12h + 16 h + 20h 300 Dia da diálise 250 # # # # # 24 h pré @ # p < 00 0,05 vs 150 # Durante a p(<0,05 vs before h - 20 h - 16 h - 12 h - 8 h - 4 h n = 11 HbA1c = 9± 1,7 % (nl<7%) Monteagudo PT, Sa JR el al. Diabetes 2008

9 Controle Glicêmico na DRCD Resistência Insulínica Neoglicogênese g Renal Mtbli Metabolismo de Hipoglicemiantes Orais Neoglicogênese Hepática ái Hiporexia Degradação Renal de Insulina Metabolismo hepático de Insulina Níveis A1c falsamente elevados ou diminuídos i AHA Scientific Statement; Circulation. 2003;108:2154

10 Protocolos de Tratamento Não estão bem estabelecidos. Exemplo: Utilização de Insulina de longa ação Carpentier: a favor (1) Mak : contra (2) 1: Diabetes Metab 26 (suppl 4):73-85,2000 2: Semin Dial 13:4-8,2000

11 Antidiabéticos Orais e DRC Droga Sulfoniluréias Clorpropamida Glibenclamida Glimepirida Glipizida Cliclazida Glinidas Repaglinida Nateglinida Inibidores alfa glicosidase Acarbose Biguanidas Glitazonas Análogos Incretinas idpp4 Metformina Rosi/Pio Exenatide Sitagliptina gp Vildagliptina

12 Clorpropamida : Uso de SU na DRC evitar se clearance < 50 ml/min removida na HD fora do mercado nos EUA e países europeus Glibenclamida metabolizada no fígado metabólitos ativos excretados pelo rim metabólitos : ação 75% (M1) 50% (M2) 3a. Fase de eliminação prolonga 1/2 vida a 15h em normais não usar se Clearance < 50 ml/min excreção 50% fezes; 50% urina em idosos: hipoglicemias > 12 horas Sonnenblick, M; Age Ageing 1986; 15:185

13 Uso de SU na DRC Glimepirida : 3% pacientes com hipoglicemia grave se clearance < 20 ml/min: Glipizida 1mg / dia bom controle glicêmico por 3 meses sem necessidade de ajuste de dose Gliclazida mesmo se Clearance < 10 ml/min 2% pacientes com hipoglicemia grave Bennett WM. Drug prescribing in renal failure. Dosing guideline for adults. Third Edition. Philadelphia: American College of Physicians, 1994, 93 Carpentier G; Diabetes & Metabolism 2000; 26: 73 Sonnenblick, M; Age Ageing 1986; 15:185

14 GLINIDAS Repaglinida Metabolismo hepático Excretada bile e fezes <10% aparece na urina Sem necessidade de ajuste da dose Nateglinida Metabolismo hepático Vários metabólitos ativos 83% da droga na urina 16% droga inalterada Cautela e ajuste

15 INIBIDORES DA α GLICOSIDASE Minimamente absorvida 13 metabólitos <2% da dose e seu metabólito ativo aparecem na urina Meia vida: 02 horas Pouca informação. Uso não recomendado d

16 BIGUANIDAS Metformina Inibição da Gliconeogênese Hepática Não liga-se a proteínas Eliminação renal por filtração e secreção tubular Meia vida: 15 1,5 a 87h 8,7 horas 90% excretada em 12 a 24 horas

17 Metformina Clearance > 70ml/m : dose plena. Clearance > 50 e < 70 ml/m: 50% dose. Clearance < ml/m: evitar. Complicações; Comuns: meteorismo;gosto metálico;diarréia Grave: Acidose lática.

18 Acidose lática Metformina 1-15/ associada à metformina. 9,7 a 16/ diabéticos, independente da metformina. 50% Aumento meia vida maioria i dos casos de acidose lática na vigência i de DRC Critérios para evitar: Fabricante Creatinina > 1,5 mg/dl Creatinina> i 1,4 mg/dl De Fronzo: clearance < 60-70mL/min Tendência: usar até clearance 30-50mL/min Nisbet JC; MJA 2004; 180 (2): 53 Brown JB; Diabetes Care. 1998;21(10):1659 Misbin RI; Diabetes Care; 2004; 27:1791

19 Rosi e Pioglitazona Metabolismo hepático Efeitos colaterais: GLITAZONAS Edema : 3 a 5 % em monoterapia ICC : mais comum associada a insulina (não indicar em Classe III e IV NYHA) Facilitação de formação de III espaço? Causa multifatorial como retenção de Na, alteração de permeabilidade vascular e aumento de atividade do sistema nervoso simpático. Estudos recentes : Maior mortalidade por DCV? Evitar associação com Insulinoterapia?

20 Antidiabéticos Orais e DRC Droga DRC estágio 3 e 4 Diálise Complicação Sulfoniluréia Clorpropamida Evitar Evitar Hipoglicemia Glibenclamida Evitar Evitar Hipoglicemia Glimepirida Dose baixa:1mg/dia Evitar Hipoglicemia Glipizida Sem ajuste Sem ajuste Cliclazida Sem ajuste Sem ajuste Inibidores alfa glicosidase Acarbose Creat>2mg/dl: evitar Evitar Hepatotoxicidade Biguanidas Metformina ClCreat<30ml/minuto:evitar Evitar Acidose Láctica Glitazonas Rosi/Pio Sem ajuste Sem ajuste mas cuidado Retencao hidrica e ICC DAC? Análogos Incretinas Exenatide Sem ajuste evitar Nausea,vomitos e pouco conhecimento idpp4 Sitagliptina ClearCreat< 50 :diminuir 25% e < 30 Diminuir 50% Hipoglicemia diminuir 50% Poucos dados na literartura Vildagliptina Mesmo ajuste Diminuir 50% ou não usar

21 INSULINA - Conceito Basal / Bolus Insulina Basal Nível diário de insulina praticamente constante. Suprimir a produção hepática de glicose interprandial e no pernoite. 50 a 60% da necessidade diária. Insulina em Bolus( refeições) Limitar a hiperglicemia pós-prandial Suplementação de insulina nas refeições Contagem de Hidratos de Carbono Fator de Sensibilidade à Insulina

22 Insulinoterapia Basal Insulina Início (horas) Pico (horas) Duração (horas) NPH Glargina 1-2 Sem pico 24 Detemir 1-3 Sem pico 13 a 16 horas BIISC 0,5 a 1 Sem pico Contínua

23 Insulina para Suplementação Insulina Início (minutos) Pico (horas) Duração (horas) Regular Lispro Aspártica

24 Transplante Simultâneo Pâncreas erim % Sobrevida nos primeiros 100 % Sobrevida nos últimos 100 PACIENTE 80 87,5 84,5 PANCREAS ,5 RIM % Sobrevida nos 200 TX Dados não publicados : Equipe Multidisciplinar Transplantes UNIFESP/EPM

25 Objetivos do Controle Glicêmico AJKD,2007;49,Suppl 2

26 Conclusões Paciente de alta complexidade. Maior susceptibilidade à hipoglicemia. Contra-indicações freqüentes aos ADO. Insulinoterapia e automonitoração da glicemia gce acapa capilar deea deveriam ser mais as utilizadas.

27 Tratamento t do Diabetes Mellitus no Paciente Portador de Doença Renal Crônica Muito Obrigado!! João Roberto de Sá Coordenador Ambulatório de Diabetes e Transplante Supervisor do Programa de Residência Médica em Endocrinologia UNIFESP/EPM

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS UNIVERSIDADE DE UBERABA LIGA DE DIABETES 2013 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS PALESTRANTES:FERNANDA FERREIRA AMUY LUCIANA SOUZA LIMA 2013/2 CRITÉRIOS PARA ESCOLHA

Leia mais

DM Tipo 1 e Tipo 2: Principais abordagens terapêuticas e medicamentosas Marcio Krakauer

DM Tipo 1 e Tipo 2: Principais abordagens terapêuticas e medicamentosas Marcio Krakauer DM Tipo 1 e Tipo 2: Principais abordagens terapêuticas e medicamentosas Marcio Krakauer Endocrinologista ADIABC Liga DM FMABC DOENÇA AUTO IMUNE DESTRUIÇÃO DA CÉLULA BETA INSULINOPENIA DM 1 Produção Normal

Leia mais

Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos. Profa. Dra. Fernanda Datti

Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos. Profa. Dra. Fernanda Datti Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos Profa. Dra. Fernanda Datti Pâncreas Ilhotas de Langerhans células beta insulina células alfa glucagon células gama somatostatina regulação das atividades

Leia mais

FÁRMACOS UTILIZADOS NO

FÁRMACOS UTILIZADOS NO UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA SAÚDE DO ADULTO E DO IDOSO IV FÁRMACOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DO

Leia mais

24 de Outubro 5ª feira insulinoterapia Curso Prático Televoter

24 de Outubro 5ª feira insulinoterapia Curso Prático Televoter 2013 Norte 24 de Outubro 5ª feira insulinoterapia Curso Prático Televoter António Pedro Machado Simões-Pereira Descoberta da insulina Insulina protamina Insulina lenta Lispro - análogo de acção curta Glulisina

Leia mais

Visão geral dos antidiabéticos orais tradicionais: secretagogos, inibidores da alfa-glicosidase e sensibilizadores de insulina

Visão geral dos antidiabéticos orais tradicionais: secretagogos, inibidores da alfa-glicosidase e sensibilizadores de insulina Visão geral dos antidiabéticos orais tradicionais: secretagogos, inibidores da alfa-glicosidase e sensibilizadores de insulina INTRODUÇÃO O controle da hiperglicemia em longo prazo é essencial para a manutenção

Leia mais

Profa. Dra. Maria Cristina Foss-Freitas Departamento de Clínica Médica Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto

Profa. Dra. Maria Cristina Foss-Freitas Departamento de Clínica Médica Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Profa. Dra. Maria Cristina Foss-Freitas Departamento de Clínica Médica Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto DM - Diagnóstico ADA - 2003 Normal Gj Alterada DM 100 126 OMS GTT oral - 75 g Intolerância

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 26 de Abril Sexta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Francisco Azevedo Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª

Leia mais

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DO DIABETES MELITUS - ADO

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DO DIABETES MELITUS - ADO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DO DIABETES MELITUS - ADO Dra Luciana Marques de Araujo I Simpósio Científico do Centro de Ciências Médicas Por Que Tratar? Primeira causa de cegueira adquirida do mundo Primeira

Leia mais

DIABETES E CIRURGIA ALVOS DO CONTROLE GLICÊMICO PERIOPERATÓRIO

DIABETES E CIRURGIA ALVOS DO CONTROLE GLICÊMICO PERIOPERATÓRIO DIABETES E CIRURGIA INTRODUÇÃO 25% dos diabéticos necessitarão de cirurgia em algum momento da sua vida Pacientes diabéticos possuem maiores complicações cardiovasculares Risco aumentado de infecções Controle

Leia mais

Suplemento Especial nº 4-2007. POSICIONAMENTO nº 4. Novas diretrizes da SBD para o controle glicêmico do diabetes tipo 2

Suplemento Especial nº 4-2007. POSICIONAMENTO nº 4. Novas diretrizes da SBD para o controle glicêmico do diabetes tipo 2 Suplemento Especial nº 4-2007 POSICIONAMENTO nº 4 Novas diretrizes da SBD para o controle glicêmico do diabetes tipo 2 NOVAS DIRETRIZES DA SBD PARA O CONTROLE GLICÊMICO DO DIABETES TIPO 2 Posicionamento

Leia mais

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite Insulinização http://www.imepen.com/niepen Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite CONTROLE GLICÊMICO NO BRASIL: Mendes AB, et al. Acta

Leia mais

Diabetes. Fisiopatologia e Farmacoterapia II. Introdução. Insulina 12/02/2012. Introdução Ilhotas de Langerhans

Diabetes. Fisiopatologia e Farmacoterapia II. Introdução. Insulina 12/02/2012. Introdução Ilhotas de Langerhans Diabetes Fisiopatologia e Farmacoterapia II Profa. Ms. Renata Fontes Introdução Pâncreas: Glândula localizada atrás da parte baixa do estômago Introdução Ilhotas de Langerhans Porção endócrina do pâncreas

Leia mais

Incretinomiméticos e inibidores de DPP-IV

Incretinomiméticos e inibidores de DPP-IV Bruno de Oliveira Sawan Rodrigo Ribeiro Incretinomiméticos e inibidores de DPP-IV Liga de Diabetes - UNIUBE GLP-1 GLP-1 é normalmente produzido pelas células neuroendócrinas L da mucosa intestinal Sua

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 50 /2015 - CESAU Salvador, 23 de março de 2015 Objeto: Parecer. Promotoria de Justiça GESAU / Dispensação de medicamentos. REFERÊNCIA: Promotoria de Justiça de Conceição do Coité/

Leia mais

Workshop em insulinoterapia CASOS CLÍNICOS. Joana Guimarães e Márcia Alves 16 de Maio de 2014

Workshop em insulinoterapia CASOS CLÍNICOS. Joana Guimarães e Márcia Alves 16 de Maio de 2014 Workshop em insulinoterapia CASOS CLÍNICOS Joana Guimarães e Márcia Alves 16 de Maio de 2014 Indicações para insulinoterapia Deficiência grave de insulina Doente magro ou normoponderal Longa duração da

Leia mais

Farmacologia do Pâncreas Endócrino: Insulina e Antidiabéticos ticos Orais

Farmacologia do Pâncreas Endócrino: Insulina e Antidiabéticos ticos Orais Universidade Federal Fluminense -UFF Instituto Biomédico Disciplina de Farmacologia BásicaB Farmacologia do Pâncreas Endócrino: Insulina e Antidiabéticos ticos Orais Profa. Elisabeth Maróstica Farmacologia

Leia mais

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP OBJETIVOS DE TRATAMENTO: Alvos glicêmicos: -Pré prandial: entre 100 e 140mg/dL -Pós prandial: < 180mg/dL -Evitar hipoglicemia Este protocolo

Leia mais

Antidiabéticos orais

Antidiabéticos orais 11º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 Endocrinologia Clínica Diabetes Antidiabéticos orais Zulmira Jorge Serviço Endocrinologia Diabetes e Metabolismo. H. Santa Maria NEDO - Núcleo Endocrinologia Diabetes e

Leia mais

Recomendações Nacionais da SPD para o Tratamento da Hiperglicemia na Diabetes Tipo 2 Versão Resumida

Recomendações Nacionais da SPD para o Tratamento da Hiperglicemia na Diabetes Tipo 2 Versão Resumida Recomendações Nacionais da SPD para o Tratamento da Hiperglicemia na Diabetes Tipo 2 Versão Resumida SPD National Guidelines for the Treatment of Hiperglicemia in Type 2 Diabetes Abridged Version R. Duarte,

Leia mais

RESPOSTARÁPIDA 36/2014 GALVUS MET, PIOTAZ, CANDESARTAN, LEVOID, ROSTATIN

RESPOSTARÁPIDA 36/2014 GALVUS MET, PIOTAZ, CANDESARTAN, LEVOID, ROSTATIN RESPOSTARÁPIDA 36/2014 GALVUS MET, PIOTAZ, CANDESARTAN, LEVOID, ROSTATIN SOLICITANTE Dra MARCILENE DA CONCEIÇÃO MIRANDA NÚMERODOPROCESSO 0166.14.000132-1 (0001321-35.2014.8.13.0166) DATA 31/01/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel DIABETES MELLITUS Diabetes mellitus Definição Aumento dos níveis de glicose no sangue, e diminuição da capacidade corpórea em responder à insulina e ou uma diminuição ou ausência de insulina produzida

Leia mais

ADESÃO AO TRATAMENTO COM HIPOGLICEMIANTES ORAIS

ADESÃO AO TRATAMENTO COM HIPOGLICEMIANTES ORAIS ADESÃO AO TRATAMENTO COM HIPOGLICEMIANTES ORAIS: Pacientes portadores de Diabetes mellitus tipo 2 do Centro Integrado de Saúde, no município de Castilho/SP. Adriano Garcia de Queiroz Graduando do Curso

Leia mais

ANTIDIABÉTICOS. CONCEITO: Doença crônica caracterizada pela deficiência de insulina que acarreta um estado crônico de hiperglicemia.

ANTIDIABÉTICOS. CONCEITO: Doença crônica caracterizada pela deficiência de insulina que acarreta um estado crônico de hiperglicemia. ANTIDIABÉTICOS PACIENTE DIABÉTICO: CUIDADOS FARMACÊUTICOS Autor: Roberto B. Bazotte MEDBOOK EDITORA CIENTÍFICA Rua Pereira de Almeida 14, Praça da Bandeira - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20260-100 (21) 2502-4438

Leia mais

INSULINOTERAPIA. Aluna: Maria Eduarda Zanetti

INSULINOTERAPIA. Aluna: Maria Eduarda Zanetti INSULINOTERAPIA Aluna: Maria Eduarda Zanetti Descoberta da Insulina 1889, von Mering e Minkowski retiraram o pâncreas de um cão para entender como isso modificaria a digestão de gordura. Ao fazer a analise

Leia mais

O Diabetes Tipo 2 em Pacientes com Doença Renal Crônica: Estratégias e Opções de Tratamento

O Diabetes Tipo 2 em Pacientes com Doença Renal Crônica: Estratégias e Opções de Tratamento Apoiado por um subsídio educacional independente de Boehringer Ingelheim e Lilly Caso 1 Uma mulher de 55 anos de idade recentemente foi diagnosticada com diabetes mellitus tipo 2 (DMT2). Seu clínico geral

Leia mais

Maria Deolinda Figueiredo Neves, João Roberto Sá, Luciene Aparecida Morais e Sergio Atala Dib. RESUMO

Maria Deolinda Figueiredo Neves, João Roberto Sá, Luciene Aparecida Morais e Sergio Atala Dib. RESUMO Tratamento da Hiperglicemia no Paciente com Diabete Melito e Doença Renal Crônica. Hyperglycemia Treatment in Patients with Diabetes Mellitus and Chronic Kidney Disease Maria Deolinda Figueiredo Neves,

Leia mais

Diabetes Tipo 1 e Cirurgia em Idade Pediátrica

Diabetes Tipo 1 e Cirurgia em Idade Pediátrica Diabetes Tipo 1 e Cirurgia em Idade Pediátrica Protocolo de atuação Importância do tema Cirurgia / pós-operatório -- risco de descompensação DM1: Hiperglicemia Causas: hormonas contra-reguladoras, fármacos,

Leia mais

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas.

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas. A Diabetes é a sexta causa mais frequente de internação hospitalar e contribui de forma significativa (30% a 50%) para outras causas como cardiopatias isquêmicas, insuficiência cardíacas, AVC e hipertensão.

Leia mais

TEMA: Uso de Insulina Humalog ou Novorapid (aspart) ou Apidra (glulisina) no tratamento do diabetes mellitus

TEMA: Uso de Insulina Humalog ou Novorapid (aspart) ou Apidra (glulisina) no tratamento do diabetes mellitus NT 140/2014 Solicitante: Dr. Rodrigo Braga Ramos Juiz de Direito de Itamarandiba NUMERAÇÃO: 0325.14.000677-7 Data: 17/07/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: Uso de Insulina Humalog

Leia mais

DIABETES TIPO 2 NOVIDADES TERAPÊUTICAS E CONDUTAS. Luíz Antônio de Araújo

DIABETES TIPO 2 NOVIDADES TERAPÊUTICAS E CONDUTAS. Luíz Antônio de Araújo DIABETES TIPO 2 NOVIDADES TERAPÊUTICAS E CONDUTAS Luíz Antônio de Araújo Potencial Conflito de Interesses Palestrante: Merck Sharp and Dohme, Novartis Transporte e/ou estadia em congressos: Jansen, Lilly

Leia mais

Fisiopatologia e tratamento do Diabetes Mellitus tipo 2

Fisiopatologia e tratamento do Diabetes Mellitus tipo 2 Número de pessoas com daibetes no mundo (milhões) DM2: Um Problema Crescente Doença progressiva e grave Cerca de 90% dos diabéticos são DM2 Fisiopatologia e tratamento do Diabetes Mellitus tipo 2 Giovanna

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 381 /2014 Informações sobre:galvus,pioglit ediamicron

RESPOSTA RÁPIDA 381 /2014 Informações sobre:galvus,pioglit ediamicron RESPOSTA RÁPIDA 381 /2014 Informações sobre:galvus,pioglit ediamicron SOLICITANTE Dr. Emerson de Oliveira Corrêa Juiz de Direito de Candeias NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0008919-81.2014.813.0120 DATA 16/07/2014

Leia mais

DROGAS HIPOGLICEMIANTES

DROGAS HIPOGLICEMIANTES DROGAS HIPOGLICEMIANTES Secreção da insulina Insulina plasmática Receptor de insulina Ações da insulina DIABETES: Síndrome de múltipla etiologia, decorrente da falta de insulina e/ou sua incapacidade

Leia mais

2014. CCATES. Leonardo Maurício Diniz Faculdade de Medicina/ UFMG. Juliana de Oliveira Costa CCATES/UFMG. Lívia Lovato Pires de Lemos CCATES/UFMG

2014. CCATES. Leonardo Maurício Diniz Faculdade de Medicina/ UFMG. Juliana de Oliveira Costa CCATES/UFMG. Lívia Lovato Pires de Lemos CCATES/UFMG 2014. CCATES. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial. A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 Norte 24 de Outubro Quinta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª hora 200

Leia mais

APRESENTAÇÕES KOMBIGLYZE XR (saxagliptina / cloridrato de metformina) é apresentado na forma de:

APRESENTAÇÕES KOMBIGLYZE XR (saxagliptina / cloridrato de metformina) é apresentado na forma de: KOMBIGLYZE XR saxagliptina / cloridrato de metformina APRESENTAÇÕES KOMBIGLYZE XR (saxagliptina / cloridrato de metformina) é apresentado na forma de: Comprimidos revestidos de saxagliptina 5 mg e cloridrato

Leia mais

Victoza. Medicamento. Material. Procedimento. Data: 13/03/2013. Cobertura. Nota Técnica 28 /2013. Número do processo: 459.13.

Victoza. Medicamento. Material. Procedimento. Data: 13/03/2013. Cobertura. Nota Técnica 28 /2013. Número do processo: 459.13. Medicamento X Material Data: 13/03/2013 Nota Técnica 28 /2013 Procedimento Cobertura Número do processo: 459.13.001038-0 Juíza: Daniela Cunha Pereira Victoza MARÇO/2013 1 SUMÁRIO 1-RESUMO EXECUTIVO...

Leia mais

Apoio à pessoa com diabetes Diabetes de A a Z

Apoio à pessoa com diabetes Diabetes de A a Z Apoio à pessoa com diabetes Diabetes de A a Z Tudo o que precisa de saber 1 ÍNDICE DE CONTEÚDOS 04 COMPREENDER A DIABETES TIPO 2 Em que situações surge a diabetes tipo 2? Quais as principais causas? Quais

Leia mais

Posicionamento Oficial SBD nº 02/2015. Conduta Terapêutica no

Posicionamento Oficial SBD nº 02/2015. Conduta Terapêutica no Posicionamento Oficial SBD nº 02/2015 Conduta Terapêutica no Diabetes Tipo 2: Algoritmo SBD 2015 Índice - 3 - PREFÁCIO - 6 - MÓDULO 1 OBJETIVOS E LIMITAÇÕES DAS DIRETRIZES E CONSENSOS MÉDICOS - 7 - MÓDULO

Leia mais

Diabetes Mellitus: Rotinas de seguimento. Ricardo F. Arrais

Diabetes Mellitus: Rotinas de seguimento. Ricardo F. Arrais Diabetes Mellitus: Rotinas de seguimento Ricardo F. Arrais Diabetes: Breve Histórico 1550 a.c - papiros de Ebers II séc. d.c - Aretaeus da Capadócia descrição e denominação do diabetes (sifão) V e VI séc.

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg JARDIANCE (empagliflozina) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg Jardiance empagliflozina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 10 mg ou 25

Leia mais

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães Cecilia Sartori Zarif Residente em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais da UFV Distúrbio do Pâncreas Endócrino Diabete Melito

Leia mais

Medicamentos para o tratamento da Diabetes Mellitus

Medicamentos para o tratamento da Diabetes Mellitus Medicamentos para o tratamento da Diabetes Mellitus 1. Princípios e critérios utilizados Princípio de inclusão Foram incluídos no presente formulário medicamentos com autorização de introdução no mercado

Leia mais

Coordenador Antonio R.Chacra (SP) Coordenador Antonio R.Chacra (SP) 10:00 10:30 Coffee-Break Coordenador Antonio R.Chacra (SP)

Coordenador Antonio R.Chacra (SP) Coordenador Antonio R.Chacra (SP) 10:00 10:30 Coffee-Break Coordenador Antonio R.Chacra (SP) 16 o Curso Avançado em Tratamento Hotel Sheraton WTC São Paulo, Brasil 4, 5 e 6 de abril de 2014 do Diabetes Programa Prezado(a) Colega, Este é o nosso. O Curso é intensivo constituindo numa imersão e

Leia mais

TEMA: Uso de Insulina Glargina no diabetes mellitus (DM) tipo 1

TEMA: Uso de Insulina Glargina no diabetes mellitus (DM) tipo 1 NT 85/2013 Solicitante: Dra JACQUELINE DE SOUZA TOLEDO E DUTRA Juíza de Direito do 2º JESP Unidade Jurisdicional do Juizado Especial da Comarca de Pouso Alegre Numeração: 0004266-19.2013.8.13.0525 Data:

Leia mais

Insulinização em pacientes portadores de DM2

Insulinização em pacientes portadores de DM2 Insulinização em pacientes portadores de DM2 Especialista em Endocrinologia e Metabologia Médico do Núcleo de Telessaúde da UFMG Acadêmico:Henrique Gomes Mendes Bolsista da PROEX/UFMG 10 Período FM/UFMG

Leia mais

IMS Health Diabetes Mellitus Overview 2014

IMS Health Diabetes Mellitus Overview 2014 IMS Health Diabetes Mellitus Overview 2014 Portugal 2014 SOBRE A IMS HEALTH Operando em mais de 100 países, a IMS Health é fornecedora e líder mundial de soluções aplicadas às indústrias farmacêuticas

Leia mais

Insulinoterapia na Diabetes tipo 2

Insulinoterapia na Diabetes tipo 2 Insulinoterapia na Diabetes tipo 2 J. Vilela Gonçalves Unidade de Diabetes Hospital CUF Infante Santo 22º Curso NEDO, Viseu, Outubro 2012 Tratamento com Insulina Diabetes tipo 1 Diabetes gestacional (

Leia mais

INSULINOTERAPIA: Histórico

INSULINOTERAPIA: Histórico INSULINOTERAPIA: Histórico Egito antigo 2000 A.C. Areteu Capadócia, 2000 D.C. T. Willis Inglaterra, 1670 Chevreul 1815 Von Mering e Minkowinsky, 1889 P. Langehans 1869 Amon-Ra Banting e Best 1921 L. Thompson

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes. Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira

Sessão Televoter Diabetes. Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira 2010 Sessão Televoter Diabetes Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira Indivíduos com risco elevado para diabetes (Pré-diabetes) Alteração da glicémia em jejum (AGJ): Glicémia em jejum: entre 110

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Paris, 07 de junho, de 2008 Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Novos dados apresentados na Annual

Leia mais

Diabetes mellitus em felinos

Diabetes mellitus em felinos Definição Diabetes mellitus em felinos Profa Mestre Leila Taranti (NAYA Endocrinologia&VESP/FESB) Diabetes mellitus é definido como hiperglicemia persistente causada pela relativa ou absoluta deficiência

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DO CIM-RS

BOLETIM INFORMATIVO DO CIM-RS BOLETIM INFORMATIVO DO CIM-RS Insulina glargina no tratamento do diabete melito Introdução O diabete melito é uma doença crônica que apresenta uma alta prevalência mundial; acomete pacientes de todas as

Leia mais

Profa. Fernanda Oliveira Magalhães

Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Conceito Importância - Prevalência Classificação Diagnóstico Tratamento Não farmacológico Farmacológico Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes, 2011 www.diabetes.org.br

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg JARDIANCE (empagliflozina) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg Jardiance empagliflozina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 10 mg ou 25

Leia mais

Apoio à pessoa com diabetes Controlo da Diabetes

Apoio à pessoa com diabetes Controlo da Diabetes Apoio à pessoa com diabetes Controlo da Diabetes Guia prático para a gestão da diabetes 1 MANTER HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEIS Ter um estilo de vida saudável é a base de uma diabetes bem controlada. Como

Leia mais

Como prescrever o exercício no tratamento do DM. Acad. Mariana Amorim Abdo

Como prescrever o exercício no tratamento do DM. Acad. Mariana Amorim Abdo Como prescrever o exercício no tratamento do DM Acad. Mariana Amorim Abdo Importância do Exercício Físico no DM Contribui para a melhora do estado glicêmico, diminuindo os fatores de risco relacionados

Leia mais

Diabetes Mellitus em animais de companhia. Natália Leonel Ferreira 2º ano Medicina Veterinária

Diabetes Mellitus em animais de companhia. Natália Leonel Ferreira 2º ano Medicina Veterinária Diabetes Mellitus em animais de companhia Natália Leonel Ferreira 2º ano Medicina Veterinária O que é Diabetes Mellitus? É uma doença em que o metabolismo da glicose fica prejudicado pela falta ou má absorção

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: DIABETES MELLITUS TIPO II E O ANTIDIABÉTICO METFORMINA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

Uso Correto da Medicação. Oral e Insulina Parte 2. Denise Reis Franco Médica. Alessandra Gonçalves de Souza Nutricionista

Uso Correto da Medicação. Oral e Insulina Parte 2. Denise Reis Franco Médica. Alessandra Gonçalves de Souza Nutricionista Uso Correto da Medicação Denise Reis Franco Médica Alessandra Gonçalves de Souza Nutricionista Eliana M Wendland Doutora em Epidemiologia Oral e Insulina Parte 2 Uso correto da medicação oral e insulina

Leia mais

Programa Evidência em Diabetes

Programa Evidência em Diabetes Programa Evidência em Diabetes Ciência em Educação Médica Continuada Diabetes mellitus do tipo 2 e nefropatia Prof. Dr. Artur Beltrame Ribeiro (CRM-SP 14.793) Tratamento do paciente com diabetes do tipo

Leia mais

CLODRIDRATO DE METFORMINA 500/850 mg

CLODRIDRATO DE METFORMINA 500/850 mg CLODRIDRATO DE METFORMINA 500/850 mg LER CUIDADOSAMENTE ANTES DE USAR FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES CLORIDRATO DE METFORMINA 500 mg: cartucho com 3 blisters de 10 comprimidos revestidos CLORIDRATO

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA /2014

RESPOSTA RÁPIDA /2014 RESPOSTA RÁPIDA /2014 SOLICITANTE Curvelo - Juizado Especial NÚMERO DO PROCESSO DATA 3/3/2014 SOLICITAÇÃO 0209 14001499-1 Solicito de Vossa Senhoria que, no prazo de 48 horas, informe a este juízo,acerca

Leia mais

Estudo com Mais de 6.000 Pacientes Confirma

Estudo com Mais de 6.000 Pacientes Confirma Estudo com Mais de 6.000 Pacientes Confirma Bezafibrato Melhora o Perfil Lipídico e Reduz Hemoglobina Glicada Ideal para Pacientes Dislipidêmicos com Diabetes Tipo 2 Isento de Efeitos Adversos Graves Diabetes

Leia mais

Programa de Educação Médica Continuada em Diabetes. Programa de Educação Continuada

Programa de Educação Médica Continuada em Diabetes. Programa de Educação Continuada Programa de Educação Continuada Diabetes Mellitus na Clínica Diária: 5 do controle dos fatores de risco à prevenção das complicações crônicas Bases para insulinização plena no paciente com Diabetes Mellitus

Leia mais

Meguanin cloridrato de metformina

Meguanin cloridrato de metformina Meguanin cloridrato de metformina Comprimidos Uso oral APRESENTAÇÕES MEGUANIN 500 mg: caixa contendo 30 comprimidos. MEGUANIN 850 mg: caixas contendo 30 e 200 comprimidos. USO ADULTO COMPOSIÇÃO Meguanin

Leia mais

CRITÉRIOS NÚMERO: 001/2011 DATA: 07/01/2011 ASSUNTO: PALAVRA CHAVE: PARA: CONTACTOS:

CRITÉRIOS NÚMERO: 001/2011 DATA: 07/01/2011 ASSUNTO: PALAVRA CHAVE: PARA: CONTACTOS: ASSUNTO: PALAVRA CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 001/2011 DATA: 07/01/2011 Terapêutica da Diabetes Mellitus tipo 2: metformina Metformina Médicos do Serviço Nacional de Saúde Departamento da Qualidade

Leia mais

Que tipos de Diabetes existem?

Que tipos de Diabetes existem? Que tipos de Diabetes existem? -Diabetes Tipo 1 -também conhecida como Diabetes Insulinodependente -Diabetes Tipo 2 - Diabetes Gestacional -Outros tipos de Diabetes Organismo Saudável As células utilizam

Leia mais

te hospitalizado não crítico

te hospitalizado não crítico pósio: Condutas em enfermaria de clínica médica de hospital de média complexidade - Parte 1 Capítulo V Manejo da hiperglicemia no pacien- te hospitalizado não crítico Management of hyperglycemia in non

Leia mais

Impacto das novas abordagens terapêuticas e financiamento da diabetes

Impacto das novas abordagens terapêuticas e financiamento da diabetes Impacto das novas abordagens terapêuticas e financiamento da diabetes Helder Mota Filipe Vice-Presidente, INFARMED, I.P. Professor Associado, FFUL 25 Junho 2015 2 Prevalência da Diabetes em Portugal 2013

Leia mais

AS MODERNAS INSULINAS

AS MODERNAS INSULINAS AS MODERNAS INSULINAS II Congresso para Diabéticos promovido pela Aliança de Atenção ao Diabetes do Rio de Janeiro - Foto molecular da insulina humana - Izidoro de Hiroki Flumignan - médico endocrinologista

Leia mais

Convivendo com o Diabetes

Convivendo com o Diabetes Convivendo com o Diabetes Uma publicação Roche Diagnostica Brasil Revisão e apoio: Sociedade Brasileira de Diabetes SBD Ilustrações, Design e Produção: Alvo Propaganda & Marketing Todos os direitos reservados

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DAS REGIÕES DE SAÚDE DIR-XIV-MARÍLIA

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DAS REGIÕES DE SAÚDE DIR-XIV-MARÍLIA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DAS REGIÕES DE SAÚDE DIR-XIV-MARÍLIA Protocolo de normatização para a dispensação de análogos de insulina de longa duração (insulina glargina e detemir) e de

Leia mais

APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 100 mg e 300 mg de canagliflozina em embalagens com 10 e 30 comprimidos.

APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 100 mg e 300 mg de canagliflozina em embalagens com 10 e 30 comprimidos. BULA PROFISSIONAL DA SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO INVOKANA TM canagliflozina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 100 mg e 300 mg de canagliflozina em embalagens com 10 e 30 comprimidos. USO ORAL

Leia mais

Programa de Educação Médica Continuada em Diabetes. Programa de Educação Continuada

Programa de Educação Médica Continuada em Diabetes. Programa de Educação Continuada Programa de Educação Continuada Diabetes Mellitus na Clínica Diária: 4 do controle dos fatores de risco à prevenção das complicações crônicas Insulinização basal no Tratamento do Diabetes Mellitus tipo

Leia mais

Insulinoterapia na Diabetes tipo 2

Insulinoterapia na Diabetes tipo 2 Presentation title Insulinoterapia na Diabetes tipo 2 Aspectos práticos Teresa Dias Serviço de Endocrinologia do HSM. Lisboa Lisboa, Fevereiro de 2012 Insulina Background Insulina Humana e Análogos de

Leia mais

DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS 18/9/2014

DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS 18/9/2014 UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª.: FLÁVIA NUNES O Diabetes Mellitus configura-se hoje como uma epidemia mundial, traduzindo-se em grande desafio para os sistemas de saúde de todo o mundo. O envelhecimento

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INSULINIZAÇÃO PARA A REDE PÚBLICA DE SAÚDE. Aula 1: DM1: Diagnóstico, Metas de Tratamento e Esquema Basal-Bolus

CONCEITOS BÁSICOS DE INSULINIZAÇÃO PARA A REDE PÚBLICA DE SAÚDE. Aula 1: DM1: Diagnóstico, Metas de Tratamento e Esquema Basal-Bolus CONCEITOS BÁSICOS DE INSULINIZAÇÃO PARA A REDE PÚBLICA DE SAÚDE Aula 1: DM1: Diagnóstico, Metas de Tratamento e Esquema Basal-Bolus História Clínica BSR, 19 anos, sexo feminino. Diagnóstico de diabetes

Leia mais

STANGLIT cloridrato de pioglitazona MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA

STANGLIT cloridrato de pioglitazona MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA STANGLIT cloridrato de pioglitazona MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÕES Comprimido contendo 15 mg, 30 mg ou 45 mg em embalagem com 30 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO

Leia mais

3 - Síndrome Metabólica Síndrome de Resistência Insulínica

3 - Síndrome Metabólica Síndrome de Resistência Insulínica Diabetes Mellitus Diabetes Mellitus 1 - Fatores de risco 2 - Diagnóstico de DM, HAS, Dislipidemia 3 - Síndrome Metabólica Síndrome de Resistência Insulínica 4 - Classificação de DM 5 - Fisiopatologia do

Leia mais

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1 1. DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO Januvia 25 mg comprimidos revestidos por película 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada comprimido contém fosfato

Leia mais

- E S T U D O D E C A S O -

- E S T U D O D E C A S O - - E S T U D O D E C A S O - Perfil glicêmico comparativo entre a insulina N versus a insulina glargina analisado através do sistema de monitorização contínua da glicemia (CGSM) no diabetes mellitus tipo1

Leia mais

FORXIGA (dapagliflozina)

FORXIGA (dapagliflozina) FORXIGA (dapagliflozina) Comprimidos revestidos 5mg e 10mg FORXIGA dapagliflozina I. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FORXIGA dapagliflozina APRESENTAÇÕES FORXIGA (dapagliflozina) é apresentado na forma farmacêutica

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Cuidados com os Pacientes Renais Crônicos durante internação no HIAE

Diretrizes Assistenciais. Cuidados com os Pacientes Renais Crônicos durante internação no HIAE Diretrizes Assistenciais Cuidados com os Pacientes Renais Crônicos durante internação no HIAE Versão eletrônica atualizada em jan/2012 Definição Cuidados com os pacientes renais crônicos durante avaliação

Leia mais

do Diabetes Tipo 2 Atualização 2011 Posicionamento Oficial SBD n o 3 2011 Julho de 2011

do Diabetes Tipo 2 Atualização 2011 Posicionamento Oficial SBD n o 3 2011 Julho de 2011 2011 Algoritmo para o Tratamento do Diabetes Tipo 2 Atualização 2011 Posicionamento Oficial SBD n o 3 2011 Julho de 2011 Índice - 3 - PREFÁCIO - 6 - MÓDULO 1 OBJETIVOS E LIMITAÇÕES DAS DIRETRIZES E CONSENSOS

Leia mais

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica Ltda. XIGDUO XR dapagliflozina + cloridrato de metformina APRESENTAÇÃO

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica Ltda. XIGDUO XR dapagliflozina + cloridrato de metformina APRESENTAÇÃO XIGDUO XR dapagliflozina + cloridrato de metformina APRESENTAÇÃO XIGDUO XR (dapagliflozina + cloridrato de metformina) é apresentado na forma de: Comprimidos revestidos de liberação prolongada de 5 mg/1000

Leia mais

PROTOCOLOS CLÍNICOS PARA ASSISTÊNCIA AO DIABETES NA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE

PROTOCOLOS CLÍNICOS PARA ASSISTÊNCIA AO DIABETES NA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE PROTOCOLOS CLÍNICOS PARA ASSISTÊNCIA AO DIABETES NA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE Salvador - Bahia 2014 Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria de Saúde do Estado da Bahia Washington Luís Silva Couto

Leia mais

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento Pré diabetes Diagnóstico e Tratamento Zulmira Jorge Assistente Hospitalar Endocrinologia do Hospital Santa Maria Endocrinologista do NEDO e do Hospital Cuf Infante Santo Diabetes Mellitus Diagnóstico PTGO

Leia mais

Glucoformin cloridrato de metformina

Glucoformin cloridrato de metformina Glucoformin cloridrato de metformina LER CUIDADOSAMENTE ANTES DE USAR FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES GLUCOFORMIN 500 mg: Cartucho com 1 blister de 10 comprimidos revestidos Cartucho com 3 blisters

Leia mais

Tipo 1: destruição da célula beta, geralmente ocasionando deficiência absoluta de insulina, de natureza auto-imune ou idiopática

Tipo 1: destruição da célula beta, geralmente ocasionando deficiência absoluta de insulina, de natureza auto-imune ou idiopática 1 Diabetes Melito 1 Definição: O diabetes melito é uma síndrome de etiologia múltipla decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade da insulina exercer adequadamente seus efeitos. Caracteriza-se

Leia mais