11º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 Endocrinologia Clínica Diabetes. Diabetes: avaliação da evolução e do tratamento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "11º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 Endocrinologia Clínica Diabetes. Diabetes: avaliação da evolução e do tratamento"

Transcrição

1 11º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 Endocrinologia Clínica Diabetes Diabetes: avaliação da evolução e do tratamento Zulmira Jorge Serviço Endocrinologia Diabetes e Metabolismo. H. Santa Maria NEDO - Núcleo Endocrinologia Diabetes e Obesidade Centro de Endocrinologia e Alimentação. H. Cuf Infante Santo

2 Diabetes mellitus Tipo 1 ou insulinodependente Destruição das células β, conduzindo geralmente a um défice insulínico absoluto Tipo 1 Tipo 2 Outros tipos específicos Diabetes mellitus gestacional (DMG) A. Auto-imune B. Idiopática? (ADA) American Diabetes Association. Diabetes Care 2005; 28(Suppl 1):S37-S42.

3 Desenvolvimento e Progressão da Diabetes Tipo 2* Progressão da Doença Resistência à insulina Produção hepática de glicose Nível de insulina Função da célula β 4 7 anos Glicemia pós-prandial Glicemia em jejum Tolerância diminuída à glicose Diagnóstico da Diabetes Diabetes Evidente Reimpresso de Primary Care, 26, Ramlo-Halsted BA, Edelman SV, The natural history of type 2 diabetes. Implications for clinical practice, , 1999, com autorização de Elsevier. *Representação conceptual.

4 História Natural da Diabetes Tipo 2 Glicose (mg/dl) Função Relativa Kendall DM, Bergenstal RM 2005 International Diabetes Center, Minneapolis, MN All rights reserved. Nutrição & Exercício Obesidade Sedentarismo Genética Pre Diabetes (IFG, IGT) Síndrome Metabólica Diagnóstico Clínico Início da DM Secretagogo Anos Tiazolidinedionas Metformina Insulina Glicemia Pós- Prandial Glicemia de Jejum Resistência Insulínica Nível de Insulina

5 Insulino-resistência e disfunção célula β na progressão para Diabetes tipo 2 Insulino-resistência Diminuição Função célula β Insulino-resistência e Hiperinsulinemia com Tolerância Glicose Normal Insulino-resistência e Declíneo níveis Insulina com DiminuiçãoTolerância Glicose Diabetes tipo 2

6 Declíneo da função da célula β antes do diagnóstico de diabetes tipo 2 início disfunção cél. β ocorre muito antes da hiperglicemia e anos antes da diabetes mais de 50% da função cél. β está perdida quando do diagnóstico de diabetes intervenções de prevenção e tratamento da diabetes precoces são mais efectivos resposta cél. β mais eficaz Am J Cardiol. 2002;90(suppl):3G-10G. Diabetes Rev. 1999;7:

7 Declíneo Progressivo da Função Célula β com metformina ou sulfonilureias em monoterapia Após o 1º ano, a taxa de declíneo da função da célula β é similar nos doentes tratados com dieta (n=110), metformina (n=159), ou sulfonilureia (n=511) UKPDS a falência do tratamento em monoterapia, com sulfonilureia, metformina ou insulina depois do diagnóstico de diabetes tipo 2, é consistente com o progressivo declínio da função da célula β Adaptado de UKPDS 16. Diabetes 1995;44 e Turner RC et al. JAMA.1999

8 A Diabetes tipo 2 é uma Doença Progressiva o aumento da HbA1c, apesar das terapêuticas, corresponde à insuficiência das células β importância do diagnóstico precoce da diabetes para preservar a função e a massa das células β UKPDS Lancet 1998

9 Critérios para Rastreio da Diabetes em adultos assintomáticos 1. Rastreio deve ser considerado em todos os adultos com excesso peso (IMC 25Kg/m 2* ) e com 1 ou mais factores risco adicionais: - sedentarismo - familiares 1º grau com diabetes - membros de grupo etnico de alto (ex Afro Americanos, Latinos, Nativos Americanos, Asiáticos Americanos, Insulares Pacífico) - mulheres que tiveram filhos com > 4 kg ou com diabetes gestacional - HTA ( 140/90mmHg ou a fazer terapêutica anti-hipertensiva) - HDL colesterol <35 mg/dl (0,90 mmol/l) e/ou TG >250 mg/dl (2,82 mmol/l) - mulheres com SOP - HbA1c 5,7%, TDG, ou AGJ em análises prévias - outras situações clínicas associadas a insulino-resistência (ex obesidade grave, acantose nigricans) - história de DCV 2. Na ausência dos critérios acima, rastreio de diabetes aos 45 anos 3. Se resultado normal, repetir 3/3 anos, ou mais apertado dependendo do valor inicial e do risco *IMC de risco poderá ser menor nalguns grupos etnicos Diabetes Care, Jan 2010

10 História Natural da Diabetes tipo 2 Complicações +++ Sem Complicações

11 Risco da Progressão das Complicações Risco de complicações aumenta com o aumento HbA1c Necessário encontrar o equilibrio entre a redução das complicações e o risco de hipoglicemias graves

12 Estratégia de monitorização e objectivos do tratamento de doentes com diabetes mellitus As associações profissionais nacionais e internacionais recomendam que a HbA 1c, a glicémia em jejum e a glicémia pós-prandial sejam consideradas os objectivos primários do tratamento e, nessa qualidade, façam parte de qualquer estratégia de monitorização. ADA* ACE IDF WHO HbA 1c (%) Normal: 4-6% < <6.5 Jejum/pré-prandial mg/dl <110 < Pós-prandial (2-horas) <180 <140 < *A ADA recomenda uma HbA 1c tão perto do normal quanto possível (<6.0%) sem hipoglicémia significativa. (ADA) American Diabetes Association. Diabetes 2010; 33(Suppl 1):S11-S61. (IDF) International Diabetes Federation. Global Guideline, Chapter 6, Glucose Control levels (ACE) American College of Endocrinology. Endocrine Practice 2002; 8(Suppl 1):5-11. (ESC) European Society of Cardiology. Ryden L et al. Eur Heart J 2007; 28:

13 Diabetes Tipo 2: Objectivos Terapêuticos SPD 2007 ESC e EASD* 2007 ADA** 2006 HbA 1c <6,5% <6,5% <7% Glic. jj < 110 mg/dl < 108 mg/dl mg/dl Glic. pp < 140 mg/dl < 135 mg/dl < 180 mg/dl Pressão Arterial Colesterol LDL <130/80 mmhg <130/80 mmhg <130/80 mmhg 100 mg/dl 70 mg/dl < 100 mg/dl Colesterol HDL >40 mg/dl ou >46 mg/dl >40 mg/dl ou >46 mg/dl > 40 mg/dl Triglicéridos < 150 mg/dl < 150 mg/dl < 150 mg/dl *Adaptado de Task force on Diabetes from European Society of Cardiology (ESC) and European Association for the Study of Diabetes (EASD), European Heart Journal, 2007, 28, ** adaptado de American Diabetes Association (ADA). Diabetes Care 2010;33(Suppl1) S11-S61.

14 Componentes da Avaliação do doente diabético História Clínica Terapêutica actual (medicação, dieta, actividade física), resultados da AMGC e utilização desses dados pelo doente Exame Físico Avaliação Laboratorial Referenciações Diabetes Care, Jan 2010

15 Componentes da Avaliação do doente diabético História Clínica Idade e caracterisitcas início da diabetes (ex CAD, achado laboratorial assintomático) Hábitos alimentares, actividade fisica, estado nutricional, história do peso, crescimento e desenvolvimento nas crianças e adolescentes História de educação para a diabetes Revisão dos regimes terapêuticos prévios e resposta terapêutica (níveis HbA1c) Diabetes Care, Jan 2010

16 Componentes da Avaliação do doente diabético Terapêutica actual (medicação, dieta, actividade física), resultados da AMGC e utilização desses dados pelo doente Frequência CAD, gravidade, e causa Episódios Hipoglicemias - consciência das hipoglicemias - alguma hipoglicemia grave: frequência a causa História das complicações relacionadas com a diabetes Microvasculares: retinopatia, nefropatia, neuropatia (sensorial, incluindo história de lesões nos pés; autonomica, incluindo DS e gastroparesia) Macrovasculares: DC, DCV, DAP Outras: problemas psicologicos, doenças dentárias Diabetes Care, Jan 2010

17 Componentes da Avaliação do doente diabético Exame Físico Peso, altura, IMC Determinação pressão arterial, incluindo medida ortostática se indicado Fundoscopia Palpação tiroideia Exame da pele ( acantose nigricans, local injecção insulina) Exame dos pés: - Inspecção - Palpação pulsos pediosos dorsais e tibiais posteriores - Presença/ausência dos reflexos patelar e Aquliano - Determinação da propriocepção, vibração e sensilidade monofilamento Diabetes Care, Jan 2010

18 Componentes da Avaliação do doente diabético Avaliação Laboratorial HbA1c, se não tiver resultado dos últimos 2-3 meses Se não foi efectuado/avaliado no ano passado: - perfil lipídico em jejum, incluindo LDL e HDL colesterol e TG - função hepática - microalbuminuria - creatinina P e clearance creatinina - TSH nos diabéticos tipo 1, dislipidemia, ou mulheres > 50 anos Diabetes Care, Jan 2010

19 Componentes da Avaliação do doente diabético Referenciações Exame dos olhos anual com dilatação Planeamento familiar mulheres idade reprodutiva Consulta dietética Ensino auto-monitorização da diabetes Exame dentário Profissional saúde mental, se necessário Diabetes Care, Jan 2010

20 Avaliação do Controlo Glicémico Auto-Monitorização Glicose sangue ( glicemia capilar ou intersticial) HbA1c Diabetes Care, Jan 2010

21 Avaliação do Controlo Glicémico Auto-Monitorização Glicemia Capilar (AMGC) Recomendações 3 ou mais determinações/dia em doentes insulinotratados com múltiplas injecções ou com bomba de insulina poderá ser útil como orientação do sucesso terapêutico em doentes medicados com insulina com menos frequência, não insulinotratados, ou apenas a fazer terapêutica nutricional poderá ser apropriada para determinar glicemia pós prandial quando prescrita deverá ser assegurado o ensino inicial e avaliado no seguimento a técnica e o uso dos dados para ajustar a terapêutica Diabetes Care, Jan 2010

22 Recomendações Avaliação do Controlo Glicémico Monitorização Contínua Glicose poderá ser útil em conjugação com esquemas intensivos de insulina para baixar a HbA1c em adultos seleccionados (idade 25 anos) com diabetes tipo 1 poderá ser útil nas crianças, adolescentes e jovens adultos apesar de nestes grupos a redução da HbA1c ser menos pronunciada; o sucesso correlaciona-se com a aderência para compreender a sua utilização poderá complementar a AMGC nos doentes com hipoglicemias assintomáticas e/ou episódios de hipoglicemias frequentes Diabetes Care, Jan 2010

23 Avaliação do Controlo Glicémico HbA1c Recomendações Determinação pelo menos 2x/ano nos doentes dentro dos objectivos terapêuticos (e nos doentes com controlo glicémico estável) Determinação 4x/ano em doentes com alterações terapêuticas ou nos que não se encontrem nos objectivos terapêuticos Usada pontualmente permite decidir alterações terapêuticas, quando necessário Diabetes Care, Jan 2010

24 Avaliação do Controlo Glicémico HbA1c Limitações Condições que alteram o turnover dos eritrócitos (hemólise, hemorragia) Hemoglobinopatias Permite verificar a fidelidade dos registos de AMGC Não permite avaliar a variabilidade glicémica nem as hipoglicemias Nos doentes propensos a variabilidade glicémica (diabéticos tipo 1 ou tipo 2 com défice grave insulina) o controlo glicémico é melhor avaliado pela combinação de HbA1c e AMGC Diabetes Care, Jan 2010

25 Sumário das Recomendações Glicemias para Adultos Diabéticos (homens e mulheres não grávidas) HbA1c <7,0% Glicemia capilar pré-prandial Glicemia capilar pós-prandial Conceitos chave para objectivos glicémicos: HbA1c é o objectivo primário para controlo glicémico Objectivos deverão ser individualizados de acordo com: - duração da diabetes - idade/esperança de vida - comorbilidades - DCV conhecida ou microvascular avançada - hipoglicemias assintomáticas - considerações individuais do doente Maior ou menor rigor no objectivo glicemico adapatado individualmente Glicemia pós prandial pode ser útil se o objectivo da HbA1c não foi cumprido apesar das glicémais pré-prandiais atingirem o objectivo mg/dl <180 mg/dl Diabetes Care, Jan 2010

26

27

28

29 Prevenir/Atrasar a Diabetes tipo 2 Recomendações Doentes com TDG, AGJ, ou HBA1c 5,7-6,4% - programa para perder 5-10% do peso corporal - aumento da actividade física 150min/sem intensidade moderada Seguimento das alterações do estilo de vida importante para o sucesso Considerar a associação de metformina nos indivíduos com elevado risco de desenvolverem diabetes (AGJ e TDG e outros factores de risco como HbA1c >6%, HTA, HDL baixo, TG elevados, ou história familiar de diabetes em familiares 1º grau) e nos obesos e com menos de 60 anos. Monitorização anual para o desenvolvimento da diabetes nos indivíduos com pré-diabetes Diabetes Care, Jan 2010

30 Prevenir/Atrasar a Diabetes tipo 2 apenas a metformina deverá ser usada na prevenção da diabetes - DPP mostrou que metformina é mais eficaz que alteração estilo de vida em indivíduos com IMC 35 Kg/m 2 e com menos de 60 anos outros fármacos - questão de custos, efeitos adversos e falta de persistência dos efeitos em alguns estudos Diabetes Care, Jan 2010

31

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento Pré diabetes Diagnóstico e Tratamento Zulmira Jorge Assistente Hospitalar Endocrinologia do Hospital Santa Maria Endocrinologista do NEDO e do Hospital Cuf Infante Santo Diabetes Mellitus Diagnóstico PTGO

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 26 de Abril Sexta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Francisco Azevedo Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes. Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira

Sessão Televoter Diabetes. Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira 2010 Sessão Televoter Diabetes Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira Indivíduos com risco elevado para diabetes (Pré-diabetes) Alteração da glicémia em jejum (AGJ): Glicémia em jejum: entre 110

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 Norte 24 de Outubro Quinta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª hora 200

Leia mais

DIABETES TIPO 2 PREVALÊNCIA DIAGNÓSTICO E ABORDAGEM. Paula Bogalho. S. Endocrinologia Diabetes e Metabolismo

DIABETES TIPO 2 PREVALÊNCIA DIAGNÓSTICO E ABORDAGEM. Paula Bogalho. S. Endocrinologia Diabetes e Metabolismo DIABETES TIPO 2 PREVALÊNCIA DIAGNÓSTICO E ABORDAGEM Paula Bogalho S. Endocrinologia Diabetes e Metabolismo Hosp. Curry Cabral, Lisboa, 20.2.2010 Diabetes Crescimento nos países em desenvolvimento Diabetes

Leia mais

Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes

Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes O Dia Mundial da Saúde é celebrado todo 7 de abril, e neste ano, o tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientização

Leia mais

24 de Outubro 5ª feira insulinoterapia Curso Prático Televoter

24 de Outubro 5ª feira insulinoterapia Curso Prático Televoter 2013 Norte 24 de Outubro 5ª feira insulinoterapia Curso Prático Televoter António Pedro Machado Simões-Pereira Descoberta da insulina Insulina protamina Insulina lenta Lispro - análogo de acção curta Glulisina

Leia mais

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Paris, 07 de junho, de 2008 Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Novos dados apresentados na Annual

Leia mais

AS SOLUÇÕES... 1. A prevalência da diabetes na população portuguesa entre os 20-79 anos é:

AS SOLUÇÕES... 1. A prevalência da diabetes na população portuguesa entre os 20-79 anos é: RESPOSTAS OBTIDAS AS SOLUÇÕES... 1. A prevalência da diabetes na população portuguesa entre os 20-79 anos é: a) inferior a 10% b) superior a 20% c) entre 13-14% d) nenhuma das anteriores 2. Em Portugal

Leia mais

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue Universidade Estadual Paulista DIABETES E EXERCÍCIO FÍSICO Profª Dnda Camila Buonani da Silva Disciplina: Atividade Física e Saúde Tópicos da Aula 1. Carboidrato como fonte de energia 2. Papel da insulina

Leia mais

Programa Nacional para a Diabetes. Orientações Programáticas

Programa Nacional para a Diabetes. Orientações Programáticas Programa Nacional para a Diabetes Orientações Programáticas 1 - Enquadramento O Programa Nacional de Controlo da Diabetes existe, em Portugal, desde a década de setenta, tendo sido atualizado e revisto

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diabetes & você

INTRODUÇÃO. Diabetes & você INTRODUÇÃO Diabetes & você Uma das coisas mais importantes na vida de uma pessoa com diabetes é a educação sobre a doença. Conhecer e saber lidar diariamente com o diabetes é fundamental para levar uma

Leia mais

Prevenir a Diabetes no Adulto

Prevenir a Diabetes no Adulto Prevenir a Diabetes no Adulto Rui Duarte APDP 2007 Prevenir a Diabetes no Adulto VALE A PENA PREVENIR? PODE SE PREVENIR? COMO PREVENIR? O Peso da Doença l l l l No ano 2025 a diabetes afectará cerca de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Diabetes mellitus. Aconselhamento. Glicemia.

PALAVRAS-CHAVE Diabetes mellitus. Aconselhamento. Glicemia. ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA 1 A PARTICIPAÇÃO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE

Leia mais

Diabetes: diagnóstico e clínica

Diabetes: diagnóstico e clínica Diabetes: diagnóstico e clínica J. Vilela Gonçalves Unidade de Diabetes/HCIS 11º Curso Pos-Graduado/NEDO Luso, Junho 2010 Diabetes: classificação (sumária) Diabetes Mellitus tipo 1 Diabetes Mellitus tipo

Leia mais

O QUE SABE SOBRE A DIABETES?

O QUE SABE SOBRE A DIABETES? O QUE SABE SOBRE A DIABETES? 11 A 26 DE NOVEMBRO DE 2008 EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELO SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DO HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE DIABETES MELLITUS É uma doença grave? Estou em

Leia mais

ESPECTRO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças. Classificação de Diabetes em Jovens

ESPECTRO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças. Classificação de Diabetes em Jovens ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças Paulo César Alves da Silva Hospital Infantil Joana de Gusmão Florianópolis-SC Florianópolis-SC Módulo de

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE CRUTAC. Diabetes mellitus. Exames Laboratoriais. Extensão.

PALAVRAS-CHAVE CRUTAC. Diabetes mellitus. Exames Laboratoriais. Extensão. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AUTOCUIDADO

Leia mais

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012)

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem

Leia mais

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si A função da insulina é fazer com o que o açúcar entre nas células do nosso corpo, para depois poder

Leia mais

Direção do Programa Nacional para a Diabetes e da Ordem do Médicos, divulga a seguinte:

Direção do Programa Nacional para a Diabetes e da Ordem do Médicos, divulga a seguinte: Francisco Henrique Moura George Digitally signed by Francisco Henrique Moura George DN: c=pt, o=ministério da Saúde, ou=direcção-geral da Saúde, cn=francisco Henrique Moura George Date: 2015.01.12 15:35:51

Leia mais

Capacitação Linha Guia Diabetes Mellitus

Capacitação Linha Guia Diabetes Mellitus Capacitação Linha Guia Diabetes Mellitus http://www.imepen.com/niepen Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite Conceito DM Grupo heterogêneo

Leia mais

Diário da diabetes CONTROLAR A DIABETES. Este diário pertence a:

Diário da diabetes CONTROLAR A DIABETES. Este diário pertence a: CONTROLAR A DIABETES Diário da diabetes Este diário destina-se a ajudá-lo a manter actualizadas informações importantes que o podem ajudar na gestão diária da sua diabetes. Também estão incluídas neste

Leia mais

Suplemento Especial nº 4-2007. POSICIONAMENTO nº 4. Novas diretrizes da SBD para o controle glicêmico do diabetes tipo 2

Suplemento Especial nº 4-2007. POSICIONAMENTO nº 4. Novas diretrizes da SBD para o controle glicêmico do diabetes tipo 2 Suplemento Especial nº 4-2007 POSICIONAMENTO nº 4 Novas diretrizes da SBD para o controle glicêmico do diabetes tipo 2 NOVAS DIRETRIZES DA SBD PARA O CONTROLE GLICÊMICO DO DIABETES TIPO 2 Posicionamento

Leia mais

NÚMERO: 002/2011 DATA: 14/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTO:

NÚMERO: 002/2011 DATA: 14/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTO: NÚMERO: 002/2011 DATA: 14/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTO: Diagnóstico e Classificação da Diabetes Mellitus Diabetes ; Diagnóstico Médicos e Enfermeiros do Serviço Nacional de Saúde Departamento

Leia mais

Diabetes mellituséuma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue QUEM DA MAIS?...

Diabetes mellituséuma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue QUEM DA MAIS?... Diabetes mellituséuma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue QUEM DA MAIS?... Nathan et al. (2005) American Diabetes Association, (2005) 12% da população

Leia mais

DIETOTERAPIA II PLANO DE ENSINO. PROGRAMAÇÃO SEGUNDA-FEIRA 14:00 ÀS 17:40 e 18:30 ÀS 22:00

DIETOTERAPIA II PLANO DE ENSINO. PROGRAMAÇÃO SEGUNDA-FEIRA 14:00 ÀS 17:40 e 18:30 ÀS 22:00 DIETOTERAPIA II PLANO DE ENSINO PROGRAMAÇÃO SEGUNDA-FEIRA 14:00 ÀS 17:40 e 18:30 ÀS 22:00 06/02 Aula 01 Apresentação do programa. Revisão de Dietoterapia I. 13/02 Aula 02 Dietoterapia nos distúrbios do

Leia mais

Diabetes Mellitus. Introdução. Sinais e sintomas. Diagnóstico

Diabetes Mellitus. Introdução. Sinais e sintomas. Diagnóstico Diabetes Mellitus Introdução Distúrbio metabólico caracterizado por hiperglicemia crônica e alterações do metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras, decorrentes de defeitos da secreção e/ou ação

Leia mais

DIABETES E SINAIS VITAIS

DIABETES E SINAIS VITAIS AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013 DIABETES E SINAIS VITAIS Marcia Nery Equipe Médica de Diabetes Hospital das Clínicas da FMUSP Definição Diabetes mellitus: Doença

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Curso de semiologia em Clínica Médica II

DIABETES MELLITUS. Curso de semiologia em Clínica Médica II DIABETES MELLITUS Curso de semiologia em Clínica Médica II Prof. Luiz Shiguero Matsubara Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina de Botucatu, u, UNESP 2008 DIABETES MELLITUS Síndrome clínica

Leia mais

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Prevenção Cardio vascular Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Principal causa de morte em todo o mundo Considerada uma EPIDEMIA pela OMS em 2009 Alta mortalidade Alta morbidade = Muitas

Leia mais

Observação em Promoção da Saúde e Doenças Crónicas

Observação em Promoção da Saúde e Doenças Crónicas Observação em Promoção da Saúde e Doenças Crónicas Dia do INSA A Observação de Saúde, função colaborativa -atribuições, actividades e perspectivas futuras Porto, 27 Setembro 2010 Departamento de Promoção

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 197/XIII/1.ª

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 197/XIII/1.ª b Grupo Parlamentar PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 197/XIII/1.ª RECOMENDA AO GOVERNO A DISPONIBILIZAÇÃO DE TERAPÊUTICA COM SISTEMA DE PERFUSÃO CONTÍNUA DE INSULINA (SPCI) A TODAS AS CRIANÇAS COM DIABETES ATÉ

Leia mais

Teste seus conhecimentos: Caça-Palavras

Teste seus conhecimentos: Caça-Palavras Teste seus conhecimentos: Caça-Palavras Batizada pelos médicos de diabetes mellitus, a doença ocorre quando há um aumento do açúcar no sangue. Dependendo dos motivos desse disparo, pode ser de dois tipos.

Leia mais

Insulinoterapia na Diabetes tipo 2

Insulinoterapia na Diabetes tipo 2 Presentation title Insulinoterapia na Diabetes tipo 2 Aspectos práticos Teresa Dias Serviço de Endocrinologia do HSM. Lisboa Lisboa, Fevereiro de 2012 Insulina Background Insulina Humana e Análogos de

Leia mais

CONSULTA DE DIABETOLOGIA, SERVIÇO MEDICINA I DO CHMA, EPE

CONSULTA DE DIABETOLOGIA, SERVIÇO MEDICINA I DO CHMA, EPE Ecos da 5ª Reunião Nacional do NEDM da SPMI CITEVE, 26 e 27 Novembro, Vila Nova de Famalicão CONSULTA DE DIABETOLOGIA, SERVIÇO MEDICINA I DO CHMA, EPE A consulta de Diabetologia como consulta temática

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA

FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA GORDURA BRANCA X MARROM SINDROME METABÓLICA RESISTÊNCIA INSULÍNICA HIPERINSULINISMO ÍNDICE GLICÊMICO Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan & EQUIPE MULTIDISCIPLINAR MEDICINA

Leia mais

Como prescrever o exercício no tratamento do DM. Acad. Mariana Amorim Abdo

Como prescrever o exercício no tratamento do DM. Acad. Mariana Amorim Abdo Como prescrever o exercício no tratamento do DM Acad. Mariana Amorim Abdo Importância do Exercício Físico no DM Contribui para a melhora do estado glicêmico, diminuindo os fatores de risco relacionados

Leia mais

Diário do diabetes no dia a dia

Diário do diabetes no dia a dia Diário do diabetes no dia a dia Este diário foi projetado para ajudá-lo a acompanhar as informações importantes para controle do diabetes no dia a dia. Neste diário, estão incluídas também perguntas sugeridas

Leia mais

Jean Carl Silva. Declaração de conflito de interesse

Jean Carl Silva. Declaração de conflito de interesse Jean Carl Silva Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico ou

Leia mais

AÇÃO DE FORMAÇÃO PREVENÇÃO E CONTROLO DE DIABETES

AÇÃO DE FORMAÇÃO PREVENÇÃO E CONTROLO DE DIABETES AÇÃO DE FORMAÇÃO PREVENÇÃO E CONTROLO DE DIABETES MÓDULO I - DIABETES MELLITUS: a dimensão do problema Atualizar conhecimentos na área da diabetes; Sensibilizar para as medidas de prevenção; Adquirir competências

Leia mais

Ficha de Controle das Alterações dos Pés de Pacientes Diabéticos. Texto Explicativo:

Ficha de Controle das Alterações dos Pés de Pacientes Diabéticos. Texto Explicativo: Texto Explicativo: A ficha da sala de curativo deve ser preenchida enquanto se faz a anamnese e o exame físico do paciente na sala de curativos. Se possível, deverão estar presentes e preenchendo-a em

Leia mais

Curso Gestores da Prevenção da Diabetes Tipo 2

Curso Gestores da Prevenção da Diabetes Tipo 2 Curso Gestores da Prevenção da Diabetes Tipo 2 Leone Duarte Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal 6, 7 e 8 de Outubro 2010 O que é a diabetes tipo 2? O que é a diabetes tipo 2? Doença metabólica

Leia mais

O EXERCÍCIO CIO COMO TERAPIA NO DIABETES MELLITUS

O EXERCÍCIO CIO COMO TERAPIA NO DIABETES MELLITUS O EXERCÍCIO CIO COMO TERAPIA NO DIABETES MELLITUS UNIFESP Prof. William R. Komatsu FLEURY / UNIFESP Diabetes e seu tratamento Objetivos A tríade ade fundamental Diabetes e seu tratamento Objetivos A tríade

Leia mais

FORXIGA (dapagliflozina)

FORXIGA (dapagliflozina) FORXIGA (dapagliflozina) Comprimidos revestidos 5mg e 10mg FORXIGA dapagliflozina I. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FORXIGA dapagliflozina APRESENTAÇÕES FORXIGA (dapagliflozina) é apresentado na forma farmacêutica

Leia mais

CRITÉRIOS NÚMERO: 001/2011 DATA: 07/01/2011 ASSUNTO: PALAVRA CHAVE: PARA: CONTACTOS:

CRITÉRIOS NÚMERO: 001/2011 DATA: 07/01/2011 ASSUNTO: PALAVRA CHAVE: PARA: CONTACTOS: ASSUNTO: PALAVRA CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 001/2011 DATA: 07/01/2011 Terapêutica da Diabetes Mellitus tipo 2: metformina Metformina Médicos do Serviço Nacional de Saúde Departamento da Qualidade

Leia mais

Critérios de Selecção para Cirurgia Bariátrica

Critérios de Selecção para Cirurgia Bariátrica Critérios de Selecção para Cirurgia Bariátrica Zulmira Jorge Serviço Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo Hospital de Santa Maria Terapêutica Cirúrgica da Obesidade Cirurgia Bariátrica Perda peso significativa

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg JARDIANCE (empagliflozina) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg Jardiance empagliflozina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 10 mg ou 25

Leia mais

BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA HIPOCALÓRICA EM DIABÉTICOS

BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA HIPOCALÓRICA EM DIABÉTICOS BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA HIPOCALÓRICA EM DIABÉTICOS Autora: Márcia de Fátima Ferraretto Pavan Resumo: Diabetes mellitus é uma doença crônica e está associada a complicações que comprometem

Leia mais

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP OBJETIVOS DE TRATAMENTO: Alvos glicêmicos: -Pré prandial: entre 100 e 140mg/dL -Pós prandial: < 180mg/dL -Evitar hipoglicemia Este protocolo

Leia mais

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL? Condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados

Leia mais

Dia Mundial da Diabetes

Dia Mundial da Diabetes Dia Mundial da Diabetes 14 de Novembro de 2014 Alimentação Saudável começa com o pequeno-almoço Realizado por: João Montez Impresso por: Centro de Saúde de Loulé Ano de edição: 2014 Dia Mundial da Diabetes

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 238/XIII/1.ª. Recomenda ao Governo que implemente medidas de prevenção e combate à Diabetes e à Hiperglicemia Intermédia.

Projeto de Resolução n.º 238/XIII/1.ª. Recomenda ao Governo que implemente medidas de prevenção e combate à Diabetes e à Hiperglicemia Intermédia. Projeto de Resolução n.º 238/XIII/1.ª Recomenda ao Governo que implemente medidas de prevenção e combate à Diabetes e à Hiperglicemia Intermédia. O aumento da esperança de vida, conseguido através do desenvolvimento,

Leia mais

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Diagnóstico e conduta na Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional; Diabetes; Gravidez Profissionais de Saúde Divisão de Saúde

Leia mais

Assistente Hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição Centro Hospitalar do Baixo Vouga

Assistente Hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição Centro Hospitalar do Baixo Vouga DIABETES PREVENÇÃO, FATORES DE RISCO E TRATAMENTO Joana Guimarães Assistente Hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição Centro Hospitalar do Baixo Vouga www.endocrinologiadiabetesnutricao-aveiro.com

Leia mais

TRATAMENTO DO DIABETES DO IDOSO CONGRESSO CATARINENSE DE CARDIOLOGIA 2012

TRATAMENTO DO DIABETES DO IDOSO CONGRESSO CATARINENSE DE CARDIOLOGIA 2012 TRATAMENTO DO DIABETES DO IDOSO CONGRESSO CATARINENSE DE CARDIOLOGIA 2012 Potencial Conflito de Interesses De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 102/2000 da

Leia mais

DIABETES E CIRURGIA ALVOS DO CONTROLE GLICÊMICO PERIOPERATÓRIO

DIABETES E CIRURGIA ALVOS DO CONTROLE GLICÊMICO PERIOPERATÓRIO DIABETES E CIRURGIA INTRODUÇÃO 25% dos diabéticos necessitarão de cirurgia em algum momento da sua vida Pacientes diabéticos possuem maiores complicações cardiovasculares Risco aumentado de infecções Controle

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 50 /2015 - CESAU Salvador, 23 de março de 2015 Objeto: Parecer. Promotoria de Justiça GESAU / Dispensação de medicamentos. REFERÊNCIA: Promotoria de Justiça de Conceição do Coité/

Leia mais

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Projecto Mexa-se em Bragança Organização: Pedro Miguel Queirós Pimenta Magalhães E-mail: mexaseembraganca@ipb.pt Web: http://www.mexaseembraganca.ipb.pt

Leia mais

Diário da Diabetes. Automonitorizar a sua glicemia. Como a HbA1c corresponde à média a da glicose sanguínea. Valores de glicemia

Diário da Diabetes. Automonitorizar a sua glicemia. Como a HbA1c corresponde à média a da glicose sanguínea. Valores de glicemia Automonitorizar a sua glicemia Quando verifica diariamente a sua glicemia, obtém uma fotografia do nível nesse momento. Os testes HbA1c feitos pelo seu médico indicam a média dos seus níveis de glicemia

Leia mais

INSULINOTERAPIA. Aluna: Maria Eduarda Zanetti

INSULINOTERAPIA. Aluna: Maria Eduarda Zanetti INSULINOTERAPIA Aluna: Maria Eduarda Zanetti Descoberta da Insulina 1889, von Mering e Minkowski retiraram o pâncreas de um cão para entender como isso modificaria a digestão de gordura. Ao fazer a analise

Leia mais

Síndrome Metabólica e Risco Cardiovascular

Síndrome Metabólica e Risco Cardiovascular Síndrome Metabólica e Risco Cardiovascular Farmacoterapia Ano lectivo 2012-2013 Dias 19 e 26 de Novembro Isabel Vitória Figueiredo 1990 50 milhões de mortes em todo o mundo 28% 2030 [8 mil milhões] 32%

Leia mais

Diabetes Mellitus Gestacional em mulheres de baixa renda de uma região da bacia amazônica

Diabetes Mellitus Gestacional em mulheres de baixa renda de uma região da bacia amazônica Diabetes Mellitus Gestacional em mulheres de baixa renda de uma região da bacia amazônica Autor(es): Júlia Maria Martins Vieira 1 ; Kessila Nayane Costa Cruz 1 ; Pâmella Ferreira Rodrigues 1,2 ; Tutor:

Leia mais

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ.

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ. Referências bibliográficas: 1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Algoritmo para o tratamento do diabetes tipo 2 atualização 2011. Posicionamento Oficial SBD no. 3. São Paulo: SBD; 2011. 2. Sociedade Brasileira

Leia mais

Sedentarismo, tratamento farmacológico e circunferência abdominal no controle glicêmico de diabéticos tipo 2 em Ponta Grossa.

Sedentarismo, tratamento farmacológico e circunferência abdominal no controle glicêmico de diabéticos tipo 2 em Ponta Grossa. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE

Leia mais

DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS 18/9/2014

DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS 18/9/2014 UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª.: FLÁVIA NUNES O Diabetes Mellitus configura-se hoje como uma epidemia mundial, traduzindo-se em grande desafio para os sistemas de saúde de todo o mundo. O envelhecimento

Leia mais

Diabetes e a relação com as doenças periodontais

Diabetes e a relação com as doenças periodontais Diabetes e a relação com as doenças periodontais Na clínica diária, cirurgiões-dentistas devem estar atentos e orientar pacientes portadores de diabetes sobre a importância da saúde bucal para o controle

Leia mais

Diabetes Mellitus: Prevenção

Diabetes Mellitus: Prevenção Diabetes Mellitus: Prevenção Autoria: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Elaboração Final: 21 de outubro de 2006 Participantes: Lima JG, Nóbrega LHC, Lima G, Mendonça RP O Projeto Diretrizes,

Leia mais

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2008/2009 ANEXO III 2008/2009

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2008/2009 ANEXO III 2008/2009 Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2008/2009 ANEXO III 2008/2009 ÍNDICE Pág. INTRODUÇÃO........ 3 OBJECTIVOS........ 4 ACTIVIDADES/ESTRATÉGIAS...... 4 MATERIAL........ 5 RECURSOS HUMANOS.......

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 381 /2014 Informações sobre:galvus,pioglit ediamicron

RESPOSTA RÁPIDA 381 /2014 Informações sobre:galvus,pioglit ediamicron RESPOSTA RÁPIDA 381 /2014 Informações sobre:galvus,pioglit ediamicron SOLICITANTE Dr. Emerson de Oliveira Corrêa Juiz de Direito de Candeias NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0008919-81.2014.813.0120 DATA 16/07/2014

Leia mais

Obesidade Infantil. O que é a obesidade

Obesidade Infantil. O que é a obesidade Obesidade Infantil O que é a obesidade A obesidade é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar

Leia mais

ANEMIA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 1

ANEMIA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 1 ANEMIA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 1 Matias Nunes Frizzo 2, Paula Caitano Fontela 3, Eliane Roseli Winkelmann 4. 1 Pesquisa realizada no Departamento de Ciências da Vida - Curso de Farmácia

Leia mais

1- hipertensão arterial. 2- hiperglicemia. 3- presença de proteinúria. 4- ingesta proteica elevada. 5- obesidade

1- hipertensão arterial. 2- hiperglicemia. 3- presença de proteinúria. 4- ingesta proteica elevada. 5- obesidade COMO PREVENIR A DOENÇA RENAL CRÔNICA NA ATENÇÃO BÁSICA Fatores de risco para perda de função renal 1- hipertensão arterial 2- hiperglicemia 3- presença de proteinúria 4- ingesta proteica elevada 5- obesidade

Leia mais

Diabetes - Introdução

Diabetes - Introdução Diabetes - Introdução Diabetes Mellitus, conhecida simplesmente como diabetes, é uma disfunção do metabolismo de carboidratos, caracterizada pelo alto índice de açúcar no sangue (hiperglicemia) e presença

Leia mais

DÚVIDAS DO DIA A DIA EM CASOS DO MUNDO REAL

DÚVIDAS DO DIA A DIA EM CASOS DO MUNDO REAL DÚVIDAS DO DIA A DIA EM CASOS DO MUNDO REAL 1 de Novembro 2013 Francia Ferraz Interna do 3º ano MGF Orientadora: Rosa Maria Feliciano Caso clínico 68 anos Natural e residente em Santarém Casado Reformado

Leia mais

Cartilha Medicamentos para Diabetes

Cartilha Medicamentos para Diabetes Universidade Federal de São João del-rei Campus Centro-Oeste - Dona Lindu Divinópolis, Minas Gerais Cartilha Medicamentos para Diabetes Projeto Empoderamento Farmacoterapêutico de pacientes com Diabetes

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS - 2006

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS - 2006 MANUAL DE BOAS PRÁTICAS - 2006 Administração Regional de Saúde do Norte Comissão de Farmácia e Terapêutica da Região Norte Introdução As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade em

Leia mais

Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos. Profa. Dra. Fernanda Datti

Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos. Profa. Dra. Fernanda Datti Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos Profa. Dra. Fernanda Datti Pâncreas Ilhotas de Langerhans células beta insulina células alfa glucagon células gama somatostatina regulação das atividades

Leia mais

Cloridrato de metformina

Cloridrato de metformina Cloridrato de metformina Prati-Donaduzzi Comprimido de liberação prolongada 500 mg e 750 mg Cloridrato de metformina_bula_paciente INFORMAÇÕES AO PACIENTE cloridrato de metformina Medicamento genérico

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE SOBRE DIABETES TIPO I E A PRÉ-DIABETES COM ÊNFASE NA JUVENTUDE

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE SOBRE DIABETES TIPO I E A PRÉ-DIABETES COM ÊNFASE NA JUVENTUDE EDUCAÇÃO EM SAÚDE AOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE SOBRE DIABETES TIPO I E A PRÉ-DIABETES COM ÊNFASE NA JUVENTUDE Morais, Bruna Lais Alcará¹; Martins, Luz Marina Pinto² ¹ Estudante do Curso de Enfermagem

Leia mais

Profa. Fernanda Oliveira Magalhães

Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Conceito Importância - Prevalência Classificação Diagnóstico Tratamento Não farmacológico Farmacológico Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes, 2011 www.diabetes.org.br

Leia mais

DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg

DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg Diaformin cloridrato de metformina Comprimido IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA Obesidade 300 mil mortes / ano; 100 bi dólares / ano; O excesso de peso (IMC >25) acomete de 15% a 60% da população de todos os países civilizados. EUA...

Leia mais

Parte I PROTOCOLO DE DIABETES MELLITUS. Parte II PROTOCOLO DE ATENDIMENTO EM ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR

Parte I PROTOCOLO DE DIABETES MELLITUS. Parte II PROTOCOLO DE ATENDIMENTO EM ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR Parte I PROTOCOLO DE DIABETES MELLITUS Parte II PROTOCOLO DE ATENDIMENTO EM ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR Belo Horizonte 2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE junho de 2011 PREFEITO Marcio Lacerda

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel DIABETES MELLITUS Diabetes mellitus Definição Aumento dos níveis de glicose no sangue, e diminuição da capacidade corpórea em responder à insulina e ou uma diminuição ou ausência de insulina produzida

Leia mais

Workshop em insulinoterapia CASOS CLÍNICOS. Joana Guimarães e Márcia Alves 16 de Maio de 2014

Workshop em insulinoterapia CASOS CLÍNICOS. Joana Guimarães e Márcia Alves 16 de Maio de 2014 Workshop em insulinoterapia CASOS CLÍNICOS Joana Guimarães e Márcia Alves 16 de Maio de 2014 Indicações para insulinoterapia Deficiência grave de insulina Doente magro ou normoponderal Longa duração da

Leia mais

AS MODERNAS INSULINAS

AS MODERNAS INSULINAS AS MODERNAS INSULINAS II Congresso para Diabéticos promovido pela Aliança de Atenção ao Diabetes do Rio de Janeiro - Foto molecular da insulina humana - Izidoro de Hiroki Flumignan - médico endocrinologista

Leia mais

Hipertensão arterial. Casos clínicos. A. Galvão-Teles 22º CURSO NEDO PÓS-GRADUADO DE ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGIA EM CASOS CLÍNICOS

Hipertensão arterial. Casos clínicos. A. Galvão-Teles 22º CURSO NEDO PÓS-GRADUADO DE ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGIA EM CASOS CLÍNICOS 22º CURSO NEDO PÓS-GRADUADO DE ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGIA EM CASOS CLÍNICOS Casos clínicos Hipertensão arterial A. Galvão-Teles Viseu, Outubro de 2012 Caso Clínico 1 Motivo consulta: Bócio Mulher de

Leia mais