Apoio à pessoa com diabetes Controlo da Diabetes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apoio à pessoa com diabetes Controlo da Diabetes"

Transcrição

1 Apoio à pessoa com diabetes Controlo da Diabetes Guia prático para a gestão da diabetes 1

2

3

4

5

6 MANTER HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEIS Ter um estilo de vida saudável é a base de uma diabetes bem controlada. Como consigo ter a diabetes controlada? Para a diabetes estar bem controlada é necessário manter os níveis de glicemia no sangue dentro dos valores definidos pela equipa de saúde. Para tal, é muito importante que a pessoa com diabetes procure manter o equilíbrio entre: Quais os conselhos práticos para o dia a dia? Estes três elementos dependem entre si e todos juntos constituem a melhor forma de viver bem com a diabetes. A aquisição de um estilo de vida saudável tornará a pessoa mais feliz e confiante na sua própria capacidade de gerir a diabetes. Seguir o plano alimentar aconselhado pelo dietista, nutricionista ou outro profissional de saúde que o(a) segue; Realizar atividade física pelo menos durante 30 minutos, tal como marcha rápida, corrida ou natação; Combater o sedentarismo a cada duas horas levantar-se, caminhar, usar as escadas em vez do elevador, caminhar após as refeições; Tomar a medicação segundo as indicações do médico; Medir os níveis da glicemia no sangue e anotar na folha de registo; Medir a pressão arterial e o colesterol; Cuidar e autoexaminar os pés, prevenindo cortes, lesões, unhas doloridas. 6

7 Qual a relação da saúde oral com a diabetes? Se controlar os níveis de glicemia no sangue, reduz o risco de aparecimento de doenças orais. Além disso, a prevenção e o tratamento destas doenças são essenciais, pois estas podem descompensar a diabetes. Quais os principais cuidados a ter com os dentes? Consultar o dentista de 6 em 6 meses; Lavar os dentes pelo menos 2 vezes por dia; Usar fita dentária; Lavar a superfície da língua; Mudar de escova de dentes de 4 em 4 meses. Qual a patologia oral mais frequente? A gengivite é a patologia mais comum, normalmente originada pela escassez de cuidados de higiene oral. É essencial consultar o médico perante os seguintes sinais de alerta: Gengivas inflamadas ou vermelhas; Pus na boca ou entre os dentes; Placas esbranquiçadas nas gengivas; Sensibilidade ou cáries na superfície lisa dos dentes; Problemas na articulação e entre as arcadas dentárias. Como é constituída a equipa de apoio? A pessoa com diabetes tem ao seu serviço uma equipa de apoio constituída por especialistas de várias áreas da saúde: Médico, Enfermeiro, Dietista/Nutricionista, Oftalmologista, Dentista, Podologista (Especialista que trata os pés), Psicólogo/ Psiquiatra, Cardiologista, Assistente Social, entre outros. Qual a importância da equipa de apoio para a pessoa com diabetes? A pessoa com diabetes não deve deixar de procurar os especialistas que melhor a podem ajudar a viver de forma saudável e no controlo e compreensão desta doença crónica. É um direito seu, que deve ser assistido sempre que necessário. Que hábitos devo mudar? Fonte: DGS 7

8 COMO DEVO COMER A educação alimentar é essencial para o bom controlo da diabetes. Como deve agir a pessoa com diabetes para ter uma alimentação correta? Deve elaborar com o seu nutricionista ou dietista um plano alimentar saudável, equilibrado e com porções adequadas às suas necessidades energéticas. Negociar e fazer parte deste processo ajuda a que a própria pessoa encare este objetivo como sendo seu. Qual o objetivo do plano alimentar individual? Conseguir um bom controlo dos níveis de glicemia e prevenir ou tratar o excesso de peso, a hipertensão arterial e os níveis de colesterol e triglicéridos no sangue, reduzindo assim o risco das complicações da diabetes. Quais as principais regras de uma alimentação saudável? INCLUIR Seis refeições durante o dia, de modo a evitar estar mais de três horas sem comer Um pequeno-almoço completo e variado Uma ceia, para que o intervalo sem comer não seja superior a nove horas Para as pequenas refeições, optar por pão de mistura ou integral, cereais ricos em fibras, tostas com pouca gordura e sal, acompanhadas de leite ou iogurte magro ou uma peça de fruta Alimentos com hidratos de carbono de absorção lenta Hortaliças, legumes e frutas Alimentos preparados e cozinhados de forma simples Beber 1,5 l de água por dia Um plano alimentar adequado ajuda a evitar o excesso de peso. MODERAR/EVITAR Refrigerantes e bebidas açucaradas Bebidas alcoólicas* Alimentos com demasiados açúcares, gorduras ou sal * Beber no máximo 2 copos de vinho/dia, ou 2 cervejas/dia, acompanhando com hidratos de carbono. Reduzir a quantidade para metade no caso das mulheres. 8

9 Que alimentos devem fazer parte de uma dieta completa, equilibrada e variada? A Roda dos Alimentos ajuda a escolher e a combinar os alimentos que devem fazer parte da alimentação diária: É importante comer todos os dias porções dos sete grupos de alimentos. Fonte: DGS/APDP 9

10 COMO DEVO COMER O que são hidratos de carbono (HC)? São nutrientes energéticos presentes em alguns alimentos e que são indispensáveis, pois constituem a principal fonte de energia do nosso corpo (50-55%). estabilidade dos níveis de açúcar no sangue (glicemia). Quais as principais fontes de HC? Os cereais e derivados como a batata, arroz, massas, pão, flocos de cereais e farinhas; As leguminosas como o feijão, ervilhas, lentilhas, favas, grão, e soja; As frutas; O leite e seus derivados; Os alimentos com adição de açúcar como bolos, bolachas, chocolate, bebidas açucaradas. O que são HC complexos? Os HC complexos existem nos alimentos ricos em fibras, como as batatas, batatas doces, milho, massas integrais, arroz integral e leguminosas. Estes HC são alimentos de absorção lenta, pois o processo de digestão é mais demorado. O amido desdobra-se em moléculas mais simples (glucose ou açúcar) para que estas sejam capazes de entrar na corrente sanguínea e sejam usadas como fonte de energia. Como na digestão levam mais tempo a ser absorvidas, permitem manter uma maior O que são HC simples? Os HC simples incluem os açúcares que existem naturalmente na fruta (frutose) e no leite (lactose), mas também os açúcares adicionados durante o processamento de alimentos refinados (sacarose e dextrose). É o caso do pão branco, arroz branco, biscoitos, bolachas e os bolos feitos com farinha e açúcar refinados. Estes HC são constituídos por moléculas mais simples e portanto são de digestão fácil, provocando subidas rápidas dos níveis de açúcar no sangue (glicemia). 10

11 Como deve ser feita a contagem dos HC? As quantidades que devem ser ingeridas são aproximadamente porções diárias, consoante as necessidades energéticas recomendadas pelo nutricionista ou dietista. Se lermos os rótulos das embalagens dos produtos, podemos fazer a contagem dos HC ingeridos através da seguinte fórmula: Quais os substitutos existentes do açúcar simples? Há substitutos do açúcar cujo valor calórico é muito reduzido e não interfere nos níveis de açúcar no sangue (glicemia). Os adoçantes artificiais podem ser usados, mas com moderação: Espartame Acesulfame de potássio Sucralose Sacarina Ciclamato Iogurte líquido magro, sem adição de açúcar Hidratos de carbono Por 100 g 6,5 g O que vou mudar na minha alimentação Se 100 g de iogurte equivale a 6,5 g, 175 g (1 embalagem) equivale a quanto? Logo, uma embalagem de iogurte com estas propriedades tem 1 porção de HC. Fonte: DGS/APDP 11

12 A MEDICAÇÃO Os avanços da terapêutica atual para a pessoa com diabetes. O que é a insulina? A insulina é uma hormona fabricada nas células beta do pâncreas, nas Ilhotas de Langerhans, e usada no tratamento da diabetes. Em que situações e porquê o uso de insulina? A insulina é usada na diabetes tipo 1, pois há uma destruição massiva das células do pâncreas que produzem esta hormona. Em algumas pessoas com diabetes tipo 2, pois o pâncreas pode ser capaz de produzir insulina, mas o organismo torna-se facilmente resistente à sua ação, forçando-o a trabalhar cada vez mais até que a insulina produzida deixa de ser suficiente. Como é utilizada a insulina? O tratamento com insulina é feito através de injeção na gordura por baixo da pele (subcutânea). Como é injetada, é necessário que o doente tenha atenção ao modo como a usa. A insulina pode ser obtida a partir do pâncreas do porco ou produzida em laboratório de forma idêntica à insulina humana, graças à tecnologia do DNA recombinante ou da modificação química da insulina do porco. Em Portugal só é comercializada insulina igual à insulina humana e com a concentração U-100 (1 ml=100 unidades). Quais os cuidados a ter com o uso da insulina? A cápsula de proteção deve ser colocada sem tocar na agulha após o uso da seringa/caneta; A seringa/caneta deve ser guardada à temperatura ambiente; A seringa ou a agulha da caneta não devem ser usadas se estiverem tortas/rombas; A agulha não deve ser limpa com álcool; A cápsula deve ser mantida quando a seringa/caneta for inutilizada e deve haver cautela na sua eliminação. 12

13 Onde se injeta a insulina? A insulina pode ser injetada na região abdominal, nas coxas, nos braços e nas nádegas. É importante que haja rotação dos locais onde se administra a injeção, evitando a formação de nódulos, para que estes não interferiram na absorção da insulina. Como é que a insulina pode ser conservada? Os frascos de insulina, as cargas instaladas nas canetas e as seringas pré-cheias descartáveis em uso devem ser conservadas à temperatura ambiente, afastadas da luz solar direta e de locais que aqueçam, como a televisão e o porta-luvas do carro. Que tipos de insulinas existem? As insulinas variam de acordo com: Início de ação tempo que demoram a atuar após a sua administração; Pico máximo período de tempo em que atuam com maior atividade; Duração tempo que atuam no organismo. As minhas notas Fonte: DGS/APDP 13

14 A MEDICAÇÃO INSULINOTERAPIA TEMPOS DE AÇÃO DE AÇÃO RÁPIDA INSULINAS DE AÇÃO ULTRARRÁPIDA DE AÇÃO INTERMÉDIA (NPH) ANÁLOGOS LENTOS DE INSULINA INÍCIO 30 a 45 minutos 10 a 15 minutos 1 a 2 horas 1 a 2 horas PICO MÁXIMO 2 a 4 horas 1 a 2 horas 4 a 12 horas Não tem DURAÇÃO 6 a 8 horas 4 a 6 horas 8 a 26 horas Cerca de 24 horas na insulina glargina e cerca de 20 horas na insulina detemir Caneta para administração de insulina. O que são antidiabéticos orais? Os antidiabéticos orais (ADO) são comprimidos usados na diabetes tipo 2 que, juntamente com uma alimentação correta e com atividade física, vão ajudar a controlar a glucose no sangue. De que forma os antidiabéticos orais são usados? Os comprimidos podem ser usados sozinhos ou em associação, consoante a prescrição médica. Pode ser também necessário o tratamento de comprimidos e de insulina em simultâneo terapêutica mista. 14

15 Os antidiabéticos orais podem ser classificados da seguinte forma: ANTIDIABÉTICOS ORAIS CLASSE SUBSTÂNCIA CATEGORIA Inibidores das alfa-glucosidases Acarbose Diminuem a absorção intestinal dos hidratos de carbono (HC) Biguanidas Metformina Glitazonas Pioglitazona Combatem a insulinorresistência Glibenclamida Sulfonilureias Glipizida Gliclazida Aumentam a produção de insulina Glimepirida Meglitinidas Nateglinida Sitagliptina Aumentam os níveis de incretinas, aumentando a Inibidores da DPP-4 Vildagliptina secreção de insulina Saxagliptina Fonte: DGS/APDP 15

16 COMO CONTROLAR A GLICEMIA A autovigilância é a chave para o controlo da doença. O que é a autovigilância na pessoa com diabetes? É a sua capacidade individual de: Participar ativamente na gestão da doença. Agir com base na informação pesquisada. Gerir a diabetes de forma responsável, juntamente com a sua equipa de apoio. O que é a medição da glicemia? É um teste que determina os níveis de açúcar no sangue, permitindo avaliar e monitorizar o controlo da diabetes. Quando deve ser feito o teste da glicemia? A glicemia deve ser medida diariamente de acordo com as recomendações da equipa de apoio. Como se medem os níveis de glicemia no sangue? 1. Pica-se o dedo com um dispositivo que tem uma agulha ou lanceta a picada é quase indolor; 2. Coloca-se a gota de sangue numa tira-teste; 3. Com a tira-teste já inserida no medidor de glicemia (glicómetro) ou depois de a colocar no mesmo, surgem, segundos depois, no visor os valores de açúcar no sangue. Quais os níveis recomendados de glucose no sangue para pessoas com diabetes? Peça ao seu médico que preencha o seguinte quadro com os seus valores-alvo: Em jejum... 1 a 2 horas após a refeição... O que é a avaliação de acetona no sangue? Deteta a acetona no sangue, a qual é formada

17 perante a carência de insulina ou de glucose, que leva a que o organismo não consiga usar esta última como fonte de energia. A presença de acetona provoca uma descompensação da diabetes e exige tratamento imediato. O que é avaliação de açúcar na urina? É um teste que permite detetar a presença de açúcar na urina, mas que só permite informar sobre a sua presença ou ausência. Com os recursos usados hoje em dia para medir a glicemia, este teste quase não é usado. O que é o teste para deteção de acetona na urina? Os corpos cetónicos no fígado são consequência da falta de insulina ou de alimento. Quando aumentam no sangue são excretados na urina, podendo ser detetados com tiras específicas e determinados com a seguinte terminologia: de 0 a O que significa HbA1c? HbA1c é a abreviatura de hemoglobina glicosilada. Uma parte do açúcar que circula no sangue liga-se à hemoglobina dos glóbulos vermelhos. Quanto mais elevado for o nível de açúcar no sangue, mais hemoglobina dos glóbulos vermelhos está ligada à glucose e maior será o valor da HbA1c. Qual a importância da vigilância da HbA1c? A vigilância da HbA1c permite obter a informação sobre a média geral do controlo das glicemias nos últimos 3-4 meses. Uma pessoa com a diabetes bem compensada tem valores de HbA1c no máximo de 6,5 a 7%. O que é a hipoglicemia? Hipoglicemia significa glicemia baixa, geralmente inferior a 50 mg/dl. É uma consequência da descompensação da diabetes que pode acontecer de forma súbita, exigindo tratamento imediato. O que é a hiperglicemia? Hiperglicemia significa glicemia elevada. Os níveis de glicemia altos podem levar a lesões graves nos vasos e nos nervos, comprometendo a irrigação sanguínea dos membros e dos órgãos e aumentando o risco de complicações da diabetes. Como fazer um bom registo de glicemia? Para ter um bom controlo da diabetes é recomendável fazer um registo diário. No final deste capítulo encontra um documento para esse efeito, intitulado OS MEUS REGISTOS DIÁRIOS. Faça uso dos seus registos, em prol de um maior controlo da sua diabetes. Fonte: APDP 17

18 COMO CONTROLAR A GLICEMIA Antes de começar a usar a folha de registos, siga as instruções: 2. Registe o resultado de glicemias (G) e/ou corpos cetónicos (CC) e respetiva hora. 1 ou 2 horas depois da refeição 1 hora ou menos antes das refeições 3h da madrugada Registo de dados Segunda / / G/cc Pequeno-almoço Almoço Jantar Noite Antes Depois Antes Depois Antes Depois Deitar 3H Andar Correr Outros Às h min Hora HC INS/ADO 1. Insira a data e indique o tipo e a duração da atividade. 3. Insira as porções de hidratos de carbono (HC) ingeridas ao longo do dia. 4. Insira os tipos, doses e horas de administração de insulina (INS) e/ou antidiabéticos orais (ADO). Registo de dados Segunda / / Andar Correr Outros Às h min G/cc Hora HC INS/ADO Pequeno-almoço Almoço Jantar Noite Antes Depois Antes Depois Antes Depois Deitar 3H 56 07h30m h30m 5. Marque um círculo no espaço da hora a que ocorrem os valores de hipoglicemia. 6. Marque um triângulo no espaço da hora a que ocorrem os valores de hiperglicemia. 18

19 N.º de Hipoglicemias N.º de Hiperglicemias 7. Registe o n.º total de ocorrências de hipoglicemias e o n.º total de hiperglicemias. OS MEUS OBJETIVOS HbA1 c % G Antes das refeições a Depois das refeições a Ao deitar a Às 03 horas a Comentários: 8. O seu médico definirá quais são os objetivos para a HbA1c e a glicemia (G). As minhas notas Saber mais Se for necessário o registo a outras horas do dia, destaque com cores diferentes ou registe junto dos espaços das glicemias/margens. 19

20

21 Quinta / / G/cc Andar Correr Outros Às h min Hora HC INS/ADO Sexta / / G/cc Andar Correr Outros Às h min Hora HC INS/ADO Sábado / / G/cc Andar Correr Outros Às h min Hora HC INS/ADO Domingo / / G/cc Andar Correr Outros Às h min Hora HC INS/ADO N.º de Hipoglicemias N.º de Hiperglicemias OS MEUS OBJETIVOS HbA1 c % G Antes das refeições a Ao deitar a Depois das refeições a Às 03 horas a Comentários:

22 DIREITOS E DEVERES DA PESSOA COM DIABETES A PESSOA COM DIABETES TEM DIREITO A Um plano de tratamento e objetivos de autocuidado. Aconselhamento personalizado sobre a alimentação adequada. Aconselhamento sobre a atividade física adequada. Ajuda e esclarecimento. Educação terapêutica contínua para o doente e para a sua família. Indicação sobre a dosagem e o horário da medicação e ainda sobre como adequar as doses com base na autovigilância. Indicação sobre os objetivos para o seu peso, glicemia, lípidos no sangue e tensão arterial. Análises laboratoriais regulares para controlo metabólico e do seu estado físico. Revisão dos resultados da autovigilância e do tratamento corrente. Análise, revisão e alteração, sempre que necessário, dos objetivos de autovigilância. Verificação, pela equipa de saúde, do seu controlo. Verificação, se necessário, do peso, tensão arterial e dos lípidos sanguíneos. Avaliação anual dos olhos e da visão, dos pés, da função renal, dos fatores de risco para doenças cardíacas, das técnicas de autovigilância e de injeção e dos hábitos alimentares. Tratamento de problemas especiais e emergências. Conselhos e cuidados às mulheres que desejem engravidar. Acompanhamento especializado na gravidez e no parto. Acessibilidade adequada a cuidados especializados, em caso de problemas nos olhos, nos rins, nos pés, nos vasos sanguíneos ou no coração. Acompanhamento adequado à pessoa idosa. Saber o porquê da necessidade de controlo dos níveis de glicemia. Saber como controlar os níveis de glicemia através de uma alimentação adequada, atividade física adaptada e tratamento com medicação oral e/ou insulina. Saber como avaliar o seu controlo através de testes de sangue e/ou urina (autovigilância) e atuar face aos resultados (autocontrolo). Saber quais os sintomas de aumento dos níveis de glucose e acetona, como prevenir e tratar. Saber quais os sintomas de descida do nível de glucose, como prevenir e tratar. Saber o que fazer quando está doente. Prevenção e tratamento das possíveis complicações crónicas. Saber como lidar com o exercício físico, FONTES CONSULTADAS: Diabetes Tipo 2 um Guia de Apoio e Orientação da APDP I Portal da Saúde As opiniões expressas nesta publicação não refletem necessariamente os pontos de vista de Bial, mas apenas os dos autores. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.

23 Olhe por si próprio, reclame os seus direitos, cumpra as suas obrigações e viva e prolongue a sua vida de forma saudável. com as viagens e com outras situações sociais ou de lazer. Saber como atuar perante eventuais problemas de emprego, serviço militar, seguros, licença de condução automóvel, entre outros. A informação sobre o suporte social e económico existente, para que o diabético tenha os direitos sociais (emprego, reforma e outros) que as suas capacidades e habilitações possibilitem, sem qualquer tipo de restrição ou discriminação. A PESSOA COM DIABETES TEM O DEVER DE Assumir comportamentos que o conduzam permanentemente à obtenção de ganhos de saúde e que contribuam para o seu autocontrolo. Predispor-se a aprender continuamente a controlar a sua diabetes. Tentar ser autónomo, praticando o seu próprio autocontrolo. Examinar regularmente os pés. Tentar seguir um estilo de vida saudável. Controlar o peso. Praticar atividade física regular. Evitar o tabaco. Esclarecer-se sobre quando e como contactar a equipa de saúde em situação de urgência ou de emergência. Contactar a equipa de saúde sempre que sinta necessidade e até que fique esclarecido sobre as questões que o preocupam. Entrar em contacto e conversar com outras pessoas que tenham diabetes e com associações locais ou nacionais de doentes diabéticos. Assegurar que a família, amigos e colegas de trabalho se encontram esclarecidos sobre as necessidades da diabetes. Controlar diariamente a sua diabetes, desempenhando um papel ativo no seu tratamento. Fazer a sua autovigilância e adaptando o tratamento aos resultados autocontrolo. Tomar corretamente a medicação. Examinar e cuidar dos pés. Contactar a equipa de saúde se verificar que está mal controlado ou se apresentar hipoglicemias graves, ou ainda se surgirem sintomas de infeção. Evitar desperdícios dos recursos comuns existentes, de forma a contribuir para a manutenção e, se possível, aumento dos seus direitos. Cumprir o plano de vigilância e terapêutica. Usar corretamente os materiais de controlo e tratamento. Usar adequadamente os serviços de saúde. Fonte: DGS PROPRIEDADE GRUPO BIAL EDITOR GOODY S.A. Sede Social Avenida Infante D. Henrique, Nº 306, Lote 6, R/C Lisboa - Tel Diretor Geral António Nunes Assessor da Direção Geral Fernando Vasconcelos Diretora Editorial Violante Assude - Redação Ana Margarida Marques Design Gráfico NosnaLinha Paginação Sofia Marques Revisão Catarina Almeida, Inês Gonçalves, Marta Pinho, Rita Santos

24

Apoio à pessoa com diabetes Diabetes de A a Z

Apoio à pessoa com diabetes Diabetes de A a Z Apoio à pessoa com diabetes Diabetes de A a Z Tudo o que precisa de saber 1 ÍNDICE DE CONTEÚDOS 04 COMPREENDER A DIABETES TIPO 2 Em que situações surge a diabetes tipo 2? Quais as principais causas? Quais

Leia mais

A PESSOA COM DIABETES

A PESSOA COM DIABETES A PESSOA COM DIABETES A diabetes mellitus é uma doença crónica com elevados custos humanos, sociais e económicos, em rápida expansão por todo o mundo. Calcula-se que Portugal terá, na segunda década deste

Leia mais

É diabético ou está integrado num grupo de risco? Conheça os sintomas, os tipos e as complicações desta doença.

É diabético ou está integrado num grupo de risco? Conheça os sintomas, os tipos e as complicações desta doença. PORTAL DA SAÚDE Diabetes É diabético ou está integrado num grupo de risco? Conheça os sintomas, os tipos e as complicações desta doença. Devidamente tratada, a diabetes não impede o doente de ter uma vida

Leia mais

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós Trabalho elaborado por: Enf. Anabela Queirós O que é a diabetes? Uma doença que dura toda vida Provocada pela ausência ou perda de eficácia da insulina; Provoca a subida de açúcar no sangue A diabetes

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

Proteger nosso. Futuro

Proteger nosso. Futuro Proteger nosso Futuro A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1943, tendo como objetivo unir a classe médica especializada em cardiologia para o planejamento

Leia mais

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle?

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Tenho diabetes: o que isso significa, afinal? Agora que você recebeu o diagnóstico de diabetes, você começará a pensar em muitas

Leia mais

Diabetes e doença cardiovascular

Diabetes e doença cardiovascular Diabetes e doença cardiovascular A diabetes implica um risco aumentado de doença cardiovascular? Sim! As pessoas com diabetes têm um risco aumentado de doenças cardiovasculares, tais como a doença coronária

Leia mais

A alimentação do diabético. Do que se diz...ao que se sabe. Nídia Braz Dezembro 2014

A alimentação do diabético. Do que se diz...ao que se sabe. Nídia Braz Dezembro 2014 + A alimentação do diabético. Do que se diz...ao que se sabe Nídia Braz Dezembro 2014 + Objetivos da intervenção nutricional 2 na diabetes tipo 1 tipo 2 Articular a ingestão de alimentos c o m a administração

Leia mais

Como viver bem com diabetes

Como viver bem com diabetes Como viver bem com diabetes Sumário 3 5 7 8 10 12 14 15 16 17 19 O que é diabetes? Como saber se tenho diabetes? Por que controlar bem o diabetes? Alimentação Por que fazer exercícios físicos? Tratamento

Leia mais

Defenda. a sua Saúde ALIMENTAÇÃO E DIABETES TIPO 2 ORIENTAÇÕES GERAIS

Defenda. a sua Saúde ALIMENTAÇÃO E DIABETES TIPO 2 ORIENTAÇÕES GERAIS Defenda a sua Saúde ALIMENTAÇÃO E DIABETES TIPO 2 ORIENTAÇÕES GERAIS Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal Rua do Salitre, 118-120 1250-203 Lisboa Tel: 21 381 6100 Fax: 21 385 9371 diabetes@apdp.pt

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos Ano: 2010/2011 Disciplina: Educação Física Professora: Rita Marques Trabalho realizado por: Andreia Cipriano Catarina Silva Jéssica Pereira Mónica Algares Patrícia Martinho A roda dos alimentos Para se

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel DIABETES MELLITUS Diabetes mellitus Definição Aumento dos níveis de glicose no sangue, e diminuição da capacidade corpórea em responder à insulina e ou uma diminuição ou ausência de insulina produzida

Leia mais

FICHA TÉCNICA. ISBN: 978-989-96506-7-1 Novembro de 2010 APN

FICHA TÉCNICA. ISBN: 978-989-96506-7-1 Novembro de 2010 APN FICHA TÉCNICA Título: A criança e a Diabetes: Aqui aprendes a comer! Direcção Editorial: Alexandra Bento Concepção: Delphine Dias Corpo Redactorial: Delphine Dias, Ana Martins Produção Gráfica: Delphine

Leia mais

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite Insulinização http://www.imepen.com/niepen Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite CONTROLE GLICÊMICO NO BRASIL: Mendes AB, et al. Acta

Leia mais

Diabetes. Introdução. Sintomas

Diabetes. Introdução. Sintomas Diabetes Introdução A diabetes desenvolve-se quando o organismo não consegue controlar a quantidade de glicose (açúcar) no sangue. Isto pode acontecer se o corpo não produzir quantidades suficientes da

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

N o 36. Abril 2015. Insulina com duração de até 42 horas: nova opção para os insulinodependentes

N o 36. Abril 2015. Insulina com duração de até 42 horas: nova opção para os insulinodependentes N o 36 Abril 2015 Centro de Farmacovigilância da UNIFAL-MG Site: www2.unifal-mg.edu.br/cefal Email: cefal@unifal-mg.edu.br Tel: (35) 3299-1273 Equipe editorial: prof. Dr. Ricardo Rascado; profa. Drª. Luciene

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

Aula 10: Diabetes Mellitus (DM)

Aula 10: Diabetes Mellitus (DM) Aula 10: Diabetes Mellitus (DM) Diabetes Mellitus (DM) Doença provocada pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina, que leva a sintomas agudos e a complicações crônicas características; Insulina:

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1 Doentes com Diabetes mellitus 1 Estas recomendações complementam outras orientações técnicas para protecção individual e controlo da infecção pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009. Destaques - Os procedimentos

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

O QUE SABE SOBRE A DIABETES?

O QUE SABE SOBRE A DIABETES? O QUE SABE SOBRE A DIABETES? 11 A 26 DE NOVEMBRO DE 2008 EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELO SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DO HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE DIABETES MELLITUS É uma doença grave? Estou em

Leia mais

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar A Rede Asbran e Filiadas lança nesta sexta-feira, dia 31, mais uma ação da campanha nacional pela redução no consumo do sal e do açúcar,

Leia mais

Dicas Para Emagrecer com Saúde

Dicas Para Emagrecer com Saúde 2011 www.blog.vivaplenamente.com Página 1 DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO Você pode distribuir este e-book livremente, assim como presenteá-lo a través do seu site ou blog aos seus visitantes e clientes. A única

Leia mais

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA 12 apoios ao doente diabético Para usufruir dos apoios previstos, os utentes diabéticos necessitam possuir o GUIA DO DIABÉTICO que é distribuído pelo CENTRO DE SAÚDE O FORNECIMENTO DOS MEDICAMENTOS PARA

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br ANS - Nº 34.388-9 0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br Março 2007 Programa de Atenção ao Diabetes O que é diabetes? AUnimed-BH preocupa-se com a saúde e o bem-estar dos seus clientes, por isso investe em

Leia mais

Diário da Diabetes. Automonitorizar a sua glicemia. Como a HbA1c corresponde à média a da glicose sanguínea. Valores de glicemia

Diário da Diabetes. Automonitorizar a sua glicemia. Como a HbA1c corresponde à média a da glicose sanguínea. Valores de glicemia Automonitorizar a sua glicemia Quando verifica diariamente a sua glicemia, obtém uma fotografia do nível nesse momento. Os testes HbA1c feitos pelo seu médico indicam a média dos seus níveis de glicemia

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

Tratamento do Diabético com Doença Renal Crônica

Tratamento do Diabético com Doença Renal Crônica Tratamento do Diabético com Doença Renal Crônica IV ENCONTRO NACIONAL DE PREVENÇÃO DA DOENÇA RENAL CRÔNICA Fortaleza - Ceará João Roberto de Sá Coordenador do Amb. Diabetes e Transplante - Centro de Diabetes

Leia mais

Que tipos de Diabetes existem?

Que tipos de Diabetes existem? Que tipos de Diabetes existem? -Diabetes Tipo 1 -também conhecida como Diabetes Insulinodependente -Diabetes Tipo 2 - Diabetes Gestacional -Outros tipos de Diabetes Organismo Saudável As células utilizam

Leia mais

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Índice Tratando seu diabetes tipo 2 com DAPAGLIFLOZINA 3 Como funciona? 4 Como devo utilizar? 5 Quais são os principais efeitos colaterais do tratamento com DAPAGLIFLOZINA?

Leia mais

Quais são os sintomas? O sucesso no controle do diabetes depende de quais fatores? O que é monitorização da glicemia? O que é diabetes?

Quais são os sintomas? O sucesso no controle do diabetes depende de quais fatores? O que é monitorização da glicemia? O que é diabetes? Quais são os sintomas? Muita sede, muita fome, muita urina, desânimo e perda de peso. Esses sintomas podem ser observados antes do diagnóstico ou quando o controle glicêmico está inadequado. O aluno com

Leia mais

DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE Governo do Estado da Bahia Jacques Wagner Secretário de Saúde do Estado da Bahia Jorge José Santos Pereira Solla Superintendência de Atenção

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP OBJETIVOS DE TRATAMENTO: Alvos glicêmicos: -Pré prandial: entre 100 e 140mg/dL -Pós prandial: < 180mg/dL -Evitar hipoglicemia Este protocolo

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

treinofutebol.net treinofutebol.net

treinofutebol.net treinofutebol.net Alimentação do Desportista A alimentação pode influenciar positiva ou negativamente o rendimento dum atleta, devendo consequentemente ser orientada no sentido de não só melhorar a sua capacidade desportiva,

Leia mais

O QUE SÃO OS TRIGLICERÍDEOS?

O QUE SÃO OS TRIGLICERÍDEOS? O QUE SÃO OS TRIGLICERÍDEOS? Franklim A. Moura Fernandes http://www.melhorsaude.org Introdução Os triglicerídeos, também chamados de triglicéridos, são as principais gorduras do nosso organismo e compõem

Leia mais

Alimentação Saudável. 2008 Teresa Bilhastre - CSCR

Alimentação Saudável. 2008 Teresa Bilhastre - CSCR Ministério da Saúde O Programa de Saúde Escolar insere-se no Plano Nacional de Saúde 2004-2010 Pretende: Reforçar as acções de promoção da saúde e prevenção da doença em ambiente escolar. Ministério da

Leia mais

Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Revisão Técnica:

Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Revisão Técnica: e-book FICHA TÉCNICA Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Revisão Técnica: Produção Gráfica: Imagens cedidas por: Propriedade: Redacção: Mitos sobre a Diabetes Alexandra Bento Helena

Leia mais

Alimentação e Saúde Oral

Alimentação e Saúde Oral Alimentação e Saúde Oral A saúde oral está relacionada com a alimentação de várias formas, nomeadamente através do efeito direto dos alimentos sobre os dentes no desenvolvimento de cárie dentária e na

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS... um guia para a escolha alimentar diária! 1-3 3-5 2-3 1,5-4,5 1-2 3-5 4-11 COMA BEM, VIVA MELHOR! O QUE É UMA PORÇÃO?* POR DIA quantas são necessárias? ** Cereais e derivados, tubérculos

Leia mais

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças FACTORES DE RISCO Factores de risco de doença cardiovascular são condições cuja presença num dado indivíduo aumentam a possibilidade do seu aparecimento. Os mais importantes são o tabaco, a hipertensão

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

Contagem de Hidratos de Carbono e ajustes de Insulina

Contagem de Hidratos de Carbono e ajustes de Insulina 1/5 Qual o objetivo? No caso das pessoas que fazem insulina dita rápida (insulina prandial) antes das refeições, é útil poder calcular a dose eata de insulina a administrar antes da refeição, para que

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Acarbose Linacal 50 mg Comprimidos Acarbose Linacal 100 mg Comprimidos

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Acarbose Linacal 50 mg Comprimidos Acarbose Linacal 100 mg Comprimidos Folheto informativo: Informação para o utilizador Acarbose Linacal 50 mg Comprimidos Acarbose Linacal 100 mg Comprimidos Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL

ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL Formação sobre Promoção de Estilos de Vida Saudáveis em Contexto Escolar, Familiar e Envolvente Julho de 2009 ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL TERESA SOFIA SANCHO Gabinete de Nutrição Departamento de Saúde

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 50 /2015 - CESAU Salvador, 23 de março de 2015 Objeto: Parecer. Promotoria de Justiça GESAU / Dispensação de medicamentos. REFERÊNCIA: Promotoria de Justiça de Conceição do Coité/

Leia mais

NOSSO ALUNOCOM DIABETES

NOSSO ALUNOCOM DIABETES NOSSO ALUNOCOM DIABETES NOSSO ALUNOCOM DIABETES Estamos fornecendo algumas informações importantes sobre diabetes para auxiliar a equipe da escola na rotina escolar do aluno com Diabetes. Quando houver

Leia mais

1. O QUE É GLUCOBAY E PARA QUE É UTILIZADO

1. O QUE É GLUCOBAY E PARA QUE É UTILIZADO FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Glucobay 50 mg comprimidos Glucobay 100 mg comprimidos Acarbose Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento. - Conserve este folheto.

Leia mais

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ.

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ. Referências bibliográficas: 1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Algoritmo para o tratamento do diabetes tipo 2 atualização 2011. Posicionamento Oficial SBD no. 3. São Paulo: SBD; 2011. 2. Sociedade Brasileira

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog DICAS PARA UTILIZAÇÃO DESTA CARTILHA 1. Você pode distribuí-la para todos os

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam. Dieta durante o tratamento O que comer e o que evitar de comer Após a cirurgia A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS UNIVERSIDADE DE UBERABA LIGA DE DIABETES 2013 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS PALESTRANTES:FERNANDA FERREIRA AMUY LUCIANA SOUZA LIMA 2013/2 CRITÉRIOS PARA ESCOLHA

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia).

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia). diabetes Quando Acidente a glicemia vascular (glicose cerebral no sangue) (tromboses), sobe, o pâncreas uma das principais O que Quais é a diabetes? as complicações associadas à diabetes? produz causas

Leia mais

DM Tipo 1 e Tipo 2: Principais abordagens terapêuticas e medicamentosas Marcio Krakauer

DM Tipo 1 e Tipo 2: Principais abordagens terapêuticas e medicamentosas Marcio Krakauer DM Tipo 1 e Tipo 2: Principais abordagens terapêuticas e medicamentosas Marcio Krakauer Endocrinologista ADIABC Liga DM FMABC DOENÇA AUTO IMUNE DESTRUIÇÃO DA CÉLULA BETA INSULINOPENIA DM 1 Produção Normal

Leia mais

SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO...

SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO... 2 SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO...10 PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA...17 PLANO ALIMENTAR...18 CUIDANDO

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Uma alimentação equilibrada proporciona uma quantidade correcta

Leia mais

Dependendo dos motivos, o diabetes pode ser de dois tipos:

Dependendo dos motivos, o diabetes pode ser de dois tipos: DIABETES O diabetes já é tratado como uma epidemia nos EUA. O Brasil é o quinto país no mundo em número de diabéticos, com 7,6 milhões de casos em 2007 ele estava na oitava posição, dos quais 50% não sabem

Leia mais

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas.

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas. A Diabetes é a sexta causa mais frequente de internação hospitalar e contribui de forma significativa (30% a 50%) para outras causas como cardiopatias isquêmicas, insuficiência cardíacas, AVC e hipertensão.

Leia mais

Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas

Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas As doenças crónicas não transmissíveis são responsáveis por 63% das causas de morte no mundo Fonte: WHO; Global status report on noncommunicable diseases, 2010 O

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde?

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? DICAS DE SAÚDE 2 Promova a sua saúde. Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? Veja o gráfico : 53% ao estilo de vida 17% a fatores hereditários 20% a condições ambientais 10% à assistência médica

Leia mais

Cartilha Medicamentos para Diabetes

Cartilha Medicamentos para Diabetes Universidade Federal de São João del-rei Campus Centro-Oeste - Dona Lindu Divinópolis, Minas Gerais Cartilha Medicamentos para Diabetes Projeto Empoderamento Farmacoterapêutico de pacientes com Diabetes

Leia mais

CORAÇÃO. Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Trabalho Elaborado por: Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro

CORAÇÃO. Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Trabalho Elaborado por: Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro Trabalho Elaborado por: Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro CORAÇÃO Olá! Eu sou o seu coração, trabalho dia e noite sem parar, sem descanso semanal ou férias.

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008 Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É Completa Fornece energia e todos os nutrientes essenciais

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES

ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES Os inquéritos foram realizados junto de alunos do 6º ano da Escola EB 2,3 de Matosinhos, durante o mês de Novembro de 24. Responderam ao inquérito 63

Leia mais

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais. Conteúdo Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.... 2 Como ler os rótulos dos alimentos... 5 Dose de produto... 7 Calorias... 7 Quantidade de nutrientes... 8 Explicação da quantificação

Leia mais

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes!

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Alimentos Diet: Alimento dietético

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

Diário da diabetes CONTROLAR A DIABETES. Este diário pertence a:

Diário da diabetes CONTROLAR A DIABETES. Este diário pertence a: CONTROLAR A DIABETES Diário da diabetes Este diário destina-se a ajudá-lo a manter actualizadas informações importantes que o podem ajudar na gestão diária da sua diabetes. Também estão incluídas neste

Leia mais

Espaço Saúde SINAIS. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé. O verão já lá vai, mas a vigilância continua! FRIEIRAS PÁG.

Espaço Saúde SINAIS. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé. O verão já lá vai, mas a vigilância continua! FRIEIRAS PÁG. Espaço Saúde N º 7 O U T U B R O A D E Z E M B R O DE 2 0 1 3 SINAIS O verão já lá vai, mas a vigilância continua! P Á G. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé 2 PÁG. 6 FRIEIRAS

Leia mais

Índice. 11 Introdução

Índice. 11 Introdução Índice 11 Introdução 15 CAPÍTULO 1: Perguntas e respostas sobre a diabetes tipo 2 15 O que é a diabetes? 16 O que é a insulina? 16 O que é a resistência à insulina? 17 O que significa ter pré diabetes?

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

D I R E T O R I A D E S A Ú D E

D I R E T O R I A D E S A Ú D E Saúde In Forma Junho/2013 Dia 26 de Junho Dia Nacional do Diabetes Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar no sangue. A glicose é a principal fonte de

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DA CARNE

VALOR NUTRITIVO DA CARNE VALOR NUTRITIVO DA CARNE Os alimentos são consumidos não só por saciarem a fome e proporcionarem momentos agradáveis à mesa de refeição mas, sobretudo, por fornecerem os nutrientes necessários à manutenção

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg JARDIANCE (empagliflozina) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg Jardiance empagliflozina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 10 mg ou 25

Leia mais

A B C. Manter-se saudável Como controlar a diabetes tipo 2 (Type 2 Diabetes)

A B C. Manter-se saudável Como controlar a diabetes tipo 2 (Type 2 Diabetes) 1 Manter-se saudável Como controlar a diabetes tipo 2 (Type 2 Diabetes) Conhece o ABCDEs? Fale com o profissional de saúde familiar sobre as metas mais saudáveis para si, bem como a forma de as alcançar

Leia mais

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Uma vida normal com diabetes Obesidade, histórico familiar e sedentarismo são alguns dos principais fatores

Leia mais

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios.

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios. DIETA DE BA IXO ÍNDICE DE GL IC E M IA (LOW CARB DIET ) A dieta de baixo índice de glicemia ou baixa em hidratos de carbono é indicada para tal por ser mais equilibrada e até é indicada para diabéticos

Leia mais

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si A função da insulina é fazer com o que o açúcar entre nas células do nosso corpo, para depois poder

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Último Encontro: Vila Velha 1 Escolha dos temas a serem trabalhados. Tema de hoje: Oficina sobre alimentação saudável 1) Alimentos Alimentos construtores: fornecem proteínas

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais