Escrito por Isabel Amaral Domingo, 12 Outubro :49 - Actualizado em Sábado, 29 Novembro :46

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escrito por Isabel Amaral Domingo, 12 Outubro :49 - Actualizado em Sábado, 29 Novembro :46"

Transcrição

1 Após um AVC, a sensibilidade e o controlo dos movimentos do doente encontram-se muitas vezes diminuídos. Por isso, é muito importante ter cuidado com a posição em que se põem, pois podem não ser capazes de sentir que se estão a magoar e, portanto, de mudar instintivamente de posição. Um posicionamento adequado do doente, quer na cama, quer sentado, é muito importante porque: é mais confortável, evita as úlceras de pressão (escaras) e as deformidades articulares, previne a espasticidade, melhora a respiração e facilita a recuperação. As posições devem ser mudadas de 2h em 2h, quando está deitado e, se possível, ficar algum tempo do dia sentado. Neste espaço de tempo, o doente deve ainda ser estimulado a fazer ligeiras mudanças de posição de 30 em 30 minutos. Nas mudanças de posição é importante que o paciente seja levantado ou que role na cama. Não deve ser arrastado. Se o fizer podem aparecer bolhas nessas zonas do corpo e posteriormente escaras. Escaras Estar deitado ou sentado muito tempo na mesma posição favorece a formação de feridas no corpo (úlceras de pressão ou escaras). Elas surgem em áreas onde há mais pressão ou fricção do corpo contra a cama, especialmente nas zonas onde há saliências ósseas. Para além das mudanças de posição, as zonas de pressão devem ser protegidas com almofadas e a roupa da cama deve ficar bem esticada. 1 / 6

2 Os pontos ou zonas de pressão conforme a posição: Fig.1: Zonas de pressão nas diversas posições. Espasticidade Os músculos necessitam de ter um tónus (ou tensão) suficiente para permitir mover o corpo ou manter a sua posição contra a gravidade. Ao mesmo tempo deve ser possível relaxar os músculos para o seu normal descanso e proporcionar movimentos controlados, com flexibilidade e fluidez. Quando os músculos nestes pacientes ficam "presos" e os movimentos não são bem controlados, isso pode ser devido à espasticidade. Na espasticidade há um aumento do tónus ou da tensão de certos músculos. A contracção dos músculos não se faz de modo normal e foge ao controlo da pessoa atingida pelo AVC. Às vezes aparecem mesmo movimentos em "sacões" e mover as articulações é muito difícil. Realizar as actividades da vida diária, como vestir, comer, fazer a higiene e até o caminhar, pode revelar-se bastante difícil, pois a espasticidade pode atrapalhar muito os movimentos. Após a fase aguda do AVC, o doente pode desenvolver um padrão espástico que se caracteriza por: - Inclinação da cabeça para o lado afectado; - Ombro afectado em retracção, depressão e rotação interna; - Antebraço em flexão e pronação; - Dedos em flexão e adução; - Anca em retracção e rotação externa; - Joelho em extensão; - Pé em flexão plantar e inversão. 2 / 6

3 Fig. 2: Padrão espástico Ou seja, a cabeça inclinada para o lado afectado, o ombro descaído, o membro superior todo dobrado e junto ao corpo, e o membro inferior todo esticado e rodado para fora. POSICIONAMENTOS Este é um posicionamento correcto, ou seja, anti-espástico, se revela de extrema importância. - Cabeça alinhada com o corpo; - Protracção da omoplata; - Ombro em abdução e rotação externa; - Cotovelo e punho em extensão; - Antebraço em supinação; - Dedos em extensão e abdução; - Extensão do tronco do lado afectado; - Anca em flexão e rotação interna; - Joelho em flexão; - Pé em flexão dorsal e eversão. Fig. 3: Padrão anti-espástico 3 / 6

4 Ou seja, a cabeça e o tronco alinhados, o membro superior todo esticado e afastado do corpo, a mão aberta, os dedos afastados, e o membro inferior todo dobrado e rodado para dentro. POSICIONAMENTOS - Com a sua mão na omoplata, deve colocar o ombro afectado do doente mais para a frente (cuidado para não puxar pelo braço!). O braço deve ficar esticado, a palma da mão virada para cima e os dedos afastados. Se a mão tiver espasticidade, deve ser aberta de forma gradual e suavemente, para não aumentar a espasticidade. - Deve colocar a perna afectada ligeiramente dobrada. - A perna sã deve ficar dobrada e apoiada numa almofada, à frente da perna afectada. Deitado com o lado afectado para cima: - Colocar o braço afectado esticado com a mão aberta sobre almofadas, até ficar à altura do ombro. - Colocar a perna afectada ligeiramente dobrada e apoiada numa almofada. - Se necessário, colocar uma almofada nas costas para o doente não rolar para trás. Deitado de costas: 4 / 6

5 - Colocar uma almofada debaixo do ombro afectado, deixando o cotovelo esticado e a palma da mão virada para cima. - Colocar uma almofada debaixo da anca afectada. O joelho deve ficar ligeiramente dobrado. - A perna afectada deve ficar rodada para dentro. Sentado: 5 / 6

6 - Deve estar sentado direito e com as costas encostadas à cadeira. - O braço afectado deve estar apoiado numa mesa ou tabuleiro e em almofadas. O cotovelo deve ficar esticado e a mão aberta. - Se necessário, deve colocar uma almofada debaixo da nádega afectada para que o joelho não rode para fora. 6 / 6

ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE. Rui Silva. Novembro 2009

ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE. Rui Silva. Novembro 2009 ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE Novembro 2009 Rui Silva ALONGAMENTOS NO BASQUETEBOL Na generalidade, os alongamentos devem ser feitos durante 20-30 segundos. De seguida, apresentam-se uma série de exercícios

Leia mais

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Anexo III Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Mobilização da articulação do ombro 1 Objectivos: Aumentar a amplitude da mobilização dos ombros e parte superior Modo de execução: na posição

Leia mais

CINEMÁTICA DO MOVIMENTO HUMANO

CINEMÁTICA DO MOVIMENTO HUMANO Formas Elementares de : O movimento humano énormalmente descrito como sendo um movimento genérico, i.e., uma combinação complexa de movimentos de translação e de movimentos de rotação. Translação (Rectilínea)

Leia mais

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA OS EXERCÍCIOS ABDOMINAIS APRESENTADOS ABAIXO ESTÃO DIVIDIDOS DE ACORDOS COM SEU GRAU DE DIFICULDADE, ESTANDO CLASSIFICADOS COMO: EXERCÍCIOS LEVES EXERCÍCIOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

Manual de Exercícios para o Doente com Parkinson

Manual de Exercícios para o Doente com Parkinson Manual de Exercícios para o Doente com Parkinson 1 Índice Exercícios de Marcha 05 Exercícios de Movimento 06 1. Rotação de Pescoço 06 2. Rotação do tronco com rotação do pescoço 06 3. Rotação de um lado

Leia mais

HMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / /

HMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Plano de treino Meta Data de início Instruções Força Poder e de nição Hora 5 HMAD - 1 Data de m Alunos homens com mais de 3 anos de experiencia Dia 1 Data / / / / / / / Cruci xo, Halter Peito Coloque-se

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão Mobilização da Coluna (fase 1) - ADM Ativa Deitado, pés no chão. Junte as palmas das mãos a frente com o braço esticado e mova para um lado, mantenha e mova para o outro. Alongamento da Coluna - Pernas

Leia mais

Cinesiologia. Aula 2

Cinesiologia. Aula 2 Cinesiologia Aula 2 Graus de Liberdades de Movimentos São classificados pelo número de planos nos quais se movem os segmentos ou com o número de eixos primários que possuem Um grau de liberdade (uniaxial)

Leia mais

Cuidados pós alta hospitalar no AVC

Cuidados pós alta hospitalar no AVC Educação em Saúde VOL. 67 Cuidados pós alta hospitalar no AVC Orientações para trocas de postura e posicionamento Cuidados pós alta hospitalar no AVC Orientações para trocas de postura e posicionamento

Leia mais

POSICIONAMENTO: - POSTURA ERETA (EM PÉ, POSIÇÃO ORTOSTÁTICA OU BÍPEDE); - MEMBROS SUPERIORES ESTENDIDOS AO LADO DO TRONCO;

POSICIONAMENTO: - POSTURA ERETA (EM PÉ, POSIÇÃO ORTOSTÁTICA OU BÍPEDE); - MEMBROS SUPERIORES ESTENDIDOS AO LADO DO TRONCO; POSICIONAMENTO: - POSTURA ERETA (EM PÉ, POSIÇÃO ORTOSTÁTICA OU BÍPEDE); - MEMBROS SUPERIORES ESTENDIDOS AO LADO DO TRONCO; - PALMAS DAS MÃOS VOLTADAS PARA A FRENTE; - A CABEÇA E PÉS TAMBÉM ESTÃO APONTADOS

Leia mais

Cinesiologia. Cinesio = movimento Logia = estudo. Cinesiologia = estudo do movimento

Cinesiologia. Cinesio = movimento Logia = estudo. Cinesiologia = estudo do movimento Cinesiologia Cinesio = movimento Logia = estudo Cinesiologia = estudo do movimento Cinesiologia Movimento: mudança de local, posição ou postura com relação a algum ponto do ambiente. Estudo do movimento

Leia mais

EMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Método de circuíto Set 1 1 x Set 2 2 x Set 3 3 x Set 4 Set 5 Observação

EMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Método de circuíto Set 1 1 x Set 2 2 x Set 3 3 x Set 4 Set 5 Observação Plano de treino Meta Data de início Instruções Forma Perder peso e modelar Hora 5 EMAD - 1 Data de m Treino ABC, 5x para redução da % de gordura Dia 1 Data / / / / / / / Método de circuíto 1 x 2 x 3 x

Leia mais

GUIA PARA OS UTENTES

GUIA PARA OS UTENTES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO E EXERCÍCIO PARA INDIVÍDUOS COM DOR LOMBAR CRÓNICA DE ORIGEM NÃO ESPECÍFICA GUIA PARA OS UTENTES EXERCÍCIOS PARA CASA Cláudia Sofia Teixeira Marques 2013 GUIA PARA OS UTENTES - EXERCÍCIOS

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA

FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA Diagnóstico Cinético-Funcional e Imaginologia: Membros Superiores, Cabeça e Tórax Unidade II OMBRO 1 2 3 4 5 Luxação anterior 6 Fratura de cabeça

Leia mais

Exercícios para Perder Barriga em Casa. OS 10 Exercícios para Perder Barriga em Casa

Exercícios para Perder Barriga em Casa. OS 10 Exercícios para Perder Barriga em Casa Exercícios para Perder Barriga em Casa OS 10 Exercícios para Perder Barriga em Casa A construção de uma barriga tanquinho é um sonho para todos. Ele é um dos objetivos principais entre os homens e mulheres.

Leia mais

LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa

LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa PREPARATION GLIDE DELIVERY RECOVERY DESCRIÇÃO DAS VÁRIAS FASES A Técnica Rectilínea do Lançamento do Peso está dividida nas seguintes fases:,, e.

Leia mais

Cinesiologia aplicada a EF e Esporte. Prof. Dr. Matheus Gomes

Cinesiologia aplicada a EF e Esporte. Prof. Dr. Matheus Gomes Cinesiologia aplicada a EF e Esporte Prof. Dr. Matheus Gomes 1 Cinesiologia PARTE I Descrição dos movimentos e ações musculares 2 Planos e Eixos Plano Frontal ou Coronal (eixo sagital ou ânteroposterior)

Leia mais

MOTOR EVALUATION SCALE FOR UPPER EXTREMITY IN STROKE PATIENTS (MESUPES-braço and MESUPES-mão)

MOTOR EVALUATION SCALE FOR UPPER EXTREMITY IN STROKE PATIENTS (MESUPES-braço and MESUPES-mão) MOTOR EVALUATION SCALE FOR UPPER EXTREMITY IN STROKE PATIENTS (MESUPES-braço and MESUPES-mão) Nome do paciente: Data do teste - hora: Nome do avaliador: Duração do teste: min Dominância: direita/esquerda

Leia mais

MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM TRATAMENTO COM TOXINA BOTULÍNICA

MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM TRATAMENTO COM TOXINA BOTULÍNICA MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM Por quê fazer exercícios? Porquê você recebeu um medicamento que age nos músculos, tornando-os mais relaxados, no entanto, se não houver a prática de exercícios físicos

Leia mais

Atividade Motora. 1. Executar a Técnica de exercícios articulares (Passivos)

Atividade Motora. 1. Executar a Técnica de exercícios articulares (Passivos) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO CURSO DE LICENCIATURA EM ENFERMAGEM - 2º ANO Respostas Corporais à Doença II Atividade Motora Intervenções de Enfermagem: 1. Executar a Técnica de exercícios articulares

Leia mais

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS Prescrições sobre os extensores Ao realizar um exercício não exceda a elasticidade prescrita na descrição do produto, o elástico atinge o dobro de seu tamanho

Leia mais

Forma Perfeita Em Poucas Semanas

Forma Perfeita Em Poucas Semanas Forma Perfeita Em Poucas Semanas Quer desenvolver bíceps, tríceps e antebraços fortes como uma rocha? Para isso é só encarar nosso programa de treino de 1 mês. Serão 4 semanas intensas, mas o resultado

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Paraná

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Paraná ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE Paraná 2 O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de vida diária. Existem cada vez mais evidências

Leia mais

ESCALA DE FULG MEYER. NOME: Sexo: Prontuário: Data da Lesão: I MOTRICIDADE PASSIVA E DOR. PACIENTE DEITADO Amplitude Dor Pontuação

ESCALA DE FULG MEYER. NOME: Sexo: Prontuário: Data da Lesão: I MOTRICIDADE PASSIVA E DOR. PACIENTE DEITADO Amplitude Dor Pontuação ESCALA DE FULG MEYER NOME: Sexo: Prontuário: Lado dominante ou parético: (D) (E) Diagnóstico: Idade: Data da Lesão: Data da Avaliação: Avaliador: I MOTRICIDADE PASSIVA E DOR PACIENTE DEITADO Amplitude

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro Clínica Deckers Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro O QUE É Estes são alguns dos exercícios recomendados com mais freqüência para a terapia do ombro. Eles foram compilados para dar a você,

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Campo Mourão

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Campo Mourão ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE Campo Mourão 2 O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de vida diária. Existem cada vez mais evidências

Leia mais

Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento

Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento Lombar e Quadril E - Abraçar um joelho - Alongamento Deitado, segure embaixo de um joelho e puxe-o em direção ao peito até sentir o alongamento. Com 5 segundo(s) de descanso. Lombar e Quadril D - Abraçar

Leia mais

CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE

CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE 1 CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de

Leia mais

Técnicas de Relaxamento

Técnicas de Relaxamento www.young-dementia-guide.pt Cuidar de Si Técnicas de Relaxamento Portugal 2017 2/6 Indíce 1 -...3 2 - Exercícios para os ombros e pescoço...3 3 - Viagem imaginária para um lugar de relaxamento...4 3/6

Leia mais

Meu trabalho exige de mim fisicamente.

Meu trabalho exige de mim fisicamente. Meu trabalho exige de mim fisicamente http://www.cataflampro.com.br Meu trabalho exige de mim fisicamente Aqui está o nosso programa de treinamento recomendado: Relaxe com exercícios menos intensos, alongue

Leia mais

Eu fico sentado (a) em frente ao computador o dia todo.

Eu fico sentado (a) em frente ao computador o dia todo. Eu fico sentado (a) em frente ao computador o dia todo. http://www.cataflampro.com.br Eu fico sentado (a) em frente ao computador o dia todo. Aqui está o nosso programa de treinamento recomendado: Mova-se

Leia mais

Cartilha de Orientações Pós-Operatórias

Cartilha de Orientações Pós-Operatórias CENTRO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADO DO OMBRO E COTOVELO Cartilha de Orientações Pós-Operatórias Divisão de Reabilitação Prezado Paciente. Essa cartilha foi elaborada especialmente para você, paciente do Into,

Leia mais

Prevenção de Lesões MUTUAL DE SEGURIDAD. na coluna vertebral. Seg. Trabalho

Prevenção de Lesões MUTUAL DE SEGURIDAD. na coluna vertebral.  Seg. Trabalho Prevenção de Lesões MUTUAL DE SEGURIDAD na coluna vertebral http://www.freewebs.com/douglaspbs Seg. Trabalho 1 I. INTRODUÇÃO Para poder prevenir as lesões na Coluna Vertebral temos que conhecer nosso corpo,

Leia mais

Estou um pouco acima do peso.

Estou um pouco acima do peso. Estou um pouco acima do peso. http://www.cataflampro.com.br Estou um pouco acima do peso. Aqui está o nosso programa de treinamento recomendado: Mantenha a sua mobilidade, faça algo para sua força e coordenação

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão. Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão. Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento Lombar - Ponte - Fortalecimento Deitado, vagarosamente eleve os quadris o mais alto possível e mantenha. Dica: Contraia os glúteos e tente diminuir a lordose lombar. Faça 3 série(s) de 25 segundo(s) Lombar

Leia mais

HFAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / /

HFAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Plano de treino Meta Data de início Instruções Força Poder e de nição Hora 4 HFAD - 1 Data de m Dia 1 Data / / / / / / / Agachamento, barra 20 x kg 10 x kg 8 x kg 8 x kg Quadríceps, Glúteos - Lombar, Pernas

Leia mais

MANUAL DE GONIOMETRIA MEDIÇÃO DOS ÂNGULOS ARTICULARES

MANUAL DE GONIOMETRIA MEDIÇÃO DOS ÂNGULOS ARTICULARES MANUAL DE GONIOMETRIA MEDIÇÃO DOS ÂNGULOS ARTICULARES Apresentação A goniometria é a medição dos ângulos articulares presentes nas articulações humanas. Este manual tem como objetivo, esclarecer e orientar

Leia mais

HFIN1 Hipertro a muscular - 1

HFIN1 Hipertro a muscular - 1 Plano de treino Meta Data de início Instruções Força Poder e de nição HFIN1 Hipertro a muscular - 1 Hora 10 Data de m Treinos de hipertro a para alunas iniciantes Dia 1 Data / / / / / / / Elíptico - baixa

Leia mais

ROTEIRO DE AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA PEDIÁTRICA

ROTEIRO DE AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA PEDIÁTRICA ROTEIRO DE AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA PEDIÁTRICA N do Pront.: Nome da Criança: DN: / / Idade: Nome do Responsável: Diagnóstico Clínico: Data da Aplicação: / / Avaliador (a): Supervisor Responsável: 1. INSPEÇÃO

Leia mais

Desenvolvimento Motor e Reflexos Primitivos. Ft. Ms. Livia Marcello Zampieri

Desenvolvimento Motor e Reflexos Primitivos. Ft. Ms. Livia Marcello Zampieri Desenvolvimento Motor e Reflexos Primitivos Ft. Ms. Livia Marcello Zampieri Desenvolvimento motor A maturação motora da criança se dá nos sentidos: Caudal Céfalo Proximal Distal Desenvolvimento fetal Desenvolvimento

Leia mais

GINÁSTICA DE APARELHOS

GINÁSTICA DE APARELHOS GINÁSTICA DE APARELHOS Plinto O plinto é um aparelho utilizado para a realização de saltos tanto na posição transversal como longitudinal. Segurança: Deve-se verificar se a distância do trampolim ao aparelho

Leia mais

Posições Cirúrgicas. Professor: Eunaldo Dias

Posições Cirúrgicas. Professor: Eunaldo Dias Posições Cirúrgicas Professor: Eunaldo Dias Posições do paciente para cirurgia ou posições cirúrgicas são aquelas em que o paciente é colocado após procedimento anestésico, para ser submetido a intervenção

Leia mais

Unidade V. Técnica do Nado Borboleta

Unidade V. Técnica do Nado Borboleta Posicionamento do corpo O corpo permanece na horizontal em decubito ventral, e caracteriza-se por ações simultâneas de braços e pernas. Posicionamento da cabeça O rosto fica em contato com a água, mantendo-se

Leia mais

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF PROVA DE FLEXÃO DE BRAÇO NA BARRA FIXA BARRA (SOMENTE PARA O SEXO MASCULINO) Os procedimentos a serem adotados pelo

Leia mais

CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS. Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com

CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS. Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com Estrutura do Curso Bases Morfofisiológicas - 25 hs Princípios fisiológicos aplicados à musculação e ao cardiofitness Aspectos biomecânicos

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Amadora 3 ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015. Plano de aula

Agrupamento de Escolas da Amadora 3 ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015. Plano de aula Parte Introdutória Plano de aula Etapa: 4ª Etapa Unidade de Ensino: 12ª UE Aula nº: 53 e 54 Ana Lares Data: 11/05/2015 14/05/2015 Turma: 7ºano Duração da aula: 45 90 Nº previsto de alunos: 28 Material:

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR DÚVIDAS? CUIDADO. Nº de Modelo WEMC1026.6

MANUAL DO UTILIZADOR DÚVIDAS? CUIDADO. Nº de Modelo WEMC1026.6 Nº de Modelo WEMC1026.6 DÚVIDAS? Se tiver dúvidas, se faltarem algumas peças ou se alguma peça estiver danificada, contacte o estabelecimento onde adquiriu este produto. website: www.iconsupport.eu MANUAL

Leia mais

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!.

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. 1ª Etapa (Movimentos de olhos e cabeça, primeiro lentos, depois rápidos). Participante em pé sobre um colchonete, olhar para cima e para baixo.

Leia mais

Eu me sinto estressado (a) e esgotado (a).

Eu me sinto estressado (a) e esgotado (a). Eu me sinto estressado (a) e esgotado (a). http://www.cataflampro.com.br Eu me sinto estressado (a) e esgotado (a). Aqui está o nosso programa de treinamento recomendado: Relaxe com exercícios de alongamento,

Leia mais

Anexo 2. Variável Antropométrica

Anexo 2. Variável Antropométrica Anexo 2 Com o intuito de minimizar os erros de medida e conferir consistência durante o processo de medição, procedeu-se a uma ordem de medições que se repetiu para todos os sujeitos de igual forma. Os

Leia mais

INSIDE OUT. Volley. Análise Técnica da Base ao Topo

INSIDE OUT. Volley. Análise Técnica da Base ao Topo INSIDE OUT Análise Técnica da base ao topo 12 Volley INSIDE OUT Análise Técnica da Base ao Topo 1 O VOLLEY Aspectos abordados neste capítulo Volleys - Fase de Preparação 1. Pega Continental 2. Braço dominante

Leia mais

- Centro de Gravidade(centro ou a parte mais pesada. - Linha de Gravidade(linha imaginária que desce

- Centro de Gravidade(centro ou a parte mais pesada. - Linha de Gravidade(linha imaginária que desce POSICIONAMENTOS, TRANSFERÊNCIAS E MECÂNICA CORPORAL Data: Novembro de 2014 Hora: 14h Local: UCC Consigo + : Formadores: Enf. Cátia Duarte, Enf. Isabel Ferreira (alunas do 5º CMEER) Contexto: Ensino Clínico

Leia mais

Exame físico: Considerações iniciais

Exame físico: Considerações iniciais Semiologia e Semiotécnia em Enfermagem I Aula 2 Introdução ao Exame Físico Prof. Ricardo Mattos Bibliografia de referência: ANDRIS, DA, Cap. 2 POSSO, MBS, Cap. 1 UNIG, 2009.1 Exame físico: Considerações

Leia mais

escápula e clavícula. Peitoral maior Clavícula, úmero, Adução do úmero

escápula e clavícula. Peitoral maior Clavícula, úmero, Adução do úmero Músculo Ligações Movimentos Esternocleidomastóideo Esterno, clavícula, Flexão, flexão lateral e rotação da processo mastóide cabeça Trapézio Osso occipital, apófises Extensão e flexão lateral da espinhosas

Leia mais

Tradução do livro intitulado Kung Fu TOA in Germany. TERCEIRO CAPÍTULO Diferentes posturas em pé na arte marcial TOA

Tradução do livro intitulado Kung Fu TOA in Germany. TERCEIRO CAPÍTULO Diferentes posturas em pé na arte marcial TOA Tradução do livro intitulado Kung Fu TOA in Germany TERCEIRO CAPÍTULO Diferentes posturas em pé na arte marcial TOA Filosofia do TOA, aquecimento e estiramentos do corpo sem utilização de equipamento de

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015 Parte Introdutória ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015 Etapa: 3ª Etapa Unidade de Ensino:10ª UE Aula nº: 64-65,66 Professor: Bernardo Tavares Data: 13/04/2015 + 16/04/2015 Turma: 7 Nº previsto

Leia mais

TÉCNICA DE MARIPOSA. Características técnicas Erros

TÉCNICA DE MARIPOSA. Características técnicas Erros TÉCNICA DE MARIPOSA Características técnicas Erros Equilíbrio dinâmico (I) corpo tão horizontal quanto possível durante as fases propulsivas da braçada; (ii) bacia para cima e frente durante a AD do 1º

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Mário Santos Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 1 e 2 Aula U.D. Nº: 1 e 2 de 3 Instalações: Pavilhão Data: 13-04-2010 Hora: 10h20min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

Técnicas dos nados culturalmente determinados

Técnicas dos nados culturalmente determinados Técnicas dos nados culturalmente determinados NADOS CRAWL E COSTAS NADO CRAWL CRAWL POSIÇÃO DO CORPO EM DECÚBITO VENTRAL O CORPO PERMANECE O MAIS HORIZONTAL POSSÍVEL REALIZANDO MOVIMENTOS DE ROLAMENTOS

Leia mais

Ficha de Registo do Parâmetro Qualitativo no Pré e Pós-Teste - Lançar

Ficha de Registo do Parâmetro Qualitativo no Pré e Pós-Teste - Lançar Anexo J - Ficha de Registo do Parâmetro Qualitativo Lançar e Pontapé Ficha de Registo do Parâmetro Qualitativo no Pré e Pós-Teste - Lançar PRÉ-TESTE LANÇAR a: PÓS-TESTE LANÇAR a: CÒDIGO NOMES STEP CÒDIGO

Leia mais

Liko UniversalSling, Mod. 000, 002

Liko UniversalSling, Mod. 000, 002 Liko UniversalSling, Mod. 000, 002 Manual de Utilização Português 7PT161110-04 A Liko UniversalSling, uma das nossas fundas mais usadas, é um modelo básico feito para se adaptar ao paciente sem ajustamentos

Leia mais

Ergonomia Perímetros. Técnicas gerais. Técnicas gerais. Pontos anatômicos. Pontos anatômicos

Ergonomia Perímetros. Técnicas gerais. Técnicas gerais. Pontos anatômicos. Pontos anatômicos Perímetros Ergonomia 2007 Antropometria: Técnicas e aplicações Essa medida antropométrica é o perímetro máximo de um segmento corporal medido em ângulo reto em relação ao seu maior eixo. Estudo da composição

Leia mais

Existem três princípios básicos que devemos ter em mente quando pensamos sobre sentar:

Existem três princípios básicos que devemos ter em mente quando pensamos sobre sentar: Dicas Importantes: - Como sentar em boa forma? - Deitar-se e dormir - Levantar pesos - Não tenha mais dores em cima de sua motocicleta Como sentar em boa forma? Existem três princípios básicos que devemos

Leia mais

Corfebol. Sinais dos Árbitros

Corfebol. Sinais dos Árbitros Corfebol Sinais dos Árbitros 2006 Este livro deve ser considerado um apêndice às Regras de Corfebol. Contém os sinais aprovados para serem utilizados pelos Árbitros de Corfebol. Todos os sinais devem ser

Leia mais

Escola Secundária D.Pedro V. Ginástica de Solo. Ana Abel 06/04/13

Escola Secundária D.Pedro V. Ginástica de Solo. Ana Abel 06/04/13 Escola Secundária D.Pedro V Ginástica de Solo Ana Abel 06/04/13 Introdução Este trabalho sobre ginástica é um elemento de avaliação das disciplinas de Educação Física e Prática de Actividades Físicas e

Leia mais

R E S I S T A N C E TRAINER. ESSENTIALS by S T R E N G T H S T R E N G T H. ZIVA HRT Exercise Chart_18x28 ENG.indd 1

R E S I S T A N C E TRAINER. ESSENTIALS by S T R E N G T H S T R E N G T H. ZIVA HRT Exercise Chart_18x28 ENG.indd 1 S T R E N G T H ZIVA HRT Exercise Chart_18x28 ENG.indd 1 R E S I S T A N C E TRAINER INSTRUÇÕES ESSENTIALS by S T R E N G T H Tipo de Exercício Este programa foi desenvolvido para exercícios diversos e

Leia mais

Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: Execução: Tempo: Músculos envolvidos

Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: Execução: Tempo: Músculos envolvidos Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: PI - Em pé, MMII unidos, joelhos semiflexionados, MMSS ao longo do tronco. Execução: Flexionar o quadril e o tronco, entrelaçar os dedos na parte posterior

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM E REGULAGEM BÁSICA DO ERGOTROL

MANUAL DE MONTAGEM E REGULAGEM BÁSICA DO ERGOTROL MANUAL DE MONTAGEM E REGULAGEM BÁSICA DO ERGOTROL I Conteúdo da caixa: 1. Base com Rodízios 2. Estrutura de Posicionamento 3. Almofada Posterior de Tronco 4. Almofada Posterior de Quadril 5. Mesa regulável

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA ANTÓNIO ALEIXO INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 Despacho normativo nº1-a/2017 de 10 de fevereiro DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Ano de Escolaridade:

Leia mais

Liko OriginalSling, Mod. 10, 11 TeddySling Original, Mod. 10

Liko OriginalSling, Mod. 10, 11 TeddySling Original, Mod. 10 Liko OriginalSling, Mod. 10, 11 TeddySling Original, Mod. 10 Manual de Utilização Português 7PT160165-05 OriginalSling TeddySling Original Descrição do Produto A Liko OriginalSling é um modelo básico feito

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ALONGAMENTO

EXERCÍCIOS DE ALONGAMENTO Ao fazer exercícios de alongamento vai melhorar a amplitude das suas articulações, especialmente importante em doentes com dor crónica. Não precisa forçar excessivamente para sentir benefício com estes

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço Músculos do Cotovelo Bicípite braquial Braquial Braquiorradial Tricípite braquial Ancôneo Bicípite Braquial Bicípite Braquial Origem: Cabeça

Leia mais

Modalidade Individual: Ginástica

Modalidade Individual: Ginástica Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas Modalidade Individual: Ginástica História da modalidade Elementos gímnicos de solo Professora: Andreia Veiga Canedo Professora Estagiária: Joana Filipa Pinto

Leia mais

PROVA DE APTIDÃO FÍSICA. 1. Os Candidatos ao IPE devem executar as provas físicas abaixo descriminadas de acordo com as instruções de realização.

PROVA DE APTIDÃO FÍSICA. 1. Os Candidatos ao IPE devem executar as provas físicas abaixo descriminadas de acordo com as instruções de realização. PROVA DE APTIDÃO FÍSICA 1. Os Candidatos ao IPE devem executar as provas físicas abaixo descriminadas de acordo com as instruções de realização. 2. As provas devem ser executadas corretamente e avaliadas

Leia mais

Termo ergonomia. Ergonomia 25/04/2012. Palavra de origem grega. Ergo Trabalho. Nomos - Regra INTERFACE HOMEM AMBIENTE ERGONOMIA

Termo ergonomia. Ergonomia 25/04/2012. Palavra de origem grega. Ergo Trabalho. Nomos - Regra INTERFACE HOMEM AMBIENTE ERGONOMIA Termo ergonomia Ergonomia Palavra de origem grega Ergo Trabalho LILIANE GRAÇA SANTANA CEREST-ES Nomos - Regra INTERFACE HOMEM AMBIENTE ERGONOMIA É o estudo da adaptação do trabalho às características fisiológicas

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL Distribuição Interna ÍNDICE Apresentação 3 O que é Lesão por esforço repetitivo (LER)? 4 Prevenção 5 Dicas para evitar lesões 6 Exercícios 8 Ginástica Laboral

Leia mais

Sinergias dos Membros Superiores

Sinergias dos Membros Superiores Flexão do Extensão do Deltóide; Córaco ; Bícipite ; peitoral; Deltóide; Grande dorsal; Tricipite Sinergias dos Membros Superiores Articulação escápulo-umeral Articulação do cotovelo Articulação rádio-cubital

Leia mais

Tornozelo - Pé. Tornozelo - Pé Cinesiologia. Renato Almeida

Tornozelo - Pé. Tornozelo - Pé Cinesiologia. Renato Almeida Tornozelo - Pé Questão de Concurso Treinando... (SERTANEJA - PR) Os músculos fibular longo, fibular curto e terceiro fibular realizam qual movimento? a) Flexão do joelho. b) Eversão do pé. c) Plantiflexão

Leia mais

Exercícios para a coluna PROF. ALEXANDRE TANAKA

Exercícios para a coluna PROF. ALEXANDRE TANAKA Exercícios para a coluna PROF. ALEXANDRE TANAKA Exercícios para a coluna Orientações importantes: Modo de dormir Posição sentada (trabalho, carro, TV, etc) Modo de levantar e deitar da cama Em pé por tempo

Leia mais

Capítulo 10 Exercícios Resistidos

Capítulo 10 Exercícios Resistidos Capítulo 10 Exercícios Resistidos Objetivos de aprendizagem: 1. Descrever como os exercícios resistidos podem ajudá-lo 2. Saber como é feito o programa de exercício resistido 3. Descrever como avançar

Leia mais

Amplitude de Movimento. Amplitude de Movimento. Tipos de ADM 27/2/2012

Amplitude de Movimento. Amplitude de Movimento. Tipos de ADM 27/2/2012 Amplitude de Movimento Amplitude de Movimento Professora: Christiane Riedi Daniel É o movimento completo de uma articulação ADM completa depende de: ADM Articular termos como flexão, extensão... goniometria

Leia mais

Unidade II. Unidade II. Técnica do Nado Crawl

Unidade II. Unidade II. Técnica do Nado Crawl Posicionamento do corpo Permanece na horizontal em decubito ventral, realizando movimentos de rolamentos laterais, em seu eixo longitudinal. Posicionamento da cabeça O rosto fica em contato com a água,

Leia mais

Coluna lombar. Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica

Coluna lombar. Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica COLUNA LOMBAR Coluna lombar Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica 2 tipos de Articulações: Intervertebral cartilaginosa Proc. Articulares - sinovial Coluna lombar Coluna lombar

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO

EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO BÁSICOS SUPINO RETO Peitoral maior parte esterno costal (medial) Descer a barra na direção do esterno até que toque a região peitoral. Subir a barra até a extensão dos cotovelos

Leia mais

The Hundred. MANUAL PoCKet MOVIMENTO RESPIRAÇÃO NOTAS

The Hundred. MANUAL PoCKet MOVIMENTO RESPIRAÇÃO NOTAS MANUAL PoCKet 1 The Hundred básico intermediário avançado Subir e descer os braços em um movimento rápido e coordenado com a respiração; e Contar mentalmente 5 inspirações e 5 expirações fracionadas até

Leia mais

Como identificar as LER/DORT

Como identificar as LER/DORT O que são as Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT)? São doenças graves originadas do uso excessivo ou inadequado do sistema que agrupa nervos,

Leia mais

TAl CHI CHUAN -SQN 104/105

TAl CHI CHUAN -SQN 104/105 1 -CRISTO REDENTOR (abraço universal) 2- SAUDAÇÃO ORIENTAL (respeito e humildade) 3 -MEDITAÇÃO TAl CHI CHUAN -SQN 104/105 PARTE I - ALONGAMENTO 4 -ROT AÇÃO DO TRONCO 1. Abrir mãos alternadas (acompanhar

Leia mais

Unidade IV. Unidade IV. Técnica do Nado Peito

Unidade IV. Unidade IV. Técnica do Nado Peito Técnica da pernada 1. A pernada de peito requer uma boa flexibilidade, Já que, para um bom posicionamento dos pés, no momento da flexão máxima das pernas e no decorrer da extensão, é necessário realizar

Leia mais

Trabalhe por si. Promoção da Saúde no Trabalho Pela sua Segurança e Conforto

Trabalhe por si. Promoção da Saúde no Trabalho Pela sua Segurança e Conforto Trabalhe por si Promoção da Saúde no Trabalho Pela sua Segurança e Conforto As doenças relacionadas com o trabalho estão associadas com situações de repetitividade, aplicação de força e adoção de posições

Leia mais

NATAÇÃO. Prof. Esp. Tiago Aquino (Paçoca)

NATAÇÃO. Prof. Esp. Tiago Aquino (Paçoca) NATAÇÃO Prof. Esp. Tiago Aquino (Paçoca) NADO CRAWL Nado Livre Significado Rastejar História do Nado Crawl Até 1844, era realizado com uma braçada de peito executado na lateral do corpo com batimentos

Leia mais

RULA (RAPID UPPER LIMB ASSESSMENT)

RULA (RAPID UPPER LIMB ASSESSMENT) www.campusesine.net RULA (RAPID UPPER LIMB ASSESSMENT) O método RULA (Rapid Upper Limb Assessment) foi desenvolvido por Lynn McAtamney e Nigel Corlett (1993) na Universidade de Nottingham. É um método

Leia mais

O que é Defesa Pessoal?

O que é Defesa Pessoal? DEFESA PESSOAL O que é Defesa Pessoal? Habilitação de tácticas e técnicas sistematizadas e acessíveis a qualquer pessoa pelo treino, dotando-a de mecanismos necessários e suficientes a parar qualquer acção

Leia mais

Treino para Prevenção de Quedas. O que é e como fazer

Treino para Prevenção de Quedas. O que é e como fazer Treino para Prevenção de Quedas O que é e como fazer Orientações Treino Prevenção de Quedas Com este treino você terá melhora no seu equilíbrio, força muscular e bem estar geral, reduzindo seu risco de

Leia mais

EME EXERCÍCIOS MULTIFUNCIONAIS EDUCATIVOS

EME EXERCÍCIOS MULTIFUNCIONAIS EDUCATIVOS Prof. Drt. Mauro Guiselini Prof. Ft. Rafael Guiselini EME EXERCÍCIOS MULTIFUNCIONAIS EDUCATIVOS Exercícios Mul%Funcionais Educa%vos Básico Auxilio Reação NeuroMuscular EME - CONCEITO São Exercícios Mul0Funcionais

Leia mais

Mirra Chair. Manual de Ajustes.

Mirra Chair. Manual de Ajustes. Mirra Chair Manual de Ajustes www.securit.com.br Leia este manual enquanto ajusta a sua cadeira Mirra. Altura do assento Alavanca próxima ao botão de inclinação à direita do usuário sentado na cadeira.

Leia mais

Liko SilhouetteSling, Mod 22

Liko SilhouetteSling, Mod 22 Liko SilhouetteSling, Mod 22 Manual de Utilização Português 7PT160137-03 Descrição do Produto A SilhouetteSling é uma funda flexível que se adapta ao corpo e ocupa o mínimo de espaço na cadeira de rodas.

Leia mais

Segundo GOMES (1994), o Sistema OVAKO de Análise de Posturas OWAS foi planejado visando os critérios:

Segundo GOMES (1994), o Sistema OVAKO de Análise de Posturas OWAS foi planejado visando os critérios: 138 4.8 O método OWAS De acordo com GOMES (1999), foi desenvolvido na Finlândia um sistema para analisar posturas de trabalho na indústria de aço, pela OVAKO OY em conjunto com o Instituto Finlandês de

Leia mais

A brincadeira continua.

A brincadeira continua. A brincadeira continua. Produtos especialmente concebidos para crianças. medi. I feel better. medi ortopedia A solução de qualidade para os seus requisitos em termos de suportes e ortóteses especialmente

Leia mais

CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO

CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO 154 CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO Manual elaborado por: Fernando Jorge Ferreira da Costa Pedro Miguel da Costa Vidrago Janeiro, 2014 155

Leia mais