DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos. Características do Sistema

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos. Características do Sistema"

Transcrição

1 DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos O software DataDoc 4.0 tem como finalidade automatizar a gestão de acervos documentais, englobando todas as fases da documentação. Totalmente desenvolvido em plataforma web, a versão 4.0 tem como diferenciais uma maior adequação com os requisitos do Conarq (Conselho Nacional de Arquivos) e um novo módulo para gerenciamento dos componentes digitais. Outro módulo incorporado a esta nova versão é o de digitalização em lote, permitindo a automação da identificação e captura de grandes volumes de documentos digitalizados. O controle se inicia no arquivo corrente e seu acompanhamento vai até sua destinação final, guarda permanente ou eliminação. Seu objetivo é gerir todas as rotinas necessárias para a gestão da documentação como cadastro e pesquisa (com suporte a visualização da documentação digitalizada), controle de empréstimo, emissão de etiquetas com código de barras, controle de vagas disponíveis, transferência e eliminação, dentre outras. Características do Sistema Cadastro da Estrutura geral da instituição (organograma) Toda a documentação deve ter seus acessos e cadastros controlados ao nível de setor. Isso possibilita a implementação da sigilosidade entre os setores e outras rotinas mais avançadas como direcionamento da documentação de um setor para um determinado arquivo físico. O DataDoc permite o cadastro de todo o organograma da empresa, sem limitações de nível, e respeitando as características de cada setor. Sem limitação de nível: o organograma é construído como é na realidade, mesmo com setores meramente estruturais (não geram documentos). Definição do tipo de setor: se diretoria, setor, serviço, dentre outros. Possibilidade de definição do arquivo físico de destino. Este recurso possibilita o direcionamento, no ato da transferência da documentação, para um determinado arquivo físico setorial. Possibilidade de extinção de um setor. A documentação existente fica inalterada, mas novos dossiês não podem ser gerados. Possibilidade de fusão de setores, movimentando toda documentação existente daquele gestor para outro e depois o eliminando. Relatório da estrutura geral da instituição. Exemplo: Presidência o Diretoria Financeira Setor Contábil Licitações o Diretoria Administrativa Setor Pessoal Setor Operacional Cadastro da Tabela de Temporalidade Construção da Tabela de Temporalidade de Documentos (TTD) permitindo a definição de seus fluxos, formas de organização e pesquisa, temporalidade nas diversas idades, lei que definiu o prazo ou gestor que aprovou a temporalidade, os gestores (quais setores que terão acesso à espécie) além de várias outras informações pertinentes aos tipos documentais. Possibilidade de classificação segundo o código do Conarq. Possibilidade campos de indexação dos metadados específicos para cada espécie.

2 Padronização da forma de organização e pesquisa da espécie com emissão de relatórios para distribuição nos setores que utilizam aquela espécie. Este procedimento evita que a mesma espécie documental seja organizada fisicamente de forma diferente em setores distintos. Definição do fluxo ou dos fluxos da espécie dentro da instituição. Definição da temporalidade na fase corrente por prazo em meses ou anos. Definição da temporalidade na fase corrente ano corrente ou em exercício (ano fiscal). Definição da temporalidade na fase corrente por gatinho manual (eventos de transferência como encerramento do processo ou desligamento do funcionário). Retenção da documentação na fase corrente por um determinado número de meses sem entrar em desacordo com a legislação. Definição da temporalidade na fase intermediária por prazo em meses ou anos. Destinação final para eliminação ou guarda permanente. Se temporalidade definida por amparo legal, identificação da lei definidora dos prazos para aquela espécie com opção de descrição completa (conteúdo). Se temporalidade definida por decisão administrativa, identificação do responsável pela definição dos prazos de guarda. Histórico de alterações na espécie documental. Definição de valor fiscal, legal, histórico e administrativo da espécie. Identificação se original, cópia e detalhes da cópia. Disponibilização somente para os setores pertinentes, que geram documentação desta espécie. Este procedimento que evita geração de dossiês incoerentes e é de grande utilidade para gestores de arquivos com entrada de dados descentralizada. Disponibilização da espécie para todos os setores em casos de documentação gerada por toda instituição. Possiblidade de extinção da espécie, impedindo a geração de novos dossiês daquele tipo documental. Possibilidade de fusão de espécies, alterando toda documentação existente para outra espécie e depois a eliminando. Relatório geral da tabela de temporalidade em formato de tabela. Relatório geral da tabela de temporalidade em formato de crítica. Relatório agrupado por setor da tabela de temporalidade em formato de tabela e crítica (contém apenas as espécies pertinentes ao setor). Relatório das formas de organização e pesquisa, geral e agrupado por setor. Controle das localizações físicas do arquivo (locais de armazenamento) As localizações físicas são os locais de guarda temporária ou armazenamento permanente da documentação. Podem ter um controle mais simples como no caso da documentação na fase corrente, ou um mais elaborado, como nos casos da documentação nas fases intermediária e permanente. Este controle elaborado pode-se aplicar também a documentação na fase corrente. O sistema deverá controlar as vagas existentes no arquivo, iniciais que ainda não foram preenchidas, ou que surgiram após transferência ou eliminação da documentação. As localizações físicas no sistema deverão ser uma cópia exata do panorama real. Cadastro dos arquivos físicos (prédio, sala, local físico destinado ao arquivo). O sistema permite um (em caso de arquivo central) ou mais arquivos físicos (arquivos descentralizados). Cadastro dos suportes de armazenamento (estante, arquivo deslizante, dentre outros) Cadastro das localizações físicas (caixas, caixetas, suportes móveis, prateleiras ou qualquer outro suporte de arquivamento usado para armazenar a documentação). Definição do tipo de documentação quanto às fases (corrente, intermediária ou permanente) que serão aceitas no arquivo físico. Isso permite separar um arquivo físico para documentação intermediária e outro, em um metro quadrado mais barato, para permanente, por exemplo. Rotinas para alteração em lote, como movimentação de toda documentação em uma localização física para outra. Controle para não haver mistura de documentação de dois setores na mesma localização física. Este recurso permite a implementação da sigilosidade entre setores mas pode ser não utilizado.

3 Controle das localizações vazias permitindo a reutilização das vagas após eliminação ou transferência. Possibilidade de ampliação do arquivo assim como uma eventual redução. Operadores e grupos Todo o acesso ao sistema deverá ser feito após a identificação do operador. Esta identificação definirá as permissões e setores de acesso do operador, assim como as ações realizadas pelo mesmo (auditoria). O sistema possui uma senha do sistema para cesso as rotinas mais relevantes e ao cadastro de operadores. Esta senha permite que mais de um operador administre o sistema sem dúvidas quando a autoria da ação. Cadastro dos operadores com acesso ao sistema. Senhas individuais e sigilosas para cada operador. Definição dos administradores do sistema, herdando todas as permissões automaticamente. Definição de operadores desabilitados. Definição das permissões de cada operador ou grupo. Alguns exemplos: Permissão de acesso ao cadastro de tabela de temporalidade. Permissão de acesso ao cadastro da estrutura geral. Permissão de acesso ao cadastro das localizações físicas. Permissão de acesso a todos os setores podendo ser de pesquisa/cadastro/alteração e exclusão Permissão de acesso às rotinas de alteração em lote Auditoria Compondo o sistema de segurança do aplicativo temos a auditoria. Todas as ações relevantes no sistema serão auditadas. Este recurso tem um papel importante na gestão, medição de desempenho e produtividade dos operadores e na reavaliação constante de toas as áreas do sistema. Podemos dar como exemplos: Acessos realizados ao diversos módulos do sistema. Registro dos cadastros, alterações e exclusões com autoria e descrição da ação realizada. Registros de alterações em lote. Acessos a dossiês e componentes digitais. Auditoria de empréstimos da documentação (auxiliar na tomada de decisão da definição da temporalidade). Auditoria completa nos acessos aos arquivos digitais. Autoria de upload, visualização, download e exclusão dos arquivos digitais. Entrada de Dados Os recursos de entrada de dados do sistema DataDoc facilitam e agilizam a entrada de dados. Com as regras que podem ser impostas pelo administrador, os erros são reduzidos drasticamente. Valores padrão podem ser definidos, campos podem ser personalizados e dados importados de outros sistemas. Permissão de cadastro somente no setor ou setores que o operador tem acesso. Crítica imediata na entrada de dados para valores inválidos. Impossibilidade de incoerência em campos básicos com dossiês de espécies documentais em setores não pertinentes a aquela espécie. Disponibilidade somente das localizações físicas disponíveis para aquele setor. Opção, na hora do cadastro, de escolha entre localizações físicas já ocupadas pelo setor ou por uma localização vazia. Localização rápida dos últimos valores utilizados.

4 Integração via webservice ou diretamente via banco de dados com outros sistemas. Este recurso permite a importação de dados já em formato digital, evitando redigitar informações existentes. Captura de documentos digitais simples e intuitiva, através de upload de arquivos ao repositório pela própria interfase do sistema. Pesquisa As rotinas de pesquisa visam a recuperação da informação catalogada, visualizando os dados indexados (metadados) e o documento na íntegra, caso o mesmo esteja digitalizado. Várias versões ou arquivos digitais podem estar associados a um mesmo dossiê ou item documental. Pesquisa por campos chave específicos, como tipo de documento, data, número, nome ou empresa. Pesquisa geral buscando em diversos campos chave a expressão de busca. Pesquisa rápida e avançada com os recursos de pesquisa booleana e pesquisa cruzada. Acesso aos arquivos digitais com visualização na própria pesquisa nos formatos compatíveis. Download dos arquivos digitais aos operadores com permissão concedida. Empréstimo Existem vários casos em que a documentação poderá temporariamente deixar o arquivo. Em caso da impossibilidade, seja legal, seja tecnológica de acesso via digitalização, um empréstimo poderá ser realizado. Toda a documentação arquivada deve sair da guarda do gestor somente mediante empréstimo. Através desta ferramenta se permite o controle de prazos e históricos de acesso à documentação. Casos de autoria interna ou externa, fiscalização dentre outros são exemplos de demanda de empréstimo. Cadastros de usuários internos e externos. Definição dos setores disponíveis para empréstimo para o usuário. Definição do prazo ou data de devolução. Empréstimo de dossiês ou itens documentais. Seleção de vários dossiês para empréstimo por localização física. Emissão de recibos de empréstimo. Emissão de recibos de devolução. Relatórios de usuários em atraso. Relatórios de histórico de empréstimo da documentação. Rotinas de transferência e eliminação Entre as rotinas de manutenção do arquivo temos a transferência e eliminação da documentação. Periodicamente o responsável por essa ação recolhe a documentação com prazo de retenção vencido e destina para transferência ou para eliminação. O sistema DataDoc automatiza este processo listando, toda documentação com prazo vencido para transferência ou eliminação. Uma listagem é retirada pelo responsável, avaliada, e então é definido novo local de destino, em caso de transferência, ou confirmada a eliminação do item. Em ambos os casos relatórios são impressos: o termo de transferência em caso de transferência ou termo de eliminação quando em caso de expurgo da documentação. Após aprovação dos gestores responsáveis se efetiva a transferência ou eliminação. Relatórios complementares e Emissão de Etiquetas Relatórios gerenciais de manutenção do sistema, permitindo uma crítica periódica aos dados, o que visa à uniformidade de expressões e correção de erros de digitação. Relatórios das atividades gerais da empresa, auxiliando nas suas decisões como alteração de temporalidade, ampliação de vagas físicas ou organização dos documentos.

5 Emissão de etiquetas com códigos de barras para dossiês, itens documentais e localizações físicas. Rotinas de digitalização em lote Em alguns projetos a digitalização da documentação é uma constante. Em outros se tem um grande fluxo inicial e um fluxo menor após a conclusão deste processo inicial. O sistema DataDoc possui um módulo para facilitar processos de digitalização em lote. Impressão de folhas de rosto para digitalização. Registro do dossiê e folha de rosto correspondente. Digitalização e envio automático para repositório de dados temporário. Conferência e envio para repositório de dados definitivo. Rastreamento total das três fases do processo digitalização, auditando quando e quem iniciou o processo de digitalização (grupamento dos dossiês), quando e quem realizou a digitalização e quando e quem finalizou o processo com o controle de qualidade. Estatística de digitalização por período. Contatos para agendamento de visitas e propostas DataX - Soluções em Sistemas de Informação - (85) /(85) /(85)

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos O objetivo deste Manual é permitir a reunião de informações dispostas de forma sistematizada, criteriosa e segmentada

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM QUALIDADE

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM QUALIDADE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM QUALIDADE Digitalize e Gerencie de forma estruturada e simples os documentos da Qualidade de sua empresa em uma plataforma segura e

Leia mais

SGD - Sistema de Gestão de Documentos

SGD - Sistema de Gestão de Documentos Agosto/2012 SGD - Sistema de Gestão de Documentos Manual do Módulo Documentos Características Orientações de utilização do Módulo Documentos. Apresentação das funcionalidades. Telas explicativas e passo

Leia mais

Anote aqui as informações necessárias:

Anote aqui as informações necessárias: banco de mídias Anote aqui as informações necessárias: URL E-mail Senha Sumário Instruções de uso Cadastro Login Página principal Abrir arquivos Área de trabalho Refine sua pesquisa Menu superior Fazer

Leia mais

gestão eletrônica do sistema da qualidade: uma ferramenta para o Coordenador da Qualidade A gestão eletrônica QUALIDADE QUALIDADE PROJETOS SAC

gestão eletrônica do sistema da qualidade: uma ferramenta para o Coordenador da Qualidade A gestão eletrônica QUALIDADE QUALIDADE PROJETOS SAC TECNOLOGIA WEB QUALIDADE SAC 1 QUALIDADE A gestão eletrônica gestão eletrônica do sistema da qualidade: uma ferramenta para o Coordenador da 2 1 Apresentação do Sistema O AUTODOC é um software para Web

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 10 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes a Guarda de Documentos de Terceiros. 2. APLICAÇÃO Este procedimento aplica-se aos processos da guarda de documentos de terceiros,

Leia mais

SEAP / CAS. Manual V1.0

SEAP / CAS. Manual V1.0 SEAP / CAS Manual V1.0 Janeiro - 2013 Coordenadoria de Administração de Serviços - CAS Palácio das Araucárias Rua Jacy Loureiro de Campos, s/nº 80530-140 - Centro Cívico - Curitiba Paraná Fone: (41) 3313-6071

Leia mais

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Erenilda Custódio dos Santos Amaral Salvador Objetivo; Motivação; Proposta; AGENDA O que se entende nesta proposta como Política de Gestão Documental;

Leia mais

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32 NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA Controle Judicial Manual de Instruções Versão 8.32 1 Sumário 1 CONTROLE DE COBRANÇA JUDICIAL... 4 1.1 ARQUIVO... 4 1.1.1 Processos...4 1.1.1.1 Réus Principais do Processo...13

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes ao tratamento e manutenção de acervos arquivísticos ou bibliográficos, sejam administrativos, técnicos ou especializados nas instalações

Leia mais

Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios

Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios A Empresa MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Medware Sistemas Médicos é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltada para a criação

Leia mais

NORMA DE ARQUIVO - NOR 208

NORMA DE ARQUIVO - NOR 208 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS COD. 200 ASSUNTO: GESTÃO DE DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 528/2012, de 10/12/2012 VIGÊNCIA: 11/12/2012 NORMA DE ARQUIVO - NOR 208 1/21 ÍNDICE

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Estamos definitivamente na era digital. Era da velocidade cada vez maior da informação. Era da otimização do tempo. O novo Sistema Integrado de Saúde Amil, SiSAmil, mostra toda a evolução da empresa nesse

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Segepres/ISC/Cedoc Serviço de Gestão Documental MANUAL DE TRATAMENTO DE DOCUMENTOS DIGITALIZADOS

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Segepres/ISC/Cedoc Serviço de Gestão Documental MANUAL DE TRATAMENTO DE DOCUMENTOS DIGITALIZADOS TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Segepres/ISC/Cedoc Serviço de Gestão Documental MANUAL DE TRATAMENTO DE DOCUMENTOS DIGITALIZADOS Abril/2015 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 5 3 CONSIDERAÇÕES SOBRE

Leia mais

Manual de Utilização Sisamil - Sistema Integrado de Saúde Amil Manual de Utilização 1 54

Manual de Utilização Sisamil - Sistema Integrado de Saúde Amil Manual de Utilização 1 54 Manual de Utilização 1 54 Estamos definitivamente na era digital. Era da velocidade cada vez maior da informação. Era da otimização do tempo. O novo Sistema Integrado de Saúde Amil, SiSAmil, mostra toda

Leia mais

LILDBI-WEB 1.6. Administração e produção de fontes de informação. Sueli Mitiko Yano Suga sugasuel@bireme.ops-oms.org

LILDBI-WEB 1.6. Administração e produção de fontes de informação. Sueli Mitiko Yano Suga sugasuel@bireme.ops-oms.org Administração e produção de fontes de informação LILDBI-WEB 1.6 Sueli Mitiko Yano Suga sugasuel@bireme.ops-oms.org Maria Anália Conceição conceima@bireme.ops-oms.org Bibliotecária/Unidade LILACS BIREME/OPS/OMS

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA 1 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA ANO 2012 2 Sumário 1 Nota Fiscal de Serviços eletrônica - NFS-e... 3 1.1 Considerações Iniciais... 3 1.2 Legislação... 3 1.3 Definição...

Leia mais

Manual do Sistema. SMARsa. Módulo WEB

Manual do Sistema. SMARsa. Módulo WEB Manual do Sistema SMARsa Módulo WEB Notas da Atualização do Manual Na versão 4.1 deste manual consta: 1º. Aguardando Recebimento: Adicionado o campo de digitação do numero de remessa para o recebimento.

Leia mais

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E-

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E- 2014 ÍNDICE 1. Cadastros básicos 2. Módulos básicos (Incluso em todas as versões) CMC BASE 3. Agenda 4. Arquivos 5. Empresas ou Cadastros de empresas 6. Pessoas ou cadastro de pessoas 7. Módulos que compõem

Leia mais

Sistema de de Bilhetagem Eletrônica MANUAL MÓDULO PDV

Sistema de de Bilhetagem Eletrônica MANUAL MÓDULO PDV Sistema de de Eletrônica SETRANSP DOTFLEX MANUAL MÓDULO PDV REGIÃO MANUAL METROPOLITANA MÓDULO PESSOA Revisão JURÍDICA 02 / Setembro SBE de 2008 - DOTFLEX Revisão 00 / Março de 2009 MANUAL MÓDULO EMPRESA

Leia mais

Soluções Inteligentes

Soluções Inteligentes Soluções Inteligentes APRESENTAÇÃO A TOPO INTELLIGENCE iniciou suas atividades na cidade de Barreiras em 2008, oferecendo a mais completa solução em gerenciamento de informações para atender todos os segmentos.

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição 1 Configurando a Conexão com o Banco de Dados 2 Primeiro Acesso ao Sistema Manutenção de Usuários 3 Parametrizando o Sistema Configura

Leia mais

3.000.000 de registros de candidatos e respondentes de pesquisa, número que continua crescendo.

3.000.000 de registros de candidatos e respondentes de pesquisa, número que continua crescendo. SUMÁRIO 1 1 - Conceitos Gerais O CRQ é um sistema de controle de qualidade utilizado na etapa de recrutamento de estudos de natureza qualitativa. Ele é um banco de dados que tem como principal objetivo

Leia mais

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO / NÃO 1 Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação Registro de sugestões de compra de materiais bibliográficos

Leia mais

APOSTILA PARA O CURSO DE ATIVO ATIVO IMOBILIZADO ALTERDATA

APOSTILA PARA O CURSO DE ATIVO ATIVO IMOBILIZADO ALTERDATA Visão Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil. Missão Desenvolvimento e fornecimento de soluções e serviços através de softwares para tornar

Leia mais

GRUPO ARESTO E-CRM CONTÁBIL. Rua: Farjalla Koraicho, 49 sl 02 11 5565 6259 cotato@aresto.com.br

GRUPO ARESTO E-CRM CONTÁBIL. Rua: Farjalla Koraicho, 49 sl 02 11 5565 6259 cotato@aresto.com.br GRUPO ARESTO Rua: Farjalla Koraicho, 49 sl 02 11 5565 6259 cotato@aresto.com.br E-CRM CONTÁBIL Conheça o e-crm Contábil, a nova ferramenta que o nosso escritório colocou a sua disposição. Com ele, nosso

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

3 - Tela Principal. Itens importantes da página

3 - Tela Principal. Itens importantes da página SUMÁRIO 1 1 - Conceitos Gerais O CRQ é um sistema de controle de qualidade utilizado na etapa de recrutamento de estudos de natureza qualitativa. Ele é um banco de dados que tem como principal objetivo

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

Paginas em Branco: O sistema possui a possibilidade de configuração, que remove automaticamente as páginas em branco.

Paginas em Branco: O sistema possui a possibilidade de configuração, que remove automaticamente as páginas em branco. GERENCIAMENTO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS. Disponibiliza rotinas para armazenar e gerenciar (incluindo, alterando, excluindo e pesquisando) a documentação física e eletrônica (digitalizada, importada de

Leia mais

Produção. Consórcio de Imóveis Sistema para venda de Consórcio Online

Produção. Consórcio de Imóveis Sistema para venda de Consórcio Online Produção Consórcio de Imóveis Sistema para venda de Consórcio Online Tela Inicial Para acessar o Sistema coloque o seu nome de usuário e a sua senha de acesso e clique Entrar. Caso você tenha esquecido

Leia mais

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos.

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos. VERSÃO 5 Outubro/2012 Release Notes Não deixe de atualizar o seu sistema Planejamos a entrega ao longo do exercício de 2012 com mais de 140 melhorias. Mais segurança, agilidade e facilidade de uso, atendendo

Leia mais

ARQUIVOLOGIA PADRÃO DE RESPOSTA. O candidato deverá apresentar os seguintes elementos na construção das idéias:

ARQUIVOLOGIA PADRÃO DE RESPOSTA. O candidato deverá apresentar os seguintes elementos na construção das idéias: QUESTÃO n o 1 O candidato deverá apresentar os seguintes elementos na construção das idéias: Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se a inviolabilidade

Leia mais

Endereço acesso: http://certificacao.ccab.org.br

Endereço acesso: http://certificacao.ccab.org.br Rev. 00 Endereço acesso: http://certificacao.ccab.org.br Login: CNPJ do Exportador ou Despachante. Senha: Fornecido pela CCAB e impressa no protocolo de entrega de documentos. Possibilidade de troca da

Leia mais

MULTIACERVO Implementações da versão 19 - Completa

MULTIACERVO Implementações da versão 19 - Completa Data: Fevereiro / 2014 Tela de detalhes dos empréstimos Passa a exibir a matrícula do leitor e sua quantidade de itens emprestados. Gestão de doações Permite registrar as doações, tanto de entrada como

Leia mais

MÓDULO 5 Movimentações

MÓDULO 5 Movimentações MÓDULO 5 Movimentações Bem-vindo(a) ao quinto módulo do curso. Agora que você já conhece as entradas no HÓRUS, aprenderá como são feitas as movimentações. As movimentações do HÓRUS são: Requisição ao Almoxarifado:

Leia mais

Gerenciamento Do Escritório Virtual Utilizando O Sistema Web Contábil IDEAL. Atendimento: Tel : (11) 3857-9007 - e-mail: suporte@webcontabil.

Gerenciamento Do Escritório Virtual Utilizando O Sistema Web Contábil IDEAL. Atendimento: Tel : (11) 3857-9007 - e-mail: suporte@webcontabil. Gerenciamento Do Escritório Virtual Utilizando O Sistema Web Contábil 2010 IDEAL Última Atualização: 01/2010 Atendimento: Tel : (11) 3857-9007 - e-mail: suporte@webcontabil.com ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO A

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE INTRODUÇÃO O portal do Afrafep Saúde é um sistema WEB integrado ao sistema HEALTH*Tools. O site consiste em uma área onde os Usuários e a Rede Credenciada,

Leia mais

Apresentação Comercial Gestão Documental

Apresentação Comercial Gestão Documental Apresentação Comercial Gestão Documental Gestão Documental Como é possível administrar sua empresa de forma eficiente? Quais os passos para tornar seu empreendimento mais competitivo? Como é possível saber

Leia mais

Imóvel Mix SGI. 1. Acesso ao Sistema 2. Aspectos Gerais 3. Configuração da Empresa 4. Cadastro de Usuários

Imóvel Mix SGI. 1. Acesso ao Sistema 2. Aspectos Gerais 3. Configuração da Empresa 4. Cadastro de Usuários Imóvel Mix SGI Imóvel Mix SGI 1. Acesso ao Sistema 2. Aspectos Gerais 3. Configuração da Empresa 4. Cadastro de Usuários 5. Controle de Acesso 6. Cadastro de Clientes 7. Cadastro de Imóveis 8. Vistoria

Leia mais

TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades

TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades 1 Interagir com seus clientes por variados meios de contato, criando uma visão unificada do relacionamento e reduzindo custos. Essa é a missão do TACTIUM ecrm. As soluções

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE

TABELA DE TEMPORALIDADE TABELA DE TEMPORALIDADE E-mail: luiz@lacconcursos.com.br 1 2 Instrumento que define os PRAZOS DE GUARDA e DESTINAÇÃO FINAL dos documentos. O Prazo de Guarda dos Documentos é um termo técnico da arquivologia

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

Circulação de Materiais

Circulação de Materiais Circulação de Materiais Manual APC Manual PER-MAN-001 Circulação de Materiais Sumário 1. EMPRÉSTIMO/DEVOLUÇÃO/DÉBITOS/RENOVAÇÃO... 1-1 1.1 1.2 EMPRÉSTIMO... 1-3 DEVOLUÇÃO... 1-7 1.3 DÉBITOS... 1-10 1.4

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 5 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes ao Gerenciamento Acervo Documental Departamento de Estradas de Rodagem Esta Espírito Santo. 2. APLICAÇÃO Este procedimento aplica-se

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE Página 1 de REVISÃO DATA VERSÃO DO HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES SISTEMA 00 1.0 Emissão inicial. Página 2 de Sumário 1. Introdução... 4 2. Modelo Conceitual... 4 3. Programa Cliente... 5 3.1 Telas de Configuração...

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DOCUMENTOS JURÍDICOS

BOLETIM INFORMATIVO DOCUMENTOS JURÍDICOS BOLETIM INFORMATIVO DOCUMENTOS JURÍDICOS 10 passos para implantação de projetos de Gestão da informação no setor Jurídico outubro/2013 A AUTOMAÇÃO DE DOCUMENTOS JURÍDICOS É VITAL PARA O PRÓPRIO PROCESSO

Leia mais

Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED

Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Programa de Tratamento Integrado de Acervos - PROPTIA Fundamentos Benefícios - Cases Fundamento de GED GED - Conjunto de tecnologias que permitem o gerenciamento

Leia mais

Introdução. Nesta guia você aprenderá:

Introdução. Nesta guia você aprenderá: 1 Introdução A criação de uma lista é a primeira coisa que devemos saber no emailmanager. Portanto, esta guia tem por objetivo disponibilizar as principais informações sobre o gerenciamento de contatos.

Leia mais

Comex Exportação. Comercial. A partir de integração com o módulo de faturamento, o sistema de controle de exportação,

Comex Exportação. Comercial. A partir de integração com o módulo de faturamento, o sistema de controle de exportação, Comex Exportação A partir de integração com o módulo de faturamento, o sistema de controle de exportação, facilita a impressão dos principais documentos da exportação como fatura comercial, packing list,

Leia mais

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais...

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais... Sumário UNICO...... 3 Cadastros... 4 Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5 Produtos...... 6 Serviços...... 6 Outros...... 6 Vendas... 7 Notas Fiscais... 7 Estoque...8 Financeiro......

Leia mais

3. Definições: Procedimento (POP) Unidade Organizacional (UO) Código: POP-STGARQ-001. Revisão: 03. Páginas 06. Data 19/04/2010

3. Definições: Procedimento (POP) Unidade Organizacional (UO) Código: POP-STGARQ-001. Revisão: 03. Páginas 06. Data 19/04/2010 : 1. Objetivo: Padronizar os procedimentos relacionados aos pedidos de arquivamento e desarquivamento dos autos processuais findos oriundos das Unidades Organizacionais (UO s) do TJ/AM Área-Fim. 2. Campo

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO VERSÃO 2014 Fevereiro de 2014 SIGFIS-Sistema Integrado

Leia mais

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO Envio de Remessas Online BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO webshipping.dhl.com ACESSE O DHL WEB SHIPPING DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO. Ideal para qualquer empresa com acesso à internet, o DHL Web

Leia mais

GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GPD GESTÃO DOCUMENTAL NA COPEL

GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GPD GESTÃO DOCUMENTAL NA COPEL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPD - 23 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GPD

Leia mais

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br Sumário 1. Boas vindas... 4 2. Dashboard... 4 3. Cloud... 5 3.1 Servidores... 5 o Contratar Novo Servidor... 5 o Detalhes do Servidor... 9 3.2 Cloud Backup... 13 o Alteração de quota... 13 o Senha do agente...

Leia mais

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente Documentos formam a grande massa de conhecimentos de uma organização seja ela privada ou pública, esses documentos em sua maioria são parte do seu patrimônio. A Gestão

Leia mais

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Subcomissão de Patrimônio - GEFIM REITORIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO COMPATRIM/GEFIM SISTEMA PATRIMÔNIO WEB Manual do usuário v.1.1 Sumário Introdução... 4 Fluxo das Principais

Leia mais

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Marcos Moysés da Cunha marcos.cunha@eletrobras.com (21) 2514-5695 Gestão de Documentos SharePoint GED... caminho... Gestão de Documentos

Leia mais

Atualizações do Sistema. SMARsa

Atualizações do Sistema. SMARsa Atualizações do Sistema SMARsa Módulo WEB VERSÃO 2.0 Sumário 1º BLOQUEIO AUTOMÁTICO DE PROCESSO NO RECEBIMENTO DE DOCUMENTOS (JUNTADA)...3 2º INCORPORAÇÃO DE PROCESSOS...4 3º PRAZO DE RECEBIMENTO DE PROCESSO

Leia mais

Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas Consulta ao Acervo e Meu Pergamum. Rio do Sul, maio de 2014

Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas Consulta ao Acervo e Meu Pergamum. Rio do Sul, maio de 2014 Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas Consulta ao Acervo e Meu Pergamum Rio do Sul, maio de 2014 Consulta ao Acervo www.ifc-riodosul.edu.br Clique no item Consulta ao Acervo. Pesquisa Geral Na pesquisa

Leia mais

Módulo NF-e. Manual de Utilização

Módulo NF-e. Manual de Utilização Módulo NF-e Manual de Utilização 1 Conteúdo Passo-a-passo para emissão de NF-e... 3 1. Obtendo seu Certificado Digital... 3 2. Registrando-se na Secretaria da Fazenda para Homologação (testes)... 4 3.

Leia mais

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet www.controlenanet.com.br Copyright 2015 - ControleNaNet Conteúdo Tela Principal... 3 Como imprimir?... 4 As Listagens nas Telas... 7 Clientes... 8 Consulta... 9 Inclusão... 11 Alteração... 13 Exclusão...

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado de Roraima. AGIS Gerenciamento Eletrônico de Documentos

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado de Roraima. AGIS Gerenciamento Eletrônico de Documentos AGIS Gerenciamento Eletrônico de Documentos 1 SUMÁRIO 1. Definições 3 1.1 Apresentação 3 1.2 Disposição do Sistema 3 2. Acessando o Sistema 4 2.1 Procedimento para regularizar o primeiro acesso 4 2.2 Procedimento

Leia mais

Software. Gerenciamento de Manutenção

Software. Gerenciamento de Manutenção Software Gerenciamento de Manutenção Importância de um Software de Manutenção Atualmente o departamento de manutenção das empresas, como todos outros departamentos, necessita prestar contas de sua atuação

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM CONTÁBIL

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM CONTÁBIL GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM CONTÁBIL Digitalize e Gerencie de forma estruturada e simples os documentos Contábeis de sua empresa em uma plataforma segura e totalmente

Leia mais

Controle do Arquivo Técnico

Controle do Arquivo Técnico Controle do Arquivo Técnico Os documentos existentes de forma física (papel) no escritório devem ser guardados em pastas (normalmente pastas suspensas) localizadas no Arquivo Técnico. Este Arquivo pode

Leia mais

ABB reduz custos operacionais e centraliza informações contábeis e fiscais com a implementação de solução de ECM/GED da SML Brasil

ABB reduz custos operacionais e centraliza informações contábeis e fiscais com a implementação de solução de ECM/GED da SML Brasil Indústria ABB reduz custos operacionais e centraliza informações contábeis e fiscais com a implementação de solução de ECM/GED da SML Brasil CLIENTE V I S Ã O G E R A L Asea Brown Boveri ABB Site: www.new.abb.com/br

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS AVULSOS - SISDOC. Manual do Sistema v3.1

SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS AVULSOS - SISDOC. Manual do Sistema v3.1 SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS AVULSOS - SISDOC Manual do Sistema v3.1 JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS AVULSOS 1- Introdução O Sistema

Leia mais

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Projeto SIGA-EPT Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Versão setembro/2010 Requisição de Almoxarifado Introdução Requisição é uma solicitação feita

Leia mais

Manual NOV - PDV. Versão 1.0

Manual NOV - PDV. Versão 1.0 Manual NOV - PDV Versão 1.0 Sumário 01 Captura de Nota Fiscal...3 02 Remessa de Entrada...6 03 Remessa de Saída......9 04 Pedido Normal...12 05 Pedido Especial...16 06 Nota Fiscal Avulsa...18 07 Controle

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Minicurso MoReq-Jus Mar/2010

Minicurso MoReq-Jus Mar/2010 Minicurso MoReq-Jus Mar/2010 Pauta O que é um Modelo de Requisitos? Modelo de Requisitos: Benefícios Pirâmide de Requisitos MoReq-Jus Motivação Objetivos Principais referências Evolução Abrangência dos

Leia mais

Passo a Passo do Checkout no SIGLA Digital

Passo a Passo do Checkout no SIGLA Digital Página 1 de 7 Passo a Passo do Checkout no SIGLA Digital Este é um dos principais módulos do Sigla Digital. Utilizado para vendas no balcão por ser uma venda rápida, mais simples, onde não é necessário

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

Segurança e facilidade

Segurança e facilidade TGC Box: Segurança e facilidade na escrituração fiscal. Objetivo: armazenamento seguro dos documentos eletrônicos (NFe, CTe e NFCe) para escrituração fiscal de forma rápida e eficiente. Segurança e facilidade

Leia mais

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente Documentos formam a grande massa de conhecimentos de uma organização seja ela privada ou pública, esses documentos em sua maioria são parte do seu patrimônio. A Gestão

Leia mais

As principais alterações entre as versões 1.0 e 2.0 da NFS-e foram: Não obrigatória. Para informar o responsável pela retenção.

As principais alterações entre as versões 1.0 e 2.0 da NFS-e foram: Não obrigatória. Para informar o responsável pela retenção. As principais alterações entre as versões 1.0 e 2.0 da NFS-e foram: 1) Campos incluídos Campo País Prestador Tomador Prestação do serviço Data de competência no RPS Tipo Num (4) Não obrigatório Não obrigatória

Leia mais

RESUMO DE CATALOGAÇÃO

RESUMO DE CATALOGAÇÃO RESUMO DE CATALOGAÇÃO CLASSIFICAÇÃO DISTINTA Contatos: Cirineo Zenere (c.zenere@pucpr.br) Eulália M. Soares (eulalia.soares@pucpr.br) Josilaine O. Cezar (josilaine.cezar@pucpr.br) SUMÁRIO INICIANDO A CATALOGAÇÃO...2

Leia mais

Processo Aplicado Contabilidade EV Doc

Processo Aplicado Contabilidade EV Doc Processo Aplicado Contabilidade EV Doc EV DOC DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO ELETRÔNICA DE DOCUMENTOS (GED) Digitalize e gerencie de forma simples os documentos e informações de sua empresa utilizando uma plataforma

Leia mais

Manual do Software de Cobrança Itaú

Manual do Software de Cobrança Itaú Banco Itaú SA Manual do Software de Cobrança Itaú Última atualização: agosto/2006 Índice 1 Visão Geral 03 2 Instalação 03 3 Inserindo os dados de sua empresa 03 4 Inserindo os dados dos títulos de Cobrança

Leia mais

Manual do Usuário DENATRAN

Manual do Usuário DENATRAN Manual do Usuário DENATRAN Confidencial Portal SISCSV - 2007 Página 1 Índice Analítico 1. INTRODUÇÃO 5 2. ACESSANDO O SISCSV 2.0 6 2.1 Configurando o Bloqueador de Pop-Ups 6 3. AUTENTICAÇÃO DO USUÁRIO

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

O e-docs foi testado e homologado pela Microsoft via certificadora internacional Verisign.

O e-docs foi testado e homologado pela Microsoft via certificadora internacional Verisign. O e-docs Uma ferramenta com interface intuitiva, simples e dinâmica para você que necessita: Centralizar e estruturar o conhecimento corporativo. Manter a flexibilidade necessária para a colaboração. Permite

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Manual da Qualidade. Controle de documentos 18/8/2011. A norma recomenda: A norma recomenda um procedimento documentado que contenha controles para:

Manual da Qualidade. Controle de documentos 18/8/2011. A norma recomenda: A norma recomenda um procedimento documentado que contenha controles para: Manual da Qualidade A norma recomenda: o escopo do sistema de gestão da qualidade, incluindo detalhes e justificativas para quaisquer exclusões os procedimentos documentados estabelecidos para o sistema

Leia mais

manual Sistema de Gestão de Contribuições

manual Sistema de Gestão de Contribuições manual Sistema de Gestão de Contribuições Conteúdo 1. Login 4 2. Home 5 3. Informações básicas 3.1. Menus 6 3.2. Números e status 7 3.3. Ações 8 4. Ambientes da ferramenta 4.1. Sindicato 13 4.2. Empresas

Leia mais

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial...

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial... 1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3 1.1. Conhecendo a Plataforma... 4 1.2. Seleção da Empresa de Trabalho... 4 1.3. Sair do Sistema... 5 1.4. Retornar a tela principal... 5 3. Configurações...

Leia mais